Você está na página 1de 64

*

* * *
*

PRÓLOGO

O ciclo da humanidade termina em 2012. A obra da


Hierarquia Divina junto da atual Raça está em fase de
conclusão, e por tal razão, HOJE SAI AO MUNDO O
SEGREDO DA ARCA DE NOÉ, porque chegou o tempo em que
ela retorna, por efeito de recorrência de Atlântida, e
mais uma vez reaparece em todos os finais de ciclo por
concessão da misericórdia da Divina Mãe do Mundo. O
Testamento do Sétimo Anjo do Apocalipse revela a todo
o interessado sincero o seu mecanismo, bastante
simples, cuja essência repousa no CRISTO em seu
tríplice aspecto: Humano (o Mestre Jesus), Intimo (O
Cristo como principio do amor consciente na alma), e
Cósmico ( a força Crística Universal que já começou um
processo de redenção da humanidade e transformação
planetária, do qual é mister tomar parte
conscientemente). Esse Mistério de redenção humana,
hoje representado pela Arca de Noé, em verdade,
começou secretamente no pacto de amor lançado por
Jesus na Cruz, e partiu em direção ao mundo pela
corrente dos mártires, alcançando a América através do
grande Deus Branco e doutrinador, entre outras coisas,
do Calendário Maia–Asteca aos povos mais avançados
daquele continente. Recentemente, essa corrente
acrescentou dois elos importantes na pessoa dos
Mestres SAMAEL E RABOLU e do seu Movimento Gnóstico;
contudo, alguns anos antes, Judas retomaria essa
corrente neste mesmo continente sul-americano através
do seu Tratado “O Vôo da Serpente Emplumada”. Enfim,
como todo corrente que, procedendo de Deus,
indestrutível, sempre se fecha, esse Manuscrito
prepara o mundo para a última etapa desse plano divino
junto da Raça Ariana, portanto, decifrando o meio de
se operar com as chaves do Calendário Maia atuando no
processo cosmológico da Terra em par ao significado
oculto da Cruz e do RETORNO DE QUETZALCOATL. É
importante dizer que essas chaves nada têm a ver com
os equivocados conceitos que atualmente rodam nos
círculos esotéricos, abordando o Calendário Maia de
uma forma bastante superficial e até mesmo herética,
porque estes mesmos conceitos seguem apartados do
significado do Cristo, tal como se ensinou nos Centros
Gnósticos. O verdadeiro Calendário Maia, conforme
ensinaram os deuses aos povos americanos, coloca no
centro de sua temática o Deus KUKULCAN-QUETZALCOATL,
que é o nome do Cristo naquela teologia. A corrente de
amor que começou na cruz do Mestre hoje expõe seus
últimos elos na construção da Arca, tal como propõe o
Manuscrito, e que nada tem a ver com barcos de madeira
ou OVNIS, e sim, com UM SISTEMA OCULTO DE ENERGIA QUE
PRODUZA CONEXÃO COM O NÚCLEO DA HIERARQUIA PLANETÁRIA.
Entretanto, adiantamos desde já que, sem a plena
identificação da alma com o mistério de amor da cruz e
com o sentido mais profundo do Cristo vivo, inútil
resultará a participação neste projeto, já que, sem
amor, alma nenhuma poderá resgatar a si mesma. Porque
toda e qualquer energia do universo só se subordina a
um poder ainda maior: o poder do amor. Este é um
chamado a todos os que ainda são capazes de sentir e
professar este amor no coração, único meio onde o
Cristo Intimo pode nascer e se desenvolver, conduzindo
nossos passos na estrada certa que leva ao Pai, num
tempo onde a mentira reina praticamente absoluta.
Afinal, o Movimento Gnóstico era Cristão, e toda
teoria é morta se não for vivificada pelo espírito de
amor chamado Cristo. E se a mente que lê estas linhas
não se render ao símbolo do Deus morrendo na Cruz por
amor a nós, perguntamos: A QUE HAVERÁ DE SE RENDER?
Este é o primeiro passo a ser dado rumo à salvação.
Este é o primeiro lance importante na construção da
ARCA DE NOÉ: O AMOR INCONDICIONAL A DEUS E À SUA OBRA,
PERSONIFICADA PELO FILHO! Isso é o que o venerável
Judas nos ensina em seu precioso livro, que, como este
manuscrito, igualmente começou a circular pelo mundo a
partir da América do Sul, por razões a serem
esclarecidas adiante.
Aliado a este manuscrito, está o SELO SAGRADO DE
SAMAEL, ou Selo da finalização da grande obra de
SAMAEL, trazido ao Brasil por razões subjacentes ao
segredo aqui revelado. No final desta obra, trataremos
deste selo, até porque o manuscrito lhe abrirá
plenamente o mistério.

*
* * *
*

O TESTAMENTO DO SÉTIMO ANJO À HUMANIDADE


O RETORNO DA ARCA DE NOÉ

“E o anjo que eu vira, que estava em pé sobre o mar e


sobre a terra, levantou a sua mão para o céu: e jurou
por Aquele que vive pelos séculos dos séculos, que
criou o céu e tudo o que nele há, e a terra e tudo o
que há nela, e o mar e tudo o que nele há, jurou que o
tempo estava consumado. Mas nos dias da voz do SÉTIMO
ANJO, quando começasse a soar a trombeta, se cumpriria
o mistério de Deus, como ele o anunciou pelos profetas
seus servos”. (APOCALIPSE 10,5-7)

O tempo da consumação chegou, ele foi registrado


segundo o Calendário Maia: 21-12-2012. E o Senhor do
Tempo é precisamente o Sétimo Anjo, o Ceifador da
promessa de Deus, aquele que vem cumprir a obra no
final de todo ciclo. Por tal razão este Anjo
peregrinou pelas Américas, na época anterior aos
descobrimentos, e deixou o registro do seu retorno,
com data final consignada a quinta Raça-raiz. Todos os
povos pré-colombianos cultuaram-no como a um deus,
designando-o por várias denominações segundo seus
costumes. Não obstante, tratava-se de uma mesma
entidade, que profeticamente é reconhecida no
apocalipse como sendo o Sétimo Anjo. Ele, ORIFIEL, o
Sétimo Anjo, o Anjo de Saturno, o Senhor do Tempo e da
Morte traz em sua ampulheta a consumação do ciclo da
raça humana, e por isso prepara o retorno do Grande
Esperado, O FILHO DE DEUS. E já começou a dar o alerta
ao mundo. A personalidade oculta deste Anjo se revela
na obra de Judas, porque ali começou a soar os
primeiros e agudos toques de sua trombeta ao mundo.
Orifiel, o Sétimo Anjo, contudo, começou a fazer
soar mais fortemente a sétima trombeta desde 1993, na
abertura do último KATUN maia. Uma pequena explicação
sobre a contagem de tempo maia é necessária aqui. O
primeiro registro da civilização maia consta de 3113
AC, e a data final que os maias deixaram registrada
para a era do quinto Sol, como já vimos, é 21/12/2012.
Um período de aproximadamente 5.125 anos, ou 1.872.000
dias, que eles dividiram em 13 períodos de 144.000
dias (não por acaso o mesmo número que dos eleitos de
Deus, conforme Apocalipse 7), cada um chamado de
BAKTUN. Este Baktun, por sua vez, dividiram também em
unidades menores, o Katun, composto de 7.200 dias.
Assim sendo, o ciclo longo de 1.872.000 dias ou 13
Baktunes comportava 260 Katunes de 7.200 dias. Cada
Baktun de 144.000 dias comportava 20 Katunes de 7.200
dias (a unidade vigesimal desempenhava papel
importante na contagem do tempo, dentro do Calendário
Maia). Nessa cronologia, entramos desde 1993
(precisamente em 6/4/1993) no último Katun do ciclo do
Quinto Sol. E por ser o último Katun é que ele pontua
a transição das eras, ou seja, do ocaso do Quinto Sol
ao alvorecer do Sexto Sol. Este último Katun,
destacado por Judas na sua obra O VÔO DA SERPENTE
EMPLUMADA, desenvolve a energia de transição
planetária rumo à consciência do Sexto Sol, para o
qual os remanescentes desta era que termina já estão
se levantando, tocados por uma força invisível que
começou a se manifestar precisamente desde 1993,
acompanhada pelo som da sétima trombeta. Orifiel
determina que este Manuscrito seja divulgado, em
primeira instância, aos núcleos do ensinamento
gnóstico genuíno,os que seguiram a corrente apostólica
de Samael e Rabolu. Mas que este Manuscrito seja
recebido por todo aquele que, de um modo geral,
gnóstico ou não, capturou o significado do Cristo
vivo, o Sol comum de verdade que jaz em todas as
religiões e filosofias que passaram por este mundo.
Este é o sentido mais profundo e verdadeiro do que
virá com o Advento do Sexto Sol a iluminar a próxima
Raça-raiz. As almas da linhagem maia (os filhos do
Sexto Sol) que, além de comungarem deste desejo
ardente pelo Cristo vivo, na concepção mais profunda
do termo, desejarem renunciar a esta ordem corrompida
de mundo e valores, tal como exortam os evangelhos,
são estas que certamente já estão sendo tocadas pelo
som da Sétima Trombeta do Anjo da Morte, sentindo o
irresistível chamado à Reconstrução do Novo Mundo sob
a luz desse novo Sol que é o Cristo vivo, de quem
Orifiel dá testemunho em nossos últimos dias.
Ele, Orifiel (ou TZAFQUIEL, segundo a Cabala) é o
Ceifador da Promessa de Deus, e vem atuando
ocultamente desde 1993, na abertura do Katun final da
humanidade, no sentido de colher almas maduras para
aquele trabalho, e para tanto, apresenta o MODELO DA
ARCA DE NOÉ, que não é um barco ou qualquer outro
artefato, e sim, um SISTEMA DE ENERGIA CAPAZ DE
CONECTAR A ALMA MADURA COM ESTE PROJETO OCULTO DA
HIERARQUIA DIVINA PARA A RENOVAÇÃO PLANETÁRIA,
ESTABELECIDA NA QUARTA DIMENSÃO, E PARA A QUAL A
REUNIÃO DOS FILHOS DA PROMESSA (144.000) É
IMPRESCINDÍVEL. Orifiel vem fazendo os ajustes desta
reunião, rodando o mundo e se preparando para ceifar
as almas maduras, enquanto aguarda e submete à
inúmeras provas aquelas que ainda estão “verdes”, até
que o número seja completado. Segundo se estima, o
inicio da colheita será em breve para todo aquele que
estiver preparado, e este manuscrito vem para precede-
la, mas neste ponto cada um faz o seu próprio tempo de
colheita, de acordo com a intensidade do seu trabalho
interior de transformação, tal como foi ensinado no
Movimento Gnóstico. E Orifiel está aí, para avaliar o
grau de amadurecimento dos grãos na seara da
humanidade. O ensinamento gnóstico já teve tempo de
germinar e dar frutos, mas muitas almas têm saído a
atraiçoar a Grande Obra ao seguirem falsas ideologias
após a APARENTE saída daquela Instituição do mundo,
sem ao menos supor que tudo isso é um derradeiro teste
da Loja Branca verificando a fidelidade dos seus
discípulos ao longo do tempo na ausência da
Instituição a lhes amparar: nos seus caminhos
solitários é que se melhor avaliam seus passos e
evidencia-se a sua firmeza interior ou a sua
infidelidade (teste que só o tempo pode conceber). E
essa apostasia não deixa de ser um fruto exposto, um
mau fruto, também sujeito à ceifa! E conforme disse o
grande Anjo de Vênus (Apocalipse 10) O TEMPO ESTÁ
CONSUMADO! O Katun final é este tempo!
Descartai todo e qualquer estudo e abordagem
moderna e superficial que se fazem acerca do
Calendário Maia não considerando o Retorno do Cristo e
a catástrofe iminente, porque são equivocados e não
procedem da Hierarquia que concebeu o referido
Calendário, no ápice da civilização ameríndia,
justamente para marcar tais eventos.

O KATUN FINAL É A PRÓPRIA TROMBETA DO SÉTIMO ANJO.

