Você está na página 1de 22

GÊNESIS – A HISTÓRIA DESCOMPLICADA

Autoria atribuída a José Moreira da Silva


Introdução
Gênesis – A História Descomplicada é um conjunto de seis artigos
publicados pelo “Pastor Silas” em seu extinto blog Igreja Internacional
(www.igrejainternacional.wordpress.com) entre os dias 17 e 19 de Junho
de 2009, mas que foram deletados logo em seguida. Eu, por sorte, os havia
salvado antes de desaparecerem.

A autoria dos textos é atribuída a um tal José Moreira da Silva. Antes que
alguém me pergunte, não sei de quem se trata, só espero que não seja o
famoso poeta.

Gênesis – A História Descomplicada apresenta os primeiros capítulos da


Bíblia Sagrada de uma forma irônica, ácida e inteligente sob um linguajar
mais “atual”. Muitas pessoas gostaram e andaram perguntando em fóruns
e em comunidades do Orkut sobre onde encontrar e o motivo de ter sido
deletado. É por isso que eu os estou publicando, com os direitos
devidamente reservados ao “Pastor Silas”, já que não sei de quem
realmente é a autoria. Faço isso principalmente porque é uma “obra” que
merece ser lida. Pelo menos o primeiro capítulo...

Aproveitem.
G. P.
Gênesis – A História Descomplicada (Parte 1)

A história do Gênesis em linguagem moderna e resumida.

(José Moreira da Silva)


