Você está na página 1de 77

Bioquímica celular

Características

Célula

Unidades de vida compartimentalizadas. Complexo de moléculas agrupadas por funções

Características estruturais comuns: Arquitetura

Processos metabólicos: Replicação de DNA

Síntese proteica

Produção de energia

Classificação: Procarióticas e Eucarióticas

Célula Procariótica

Célula Procariótica 3

Célula Eucariótica (Vegetal)

Célula Eucariótica (Vegetal) 4

Célula Eucariótica (Animal)

Célula Eucariótica (Animal) 5

Célula Procarionte x Eucarionte

Características

Procariotos

Eucariotos

1. Envoltório Nuclear

Ausente

Presente

2. Cromossomo

Único

Múltiplos

3. Nucléolo

Ausente

Presente

4. Citoplasma

Sem Citoesqueleto

Citoesqueleto

5. Organelas

Nenhuma

Várias

6. Organização Celular

Principalmente

Principalmente

Unicelular

Multicelular

 

6

Constituintes Bioquímicos da Célula

Constituintes Bioquímicos da Célula

Constituintes Bioquímicos da Célula Água e Minerais Carboidratos Lipídios Proteínas Ácidos Nucléicos O segredo da

Água e

Minerais

Carboidratos
Carboidratos

Lipídios

Bioquímicos da Célula Água e Minerais Carboidratos Lipídios Proteínas Ácidos Nucléicos O segredo da vida! 8
Proteínas
Proteínas

Ácidos Nucléicos

O segredo da vida!
O segredo
da vida!

8

Composição química as célula

Composição química as célula

Composição molecular das células

Componentes inorgânicos:

Água principal molécula da célula, correspondendo a 70% da massa da célula;

Tem natureza polar, característica importante na interação com íons e outras moléculas polares;

Moléculas polares hidrofílicas

Moléculas não polares hidrofóbicas

Essas características são importantes na formação das membranas

biológicas!

Composição química da água

A molécula de água é formada por dois átomos de Hidrogênio e um de Oxigênio

(H 2 O).

Hidrogênioda água • A molécula de água é formada por dois átomos de Hidrogênio e um

Oxigênioda água • A molécula de água é formada por dois átomos de Hidrogênio e um

• A molécula de água é formada por dois átomos de Hidrogênio e um de Oxigênio
• A molécula de água é formada por dois átomos de Hidrogênio e um de Oxigênio
• A molécula de água é formada por dois átomos de Hidrogênio e um de Oxigênio
• A molécula de água é formada por dois átomos de Hidrogênio e um de Oxigênio

Quantidade de água nas células

Quantidade de água nas células

Composição molecular das células

Íons: correspondem a menos de 1% da massa celular;

Principais íons: Sódio (Na + ), Potássio (K + ), magnésio (Mg 2+ ), cálcio (Ca 2+ ), fosfato (HPO 4 2- ) cloreto (Cl-) e bicarbonato (HCO 3 - )

Tem papel importante na função celular pois estão envolvidos em vários aspectos do metabolismo da célula.

Composição molecular das células

Componentes orgânicos: são os principais

constituintes das células.

Estão divididos em quatro classes de moléculas: carboidratos, lipídeos, proteínas e ácidos nucleicos.

Polímeros Biológicos

Características Monômeros ligados covalentemente Importantes Polímeros Celulares

Ácidos Nucléicos

ligados covalentemente Importantes Polímeros Celulares  Ácidos Nucléicos  Polissacarídeos  Polipeptídeos 15

Polissacarídeos

ligados covalentemente Importantes Polímeros Celulares  Ácidos Nucléicos  Polissacarídeos  Polipeptídeos 15

Polipeptídeos

ligados covalentemente Importantes Polímeros Celulares  Ácidos Nucléicos  Polissacarídeos  Polipeptídeos 15

Carboidratos

Carboidratos

São substâncias que contém em sua composição

Carbono (C), Hidrogênio (H) e Oxigênio (O).

