Você está na página 1de 86
Guia de Aula Prof. Ricardo Andreucci Depto. de Soldagem
Guia de Aula Prof. Ricardo Andreucci Depto. de Soldagem
Guia de Aula Prof. Ricardo Andreucci Depto. de Soldagem

Guia de Aula

Guia de Aula Prof. Ricardo Andreucci Depto. de Soldagem
Guia de Aula Prof. Ricardo Andreucci Depto. de Soldagem
Guia de Aula Prof. Ricardo Andreucci Depto. de Soldagem
Guia de Aula Prof. Ricardo Andreucci Depto. de Soldagem

Prof. Ricardo Andreucci

Depto. de Soldagem

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

0 1

Índice

Nota

Este material didático é destinado aos alunos do Curso Superior de Tecnologia Mecânica – Modalidade Soldagem da Faculdade de Tecnologia de São Paulo – FATEC, e contém os assuntos a serem tratados nas disciplinas “Normas e Códigos Nacionais e Internacionais – NCNI” bem como “Normas Técnicas Aplicada à Soldagem- NTAS” no período de duração de 20 semanas. O objetivo desta disciplina é fazer com o aluno entenda as estruturas das normas e códigos, a sistemática de revisões e atualizações, e ainda familiarizar-se com a forma de itenização de cada norma. Este material foi produzido mediante cópias de trechos extraídos das principais Normas e Códigos, e portanto na sua maioria no idioma em ingles, e que serão traduzidos em sala de aula. O aluno deve procurar frequentar as aulas para o entendimento dos textos.

Capítulo

Assunto

01 O Código ASME e seus objetivos / Certificação de Empresas

02 O programa da Qualidade para Certificação ASME

03 Aplicabilidade das seções do Código ASME

04 ASME Boiler and Pressure Vessel Code Sec. VIII Div.1

05 ASME Boiler and Pressure Vessel Code Sec. VIII Div.2

06 ASME Boiler and Pressure Vessel Code Sec. IX

07 ASME Boiler and Pressure Vessel Code Sec. V

08 ASME Boiler and Pressure Vessel Code Sec. III

09 ASME Boiler and Pressure Vessel Code Sec. I

10 Código AWS - American Welding Society

11 ASTM - American Society for Testing and Materials

12 ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas

13 SAE - Society of Automotive Engineers

14 Normas Européias - EN

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

0 2

CAPÍTULO 1

l a – N C N I / N T A S J A N .

ASME - THE AMERICAN SOCIETY OF MECHANICAL ENGINEERS

1 ASME - THE AMERICAN SOCIETY OF MECHANICAL ENGINEERS Os textos que seguem , foram extraídos
1 ASME - THE AMERICAN SOCIETY OF MECHANICAL ENGINEERS Os textos que seguem , foram extraídos

Os textos que seguem , foram extraídos do Código ASME , na sua originalidade. As partes traduzidas para o português representam a interpretação do autor desta apostila. O texto em inglês é mandatório e soberano sobre outras interpretações. Informações sobre o Código, aplicabilidade e uso, poderão ser obtidas no site http://www.asme.org ou http://www.nationalboard.org

O

emergiu da industrialização e da mecanização advinda da Revolução Industrial que nesta época já se espalhava por toda a Europa. Seus fundadores foram notáveis fabricantes de máquinas e inovadores. A primeira reunião formal com 30 participantes foi conduzida em Nova Iorque, 16 de Fev.1880, pelo engenheiro mecanico Alexander Lyman Holley com finalidade de estabelecer padrões para máquinas e ferramentas, bem como práticas padronizadas de trabalho, mas que até 1905 não obteve sucesso.

ASME - Sociedade Americana dos Engenheiros Mecanicos foi fundada em 1880, e portanto a 133 anos. Ela

Nesta época no século 19, a tecnologia a vapor, caldeiras, eram equipamentos instáveis, e notícias de explosões e acidentes eram comuns e não havia nenhum código legal ou requisitos para fabricação desses equipamentos pressurizados.

A partir de um grave acidente ocorrido em Massachusetts em 10.Março de 1905 , foi necessário elaborar leis e

regulamentos para garantir a segurança das caldeiras. Uma caldeira antiga, usada como backup, durante a manutenção explodiu, subindo através de tres andares na empresa. O fogo e a destruição matou 58 trabalhadores a feriu 117.

E assim, após este acidente, em 1908 foi publicada a primeira lei sobre regras para caldeiras, porém ainda não se

tratava de requisitos para fabricação, que somente em 1911 o ASME formou um comitê para produzir o Código para Caldeiras publicado em 1915 nos USA e Canada. Isto foi um marco para os engenheiros e fabricantes dada a riqueza de informações tecnicas publicadas. Mais tarde, após 1915 o Código ASME (BPVC) foi incorporado nas leis de todo território Americano. Nos anos seguintes foram publicadas outras regras para segurança na indústria, desenvolvimento de padrões técnicos para tubulações, elevadores, manuseio de materiais, turbinas e energia nuclear. Hoje o ASME possui mais de 600 Códigos e padrões disponíveis.

Objetivo do Código

turbinas e energia nuclear. Hoje o ASME possui mais de 600 Códigos e padrões disponíveis. Objetivo

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

0 3

PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO ASME

T A S J A N . / 2 0 1 3 0 3 PROGRAMA DE

Símbolos autorizados até Jan./2013

DE CERTIFICAÇÃO ASME Símbolos autorizados até Jan./2013 Símbolo a ser usado ma placa de identificação, a
DE CERTIFICAÇÃO ASME Símbolos autorizados até Jan./2013 Símbolo a ser usado ma placa de identificação, a

Símbolo a ser usado ma placa de identificação, a partir de Jan.2013

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

0 4

Placa de Identificação

N I / N T A S J A N . / 2 0 1 3
N I / N T A S J A N . / 2 0 1 3

Reference Code

for Construction Desing

Some Code Symbols stamps used:

ASME B31.1 - Tubulação de caldeiras - S stamp Sec. III – Aplicações Nucleares – N stamp Sec. IV – Regras para Construção de Aquecedores – H stamp Sec. VIII Div. 1 – Regras para Construção de Vasos de Pressão – U / UM stamp Sec. VIII Div. 2 – Regras alternativas – U2 stamp Sec. VIII Div. 3 – Regras para vasos com alta pressão – U3 stamp Sec. X – Vasos de Pressão de Fibras Reforçadas – RP stamp Sec. I – Caldeiras Elétrica- E Stamp Sec.II – Vasos miniaturas e especificação de materiais – M Stamp Sec. VIII Div. 1 e 2 – Regras para fabricação de valvulas de segurança – UV stamp

para fabricação de valvulas de segurança – UV stamp SecSec VIIIVIII DivDiv.1.1 Reference Code ASME Sec.VIII
SecSec VIIIVIII DivDiv.1.1
SecSec
VIIIVIII
DivDiv.1.1
de segurança – UV stamp SecSec VIIIVIII DivDiv.1.1 Reference Code ASME Sec.VIII Div. 1 , 2,3
de segurança – UV stamp SecSec VIIIVIII DivDiv.1.1 Reference Code ASME Sec.VIII Div. 1 , 2,3

