Você está na página 1de 30

3

4
VÉSPERAS I 5

HINO
  
Estrofes
    
A. Oliveira

      
1.A - le - gri - a do mun -do, es - tre - la d' Al - va:
2.Só o tro - no de Deus é mais su - bli - me
 
               
Ne - nhu -ma es- tre - la co - mo Vós nos gui - a. Sois o
Que o Vos - so tro - no,à luz do e - ter - no Di - a: Ce -
       
  
bra - ço do Deus for - te que nos sal - va,
les - te Mãe da paz que nos re - di - me,
       
 
     
Vir - gem Ma - ri - a. Vir - gem Ma - ri - a.
Vir - gem Ma - ri - a. Vir - gem Ma - ri - a.

Refrão
    
  
 
      
Sois a es - ca - da de luz lan - ça - da a tre - va,
     
         
  

  
pa - ra li - gar ao Céu a ter - ra fri a,
 
-

   
   
 

Ful - gen - te au - ro - ra, a vi -da em Vós se e -
   
           

le - va, Vir - gem Ma - ri - a, Vir - gem Ma - ri - a.
6 Assunção de Nossa Senhora

Salmodia

   
                
‹
Ant. 1
C ris - to su-biu ao Céu e pre-pa-rou um tro -no e - ter - no
        ‹  
       
         
pa - ra su - a Mãe i - ma -cu - la - da. A - le - lu - ia.

Salmo 112
   
    
Louvai, ser - - vos do Se - nhor,
  
      
louvai o no - - me do Se - nhor.

Bendito seja o nome do Senhor, *


agora e para sempre.
Desde o nascer ao pôr do sol, *
seja louvado o nome do Senhor.

O Senhor domina sobre todos os povos, *


a sua glória está acima dos céus.
Quem se compara ao Senhor nosso Deus, *
que tem o seu trono nas alturas
e Se inclina lá do alto *
a olhar o céu e a terra?

Levanta do pó o indigente *
e tira o pobre da miséria,
para o fazer sentar com os grandes, *
com os grandes do seu povo,
e, no lar, transforma a estéril *
em ditosa mãe de família.
Vésperas I 7

      
Ant. 2               
Por E - va foi fe - cha -da aos ho - mens a por - ta do Céu
‹       
             
 

e a to - dos foi de no - vo a - ber - ta por Ma -
‹
         
ri - a. A - le - lu - ia.
Salmo 147
  
    
Glorifica, Jerusalém, o Se - nhor,
 
    
louva, Sião o teu Deus.

Ele reforçou as tuas portas *


e abençoou os teus filhos.
Estabeleceu a paz nas tuas fronteiras *
e saciou-te com a flor da farinha

Envia à terra a sua palavra, *


corre veloz a sua mensagem.
Faz cair a neve como lã, *
espalha a geada como cinza.

Faz cair o granizo como migalhas de pão *


e com o seu frio gelam as águas.
Envia a sua palavra e derrete-as, *
faz soprar o vento e correm as águas.

Revelou a sua palavra a Jacob, *


suas leis e preceitos a Israel.
Não fez assim com nenhum outro povo, *
a nenhum outro manifestou os seus juízos.
8 Assunção de Nossa Senhora

           
Ant. 3          
A Vir - gem Ma - ri - a foi e - xal - ta - da so -bre os
        ‹  
        
co - ros dos An - jos. Vin-de to dos, e - xal -
    
-
 
         
       
te - mos a Cris- to Rei, cu - jo rei - no é e - ter - no.
Cântico Ef 1, 3-10
   
    

Bendi - - - to se - ja Deus,
    
   
Pai de Nosso Senhor Je - sus Cris - to,

que do alto do Céu nos abençoou *


com todas as bênçãos espirituais em Cristo.

