Você está na página 1de 47

7

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO


ISTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS
DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA

ELSON BOSCO OJEDA

“NORTÃO DE MATO GROSSO”:


Problemas advindos de sua ocupação no período compreendido entre os anos de 1986 a 1990.

Cuiabá
Março/ 2005
8

ELSON BOSCO OJEDA

“NORTÃO DE MATO GROSSO”:


Problemas advindos de sua ocupação no período compreendido entre os anos de 1986 a 1990.

Catálogo temático de fontes de pesquisa apresentado à banca examinadora do departamento


de história da UFMT, como exigência parcial para obtenção do grau de bacharel em história,
sob a orientação do professor Me. João Antonio Botelho Lucidio.

Cuiabá
Março/ 2005
ELSON BOSCO OJEDA
9

“NORTÃO DE MATO GROSSO”:


Problemas advindos de sua ocupação no período compreendido entre os anos de 1986 a 1990

Banca examinadora

Orientador Prof. Me. João Antonio Botelho Lucidio.

Professor Dr. Vitale Joanone Neto.

Professor Me. Carlos Eduardo Souza de Carvalho.

Professor Dr. Pio Penna Filho.

Cuiabá
Março/ 2005
10

RESUMO

Catálogo com dados coletados no Arquivo Público do Estado, nos jornais: O


Estado de Mato Grosso e Diário de Cuiabá, o período de janeiro de 1986 a dezembro 1990,
focalizando o norte de Mato Grosso com o intuito de verificar os diversos problemas advindos
de sua ocupação e colonização.

Palavras chave: Catálogo, dados, jornais, ocupação e colonização.


___________________________________________________________________________
11

ABSTRACT

Catalog with data collected in the Public File of the State, in the newspapers:
The State of Mato Grosso and Diary of Cuiabá, the period of January of 1986 to December
1990, focalizing the north of Mato Grosso with the intention of verifying the several problems
advindos of your occupation and colonization.

Words key: Catalog, data, newspapers, occupation and colonization.


12

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO
8

2 OS JORNAIS: Diário de Cuiabá e o Estado de Mato Grosso 11

2.1 Assentamento, posse de terras, desmatamentos e escravidão por dividas 11

2.2 Atividades garimpeiras 14

2.2.1 Prostituição, Drogas e Violência nas Áreas de Garimpo 18

2.2.2 Decadência das Atividades Garimpeiras 25

2.3 Doenças 28

2.4 Emancipação e Política 34

2.5 Infra-estrutura e Produção 41

2.6 Violência 45

3 BIBLIOGRAFIA 47
13

PROBLEMAS ADVINDOS DA OCUPAÇÃO DO “NORTÃO DE MATO”


GROSSO NO PERIODO DE 1986 A 1990.
14

1 INTRODUÇÃO

O presente trabalho é um catálogo temático de fontes históricas composto com


matérias publicadas nos jornais: Diário de Cuiabá e O Estado de Mato Grosso, entre janeiro
de 1986 a dezembro de 1990. Escolhemos notícias específicas referentes ao “Nortão de Mato
Grosso” denominação corriqueira de uma área do estado que fica mais ao norte, compreende
as bacias dos rios Teles Pires e Juruena, e faz divisa com o Pará e Amazonas.
A história recente de ocupação do norte de Mato Grosso passa, também, pelos
projetos de colonização da Amazônia elaborados pela Superintendência de Desenvolvimento
da Amazônia (Sudam), criada em 1966, com o intuito de promover a integração de uma parte
pouco explorada do Brasil. Para tanto deveria realizar obras de infra-estrutura como estradas
para permitir sua ocupação por não índios e integrá-los economicamente. Além dos projetos
tutelados pela Sudam havia aqueles sob responsabilidade do Instituto Nacional de
Colonização e Reforma Agrária (Incra) e de empresas particulares.
Empresas particulares, especialmente as colonizadoras, atuaram a partir da
década de 1970 com incentivos financeiros e fiscais, do governo federal. Adquiriram grandes
porções de terra a preços muito baixos ou as receberam por concessões e, em seguida, com o
auxílio de muita propaganda, atraíram para suas áreas de influência, migrantes oriundos,
sobretudo, das regiões sul e sudeste do Brasil.
Atraídos pelas representações produzidas pelas colonizadoras, os migrantes,
deixavam-se seduzir pelas notícias de: ‘abundância de terras’ férteis para plantar, e uma
excelente infra-estrutura para o escoamento de sua produção. Estas promessas e outras seriam
a realização do sonho de uma vida melhor, sonho este que só aconteceu para alguns poucos,
revelando-se para outros como parte de mais um período de lutas e exploração de seu
15

trabalho, uma vez que eram obrigados a aceitar terras em locais inóspitos, onde eram deixados
sem a menor infra-estrutura.
A grande maioria dos que aqui chegaram encontrou suas terras localizadas
perto de uma picada que, com sorte, os levaria a uma estrada mais próxima. Tiveram que
derrubar a mata e formar clareiras, construir casas, limpar o terreno para que se pudesse
plantar sem que, no entanto tivessem a certeza da produtividade do solo. Nesta labuta muitos
pereceram, principalmente de doenças tropicais.
Vale ressaltar que o sonho de vir para a Amazônia mato-grossense não se
restringia apenas aos que sonharam com um pedaço de terras para plantar. Havia aqueles que
participaram de organização dos núcleos urbanos. Na medida em que as matas eram
derrubadas para o plantio surgiam várias cidades na região.
O que era muito difundido pelos jornais e revistas da época e ganhavam um
enorme destaque na imprensa de grande circulação nacional, onde invariavelmente apontavam
as novas cidades como ideais para se “vencer na vida”. Contavam das aventuras dos sonhos
realizados, das curiosidades, dos garimpeiros, da vida dura dos colonos, que mais se
aproximam de heróis “novos bandeirantes”, com este discurso justificavam a derrubada da
floresta, o desiquilíbrio ecológico que afetava a fauna e a flora, como também a invasão de
reservas indígenas, a expulsão de posseiros, a exploração total de homens e meio ambiente.
Nessas áreas o progresso se demonstrava como marca inabalável do desenvolvimento das
terras sendo ocupadas pela colonização.
Dentro do contexto da colonização pós 1970 foram “esquecidas” as
experiências anteriores de ocupação da região, seja por seringueiros ou garimpeiros. Até
mesmo a presença indígena foi cuidadosamente apagada. Entre 1968 e 1975 vários dos povos
indígenas que ali habitaram (Kayabi, Beiço-de-Pau, Panara, etc) foram transferidos para o
Parque Nacional do Xingu. No caso das atividades garimpeiras é sabido que desde os anos de
1940 tanto o Teles Pires quanto o Juruena eram explorados por mergulhadores que deles
extraiam ouro.
A atividade garimpeira mesmo contra os mecanismos de controle das empresas
colonizadoras, que não queriam pessoas estranhas a colonização, em suas áreas, teve seu
período mais próspero a partir do ano de 1979 (foi considerada uma invasão), com um
deslocamento grandioso de pessoas que, segundo matérias publicadas nos jornais
pesquisados, só nas áreas de garimpo chegou na década de 1980, a 300 mil indivíduos.
Tal contingente populacional gerou uma série de conflitos e tensões que vão
desde os de ordem econômica como abastecimento e infra-estrutura; passando pelos de ordem
16

social, não aceitação dos garimpeiros, majoritariamente nortistas ou nordestinos; até os de


saúde, falta de experiência, vontade política e conhecimento técnico para enfrentar as
inúmeras doenças que assolaram as pessoas ali radicadas.
A pesquisa foi delimitada entre os anos de 1986 a 1990, pois nestes anos o
Norte de Mato Grosso passou por uma série de mudanças dentre as quais a consolidação da
maioria dos projetos de colonização, com fluxos e refluxos migratórios, além de ser o período
mais conturbado nas áreas de garimpo com inúmeras denúncias de casos de violência, de
descaso, de doenças endêmicas, etc.
O trabalho de catalogação e pesquisa foi concentrado num período de quatro
meses no Arquivo Público do Estado. Foram lidos todos os números disponíveis dos dois
periódicos selecionados e arquivados ao mesmo tempo fez-se um resumo das matérias
publicadas.
A pesquisa, no entanto teve as seguintes dificuldades, os jornais estavam
arquivados de forma aleatória não seguindo a ordem diária em cada maço, fazendo com que
perdêssemos algum tempo na organização dos dados e do material pesquisado, existem
lacunas onde há a falta de muitos exemplares e em alguns casos faltam meses inteiros de
publicações, também detectamos jornais danificados pela atuação de vândalos que de forma
indiscriminada recortaram suas partes.
Felizmente tivemos fatores que auxiliaram a pesquisa, como a atenção e
gentileza com que os funcionários do Arquivo nos atenderam, facilitando a disponibilização
do material a ser pesquisado e catalogado.
O presente trabalho foi montado em forma de catálogo temático de fontes
históricas que foi dividido por temas onde relacionamos todas as matérias publicadas e
arquivadas no Arquivo Publico do Estado conforme o assunto e em ordem cronológica.
Elaboramos este trabalho utilizando-nos de normas da ABNT. O catálogo foi
dividido em uma introdução e no desenvolvimento, que consiste na organização das matérias
publicadas sobre o chamado ‘Nortão’ de Mato Grosso sobre período entre 1986 a 1990. O
conjunto de matérias sobre o espaço-tempo indicado foi agrupado em seis temáticas, a saber:
Assentamento, posse de terras, desmatamentos e escravidão por dívidas; Atividades
garimpeiras; Doenças; Política e Emancipação; Produção e infra-estrutura; e Violência.
17

2 Os Jornais: Diário de Cuiabá e O Estado de Mato Grosso.

2.1 Assentamento, posse de terras, desmatamentos e escravidão por


dívidas.

IBDF denúncia de desmatamento. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 47, n. 10.238, 21
fev. 1986. p. 09.
Resumo: Delegacia do IBDF divulga relatório sobre latifundiários que provocam
desmatamento na região sul do Pará e norte de Mato Grosso.

COLONOS e garimpeiros de Guarantã podem garantir a permanência nas áreas, jornal Diário
de Cuiabá. Cuiabá, ano XVIII, n. 4.750, 10 abr. 1986. Geral, p. 06.
Resumo: Temendo serem expulsos de suas terras, colonos e garimpeiros da região de
Guarantã (município de Colider) estiveram em Cuiabá para conseguir junto ao Incra e DNPM
a garantia de que poderão permanecer naquela área, já que a multinacional, mineradora Mota
Fonseca obteve alvará de pesquisa para explorar área onde há maior concentração de colonos
e garimpeiros instalados.

ATÉ Julho INCRA assenta dez mil famílias em Mato Grosso “projeto Carlinda em Alta
Floresta recebera novos colonos”. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 47, n. 10.281, 16
abr. 1986. Geral, p. 01- 07.
18

Resumo. Diretor do INCRA revelou que dentro do projeto de reforma agrária serão assentadas
nos próximos dias 10 mil famílias. Entre os municípios que receberão novos colonos está o de
Alta Floresta.

