Você está na página 1de 11

Cristão

Volume 2 da Série:

Expressões bíblicas que mal interpretadas servem ao único


propósito de alimentar o engano no coração dos homens.

Autor
Luciano Silva

Idealizado e Produzido por:


Missões 2020

Introdução

Veja você, surpreendentemente mais de 80% das pessoas entrevistadas


em qualquer parte do país afirmam ser cristãos. Faça uma pesquisa em
uma das ruas do seu bairro e comprove você mesmo. Isso não é
maravilhoso? Desculpe, mas não é! E por que não é? Porque se realmente
80% da nossa nação fosse verdadeiramente constituída de cristãos
autênticos o nosso país não seria tão depravado. Não teríamos tanto lixo na
tv, tanta gente abraçando o pecado, tantos suicídios, tanto roubo, tanta
morte, tanta prostituição nas ruas, tantos divórcios, tantos abortos, não
seríamos conhecidos mundialmente como o país do carnaval (festa carnal).
Isso é desesperador!
A questão é, o que faz com que estas pessoas acreditem que são cristãs
quando de fato não estão nem perto de ser? Bem, é sobre isso que fala este
livreto e é altamente aconselhado que você o leia com muita atenção, pois
há grande diferença entre trigo e joio, bode e ovelha. É melhor
descobrirmos quem somos diante de Deus agora e então mudarmos no que
for necessário do que esperar para descobrir no dia do Juízo, onde não
haverá desculpas e muito menos uma segunda chance, e ouvirmos Jesus
nos dizer, afasta-te pois não os conheço.
O princípio é simples, maçãs nascem em pés de maçãs, laranjas
nascem em pés de laranjas, logo cristãos nascem em Cristo. Não há
possibilidade alguma da maçã ser uma laranja. São duas coisas totalmente
diferentes embora façam parte da mesma classe, a classe das frutas. Para a
maçã ser verdadeiramente laranja, não bastaria simplesmente ela declarar,
sou laranja, ou ainda se misturar na caixa de laranjas acreditando que
passaria despercebida. Só haveria uma forma de aceitarmos que a maçã é
uma laranja, para isso acontecer, a maçã teria que nascer de novo. Como
assim? Voltar para dentro da semente? Não, mas sim nascer para uma nova
natureza, por um processo conhecido como enxerto. Seria uma maçã com
todas as características de uma laranja, sabor de laranja, cheiro de laranja,
produzindo laranjinhas. Isso está parecendo uma loucura? Pois bem,
aprouve a Deus usar das coisas loucas para confundir os sábios deste
mundo. Você acredita na loucura da pregação do evangelho de Jesus
Cristo? Pois bem, Ele mesmo declarou: “Conhecereis a árvore pelos seus
frutos”.
Podemos dizem que somos cristãos e até mesmo acreditarmos que
somos em verdade, mas se de fato não sermos, tudo o que vamos
conseguir é enganar a nós mesmos e quem sabe outros como nós a nossa
volta.
Nestes dias tenho visto e ouvido muitos cantarem e clamarem, “Deus
queremos te conhecer”, mas acredito que talvez isso se torne mais real,
quando começarmos a conhecer a nós mesmos, quando começarmos a
examinar o nosso coração pecaminoso diante do nosso Deus Santo. Isso
me faz lembrar de uma frase que diz que em cada um de nós há três tipos
de pessoas: Aquela que os outros pensam que somos, aquela que nós
pensamos que somos e aquela que Deus sabe que somos.
Continue lendo e descubra quem você é diante de Deus.