D e onde surgiu o pensamento para o mundo na cabeça de Deus? A grande
cabeça vazia não tinha nada dentro, pois ela não tinha nada para pensar e
de repente surgiu um pensamento e aí ela pensou, epa, eu penso. Se eu
penso, então logo devo existir. Mas espera aí, de onde surgiu esse pensamento?
Como é que de repente, eu passei toda a eternidade sem nada na cabeça, e sem
mais nem menos um pensamento surgiu? Depois que esse pensamento surgiu, a
grande cabeça vazia ficou vendo aparecer outros pensamentos por causa de uma
grande reação em cadeia. E do nada, sem mais nem menos, a grande cabeça vazia
ficou cheia de pensamentos. Só que os pensamentos não eram sobre nada a não
ser a própria existência. A grande cabeça vazia pensava, “Por que penso? O que
sou? Por que de repente sei que existo? Qual a razão da minha existência?” Como
a grande cabeça vazia não tinha nada para fazer a não ser pensar e como não
existia nada para a grande cabeça vazia pensar a não ser o fato de que era
consciente que existia, de repente a grande cabeça vazia pensou, “Já sei, vou fazer
um espaço para eu me mover dentro e aí vou ter o que fazer.” Ao dizer isso, a
grande cabeça vazia começou a voar para lá e para cá, mas depois de fazer isso
por alguns milênios e só pensando na sua existência e nada mais, a grande cabeça
vazia falou, “ Estou cansando de voar para lá e para cá, vou fazer um corpo com
pés e braços para eu me tocar.” E assim aconteceu, pois bastava a grande cabeça
vazia pensar em algo que esse algo acontecia. A grande cabeça vazia, agora com
um corpo, tornou-se o corpo andarilho pelo nada afora. O grande espaço. E
passou mais uma eternidade. E aí a Deus que só pensava em andar para lá e para
cá pensou, “Estou cansando de andar, vou fazer um corpo melhor, já sei vou
fazer algo que me dê prazer para passar a eternidade” e assim Deus fez um pênis
e passou a masturbar-se o tempo todo já que não pensou em fazer uma mulher.
Depois de muito andar, pensar sobre o fato de existir, pensar sobre o surgimento
do pensamento do nada absoluto, e de se masturbar, a grande cabeça vazia, agora
com um corpo e um pênis, pensou, “Estou solitário. Preciso de alguém para
contar às coisas que faço. Apesar de não ser nada. Só fico questionando o fato de
existir, de ter pensamentos e não faço mais nada a não ser andar e me masturbar,
mas preciso de alguém para contar isso”.E assim Deus fez a Segunda Pessoa da
Trindade e ficou lhe falando sobre sua vida vazia. Em que ele nada tinha a fazer a
não ser andar para lá e para cá no espaço e a se masturbar. Ele sabia todo o
tamanho do espaço, pois existia uma parte sua, O Espírito Santo, que estava em
todo lugar e bastava ele querer saber o que estava acontecendo que a informação
aparecia na sua cabeça graças a sua ligação com todo ele através do Espírito
Santo, que inclusive lhe mostrava tudo que a Segunda Pessoa pensava, pois ele
penetrava tudo, até mesmo os pensamentos de todos. Mas se Deus não quisesse
saber, a informação não vinha.
Depois de mais uma eternidade a Segunda Pessoa lhe disse, “Tive uma idéia, faça
pessoas a sua imagem e semelhança.” E assim, a grande cabeça vazia fez um
monte de anjos e um céu. De onde surgiu o plano para fazer os anjos? De lugar
algum, a idéia simplesmente apareceu do nada. De onde surgiu à idéia de criar
um céu para onde os anjos morarem já que ficar andando para lá e para cá no
vazio enche o saco de qualquer um? Do nada. De onde surgiu à idéia de fazer a
Segunda Pessoa? Do tédio. Do nada. Do tédio da existência.
Depois de fazer os anjos, com o passar da eternidade, Deus já estava com o saco
cheio dos mesmos. O papo dos anjos era um tédio só. Ó grande Deus, O Senhor
é demais. O Senhor é Dez. O Senhor é o maior. Ele tinha feito os anjos só para
lhe puxarem o saco o dia inteiro, mas seu saco já não agüentava mais puxões.
Afinal, haja saco para agüentar puxa-sacos o tempo todo sem um pingo de
originalidade. Aí, Deus teve uma idéia. De repente, do nada, ele teve uma idéia.
Mas ele já estava acostumado a ter idéias do nada mesmo. O primeiro
pensamento veio do nada e o resto também. Ele já tinha se acostumado que
todos os seus pensamentos vinham do nada mesmo.
“Vou pegar um desses anjos e lhe dar livre arbítrio. Ele poderá me puxar o saco
ou não, ele poderá fazer o bem ou o mal conscientemente, se ele quiser. Minha
Segunda Pessoa também é um chato de galochas. Ele também não tem liberdade,
ele faz tudo que eu quero sem pestanejar. Ele é um robô igual aos outros anjos.
Vou dar liberdade de escolhas a um anjo e se ele quiser pode me mandar para a
puta que pariu, que tudo bem. Estou com o saco cheio de puxa-sacos
programados”. E assim, ele chamou Lúcifer, um dos eternos, e lhe disse,
“Abracadabra, vatapá, livre arbítrio você terá”.E pronto, a partir daquele dia,
Lúcifer passou a pensar exatamente como Deus. Ou seja, seus pensamentos
vinham do nada, sem mais nem menos, mas com a diferença que ele não podia
fazer as coisas surgirem do nada como a Ex Grande Cabeça Vazia podia. Lúcifer
podia pensar o que bem entendesse e podia fazer o bem e o mal
conscientemente, ele não era como os outros anjos. Mas o que Deus não calculou
é que Lúcifer tinha o poder de passar sua liberdade para outros e logo, havia um