Fonte de energia Reserva de Energia Composição das membranas Estrutural
Fonte de energia
Reserva de Energia
Composição das membranas
Estrutural

Carboidratos

Carboidratos: são formados pelos açúcares simples

(monossacarídeos) ou em polímeros (oligossacarídeos e polissacarídeos);

Monossacarídeos: açúcares simples, contendo 3 a sete carbonos. Fórmula básica (CH 2 O) de onde vem o nome carboidrato (C = “carbo” e H 2 O “hidrato”).

São importantes pois como a glicose são os principais nutrientes da célula;

Carboidratos

Carboidratos
Carboidratos
Carboidratos

Carboidratos

Oligossacarídeos: são macromoléculas formadas pela união

de alguns monossacarídeos;

Importância:

Estão ligados às proteínas atuando no dobramento das

mesmas;

Interação entre células;

Sinalizadores no transporte de proteínas dentro da célula ou à

superfície celular.

Carboidratos

Polissacarídeos: são macromoléculas formadas pela

união de muitos monossacarídeos:

Importância:

Reconhecimento celular, adesão celular, transporte de

proteínas intracelulares.

Reserva energética:

Amido (plantas)

Glicogênio (animais)

Celulose estrutura da parece celular vegetal

São compostos por moléculas de glicose

Carboidratos

Monossacarídeos: (1 unidade) glicose, frutose e

galactose.

Dissacarídeos: (2 unidades) sacarose, lactose e maltose)

Oligossacarídeos: (2 a 20 unidades) estaquiose e rafinose)

Polissacarídeos: (> 20 unidades) amido, celulose

Lipídeos

Lipídeos

São compostos encontrados nos organismos vivos,

geralmente insolúveis em água

nos organismos vivos, geralmente insolúveis em água • Abundância • Valor nutritivo • Função

Abundância

Valor nutritivo

Função estrutural

Isolante térmico

Função hormonal

Função vitamínica

Impermeabilizante

24

Lipídeos

são caracterizadas pela sua alta solubilidade em solventes orgânicos e baixa solubilidade em água.

Encontram distribuídos em todos os tecidos,

principalmente nas membranas celulares e nas células de gordura.

Lipídeos

Principais Lipídeos Celulares

Fosfolipídios

pequenas

moléculas

lipídicas

formadas por ácido graxo e glicerol

Colesterol constituinte de muitas membranas

celulares

1. Precursor para a síntese de hormônios

Patologias

Doenças Cardiovasculares

Obesidade Patológica

celulares 1. Precursor para a síntese de hormônios Patologias  Doenças Cardiovasculares  Obesidade Patológica 26

26

Lipídeos

Lipídeos • Lipídeos: • 3 funções principais nas células: • Armazenamento de energia; • Componentes das

Lipídeos:

3 funções principais nas células:

Armazenamento de energia;

Componentes das membranas celulares;

Hormônios (testosterona, estrógeno);

Moléculas mensageiras sinais de superície celular para alvos dentro da célula.

Lipídeos

Reserva de energia em animais e sementes

oleaginosas, sendo a

principal forma de armazenamento os

triacilgliceróis

(triglicerídeos);

- Componente estrutural

das membranas biológicas;

forma de armazenamento os triacilgliceróis (triglicerídeos); • - Componente estrutural das membranas biológicas;
forma de armazenamento os triacilgliceróis (triglicerídeos); • - Componente estrutural das membranas biológicas;

Lipídeos

Oferecem isolamento

térmico, elétrico e

mecânico para

proteção de células e órgãos e para todo o

organismo (panículo

adiposo sob a pele), o qual ajuda a dar a

forma estética

característica;

e órgãos e para todo o organismo (panículo adiposo sob a pele), o qual ajuda a
e órgãos e para todo o organismo (panículo adiposo sob a pele), o qual ajuda a

Lipídeos

funcionam como combustível alternativo à glicose;

são acumulados principalmente no tecido adiposo, para ocasiões

em que há alimentação insuficiente.;

A reserva sob a forma de gordura é

muito favorável a célula por dois

motivos: em primeiro lugar, as gorduras

são insolúveis na água e portanto não

contribuem para a pressão osmótica

dentro da célula, e em segundo lugar, as

gorduras são ricas em energia; na sua

oxidação total são liberados 38,13kJ/g de gordura.