Reference Code ASME Sec.VIII Div. 1 , 2,3 U ,U2 e U3 stamp

ASME Sec. IIReference Code ASME Sec.VIII Div. 1 , 2,3 U ,U2 e U3 stamp ASME Sec.IX ASME

ASME Sec.IXASME Sec.VIII Div. 1 , 2,3 U ,U2 e U3 stamp ASME Sec. II ASME Sec.V

ASME Sec.VDiv. 1 , 2,3 U ,U2 e U3 stamp ASME Sec. II ASME Sec.IX Art. 2

Art. 2 - RT Art. 5 - UT Art. 6 - PT Art. 7 - MT Art. 9 - VT

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

0 5

P r o f . R . A n d r e u c c i

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

0 6

P r o f . R . A n d r e u c c i

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

0 7

i a d e A u l a – N C N I / N T

Exemplo de um Certificado de Autorização ASME

COMPEL S.A IND. E EQUIPAMENTOS LTDA Rua Laffaiete 345, São Paulo
COMPEL S.A IND. E EQUIPAMENTOS LTDA
Rua Laffaiete 345, São Paulo

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

0 8

Exemplo de alteração do Código ASME por emissão de nova Edição, que deve substituir as páginas originais da edição anterior.

alteração do Código ASME por emissão de nova Edição, que deve substituir as páginas originais da
alteração do Código ASME por emissão de nova Edição, que deve substituir as páginas originais da

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

0 9

P r o f . R . A n d r e u c c i
P r o f . R . A n d r e u c c i

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

1 0

P r o f . R . A n d r e u c c i
P r o f . R . A n d r e u c c i

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

1

1

n d r e u c c i G u i a d e A u
n d r e u c c i G u i a d e A u

Exemplos de Questões endereçadas ao ASME

n d r e u c c i G u i a d e A u

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

1 2

i a d e A u l a – N C N I / N T
i a d e A u l a – N C N I / N T

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 1

Responda as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

1. O ASME pode aprovar ou certificada ?

mesmo endosar a qualidade da fabricação de um vaso de pressão, por empresa

2.

As interpretações efetuadas pelos fabricantes autorizados, dos diversos parágrafos do Código ASME podem ser aceitas oficialmente pelo Comitê do ASME ?

4.

Qual a letra ou símbolo do sinete que identifica que uma caldeira elétrica foi fabricada conforme o Código ASME?

5.

Qual das Secções do Código ASME que um fabricante de vasos de pressão de acordo com a Sec. VIII Div. 1, obrigatoriamente deve ter ?

6.Qual a função de cada Comitê das várias Secções do Código ASME ?

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

1 3

7. O Código ASME pode ser considerado ou mesmo usado como um handbook (manual) para engenharia mecânica ?

8. Como devem ser usados os sistemas de unidades em Polegadas e no SI de acordo com as recomendações do ASME ?

9. Qual o tempo de validade de um Certificado ASME para um fabricante ?

10.O que é “Code Case” e para que serve ?

11.O Código ASME é revisado em que periodicidade ?

12.Qual a sistemática de revisão adotado pelo Código ASME ?

13.Qual das afirmativas abaixo é verdadeira , com respeito à abrangência do Código ASME ?

a) qualquer vaso de pressão construído e estampado com o Selo, o ASME é responsável pela fabricação

e performance técnica deste

b) qualquer vaso de pressão construído e estampado com o Selo, o ASME não se responsabiliza e nem endossa a performance técnica deste

c) a empresa detentora da Certificação ASME é responsável pela fabricação e performance do equipamento estampado

d) as alternativas (b) e (c) são corretas

14.Se uma empresa obtém a Certificação ASME para fabricação de vasos de pressão, então:

a)

a

empresa pode fabricar equipamentos estampados sem a interferência do Cliente

b)

a empresa pode fabricar equipamentos estampados porém com o acompanhamento do inspetor autorizado pelo ASME

c)

a empresa pode fabricar equipamentos estampados com o acompanhamento do Cliente

d)

a empresa pode fabricar equipamentos em qualquer situação, uma vez que ela já é certificada

15. Qual a edição atual do Código ASME ?

16.Quando ocorre uma revisão do Código ASME, quanto tempo a empresa certificada possui para se adequar às alterações introduzidas ?

a) 1 ano

b) de imediato , na mesma data de recebimento da revisão

c) 6 meses

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

1 4

CAPÍTULO 2

PROGRAMA DE CONTROLE DA QUALIDADE PARA CERTIFICAÇÃO ASME

“Extraído do Código ASME Sec. VIII Div. 1 Ap.10”

2 PROGRAMA DE CONTROLE DA QUALIDADE PARA CERTIFICAÇÃO ASME “Extraído do Código ASME Sec. VIII Div.

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

1 5

P r o f . R . A n d r e u c c i

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

1 6

i a d e A u l a – N C N I / N T

Comentários sobre os requisitos apresentados

Item

Conteúdo resumido

10.1

O Fabricante deve ter um sistema de controle da qualidade estabelecendo que todos os requerimentos do Código , incluindo materiais, projeto, fabricação, inspeção, serão atendidos.

10.2

O sistema de controle da qualidade deve ser igaulmente atendido para trabalhos na Fábrica e no Campo.

10.3

Deve descrever a autoridade e responsabilidade daqueles que possuem cargos de liderança no sistema de controle da qualidade. Tais pessoas devem ter liberdade organizacional no sistema para identificar problemas e recomendar soluções.

10.4

Procedimento que descreve o organograma de Empresa, mostrando as relações entre gerencias e engenharia, compras, fabricação, inspeção, e controle da qualidade.

10.5

Este procedimento deve assegurar que as últimas edições de desenhos, cálculos, especificações, instruções , requeridas pelo Código, são utilizadas pelo Fabricante.

10.6

Este procedimento deve incluir uma sistemática de controle de recebimento, identificação de materiais, estocagem, e assegurar que sómente materiais aprovados sejam utilizados em trabalhos sob o Código.

10.7

Procedimento que descreve os documentos de fabricação, planos de inspeção, seuqencia de montagem.

10.8

Procedimento que descreve o tratamento das não conformidades, , disposições, segregação, etc

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

1 7

10.9 Procedimento que descreve planos de soldagem, procedimentos de soldagem, qualificação e identificação dos soldadores, materiais para solda, controle dos materiais para soldagem

10.10 Procedimento que descreve o sistema de aplicação dos END. Qualificação do pessoal, acompanhamento pelo inspetor autorizado, arquivo de relatórios e documentos.