monte de anjos andando para lá e para cá cheios de moralismos. Por essa Deus
não esperava. Essa possibilidade existia quando ele fez Lúcifer, mas tanto
pensamento besta passa pela cabeça de Deus que ele não deu a devida
importância.
Com a eternidade afora, Lúcifer ficou com inveja da capacidade de Deus de fazer
as coisas surgirem do nada e ele foi até Deus e disse, “Grande Senhor, não é justo
que só o Senhor possa pensar e fazer as coisas surgirem do nada, eu também
gostaria desse poder.” E Deus lhe disse, “De jeito nenhum, se eu lhe der esse
poder, você pode me prender em algum lugar ou fazer algo ruim comigo, e nossa
luta será eterna já que teremos poderes iguais e somos ambos indestrutíveis, mas
tenho uma solução, vou fazer um lugar para você chamado inferno e lá você terá
o poder de fazer o que quiser, que tal? Gostou? Mas se eu for lá, você não terá
poder para fazer nada contra mim, combinado?” “Bem, é melhor isso que essa
mesmice” pensou Lúcifer. E assim, um outro reino foi criado. E todos que
queriam os mesmos direito de Lúcifer o acompanharam. Deus acabou perdendo
um terço de seus puxa-sacos, mas tudo bem, Deus aceitou numa boa. Quando ele
ficava cansado dos puxa-sacos programados, ele ia ao inferno e tinha um papo
cabeça com Lúcifer e os livres.
Mas depois de algum tempo, Deus ficou cansando dos anjos e do céu e do
inferno e resolveu criar outros seres e daí ele fez a terra e Adão. Como Adão era a
sua imagem e semelhança, ele também tinha um pênis, e ficava o dia inteiro se
masturbando e depois passou a pegar todos os animais da selva e trepar com eles.
E Deus se divertia muito olhando suas peripécias. Mas Adão não achou nenhum
dos animais satisfatório. E depois que pensou por algum tempo, Adão falou,
“Deus faça uma mulher para mim, uma companheira”. E Deus falou, “O que é
isso? Mulher?” E Adão falou, “Quando você fez os animais, você fez casais, cada
animal tinha uma companheira, mas comigo você me fez só, eu também quero
uma companheira segundo minha espécie para que eu possa trepar com ela,
estou cansando de me masturbar.”
Deus não via motivo para isso, já que nunca cansava de masturbar-se, mas
resolveu atender ao pedido de Adão. Para ele fazer algo para Adão, Ele precisava
tirar um pedaço do mesmo, pois assim seriam da mesma substância e estariam
ligados um ao outro. Como esse pensamento surgiu na cabeça de Deus? Ele não
sabia, mas como tudo lhe vinha de veneta, do nada, ele ficou pensando, “O que
vou tirar de Adão? Já, sei, seu pênis, já que ele terá alguém, não vai mais precisar
dele, pera aí, mas não é justo, nas horas vagas ele pode querer usá-lo. Já sei, vou
fazer a fêmea igual aos outros animais, vou fazer uma vagina nela para que Adão
possa se divertir”.E assim Deus pegou uma costela de Adão e fez uma mulher.
E os dois passavam o dia a brincar no mato e a trepar para todo lado e tiveram
muitos filhos. E começaram a encher a selva de filhotes para todo lado. Deus se
divertia muito com eles. Eles povoaram toda a terra e só pensavam em brincar e
em se divertir e em trepar. E Deus se divertia muito. Eles machucavam um ao
outro, mas logo, voltavam a brincar, pois não tinham o conceito do bem e do
mal e não sentiam dor. Para eles tudo era bom. Eles não sentiam vergonha de
nada. Trepavam por toda parte e se reproduziam como coelhos, mas como havia
muita fartura não tinha problema algum. Eles não sentiam dor e podiam comer
dos frutos da árvore da vida a hora que bem quisessem e assim não morriam
jamais.
Eles eram os seres mais felizes e alegres de toda a criação e isso gerou inveja
naquele que tinha seu próprio reino: Lúcifer. Ele pensou em criar um homem
para si, mas não conseguiu e isso o deixou frustrado e então, ele pensou. “Vou
acabar com a brincadeira dos homens e de Deus.”
Aí, ele foi até a terra e pensou, “Como vou acabar com a brincadeira?” e a idéia
lhe surgiu. Deus havia proibido os homens de comerem do fruto da árvore do
conhecimento do bem e do mal, pois Ele sabia que ao fazerem isso se tornariam
moralistas e passariam a julgar todo mundo. E passariam a ver defeito em tudo.
A ser uns pentelhos iguais aos habitantes do inferno. Deus criou os anjos para
serem puxa-sacos, criou o inferno para os livres, ou aqueles que podiam decidir
entre o bem e o mal, e criou a terra para que se entregassem aos prazeres e
vivessem felizes brincando o tempo todo. Ele não queria que comessem da
árvore, pois se um casal comesse, todos os outros ganhariam moralidade ou
senso moral e isso seria um saco. Deus não queria seres morais, ele queria tomar
todas as decisões e queria que os homens simplesmente se reproduzissem como
coelhos e brincassem a vontade, ele gostava de olhar o espetáculo. Isso lhe dava
tanto prazer quanto se masturbar. Um adendo, não foi Deus que havia plantado
essa árvore, foi na verdade Lúcifer que havia proposto isso e a havia criado. Ele
tinha provocado Deus dizendo que se Deus plantasse essa árvore, os homens
acabariam por desobedece-lo. Deus podia saber se isso era verdade ou não, mas
lembrem-se, Deus só sabe algo quando quer saber. E muitas vezes, como Deus
gosta de surpresas, ele prefere não consultar o Espírito Santo, que é o espírito
que penetra tudo e todos e permite que todos sintam um ao outro e vejam um ao
