Você está na página 1de 29

Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 1 of 29

 Blog
 Culpados

Busca
Procurar por: Google Search

Analisando um Mapa Astral – parte 2


09 jun 2009 | por Marcelo del Debbio em Teoria da Conspiração às 1:49 • editar

Olá crianças,
Semana passada eu propus um desafio para os leitores do S&H: Descobrir a correlação entre os Mapas
Astrais do Kentaro (Ceticismo Aberto), André Dahmer (Malvados), Thahy (Intensidade) e este que vos
escreve (Teoria da Conspiração).
Não passou dois dias e os pseudo-céticos de plantão das listas já inventaram que este post seria “uma
explicação do por quê nós estávamos desistindo do experimento”; outros já amaldiçoavam o projeto,
achando que o post era “uma desculpa do porquê o experimento iria falhar”; outros mais malucos ainda
afirmavam que “estávamos de má-fé com o experimento” e assim por diante…
É por isso que o Ceticismo no Brasil não vai para frente. Quando não conseguem nem decidir se são
vegetarianos ou carnívoros, ateus ou agnósticos, os participantes destes movimentos agem como torcedores
fanáticos de times de futebol, prevendo resultados e dando palpites em coisas que são absolutamente leigos,
sem a menor vontade de compreender O QUE estão avaliando; apenas torcendo para que o experimento não
dê certo, não importa como seja conduzido.

Uma das minhas maiores broncas com os descrentes e suas “experiências refutando a Astrologia” é que a
imensa maioria das experiências feitas até hoje que já caíram nas minhas mãos (e não foram poucas) caem
nos seguintes quesitos:
1) usam apenas o “Signo” das pessoas para avaliar os resultados ou
2) pegam uns astrólogos e tentam fazer com que eles “adivinhem” alguma coisa a partir de um mapa e
algumas vítimas ou façam “previsões” sobre algum assunto.

Não é de se estranhar que nada dá certo nunca. Ou estes experimentos apenas reforçam o que eu já expliquei em várias colunas: que o que
vendem por ai hoje com o nome de “Astrologia” é puro LIXO.
Mas não posso culpar os céticos de verdade e as pessoas inteligentes. Eu mesmo, dez anos atrás, fui fazer um curso de Astrologia com um dos
maiores astrólogos do país, Frank Avabash, com esse preconceito. Na época, ele devia ter uns 25 anos de experiência com Astrologia e eu
estava totalmente convencido que seria uma furada. Mas me enganei. A Astrologia Hermética (aquela que Isaac Newton, Galileu Galilei,
Kepler, Tycho Brache, John Dee, Max Heindel, Fernando Pessoa, Winston Churchill e Hitler estudavam) não lembra nem de longe o que os
profanos chamam de “astrologia”.

Então, afinal de contas, o que é Astrologia?


Para começar, falaremos sobre o que se entende por “astrologia” no mundo profano: segundo os horóscopos, os humanos são divididos em 12
castas estereotipadas chamadas “signos”. Todo dia no jornal sai o “horóscopo” que é o que vai acontecer com 1/12 da população do mundo
naquele dia e volta e meia algum picareta vai na TV fazer “previsões” que nunca se concretizam…
Isso é o que as pessoas pensam que seja Astrologia.

Bem… agora vamos falar sobre Astrologia de Verdade.


Um Mapa Astral, ou Carta Natal, é uma representação geométrica e simbólica do céu no exato momento do nascimento de qualquer coisa no
Planeta. Uma pessoa, um objeto, um contrato, um ritual… Nenhum dos planetas “influencia” nada. Muito menos a “atração gravitacional” ou
“energias emanadas” deles, como eu já vi céticos afirmarem.

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 2 of 29

As posições dos Planetas atuam apenas como mostradores; ponteiros invisíveis de um relógio astral, movimentando-se em sincronicidade com
os acontecimentos em cada planeta. Tudo o que está em cima é semelhante ao que está em baixo. E o que realmente conta na confecção de um
Mapa Astral é a angulação que eles fazem com o horizonte. Para alguém totalmente materialista, não parece mesmo fazer sentido… é como se
alguém da segunda dimensão desse de cara com uma esfera atravessando o plano… na visão deles, o máximo que poderiam compreender seria
o círculo aumentando e diminuindo de raio, mas não conseguiriam explicar o que está acontecendo porque não possuem o conhecimento da
terceira dimensão. O mesmo ocorre no exemplo acima. A explicação para o por quê a astrologia Funciona está em um plano que a ciência
ortodoxa AINDA não consegue explicar.

O cálculo exato das efemérides e a posição exata dos planetas no Mapa é de vital importância para a ciência da Astrologia. Por esta razão, em
seu nascimento, Astrólogos e Astrônomos eram uma profissão apenas.

Mas tio, e as Constelações?


Constelações não servem para nada no cálculo de Mapas. São apenas REFERÊNCIAS simbólicas que os antigos encontraram para explicar para
as pessoas algo que é extremamente difícil descrever apenas com palavras. Se fomos avaliar diferentes métodos astrológicos (astrologia chinesa,
védica, asteca, etc) veremos que, apesar de cada uma delas dar NOMES DIFERENTES para casa signo, as descrições de cada período temporal
em relação ao comportamento dos indivíduos é rigorosamente o mesmo. Mudam apenas a referência. Em um horóscopo são animais, em outro
são deuses, no terceiro constelações, em outro constelações diferentes e assim por diante…
Esta é uma das “refutações” que mais vejo entre os céticos: de que se a Astrologia fosse una, todas as Astrologias seriam iguais. Só que elas
SÂO iguais… onde em uma cultura o signo é chamado de “touro”, em outra é chamado de “urso” e em outra de “elefante”. São símbolos que
expressam uma mesma idéia, apenas culturalmente diferentes.

As próprias “constelações” não fazem sentido, quando agrupadas em um universo 3D. Peguemos, por exemplo, a constelação de Libra: alfa de
Libra (Zubenelgenubi) está a 77 anos luz. Beta de Libra (Lanx Australlis) está a 160 anos-luz, gama de Libra está a 150 anos-luz e sigma de
Libra (Brachium) está a 300 anos-luz… ou seja, elas não tem NADA em comum para serem agrupadas “próximas”.
Mas elas serviam como símbolos para contar histórias e fazer com que os cientistas primitivos fossem capazes de entender os conceitos
abstratos que regem a psicologia.

Além disso, devido à precessão dos equinócios, o Sol atualmente cruza as constelações de Áries de 18 de abril a 12 de maio, Touro de 13 de
maio a 20 de junho, Gêmeos de 21 de junho a 19 de julho, Câncer de 20 de julho a 9 de agosto, Leão de 10 de agosto a 15 de setembro, Virgem
de 16 de setembro a 30 de outubro, Libra de 31 de outubro a 22 de novembro, Escorpião de 23 de novembro a 28 de novembro, Ofiúco de 29 de
novembro a 16 de dezembro, Sagitário de 17 de dezembro a 18 de janeiro, Capricórnio de 19 de janeiro a 15 de fevereiro, Aquário de 16 de
fevereiro a 11 de março e Peixes de 12 de março a 17 de abril (e não riam… já vi astrólogos esquisotéricos querendo “reformular” os signos
baseado nessas bullshits).
Ou seja, outros céticos usam isso como desculpa para “refutar” a Astrologia, alegando que graças à precessão dos Equinócios, o signo que você
pensa que possui não é o verdadeiro signo que deveria ter e assim por diante…

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 3 of 29

Retornando aos planetas


Na “astrologia” que as pessoas conhecem, existem 12 tipos de signos/pessoas… ou 144 tipos de pessoas (12×12) se você for legal e contar o
ascendente.
Na Astrologia Hermética, temos 10 planetas (o nome Planeta vem de “viajante”, ou os “astros que caminham no céu”, por isso consideramos o
Sol, a Lua e Plutão como planetas) mas, na realidade, são apenas os ponteiros do Sistema solar que contam.
O círculo do Zodíaco possui 360 graus. Sabendo que Mercúrio, pela posição relativa do sol em relação à Terra nunca estará mais do que 28
graus afastado do sol e Vênus nunca estará mais do que 46 graus afastado do sol, temos então:

360 (sol) x 56 (mercúrio) x 92 (Vênus) x 360 (terra/ascendente) x 360 (marte) x 360 (júpiter) x 360 (saturno) x 360 (urano) x 360 (netuno) x 360
(plutão) x 360 (lua) Mapas Astrais diferentes! Fazendo as contas, temos: 1,45344 E+24, ou seja, 1,453.440.000.000.000.000.000.000 de
possibilidades diferentes. Um SETILHÃO de combinações possíveis, se levarmos em conta 1 grau de precisão. A conta inclui os 360 graus do
sol por causa das CASAS. Se quisermos “facilitar” e considerarmos apenas as combinações dos 12 signos com os 10 planetas, teremos
61.917.364.224 tipos de Mapas diferentes (ou 61 BILHÕES de combinações).

Complexo, não? Mas se a biologia ou a astrofísica podem chegar a complexidades matemáticas absurdas, porque insistem em manter a
astrologia presa no século XVIII?

Simbolicamente, cada Planeta reflete um aspecto da Árvore da Vida dentro de cada pessoa. Para compreender a Astrologia, então, é necessário
um conhecimento da Kabbalah (não a judaica, mas a estrutura que originou tanto a Kabbalah judaica quanto a hermética) e o que cada sephira
representa dentro do Mapa de Estados de Consciência Humana (ou seja, o Astrólogo também precisa estudar a fundo psicologia e simbologia).
E aqui começa o real problema da Astrologia: VOCABULÁRIO.

O vocabulário humano é extremamente limitado. Vamos a um exemplo simples: Você conseguiria descrever em
palavras o amor que sente por sua mãe? E por seu pai? E por sua esposa/esposo? Por sua/seu amante? Pelo
seu/sua filho mais velho? É o mesmo amor que o do filho caçula? E o amor que você sente pelos seus colegas de
exército? Seu time de futebol? O amor-compaixão que sente por um mendigo pedindo esmola? o amor-piedade
que sente por uma criança espancada? o amor-ódio que sente pela ex-namorada/o ? Não há nenhum degradê
entre estas formas de “amor”?
Certamente que quando você diz “eu amo minha esposa” e “eu amo meu time de futebol”, “eu amo meus amigos
torcedores” e “eu amo batata frita” há diferenças enormes de significado.
Talvez um poeta conseguisse “traduzir” estes sentimentos em poemas enormes; colocar em palavras os nobres
sentimentos humanos… textos longos, rebuscados, melodias singelas, pinturas… ainda assim não conseguiria
chegar ao ponto exato.

Se o olho humano pode distinguir 10 milhões de cores diferentes, por que não temos um nome diferente para cada uma delas? E para cada um
dos sentimentos/emoções?

Estão conseguindo chegar ao cerne do problema?

