Você está na página 1de 9
Apresenta: A SSESSORIA E C ONSULTORIA J URÍDICA E MPRESARIAL : P OR Q UE

Apresenta:

ASSESSORIA E CONSULTORIA JURÍDICA EMPRESARIAL: POR QUE CONTRATAR UM ESCRITÓRIO DE ADVOCACIA EM TEMPO INTEGRAL, E COMO ESCOLHÊ-LO.

Outubro/2013

A SSESSORIA E C ONSULTORIA J URÍDICA E MPRESARIAL : P OR Q UE C
A SSESSORIA E C ONSULTORIA J URÍDICA E MPRESARIAL : P OR Q UE C

ASSESSORIA E CONSULTORIA JURÍDICA EMPRESARIAL: POR QUE CONTRATAR UM ESCRITÓRIO DE ADVOCACIA EM TEMPO INTEGRAL, E COMO ESCOLHÊ-LO.

Organização:

Abrão Jaime Safro

Gismael Jaques Brandalise

Maicon Girardi Pasqualon

2

Todos os direitos reservados. Proibida a cópia e/ou reprodução deste documento sem a prévia autorização dos autores, por quaisquer meios ou processos existentes ou que venham a ser inventados, bem como a inclusão de qualquer parte desta obra em qualquer sistema de processamento de dados. Estas proibições aplicam-se também às características da obra e à sua editoração. A violação dos direitos autorais é punível como crime, com pena de prisão e multa, além da possibilidade de busca e apreensão dos exemplares reproduzidos e apetrechos utilizados na reprodução, sem prejuízo das indenizações civis competentes (Lei Federal n.º 9.610/98).

e apetrechos utilizados na reprodução, sem prejuízo das indenizações civis competentes (Lei Federal n.º 9.610/98).
A SSESSORIA E C ONSULTORIA J URÍDICA E MPRESARIAL : P OR Q UE C

ASSESSORIA E CONSULTORIA JURÍDICA EMPRESARIAL: POR QUE CONTRATAR UM ESCRITÓRIO DE

ADVOCACIA EM TEMPO INTEGRAL, E COMO ESCOLHÊ-LO.

1. Por que contratar um escritório de advocacia para minha empresa?

São perguntas recorrentes em empresas de pequeno e médio porte, merecendo resposta e elucidação: vale a pena contratar um escritório de advocacia para auxílio jurídico das atividades empresariais em tempo integral? Tal assistência não seria cara demais, tornando muito melhor a contratação de um profissional do direito apenas quando emergir a necessidade de instauração de uma demanda ou de resguardar minha empresa em eventual litígio judicial?

Tais questionamentos têm suas justificativas.

Algumas empresas em expansão possuem o arraigado e provinciano conceito de que os seus departamentos (financeiro, recursos humanos e afins) somados à assessoria contábil, podem dirimir todas as suas (não poucas) dúvidas de ordem extrajudicial. Essa supervalorização das assessorias gerais que na grande maioria das vezes provém de um relativo desconhecimento de suas competências pelas próprias empresas acaba fazendo com que as mesmas invadam perigosamente o campo de atuação dos profissionais do direito, trazendo risco às atividades empresariais.

Isto porque, por maior que seja a excelência da assessoria interna ou contratada, existem alguns quesitos que as mesmas não conseguirão cumprir com primazia seja por falta de conhecimento, seja pela ampla carga laborativa ou pela difusão de matérias com as quais devem lidar corriqueiramente , tornando distante e abstrata a relação com o cliente em assuntos de maior complexidade, que exigiriam um contato mais aprofundado.

discussões

societárias, autuações fiscais, prescrição de débitos, dentre outros fatores que desestabilizam a “vida” empresarial.

E quando isso acontecer acreditem, as chances são altas , a quem a empresa irá recorrer? Obviamente, as assessorias genéricas não poderão ajudar a solucionar estas intempéries. Em não possuindo um escritório de advocacia contratado para assessoria jurídica integral, recorrerá ela a um advogado de sua confiança que, caso manifeste interesse em abraçar sua causa (ele pode recusar), lhe exporá os custos de seu serviço. E aí vem o primeiro susto. A Tabela de Honorários da OAB/RS discrimina de maneira clara os valores de referência que nos casos narrados não seriam inferiores a R$ 2.000,00 (dois mil reais) 1 , sem incluir uma gratificação pelo êxito, tampouco a possibilidade de perda da demanda.