Orifiel declara: O Movimento Gnóstico Cristão


Universal, à testa dos Mestres Samael e Rabolu,
encerrou o ciclo das ordens iniciáticas na Terra. Isto
quer dizer que não existem mais mestres publicamente
reconhecidos pela Loja Branca à frente de quaisquer
instituições. No mais, abundam os pseudo-gurus e
falsos cristos exercendo atividade mediúnica, jamais
fazendo contato com a Loja Branca cujo núcleo é o
Cristo vivo, mas com o submundo espiritual,
manifestando entidades do plano dos mortos ou, o que é
pior, demônios do abismo, que disfarçam as trevas em
luz e distanciam cada vez mais a humanidade da
Consciência-Cristo, induzindo-a à fornicação,
idolatria, materialismo e demais delitos que só fazem
acelerar o Juízo da Grande Lei sobre o mundo, cercado
pelas trevas da cegueira espiritual. Orifiel
atualmente é a única fresta de luz nessa espantosa
escuridão, e o que se disse anteriormente justifica o
motivo de ele mesmo ter endereçado esse Manuscrito
primeiramente aos núcleos gnósticos, na rabeira do seu
precioso livro.
Uma Ordem Esotérica autêntica é reconhecida por
dois pilares fundamentais. Primeiro, o de ter como
representante um mestre genuíno (hierarquia encarnada)
que possa fazer a ponte (Pontífice) entre a Terra e a
Fraternidade Branca (ELOHIM) nos mundos superiores,
aonde possa introduzir eventuais discípulos por meio
da Iniciação. E o segundo pilar advém do fato desse
mestre, designado para tal função, ter que fornecer um
ensinamento verdadeiro na instituição que estabeleceu
em Terra, através do qual angarie discípulos práticos,
os quais possa efetivamente ligar com o mundo
espiritual por meio da Iniciação. Mas o que temos
visto no mundo são instituições onde se praticam
variadas formas de mediunismo, nas quais legiões de
almas mortas e mesmo demônios concorrem, atraídas pela
egrégora mental das massas em estado de euforia
contagiante a produzir uma energia psíquica que lhes
serve de veículo de manifestação, para expor falsas
doutrinas que, no final das contas, sempre trazem o
mesmo objetivo, que é o de induzirem os vivos a
fornicar e criar vínculos kármicos com o mundo
material pelo robustecimento do Ego, o que vai contra
os requisitos fundamentais que Orifiel procura nas
almas que pretende colher, verificando o seu peso na
Balança da Lei Divina.
O Sétimo Anjo aconselha que os discípulos criem
seus grupos particulares em suas casas, evitando
aqueles templos de magia negra, e juntos estudem e
pratiquem A GRANDE CADEIA DO CRISTO VIVO PARA FORJAREM
A CONEXÃO COM A LEGÍTIMA HIERARQUIA QUE JÁ NÃO ESTÁ
NESTE MUNDO. O anuncio do Anjo prossegue, repetindo
as palavras eternas do Apocalipse: “Caiu, caiu a
grande Babilônia, e se converteu em habitação de
demônios, e em retiro de todo espírito imundo, e em
guarida de toda ave hedionda e abominável... Fugí
dela, povo meu, para não serdes participantes dos seus
delitos, e para não serdes compreendidos nas suas
pragas”. Que o rebanho de Cristo, aquele que
identifica sua luz nestas linhas e ouve sua voz nestas
palavras, se afaste das armadilhas das trevas e
pratique o ensinamento gnóstico, partilhando da
corrente aqui apregoada: PORQUE ESTAS FORMAS
RELIGIOSAS, ESSE MISTICISMO VAZIO SEM CRISTO, TÊM
ATRAÍDO A MUITOS, INCLUSIVE GNÓSTICOS, QUE JÁ ESTÃO
SENDO CONSIDERADOS TRAIDORES PERANTE A HIERARQUIA.
Quanto a isso, declara Orifiel: toda forma religiosa
apartada de Cristo ou apoiada num cristo falso é
abrigo de demônios. O Cristo vivo está na Lei da cruz,
que é AMOR-SACRIFÍCIO, fonte única de toda Luz. Fora
dele, mora a mentira. Declara também com todas as
letras que, neste mundo, TUDO JÁ SE ENCONTRA SOB O
CONTROLE DA MENTE DO ANTICRISTO: PORQUE A ALMA CÓSMICA
JÁ ESTÁ DE TRANSLADO PARA A OUTRA DIMENSÃO, ONDE
FUNDARÁ UMA NOVA CIVILIZAÇÃO, E PARA TANTO, TEM
PROCURADO A QUEM POSSA LEVAR CONSIGO!
O mundo faliu. O final da Quinta Raça-raiz já
houvera sido decretado pela Hierarquia oculta da Terra
muito antes dela experimentar hoje o amargo fruto de
seus acumulados crimes e transgressões à Lei. E não
será transição suave, como julgam muitos intérpretes
equivocados do Calendário Maia, mas será transição
cataclísmica, como fora nos tempos de Atlântida, e os
sinais da natureza estão aí para o demonstrar. Diante
disso, em que bases de areia repousam os atuais
sistemas e projetos humanos que ainda pretendem
estabelecer planos vinculados a um mundo ou Raça cujo
final já foi decretado por Deus e anunciado por seus
profetas? O único caminho real que existe hoje é a
fuga de Babilônia, que já está ruindo diante dos olhos
de todos. É preciso, então, proceder de modo a fazer
parte daquele sistema de energia-consciência coletiva
para escapar do dilúvio que se aproxima, cujas águas
de caos já começam a subir e tragar tudo ao abismo. O
MUNDO JÁ ESTÁ INVOLUINDO!
Os Ceifadores espirituais estão do outro lado da
“Cortina de vidro espelhado” (nos observam, mas não
podem ser por nós observados) que é o véu que cobre a
quarta dimensão, e para eles, passar de um lado para
outro é tão fácil como cruzar uma porta que se abre.
Desde o Katun final, este véu começou a ceder, e as
portas vêm se tornando cada vez mais acessíveis aos
que invocarem o Nome do Senhor, porque a luz do Senhor
cresce à medida que retorna ao mundo, tal como o Sol
despontando na aurora. E os que invocam o seu Nome com
consciência do que Ele significa, especialmente nos
tempos de hoje, serão gradualmente atraídos para sua
luz e incorporados à Sua Egrégora, que já começou a se
formar naquela dimensão além do véu de Isis, mais fino
que a seda e mais duro que o aço. E a sua Vinda produz
reação nas trevas, acelerando a onda de destruição no
mundo. Orifiel insiste em nos fazer recordar o teste
de fidelidade à que as almas estão sendo submetidas em
plena apostasia mundial, e abraçar a causa de Cristo
HOJE fará toda a diferença no AMANHÃ espiritual em Sua
Presença.
O Anjo de Saturno, Senhor do Tempo, viaja por
entre as curvas do tempo tão facilmente como quem pula
as ondas do mar numa praia. Ele pode auxiliar todo
discípulo sincero no trabalho de morte do Ego,
transformação psíquica e projeção astral consciente,
uma vez que o raio de Saturno opera em todas as formas
de morte/desligamento/transformação, seja material ou
espiritual. ELE ESTÁ AQUI E AGORA, ENTRE NÓS!
Buscai meditar mais em vosso Ser Interno, em vosso
Cristo Intimo, partícula do Cristo Cósmico que começa
retomar o mundo, que é Seu desde o inicio, como um
novo Sol a trazer a luz e a vida divinas. Meditai nas
formas de aproximação com vosso Ser Interno, e
investigai o raio no qual Ele opera e se move no
universo, e qual a identidade do Anjo que carrega a
vossa magistratura celestial, operário divino. Sim,
exorta Orifiel, aproximai-vos Dele, pois todo aquele
que morre para este mundo, nasce automaticamente para
o outro, já que cruzar as fronteiras do tempo rumo à
quarta dimensão (que começou a reabrir suas portas,
fechadas desde a queda de nossos ancestrais no pecado,
quando Jesus subiu à cruz) equivale a nascer de novo.
Este renascimento de certo irá descartar o nome
mundano, registros e números de documentos, títulos e
identidades deste mundo. Este renascimento apropria-se
de todos os atributos do Ser Interno de cada um, um
Anjo Eterno das mansões celestiais: porque tudo aquilo
que a personalidade cristalizou neste mundo, sob o
caráter da efemeridade, irá perecer com ele. Buscai o
pão nutritivo da meditação, e trabalhai em paralelo
com a eliminação dos defeitos, para que a alma vá
renascendo sob a força integrativa do espírito, e é
importante frisar aqui a necessidade dessa
reconciliação com o Deus Interno como sendo o fator
primordial de salvação da alma em um mundo onde, todos
os dias, perecem milhares de seres humanos vazios, já
sem alma, rodando ao abismo. O recolhimento, o
isolamento do mundo e das multidões, das histerias
coletivas; a prática, a oração, o jejum, a moderação
em tudo, o distanciamento dos prazeres da carne, gula,
luxúria e das diversas iscas da GRANDE RAMEIRA para
tragar almas ao abismo, sim, tudo isso são os atos que
demonstram o verdadeiro MAIA ESPIRITUAL sob prova e
teste nestes tempos em que todas aquelas coisas são
valorizadas na cultura popular: são estas coisas que
nos afastam mais e mais de Deus, e é só no
recolhimento da carne e do mundo, comungando esta obra
com os irmãos espirituais, que nos aproximaremos Dele.
Isso não é nenhuma novidade, mas, por incrível que
pareça, a despeito das milenares prevenções das
Escrituras, dos Mestres da Luz e dos Profetas da
Antiguidade, são ainda os ídolos da carne cultuados em
larga escala, movendo a GRANDE BALANÇA NA SENTENÇA QUE
HOJE DESCE AO MUNDO. E outro alerta, para todos
aqueles casais que praticam MAGIA SEXUAL sem garantir
que o Intimo esteja participando do processo, por
causa de um trabalho deficiente de meditação e morte
do ego: há o risco de se estar nutrindo o órgão
Kundartiguador, mesmo que não haja derrame das
energias, reforçando o lado animal oculto de cada um,
robustecendo o ego e fortalecendo a auto-hipnose e o
grau de adormecimento espiritual, devido à influência
negativa do referido órgão sobre os chacras e veículos
sutis da alma. Procurai a união com o Pai Interno
antes de qualquer coisa, antes mesmo de querer
camuflar a luxúria por trás do Tantrismo. E a união
com o Intimo é facultada pela morte do ego e pelo
exercício constante da oração, da devoção e da
meditação. A força sexual é o cimento a construir a
escada, mas a Iniciação é a única garantia de que essa
energia é ascendente e está sendo assimilada pelo
Intimo, e não reforçando o DUPLO que todos nós
possuímos, a sombra que pode vir a tomar forma e vida
e nos converter em HANASSMUSSEM (e mesmo que não haja
derrame das energias, se ela não estiver impregnada da
consciência do Pai interno, cristalizará com o tempo o
tal DUPLO).
Os HOPI, índios norte-americanos, já haviam
profetizado, entre outras coisas, que uma teia de
aranha gigante envolveria o mundo nos tempos do fim.
MOLOC, a antítese de Orifiel, vem dando estímulo à
tecnologia anticrística, essa mesma que criou uma rede
de telecomunicações ao redor da Terra, composta por
ondas eletromagnéticas densas, hipnóticas, impregnadas
dos valores corrompidos do mundo moderno, dificultando
e mesmo impedindo experiências psíquicas como a
meditação e o desdobramento astral, em qualquer lugar
que se esteja, de modo a frustrar o contato consciente
do discípulo com a Hierarquia oculta. E para piorar,
além dessa nuvem de densidade eletromagnética via-
satélite a enredar a Terra, na parte astral da
atmosfera se movem todos aqueles espíritos malignos do
submundo infradimensional que a Bíblia designa por
POTESTADES DO AR, os quais interferem diretamente no
campo mental das pessoas, instigando-lhes todo tipo de
pensamentos de luxúria, violência, engano, mentira,
pecado e transgressão a Lei, e diante dessa invasão os
únicos escudos eficientes são a oração constante, a
auto-observação e a identificação com os valores da
MENTE-CRISTO. A assistência de Orifiel é muito valiosa
nestes momentos de hipnose coletiva moderna com
reforço tecnológico, e meditar Nele, e mesmo invocar o
Sétimo Anjo, bem como os demais Anjos da Hierarquia
Divina, se torna um meio eficiente de se anular esses
mecanismos anticrísticos, além de se te a oportunidade
de se confirmar o conteúdo deste Manuscrito. Afastai
vossos filhos e a vós mesmos desses altares quadrados
onde arde o fogo negro hipnótico de Moloc, que devora
vossas almas e a de vossos filhos, adormecidos diante
destas telas coloridas, que são, segundo Orifiel, os
altares modernos de Moloc desprendendo luzes densas,
que amortecem as faculdades espirituais, entopem os
chacras, queimam lentamente o Terceiro Olho
(imprimindo ali a marca da Besta), entorpecendo de um
modo geral os poderes da consciência e, finalmente,
destruindo na alma a faculdade do CRER pelo excesso do
VER. A TEIA DE MOLOC É A REDE DA MENTE COLETIVA
PROPAGADA PELAS TELECOMUNICAÇÕES. O código “WWW”
transposto para valores numéricos, segundo a Cabala,
equivale a 666 (porque a letra W corresponde ao VAV
hebraico, cujo valor é 6: então, três VAVs serão 666).
Além disso, a sigla WWW é a abreviatura de WORLD WIDE
WEB, que podem ser traduzidas por TEIA MUNDIAL
DIFUNDIDA. A palavra WEB é, literalmente, TEIA, e
figurativamente, TRAMA, ARDIL. Usai o MANTRAM antes de
dormir, por tempo prolongado, aconselha Orifiel,
porque ele tem o poder de dissolver o efeito
amortecedor que os veículos de comunicação (TV,
COMPUTADOR, CELULAR E GAMES), produzem na mente, além
de desobstruir e ativar os chacras, especialmente os
da cabeça, facultando a melhoria do nível de
experiências psíquicas. Os mantrans, especialmente os
curtos e prolongados (OM, IAO, RAM, vogais, etc) têm o
poder de dissipar a densidade mental produzida pela
chama negra dos altares de Moloc, ao mesmo tempo em
que reestabelecem a freqüência sutil do cérebro,
apropriada para uma boa e produtiva experiência
durante o sono.
É urgente entrar em contato com a Hierarquia, pois
somente Ela pode nos resgatar deste mundo, prestes a
sucumbir no caos. Moloc, um dos expoentes mais
destacados da Loja Negra no cenário mundial, quer nos
manter hipnotizados diante dos seus artefatos
tecnológicos, porque seus efeitos também estimulam a
preguiça, produzindo aquela típica sensação de peso no
cérebro, torpor nos sentidos e de inércia espiritual,
especialmente quando lidamos com estes aparelhos por
tempo prolongado e nas horas que antecedem o sono. O
primeiro passo é reduzir ao mínimo possível a
assistência diante destes altares tecnológicos (os
prodígios da BESTA diante dos quais a humanidade se
prostraria, maravilhada). O segundo passo é recorrer
ao mantram, a meditação, a oração, invocando o auxilio
das Hierarquias que nos assistem nestes momentos de
preâmbulo da GRANDE BATALHA ENTRE OS FILHOS DA LUZ E
OS FILHOS DAS TREVAS, segundo profetiza o Apocalipse.
Um mantram de conexão muito poderoso é IAO, que vem
sendo empregado na Igreja Transcendida. É a senha de
entrada aos mundos superiores, onde a Fraternidade
Branca tem se reunido para cumprir os trabalhos
relacionados ao Retorno do Cristo na Terra. Todas as
almas estão sendo chamadas a tomar parte consciente
deste processo. Adormecei no leito com IAO nos lábios
e a Igreja Gnóstica na mente. Visualizai esta Igreja
com o teto estrelado e uma grande multidão de Seres
espirituais diante do altar, no qual, acima da Chama
Perpétua e do Cálice Sagrado, está a Cruz, e nela não
pende um homem morto: o que se vê nela é UMA ESSÊNCIA
LUMINOSA PURÍSSIMA, EMERGINDO DO SEU CENTRO NA FORMA
DE UMA CRIANÇA RADIANTE COMO O SOL, QUE LANÇA LUZ
SOBRE TODAS AQUELAS ALMAS ALI PRESENTES QUE ESTÃO
ENTOANDO IAO, O NOME DE DEUS, SENDO QUE ESTA LUZ
CRÍSTICA, ABRAÇANDO A MULTIDÃO, DESCE A TERRA SE
PREPARANDO PARA ENCARNAR EM TODOS AQUELES QUE, AQUI EM
BAIXO, TÊM PARTE COM ELA NAS ALTURAS, ALGUNS JÁ
CONSCIÊNTES DISSO NO PLANO ASTRAL.
Sejamos todos nós uns elos fortes dessa corrente
inquebrantável que, começando desde a cruz, é
reforçada pelo Katun final, não tendo, no entanto, um
término previsto rumo ao MAYAB e ao coração do Grande
Senhor Oculto, e que as nossas almas ascendam nas
mesmas notas elevadas do Vôo da Serpente, como as
faíscas se levantam das brasas, prestes a Emplumar e
alçar viagem de volta rumo à Luz Eterna, levando a
todos nós em seu dorso.
Neste último Katun destinado à Raça humana (de
1993 a 2012) acontecerão os lances mais intensos da
Providência Divina rumo a profetizada transição ao
Sexto Sol. Este Katun, por sua vez, composto de 7.200
dias, também é dividido em períodos menores, de 20
dias cada, os TUNES. Cada TUN, desse modo, possui 360
dias. Assim sendo, de 6/4/1993 até 21/12/2012 contamos
7.200 dias corridos, ou 20 TUNES (20.360=7.200).
Depois deste cálculo, podemos compreender melhor a
tabela do último Katun consignado a Quinta Raça-raiz
em seus últimos dias sobre a Terra.

1° TUN (IMIX) : de 06/04/1993 a 31/03/1994


2º TUN (IK) : de 01/04/1994 a 26/03/1995
3º TUN (AKBAL) : de 27/03/1995 a 20/03/1996
4° TUN (KAN) : de 21/03/1996 a 15/03/1997
5° TUN (CHICCHAN): de 16/03/1997 a 10/03/1998
6° TUN (CIMI) : de 11/03/1998 a 05/03/1999
7° TUN (MANIK) : de 06/03/1999 a 28/02/2000
8° TUN (LAMAT) : de 29/02/2000 a 22/02/2001
9° TUN (MULUC) : de 23/02/2001 a 17/02/2002
10° TUN (OC) : de 18/02/2002 a 12/02/2003
11° TUN (CHUEN) : de 13/02/2003 a 07/02/2004
12° TUN (EB) : de 08/02/2004 a 01/02/2005
13° TUN (BEN) : de 02/02/2005 a 27/01/2006
14° TUN (IX) : de 28/01/2006 a 22/01/2007
15º TUN (MEM) : de 23/01/2007 a 17/01/2008
16° TUN (CIB) : de 18/01/2008 a 11/01/2009
17° TUN (CABAN) : de 12/01/2009 a 06/01/2010
18° TUN (EZNAB) : de 07/01/2010 a 01/01/2011
19° TUN (CAUAC) : de 02/01/2011 a 27/12/2011
20° TUN (AHAU) : de 28/12/2011 a 21/12/2012

20-AHAU é o último símbolo do Calendário Maia e o


coração do sistema, que purifica e completa os ciclos
de tempo naturais, culturais, religiosos e proféticos.
AHAU significa “Senhor” ou “Solar”, e sendo assim, ele
é o Senhor Solar (Cristo) intermediando as pulsações
da energia revolucionária do centro da galáxia,
representando a transcendência do Sol. Hoje, os
templos e centros sagrados dos Maias, bem como outros
em todo mundo, estão sendo reativados, e compete a 20-
AHAU despertar a antiga sabedoria do inicio do tempo
para fechar o ciclo, abençoando e iluminando os que
estão prontos para isso. A grandeza dos Maias e seu
presente para o mundo estão sendo gradualmente
conhecidos e compreendidos. HUNAB KHU está chamando,
há um trabalho a ser feito antes do amanhecer, e as
chaves para compreender os anos da era final (de 1993
a 2012) estão contidas nos símbolos do Calendário Maia
e dos signos do Zodíaco. Tais símbolos funcionam como
lentes para a consciência nos anos que estão por vir.
Os destinos do planeta serão guiados por:

13-CEVO e 20-AHAU

13-CEVO sincroniza os ciclos, e para tanto traz


transformação: treze-vermelho é o túnel do tempo para
novas dimensões, onde ocorrerão alinhamentos
planetários e mudanças evolucionárias. O treze-
vermelho catalisa nas experiências imediatas as
circunstâncias pessoais e planetárias da morte ou da
transformação. A última parte da profecia se refere à
Árvore da Vida, e o fruto será o novo espírito do
homem.
Pela tabela anterior, a hora 13 ou 13-CEVO já
começou a catalisar estas transformações, e estamos
vendo no mundo os resultados dessa aceleração
energética que, se de um lado, resulta desastrosa para
o planeta (fator de purificação), de outro, cria
condições especiais no tempo-espaço capazes de gerar
túneis interdimensionais. O ano de 2005 marca a
chegada de UMA ONDA DE IMPACTO DAQUELE SISTEMA OCULTO
DE ENERGIA que, emergindo do centro da Terra, mesclada
às emanações cósmicas de AHAU desde a galáxia,
descendentes, é filtrada e direcionada aos setores da
natureza pelos TETRARCAS DA TERRA (as quatro
Hierarquias Ocultas do nosso Planeta), executando uma
grande cadeia planetária, reativada justamente no ano
de 1993 (IMIX, o despertar do Dragão). Hoje, 2005,
estamos em BEN ou CANA: símbolo dos túneis
interdimensionais para os antigos maias.
Esses Tetrarcas são conhecidos na mitologia Maia
pelo nome de BACABS (que significa IRMÃOS) e no seu
livro, Judas usou o sinônimo PAUAHS. Segundo o mito,
esses quatro Irmãos (os quais Deus colocou, quando
criou o mundo, em suas quatro partes, sustentando o
céu para que não caísse) também escaparam quando o
mundo foi destruído por um dilúvio. O mito, no
entanto, tem fundo de verdade, porque estes quatro
Bacabs-Irmãos são Hierarquias ocultas conhecidas na
Cabala Teúrgica (OS TETRASUSTENTADORES):

Vênus-Haniel
Marte-Samael Júpiter-Zacariel

Saturno-Orifiel

E Vênus também traz suas duas Testemunhas.