Ele nos escolheu antes da criação do mundo, *


para sermos santos e irrepreensíveis, +
em caridade, na sua presença.
Ele nos predestinou, de sua livre vontade, *
para sermos seus filhos adoptivos, por Jesus Cristo,

para que fosse enaltecida a glória da sua graça, *


com a qual nos favoreceu em seu amado Filho;
n' Ele temos a redenção, pelo Seu Sangue, *
a remissão dos nossos pecados;

segundo a riqueza da sua graça, *


que Ele nos concedeu em abundância,
com plena sabedoria e inteligência, *
deu-nos a conhecer o mistério da sua vontade:
Vésperas I 9

segundo o beneplácito que n' Ele de antemão estabelecera, *


para se realizar na plenitude dos tempos:
instaurar todas as coisas em Cristo, *
tudo o que há nos céus e na terra.

Cântico Evangélico
À enunciação do Magnificat todos se benzem. (Cf. Cap. V nº 266 b) - IGLH)

             
Ant.               
To - das as ge - ra - ções Me pro - cla - ma - rão bem - a - ven - tu -
‹        
             
ra - da, por -que o To - do - Po - de - ro - so fez em

    
          
‹

Mim ma - ra - vi - lhas. A - le - lu - ia.

 
Lc 1, 46-55
    
A minha alma glorifica ao Se- nhor,
Porque pôs os olhos na humildade da su - a serva:
 
    
e o meu espírito se alegra em Deus, meu Sal-va - dor.
de hoje em diante me chamarão bem_aventurada todas as ge - ra - ções.

   

  
O Todo_Poderoso fez em Mim mara - vi - lhas,

 
  

 
Santo é o seu no - me.
10 Assunção de Nossa Senhora

A sua misericórdia se estende de geração em geração *


sobre aqueles que O temem.
Manifestou o poder do seu braço *
e dispersou os soberbos.

Derrubou os poderosos de seus tronos *


e exaltou os humildes.
Aos famintos encheu de bens *
e aos ricos despediu de mãos vazias.

Acolheu a Israel, seu servo, *


lembrado da sua misericórdia,
como tinha prometido a nossos pais, *
a Abraão e à sua descendência para sempre.

Glória ao Pai e ao Filho *


e ao Espírito Santo,
como era no princípio, *
agora e sempre. Amen.
OFÍCIO DE LEITURA 11

HINO
        
     
   
Co -mo a au - ro - ra re - nas - ci - da, Co - mo a
        

            
lu - a que res - plen - de, Ma - ri - a, de sol ves -
  
         

ti -da, Ao Céu as - cen - de.

Ascende, em plena alegria,


No mistério mais profundo,
Para quem se fez, um dia,
A Luz do mundo.

Um Coro de Anjos espera,


Para aclamá-l'A entre cantos,
A Senhora que supera
Todos os Santos.

Por suas preces sem par,


Subiremos nós também,
Quando à glória nos chamar
A voz de Além.

Por Maria, Mãe clemente,


Chegue aos Céus o nosso hino.
Louvor a Deus Uno e Trino,
Eternamente. Amen.

   
  
A - men.
12 Assunção de Nossa Senhora
Salmodia
        ‹ 
Ant. 1               
Le - van - tai - Vos, ó Vir-gem Ma - ri a, Ra -
 
-
  
             
‹ 
 
 
i - nha de e- ter - na for - mo - su - ra, e en -
       
                     
trai no glo - ri - o - so pa - lá -cio do Rei e - ter - no.

Salmo 23
  
     
Do Senhor é a terra e o que ne - la e - xis - te,
  
     
o mundo e quantos ne - le ha - bi - tam.
    
  
Ele a fundou so -bre os ma - res
  
  
  
e a consolidou so - bre as á - guas.

Quem poderá subir à montanha do Senhor? *


Quem habitará no seu santuário?
O que tem as mãos inocentes e o coração puro, *
que não invocou o seu nome em vão, nem jurou falso.

Este será abençoado pelo Senhor *


e recompensado por Deus, seu Salvador.
Esta é a geração dos que O procuram, *
que procuram a face do Deus de Jacob.
Ofício de Leitura 13

Levantai, ó portas, os vossos umbrais, *


alteai-vos, pórticos antigos, +
e entrará o Rei da glória.
Quem é esse Rei da glória? *
O Senhor forte e poderoso, +
o Senhor poderoso nas batalhas.

Levantai, ó portas, os vossos umbrais, *


alteai-vos, pórticos antigos, +
e entrará o Rei da glória.
Quem é esse Rei da glória? *
O Senhor dos Exércitos, +
é Ele o Rei da glória.