Analisemos agora as mesmas situações, porém vinculando um escritório jurídico à empresa por intermédio de um contrato que estipule valor fixo (mensal) a ser estendido em retribuição à assessoria jurídica prestada.

Disso

exsurgem,

invariavelmente,

alguns

infortúnios:

demandas

na

Justiça

do

Trabalho,

3

1 Valores abstraídos da Tabela de Honorários da OAB/RS, disponível em http://www.oabrs.org.br/TabelaHonorarios. Acesso em 03/10/2013, às 15h22min.

Honorários da OAB/RS, disponível em http://www.oabrs.org.br/TabelaHonorarios . Acesso em 03/10/2013, às 15h22min.
Toda a matéria antes delegada aos departamentos internos e à assessoria contábil de maneira avessa

Toda a matéria antes delegada aos departamentos internos e à assessoria contábil de maneira avessa às suas competências, portanto, seria atribuída ao escritório jurídico, com profissionais que conhecessem o ramo de atuação da empresa, e que detivessem conhecimento jurídico e expertise suficientes para encarar os inúmeros desafios do cotidiano societário.

Nesse caso, além da redação de todos os termos e tratativas se dar em conformidade com a legislação (por alguém capacitado exclusivamente para tanto), haveria o manifesto intuito de prevenção de litígios nas condutas dos profissionais do direito, que atuariam junto à empresa, compreendendo-a de maneira genuína e visando atingir

os seus objetivos de progresso, avaliando, alertando e corrigindo as falhas e irregularidades jurídicas encontradas no empreendimento.

Não bastasse isso, se porventura a empresa fosse autuada pelo fisco, reclamada na Justiça do Trabalho, ou

se envolvesse em qualquer demanda judicial (hipoteticamente), não seriam despendidos montantes maiores a título de pagamento pela proteção em juízo, que não aqueles valores mensais já fixados no contrato entabulado com o escritório, acrescidos de um ínfimo valor pelo êxito (se houver).

De tudo isso é possível abstrair que a contratação de um escritório de advocacia para assistência e consultoria jurídica empresarial em tempo integral traduz as seguintes vantagens:

a) Segurança: a vinculação da empresa a um escritório com experiência, conhecimento jurídico e um bom

histórico pregresso pode significar uma boa margem de segurança no entabulamento de negócios com clientes e fornecedores, uma vez que os profissionais do direito indicarão a melhor forma de contratar (em conformidade com a legislação que regula o tema), sugerindo a inclusão e retificação de cláusulas de maneira a resguardar a integridade empresarial, evitando o surgimento de futuras controvérsias. E é aí que entra uma segunda e importantíssima

4

vantagem:

b)

Gestão do risco: grande parte dos deslindes enfrentados pelas empresas decorre de alguma falha na

interpretação legal que poderia ser facilmente evitada, amenizando ou até mesmo extinguindo os riscos das contratações, através de políticas preventivas realizadas pelo escritório jurídico contratado (prognóstico, consultoria

e assessoramento). Não obstante, o acompanhamento administrativo e judicial da evolução da empresa por

profissionais do direito, para além de tornar a relação profunda e sólida, daria ao empresário uma compreensão estimativa dos valores que poderia vir a despender em virtude dos processos em que sua empresa fosse parte (através de relatórios com prazos, andamento, previsões de término e valores prováveis), auxiliando também em

seu planejamento orçamentário.

c) Acessibilidade e pronto atendimento: ao contrário dos profissionais desvinculados que não tem

qualquer obrigação com a empresa, podendo recusar suas causas ao seu alvedrio , ao escritório contratado restará

o encargo de prestar os serviços com excelência ímpar (por maior que seja sua dificuldade), atendendo aos seus

anseios de maneira imediata, a fim de manter a contratação e a confiança do cliente. Ademais, a empresa terá acesso em tempo integral aos conhecimentos jurídicos e técnicos dos profissionais do direito, que, por já terem como superada determinada curva do aprendizado, poderão realizar em momento oportuno (imediato e verbalmente, ou

postergado por parecer) as melhores recomendações aos contratantes para cada situação enfrentada.

d) Ausência de responsabilidade trabalhista: quando da contratação de um ou mais profissionais do

direito para atuar dentro de uma empresa (em um departamento jurídico, por exemplo), esta precisaria entabular

do direito para atuar dentro de uma empresa (em um departamento jurídico, por exemplo), esta precisaria
vínculo formal de emprego, submetendo-se aos rigorismos da CLT e às suas prerrogativas aos trabalhadores.