Se a astrologia tivesse avançado como as outras ciências, ao invés de ter sido expulsa das universidades pela IGREJA (e não por ser uma
“pseudo-ciência” como a maioria dos céticos gosta de afirmar), talvez teríamos hoje um código para o Mapa de cada pessoa semelhante ao
código genético ou ao código Pantone, com letras e números; e computadores buscando similaridades comportamentais, ao invés de astrólogos
se matando para explicar sentimentos com palavras.
Queria ver se o Richard Dawkins tivesse de dar nomes simbólicos ou fazer poemas para cada código genético que encontrasse…

O Mapa Astral, então, é um perfeito mapa vocacional que mostra onde estão suas facilidades e dificuldades, a maneira como você pensa, sente,
briga, transa, intui, aprende… mostra o que te agrada e o que te incomoda; mostra os vícios que você tem e às vezes nem sabe por quê. Mostra
suas virtudes e os seus defeitos.

O que o Astrólogo faz é analisar um mapa e tentar achar palavras que se encaixem com cada uma destas combinações em suas diversas matizes.
Quando falamos “seu Marte está em Gêmeos”, estamos usando um código que simplifica MUITO, mas MUITO mesmo o que realmente
estamos vendo naquele código… é como falar “sua camisa é azul”. Azul o que? Azul royal? azul royal bebê? azul royal bebê fúcsia? azul royal

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 4 of 29

bebê fúcsia prussiano do inverno do rio Volga?

Um Astrólogo está limitado pelo seu próprio vocabulário e pelo seu conhecimento da astrologia e simbolismo; também está limitado pelo seu
próprio mapa astral. Um astrólogo cujo próprio mapa tenha muitos planetas em virgem fará uma interpretação de um mapa de outra pessoa bem
diferente de um astrólogo com muitos planetas em peixes… mesmo que os dois tenham entendido as nuances de maneira iguais, certamente se
expressarão de maneira diferente, com palavras diferentes. Os céticos adoram pegar estas diferenças para alegar “que os astrólogos não falam a
mesma língua nas mesmas interpretações”.

E nessa “subjetividade” acabam as chances da Astrologia de se enquadrar nas ditas ciências ortodoxas… imagine a dificuldade que os
geneticistas teriam se precisassem ficar dando nomes e descrições para cada um dos 27.000 genes humanos baseado em sua interpretação
pessoal…

Desta forma, o que os Astrólogos fazem é compilar em tabelas palavras, símbolos e descrições que mais se encaixam àquela determinada matiz
energética (novamente, usando vocabulário de acordo com seu próprio entendimento). O que eu acho “teimoso” como um adjetivo depreciativo,
você pode achar que é um elogio relacionado com “obstinação”, por exemplo! Uma pessoa “curiosa” é um elogio ou é uma pessoa frívola?

E assim caímos nas brechas para as astrologias esquisotéricas… tentando rotular e simplificar ao máximo, chegam e dizem “todo virginiano é
discreto, gosta de organização e limpeza”. Não é necessariamente verdade. Boa parte deles possui estas características, mas isso não define
absolutamente nada em alguém… para vocês terem uma idéia, um Mapa bem feito não tem menos do que 15-20 páginas de texto sobre a
pessoa.

Conhece a ti mesmo
E como se todas estas dificuldades não bastassem, também há o livre-arbítrio. Uma pessoa que tenha, por
exemplo, “Mercúrio em Gêmeos” terá uma facilidade muito maior que a média de lidar com palavras… ela
terá facilidade bem maior do que outras pessoas se desejar tornar-se escritor, jornalista, repórter, contador de
casos… ou um grande fofoqueiro… ou um grande mentiroso, ou combinações destes adjetivos. A habilidade
de manipular bem as palavras não implica necessariamente que você as usará para o bem. E nas facilidades
que estão as tentações.

Não temos como distinguir no mapa um grande repórter de um hábil mentiroso. Podemos dizer “fulano tem
facilidade para lidar com palavras” (você sentiria alguma diferença se eu tivesse escrito “fulano tem facilidade
para manipular palavras”?); talvez alguns céticos considerem isso vago (é outra das alegações furadas dos
céticos em relação à astrologia). E NADA garante que alguém que tenha Mercúrio em Gêmeos vá seguir a
carreira de lidar com palavras… ele pode muito bem ser um vendedor de carros usados que usa isso como
lábia.

Para mim, “Mercúrio em gêmeos” diz muita coisa… Questão de vocabulário. Não podemos aprofundar a descrição sem conhecer a pessoa…
talvez, somente a própria pessoa vai realmente saber o quanto ela usa esta capacidade para o bem ou para o mal.

É nisso que entra o autoconhecimento e a parte Hermética do “Astrologia Hermética”.

Avaliando nossos mapas, podemos detectar as energias com as quais temos mais facilidade e lapidar nossa pedra bruta para chegarmos até a
pedra filosofal.
Mas é duro olharmos para o espelho e reconhecermos nossos defeitos… e mais difícil ainda lutar para transmutá-los das oitavas mais baixas nas
oitavas mais altas; vencer as paixões que nos levam ao uso egoísta de nossas habilidades e transformá-las em virtudes. É como transformar
chumbo em ouro.

Desta forma está a dificuldade em adequar o real ao experimento… fazer “testes de múltipla escolha” parece completamente nonsense para
alguém que sabe para que o mapa realmente serve. Minha sugestão seria pegar um psicólogo neutro para fazer um levantamento psicológico
completo de cada pessoa, bem como uma entrevista onde ela revelaria suas ambições, fantasias, o que realmente gostaria de fazer, o que
realizou dos sonhos, que tipo de parceiro sexual gosta e assim por diante.
Por outro lado, o Mapa seria gerado pelo banco de dados que estamos organizando através das doações dos leitores do Teoria da Conspiração,
ou seja, sem a “interpretação” pessoal do Astrólogo. E como comparação, um grupo de psicólogos/astrólogos compararia o perfil psicológico da
pessoa com o do mapa e faria as correspondências. Claro que eu gostaria de fazer isso não com 20 mapas, mas com 10.000 mapas. Só que daria
um puta trabalho… e os céticos já estão previamente convencidos que astrologia não funciona (embora eu sempre pensasse que cientistas
avaliassem primeiro e julgassem depois, mas tudo bem).

Não coloquei o resultado do desafio para dar tempo de vocês fazerem seus chutes. No feriado eu contabilizo os erros e acertos e semana que
vem coloco a explicação de quem é quem nos Mapas. E também tentaremos bolar perguntas de múltipla escolha para diferenciar o mapa do
Kentaro do meu…

————
Textos relacionados no blog Teoria da Conspiração e no Blog da Daemon.
E sigam as novidades do blog no Twitter

- DMT e a Glândula Pineal


- A “Aposta de Pascal” no Richard Dawkins
- Resultados da Hospitalaria – Abril/2009
- Os Illuminati e o Dia do trabalho
- Básicos de Alquimia
- A Metáfora, por Joseph Campbell

————
Cursos

12/06 – Astrologia Hermética (SP)


13/06 – Tarot (Arcanos Menores) (SP)

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 5 of 29

14/06 – Chakras e Magia Sexual (SP)

Informações no email marcelo@daemon.com.br

 81 Protestos
 Compartilhe

Comentários

1. Gordo
09 de junho • Editar

Pff…

2. Maiko
09 de junho • Editar

Pff… [2]

Bem tosco isto, e sou cético, e quando provarem estatiscamente que isto funciona então você terá a minha dúvida, até lá é só mais uma
crença (e não importa por quem já foi seguida), tal como cristianismo, budismo e etc. todas essas asneiras precisam de fé cega do
interlocutor para funcionar.

@MDD – Já foi provado na década de 60-70. Lembro até que teve um matemático francês que, diante da confirmação de que
todos os cálculos efetuados por Gauquelin estavam corretos afirmou “se a estatística confirma a astrologia, então eu não acredito
mais na estatística”. Para você ver como existem céticos toscos. E, como eu afirmei no começo do texto, são a maioria aqui no
Brasil, que preferem acreditar que astrologia dependa de “fé cega do interlocutor” do que em cálculos matemáticos.

3. Felipe, o Campelo
09 de junho • Editar

O problema maior da astrologia não é a sofisticação de sua aplicação (ou seus aplicantes), mas sim que a mesma já parte de *premissas*
incorretas. Ah, e o fato de que a mesma não resiste a um bom teste empírico controlado.
Ah, e dizer que as astrologias são todas iguais, só mudando os nomes das constelações, é forçar um pouco a barra, hein? I want to believe
total, Fox Mulder!

@MDD – Discordo totalmente. As premissas estão colocadas corretamente. a crítica é que parte de uma premissa que só existe
mundo material, e ai toda a base de contra-argumentação fraca. E seu comentário seguinte só demonstra que você não entende
nada do que está comentando, o que só confirma o que eu disse a respeito dos pseudo-céticos de plantão, que criticam algo que
não fazem idéia do que seja.

4. Shlomo
09 de junho • Editar

“Desta forma está a dificuldade em adequar o real ao experimento… fazer “testes de múltipla escolha” parece completamente nonsense
para alguém que sabe para que o mapa realmente serve. Minha sugestão seria pegar um psicólogo neutro para fazer um levantamento
psicológico completo de cada pessoa, bem como uma entrevista onde ela revelaria suas ambições, fantasias, o que realmente gostaria de
fazer, o que realizou dos sonhos, que tipo de parceiro sexual gosta e assim por diante.”

Vou repetir a sugestão que deixei no forum da Daemon…

Existem testes “de múltipla escolha” que dão resultados muito científicos e que me parecem úteis por tratar de personalidades e
habilidades (facilidades e dificuldades). StrengthsFinder, SDI, DISC. São testes que podem ser feitos online, custam bem menos que um
mapa astral bem feito e, pelo que entendo, poderiam servir de comparação com as descrições mais “diretas” do mapa astral.

No DISC, “D alto” tem a ver com necessidade de controlar ou competir ou comandar pessoas. “I” indica a necessidade de interação com
outras pessoas, sua “influência” interpessoal. “S” diz se a pessoas trabalha como “monotarefa” ou “multitarefa”. E “C”, o quanto a pessoa
precisa “seguir as regras”. DISC, aliás, tem sua base em Jung.

StrengthsFinder descreve a pessoa em sua necessidade de colecionar (ensinamentos, informações, amigos, objetos), tipo de pensamento
estratégico, analítico, facilidade de enxergar relações entre as informações do mundo… entre outros.

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 6 of 29

Acho que, se Gauquelin achou relações entre a posição dos planetas nas esferas maiores (afinal, pessoas que se destacaram em suas áreas
o fizeram nos campos sociais e universais – IX e XII, entendi certo?), essas ferramentas poderiam ajudar a encontrar correlações nas
esferas mais interiores.

5. Daniel
09 de junho • Editar

Como sempre muito interessante MDD!


Outro dia mesmo recebi um email falando que meu signo não seria mais câncer, e sim Gêmeos. Fiquei meio assustado com isso..achei
estranho, porque tenho muitas semelhanças com as características do signo.
Porém, se entendi bem, minhas características são resultado da posição dos corpos no céu?!