REVISTA provoca discussão na Assembléia Legislativa. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá,


ano 47, n.10.314, 29 maio. 1986. Local, p. 03.
Resumo: Revista “Contato” editada em Cuiabá, foi centro de discussão exaltada entre os
deputados Osvaldo Sobrinho (PMDB) e Benedito Santiago (PDS) entre os pontos polêmicos
questões de violência nos assentamentos de Alta Floresta.

SEM-TERRA podem ir para Aripuanã. Diário de Cuiabá. Cuiabá, ano XVIII, n.4.544, 05 ago.
1986. Geral, p. 04.
Resumo: As negociações dos sem terra de Jaciara com o Conselho Regional de Reforma
Agrária de Mato Grosso avançou ontem no auditório do Incra. Uma visita de 50 lavradores ao
projeto Filinto Miller distante 1500 quilômetros de Cuiabá foi decidido depois de uma
resolução do conselho.

OS SEM - TERRA rejeitam Aripuanã; agora pedem apoio da sociedade. Diário de Cuiabá,
Cuiabá, ano XVIII, n.4.562, 27 ago. 1986. Geral, p. 03.
Resumo: Os sem terra acampados a 33 dias no pátio da igreja do Rosário – passaram a manhã
de ontem discutindo a contra – proposta do Incra/ MT (Instituto Nacional de Reforma
Agrária), de assentá-los no projeto Filinto Miller a 1500 quilômetros de Cuiabá, no norte do
Estado, decidiram em assembléia por unanimidade rejeitam a contra – proposta.

GUARANTÃ denuncia contra INCRA-MT. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XVIII, n.4.567, 02
set. 1986. Geral, p. 03.
Resumo: Os moradores de Guarantã do Norte encaminharam documento à Polícia Federal de
Mato Grosso, contendo abaixo assinado de denuncias contra as arbitrariedades que vem sendo
praticadas contra a comunidade por funcionários do Incra.

INCRA rebate acusação de posseiro do Nortão. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XVIII, n.4.642,
27 nov. 1986. Geral, p. 06.
Resumo: Mesmo condenando de forma veemente a atitude violenta da família Villela, o
superintendente regional do Incra, Joarez Gomes, rebateu ontem as denuncias feitas pelo
19

posseiro Euclides de Oliveira, da Agrovila de Redenção, em Terra Nova, no Nortão do Estado,


assegurando que os Villela são realmente proprietários de seis lotes de terra naquela região,
porém garantiu que vai verificar a suposta participação de um de seus funcionários no
processo de retirada das famílias ali instaladas.

INCRA e Estado fazem convênio para assentamento. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XVIII,
n.4.652, 10 dez. 1986, geral, p. 03.
Resumo: Com o objetivo de estabelecer diretrizes gerais e definitivas para dar continuidade ao
projeto de colonização “Filinto Miller”, a ser efetiva e racionalmente implantada em uma área
de terras rurais pertencentes ao Estado de Mato Grosso, o governador Wilmar Peres de Farias
e o Presidente do Incra, Rubens Ilgenfritz assinaram convênio.

COLONOS vão ficar mesmo com os Zoró em Aripuanã. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XIX,
n.4.683, 20 jan. 1987. Geral, p. 05.
Resumo: O Secretário de Assuntos Fundiários, Adalto Nogueira Borges, afirmou que, embora
não tenha qualquer poder de conclusão sobre o caso, acha muito difícil a retirada de 450
famílias instaladas dentro da reserva indígena dos Zoró: na região de Aripuanã.

LAVRADA denúncia de escravidão branca em Apiacás – MT. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano
XIX, n.4.708, 18 fev.1987. Geral, p. 06.
Resumo: O regime de “escravidão branca” praticado por grandes fazendeiros em Mato Grosso
(primeiro caso do ano) foi denunciado pelo lavrador Talmon Enoch Rujnach a ordem dos
Advogados do Brasil (OAB - DF), o fato ocorreu na fazenda Santa Maria em Apiacás – MT.

ZORÓ quer retirada de colonos de Aripuanã e vão ao DF. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XIX,
n.4.713, 24 fev.1987. Geral, p. 03.
Resumo: Uma comissão, com cerca de 30 índios da reserva Zoró em Aripuanã, se
encontraram ontem em Brasília, com o Ministro de Desenvolvimento e Reforma Agrária
Dante de Oliveira e o Presidente da FUNAI, com gritos de guerra exigiram a retirada imediata
dos posseiros de suas sua reserva,

TRABALHADORES eram mantidos como escravos em Aripuanã. Diário de Cuiabá, Cuiabá,


ano XXI, n. 6.122, 09 set. 1989. Geral, p. 07.
20

Resumo: Um grupo de setenta e seis trabalhadores, incluindo dois menores, veio para Cuiabá
depois de trabalharem em regime de “escravidão branca”, na fazenda Peralta, no município de
Aripuanã.

CADAVERES encontrados em fazenda denunciada por prática de escravidão branca em


Aripuanã. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XXI, n. 6.125, 13 set. 1989. Geral, p. 07.
Resumo: Os corpos dos peões “Fuscão” e “Paulista”, foram encontrados enterrados na
fazenda Reunidas Nossa Senhora de Fátima, em Aripuanã, de onde recentemente fugiram para
Cuiabá cerca de 150 trabalhadores que viviam sob regime de “escravidão branca”.

2.2 Atividades garimpeiras

GARIMPEIROS beneficiados no 3 º aniversário do governo do Estado. Diário de Cuiabá,


Cuiabá, ano XVIII, n. 4.729, 12 mar. 1986. Geral, p. 06.
Resumo: Como parte das comemorações do terceiro aniversário do governo Julio Campos,
será lançado na próxima sexta feira, na Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo do
Estado, o programa Estadual do garimpo, que tem por objetivo apoiar os garimpeiros nas
áreas reservadas à livre garimpagem. Além de Poconé estão incluídos os garimpos do
“Nortão”.

SECRETARIA do trabalho e desenvolvimento social da prioridade ao garimpo. O Estado de


Mato Grosso. Cuiabá, ano 47, n. 10.336, 26 jun. 1986. Geral, p. 01- 03.
Resumo: O Secretário do Trabalho e Desenvolvimento Social deu a partida no projeto de
avaliação de controle ambiental nas áreas de extração de ouro nos garimpos de Poconé,
Cáceres Peixoto Azevedo, Paranaíta e Apiacás.

GARIMPEIROS contra o fechamento das agências da CEF no Nortão. O Estado de Mato


Grosso, Cuiabá, ano 47, n. 10.316, 31 mai. 1986. Geral, p. 01 - 04,
Resumo: Possível fechamento das agências da Caixa Econômica Federal no “Nortão” deixa o
sindicato dos garimpeiros de Mato Grosso preocupado, segundo ele isso poderá ocasionar
especulações no preço do ouro.
21

ENTRA em cena projeto para medir impacto do garimpo no ambiente. O Estado de Mato
Grosso, Cuiabá, ano 47, n.10.307, 20 jun. 1986. Política, p. 03.
Resumo: A Coordenadoria do Meio Ambiente da Secretaria do Trabalho em convênio com a
Secretaria do Meio Ambiente lança projeto para averiguar o impacto ambiental dos garimpos
em Mato Grosso.

BOSCOLO crê no futuro do garimpo. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 47, n. 10.336,
26 jun. 1986. Local, p. 04.
Resumo: Carlos Calia Boscolo, através de sua Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento
Social, deu partida no projeto de avaliação de controle ambiental nas áreas de extração de
ouro no Estado de Mato Grosso, projeto que pretende ser modelo para outras regiões do
Brasil.

DANTE pede a Aureliano a criação de uma área livre para garimpo em Alta floresta MT. O
Estado de Mato Grosso, ano 47, n. 10.390, 28 ago. 1986. Política, p. 05.
Resumo: Dante de Oliveira o Ministro do Desenvolvimento Agrário solicitou ao Ministro da
Minas de Energia a criação de área livre para o garimpo em Alta Floresta.

CLIMA tenso no garimpo Apiacás, jornal Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XVIII, n.4.578, 14
set. 1986. Polícia, p. 08.
Resumo: A atitude do governador Wilmar Peres de Faria de interceder em favor da
mineradora Paranapanema solicitando mandato de segurança contra a decisão do Juiz Círio
Miotto, que concedeu liminar garantindo a manutenção da posse dos garimpeiros de Apiacás,
levou o Prefeito de Alta Floresta, Edson Santos, a enviar Fax para todos os deputados
solicitando que seja criado uma comissão para reunir com o governador e o tribunal de Justiça
do Estado na próxima semana. O clima no garimpo é tenso podendo levar os garimpeiros a
um confronto armado contra a Policia Militar que devera ir ao local para expulsá-los.

PESQUISA em garimpos revela dados impressionantes. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá,


ano 48, n. 10.667, 01 ago. 1987. Local, p. 03.
Resumo: Pela primeira vez é realizada uma pesquisa em Mato Grosso que faz um
levantamento geral da atividade garimpeira no estado e identifica onde a situação é mais
critica. Entres os dados da pesquisa se destaca o do número de pessoas envolvidas nas
atividades garimpeiras; quantidade de ouro produzido, etc.
22

FISCALIZAÇÃO será mais rígida nos rios e garimpos em 1989. Diário de Cuiabá, Cuiabá,
ano XXI, n. 5.915, 27 dez. 1988. Geral, p. 07.
Resumo: A Sudepe (Superintendência de Desenvolvimento e Pesquisa) desenvolverá, no
próximo ano, um trabalho mais intenso de fiscalização contra o uso indiscriminado do
mercúrio nos garimpos. O Presidente da Sudepe, Aécio Moura da Silva considera positivo o
resultado obtido neste ano, citando como exemplo a campanha contra a utilização de mercúrio
nos garimpos do norte de Mato Grosso.

MINERADORES acham inútil o veto ao mercúrio. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano
50, n. 11.093, 15 fev. 1989. Gente, p. 05.
Resumo: Resolução federal proíbe a utilização do mercúrio na extração de ouro. O presidente
do sindicato dos garimpeiros, com sede em Alta Floresta, acha que seria mais viável o
trabalho de conscientização, pois existem mais de 200 mil garimpeiros e a fiscalização seria
ineficiente.

A POLUIÇÃO de garimpos já preocupa. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XXI, n. 6.034, 27


mai. 1989. Geral, p. 07.
Resumo: Uma equipe da Secretaria do Meio Ambiente seguirá na próxima semana para
Pontes e Lacerda e Matupã para um levantamento sobre a atividade garimpeira que esta
poluindo as fontes de água potável com grande quantidade de mercúrio, segundo denuncia
feita pelo diretor local da Sanemat.

GARIMPEIROS da Amazônia fazem reunião. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano L, n.


11.204, 01 jul. 1989. p. 01 - 12
Resumo: O 2º encontro dos sindicatos e associações de garimpeiros da Amazônia Legal, que
teve início ontem em Cuiabá, esta reunindo 22 representantes de classe. Durante três dias, eles
vão discutir a elaboração do Estatuto do garimpeiro e o Código de Mineração em vigor.

