Você está na página 1de 7

Uso da “Problematização” na educação permanente das Equipes de Saúde da

Família da Vila C Nova–Foz do Iguaçu-PR


Tema: Humanização no SUS

Equipes de Saúde da Família da Vila C Nova e Bela Vista


Foz do Iguaçu - PR
2006

Autor:

Dra. Regina M. Gonçalves Dias


Médica de Família
Telefones: (45) 9911-3501
(45) 3028-0380
E-mail: saude.bit@foznet.com.br

Trabalho apresentado na III Mostra Paranaense de Saúde da Família/III Forum Nacional de Redes em
Saúde; Curitiba, PR; 2006.
2

Colaboradores e apresentadores:

Dr. Alexandre Carloni


Telefones: (45) 3572-2346
(45) 9934-1032

Dra. Marilene Ourives


Telefones:
(45) 9108-3771

Enfa. Patrícia Buono


Enf. Sílvio Moro
Enfa. Sandra Mara

Auxiliar de enf. Míriam

Uso da “Problematização” na educação


permanente das Equipes de Saúde da
Família da Vila C Nova –Foz-PR

2
3

INTRODUÇÃO

Detectamos em nossas equipes de Saúde da Família falta de unidade no


conhecimento de programas, estratégias e ações, que em certas ocasiões chegavam
a ser paradoxais.
Há um reconhecimento internacional da necessidade de mudança na
educação de profissionais de saúde frente à impossibilidade dos métodos tradicionais
de responder às demandas sociais.
Apoiadas na aprendizagem por descoberta e significativa, a educação
problematizadora valoriza o aprender a aprender, trabalha a construção de
conhecimentos a partir da vivência de experiências significativas. O conteúdo novo
deve apoiar-se numa estrutura cognitiva já existente e provocar novas necessidades e
desafios. A problematização originou nos estudos de Paulo Freire e enfatiza que os
problemas a serem estudados precisam valer-se de um cenário real.
De acordo com os quatro pilares da educação atual (UNESCO), aprender a
conhecer; aprender a fazer; aprender a viver juntos e o quarto pilar aprender a ser,
entendemos que implantar a problematização como técnica para estimular a
participação dos componentes das equipes torná-los-ia responsáveis através do
depósito de suas idéias na formação e estruturação dos programas.
Exemplificamos neste trabalho o tema-problema Humanização, demonstrando
os passos tomados pelas equipes de saúde da família da Vila C Nova e Bela Vista
para a formação da árvore temática.

OBJETIVO

Fazemos parte das ESF de Vila C Nova e Bela Vista, que comporta três equipes,
totalizando uma área adstrita com 9.000 usuários - 2.800 famílias.
Objetivamos estimular a mudança do paradigma pessoal em relação ao SUS, o
trato com o paciente e implantar o Comitê de Humanização da Unidade de Saúde da
família.
Este documento traça as linhas e diretrizes da abordagem através da
problematização para tratar do Acolhimento, e o significado da Humanização para o
profissional de saúde da USF Vila C Nova e Bela Vista.

3
4

JUSTIFICATIVA
Percebemos a necessidade desta abordagem para estimular a co-
responsabilidade entre os componentes da equipe, além de sua participação nas
idéias, projetos e ações estratégicas.

METODOLOGIA

a) Método de Abordagem
Usamos a problematização como método de educação permanente
como catalisador e propositor na aplicação dos quatro pilares da educação atual
na Unidade de Saúde da Família Vila C Nova e Bela Vista.

Este método consta cinco etapas que se desenvolvem a partir da


realidade ou um recorte da realidade (Bordenave e Pereira):
1. Observação da realidade;
2. Pontos-chaves;
3. Teorização;
4. Hipótese de soluções e
5. Aplicação à realidade (prática).
b) Método de Procedimento
Passos aplicados na problematização:

1. Decidimos em grupo o tema proposto para discutirmos.


Trabalhamos o tema Humanização com o propósito de nivelar
conhecimentos, fluir valores pessoais e catalisar o Acolhimento
na Unidade de Saúde;
2. Definimos termos e elaboramos a construção de saberes
sobre o tema. Estimula-se a participação de todos através da
colaboração com idéias-chaves;
3. Teorização. Há discussão sobre o conceito dos termos e novos
significados surgem através de experiências anteriores e
saberes dos participantes;
4. Agrupamos as idéias por afinidades
5. Elaboramos a árvore temática com o tema Humanização
construída por toda a equipe de saúde (figura 1)

4
5

EMBASAMENTO TEÓRICO

Formulamos este projeto baseado nos quatro pilares da educação atual e em


experiências anteriores de educação permanente e para adultos em algumas
universidades do Brasil e do exterior.