Abs

6. Ateu Beato
09 de junho • Editar

afffff

7. Tiago Martins Lacerda


09 de junho • Editar

Eu sempre pensei que o mundo metafísico fosse um enorme degradee… o que platão descreveu como mundo das idéias e Jung como o
Inconciente Coletivo.

8. Zed
09 de junho • Editar

Vamos la…

Apesar de já assinar o RSS do S&H há mais de ano nunca parei para ler os posts do TdC. Interessante porque sempre soube que ia gostar
de lê-los (deve ser minha lua em Escorpião), mas sei lá porque não era nunca o momento… Depois de sair de uma fase estranha da minha
vida (parece que acabei de sair da floresta e encontrei a casa dos 7 anoes) comecei a ler os posts na sequencia, do primeiro ao ultimo
(pulei aqueles dos exercicios das Sephirats porque pretendo faze-lo no ano que vem). Uma semana depois… cheguei ao último!

Parabéns! Gosto muito dos textos e pelo menos pra mim tudo faz muito sentido apesar de ainda achar algumas coisas muito estranhas…

No ano passado comecei a frequentar a Umbanda (filho de Omulu com Iansa). Como estava terminando o curso de Design Grafico e
juntando com as comemorações dos 100 anos da Umbanda em novembro do ano passado, fiz do meu projeto de graduação um livro,
registro imagético/fotográfico, do rito como se desenvolve em centros aqui em Belo Horizonte.

No processo de pesquisa sobre o livro, e também no meu processo de entendimento sobre o que era aquilo e com o que eu estava me
comprometendo, li muito sobre a Umbanda. Passei por textos academicos como “Entre a Macumba e o Espiritismo: uma análise
comparativa das estratégias de legitimação da Umbanda durante o Estado Novo.” de José Henrique Motta de Oliveira e “A morte branca
do Feiticeiro Negro” de Renato Ortiz (recomendo!). Comecei e ainda estou lendo (longo processo) os livros do Kardec e li vários outros
livros espíritas (Chico Xavier, André Luiz, Emmanuel, etc…). Me interessei muito pelos aspectos cientificos do Espiritismo e li varios
textos técnicos (física, biologia, pineal, eletromagnetismo, fisica quantica, etc) sobre os aspectos da mediunidade e tal. Sobre a Umbanda
gosto dos livros do Ramatis, Robson Pinheiro e fiquei fascinado com o “Guardiao da Meia Noite” do Sarraceni.

O comment está ficando longo demais. Vou direto ao assunto porque senão fica até chato de ler e não recebo a resposta.

Sobre a Umbanda Iniciática, ou Ordem Iniciatica do Cruzeiro Divino, OICD. Li alguns livros (na verdade li alguns capitulos de alguns
livros) sobre o assunto. Tenho varios do W. W. Matta e Silva. E o que mais me interessa é o “UMBANDA – A PROTO-SINTESE
COSMICA” do Rivas Neto (Arhapiagha). Queria saber se já o leu e caso positivo se anima fazer um post sobre as ligações da Umbanda
com o que você escreve nesses posts. Só pra ter uma idéia esse livro aborda coisas como:
Deus, Genesis, Universo Astral, a “queda”, Raças e Sub-raças, Atlantida, Lemuria, Encarnação, Lei do Karma, Astrologia, Chakras,
Egito, India, Tarot, Aminoácidos, 4 pilares do conhecimento UNO: Religião, Filosofia, Ciencia e Arte, Tradições Herméticas,
Mediunidade, Cabala, Orishas, Magia, Mantras, talismãs, artes teúrgicas, Ervas, Hierarquias solares e galacticas, geometria sagrada,
Numerologia… Isso tudo só fazendo uma consulta rápida ao índice do livro.

Quem se interessar pode fazer o download em: http://www.scribd.com/doc/7030265/Umbanda-A-ProtosIntese-cOsmica-f

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 7 of 29

Desculpe o longo texto…

Aguardo resposta… ou não…

KEEP ON DOING THE GOOD JOB!!!

Aranauam!

PS.: Nao tive muito tempo de refletir sobre os mapas… A) Dahmer (foda!), B) Kentaro, C) Thahy e D) MDD

@MDD – W W Mata é muito sério. Vale muito a pena ler.

9. edj
09 de junho • Editar

A: MDD
B:André Dahmer
C:Thahy
D:Kentaro

10. Diego Rosa


09 de junho • Editar

Excelente !

11. João Carlos Gonçalves Zarantonelli


09 de junho • Editar

Me interessei e muito pelo artigo, e pretendo estudar mais sobre o assunto.

Gostaria de saber se você faz os mapas de pessoas interessadas.

Felicidades .. e muito obrigado.

12. Montaro Keri


09 de junho • Editar

Um belo tapa na cara!


Daria pra usar o úlitmo post como um daqueles do teste dos “Níveis do Ser Humano”… Bem como foi a da Dilma e o do Jesus no LHC.

Sensacional!

13. Gustavo Dourado


09 de junho • Editar

Olá Tio!

Tio sei que pelo tempo que lhe acompanho já deveria ter alguma desenvoltura no assunto, mas permita-me lhe fazer duas perguntas, se os
planetas não influenciam nada nas pessoas ou no nosso mudo, eles servem apenas de ponto de referência? E o que realmente influência as
pessoas?
Nasci em 02 de março, pelo que o senhor colocou ali meu “signo” é aquário? ou continuo sendo de peixes? Pelo que li até hoje de profano
ou no nosso mundo, sempre me encaixei nas características de peixes….qual me signo mesmo? tem como o senhor dizer ou indicar onde
posso realmente saber?
Esse seu texto veio como uma paulada na cabeça de certas pessoas, foi bem mastigadinho….
abraço tio!

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 8 of 29

14. Bolivar
09 de junho • Editar

Ótimo texto.

Vendo vc escrevendo aqui sobre estes assuntos me lembra muito quando eu participo de foruns, blogs de discussões que causam
“polêmica”.

Basicamente é sempre a mesma coisa.

Quando queremos expor alguma idéia e defende-la, jamais estamos impondo que a minha VERDADE é suprema e a do outro é
ERRADA.

Marcelo, as vezes o mais difícil nisto tudo não é descrever sobre “Marte está em Gêmeos”, ou aguentar as falácias e provocações;

O que eu acho mais difícil de aguentar é a FALTA de RESPEITO!!!


A forma como as coisas são expostas para ridicularizar o outro lado é “baixo”.

@MDD – mas é o último recurso dos perdedores! Quando um fanático crente fala que eu sou “enviado de satã” ou um cético
escreve “quanta besteira” sem nenhuma capacidade de argumentação de nenhum destes dois lados, isso praticamente é um
atestado de desespero.

15. Lucius
09 de junho • Editar

Salve, tio Marcelo!

Fico feliz com a volta dos posts sobre astrologia. Sempre tive interesse e agora está fazendo cada vez mais sentido.

É isso aí, segue o baile!

16. sepultado
09 de junho • Editar

o problema da astrologia eh q ela permaneceu por muito tempo restrita a alguns grupos, sendo assim impedida de estabelecer relacoes e
de influenciar as linguas e linguagens naturais que mudaram a volta desses grupos. dessa forma o q aconteceu c palavras como
“venus”,”marte”, etc, mantiveram apenas seus significados materialistas devido a relacao intensa das lingua/linguagens naturais c a
linguagem cientifica…herancas do positivismo. detalhe que nem os significados alquimicos prevaleceram.
esse problema de exatidao tb eh falacia. nao eh pq n experimentamos um fenomeno, um sentimento por exemplo, da msm forma q outras
pessoas q nao somos capazes de entender tal fenomeno. seja pela razao, seja pela empatia nos podemos compreender, so nao sentimos da
msm forma. e o q eh importante ai a compaixao ou o conhecimento?

a gama de cores visiveis realmente nao tem nomes, mas tem frequencias e comprimentos de onda bem definidos(menos o branco), da
mesma forma que os planetas possuem coordenadas espaciais em relacao a um dado referencial. de posse dessas coordenadas que a
astronomia eh bem capaz de oferecer, cabe ao intepretador escolher um conjunto de signos, a cabala por ex., para interpreta-lo. ai entra
outra questao: qual eh o conjunto de signos mais adequados p intepretar os fenomenos?
enquanto estudante de cabala, semiotica, fisica, e teomatica, sou muito suspeito p falar..
mas pensando bem nos arquetipos e mitos por um vies antropologico, a resposta nao eh outra, nem poderia, senao “cabala”
eis o metodo, o sistema, e o conjunto de significados, os arcanjos em cada planeta. resta sair de malkuth.

ah, na fisica, devido a entropia, eh impossivel retornar a configuracao inicial de um dado sistema apos um tempo determinado.
analogamente, a volicao, o livre-arbitrio, liberdade, o desconhecimento de todas influencias astrais, impedem de fazer o retorno ao estado
inicial astrologico depois de anos vividos, e assim impedem de realizar a associacao entre pessoas e mapas astrais natais.
ja saber o estado inicial do sistema, o mapa astral natal, realmente potencializa as acoes no presente que nos guiam ate kether.

17. V
09 de junho • Editar

Eu juro que tento, mas astrologia não estra na minha cabeça. Eu sou um desses céticos que você adora alfinetar em seus textos, quanto
mais eu leio seus posts menos sentido a astrologia faz pra mim. É ilógico pensar que nossa personalidade é definida pela posição dos
astros no momento que nascemos. Você disse que é só uma representação simbólica, mas uma representação simbólica do quê?
No seu texto você diz que alguém materialista não veria sentido nisso, e fica o tempo todo debochando dos céticos, por que? Qual o

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 9 of 29

problema em não acreditar em uma coisa sem sentido e sem provas científicas. Eu, como materialista, estou sempre do lado da ciência,
esta que não recorre a metafísica para explicar o, por enquanto, inexplicável.

18. Val Valiant Thor


09 de junho • Editar

Marcelo, entendo perfeitamente cada linha do que foi escrito e concordo praticamente com tudo (o restante deve ser por falta de estudos).

Tenho uma dúvida pertinente principalmente para não causar questionamentos de céticos que acompanham os assuntos e querem sempre
uma brecha para tentar nos derrubar ou até mesmo para não causar confusão nos que crêem no nisto que aqui encontramos.

Vamos lá :

Se partimos do pressuposto que cada indiívuo possui um só espírito/alma/eu e este se perpetua pela eternidade evoluindo constantemente,
como dizer que, a cada reencarnação (que acredito plenamente tb) este será influenciado pelo momento de seu nascimento.

Ora, se eu durante essa vida, através de provas e expiações, conseguir trabalhar muitos dos “defeitos” que possuo e desenvolver muitas
das virtudes que antes não possuia, como dizer que, ao reencarnar novamente, terei isso -vamos dizer- “modificado” pelo momento do
meu nascimento?