GARIMPEIROS têm proposta a deputados, O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano L, n.


11.205, 02 jul. 1989. Geral, p. 1-11.
Resumo: O segundo encontro dos sindicatos e associações de garimpeiros da Amazônia Legal
encerra-se com documento a ser enviado para o congresso com proposta de regulamentação e
garantia de direitos sociais.
23

USO do mercúrio pode afetar manancial. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano L, n. 11.218,
18 jul. 1989. Geral, p. 12.
Resumo: As populações de Matupá e Peixoto de Azevedo, na região norte mato-grossense,
estão ameaçadas de ficarem sem água potável. Denúncia feita pelo diretor de expansão da
companhia de Saneamento de Mato Grosso (SANEMAT), Rubem Mauro.

ATIVIDADE garimpeira em MT será reordenada em especial na região de Peixoto de


Azevedo. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XXI, n. 6.145, 06 out. 1989. Geral, p. 07.
Resumo: Um projeto que prevê o reordenamento da atividade garimpeira no Estado, em
especial na região de Peixoto de Azevedo, será levado a apreciação na diretoria do IBAMA,
em Brasília, pelo Superintendente do órgão em Mato Grosso, Elzio Virgilio Alves Correa.
Tendo apoio do presidente do presidente do sindicato dos garimpeiros.

GARIMPEIROS: situação muito tensa no Nortão. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XXII, n.
6.277, 22 mar.1990. Geral, p. 09.
Resumo: A situação nas regiões garimpeiras de Alta Floresta, Matupã, Terra Nova e Peixoto
de Azevedo e Guarantã do Norte é de muita tensão. Acontece que devido às novas medidas
econômicas a compra de ouro caiu e isso vem prejudicando não só as empresas responsáveis
pela extração do metal como, principalmente, os garimpeiros daquela região.

GARIMPEIROS em busca de mais organização. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n.
11.589, 17 out. 1990. Geral, p. 09.
Resumo: Teve inicio no dia 16 e encerra no dia 17 no centro de treinamento polivalente no
bairro Cristo Rei em Várzea Grande, o I Seminário mato-grossense de cooperativa de
garimpo. A abertura do evento contou com a presença do governador Edson Freitas, do
prefeito de Cuiabá, Frederico Campos e Roberto Rodrigues presidente da Organização das
Cooperativas Brasileiras.

DNPM fará levantamento dos garimpos. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n. 11.602,
01 nov. 1990. Geral, p. 09.
Resumo: Começa na próxima segunda feira em Mato Grosso um levantamento de todos os
garimpos e garimpeiros existentes no Estado. A pesquisa será realizada dentro do programa do
governo Federal “Levantamento Nacional de Garimpos e Garimpeiros”, com o objetivo de
24

definir o perfil técnico econômico – social da garimpagem que dará subsídios para formulação
de uma política nacional da atividade. A operação começa pelos garimpos do “Nortão”.

QUEDA na produção de ouro é de 45%. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n. 11.604,
02 nov. 1990. Geral, p. 09.
Resumo: O Sindicato dos Garimpeiros de Mato Grosso calcula em 45% a queda na produção
de ouro de janeiro a outubro de 1990 em relação ao mesmo período de 1989. A extinção do
certificado de matrícula, a forte pressão dos ambientalistas para o fechamento de garimpos, a
falta de dinheiro no mercado são algumas das explicações encontradas pelo presidente do
sindicato Marcionilio Macedo.

2.2.1 Prostituição, Drogas e Violência nas Áreas de Garimpo

DEPUTADO pede empenho da Assembléia Legislativa no combate à violência. O Estado de


Mato Grosso, Cuiabá, ano 47, n. 10.271, abr. 1986. p. 01.
Resumo: Baseado em denúncia do presidente da associação de garimpeiros de nova Apiacá, o
deputado Kazuo Sano pede apoio no sentido de suprimir violência policial e de jagunços em
Apiacás.

DEPUTADO quer solução rápida para problemas de Apiacás. O Estado de Mato Grosso,
Cuiabá, ano 47, n. 10.271, abr. 1986. Política, p. 03.
Resumo: O deputado Osvaldo Sobrinho defende na tribuna uma ação das autoridades (DNPN)
para dar mais amparo legal aos garimpeiros do norte que estariam sofrendo concorrência
desleal de multinacionais.

KAZUO Sano aponta nome de soldados que assassinaram em Alta Floresta. O Estado de
Mato Grosso, Cuiabá, ano 47, n. 10.274, 06 abr. 1986. Polícia, p.11.
Resumo: O deputado Kazuo Sano leva a Assembléia ex-soldado que aponta o envolvimento
do comandante da 5ª. Companhia de Alta Floresta além de outros elementos da PM, que
teriam matado mais de 10 pessoas de dezembro de 1985 a fevereiro de 1986.
25

ASSASSINADA em Apiacás. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 47, n. 10.349, 11 jul.
1986. Polícia, p. 11.
Resumo: Mulher assassinada a tiros em boate, por homem desconhecido que não foi
identificado e conseguiu fugir.

INTERMAT e polícia desativam barreira feita por pistoleiros. O Estado de Mato Grosso,
Cuiabá, ano 47, n. 10.361, 27jul. 1986. Polícia, p. 07.
Resumo: O Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat) solicitou auxilio da Polícia Civil, no
sentido de desativar barreira formada por pistoleiros, a 12 quilômetros do garimpo “pista do
Cabeça” em Alta Floresta.

APIACÁS: PMDB busca solução em Brasília. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 47, n.
10.388, 26 ago. 1986. Política, p. 03.
Resumo: Uma comitiva formada por lideranças do PMDB, embarcou com destino a Brasília
com o intuito de reunirem se com os ministros da Justiça e Minas de Energia para solucionar
conflito existente entre mineradora e garimpeiros de Apiacás.

APIACÁS: a Porto Estrela é isenta. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XVIII, n.4.562, 27 ago.
1986. Geral, p. 03.
Resumo: A Paranapanema S/ A empresa mineradora – ou mesmo sua subsidiaria, não tem
nenhuma ligação com notícias veiculadas pela TV GLOBO no programa “Fantástico”, de
domingo passado e por alguns órgãos de comunicação sobre a possível ocorrência de
assassinato de garimpeiros na região de Apiacás ao norte de Mato Grosso. O assunto, em
forma de especulação veio à tona depois de uma visita do Ministro da Reforma e
Desenvolvimento Agrário, Dante de Oliveira.1

DONO de colonizadora está aterrorizando o Nortão. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano
47, n. 10.412, 23 set. 1986. Policia p.07.
Resumo: Trabalhador rural residente em Várzea Grande denuncia que foi espancado por dono
de colonizadora em Marcelândia norte de Mato Grosso.

POPULAÇÃO de Alta Floresta teme a volta da polícia militar e apela ao presidente Sarney.
Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XVIII, n.4.580, 17 out. 1986. Geral, p. 08.
1
Observação pessoal: a matéria apesar de não ser assinada aparenta ser paga em defesa da mineradora.
26

Resumo: Ontem, uma comitiva de Alta Floresta esteve no tribunal de Justiça do Estado de
Mato Grosso e com o governador Wilmar Peres, onde protestou contra a determinação do
chefe do executivo em promover o retorno da Policia Militar à região de conflito entre a
mineração Porto Estrela e garimpeiros de Apiacás. Em vista da gravidade da situação, que
pode piorar com a volta da PM, o prefeito Edson Santos de Alta Floresta enviou telex ao
Presidente da Republica, José Sarney, colocando-o a par da situação e solicitando apoio na
resolução do problema.

GARIMPEIROS de Alta Floresta denunciam violência policial. O Estado de Mato Grosso,


Cuiabá, ano 48, n. 10.594, 06 mai. 1987. Política, p. 03.
Resumo: As advogadas Irene Briccati silva e Rosires da Silva Albinos acompanhadas de dois
garimpeiros denunciaram ontem ao deputado Osvaldo Paiva (PMDB), que o delegado local
acompanhado de policiais expulsaram mais de mil garimpeiros do garimpo Juruena em Alta
Floresta.

POLÍCIA causa terror em garimpos de Apiacás – norte de Mato Grosso. Diário de Cuiabá,
Cuiabá, ano XIX, n.4.717, 28 fev.1987. Geral, p. 01.
Resumo: Uma comitiva formada por proprietários de estabelecimentos comerciais localizados
no garimpo Novo Planeta, na região de Apiacás, esteve com deputado Osvaldo Paiva
denunciando abusos por parte da Policia Militar.

GARIMPEIROS de Alta Floresta estariam revoltados com João Teixeira. O Estado de Mato
Grosso, Cuiabá, ano 48, n. 10.659, 23 jul. 1987. Política, p. 03.
Resumo: O deputado Osvaldo Paiva (PMDB) denuncia envolvimento de parlamentar em
conflito com garimpeiros, não dá nomes mais deixa nas entrelinhas que garimpeiros estariam
revoltados com o Dep. João Teixeira.

TEIXEIRA nega que esteja envolvido em conflitos de garimpeiros na região de Alta Floresta
O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 48, n. 10.663, 28 jul. 1987. Política, p. 02.
Resumo: O deputado João Teixeira negou ter qualquer envolvimento em conflito armado
entre garimpeiros e mineradoras na região de Alta Floresta.

GARIMPO de Juruena, um barril de pólvora com estopim muito curto. O Estado de Mato
Grosso, Cuiabá, ano 48, n. 10.671, 06 ago. 1987. Geral, p. 09.
27

Resumo: Acuados garimpeiros se armam para possível confronto com os guachebas da


mineradora Jaruana no norte de Mato Grosso, policiais militares foram deslocados para o
local, mas surgiram denuncias de violência policial. Em foco litígio pela posse da terra e o
direito de garimpar. Obs. Matéria de pagina inteira com fotos do local.

GARIMPEIROS afirmam que atuação do coronel Magalhães foi imparcial. O Estado de Mato
Grosso, Cuiabá, ano 48, n. 10.675, 11 ago. 1987. Polícia, p. 14.
Resumo: Coronel Magalhães retirou da área de litígio policiais que vinham roubando e
espancando. A sociedade de Alta Floresta se uniu com os garimpeiros para pedirem justiça.

JARUANA ignora pedido do governo e nega negociação com garimpeiros. O Estado de Mato
Grosso, Cuiabá, ano 48, n. 10.689, 28 ago. 1987. Polícia, p. 16.
Resumo: Na tentativa de evitar grande problema social nas cidades de Alta Floresta, Juina e
Juara, o governador tentou intermediar acordo entre mineradora Jaruana e garimpeiros, o que
foi terminantemente recusado pela mineradora.

JUIZ determina interdição na pista da clareira, ponto de apoio dos garimpeiros da bacia do
Juruena. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 48, n. 10.690, 29 ago. 1987. Polícia, p. 16.
Resumo: A companhia Cotriguaçu conseguiu mandato judicial expedido pelo juiz federal em
Cuiabá, Odilon Borges, para a interdição da pista da clareira, ponto de apoio aos garimpeiros
da bacia do rio juruena, garimpo localizado próximo ao município de Alta Floresta.

