Você está na página 1de 59
FIQUE BEM NO ENEM Fascículo Matemática e suas Tecnologias Realização: Conteúdo:

FIQUE BEM

NO ENEM

Fascículo

Matemática

e suas Tecnologias
e suas Tecnologias

Realização:

FIQUE BEM NO ENEM Fascículo Matemática e suas Tecnologias Realização: Conteúdo:
Conteúdo:
Conteúdo:
FIQUE BEM NO ENEM Fascículo Matemática e suas Tecnologias Realização: Conteúdo:

AULA

N°.01

Fascículo - Matemática e suas Tecnologias
Fascículo - Matemática e suas Tecnologias
01.
01.

Aula n . o 01

Com o objetivo de trabalhar com seus alunos o con- ceito de volume de sólidos, um professor fez o seguinte experimento: pegou uma caixa de polieti- leno, na forma de um cubo com 1 metro de lado, e colocou nela 600 litros de água. Em seguida, colo- cou, dentro da caixa com água, um sólido que cou completamente submerso.

Considerando que, ao colocar o sólido dentro da caixa, a altura do nível da água passou a ser 80 cm, qual era o volume do sólido?

a) 0,2 m 3

b) 0,48 m 3

c) 4,8 m 3

d) 20 m 3

e)

48 m 3

Uma elipse é uma seção plana de um cilindro circular reto, em que o plano que intersecta o cilindro é oblí- quo ao eixo do cilindro (Figura 1). É possível con s - truir um sólido de nome elipsóide que, quando seccionado por três planos perpendiculares entre si, mostram elipses de diferentes semieixos elipsóide que, quando seccionado por três planos perpendiculares entre si, mostram elipses de diferentes semieixos a, b e c, como na Figura 2. O volume de um elipsóide de

semieixos

a, b

e c é dado por V = 4

3

um elipsóide de semieixos a, b e c é dado por V = 4 3 abc

abc .

Figura 1

de semieixos a, b e c é dado por V = 4 3 abc . Figura

elipse

c b b a Figura 2
c
b
b
a
Figura 2

Considere que um agricultor produz melancias, cujo formato é aproximadamente um elipsóide, e ele deseja embalar e exportar suas melancias em cai- xas na forma de um paralelepípedo retângulo. Para melhor acondicioná-las, o agricultor preencherá o espaço vazio da caixa com material amortecedor de impactos (palha de arroz/serragem/bolinhas de isopor). Suponha que sejam a, b e c, em cm, as medidas dos semieixos do elipsóide que modela as melancias, e que sejam 2a, 2b e 2c, respectivamente, as medidas das arestas da caixa. Nessas condições, qual é o volume de material amortecedor necessário em cada caixa?

a) V = 8 abc cm³

b) V =

4 π abc cm 3

3

c) V = abc

d) V = abc

e) V = abc

 

 

4

4 π 

3

4 π 

3

8 +

8 –

π – 8

3

cm 3

cm 3

cm 3

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS 1

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

1

03.
03.

A evolução da luz: as lâmpadas LED já substituem

com grandes vantagens a velha invenção de Tho- mas Edison.

A tecnologia do LED é bem diferente das lâmpadas

incandescentes e das uorescentes. A lâmpada LED é fabricada com material semicondutor seme- lhante ao usado nos chips de computador. Quando percorrido por uma corrente elétrica, ele emite luz. O resultado é uma peça muito menor, que consome menos energia e tem uma durabilidade maior. Enquanto uma lâmpada comum tem vida útil de 1.000 horas e uma uorescente de 10.000 horas, a LED rende entre 20.000 e 100.000 horas de uso inin- terrupto.

Há um problema, contudo: a lâmpada LED ainda custa mais caro, apesar de seu preço cair pela

metade a cada dois anos. Essa tecnologia não está

se tornando apenas mais barata. Está também mais

e ciente, iluminando mais com a mesma quantidade

de energia. Uma lâmpada incandescente converte em luz ape- nas 5% da energia elétrica que consome. As lâmpa- das LED convertem até 40%. Essa diminuição no desperdício de energia traz benefícios evidentes ao meio ambiente.

A evolução da luz. Veja, 19 dez. 2007. Disponível em:

http://veja.abril.com.br/191207/p_118.shtml

Acesso em: 18 out. 2008.

Considerando que a lâmpada LED rende 100 mil horas, a escala de tempo que melhor re ete a dura- ção dessa lâmpada é o:

a) dia.

b) ano.

c) decênio.

d) século.

e) milênio.

04.
04.

A gura a seguir mostra a porcentagem de oxigênio (O 2 ) presente na atmosfera, ao longo de 4,5 bilhões de anos, desde a formação da Terra até a era dos dinossauros.

desde a formação da Terra até a era dos dinossauros. Disponível em:

Disponível em: <http://www.universia.com.br/MIT/10/1018J/ PDF/lec02hand2003.pdf>. Acesso em: 1º mar. 2009.

Considere que a escala de tempo fornecida seja substituída por um ano de referência, no qual a evo- lução química é identi cada como 1º de janeiro à zero hora e a era dos dinossauros como dia 31 de dezembro às 23 h 59 min e 59,99 s. Desse modo, nesse ano de referência, a porcentagem de oxigênio (O 2 ) presente na atmosfera atingiu 10% no

a) 1º bimestre.

b) 2º bimestre.

c) 2º trimestre.

d) 3º trimestre.

e) 4º trimestre.

2

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
05.
05.

Uma pessoa de estatura mediana pretende fazer um alambrado em torno do campo de futebol de seu bairro. No dia da medida do terreno, esqueceu de levar a trena para realizar a medição. Para resolver o problema, a pessoa cortou uma vara de compri- mento igual a sua altura. O formato do campo é retangular e foi constatado que ele mede 53 varas de comprimento e 30 varas de largura. Uma região R tem área A R , dada em m 2 , de mesma medida do campo de futebol, descrito acima. A expressão algébrica que determina a medida da vara em metros é:

a) Vara

=

ma) Vara =

b) Vara

=

mb) Vara =

c) Vara =

1590

m

A R

d) Vara

=

A R

m

 

1500

e) Vara =

A

R

m

1590

06.
06.

O capim-elefante é uma designação genérica que reúne mais de 200 variedades de capim e se des- taca porque tem produtividade de aproximadamente 40 toneladas de massa seca por hectare por ano, no mínimo, sendo, por exemplo, quatro vezes maior que a da madeira de eucalipto. Além disso, seu ciclo de produção é de seis meses, enquanto o primeiro corte da madeira de eucalipto é feito a partir do sexto ano.

Disponível em: <www.rts.org.br/noticias/destaque-2/i-semina-

rio-madeira-energetica-discute-producao-de-carvaovegetal-

a-partir-de-capim>.

Acesso em: 18 dez. 2008. (com adaptações).

Considere uma região R plantada com capim-ele- fante que mantém produtividade constante com o passar do tempo. Para se obter a mesma quanti- dade, em toneladas, de massa seca de eucalipto, após o primeiro ciclo de produção dessa planta, é necessário plantar uma área S que satisfaça à rela- ção:

a) S = 4R

b) S = 6R

c) S = 12R

d) S = 36R

e) S = 48R

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

3

07.
07.

A cada ano, a Amazônia Legal perde, em média, 0,5% de suas orestas. O percentual parece pequeno, mas equivale a uma área de quase 5 mil quilômetros quadrados. Os cálculos feitos pelo Insti- tuto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) apontam um crescimento de 23% na taxa de destruição da mata em junho de 2008, quando comparado ao mesmo mês do ano 2007. Aproxima- damente 612 quilômetros quadrados de oresta foram cortados ou queimados em quatro semanas. Nesse ritmo, um hectare e meio (15 mil metros qua- drados ou pouco mais de um campo de futebol) da maior oresta tropical do planeta é destruído a cada minuto. A tabela abaixo mostra dados das áreas destruídas em alguns Estados brasileiros.

 

Agosto/2006

Agosto/2007

 

Estado

a junho/2007

a junho/2008

Variação

(km²)

(km²)

Acre

13

23

77%

Amazonas

146

153

5%

Mato

     

Grosso

2.436

2.074

–14%

Pará

1.322

1.936

46%

Rondônia

381

452

19%

Roraima

65

84

29%

Tocantins

6

29

383%

Total

4.370

4.754

9%

Correio Braziliense

, 29 jul. 2008.

Supondo a manutenção desse ritmo de desmata- mento nesses Estados, o total desmatado entre agosto de 2008 e junho de 2009, em valores aproxi- mados, foi:

a) inferior a 5.000 km 2 .

b) superior a 5.000 km 2

c) superior a 6.000 km 2

d) superior a 7.000 km 2

e) superior a 10.000 km 2 .

e inferior a 6.000 km 2 .

e inferior a 7.000 km 2 .

e inferior a 10.000 km 2 .