“Senhor Tu me sondas e me conheces” (Salmos 139:1)


CRISTÃO
“Aquele que professa a religião de Cristo”
Dicionário Priberam

Aqui está algo do qual podemos gastar algumas linhas para obtermos
um bom esclarecimento da razão pela qual milhares de pessoas que se
dizem cristãs estão totalmente equivocadas.
Segundo a tradução da palavra Cristão, obtida no dicionário Priberam,
gostaríamos de analisá-la em duas partes.
Primeira, concordamos com “Aquele que professa”, que numa
tradução estendida seria, “Aquele que se dedica, pratica, exerce e ensina”.
Falaremos detalhadamente sobre isso na sequência.
Segunda, descordamos da colocação “a religião de Cristo”. Não
aprovamos esta expressão, “religião”, pelo fato de que este termo também
é mal interpretado por muitas pessoas, tanto é que o mesmo ganhou um
volume próprio em nossa série de artigos(Volume 3). O fato é que as
pessoas se iludem com a ideia de que ao se tornarem participantes de uma
determinada religião, a qual se mostra fundamentada em Cristo,
automaticamente podem se auto-considerar cristãs. Para ser mais claro, a
religião dos homens não determina quem é ou quem não é um cristão, até
porque os verdadeiros cristãos não são religiosos segundo o que o mundo
atual conhece por religião. Para o cristão, praticar religião, segundo o
padrão bíblico, se torna um ato natural e indispensável para o cristianismo.
(1 Tiago 1:27)
Costumo dizer que um católico não é cristão por ser católico, da
mesmo forma que um evangélico não é um cristão por ser evangélico. É
por falta desta consciência que os números das estatísticas nos revelam que
moramos num país pelo menos 80% cristão e quem nos dera que isso fosse
verdade. Mas enfim, o que é um cristão então? Como saberei se estou
enganando a mim mesmo? Simples, olhe para os seus frutos.

“Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos


espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda a árvore boa produz bons
frutos, e toda a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa dar
maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons.” (Mateus 7:16-18)
Eu sei, você vai me dizer que você é uma pessoa boa, que só faz o bem
e que nunca matou ninguém, mas saiba que Deus nos diz em Sua palavra
que “todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como
trapo da imundícia”(Isaías 64:6). Todos pecamos e estamos destituídos da
glória da Deus. Sabe oque isso significa? Não há nada de bom em nós!
Enquanto não reconhecermos isso, jamais conheceremos a Deus, jamais
entenderemos o seu amor por nós. Agora eu pergunto, como podemos,
com esta natureza pecaminosa, declararmos que somos cristãos? Só há um
meio para isso, nascermos de novo. Precisamos ser enxertados.(Romanos
11:24)

Preste atenção o que Jesus disse para um religioso do Seu tempo:

“E havia entre os fariseus um homem, chamado Nicodemos, príncipe dos


judeus. Este foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que
és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu
fazes, se Deus não for com ele. Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade,
na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o
reino de Deus. Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer,
sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e
nascer? Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que
não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que
é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te
maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo.”(João 3)

Bem, já temos uma ponto de partida. O verdadeiro cristão é nascido de


novo. Ele não voltou ao ventre de sua mãe e muito menos esperou para re-
encarnar segundo a mentira abraçada pelos espíritas. O nascer de novo que
Jesus disse a Nicodemos significa, sujeitar-se a uma nova natureza, não
segundo a carne, mas segundo o Espírito. Porque todos os que são guiados
pelo Espírito de Deus estes são filhos de Deus.(Romanos 8:14) Detalhe, se
você não é guiado pelo Espírito de Deus, você é uma criatura de Deus.
Não é verdade esta história de que todos são filhos de Deus, a verdade é
que todos são criaturas de Deus e que através de Jesus foi nos dado o
direito de sermos feitos filhos de Deus.
Sermos feitos filhos de Deus, não é trabalho de um dia, mas de uma
vida inteira, é uma obra contínua em nós enquanto estivermos nesta terra,
pois temos um padrão perfeito a ser seguido que é Cristo, o Filho ungido
de Deus e temos por obrigação conformarmos a nossa vida ao padrão que
Ele nos deixou. “Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao
conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura
completa de Cristo...” (Efésios 4:13)
Se Cristo nos alcançou com a salvação precisamos agora
permanecermos salvos.
Qualquer pessoa fora de Jesus, jamais será reconhecido por Deus como
filho. Mais um detalhe, não basta você estar em Cristo, Cristo tem que
estar em você, do contrário nada do que você faça terá algum valor para a
eternidade. “Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele,
esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” (João 15:5)
Preste atenção nos versículos que seguem:

“Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes


em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual
clamamos: Aba, Pai. O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que
somos filhos de Deus.” (Romanos 8:15-16)

“Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que


sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as
trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel
com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque
vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e
entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso
saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo,
E eu vos receberei; E eu serei para vós Pai, E vós sereis para mim filhos e
filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso.” (II Corintios 6:14-18)

“Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Porque todos
quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo.”
(Gálatas 3:26-27)

“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos


de Deus, aos que crêem no seu nome;” (João 1:12)

“Porque, qualquer que de mim e das minhas palavras se envergonhar, dele


se envergonhará o Filho do homem, quando vier na sua glória, e na do Pai
e dos santos anjos.” (Lucas9:26)

“Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei


diante de meu Pai, que está nos céus. Mas qualquer que me negar diante
dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus.”
(Mateus 10:32-33)

Bom, acredito que lendo apenas estes poucos versículos você já pode
fazer uma prévia avaliação de si mesmo sendo um cristão.
A maioria dos versículos que você acabou de ler não oferecem algum
tipo de dificuldade para entendermos, eles são praticamente auto-
explicativos, mas quero falar um pouco sobre o último versículo, sobre o
que significa negar a Cristo.
Para muitos negar a Cristo seria algo tipo declarar com todas as letras
que você não acredita nEle. Que Ele é uma mentira. Incrivelmente existem
pessoas que conseguem acreditar em uma teoria a qual supõe que o
homem veio do macaco do que acreditar naquEle o qual dividiu a história.
Ninguém se refere a história dizendo “antes do Macaco e depois do
Macaco”, mas sim, antes de Cristo e depois de Cristo. Creio que até
mesmo um macaco se realmente pudesse evoluir um pouquinho mais ele
acreditaria em Jesus, se converteria e seria salvo.
O que eu quero dizer é que negar a Cristo vai além de uma posição
ignorante do ateísmo. Por exemplo, se digo que acredito em Jesus, mas
não procuro viver o que Ele nos deixou através da Sua palavra, se deixo de
seguir o Seu exemplo em tudo eu estou negando-O. Se digo que amo a
Deus e continuo pecando, continuo vivendo de mãos dadas com o mundo,
estou negando-O. Se continuo olhando com olhar impuro para uma
mulher, estou negando-O. Se não abomino a pornografia na tv, internet ou
seja onde for, estou negando-O. Se deixo de me importar com os
necessitados, estou negando-O. Se deixo de me sujeitar, me humilhar, se
faço justiça com minhas próprias mãos ou palavras, estou negando-O. Se
não ensino meus filhos no caminho em que devem andar, estou negando-
O. Se não amo meus inimigos, se não os perdoo estarei negando-O. Se não
importo em falar do Seu amor a outros, estou negando-O. E assim a lista
segue. Agora eu pergunto: Sua vida é um testemunho vivo de tudo o que
você acabou de ler? Espere, pois tem muito mais. Você deve pensar, mas
quem se salvará? Mais uma vez a bíblia responde essa pra você: Aquilo
que parece impossível aos homens é possível para Deus.(Mateus 19:26)
Ao homem compete o querer, mas a Deus o efetuar, contudo querer
não é poder por nós mesmos, mas por Ele por quem podemos todas as
coisas, pois Ele e somente Ele é quem nos fortalece.
A bíblia diz que quem é filho é guiado pelo Espírito de Deus, certo?
Então, se você é guiado pelo Espírito, se você é filho, se é um cristão,
obviamente você não vive segundo a vontade da carne, pois todo aquele
que faz a vontade da carne, que vive segundo os padrões deste mundo,
constitui-se inimigo de Deus, pois continua desprezando o sacrifício de
Jesus, que através de Sua morte e ressurreição conquistou o direito de
sermos purificados.
Existe um luta constante entre a nossa carne e o Espírito, somente o
verdadeiro cristão consegue, não por si mesmo, sair vencedor destas
batalhas e assim agradar aquEle que o convocou para a guerra. Desta
forma fica claro e torna-se evidente na vida de qualquer cristão nascido de
novo os frutos do Espirito Santo que são:

“...amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão,


temperança.” (Gálatas 5:22)

Já os frutos encontrados na vida de alguém que não nasceu de novo,


que pode estar enganando a si mesmo quanto a autenticidade do seu
cristianismo, que foi iludido que para ser um cristão tudo o que tinha que
fazer era repetir uma simples oração, são:

“ adultério, prostituição, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria,


inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas,
homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca
das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais
coisas não herdarão o reino de Deus.” (Gálatas 5:20-21)

Consegue perceber agora que ser cristão não tem nada a ver com
participar de uma religião? Que não tem nada a ver com a tua frequência
ao domingos em um templo qualquer? Que não tem nada a ver com a tua
contribuição financeira religiosa?

Ser cristão, é nascer de novo, morrer para a velha natureza


pecaminosa, nisto consiste a afirmação de que as velhas coisas passaram
tudo se fez novo. Se simplesmente simpatizamos com a mensagem de
Jesus, nos emocionamos com a Sua história e tudo o que queremos é
sermos salvos desde de que não tenhamos que abandonar o pecado, desde
de que possamos continuar com a nossa velha vida depravada, então
jamais viveremos novidade de vida em Cristo. Não se coloca vinho novo
em odres velhos. Não se costura remendo novo em pano velho.(Mateus
9:16-17)
A razão para todo o cristão se separar das coisas deste mundo é
simples, este mundo jaz no maligno. O deus desde mundo, não é o Deus
dos cristãos e esta é a razão do mundo estar do jeito em que está. Deus nos
chamou não para a imundícia, mas para a santificação,(I Tessalonicenses
4) sem a qual ninguém verá a Deus.(Hebreus 12:14)
O mundo está se deteriorando dia após dia, a causa disso é o pecado da
humanidade. O salario do pecado é a morte. Este mundo é uma bomba
relógio e Deus não pode evitar que a humanidade receba este salario
porque terão colher o que estão plantando como resultado das suas más
escolhas, é o princípio da semeadura, porém Deus amou o mundo de tal
maneira que envio o Seu filho para nos resgatar desta inevitável destruição
em massa. Jesus é a porta de escape e ainda está aberta para todos que
desejam estar a salvos. Como Jesus mesmo declarou, a porta é estreita, só
os nascidos de novo conseguem atravessá-la por meio do arrependimento e
fé. Este maravilhoso plano de Deus está disponível a todos e se cumpre
quando a criatura reconhece os seus pecados, apresenta-se profundamente
arrependida, então Jesus vem e tira o imenso fardo de pecados de suas
costas e agora sim ela pode cruzar pela porta, mas espere, imediatamente
ao passar pela porta Jesus lhe dá um presente, é um pequeno fardo, Ele diz
que este é um fardo bem mais leve e suave,(Mateus 11:30) é um tipo de
cruz(Mateus 10:38) que precisamos carregar enquanto estivermos neste
mundo. Bem, ao passarmos pela porta nascemos de novo, agora
precisamos começar a nos alimentarmos da palavra de Deus, precisamos
começarmos a crescer na Sua presença, precisamos ser cheios do Espírito
Santo e a medida em que crescemos vamos percebendo que não só a porta
era estreita, mas o caminho a cada dia vai ficando mais e mais estreito,
logo começamos a perceber que ainda há muitas coisas que precisam ser
tiradas do nosso coração, coisas que o nosso Deus abomina, então cada vez
que identificamos uma destas coisas sabemos que teremos que fazer uma
nova escolha entre a cruz ou algum resíduo de pecado em nossa vida e se
por um momento vacilarmos e deixarmos a cruz ao invés de
abandonarmos determinado pecado, algo começa a mudar no caminho,
começamos a perceber que o caminho está se abrindo e vai ficando
espaçoso e aparentemente mais atrativo e confortável para seguirmos, no
entanto este é um sinal de que estamos perecendo na batalha, que estamos
virando as costas para o nosso Deus e assim um pequeno abismo se coloca
entre nós e Deus e é certo que, se não nos arrependermos e retomarmos a
consciência, este abismo chamará outro abismo e logo estaremos tão longe
de Deus quanto estávamos antes de termos iniciado no processo de sermos
feitos filhos de Deus.
É assim que infelizmente vejo muitos que acreditam que são cristãos,
mas que abandonaram a sua cruz em algum lugar do caminho e ainda que
não tenham literalmente voltado ao vômito, ainda que não tenham voltado
a se revolver por completo na lama, estão tão cegos que não conseguem
perceber que a luz que há neles são trevas e quão densas são estas trevas.
Não são completamente quentes e nem completamente frios, são mornos e
estes o Senhor disse que vomitaria da Sua presença.(Apocalipse 3:16)
Uma coisa tenho aprendido, quanto mais nos desprendemos das coisas
deste mundo, mais leve se torna a nossa cruz, mais equilibrados,
determinados e confiantes seguimos pelo caminho estreito, então
começamos a entender o que Paulo queria dizer com “morro a cada dia
para que Cristo viva em mim”.