10.11 Procedimento que assegura pessoal qualificado para T.Térmico, registros aprovados por pessaol competente. Descreve o sistema de compra de serviços de T.T

10.12 Procedimento que descreve como é feita o controle de instrumentos de medição

10.13 Procedimento que descreve como é o sistema de arquivamento das radiografias, e documentos do vaso construído

10.14 Relação de formulários (exhibits) usados no sistema de controle da qualidade

10.15 Facilidades que o Fabricante deve prover para o Inspetor Autorizado para que este possa

10.16 inspecionar o vaso e parte deste.

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 2

Responda as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

1. Cite dois elementos da Qualidade que devem estar contidos no manual ASME de um fabricante ?

2. O que significa “non-Code work” ?

3. Qual o propósito de descrever o Organograma da empresa no Manual ASME ?

4. Quando o Código se refere ao Inspetor , quem é esse profissional ?

5. Quais registros mínimos que devem ser mantidos pelo fabricante, de acordo com o manual ASME ?

6. Qual das alternativas abaixo não representa um requisito do sistema de controle da qualidade para certificação ASME Sec. VIII Div.1 ?

a) análise crítica de contratos

b) controle de documentos

c) tratamento térmico

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

1 8

CAPÍTULO 3 APLICABILIDADE DAS SECÇÕES DO CÓDIGO ASME

( Texto extraído: http://campaign.asme.org/bpvc10/home.cfm?track=go.asme.org )

Section I – Power Boilers

This Section provides requirements for all methods of construction of power, electric, and miniature boilers; high temperature water boilers used in stationary service; and power boilers used in locomotive, portable, and traction service. Rules pertaining to use of the V, A, M, PP, S and E Code symbol stamps are also included. The rules are applicable to boilers in which steam or other vapor is generated at pressures exceeding 15 psig, and high temperature water boilers intended for operation at pressures exceeding 160 psig and/or temperatures exceeding 250°F. Superheaters, economizers, and other pressure parts connected directly to the boiler without intervening valves are considered as part of the scope of Section I.

Section IV – Heating Boilers

This section provides requirements for design, fabrication, installation and inspection of steam generating boilers, and hot water boilers intended for low pressure service that are directly fired by oil, gas, electricity, or coal. It contains appendices which cover approval of new material, methods of checking safety valve and safety relief valve capacity, examples of methods of checking safety valve and safety relief valve capacity, examples of methods of calculation and computation, definitions relating to boiler design and welding, and quality control systems. Rules pertaining to use of the H, HV, and HLW Code symbol stamps are also included

Section III – Rules of the Construction of Nuclear Facility Components

This Section provides requirements for the materials, design, fabrication, examination, testing, inspection, installation, certification, stamping, and overpressure protection of nuclear facility components, and component and piping supports. Components include metal vessels and systems, pumps, valves, and core support structures. The components and supports covered by this Section are intended to be installed in a nuclear power system which serves the purpose of producing and controlling the output of thermal energy from nuclear fuel and those associated systems essential to the functions and overall safety of the nuclear power system. This Section also provides requirements for (1) containment systems and transport packagings for spent nuclear fuel and high-level radioactive waste and, (2) concrete reactor vessels and containments. It provides requirements for new construction and includes consideration of mechanical and thermal stresses due to cyclic operation. Deterioration which may occur in service as a result of radiation effects, corrosion, erosion, or instability of the material is not covered. Rules pertaining to the use of N, NPT, NA and NV Code symbol stamps are also included.

Section VIII – Pressure Vessels Division 1

BASIC COVERAGE: This Division of Section VIII provides requirements applicable to the design, fabrication, inspection, testing, and certification of pressure vessels operating at either internal or external pressures exceeding 15 psig. Such pressure vessels may be fired or unfired. Specific requirements apply to several classes of material used in pressure vessel construction, and also to fabrication methods such as welding, forging and brazing. It contains mandatory and non-mandatory appendices detailing supplementary design criteria, nondestructive examination and inspection acceptance standards. Rules pertaining to the use of the U, UM and UV Code symbol stamps are also included.

Section VIII – Pressure Vessels Division 2

ALTERNATIVE RULES: This Division of Section VIII provides requirements applicable to the design, fabrication, inspection, testing, and certification of pressure vessels operating at either internal or external pressures exceeding 15 psig. Such vessels may be fired or unfired. This pressure may be obtained from an external source or by the application of heat from a direct or indirect source, or any combination thereof. These rules provide an alternative to the minimum requirements for pressure vessels under Division 1 rules. In comparison to Division 1, Division 2 requirements on materials, design, and nondestructive examination are more rigorous; however, higher design stress intensity values are permitted. Division 2 rules cover only vessels to be installed in a fixed location for a specific service where operation and maintenance control is retained during the useful life of the vessel by the user who pre pares or causes to be prepared the design specifications. These rules may also apply to human occupancy pressure vessels typically in the diving industry. Rules pertaining to the use of the U2 and UV Code symbol stamps are also included.

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

1 9

Section VIII – Pressure Vessels Division 3

ALTERNATIVE RULES FOR CONSTRUCTION OF HIGH PRESSURE VESSELS: This Division of Section VIII provides requirements applicable to the design, fabrication, inspection, testing, and certification of pressure vessels operating at either internal or external pressures generally above 10,000 psi. Such vessels may be fired or unfired. This pressure may be obtained from an external source, a process reaction, by the application of heat from a direct or indirect source, or any combination thereof. Division 3 rules cover vessels intended for a specific service and installed in a fixed location or relocated from work site to work site between pressurizations. The operation and maintenance control is retained during the useful life of the vessel by the user who pre pares or causes to be prepared the design specifications. Division 3 does not establish maximum pressure limits for Section VIII, Divisions 1 or 2, nor minimum pressure limits for this Division. Rules pertaining to the use of the UV3 Code symbol stamps are also included

Section X – Fiber-Reinforced Plastic Pressure Vessels

BASIC COVERAGE: This Section provides requirements for construction of an FRP pressure vessel in conformance with a manufacturer's design report. It includes production, processing, fabrication, inspection and testing methods required for the vessel. Section X includes two Classes of vessel design; Class I – qualification through the destructive test of a prototype and Class II – mandatory design rules and acceptance testing by nondestructive methods. These vessels are not permitted to store, handle or process lethal fluids. Vessel fabrication is limited to the following processes: bagmolding, centrifugal-casting and filament-winding and contact molding. General specifications for the glass and resin materials and minimum physical properties for the composite materials are given.

Section XII – Rules for the Construction and Continued Service of Transport Tanks

BASIC COVERAGE: This Section covers requirements for construction and continued service of pressure vessels for the transportation of dangerous goods via highway, rail, air or water at pressures from full vacuum to 3,000 psig and volumes greater than 120 gallons. "Construction" is an all-inclusive term comprising materials, design, fabrication, examination, inspection, testing, certification, and over-pressure protection. "Continued service" is an all-inclusive term referring to inspection, testing, repair, alteration, and recertification of a transport tank that has been in service. This section contains modal appendices containing requirements for vessels used in specific transport modes and service applications. Rules pertaining to the use of the T Code symbol stamp are included.