08.
08.

Um des brilador é um equipamento utilizado em pacientes durante parada cardiorrespiratória com objetivo de restabelecer ou reorganizar o ritmo car- díaco. O seu funcionamento consiste em aplicar uma corrente elétrica intensa na parede torácica do paciente em um intervalo de tempo da ordem de milissegundos. O grá co seguinte representa, de forma genérica, o comportamento da corrente aplicada no peito dos pacientes em função do tempo.

I (A) 1,4 3,9 5,2 0,1 7,2 0 2 4 6 8 t (ms)
I (A)
1,4
3,9
5,2
0,1
7,2
0
2
4
6
8
t (ms)

De acordo com o grá co, a contar do instante em que se inicia o pulso elétrico, a corrente elétrica inverte o seu sentido após:

a) 0,1 ms

b) 1,4 ms

c) 3,9 ms

d) 5,2 ms

e) 7,2 ms

4

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
09.
09.

As condições de saúde e a qualidade de vida de uma população humana estão diretamente relacionadas com a disponibilidade de alimentos e a renda familiar. O grá co I mostra dados da produção brasileira de arroz, feijão, milho, soja e trigo e do crescimento populacional, no período compreendido entre 1997 e 2003. O grá co II mostra a distribuição da renda familiar no Brasil, no ano de 2003. Grá co I: Produção de grãos e população brasileira entre 1997 e 2003

60 178 arroz feijão 176 50 milho soja 174 40 trigo 172 população 30 170
60
178
arroz
feijão
176
50
milho
soja
174
40
trigo
172
população
30
170
168
20
166
10
164
0
162
1997
1998
1999
2000
2001
2002
2003
(produção (milhões de toneladas)
(população (milhões de habitantes)

ano

Grá co II: Distribuição da renda da população em 2003

Fonte: IBGE.

entre 10 e 20 salários mínimos 4% 6% 10% 20 entre mínimos salários até 2
entre 10
e 20
salários
mínimos
4%
6%
10%
20
entre mínimos
salários
até 2 salários mínimos
entre 5 e 10
salários mínimos
28%
19%
entre 2 e 5
salários mínimos
33%
sem rendimento

Fonte: IBGE.

Considere que três debatedores, discutindo as causas da fome no Brasil, chegaram às seguintes conclusões:

Debatedor 1 – O Brasil não produz alimento su ciente para alimentar sua população. Como a renda média do brasileiro é baixa, o País não consegue importar a quantidade necessária de alimentos e isso é a causa principal da fome. Debatedor 2 – O Brasil produz alimentos em quantidade su ciente para alimentar toda sua população. A causa principal da fome, no Brasil, é a má distribuição de renda.

Debatedor 3

nal, é a causa majoritária da subnutrição no País. Considerando que são necessários, em média, 250 kg de alimentos para alimentar uma pessoa durante um ano, os dados dos grá cos I e II, relativos ao ano de 2003, corroboram apenas a tese do(s) debatedor(es):

a) 1

b) 2

c) 3

d) 1 e 3

e) 2 e 3

– A exportação da produção agrícola brasileira, a partir da inserção do País no mercado internacio-

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

5

10.
10.

Em um cubo, com faces em branco, foram gravados os números de1a 12, utilizando-se o seguinte procedimento:

o número 1 foi gravado na face superior do dado, em seguida o dado foi girado, no sentido anti-horário, em torno

do eixo indicado na gura abaixo, e o número 2 foi gravado na nova face superior, seguinte, conforme o esquema abaixo.

2, 6, 10 1, 5, 9
2, 6, 10
1, 5, 9

O procedimento continuou até que foram gravados todos os números. Observe que há duas faces que caram

em branco.

Ao se jogar aleatoriamente o dado apresentado, a probabilidade de que a face sorteada tenha a soma máxima é

a) 1

6

b) 1

4

c) 1

3

d) 1

2

e) 2

3

6

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

Gabarito

01. a Habilidade 8 – Resolver situação-problema que envolva conhecimentos geométricos de espaço e forma.

a a a = 1 m = a 3 = 1 3 = 1 m
a
a
a = 1 m
= a 3 = 1 3 = 1 m 3
V TOTAL

mas

hs = 20 cm

hi = 60 cm

1 m 3 1000 litros e 1 litro 1 dm 3 Cálculo da altura inicial
1
m 3
1000 litros
e 1 litro
1 dm 3
Cálculo da altura inicial (hi)
hi
600 L
10 dm
1 m
10 dm
10 x 10 . hi
600
hi
= 6 dm ou
hi
= 60 cm

Portanto a altura de subida da água é

hs = 80 – 60 = 20 cm

O volume do sólido equivale ao volume que subiu

ou

hs

20 cm O volume do sólido equivale ao volume que subiu ou hs 2 dm 2

2 dm

2 dm 10 dm 10 dm
2 dm
10 dm
10 dm

Logo V S = 0,2 m 3

V S = 10 . 10 . 2 = 200 litros

Como

1000 litros

1000 litros

200 litros

200 litros 1 m 3 0,2 m 3

1 m 3 0,2 m 3

02. d

Habilidade 9 – Utilizar conhecimentos geométricos de espaço e forma na seleção de argumentos pro- postos como solução de problemas do cotidiano.

2b 2a
2b
2a

2c

sendo V a o volume do material amortecedor

V a = V caixa

V melancia

V

caixa

= Sb . H = 2a . 2b . 2c = 8 abc

v melancia

= 4

3

π abc

Assim: Va = 8 abc – 4 π abc = abc

3

V = abc

8 –

4 π 

3

cm 3

03. c

8 –

4 π 

3

cm 3

Habilidade 11 – Utilizar a noção de escalas na leitura de representação de situação do cotidiano.

1 dia 24 horas 1 ano 365 x 24 8760 dias 10 anos 87 600
1 dia
24 horas
1 ano
365 x 24
8760 dias
10 anos
87 600 dias

Logo, o melhor tempo de referência é 10 anos.

04. d

Habilidade 16 – Resolver situação-problema envol- vendo a variação de grandezas, direta ou inversa- mente proporcionais.

05. b

Habilidade 19 – Identi car representações algébri- cas que expressem a relação entre grandezas.

Ar

53.Vara

30.Vara

A = 53 V . 30 V R A = 1590 . V 2 R
A
= 53 V . 30 V
R
A
= 1590 . V 2
R
A
A R
R
V
2 =
ou V =
1590
1590
A
R
Vara =
1590
MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS 7

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

7

06. e Habilidade 23 – Avaliar propostas de intervenção na realidade utilizando conhecimentos algébricos.

07. b Habilidade 24 – Utilizar informações expressas em grá cos ou tabelas para fazer inferências. Como na tábua a variação no total é de 9% de aumento, persistindo esse índice, podemos montar uma regra de três simples e direta:

4754 → 100%

x → 109%

x . 100 = 4754 . 109

→ x = 4754 x 1,09 = 5181,86 hectares

Superior a 5000 km

2 e inferior a 6000 km

2

08. c Habilidade 26 – Analisar informações expressas em grá cos ou tabelas como recurso para a construção de argumentos. A corrente elétrica inverte o sentido quando passa de positiva para negativa. A leitura do grá co indica que isso ocorre após 3,9 ms

3,9 ms
3,9 ms

Resposta: 3,9 ms

09. b Habilidade 26 – Analisar informações expressas em grá cos ou tabelas como recurso para a construção de argumentos.

10. a

situação-problema que

– envolva conhecimentos de estatística e probabili- dade.

Habilidade 28

Resolver

8

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

AULA

N°.02

Fascículo - Matemática e suas Tecnologias
Fascículo - Matemática e suas Tecnologias

Aul a n . o 02

TEORI A D A INFORMAÇÃ O I

Porcentagem

Porcentagem é uma razão centesimal, ou seja, é uma razão cujo consequente (denominador) é igual a 100. É representada pelo símbolo %, que é lido “por cento”.