vínculo formal de emprego, submetendo-se aos rigorismos da CLT e às suas prerrogativas aos trabalhadores. Na contratação de um escritório de advocacia, tais mazelas seriam evitadas por completo, bastando-se em relação pura e eminentemente contratual, regida pelo direito civil (ou seja, nada de Justiça do Trabalho em virtude de um advogado descontente).

e) Valores adequados: por derradeiro, quanto à viabilidade da contratação em virtude de seus custos, é válido lembrar que a empresa não estará apenas economizando no valor dos honorários que seriam devidos em razão de uma defesa em ação judicial (que, a depender da ação, podem superar o valor pago em um ano inteiro para um escritório vinculado), evidenciando o custo-benefício da contratação. A empresa estará contando, ainda, com uma consultoria jurídica em tempo integral que, através de políticas de prevenção de litígios (assessoramento contínuo) reduzirá a um patamar ínfimo as demandas a que a empresa poderia ser submetida, além de amplificar as possibilidades de crescimento empresarial em virtude da vasta gama de conhecimentos jurídicos que estarão à disposição da sociedade empresarial.

Considerando-se a complexidade do ambiente globalizado, bem como as intrincadas relações travadas cotidianamente pelas empresas diluídas em tal ambiente relações estas recheadas de um sem número de termos e critérios que, se não analisados com cautela, podem culminar em severas consequências para seus empreendimentos , uma assessoria jurídica prestada por um escritório de advocacia em tempo integral não se mostra apenas viável, mas também recomendável (seja pelo prisma econômico ou técnico), a fim de auxiliar e impulsionar o desenvolvimento progressivo da sociedade contratante, evitando que a mesma recaia em erros que poderão complicá-la juridicamente no futuro.

5

2. Como escolher o escritório de advocacia a ser contratado?

Demonstrada a enorme importância da contratação de um escritório de advocacia para prestar assessoria jurídica à empresa em tempo integral, é crucial que se tragam à tona as melhores maneiras de escolhê-lo.

O Brasil possui um advogado para cada 251 habitantes. No Rio Grande do Sul, tal percentual é ainda mais alarmante: um causídico para cada 185 habitantes (dados abstraídos dos sítios do IBGE e da OAB). Diante de números tão expressivos, é imprescindível que se exponham as maneiras de saber qual é o melhor escritório jurídico para a sua empresa. Para tanto, serão apontadas as fontes de maior relevância para coletar informações sobre os mesmos, bem como os principais critérios a serem utilizados para sua escolha cabalística.

Conforme pesquisa realizada pela LEXISNEXIS MARTINDALE-HUBBLE, em colaboração com o escritório de Marketing Jurídico GONÇALVES & GONÇALVES, utilizando a opinião de 112 empresas (das quais, 44% faturam anualmente mais de R$ 1 bilhão; 33% entre R$ 250 milhões e R$ 1 bilhão; e 23% até R$ 250 milhões ou seja, exemplos a serem seguidos) 2 , as principais FONTES DE INFORMAÇÃO utilizadas para identificação, avaliação e seleção de um escritório de advocacia são as seguintes:

a) Indicação de advogados de outras empresas (94% dos consultados); b) Indicações realizadas por escritórios de advocacia (86%); c) Indicações de membros da diretoria da empresa (57%); d) Redes e

2

escritorios-de-advocacia.pdf . Acesso em 08/10/2013, às 17h42min.
associações jurídicas (44%); e) Participação dos advogados em eventos (33%); f) Promoção de eventos pelo

associações jurídicas (44%); e) Participação dos advogados em eventos (33%); f) Promoção de eventos pelo escritório (30%); g) Site do escritório (29%); h) Reportagens (25%); i) Informativos do escritório (25%); j) Artigos publicados pelos profissionais do direito (30%); k) Diretórios Jurídicos (23%); l) Ferramentas de busca na Internet (22%).

Considerando que a advocacia é claramente um negócio de relacionamentos, calcada no relacionamento pessoal, não é surpresa alguma que a principal fonte de informação para identificação, avaliação e seleção de escritórios resida em indicações.

Apontadas as fontes de informações indicativas sobre escritórios jurídicos, é oportuno demonstrar agora os principais CRITÉRIOS utilizados pelas empresas envolvidas na pesquisa a fim de finalmente escolher um escritório para lhes assessorar. Conforme a mesma pesquisa, tais são os critérios de maior relevância:

a) Conhecimento jurídico (99%); b) Disponibilidade ao cliente (98%); c) Experiência em setores de mercado (97%); d) Soluções criativas (95%); e) Reputação do Escritório (93%); f) Histórico prévio de resultados positivos (93%); g) Honorários de cobrança (93%); h) Reputação dos advogados (91%); e i) Aconselhamento preventivo (91%).