Esses Quatro Bacabs são os reguladores da Chama
Vital Terrestre desde o inicio dos tempos, Tetrarcas
esses mencionados em algumas passagens bíblicas, mas é
no Apocalipse que eles ganham maior destaque, seja no
papel dos temidos Quatro Cavaleiros, ou dos Quatros
Anjos ora nas quatro direções cardeais, ora atados no
rio Eufrates. Também aparecem discriminados no
capitulo 14 do Apocalipse, segundo suas funções de
Ceifadores de Almas, seja para o Segundo Nascimento,
seja para a Segunda Morte no abismo. O profeta Isaias
refere-se indiretamente a eles ao dar quatro atributos
ao Messias: Deus Forte (Samael), Conselheiro
(Orifiel), Pai da Eternidade (Zacariel) e Príncipe da
Paz (Haniel); (Isaias 9,6). Mas, além do Apocalipse,
significativa é a referência dos Quatro Construtores
da Arca no Gênesis, tendo em Noé e seus três filhos a
alegoria destes mesmos Bacabs. Esses quatros
personagens relacionam-se à origem das quatro raças
humanas: Noé (Raça Amarela), Shem (Raça Branca), Ham
(Raça Negra) e Jefté (Raça Vermelha). Aliás, estas são
as mesmas cores que aparecem associadas aos Quatro
Bacabs na Cosmogonia Maia. Cada Bacab dirige uma cor-
elemento num dos quadrantes da Terra (Negro-Branco-
Amarelo-Vermelho, as quatro fases do mercúrio
metálico) representando as quatro espécies humanas. E
no centro, o Cristo opera com a cor VERDE, que
representa a vitalidade renovadora de todas as coisas.
Esse verde central também indica a cor das sementes
espirituais resgatadas da Seara das quatro espécies
humanas de grãos (Crop-Circles).
Como todos os fins se repetem, eis aí o retorno
dos Quatro Bacabs apresentando ao mundo o modelo do
barco salvador, e que não é um barco em si mesmo, e
sim um Sistema Oculto de Energia-Consciência Crística
a filtrar e reunir o número dos eleitos da futura
Raça-raiz. Diante da grande recorrência diluviana já
atingindo o planeta em seus efeitos iniciais, eles vêm
novamente para declarar que a invisível Arca de Noé
está disponível a todo aquele que se entregar de corpo
e alma ao Ideal que Cristo representa, acima de todo
dogma, naquele ponto em que Ciência e Fé convergem sem
se colidir, que é o coração sereno que se colocou além
de todas as ilusões do mundo. A Grande Reunião já
começou, desde quando o relógio maia entrou em seus
últimos minutos. A messe é grande, mas faltam os
ceifadores. O papel dos Tetrarcas se intensifica em
cada transição de Era, até porque são eles que manejam
a grande roda da energia que renova, a cada ciclo,
todas as coisas na Terra.

Haniel-Vênus é o Senhor da Vida


Samael-Marte é o Senhor da Força
Zacariel-Júpiter é o Senhor do Amor
Orifiel-Saturno é o Senhor do Tempo

Eles sustentam a Cruz, e por meio de INRI,


reacendem a Chama da Transfiguração, desejando elevar
todos os seres ao nível da Consciência-Cristo.No seu
livro, Judas refere-se a eles através de personagens
ilustres: MOISÉS (Vênus), JESUS (Júpiter), BUDA
(Saturno) e LAO-TSÉ (Marte). Quatro Senhores, e em
hebraico, ADONAI é o nome divino que substitui o SANTO
E BENDITO NOME IMPRONUNCIÁVEL: IHVH, e que significa
SENHOR (Meu Senhor). A+D+N+I=65. Quatro Senhores:
65+65+65+65=260, o sagrado número do Calendário Maia
(TZOLKIN).
No que lhes toca finalizar esse processo de
purificação planetária como necessário preâmbulo da
renovação, deverão guiar mais uma vez o poder dos
quatro elementos de modo a desencadear uma reação
energética em série com fúria crescente, até que nada
mais reste de pé ou vivo sobre a superfície da Terra,
senão que a visão de um mundo em estado pré-criativo,
onde aqueles quatro elementos combater-se-ão
mutuamente, ao longo dos séculos, até se estabilizarem
novamente, encontrando suas respectivas órbitas de
ação em relação ao quinto elemento etérico, permitindo
o retorno da vida, quando voltarão os remanescentes da
Quinta Raça, abrigados naquela dimensão onde o éter
elemental não oscila e não é afetado pelos quatro
elementos em fúria, e sim os controla, para
reconstruir um Novo Mundo.
A Grande Pirâmide no centro do mundo representa
esse modelo tetra-energético dirigido pelos Bacabs,
dentro de uma eterna cadeia de revolução cósmica da
qual todos nós somos parte: porém temos a oportunidade
de incorporá-la conscientemente, aumentando assim o
Coro das vozes que se elevam até Cristo Vivo,
fortalecendo a ponte entre o céu e a Terra.

AHAU AHAU BACABS BACABS AHAU

São as palavras de invocação que nos unificam a este


trabalho dos Tetrarcas com a Cruz e o INRI no sentido
de fazer a Serpente Telúrica emplumar e voar, segundo
o código maia que Judas reabre em seu livro (O Vôo da
Serpente Emplumada, cuja leitura indispensável
ampliará o entendimento deste Manuscrito). Assim,
regulando equilibradamente as forças elementais desde
os quatro pontos cardeais, aqueles quatro anjos fazem
um duplo trabalho, que é o de acender um Fogo Novo no
centro da Terra (Serpente) e também atrair emanações
cósmicas desde o centro galáctico (Pássaro). Unindo as
forças do Céu com a Terra, eis que, escalando os Nove
Céus Hierárquicos, os Bacabs CONCEBEM A SERPENTE
EMPLUMADA, reconstruindo o elo espiritual e energético
entre Deus e o homem. A Pirâmide de Kukulcan, em
Chichen Itza, no México, materializa em sua
arquitetura essa cosmologia bacabiana que promove a
ascensão da Serpente Emplumada. O próprio Jesus, um
dos Quatro Irmãos, começou o lento despertar da
Serpente Telúrica rumo à sua emplumação no futuro
século quando proclamou na cruz, em palavra maia, “ELI
ELI LAMA ZABACTANI”. Esse mistério é confirmado no
próprio Evangelho:
“Eu vim trazer fogo a Terra, e que quero eu senão
que ele se acenda? Eu pois tenho de ser batizado num
batismo: e quão grande não é a minha angústia até que
ele se conclua?” (Lucas 12,49-50).
Mas não adianta tentar subornar a Hierarquia
Oculta, por que a energia terrestre que opera nestes
moldes é consciente e só atrai para si almas em
sintonia com seu propósito e vibração. É preferível
começar a se libertar do cativeiro do pecado, como
ensinou Jesus, e a conexão com essa energia será
automática. Ficando onde se está, mudando dentro em
primeiro lugar é que o mistério da salvação
acontecerá, realizado pela fé. Combinado com esse
trabalho de aperfeiçoamento psicológico, temos o
trabalho teúrgico referente às Cadeias do Cristo
(explicadas adiante), de modo que, conforme aumente o
número de participantes, o Coração do Sistema pulsará
cada vez mais intensamente, e espargirá tentáculos de
luz que percorrerão os quadrantes do mundo até
completar o número estipulado dos quantos assinaram
esse Contrato de Amor com o Filho de Deus na Obra da
Redenção Humana, muito antes de tudo isso estar
acontecendo. O Apocalipse fornece o número: 144.000. E
esse contrato aconteceu na época da Lemúria, após a
queda dos Anjos no pecado, evento que trouxe
desequilíbrio energético no planeta. Este trabalho,
que atravessou Idades inteiras sobre a Terra, está
próximo de sua apoteose rumo ao Mayab, na conquista
definitiva da Imortalidade e da Terra Prometida,
possível somente com a erradicação definitiva do
pecado no corpo e alma para sempre. E aquilo que Judas
afirma em seu livro poderá ser compreendido: “e
entrará na invisível Arca de Noé para criar uma nova
civilização”.
Judas é o Sétimo Anjo, esteve entre os índios
das Três Américas, muito antes da colonização
européia, instruindo-os nos mistérios do tempo, da
Terra e do retorno dos Deuses, fixado para o final do
Calendário Maia. E está cumprindo o que prometeu.
Naquela época, ele salvou várias tribos indígenas da
extinção ao entregar-lhes as chaves da quarta
dimensão, o que lhes foi útil quando os espanhóis,
tendo-os encurralados em suas cidades, encontraram-
nas, por vezes, completamente vazias... Ele é o Anjo
da Morte, que deseja nos desligar de nós mesmos e de
nossas ilusões, para nos ligar ao Ser Interno. Ele
deseja também nos desligar desse mundo para nos ligar
a Cristo e ao Seu Reino. Mas, primeiro dentro, e
depois fora! Deste Anjo também fala o Êxodo, naquela
passagem de Moisés e Aaron como libertadores dos
filhos de Israel, cativos no Egito. Hoje, o Egito é o
mundo inteiro, e os filhos de Israel são aqueles
144.000 Anjos caídos e espalhados nos cinco
continentes, e a missão do Sétimo Anjo é prepará-los
para a Grande Reunião, que acontecerá num lugar onde
possam conceber esse NÚCLEO DE ENERGIA-CONSCIÊNCIA
CRÍSTICA, o que irá renovar a face da Terra. No Êxodo
bíblico, se menciona esse Anjo como o precursor de
Moisés e Aaron, e de todo o povo libertado,
conduzindo-os à Terra Prometida. Estamos hoje vivendo
esse mistério de libertação, mas o Anjo em questão
reconhecerá somente os que trazem o sinal do Deus Vivo
na testa (sobre isso, leia-se os capítulos 12, 13 e 14
do Êxodo). Judas e Jesus, ou Orifiel e Zacariel, foram
os primeiros construtores de uma urdidura espiritual
que se impregnou na marcha do tempo e no ritmo dos
katunes, que está prestes a se concluir com a
consumação do ciclo. Ela se manifestará com o retorno
efetivo da Força-Cristo e da Iluminação-Cristo na
Terra, pelas quais temos suplicado na Cadeia que se
segue. “E te relatarei como e por que Judas, o homem
de Kariot, estendeu um fio importante na urdidura do
destino deste novo katun”. Judas retornou à América,
onde esteve em épocas passadas (pois é um ser imortal,
um homem JINAS) ensinando aos índios que tanto amou os
mistérios do tempo. Estando a serpente perto de morder
a cauda, OROBOROS, Judas retorna para concluir sua
missão na América, ao lado dos demais mestres, elos
importantes daquela corrente que se urdiu em Israel,
de modo a terminar a construção daquela PONTE rumo ao
MAYAB, o reino do Grande Senhor Oculto, o CRISTO. É
sobre esta ponte, firme e sólida, que estamos a
caminhar atualmente de modo a vos dar este testemunho.
Ela está próxima de alcançar a OUTRA MARGEM, se é que
podeis entender onde está esta OUTRA MARGEM e qual a
PONTE que está sobre as águas do dilúvio moderno
(CAOS) para que se possa cruza-la. “Para que se cumpra
a profecia do sagrado Chilam Balam de Chumayel, que
disse que: não está à vista tudo o que há dentro disto
nem quanto há de ser explicado. Os que sabem, vêem da
grande linhagem de nós, os homens Mayas. Eles saberão
o que isto significa quando leiam. E então o
enxergarão e então o explicarão”.(parte 2, capítulo 2)
Estamos procurando abrir esse entendimento ao mundo.
“Ajuda a espargir luz sobre Judas, o homem de Kariot,
para que o homem possa fazer em si a ponte com que
passar do caminho de Pedro ao caminho de João e ali se
entregar ao beijo da sagrada princesa Sac-Nicté”. A
barca de Pedro está para afundar no mar da humanidade,
e só a ponte de Judas será segura e sólida nestes
instantes para que possamos alcançar a outra margem.
Aliás, todas as outras barcas estão afundando, e só um
barco é seguro, a ARCA-TEMPO, que é a Ponte do Mayab,
já que o tempo é energia em movimento, mas energia
consciente! E aquele que se move no tempo sem
consciência é como o barco à deriva no mar, sujeito a
afundar debaixo das eventuais tempestades do destino.