Observe algumas formas equivalentes de representarmos uma porcentagem:

 

37%  = 37 = 0,37

=

37

= 0,37

 

100

 

100%  = 1 0 0 = 1

=

100

= 1

 

100

 

142%  = 1 4 2 = 1,42

=

142

= 1,42

 

100

  100  
 
 
   
 
   

taxa

razão

número

porcentual

centesimal

decimal

Qualquer porcentagem pode ser calculada por meio de uma regra de três em que o principal (ou total) é 100. O número 100 é utilizado para a comparação pelo fato de ser um múltiplo de 10 que, para a maioria das comparações, mostrou-se adequado, por não ser muito grande e nem muito pequeno. Evidentemente, existem outros números para comparações, ideais em outras circunstâncias tais como um mil ou um milhão. Exemplo:

Suponha que o salário mínimo de um país era igual a $ 300,00 e passou a ser igual a $ 360,00. Qual o percentual de aumento? Para calcular o aumento percentual do salário mínimo, podemos utilizar uma regra de três simples e direta. Como o salário aumentou de $ 300,00 para $ 360,00, o aumento absoluto foi de $ 60,00. Logo, é necessário encontrar quanto corresponderá o valor deste acréscimo em relação ao valor do salário sem aumento. Observe:

$

Porcentagem (%)

300,00

––––––––– 100

60,00

–––––––––

x

300,00

100

60,00

x

300 . x = 60 . 100 300x = 6 000 x = 6 000

300

x = 20%

O que signi ca x% de certo valor C?

x% de C é o mesmo que

x

100

de C ou

x

100

. C

Assim, em vez de utilizarmos uma regra de três, os problemas de porcentagem podem também ser resolvidos por meio do cálculo da taxa diretamente sobre o valor principal. No exemplo anterior, relativo ao aumento do salário mínimo, podemos escrever:

20% de $ 300,00 corresponde a

20

100

. 300,00 = 0,20 . 300,00 = 60,00

9

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

Raciocinando desta maneira, ca mais rápido calcular porcentagens sobre quantidades quando se conhece a taxa porcentual. Ou seja, em vez de usar uma regra de três, podemos simplesmente multiplicar a quantidade, pela taxa porcentual.

Exemplo:

Um produto custa R$ 80,00 e terá um aumento de 20%, qual será o novo valor? Um modo rápido de resolver este problema é observar que R$ 80,00 (principal) corresponde a 100% e, como este valor sofrerá um aumento de 20%, o novo valor corresponderá a 120% do que custava:

80,00 + 20% . 80,00 = 1.80,00 + 0,20 . 80,00 = (1 + 0,20) . 80,00 = 1,20 . 80,00 = 96,00

principal aumento em evidência 120% novo valor
principal
aumento
em evidência
120%
novo valor

Logo, com um aumento de 20%, o produto custará R$ 96,00. Observe que, para encontrar o novo valor com um aumento de 20%, bastava multiplicar o principal por 1,20.

No caso de desconto ou redução de certo valor, o raciocínio é semelhante. Para exempli car, suponha que um produto custe “C” reais e sofra um desconto de 10%, qual será o novo valor?

O principal “C” corresponde a 100% e, com uma redução de 10%, seu novo valor será 90% do que custava.

Assim, basta multiplicar o valor de “C” por 0,90 para reduzi-lo em 10%, encontrando, assim “0,90.C”.

Obse rve um exemplo de acréscimo e outro de redução:

Valor do Principal: C

Aumento de 20%Valor do Principal: C Desconto de 20% Novo valor 1,20 . C 0,80 . C

Desconto de 20%Valor do Principal: C Aumento de 20% Novo valor 1,20 . C 0,80 . C

Novo valor

1,20 . CValor do Principal: C Aumento de 20% Desconto de 20% Novo valor 0,80 . C

0,80 . CValor do Principal: C Aumento de 20% Desconto de 20% Novo valor 1,20 . C

Exemplo:

Um produto que custava “C” sofre um acréscimo de 10% e, em seguida, sobre este valor, uma redução de 10%. Ao nal, cará com um valor maior do que “C”, menor do que “C” ou igual a “C”? Valor principal: C

Acréscimo de 10%: 1,10.C

Redução de 10%: 0,90 . (1,10.C) = 0,99.C

Se o valor inicial era 1.Ceo nal é 0,99.C; concluímos que o preço do produto cou menor do que era inicial- mente. Para ser mais preciso, a redução foi de 1%. O acréscimo de 10% e a redução de 10% são aplicados a valores principais diferentes. Enquanto o acréscimo é dado sobre o valor “C”, a redução é aplicada sobre o valor “1,10.C”. Isto explica porque o valor nal não é igual a “C”.

Exemplo:

Se a in ação no ano de 2006 foi de 20%, em 2007 foi de 20% e foi também de 20% em 2008, qual é a in ação acu-

mulada nos três anos (triênio)?

A in ação acumulada não é de 60% no triênio, pois os preços aumentam 20% sobre o ano anterior. Suponha, por

exemplo, que um produto custasse R$ 100,00 no início do ano e seu preço aumentasse de acordo com a in ação anual. Ao nal de 2006 seu preço seria R$ 100,00 . 1,20 = R$ 120,00. Ao nal de 2007 seria 20% maior do que o nal

de 2006, ou seja, R$ 120,00 . 1,20 = R$ 144,00. E, ao nal de 2008, seria 20% maior do que no nal de 2007, ou seja, R$ 144,00 . 1,20 = R$ 172,80. Assim, como o preço aumentou de R$ 100,00 para R$ 172,80, o aumento foi de R$ 72,80, o que corresponde a 72,80% de in ação trimestral. Poderíamos também multiplicar uma quantia qualquer por 1,20 para cada ano de in ação de 20%, ou seja, 3 vezes. Assim, sendo “M” o preço nal e “C” o inicial, temos:

M = C x 1,20 x 1,20 x 1,20 = 1,728 C

E a conclusão é a mesma: o aumento no triênio foi de 72,8%.

Observação:

Existe diferença entre taxa percentual e pontos percentuais. Quando, por exemplo, uma taxa de juros é aumen- tada de 10% para 15%, pode-se dizer que houve um aumento de 50%, isto é, que o percentual do reajuste foi de 50%. Ponto percentual, por sua vez, é a diferença em termos absolutos entre duas porcentagens. Portanto, de 10% para 15%, dizemos que a taxa foi aumentada em cinco pontos percentuais.

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

10

Testes

01.
01.

(UnB – DF) – (Texto I) – A gura abaixo ilustra a variação percentual entre os preços em dólares de um mesmo tipo de sanduíche em 30 países, considerando o preço base de 2,43 dólares.

em 30 países, considerando o preço base de 2,43 dólares. Vida Pessoal. 2/2000, p. 9 (com

Vida Pessoal. 2/2000, p. 9 (com adaptações)

Com base nas informações do texto I, julgue os itens abaixo. (1) Os dados apresentados permitem concluir que a quantidade do sanduíche consumida no Japão é igual à quantidade desse sanduíche consumido na Espanha. (2) O preço do sanduíche na Suíça é inferior a 3,85 dólares. (3) Com o montante que se paga por um sanduíche no Japão, é possível comprar dois na China. (4) No Brasil, para que o sanduíche passasse a custar o mesmo que no Japão, ele deveria ter o seu preço aumen- tado em exatamente 30%. (5) Se, em vez de comparar os preços do sanduíche em dólares, essa comparação fosse feita em reais em todos os 30 países, o grá co correspondente à variação em porcentagem desses novos preços não se modi caria. (6) Se o preço do sanduíche, em cada um dos 30 países mencionados, assim como o preço base nos Estados Unidos da América (EUA), fosse reduzido em 10% do seu valor em dólares, então o grá co correspondente à variação em porcentagem dos novos preços seria o mesmo apresentado no texto I. (7) Se o preço do sanduíche em cada um dos 30 países mencionados, assim como o preço base nos EUA, sofresse um aumento de 50 centavos de dólar, então o grá co correspondente à variação em porcentagem dos novos preços seria o mesmo apresentado no texto I. (8) A situação apresentada no texto só ocorreu devido à globalização da economia, que, vencendo a guerra fria, só não conseguiu manifestar-se nos países socialistas do Leste europeu e da Ásia.

11

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
02.
02.

(ENEM) – A diversidade de formas geométricas espaciais criadas pelo homem, ao mesmo tempo em que traz benefícios, causa di culdades em algumas situações. Suponha, por exemplo, que um cozinheiro precise utilizar exatamente 100 mL de azeite de uma lata que contenha 1.200 mL e queira guardar o restante do azeite em duas garrafas, com capacidade para 500 mL e 800 mL cada, deixando cheia a garrafa maior. Considere que ele não disponha de instrumento de medida e decida resolver o problema, utilizando apenas a lata e as duas garrafas. As etapas do procedimento utilizado por ele estão ilustradas nas guras a seguir, tendo sido omitida a 5ª etapa.