e em segundo lugar, as gorduras são ricas em energia; na sua oxidação total são liberados

Constituição dos lipídeos:

Os mais simples são os ácidos graxos cadeias hidrocarbonadas contendo 16 a 18 átomos de carbono (C) com um grupo carboxil (COO - )

Os ácidos graxos podem ser:

Insaturados: com ligações duplas ente (C )

Saturados: todos os átomos C estão ligados ao número máximo de (H)

Ácidos graxos saturados e insaturados

Ácidos graxos saturados e insaturados

Ácidos Graxos Essenciais

O homem é capaz de sintetizar muitos tipos de ácidos graxos, incluindo os saturados e os monoinsaturados;

Os AG poliinsaturados, no entanto, principalmente os das

classes j -6 - família do ácido linoleico - e j -3 - família do ácido

linolênico - devem ser obtidos da dieta, pois são sintetizados apenas por vegetais;

Estes ácidos graxos participam como precursores de

biomoléculas importantes como as PROSTAGLANDINAS,

derivadas do ácido linoleico e com inúmeras funções sobre

contratibilidade de músculo liso e modulação de recepção de

sinal hormonal.

AMINOÁCIDOS E PROTEÍNAS

AMINOÁCIDOS

Características Gerais

São as unidades fundamentais das proteínas.

Todas as proteínas são formadas a partir da ligação em

sequência de apenas

20 aminoácidos.

Existem, além destes 20 aminoácidos principais, alguns aminoácidos especiais, que só aparecem em alguns tipos de proteínas.

AMINOÁCIDOS

Características Estruturais

+ H 3 N
+
H 3 N

AMINOÁCIDOS Lehninger(1995)

AMINOÁCIDOS – Lehninger(1995)

Importância dos aminoácidos

vegetais - fabricam os vinte aminoácidos necessários

para a produção de suas proteínas;

Animais - não sintetizam todos eles, devendo ser ingeridos com o alimento.

os aminoácidos podem ser classificados em dois tipos:

Essenciais - são aqueles que não podem ser sintetizados pelos animais.

Ex: Fenilalanina, Valina, Triptofano, Treonina, Lisina,

Leucina; Isolucina, Metionina.

Não essenciais - são aqueles que podem ser sintetizados pelos animais.

Importância dos aminoácidos

Ex: Glicina; Alanina; Serina; Cisteína; Tirosina; Arginina;

Ácido aspártico; Ácido glutâmico; Histidina; Asparagina; Glutamina; Prolina.

Para os vegetais, todos os aminoácidos são não essenciais. Logo, classificar um aminoácido em não essencial ou essencial depende da espécie estudada.

O ser humano produz 8 aminoácidos: isoleucina, leucina, valina, fenilalanina, metionina, treonina, triptofano e lisina.

PROTEÍNAS

formadas a partir dos amoniácidos, são compostos orgânicos de alto peso molecular;

É o composto orgânico mais abundante de matéria viva (50 a 80% do peso seco da célula).

São constituintes básicos da vida.

PROTEÍNAS

Existem muitas espécies diferentes de proteínas, cada uma especializada para uma função

biológica diversa.

Todas contêm carbono, hidrogênio, nitrogênio e

oxigênio,

e

quase

todas

contêm enxofre.

Algumas proteínas contêm elementos adicionais,

particularmente fósforo, ferro, zinco e cobre.

O que difere as proteínas:

Quantidade de aminoácidos do polipeptídio;

Tipos de aminoácidos; e

Seqüência dos aminoácidos.

PROTEÍNAS

As proteínas tem como base de

sua estrutura os polipeptídios

formados de ligações peptídicas

entre os grupos amino (-NH2) de

um aminoácido e carboxílico (-

COOH) de outro, ambos ligados

ao carbono alfa de cada um dos

aminoácidos.

(-NH2) de um aminoácido e carboxílico (- COOH) de outro, ambos ligados ao carbono alfa de

Classificação das proteínas

Proteínas simples formada apenas por aminoácidos

Proteínas conjugadas - proteínas ligadas a outras

substâncias:

Nucleoproteínas

Glicoproteínas

Metaloproteínas

Lipoproteínas

ligadas a outras substâncias: – Nucleoproteínas – Glicoproteínas – Metaloproteínas – Lipoproteínas

Proteínas

Forma: relaciona-se com a sequência de aminoácidos e com o

número de cadeias polipeptídicas que a constituem.

