Você está na página 1de 8

CAP. 3 - CAMPOS VECTORIAIS

1. Considere o campo vectorial dado por F (u,v) = (cosu senv, senu senv, cos v).

a) Mostre que a imagem de F é uma esfera centrada na origem de raio 1.

b) Determine F ' ( / 4,

/ 4);(1,0) e F ' ( / 4,

/ 4);(0,1)  .

c) Mostre que as derivadas encontradas são tangentes às curvas

F

2

(

u

)

= F / 4,v , respectivamente nos pontos u =

(

)

/ 4

e

v =

F

1

/ 4 .

(

u

)

= F

2. Determine a matriz Jacobiana de cada um dos campos vectoriais indicados:

(x, y) = (x

y,2xy) em (1,0) e (1 /

em ( 1,

) .

a)

b) (u,v) = (u cos v,usenv,v)

2 ,1 /1 / em ( 1, ) . a) b) ( u,v ) = ( u cos

2).

) . a) b) ( u,v ) = ( u cos v,u sen v,v ) 2

3. Seja (x, y,z) = (x, y,z)

a) Mostre que J (x, y,z) é a matriz identidade de ordem 3.

b) Determine todos os campos vectoriais : R

3

R

3

para os quais

identidade de ordem 3.

J (x, y,z)

SOLUÇÕES DE ALGUNS EXERCÍCIOS

CAP. 3 - CAMPOS VECTORIAIS

1. b) ( 1/ 2,1/ 2,0) , (1/ 2,1/ 2, 2 / 2);  1
1. b) ( 1/ 2,1/ 2,0) , (1/ 2,1/ 2,
2 / 2);
1
1
2. a)
J (1,0 )
=
 J (1 /
2 ,1 /
2 )
 2
0
 ;

=

 1 1    2 2  
1
1
2
2

, b)

J (1,

) =


 

1

0

0

0

1

1

 

17

(

u,

/ 4

)

e

é

a matriz

18

CAP. 4 - DERIVAÇÃO DE FUNÇÕES COMPOSTAS

1. Considere o campo escalar w = f (x, y). Se x = r cos e y = rsen , calcule:

2.

a) as derivadas parciais

b) o mesmo para

2 w

2

.

w

r

e

w

em função das derivadas parciais

f

x

Sendo z = f (x, y) e x = x(t) e y = y(t) obtenha uma expressão para dz/dt.

e

f

y

.

3. Sendo z = (r + s)/ v,

r = x cos y,

s = ysenx

e

v = 2x

y , calcule

z

z

2

z

e

x

,

y

x

y

.

4.

As equações u = f (x, y), x = x(s,t), y = y(s,t) definem u como função de s e t, u = F(s,t).

a) Utilizando convenientemente a regra da cadeia exprima as derivadas parciais

b)

custa de

Se

2

f

x

y

y

e

y

.

f

f

x

x

x

,

2

f

y

,

,

s

t

,

s

t

mostre que

=

y

F

x

2

=

f

2

x

+

2

f

x  

s

s

2

x

s

2

x

2

2

+

2

x

y

2

f

+

f

2

y

+

2

f

y

s

s

s

∂ ∂

x

y

y

s

2

y

2

2

F

s

e

F

t

c) Encontre fórmulas parecidas para as derivadas parciais

2

F

∂ ∂

s

t

e

2

F

t

2

.

5. Considere as funções z

a)

Obtenha

z

u

,

z

v

e

=

f ( x, y )

z

.

t

,

x

=

u

+

v log t

b) Obtenha as mesmas derivadas que em a) sendo

e

z

y

=

= x

3

v

2

log( ut )

+ 3 y

xy

2

.

.

6. Seja w = u v 3 , onde u = x

2

2

+

3

y

2

e v = 2x

2

y 2 . Encontre

2

w

x

y

7.

Seja w = f (ay x, x ay) onde a é uma constante. Mostre que

a

w

x

+

w

y

= 0

em x=1 e y=1.

8. Seja

w

=

x

2

+

log y

+

1

z

onde x = u

2

+ v

2

,

y = uv

e z = 2v 2 . Calcule

w

u

e

w

v

.

