Você está na página 1de 8

Resolução M I — Exame 1- a época

— 07/09/2009

Considere a função

y

=

arcsen

Grupo I

e

x

2

+

1  

2

.

a) Determine o domínio da função.

b) Determine o contradomínio da função.

c) Recorra ao teorema da derivada da função inversa para mostrar que

x 2 d y e = d x 3 2 x 4 x 2 e
x
2
d
y
e
=
d
x
3
2
x
4
x
2
e
e
4

.

Resolução.

a)

 

1

e

x

2

+

<

(

ln e

x

D

y =

]

b)

, 2

Levando em conta que o domínio da função

1

2

2 )

1

ln

1

2

 

 

ln2 ]

.

3

2

e

x

2

<

1

2

x

2

0

ln

<

2

e

x

y

2

= arcsenx é

1

2

<

x

2

[ 1, 1]

ln 2

Levando em conta que o domínio da função

conjunto D

y =

]

, 2

ln 2 ]

temos:

y

=

arcsen

e

x

<

<

0

6

<

e

x

x

2

2

1

2

arcsen e

ln

2

x

2

+

1 x

<

e

2

1  

2

2

2

<

+

x

1

2

2

1

6

<

y

ln

2

arcsen

2

.

0

 

1

 

2

<

e

<

x

2

e

l n

arcsen e

2

x

Portanto

CD

y

2

=

+

1

2

6

,

2

temos:

2

+

1

2

 

arcsen

.

1

é

o

c)

Na base do teorema

d y

1

=

d

x

d x

d y

.

Determinemos a função inversa da função

y

y

=

arcsen

e

x

sen y

x

=

2

1

2

=

e

x

2

+ ln sen y

2

+

1

2

1

2

.

(

ln e

x

2

sen y

=

sen arcsen

1

2

)

=

ln sen y

e

Calculemos

x =

d

x

.

 

d

y

x =

d

d

x

y

=

2

+

ln sen y

1

2

   

 

=

cos y

1

 

sen y

2

Portanto

 
 

1

d

y

=

1

=

1

=

sen y

2

d

x

d x

cos y

 

cos y

.

 

d y

sen y

1

2

.

1

Na determinação da função inversa temos

Determinamos cos y :

sen y

2

sen y

1
1

2

2 2 sen y + cos y = 1 € cos y 3 2 x
2
2
sen y
+
cos y
=
1
cos y
3
2
x
4
x
2
cos y
= ±
e
e
.
4

= ±

=

x

arcsen

e

x

2

+

1

2

.

2

x

+

1

2

2

   

 

=

sen y

1

2

ln sen y

=

e

x

x

= e

2

.

cos y = ±

2  1  x 2 1  e +   2 
2
1 
x
2
1
e
+
2

2

+

1

2

 

y

=

6

3 2 x 4 x 2 e e 4
3 2
x
4
x
2
e
e
4
 

De

CD

,

2

resulta

 

=

 

e portanto

cos y

1

 

d

y

1

1

sen y

2

e

x

2

 

=

=

=

=

d

x

d x

d y

 

cos y

1

sen y

2

 

cos y

3 4
3
4

2

x

4

x

2

.

   

e

e

1) Considere a equação

Grupo II

x y + x

y

ln(x y) = 0

que define implicitamente uma função y = f (x) numa vizinhança do ponto (1, e ). Escreva a equação da recta tangente ao gráfico da função y = f (x) no ponto com abscissa x = 1. 2) Aplique a regra de Cauchy para calcular os limites:

a)

lim

x

0

tgx

x

senx

x

;

b)

lim

x

e

ln x

e

x

e

.

3) Escreva a fórmula de Maclaurin com o resto de terceira ordem que aproxima a função

Resolução.

1)

f

(x) = sen(e

x

+ x 1) .

A equação da recta tangente ao gráfico da função y = f (x) no ponto com abscissa

x = x

0 é

y

t an

=

f

(

x

0

)

+

f

(

x

0

)

(

x

x

0

)

.

Calculemos a primeira derivada da função pela expressão

y = f (x) definida implicitamente

x y + x

(

x y + x

+

y

y

ln(x y) = 0.

0

x y + x

 

y

 

(

x

 

y

)

 

 

+

1

y

y

+

x

y

+

1

y

ln(x y) = 0

( )

ln x

(

y

)

y

+

x

y

=

0

x

y

ln(x y)

)

=

1

(

y

y

)

= 0

y

+

x

y

+

y

+

1 x

1

y

y

x

e

+

y

1

=

0

y

=

e

2

.

=

0 1

e

1 e

Portanto a equação da recta tangente ao gráfico da função abscissa x = 1 é

y = f (x) no ponto com

y

t an

=

e

+

e

2

(x

1)

=

e

2

x

+

e

e

2

.