MULTINACIONAL é responsabilizada pela morte de garimpeiros em MT. O Estado de Mato


Grosso, Cuiabá, ano 48, n. 10.696, 05 set. 1987. Polícia, p.16.
Resumo: Pistoleiros de multinacional matam três garimpeiros no “Arroz”, distante 30
quilômetros de Juina.

SOFRIMENTO de garimpeiros do Juruena chega ao fim. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá,


ano 48, n.10.729, 17 out. 1987. Polícia, p. 16.
Resumo: Senador anuncia o fim do sofrimento dos garimpeiros, pois neste dia será realizada
uma reunião no Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), com a presença de
representantes das partes e do governador de Mato Grosso para que se chegue a um acordo.
GARIMPEIROS do Juruena voltam a ser violentamente espancados pela PMMT. O Estado de
Mato Grosso, Cuiabá, ano 48, n. 10.744, 04 nov. 1987. Polícia, p. 16.
28

Resumo: A mineradora Jaruana usando de subterfúgios volta a patrocinar sessões de violência


na região da bacia do rio Juruena.

RECOMEÇA a violência nos garimpos do Nortão. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 48,
n. 10.778, 15 dez. 1987. Policia, p. 07.
Resumo: Após oito meses de trégua, pistoleiros da mineradora jaruana, matam proprietário de
draga, na área de litígio na bacia do rio juruena ao norte de Mato Grosso.

ATENTADO em Juruena pode ser início de luta Armada. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá,
ano 49, n º 10.794, 12 jan. 1988. Polícia, p. 04 - 16.
Resumo: Emboscada supostamente armada por garimpeiros gera clima de tensão, mas
tesoureiro do sindicato dos garimpeiros nega qualquer participação de garimpeiros que
aguardam decisão judicial.

CAÇA ao ouro leva a invasão de mogno. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 49, nº
10.797, 13 jan. 1988. Polícia, p. 16.
Resumo: Área da Fazenda agropecuária Mogno em Alta Floresta e ocupada por garimpeiros
que se recusam a sair pacificamente.

IRMÃOS assassinam garimpeiro. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 49, n º 10.781, 21
jan. 1988. Polícia, p. 16.
Resumo: Homem foi assassinado no garimpo da Pista do Cabeça em Alta Floresta. Um dos
assassinos foi preso.

TEIXEIRA aponta conivência do governo com mineradora Juruena. O Estado de Mato


Grosso, Cuiabá, ano 49, n º 10.792, 03 fev. 1988. Política, p. 03.
Resumo: O deputado João Teixeira denuncia que governador se presta ao papel de defender
interesses privados ao encaminhar policiais para a proteção da mineradora Jaruana.

MENORES vendidas como escravas nos garimpos (prostituição). O Estado de Mato Grosso,
Cuiabá, ano 49, n. 10.993, 09 out. 1988. Polícia, p. 07.
Resumo: A Juíza Maria Erotides luta contra o tráfico de menores que estariam sendo aliciadas
em Cuiabá e Várzea Grande, mas que acabavam sendo vendidas como escravas nos garimpos
do norte de Mato Grosso.
29

A VIOLÊNCIA só aumenta no norte de Mato Grosso. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XX, n.
5.559, 28 out. 1988. Geral, p. 08.
Resumo: Após uma longa troca de tiros, um dos homens que na tarde da última quarta feira
assaltaram a mineradora Áureo Metais, na cidade de Apiacás, foi morto. Eles invadiram a
mineradora armados de revolveres e depois de pegarem uma certa quantia de dinheiro e ouro
fugiram levando duas pessoas como reféns. Que soltaram mais tarde em confronto com a
policia um deles morreu, outros dois conseguiram fugir.

INDIO morre em garimpo no norte de Mato Grosso. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XX, n.
5.906, 14 dez. 1988. Geral, p. 07.
Resumo: Considerado de alto risco sem via de acesso, o Garimpo Jaruana, localizado na
região norte de Mato Grosso, continua fazendo vítimas. Desta vez foi o índio Severino Apiacá
de 28 anos, que desde 1962 reside às margens do rio Juruena. A morte por assassinato é um
completo mistério. Uma versão diz que o índio teria sido surpreendido por um grupo de
garimpeiros.

SAI o acordo no garimpo da fazenda Mogno – Nortão de MT, jornal Diário de Cuiabá,
Cuiabá, ano XXI, n. 6.021, 11 mai. 1989. Geral, p. 05.
Resumo: Ontem pela manhã, saiu o acordo entre garimpeiros e proprietários da Fazenda
Mogno, que concederam mais trinta dias para a execução da garimpagem nos locais onde as
dragas encontram-se instaladas. Depois disso, todo o equipamento deverá ser deslocado para
uma área de garimpo delimitada pelo governo, dentro da própria fazenda, o acordo será
formalizado na presença do Secretário de Justiça, Gastão Miller.

MAIS UM garimpeiro é baleado e está grave proveniente de Alta Floresta. O Estado de Mato
Grosso, Cuiabá, ano L, n. 11.258, 02 set. 1989, polícia, p. 13.
Resumo: O crime ocorreu no “garimpo do Rato”, município de Alta Floresta. O depoente não
soube informar os motivos do atentado, não se identificou, pois teme represarias.

MUITAS mortes pelo interior – Alta Floresta. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano L, n.
11.272, 20 set. 1989. Polícia, P. 13.
Resumo: Em Alta Floresta, mas precisamente no garimpo Juruena, na localidade conhecida
como “Pista do Maracanã” foi assassinado o garimpeiro Marcelino Cordeiro de Souza.
30

CINCO presos linchados em Peixoto de Azevedo por assalto á mineradora. Diário de Cuiabá,
Cuiabá, ano XXI, n. 6.137, 27 set. 1989. Geral, p. 08.
Resumo: Cerca de 10 homens fortemente armados interceptaram uma Kombi atirando nos
pneus e após renderem os policiais, lincharam os cinco presos que estavam sendo
recambiados do município de Peixoto de Azevedo para a comarca de Colider, onde ficariam a
disposição da justiça.

GARIMPEIRO leva tiro na cabeça e passa mal em Apiacás. O Estado de Mato Grosso,
Cuiabá, ano LI, n. 11.376, 25 jan. 1990. Polícia, p. 09.
Resumo: Garimpeiros baleados em garimpos do Nortão estão internados no pronto socorro de
Cuiabá em situação muito grave.

MULHER ia vender coca no garimpo de Peixoto de Azevedo e Alta Floresta. Diário de


Cuiabá, Cuiabá, ano XXII, n. 6.196, fev. 1990. Geral, p. 08.
Resumo: Agentes da polícia Federal prenderam em flagrante Ligia Burilli Pereira, mais
conhecida como “Baixinha”, com um quilo e 80 gramas de sulfato de cocaína (Pasta). Ela
pretendia comercializar a droga nos garimpos de Peixoto de Azevedo e Alta Floresta.

GARIMPEIROS: situação muito tensa no Nortão. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XXII, n.
6.277, 22 mar.1990. Geral, p. 09.
Resumo: A situação nas regiões garimpeiras de Alta Floresta, Matupã, Terra Nova e Peixoto
de Azevedo e Guarantã é de muita tensão. Acontece que devido às novas medidas econômicas
a compra de ouro caiu e isso vem prejudicando não só as empresas responsáveis pela extração
do metal como, principalmente os garimpeiros daquela região.

DEPUTADO alerta para risco de saques na região norte. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XXII,
n. 6.278, 23 mar.1990. Geral, p. 03.
Resumo: O deputado João Teixeira (PFL) alertou novamente ontem para o risco de caos social
na região norte do Estado, com até possibilidade de saques no comercio, se não for tomada
nenhuma providência urgente pelo governo Federal.

REVOLTA de garimpeiros em Peixoto deixa três mortos. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XXII,
n. 6.279, 24 mar.1990. Geral, p. 07.
31

Resumo: Três pessoas mortas, um supermercado e uma agência bancária apedrejados e


saqueados. Este foi o saldo do movimento desencadeado por cerca de três mil garimpeiros em
Peixoto de Azevedo, a 700 quilômetros de Cuiabá, que protestam por falta de dinheiro e de
comida por não conseguirem vender s ouro.

POLÍCIA DIZ: só um morreu em Peixoto. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XXII, n. 6.280, 25
mar.1990. Geral, p. 08.
Resumo: A situação no norte de Mato Grosso continua tensa, com milhares de garimpeiros
querendo vender o ouro, em queda livre desde a edição do plano Brasil Novo. Em Peixoto de
Azevedo a situação é mais critica. Já houve saques e tumulto, a PM não confirma três mortes
como foi noticiado anteriormente, ao contrário apenas um garimpeiro morreu.

2.2.2 Decadência das Atividades Garimpeiras

GARIMPEIROS chegam famintos e doentes. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n.
11.425, 25 mar. 1990. p. 01.
Resumo: Famintos e atacados pela malária, alguns com hepatite, duzentos e sessenta
garimpeiros, entre homens, mulheres e crianças estão aguardando no Centro de Triagem para
Migrantes (Cetrami), ajuda do governo para seguirem viajem para Imperatriz no Maranhão.

GARIMPEIROS de Peixoto de Azevedo: situação critica movimenta políticos de MT. Diário


de Cuiabá, Cuiabá, ano XXII, n. 6.280, 25 mar.1990. Geral, p. 07.
Resumo: Wilmar Antonio de S. Pinto, prefeito de Peixoto de Azevedo, está preocupadíssimo
com o problema dos garimpeiros daquela região. Todos do menor ao maior dono de draga e
até mesmo compradores de ouro tem sofrido com o “Plano Brasil Novo”. Tal situação reuniu
prefeitos da região o deputado Osvaldo Sobrinho e Bancada do (PTB) a uma reunião com o
presidente Collor.

CONTINUA a crítica a situação dos garimpeiros, O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI,
n. 11.426, 27 mar. 1990. Geral, p. 12.
32

Resumo: Garimpeiros desembarcaram ontem pela manhã no Palácio Paiaguas, procedentes


dos garimpos de Peixoto de Azevedo com a crise gerada pela falta de dinheiro, em
conseqüência da paralisação da compra de ouro, com a implantação do plano econômico eles
arrumaram as trouxas, nas mais precárias condições e vieram pedir ao governador Carlos
Bezerra o transporte até Imperatriz.

BEMAT decide comprar ouro em Peixoto para debelar crise. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano
XXII, n. 6.281, 27 mar.1990. Geral, p. 03.
Resumo: O BEMAT (Banco do Estado de Mato Grosso) recomeçou ontem a comprar ouro na
região norte do Estado. A decisão foi tomada, embora ainda não haja uma definição de preço
no setor. A medida foi tomada para que sejam evitados novos tumultos de garimpeiros, como
os que aconteceram em Peixoto de Azevedo.