Ou a idéia não seria bem esta (como realmente acho que não é), e teríamos que pensar que o momento da reencarnação está intimamente
ligado a este “super computador astronômico/astrológico” e, assim, teríamos estas informações como base para poder encontrar essas
faculdades nossas e, assim, seguirmos com maior notoriedade em nossso longo caminho da evolução até chegarmos ao ser crístico de
cada um de nós?

Acredito nesta última abordagem. Só me questiono como seria complicado “gerenciar” estas informações.

Por exemplo: Maria tem um filho que João e, então, o espírito “X” seria “enviado” ali para passar por certas provações e este tem sua
missão para com Paulo e Maria, que por sua vez também teriam que pasasr por certas provações. É complicado pensar que o momento do
nascimento determinaria muitas coisas deste fato isolado.

Mas nem quero comparam minha capacidade com a grandiosidade do Universo.

Gostaria MUITO de um comentário sobre esta dúvida.

Um abraço. Continue com este trabalho que muito aprecio.

19. D
09 de junho • Editar

E o Cafetron, MDD ?

20. Manoel
09 de junho • Editar

Mas porque acreditar em algo que não podemos provar? Me traga uma prova sobre o real significado da astrologia (profana ou hermética)
e eu acredito sim.

A questão de ajudar as pessoas a serem seres humanos melhores é muita boa, mas existem muitos outros meios científicos de fazer isso,
um psicólogo que o diga.

Não acredito que “relógios invisíveis” formados pelos astros no exato momento natal de uma pessoa possa influênciar sua personalidade
ou qualquer outro aspecto por mínimo que seja. Isso até que se prove o contrário.

Texto interessante e bem escrito.

21. Erick
09 de junho • Editar

onde posso achar os posts antigos desta coluna do blog?…. encontrei algumas partes em pdf, gostaria de le-los por completo…
OBRIGADO

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 10 of 29

22. Murilo
09 de junho • Editar

Realmente é deprimente ver que “cientistas” estão julgando o experimento antes dos resultados.
A ciência (latim scientia, conhecimento) é baseada em experimentos, esses formulados com base em teorias.
Vale lembrar que a ciência se autocorrige ao longo do tempo, conforme vão surgindo novas teorias e experimentos para prová-las ou
refutá-las. A ciência não detem todo o conhecimento existente e está muito longe disso. Portanto se amanhã surgir alguma teoria nova,
dizendo que tudo o que estudamos e “conhecemos” está errado, com experimentos e fatos que indiquem estar correta, como ficariam esses
“cientistas”?.
“Quando se elimina o impossível, o que sobra, por mais improvável que pareça, é a verdade”. Achar que isso nunca poderia acontecer é
fazer o mesmo que antigamente era feito com estudiosos que diziam que a Terra era redonda e que ela girava em torno do sol.
Legal é ver que o “ignorante” que fez o post, como a maioria dos céticos acreditam que ele seja, realmente tem mais noção e visão da
ciência do que os supostos cientistas.

23. Diogo
09 de junho • Editar

@vários

Não é o planeta ou a casa que influencia ou projeta o resultado, eles são uma coisa só. Você não é super emotivo PORQUE tem planetas
em câncer – ser emotivo e ter planetas em câncer é a mesma coisa.

é igual falar que você tem mais tendência a perder cabelo PORQUE no seu DNA ATCGGATAACA você tem mais enzimas que
aumentam a produção de testosterona…é a mesma coisa. A emanação helicoidal do DNA influencia é o que faz alguém ser careca? não,
você ter esse DNA único e ser careca são a mesma coisa.

Com a Carta Natal, você consegue se olhar no espelho, enfrentar a calvice psicológica, entender como isso afeta a sua personalidade,
trabalhar a sua auto-estima, e parar de usar chapéu.

24. ahoyhoy
09 de junho • Editar

Primeiro gostaria de dizer que tem um erro de português no parágrafo logo acima do relógio, está escrito em baixo ao invés de embaixo.
Agora uma pergunta, pelo que você falo os signos vem mudando as datas, devido ao calendário que usamos ser falho, isso procede? Então
quer dizer que o seu signo depende do ano em que você nasceu e como o seu estava naquele momento?
E outra, você está generalizando os céticos, apesar de realmente um “movimento” bastante heterogêneo, eu me considero cético,
carnívoro (uhm, churrasco!)e nem ateu, nem agnóstico, pois esses rótulos um tanto superficiais.

25. Guilherme V.
09 de junho • Editar

Marcelo, existe alguma boa obra ou um site que ensine sobre Astrologia Hermética?Sempre tive bastante interesse por astrologia, e até já
ganhei um livro de uma astróloga ( tia de um amigo ) chamado Hitler – Um estudo astrológico, de Márcia Sarcinelli ( pude ler sobre 2
assuntos que me sempre me intrigaram, astrologia e a figura do Hitler ).
Como forma de conhecer melhor a mim mesmo, gostaria de montar e interpretar meu próprio mapa, e estou disposto a estudar a área com
esta finalidade.No entanto, não sei por onde começar.

Obs.: Cheguei a pensar em adquirir um mapa astral através do seu blog, mas aqui em casa doamos para a igreja ( apesar de eu não ser
católico ), que ajuda pessoa necessitadas da região, e não sabia se era válido.Além disso, não recebemos comprovantes, simplesmente
compramos as cestas básicas e levamos até a igreja.

Obs2.: Algum site permite a criação de um mapa fiel? Buscando no google, achei alguns sites em que você pode colocar os dados e ele ”
monta ” seu mapa, só que não sei se posso confiar ( até por ter nascido em uma cidade muito pequena, no estado do MS, perto da fronteira
com a Bolívia ).

Obrigado desde já, e continue com os posts sempre muito interessantes.

26. Gilsmy Albert Malaquias Boscolo


09 de junho • Editar

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 11 of 29

Caro Marcelo Del Debbio. Gostei muito deste seu tópico. Ele conseguiu esplicar muito bem o que é realmente Astrologia + Astronomia.

É interessante como os “céticos” mesmo sem acreditar em nada do que se fala sobre Astrologia ainda sim continuam “devorando” seus
textos neste blog.

Estou lendo devagar seus textos pois entendo que deve-se estuda-los miniciosamente para tentar absorver o máximo possivel de
informação que está nas “entrelinhas” (o que é muito trabalhoso). Por isso num médio espaço de tempo espero poder participar mais do
seu blog, afinal não adianta eu ficar perguntando coisas que eu mesmo posso responde-las.

Para quem gosta de se aprofundar mais nos assuntos da manipulaçao da Igreja Católica e como “Deusas e Deuses” muito antigos com
suas simbologias se transformaram em “imagens” (Pintura em Igrejas e ou Estátuas) como a de Jesus e Maria (olha a dica nos asterísticos)
seria interessante assitir ao documentário “As Sete Maravilhas do Mundo” – Discovery Channel.

Este documentário se refere as sete maravilhas do mundo antigo (Grego), dos tempos de Alexandre o Grande, portanto elas eram: “a
Estátua de Zeus*, na Grécia; o Colosso do Deus Hélio, na Ilha de Rodes; o Farol de Alexandria; o Mausoléus de Halicarnassus; os Jardins
Suspensos da Babilônia, atual Iraque; o Templo de Ártemis*, ou Diana, em Éfeso e as Pirâmides do Egito (não, não tem a Muralha da
China pq o documentário é em torno de anotações feitas durante o tempo de Alexandre o Grande, e não adianta chorar!).

Pena que a parte das Pirâmides este documentário é pobre feito “chuchu” que tem vitaminas A,B e C (água, bagaço e casca).

MDD, estou para assitir o documentário “Atlantis Reborn Again (Atlântida Renascida Novamente), o que vc acha deste documentário?

Na sinópse diz isto: “Existem muitos mistérios sobre o passado, como evoluímos da idade das pedras para a civilização? Uma nova teoria
pode dar uma reviravolta em nossas idéias sobre a civilização. como pessoas de regiões remotas do planeta evoluíram em complexas
culturas semelhantes sem manter contato? Escrita, religião, astronomia… Uma explicação para isso, seria o mito de Atlântida, uma
civilização estremamente sofisticada”.

27. Samuel Ritter


09 de junho • Editar

“detectar as energias com as quais temos mais facilidade e lapidar nossa pedra bruta para chegarmos até a pedra filosofal.
Mas é duro olharmos para o espelho e reconhecermos nossos defeitos… e mais difícil ainda lutar para transmutá-los das oitavas mais
baixas nas oitavas mais altas; vencer as paixões que nos levam ao uso egoísta de nossas habilidades e transformá-las em virtudes. É como
transformar chumbo em ouro.”

Essa é a grande filosofia em que eu tento meditar e encontrar os caminhos. Mas o caminho é longo…. e é difícil separar intuição e
necessidades, de desejos e ambições. Eu fiz o curso de astrologia e ele nos ajuda a descobrirmos nossas vocações e fraquezas, mas não
mais do que isso.

28. André Luiz Alves


09 de junho • Editar

Ok! Pensando nas possibilidades numéricas vemos que temos variações várias e várias vezes a população de Terra e que os mapas
astrológicos podem ser sim uma individualização. Agora vem a questão principal. Sou espiritualista, sei que existe um plano astral,
conheço um pouco das coisas dosi dois lados (sou engenheiro e pesquisador), tenho um bom conhecimento do rigor metodológico da
ciência ortodoxa. Se, como espíritos, reencarnamos continuamente até atingir um ponto na evolução moral, espiritual e tal, e sabemos que
a mudança pode ocorrer de maneira gradativa ou pode ocorrer encarnações sucessivas em que o espírito não muda em nada, como a
astrologia pode afirmar que um espírito que reencarna hoje dia 09/06/2009 as 17:32 por cesariana, teoricamente, tem um mapa astrológico
diferente de se esta criança tivesse nascida de parto normal aqui a oito dias à 7:33? E o espírito reencarnando teria características
psicológicas diferentes em suas encarnações sucessivas se, por exemplo, ele não mudou em nada o seu modo de agir nas diversas
encarnações? Como você MDD pode explicar isso? Esta é a minha dúvida com relação aos mapas astrológicos.
T:.F:.A:.
André

29. Élder
09 de junho • Editar

Ótimo trabalho!

É, realmente, pelo pouquíssimo que sei, cada vez mais me aproximo da conclusão de que astrologia é algo totalmente pessoal. É a própria
pessoa que precisa ser “ver”, “avaliar”.

Se pararmos para pensar, a própria psicologia atua dessa maneira. Um bom analista é aquele que consegue fazer com que a pessoa, por
conta própria, possa se analisar, é aquele que propicia a auto-avaliação. Em termos práticos, é só o paciente que pode fazer algo por si
mesmo, se “diagnosticar”. O psicólogo não tem resultados objetivos, a subjetividade é o cerne.

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 12 of 29

Na astrologia é o mesmo, o máximo que um astrólogo pode fazer para outra pessoa é mostrar algumas direções, propiciar situações, nada
mais. A interpretação e o caminhar é por conta do analisado.