à

19

9. Seja w = f (x, y,z,t) ,

x = g(u,z,t) e z = h(u,t).

a) Obtenha a expressão para

w

t

.

w

t

b) Se

em u=1, t=2

e y=3, utilizando a fórmula deduzida em a) e directamente por substituição seguida de

derivação.

f (x, y,z,t)

= 2xy

+

3z

+

t

2

, g(u,z,t)

=

u

t

sen

z

h(u,t)

=

e

2u

+

t

, calcule

10. Sejam f : R

(

)

g u,v,w =

2 R

2

(

u + 2v

e g:R

+ 3w

2

3

3

R

,2v

2

definidas por

u

2

)

.

f (x, y) =

(e x

+ 2y

,

sen

(x 2 y))

+

e

a) Determine as matrizes Jf (x, y) e Jg(u,v,w).

b) Sendo h=f o g determine Jh(1,-1,1):

b1) sem determinar explicitamente h.

b2) determinando explicitamente h.

11. Sejam f : R

3

f (x,y,z)

=

(x 2

+

R

y

2

+

e g:R

3

z)i

+

( 2

x

+

R

3

y

os campos vectoriais definidos por:

+

z

2

)j

e

g(u,v,w)

= uv

2

w

2

i

+

w

2

sen

vj

+

u

2

e

v k

a) Determine as matrizes Jacobianas Jf (x, y,z) e Jg(u,v,w).

b) Calcule a composição h(u,v,w) = f [g(u,v,w)].

c) Calcule a matriz Jh(u,0,w).

SOLUÇÕES DE ALGUNS EXERCÍCIOS

CAP. 4 - DERIVAÇÃO DE FUNÇÕES COMPOSTAS

1. a)

w

r

=

f

x

b)

2 w

=

2

2

f

=

x

2

r

2

2.

dz =

dt

f dx

x

dt

cos

+

f

y

sen

sen

2

+

f dy

y

dt

2

f

∂ ∂

y

x

r

2

sen

w

cos

=

r

f

f

r

x

sen +

r

2

y

f

r

2

cos

f

cos

cos

x

∂ ∂

x

y

sen

+

2

f

y

2

r

2

2

cos

r

f

y

sen

3.

4.

5.

6.

8.

9.

10.

11.

∂ ∂

s

t

2

F

1

=

=

f

x

1

2

r

+

s

=

(

cos y

+

y cos x

)

2

x cos y

+

y

sen

x

v

+

y cos x

1

+

r

+

v

s

2

=

(

x

2x

y

sen

+

 

y

sen

x

)

+

x cos y

(

2x - y

)

2

+

y

sen

x

 

v

sen x

v

2

 

2x

 

y

 

(

2x - y

)

2

x

+

f

y

;

F

=

f

x

+

f

y

y

f

s

x

y

x

s

2

+

f


t

x

x

y

+

t

x

y

y

t

+

2

f

y

y

+

f

2

x

z

z

y

a)

2

s

F

x

=

=

cos y +

v

1

v

x

sen

F

=

f

x

2

+

f

2

y

2

2

x

s

t

∂ ∂

x

y

s

+

t

2

2

+

2 f

 

x  

x

t

2

x

t

2

x

2

t

t

y

s

y

y

2

s

f

2

t

y

+

x

∂ ∂

s

t

2 f


y

2

∂ ∂

s

t

2

f

+

∂ ∂

x

y

t

t

t

y

t

2

y

2

b)

r

u

=

3

x

2

y

2

r

= ∂ t 2 ∂ w ∂ x ∂ y
=
t
2
w
x
y

w

u

=

(

3

x

2

x= y= 1

4

(

u

2

y

=

2

)

v

t

264 ;

+

v

2

)

u

+

a)

w

t

b)

w

t

f

x

g

z

h

t

=


= 6cos4 + 7

(

3

(

3

2

xy

2

xy

)

1

r

,

u

v

)

1

t

=

(

3

1

u

;

+

g

t

+

f

z

w =

v

(

4 u

h

t

+

f

t

x

2

2

+

v

y

2

2

)log t

+

(

3

)

v

+

1

1

v

v

3

2

xy) v

2

a)

b)

a)

Jf ( x, y ) =

Jh(1, 1,1)


cos( x

e

x

+

+

2

y

2

=

3

3

0

0

Jf ( x, y,z ) =

2x

2

1

1

y )

9

9

1

2z

2

;

2 e

x

+

cos( x

2

y

+

2


y )

Jg( u,v,w ) =

; Jg( u,v,w ) =

v

2

2

w

0

2 ue

v

2uvw

2

2

w

u

cos v

2

e

v

b) h( u,v,w )

=

c) Jh( u,0,w ) =

uv

(

2

4u

2u

3

w

2

)

