Você está na página 1de 17

DIMENSIONAMENTO DE LAJES MACIÇAS

Vão

Vão livre (l0):

Distância entre as faces dos apoios ou da extremidade

livre até a face do apoio.

Vão teórico (l):

Distância entre os centros dos apoio.

Em laje isolada: l=l0+h; Em vão extremo de laje contínua: l=t/2+h

Sendo:

b=Dimensão do apoio interno; h =espessura da laje no meio do vão.

Em laje em balanço: l=l0+t/2

Usual adotar centro a centro de apoio.

Centro do apoio

máx l h l = l 0 + h l 0 b 1 b 2
máx l
h
l = l 0 + h
l 0
b 1
b 2
Centro do apoio máx l h l = l 0 +1/2 h l 0 b
Centro do apoio
máx l
h
l = l 0 +1/2 h
l 0
b
Centro do apoio máx l (vão extremo) máx l (vão intermediário) h h l =
Centro do apoio
máx l (vão extremo)
máx l (vão intermediário)
h
h
l = l 0 + ½h + ½b 2
l = l 0 + ½b 2 + ½b 3
l 0
l 0
b b
b 3
2
b 1
2

Classificação

Sendo:

Se:

lx = menor vão; ly = maior vão.

l y l x
l
y
l
x
Sendo: Se: l x = menor vão; l y = maior vão. l y l x

1

> 2 Laje armada em uma direção

l y = maior vão. l y l x 1 > 2 – Laje armada em

2 Laje armada em duas direções

lx

l y = maior vão. l y l x 1 > 2 – Laje armada em
l y = maior vão. l y l x 1 > 2 – Laje armada em

ly

Esquemas estáticos

B A L01 L02 A Corte B h 2 h 1 Corte A Corte A
B
A
L01
L02
A
Corte B
h
2
h
1
Corte A
Corte A
Esquemas estáticos B A L01 L02 A Corte B h 2 h 1 Corte A Corte

Vinculação

Vinculação Borda livre: sem apoios Borda apoiada: sobre viga ou alvenaria Borda engastada: em laje adjacente

Borda livre: sem apoios

Borda apoiada: sobre viga ou alvenaria

Borda engastada: em laje adjacente

Vinculação Borda livre: sem apoios Borda apoiada: sobre viga ou alvenaria Borda engastada: em laje adjacente

Não continuidade na vinculação

L02 l x2 l y2
L02
l x2
l y2
L03
L03
L01 l x1 l y1
L01
l x1
l y1

Verificar ordem de grandeza das espessuras das lajes;

Verificar relação entre as dimensões.

Critério pela análise dos momentos de engaste entre as lajes

Critério pela análise dos momentos de engaste entre as lajes

Espessuras, cobrimentos e pré-dimensionamento

Espessuras mínimas e pré-dimensionamento Sistemas estruturais;

Cobrimentos Concreto 1

Definição da forma

Cobrimentos – Concreto 1 Definição da forma Esforços: ações, reações de apoio e momentos Ações
Cobrimentos – Concreto 1 Definição da forma Esforços: ações, reações de apoio e momentos Ações

Esforços: ações, reações de apoio e momentos

Ações usuais: peso próprio da estrutura; revestimentos; sobrecargas de utilização. Peso próprio: 25kN/m3;

Revestimentos: tabelas;

Sobrecargas: tabelas.

Peso específico de alguns materiais de construção

 

Materiais

Peso específico Aparente kN/m 3

 

Arenito

26

Rochas

Basalto

30

Gneiss

30

Granito

28

Mármore e Calcário

28

 

Blocos de argamassa Cimento amianto Lajotas cerâmicas Tijolos furados

22

Blocos artificiais

20

18

13

Tijolos maciços

18

Tijolos sílico-calcários

20

 

Argamassa de cal cimento e areia Argamassa de cimento e areia

19

Revestimentos e concretos

21

Argamassa de gesso

12,5

Concreto simples

24

Concreto armado

25

 

Pinho, cedro Louro, imbuia, pau óleo

5

Madeiras

6,5

Guajuvirá, guatambu, grapia

8

Angico, cabriúva, ipê róseo

10

 

Aço Alumínio e ligas Bronze Chumbo Cobre Ferro fundido Estanho

78,5

Metais

28

85

114

89

72,5

74

Latão

85

Zinco

72

 

Alcatrão Asfalto Borracha Papel Plástico em folhas Vidro plano

12

Materiais diversos

13

17

15

21

28

Ações permanentes por unidade de área

ITEM

MATERIAL

AÇÃO

kN/m 2

 

Tijolos maciços com 25 cm de espessura

4,0

PAREDES

Tijolos maciços com 15 cm de espessura

2,5

Tijolos furados com 23 cm de espessura

3,2

Tijolos furados com 13 cm de espessura

2,2

Tijolos de concreto com 23 cm de espessura

3,5

Tijolos de concreto com 13 cm de espessura

2,2

Tijolos de concreto celular com 23 cm de espessura

0,8

Tijolos de concreto celular com 13 cm de espessura

0,5

 