Em Atos 11:26, encontramos os filhos de Deus pela primeira vez sendo


chamados cristãos. E por que foram chamados assim? Foram chamados
cristãos porque o testemunho deles revelava que verdadeiramente Cristo
estava nEles. Tudo o que faziam refletia Jesus, tudo o que falavam era
confirmado por suas próprias vidas e obras. Eles falavam, viviam e
ensinavam como o seu Mestre. Definitivamente eles eram um povo
separado. Meu Deus, que contraste com os cristãos dos nossos dias! Que
passam horas em frente a tv rindo de tudo o que Deus abomina. Que
passam horas levantando as mãos e cantando, mas o coração está a
quilômetros de distancia do Senhor. Que adoram as suas festas,
espetáculos e shows de entretenimento que mais parecem uma celebração
para aliciar a carne do que qualquer outra coisa relacionada com o nosso
Deus Santo. Sem mencionar tantos que se prostram diante de deuses de
pau, pedra e gesso, obra de suas próprias mãos as quais Deus abomina.
O que nos faz pensar que a igreja de Jesus, passados mais de dois mil
anos, estaria em melhor condição espiritual? Se o próprio Jesus nos alertou
sobre a apostasia? Quando Ele mesmo, olhando a situação do coração das
pessoas a Sua volta, se perguntou se quando voltasse encontraria fé na
terra?
Querido irmão, por favor acorde! O caminho é estreito, poucos vão
seguir por Ele. Poucos vão viver por Ele.
Não se engane, você está tendo a oportunidade de olhar para dentro de
si mesmo agora, então seja sincero e responda – você é um cristão?
O que é a sua vida? Quanto tempo você acredita que ainda viverá?
Você acha que viverá o suficiente para terminar de construir os seus
castelos sobre a areia? E se chegar a terminar, você acredita que estará em
segurança? Acredita que nenhuma onda virá para destruir tudo em poucos
segundos? Não meu irmão! O amanhã não nos pertence, logo o único lugar
seguro hoje é estar no centro da vontade de Deus, é abandonarmos a nossa
vida sobre a areia e vivermos e edificarmos sobre a Rocha. Jesus é esta
Rocha, o firme fundamente, onde edificamos não para o que é temporal,
mas para o que é eterno.
Pare de se comparar com outros cristãos que estão tão conformados
com o mundo quanto você mesmo. Examine a si mesmo segundo a vida de
Jesus, segundo os Seus ensinamentos, segundo a palavra de Deus, então
poderás saber se você está na fé ou não, se você está seguro ou não, se
você é um cristão ou não.
Não tire os teus olhos de Jesus, Ele é o nosso alvo. Não olhe para as
coisas que você já alcançou ou o quanto avançou no caminho, fixe no alvo
e marche, marche, marche.

Não deixe de ler os outros volumes desta série.

Dúvidas, críticas ou sugestões:


contato@missoes2020.org

www.missoes2020.org

Interesses relacionados