2)

a)

lim

x

0

tgx

x

senx

x

=   0   =

0

 

RC

lim

x

0

(

tgx

x

)

(

senx

x

)

=

lim

x

0

1

2

1

cos x

cos x

1

=   0   =

0

 

RC

lim

x

0

1

2

1

cos x

(

cos x

1

)

=

=

lim

x

0

(

cos

2

x

)

senx

=

lim

x

0

2

cos

3

(

x

)

(

senx

)

senx

=

lim

x

0

2

3

cos x

=

2 .

b)

lim

x

e

ln x

e

x

e

=

(

1

)

=

lim

x

e

exp

ln

ln x

e

x

e

=

lim

x

e

exp

= exp


lim

x

e

ln x   

e

ln

x

 

e

0   = exp

0

 

=

lim

x

e

e

ln

ln x  

 

 

(

x

e

)

e

x

e

 

ln ln x  

 

=

= exp

lim

x

e

1

1

e

lnx

x

= e

1

3)

A fórmula de Maclaurin para a função f (x) com o resto de terceira ordem é:

f

(

x

)

=

f

(0)

+

f (0)

1

!

x

+

f

(0)

2

!

x

2

+

R

3

(

x

)

.

Portanto temos:

f (x) = sen(e

f (

f

=

= e

f (0) = e

x

+ x 1) ,

((

e

x

(

e

x

+ 1

(

(

0

+

+

cos

e

x

e

x

+ x

)

cos

x

x

(

e

0

)

1 )

+

1

1) (

(

+

e

e

(

(

x

e

e

x

x

x

0

1)

f

(0)

= sen

(

e

0

+

0

+1)

1)

= sen

cos

(

e

x

)) (

e

x

1)

+

=

x

0

0

;

1)

x

)

= cos

(x) =

e

x

x

cos

cos

+ x

+ x 1

1) = ( )) =

e

x

+ 1

+

)

1)

(

sen

2

sen

(

(

e

0

+

1)

2

(

e

e

x

x

+ x

sen

(

e

0

, f (0) = 2 ;

) =

+ x 1

1)

+

.

0

+ x 1

=

1

.

Então a fórmula de Maclaurin para a função terceira ordem é:

+ R

2

1

f

(

x

)

=

0

+

1

!

x +

2

!

x

2

3

f (x) = sen(e

(

x

)

=

2

x +

2

x

2

x

+ x 1)

+ R

3

(

x

)

.

com o resto de

Grupo III

1) Calcule os integrais.

1 1 1 2 2 ( 2 ) 2 2 x 1 d x 
1 1
1
2
2
(
2
)
2 2 x
1
d
x
dx
=
dx
dx
=
 arcsenx 
2
2
2
1
x
1
x
1
x
0
0
0
1
1
1 1
2
1
2
2 2
(
2
)
1 (
2 )
(
2 )
=
1
x
2 ◊
d
1
x
 
arcsenx 
=
2
◊ 
1
x
2
 arcsenx 
=
0
0
0 
0
1
2 
2
 1 
 1 
(
2 )
= 2
1
1
0
1
2 
 
arcsen
arcsen 0
=
3
+
2
.
 
2
2
6
 
 
 
 
e
2
b)
ln
x
◊ dx
.
1
b
b
b
Integramos por partes:
u
dv
=
(
u
v
)
∫ v
du
.
a
a
a
1
2
(
2
)
Escolhemos u
=
ln
x
e
dv = dx . Então
du
=
ln
x
◊dx =
2
◊ln x ◊
dx
e
x
Portanto

1

2

0

e

1

ln

2

x

dx

=

x

ln

2

x

e

1

e

1

x

2

lnx

1

x

dx

=

(

e

ln

2

e

1

ln

2

1

)

2

e

1

lnx dx

=

= .

v = x .

=

e

2

e

1

lnx dx

=

Integramos

segunda

vez

du

=

(

lnx

)

dx =

1

x

dx

e

por

partes.

v = x .

Escolhemos

Portanto na continuação temos:

=

e

2

x

lnx

e

1

e

1

dx

=

e

2

e

lne

1

ln

1

u = ln x

 

x

 

e

1

=

e

2

e

(

e

dv = dx .

e

+

1)

=

e

Então

2

.

c)

2

0

1

1

+

e x

dx

.

Integramos por substituição:

e

x =

t

,

x

=

lnt

,

dx

=

1

 

t

dt .

Determinamos os limites de integração para a variável t :

x i nf

=

0

Portanto

2

0

1

1 + e

x

dx

=

e

t

2

1

i nf

= e

0

=

1

, x

1

t

(1

+

t

)

dt

=

sup

=

2

t

sup

=

e

2

.

Representamos a função integranda em soma de fracções elementares.

1 a b  a = 1 = + € 1 = ( a +
1
a
b
a = 1
=
+
1
=
(
a
+
b
)
◊ +
t
a
t
(1
+
t
)
t
t +
1
b =
1
Na continuação temos:
2
2
e
e
1
1
2
2
=
◊ dt
=
ln
t
ln
1 +
t
= ln
e
ln
1 + e
t
1 +
t
1
1
(1
2 )
= 2
ln
+ e
+ ln
2
.
 

1

=

1

1

 

.