Abraço a todos e continuem com o excelente trabalho.

A propósito, ainda está a aberta a possibilidade de fazer o mapa através da doação a instituições de caridade?

@MDD – Sim, mas é no outro blog: http://www.deldebbio.com.br/

30. elee
09 de junho • Editar

Eh soh explodir algum planeta e verificar as mudancas.

31. IRR
09 de junho • Editar

DD, como a astrologia chinesa é igual se os signos são divididos em ciclos de vários anos?

@MDD – o que os ocidentais conhecem como “astrologia chinesa” na verdade, é apenas o signo do planeta JUPITER. A
Astrologia chinesa real é muito mais complicada do que isso, claro.

ps: você ta ficando nervoso com isso, calma, as coisas só fazem sentido, quando está na hora de fazer. Não adianta ficar perdendo fôlego
causa de gente que não acredita. Eu até entendo pois fico muito puto como as pessoas conseguem ficar inerte com tudo que está
acontecendo, mas isso é outra história, e tem interferência direta na minha vida.

32. Fernando
09 de junho • Editar

vc está usando muitas muletas para explicar suas teorias, sempre usando algo ‘obscuro’ para explicar o porquê de não dar certo os
experimentos reais. Sinceramente gostaria que tudo isso tivesse um fundo de verdade, ia ser muito legal poder estudar tudo isso, como
ciência mesmo, mas isso tudo (felizmente, ou infelizmente, não sei) não se sustenta. estou ‘atacando’ a sua teoria e não vc, então não
precisa se defender me chamando de pseudo-cético.Exponha suas bases, mostre suas premissas e proponha as hipóteses claramente, assim
poderemos testá-las de modo neutro, sem nenhum viés, mas por favor, não apele para forças sobrenaturais.

@MDD – Não existem “forças sobrenaturais”, então sua própria crítica já está errada na premissa.

33. Val Valiant Thor


09 de junho • Editar

Acho que me estendi demais no meu outro comentário.

Resumidamente, queria saber como o espírito, que é somente um e que vai trabalhando seus diversos defeitos (ou seja, muda e, então,
evolui) se encaixa nesse cenário no Mapa Astral.

Se em uma vida ele possui certos traços (virtudes/deficiências), na vida subsequente, devido as mudanças não serem tão grandes assim,
ele reencarnará em um dia semelhante ao que reencarnou na sua última vida?

Acho que agora, lendo o outro comentário, fica mais fácil de entender…

34. Felipo Soranz


09 de junho • Editar

Olá Marcelo,

Não faz muito tempo que comecei a ler seus textos mas tenho gostado bastante. Como não li nem metade de tudo que você escreveu (e
muito menos os comentários, em alguns posts pulo completamente) então minha pergunta pode já ter sido respondida, neste caso me
indique o link, por favor.

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 13 of 29

A pergunta é: de onde vem todo esse conhecimento hermético transmitido esse tempo todo? Digo, a passagem do conhecimento tem uma
explicação histórica (o que você tem explicado muito bem), mas como os MÉTODOS em si foram se desenvolvendo? Apenas pela
observação (ex: física, biologia), estudos/dedução (ex: lei da relatividade), filosofia (ex: tao te ching, Platão, Nietzsche, etc) ou pode-se
dizer que foram conhecimentos “revelados” (ex: bíblia, livro dos espíritos, etc)?

Por exemplo, o conhecimento da astrologia, que como você citou desenvolveu-se por vários povos originou-se devido à observação dos
astros e hábitos/personalidade das pessoas APENAS?

Desculpe se misturei alguma coisa aí em cima, ehehehe. E parabéns pela coluna! É preciso muita coragem e força de vontade pra
continuar visto que você está “cutucando” desde os mais céticos aos mais religiosos!

PS: Como todo mundo gosta de sugerir tópicos, ehhehe, então sugiro um de artes marciais e religiões orientais (budismo, taoísmo,
confucionismo, etc).

35. Alessandro
09 de junho • Editar

Ainda não tenho uma opinião formada para apoiar algum dos lados (céticos ou astrólogos), mas sinceramente acho que o lado cético
dessa história está agindo de má fé.
Vamos propor outro teste, desta vez para os geneticistas, para descobrir se essa “história” de genes é verdadeira ? Vamos entregar 20 fotos
e uma gota de sangue de cada pessoa das fotos para um geneticista, e ele terá que responder de quem é cada gota de sangue. Será que tem
algum geneticista que topa fazer este teste ? EU DUVIDO, pois mesmo sendo considerada uma ciência, a genética lida com tantas
variações quanto aos que o DD escreveu neste texto.

@MDD – Amei o teste. Resume PERFEITAMENTE o tipo de teste que o povo cético quer fazer com a Astrologia. Simplesmente
ignoram livre-arbítrio e modificações causadas por necessidade (dinheiro, morte de parentes, etc). Minha proposta de testes
envolvem mais estatísticas e análises de psicólogos independentes e comparação do Mapa Astral com o Perfil psicológico das
pessoas.

36. Bruno Gigliotti


09 de junho • Editar

E quem faz um mapa astral sério de 20 páginas sobre alguém? Quanto custa isso?
Se algum leitor daqui quiser levantar algo desse tipo, como ele faz? Existem “consultórios” onde você passa as informações e paga por
isso?

@MDD – Você pode conseguir seu mapa em troca de cestas básicas. Como precisamos de muitos mapas para formar um banco
de dados e criar um programa decente que consiga elaborar mapas, estamos com esse projeto:
http://www.deldebbio.com.br/index.php/mapas-astrologicos-e-sigilos-pessoais/

37. Léo C.
09 de junho • Editar

“A Astrologia Hermética (aquela que Isaac Newton, Galileu Galilei, Kepler, Tycho Brache, John Dee, Max Heindel, Fernando Pessoa,
Winston Churchill e Hitler estudavam) não lembra nem de longe o que os profanos chamam de “astrologia”.”

Você frequentemente cita nomes de cientistas e líderes famosos em seus textos. Eu realmente não entendo a relevância disso para os
argumentos a favor da Astrologia.

@MDD – Só para deixar claro que astrólogos de verdade não são aqueles que as pessoas vêem na TV. É sempre bom quebrar
estes estereotipos que inventam.

“Um Mapa Astral, ou Carta Natal, é uma representação geométrica e simbólica do céu no exato momento do nascimento de qualquer
coisa no Planeta.”

Já fica claro desde o começo que o Mapa Astral é uma “representação geométrica e simbólica”. Ou seja, dependendo da pessoa haverá
uma interpretação diferente, já que estamos tratando de símbolos. É subjetivo e não serve pra ciência.

@MDD – então a Psicologia também não serve para ciência, pois a análise do perfil psicológico de uma pessoa depende da
interpretação do psicólogo.

“As posições dos Planetas atuam apenas como mostradores; ponteiros invisíveis de um relógio astral, movimentando-se em
sincronicidade com os acontecimentos em cada planeta.”
Você deve ter um fato que comprove a existência de um relógio astral, senão o que você escreveu perde o sentido. Ciência é feita a partir
de pensamento lógico sim, mas principamente de fatos.
“Tudo o que está em cima é semelhante ao que está em baixo.”

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 14 of 29

Creio que essa frase seja simbólica. Por ser simbólica, minha interpretação dela é tão boa quanto a sua, e de qualquer um. Se ela é
simbólica, então o significado que damos a ela é arbitrário, não um fato. Subjetividade novamente. Por outro lado a frase pode ser literal.
O que não faz sentido, já que é uma frase vaga demais. Das duas maneiras, a frase não serve para argumentar a favor da Astrologia.

@MDD – Muito do que está no texto ainda não foi demonstrado, mas não quer dizer que não exista. a ausência de evidências não
é evidência de ausência. Apenas por utilizar conceitos como reencarnação, espíritos, etc. não quer dizer que não seja real, quer
dizer apenas que não há provas materiais AINDA.

“Para alguém totalmente materialista, não parece mesmo fazer sentido… é como se alguém da segunda dimensão desse de cara com uma
esfera atravessando o plano… na visão deles, o máximo que poderiam compreender seria o círculo aumentando e diminuindo de raio, mas
não conseguiriam explicar o que está acontecendo porque não possuem o conhecimento da terceira dimensão. O mesmo ocorre no
exemplo acima.”

Segundo seu exemplo você quer dizer que os materialistas (creio que esteja se dirigindo ao céticos e cientistas que negam a Astrologia)
não entendem (aceitam) a Astrologia porque eles não tem conhecimento sobre ela. Um conhecimento que você e outros, que entendem a
Astrologia, obviamente têm. O problema do seu exemplo é que ele sai do pressuposto que a Astrologia funciona, mesmo que não aja
prova nenhuma disso.

@MDD – Sim, parte do pressuposto que funciona.

“Esta é uma das “refutações” que mais vejo entre os céticos: de que se a Astrologia fosse una, todas as Astrologias seriam iguais. Só que
elas SÂO iguais… onde em uma cultura o signo é chamado de “touro”, em outra é chamado de “urso” e em outra de “elefante”. São
símbolos que expressam uma mesma idéia, apenas culturalmente diferentes.”
Subjetividade novamente. Símbolos não expressam a mesma idéia, dependem de uma interpretaçao pra terem um significado, por isso são
símbolos. Para mim, por exemplo, ursos e elefantes significam coisas diferentes. Sua afirmação de que “São símbolos que expressam uma
mesma idéia, apenas culturalmente diferentes” não tem validade.

@MDD – claro que tem. Cada cultura interpreta seus símbolos de acordo com o que têm disponível. Um africano não vai chamar
um signo de “urso” nem um índio americano utilizará “elefantes” como referência. Mas para eles, cada cultura possui os aspectos
e relevâncias de acordo com o tempo e espaço em que viviam. Um elefante e um urso são diferentes para mim também, mas eu
tenho acesso aos dois símbolos, não apenas a um. Sua refutação está furada.

“O círculo do Zodíaco possui 360 graus. ”


Porque 360 graus? Porque não em radianos ou em grados? Se os planetas são mostradores, então como eles convenientemente obedecem
ao sistema de 360 graus? Ou a escolha disso foi arbitrária?

@MDD – Poderia ser radianos, grados… não faz a menor diferença.

“Complexo, não? Mas se a biologia ou a astrofísica podem chegar a complexidades matemáticas absurdas, porque insistem em manter a
astrologia presa no século XVIII?”
Porque a Biologia e a Astrofísica são ciências. Astrologia, pela ciência “ortodoxa”, não passa de crendice e superstição. A ciência
“ortodoxa” vai manter essa atitude até provas serem apresentadas.

@MDD – Então minha crítica continua válida. Com mais projetos e verbas para estudos, maior a complexidade que poderíamos
alcançar, e maiores as chances de demonstrarmos estas provas, e assim por diante… é um círculo vicioso que estamos tentando
quebrar (ou não… não sei se realmente o pessoal das Ordens quer mesmo que astrologia vire uma ciência ao alcance de qualquer
um… eu sei que EU gostaria disso).