A DIALÉTICA DO TEMPO
Ao morrer e ressuscitar, Jesus quebrou o ciclo
natural do nascimento-morte e alcançou a vitalidade
quadri-dimensional, se tornando um ser JINAS
(consultar, de Mario Roso de Luna, “O LIVRO QUE MATA A
MORTE”). Tempo é energia em movimento. E essa energia
em movimento forma curvas fechadas na natureza, os
ciclos naturais estabelecidos entre o nascer e o
morrer de todos os seres vivos (RODA DO SAMSARA), e a
alma fica encerrada dentro dessa energia cíclica
tridimensional (curva fechada). Nascer de novo, ou
renascer espiritualmente significa ganhar alma e, com
ela, um componente adicional de energia vital que
imprime no corpo uma vibração de freqüência superior,
capaz de quebrar a curva temporal fechada (karma) e
penetrar numa outra dimensão, tempo além do tempo, ou
melhor, curva aberta de tempo (liberdade). Esse é o
mistério do tempo conforme nos ensinou o Senhor do
Tempo, Orifiel, o mesmo que deu umas tais chaves aos
antigos maias, com as quais abrimos o Calendário. A
Descida do Espírito de Vênus (capítulo 10 do
Apocalipse) sugere a quebra dessa curva fechada por
meio da edificação da consciência crística na alma,
que produz, por efeito, a alteração dos padrões vitais
vibracionais do corpo físico, outorgando-lhe
imortalidade. Se Judas-Saturno não aplicasse o beijo
da morte em Jesus, este não teria como romper a curva
do tempo fechado e reabrir a porta do Éden (a curva
aberta da quarta dimensão que, por ser aberta, está
conectada com os céus, já que o mundo espiritual é
visível naquele plano – compare com o sonho de Jacó,
no Gênesis 28, 10-22). O tempo fechado é próprio do
corpo físico mortal e do mundo tridimensional, mas o
“tempo aberto” é privilégio dos imortais no Reino
Jinas (modificação de JANUS, outro nome do deus
Saturno entre os antigos romanos, deus das chaves e
das portas – e isso fica bem entendido agora). A alma
que se move na curva aberta do tempo não é presa a
nada, e pode se mover livremente no universo,
utilizando o mesmo fator de energia-tempo que aos
mortais encarcera na matéria. Outro aspecto simbólico
do deus JANUS ou JINAS é a sua dupla face: no mundo
tridimensional, somos reduzidos a metades incompletas,
pois com o pecado original perdemos a androginia, a
chave oculta do Éden, representada pela Esfinge e pela
Cruz (soma de metades originais). Por outro lado,
devemos saber que a própria Terra está entrando numa
curva aberta de tempo por causa da consumação do seu
Grande Ciclo: é o que acontece quando, ao se nos
aproximar a MORTE, temos a visão daquele famoso túnel
luminoso. A energia-tempo terrestre, abarcando todos
os ciclos menores, entra naquilo que a Bíblia chama de
Juízo Final, porque cada final de ciclo, humano ou
natural, é avaliado pelas Hierarquias. Isso significa
a abertura de PORTAIS, seja para o núcleo espiritual
da próxima Raça, seja para o abismo.
Os CROP-CIRCLES da Inglaterra significam a
colheita espiritual iminente na grande seara da
humanidade. Mas os Ceifadores não virão colher grãos
isolados, isto é, almas individuais, porém castas,
grupos, famílias inteiras organizadas em torno dessa
consciência aqui exaltada, as quais são representadas
pelas mandalas cada vez mais complexas que têm
aparecido nas plantações de trigo daquele país, como
mensagens arquetípicas do Mundo Mental Superior
endereçadas pela Hierarquia com o auxílio dos irmãos
extraterrestres, do outro lado da cortina de vidro
espelhado. Essas mandalas, acima de tudo, representam
os grupos espirituais que já estão se formando no
mundo, agregados na mesma consciência espiritual,
reflexo de tudo o que Cristo significa em termos de
Verdade, Amor, Justiça, Sabedoria e Perfeição. A
Hierarquia, então, procede de maneira a resgatar esses
núcleos, e não indivíduos isolados, que unidos
conseguiram desenvolver um foco considerável de
energia-consciência, fortalecida pela execução das
cadeias no ritmo do Calendário Maia, tal como será
exposto adiante neste Manuscrito. Essas mandalas
(crop-circles) no trigo são as Ordens Espirituais da
Futura Raça. Mas nem todo o campo de trigo será
aproveitado.
Com o soar da sétima trombeta, a Profecia entra em
fase de cumprimento, e a Arca de Noé já começa a abrir
as suas portas. Construí-la nos tempos de hoje, em par
a uma consciência condizente com o que Jesus ensinou
nos evangelhos, é criar um sistema de energia
conectado com a ROTA BACABIANA, que regula todas as
coisas na Terra a partir da quarta dimensão, e que já
está prestes a destruir o velho mundo para renová-lo,
não antes dos Dois Ungidos falarem.
Na curva do tempo, a data deste Manuscrito é IMIX-
BEN, ou seja, 1993-2005. IMIX é DRAGÃO DO MAR/ÁGUA, e
BEN é JUNCO/CANA. A água flui pela cana ou tubo e o
Dragão-Serpente despertou e se move por cavernas
ocultas. Ou seja, de 1993 a 2005, DE IMIX A BEN, a
energia vital da Terra começou a fluir por túneis
interdimensionais, graças aos alinhamentos realizados
ao longo do KATUN. Portanto, IMIX-BEN é o ciclo onde o
mistério se desenvolveu.
O retorno do Cristo começou efetivamente em 1993
(o que explica o motivo de a Loja Branca ter entregado
neste ano a Cadeia do Cristo nos Centros Gnósticos de
todo o mundo). A cada transição de Era, o respectivo
Manu Salvador deve manifestar-se para resgatar as
almas-semente. Na Era passada, o Manu foi o Quinto
Anjo (Samael) e desta raça será Zacariel, o Sexto Anjo
(Jesus). Quando o Filho Divino despertou, em 1993,
começou a exercer uma misteriosa Presença na Terra e
muitos puderam captá-la desde então. Aquela Cadeia
entregue no Movimento Gnóstico, a mais importante de
todas, tinha a finalidade de sustentar as oitavas de
ascensão da Serpente Emplumada à medida que os Tunes
(anos maias) iam correndo: 1993, 1994, 1995... 2005.
Na hora 13, a Serpente entrou na fase 13-CEVO e os
fenômenos se intensificaram na Terra. A SERPENTE ESTÁ
VERMELHA, PULSANTE, PODEROSÍSSIMA, pronta a iniciar em
larga escala o processo de purificação planetária
regulada pelos Quatro Bacabs, e os noticiários de todo
o mundo estão aí para o demonstrar. Porém, o Katun
marcha rumo a sua finalização em 2012, onde o Quinto
Sol será posto. E algumas décadas depois, falará o
Espírito Santo, Aquele prometido por Jesus (João 14,
15 e 16). Falarão no intervalo das Eras os emissários
da Luz.
Desde 1993, a Hierarquia vem convidando gnósticos-
cristãos e toda boa alma a tomar parte desta Arca-
Egrégora através da realização da Cadeia Teúrgica do
Cristo nos dias fixados pelo sistema maia de contagem
de tempo, de modo a se criar uma corrente de luz em
sintonia com o ritmo da transformação planetária que,
se teve data para começar, não terá, no entanto, data
para terminar, não devendo ser interrompida por todo
aquele que a inicie, porque deve mesmo atravessar o
espaço-tempo rumo ao Mayab, na aurora do SEXTO SOL. A
Hierarquia entregou esta preciosa cadeia teúrgica nos
Centros Gnósticos com o propósito de que os grupos
constituídos, mesmo depois da morte do V.M. Rabolu,
não por regulamentos e estatutos, mas por afinidade de
consciência, pudessem entrar em sintonia com o Ritual
Secreto dos Quatro Bacabs. Contudo, que se frise aqui
que esta cadeia não é propriedade dos gnósticos, mas é
patrimônio dos cristãos verdadeiros espalhados nos
quatro cantos, os que não perderam de vista o
verdadeiro sentido do Cristo para o mundo, mesmo em
meio ao terrível desgaste deste Nome Sagrado produzido
pelo fanatismo e ateísmo materialista.
Vinde tomar parte desta cadeia, que funciona como
chave auxiliar de transição para a nova civilização,
cujos núcleos de consciência-semente já começou a
formar. Uma vez iniciada, é mister não interrompe-la,
mas cumprí-la pontualmente a cada vinte dias (outra
unidade maia de tempo; 20 dias = UINAL: 20.18=360 dias
= Tun). Isso tudo até que o Coro dos Maias espirituais
alcance a Egrégora e seja transladado ao seu retiro
pela força de um Verbo Poderoso atuando na oitava
oculta dessa cadeia executada no mundo físico, até
cristalizar a visão do paraíso restaurado que Jesus
contemplou na cruz!

Como todo círculo que não tem um começo e um fim


definidos, assim seja essa corrente proposta,
realizada a cada 20 dias (mês maia) desde a noite de
01/02/2005 (para as Américas) e 02/02/2005 (para o
resto do mundo), em plena hora 13, a fase vermelha da
serpente que ainda não se emplumou. Se vós sois parte
desta engrenagem, compreendereis profundamente esse
trabalho misterioso que converge ao Peito do Cristo
uma vez que, como Ele, a Terra também há de morrer e
ressuscitar e, por seu grande sacrifício na cruz,
Jesus recebeu do Pai Celeste o mais alto poder por
meio do qual iniciou todo este processo cosmológico e
espiritual. Isso explica aquele trecho do evangelho de
João, no qual ele declara aos seus apóstolos: “Na casa
de meu Pai, há muitas moradas. Se assim não fôra, eu
vo-lo tivera dito: pois vou a aparelhar-vos o lugar. E
depois que Eu for, e vos aparelhar o lugar, virei
outra vez e tomar-vos-ei para mim mesmo, para que onde
eu estou vós também estejais”. (João 14,2-3).
Ele, Jesus, depois da ressurreição, revestido do
poder de AHAU, partiu para a quarta dimensão, de modo
a “preparar o lugar” até que pudesse retornar e levar
consigo os discípulos. Quase 2.000 anos se passaram e
Jesus está de retorno, a chamar seus discípulos, não
somente doze, mas todos aqueles que hoje seguem os
seus passos. O lugar já está pronto: A quarta
dimensão. E Ele virá como o Manu Salvador. A Páscoa
(no hebraico PESSACH) significa PASSAGEM, e identifica
não somente a passagem da morte para a imortalidade,
mas também a passagem literal para outra dimensão,
passagem da curva fechada para a curva aberta de
tempo, como tocou a Moisés representar no Êxodo,
favorecendo todo o seu povo. E hoje, Jesus é investido
dessa missão, desejando nos fazer “passar” para
aquelas MORADAS espirituais que Ele foi preparar antes
de retornar. (PSCH=80+60+8=148: 1+4+8=13: 1+3=4): a
chave bacabiana implícita na Páscoa (12 discípulos +
Jesus = 13: O Pacto da Eucaristia e a Redenção pela
Cruz). Toda essa obra é o resultado do trabalho de
grupo, e quem entra na corrente está declarando que
deseja tomar parte no compromisso de amor-sacrifício
que à obra implica, começando pela renúncia deste
mundo e a todo o sofrimento que isso possa custar. Por
certo, a mensagem da cruz não seria bem aceita pelos
filhos desta Era tenebrosa de Kali-yuga, essas casas
vazias que vivem somente para a satisfação dos seus
desejos. Só para quem compreendeu a fundo o que
significa a nível cósmico comer o pão e beber o vinho
das mãos do Mestre é que a obra aqui apresentada
declarará todo o seu precioso valor para um tempo em
que o Império das Sombras aumenta de extensão a cada
dia. Independentemente da crença, eis que o homem na
cruz, transfigurado pela força do amor que o elevou à
estatura de Deus, é símbolo que traz em si a síntese
de todas as religiões e verdades fundidas em um único
mistério divino, que é aquele que prevalece hoje
perante a consciência humana como único meio de
salvação. Perder-se a si mesmo por amor a Deus e ao
semelhante, eis a chave da suprema libertação da alma,
golpe fatal no ego que deseja a todo tempo ser
satisfeito, e que nos escraviza neste desejo. Nunca,
em tempo algum, valeu tanto como hoje essa mensagem da
cruz, quando toda a humanidade haverá de assistir a
REVELAÇÃO TOTAL DA LUZ VERDADEIRA QUE ILUMINA A TODO
HOMEM QUEM VEM A ESTE MUNDO. Isto será anunciado pelas
duas testemunhas de Deus. Se acreditarem na Luz, serão
parte Dela, de uma única Luz congregada na qual ELOHIM
descerá do céu e tomará forma no mundo físico para
criar um novo paraíso, o qual a Terra ainda não viu.
Isso é o que é CRISTO: Unidade múltipla, coração do
sistema e organismo ao mesmo tempo: o Amor que
congrega.
Vinde, portanto, ao Grande Monte Sion, que é
aquela Grande Pirâmide no centro do mundo; ali, os
escaravelhos sagrados, atraídos pelo retorno do deus-
sol, de todas as partes da Terra, se reunirão
astralmente para o emposse da Hierarquia: porque o
Cristo Quetzalcoatl-Kukulcan começará a descer do Céu
sobre o ponto espiritual mais elevado da Terra, que é
o núcleo divino a se reunir naquele monumento, que foi
construído justamente para essa finalidade, sobre o
chacra umbilical da Terra. Por ali entrará a Luz
transmutadora de AHAU, no centro da CRUX MUNDI. Esse
evento está descrito na primeira parte do capitulo 14
do Apocalipse. Vinde, almas dos quatros cantos do
mundo, voai e reuni-vos em Sion, onde o Filho de Deus
será empossado. Para tal evento é que se lança o
símbolo que esconde IAO, nome de Deus, que é Aquele
que desce para sustentar o templo, depois que ele for
reconstruído. Os que trouxerem o TAU na testa serão
chamados na obra de reconstrução também. Em nós arde o
renovado amor de Francisco de Assis pelo Cristo Vivo,
e nossa meta é reconstruir o templo, como ele fez, mas
sem o uso de instrumentos de pedreiro, e sim através
dessa teurgia que desejamos ampliar ao mundo, porque
nos foi ensinado que é o Verbo que dá forma a todas as
coisas.
A Pirâmide no centro do mundo foi construída como
marco, sinal e referência a este grande evento.
(Isaias 19,19-20). Ali serão levantadas as duas
testemunhas do Dominador de toda Terra.

ELI ELI LAMA ZABACTANI

Estas são as palavras da Conexão Maia que Jesus


lançou na cruz, em pleno amor-sacrifício, abrindo na
Terra uma porta secreta, assim como seu flanco foi
aberto por uma lança: “Meu Deus, Meu Deus, reconstrói-
me na Luz da Tua Presença!” Nestas palavras, está o
fundamento do Pacto Celestial lavrado com seu sangue,
a conexão cósmica com a luz de Sirius, Plêiades, Órion
e a região zodiacal de Touro, importante referência
astronômica nos templos Maias, Egípcios e de outras
culturas: A região celeste donde procedem as forças
criativas do Eterno Feminino, a Grande Mãe, porque a
Mãe precede o Filho. Mas, para equilibrar esta
cosmologia, opondo-se ao raio criativo do Touro
zodiacal, está Hercólobus, o Planeta Vermelho no pólo
celeste oposto, em Escorpião (Ofiucus) dirigindo o
raio da destruição sobre a Terra. A Terra se chama
MAIA que, no idioma da serpente emplumada quer dizer
“GRANDE MÃE”. São essas forças cósmicas que estão
tomando parte na misteriosa gestação espiritual em
nosso planeta. Somos todos filhos de Maia. Gaia ou
Maia é a Mãe-Terra, Mãe dos homens e dos Deuses,
prestes a dar luz a um exército de Anjos que, desde
incontáveis Eras, são errantes no mundo em busca da
redenção, e que finalmente terão a oportunidade de se
levantarem do pó por meio da Luz do Filho de Deus, a
Criança simbólica, coração do sistema. O ciclo das
aparições da Virgem Maria na Terra não tem outra
finalidade senão que o de demonstrar que a Mãe precede
o Filho, e que este nascerá quando a Virgem coroada de
doze estrelas vestida de Sol der o golpe fatal na
cabeça do Dragão das Trevas: a Pacifica Flor do Mayab
vencerá as invenções sangrentas do Anticristo. A
Sagrada Princesa Sac-Nicté é a Mãe Divina, a grande
ALMA CÓSMICA, em cujo ventre telúrico a Arca do Tempo
está sendo construída. Ela é, dentro de nós, a
mantenedora das funções vitais do corpo e gestante da
alma. É também, a nível macrocósmico, a Mãe Natureza,
a Consciência do Eterno Feminino em cujo Seio esta
Obra da Hierarquia está sendo concebida. Sem Ela,
seria impossível criar a Arca-Ponte, a Arca do Tempo,
que cruza o mar e leva ao Mayab. Judas, em sua obra,
apresenta a saga de uma alma que de existência em
existência buscou essa dádiva da Mãe Celeste, e por
fim a encontrou, sendo por Ela resgatado deste Vale de
Lágrimas, por meio da concepção espiritual que somente
Ela experimenta de modo a nos reintegrar com o Pai. É
EM SEU SEIO QUE TRABALHA O QUARTETO DOS BACABS-PAUAHS,
para forjar o QUINTO ELEMENTO (COR VERDE) QUE É O
VEÍCULO DE ENERGIA (MERKAVÁ, ou CARRO DE EZEQUIEL),
QUE NA TERRA POSSIBILITA A DESCIDA DO CRISTO, atuando
na transformação de toda matéria mineral, vegetal,
animal e humana. A Grande Rameira do Apocalipse é a
antítese negra desta Princesa, e o Chilam Balam, para
os maias, é o equivalente do que foi João para os
cristãos.
Ahau-Bacabs interceptam a força fecundante do Pai
Celeste (Hunab Khu) que, desde o núcleo galáctico
repercute de sistema em sistema, de estrela em
estrela, de céu em céu e de plano em plano, até ser
capturada por Plutão nas fronteiras do Sistema Solar,
reverberando nas órbitas planetárias inferiores até
alcançar a Terra e fecundá-la. Nessa cosmologia, o
Filho de Maia é, na verdade, esse exército divino que
está despertando do sono de hipnose coletiva, buscando
com ânsias infinitas o caminho de retorno à Luz: daí
deriva o termo Maia para todo aquele que começou a
nascer em espírito suscitado por esse processo
gestacional. O Sangue Maia, o Verbo Maia e a Alma Maia
mencionados na Invocação refletem, nesse contexto, os
poderes humanos que, amalgamados numa única substância
espiritual, dão forma e vida ao Cristo como entidade
coletiva. Essa cadeia tende a direcionar os esforços
dos seus componentes voluntários nesse sentido. E a
Palavra é o poder finalizador dessa alquimia entre os
seres da Grande Família Original dispersa no mundo, a
qual, com certeza, se ajuntará novamente. ELOHIM é o
seu nome nos céus, e IAO é o nome do Deus que Eles
invocam na Igreja Celestial Transcendida.
A sétima sub-raça já se formou na América do Sul,
e seus primeiros frutos começam a amadurecer. O Raio
de Saturno trabalha em cada transição, e a Morte já
começou a governar os destinos da humanidade. O
Calendário Maia, em seu Katun final, é na verdade a
ampulheta de Orifiel, na qual já caem os últimos
grãos. O Grande Espírito de Vênus se levanta e convoca
seus filhos. A Morte Mística é a chave de entrada para
uma nova vida no futuro reino da quarta dimensão. A
energia do Katun final não poderia operar plenamente
dentro da alma na qual persista a dualidade psíquica.
A propósito, a energia gerada nas cadeias do Cristo
cria um poder excedente com o qual poderemos trabalhar
mais rapidamente na dissolução do ego e nos exercícios
de Projeção Astral. Se, por um lado, o Katun final
traz energia de destruição para o planeta, por outro,
para quem busca a sintonia com o Sagrado, essa força
representará um impulso maravilhoso de transformação
espiritual e física necessárias para aquela Nova Ordem
da Sexta Raça-raiz. A Terra está morrendo para
renascer, e devemos imitar este exemplo, aproveitando
sabiamente a energia de 13-CEVO para renascer com ela,
dentro da Onda Telúrica que nos chega em 2005. Judas
repele enfaticamente a ilusão que sepulta a alma em
seus sonhos de adormecimento, cercando a mente numa
névoa obscura que se torna insensível às verdades
celestiais estourando na atmosfera, como ondas de uma
tempestade iminente já estourando na praia, no limiar
entre os dois mundos. E este que dorme impede a ação
da Consciência-Cristo em seu Ser espiritual isolado,
que se prostra como mais uma célula enferma da
humanidade, imprestável para a Obra Divina que se
aproxima. Por tal razão é que Judas insiste em dizer
que todo aquele que dorme atrapalha o Vôo da Serpente
Emplumada. Tudo o que está escrito aqui são luzes e
sons reverberando no plano astral já muito perto do
mundo físico. Acordai e guiai-vos por eles.
Vós, os que ledes este Manuscrito, passai-o
adiante, traduzindo-o para outros idiomas, estendendo
assim o vôo da Serpente Emplumada, porque o Juízo
Divino começou a atuar com força total nesta hora 13.
Lembrai dos vossos irmãos espalhados pelo mundo, usai
a rede de Moloc (Internet) para suplantar ao próprio
Moloc, enviando essa mensagem do Arcano 17 a todos os
que puderem ou quiserem aceitá-la e praticá-la, para
que todos contemplem com esperança a luz da Nova
Estrela de Belém que há de brilhar em breve nos céus,
mostrando finalmente o verdadeiro caminho que conduz
ao Seio do Pai.
No que toca à Grande Cadeia do Cristo, é preciso
procurar a dissolução dos defeitos psicológicos para
que a sua estrondosa energia opere em sintonia com a
força-Cristo que nela é gerada, pois resultará
desastroso ao fornicário, ao glutão, mentiroso,
mesquinho, violento, preguiçoso e materialista
entrarem a praticá-la, já que a Cruz se voltará contra
o indigno que a tomou levianamente, e o fará em
pedaços. A Cadeia só dará bons frutos nas almas cuja
raiz psíquica estiver plantada num bom trabalho de
transformação interior, com a consciência se
deslocando gradualmente do mundo subjetivo das ilusões
para o mundo das realidades celestiais. Esta cadeia
aqui apresentada reúne toda a síntese teúrgica
necessária (com pleno respaldo da Fraternidade Branca)
para as almas estabelecerem contato com as verdades
aqui divulgadas. Trata-se do acesso ao Novo Êxodo.
Esta prática já representa o primeiro nível de
trabalho da Renovação Planetária, e sua assistência
implica para a alma num compromisso com essa Obra
perante as Hierarquias que conceberam a mesma. Ela
trata da fusão harmoniosa de vários elementos
doutrinários até então lidados em separado pelos
vários segmentos religiosos e metafísicos, para que se
chegasse à composição final do mistério que envolve o
retorno da Arca de Noé. Repare-se que o nome Noé (NCH)
em hebraico reduz-se ao número 13, fator relevante que
realça o ano de 2005 em relação a esse mistério
(porque o ano de 2005 equivale justamente à hora 13).
Que os Centros Gnósticos estendam adiante esse
Manuscrito composto através dos ditados do Sétimo
Anjo, inclusive a nível internacional, para que o som
de sua trombeta seja ouvido em toda Terra, sendo essa
a Sua Vontade. Para tanto, os que puderem vertê-lo em
outros idiomas, que o façam, possibilitando a corrente
mundial que forjará a Consciência Crística. As
Hierarquias estarão auxiliando em tudo o que seja
necessário, e poderá mostrar todos os caminhos no
Plano Astral.