outro e compartilhem o mesmo mundo e dessa forma, todo conhecimento de
Deus vem Dele.
A Segunda Pessoa sabia que Deus não deveria deixar que Lúcifer plantasse essa
árvore, pois a árvore traria a morte aos homens se os mesmos adquirissem o
senso moral. Pois parte da aposta de Lúcifer era que se os homens comessem dá
árvore, eles passariam a sentir dor e a morrer e se isso acontecesse, eles
amaldiçoariam Deus. Deus disse a Lúcifer que os homens nunca o
amaldiçoariam e se recusou a ouvir a Segunda Pessoa e não quis consultar o
Espírito Santo. Ele deixou que Lúcifer plantasse sua árvore e proibiu a Adão e
Eva, o primeiro casal, de comer da mesma e a ordem se estendeu a toda sua
prole, pois Adão e Eva foram os primeiros de milhões que já se espalhavam pela
terra que era toda tropical e bonita de ponta a ponta, sem terremotos,
maremotos e onde os animais comiam uns aos outros, mas não tinha problema,
pois eles não sentiam dor e não tinham consciência que morriam e os homens
tinham vida eterna por causa das árvores da vida que existiam em todo o planeta
terra e sempre havia fartura de tudo, pois só nascia a quantidade de pessoas
suficientes para consumir o necessário apenas, assim sempre havia equilíbrio
ecológico.. Tudo começou com o planeta terra, mas como Deus não tinha o que
fazer, ele foi tornando o universo cada vez maior até torná-lo infinito.
Lúcifer viu que Deus estava ganhando a parada, pois os homens realmente não
desobedeceram a sua ordem. Eles faziam todo tipo de barbaridade, arrancavam
pernas de aranhas e outras traquinagens, pois elas não sofriam e quando
morriam não sabiam e nem sentiam nada, e só viviam trepando e reproduzindo
e comendo a vontade de tudo que encontravam. E ninguém criticava ninguém,
pois não existia moralidade. Ninguém sentia vergonha alguma, ninguém achava
ninguém feio ou bonito, casais não existiam, todo mundo era de todo mundo.
Quando alguém sentia vontade de trepar com alguém, simplesmente trepava.
Homem com homem, mulher com mulher, homem com animais, mulheres com
animais, não existia censura. Tudo era permitido, pois não havia moralidade,
não havia o sentido do bem e do mal e, portanto ninguém achava nada errado.
Como Lúcifer viu que ninguém iria desobedecer à ordem de Deus, ele ficou
observando todos os homens para ver qual seria o mais fácil de ludibriar. E
pensou, “ O homem é mais difícil, vou achar uma mulher, porque ela faz a
cabeça do homem e se eu conseguir que um casal coma, toda a humanidade vai
adquirir o senso moral e começar a criticar um ao outro e com o senso moral, a
brincadeira de Deus vai acabar.” E Lúcifer queria fazer tudo isso porque não
conseguiu fazer um brinquedo tão divertido quanto o homem, que Deus
simplesmente adorava contemplar. Só por inveja!
E daí, ele se aproximou de Eva e lhe convenceu a comer do fruto da árvore do
bem e do mal e depois ela convenceu Adão a fazer o mesmo, e a partir daí, já
começou a pentelhar Adão sobre o tamanho do seu pênis, que era menor que o
de outros homens, o que irritou muito Adão, quase a ponto de fazer-lhe quebrar-
lhe a cabeça, e Adão começou a falar que ela tinha o peito pequeno em
comparação a outras mulheres da região, o que irritou Eva, e os dois acabaram
sentindo uma certa vergonha um do outro e começaram a tentar tapar suas
partes intimas, pois o outro via defeitos nas mesmas. E por todo o mundo, os
casais começaram a criticar uns aos outros. E Lúcifer se divertia a valer com todo
o espetáculo.
E os casais começaram a querer exclusividade, pois passaram a achar que eram
donos uns dos outros e começaram a brigar por causa das fêmeas e a desordem
foi aumentando por toda a terra. Grupos começaram a se formar por causa de
características semelhantes e a excluir outros. Raças começaram a se julgar
superiores umas as outras. Todo mundo começou a julgar todo mundo e um
começou a querer ser melhor que o outro. Tanto estardalhaço e Deus não sabia
de nada, pois não estava observando essa parte do universo, somente o Espírito
Santo sabe de tudo o tempo todo, Deus sentiu uma inquietação no Espírito Santo
e finalmente olhou para a terra e ficou estupefato. Ele foi imediatamente ao
paraíso e brigou com Adão e Eva, mas ao mesmo tempo sentiu pena dos
mesmos, pois Lúcifer havia estragado tudo, e Ele bem poderia saber disso se ao
menos tivesse querido saber e tivesse consultado o Espírito Santo.
Agora todos sentiriam dor, a mulher multiplicaria suas dores do parto, e os
animais sofreriam antes de morrer, apesar de não saber que morreriam, o que já
era uma benção. Agora a terra teria problemas como vulcões e algumas de suas
partes seriam estéreis e desertas, e o local onde a desobediência ocorreu, o
Oriente Médio, seria para sempre amaldiçoado. Seu solo seria ruim e daria muito
trabalho para plantar tudo por lá. E muitos outros problemas ocorreriam. Ainda
bem que essas maldiçoes não se estenderiam por toda a terra, por isso Deus
resolveu dar especial atenção ao povo que havia participado diretamente da
desobediência, o povo hebreu. Os outros povos, não sabiam o que havia ocorrido
diretamente e somente haviam desenvolvido o senso moral e haviam se tornado
mortais. Mas a maior parte da maldição recairia sobre o Oriente Médio.
Gênesis – A História Descomplicada (Parte 2)