GARIMPEIROS que vieram do norte vão para o maranhão. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano
XXII, n. 6.281, 27 mar.1990. Geral, p. 07.
Resumo: Quatro ônibus lotados de garimpeiros desempregados na região do Nortão chegaram
a Cuiabá ontem cedo e outros quatro devem chegar ainda hoje segundo informação do
Secretário de Segurança, Arquimedes Borges Monteiro.

JÁ HÁ 350 garimpeiros em Cuiabá vindo do norte de MT para o Maranhão. Diário de Cuiabá,


Cuiabá, ano XXII, n. 6.282, 28 mar.1990. Geral, p. 07.
Resumo: Com a chegada de mais dois ônibus lotados de pessoas que estão saindo da região de
garimpo, sobe para 350 o número de migrantes que chegaram a Cuiabá rumo ao Maranhão,
Pará e Piauí. Entre os retirantes homens, mulheres e crianças alguns com malária.

300 GARIMPEIROS iniciam sua viagem de volta. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI,
n. 11.427, 29 mar. 1990. Geral, p. 12.
Resumo: Com escala em Brasília, os garimpeiros que se encontravam em Cuiabá, oriundos de
Peixoto de Azevedo, partiram ontem com destino a Brasília de onde seguirão a seus
respectivos Estados.

GARIMPEIROS vindos do Nortão de MT seguiram ontem para Imperatriz – MA. Diário de


Cuiabá, Cuiabá, ano XXII, n. 6.283, 29 mar.1990. Geral, p. 07.
33

Resumo: O governo do Estado de Mato Grosso conseguiu fretar seis ônibus que deveriam
partir ontem a noite, com destino a Imperatriz, levando boa parte dos garimpeiros que
procederam de Peixoto de Azevedo após ficarem desempregados.

RESTAM 120 garimpeiros acampados em Cuiabá provenientes do norte do Estado. Diário de


Cuiabá, Cuiabá, ano XXII, n. 6.284, 30 mar.1990. Cidade, p. 07.
Resumo: Depois de muitas reuniões e bastante trabalho a defesa civil de Mato Grosso está
finalmente, solucionando o problema dos garimpeiros que foram obrigados a deixar a zona de
garimpo pelo plano Collor.

CONTINUA a chegada de garimpeiros. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n. 11.429,
31 mar. 1990. Geral, p. 09.
Resumo: Funcionários do Centro da Pastoral dos Migrantes e de vários órgãos do governo do
Estado trabalharam ontem até tarde da noite na expectativa de embarcar até o ultimo dos
retirantes de Peixoto de Azevedo. Ainda restavam 50, mas vez por outra chegavam mais.

SITUAÇÃO dos garimpeiros pode piorar. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n.
11.430, 01 abr. 1990. Geral, p. 01- 06.
Resumo: Mesmo com a retomada da compra do ouro no Nortão mato-grossense, a situação
dos garimpeiros tende a piorar, com os efeitos do plano econômico. O alerta é do presidente
do sindicato dos garimpeiros do Estado de Mato Grosso.

PRECARIEDADE ameaça garimpeiros de Mato Grosso. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá,


ano LI, n. 11.391, 11 fev. 1990. p. 01.
Resumo: Possuindo um dos maiores potenciais mineral do país, Mato Grosso conta com mais
de 300 mil garimpeiros, que em suas maioria estão concentrados no Nortão do Estado, onde
vivem em situação precária, sem higiene e saúde, com proliferação da prostituição, malária,
etc.
2.3 Doenças

SUCAM-MT dará combate à malária e a febre na região norte. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano
XVIII, n. 4.676, 08 jan. 1986. Geral, p. 07.
34

Resumo: A diretoria da Superintendência de Campanha de Saúde Pública (Sucam), em Mato


Grosso vai atuar este ano com prioridade no combate a malária e a febre amarela, seguindo
diretrizes do Ministério da Saúde. Ontem a Sucam iniciou a vacinação de cinco mil pessoas
no norte do Estado.

MALÁRIA volta a ser ameaça no Nortão. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XIX, n.4.688, 25
jan. 1987. Geral, p. 07.
Resumo: Segundo a Sucam, ocorreu um acréscimo de 56% nos casos de malária registrados
durante o decorrer de 85 para 86. Para se ter uma idéia somente nas primeiras duas semanas
de 87, foram registrados mais de 166 casos a situação, entretanto, se agrava a cada ano,
segundo o Diretor da Sucam os casos mais freqüentes são ocorridos no Nortão.

O PERIGO da malária.O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 48, n.10.709, 22 set. 1987.
Opinião, p. 02.
Resumo: Análise da falta de infra-estrutura onde colocam se os migrantes que vieram em
busca de riqueza e prosperidade, como maiores afetados por doenças endêmicas do norte de
Mato Grosso.

AUMENTO de casos de malária preocupa norte de MT. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá,
ano 48, n. 10.747, 07 nov. 1987. Geral, p. 09.
Resumo: Prefeitos das cidades de Peixoto (de Azevedo), Guarantã (do Norte) e Itaúba
denunciam descaso das autoridades no combate ao aumento dos casos de malária.

PEIXOTO: defesa civil vai ver estágio de calamidade por incidência de malária. Diário de
Cuiabá, Cuiabá, ano XX, n. 5.152, 25 jun. 1988. Geral, p. 07.
Resumo: Uma equipe da Defesa Civil do Estado seguiu para Peixoto de Azevedo (norte de
Mato Grosso), onde fará um levantamento da situação que levou o decreto municipal do
estado de Calamidade Pública.

PEIXOTO continua sem apoio oficial no combate à malária. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano
XX, n. 5.162, 07 jul. 1988. Geral, p. 06.
Resumo: O prefeito de Peixoto de Azevedo, Leonisio Lemos Melo Junior e o diretor regional
da Sucam. Candido Duarte estiveram reunidos para discutir a situação em Peixoto, município
que vive em estado de Calamidade Pública devido a proliferação de malária.
35

A MALÁRIA ainda é problema em Peixoto. E o governo é omisso. Diário de Cuiabá, Cuiabá,


ano XX, n. 5.513, 03 set. 1988. Geral, p. 06.
Resumo: O Secretario de Saúde do Estado, Carlos Eduardo Botelho disse nesta semana que o
governo, em conjunto com a Sucam, está controlando bem o problema de malária em Peixoto.
Porém, o diretor da Sucam, Candido Braga, critica a atuação do governo do estado com
relação aos problemas sanitários de Peixoto de Azevedo e diz que muito pouco tem sido feito.

SAÚDE na região norte está deficiente, afirma deputado João Teixeira em Alta Floresta, O
Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 49, n. 10.984, 29 set. 1988. Municípios, p. 11.
Resumo: “Nortão de Mato Grosso esta doente” afirma o deputado João Teixeira que, além
disso, diz estar tratando mais de 80 pessoas, que vieram de municípios como Matupá, Peixoto
e Guarantã, etc.

HOSPITAL de Peixoto de Azevedo esta paralisado, O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano
49, n. 11.019, 11 nov. 1988. Municípios, p. 11.
Resumo: Denuncia feita ontem pelo Secretário de Saúde do Estado, que diz ter equipado o
hospital e suprido de remédios e pessoal diante da calamidade pública decretada pelo prefeito.

MALÁRIA desce do Nortão e faz 12 vitimas, O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 50, n.
11.173, 25 mai. 1989. Geral, p. 12.
Resumo: Doença comumente da região norte atinge doze (12) pessoas em Cuiabá, no garimpo
do Bambá, saída para Rondonópolis.

MALÁRIA no Nortão já preocupa os deputados, O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 50,
n. 11.180, 06 jun. 1989. Geral, p. 12.
Resumo: O deputado Federal Osvaldo Sobrinho (PTB) informou ao deputado estadual Luiz
Soares (sem partido), que os índices de malária no Estado de Mato Grosso já preocupam.

RECURSOS para o combate á malária. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XXI, n. 6.051, 16 jun.
1989. Geral, p. 04.
Resumo: O Senado autorizou a contratação de empréstimo externo no valor de U$$ 99
milhões de dólares, junto ao Banco Mundial. Para financiamento parcial do “projeto de
controle da malária na área amazônica”.
36

FALTAM recursos contra a malária. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XXI, n. 6.062, 29 jun.
1989. Geral, p. 07.
Resumo: A superintendência da Sucam em Mato Grosso ainda não recebeu qualquer repasse
referente aos milhões liberados pelo Banco Mundial para o combate a malária na Amazônia
Legal.

MALÁRIA leva calamidade a Peixoto, O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano L, n. 11.207,
05 jul. 1989. Local, p. 01- 12.
Resumo: O prefeito de Peixoto de Azevedo Vilmar Pinto decretou estado de calamidade
pública no município, em conseqüência do alto índice de malária registrado.

PEIXOTO tem auxilio em medicamentos, O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano L, n.


11.208, 06 jul. 1989. Local, p. 01- 12.
Resumo: A população de Peixoto de Azevedo, município em estado de calamidade pública
desde anteontem, aguarda para hoje a chegada de um avião da Força Aérea Brasileira (FAB)
com medicamentos para o tratamento das vítimas de malária.

SOCORRO a maláricos só chega Segunda feira. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano L, n.
11.209, 07 jul. 1989. Local, p. 12.
Resumo: O responsável pela SUCAM General Antonio Luis Coimbra de Castro, chegara hoje
ao município de Peixoto de Azevedo onde averiguará o estado de calamidade decretado pelo
prefeito Vilmar Pinto. Em contato p/ telefone foi confirmada para a segunda feira a chegada
de reforço.

SUCAM vive fase crítica. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano L, n. 11.209, 07 jul. 1989.
Local, p. 12.
Resumo: Por falta de luvas, máscaras e óculos, 20 servidores da Superintendência de
Campanha de Saúde Pública (SUCAM) foram intoxicados este ano pelo Malathion, produto
utilizado na borrifação de casas, sete pediram demissão recentemente, um morreu atacado por
malária e á recusa do pessoal em Cuiabá em deslocar-se para o norte do Estado.

MUTIRÃO limpa cidade malárica. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano L, n. 11.213, 11
jul. 1989. Geral, p. 12.
37

Resumo: 80 dos 600 servidores em greve da (SUCAM) em Mato Grosso decidiram voltar ao
trabalho para começar hoje, um mutirão de limpeza na cidade de Peixoto de Azevedo, que se
encontra em estado de calamidade.

PEIXOTO aguarda limpeza. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano L, n. 11.213, 12 jul.
1989. Geral, p. 12.
Resumo: O avião da FAB Hercules C-130 que transportava 34 funcionários da (SUCAM) do
Maranhão e do Piauí pousou ontem na Br. 163, próximo de Sinop, de onde os servidores
seguiram de carro com destino a Peixoto.

PEIXOTO: começa a limpeza. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano L, n. 11.215, 14 jul.
1989. Geral, p. 12.
Resumo: A limpeza demorara pelo menos 15 dias na cidade de Peixoto de Azevedo, cidade a
800 KM de Cuiabá, que se encontra em estado de calamidade pública por causa dos índices
elevados de malária.