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

2 0

P r o f . R . A n d r e u c c i

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

2 1

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 3

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

1. Um vaso de pressão estampado com Selo ASME “U2” deve ter uma pressão de operação diâmetro

e

2. Vaso de pressão ASME aquecidos por chama e com pressão de operação acima de 10.000 psi,

provavelmente deve ser fabricado de acordo com os requisitos da Secção

Divisão

3. Um trocador de calor para uso em uma instalação nuclear, deve ser fabricado segundo as regras do ASME

4. Qual as características de vasos de pressão fabricados conforme a Sec. VIII Div. 1 ?

5. Pela política de uso do símbolo do ASME ? Explique.

1 ? 5. Pela política de uso do símbolo do ASME ? Explique. é permitido em

é permitido em propagandas de uma empresa certificada

6. Faça um

( X )

sobre o sinete que identifica que um trocador de calor para uma planta petroquímica, foi

construída de acordo com o Código ASME Sec.VIII Div.1 Ed.2010.

de acordo com o Código ASME Sec.VIII Div.1 Ed.2010. 7. Uma empresa certificada pelo ASME pode

7. Uma empresa certificada pelo ASME pode solicitar a essa organização uma certificação de que um vaso de pressão foi construído de acordo com as regras do Código ?

8. Um vaso de pressão foi construído com base de projeto do ASME Sec. VIII Div. 1. Podemos considerar que o equipamento fabricado, está de acordo com as regras dessa Divisão ? Explique

9. O Sinete "U" identifica qual Código de fabricação ?

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

2 2

CAPÍTULO 4

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1 - Ed. 2010

Tabela das Edições Aceitáveis das Normas Citadas Nesta Divisão

VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1 - Ed. 2010 Tabela das Edições Aceitáveis das Normas

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

2 3

i a d e A u l a – N C N I / N T

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 4

1. Para que serve a Tab. U-3 do ASME Sec. VIII Div. 1 ?

2. Uma empresa usou uma tabela de conversão de dureza ASTM E-140 Ed.2006 para um item fabricado de acordo com ASME Sec. VIII Div. 1 Ed. 2010. Esse procedimento está correto ? Explique

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

2 4

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1

CONTENT

A u l a – N C N I / N T A S J A

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

2 5

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1

i a d e A u l a – N C N I / N T
i a d e A u l a – N C N I / N T

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

2 6

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE

SECTION VIII , DIVISION 1

BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1 EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 4

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 4 - UG

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

1. Em qual parte do ASME Sec. VIII Div.1 é dado requimentos para teste hidrostático ?

2. Em qual parte do ASME Sec. VIII Div.1 é dado requimentos para teste pneumático ?

3. Orientação da Sec. VIII Div. 1 sobre seleção dos manometros de teste de pressão devem estar em :

4. Requistos gerais para estabelecimento da máxima e mínima temperatura de projeto deve ser encontrada em

5. Questões e dúvidas sobre materiais de soldagem, devem ser consultadas em qual parágrafo UG ?

6. Em que parágrafo descreve de como proceder se um material foi produzido por uma especificação em desacordo com a Sec. VIII Div. 1 ?

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

2 7

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE

SECTION VIII , DIVISION 1

i a d e A u l a – N C N I / N T

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

2 8

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1

BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1 EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 4

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 4 - UW

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

7. Em qual parte do ASME Sec. VIII Div.1 é dado requimentos para ensaio visual de solda para verificação do reforço máximo aceitável ?

a) UW-35

b) UW-12

c) UW-33

d) UW-51

8. Em qual parte do ASME Sec. VIII Div.1 é dado requimentos para tratamento térmico pós soldagem ?

a) UHT-56

b) UG-85

c) UW-35

d) UW-40

9. Em qual parte do ASME Sec. VIII Div.1 é dado requimentos para critério de aceitação de exame radiográfico de juntas soldadas em vasos ?

a) UW-12

b) UW-11

c) UW-51

d) UW-35

10.Requistos para reparos por soldagem são dados em

11.Tolerancias para o alinhamento de uma junta soldada conforme Sec. VIII Div. 1 é descrito em

12.De acordo com o ASME Sec. VIII Div. 1, cite uma atividade de inspeção, de exame e de teste:

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

2 9

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1

i a d e A u l a – N C N I / N T

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

3 0

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 4 - UF

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

13. Qual o significado da sigla “ UF” nesta Divisão ?

14.Requisitos dados por UF-52 trata de que assunto ?

dada. 13. Qual o significado da sigla “ UF” nesta Divisão ? 14.Requisitos dados por UF-52

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

3 1

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1

BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1 EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 4

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 4 - UB

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

15. Qual o significado da sigla “ UB” nesta Divisão ?

16.Qual item que é dado os requisitos para ensaio visual de vasos nesta Part UB ?

17. Qual item que é dado tolerancias entre superficies a serem brazadas ?

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

3 2

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1

i a d e A u l a – N C N I / N T
i a d e A u l a – N C N I / N T

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

3 3

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1

i a d e A u l a – N C N I / N T

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

3 4

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1

i a d e A u l a – N C N I / N T

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

3 5

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 4 – UCS , UNF e UHA

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

18. Qual o significado da sigla UCS ?

19. Qual o significado da sigla UNF ?

20. Qual o significado da sigla UHA ?

21.Onde é dado requisitos de extensão de ensaio radiográfico de vasos construídos conforme UCS ?

22.Onde é dado requisitos de projeto de juntas soldadas em UCS ?

23. Onde é dado requisitos para ensaio por líquidos penetrantes em vasos construídos conforme UNF ?

24.Onde é dado requisitos de tratamento térmico pós fabricação devido a alívio em UNF ?

25.Onde é dado requisitos de extensão de ensaio radiográfico de vasos construídos conforme UHA ?

26.Onde é especificado condições para o teste de impacto em vaso construídos conforme UHA ?

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

3 6

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1

i a d e A u l a – N C N I / N T
i a d e A u l a – N C N I / N T

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

3 7

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1

i a d e A u l a – N C N I / N T
i a d e A u l a – N C N I / N T

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

3 8

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 4 – UCI , UCL e UCD

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

27.Qual o significado da sigla UCI do ASME Sec. VIII Div. 1 ?

28. Qual o significado da sigla UCL do ASME Sec. VIII Div. 1 ?

29. Qual o significado da sigla UCD do ASME Sec. VIII Div. 1 ?

30.Requisitos para teste de destruição de um vaso em UCD deve estar no item

31. Requisitos para teste hidrostático em UCI, deve estar no item

32.De que se trata o item UCL-36 ?