A história do Gênesis em linguagem moderna e resumida.

(José Moreira da Silva)


dão e Eva passaram a viver sua vida no solo amaldiçoado desértico.

A Tinham que trabalhar duro para comer, pois estavam na pior região já que
tinham causado a queda do homem com o desenvolvimento da
moralidade. Havia outras regiões da terra onde a vida era muito mais mansa e
tranqüila, nas Américas, por exemplo, mas ali, onde Eva comera a fruta, a vida
era mais dura, cheia de problemas e perigos. Eva havia tido muitos filhos e filhas,
mas todos estavam pelo mundo, aos milhões, todos nasceram antes do castigo.
Depois da maldição ela teve Caim e depois Abel. Abel tornou-se pastor e Caim
agricultor. Deus continuava a visitá-los regularmente. Os únicos que tinham um
contato pessoal com Deus, pois Ele tinha
pena deles, Lúcifer, que agora era Satanás, o inimigo, tinha realmente estragado
todo seu plano com sua maldita árvore. Mas quando Deus dava permissão a algo,
não havia o que fazer, Deus nunca podia voltar atrás. A força da sua palavra
fazia-se cumprir.
Sua maravilhosa terra estava amaldiçoada. Ele teve um quê de culpa, pois não
consultou o Espírito Santo antes de dar sua permissão, mas o que estava feito
estava feito.
Existia um altar onde Adão e Eva e os dois filhos sempre faziam suas ofertas e
um dia Caim lhe ofereceu o melhor da agricultura e Abel lhe ofereceu o melhor
entre as ovelhas. Deus aprovou a oferta de Abel e não aprovou a de Caim porque
uma das regras impostas na maldição de Satanás era que quanto maior a
capacidade de sofrimento tivesse a oferta, melhor ela seria sendo assim, animais
eram superiores a vegetais.
Caim não gostou nada disso e pensou e pensou a respeito. Satanás apareceu para
ele quando ele estava arando o campo e começou a conversar, “Você sabe porque
sua oferta não foi tão bem recebida?” Caim olhou para ele e disse, “Sei muito
bem quem você é. Você é o Acusador. Você está aqui para me vigiar e procurar
falhas em mim para poder me denunciar a Deus.”
“Nada disso,” disse Satanás. “Toda essa maldição que caiu sobre o ser humano
foi porque Deus não quis prestar atenção nas conseqüências de seus atos. Ele
sabia o que comer da árvore poderia causar e mesmo assim me deixou plantá-la.
Se você quiser culpar alguém, culpe-o.”
Caim pensou e pensou e viu que Satanás tinha razão. No frigir dos ovos, Deus
falhou ao não consultar o Espírito Santo e por causa do seu desejo por surpresas,
deixou que todo o mal se espalhasse sobre a terra.
“Satanás, o que você acha que devo fazer para agradá-lo? Sei que você é o
inimigo, mas parece que você tem a capacidade de ludibriar o Todo-Poderoso.
Você pode ter trazido o mal, mas isso tenho que admitir.”
Satanás disse, “ É simples, a regra foi clara no meu trato com Deus. Quanto
maior o grau de consciência do sofrimento, maior é a oferta. O que você acha
que mais sofre se for morto?” “Um ser humano, é claro.” Disse Caim.
“Exatamente.” Disse Satanás e saiu andando para longe assoviando, deu um pulo
e desapareceu. Caim pensou, “Que ser humano sofreria mais? Deixe-me ver,
seria melhor que vários seres humanos
sofressem e não somente um. Quem causaria mais sofrimento? Já sei, meu
irmão! Eu sofreria, pois ele é legal. Meus pais sofreriam e ele sofreria mais ainda.
Essa oferta é irrecusável”.
Então ele foi até seu irmão e o chamou para ir ao campo, onde tinha deixado
uma queixada de jumento. Quando seu irmão chegou perto da queixada, Caim
abaixou-se, a pegou e acertou seu irmão no rosto com ela.
Abel disse, “Por quê?” “Porque é à vontade do Senhor.” E continuou a lhe bater
com a queixada até que seu rosto tornou-se uma
pasta sanguinolenta. Depois de ter feito isso, ele colocou o corpo do irmão nos
ombros e o levou até o altar e disse, “Jeová, essa oferta não poderás recusar.
Ninguém sofreu mais que ele e até mesmo eu sofri ao realizar o ato e meus pais
vão sofrer também.”
Deus ficou muito triste, mas teve que aceitar a oferta. Caim tinha razão, mas
Caim foi o primeiro homem a cometer um assassinato e isso teria repercussões
em toda a terra. A partir daquele momento, o homem seria predador do próprio
homem e a maldição inevitável de Satanás se cumpria mais uma vez. Deus
colocou uma marca em Caim para que ninguém o matasse, pois ele fez o que
deveria ser feito segundo a maldição de Satanás e foi na verdade mais uma vitima
das suas maquinações.
E depois Caim foi para a terra de Node e casou-se e viveu o resto de seus dias. E
teve muitos filhos e filhas e todos ser tornaram predadores de homens e o são até
hoje conforme o plano de Satanás. Se alguém matasse Caim, o homem não teria
predadores e como a maldição incluía que o homem fosse o predador do próprio
homem, havia que se cumprisse. Todos os assassinos e todos os pensamentos
assassinos que passam pela cabeça do homem vem diretamente da marca de
Caim, que é a inclinação para ser predador do próximo. Como Caim teve uma
grande prole que se misturou com a prole dos descendentes de Adão, a marca de
Caim não é mais visível, mas bem presente em todos os homens que procuram
ser predadores do próximo de uma forma ou de outra.
Gênesis – A História Descomplicada (Parte 3)

A história do Gênesis em linguagem moderna e resumida.