 

t

(1

+

t

)

t

t + 1

ln

1

+ ln

2

=

2 2) Determine o valor médio, , da função f ( x ) = 4
2
2)
Determine o valor médio,
,
da função
f
(
x
)
=
4
x ◊
x
+
4
no segmento
f med
[0, 2
3 ].
Resolução.
2
3
2
3
1
1
2
2
2
=
4
x
x
+
4
dx
=
x
+
4
d
(
x
+
4)
=
f med
2
3
3
0
0
2
3
3
3
2
3
1
(
2
)
3
1
1
x
+ 4
2
2
2
(
)
2
( x
)
2
(
2
)
=
2 +
4
2
◊ d
(
x
+
4)
=
=
◊ 
2
3
+
4
0
+
4
2
3
3
3
3
3
0
2
0
3
3
2
=
16
2
4
2
3
3
2
112
=
(64
8)
=
.
3
3
3
3

=

Seja

cartesiano:

1)

A =

{( ,

x

y

)

a) Esboce a região

R

2

A ;

:

y

Grupo IV

x

2

+

9

y

2

x +

1

b) Calcule a área da região A ;

Resolução.

a)

y e

x

x

1}

região do plano

A ; Resolução. a) y ≥ e x x 1 } região do plano A =

A = A

1

+ A

2

.

A

região

A e

1

limitada

superiormente

pela

função

f

(

f

(

x

x

)

)

= x

= x

2

2

+

+

9

9

,

inferiormente pela função g(x) = 2x + 1 , à esquerda pelo ponto de intersecção dos gráficos destes funções e à direita pelo segmento do eixo O y ( a recta x = 0 ) .

e

A abscissa do ponto de intersecção dos gráficos

das funções

g(x) = 2x + 1 obtém-se resolvendo a equação

x

2

+ 9

=

2

x +

1

x

2

2

x

8

o

ponto

de

intersecção

=

0

dos

A

região

A

2

x = 2 .

limitada

h(x) = e

Portanto g(x) = 2x + 1 tem abscissa

e

inferiormente pela função segmento da recta x = 1.

x 2 + 9 = 2 x + 1 . 2 ± 4 + 32
x
2 +
9
=
2
x +
1
.
2
±
4
+
32
x =

2

das

funções

pela

função

O y

gráficos

superiormente

x , à esquerda pelo eixo

x

f

(

=

x

)

2

= x

x

2

=

+

e

f

(

x

)

= x

2

á direita

4

9

.

e

9

+

pelo

,

b)

A

=

=

=

=

0

1

 

=

A

1

 

+

A

2

=

(

x

2

+

9

+

2x

 

1

)

dx

+

(

 

2

0

 

0

(

x

2

+

2x

+

8

)

dx

+

1

(

x

2

+

9

e

x

)

dx

2

 

0

 

3

 

0

 

3

1

0

 

x

3

+

2

x

+

8 x

 

2

+

x

3

+

9 x

 

e

x

0

 

( 2)

3

3

+

(

2)

2

+

8

(

2)

 

+

 

1

3

+

9

 

7

+

22

 

e =

73

 

e .

 

3 3

x

=

=

2

e

+

9

(

e

x

1)

)

dx

=

8

3

=

4

+

16

1

3

+

9

e

+

1

=

2) Calcule o comprimento da linha dada pela função

f

(

x

) = 2

x e 1
x
e
1

2arctg

( 1 ) x e
(
1 )
x
e

entre os pontos com as abcissas x = 0 e

Resolução. 2 l = 1 + [ f (x) ] 2 ∫ ◊ dx .
Resolução.
2
l
=
1
+
[
f (x)
]
2
◊ dx .
0
(
(
))
x
x
f
(
x
) =
2◊
e
1
2 ◊
arctg
e
1

x = 2 .

=

2

f ( x ) = 2◊ e 1 2 ◊ arctg e 1 x = 2

2

(

arctg

( x e 1
(
x
e
1

)) =

x ( ( )) e x = 2 ◊ 2 ◊ arctg e 1 =
x
(
(
))
e
x
=
2
2
arctg
e
1
=
2
x
2
e
1
x
x
e
1
e
1
x
=
= =
e
1
.
x
x
x
e
1
e
1 e
1
Portanto
x 1 e 2 ◊ ◊ ( ) 2 x x 2 ◊ e 1
x
1
e
2 ◊
(
)
2
x
x
2
e
1
1
+
e
1
2 2 l ∫ = 1 + [ f (x) ] ◊ dx = 0
2
2
l ∫
=
1
+
[ f (x)
]
dx
=
0
2 x
x
x
 
= e
2
2 ◊
d
= 2
◊ e
2
 
2
0
2 ( ) 2 x ∫ 1 + e 1 ◊ dx 0 2 
2
(
)
2
x
1
+
e
1
◊ dx
0
2
 
=
2
(
e
1)
=
2
e
 
0
2 2 x x = ∫ e ◊ dx = ∫ e 2 0 0
2
2 x
x
=
e
dx
=
e
2
0
0
2 .

dx

=

=