Conciliando-se tais critérios, bem como as manifestações das empresas consultadas, é possível perceber que

o que a grande maioria das sociedades empresariais espera de um escritório de advocacia não é um simples foco no cliente com excelência, mas sim uma compreensão profunda do que realmente importa tomando por base o ponto de vista do próprio cliente.

6

3. Resumindo: Onde residem a necessidade e a viabilidade de tal contratação, e como realizo a escolha do escritório para minha empresa?

Verificadas as informações de cunho técnico, é possível sintetizá-las da seguinte forma, a fim de demonstrar

a necessidade, a viabilidade e a maneira de contratar um escritório de advocacia para assessoria empresarial contínua e integral do seu empreendimento:

a) Necessidade: Conforme dados do SEBRAE, 73% das micro e pequenas empresas gaúchas consideram o planejamento como sendo o principal fator de sucesso de sua atividade 3 .

A contratação de um escritório de advocacia em tempo integral, além de caracterizar uma etapa do plano estratégico e orçamentário de qualquer empresa em expansão, pode ser uma ferramenta de valor inestimável para a regularidade das contratações, atuando tanto na prevenção de litígios judiciais, quanto na defesa da empresa em juízo quando necessário.

Nunca é demais ressaltar que a grande maioria das atividades cotidianas das empresas envolve relações e negócios jurídicos (desde a emissão de uma Nota Fiscal até a assinatura de um contrato com uma empresa de vigilância, sempre podem ser encontradas normas e princípios jurídicos envolvidos). Se tais negócios forem

T000360D2.pdf, página 41. Acesso em 07/10/2013, às 14h58min.

T000360D2.pdf , página 41. Acesso em 07/10/2013, às 14h58min.
minuciosamente analisados por profissionais com competência e experiência para tanto, maiores serão as chances de

minuciosamente analisados por profissionais com competência e experiência para tanto, maiores serão as chances de a empresa firmar contratos sólidos, e menores as probabilidades de sofrer com problemas administrativos e/ou judiciais em virtude dos mesmos no futuro.

Logo, se a empresa almeja um crescimento sólido e coerente (sem sustos e gastos desnecessários), é inegável a necessidade de que o caminho a ser trilhado em busca do sucesso no empreendimento seja acompanhado por um escritório de advocacia apto a lhe conferir tal segurança.

b) Viabilidade: Para além de necessária, tal contratação se mostra muito mais viável do que um contrato esporádico com um profissional do direito para defesa em litígios judiciais que porventura surjam. Isto se dá em razão de alguns critérios que valem a pena ser ressaltados:

b.1) O escritório contratado conhecerá profundamente a empresa, e não apenas de maneira superficial, como um profissional convocado esporadicamente. Tal conhecimento aprofundado facilitará a defesa em juízo, aumentando consideravelmente as chances de “ganhar a ação”, além de propiciar aos profissionais do direito melhores oportunidades para aconselhamento e prevenção de litígios;

b.2) Os serviços prestados compensarão os valores pagos mensalmente, uma vez que a assessoria jurídica se dará em tempo integral (as dúvidas poderão ser solucionadas a qualquer hora com o escritório contratado), e não apenas quando surgir alguma demanda judicial. Ademais, a empresa, de regra, não precisará mais bancar os “honorários” para impetrar uma ação ou para requerer sua defesa em juízo, vez que o valor já estendido mensalmente ao escritório contratado bastará para tanto, seja qual for a dificuldade da demanda. Isto torna o serviço extremamente mais barato; e, por fim,

b.3) vale mais a pena evitar o litígio do que ter de se defender em algum. Como dito, o escritório atuará através de políticas de prevenção, aconselhando a empresa em suas relações a fim de afastar qualquer irregularidade, de maneira a evitar o surgimento de demandas judiciais no futuro. Assim, além de impedir a realização de um negócio irregular e prejudicial à empresa, fomentando seu desenvolvimento de acordo com a legislação, o seu negócio estará blindado contra maiores gastos em razão de processos judiciais supervenientes e inesperados.