(José Moreira da Silva)


T udo estava ocorrendo conforme o plano de Satanás. Ele estava muito
satisfeito. Mas mais coisas ainda estavam por vir.
Satanás foi até a terra e se disfarçou de homem comum e chegou até a
casa de uma mulher que morava no topo de um morro. Ele foi muito gentil e
sedutor com ela. Trouxe-lhe presentes cada vez melhores e finalmente a seduziu
por completo e deitou-se com ela. E assim nasceu o primeiro Nefilin. Um Nefilin
é filho de uma mulher com um anjo ou Filho de Deus, Filho de Deus é a
designação para alguém que foi criado diretamente por Deus como a Segunda
Pessoa, os anjos e Adão.

E seguindo o exemplo de Satanás, os outros anjos do inferno desceram até a terra


e assim começou o bacanal. As mulheres eram vitimas fáceis, pois os anjos
sempre se tornavam homens formosos e sempre lhes seduziam com presentes e
mais presentes.
Os nefilins eram ainda mais violentos e amaldiçoados que os descendentes de
Caim. Uns eram gigantes não só em estatura como também em inteligência, mas
seu extremo egocentrismo os fazia querer dominar o próximo sem o menor
caráter.
Um desses Nefilins casou-se com uma descendente de Caim e o resultando foi
um brutamontes inteligente e implacável.
Um dia esse brutamontes foi até o riacho e viu a mulher de Nóe lavando-se e
imediatamente ele foi acometido de uma onda enorme de desejo. Ele a queria de
qualquer jeito, mas sabia que ela era casada, mas o que lhe interessava era possuí-
la. Ele chegou-se até ela e disse, “Você tem duas opções, ou vai comigo até o
mato e me dá, ou então, eu a estupro aqui mesmo no riacho e depois terei que
matar seu marido e seus filhos.”
A mulher de Noé era honesta, mas também bondosa e não queria provocar todo
o sofrimento da família por causa de um ato sexual. Ela pensou, “É melhor eu
atender esse brutamontes e poupar minha família do que trazer a desgraça para
toda ela”.E foi com ele até o mato e o deixou possuí-la do jeito que quisesse.
Dessa traição com boas intenções nasceu Cão. Um dos filhos de Noé e assim
Satanás garantiu que a maldição de Caim continuasse.
Deus resolveu destruir todos os Nefilins da terra, pois ele sabia que os mesmos se
multiplicariam como coelhos por toda ela e a corromperiam por completo. Os
Nefilins e os descendentes de Caim já cobriam a terra de uma ponta a outra.
Deus nesse momento arrependeu-se de ter feito o homem, pois só via maldades
por toda parte. Não havia um local na terra onde a bondade imperasse. Foi aí
que ele se aproximou de Noé e lhe pediu para construir a arca e lhe deu toda a
tecnologia para fazê-lo.
Ninguém jamais havia construído tal tipo de embarcação, mas Deus
imediatamente colocou toda a idéia de como fazê-lo na cabeça de Noé e de seus
filhos. E ao chegar na floresta, relâmpagos derrubaram as árvores e anjos
desceram e ajudaram a construíram a arca. Depois disso, animais desapareceram
da terra e apareceram na arca. Todos do tamanho de um dedo de um homem
pois dessa forma caberiam na arca, e assim todos os animais da terra foram
preservados segundo sua espécie. Havia até todo tipo de peixe, pois peixes de
água doce não podiam se misturar com peixes de água salgada, pois nenhum
podia sobreviver no elemento do outro e todas as águas da terra iriam se
misturar e baleias também não poderiam sobreviver há muita chuva e, portanto
estavam nos seus aquários.
Os dinossauros não estavam presentes, pois os homens já os haviam levado a
extinção logo quando a terra havia sido amaldiçoada. Como eram enormes,
servia de comida para muito tempo e assim os homens tinham a predileção por
matá-los e acabaram fazendo isso de forma irresponsável. Mas o resto dos
animais da terra estava todo lá.
Mas Satanás não foi nem um pouco idiota. Cão, o filho adotivo de Noé, além de
ser filho de Nefilin com descendente de Caim, foi infestado com todo tipo de
vírus conhecido e assim a humanidade acabou não sendo poupada da praga de
Satanás.
Como Deus só sabe o que quer saber, tudo isso lhe passou despercebido e assim,
mais uma vez, Satanás mostrou o seu poder.
Gênesis – A História Descomplicada (Parte 4)

A história do Gênesis em linguagem moderna e resumida.