“Simbolicamente, cada Planeta reflete um aspecto da Árvore da Vida dentro de cada pessoa. Para compreender a Astrologia, então, é
necessário um conhecimento da Kabbalah (não a judaica, mas a estrutura que originou tanto a Kabbalah judaica quanto a hermética) e o
que cada sephira representa dentro do Mapa de Estados de Consciência Humana (ou seja, o Astrólogo também precisa estudar a fundo
psicologia e simbologia).”

Subjetividade novamente. Você deve provar objetivamente a existência e o funcionamento da Árvore da Vida, Kabbalah etc.
Simbolismos não servem, eles devem funcionar no mundo real, independentes de fé (uma pessoa que acredita na kabbalah e faz acontecer
não serve).

@MDD – A própria estrutura onde todas as filosofias são criadas provém desta estrutura de pensamento que é representada na
Árvore da Vida. É um kernell de todas as mitologias, todas as ritualísticas, inclusive o próprio método científico, que têm sua
representação na Árvore. A Árvore funciona tão bem para o Plano mental quanto a tabela periódica dos elementos funciona para
o Plano Físico.

“E aqui começa o real problema da Astrologia: VOCABULÁRIO…”


Você discursou sobre as limitações da linguagem humana. Tudo que você disse é discutível. Eu acredito que nossa linguagem é complexa
o suficiente para representar quase tudo, você não. Subjetividade novamente. Se bem que você praticamente provou o meu ponto, ao
explicar que existem diferentes nuances de sentimentos como o amor, somente com suas palavras e sem se esforçar muito.
“Se o olho humano pode distinguir 10 milhões de cores diferentes, por que não temos um nome diferente para cada uma delas? E para
cada um dos sentimentos/emoções?”
Porque não seria prático no dia-a-dia.

@MDD – Nossa linguagem é patética e limitada, mas seu comentário me fez entender muito do seu ponto de vista. Não temos
vocabulário para expressar as mais básicas nuances de sentimentos sem termos de apelar para poemas ou imagens ou música.
Também é absurdo você achar que eu “provei o seu ponto” já que eu dei dez exemplos de coisas que são diferentes usando a
MESMA palavra, não dez palavras diferentes…

“Se a astrologia tivesse avançado como as outras ciências, ao invés de ter sido expulsa das universidades pela IGREJA (e não por ser uma
“pseudo-ciência” como a maioria dos céticos gosta de afirmar), talvez teríamos hoje um código para o Mapa de cada pessoa semelhante

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 15 of 29

ao código genético ou ao código Pantone, com letras e números; e computadores buscando similaridades comportamentais, ao invés de
astrólogos se matando para explicar sentimentos com palavras.”
Independente da causa, nos dias de hoje a Astronomia realmente não é considerada uma ciência pela ciência “ortodoxa”. Não sei se seria
classificada como uma pseudo-ciência.

@MDD – Diga algo que eu não saiba.

“Queria ver se o Richard Dawkins tivesse de dar nomes simbólicos ou fazer poemas para cada código genético que encontrasse…”
Qual a relevância disso?

@MDD – Google. Você definitivamente é novo aqui…

“E nessa “subjetividade” acabam as chances da Astrologia de se enquadrar nas ditas ciências ortodoxas… imagine a dificuldade que os
geneticistas teriam se precisassem ficar dando nomes e descrições para cada um dos 27.000 genes humanos baseado em sua interpretação
pessoal…”
As chances da Astrologia poderiam melhorar se uma prova fosse apresentada. E é claro que os geneticistas não tem esse problema nem
nunca terão, porque eles são cientistas. A método científico é objetivo e não necessita da interpretação pessoal deles.
“Conhece a ti mesmo”
Você discursou nos parágrafos seguintes sobre as possíveis diferenças de interpretação dos dados coletados. Mais uma vez, subjetividade.
Lembre-se: a ciência é objetiva, independe de opiniões.
“Claro que eu gostaria de fazer isso não com 20 mapas, mas com 10.000 mapas. Só que daria um puta trabalho…”
Isso não ajuda nada a sua defesa da Astronomia.
“e os céticos já estão previamente convencidos que astrologia não funciona (embora eu sempre pensasse que cientistas avaliassem
primeiro e julgassem depois, mas tudo bem).”
Senão me engano, os cientistas já avaliaram a julgaram a Astronomia anteriormente. Mais de uma vez. E os resultados foram parecidos
com o que temos agora. Não é surpresa que a maioria dos cientistas e céticos estão previamente convencidos. Eu, que me considero um
cientista bem “ortodoxo”, diria que o grande problema da Astronomia é a falta de provas. Com a apresentação de provas, a ciência
“ortodoxa” mudaria de idéia.

@MDD – Todo o seu discurso se baseia no óbvio… ninguém mandou os cientistas ortodoxos pararem o que estão fazendo para
analisar a Astrologia. Eu já estou fazendo isso… não preciso da opinião deles e, sinceramente, não vai fazer nenhuma diferença
ter o apoio ou não deles. Claro que financeiramente seria ótimo ter uma bolsa da Fapesp para patrocinar estagiários nas áreas de
estatística e psicologia para levantar 10.000 mapas… isso aceleraria muito as pesquisas, mas ninguém aqui tem pressa… Darwin
levou mais de 20 anos para finalizar a teoria das espécies.

38. curupira
09 de junho • Editar

bem, acho legal deixar claro uma coisa, que é opinião minha (é bom deixar claro). Ser cético nem sempre é sinônimo de ciência. Todo
cientista tem que ser cético, mas nem todo cético é cientista. O cientista tem que questionar e analisar sempre que pode um fato. Dessa
maneira, ele é cético na medida que duvida, questiona e analisa um fato. Este fato pode ou não ser comprovado pelos testes e assim o
cientista, por não trabalhar com verdades absolutas, pode ou não aceitar o resultado. O legal é que ferramentas de análises diferentes
podem dar resultados diferentes. Isto não é um impecilho, porque estas ferramentas possuem limitações e o cientista tem que estar ciente
disto. Em ciência existem poucas teorias (se pararmos pra pensar, dado o volume de hipóteses sendo testadas), ou seja, poucas idéias que
são “verdadeiras de forma absoluta”.
Não vejo problema em questionar e analisar a astrologia, por ele ser cientista. NAda mais natural. O cientista pode sim ter religião, ser
ocultista e etc. Inclusive tenho amigos cientistas que são religiosos, vão à igreja de domingo e tals. Não entram em conflito com a teoria
da evolução. Acredito que eles são muito mais mente aberta e possuem uma maior compreensão do mundo que muitas pessoas por aí.
Mas nem todo cético é cientista. Todo mundo tem direito de ser cético e é até bom ser num mundo cheio de charlatanismo como o nosso.
O cético que não é cientista pode questionar de acordo com sua crença. Que mal tem? Só porque vai contra com o que vc acredita? Crença
por crença, a coisa é pessoal e nariz cada um tem o seu. Eu acredito em astrologia e fulano não.
O foda mesmo são os Trolls.
MDD, achei que teve bem menos céticos questionando o teste do que vc apresenta. Teve muito comentário barrado? Pareceu muito mais
um post já pronto.
E qual o problema dos céticos discutirem? Nas ordens das quais vc participa não há divergências? Acredito que somente pelo fato das
organizações dos céticos ser recente é que há divergências. Uma hora o pessoal se ajeita e a coisa sai. Ou não.

39. E.T.
09 de junho • Editar

Ola Marcelo !

O grande problema de se falar de ciência é, talvez, não entende-la (assim como falar de
qualquer coisa sem, também, entender !).

Você disse ” Estudos conduzidos nos últimos anos indicam que a crença na astrologia têm aumentado muito, apesar de todos os esforços
dos movimentos céticos em atacá-la e mostrar inconsistências no pensamento Astrológico, colocando-o como antagônico ao chamado
“Pensamento Científico” (mais ou menos como os ateus fazem com o deus católico para demonstrar que estão
“certos”).”

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 16 of 29

A ignorância é antagônica da ciência, não a astrologia. Quem pensa assim é realmente um ignorante, esta do lado oposto da ciência.

Quem conhece estatística sabe a importância dela para a ciência. No laboratório que eu trabalho, se não fosse a estatística, jamais
saberíamos muita coisa sobre os átomos.

Mas a estatística pode levar os incautos a erros grosseiros. Qualquer medição estatística onde haja muitas variáveis, aumenta-se a margem
de erro. Em alguns casos, a margem de erro é tanta que o estudo tem de ser suspenso, sendo iniciado novamente, com outra tomada de
dados, desta vez com menos variáveis. Sem contar que a estatística pode ser manipulada, mesmo inconscientemente, a favor dos
resultados que o pesquisador espera encontrar.

Eu poderia afirmar, sem dúvida alguma, que há enormes benefícios motores de se tormar sucrilhos e de se lavar os olhos com água
quente. Caso eu faça uma pesquisa estatística para estabelecer este beneficio, e se esta pesquisa abranger um universo grande de
pesquisados, com certeza teremos muitos atletas que tomam sucrilhos e so lavam os olhos com água quente.

Um humano moderno ingere e entra em contato com uma quantidade gigantesca de substâncias. Dependendo do seu organismo, ele
reagirá bem ou mal a tal contato ou ingestão.

Para estabelecer a verdadeira influência da astrologia sobre um ser qualquer (mesmo não humano) teríamos que afastar deste ser
quaisquer coisas que possam influenciar neste resultado. Ou seja, teríamos que afastar o ser pesquisado do ambiente e do alimento, para
provar que apenas o
movimento dos astros é o responsável pelo resultado. Ou, para ser menos radical, diminuir drasticamente a influência não astral, do ser
pesquisado…

Taí um novo desafio aos cientistas e ocultista de plantão.

Marcelo, falar sobre ciência ou sobre cientistas não é o seu forte. Você é excelente discorrendo sobre Ocultismo e afins. Deixe a ciência
para cientistas. Se você acredita no que publica, não precisa do aval cientifico para abalizar seu ponto de vista. Você, sinceramente, não
precisa da ciência para nada.

Sou um estudioso de coisas, assim como você, e também um apaixonado pelo meu trabalho. Procuro tornar o meu dia melhor melhorando
o entendimento dos outros sobre as coisas. Acho que, da sua maneira, você também procura fazer isso. Continue fazendo isso, mas sem
arrogância e com humildade, quando o seu campo de saber não for muito largo.

Obrigado pelo espaço para discussão e reflexão.

40. Atderoy
09 de junho • Editar

Gérard uma vez fez o mesmo teste, o resultado foi interessante, e era incrível como ele era bom nisso, certo ou errado ? interessante o fato
( rende muita conversa ). Eu já usei como personagens cidades e governos, o resultado foi minha epifánea. O produto deste teste
responderá alguma pergunta mais valiosa, do que o proposto ?