1.200 mL

400 mL

400 mL 300 mL

Azeite
Azeite
Azeite Azeite Azeite
Azeite
Azeite
Azeite Azeite Azeite
Azeite
Azeite
Azeite Azeite Azeite

1ª etapa

2ª etapa

3ª etapa

900 mL

300 mL

 

100 mL

Azeite
Azeite
Azeite Azeite ? ? ? Azeite 300 mL
Azeite ? ? ?
Azeite
?
?
?
Azeite
Azeite
300 mL

300 mL

4ª etapa

5ª etapa

6ª etapa

Qual das situações ilustradas a seguir corresponde à 5ª etapa do procedimento?

Qual das situações ilustradas a seguir corresponde à 5ª etapa do procedimento? MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS 12

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

12

03.
03.

(UFPR) – O tanque de combustível de um posto de gasolina possui o formato de um cilindro circular reto e está instalado de modo que as bases estão na ver- tical. Para saber o volume de combustível presente no tanque, o funcionário utiliza uma régua graduada e só necessita observar a altura alcançada pelo combustível dentro do tanque. Essa régua foi con- feccionada com base no estudo da função que rela- ciona o volume v com a altura h, desde zero até a altura total T . Qual dos grá cos abaixo mais se apro- xima do grá co dessa função?

a)

b)

c)

d)

e)

v h O T
v
h
O
T
v h O T
v
h
O
T
v h O T
v
h
O
T
v h O T v h O T
v
h
O
T
v
h
O
T
04.
04.

(ENEM) – Uma escola de ensino médio tem 250 alu- nos que estão matriculados na 1ª, 2ª ou 3ª série. 32% dos alunos são homens e 40% dos homens estão na 1ª série. 20% dos alunos matriculados estão na 3ª série, sendo 10 alunos homens. Dentre os alunos da 2ª série, o número de mulheres é igual ao número de homens.

A tabela abaixo pode ser preenchida com as infor-

mações dadas:

 

Total

Mulher

a

b

c

a+b+c

Homem

d

e

f

d+e+f

Total

a+d

b+e

c+f

250

O valor de

a) 10

b) 48

c) 92

d) 102

e) 120

a é:

13

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
05.
05.

O grá co a seguir mostra a evolução mensal do ingresso de investimentos estrangeiros diretos, em bilhões de dólares, no Brasil.

Fonte: BC. Caderno de Economia do Jornal O Estado de S. Paulo, 27 abr. 2005.
Fonte: BC. Caderno de Economia do Jornal O Estado de S. Paulo, 27 abr. 2005.

Considerando os treze números apresentados e escrevendo o rol correspondente a essa distribuição, temos:

(0,20; 0,38; 0,64; 0,70; 0,73; 0,86; 1,21; 1,31; 1,31; 1,40; 1,60; 3,15; 6,08).

Analise as a rmações a seguir:

I. A mediana dessa distribuição é 1,21. II. A moda dessa distribuição corresponde aos meses de outubro e novembro de 2004.

III. A média dos quatro maiores valores dessa distribuição é maior que a soma dos seis menores valores. A(s) a rmação(ões) verdadeira(s) é(são):

a) apenas I

b) apenas II

c) apenas I e II

d) apenas I e III

e) apenas II e III

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS 14

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

14

06.
06.

(ENEM) – Os níveis de irradiância ultravioleta efetiva (IUV) indicam o risco de exposição ao Sol para pes- soas de pele do tipo II – pele de pigmentação clara.

O tempo de exposição segura (TES) corresponde ao

tempo de exposição aos raios solares sem que ocor- ram queimaduras de pele. A tabela mostra a correla-

ção entre riscos de exposição, IUV e TES.

Riscos de

   

TES

exposição

 

IUV

(em minutos)

Baixo

0

a 2

Máximo 60

Médio

3

a 5

30

a 60

Alto

6 a 8

20

a 30

Extremo

Acima de 8

Máximo 20

Uma das maneiras de se proteger contra queimadu- ras provocadas pela radiação ultravioleta é o uso dos cremes protetores solares, cujo Fator de Prote- ção Solar (FPS) é calculado da seguinte maneira:

FPS =

TPP

TPD

TPP = tempo de exposição mínima para produção de vermelhidão na pele protegida (em minutos).(FPS) é calculado da seguinte maneira: FPS = T P P TPD TPD = tempo de

TPD = tempo de exposição mínima para produção de vermelhidão na pele desprotegida (em minu- tos).produção de vermelhidão na pele protegida (em minutos). O FPS mínimo que uma pessoa de pele

O FPS mínimo que uma pessoa de pele tipo II neces-

sita para evitar queimaduras ao se expor ao Sol, considerando TPP o intervalo das 12:00 às 14:00 h, num dia em que a irradiância efetiva é maior que 8, de acordo com os dados fornecidos, é:

a) 5

b) 6

c) 8

d) 10

e) 20

07.
07.

(ENEM) – Há cerca de dez anos, estimava-se que 11,2% da população brasileira poderiam ser consi- derados dependentes de álcool. Esse índice, divi- dido por gênero, apontava que 17,1% da população masculina e 5,7% da população feminina eram con- sumidores da bebida. Quando analisada a distribui- ção etária desse consumo, outro choque: a pesquisa evidenciou que 41,2% de estudantes da educação básica da rede pública brasileira já haviam feito uso de álcool. Dados atuais apontam que a porcentagem

de dependentes de álcool subiu para 15%. Estima-se que o país gaste 7,3% do PIB por ano

para tratar de problemas relacionados ao alcoo- lismo, desde o tratamento de pacientes até a perda da produtividade no trabalho. A indústria do álcool no Brasil, que produz do açúcar ao álcool combustível, movimenta 3,5% do PIB.

Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 28, n.º 4, dez./2006 e Internet: <www.alcoolismo.com.br> (com adaptações).

A partir dos dados acima, conclui-se que:

a) o país, para tratar pessoas com problemas provo- cados pelo alcoolismo, gasta o dobro do que movimenta para produzir bebida alcoólica.

b) o aumento do número de brasileiros dependentes de álcool acarreta decréscimo no percentual do PIB gasto no tratamento dessas pessoas.

c) o elevado percentual de estudantes que já consu- miram bebida alcoólica é indicativo de que o con- sumo do álcool é problema que deve ser enfrentado pela sociedade.

d) as mulheres representam metade da população

brasileira dependente de álcool.

e) o aumento na porcentagem de brasileiros depen- dentes de álcool deveu-se, basicamente, ao cres- cimento da indústria do álcool.

15

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
08.
08.

(FGV – SP) – “Receita bate novo recorde e acumula alta de quase 10%.” Esta foi a manchete dos jornalis- tas Fabio Graner e Gustavo Freire para O Estado de S.Paulo de 19 de outubro de 2007. O corpo da maté- ria, ilustrada pelo grá co abaixo, informava que “a arrecadação da Receita Federal em setembro totali- zou R$ 48,48 bilhões, um recorde para o mês. De janeiro a setembro cou em R$ 429,97 bilhões que, corrigidos pela in ação, somam R$ 435,01 bilhões, com crescimento de 9,94% ante o mesmo período de 2006. O secretário adjunto da Receita Federal destacou que, de janeiro a setembro, a expansão das receitas, na comparação com igual período de 2006, foi de 11,14%”. Evolução mensal da arrecadação federal (valores em bilhões de reais, corrigidos pelo IPCA)

09. Pode-se concluir, então, que:
09.
Pode-se concluir, então, que:

a) a arrecadação da Receita Federal, de janeiro a setembro de 2007, foi crescente.

b) em setembro de 2007, a Receita Federal arreca- dou 10% a mais do que foi arrecadado em setem- bro de 2006.

c) a arrecadação de setembro de 2007 foi 11,14% maior que a de janeiro de 2007.

d) em 2007, a arrecadação foi crescente nos perío- dos de fevereiro a abril, e de maio a agosto.

e) no período de julho a setembro de 2007, a arreca- dação da Receita Federal foi decrescente.

O texto refere-se às próximas duas questões:

Um armazém recebe sacos de açúcar de 24 kg para que sejam empacotados em embalagens menores. O único objeto disponível para pesagem é uma balança de 2 pratos, sem os pesos metálicos.

é uma balança de 2 pratos, sem os pesos metálicos. Realizando uma única pesagem, é possível
é uma balança de 2 pratos, sem os pesos metálicos. Realizando uma única pesagem, é possível

Realizando uma única pesagem, é possível montar pacotes de:

a) 3 kg

b) 4 kg

c) 6 kg

d) 8 kg

e) 12 kg

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

16

10.
10.

Realizando exatamente duas pesagens, os pacotes que podem ser feitos são os de:

a) 3 kg e 6 kg

b) 3 kg, 6 kg e 12 kg

c) 6 kg, 12 kg e 18 kg

d) 4 kg e 8 kg

e) 4 kg, 6 kg e 8 kg

Gabarito

01.