        
             
‹
Ant. 2
O Se - nhor a es - co - lheu e pre - des - ti - nou e a
       
         

fez ha - bi - tar no seu tem - plo san - to.


Salmo 45

    
Deus é o nosso refúgio e a nos - sa for - ça,
 
    
auxílio sempre pronto na ad - ver - si - da - de.

Por isso, nada receamos, ainda que vacile a terra *


e os montes se precipitem no fundo do mar,
ainda que se encrespem e refervam suas águas *
e estremecam os montes com a sua fúria.
O Senhor dos Exércitos está connosco, *
o Deus de Jacob é a nossa fortaleza.
14 Assunção de Nossa Senhora

Os braços dum rio alegram a cidade de Deus, *


a mais santa das moradas do Altíssimo,
Deus está no meio dela e a torna inabalável, *
Deus a protege desde o romper da aurora.
Agitaram-se os povos, tremeram os reinos: *
Ele fez ouvir a sua voz, e a terra estremeceu.
O Senhor dos Exércitos está connosco, *
o Deus de Jacob é a nossa fortaleza.

Vinde e contemplai as obras do Senhor, *


as maravilhas que realizou na terra.
Põe termo às guerras até aos confins do mundo, *
despedaça os arcos, quebra as lanças, +
queima no fogo os escudos.
Rendei-vos e reconhecei que Eu sou Deus, *
triunfo das nações e domino a terra.
O Senhor dos Exércitos está connosco, *
o Deus de Jacob é a nossa fortaleza.

Ant. 3
     3   3  

         ‹        
Gran - des coi-sas se di-zem de Vós, ó Vir-gem Ma - ri - a.
Salmo 86
 
       
O Senhor a -ma a ci - da - de,

      
 
por Ele fundada sobre os mon - tes san - tos;

ama as portas de Sião, *


mais que todas as moradas de Jacob.
Ofício de Vigília 15
Grandes coisas se dizem de ti, *
ó cidade de Deus.
Contarei o Egipto e a Babilónia *
entre os meus adoradores;
a Filisteia, Tiro e a Etiópia, *
uns e outros ali nasceram.
E dir-se-á de Sião: «Todos lá nasceram, *
o próprio Altíssimo a consolidou».

O Senhor escreverá no registo dos povos: *


«Este nasceu em Sião».
E irão dançando e cantando: *
«Todas as minhas fontes estão em ti».

Versículo
 
      

V.Bendita sois Vós, ó Maria, que a - cre - di - tas -
  
tes:

     
R.Há de realizar se tudo quanto
Vos foi dito da par   te do Se - nhor.

Ofício de Vigília

       
      ‹         
Ant.    
Ven - ci -da a mor - te, a San - ta Mãe de Deus foi e - le -
  
           
 
va - da, em cor - po e al - ma, à gló - ria do
  
    ‹      ‹     
Céu. À gló - ria do Céu. A - le - lu - ia.
16 Assunção de Nossa Senhora
Cântico I
Is 61,10-62,3
  
     
Exulto de alegria no Se - nhor,
  
     
minha alma rejubila no meu Deus,
que me revestiu com as vestes da salvação *
e me envolveu num manto de justiça,
como o noivo que cinge a fronte com o diadema *
e a noiva que se adorna com as suas jóias.

Como a terra faz brotar os gérmenes *


e o jardim germinar as sementes,
assim o Senhor Deus fará brotar a justiça *
e o louvor diante de todas as nações.

Por amor de Sião não Me hei-de calar, *


por causa de Jerusalém não terei repouso,
enquanto a sua justiça não despontar como a aurora *
e a sua salvação não resplandecer como facho ardente.

Então os povos hão-de ver a tua justiça *


e todos os reis a tua glória.
Chamar-te-ão por um nome novo *
que a boca do Senhor designará.
Serás coroa esplendorosa nas mãos do Senhor, *
diadema real nas mãos do teu Deus.