A GRANDE CADEIA TEÚRGICA DO CRISTO


1. Pai Nosso

2. Invocação dos Quatro Bacabs

“Vinde, Tetrarcas do Céu e da Terra, purificadores e


tetra-sustentadores do planeta. Vinde Haniel, Samael,
Zacariel, Orifiel. Vinde Bacabs. Vinde para nós, os
que trazem o sinal da eleição divina. Conduzi-nos para
a Grande Reunião dos filhos de Deus, vós que estais
agora dando as mãos no Altar do Mundo, no Grande Monte
Sion, no Coração do Sistema, invocando a uma só voz o
Sagrado Nome de Deus, para despertar o poder oculto
que vai transformar a Terra e conduzí-la para a Luz.
Que se cumpra a Palavra de Deus no Retorno do Cristo:
por Ahau-Can, e sejamos agora UM no Sangue Maia, no
Verbo Maia, na Alma Maia. AHAU AHAU BACABS BACABS
AHAU.”

3. Conjuração dos Quatro

“CAPUT MORTUM IMPERAT TIBI DOMINUS PER VIVUM ET


DEVOTUM SERPENTEM. QUERUB IMPERAT TIBI DOMINUS PER
ADAM JOT-CHAVAH. AQUILA ERRANS IMPERAT TIBI DOMINUS
PER ALAS TAURIS. SERPENS IMPERAT TIBI DOMINUS
TETRAGRAMATON PER ANGELUM ET LEONEM. MICAEL, GABRIEL,
RAFAEL, ANAEL. FLUAT UDOR PER SPIRITUM ELOHIM. MANEAT
TERRA PER ADAM JOT-CHAVAH. FIAT FIRMAMENTUM PER IOD-
HE-VAU-HE ZABAOTH. FIAT JUDICIUM PER IGNIM ET VIRTUTEM
MICAEL. ANJOS DOS OLHOS MORTOS, OBEDECE OU DISSIPA-TE
COM ESTA ÁGUA SANTA. TOURO ALADO TRABALHA OU VOLTA A
TERRA SE NÃO QUERES QUE EU TE FIRAS COM ESTA ESPADA.
ÁGUIA ACORRENTADA, OBEDECE A ESTE SIGNO OU RETIRA-TE
ANTE ESTE SOPRO (neste momento, soprar em cruz de cima
para baixo e da esquerda para a direita). SERPENTE
MÓVEL ARRASTA-TE AOS MEUS PÉS OU SERÁS ATORMENTADA
PELO FOGO SAGRADO E EVAPORA-TE COM OS PERFUMES QUE EU
QUEIMO. QUE A ÁGUA VOLTE Á ÁGUA, QUE O FOGO ARDA, QUE
O AR CIRCULE, QUE A TERRA CAIA SOBRE A TERRA. PELA
VIRTUDE DO PENTAGRAMA QUE É A ESTRELA MATUTINA E EM
NOME DO TETRAGRAMA QUE ESTÁ ESCRITO NO CENTRO DA CRUZ
DE LUZ, AMEM”

4. Abertura da cadeia de amor

*“QUE TODOS OS SERES SEJAM FELIZES!


QUE TODOS OS SERES SEJAM DITOSOS!
QUE TODOS OS SERES ESTEJAM EM PAZ!”

AUM AUM AUM

*“SANTO E BENDITO SEJA O SEU NOME IMPRONUNCIÁVEL!


AGORA QUE SE VERIFICOU O SAGRADO MISTÉRIO DA LETRA!
ENTRETANTO PROSSEGUIREI PARA OS MAIS OCULTOS
LUGARES!”

5. Abertura da Cadeia do Cristo

6. “Meu Cristo Interno, sai de meu corpo e eleva-te


agora até o Primeiro Céu, Céu dos Anjos, e ao Templo-
Coração do Planeta Lua: JAKIN-BOAZ. Dai os sete passos
sagrados para o interior do Templo, e prosta-te de
joelhos ante o Venerável Regente da Lua, Anjo
Gabriel!”

7. *“Poderoso Gabriel! Gabriel! Gabriel! Aqui viemos


em nome do Pai, do Filho, do Espírito Santo e da Mãe
Divina, na Voz da Cristandade, pedir-vos Força e
Iluminação para o Cristo, para que cumpra o seu Pacto
com o Pai.

OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA!


AHAU AHAU BACABS BACABS AHAU!

8. “Kadosh! Kadosh! Kadosh! O Santo Deus Onipotente. O


que Era. O que É. O que há de Vir. Que voe a Serpente
Emplumada. Que o Cristo se aposse da Terra. E que se
cumpra a Palavra Maia: ELI ELI LAMÁ ZABACTANI. Sangue
Maia, Verbo Maia, Alma Maia. AHAU AHAU BACABS BACABS
AHAU!

ELOHIM... ELOHIM... ELOHIM...


IAO... IAO... IAO...

9. “Meu Cristo Interno, sai de meu corpo e eleva-te


agora até o Segundo Céu, Céu dos Arcanjos, e ao
Templo-Coração do Planeta Mercúrio: JAKIN-BOAZ. Dai os
sete passos sagrados para o interior do Templo, e
prosta-te de joelhos ante o Venerável Regente de
Mercúrio, Anjo Rafael!”
10. *“Poderoso Rafael! Rafael! Rafael! Aqui viemos em
nome do Pai, do Filho, do Espírito Santo e da Mãe
Divina, na Voz da Cristandade, pedir-vos Força e
Iluminação para o Cristo, para que cumpra o seu Pacto
com o Pai.

OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA!


AHAU AHAU BACABS BACABS AHAU!

11. “Kadosh! Kadosh! Kadosh! O Santo Deus Onipotente.


O que Era. O que É. O que há de Vir. Que voe a
Serpente Emplumada. Que o Cristo se aposse da Terra. E
que se cumpra a Palavra Maia: ELI ELI LAMÁ ZABACTANI.
Sangue Maia, Verbo Maia, Alma Maia. AHAU AHAU BACABS
BACABS AHAU!

ELOHIM... ELOHIM... ELOHIM...


IAO... IAO... IAO...

12. “Meu Cristo Interno, sai de meu corpo e eleva-te


agora até o Terceiro Céu, Céu dos Principados, e ao
Templo-Coração do Planeta Vênus: JAKIN-BOAZ. Dai os
sete passos sagrados para o interior do Templo, e
prosta-te de joelhos ante o Venerável Regente de
Vênus, Anjo Haniel!”

13. *“Poderoso Haniel! Haniel! Haniel! Aqui viemos em


nome do Pai, do Filho, do Espírito Santo e da Mãe
Divina, na Voz da Cristandade, pedir-vos Força e
Iluminação para o Cristo, para que cumpra o seu Pacto
com o Pai.

OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA!


AHAU AHAU BACABS BACABS AHAU!
14. “Kadosh! Kadosh! Kadosh! O Santo Deus Onipotente.
O que Era. O que É. O que há de Vir. Que voe a
Serpente Emplumada. Que o Cristo se aposse da Terra. E
que se cumpra a Palavra Maia: ELI ELI LAMÁ ZABACTANI.
Sangue Maia, Verbo Maia, Alma Maia. AHAU AHAU BACABS
BACABS AHAU!

ELOHIM... ELOHIM... ELOHIM...


IAO... IAO... IAO...

15. “Meu Cristo Interno, sai de meu corpo e eleva-te


agora até o Quarto Céu, Céu das Virtudes, e ao Templo-
Coração do Planeta Sol: JAKIN-BOAZ. Dai os sete passos
sagrados para o interior do Templo, e prosta-te de
joelhos ante o Venerável Regente do Sol, Anjo
Michael!”

16. *“Poderoso Michael! Michael! Michael! Aqui viemos


em nome do Pai, do Filho, do Espírito Santo e da Mãe
Divina, na Voz da Cristandade, pedir-vos Força e
Iluminação para o Cristo, para que cumpra o seu Pacto
com o Pai.

OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA!


AHAU AHAU BACABS BACABS AHAU!

17. “Kadosh! Kadosh! Kadosh! O Santo Deus Onipotente.


O que Era. O que É. O que há de Vir. Que voe a
Serpente Emplumada. Que o Cristo se aposse da Terra. E
que se cumpra a Palavra Maia: ELI ELI LAMÁ ZABACTANI.
Sangue Maia, Verbo Maia, Alma Maia. AHAU AHAU BACABS
BACABS AHAU!

ELOHIM... ELOHIM... ELOHIM...


IAO... IAO... IAO...

18. “Meu Cristo Interno, sai de meu corpo e eleva-te


agora até o Quinto Céu, Céu das Potências, e ao
Templo-Coração do Planeta Marte: JAKIN-BOAZ. Dai os
sete passos sagrados para o interior do Templo, e
prosta-te de joelhos ante o Venerável Regente de
Marte, Anjo Samael!”

19. *“Poderoso Samael! Samael! Samael! Aqui viemos em


nome do Pai, do Filho, do Espírito Santo e da Mãe
Divina, na Voz da Cristandade, pedir-vos Força e
Iluminação para o Cristo, para que cumpra o seu Pacto
com o Pai.

OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA!


AHAU AHAU BACABS BACABS AHAU!

20. “Kadosh! Kadosh! Kadosh! O Santo Deus Onipotente.


O que Era. O que É. O que há de Vir. Que voe a
Serpente Emplumada. Que o Cristo se aposse da Terra. E
que se cumpra a Palavra Maia: ELI ELI LAMÁ ZABACTANI.
Sangue Maia, Verbo Maia, Alma Maia. AHAU AHAU BACABS
BACABS AHAU!

ELOHIM... ELOHIM... ELOHIM...


IAO... IAO... IAO...

21. “Meu Cristo Interno, sai de meu corpo e eleva-te


agora até o Sexto Céu, Céu das Dominações, e ao
Templo-Coração do Planeta Júpiter: JAKIN-BOAZ. Dai os
sete passos sagrados para o interior do Templo, e
prosta-te de joelhos ante o Venerável Regente de
Júpiter, Anjo Zacariel!”

22. *“Poderoso Zacariel! Zacariel! Zacariel! Aqui


viemos em nome do Pai, do Filho, do Espírito Santo e
da Mãe Divina, na Voz da Cristandade, pedir-vos Força
e Iluminação para o Cristo, para que cumpra o seu
Pacto com o Pai.

OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA!


AHAU AHAU BACABS BACABS AHAU!
23. “Kadosh! Kadosh! Kadosh! O Santo Deus Onipotente.
O que Era. O que É. O que há de Vir. Que voe a
Serpente Emplumada. Que o Cristo se aposse da Terra. E
que se cumpra a Palavra Maia: ELI ELI LAMÁ ZABACTANI.
Sangue Maia, Verbo Maia, Alma Maia. AHAU AHAU BACABS
BACABS AHAU!

ELOHIM... ELOHIM... ELOHIM...


IAO... IAO... IAO...

24. “Meu Cristo Interno, sai de meu corpo e eleva-te


agora até o Sétimo Céu, Céu dos Tronos, e ao Templo-
Coração do Planeta Saturno: JAKIN-BOAZ. Dai os sete
passos sagrados para o interior do Templo, e prosta-te
de joelhos ante o Venerável Regente de Saturno, Anjo
Orifiel!”

25. *“Poderoso Orifiel! Orifiel! Orifiel! Aqui viemos


em nome do Pai, do Filho, do Espírito Santo e da Mãe
Divina, na Voz da Cristandade, pedir-vos Força e
Iluminação para o Cristo, para que cumpra o seu Pacto
com o Pai.

OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA!


AHAU AHAU BACABS BACABS AHAU!

26. “Kadosh! Kadosh! Kadosh! O Santo Deus Onipotente.


O que Era. O que É. O que há de Vir. Que voe a
Serpente Emplumada. Que o Cristo se aposse da Terra. E
que se cumpra a Palavra Maia: ELI ELI LAMÁ ZABACTANI.
Sangue Maia, Verbo Maia, Alma Maia. AHAU AHAU BACABS
BACABS AHAU!

ELOHIM... ELOHIM... ELOHIM...