 

(1) Falsa. Os dados apresentados permitem concluir que o preço do sanduíche consumido no Japão é igual ao preço desse sanduíche consumido na Espanha, o que não signi ca que a quantidade de sanduíches consu- midos é a mesma. (2) Falsa. O preço do sanduíche na Suíça é mais de 60% superior ao preço-base de 2,43 dólares, como 2,43 . 1,6 = 3,89 > 3,85 dólares. (3) Verdadeira. O preço do sanduíche na China corresponde a 50% do preço no Japão. Logo, com o montante que se paga por um sanduíche no Japão, pode-se comprar dois na China. (4) Falsa. O preço do sanduíche no Brasil é 2,43 . 0,7 = 1,70 dólares. Aumentando esse preço em 30%, temos:

1,70 . 1,3 = 2,21 dólares. (5) Verdadeira. As diferenças em termos percentuais continuariam as mesmas. (6) Verdadeira. As diferenças em termos percentuais continuariam as mesmas. (7) Falsa. Um aumento nominal de 50 centavos de dólar no preço não acarreta um aumento percentual igual. (8) Falsa. As informações do texto I não permitem concluir o que se a rma no item.

02.

d

03.

a

04.

c

05.

c

06.

b

07.

d

08.

e

Comentário:

do grá co, podemos concluir que de julho de 2007 a agosto do mesmo ano a arrecadação diminuiu,

e que isso se repetiu de agosto de 2007 a setembro do mesmo ano. Portanto, no período de julho a setembro de

2007, a arrecadação da Receita Federal foi decrescente.

09.

e

10.

a

17

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

AULA

N°.03

Fascículo - Matemática e suas Tecnologias
Fascículo - Matemática e suas Tecnologias

Aul a n . o 03

Um professor de um colégio resolveu durante um bimestre fazer quatro provas com pesos de 2, 2, 3e3 e uma prova de recuperação. O aluno para não fazer a prova de recuperação deve ter no mínimo média 6 nas quatro provas. Um grupo de 5 alunos tiveram nessas provas as seguintes notas:

 

Prova 1

Prova 2

Prova 3

Prova 4

Aluno

Peso 2

Peso 2

Peso 3

Peso 3

A

 

455

 

6

B

 

665

 

7

C

 

766

 

6

D

 

977

 

6

E

 

644

 

9

Qual ou quais o(s) aluno(s) que tiveram que fazer a prova de recuperação?D   977   6 E   644   9 a) A e B b) A

a) A e B

b) A e D

c) A e E

d) Somente A

e) Somente E

(UFPel – RS) – Cada elemento a i j da matriz T indica o tempo, em minutos, que um semáforo ca aberto, ij da matriz T indica o tempo, em minutos, que um semáforo ca aberto, num período de 2 minutos, para que haja o uxo de automóveis da rua i para a rua j, consid erando que cada rua tenha mão dupla.

T =

0

1,5

0,5

1,5

0

1

0,5

1

0

De acordo com a matriz, o semáforo que permite o uxo de automóveis da via 2 para a 1 ca aberto

durante 1,5 min de um período de 2 min.

Com base no texto e admitindo que é possível até 20 carros passarem por minuto cada vez que o semá- foro se abre, é correto a rmar que, das 8 h às 10 h,

considerando o uxo indicado, pela matriz T, o número máximo de automóveis que podem passar da rua 3 para a 1 é

a) 300

b) 1200

c) 600

d) 2400

e) 360

Se o(s) aluno(s) que cou( caram) de recuperação precisa somar a média anterior obtida nas quatro provas, com a cou( caram) de recuperação precisa somar a média anterior obtida nas quatro provas, com a nota da prova de recuperação e obter a média nal 6, qual o valor da soma das notas que devem ser obtidas pelo(s) aluno(s) que não obti- ver(rem) média nas quatro provas?

a) 12,1

b) 13,0

c) 18,1

d) 24,5

e) 13,8

(UFF – RJ) – Na década de 1940, o estatístico P. H. Leslie propôs um modelo usando matrizes para o estudo da evolução de uma população ao longo do tempo. Se, por exemplo, x(t) e y(t) representam a distribuição de indivíduos no ano t em duas faixas etárias, no modelo de Leslie, a distribuição de indiví- duos x(t + 1) e y(t + 1) no ano t + 1, nessas mesmas duas faixas etárias, é dada pornas quatro provas? a) 12,1 b) 13,0 c) 18,1 d) 24,5 e) 13,8 x(t 1) a

x(t 1) a b x(t) . y(t 1) p 0 y(t)
x(t
1)
a
b
x(t)
.
y(t
1)
p
0
y(t)

As constantes a e b representam as fertilidades em cada faixa etária e a constante p representa a taxa de sobrevivência da primeira faixa etária. Se a = 0; b = 10; p = 0,1; e sabendo que x(0) = 2 000 e y(0) = 200; então, a distribuição de indivíduos no ano t = 10 é dada por:

a) x(10) = 20 000 e y(10) = 2000

b) x(10) = 2 000 e y(10) = 200

c) x(10) = 2000 10 e y(10) = 200 10

d) x(10) = 2000 . 10 10 e y(10) = 200 . 10 10

e) x(10) = 2000 . 10 10 e y(10) = 200 . 10 10

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

18

(GV – SP)a) Determine a e b de forma que a matriz A = 1 2a 1

a) Determine a e b de forma que a matriz A =

1

2a

1

b 2
b
2

veri que que A 2 = 2A e depois calcule A 11 .

b) Nos meses de abril e maio, uma família adquiriu as mesmas quantidades de açúcar, arroz e feijão em um mesmo supermercado, mas os preços sofreram uma leve alteração:

   

Abril

Maio

Preço

Açúcar

R$ 1,00

R$ 1,20

por quilo

Arroz

R$ 2,50

R$ 2,00

Feijão

R$ 3,00

R$ 3,00

Quantidade de pacotes de 1 kg

 

Açúcar

Arroz

 

Feijão

4

5

 

6

Mediante um produto de matrizes, expresse, por meio de uma matriz, quanto a família gastou em cada mês.

(IBMEC – SP) – Todos os candidatos inscritos num vestibular escolheram na cha de inscrição que preen- cheram uma única entre as três seguintes situações prévias (em cha de inscrição que preen- cheram uma única entre as três seguintes situações prévias (em relação ao ano anterior): frequentou um cursinho, acabou de sair do ensino médio ou estu- dou sozinho. Por um erro no processamento dos dados, foi gerado um relatório sobre essas respos- tas apenas com as seguintes informações:

800 não zeram cursinho, zeram cursinho,

1200 não acabaram de sair do ensino médio,com as seguintes informações: 800 não zeram cursinho, 1500 não caram estudando sozinhos durante o último

1500 não caram estudando sozinhos durante o último ano. Com isso, conclui-se que o número total de caram estudando sozinhos durante o último ano. Com isso, conclui-se que o número total de inscritos foi igual a

a) 1250

b) 1750

c) 2500

d) 3500

e) 4750

07.
07.

(UFPel – RS) –

1250 b) 1750 c) 2500 d) 3500 e) 4750 07. (UFPel – RS) – O iogurte

O iogurte é um alimento derivado do leite, tendo

assumido várias cores nas prateleiras dos super- mercados, dependendo do elemento a ele incorpo- rado. A oferta de marcas, cores, sabores e consistência é grande. Os iogurtes fornecem proteí- nas, vitaminas A, D e E, cálcio e fósforo. Alguns recebem ferro e bras e o mais importante é que di - cilmente ultrapassam 5% de gordura, fator muito observado pelos usuários, principalmente os que cultuam as formas de um corpo ideal, baseado nas

proporções divulgadas pela mídia, e também os que seguem prescrição médica.

http://saúde abrilcom.br/livre/especiais/especial gordu- ra/1209pop2.html. Acessado em 29/09/04 [Adapt ]

Os teores de magnésio e sódio, presentes em 100 mL de iogurte feito com leite integral ou com leite desnatado, estão representados pelas variáveis x, y, z, t na matriz com leite desnatado

com leite integral com leite desnatado x y magnésio (mg) M = , sendo z
com leite
integral
com leite
desnatado
x
y
magnésio (mg)
M
=
, sendo
z
t
sódio (mg)
3
5i
j
,
se i
j
i–1
2
M
=
2 .
10
10j
,se i
j
= (a ij ) 2x2
3i 4
2j,
se i
j
+
Com base no texto e em seus conhecimentos, deter-

mine:

a) a quantidade de magnésio encontrada em 100 mL de leite desnatado e a quantidade de sódio encontrada em 100 mL de leite integral.

b) a

matriz

representada

pela

soma

do

triplo

da

matriz M com dois terços da matriz oposta de M.

