Você está na página 1de 2

Nome:

_______________________________________

Data:

____________

Disciplina: Psicologia Humanista e Existencial

Prof. Esp. Fabrício Ramos de Oliveira

2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA

Turma: 2PSIS __

Nome: _______________________________________ Data: ____________ Disciplina: Psicologia Humanista e Existencial Prof. Esp. Fabrício Ramos de Oliveira 2ª

ORIENTAÇÕES

  • - Valor: 10 (peso 3)

  • - Mínimo 1 página, máximo 2 páginas.

  • - Critério para elaboração do texto: respeitar as normas ortográficas, de

acentuação e pontuação. Toda citação literal (diretas e indiretas) do material deve ser referenciado (Ex: BELLO, 2006, p.11), de acordo com as normas da ABNT. O texto elaborado deve apresentar uma ordem lógica de raciocínio e ser coerente. O texto NÃO deve apresentar uma simples redução/resumo do material consultado,

mas uma reflexão crítica que demonstre a compreensão do conteúdo por parte do aluno.

  • - Data Entrega: 16/09

  • - Individual ou Dupla.

§

TEXTO: FEIJOO, Ana Maria Lopez Calvo de. Os fundamentos da clínica psicológica na filosofia de Soeren Kierkegaard. Rev. abordagem gestalt., Goiânia, v. 13, n. 1, jun. 2007 . Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809- 68672007000100008&lng=pt&nrm=iso>. acessos em 24 ago. 2013.

Com base na leitura do artigo mencionado acima e do assunto desenvolvido em sala responda:

1) Citem exemplos cotidianos relacionados ao que o autor diz sobre vier o trágico. (mínimo 3 exemplos).

2) Explique a importância da comunicação indireta da ironia para a atividade clínica.

3) Cite e explique os três estágios existenciais de Kierkegaard.

4) O que é preciso nas palavras de Kierkegaard para ser um ajudante, ou psicologicamente falando, ser um psicoterapeuta?

RESPOSTAS:

1) Para Kierkegaard, viver o trágico, é sofrer pelos resultados do tempo, ou de momentos, pois a autenticidade está relacionada com a interioridade e se contrapõem a racionalidade. Para Ele, nós devemos existir de modo autêntico assumindo a existência, pelas lógicas e conceitos. O homem para Ele, deve ter responsabilidade diante do existir. Ou seja, muitas pessoas levam a vida esquecendo de assumir-se enquanto tal e passam a vida sem personalidade, sendo influenciada pelos outros, pela moda, preocupando-se com o que é passageiro. Por exemplo: Nós vivemos em um mundo de ilusões, preocupados com coisas materiais, modismo, pensamos em produtos de beleza para camuflar os sinais do tempo, não fazendo algo que gostamos por ficarmos preocupados com o que os outros pensam.

2) Kierkegaard,usava da comunicação indireta, ou como ironia, metáforas, para desembaraçar o leitor dos laços da ilusão, uma estratégia onde possa atribuir à necessidade como um elemento facilitador para mobilização de pessoas, através de uma linguagem metafórica, no qual usa-se um estilo de fala de algo sem

anunciar do que vai se tratar, deixando que o outro julgue por si mesmo, assim na atividade clínica, a pessoa pode se dar conta ou não da sua ilusão, como era o caso da Flávia. 3) estágio estético: este estágio é fundamental considerar o desejo. Quando o homem se encontra no

estágio estético, este vive para o ''aqui e agora'' e visa sempre o prazer, acreditando que bom é aquilo que é belo e agradável. Tal pessoa vive inteiramente no mundo dos sentidos e é extremamente focado na sensualidade e acorda e dorme priorizando os apetites carnais. Interessa lhe o jogo da sedução, sua existência é uma representação exclusivamente individual, não considera os limites éticos e as obrigações sociais

O estágio ético: baseia-se em um ideal comunitário em torno de formas definidas, onde o indivíduo procura um lugar dentro da vida social. Kierkegaard aponta a aflição extrema do homem ao deparar-se com o vazio que não é preenchido nem pelos prazeres estéticos, nem pelas obrigações éticas. Atingido a partir do

abandono dos comportamentos do estágio estético( passa a se sentir responsável por suas ações). O

homem passa a viver

eticamente, pautado na seriedade e por decisões consistentes, tomadas segundo

padrões morais. Aceita e obedece as regras, normas e convenções. Assume os limites estabelecidos pela sociedade.

O estágio religioso: onde o indivíduo consegue se colocar diante do Absoluto, Deus. Neste estágio é possível uma reflexão frente à existência, pois o homem revê os valores encontrados nos estágios anteriores, redirecionado-os à algo de maior importância que é este encontro com Deus. Valoriza ainda a possibilidade de escolha que pertence ao homem, encontrando nesta o núcleo da existência humana. Só no estágio

religioso, o homem após, preferir a Fé ao prazer estético e aos mandamentos da razão pode reconciliar-se com sua própria vida. É somente através da religiosidade que o indivíduo supera o desespero existencial

de quem não visa algo mais para além do plano social e terreno e entra em comunhão com o Ser Superior

e a humanidade e encontra satisfação existencial - não dá religião

da igreja, do culto, mas a religiosidade

individual do ser. Transcende os limites éticos. Faz relação com o absoluto. Deus se trona a regra do indivíduo, a única fonte de realização plena.

4)Segundo Kierkegaard, para ser um psicoterapeuta, é necessário elaborar uma proposta diferente da psicologia científica, afastando-se da concepção de homem como objeto passível de ser explicado em suas propriedades essenciais; não trabalhar de forma mecânica, entendendo que o homem não é passível de ser definido, já que é um ser indefinido.