33.Reparos em vasos fabricados em ferro fundido deve ser encontrado em

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

3 9

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1

i a d e A u l a – N C N I / N T

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

4 0

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 1

i a d e A u l a – N C N I / N T

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

4 1

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII DIVISION 1

u i a d e A u l a – N C N I / N

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

4 2

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII DIVISION 1

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 4 – UHT, ULW e ULT

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

34.Qual o significado da sigla UHT do ASME Sec. VIII Div. 1 ?

35. Qual o significado da sigla ULW do ASME Sec. VIII Div. 1 ?

36. Qual o significado da sigla ULT do ASME Sec. VIII Div. 1 ?

37. Qual o significado da sigla UHX do ASME Sec. VIII Div. 1 ?

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

4 3

CAPÍTULO 5

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 2

CONTENT

N C N I / N T A S J A N . / 2 0
N C N I / N T A S J A N . / 2 0

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

4 4

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 2

i a d e A u l a – N C N I / N T
i a d e A u l a – N C N I / N T

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

4 5

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 2

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 5 – Parte 1, 3 e 4

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

1. Quais as limitações técnicas de projeto para vasos de pressão do ASME Div. 2 ?

2. Fornecimento de chapas de aço carbono com ensaio por ultrassom, para vasos construídos para a Div. 2 , devem atender a qual item desta Divisão ?

3. Em quantos capítulos ou partes a Div. 2 da Sec. VIII está organizada ?

4. Em qual item pode ser analisado as edições das normas e padrões aceitáveis na Div. 2 ?

5. Fornecimento de materiais em aço carbono com ensaio por líquidos penetrantes, para vasos construídos para a Div. 2 , devem atender a qual item desta Divisão ?

6. Dados de projeto sobre a mínima espessura requerida pode ser analisada no item

7. Regras de projeto para categorias das juntas soldadas na Div. 2 é dado em qual item ?

8. Regras de projeto para tolerâncias dimensionais para o caso de um vaso da Div. 2 é dado em qual item ?

9. Tipos de juntas soldadas permitidas na Div. 2 é dado em qual item ?

10. Como o sistema de numeração de páginas na Div. 2 está organizado ?

11.Requistos para ensaio de ultra-som em forjados ferrosos da Sec. VIII Div. 2 devem estar no item:

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

4 6

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 2

i a d e A u l a – N C N I / N T
i a d e A u l a – N C N I / N T

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

4 7

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 2

i a d e A u l a – N C N I / N T
i a d e A u l a – N C N I / N T
i a d e A u l a – N C N I / N T

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

4 8

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 2

BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 2 EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 5

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 5 – Partes 5, 6 e 7

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

12. Critérios de fabricação para limpeza de superficies a serem soldadas, pode ser encontrada na Div. 2 em qual item ?

13. Critérios para inspeção e ensaio pode ser verificado na Div. 2 no item

14. Qual o item que pode ser encontrado os requerimentos para soldagem tubo-espelho ?

15. É requerido ensaio visual de soldas na Div. 2 ? Onde estão os requisitos ?

16. Qual o item que pode ser encontrado os requerimentos para substituição do ensaio radiográfico pelo ultrassom na Div. 2 ?

17. Qual o item que descreve os requisitos para ensaio da superfície após o teste hidrostático na Div. 2 ?

18.A pág. 6-8 da Div. 2 trata de qual assunto ? Explique

19. A pág. 7-15 da Div. 2 trata de qual assunto ? Explique

20.Requistos para tratamento térmico de soldas em não ferrosos da Sec. VIII Div. 2 devem estar no item:

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

4 9

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 2

i a d e A u l a – N C N I / N T
i a d e A u l a – N C N I / N T

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

5 0

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION VIII , DIVISION 2

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 5

Partes 8 e 9

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

21.Se caso você procure uma informação sobre teste hidrostático na Div. 2 do ASME Sec. VIII, em que item provavelmente encontrará ?

22. Se caso você procure uma informação sobre critério de aceitação do teste pneumático na Div. 2 do ASME Sec. VIII, em que item provavelmente encontrará ?

23.Em qual item poderá ser informado sobre disco de ruptura para proteção contra sobre pressão na Div. 2 do ASME Sev. VIII ?

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

5 1

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION IX

CAPÍTULO 6

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION IX – Ed.2010 Ad.2011

VESSEL CODE SECTION IX CAPÍTULO 6 ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION IX – Ed.2010

skill = habilidade

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

5 2

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION IX

INTRODUCTION ( Cont.)

A u l a – N C N I / N T A S J A
A u l a – N C N I / N T A S J A

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

5 3

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION IX

INTRODUCTION ( Cont.)

AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION IX INTRODUCTION ( Cont.) EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 6 -

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 6 - Introdução

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

1.Qual o significado da Letra “Q” da Sec. IX do ASME ?

2.Qual a finalidade da Sec. IX do ASME ?

3.A qualificação do procedimento de soldagem é uma garantia de que a soldagem terá êxito no seu desempenho?

4.Qual o propósito da Especificação do Procedimento de Soldagem –WPS ?

5.Qual a finalidade do teste de qualificação de procedimento de soldagem ?

6.O teste de qualificação do procedimento de soldagem serve para verificar a habilidade do soldador ?

7.Qual o propósito da Qualificação do Desempenho do Soldador ou operador de Soldagem ?

8.Qual o significado das siglas WPS e BPS ?

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

5 4

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION IX

9.Em que condição o procedimento de soldagem deve ser requalificado ?

10.Qual o significado da sigla SWPS ?

11.Brazadores podem ser qualificados por radiografia ?

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

5 5

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION IX

e u c c i G u i a d e A u l a –
e u c c i G u i a d e A u l a –

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

5 6

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION IX

e u c c i G u i a d e A u l a –
e u c c i G u i a d e A u l a –

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

5 7

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION IX

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 6 - Conteúdo

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

12. Qual o parágrafo do ASME Sec. IX que trata da preparação do CP´s para qualificação do procedimento de soldagem ?

13. Qual o parágrafo do ASME Sec. IX que trata da preparação do CP´s para qualificação do desempenho de soldador ?

14. Qual o parágrafo do ASME Sec. IX que trata das variáveis da soldagem para qualificação do operador de soldagem ?

15. Qual o parágrafo do ASME Sec. IX que trata da preparação do CP´s para qualificação do procedimento de brazagem ?

16. Qual o parágrafo do ASME Sec. IX que trata da preparação do CP´s para qualificação de desempenho do brazador ?

17. Qual o parágrafo do ASME Sec. IX que trata das variáveis da brazagem para qualificação do operador de brazagem ?

18. Os requisitos do teste de arrancamento ou descolamento para processos de brazagem do ASME Sec. IX é dado em

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

5 8

CAPÍTULO 07

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION V

CONTENT

e A u l a – N C N I / N T A S J

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

5 9

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION V

r e u c c i G u i a d e A u l a
r e u c c i G u i a d e A u l a

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

6 0

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION V

r e u c c i G u i a d e A u l a
r e u c c i G u i a d e A u l a
r e u c c i G u i a d e A u l a
r e u c c i G u i a d e A u l a