19

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

(GV – SP) – A História da Matemática apresenta muitos problemas para resolver mediante sistemas de equações, mas cujos enunciados indicam que as soluções são números naturais. Resolva este antigo problema:Dois viajantes encontraram uma bolsa que continha entre 150 e 200 moedas de ouro. O

Dois viajantes encontraram uma bolsa que continha entre 150 e 200 moedas de ouro. O primeiro disse para o segundo: “Se eu car com metade do dinheiro que há na bolsa, vou me tornar o dobro de rico que você, se não contar o dinheiro que levo comigo”. O segundo disse para o primeiro: “Se eu car com dois terços do dinheiro da bolsa, eu terei, com o que levo, o tri- plo da quantia que você leva consigo”. Quantas moedas de ouro continha a bolsa? Que quantia levava cada um dos amigos?

(IBMEC – SP) – Renato decidiu aplicar R$ 100.000,00 em um fundo de previdência privada. O consultor da empresa responsável pela administração do fundo sugeriu que essa quantia fosse dividida em três partes x, y e z, que seriam aplicadas em três investimentos A, B e C, respectivamente. Em seguida, mostrou a Renato duas simulações do desempenho da aplicação, considerando dois cenários distintos, para um período de 5 anos.continha a bolsa? Que quantia levava cada um dos amigos?   Rendimento previsto para um período

 

Rendimento previsto para um período de 5 anos

 

Cenário

Investimento A

Investimento B

Investimento C

Saldo previsto após 5 anos

Conservador

100%

50%

25%

R$ 170.000,00

Otimista

100%

150%

200%

R$ 235.000,00

Com essas informações, determine os valores de x, y e z sugeridos pelo consultor.

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

20

10.
10.

A administração dos 1040 km de uma estrada de rodagem foi concedida a três empresas distintas. A primeira cou com 60% do trecho concedido às outras duas, a segunda cou com 30% do trecho concedido às outras duas. O comprimento do trecho concedido à terceira empresa foi de

a) 440 km

b) 380 km

c) 410 km

d) 520 km

e) 450 km

21

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

Dados

Gabarito

 

Prova 1

Prova 2

Prova 3

Prova 4

Aluno

Peso 2

Peso 2

Peso 3

Peso 3

A

 

455

 

6

B

 

665

 

7

C

 

766

 

6

D

 

977

 

6

E

 

644

 

9

Calculemos as médias usando matrizes, sendo N a matriz das notas dos alunos, P a matriz dos pesos e M a matriz das médias.

N =

4

6

7

9

6

5

6

6

7

4

5

5

6

7

4

6

7

6

6

9

e P =

2

2

3

3

logo M =

1 . 2 2 3 3
1
.
2
2
3
3

4 2

6

.

9 2

.

6 2

7 2

. 2

5 2 5 3 6 . 3 6 . 2 5 . 3 7 .
5 2
5 3
6 . 3
6 . 2
5 . 3
7 . 3
6
.
2
6 . 3
6 3
.
7
.
2
7 3
.
6 3
.
4 2
4 3
9 3
.

=

5 , 1

6 , 0

6 , 2

7 , 1

5 , 9

01. b

02.

b Os alunos que caram em recuperação foram:

A: média 5,1 logo precisa obter nota na prova de recuperação igual a 6,9 para obter média nal 6;

D: média 5,9 logo precisa obter nota na prova de recuperação igual a 6,1 para obter média nal 6;

Daí a soma das notas dos alunos em recuperação é 6,9 + 6,1 = 13,0

c Das 8h às 10h, temos 2 horas = 120 minutos. Logo, o farol se abrirá 120:2 = 60 vezes Para passar da rua 3 para a rua 1 o farol se abre por a 13 = 0,5 min, portanto passarão 20 . 0,5 = 10 automóveis; como ele se abre por 60 vezes, então o número total de automóveis é 60 . 10 = 600 automóveis.

03.

04. b

Substituindo os valores dados em

x(t

1) 1)
1)
1)

a

b

x(t)

 

.

, temos:

y(t

p

0

y(t)

x(t 1) y(t 1) Fazendo t = 0, temos
x(t
1)
y(t
1)
Fazendo
t = 0, temos

0

10

x(t)

x(t

1) 1)
1)
1)

10. y(t)

.

.

0,1

0

y(t)

y(t

0,1. x(t)

x(1)

x ( 1 ) 10. y(0) 10.200 2000

10. y(0)

x ( 1 ) 10. y(0) 10.200 2000

10.200

x ( 1 ) 10. y(0) 10.200 2000

2000

y(1)

0,1. x(0)

0,1.200 0

200

Portanto, pelos valores obtidos, podemos concluir que os resultados serão constantes, ou seja,

05.

x(t 1) 2000 y(t 1) 200
x(t
1)
2000
y(t
1)
200

Logo, x(10) = 2000 e y(10) = 200

1

a =

2

e b = 2 e A

1 1 b . 2a 2
1
1
b
.
2a
2

11

=

1

2a

a) A 2 =

1024 1024 1024 1024 b 1 2a 1 1 2 b 2 b 2 2a
1024
1024
1024
1024
b
1
2a
1
1
2
b
2
b
2
2a
ab
2a

4

e 2A =

2

4a

2

b

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

22

igualando, temos:

1

a

=

1

+ 2a = 2

igualando, temos: 1 a = 1 + 2a = 2 2 1 + b 2 =

2

1

+

b 2 = 2

igualando, temos: 1 a = 1 + 2a = 2 2 1 + b 2 =

b

= 2

Logo, A =

1

1

1

1

A 11 = (A 2 ) 5 .A = (2A) 5 .A = 32.A 5 .A = 32.(A 2 ) 3 = 32.(2A) 3 = 32.8.A 3 = 256.A 2 .A = 256(2A).A = 512.A 2 = 512.2A = 1024.A

Logo, A 11 = 1024.

1

1

1

1

2 = 512.2A = 1024.A Logo, A 1 1 = 1024. 1 1 1 1 1024

1024

1024

1024

1024

b) Seja Q a matriz das quantidades de produtos, P a matriz dos preços desses produtos e G a matriz dos gastos. Assim, temos:

 

1,00

1,20

Q = [4 5 6] e P =

2,50

2,00

3,00

3,00

G

= Q . P

G = Q . P G = 4.1,00 4.1,20 5.2,50 5.2,00 6.3,00 6.3,00 34, 50 32,80

G =

4.1,00

4.1,20

5.2,50
5.2,50
5.2,00
5.2,00

6.3,00

6.3,00

G = Q . P G = 4.1,00 4.1,20 5.2,50 5.2,00 6.3,00 6.3,00 34, 50 32,80

34, 50

32,80

Respostas:

06. b

34,50

32,80

Sejam

x o número de candidatos que declaram que zeram cursinho,

y o número de candidatos que declaram acabou de sair do ensino médio,

z o número de candidatos que declaram que estudaram sozinhos.

Temos:

y

+ z = 800

x

+ z = 1200

x

+ y = 1500

Somando membro a membro, temos:

2x + 2y + 2z = 3500

x + y + z = 1750

07.

5i j 3 ,se i Se M = (a 2.10 i–1 10j ij ) 2x2
5i
j
3 ,se
i
Se M = (a
2.10 i–1
10j
ij ) 2x2 =
4
3i
2j, se
+
2
a = 2.10 1–1 + 10.1
= 12
11
a = 5.1 + 2
3 = 13
12

a = 3.2 4 + 2.1 = 50

21

a 22 = 2.10 21 + 10.2

Logo, M =

12

50

13

60

2 = 60

< j

i

2

, se

> j

i

= j e M =

a

a

11

21

a

a

12

22

, então:

a) Resposta: A quantidade de magnésio em 100 mL de leite desnatado corresponde ao valor de y = 13 mg; a quantidade de sódio encontrada em 100 mL de leite integral corresponde ao valor de z = 50 mg.

b) 3.M +

2

= 7

3 3

(–M)

M =

7

3
3

12

50

13

60

91 28 = 3 350 140 3
91
28
= 3
350
140
3

Resposta:

91 28 3 350 140 3
91
28
3
350
140
3

23

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

08.

Sejam

x número de moedas que o primeiro viajante levava,

y número de moedas que o segundo viajante levava e

z o número de moedas que havia na bolsa

Do enunciado, temos {x, y, z} 150 < z < 200

o

o

Do enunciado, temos {x, y, z} 150 < z < 200 o o IN e: z

IN e:

z = 2y z = 4y 2 2 z + y = 3x . (3)
z
= 2y
z = 4y
2
2
z
+ y = 3x . (3)
3
2z + 3y = 9x
8y + 3y = 9x 11y = 9x
8y + 3y = 9x
11y = 9x

y é múltiplo de 9.