Existem proteínas que possuem apenas uma cadeia

polipeptídica e proteínas que possuem várias cadeias

polipeptídicas diferentes.

Ex.: Hemoglobina - possui duas cadeias alfa e duas cadeias

beta.

polipeptídicas diferentes. • Ex.: Hemoglobina - possui duas cadeias alfa e duas cadeias beta. Molécula de

Molécula de hemoglobina

Proteínas

Cadeias Polipeptídicas:

Proteínas Monoméricas - Formadas por

apenas uma cadeia polipeptídica.

Proteínas Oligoméricas - Formadas por mais de uma cadeia polipeptídica; São as proteínas de estrutura e função mais complexas.

Proteínas

Configuração da molécula em estado nativo:

condições normais de pH e temperatura de

organismos vivos.

Forças de estabilização das moléculas de proteína:

Ligação peptídica (covalente);

Interação hidrofóbica;

Pontes de hidrogênio; Ligações dissulfeto ( S-S)

GRAU DE ESTRUTURAÇÃO DAS PROTEÍNAS

GRAU DE ESTRUTURAÇÃO DAS PROTEÍNAS Ligações peptídicas Pontes de Hidrogênio Interações de Van der Waals

Ligações

peptídicas

Pontes de Hidrogênio Interações de Van der Waals Interações Eletrostáticas

Interações Hidrofóbicas

Pontes de Hidrogênio Interações de Van der Waals

Interações Eletrostáticas

Interações Hidrofóbicas Uniões Covalentes de Dissulfeto

é a soma de todas forças atrativas ou repulsivas, que não sejam forças devidas a ligações covalente entre moléculas (ou

entre partes da mesma molécula) ou forças devido a interação eletroestática de íons.

PROTEÍNAS Peso(animais)

MÚSCULO

SANGUE

PELE

80%desidr.

70%seco

90%

PROTEÍNAS – Peso(animais) MÚSCULO SANGUE PELE 80%desidr. 70%seco 90%
PROTEÍNAS – Peso(animais) MÚSCULO SANGUE PELE 80%desidr. 70%seco 90%
PROTEÍNAS – Peso(animais) MÚSCULO SANGUE PELE 80%desidr. 70%seco 90%

Funções das Proteínas

Estrutural e Contrátil -participam como matéria-prima na construção de estruturas celulares e histológicas, ex. o

colágeno- encontrada nos ossos, tendões, cartilagens e na pele; a queratina-encontrada na pele, unhas e cabelo, possui propriedades impermeabilizantes que dificultam a perda de

água pelos animais; a albumina- presente em abundância no plasma sangüíneo; as proteínas miofibrilares actina e miosina” (músculo).

Funções das Proteínas

Função Enzimática - As enzimas

são proteínas especiais com

função catalítica, ou seja, aceleram ou retardam reações

bioquímicas que

anticorpos, apresentam especificidade em relação

ou substância em que atuam.

enzima possuir em sua estrutura um ou mais pontos que se

encaixam perfeitamente na substância ou reação que sofrerá

sua ação.

ocorrem nas células.

Assim

como

os à reação

Isso

deve ao fato de cada

se

Funções das Proteínas

Função Hormonal Muitos hormônios

são,

na

verdade, inibir a

proteínas especializadas na função de estimular

atividade de determinados órgãos, sendo portando reguladores

do metabolismo, ex. o

lançado no sangue, contribui para a manutenção da

glicemia.

ou

hormônio

pancreático

insulina que,

taxa

de

Funções das Proteínas

Transporte

Muitas proteínas são transportadoras

de nutrientes e metabólitos entre fluidos e tecidos; de uma forma geral, transportam ativamente substâncias.

Ex: a hemoglobina é uma proteína que transporta

oxigênio dos alvéolos

dos tecidos para os pulmões.

os tecidos e gás carbônico

para

Funções das Proteínas

Função de Defesa - Em nosso sistema

células especializadas na presentes nos organismos

"estranhas".

antígenos

os anticorpos que

(especificidade) aos

neutralizá-los.