Telhas cerâmicas, com madeiramento

1,2

COBERTURAS

Telhas de fibrocimento, com madeiramento

0,4

Telhas de alumínio e estrutura de aço

0,3

Telhas de alumínio e estrutura de alumínio

0,2

FORROS

Painéis de gesso com estrutura de madeira e aço

0,5

Blocos sólidos de gesso

0,7

CAIXILHOS

Estrutura de alumínio, com vidros

0,2

Estrutura de aço, com vidros

0,3

TELHAS

Fibrocimento tipo canalete 43

0,28

Fibrocimento tipo canalete 90

0,25

Valores mínimos das ações variáveis normais

 

AMBIENTE ARQUITETÔNICO

AÇÃO

 

KN/m 2

Casas de máquinas

(incluindo o peso das máquinas) a ser determinado em cada caso, porém com o valor mínimo de

7,5

Corredores

Com acesso ao público

3

Sem acesso ao público

2,5

Edifícios residenciais

Dormitórios, sala, copa, cozinha e banheiro

1,5

Dispensa, área de serviço e lavanderia

2

Escadas

Com acesso ao público

3

Sem acesso ao público

2,5

Escolas

Anfiteatro com assentos fixos, corredor e salas de aula

3

Outras salas

2

Escritórios

Salas de uso geral e banheiro

2

Forros

Sem acesso a pessoas

0,5

Galerias de arte

A ser determinado em cada caso, porém com o valor mínimo de

3

Galerias de lojas

A ser determinado em cada caso, porém com o valor mínimo de

3

Garagens e

Para veículos de passageiros ou semelhantes com carga máxima de 25 kN por veículo

3

Estacionamentos

Ginásio de esportes

 

5

Terraços

Sem acesso ao público

2

Com acesso ao público

3

Inacessível a pessoas

0,5

Exemplo de cálculo das ações

Exemplo de cálculo das ações L01 V05 L02 Enchimento com 20 cm Concreto armado; Contrapiso de
Exemplo de cálculo das ações L01 V05 L02 Enchimento com 20 cm Concreto armado; Contrapiso de
L01 V05 L02
L01
V05
L02

Enchimento com 20 cm

Concreto armado; Contrapiso de argamassa de cimento e areia; Piso:

Tacos de ipê (2 cm): L01, L04, L05;

Piso cerâmico (0,5 cm): L03, L02;

Revestimento do forro de argamassa de cimento, cal e areia;

Enchimento laje banheiro (

cm): L03, L02; Revestimento do forro de argamassa de cimento, cal e areia; Enchimento laje banheiro

= 13 kN/m 3 ).

Reações de apoio

Processo das áreas

45° entre dois apoios do mesmo tipo;

60° a partir do apoio engastado, se o outro for simplesmente apoiado; 90° a partir do apoio vinculado (apoiado ou engastado), quando a borda

vizinha for livre.

(apoiado ou engastado), quando a borda vizinha for livre. Cálculo mediante tabelas – Apresentação das tabelas

Cálculo mediante tabelas Apresentação das tabelas

Casos de lajes armadas em uma direção 1,0 m m ’ x ' m x
Casos de lajes armadas em uma direção
1,0 m
m ’ x
'
m
x
y
l
x
m
x
x
m
x

l y > 2l x

Para laje biengastada:

m

m

'

x

q l )
q l
)

2

x

(
(

g

12

q l )
q l
)

2

x

(
(

g

x
24

q l )
q l
)

2

x

(
(

g

8

q l )
q l
)

2

x

(
(

g

14 , 22

v ' 0 , 6 ( g x v ' 0 , 4 ( g
v
'
0 , 6 ( g
x
v
'
0 , 4 ( g
x

q ) l ) l

) 2 x ( g x 24 q l ) 2 x ( g 8 q

q ) l

x

x

Exemplos: Determinar as espessuras para as lajes abaixo, considerando aço

CA50:

l x = 2,30m l y = 3,20m l x = 2,00m l y =
l x = 2,30m
l y = 3,20m
l x = 2,00m
l y = 4,20m
l x = 1,80m
l y = 3,00m

Exemplos: Calcular as reações considerando g+q = 6 kN/m 2

Calcular as reações considerando g+q = 6 kN/m 2 l x = 3,00 m l y

l x = 3,00 m l y = 4,50 m

Calcular as reações considerando g+q = 6 kN/m 2 l x = 3,00 m l y

l x = 3,00 m l y = 4,50 m

Exercício: Determinar as condições de engastamento; determinar as espessuras

das lajes; determinar as ações a serem consideradas para cada laje; calcular as reações de apoio.

Dados:

Vigas com 15cm de espessura

Sala: 5,0m x 4,5m; Quarto: 3,5m x 3,0m;Cozinha: 3,5m x 3,5m; Banho: 2,5m x 2,0m Medidas dos ambientes de face a face interna das vigas

Quarto Sala Cozinha Banho
Quarto
Sala
Cozinha
Banho

Momentos fletores