Como 150 < z < 200

Se y = 45, temos x = 55 e z = 180. Resposta: Na bolsa havia 180 moedas; o primeiro viajante levava 55 moedas e o segundo levava 45 moedas.

viajante levava 55 moedas e o segundo levava 45 moedas. 150 < 4y < 200, ou

150 < 4y < 200, ou seja, 37 < y < 50 e sendo y múltiplo de 9, concluímos que y = 45.

09.

Do enunciado, temos:

 

x

+

y

+ z = 100000

 

x

+

0,5y + 0,25z = 70000

 

x

+

1,5y + 2z = 135000

Subtraindo a primeira equação das outras duas, vem:

0,5y – 0,75z = –30000

0,5y + z = 35000 Somando essas duas últimas equações, vem:

0,25z = 5000

0,25z = 5000 z = 20000

z = 20000

Substituindo na equação 0,5y + z = 35000, tem-se 0,5y + 20000 = 35000

y = 30000

y = 30000

 

Substituindo na equação x + y + z = 100000, tem-se x + 30000 + 20000 = 100000 Resposta: x = 50000; y = 30000 e z = 20000.

na equação x + y + z = 100000, tem-se x + 30000 + 20000 =

x = 50000

10.

c

Seja x, y e z as medidas, em km, dos trechos concedidos a cada uma das três empresas. Do enunciado, temos:

+ y + z = 1040 = 0,6(y + z) = 0,3(x + z) Ou seja:

x

x

y

+ y + z = 1040

x

10

6

10

3

x = y + z

y = x + z

Substituindo a segunda equação na primeira, temos:

x

+

10

x = 1040

a segunda equação na primeira, temos: x + 1 0 x = 1040 x = 390

x = 390

6

substituindo a terceira na primeira, temos:

10

3

y + y = 1040

a terceira na primeira, temos: 10 3 y + y = 1040 y = 240 Substituindo

y = 240

Substituindo na primeira os valores encontrados, vem: 390 + 240 + z = 1040

Substituindo na primeira os valores encontrados, vem: 390 + 240 + z = 1040 z =

z = 410

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

24

AULA

N°.04

Fascículo - Matemática e suas Tecnologias
Fascículo - Matemática e suas Tecnologias

Aul a n . o 04

Questõe s Gerai s d e Geometri a Plana

Uma empresa produz tampas circulares de alumínio para tanques cilíndricos a partir de chapas quadradas de 2 metros de lado, conforme a gura. Para 1 tampa grande, a empresa produz 4 tampas médias e 16 tampas peque- gura. Para 1 tampa grande, a empresa produz 4 tampas médias e 16 tampas peque- nas. As sobras de material da produção diária das tampas grandes, médias e pequenas dessa empresa são doa- das, respectivamente, a três entidades: I, II e III, para efetuarem reciclagem do material. A partir dessas informações, pode-se concluir que:

A partir dessas informações, pode-se concluir que: a) a entidade I recebe mais material do que
A partir dessas informações, pode-se concluir que: a) a entidade I recebe mais material do que
A partir dessas informações, pode-se concluir que: a) a entidade I recebe mais material do que

a) a entidade I recebe mais material do que a entidade II.

b) a entidade I recebe metade de material do que a entidade III.

c) a entidade II recebe o dobro de material do que a entidade III.

d) as entidades I e II recebem, juntas, menos material do que a entidade III.

e) as três entidades recebem iguais quantidades de material.

Na construção civil, é muito comum a utilização de ladrilhos ou azulejos com a forma de polígonos para o revesti- mento de pisos ou paredes. Entretanto, não são todas as combinações de polígonos que se prestam a pavimen- tar uma superfície plana, sem que haja falhas ou superposições de ladrilhos, como ilustram as guras: guras:

ou superposições de ladrilhos, como ilustram as guras: A tabela traz uma relação de alguns polígonos
ou superposições de ladrilhos, como ilustram as guras: A tabela traz uma relação de alguns polígonos
ou superposições de ladrilhos, como ilustram as guras: A tabela traz uma relação de alguns polígonos
ou superposições de ladrilhos, como ilustram as guras: A tabela traz uma relação de alguns polígonos

A tabela traz uma relação de alguns polígonos regulares, com as respectivas medidas de seus ângulos internos.

Nome

Triângulo

Quadrado

Pentágono

Hexágono

Octógono

Eneágono

Figura

Figura
Figura
Figura
Figura
Figura
Figura

Ângulo interno

60 o

90 o

108 o

120 o

135 o

140 o

Se um arquiteto deseja utilizar uma combinação de dois tipos diferentes de ladrilhos entre os polígonos da tabela, sendo um deles octogonal, o outro tipo escolhido deverá ter a forma de um

a) triângulo;

b) quadrado;

c) pentágono;

d) hexágono;

e) eneágono.

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

25

Em uma empresa, existe um galpão que precisa ser dividido em três depósitos e um hall de entrada de 20 m 2 , conforme a gura abaixo. Os depósitos I, hall de entrada de 20 m 2 , conforme a gura abaixo. Os depósitos I, II e

III serão construídos para o armazenamento de, res-

pectivamente, 90, 60 e 120 fardos de igual volume, e suas áreas devem ser proporcionais a essas capaci-

dades.

e suas áreas devem ser proporcionais a essas capaci- dades. A largura do depósito III deve

A

largura do depósito III deve ser, em metros, igual a:

a)

1

b)

2

c)

3

d)

4

e)

5

gura, com dimensões em metros, representa um gura, com dimensões em metros, representa um

A

terreno retangular vizinho de uma pequena praça com a forma de um triângulo isósceles, ambos com frente para a Av. São Carlos. Sabendo-se que a área

do terreno é igual ao triplo da área da praça, pode-se

a rmar que a medida y, assinalada na gura, é igual

a:

a rmar que a medida y, assinalada na gura, é igual a: a) b) c) d)

a)

b)

c)

d)

e)

6 m

8 m

10 m

12 m

16 m

05.
05.

A

sombra de uma pessoa que tem 1,8 m de altura

mede 60 cm. No mesmo momento, a seu lado, a sombra projetada de um poste mede 2,00 m. Se, mais tarde, a sombra do poste diminuiu 50 cm, a sombra da pessoa passou a medir:

a) 30 cm

b) 45 cm

c) 50 cm

d) 80 cm

e) 90 cm

06.
06.

Quatro estações distribuidoras de energia A, B, C e

D estão dispostas como vértices de um quadrado de

40 km de lado. Deseja-se construir uma estação central que seja ao mesmo tempo equidistante das estações A e B e da estrada (reta) que liga as esta- ções C e D.

A nova estação deve ser localizada

a) no centro do quadrado.

b) na perpendicular à estrada que liga C e D passan- do por seu ponto médio, a 15 km dessa estrada.

c) na perpendicular à estrada que liga C e D passan- do por seu ponto médio, a 25 km dessa estrada.

d) no vértice de um triângulo equilátero de base AB, oposto a essa base.

e) no ponto médio da estrada que liga as estações A e B.

26

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
07.
07.

Em muitas regiões do Estado do Amazonas, o volume de madeira de uma árvore cortada é avali- ado de acordo com uma prática dessas regiões:

I. Dá-se uma volta completa em torno do tronco com um barbante.

uma volta completa em torno do tronco com um barbante. II. O barbante é dobrado duas

II. O barbante é dobrado duas vezes pela ponta e, em seguida, seu comprimento é medido com ta métrica.

e, em seguida, seu comprimento é medido com ta métrica. III. O valor obtido com essa

III. O valor obtido com essa medida é multiplicado por ele mesmo e depois multiplicado pelo compri- mento do tronco. Esse é o volume estimado de madeira.

Outra estimativa pode ser obtida pelo cálculo formal do volume do tronco, considerando-o um cilindro perfeito. A diferença entre essas medidas é praticamente equivalente às perdas de madeira no processo de corte para comercialização. Pode-se a rmar que essas perdas são da ordem de

a) 30%

b) 22%

c) 15%

d) 12%

e) 5%

08.
08.

Um leitor encontra o seguinte anúncio entre os clas-

si cados de um jornal:

VILA DAS FLORES

Vende-se terreno plano medindo 200 m 2 .

Frente voltada para o Sol no período da manhã.

Fácil acesso. (443)0677-0032

Interessado no terreno, o leitor vai ao endereço indi- cado e, lá chegando, observa um painel com a planta a seguir, onde estavam destacados os terre- nos ainda não vendidos, numerados de I a V:

Considerando as informações do jornal, é possível
Considerando as informações do jornal, é possível

a rmar que o terreno anunciado é o

a) I

b) II

c) III

d) IV

e) V

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

27

09. 10.
09.
10.