A finalidade desta aplicação é proporcionar ao profissional de saúde integração na


equipe valorizando seus saberes e ao mesmo tempo oferencendo oportunidade para
reflexão de sua atuação em uma unidade de Saúde da Família.

Esta proposta tem embasamento na Política Nacional de Humanização onde seus


princípios básicos são os seguintes:

 Valorização da dimensão subjetiva e social em todas as práticas de


atenção e gestão no SUS, fortalecendo o compromisso com os direitos do
cidadão, destacando-se o respeito às questões de gênero, etnia, raça,
orientação sexual e às populações específicas (índios, quilombolas,
ribeirinhos, assentados, etc.);

 Fortalecimento de trabalho em equipe multiprofissional, fomentando a


transversalidade e a grupalidade;

 Apoio à construção de redes cooperativas, solidárias e comprometidas com


a produção de saúde e com a produção de sujeitos;

 Construção de autonomia e protagonismo dos sujeitos e coletivos


implicados na rede do SUS;

 Co-responsabilidade desses sujeitos nos processos de gestão e atenção;

 Fortalecimento do controle social com caráter participativo em todas as


instâncias gestoras do SUS;

 Compromisso com a democratização das relações de trabalho e


valorização dos profissionais de saúde, estimulando processos de
educação permanente.

RESULTADOS

A dinâmica da Problematização proporciona quebra de paradigma, no sentido


do trabalho centrado no médico, esta metodologia inovadora estimula a

5
6

participação de todos e valoriza o profissional de saúde. As equipes de saúde


envolvidas trabalharam com definição de termos, discussão de valores pessoais e
grupais, posturas do profissional acolhedor, limites pessoais e dos serviço,
valores a serem desenvolvidos pelo profissional e pela equipe e interação/vínculo
com o usuário em relação à Humanização do Serviço.

Obtemos a árvore temática – Humanização com a participação e contribuição


de todos profissionais da Unidade de Saúde da Família (figura1).

Figura 1

ÁRVORE TEMÁTICA DA HUMANIZAÇÃO

COPA
Prevenção
Bom atendimento
Qualidade de Atendimento
Acolher
Ouvir
Bem estar individual e da Comunidade
Solução nas prioridades - Resolutividade

T RO NCO
Informação
Conhecimento
Trabalho em equipe para o bem comum
Trabalho junto para um bom resultado
Criação de vínculo
Pensamentos e ações semelhantes para melhoria da saúde
da população (falar a mesma língua)
Direitos iguais para todos, respeitando os deveres com
RAIZ responsabilidade.

Trabalhar com alegria


Atenção
Qualidade no que faz.
Desprendimento no que faz.
Respeitar diferentes necessidades
Direitos iguais para todos
Iniciativa para resolver
Solidariedade
Fraternidade
Educação
Amor pelo que faz
Respeito com o próximo
Motivação

6
7

CONCLUSÕES

A participação de todos os componentes das Equipes de Saúde da Família e


dos trabalhadores de apoio (recepção, zeladoria e auxiliares administrativos) é
garantida com esta metodologia inovadora, pois ela integra, valoriza, conscientiza,
provoca reflexões e consequentemente co-responsabiliza e compromissa o
trabalhador com o tema proposto.

BIBLIOGRAFIA
Benevides, R.; Passos Eduardo. A Humanização como dimensão pública das
políticas de saúde. Ciência e Saúde Coletiva, 10(3): 561-571, 2005.

Berbel, Neusi aparecida Navas. A problematização e a aprendizagem baseada em


problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Interface-Comunic, Saúde,
Educ 2, 139-154, fevereiro 1998.

Brasil 2004. Política Nacional de Humanização. Documento base para gestores e


trabalhadores do SUS. Ministério da Saúde, Brasília.

Ceccim, Ricardo B. Educação Permanente em Saúde: descentralização e


disseminação de capacidade pedagógica na saúde. Programa de Pós-graduação
em Educação, Grupo temático de Educação em Saúde, Universidade Federal do Rio
Grande do Sul.

Cyrino, Eliana Goldfard; Toralles-Perreira, M. L. Trabalhando com estratégias


ensino-aprendizado por descoberta na área de saúde: a problematização e a
aprendizagem baseada em problemas. Caderno de Saúde Pública. Rio de Janeiro,
20(3): 780-789, mai-jun 2004.

Paim, Jairnilson Silva. Saúde da Família: espaço de reflexão e de contra-


hegemonia. Interface-Comunic, Saúde, Educ 9, 143-146, agosto 2001.

Ribeiro, Eliana Cláudis de O.; Motta, José Inácio J. Educação Permanente como
Estratégia na Reorganização dos Serviços de Saúde. Secretaria Executiva da
Rede IDA-BRASIL. Universidade Federal da Bahia.