c) Como escolher: Demonstradas a necessidade e a viabilidade da contratação de um escritório de advocacia, passemos aos questionamentos que devem ser realizados pela sua empresa para escolha do seu assessoramento:

c.1) há boas indicações do escritório? O escritório e os profissionais que atuam nele provavelmente possuem um histórico pregresso de atuação. Devem ser observados os resultados de suas atuações, analisando o contentamento de seus clientes com seus serviços. Ainda, é necessário acompanhar a interação do escritório com os meios sociais e intelectuais através de seu site (se houver), redes sociais, artigos publicados, palestras realizadas por seus advogados, reportagens concedidas, etc. É importante salientar, embora pareça óbvio, que quanto maior a atividade e experiência do escritório profissional, maior a qualidade que se pode esperar de seus serviços jurídicos.

c.2) os profissionais possuem conhecimento? Ainda, é importante entrar em contato com os profissionais e marcar um encontro, a fim de avaliar se os mesmos possuem conhecimento jurídico compatível com as suas necessidades, e se cumprem os requisitos que a sua empresa considera indispensáveis para contratação

7

com as suas necessidades, e se cumprem os requisitos que a sua empresa considera indispensáveis para
(experiência com seu ramo, disponibilidade para viagens, formulação de relatórios de demandas, etc.). c.3) os

(experiência com seu ramo, disponibilidade para viagens, formulação de relatórios de demandas, etc.).

c.3) os valores cobrados mensalmente são compatíveis com minha demanda? Este é um ponto crucial, e que deve ser negociado com os profissionais do escritório. Cada empresa é um ente singular que possui uma demanda jurídica específica, não importando muito o seu porte para tanto. Assim sendo, a fim de não resultar em um contrato de valores desproporcionais à demanda de serviços jurídicos, a empresa deverá realizar contratação de acordo com suas necessidades, pagando valor pertinente à sua realidade. Notadamente, conforme a demanda jurídica aumentar, o contrato poderá ser reajustado, de forma a tornar equilibrada e saudável a relação entre a empresa e o escritório de advocacia contratado.

c.4) preciso de um escritório especializado ou de um generalizado? Como dito, cada empresa possui uma necessidade específica. Algumas possuem atuação que torna imprescindível o contato contínuo com o profissional do direito em diversas áreas (trabalhista, fiscal, civil, regulatória, propriedade intelectual, consumidor, empresarial, etc.). Outras, todavia, necessitam apenas de um auxílio aprofundado em um único ramo, por ser apenas neste que mira sua atuação (direito público, atuando apenas com licitações, por exemplo). Logo, caberá a cada empresa avaliar sua necessidade, entabulando contrato com o escritório que puder lhe auxiliar da melhor maneira possível.

4.

Conclusão:

8

Contratar um escritório de advocacia para acompanhar a jornada de sua empresa rumo ao sucesso, para além de extremamente necessário, é visivelmente viável.

Converse com os empresários locais, consulte sua assessoria contábil, e entabule contratos de experiência com os escritórios ao seu alcance. Faça o teste!

Com a mais absoluta certeza, serão visíveis as melhorias em suas relações comerciais e industriais, podendo ser este considerado um investimento com pequenos riscos, mas com ótimos dividendos.

5. Referências Bibliográficas

5.1. Tabela de Honorários da OAB/RS. Disponível em http://www.oabrs.org.br/TabelaHonorarios. Acesso em

03/10/2013, às 15h22min.

5.2.

População

Brasileira,

conforme

Censo

de

2010.

IBGE.

Disponível

em

em

09/10/2013,

às

17h50min.

 

5.3.

Quadro

de

Advogados

da

OAB.

Disponível

em

5.4. Estudo brasileiro sobre relacionamento entre departamentos jurídicos e escritórios de advocacia. Disponível em

Disponível em http://www.marketingjuridico.com.br/Arquivos/Estudo-brasileiro-sobre-o-relacionamento-entre-departamentos-
juridicos-e-escritorios-de-advocacia.pdf . Acesso em 08/10/2013, às 17h42min. 5.5.

juridicos-e-escritorios-de-advocacia.pdf. Acesso em 08/10/2013, às 17h42min.

5.5.

061A3C4/$File/NT000360D2.pdf. Acesso em 07/10/2013, às 14h58min.

Fatores

condicionantes

e

taxa

de

mortalidade

das

MPE

Rio

Grande

do

Sul.

SEBRAE.

Disponível

em:

9

às 14h58min. Fatores condicionantes e taxa de mortalidade das MPE Rio Grande do Sul. SEBRAE. Disponível