Estas

e

imunológico, existem de proteínas que serão consideradas

identificação

invasores,

proteínas invasoras denominam-se

promovem a produção de proteínas de defesa,

combinam-se quimicamente

antígenos com o

objetivo de

Funções das Proteínas

Função Nutritiva Qualquer proteína exerce esta função,

enquanto não for tóxica. Todos os alimentos ricos em proteína, como as carnes em geral, são fontes naturais de aminoácidos indispensáveis aos seres vivos para a produção de

outras proteínas.

Funções das Proteínas

Função Reguladora - Esta função é

desempenhada

por

um

grupo especial de proteínas denominadas vitaminas. As

células dos vegetais clorofilados e como bactérias, têm a capacidade de

certos

microorganismos,

vitaminas.

produzirem

Nos animais se dá através do processo de nutrição.

Cada

vitamina tem um papel biológico

pode

ser substituída por outra.

próprio,

por

isso não

Funções das Proteínas

Reserva Sementes de

plantas

armazenam proteínas

para a germinação, ex. albumina do ovo e a caseína do leite.

Coagulação sangüínea - vários são os fatores da

coagulação que possuem natureza

por exemplo: fibrinogênio, globulina anti-hemofílica

protéica, como

Tipo

Função

Proteínas estruturais

 

Componentes das membranas celulares

Desempenham diversas funções:

determinam o diâmetro dos poros; auxiliam

os hormônios no “reconhecimento” celular

Colágeno

Componente estrutural dos músculos e

tendões

Queratina

Parte da pele e do pêlo

Hormônios peptídicos (p. ex., insulina, hormônio do crescimento)

Muitos hormônios são proteínas e exercem efeitos sobre diversos sistemas orgânicos

Hemoglobina

Transporte de oxigênio

Anticorpos

Protegem o corpo contra organismos

causadores de doenças

Proteínas plasmáticas

Coágulo sangüíneo; equilíbrio de líquidos

Proteínas musculares

Tornam o músculo capaz de contrair

Enzimas

Regulam os padrões das reações químicas

Enzimas

Enzimas Proteínas Especiais

As enzimas são proteínas especializadas na catálise de reações biológicas. Elas

estão entre as biomoléculas mais notáveis devido a sua extraordinária

especificidade e poder catalítico, que são muito superiores aos dos catalisadores

produzidos pelo homem. Praticamente todas as reações que caracterizam o

metabolismo celular são catalisadas por enzimas.

Como catalisadores celulares extremamente poderosos, as enzimas aceleram a velocidade de uma reação, sem no entanto participar dela como reagente ou produto.

As enzimas atuam ainda como reguladoras deste conjunto complexo de reações.

As enzimas são, portanto, consideradas as unidades funcionais do metabolismo celular.

complexo de reações. • As enzimas são, portanto, consideradas as unidades funcionais do metabolismo celular.

Modelo de Chave-Fechadura

Modelo de Chave-Fechadura

As enzimas são classificadas segundo os compostos nos quais

elas agem:

lipases atuam nas gorduras decompondo-as em glicerol e

ácidos graxos;

catalases decompõem a água oxigenada;

amilases decompõem os amidos em açúcares mais simples;

proteases decompõem as proteínas;

celulases decompõem a celulose;

pectinases decompõem a pectina;

isomerases catalizam a conversão da glicose em frutose;

outras.

FATORES QUE AFETAM A ATIVIDADE DAS ENZIMAS:

TEMPERATURA:

temperatura atividade enzimática / até certo limite.

agitação moléculas possibilidades de choques , mas rompimento de

ligações / perda da conformação, isto é, ocorre desnaturação e inativação

da enzima.