GARIMPOS do norte terão campanha contra malária. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano
L, n. 11.222, 22 jul. 1989. Geral, p. 12.
Resumo: A Sucam anunciou ontem que pretende estender as ações de controle da malária, que
vem desenvolvendo em Peixoto de Azevedo a todos os demais municípios do norte de Mato
Grosso que possuem áreas de garimpo.

PEIXOTO: problema não é só a malária. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XXI, n. 6.089, 30 jul.
1989. Geral, p. 05.
Resumo: Bastou uma ação segura da Defesa Civil do Estado para que a prefeitura de Peixoto
de Azevedo suspendesse o estado de calamidade pública decretado pelo prefeito Wilmar
Antonio de Souza, mas há necessidade de cooperação, pois as dificuldades vividas por quase
80 mil habitantes em Peixoto (de Azevedo) vão muito além dos casos de malária e a maior de
todas é a falta de infra-estrutura básica.
MORCEGOS hematófagos matam seis garimpeiros. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano
LI, n. 11.445, 21 e 22 abr. 1990. Geral, p. 01- 08.
Resumo: Morcegos contaminados com vírus da raiva atacam em garimpos do município de
Apiacás, Nortão de Mato Grosso, e já fizeram seis mortes. A situação é grave e amanhã segue
38

uma equipe de técnicos da Secretaria de Saúde, Ministério da Agricultura, Sucam entre outros
órgãos.

ATAQUES de morcegos causam sete (7) mortes na região de Apiacás. O Estado de Mato
Grosso, Cuiabá, ano LI, n. 11.446, 24 abr. 1990. p 01.
Resumo: Aumentou para sete o número de mortes em Apiacás, vitimas do vírus da raiva
transmitido pelos morcegos hematófagos na região garimpeira.

MORCEGOS já atacaram mais de duas mil pessoas. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano
LI, n. 11.446, 24 abr. 1990. Geral, p. 08.
Resumo: As informações são que existem mais de duas mil pessoas mordidas merecendo
medidas urgentes dos governos Federal e Estadual. Nos garimpos localizados em Apiacás no
Nortão de Mato Grosso.

RAIVA já pode ter matado 10. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n. 11.446, 25 abr.
1990. p. 01.
Resumo: Uma equipe de veterinários e biólogos do Ministério da Saúde e da Agricultura.
Universidade Rural do Rio de Janeiro e do Estado de São Paulo começam hoje, em Apiacás
no norte do Estado, a caça ao morcego hematófago, possível causador de sete mortes
confirmadas e mais três (3) ainda não confirmadas.

REFORÇADO combate aos morcegos hematófagos. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano
LI, n. 11.446, 25 abr. 1990. Geral, p. 09.
Resumo: Numa ação conjunta entre Secretaria Estadual de Saúde, Ministério da Saúde, da
Agricultura, da Aeronáutica, Defesa Civil de Mato Grosso e Fundação Estadual de Saúde
Publica foram enviadas de avião a Apiacás, 10 mil vacinas contra raiva para animais
domésticos e silvestres, 50 doses de soro humano e 4500 vacinas humanas contra a Raiva.

TÉCNICOS pesquisam incidência de raiva no norte do Estado. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano
XXII, n. 6.303, 25 abr.1990. Cidade, p. 07.
Resumo: Mais três técnicos foram enviados a Mato Grosso pelo Ministro Alcenir Guerra de
Sandy, para dar início à pesquisa e realização de exames em pessoas e animais de Apiacás,
onde há uma epidemia de raiva humana, que já atingiu 100 garimpeiros daquela localidade.
39

AUMENTAM vítimas dos hematófagos. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n. 11.447,
26 abr. 1990. Geral, p. 08.
Resumo: O diretor regional da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), Milton Azevedo,
informou anteontem que mais cinco pessoas estão em estado rigoroso de observação em
cidade do norte de Mato Grosso após terem sido mordidos por morcegos hematófagos.

REFORÇO para Apiacás. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n. 11.448, 27 abr. 1990.
Geral, p. 01.
Resumo: Continua o trabalho das equipes envolvidas na eliminação do surto de raiva
transmitido pelo morcego hematófago em garimpos de Apiacás, ontem, foi enviado novo
esforço de soro e um grande número de pessoas já recebeu as primeiras doses da vacina.

COMEÇA combate a morcegos em Apiacás. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n.
11.449, 28 abr. 1990. Geral, p. 09.
Resumo: Uma pane no helicóptero da Aeronáutica, em Apiacás, atrasou por algumas horas o
deslocamento até os garimpos “Piauí”, “Cabeça e Japonês”, onde estão concentrados as
maiores colônias de morcegos hematófagos portadores do vírus da raiva e que já provocaram
a morte de sete garimpeiros.

TÉCNICOS vão colher sangue nos garimpos de Apiacás. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá,
ano LI, n. 11.460, 12 mai. 1990. Geral, p. 09.
Resumo: Na próxima semana, técnicos do instituto Evandro Chagas, de Belém, irão
diretamente nos garimpos de Apiacás colher sangue dos garimpeiros atacados pelos morcegos
hematófagos para exames laboratoriais, que de acordo com as pesquisas epidemiológicas
estariam transmitindo o vírus da Raiva.

INCIDÊNCIA de malária cresce em Mato Grosso. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XXII, n.
6.486, 04 dez. 1990. Cidade, p. 09.
Resumo: Mato Grosso deve registrar até o final do ano um total de 140 mil novos casos de
malária se a progressão do primeiro semestre seguir até 31 de dezembro. Estes são dados
publicados pela Fundação Nacional de Saúde.
40

2.4 Emancipação e Política

ALTA Floresta na categoria de Comarca. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 47, n.
10.203, 05 jan. 1986.Política, p. 03.
Resumo: Depois de muitos esforços desprendidos o prefeito Edson Santos cumpriu lei
estadual de n’ 4.716 de 05 de maio de 1984 que elevou Alta Floresta à categoria de Comarca.

NORTE negocia sucessão. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XVIII, n. 4.680, 12 jan. 1986.
Política, p. 03.
Resumo: As principais lideranças de Alta Floresta encerraram ontem um giro pelas cidades de
Sinóp, Juara e Itaúba conduzindo negociações políticas para formação da união integral do
norte mato-grossense.

NORTÃO se une em bloco e mostra a força política. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XVIII, n.
4.709, 16 fev. 1986. Local, p. 04.
Resumo: Congregar todas as lideranças políticas, empresariais, comunitárias para tomar
decisões em bloco e defender os reais interesses da região como um todo, numa união do tipo
“integral”, não levando em consideração ideologias político – partidárias. Este é o objetivo
principal do Conselho Político Comunitário do norte mato-grossense formado no ultimo mês
de janeiro por iniciativa do prefeito de Alta Floresta.

NORTÃO de MT pode ter uma secretaria extraordinária. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano
XVIII, n. 4.709, 16 fev. 1986. Geral, p. 04.
Resumo: Além do poder de pressão e reivindicação que, de certo, modo conquistou com a
formação do Conselho Político Comunitário, o Nortão de Mato Grosso esta prestes a ganhar
um trunfo político que pode ser considerado extremamente valioso, trata-se da criação de uma
espécie de Secretaria Extraordinária Para Assuntos do Nortão que devera se localizar em Alta
Floresta.

DEZ municípios de Mato Grosso continuarão na tabela Norte da SUNAB, O Estado de Mato
Grosso, Cuiabá, ano 47, n. 10.256, 14 mar.1986. Local, p. 06.
41

Resumo: Em entrevista coletiva o delegado da Sunab, Eduardo Bouret Filho, divulgou que
Mato Grosso terá nova tabela de preços passando a figurar na lista do Centro-Oeste, mas que
dez cidades continuarão na tabela do norte de Mato Grosso.

CRESCIMENTO na geração hidrelétrica p/ Alta Floresta e Apiacás. O Estado de Mato


Grosso, Cuiabá, n. 10.257, ano 47, 15 mar. 1986. , Caderno Suplementar fls. 02.
Resumo: O Governador Julio Campos inaugura obras na área de energia elétrica, que
favorecem várias cidades do norte do Estado de Mato Grosso.

PDS do Nortão dá apoio a candidato de Bezerra. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XVIII, n.
4.759, 19 abr. 1986. p. 07.
Resumo: O prefeito Edson Santos, e lideranças políticas e empresariais de Alta Floresta,
estiveram reunidos no ultimo dia 15, nas dependências do Clube Tropical, para definirem os
rumos que o PDS delineara para o pleito de 15 de novembro, bem como para analisar
proposta do prefeito de Rondonópolis Carlos Bezerra.

NORTÃO: Júlio Campos vem realizando metas de governo. O Estado de Mato Grosso,
Cuiabá, ano 47, n. 10.295, 04 mai. 1986. Local, p.04.
Resumo: Matéria destacando as ações do governo Julio Campos em suprir as necessidades de
desenvolvimento do norte de Mato Grosso.

CAMPOS inaugura mais obras no interior. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 47, n.
10.299, 09 mai. 1986. Local, p. 04.
Resumo: Em maratona de inaugurações o governador Julio Campos, leva obras de infra-
estrutura para Alta Floresta.

NORTÃO está fechado com Bezerra. Diário de Cuiabá, Cuiabá, n. 4.526, ano XVIII, 16 jun.
1986. Geral, p. 07.
Resumo: O prefeito do município de Alta Floresta, Edson dos Santos prevê que a candidatura
peemedebista de Carlos Bezerra ao governo terá cerca de 70% de votos da região norte do
Estado. E afirma que o norte esta praticamente fechado com Carlos Bezerra.

NÃO existe adversário no Nortão, garante Bezerra. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XVIII,
n.4.562, 27 ago. 1986. Geral, p. 02.
42

Resumo: “Não conheço adversário no Nortão do Estado”. Este é o resumo da análise feita
pelo candidato ao governo do Estado da coligação MDB, Calos Bezerra (PMDB), 44, sobre a
primeira etapa de sua campanha, desenvolvida exatamente nas regiões norte e médio norte de
Mato Grosso.

SERVIDORES em greve no norte. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XVIII, n.4.582, 19 set.
1986. Polícia, p. 02.
Resumo: Cerca de 400 servidores lotados em órgãos da administração pública nos municípios
de Alta Floresta, Juara, etc. (Nortão de Mato Grosso), estão em greve desde a ultima segunda
reivindicam 33% para todas as Categorias.

GREVE no norte vai continuar. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XVIII, n.4.583, 20 set. 1986.
Polícia, p. 02.
Resumo: Os funcionários públicos do Nortão de Mato Grosso deverão continuar com a greve,
que hoje completa seis dias consecutivos, até o momento a greve atinge somente os servidores
administrativos, mas conforme informações, na tarde de ontem os professores da rede
estadual de ensino deveram aderir a greve em solidariedade aos colegas.