(José Moreira da Silva)


tempestade caiu sobre a terra como jamais houve uma. Montanhas só não

A foram totalmente destruídas porque Deus as fez resistir à tempestade por


poder divino, senão não haveria uma na terra. Logo depois que a chuva
acabou, Deus fez árvores nascerem imediatamente cada uma onde estivera antes
e assim a terra se recuperou em um dia apenas. Os animais desapareceram e
apareceram nas suas respectivas regiões, mas como tinham se reproduzido na
arca, Noé fez um altar para Deus e fez um churrasco de proporções gigantescas e
ofereceu a carne como holocausto a Deus e Deus sentiu o cheiro do churrasco e
gostou tanto que disse, “É, o homem não presta mesmo, e Satanás não vai jamais
deixá-los em paz com sua maldição. Prometo que nunca mais vou fazer o que fiz
hoje. A terra jamais será destruída pela água., mas pelo menos os Nefilins e filhos
de Caim se foram.”
Ao dizer isso, Deus sentiu um mau pressentimento e prestou atenção à
mensagem do Espírito Santo e depois olhou para Cão, o filho de Noé e entendeu
tudo. Mas Ele não podia fazer nada, pois o trato com Satanás ainda estava de pé.
Ele abaixou os ombros e deixou a cena. Depois de algum tempo, Noé encheu a
cara de vinho e caiu bêbado no chão. Cão o viu deitado e estava também meio
embriagado, mas não tanto quanto seu pai. Como dizem que ânus de bêbado não
tem dono, Cão sentou a vara no pai.
Quando os irmãos ficaram sabendo, ficaram horrorizados. Esse tipo de coisa
acontecia antes do dilúvio, mas agora, depois da maldição, como um filho podia
se aproveitar do pai daquele jeito?
Contaram a Noé o que havia ocorrido, mas na verdade nem precisava, sua bunda
estava doendo pacas. Mas quando ele ficou sabendo ele pensou em mandar
matar seu filho, mas o Espírito Santo de Deus se fez sentir nele lhe alertando que
o trato com Satanás ainda estava de pé e que, portanto Cão tinha que ficar vivo e
ter muitos descendentes para espalhar a marca de Caim e que quem o punisse,
seria punido muito mais duramente que quem tivesse matado Caim, e assim Noé
não teve opção à não ser amaldiçoar seus descendentes a escravidão através de
seu filho Canaã já que Cão não poderia ser punido diretamente.
E assim Noé viveu tranqüilamente até sua morte, Cão foi banido com sua mulher
e filhos e foram habitar em uma terra onde no futuro se tornariam escravos de
seus irmãos.
Só houve uma coisa que acabou um pouco com a tranqüilidade de Noé, mas no
final foi até bom. Sua mulher, quando ambos estavam muito velhos, lhe contou a
verdade, que Cão não era seu filho e que na verdade era filho de um degenerado.
No final, Noé a perdoou pelo que fizera e ficou até mesmo mais feliz ao saber que
não foi seu filho legitimo que o tinha tratado daquela maneira. Mas o fato é que a
expressão, “Ânus de bêbado não tem dono” está conosco até hoje”.
Gênesis – A História Descomplicada (Parte 5)

A história do Gênesis em linguagem moderna e resumida.

(José Moreira da Silva)


brão saiu da casa dos pais junto com Ló, seu primo, e começaram a se

A dirigir para terras novas porque Deus lhe havia ordenado que assim
procedesse, pois sua obediência lhe garantiria uma descendência
numerosa. Para os hebreus riquezas eram medidas em termos de filhos além de
bens materiais. E quanto maior a descendência de alguém, maior o prestigio e
por isso Abrão aceitou na hora a proposta de Deus.
Quando Abrão passou pelo Egito, um moço distinto, que não era nenhum outro
senão Satanás chegou até ele e disse, “ Tua mulher é gostosa pacas, se você usar a
cabeça, vai conseguir arrancar muitos bens do faraó e ainda por cima vai sair
com ela.” Abrão disse, “Estou ouvindo, continue…”
Quando chegaram no Egito, Abrão disse a Sarai, sua mulher, “Quando
chegarmos no Egito, não diga a ninguém que você é minha mulher, fala para
todo mundo que você é minha irmã.” Sarai não entendeu, mas como boa mulher
que era, obedeceu prontamente.
Quando chegaram no Egito, ela foi cortejada por todos, e foi parar na casa do
Faraó que em pagamento a Abrão por tão formosa mulher, lhe cobriu de bens.
Todo tipo de iguaria. Já que era comum vender e comprar mulheres naquela
época.
E o faraó descobriu como Sarai era boa de cama e cada vez que os dois trepavam,
ele enchia Abrão de presentes.
Deus não gostou nada do que Abrão fizera, mas como ele tinha prometido a
Abrão que sua descendência seria numerosa, ele não podia puni-lo pessoalmente
e por isso passou a lançar todo tipo de desgraça em cima do faraó.
O faraó não sabia porque tanta desgraça estava acontecendo consigo e mandou
seus magos consultar as estrelas, etc para saber o que deveria fazer para parar
com essas calamidades, os magos descobriram que o motivo era que o Deus de
Abrão estava furioso porque ele estava com sua mulher, que na verdade Sarai
não era irmã de Abrão e sim esposa.
O faraó ficou furioso e disse aos seus magos que deveriam decapitar Abrão pelo
que fizera, mas os magos lhe aconselharam a que ele deixasse Abrão partir com
tudo que tinha lhe dado, pois assim ele aplacaria a ira do Deus de Abrão.
O faraó mandou chamar Abrão e lhe xingou de tudo quanto era nome e o
mandou embora e disse, “Vai embora, enganador, leva tudo que lhe dei, até que
valeu a pena, pois tua mulher é boa de cama pacas. Mas nenhuma trepada vale o
tanto de desgraças que teu Deus está lançando sobre mim. Suma da minha
frente!.”
E assim Abrão foi embora do Egito bem mais rico que chegara, pois havia
manipulado Deus com a ajuda do capeta e tinha conseguido o que queria. E Sarai
teve o prazer de trepar com alguém diferente para variar.
Gênesis – A História Descomplicada (Parte 6)