Cântico II
  
Is 62, 4-7
     
Não mais te chamarão «A - ban - do - na - da»
      
     
nem à tua ter - - ra «De - ser - ta».
Ofício de Vigília 17
mas hão-de chamar-te «Predilecta» *
e à tua terra «Desposada»,
porque serás o encanto do Senhor *
e a tua terra terá um esposo.

Tal como o jovem recebe a donzela, *


o teu Construtor te desposará,
e, como a esposa é a alegria do marido, *
tu serás a alegria do teu Deus.

Sobre os teus muros, Jerusalém, coloquei sentinelas; *


nem de dia nem de noite deixarão de repetir:
«Vós que despertais a memória do Senhor, *
não tenhais descanso nem Lho concedais,
enquanto não tiver restaurado Jerusalém, *
enquanto não tiver feito dela a glória de toda a terra».

Cântico III
Sir 39, 17-21
   
       
tai_me, fi lhos pie - do - sos,
 
Es - cu - -
    

     
cres - cei como a roseira à bei - ra das á - guas.
Exalai o vosso perfume suave como o incenso *
e fazei desabrochar as vossas flores como o lírio.
Entoai cânticos de louvor *
e bendizei o Senhor por todas as suas obras.

Dai glória ao seu nome, proclamai os seus louvores *


com os vossos lábios e as vossas harpas
e dizei em acção de graças: *
«Como são grandes as obras do Senhor!».

Evangelho da Eucaristia da Vigília: Lc 11, 27-28


Hino Te Deum
Oração do Próprio.
18 Assunção de Nossa Senhora
INVITATÓRIO
 ‹            ‹
Ant.  
          
Ho - je a Vir-gem Mãe de Deus foi e - le va -da ao Céu:
         
     ‹      
    

Vin de, a - do - re - mos o seu
  
   
- -

   ‹   
         
   
Fi - lho, Se - nhor do U - ni - ver - - so.

 
Salmo 94

   
 
Vinde, exultemos de alegria no Se - nhor,
  
    
aclamemos a Deus, nosso Sal - va - dor.

Vamos à sua presença e dêmos graças, *


ao som de cânticos aclamemos o Senhor. Ant.ª

Pois grande Deus é o Senhor, /


Rei maior que todos os deuses. *
Em sua mão estão as profundezas da terra /
e pertencem-Lhe os cimos das montanhas.
D'Ele é o mar, foi Ele quem o fez, *
d'Ele é a terra firme que suas mãos formaram. Ant.ª

Vinde, prostremo-nos em terra, *


adoremos o Senhor que nos criou.
Pois Ele é o nosso Deus *
e nós o seu povo, ovelhas do seu rebanho. Ant.ª
LAVDES 19

HINO
 ‹     
Estrofes

          
    
Ó Vir - gem, ó Es - po -sa ex - cel - sa, des - lum - bran
 ‹  
-

            
 
te, Em Vós se re - u - niu to - do o ful - gor dos Céus:
   
   
 
     
  
‹
 
  ‹         Deus
De 'stre - las re - ful - gen - tes co - ro - ou - Vos

     ‹      

 
E ves - tiu - Vos, E ves - tiu Vos de sol.
‹
-

            
E ves - tiu - Vos de sol.
Vencestes todo o mal, a morte e o inferno.
Com Cristo sois no Céu a nossa defensora
E toda a criação proclama-Vos, Senhora,
Rainha poderosa.

Reinai, Senhora, protegendo a Santa Igreja.


Reconduzi a Deus os pródigos dispersos
E atraí a Cristo os povos inda imersos
Na escuridão da morte.

Aos pecadores alcançai-lhes o perdão,


Dulcíssima Advogada, que hoje ao Céu subistes.
Nos pobres, nos enfermos, nos corações tristes
Brilhe e vença a esperança.

Senhora da Assunção, Senhora da Alegria,


Convosco se eleve ao Céu o nosso canto;
Eterna glória ao Pai, ao Filho, ao Espírito Santo,
Por toda a eternidade.
20 Assunção de Nossa Senhora

Salmodia


    ‹         ‹  
Ant. 1       
Ben - di - ta se - jais, ó Vir - gem Ma - ri - a, por-que de
             
        
‹  
Vós nas - ceu o Sal -va -dor do mun- do, e a - go - ra vi -
      
      ‹       
  
veis pa - ra sem - pre na gló - ria do Se - nhor.