PREFEITO de Alta Floresta critica ação do Dermat. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano
48, n. 10.559, 21 mar. 1987. Local, p. 05.
Resumo: O prefeito de Alta Floresta, Edson Santos, fez sérias denuncias contra o diretor local
do Departamento de Estradas e Rodagem de Mato Grosso (Dermat), pois este determinou a
retirada de maquinas que estavam emprestadas a prefeitura para serviços de reparo nas
estradas locais.

ALTA Floresta recebe prêmio marco geodésico da América do Sul, Cuiabá, ano 49, n. 10.987,
02 out. 1988. Municípios, p. 10.
Resumo: O município de Alta Floresta na pessoa de seu prefeito recebeu o premio marco
geodésico, pelo seu trabalho desenvolvido a frente daquele município.

TEIXEIRA quer mais dois distritos na região de Alta Floresta. O Estado de Mato Grosso,
Cuiabá, ano 49, n. 10.988, 04 out. 1988. Municípios, p.10.
43

Resumo: O deputado João Teixeira (PTB), apresentou proposta na Assembléia para a criação
de dois distritos na região de Alta Floresta, o primeiro seria o distrito de São Jose do Apuí, e o
segundo seria o distrito Norberto Shwantz, no município de Terra Nova do Norte.

PAIVA intensifica visita a municípios (Apiacás/ Alta Floresta) no sentido de atender áreas de
saúde e estradas. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 49, n. 11.019, 11 nov. 1988.
Municípios, p. 11.
Resumo: O deputado estadual Osvaldo Paiva intensificou suas viagens as cidades do nortão
área da qual e representante no parlamento.

PARLAMENTAR do Nortão diz que governo esquece a região. O Estado de Mato Grosso,
Cuiabá, ano 50, n. 11.116, 14 mar. 1989. Política, p. 03.
Resumo: O deputado Osvaldo Paiva disse ontem que o extremo norte vem passando por
dificuldades em todos os setores e que o governador Carlos Bezerra não tem dado a devida
atenção.

PMDB pode se dividir em Alta Floresta. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 50, n. 11.128,
30 mar. 1989. Política, p. 03.
Resumo: O presidente da Câmara de Alta Floresta Zilbo Fortes, e mais sete vereadores eleitos
pelo PMDB, estão ameaçando abandonar o partido.

TEIXEIRA acusa Bezerra de trair Nortão – Alta Floresta e Apiacás. O Estado de Mato
Grosso, Cuiabá, ano 50, n. 11.191, 16 jun. 1989. Política, p. 03.
Resumo: “O governador Carlos Bezerra acabou sendo um grande enganador, um blefe, para a
região norte do estado”. Foi o que afirmou o deputado João Teixeira (PFL).

NORTISTA quer divisão. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano L, n. 11.215, 14 jul. 1989.
Geral, p. 12.
Resumo: O deputado Osvaldo Paiva de Alta Floresta alega que o atual governo não vem
dando o apoio necessário aquela região, que a despeito do seu poderio econômico necessita
atenção especial.

PREFEITO diz que norte não quer divisão. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano L, n.
11.218, 18 jul. 1989. Geral, p. 07 – 16.
44

Resumo: O Prefeito de Matupá, Adário Martins de Almeida, “em nome dos prefeitos do
Nortão do Estado”, disse ontem em coletiva que “repudiamos e idéia de divisão do Estado
neste Momento”. “O Nortão, do Estado não compactua com a idéia de separação neste
momento”, afirmou o prefeito de Matupá, Adário Martins de Almeida.

PREFEITOS da região norte insatisfeitos com o governo. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XXI,
n. 6.127, 15 set. 1989. Geral, p.17.
Resumo: O governo estadual recebeu muitas críticas dos prefeitos que administram os
municípios da região norte do Estado, durante reunião realizada na ultima quarta feira em
Sinóp, por ocasião da eleição do Presidente da Associação dos Municípios da Região Norte.

TEIXEIRA pede pelo Nortão. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano L, n. 11.335. 07 dez.
1989. Geral, p. 11.
Resumo: Preocupado com situação de abandono o deputado João Teixeira solicitou de órgãos
do governo estadual apoio na solução de problemas de infra-estrutura.

AGRICULTURA apóia Ariosto no ministério. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n.
11.402, 24 e 25 fev. 1990. Geral, p. 01.
Resumo: O setor agropecuário de Mato Grosso aprovaria integralmente a possível indicação
do empresário Ariosto da Riva para o Ministério da Agricultura no Ministério a ser composto
pelo presidente eleito Fernando Collor de Mello. Quem afirma é o secretário de Agricultura
Argem Ortiz Kerber.

ARIOSTO recebe apoio. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n. 11.402, 24 e 25 fev.
1990. Política, p. 03.
Resumo: O setor agropecuário de Mato Grosso aprovaria integralmente a possível indicação
do empresário Ariosto da Riva para o Ministério da agricultura no governo do presidente
eleito Fernando Collor de Mello, quem afirma é o Secretário de agricultura Argem Ortiz
Kerber.

MUNICÍPIOS do Nortão reagem ao abandono. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n.
11.404, 02 mar. 1990. Política, p. 03.
Resumo: A associação dos prefeitos do norte de Mato Grosso realiza reunião no próximo dia
03 na cidade de Peixoto de Azevedo. Segundo Milton José Toniazzo presidente da associação
45

o descaso dos governos estadual e federal para com a região já ultrapassa os limites da
tolerância.

DA RIVA será sepultado em Alta Floresta. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n.
11.415, 02 mar. 1990. p. 01.
Resumo: Faleceu ontem, empresário e presidente regional do PDS, que sofreu um acidente
aéreo no sábado na base aérea de Aragarça divisa com Mato Grosso. Seu corpo será sepultado
em Alta Floresta.

JAIME em campanha no Nortão. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n. 11.422, 23
mar. 1990. Política, p. 03.
Resumo: Uma grande comitiva encabeçada pelo candidato ao governo do Estado, ex-prefeito
de Várzea Grande Jaime Campos, pelo candidato à vice - governador deputado Federal
Osvaldo Sobrinho, e pelo candidato ao Senado, deputado Federal Julio Campos, faz um giro
pelo Nortão neste final de semana com o objetivo de manter contato com as lideranças da
região.

CRITICADO o abandono da região Norte. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n.
11.425, 25 mar. 1990. Política, p. 03.
Resumo: O candidato ao governo do Estado Jaime Campos ficou impressionado com o
abandono da região norte de Mato Grosso durante visita realizada aos municípios de Alta
Floresta, Colider e Terra Nova do Norte, atendendo convite das lideranças locais.

ARIOSTO confirma seu apoio a Jaime Campos. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n.
11.427, 28 mar. 1990. Política, p. 01 e 03.
Resumo: Em carta dirigida ao presidente Regional do PDS Conselheiro Jose Salvador, o
empresário Ariosto da Riva manifesta sua total aprovação a coligação do partido com o PFL e
seu apoio a candidatura de Jaime Campos ao governo do Estado.

ARIOSTO Da Riva pode substituir Roriz, jornal O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n.
11.428, 30 mar. 1990. p. 01.
Resumo: Com a demissão do ex-ministro Joaquim Roriz, que deixou o cargo para concorrer
ao governo do Distrito Federal, o Colonizador Ariosto da Riva volta a ser cotado para dirigir o
Ministério da Agricultura no governo do presidente Fernando Collor de Mello.
46

RIVA cotado para Agricultura.l O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n. 11.428, 30 mar.
1990. Política, p. 03.
Resumo: Com a demissão do ex-ministro Joaquim Roriz, que deixou o cargo para concorrer
ao governo do Distrito Federal, o Colonizador Ariosto da Riva volta a ser cotado para dirigir o
Ministério da Agricultura no governo do presidente Fernando Collor de Mello.

ALTA Floresta dá apoio a Júlio Campos. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n.
11.510, 14 jul. 1990. Política, p. 04.
Resumo: Empresários e lideranças políticas de Alta Floresta estiveram ontem em Cuiabá e
manifestaram, durante almoço na Cantina Itália apoio total ao candidato Julio Campos para o
Senado.

GOVERNADOR acusado de largar o Nortão ao total abandono. O Estado de Mato Grosso,


Cuiabá, ano LI, n. 11.525, 01 ago. 1990. p. 01.
Resumo: Revoltados com o descaso que vem sendo tratados pelo governo do Estado, Os
prefeitos da região norte de Mato Grosso acusaram o governador Edson de Freitas de ignorar
os problemas gravíssimos com as rodovias estaduais e falta de energia elétrica para a região.

UNIÃO faz giro pelo Nortão. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n. 11528, 04 ago.
1990. Política, p. 04.
Resumo: A “Caravana da vitória”, do candidato á governador pela coligação União por Mato
Grosso, Jaime Campos, estará realizando mais um giro pelo interior do Estado, neste final de
semana, em mais uma etapa de sua campanha político – eleitoral rumo ao Palácio Paiaguás.

PREFEITOS mostram dificuldades do Nortão. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n.
11.530, 07 ago. 1990. Geral, p. 09.
Resumo: Os prefeitos da região norte de Mato Grosso foram recebidos em audiência pelo
Ministro da Agricultura Antonio Cabreira, na manhã do último sábado, em Colider (região
norte a 656 quilômetros de Cuiabá).

JORGE Yanai acredita em novo impulso p/ a região norte. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá,
ano LI, n. 11.531, 09 ago. 1990. Política, p. 04.
47

Resumo: É quase uma unanimidade a preferência pelas candidaturas de Jaime Campos para o
governo e Julio Campos para o Senado no norte de Mato Grosso, que reconhece o grande
trabalho que o deputado Julio Campos realizou para toda a região. A afirmação é do médico
Jorge Yanai, que concorre a deputado estadual na chapa da União por Mato Grosso.

2.9 Infra-estrutura e Produção

GRANDE produção de grãos em Alta Floresta. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XVIII, n.
4.712, 20 fev. 1986. Municípios, p. 11.
Resumo: É de 2,6 milhões de toneladas de grãos a safra prevista para este ano, no município
de Alta Floresta, de acordo com as previsões do chefe do escritório da Empresa de Assistência
Técnica e Extensão (Emater), Roberto Delmonte desse total, 1,8 milhões de toneladas serão
de arroz; 600 mil toneladas de milho e 200 mil toneladas de feijão.

MIGRAÇÃO estimula crescimento, O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 47, n. 10.257, 15
mar. 1986. Local, p. 03.
Resumo: O governador Julio Campos faz análise sobre grande movimento demográfico no
estado de Mato Grosso a partir da década de (19) 70, e os resultados obtidos em seu governo
demonstrando os benefícios desses movimentos.

PREENCHENDO vazios – pavimentação da Br 163. Jangada/ Sinóp. O Estado de Mato


Grosso, Cuiabá, ano 47, n. 10.291, 29 abr. 1986. Local, p. 05.
Resumo: O governador Julio Campos destaca a importância da pavimentação da Br. 163 de
Jangada até Sinóp para integração definitiva do norte de Mato Grosso com as demais regiões
do Brasil.