Temperatura Ótima / HOMEM ~ 35 E 40 ºC

da conformação, isto é, ocorre desnaturação e inativação da enzima. • Temperatura Ótima / HOMEM ~

Concentração do Substrato

Quanto maior a concentração do substrato, maior a velocidade da reação, até o momento em que todas as enzimas estejam ocupadas. Não adianta

aumentar a concentração do substrato porque a velocidade da reação

aumentará.

enzimas estejam ocupadas. Não adianta aumentar a concentração do substrato porque a velocidade da reação aumentará.

pH

Cada enzima tem uma ação ótima de acordo com um determinado pH. Ex:

a pepsina (protease do suco digestório do estômago) tem um pH ótimo ao

redor de 2,0 (ácido).

um determinado pH. Ex: a pepsina (protease do suco digestório do estômago) tem um pH ótimo

Inibidores enzimáticos

São compostos que podem diminuir a atividade de uma enzima. A inibição enzimática pode ser reversível ou irreversível. Existem 2 tipos de inibição enzimática reversível:

Inibição Enzimática Reversível Competitiva:

Quando o inibidor se liga reversivelmente ao mesmo sítio de

ligação do substrato;

O efeito é revertido aumentando-se a concentração de

substrato

Este tipo de inibição depende das concentrações de substrato e

de inibidor.

Inibidores enzimáticos

Inibição Enzimática Reversível Não-Competitiva:

Quando o inibidor liga-se reversivelmente à enzima em um sítio

próprio de ligação, podendo estar ligado à mesma ao mesmo tempo que o substrato;

Este tipo de inibição depende apenas da concentração do inibidor.

Na inibição enzimática irreversível, há modificação covalente e definitiva no sítio de ligação ou no sítio catalítico da enzima.

Ácidos nucleicos

Ácidos nucleicos

Ácidos nucléicos DNA e RNA

São as principais moléculas informativas da

célula;

Acido desoxirribonucleico (DNA) tem como função característica a de material genético, e

está localizado no núcleo das células eucarióticas

e livre no citoplasma de células procarióticas.

Ácido ribonucleico (RNA) possuem diferentes tipos que participam de várias atividades

celulares.

Ácidos nucleicos

- Os ácidos nucléicos são macromoléculas de natureza

química, formadas por nucleotídeos, compondo o material genético contido nas células de todos os seres

vivos.

química, formadas por nucleotídeos , compondo o material genético contido nas células de todos os seres
Os nucleotídeos de DNA contêm o açúcar desoxirribose e as bases nitrogenadas: timina (T), adenina(A),

Os nucleotídeos de DNA

contêm o açúcar

desoxirribose e as bases

nitrogenadas: timina (T),

adenina(A), citosina (C) e

guanina (G) .

DNA

Ácido Desoxirribonucleico

material genético da célula,

formado por duas cadeias polinucleotídicas unidas por pontes de hidrogênio e

dispostas em hélice.

da célula, formado por duas cadeias polinucleotídicas unidas por pontes de hidrogênio e dispostas em hélice.

PAREAMENTO DAS BASES

A=T

C G
C
G
PAREAMENTO DAS BASES A=T C G

RNA

RNA Ácido ribonucléico

O RNA não possui a base nitrogenada Timina, em

seu lugar está presente a Uracila. O açúcar

presente no RNA é a ribose.

A molécula de RNA é constituída por apenas uma

cadeia polinucleotídica.

O açúcar presente no RNA é a ribose. A molécula de RNA é constituída por apenas

Tipos de RNA

1) RNAm (mensageiro)

Produzido pelo DNA no núcleo;

Leva a “mensagem” ao citoplasma; Associa-se aos ribossomos.

2) RNAr (ribossômico)

É o mais comprido;

Matéria-prima para formar os

ribossomos;

3) RNAt (transportador)

Em certa região, apresenta 3 bases

livres, chamadas anti-códon;

Captura os aminoácidos do citoplasma e

os leva aos ribossomos;

O mesmo aminoácido pode ser

carregado por 2 ou 3 tipos de RNA-

os aminoácidos do citoplasma e os leva aos ribossomos; O mesmo aminoácido pode ser carregado por

Referências Biblográficas

JUNQUEIRA, L.C.; CARNEIRO, J. Biologia Celular e Molecular. 8 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

DE ROBERTIS. Bases da Biologia Celular e Molecular. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara

Koogan, 2006.

Guyton, Artur C. M.D. Fisiologia Humana, 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.