  
Salmo 62

       

sois o meu Deus: desde a aurora Vos pro-cu- ro.
  
Se - nhor,
     
A minha alma tem se - - - de de Vós.
Por Vós suspiro *
como terra árida, sequiosa, sem água.

Quero contemplar-Vos no santuário, *


para ver o vosso poder e a vossa glória.
A vossa graça vale mais que a vida: *
por isso, os meus lábios hão-de cantar-Vos louvores.

Assim Vos bendirei toda a minha vida *


e em vosso louvor levantarei as mãos.
Serei saciado com saborosos manjares *
e com vozes de júbilo Vos louvarei.
Quando no leito Vos recordo, *
passo a noite a pensar em Vós.
Porque Vos tornastes o meu refúgio, *
exulto à sombra das vossas asas.

Unido a Vós estou, Senhor, *


a vossa mão me serve de amparo.
Lavdes 21
 
    
    ‹   
Ant.2   
A Vir - gem Ma - ri - a foi e - xal -
     3  
        
  ‹   
ta - da so -bre os co-ros dos An - jos; A - le - grem-
     ‹     
          
se to - dos os fi - éis e lou - vem ao Se - nhor.
Cântico
 Dan 3, 57-88.56

    
Se - nhor,
   
Obras do Senhor, bendizei o
   
louvai_O e exaltai_O pa - ra sem - pre.

Céus, bendizei o Senhor, *


Anjos do Senhor, bendizei o Senhor.
Águas que estais sobre os céus, bendizei o Senhor, *
poderes do Senhor, bendizei o Senhor.
Sol e lua, bendizei o Senhor, *
estrelas do céu, bendizei o Senhor.

Chuvas e orvalhos, bendizei o Senhor, *


todos os ventos, bendizei o Senhor.
Fogo e calor, bendizei o Senhor, *
frio e geada, bendizei o Senhor.
Orvalhos e gelos, bendizei o Senhor, *
frios e aragens, bendizei o Senhor.
Gelos e neves, bendizei o Senhor, *
noites e dias, bendizei o Senhor.
Luz e trevas, bendizei o Senhor, *
relâmpagos e nuvens, bendizei o Senhor.
22 Assunção de Nossa Senhora

Bendiga a terra o Senhor, *


louve-O e exalte-O para sempre.
Montes e colinas, bendizei o Senhor, *
tudo o que germina na terra bendiga o Senhor.
Fontes, bendizei o Senhor, *
mares e rios, bendizei o Senhor.
Monstros e animais marinhos, bendizei o Senhor, *
aves do céu, bendizei o Senhor.
Animais e rebanhos, bendizei o Senhor, *
homens, bendizei o Senhor.

Bendiga Israel o Senhor, *


louve-O e exalte-O para sempre.
Sacerdotes do Senhor, bendizei o Senhor, *
servos do Senhor, bendizei o Senhor.
Espíritos e almas dos justos, bendizei o Senhor, *
santos e humildes de coração, bendizei o Senhor.
Ananias, Azarias, Misael, bendizei o Senhor, *
louvai-O e exaltai-O para sempre.

Bendigamos o Pai, o Filho e o Espírito Santo; *


louvemo-l'O e exaltemo-l'O para sempre.
Bendito sejais, Senhor, no firmamento dos céus, *
a Vós, o louvor e a glória para sempre.
Não se diz Glória

      
Ant. 3    
           
 
O
‹      
Se - nhor glo - ri - fi - cou o vos - so no - me, ó

    
       
Vir - gem Ma - ri - a: nun -ca os ho-mens dei - xa -
     ‹  
           
rão de ce - le - brar os vos - sos lou - vo - res.
Lavdes 23
Salmo 149

   
Cantai ao Se - nhor um cântico novo,
  
      
cantai ao Se - nhor na assemblei - a dos san - tos.

Alegre-se Israel em seu Criador, *


rejubilem os filhos de Sião em seu Rei.

Louvem o seu nome com danças, *


cantem ao som do tímpano e da cítara,
porque o Senhor ama o seu povo, *
coroa os humildes com a vitória.