ENERGIA elétrica chega a mais sete cidades do Nortão. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá,
ano 47, n. 10.300, 10 mai. 1986. Local, p. 01.
Resumo: O governador Julio Campos, inaugura Usina Hidroelétrica que vai favorecer sete
cidades do Nortão, causando assim economia de óleo diesel.
48

SOBRINHO quer COBAL e IBDF em Colider. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 47,
n.10.301, 11 mai. 1986. Local, p. 05.
Resumo: Através da mesa diretora da Assembléia Legislativa o deputado Osvaldo Sobrinho
(PMDB), faz chegar aos chefes da Cobal e IBDF expediente solicitando a inaugurarão de um
posto desses órgãos em cidades do norte de Mato Grosso.

PREFEITURA de Alta Floresta tem programa de apoio rural.O Estado de Mato Grosso,
Cuiabá, ano 48, n. 10.577, 12 abr. 1987. Política, p. 07.
Resumo: A prefeitura de Alta Floresta em convênio com o ministério da Agricultura, inicia
programa de auxílio aos produtores em geral. Donos ou Arrendatários.

ALTA Floresta quer a solução para Apiacás Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XX, n. 5.203, 25
ago. 1988. Geral, p. 02.
Resumo: A cidade de Alta Floresta segundo alguns de seus moradores compreende os
problemas que o governador Carlos Bezerra vem enfrentando para administrar o Estado, mas
espera o quanto antes, que ele dê uma solução para a usina hidroelétrica de Apiacás. As obras
foram interrompidas e o governador prometeu reativá-las ainda no ano passado quando
visitou Alta Floresta.

APIACÁS continua sem socorro. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 49, n. 10.979, 23
set. 1988. Municípios, p. 11.
Resumo: A associação comercial industrial de Apiacás mandou oficio ao governador do
estado para que este resolva problemas críticos, como a recuperação da estrada que liga o
município a Alta Floresta.

ALTA Floresta inaugura escola de zona Rural. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 49, n.
10.980, 24 set. 1988. Municípios, p. 10.
Resumo: Prefeito de Alta Floresta Edson Santos inaugurou escola “Mundo Novo”
considerada maior e melhor escola construída na zona rural em todo estado de Mato Grosso.

PREFEITO de Alta Floresta apóia o setor rural. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 49, n.
10.982, 27 set. 1988. Municípios, p.10.
49

Resumo: Prefeito de Alta Floresta Edson Santos inicia projeto de interiorização da


Administração com viajem a mais de 30 escolas, nas regiões de “Monte Verde”, “Trivelato”
(alto Paraíso), São Jose do Apuira e Nova Bandeirante.

PREFEITO acelera ritmo de obras em Alta Floresta (hospital). O Estado de Mato Grosso, ano
49, n. 11.017, 09 nov. 1988. Municípios, p. 11.
Resumo: Prefeito de Alta Floresta Edson Santos inaugura hospital municipal e terminal
rodoviário na sede do município visando o progresso da cidade.

NORTÃO ás escuras se faltar óleo. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 50, n. 11.098, 21
fev. 1989. Geral, p. 01 – 08.
Resumo: A Petrobrás ameaça cortar o fornecimento de óleo diesel, para as usinas térmicas de
todas as empresas devedoras das regiões norte e centro oeste o que prejudicaria o norte de
Mato Grosso que é um dos maiores consumidores. O Cel. Meireles nem tomou posse e já se
debruça com este problema.

NORTÃO teme ficar as escuras. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 50, n. 11.105, 01 mar.
1989. p. 01- 09.
Resumo: O desenvolvimento do Nortão esta prejudicado pela falta de energia elétrica,
sofrendo seguidamente com racionamento e cortes energéticos alem do sonho adiado pelo
governo Federal do “linhão que interligaria o norte de Mato Grosso ao sistema do sul do
Brasil”.

A ECONOMIA do Nortão esta com medo do escuro. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano
50, n. 11.105, 03 mar. 1989. p. 09.
Resumo: O desenvolvimento do Nortão esta prejudicado pela falta de energia elétrica,
sofrendo seguidamente com racionamento e cortes energéticos alem do sonho adiado pelo
governo Federal do “linhão que interligaria o norte de Mato Grosso ao sistema do sul do
Brasil”.

SEM diesel, Nortão vai ficar sem luz. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano 50, n. 11.168,
19 mai. 1989. Geral, p. 12.
50

Resumo: Mesmo com operadores apostos nas usinas, a população do Nortão poderá se
surpreender hoje com a falta de energia elétrica. Os estoques de óleo diesel das Centrais
Elétricas Mato-grossenses eram suficientes apenas para um dia.

CONTINUA debate sobre a Amazônia. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano L, n. 11.210,
08 jul. 1989. Nacional, p. 04.
Resumo: A CPI do Senado sobre a Amazônia está empenhada em concluir, neste, segundo
semestre, projeto que servira como contribuição do congresso ao governo para a implantação
de uma política racional de ocupação da Amazônia.

ALTA Floresta vai recuperar estradas. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano L, n. 11.227, 28
jul. 1989. Geral, p. 16.
Resumo: A prefeitura de Alta Floresta em convênio com o governo do Estado, vai recuperar
as estradas vicinais que fazem ligação com cidades vizinhas.

NORTÃO continua tendo problemas de energia. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano L, n.
11.229, 30 jul. 1989. Geral, p. 11.
Resumo: Os problemas de abastecimento de energia elétrica continuam causando muita
preocupação na população do norte. As cidades são abastecidas por termoelétricas que não
estão dando conta da demanda de consumo.

ESTRADA ruim pode deixar Nortão sem gasolina e álcool. O Estado de Mato Grosso,
Cuiabá, ano LI, n. 11.374, 23 jan. 1990. p. 01.
Resumo: A precariedade das estradas pode prejudicar abastecimento de combustíveis para a
região norte do Estado.

GOVERNADOR acusado de largar o Nortão ao total abandono. O Estado de Mato Grosso,


Cuiabá, ano LI, n. 11.525, 01 ago. 1990. p. 01.
Resumo: Revoltados com o descaso que vem sendo tratados pelo governo do Estado, Os
prefeitos da região norte de Mato Grosso acusaram o governador Edson de Freitas de ignorar
os problemas gravíssimos com as rodovias estaduais e falta de energia elétrica para a região.

2.6 Violência
51

DEPUTADOS exigem providências contra violência na região norte do Estado. Diário de


Cuiabá, Cuiabá, n. 4.776, ano XVIII, 14 jun. 1986. Geral, p. 08.
Resumo: Com o aumento da violência nas regiões norte e noroeste do Estado que preocupam
muito a população, os deputados somam esforços no sentido de cobrar providencia, tanto do
governo Estadual como do Federal que segundo os deputados deixam a população a própria
sorte nas mãos de pistoleiros e policiais mal intencionados.

PADRE é violentamente espancado por policiais em Juina. Diário de Cuiabá, Cuiabá, n.


4.5022, ano XVIII, 16 jun. 1986. Geral, p. 08.
Resumo: O padre indigenista Balduino Loebens juntamente com setenta posseiros,
acampados no Km 10, na margem esquerda da estrada Castanheira - Fontanilha voltou a ser
alvo da violência policial. 40 policiais militares e civis realizaram uma sessão de sete horas de
espancamento deslocando os posseiros para o Km 22 de Fontanilha.

ASSEMBLÉIA chama Guirra para explicar violência. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano
47, n. 10.332, 21 jun.1986. Local, p. 03.
Resumo: O deputado Luiz Soares convoca Secretário de Segurança, para que este preste
depoimento em relação à violência em Juina envolvendo padre bem como a violência em todo
estado.

PELOTÃO de operações especiais agindo em Alta Floresta. O Estado de Mato Grosso,


Cuiabá, ano 47, n. 10.344, 05 jul. 1986. Polícia, p. 09.
Resumo: Pelotão de operações especiais foi solicitado pela população através da 5ª.
Companhia de Policia Militar, para o controlar os ânimos em Alta Floresta e cidades vizinhas.
AMAZÔNIA: 3 mil conflitos de terra. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n. 11.432,
04 abr. 1990. Geral, p. 09.
Resumo: Palestra em continuidade ao I encontro das regiões Norte e Centro-Oeste de Pró-
Reitores para assuntos estudantis e comunitários que esta sendo realizado na UFMT, da conta
de que existem mais de 3 mil conflitos agrários na região amazônica reconhecidos pelo
governo Federal.

2
O jornal Diário de Cuiabá sem nenhuma explicação altera sua numeração retornando do número 4.776 p/ 4.502.
52

CRESCE a violência no norte de Mato Grosso. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XXII, n. 6.453,
24 out.1990. Cidade, p. 08.
Resumo: A crescente violência e aumento da criminalidade na região norte do Estado se
constata mais uma vez com a denúncia feita por vereadores da região de Terra Nova do Norte,
que entregaram um documento ao Secretário de Justiça Arquimedes Borges Monteiro, onde se
verifica a existência de um “cemitério de automóveis” além de várias ossadas com suspeita de
quadrilha especializada em roubo de carros agindo na região.

FAMÍLIA é chacinada no norte do Estado. Diário de Cuiabá, Cuiabá, ano XXII, n. 6.465, 08
nov.1990. Cidade, p. 10.
Resumo: A pastoral da terra denunciou a chacina de uma família inteira que residia na gleba
União, nas proximidades a Terra Nova do Norte no Estado.

DEFENDIDO a atuação de PM no norte. O Estado de Mato Grosso, Cuiabá, ano LI, n.


11.607, 08 nov. 1990. Polícia, p. 14.
Resumo: Apesar da falta de dinheiro, da influência negativa de políticos e outras dificuldades,
a Policia Militar de Mato Grosso, Segundo o Comando de policiamento de Área II, Coronel
José Carlos Dias afirmou que a atuação da PM não erradicou, porem inibiu a violência no
norte e médio norte do Estado.

4 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Informação e documentação – referências – Elaboração – NBR 6023. ABNT – Associação


Brasileira de Normas Técnicas, agosto/ 2002.
53

Informação e documentação – citações em documentos – apresentação - NBR 10520. ABNT


Associação Brasileira de Normas Técnicas, agosto/ 2002.

Informação e documentação – trabalho acadêmico – apresentação - NBR 14724. ABNT –


Associação Brasileira de Normas Técnicas, agosto/ 2002.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2002.

RIBEIRO, José Donizetti. Terra e Garimpo: um estudo da violência na consolidação do


Espaço da colonização. Alta Floresta (1978-1985), Cuiabá, UFMT, 2001, (Dissertação de
Mestrado).

NETO, Regina Beatriz Guimarães. A lenda do ouro verde: política de colonização no Brasil
contemporâneo. 1ª. Edição. Cuiabá/ MT: UNICEM Publicações, 2002.

Normas para apresentação de trabalhos. Editora UFPR – Universidade Federal do Paraná,


Curitiba, 1996.

SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 20º. Edição. São Paulo/
SP: Cortez Editora, 1998.

WITCEL, Paulo Cezar Vargas. FORMAS E FÔRMAS: as estratégias de atração de colonos


para o norte-noroeste de Mato Grosso, Juína, UFMT, 2001, (Projeto de Pesquisa).