IAO... IAO... IAO...
27. “Meu Cristo Interno, sai de meu corpo e eleva-te
agora até o Oitavo Céu, Céu dos Querubins, e ao
Templo-Coração do Planeta Urano, e ao Tribunal da
Justiça Divina, e à Igreja Celestial Transcendida:
JAKIN-BOAZ. Dai os sete passos sagrados para o
interior do Templo, e prosta-te de joelhos ante o
Venerável Regente de Urano, Arcanjo Uriel, e ante os
Deuses da Justiça Divina e ante os Anjos da Igreja
Celestial!”

28. *“Poderoso Uriel! Uriel! Uriel, Deuses da Justiça


Divina, Anjos da Igreja Celestial! Aqui viemos em nome
do Pai, do Filho, do Espírito Santo e da Mãe Divina,
na Voz da Cristandade, pedir-vos Força e Iluminação
para o Cristo, para que cumpra o seu Pacto com o Pai.

OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA!


AHAU AHAU BACABS BACABS AHAU!

29. “Kadosh! Kadosh! Kadosh! O Santo Deus Onipotente.


O que Era. O que É. O que há de Vir. Que voe a
Serpente Emplumada. Que o Cristo se aposse da Terra. E
que se cumpra a Palavra Maia: ELI ELI LAMÁ ZABACTANI.
Sangue Maia, Verbo Maia, Alma Maia. AHAU AHAU BACABS
BACABS AHAU!

ELOHIM... ELOHIM... ELOHIM...


IAO... IAO... IAO...

30. “Meu Cristo Interno, sai de meu corpo e eleva-te


agora até o Nono Céu, Céu dos Serafins, e ao Templo-
Coração do Planeta Netuno: JAKIN-BOAZ. Dai os sete
passos sagrados para o interior do Templo, e prosta-te
de joelhos ante o Venerável Regente de Netuno,
Inefável Metatron!”

31. *“Poderoso Metatron! Metatron! Metatron! Aqui


viemos na Voz da Cristandade, pedir-vos Força e
Iluminação para o Teu Filho para que cumpra o Pacto
Contigo.”

OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA! OM SEJA FORÇA!


AHAU AHAU BACABS BACABS AHAU!

32. “Kadosh! Kadosh! Kadosh! O Santo Deus Onipotente.


O que Era. O que É. O que há de Vir. Que voe a
Serpente Emplumada. Que o Cristo se aposse da Terra. E
que se cumpra a Palavra Maia: ELI ELI LAMÁ ZABACTANI.
Sangue Maia, Verbo Maia, Alma Maia. AHAU AHAU BACABS
BACABS AHAU!

ELOHIM... ELOHIM... ELOHIM...


IAO... IAO... IAO...

33. * Pedimos que um Coro de Anjos repita nos Cosmos


estas petições, de Céu em Céu, de Plano em Plano:
Serafins, Querubins, Tronos, Dominações, Potências,
Virtudes, Principados, Arcanjos, Anjos, se
Cristalizando, se materializando no Planeta Terra para
o bem da Grande Obra! Pedimos Coro, Coro, Coro:

MmMMMMMMMMmMMMmMMmmmmMMmMMmMMmmmmMMM”

34. “FAÇA-SE! CUMPRA-SE! REALIZE-SE! Que esta Corrente


de Luz abrace o mundo inteiro num só coro de AMOR
proclamando, com toda ALMA, o Retorno do Filho de
Deus! Que seja feita a VONTADE DO PAI e não a nossa.
Que assim seja! Que assim seja! Que assim seja!”

AUM... AUM... AUM...”

35. Pai Nosso

36. “Meu Cristo Interno, voltai a mim”


*****

Notas

- Ao iniciar a cadeia, o circulo é fechado com a


mão direita para baixo segurando a mão esquerda
(esta para cima) do que está à sua direita. No
término da cadeia abre-se o circulo, e os braços
se cruzam sobre o peito, braço direito sobre o
esquerdo.

- Os itens não assinalados com asterisco,


subentenda-se serem recitados apenas uma vez,
sendo três vezes todos os itens assinalados (4, 7,
10, 13, 16, 19, 22, 25, 28, 31, 33)

- Uma vez iniciado o ritual, em pé ou sentado, não


abrir o círculo das mãos até a conclusão da
cadeia. Realizar a prática a cada 20 dias sempre
no mesmo horário da noite (antes de dormir) e num
mesmo lugar já consagrado.

- Imaginar uma corrente de luz unindo todos os


seres do Céu e da Terra neste momento, com se
fosse (e realmente é) um só Coração. Imaginar essa
luz pulsando é envolvendo a Terra numa Aura
Dourada de Amor na qual Cristo se manifesta.

- Fazer esta cadeia de preferência em grupo, e ao


final consagrar pão e vinho e reparti-lo com os
integrantes. Alimentai-vos da luz neles
impregnada. Na falta de companheiros, pode ser
feita individualmente.

- Os termos AUM, ELOHIM, IAO e MmmMmm são mantrans,


e como tal, devem ser entoados de forma
prolongada.
- O modelo original da Cadeia foi entregue pela
Hierarquia nos núcleos gnósticos de todo o mundo.
Este modelo pouco difere do original, recebendo
acréscimos segundo indicação da mesma Hierarquia
que opera em oculto.

*
* * *
*

Na Consciência-Cristo, a Hierarquia encontra todos


os valores espirituais necessários para a
renovação do mundo, criando por meio dela uma
Ordem Social perfeita na qual o AMOR ÁGAPE é Lei
Absoluta. Vinde, pedras cinzeladas nos misteriosos
caminhos do Amor Ágape, sereis o fundamento sólido
de um grande Templo Espiritual! E se estamos
repetindo inúmeras vezes o Nome do Cristo neste
Manuscrito é por duas razões fundamentais: a
primeira, para que a humanidade desperte
radicalmente no sentido de captar o seu
significado, tão exortado aqui, e a segunda, para
distinguir a cosmologia maia aqui apresentada de
todas essas falsidades ideológicas modernas que
abordam levianamente o seu sagrado calendário.
A cadeia, realizada nos dias marcados, criando
um ritmo uniforme, tem o poder de unir em espírito
todos esses filhos da luz que, mesmo separados em
Terra, estão unidos nos planos superiores, e muito
deles podem já estar se encontrando naqueles
planos, captando diversos aspectos da Obra em
andamento.
Cumpra-se o Pacto com o Pai, firmado por Jesus
na Cruz sob as palavras maias da invocação, cujo
significado se estende a tudo o que temos
declarado aqui. Judas também partilhou desse
grande Pacto de Amor-Sacrifício ao aplicar no
Mestre o BEIJO DA MORTE, que lhe renderia a
ressurreição. Por tal razão, Ele se tornou hoje o
Porta-Voz do mistério, resgatando esse Pacto no
tempo para o nosso bem, almas em busca da luz,
beneficiadas pela ponte que reconstruiu rumo ao
Mayab. Por isso é que estamos ajudando a ESPARGIR
LUZ SOBRE JUDAS, revelando ao mundo a extensão da
Corrente que começou a ser forjada entre o
Sacrificador e o Sacrificado em Israel há quase
2.000 anos. Quanto ao fato de as Escrituras
relatarem que SATAN operou em Judas para leva-lo a
trair Jesus, deve-se evocar que este Satan
mencionado não é o inimigo de Cristo, muito pelo
contrário, é aquele que testa na alma a firmeza da
sua fé, o mesmo espírito que testou Job em suas
provações: como poderia um espírito maligno subir
ao templo do céu junto com os Anjos na presença do
Altíssimo, e ainda cumprir suas ordens, tal como
revela o capítulo 1 do livro de Job? Não se trata,
portanto, do espírito do mal, mas do espírito que
testa os fundamentos da alma antes de erguer sobre
ela o templo do Ser. Este Satan tem relação com
Saturno, o opositor astrológico do Sol na
astrologia (Satan no hebraico é opositor): este é
exatamente o papel de Judas como discípulo, e de
Saturno como espírito, e os termos se assemelham
(Satan/Saturno).O verdadeiro espírito maligno é um
anjo caído de Vênus, que se encaixa no papel de
Caifás em relação a Jesus, e não em Judas. Saturno
traz as experiências do karma, dolorosas mas
construtivas, nunca nos induzindo a pecar, mas a
suportar a prova sem perder a confiança em Deus.
Satan-Lúcifer, por outro lado, emprega a mentira,
induzindo muitos espíritos numa rebeldia declarada
à VONTADE DO PAI, se recusando a tomar a cruz como
veículo da realização dessa Vontade. Fez do PODER
a sua busca exclusiva, fundamentada na sua vontade
própria, concebendo para tanto suas próprias leis,
contrárias à Grande Harmonia Universal, e o
resultado disso só poderia ser mesmo a queda,
seguida de ruína total e destruição, acrescida da
ruptura definitiva com o Pai e a Ordem Celeste.
Estudai, portanto, as pérolas dos evangelhos na
luz da consciência, e não na visão limitada da
crença e do dogma. Renovai o ensinamento gnóstico
em vossas vidas práticas.
Essa Teurgia do Cristo a circular pelo mundo
na forma de uma corrente de luz criada pelo verbo
das almas na pontualidade do ritual sob os
parâmetros do Calendário Maia equivale à última
redada apostólica que se lança no mar da
humanidade a fim de se pescar bons peixes! (ver
João 21) Mas, antes do fim, falarão os dois filhos
do óleo.
A regra para se verificar os dias nos quais a
cadeia será realizada, a nível mundial, é bastante
simples. Tendo iniciado na noite de 01/02/2005
(para as Américas) e 02/02/2005 (para o resto do
Mundo) basta seguir contando períodos de 20 dias e
assinalar sempre o vigésimo dia, numa corrente
contínua, independente de sábados, domingos e
feriados (itens inexistentes no Calendário Maia).
Ao ser realizada constantemente, ela cria um ritmo
de energia-tempo que entra em sintonia com o
processo oculto da Terra, e isso porque segue o
mesmo padrão de contagem dos meses maias (20
dias), e também pelo fato de ter sido iniciada na
abertura da hora 13, em 02/02/2005 (confira na
tabela). Porque o tempo, segundo a concepção maia,
é ENERGIA EM MOVIMENTO!

PARA AS AMÉRICAS PARA O RESTO DO MUNDO

01/02/2005 02/02/2005
21/02/2005 22/02/2005
13/03/2005 14/03/2005
02/04/2005 03/04/2005
22/04/2005 23/04/2005
12/05/2005 13/05/2005
01/06/2005 02/06/2005
21/06/2005 22/06/2005
11/07/2005 12/07/2005
31/07/2005 01/08/2005
20/08/2005 21/08/2005
09/09/2005 10/09/2005
29/09/2005 30/09/2005
19/10/2005 20/10/2005
08/11/2005 09/11/2005
28/11/2005 29/11/2005
18/12/2005 19/12/2005
07/01/2006 08/01/2006
27/01/2006 28/01/2006
16/02/2006 17/02/2006
08/03/2006 09/03/2006
28/03/2006 29/03/2006
17/04/2006 18/04/2006
07/05/2006 08/05/2006
27/05/2006 28/05/2006
16/06/2006 17/06/2006
06/07/2006 07/07/2006
26/07/2006 27/07/2006
15/08/2006 16/08/2006
04/09/2006 05/09/2006
24/09/2006 25/09/2006
14/10/2006 15/10/2006
03/11/2006 04/11/2006
23/11/2006 24/11/2006
13/12/2006 14/12/2006
02/01/2007 03/01/2007
22/01/2007 23/01/2007
Continua... Continua...

A cadeia começa no continente americano porque


é o berço das civilizações que receberam a visita
do Senhor do Tempo, o famoso Deus Branco Barbado
(Quetzalcoatl, Kukulcan, Viracocha, Sumé, etc) que
ali deixou as chaves do verdadeiro Calendário
Maia. Além disso, as Américas, especialmente
América do Sul, têm sido o cenário de formação da
sétima sub-raça (crisol de fundição das raças),
por onde deve começar a colheita de Orifiel. Na
Europa, Ásia, África e Oceania valerá a regra de
se realizar a cadeia um dia após os assinalados
para as Américas (sempre no período da noite). E
assim, o ritmo não deve ser quebrado, e a cada 20
dias o mundo inteiro clamará a uma só voz pelo
Retorno do Filho de Deus, conforme as profecias
americanas. Nesse aspecto é que se acentua ainda
mais o valor do Calendário Maia na ótica profética
que ele apresenta: o fato é que nenhuma profecia
antiga acrescenta como ele tão precisamente o
tempo de sua realização, de modo que, atualmente,
estamos tendo a oportunidade de confrontar e
checar os variados aspectos da Profecia, de um
modo geral, com os fenômenos que afetam a natureza
e a humanidade em larga escala e ritmo crescente,
efeitos da Roda do Tempo operada por aqueles
Quatro Irmãos (os Bacabs, no livro de Judas, são
nomeados de PAUAHS, e não obstante, tratam-se das
mesmas entidades). Porque a serpente em fase de
emplumação é justamente a ENERGIA-TEMPO que
estamos presenciando hoje, da qual podemos tomar
parte se seguirmos as orientações deste tratado
cosmológico ensinado por Orifiel.
Um grande impulso energético deve ocorrer
entre 15 e 31 de Dezembro de 2005, quando os
planetas Bacabianos entrarão em formação de cruz
nos signos fixos (Marte em Touro, Saturno em Leão,
Júpiter em Escorpião e Vênus em Aquário),
repetindo no Céu o mesmo padrão energético
posicional que os respectivos Quatro Anjos em
Terra executam. E quem sabe, brilhe uma nova
Estrela de Belém no Natal?
Sob o prognóstico da Cruz Bacabiana no Céu jaz
a promessa do Segundo Advento de Cristo, porque os
falidos poderes deste mundo serão destituídos pela
Hierarquia espiritual do planeta, que sairá do
silêncio e exercerá domínio no seu devido tempo.
Orifiel diz que tudo o que se afasta do Plano de
Obra do Grande Senhor Oculto é falsa doutrina,
mente pervertida: Porque a energia do Cristo Vivo
já opera entre nós, levando a uma profunda
transformação toda consciência, bem como a matéria
que a reveste. A Força do Katun-Ahau e dos Quatro
Bacabs começa a atuar no sentido de despertar em
muitos corações um sentimento de busca espiritual
incompleta diante dos modelos religiosos
atualmente apresentados. Contudo devemos reparar
que se essa busca não começar internamente, não
será em tempo em lugar algum realizada
externamente. O Sétimo Anjo dá outra advertência:
os fornicários serão os primeiros a perecerem no
processo de purificação planetária (Apocalipse
16,2). A Besta tem roubado a força vital-sexual da
humanidade para incubar nela a mente do anticristo
no sentido coletivo, trevas de destruição,
antítese do Cristo e de sua luz universal. Se a
energia sexual não estiver servindo ao Intimo,
fatalmente estará tomando parte desta negra
concepção e incubação das Bestas apocalípticas,
num psiquismo de nível global. Satanás também se
empenha em criar um império tenebroso que
escraviza as pessoas num sistema capitalista
neurótico e mórbido, onde só o dinheiro parece ter
importância, dando uma falsa sensação de
segurança, e assim, vai ganhando terreno sobre
essas almas que, por estarem totalmente devotadas
aos seus trabalhos dos quais sobrevivem, relegam a
um segundo plano de importância, quando não
descartam os cuidados com o espírito em seus
compromissos com Deus, que deveriam vir em
primeiro lugar. Desse modo, trabalham arduamente
para manter os seus corpos, enquanto vão perdendo
suas almas assinaladas pelo Sistema da Besta e o
Programa Mundial do Anticristo. Asseguramos que
não se deve temer a reação das trevas ao redor
conforme se executa a cadeia. É preciso resistir
firmemente à oposição invisível e não quebrar a
corrente por nenhum motivo, e uma vez encetada a
prática, a oposição virá. Tendes certeza disto! É
o que dizem as duas Oliveiras que estão diante do
Dominador de toda a Terra, que virão em breve dar
discernimento de todas essas coisas!
O alerta sobre o fim de Babilônia, a
civilização decadente prestes a ruir (Apocalipse
18) é especialmente captado como um convite à
liberdade que implica na Obra de Reconstrução do
Templo (Culto) e da Cidade Sagrada (Reino), tal
como registrou Esdras, Ageu e Zacarias. Os que
desejam, portanto, se desligar desse sistema
mundial corrompido e falido já devem estar
estabelecendo com firmeza na alma a consciência
dessa Obra, em todos os sentidos.
Sabei que tanto a Bíblia como o Cristo ainda
desfilam no mundo como esfinges não decifradas
inteiramente pela humanidade, ora desgastadas pelo
fanatismo religioso, ora desprezadas pelo ateísmo
materialista. Porém, toda a sua luz será vertida
no tempo do Sexto Sol, e Ele mesmo declarará: Eu
estive sempre convosco, mas vós não me
compreendestes! A Bíblia ainda esconde a
Cosmologia Universal em par ao símbolo do Homem-
Deus na cruz: em todos os mundos, sóis e galáxias,
este é o segredo da Roda que gira e resplandece
(Ophanim) nutrida pela Chama Sagrada da Vida
(Aralim). Esta Roda de quatro raios está girando
com mais força sobre a Terra para poder curar as
chagas, sanar as feridas e reequilibrar os
distúrbios que o homem tem provocado ao
transgredir a Lei, segundo a Vontade Daquele que a
tem girado de eternidade a eternidade (Seraphim).
Eis que, pela terrível necessidade do momento, o
Grande Segredo da MERKAVAH de Ezequiel é revelado
aqui, segundo o modelo maia.