Exultem de alegria os fiéis, *


cantem jubilosos em suas casas;
em sua boca, os louvores de Deus, *
em sua mão, a espada de dois gumes:

para tirar vingança das nações *


e aplicar o castigo aos povos,
para ligar os seus reis com cadeias *
e os nobres com algemas,
para executar neles a sentença escrita. *
Esta é a glória de todos os seus fiéis.
Cântico Evangélico

    3      ‹        
À enunciação do Benedictus todos se benzem. (Cf. Cap. V nº 266 b) - IGLH)
M. Luís

Ant.          
C o -mo é be -la e for - mo - sa a fi - lha de Je - ru - sa - lém,
  ‹       
  
   
 
que se le - van - ta co -mo a au - ro - ra
  ‹     
        
    
e res - plan - de - ce co -mo o sol nas - cen - te.
24 Assunção de Nossa Senhora

Lc 1, 68-79
    
   
 
Bendito o Senhor, Deus d'Is - ra - el
      
que visitou e redi - - miu o seu po - vo,

e nos deu um Salvador poderoso *


na casa de David, seu servo,
conforme prometeu pela boca dos seus santos, *
os profetas dos tempos antigos,

para nos libertar dos nossos inimigos *


e das mãos daqueles que nos odeiam
para mostrar a sua misericórdia a favor dos nossos pais, *
recordando a sua sagrada aliança
e o juramento que fizera a Abraão, nosso pai, *
que nos havia de conceder esta graça:

de O servirmos um dia, sem temor, *


livres das mãos dos nossos inimigos,
em santidade e justiça, na sua presença, *
todos os dias da nossa vida.

E tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, *


porque irás à sua frente a preparar os seus caminhos,
para dar a conhecer ao seu povo a salvação *
pela remissão dos seus pecados,

graças ao coração misericordioso do nosso Deus, *


que das alturas nos visita como sol nascente,
para iluminar os que jazem nas trevas e na sombra da morte *
e dirigir os nossos passos no caminho da paz.
VÉSPERAS II 25

HINO
        
Refrão M. Luís

 
            

‹
 
Ó in-com-pa - rá - vel
 
a - le - gri - a! A Vir - gem Ma -
      ‹

        
     
    
 
ri a, Mãe de Deus, em cor -po e al - ma foi er -
 
-
    ‹ 
    


    
gui - da aos Céus! Foi er - gui - da aos Céus!
Estrofes
  
            
A Vir - gem Ma - ri - a
     
Foi er - gui -da aos Céus.
   
          
 
Os An - jos can - ta - ram, Ex - cel -sa a - le - gri - a,
  
        
 
Lou - vo - res a Deus. Lou - vo - res a Deus.
2. 4.
Na mansão eterna Por ti nos foi dada
Foste recebida, A divina paz;
Do trono celeste Santíssimo fruto,
De onde Deus governa – Árvore sagrada –
Jóia preferida. Maternal nos dás.

3. 5.
Predilecta filha Glória por ti seja
És do Criador, À Trindade Santa!
De entre as criaturas Nos céus e na terra
És a maravilha Toda a Santa Igreja
Mãe do Redentor. Teus louvores canta!
26 Assunção de Nossa Senhora
Salmodia
     ‹
             
Ant. 1
 
A Vir-gem Ma - ri - a foi e - le - va -da ao Céu: a -
   
      ‹     
     
  
le - gram - se os An - jos, lou - van -do e ben - di -
     
zen - do o Se - nhor.

 
Salmo 121
 
       
  
 
A - le - grei_me quan do me dis - se - ram:

-
 
     
«Vamos para a ca - - sa do Se - nhor».
Detiveram-se os nossos passos *
às tuas portas, Jerusalém.

Jerusalém, cidade bem edificada, *


que forma tão belo conjunto!
Para lá sobem as tribos, *
as tribos do Senhor,
segundo o costume de Israel, *
para celebrar o nome do Senhor;
ali estão os tribunais da justiça, *
os tribunais da casa de David.