2

w

2

2

w

+

2

w

sen

2

4

+

+

u

2u

v

+

0

0

u

2

e

v

2

, uv

2

2

w

+

2

w

sen

v

1

2

+

u

4

v

2

2

2uv w

2w

sen

0

v

(

u

2

e

v

)

2

9

w

0

2

20

21

CAP. 5 - FUNÇÕES IMPLÍCITAS E SUA DERIVAÇÃO

1. Considerando que as equações seguintes definem z como função implícita de x e de y, calcule

z

x

e

a) xz

b) xe

2

yz

z

, nos pontos indicados:

yz

y

2

+

2

xy z

5=

0 , no ponto (3,1,1).

zx

+ +

ye

ze

xy

=

3

, no ponto (1,0,2)

2. A equação

Calcule

f

x

x + z +

f

,

y

(

e

y + z

2

)

2

f

x

y

=

6

define z como função implícita de x e de y, seja z = f (x, y).

, em função de x, y e z.

3. Considere que as equações x

2

+

zy

2

+ 3

Calcule

dz

dx

e

dy

dx , no ponto (2,0,2).

xz

4

z

2

=

0 e

xyz

= 0 definem z e y como funções de x.

4.

As

equações

2

x

3

y + yx

2

+ t

satisfaz

f (t)= [x(t), y(t)] que

2

=

0

e

x + y + t = 1

definem

a

implicitamente

tangente

à

f (1) = ( 1,1).

Determine

recta

parametricamente por f(t) em t=1.

5. O sistema de equações


2

x

2

x

xy

+

(

y cos uv

)

+

z

2

=

0

2

y

sen

sen

(

u cos v

uv

+

)

z

+

=

2z

0

2

= 2

uma

curva

função

descrita

define x, y e z como funções de u e v. Calcule

x

u

e

x

v

em x=1, y=1, z=0, u= /2 e v=0.

6. Sabendo que o sistema

x

y

2 2

2

3

+

u

u

3

v

3v

= 0

+

2

=

0

define u e v como funções implícitas de x e y, calcule em v=0 e x=y=u=-1 as derivadas

u

y

e

2

v

y

2 .

22

7. Seja f : R

3

R

tal que

f

(

x, y,z

)

= y

xz

e

z

.

a) Mostre que a equação

f (x, y,z) = 0 define z como função de x e y, numa vizinhança de

b)

z

x

z

g

y

x

2

(1,1,0). Calcule em seguida

Seja g: R

3

R

tal

e

nesse ponto.

x

que g(1,1,0)=0 e

π 0. Mostre que f(x,y,z)=0 e g(x,y,z)=0 definem x e z

como funções de y numa vizinhança de (1,1,0) e calcule dy dx

e

dz

dy

nesse ponto.

8. A intersecção das duas superfícies dadas pelas equações cartesianas 2

x

2

+

3

y

2

2

z =

25

e

define uma curva C que passa no ponto P = ( 7 ,3,4). Aquelas duas equações

x

formam, por outro lado, um sistema que pode ser resolvido em relação a x e a y em função de z,

obtendo-se assim a representação paramétrica de C com z como parâmetro. Calcule o vector

tangente a C no ponto P pelos seguintes processos:

2

+ y

2

=

z

2

a C no ponto P pelos seguintes processos: 2 + y 2 = z 2 a)

a) Sem utilizar o conhecimento explícito da representação paramétrica da curva C.

b) Utilizando a representação paramétrica explícita da curva C.

c) Através do produto vectorial de dois vectores normais a cada uma das superfícies.

SOLUÇÕES DE ALGUNS EXERCÍCIOS

CAP. 5 - FUNÇÕES IMPLÍCITAS E SUA DERIVAÇÃO

1.

a)

z

x

( 3,1,1 )

=

2 / 7

,

z

y

(3,1,1)

=

5 / 7

b)

z

x

( 1,0,2 )

=

1

,

z

y

(1,0,2 )

=

4

e

2

∂ f 1 f 2 ( y + z ) ∂ 2 f 2 2.
f
1
f
2 (
y
+
z
)
∂ 2
f
2
2.
=
=
;
=
3
x
1
+
2(
y
+
z
) ; ∂ ∂
y
1
+
2 (
y
+
z
)
x
y
1
+
2
(
y
+
z
)
dz
; dy
3.
( 2 )
=
1
dx (2) = 0
4. r( t ) = ( 1,1 ) + t( 3, 2 )
dx
x
x
u
∂ 2
v
5.
= 0
; ∂
6. ∂
= 0
;
2 =
1
∂ u
v
= 12
y
y
g
g
2
z
1
dx
z
y
dz
1
7. a)
= 0 ;
=
; b)
(1) =
e
(1) =
x
4
dy
g
dy
2
(1,1)
2
(1,1)
x
8. a), b), c)
± (8 /
7 , 4 / 3,1)