Floresçam as Rosas na tua Cruz

41. Zed
09 de junho • Editar

Salve MDD!

Uma vez uma amiga me disse que aqui em BH havia (não sei se o cara ainda existe) um astrologo que quando voce marcava uma consulta
ele fazia não só um mapa, mas 3! Um com o horario de nascimento informado, outro com alguns minutos a mais e outro com alguns
minutos a menos. O começo da consulta consistia em algumas perguntas sobre o passado do consulente (voce teve uma doenca seria com
14 anos? fez uma grande viagem aos 21?) para saber qual deles é mais preciso… Faz sentido?

Qual é a margem de erro? Na minha certidao de nascimento diz que nasci as 18:35, pode ter sido na realidade 18:30, 18:40, 19:00 (o
relogio do cara podia estar atrasado)… Quantos minutos a mais ou a menos influenciam na hora de fazer o mapa?

Abracao!

Aranauam!!!

Ah… Os livros do W W Matta e Silva sao realmente muito bons, mas voce não me respondeu sobre o Proto-sintese cosmica… Desculpe
a insistencia. Realmente gostaria de sua opiniao sobre o livro…

@MDD – Dele eu só li o Umbanda de Todos Nós e o do preto-Velho que eu esqueci o nome agora… e ambos são fantásticos.

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 17 of 29

42. Zed
09 de junho • Editar

OFF-TOPIC!

E o filme π (pi) do Aronofsky? Vale um post sobre ele?

43. Cleberson
09 de junho • Editar

Não adianta bater cabeça com gente assim. Que se arma de argumentos fantásticos, de fatos improváveis e arrumados como convém.
Sempre teve e sempre terá na história do mundo gente como ele, que se veste com fantasias exotéricas, mitológicas, absurdas, ocultas, etc.
Que se encontram em “grupinhos” de pessoas que se acham mais esclarecidas sobre o que é oculto dos meros mortais. Incrível como
pessoas assim se sentem professores dos mistérios da vida. Gente que se nutre de fantasias pouco, ou melhor, nada práticas que não
influem em nada nos dias de hoje, já que quase todos os mistérios que rondam o oculto e o secreto já foram passados a limpo e que se
revelaram grandes bobagens que não tornam ninguém mais especial ou mais esclarecido do que aquele que lê um livro de auto ajuda.
Deixem que se lambusem dessas astrologias, dessas cabalas, desses ritos secretos que só assim acham um sentido nesse vida tão comum
como o de qualquer outro.

44. M
10 de junho • Editar

Parabéns pela persistência e paciência. Permita-me arriscar uma contribuição:


O relógio no nosso pulso não é o responsável pelo funcionamento ou existência do conceito-realidade “tempo”. O relógio é uma analogia
(tanto que chamamos o de ponteiros – analógico) que nos auxilia na percepção que nos é possível do conceito-realidade “tempo”. Se
quiser um relógio com quatro risquinhos, ótimo. Se quiser um com doze, ótimo. Se quiser que cada risquinho tenha um número, ótimo.
Você não está “moldando” o universo quando escolhe um relógio. Quando o Del Debbio diz que todas as astrologias são a mesma, é
porque mesmo que eu use um relógio com XII e você um com 12, estamos no mesmo planeta.

45. thadeu
10 de junho • Editar

cara… eu simplesmente não quero acreditar nisso, assim como a maioria aqui. Nao há duvidas que você tem um embasamento mto
forte… eu não tenho nenhum.
Apenas PREFIRO crer nas premissas que serviram de base para a minha formação…

È mais seguro …

entenda que é uma tendencia do ser humano procurar por um porto seguro esse porto para min é ser um incredulo…

ignorancia minha? possivelmente!

ainda prefiro acreditar nas minhas aulas de DIREITO PENAL 2 …

colocando dessa forma fica até ingraçado … uehaiuheiauhiuea

PS. o seu texto é mto interessante continue assim por favor xD

46. Daniel Lima


10 de junho • Editar

Engraçado.

Sistemas de poder, dentro de sistemas de poder.

Uma matriz dentro da outra. um brócoli romanesco?

Gosto de fractais. Não discordo que tais forças acima existam, porém é um vocabulário e uma visão sobre algo. E não há percepção maior

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 18 of 29

e mais enganada desta realidade que as linguagens que pretendem dar conta da mesma. Matemática, filosofia, arte, astrologia. Línguas.
Apenas línguas, com suas particularidades, seus empenhos, mas todas tentando alcançar o rabo da compreensão que escapa sempre.
Convido a qualquer ocultista vivo ou morto, para uma sessão de “duas águas e a conta” que me diga que está satisfeito com a
compreensão que seus estudos lhe deram. Percebo que mesmo o mais alto conhecedor de mistérios que nem sonho não se dá por satisfeito
com a compreensão, mesmo Buda, ou Jesus, ou qq outro iluminado, ao olhar para o universo e ver as forças que o regem, as forças que o
regem realmente, depois de lidar com estas forças por o que chamamos de muito tempo, se sentiram no minimo entendiados. Essa eterna
discussão por uma tentativa de compreensão das coisas que não vemos, ou vemos, nos deu celulares, mas, melhor ainda, nos deu a firme
questão. “Do que se trata? Do que se trata realmente”. Quando era criança, imaginava os limites do universo, imaginada um grande painel
de madeira, onde as coisas acabavam, mas com o tempo imaginei frestras por essa madeira, e percebi que o inconmensuravel é meio
complexo de se compreender. Ou imaginar. Mas pense comigo, pessoa que pacientemente me acompanha até aqui, pense que existe uma
idéia de universo (onde regem nossos sentidos), e que lhe propoem uma segunda idéia de realidade (onde nossos sentidos ainda não
funcionam), imagino que as pessoas podem acessar parte deste universo insensivel ainda por desenvolvimento das suas capacidades. Ok.
Entao ficamos assim, uma camada, duas camadas, e peço que imagine uma outra camada, onde forças regem este balé da vida e morte,
ok, imagine as intenções, naturais ou não, e a falta de intenções, naturais ou não, destas forças. Ok. Porém peço ainda que imagine outras
camadas de realidade, infinitas, onde no fim, a pergunta fundamental, a maior de todas, nunca é respondida. “Do que se trata realmente?”
Por que percebo que todos aqui querem evoluir, acabar com a dor de si, e dos outros, ter poder. Sério, o papo aqui é ter poder. Porém pra
que? Ah para ter uma boa vida, ok, e depois morre? Ah sim, morro e tenho uma morte abnegada, onde irei auxiliar na grande obra. Ok, e
pra que? E pra que a obra. E pra que temos que ser eterno? Quem aqui quer ser eterno levanta a mão! Ok, todos? Sabe, as vezes acho que
não devíamos nos preocupar realmente se astrologia funciona ou não. Na verdade, mesmo que funcione, mesmo que explique traços
pessoais seus, dos outros, de todo o universo, mesmo que revele segredos profundos e idéias maravilhosas, mesmo que tudo simplesmente
faça sentido. Se liga cara. Ainda sim falta a resposta pra aquela pergunta fractal (googleie). Viver numa matrix é ruim, viver numa
realidade que mora numa matrix também, e numa matrix infinita com realidades entre elas, num BigMac complexo de ser digerido, ainda
pior. Quando algum mestre filosofo realizar dentro de si a pedra do Mago, e perceber que na verdade na verdade a pergunta ainda não foi
respondida. Morre, de rir ou de tédio.

Abraços.

47. Leonardo
10 de junho • Editar

Tio, em primeiro lugar parabens pelo grande trabalho de tentar despertar a consciência dessa grande massa. Se tem pessoas que
conseguiram fazer isso um dia, tenho certeza que vc será uma delas.
Saiba que mesmo eles parem de “acreditar na estatística”, vc fez seu trabalho e todos nós estamos muito gratos pelas aprendizagens que
temos aprendido aqui e não pare tão cedo. =] Continue até depois de 2012!!

48. Rodrigo
10 de junho • Editar

1Pergunta : “Na Astrologia Hermética, temos Dez planetas” estes planetas podem ser representados por exemplo , por outros simbolos
atuais ( “excluindo o sol ,terra e a lua” ,que nao são muito conhecidos ) para facilitar o entendimento neste seculo

Secunda pergunta ? Sua “mensagem oculta” é evoluir a astrologia para a idade atual ? Na ipotece de sim posso fazer parte xd.

49. Felipe
10 de junho • Editar

Eu acredito profundamente nesse texto, tenho dois amigos de gêmeos, um virou jornalista e outro ja deu balão em policiais com a lábia,
minha ex-namorada é de virgem, e sei bem o que é estar num universo “oposto”, tudo ai bateu! Tem várias coisas que poderia provar tbm,
como peixes tem afinidade com lado artistico, vejamos vários ícones importantes na cena do rock, como Steve Harris (Iron Maiden), Kurt
Cobain (Nirvana), Chester Bennington (Linkin Park), David Jon Gilmour (Pink Floyd), Jerry Horton (Papa Roach), e muitos outros, só
quis mostrar que as principais bandas mais conhecidas, todos tem essa energia de peixes, quem negar isso, é como negar que água é
“transparente”.

50. TH13
10 de junho • Editar

É complicado partir da linha de “não é porque não foi provado que não existe”. Isso é verdade, mas o fundamento da discussão parte da
aceitação do não comprovado. E aceitar ou não aceitar não quer dizer ser cético ou não ser cético – o MDD adora dizer que é cético,
embora aceite premissas não comprovadas. è legal aquela frase do Superpop: “Já viu elefante em canteiro de morango? Não? Tá vendo
como ele se esconde bem?”.

@MDD – Deixa eu conferir pra ver se mudou o titulo da coluna… hmmmm não mudou… continua chamando “Teoria da
Conspiração”, e não “fatos materiais reproduziveis em laboratório”. E continuo não aceitando premissas não comprováveis…

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 19 of 29

tudo o que coloco aqui já foi testado empiricamente. Eu não acredito em nada, eu vou lá pessoalmente e testo tudo, coisa que 99%
dos pretensos céticos que lêem a coluna não fazem. quantos dos céticos daqui já pisaram em um terreiro de umbanda? pois é…

51. Ana Flávia


10 de junho • Editar

A: Thahy
B: MDD
C: Dahmer
D: Kentaro

PS: O que é Ofiúco??

52. Itu
10 de junho • Editar

Apenas uma coisa.

O verdadeiro cético duvida. Ele não nega. Eu posso dizer que duvido de tudo o que o MDD escreve. Mas acompanho a coluna desde que
ela surgiu, e estou ansioso por resultados, não importa quais sejam.

53. Caio Bonatti


10 de junho • Editar

Preconceito. Prejudice. Pregiudizio. Partialité.


É triste que “céticos” estejam sujeitos a sentimentos tão humanos.
Cético de verdade pra mim é o DD, que procurou as respostas que queria e não simplesmente ficou parado num trono de verdade
absoluta.