A história do Gênesis em linguagem moderna e resumida.

(José Moreira da Silva)


M ais uma vez o anjo do Senhor apareceu dizendo que Abraão seria o pai
de uma nação numerosa. Abraão já estava muito velho, mas mesmo
assim mantinha a fé, apesar de ele achar que o anjo estava falando de
Ismael, seu filho com Agar.
O anjo lhe garantiu que na verdade estava falando de um filho que teria com
Sarai, que seria chamado Isaque. E por causa de Isaque, o anjo rebatizou Abrão
para Abraão e Sarai para Sara. E nesse momento do pacto, o anjo mandou
Abraão circuncidar não somente a si próprio como também a todos na sua casa,
tanto filhos quanto servos e que daí em diante todas as crianças deviam ser
circuncidadas com oito dias de idade.
Dessa forma Deus marcaria seu povo e assim seria reconhecido. Diante de tanta
masturbação de Deus desde o princípio, não seria a toa que ele arranjaria uma
marca que envolvesse o pênis. Mas vou te falar uma coisa, essa primeira
circuncisão não foi fácil. Como Abraão não era besta, ele mandou circuncidar os
escravos primeiros e depois que pegaram prática, aí ele mandou circuncidar sua
família e por último ele. O que tinha de neguinho correndo para lá e para cá
segurando o pinto naquele dia, eu vou te falar. E o pior, os primeiros é que se
lascaram, o primeiro o cara errou e quase cortou a metade do pinto do outro.
Pobre coitado! Mas fazer o que, né? Deus mandou, ta mandado.
Depois de algum tempo, mais uma vez o Senhor apareceu a Abraão dessa vez
com dois anjos e lhe disse que ele teria um filho. Sara, que já estava na
menopausa, deu uma risada na tenda porque já estava cansada dessa ladainha.
Promessas, promessas e mais promessas e nada de filho. Deus não era Todo-
Poderoso? Então porque estava demorando tanto para fazer um milagre tão
insignificante quanto o de tornar uma estéril fértil, isso era bem mais fácil que
fazer o universo. Com certeza! O Senhor não gostou da risada de Sara e
perguntou, não para ela, pois nem se importava em falar com uma mulher, mas
para Abraão, “Por que tua mulher está rindo?”
Sara ficou com medo e disse, “Eu não estou rindo, meu Senhor”.
E o Senhor prometeu novamente que Sara ficaria grávida, mas desta vez ele foi
especifico, e disse que ela ficaria grávida no ano vindouro.
Depois dessa conversa os dois homens se levantaram e começaram a se dirigir na
direção de Sodoma e Gomorra, e Abraão peguntou ao Senhor, “Aonde vão?”
E o Senhor respondeu, “Vou dar uma olhada de perto para ver se Sodoma e
Gomorra são realmente um antro de perdição. Porque você sabe que eu odeio
estupro e lá nessas cidades eles tentam estuprar todos que ali chegam. Tanto
homens quanto mulheres. Não tenho nada contra uma boa trepada, mas estupro
é totalmente errado. E lá eles estupram todos em bandos e não perdoam
ninguém. Se você tiver amor a seu rabo, nem passe pela cidade. Eu posso
simplesmente saber se é verdade ou não se consultar o Espírito Santo, mas você
sabe que gosto de me surpreender e por isso quis não saber de nada e olhar de
perto mesmo. Se eles realmente forem uma cambada de estupradores, vou
destruir a cidade com uma bomba nuclear divina.”
Abraão disse, “E se tiver 50 bons, o Senhor poupará a cidade?” O Senhor disse,
“Sim.” “E se tiver 45” “Sim” “E se tiver 30” “Sim. É o seguinte se tiver até 10 eu
não bombardeio as cidades”.E saiu, pois já estava com o saco cheio de
Abraão ao invés de perguntar-lhe logo qual o limite de pessoas honestas ele
aceitaria para salvar a cidade, ele ficava enrolando com esses 50, 45, 30 e assim
por diante. Haja saco!