O Touro pisoteia a terra! (terremotos)


O Leão cospe fogo! (calor, secas e vulcões)
A Águia agita freneticamente as asas! (furacões)
O Anjo entorna o cálice! (inundações)

E o Verbo de Deus direciona essas cotas


excedentes de energias elementais, primeiro, para
purificar o planeta (CAOS) e depois, para recria-
lo (COSMOS): de modo que hoje somos parte de um
fragmento criativo do próprio Gênesis!
Só para se ter uma idéia do alcance
cosmológico da Bíblia, vinculado à ciência maia,
apenas um pequeno exemplo se segue, dentre os
muitos que ocorrem no Antigo Testamento, os quais
João retoma (Apocalipse 18,2 e Isaías 21,9):

”CAIU, CAIU BABILÔNIA”

Este é o anúncio oficial e solene da Hierarquia


Divina sobre a queda da civilização segundo os
decretos da Lei Maior. Essa frase esconde a
cosmologia maia segundo a análise cabalística. A
expressão original no hebraico é “Nafelah Nafelah
Babel” (NFLH NFLH BBL). NFLH tem o valor
cabalístico 165 (50+80+30+5). O valor de BBL é 34
(2+2+30). Começando a análise, repare-se nas duas
letras iniciais das palavras envolvidas, NUN e
BEIT (N-B). Em valores simples, N+B=14+2=16, que é
o Arcano da TORRE FULMINADA, cujo nome era
justamente BABEL (Gênesis 11). Hoje, o simbolismo
desta torre caída assume um contexto global. Em
valores cabalísticos, N+B=50+2=52. Eis aí um
número muito importante na cosmologia maia, pois
52=13+13+13+13. Cada 13 significa, entre outras
coisas, um “Sol” que já se pôs (Raças). Estamos no
tempo da consumação do Quinto Sol segundo a mesma
Lei do Arcano 13 (Morte/Transformação). Repare-se
que 52=26+26, ou seja, duas vezes a redução
cabalística do Nome de Deus que aparece em todo o
Antigo Testamento: aqui começa a ser visto o laço
entre Israel e a América pré-colombiana. E de
forma surpreendente, o nome MAIA também se reduz a
este valor cabalístico: M+A+I+A= 40+1+10+1= 52.
Também temos que, invertidas, aquelas letras N e B
produzem BN, que em hebraico se lê Ben, que
significa filho: Os filhos de Maia! Do número 52,
tiramos 5 e 2: 5 é o Pentagrama, e 2 é a Ciência
do Bem e do Mal, a dualidade universal, os
atributos da Deusa que precede o Filho em seu
retorno, porque Dela é nascido! É muito vasto o
alcance simbólico deste número e nele terminamos
lembrando o ano vigente: 2005, hora 13, algarismos
2 e 5, o inicio da queda de Babilônia.
Voltemos à expressão Nafelah Nafelah Babel.
Sua soma cabalística total é 165+165+34= 364. Sim,
este é o alvo central dessa análise, cifra
altamente significativa na cronologia maia:

364=52.7 (Os sete ciclos reencarnacionais da alma)


364=13.28 (Os treze meses lunares do ano maia,
hebreu e de outros povos)
364=365-1 (O ano solar e o seu “dia verde”,
comemorado em 20 de Março)
364=26.14 (O tempo da colheita de IHVH-26 no 14°
TUN: 2006)
364=(72.5)+4 (72: Arcano-mestre; 5: o pentagrama;
4: os quatro elementos/os quatro Bacabs)
364=4.91 (A Pirâmide de Kukulcan no México tem 4
faces e, em cada uma delas, uma escadaria de 91
degraus que alcançam o templete no topo da mesma.
Este, como já vimos, é o modelo arquitetônico da
cruz bacabiana que opera onipotente na quarta
dimensão. E repare-se que, em hebraico, Anjo é
MLAK, que reduzido cabalisticamente dá 91:
40+30+1+20. E não são justamente Quatro Anjos em
cada direção? Então, 4.91=364 indica o ciclo do
ano e do tempo na força equilibrada dos Tetra-
sustentadores Bacabianos, ou PAUAHS; outra
referência está na palavra Amen, que, em hebraico,
reduz-se cabalisticamente também a 91: isto
reforça a cosmologia bacabiana dos quatro
elementos e seus quadrantes, porque Amen vem do
verbo AMN, que significa: mostrar-se firme,
estável, fiel; manter a lealdade, ter
estabilidade; durar, continuar, permanecer; ser
confirmado num cargo; confiar em Deus, ter fé,
etc. A palavra Amen estende este significado à
Palavra de Poder que os Tetrarcas fazem perdurar
na cadeia dos quatro elementos perante o Cristo
para garantir a sustentabilidade da vida na Terra
em seus inexoráveis ciclos).
364: 3+6+4=13: 1+3=4 (Essa equação evoca o modelo
fundamental da cosmologia maia: 4 Bacabs + Cristo
Central = Energia, Tempo, Vida, Universo,
Consciência, Transformação!)
Esta é somente uma pequena amostra dos recursos
cosmológicos encontrados nas Escrituras sob o véu
da Cabala, e do evidente laço entre Israel e os
Maias.

O Apocalipse de João, o Omega Bíblico, como


espelho do Gênesis, o Alfa, traz em segredo, sob
os véus do idioma iniciático, toda essa cosmologia
maia descrita neste Manuscrito. Com visão de
águia, o apóstolo avançou nas curvas do tempo,
assistido por Orifiel, e contemplou toda
engrenagem do processo. Na seqüência, eis que o
Apocalipse ou Revelação vem a João, da parte de
Jesus, por meio de um certo Anjo, justamente
aquele que, tendo poder sobre o tempo, pôde
agraciar o apóstolo com o dom da profecia. Dentro
deste parâmetro é que se afirma que o Apocalipse,
empregando termos de uma ciência gnóstica, repete
a mesma cosmologia maia. Esse dado é importante
para que os discípulos não caiam em erro ao
seguirem falsas interpretações dirigidas à
Doutrina Sagrada dos Maias, baseadas não na fé
consciente, mas num intelectualismo sofisticado,
impregnado de termos modernos e rebuscados para
impressionar o leigo e que, no entanto, mais
confundem do que esclarecem, porque em essência
são vazios. Maquiaram tanto o Calendário Maia que
acabaram por desfigurá-lo, roubando sua beleza
original e simplicidade natural, transformando-o
em qualquer coisa, menos no Calendário Maia.
Porque o que temos visto é uma vastidão de
eruditos confiantes de sua eficiência mental, mas
em estado de plena cegueira espiritual e, como
todos os outros, à mercê de um destino fatal cada
vez mais próximo que não saberão como evitar.
Vemos muita teoria por todos os lados e pouca ou
nenhuma disposição para se abraçar a cruz do
Mestre, e de teoria em teoria se caminha para a
sepultura, que é sempre o termo de uma vida sem
Cristo. Na real estrada da santidade, os espinhos
do sacrifício sempre vertem as rosas da genuína
espiritualidade, mas neste vazio estéril de
teorias sem Cristo, o que vemos é um pântano sem
fim de palavras que giram sobre si mesmas, e
rodopiam sem rumo antes de cair no abismo de uma
ausência de praticidade espiritual. O tempo é o
grande diluidor da fé e dos ideais da juventude,
ele vai passando e desmascarando as falsas
doutrinas deste mundo. Eis o convite para vós,
que, como nós, estais fartos desse amontoado de
sofismas: vinde abraçar conosco a cruz do Mestre,
porque a letra mata, somente o Espírito vivifica!
A proposta, portanto, do Calendário Maia, é a de
assinalar, na escala do tempo terrestre, todos os
fenômenos cósmicos, históricos e humanos
conseqüentes ao final da Era do Quinto Sol,
ajustando o retorno de Quetzalcoalt-Kukulcan (O
Cristo asteca-maia) e dos Deuses de sua comitiva,
responsáveis pela implantação do Sexto Sol. Se a
interpretação não estiver de acordo com essa
temática, é fruto de invenção humana e não de
Inspiração Divina. E no centro de toda essa
cosmologia, o Espírito de Vênus, do qual trata o
capítulo 10 do Apocalipse, porque 10 é a Roda, e a
Roda é o Tempo. E como Ele mesmo diz, “o tempo
está consumado!” E esse tempo é hoje!
O povo da luz está sendo apressado. As forças
compelidoras do último Katun não devem esgotar-se
antes que termine a transformação ou desintegração
da corrupção na Ordem Mundial tradicional. Para
aqueles que escolherem o velho jeito de ser, será
o fim de seus mundos. Para aqueles que
estabelecerem aliança com o sagrado da vida e do
planeta, seja lá como for, o som das colinas
caindo se assemelhará ao som de um ovo que se
quebra. A preparação consiste em adquirir
suficiente fé, resistência, compreensão e pureza
para a transição àquela Terra Prometida. Contudo,
entre o mundo que termina e a nova terra das
visões proféticas do amanhã, existe a Ilha do
Êxodo, o ponto de transição entre os dois Sóis.
Como modelo de um barco flutuante, ela explica
melhor a Arca de Noé, boiando segura nas águas do
caos que um barco de madeira que supostamente
vence o oceano bramindo em uma Crosta fraturada! A
Ilha também representa o núcleo da Consciência-
Cristo preservada sobre o mar da corrupção humana,
da qual brotará a luz da aclamada Nova Era. Ali,
os homens aprenderão a religião original, vetada
neste mundo profano, que é a pura e simples
expressão do Amor Incondicional, não mais empanado
por falsas ideologias nem limitado por fraquezas
carnais. E, no ápice das trevas, brotará a luz!
Estabelecei contato astral com os Mestres da
humanidade e procurai em especial a Orifiel, o
mentor principal deste manuscrito, que poderá se
manifestar como um guia, seja nos sonhos ou mesmo
no plano astral, sob múltiplas formas, porém, o
arquétipo mais freqüente é o de um ancião
profundo, severo e amoroso, diante de quem todas
as ilusões perecem. Ele traz renovação, pois o
velho já tomba diante de sua foice. A cota das
experiências humanas retidas na Roda do Samsara já
chegou ao limite, e eis que a Divindade retorna
para colher o que essas experiências verteram em
cada alma, sabedoria ou mediocridade. A sabedoria
será colhida e replantada no novo mundo, bastante
necessária ali, mas a mediocridade de nada se
aproveita, e como a palha, será lançada ao fogo. O
Reino já está sendo construído pelos Mestres, que
nos dizem: “Buscai o Reino dos Céus em primeiro
lugar, e todas as coisas vos serão acrescentadas”.
Portanto, não procureis salvar a vós mesmos tendo
por base um desejo egoísta, porém lutai pelos
ideais que o Sexto Sol já começou a pleitear sobre
o mundo. Desejai o bem maior da Grande Obra,
demonstrai altruísmo ao invés de egoísmo. São os
primeiros passos a serem dados para que a preciosa
Criança Divina venha a nascer dentro de vós mesmos
antes de qualquer outro lugar. Na prática cristã
da renúncia ao mundo, é preciso se desligar de
ordens, seitas, clubes e quaisquer outros núcleos
associados aos valores corrompidos do mundo e não
à Nova Ordem que surge (até porque o Movimento
Gnóstico Cristão encerrou o ciclo das ordens
iniciáticas na Terra, o que equivale a dizer que
todas as demais estarão ligadas à Mente do
anticristo). Caso contrário, elas vos prenderão ao
mundo e vossas almas não poderão ser resgatadas,
porque não se encontram LIVRES para servir o
Mestre. Fugir de Babilônia, portando, significa
essa ampla e irrestrita renúncia que, começando
dentro, repercute nos laços externos com sistemas
que vão contra a IDENTIDADE MAIA. E não vos
preocupeis com os métodos do Êxodo, sabei que os
Mestres têm o controle de tudo e sabem a quem
salvar e a quem deixar. É o SER de cada um que os
atraem ou os repelem. É o trabalho de cada um que
qualificará a salvação, e não um monte de teorias.
O mundo está perecendo nas trevas da cegueira
espiritual e da mentira difundida. Oh vós que
ledes e compreendeis esse tratado, não vos
esqueçais de vossos irmãos no cativeiro da
ignorância. Partilhai com eles esta Magna Ciência
de Salvação! Povos da Terra, estudai e ampliai
este manuscrito para o seu melhor entendimento,
contudo, não vos afasteis das bases de Verdade e
Justiça sobre as quais ele foi edificado, conforme
as Escrituras e os ensinamentos do Mestre Maior.
Guardai no fundo de vossas almas suas palavras de
luz e nunca vos esqueçais de que o maior sinal de
amor que o mundo testemunhou foi aquele que o
Homem-Deus gravou na cruz. Este sinal nem mesmo o
tempo pode destruir!

ESTE TESTAMENTO TEM O PESO DE UMA SENTENÇA


PARA HUMANIDADE.

Tudo começou na cruz, e pelo seu Alto


Sacrifício de amor, Jesus abriu as portas do Céu e
recebeu das mãos do Criador uma pequena semente de
luz divina, com a qual reverteria o decadente
estado da humanidade, plantando-a em MAIA, a Mãe-
Terra. Revestido deste poder, seu espírito desceu
ao limbo e alcançou o coração doente, que recebeu
esta semente estelar e despertou em uma força
misteriosa, que se agregou à corrente dos mártires
da fé que vieram depois dele, a começar pelos
apóstolos, e todos os outros que, ao longo dos
séculos, sofreram como ele para implantar a
Verdade-Justiça na Terra. Aquela semente, impelida
por esta corrente de amor, cresceu e se tornou
árvore, e esta maravilhosa árvore, em pleno Katun
final, está para dar seus primeiros frutos. Tudo
isso está de acordo com a parte final da Profecia
referente à Árvore da Vida, e o seu fruto será o
Novo Espírito do Homem. A Árvore da Vida, que
rebrotou do madeiro da cruz, aparece em todos os
finais de ciclo, e é símbolo da vida que passa de
um estágio mais baixo para outro mais elevado, e
por isso traz a serpente em torno do seu tronco e
um pássaro no mais alto dos seus galhos, e seus
frutos curarão as nações. Em si mesma, ela
representa o renovado laço entre Deus e o mundo,
por obra do amor. Porque, fora do que está contido
no Amor de Deus, não há cura para os males da
humanidade.

*
* * *
*

Nas praias de um remoto céu, tempo fora do


tempo, situa-se a Ilha Mística, cuja imagem começa
a cintilar nos sonhos de alguns que já estão
acordando. Nas visões, ela costuma surgir nos
mares do sul, banhada por topázios líquidos que
oscilam entre o verde e o azul conforme os
caprichos do Sol. O quadro completo enche os olhos
de êxtase e o coração de esperança. Os veículos da
alma, deslocados para longe, são por ela atraídos
como agulhas da bússola voltando-se para o Pólo
Norte, ou como sementes ditosas que a terra fértil
atrai para o seu seio, desejosa de florir. Tal
Ilha é mágica por causa desta incrível
propriedade: a de chamar os seus futuros moradores
em sonhos, empregando para tanto um código todo
especial. Como todo navegador experiente em seu
barco a seguir sinais no céu e no mar, assim o
viajante astral segue os sinais do mistério
reservado a poucos, e em noites de sono leve e
ânsias multiplicadas, os ventos desse entusiasmo
soprarão nas velas da sua mente, e o navio seguirá
para longe, atraído pelo magnetismo místico
daquela ilha, e amanhecerá com a lembrança
daquelas praias. O ciclo se repete, e o que foi
ontem torna a ser hoje, e todo o enamorado da
Verdade, que não se deixa seduzir por miragens e
que resiste heroicamente às sereias, por fim
haverá de encontrar a rota daqueles mares azuis, e
pisará naqueles vales verdejantes e templos
reluzentes que ao longe cintilam à luz do Sol.
Nesse santuário, não há de entrar o indigno e
nenhum que, por atos, demonstrou ser amante das
coisas deste mundo. Somente os virgens pés pisarão
aquelas areias e deixarão suas pegadas na praia,
ao lado das pegadas do Mestre, de quem ouvirão
ensinamentos em noites estreladas e refrescantes.
Com Ele reaprenderão acerca do caminho que leva ao
Pai, e saberão que todo esforço valeu a pena, e
que toda estrada começou com esta profecia a ser
repetida naquele pedaço remanescente do Paraíso.

