Você está na página 1de 2

1- Nmero de Reynold O que ? um nmero adimensional usado para o clculo do escoamento de determinado fludo sobre uma superfcie.

ie. Para que serve? Ele permite avaliar o tipo de escoamento, indicando se flui de forma laminar ou turbulento. Re < 2.000 escoamento laminar 2.000 < Re < 2.400 escoamento transio Re > 2.400 escoamento turbulento 2- Vazo (Q) 500 L/min. 1 min.= 60s

3- Aplicao do n de Reynold Calcule o n Re e defina o tipo de escoamento do sistema, sabendo-se que o fludo H2O, a velocidade 400 cm/s, o dimetro da tubulao 500 mm e a viscosidade cinemtica 500 Cst. 400 cm/s = 4 m/s 500 mm = 0,5 m 500 Cst = 500 x 10-2 x 10-4 = 5 x 10-4 m2/s Re = 4.000 Escoamento turbulento

4- O que empuxo? uma fora contrria ao peso (Num corpo total, parcialmente imerso num fludo, age uma fora vertical de baixo para cima, chamado empuxo, cuja intensidade igual ao peso do volume do fludo). 5- Aplicao do empuxo 2.37- Um cilindro de ferro fundido, de 30 cm de dimetro e 30 cm de altura, imerso em gua do mar ( = 10.300 N/m3). Qual o empuxo que a gua exerce no cilindro? Qual seria o empuxo se o cilindro fosse de madeira ( = 7.500 N/m3)? Nesse caso, qual seria a altura submersa do cilindro?

A= . r2

(Ferro) E = fludo . V corpo E = 10.300 . 0,021 E = 216,3 N (Madeira) E = G = madeira . Ah E = 7.500 . 0,021 E = 157,5 N

V corpo = 0,07 . 0,3 V corpo = 0,021 m

E = fludo . V E = fludo . A. hsub 157,5 = 10.300 . 0,07 . hsub 157,5 = 721 hsub

2.41- Um corpo pesa 800 N no ar e, quando imerso em gua ( = 10.000 N/m3) tem um peso aparente de 500 N. Determinar o volume do corpo e seu peso especfico. Obs. peso aparente o peso do corpo menos o empuxo. Gap = Gcorpo E E = Gcorpo Gap E = 800 500 E = 300 N
Gcorpo = corpo . V corpo

E= Gcorpo Gap E = fludo . V corpo

E=.V Peso aparente = peso do corpo = empuxo

Vazo Exemplo Determinar velocidade mdia correspondente ao diagrama de velocidades a seguir.


Supor que no haja variao da velocidade segundo a direo normal ao plano da figura.

A=b.h

6- Equao da continuidade
Seja o escoamento de um fludo por um tubo de corrente(no pode haver fluxo lateral de massa). Seja a vazo em massa na seo de entrada Qm1 e na sada Qm2. Para que o regime seja permanente, necessrio que no haja variao de propriedades, em nenhum do fludo, com o tempo. Se, por absurdo Qm1 Qm2, ento em algum ponto interno ao tubo de corrente haveria ou reduo ou acmulo de massa. Dessa forma, a massa especfica nesse ponto variaria com o tempo, o que contrariaria a hiptese de regime permanente regime permanente.

Exemplo Um gs escoa em regime permanente no trecho de tubulao da figura. Na seo (1), tem-se 20 cm2, 1 = 4 Kg/m3 e v1 = 30 m/s. Na seo (2), A2 = 10 cm2 e 1 = 12 Kg/m3.

A1 =

A1 = 20 cm2 = 20x10-4 = 2x10-3 m2 A2 = 10 cm2 = 10x10-4 = 1x10-3 m2

Qm1 = Qm2
gases

Q1 = Q2 v1 . A1 = v2 . A2

1 . v1 . A1 = 2 . v2 . A2

Liquido Fludos incompressveis