23

CAP. 7 - MÁXIMOS E MÍNIMOS DE FUNÇÕES REAIS DE n VARIÁVEIS

7.1 - MÁXIMOS E MÍNIMOS LIVRES

1. Determinar e classificar os pontos críticos das seguintes funções:

a)

b)

c)

d)

e)

f)

g)

f

f

x z = x

z

=

(

(

)

)

2

4

(

(

=

x,y =

x, y

x

x

+

+ y

xy

4

f

f

f

(

(

(

)

)

)

= x

2

x,y x,y x,y = 2x

= x

+

1

1

)

)

y

2

2

2

+ 2y

2y

2

2

2x

y

+ y

2

2

(

y

3

2y

3

x

2

y

2

2

1

+ 6x

)

2

y

3x

2

7.2 - MÁXIMOS E MÍNIMOS CONDICIONADOS

1. Determinar o

x + y 3.

máximo e o

mínimo de

z

=

x

2

xy

+

y

2

+

x

+

y

na região

x

0,

y

0,

2. Determinar os extremos das seguintes funções sujeitos às condições dadas:

a)

b)

c)

d)

f(x,y)= xy com a condição x+y=1.

f(x,y)=6-4x-3y com a condição x

f(x,y,z)=x-2y+2z com a condição x

2

+

2

y

+

f(x,y,z)=x+y+z com as condições x

2

2

= 1.

2

y

+

+

z

y

2

2

= 9.

=

2

e x+z=1

3. Determinar o ponto do plano de equação cartesiana 2x-y+2z=20 mais perto da origem.

4.

Determine

x

2

+ y

2

= 1

os

pontos

da

curva

de

mais próximos da origem.

intersecção

das

superfícies

x

2

xy + y

2

z

2

=

1

e

5. Determine os extremos das funções dadas nas regiões indicadas

a)

b)

z

z = x

x

=

2

2

y

na região x

2

+

y

2

1.

+ 2x + y

2

na região x

2

+

y

2

4

.

SOLUÇÕES DE ALGUNS EXERCÍCIOS

7.1 - MÁXIMOS E MÍNIMOS LIVRES

24

1.

a)

(1,0) ponto de mínimo absoluto; b) (1,0) ponto de sela; c) (1,0) ponto de mínimo

d)

(0,0) ponto de mínimo absoluto; e) (0,0) ponto de mínimo, (1,1), (1,-1), (-1,1) e (-1,-1) pontos

em sela; f) (0,1) ponto de máximo;

g) (0,0) nada se conclui, (3,3) e (-1,1) pontos de sela.

7.2 - MÁXIMOS E MÍNIMOS CONDICIONADOS

1.

Máximo absoluto em (0,-3) e (-3,0) de valor 6 e mínimo absoluto de valor -1 no ponto (-1,-1).

2.

b) (-4/5,-3/5) é ponto de máximo e (4/5,3/5) é ponto de mínimo.

c) (1,-2,2) ponto de máximo e (-1,2,-2) ponto de mínimo.

d) f ( 0,

c) (1,-2,2) ponto de máximo e (-1,2,-2) ponto de mínimo. d) f ( 0, 2 ,1

2 ,1 ) =

1 +

c) (1,-2,2) ponto de máximo e (-1,2,-2) ponto de mínimo. d) f ( 0, 2 ,1

2 é o máximo e

f ( 0,

c) (1,-2,2) ponto de máximo e (-1,2,-2) ponto de mínimo. d) f ( 0, 2 ,1

2 ,1 ) = 1

2 é o mínimo.

2 é o mínimo.

4.

5.

(0,-1,0), (0,1,0), (-1,00) e (1,00)

a) (±

(0,-1,0), (0,1,0), (-1,00) e (1,00) a) ( ± 2 / 3 , 1 / 3 )

2 / 3, 1 /

3) pontos de mínimo; (±

(0,1,0), (-1,00) e (1,00) a) ( ± 2 / 3 , 1 / 3 ) pontos
2 / 3,1 /
2 / 3,1 /

3) pontos de máximo.

b) o mínimo é –1 no ponto (-1,0) e o máximo é 8 no ponto (2,0).