Você está na página 1de 4

Universidade Federal de Pernambuco

CCEN - Departamento de Fı́sica


Segunda Chamada - Fı́sica Geral I (2007/1)
Data: 10/08/2007

Nome: Turma: CPF:


Justificar TODAS as respostas; NÃO é permitido o uso de calculadoras

Questão 1: A figura 1 mostra uma caixa, cheia de tâmaras secas, que possui uma massa tal, que a
força gravitacional, atuando sobre ela, tem módulo de 180 N. O coeficiente de atrito estático entre a caixa
contendo o acepipe e o piso é µe = 0, 420. Uma pessoa gulosa tenta surrupiar a caixa, puxando-a com
uma corda amarrada a ela.


a) (1,0) Se θ = 45◦ , qual é o módulo da força F que o larápio deve exercer sobre a corda para colocar
a caixa na iminência de movimento?
b) (1,0) Escreva uma expressão para o módulo F da força necessária para colocar a caixa na iminência
de movimento em função do ângulo θ.
c) (1,0) Determine o valor de θ para o qual F é um mı́nimo, Fmin .

Questão 2: Uma mola ideal, de constante elástica k, é comprimida de uma distância d e colocada
(sem ser presa) entre dois blocos idênticos, de massa m cada, que estão ligados por meio de um fio ideal.
Todo o sistema move-se com velocidade inicial v~0 = v0 ı̂ sobre uma superfı́cie horizontal sem atrito, como
mostra a figura 2. Considere que a mola e o fio têm massas desprezı́veis.
a) (1,0) Qual é a energia mecânica do sistema?
b) (1,5) Suponha que, em dado instante, o fio se parta. Determine as velocidades finais de cada bloco,
após a mola voltar a sua posição de equilı́brio (compressão nula).
c) (1,0) Determine a velocidade do centro de massa do sistema, na situação do item b).

v2
v0 v0 L
fio
x O
q m m
Tâmaras Secas
d
Produto da Turquia
v1
m
Figura 1: Figura 2: Figura 3:

Questão 3: Uma porta, feita de um material muito leve, tem massa M = 3, 0 kg, largura L = 1, 0
m e espessura desprezı́vel. Ela pode girar sem atrito sobre um eixo vertical que passa pelo ponto O,
conforme a figura, e encontra-se inicialmente em repouso. Uma bala de canhão, de massa m = 0, 50 kg, é
então disparada com velocidade v1 = 10, 0 m/s e colide perpendicularmente com a porta, a uma distância
d = 0, 80 m do eixo O. A bala atravessa a porta e emerge do outro lado com velocidade v2 = 5, 0 m/s. O
momento de inércia da porta em relação a um eixo que passa pelo seu centro de massa, paralelamente ao
eixo que passa pelo ponto O, é ICM = M L2 /12.
a) (0,5) Calcule o momento de inércia da porta em relação ao eixo que passa pelo ponto O.
b) (1,5) Calcule a velocidade angular adquirida pela porta após ser atingida pela bala. Despreze
qualquer perda de massa que a porta possa ter sofrido.
c) (1,5) Calcule a variação de energia mecânica devida à colisão da bala com a porta.
GABARITO DA PROVA
Solução da Questão 1
a) A 2a lei de Newton apli ada ao eixo y resulta em

N + F senθ − mg = 0 ,

que impli a no máximo atrito estáti o ser µe (mg − F senθ). Supondo força de atrito estáti o máxima
(iminên ia do movimento), então a 2a lei de Newton apli ada ao eixo x leva a

F cos θ − µe (mg − F senθ) = 0

e µe mg
F = .
cos θ + µe senθ
Para θ = 45◦ e µe = 0, 420, temos então
F = 75, 6 N .
b) A equação a ima para F pode ser olo ada, após substituir os valores da força gravita ional atuando
sobre a aixa e do oe iente de atrito estáti o, na seguinte forma:
75, 6
F = ,
cos θ + 0, 420senθ
om F dado em Newtons.
) Podemos minimizar a expressão a ima para F utilizando a ondição
dF µe mg(senθ) − µe cos θ
= =0
dθ (cos θ + µe senθ)2

o que leva a
θ = tan−1 µe = 23◦ .

1
Solução da Questão 2
a)
1 1
EM = K + U = (m + m)v02 + kd 2
2 2
ou
1
EM = mv02 + kd 2 .
2
b) Da onservação de energia me âni a temos:
mv12 mv22 1 mv12 mv22
EM = + → mv02 + kd 2 = + . (1)
2 2 2 2 2
Da onservação de momento linear temos:

Pantes = Pdepois → 2mv0 = mv1 + mv2 → v2 = 2v0 − v1 . (2)

Substituindo (2) em (1), temos


r
1 m d 2k
mv02 + kd 2 = (v12 + 4v02 − 4v0 v1 + v12 ) → v1 = v0 ± . (3)
2 2 2 m
Desses dois valores, v1 deve ser o menor, já que a mola impulsiona v2 no sentido de v0 (v2 > v1 ). Temos
então r
d 2k
v1 = v0 − .
2 m
Substituindo v1 em (2), obtemos nalmente
r
d 2k
v2 = v0 + .
2 m
) r r !
mv1 + mv2 1 1 d 2k d 2k
vCM = = (v1 + v2 ) = v0 − + v0 +
2m 2 2 2 m 2 m
vCM = v0 .

2
Solução da Questão 3
a) Pelo Teorema dos Eixos Paralelos, temos IO = ICM + M R2 , onde a distân ia do CM ao eixo O é
R = L/2. Assim,
2
 2 2
ML L ML
IO = +M = .
12 2 3
Substituindo os dados numéri os do enun iado, obtemos

IO = 1, 0 kg m2 .

b) Durante a olisão, só atuam torques internos em relação ao ponto O. Portanto, o momento angular em
relação a este ponto se onserva:

Li = Lf
mv1 d = mv2 d + IO ω
m (v1 − v2 ) d
⇒ ω= .
IO
Substituindo os dados numéri os do enun iado, obtemos

ω = 2, 0 rad s−1 .

) A energia inéti a ini ial é Ki = mv12 /2, enquanto a energia inéti a nal é Kf = mv22 /2 + IO ω 2 /2.
Portanto,
m (v22 − v12 ) IO ω 2
∆EM = Kf − Ki = + .
2 2
Substituindo os dados numéri os do enun iado, obtemos
 
75 67
∆EM = − +2 J=− J = (−18, 75 + 2, 0) J
4 4

∆EM ≃ −17 J .