Invocai o Sétimo Anjo, ele tem não só o poder


de desintegrar ilusões como também o de demonstrar
a verdade de tudo o que se escreveu aqui!

*
* * *
*

Sinopse Final

A selagem dos 144.000 eleitos, atualmente


encarnados, foi concluída pelo Anjo da parte da
Aurora e que traz o sinal do Deus vivo na mão, e
isso foi em 2005. Isto quer dizer que os Quatro
Anjos serão desatados do grande rio e começarão o
seu trabalho de eliminação em massa. Se em algum
povo ou região encontrarem-se selados para a Obra
Divina, a Hierarquia tratará de removê-los deste
lugar. Contudo, não havendo estes que justifiquem
a espera da punição do Céu, tais povos e regiões
inteiras poderão ser exterminados por aqueles
Quatro Cavaleiros do Apocalipse (Guerra, Fome,
Peste e Cataclismas). Aliás, há prognósticos
fortíssimos apontando para o ano de 2008 grandes
tragédias, e entre elas, a temida Guerra Mundial
(o ano de 2008 equivale ao 16° TUN-Arcano 16).
Povos da Terra, vigiai e orai, pois Ele vos virá
como um ladrão, e poderá vos assaltar com obra de
morte em vossos exercícios fugazes de prazer,
diversão e distração da consciência adormecida.
Desse modo, que se frise o seguinte: toda alma,
sistema, povo, região, tribo, nação, enfim, toda
consciência individual ou grupal que não estiver
ligada nestes tempos do fim à Consciência-Cristo
será eliminada e lançada ao abismo: porque é a
Lei, e não se quebra a Lei de Deus impunemente,
senão não seria Lei, e muito menos de Deus! E o
que importa agora é o que Deus quer, e não o que
deseja o homem.

*
* * *
*

SUPLEMENTO: O RETORNO DOS DEUSES DE VÊNUS

O Retorno dos Deuses de Vênus é parte


essencial da Profecia dos povos pré-colombianos,
que associavam o referido astro ao Ser Supremo
Kukulcan ou Quetzalcoatl, por vezes tomando-o como
uma entidade dupla (gêmeos). A Arca de Noé, dentro
da simbologia hermética do Gênesis, é construída
em cima de valores venusianos relacionados às duas
testemunhas bíblicas. Por exemplo: a soma das
medidas da arca, tal como fornece o livro do
Gênesis: 300+50+30=380 é a mesma que o nome
hebraico do Egito produz cabalisticamente
(MTsRIM=40+90+200+10+40=380). Este valor novamente
reduzido produz o arcano relacionado às duas
testemunhas: 3+8=11 (Apocalipse 11). Outros
valores do código da luz venusiana nas Escrituras
se relacionam ao Arcano-Mestre 72: sete pares de
animais limpos e dois pares de animais imundos na
arca (72); o dia que Noé saiu da arca, dia 27
(72); o número total de descendentes de Noé,
segundo o Gênesis 10 (72); signos zodiacais de
Vênus, Libra e Touro, o Sétimo e o Segundo do
ciclo astrológico (72); os setenta e dois gênios
cabalísticos; AUR, luz em hebraico, se reduz a
1+6+200=207 (72), etc.
No principio, antes da queda do homem e da
mulher no pecado carnal, os Filhos de Vênus
trouxeram a Luz (AUR) ao mundo e ensinaram aos
povos da Terra os segredos da Ciência do Bem e do
Mal que converte os humanos em divinos. Exibiram a
Pedra Cúbica e a Chama Sagrada, trazidas do Altar
do Templo do Próprio Deus, guiando as almas na via
do ELOHIM. Mas aconteceu que a grande maioria
preferiu seguir os conselhos mentirosos de Satã,
induzindo-os a fornicação, e o resultado temos
visto hoje, com o caos chegando ao ápice. Naquela
ocasião, os Deuses expulsaram a raça fornicária da
quarta dimensão, e o mundo se tornou Império de
Satã. Hoje, no final do ciclo, o inicio se repete:
e os dois filhos de Vênus, amparados pela
Hierarquia, retornam para fazer a humanidade
discernir entre o Bem e o Mal, entre o que é luz e
verdade e o que é trevas e mentira. Até lá,
estarão também de pé a Besta e o Falso Profeta,
seus oponentes desde o inicio da Saga da
Humanidade na Terra. E levarão a humanidade a
fazer sua última escolha: Cristo ou Belial. Estes
quatro personagens já estão entre nós!
O código 3-8 relaciona-se ao realinhamento
entre as energias planetárias de Vênus-Urano,
fundamentais para o equilíbrio espiritual da
Terra, abalado desde a queda dos Anjos naquela
Terceira Raça-Raiz, com a subversão do raio de
Vênus. Observamos no Apocalipse, ao toque da
terceira trombeta (Vênus) a queda daquela estrela
sobre as fontes das águas (fontes de energia
vital) indicando distúrbio na energia daquele
raio, e outra imagem significativa é o da queda de
um terço das estrelas do céu arrastadas pela cauda
do Dragão Vermelho (Satã). Então, quando as duas
testemunhas reestabelecerem a luz total de Vênus
na Terra, repelindo para sempre o Dragão, então se
verificará o realinhamento energético-espiritual
com Urano, e a Harmonia Cósmica obtida
transformará a Terra novamente num paraíso. Na
teurgia astrológica, a seqüência dos planetas em
relação a Terra é: Lua-Mercúrio-Vênus-Sol-Marte-
Júpiter-Saturno-Urano-Netuno. Isso coloca Vênus na
terceira posição orbital e Urano na oitava. De
Urano procederá o Raio Crístico que, repercutindo
em Vênus (o Porta-Luz de Urano) chegará a Terra
para reedificá-la. Este é o eixo espiritual do
sistema solar. Este é o labor do Espírito Santo
(Vênus) e do Filho (Urano) por vontade do Pai
(Netuno) trabalhando ao lado dos demais Anjos do
sistema solar: Gabriel (Lua), Rafael (Mercúrio),
Michael (Sol), Samael (Marte), Zacariel (Júpiter)
e Orifiel (Saturno). Os Anjos reconstruirão o
paraíso por meio do Verbo, da Palavra Divina que
arranca da energia vital-erótica a luz, formas,
cores, harmonias, templos, cidades, paraísos,
mundos, sóis e seres. Esta é a magia dos setenta e
dois Gênios da Cabala, e dos sete Arcanjos, e dos
dois Gêmeos de Vênus (72).
A Bíblia está repleta do código 3-8, e podemos
conferi-lo em alguns livros da Escritura, em cada
capítulo 3 e versículo 8, e vice-versa. A própria
palavra APOCALIPSE, que é grega e significa
Revelação, tem sua equivalente hebraica em GLH,
verbo que significa revelar, descobrir, publicar.
E o valor cabalístico de GLH é 3+30+5=38!
(3+8=11). Outra referência, o ANJO DA LUZ (AUR)
revela a João, no capítulo 17 do Apocalipse, o
mistério da BESTA e da MERETRIZ, e no capítulo 21,
revela a sua antítese, ou seja, o CORDEIRO e a
NOIVA CELESTE: a LUZ e as TREVAS, a humanidade
perdida e a humanidade divina, BABEL e SION, a
dualidade, o Bem e o Mal. Pois bem, 17+21=38, GLH,
Revelação: 3+8=11, as duas testemunhas: 1+1=2, a
Ciência do Bem e do Mal. O papel das duas
testemunhas é o de revelar a luz de Deus ao mundo,
eclipsada desde a queda da raça humana no pecado.
Porque vêm Daquele mesmo Espírito que inspirou, do
ALEF ao ÔMEGA, de Moisés a João, e do Gênesis ao
Apocalipse, toda a Escritura Bíblica, que hoje
converge ao propósito aqui revelado, o qual ELE
mesmo desce para concluir. Outro modelo deste
código está no número 888, o tríplice signo do
Infinito a representar a Mônada Tríplice e as Três
forças da Criação: Gerar – Fixar – Transformar.
Vênus é o Porta-Luz de Urano, e isso explica o
motivo de os antigos Maias, bem como outros povos
do passado, terem atribuído a este planeta um
culto à parte. A Obra do Espírito de Vênus é
reunir as almas-gêmeas desgarradas uma da outra no
cardume humano por razões kármicas, e essas
células reconstituídas é que formarão os grupos,
as cadeias, as ordens e a sociedade perfeita do
futuro: Vênus-Urano, 3-8 ou 888, a chave da Luz.

*
* * *
*

APÊNDICE

Este Testamento não é a expressão de quaisquer


religiões ou instituições vigentes, não possuindo
caráter público, embora perpetue a corrente do
autêntico cristianismo, tal como fora pleiteado no
livro “O Vôo da Serpente Emplumada” e patenteado
na doutrina do Movimento Gnóstico à testa dos
mestres Samael e Rabolu, e por esta instituição
ter encerrado o ciclo das ordens iniciáticas na
Terra é que a Hierarquia não deseja mais
institucionalizar a corrente. Além disso, nada há
mais que se edificar num mundo já sentenciado.
Portando, ele deve seguir anônimo e o seu
propósito exclusivo será o de criar uma
Consciência Crística Mundial que cristalize os
planos da Loja Branca rumo a uma Nova Ordem
Planetária, por meio da divulgação e execução
prática dos métodos aqui fornecidos, sabendo que a
Cadeia Teúrgica do Cristo será um importante vetor
de expansão dessa mesma Consciência, empregando a
sintonia da Palavra Criadora com as chaves do
Calendário Maia. Estamos todos juntos sobre este
barco, que precisa deslizar firme rumo ao seu
destino glorioso, e esse destino é o MAYAB. É a
compaixão infinita da MÃE CELESTIAL, E NÃO OUTRA
COISA, QUE APRESENTA ESTA CHANCE ÚLTIMA DE
RECONCILIAÇÃO PARA MUITAS ALMAS ENCONTRADAS EM
FALTA COM A JUSTIÇA DIVINA. ELA É VOSSA ARCA DE
NOÉ. CLAMAI POR ELA, ESTE BARCO QUE DESLIZA SOBRE
AS ÁGUAS DO CAOS PARA NOS SALVAR.
Essa Egrégora resultante será o ponto de apoio
sobre o qual a alavanca do Verbo da Hierarquia se
fixará para realizar a Grande Obra. E dela tomará
parte toda alma que sentir o chamado no fundo do
coração, tocada pela luz dos valores divinos que
estamos tentando fazer brilhar novamente sobre as
trevas do mundo. “PELOS FRUTOS CONHECEREIS A
ÁRVORE”: apoiados no Mestre, concluímos: PELAS
PALAVRAS DO MANUSCRITO CONHECEREIS A OBRA A QUE
ELE SE DESTINA!

O SELO SAGRADO DE SAMAEL adianta o processo


oculto da cadeia quaternária dos irmãos BACABS, e
estamos certos que muitos irmãos gnósticos o
ignoram por completo, bem como os assuntos
doutrinários deste Tratado. É mister revelar que o
selo e a obra aqui apresentada são UMA MESMA
COISA, trazendo a transformação necessária para
completar a transição ao Sexto Sol com o prometido
retorno de Quetzalcoalt (Cristo). Segundo a
vontade da Hierarquia, este manuscrito abre o selo
de Samael sendo ele mesmo um dos quatro Bacabs
mencionados, e quando o homem Vitor se encontrou
preparado, aquele misterioso mestre maia (ORIFIEL)
lhe apareceu e lhe orientou nos aspectos desse
trabalho cosmológico que lhe vinha de encontro.
Portanto, aos que realizam a corrente crística, o
indicado é combinar o selo com os rituais, e
tirar-lhe uma cópia e ajunta-la ao centro das
práticas e orações, para aumentar a imantação com
o processo que toca ao selo representar. Sabei que
AHAU AHAU BACABS BACABS AHAU é o mantram que
materializa o poder total do selo, e o imprime no
mundo mental. Na visão do discípulo brasileiro,
aqueles mestres maias eram, no conjunto de quatro,
os referidos Bacabs. Este selo não trata,
portanto, de uma obra individual do mestre Samael,
e sim, do símbolo da cosmologia maia aqui
estudada, em conexão com os profundos mistérios da
Bíblia. Quando empregamos o mantram, o mesmo selo
é geometrizado na quinta dimensão, aumentando o
campo de consciência do ritual, porque mantram e
selo estão diretamente vinculados ao cruzamento
daqueles quatro anjos no centro do mundo. O poder
do selo existe não por ele mesmo, mas pelo apoio
espiritual que o alimenta desde a origem desta
cosmologia hierárquica prevista segundo os
alinhamentos do tempo dentro do calendário maia.
*
* * *
*

AS SETE VISÕES DE JOÃO

1. A ARCA DE NOÉ: “E vi um grande barco deslizando


sobre águas turbulentas, comprido como um corredor
ou túnel, que fazia escapar uns poucos que ainda
podiam reconhecer e seguir uma grande luz que
brilhava na outra extremidade sua, enquanto
deixavam um mundo que desaparecia sob o mar, sem
ousarem olhar para trás”.

2. A VIRGEM E O DRAGÃO: “E vi a Virgem celestial


combatendo o Dragão vermelho, estando ela grávida
de Deus, e ele inchado das maldades humanas. E vi
como o olhar da virgem, do qual brotava o universo
inteiro, deteve o dragão e, por fim, vi como seus
imaculados pés, como colunas de mármore branco,
esmagaram, invencíveis, a cabeça de Satanás. E
depois disso, vi que Ela desceu num maravilhoso
sítio reservado para ser reedificada pelos homens
de boa vontade, porque era a Igreja de Deus”.

3. O SEGREDO DA ESFINGE: “E vi um grande anjo


descer no Egito antigo, e ali, nas pirâmides,
monumento eterno da sua glória, encerrar os
mistérios da luz celestial que trazia consigo. E
ali, ele implantou a Primeira Ordem iniciática da
raça, e convidou candidatos dos quatro cantos do
mundo. Aos vencedores nos ordálios, marcou-lhes a
testa com a cruz Ankh, e a estes vi a esfinge, que
estava viva, dar passagem ao portal do templo
piramidal. E desde então, vi que esse grande
espírito se escondeu na esfinge até os dias de
hoje, donde vigia a humanidade, sentinela eterna
no centro da Terra”.
4. A REVELAÇÃO DE JOB: “E vi ao patriarca Job,
tendo aberta a sua visão do céu na solidão de um
deserto noturno, e o entendimento das leis que
governam as estrelas e mundos no ápice do seu
sofrer profundo, e o anjo do Sol era o seu guia
celestial”.

5. O QUINTO ANJO: “E vi o quinto anjo na pessoa do


apóstolo Pedro, lançando o ensaio da Igreja
Celeste na Terra. E o vi como um guerreiro no meio
de uma terrível batalha para implantar a sua
obra”.

6. O GRANDE SINAL: “E vi no céu uma estrela como


um sol, e ela tinha seis pontas/raios, e no centro
dela resplandescia uma cruz, e foi dito que este
era o novo sol a reunir os espíritos do céu e da
Terra sob a mesma luz de verdade que irradiava em
todas as direções. Este era o sol central do
universo, o selo do mistério divino que faltava
abrir, e dentro dele via-se o próprio Deus
assumindo forma humana, e foi dito: esta é a porta
do céu, e a via que leva a Deus. E o universo
inteiro tremeu diante dessa declaração”.

7. CONSUMMATUS EST: “E vi o apóstolo João como


Sumo-Sacerdote no Templo celestial da estrela
Sírius, dirigindo a luz azul da estrela na Terra,
guardião eterno do Cristo Cósmico no altar do céu,
sob a liturgia das estrelas e dos anjos. E um
entre os sete anjos que ali assistiam aproximou-se
dele e disse: desce na luz e mostra a luz a todo
homem que transita pelo mundo, porque o fim já é.
E vi João descendo na luz de Sírius para anunciar
o fim”.
VOSSOS IRMÃOS EM CRISTO

*
* * *
*