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

6 1

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION V

r e u c c i G u i a d e A u l a
r e u c c i G u i a d e A u l a
r e u c c i G u i a d e A u l a

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

6 2

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION V

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 07

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

1. Qual a letra que identifica os parágrafos do ASME Sec. V ?

2. Informações sobre ensaio por partículas magnéticas são descritas em qual Artigo do ASME Sec. V ?

3. Informações sobre ensaio radiográfico são descritas em qual Artigo do ASME Sec. V ?

4. O parágrafo T-460 do ASME Sec. V descreve requisitos para qual ensaio e trata de qual assunto ?

5. O parágrafo T-692 do ASME Sec. V descreve requisitos para qual ensaio e trata de qual assunto ?

6. Procedimentos para ensaio de vazamento de acordo com ASME Sec. V são descritos em qual parágrafo ?

7. Para que servem as normas referenciadas na Subsecção B do ASME Sec. V ? São mandatórias ?

8. Em que parte do ASME a norma SE-1025 para ensaio radiográfico, deve estar incluída ?

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

6 3

CAPÍTULO 08

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION III

i a d e A u l a – N C N I / N T

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

6 4

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION III

e u c c i G u i a d e A u l a –

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

6 5

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION III

2 0 1 3 6 5 ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION III EXERCÍCIOS PARA

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 08

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

1. Qual a letra que identifica qualquer parágrafo ou capítulo do ASME Sec. III ?

2. Informações sobre materiais de componetes nuclerares Classe 2 do ASME Sec. III podem ser encontrados no parágrafo

3. Os requisitos do parágrafo CB-6220 pertencem a qual tipo de componente nuclear do ASME Sec. III e trata de que assunto ?

4. Os requisitos do parágrafo NB-5230 pertencem a qual tipo de componente nuclear do ASME Sec. III e trata de que assunto ?

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

6 6

CAPÍTULO 09

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION I – CALDEIRAS

l a – N C N I / N T A S J A N .
l a – N C N I / N T A S J A N .

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

6 7

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION I

r e u c c i G u i a d e A u l a
r e u c c i G u i a d e A u l a

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

6 8

ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION I

/ 2 0 1 3 6 8 ASME BOILER AND PRESSURE VESSEL CODE SECTION I EXERCÍCIOS

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 9

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

1. A letra que idendifica o Código ASME Sec. I é a “P” que significa:

a) powder

b) pound

c) power

d) potency

2. Para inspeção visual em soldas de acordo com ASME Sec. I, tolerancias para alinhamento parágrafo:

é dado no

3. Os requisitos para teste hidrostático em caldeiras fabricadas, deve ser conforme qual dos itens abaixo ?

a) PW-54

b) PG-99

c) PG-12

d) PG-21

4. Critério de aceitação de soldas no ensaio radiográfico em caldeiras é dado por:

a) PW-52

b) PW-11

c) PW-51

d) PW-36

5. Requisitos de qualificação de pessoal para ensaios não destrutivos em caldeiras é dado em:

6. Requisitos de acabamento de reforço de juntas soldadas em caldeiras é dado em:

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

6 9

CAPÍTULO 10

P r o f . R . A n d r e u c c i
P r o f . R . A n d r e u c c i

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

7 0

Código AWS D1.1

- Structural Welding Code

Declaração de Uso da Norma Nacional Americana AWS

(tradução livre)

Todos as normas (código, especificações, prática recomendada, método classificação e guia) da AWS é um padrão de consenso voluntário e que foi desenvolvido de acordo com as regras da ANSI. Quando um padrão AWS é incorporado ou faz parte, de documentos que estão incluídos nas leis federais ou estaduais, ou regulamentos de outros corpos governamentais, suas provisões tem autoridade legal de estatuto. Em tais casos qualquer alterações na norma AWS deve ser aprovado pelo corpo governamental tendo jurisdição estatutária antes de se tornar parte dessas leis e regulamentos. Em todos os casos todas essas normas possuem autoridade legal para contrato e outros documentos que mencionam a norma AWS. Quando esta relação contratual existi, alterações e desvios dos requerimentos da norma AWS deverá ser por acordo entra as partes

da norma AWS deverá ser por acordo entra as partes O padrão AWS foi desenvolvido através

O padrão AWS foi desenvolvido através do processo de consenso no desenvolvimento de padrão que traz junto voluntários

representantes de variados pontos de vista e de interesse e que guarda consenso. Enquanto que a AWS administra o processo e estabelece regras para promover igualdade no desenvolvimento do consenso, isto não testa, avalia ou verifica de forma independente a precisão das informações ou da sanidade do julgamento contido nestes padrões.

A AWS não aceita responsabilidade por qualquer prejuizo a pessoas ou propriedade ou danos de qualquer natureza , de

forma especial, indireta , consequencial ou compensatória, diretamente ou indiretamente resultando de publicações, uso de,

ou dependencia deste padrão. A AWS também não dá nenhuma garantia ou aviso da precisão de qualquer informação aqui publicada. Na emissão e tornar este padrão disponível, a AWS não pretende tornar um profissional ou outros serviços em nome de qualquer pessoa ou entidade. Nem a AWS pretende executar qualquer dever no lugar de qualquer pessoa ou entidade ou

para alguém. Qualquer um usando esse documento deveria invocar para ele ou ela seu julgamento independente ou, como apropriado, procurar por um conselho de um profissional competente na determinação de um exercício de cuidado razoável em qualquer circunstancia. Este padrão pode ser excedido por emissão de uma nova edição. Os usuários deveriam se assegurar que tenham a última edição.

A publicação desta edição não autoriza infrigimento de qualquer patente. A AWS não aceita obrigação pelo infrigimento

de qualquer patente resultante do uso ou confiança deste padrão.

Finalmente, a AWS não monitora, policia ou faz valer o atendimento a este padrão, e nem tem poder para tal. Na ocasião, texto tabelas ou figuras foram impressos incorretamente (errata). Tal errata , quando verificada, são mostradas pela página web www.aws.org sob “Técnico” na coluna do Departamento Interpretações oficiais de qualquer requisito técnico deste padrão pode ser obtido por envio de uma carta escrita ao Diretor de Gerenciamento de Serviços Técnicos da AWS, Miami, veja Anexo F. Com respeito às perguntas técnicas referentes aos padrões AWS, opiniões orais sobre a norma AWS pode ser feitas. Entretanto tais opiniões representam apenas opiniões pessoais e particulares de quem fez. Essas pessoas não falam em nome da AWS, nem essas opiniões orais constituem opiniões oficiais ou não oficiais ou interpretação da AWS. Adicionalmente, opiniões orais são informais e não devem ser usadas em substituição a interpretação oficial.