Pedi a paz para Jerusalém: *


Vivam seguros quantos te amam.
Haja paz dentro dos teus muros, *
tranquilidade em teus palácios.
Por amor de meus irmãos e amigos, *
pedirei a paz para ti.
Por amor da casa do Senhor nosso Deus, *
pedirei para ti todos os bens.
Vésperas II 27

 
              ‹
Ant. 2   
A Vir - gem Ma - ri - a foi e - le - va -da ao Céu,
       
          
on - de o Rei dos reis es - tá sen - ta - do
    
          
‹
num tro - no de do -ze es - tre - las
Salmo 126
  
    
Se o Senhor não edifi car a ca - sa,

- -

 
   
em vão trabalham os que a cons - tro - em.
Se o Senhor não guardar a cidade, *
em vão vigiam as sentinelas.

É inútil levantar-se antes da aurora *


e trabalhar pela noite dentro,
para comer o pão dum trabalho duro, *
porque Ele o dá aos seus amigos, até durante o sono.

Os filhos são uma bênção do Senhor *


o fruto das entranhas uma recompensa;
como flechas nas mãos de um guerreiro, *
assim os filhos nascidos na juventude.

Feliz o homem que assim encheu a aljava: *


não será confundido, +
quando enfrentar os inimigos às portas da cidade.
28 Assunção de Nossa Senhora

          
Ant. 3             
‹
B en - di - ta se - jais, ó Vir - gem Ma - ri - a: por
         
           ‹    

    
Vós re - ce - be - mos o fru - to da vi - da. Ben-di - ta se -
   
           
‹
jais, ben - di - ta se - jais, ó Vir - gem Ma - ri - a.
Cântico Ef 1, 3-10
   
     
Bendi - - - - se - ja Deus,

to

     
 
Pai de Nosso Senhor Je - sus Cris - to,

que do alto do Céu nos abençoou *


com todas as bênçãos espirituais em Cristo.

Ele nos escolheu antes da criação do mundo, *


para sermos santos e irrepreensíveis, +
em caridade, na sua presença.
Ele nos predestinou, de sua livre vontade, *
para sermos seus filhos adoptivos, por Jesus Cristo,

para que fosse enaltecida a glória da sua graça, *


com a qual nos favoreceu em seu amado Filho;
n' Ele temos a redenção, pelo Seu Sangue, *
a remissão dos nossos pecados;

segundo a riqueza da sua graça, *


que Ele nos concedeu em abundância,
com plena sabedoria e inteligência, *
deu-nos a conhecer o mistério da sua vontade:
Vésperas II 29

segundo o beneplácito que n' Ele de antemão estabelecera, *


para se realizar na plenitude dos tempos:
instaurar todas as coisas em Cristo, *
tudo o que há nos céus e na terra.

Cântico Evangélico

À enunciação do Magnificat todos se benzem. (Cf. Cap. V nº 266 b) - IGLH)

‹   3   3       
Ant.            
Ho - je a Vir-gem Ma - ri - a su -biu ao Céu. A - le -
 ‹     3
                 
‹ 3
3
grai - vos, por - que tri - un - fa com Cris - to pa - ra sem - pre.

Lc 1, 46-55
 
    
A minha alma glorifica ao Se - nhor,
Porque pôs os olhos na humildade da su - a serva:

    
e o meu espírito se alegra em Deus, meu Sal - va - dor.
de hoje em diante me chamarão bem_aventurada todas as ge - ra- ções.

   

  
O Todo_Poderoso fez em Mim mara - vi - lhas,

 
  
 
Santo é o seu no - me.
30 Assunção de Nossa Senhora

A sua misericórdia se estende de geração em geração *


sobre aqueles que O temem.
Manifestou o poder do seu braço *
e dispersou os soberbos.

Derrubou os poderosos de seus tronos *


e exaltou os humildes.
Aos famintos encheu de bens *
e aos ricos despediu de mãos vazias.

Acolheu a Israel, seu servo, *


lembrado da sua misericórdia,
como tinha prometido a nossos pais, *
a Abraão e à sua descendência para sempre.

Glória ao Pai e ao Filho *


e ao Espírito Santo,
como era no princípio, *
agora e sempre. Amen.
31