Na gura acima, que representa o projeto de uma escada com 5 degraus de mesma altura, o compri- mento total do corrimão é igual a:

a) 1,8 m

b) 1,9 m

c) 2,0 m

d) 2,1 m

e) 2,2 m

Por vezes, o comprimento da diagonal da tela de um televisor é indicado em polegadas. No grá co que se segue, podemos ver a relação aproximada existente entre esta unidade de comprimento e o centímetro.

existente entre esta unidade de comprimento e o centímetro. Qual das 5 igualdades que se seguem

Qual das 5 igualdades que se seguem se pode cal- cular a diagonal da tela de um televisor, em centíme- tros (c), dado o seu comprimento em polegadas (p)?

a) c = 1,27p

b) c = 2,54p

c) 1,27 p

d) 2,54 p

e) c = 3,81p

1

1

c =

c =

28

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

Gabarito

01. e

As sobras de material doadas para as entidades I, II e III são dadas, respectivamente, por:

S

S

S

I = 2 2 – .1 2 = (4 – ) m 2 2 1
I = 2 2 –
.1 2 = (4 –
) m 2
2
1
II = 2 2 – 4.
.
= (4 –
) m 2
2
2
1
= 2 2 – 16.
.
= (4 –
) m 2
III
4

Assim, as três entidades recebem iguais quantidades de material.

02. b

Para que a pavimentação seja possível, a soma das medidas dos ângulos internos dos polígonos em torno de cada vértice deve ser igual a 360 o . Como um dos polígonos é o octógono regular, um dos ângulos internos mede

135 o . Assim, a soma dos outros deve ser igual a 360 o – 135

medidas dos ângulos internos dos polígonos da tabela, devemos fazer uma combinação de dois ou mais polígo -

nos. Portanto, podemos utilizar outro octógono e um quadrado, pois 225 o = 135 o + 90 o . Observe na gura como

ca a pavimentação.

= 225

o

. Como 225 o não é múltiplo de nenhuma das

o

= 225 o . Como 225 o não é múltiplo de nenhuma das o 03. d

03. d

área total dos depósitos é igual a 11.10 20 = 90 m 2 . O total de fardos que devem ser armazenados é 90 + 60 +

A

120 = 270. Como a área de cada depósito deve ser proporcional à quantidade de fardos, podemos escrever uma

regra de três simples e direta.

área (em m 2 )

quantidade de fardos

90

A III

270

120

270 . A III = 90.120

Assim, a largura l do depósito III é tal l . 10 = 40, ou seja, l = 4m.

l do depósito III é tal l . 10 = 40, ou seja, l = 4m.

A III

= 40 m 2

04. b

Como o triângulo é retângulo e isósceles, temos que:

(16

A área do terreno é igual ao triplo da área da praça, ou seja,

x.(x + y) = 3.

igual ao triplo da área da praça, ou seja, x.(x + y) = 3. 2) 2

2) 2 = x 2 + x 2

x.x

ou seja, x.(x + y) = 3. 2) 2 = x 2 + x 2 x

2

x = 16 mou seja, x.(x + y) = 3. 2) 2 = x 2 + x 2 x

3x

x + y =

3 16 3 1 6

2

= x 2 + x 2 x . x 2 x = 16 m 3 x

2

16 + y =

y = 8 m

05. b

Observe que a medida da sombra do poste reduziu-se a

3

4 da medida inicial, pois

2,00 0,50

1,50

3

2,00

2,00

4

. Como

existe uma proporcionalidade entre as medidas das sombras do poste e da pessoa, temos que a nova medida da

sombra da pessoa é

3

4 . 60 cm = 45 cm.

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS 29

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

29

06.

c

Observe na gura as estações A, B, C e D.

06. c Observe na gura as estações A, B, C e D. Sendo x a distância

Sendo x a distância entre a estação central O às estações A e B e também à estrada que liga as estações C e D, temos que:

x 2 = 20 2 + (40 – x) 2

Assim, a estação central deve ser localizada na perpendicular à estrada que liga C e D passando, por seu ponto médio, a 25 km dessa estrada.

C e D passando, por seu ponto médio, a 25 km dessa estrada. x 2 =

x 2 = 400 + 1600 – 80x + x 2

a 25 km dessa estrada. x 2 = 400 + 1600 – 80x + x 2

x = 25 km

07. b

Considerando o tronco como sendo um cilindro perfeito, temos, por meio da fórmula usual, que seu volume é igual

a . R 2 . c, onde R e c são, respectivamente, as medidas do
a
. R 2 . c, onde R e c são, respectivamente, as medidas do raio da base e do comprimento do tronco. Utilizando o
. R
2
2
2
2
.
R
processo descrito, o volume do tronco é dado por
. c
. Assim, a diferença entre os volumes é
4
4
2
2
2
2
. R
4
R
2 c –
R
c
R
2 c.(4 –
)
igual a
.R 2 . c –
. c =
. Para estimar o percentual das perdas de madeira,
4
4
4

basta escrever uma regra de três simples e direta.

R 2 c 2 R c.(4 – ) 4 x = 25.(4 – ) 08.
R 2 c
2
R
c.(4 –
)
4
x
= 25.(4 –
)
08.
d

100%

x

25.(4 – 3,14) = 21,5%

Como o sol nasce no leste, os possíveis terrenos que têm frente voltada para o sol no período da manhã são II, IV

e V. Utilizando a escala da planta dos terrenos, temos que apenas o terreno representado pelo número IV tem área igual a 200 m 2 , uma vez que suas dimensões são iguais a 20 m e 10 m.

09. d

10.

O comprimento total do corrimão é igual a 60 cm somado com o comprimento da hipotenusa de um triângulo retângulo cujos catetos medem 90 cm e 5.24 cm = 120 cm. Sendo x a medida da hipotenusa desse triângulo retângulo, temos que:

x 2 = 90 2 + 120 2

= 2,1 m.

b

Observe que 0,5 polegadas correspondem a 1,27 cm. Assim, podemos escrever uma regra de três simples e direta.

polegada centímetro

uma regra de três simples e direta. polegada centímetro x 2 = 22500 x = 150

x 2 = 22500

três simples e direta. polegada centímetro x 2 = 22500 x = 150 cm. Assim, o

x = 150 cm. Assim, o comprimento do corrimão é igual a 60 cm + 150 cm = 210 cm

0,5

1,27

p

c

0,5.c = 1,27p c = 2,54.p

é igual a 60 cm + 150 cm = 210 cm 0,5 1,27 p c 0,5.c

30

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

AULA

N°.05

Fascículo - Matemática e suas Tecnologias
Fascículo - Matemática e suas Tecnologias

Aul a n . o 05

01.
01.

Para calcular o montante

M gerado pela aplicação de um capital C numa instituição nanceira na modalidade

juros compostos a uma taxa mensal xa i pode ser calculado pela relação matemática

 

M(t) = C . (1 + i) t

 

onde t representa a quantidade de meses.

 

Considerando que 1,02 3 = 1,061208, taxa xa de 2% ao mês é:

o montante gerado pela aplicação de R$ 40.000,00 durante 3 meses a uma

a) R$ 42 000,00

c) R$ 42 400,00

e) R$ 42 200,00

b) R$ 42 448,32

d) R$ 44 000,00

02.
02.

O logaritmo de um número real positivo N numa base a (a > 0 e a 1) é de nido como o número x tal que:

a (a > 0 e a 1 ) é d e n i d o c

log a N = x a x = N

log a N = x a x = N
 

Em relação ao montante M, conforme questão anterior, indique a alternativa correspondente à quantidade de meses necessária para que um capital C duplique considerando a taxa mensal de 2%.

a)

t = log 2 1,02

c) t = log 1,02

2

a) t = log 1,2

1,02

b)

t = log 0,02 1,02

d) t = log 2 0,02

 
03.
03.

Há cerca de 400 anos, o escocês John Napier revolucionaria os métodos de cálculo da época com a invenção dos logaritmos. Atualmente a forma como empregamos os logaritmos é diferente de como foi inventado. Com o advento da calculadora, a utilização de logaritmos não necessita de consultas em longas tabelas. A ideia central da criação dos logaritmos estava na simpli cação de operações aritméticas. Assim, ao considerarmos as proprie - dades abaixo, temos que (P1) signi ca que uma multiplicação é transformada em adição, (P2) signi ca que uma divisão é transformada em uma subtração e, nalmente, (P 3) signi ca que uma potenciação é transformada em uma multiplicação.

(P1) log