Este padrão está sujeito a revisão a qualquer momento pelo Comitê da AWS. Isto é revisado a cada cinco anos, e se não revisado, deve ser re-aprovado ou refeito. Comentários (recomendações, adições ou eliminações) e qualquer dado pertinente que possa ser usado na melhoria desta norma deve ser requerido ou endereçado à sede da AW. Tais comentários receberão considerações cuidadosas pelo Comitê da AWS D1 e o autor dos comentários será informado pelo responsável pelo Comitê sobre a questão. Interessados podem ser convidados para participar de todas as reuniões do Comitê da AWS D1 para expressar seus comentários verbalmente. Procedimentos para apelação de uma decisão adversa referente a tais comentários são fornecidos Regras de Operação do Comitê de Atividades Técnicas. Uma cópia dessas regras pode ser obtidas da AWS 550 N.W , Miami, FL.

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

7 1

P r o f . R . A n d r e u c c i
P r o f . R . A n d r e u c c i
P r o f . R . A n d r e u c c i

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

7 2

Código AWS D1.1

- Structural Welding Code

n d r e u c c i G u i a d e A u
n d r e u c c i G u i a d e A u

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

7 3

Código AWS D1.1

- Structural Welding Code

n d r e u c c i G u i a d e A u
n d r e u c c i G u i a d e A u
n d r e u c c i G u i a d e A u

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

7 4

Código AWS D1.1

- Structural Welding Code

n d r e u c c i G u i a d e A u
n d r e u c c i G u i a d e A u

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

7 5

Código AWS D1.1

- Structural Welding Code

N . / 2 0 1 3 7 5 Código AWS D1.1 - Structural Welding Code

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 10 - AWS

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

1. Qual a política de revisão do Código AWS D1.1 ?

2. Como deve ser feito um questionamento sobre uma interpretação técnica do Código AWS D .1?

3. Qual a forma que o AWS informa sobre erratas contidas no Código ?

4. Qual parte se encontra informações sobre END no AWS D1.1 ?

5. Qual item onde fornece informações sobre exame de vista dos inspetores no AWS D1.1 ?

6. Qual item pode ser encontrado informações sobre procedimentos para ensaio por ultrassom conforme AWS D1.1 ?

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

7 6

i a d e A u l a – N C N I / N T

CAPÍTULO 11

l a – N C N I / N T A S J A N .
l a – N C N I / N T A S J A N .
l a – N C N I / N T A S J A N .

ORGANIZAÇÃO DAS VÁRIAS SEÇÕES DA NORMA

A - Metais Ferrosos

B - Metais Não Ferrosos

C - Ceramica , Concreto

D - Materiais outros

E - Outros Objetivos

F - Materiais para Aplicações Específicas

G - Corrosão , Deterioração , e Degradação de Materiais

ES - Padrões de Emergência

P – Propostas

Edição atual - 2012

( http://www.nxtbook.com/nxtbooks/astm/standards2012/#/22 )

de Emergência P – Propostas Edição atual - 2012 ( http://www.nxtbook.com/nxtbooks/astm/standards2012/#/22 )

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

7 7

ORGANIZAÇÃO DAS VÁRIAS SEÇÕES DA NORMA ASTM Edição atual Catálogo 2012

– N C N I / N T A S J A N . / 2

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

7 8

P r o f . R . A n d r e u c c i
P r o f . R . A n d r e u c c i

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

7 9

ORGANIZAÇÃO DAS VÁRIAS SEÇÕES DA NORMA ASTM Edição atual Catálogo 2012

– N C N I / N T A S J A N . / 2
– N C N I / N T A S J A N . / 2
– N C N I / N T A S J A N . / 2

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

8 0

ORGANIZAÇÃO DAS VÁRIAS SEÇÕES DA NORMA ASTM Edição atual Catálogo 2012

– N C N I / N T A S J A N . / 2
– N C N I / N T A S J A N . / 2

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

8 1

ORGANIZAÇÃO DAS VÁRIAS SEÇÕES DA NORMA ASTM Edição atual Catálogo 2012

VÁRIAS SEÇÕES DA NORMA ASTM Edição atual Catálogo 2012 EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 11 -

EXERCÍCIOS PARA ESTUDO – CAP. 11 - ASTM

Responda ou complete as questões abaixo, indicando a referencia para a resposta dada.

1. A seguinte norma ASTM “Specification for Magnesium-Alloy Sheet and Plate” provavelmente terá como identificação precedida com a letra maíuscula:

2. A seguinte norma ASTM ´Test Methods for Rubber Products\MChemical Analysis´ provavelmente terá como identificação precedida com a letra maíuscula:

3.Considere a norma ASTM “A0516M-06 “.

a) Esta norma deve ser relativa a que tipo de material ?

b) Qual a data da última revisão indicada ?

c) O que significa a letra “ M” ?

4. A norma do exercício 3 , em qual Seção do ASTM pode ser encontrada para consulta ?

5.Como é identificada uma norma ASTM que foi revisada no mesmo ano de sua edição ?

6.Qual o ano de edição da norma ASTM E-125-85 ?

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

8 2

i a d e A u l a – N C N I / N T

CAPÍTULO 12

l a – N C N I / N T A S J A N .

PROCESSOS DE CRIAÇÃO DE NORMA

As normas podem ser elaboradas em 4 níveis:

Nível internacional - normas destinadas ao uso internacional, resultantes da ativa participação das nações com interesses comuns. Por exemplo, normas da ISO (International Organization for Standardization) e IEC (International Eletrotechnical Comission).

Nível regional - Normas destinadas ao uso regional, elaboradas por um limitado grupo de países de um mesmo continente. Por exemplo: normas da CEN (Comitê Europeu de Normalização - Europa), COPANT (Comissão Panamericana de Normas Técnicas- Hemisfério Americano), AMN (Associação Mercosul de Normalização - Mercado Comum do Cone Sul).

Nível nacional - Normas destinadas ao uso nacional, elaboradas por consenso entre os interessados em uma organização nacional reconhecida como autoridade no respectivo país. Por exemplo: normas da ABNT (Brasil); AFNOR (França); EN (européia) ; JISC (Japão) e BSI (Reino Unido).

Nível de empresa - normas destinadas ao uso em empresas, com finalidade de reduzir custos, evitar acidentes, etc.

Processo de elaboração de Normas Brasileiras

1.

A

sociedade brasileira manifesta a necessidade de se ter uma norma;

2.

O Comitê Brasileiro ( ABNT/CB) ou o Organismo de Normalização Setorial ( ABNT/ONS) analisa o tema e inclui no seu Programa de Normalização Setorial (PNS)

3.

É

criada uma Comissão de Estudo (CE), com a participação voluntária de diversos segmentos da

Sociedade, ou incorporada esta demanda no plano de trabalho da Comissão de Estudos já existente

e compatível com o escopo do tema solicitado

4.

A Comissão de Estudo (CE) elabora um Projeto de Norma, com base no consenso de seus

participantes

5.

O Projeto de Norma é submetido à Consulta Pública

6.

As sugestões obtidas na Consulta Pública são analisadas pela Comissão de Estudo (CE) e o Projeto de Norma é aprovado e encaminhado à Gerência do Processo de Normalização da ABNT para homologação e publicação como Norma Brasileira

7.

A

Norma Brasileira poderá ser adquirida nos Escritórios Regionais da ABNT e nos diversos Postos de

Venda espalhados pelo Brasil.

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

8 3

Normas ABNT

Os ABNT/CB e ABNT/ONS mantêm Comissões de Estudo em atividade nas mais diversas áreas. Estas Comissões de Estudo são integradas voluntariamente por produtores, consumidores e neutros (universidades, laboratórios, centros de pesquisas e Governo) que, através de consenso, analisam e debatem propostas de Projetos de Norma.

Obtido o consenso, o Projeto de Norma é aprovado e submetido à Consulta Pública, após o que poderá atingir à condição de Norma Brasileira.

Como solicitar a elaboração de uma Norma

Deve ser apresentada solicitação formal à ABNT, descrevendo a necessidade da existência da Norma Brasileira, listando as empresas, entidades e indivíduos que possam ter interesse na sua elaboração e aplicação.

que possam ter interesse na sua elaboração e aplicação. CAPÍTULO 13 A Society of Automotive Engineers

CAPÍTULO 13

interesse na sua elaboração e aplicação. CAPÍTULO 13 A Society of Automotive Engineers - SAE adota
interesse na sua elaboração e aplicação. CAPÍTULO 13 A Society of Automotive Engineers - SAE adota
interesse na sua elaboração e aplicação. CAPÍTULO 13 A Society of Automotive Engineers - SAE adota

A Society of Automotive Engineers - SAE adota um sistema de números para identificar e descrever tipos de

aço para uso geral assim como para aços usados em outras indústrias que não automotivas.

Neste sistema, a identificação do aço é descrita por 4 digitos . O primeiro número indica o tipo do aço e conteúdo de carbono ou a liga de aço, e neste caso o tipo da liga.

O segundo número para ligas de aço representa aproximadamente a quantidade da liga em porcentagem ,

onde os dois números finais representam o conteúdo de carbono em porcentagem.

Codificação do primero digito:

Aço carbono

1

Aço níquel

2

Aço cromo-níquel

3

Aço molibdênio

4

Aço cromo

5

Aço cromo-vanadio

6

Aço tungstênio

7

Aço silício-manganês

9

Exemplos:

SAE XXXX

7 Aço silício-manganês 9 Exemplos: SAE XXXX Tipo do Aço ( conf. T a b e
7 Aço silício-manganês 9 Exemplos: SAE XXXX Tipo do Aço ( conf. T a b e

Tipo do Aço

( conf. Tabela)

% do elemento de liga

% de carbono

Aço SAE 1020 - Significa um aço carbono (1) , não ligado (0), com aproximadamente 0,20% de carbono (20).

Aço SAE 2320 - Significa um aço níquel (2) contendo aproximadamente 3% de níquel (3) e 0,20 % de carbono

(20)

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

8 4

CAPÍTULO 14

NORMAS EUROPÉIAS

N T A S J A N . / 2 0 1 3 8 4 CAPÍTULO

The European Committee for Standardization (CEN) is a business facilitator in Europe, removing trade barriers for European industry and consumers. Its mission is to foster the European economy in global trading, the welfare of European citizens and the environment. Through its services it provides a platform for the development of European Standards and other technical specifications.

CEN is a major provider of European Standards and technical specifications. It is the only recognized European organization according to Directive 98/34/EC for the planning, drafting and adoption of European Standards in all areas of economic activity with the exeption of electrotechnology (CENELEC) and telecommunication (ETSI).

CEN works in a decentralized way. Its members – the National Standardization Bodies (NSBs) of the EU and EFTA countries – operate the technical groups that draw up the standards; the CEN Management Centre (CMC) in Brussels manages and coordinates this system.

CEN is one of the three European Standardization Organizations (ESOs) whose main objective is to remove trade barriers for European industry and consumers.

CENELEC

European Standards (EN) are documents that have been ratified by one of the 3 European Standards Organizations, CEN, CENELEC or ETSI. They are designed and created by all interested parties through a transparent, consensual process.

The fact that CENELEC Standards must be transposed into a national standard in all member countries guarantees that a manufacturer has easier access to the market of all these European countries when applying European Standards. This applies whether the manufacturer is based in the CENELEC territory or not. Member countries must also withdraw any conflicting national standard: the EN prevails over any national standard.

How a Standard is Made

Drafting

There are several ways to start harmonizing a standard:

a) An initial document comes from the International Electrotechnical Commission (80% of cases).

b) A document of European origin arises in one of CENELEC's own technical bodies.

c) A first draft of a European document comes from one of CENELEC's Cooperating partners.

d) A fourth source is the National Committees themselves. Under the Vilamoura Procedure, the NCs have agreed to notify CENELEC when they are planning any new work. CENELEC can, if it wants, take on this work.

Enquiry

When a suitable draft is available, it is submitted to the NCs for CENELEC enquiry, a procedure which lasts 6 months. Then the comments received are studied by the technical body working on the draft and incorporated into the document, where justified, before a final draft is sent out for vote.

Voting

The vote usually takes 3 months. At this stage the members have weighted votes corresponding to the size of the country they represent. For instance, the larger countries like France, Germany, Italy and the UK have 10 votes each while the smaller ones have one or two weighted votes.

P r o f .

R . A n d r e u c c i

G u i a

d e

A u l a

N C N I

/

N T A S

J A N . / 2 0 1 3

8 5

There are two requirements for a standard to be approved. The vote must yield:

a) majority of NC’s in favour of the document

b) at least 71% of the weightted votes cast are positive

Numbering The shortest unambiguous reference to a European Standard is to use its number. The number of a European Standard consists of the capital letters EN followed by a space and a number in arabic numerals, without any space.

Example

EN

EN 50157-2-1:1996 (the part number is indicated by a hyphen) The first two numerals indicate the origin of the standard:

* 40000 to 44999 covers domains of common CEN/CENELEC activities in the IT field

* 45000 to 49999 cover domains of common CEN/CENELEC activities outside the IT field

* 50000 to 59999 cover CENELEC activities

* 60000 to 69999 refer to the CENELEC implemenation of IEC documents with or without changes.

of

50225:1996

(the

year

of

availability

the

EN

is

separated from

the

number by

a

colon)

The IEC and the ISO have allocated themselves blocks of publication numbers: from 1 to 59999 for the ISO and from 60000 to 79999 for the IEC.