Tem gente comentando sobre graus. Graus são medidas HUMANAS, como qualquer outra, a natureza (o mundo) é muito mais sutil do
que nossas mentes.
E adorei quando falaram que a relação planetas-características são no fundo uma coisa só. Exemplificou muito bem. Não somos regidos
ou regentes, somos produto da interação de diversas forças, nenhuma delas “sobrenatural”, pois o que não é natural simplesmente não tem
como existir.

E assim como a psicologia, e farei uma extensão às ciências humanas, pois é meu ramo, a astrologia é subjetiva para nós porque NÓS
somos os objetos de estudo. Se entendemos melhor as coisas externas é porque elas não influenciam nossos resultados. Mas não significa
que não haja uma explicação, apenas não podemos expressar os resultados satisfatoriamente.

E como estudante de linguística e línguas, concordo com o DD sobre a imperfeição da língua para a expressão. Alguns de minha área têm
a língua como ponto de partida, seria a partir dela que entenderíamos o mundo. Eu discordo: a língua é uma ferramenta. Tão funcional
quanto qualquer outra, símbolos, gestos ou qualquer outro sistema que permita a comunicação. Que digam os surdos-mudos.
Assim como palavras estão sujeitas a múltiplas interpretações, não só no campo dos significados, mas também no âmbito pessoal,
ilustrado pelo DD na palavra “curioso”, os símbolos também possuem uma variação de significados imensa, para cada povo ou indivíduo
há um significado.
Claro que alguns desses significados começam a ser relacionados, como o “urso”, o “elefante”, eles são palavras e símbolos que estavam
à disposição daqueles que o usavam, mas o que importa é que o SIGNIFICANTE é o mesmo para os diferentes usos. Todas remetem à
mesma força/característica/whatever.
Jung e os arquétipos universais ainda são ciência, não são?

Enfim, desculpem-me se ficou grande demais, mas é uma discussão que merece reflexão. DD, continue com o trabalho ótimo que vem
realizando, a mudança tem que começar em algum lugar. E os que querem mudar, crescer, vão invariavelmente mudar. Os que não
querem, paciência. É o livre-arbítrio de cada um. Só não sejam preconceituosos.

@MDD – É complicado explicar simbologia para pessoas que pensam matematicamente em zeros e uns. Eu nem comecei a
arranhar a beleza e complexidade da Astrologia… Mas a gente se esforça…

54. Julientine
11 de junho • Editar

hmmmm

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 20 of 29

A – Kentaro
B – Del Debbio
C – Thahy
D – Dhamer

Eu não sei direito quem é a menina, fiquei meio na dúvida, mas creio que seja isso

55. ogoid
11 de junho • Editar

Uma coisa ficou estranha sobre os simbolos nos comentarios do “cético”,


Pois pelo o que eu consigo entender sobre os simbolismo dos diferentes tipos de astrologia , é que a essência não muda em nada o que
muda é apenas o nome dado a determinada energia, pois não é porque aqui se chama um signo de aries e na china se chama de lebre (não
sei se chamam assim lá), que a energia do signo mude, então a diferença esta só no nome, é como se algum país desenvolvesse a ciência
ortodoxa paralela a nossa e la os eletrons fossem chamados de “mingau de aveia” o fato de chamarem de modo diferente não alteraria em
nada a estrutura do elétron, que não ta nem ai de como nós humanos o chamamos.

@MDD – Isso mesmo.

56. Thais Thaluthien


11 de junho • Editar

Eu to fazendo um chute… Vamos ver se eu passei ao menos perto…

A- Dahmer
B- MDD [o único que eu tenho certeza porque lembro dele falando do sol e da lua um tempo atrás]
C- Thahy
D- Kentaro

57. Daniell Vieira


11 de junho • Editar

Caro MDD,

De fato, eu não conheço bem a astrologia, Porém eu sou fascinado pala astroNOMIA (TAnto que eu farei faculdade sobre ela xD). Eu
tento, mas não consigo assimilar que minha personalidade pode ser “decrifrada” pela posição dos astros, até mesmo porque a
personalidade é influênciada pelo ambiente de convívio, ou não; É possivel identificar “Patologias” como a “sociopatia” através da
astrologia?

P.S.: Ana Flavia, Ofiúco é um personagem mitológico, que “foi transformado” em constelação, Hoje em dia, tal constelação é considera
como a 13ª constelação Zodiacal (Tais constelações deram origem aos signos).

58. tiago
11 de junho • Editar

Um post sobre jung e a astrologia cairia bem…

59. Lucas
12 de junho • Editar

MDD, vc comentou que tinha tatuagens…

Pode dizer que tatuagens vc tem e aonde estão ?

60. Camilo

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 21 of 29

12 de junho • Editar

Tio Marcelo me diz uma coisa. Eu inicialmente acompanhava seu blog mais ai desandei. Fiquei lendo apenas as mais interesantes mesmo
( não que todas não sejam), pois meu tempo tinha ficado curto. Sei que varias materias do inicio do blog a foram retiradas e ai vai a
pergunta. Tem como eu achar as materias inciais do seu blog? Desde aquela que você se apresenta com seu curriculo, contando um pouco
de sua vida e coisa e tal? Se tiver deixa ai o link, o download, qualquer coisa.
Quero dizer que adoro seu blog e recomendo a muitos amigos.
Um abraço… E não deixe de escrever essas materias.

61. Gilsmy Albert Malaquias Boscolo


12 de junho • Editar

MDD, acabei de assitir o documentário “Atlantis Reborn Again (Atlântida Renascida Novamente)!
Interessante para se levantar um pouco a curiosidade a respeito das antigas civilizações e suas interrelações, entretanto o documentário
parece mais tentando desmerecer o próprio título do que tentar mesmo explicar algo.

Eu não gostei.

O que ele me aguçou foi a respeito da “Esfinge”. Você irá falar algo a respeito da Esfinge???

62. eu
12 de junho • Editar

miiinino…gostei docê….fui lá fazer o teste de astrologia reversa e deu que sou gemeos !!!… E que se eu achasse mesmo que sou pisciana
meus pais estariam mentindo pra mim!!!!…Comuassim????…eheheeheheh…falando sério, agora. Sou fascinada por astrologia, como
boa pisciana, claro, mas sempre me identifiquei com geminianos, o signo da dúvida. É claro que só até certo ponto nóis sintendi, porque
afinal de contas eu sou essa coisa pisciana… né….Bem, acabei entendendo isso pelo fato de eu ter mercurio no ascendente e em aries.
Também tenho jupiter e netuno em sagitario, o que reforçaria essa coisa gêmeos/ sagitário; venus em aquario e lua/;urano em libra, tudo
ar…ehehehe
Mas escrevi aqui, pq eu gosto mesmo da simbologia astrológica dos opostos, e aí quando vc pensa nos opostos astrológicos, dá pra captar
muita coisa, a meu ver. Adoro filmes, e eles me ensinam muito pelo que “capto” de percepções assim, tipo a idéia do realista que tende ao
sarcasmo e melancolia…o papel, nesse caso, do que seria o colo, ou câncer…etc… Quem já leu críticas de filmes bons? Pros práticos
parece maluquice…É muito dificil, com qualquer arte, você explicar percepções, insights, sensações.

63. HoundDog
13 de junho • Editar

@IRR – DD, como a astrologia chinesa é igual se os signos são divididos em ciclos de vários anos?

@MDD – o que os ocidentais conhecem como “astrologia chinesa” na verdade, é apenas o signo do planeta JUPITER. A Astrologia
chinesa real é muito mais complicada do que isso, claro.

Perae, aquilo q passam pra gente sobre “astrologia chinesa” seria apenas o signo de Júpiter?
Eu tendo Júpiter em Áries, e segundo essa “astrologia chinesa” q td mundo conhece, dividida em períodos anuais, o meu signo é Coelho,
logo Áries na nossa astrologia seria equivalente a Coelho na chinesa? Então a descrição de Coelho seria a descrição de Júpiter em Áries,
sem levar em consideração a casa, é isso?
(se n der pra entender eu tento reformular a pergunta, pq eu msm achei meio confusa xD)
Ah sim! Você conhece algum site sério sobre astrologia chinesa pra quem tiver interessado?

Abraço! (aguardando o resultado dos mapas! ;D)

64. L.F.
13 de junho • Editar

a – Kentaro
b – Del Debbio
c – André Dahmer
d – Thahy

vms ver se acerto! =)

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 22 of 29

65. David Fernandes


14 de junho • Editar

Isso aqui tá ficando muito interessante, DD!! Tô acompanhando com absoluto interesse. Confesso que estou um pouco cético, mas
torcendo para que vc comprove que eu esteja errado.

Grande abraço, e parabéns!! Muito ousada sua iniciativa!!

66. A.K.
14 de junho • Editar

Estava relendo alguns posts seus lá no blog do TdC e achei um comentário muito pertinente ao assunto, que faço questão de copiar aqui:

“VIIII | 24 de abril de 2009


Bem… meio que tentando responder minha própria pergunta, achei esse site aqui: http://www.astro.com/astrology/in_praezession_p.htm

pelo que eu entendi, foi definido o ponto de 0 grau no céu a partir das constelaçoes no passado, mas como vc mesmo disse sao só os
planetas que contam… entao, com o movimento de precessao da terra, as constelacoes estao em lugares diferentes do ceu, mas os planetas
estao na mesma “área” da aboboda celeste que antes – ou seja, a partir da visao na terra, as constelacoes moveram, mas os lugares onde os
planetas passam no ceu sao os mesmos.
Tá meio dificil explicar, entao vou usar uma suposicao… é como se vc imaginasse o céu sem constelacoes, apenas com os planetas; e
dividisse a area da aboboda celeste em 12, dando nomes arbitrarios. Entao teriamos os 12 “signos”, que independem do movimento de
precessao da terra…
o que os antigos fizeram é nomear essas areas com as constelacoes que estavam no céu naquele instante.

será que entendi corretamente?

@MDD – perfeitamente. É a razão pela qual cada cultura tem seus próprios nomes e simbolos para denominar os signos.”

Em: http://www.deldebbio.com.br/index.php/2009/04/23/faca-sua-propria-moeda-da-sorte/

67. TH13
15 de junho • Editar

@MDD – Deixa eu conferir pra ver se mudou o titulo da coluna… hmmmm não mudou… continua chamando “Teoria da Conspiração”, e
não “fatos materiais reproduziveis em laboratório”.

Ok, eu mereci essa… normalmente sou eu quem uso essa linha “se chama teoria” e blá blá blá… vou me recolher à minha
insignificância….

68. TH13
15 de junho • Editar

… MAS EU VOU VOLTAR!!!!!!

Aliás, quantos dos que acreditam no que você escreve na coluna a partir do que você escreve na coluna (ou seja, não conheciam antes e
conhecem alguma coisa a partir de agora), que podemos chamar de céticos (já que pseudo-cético é quem não acredita até que lhes seja
provado – sabe-se lá como – o contrário) já pisaram num terreiro de umbanda?

Seria legal ver essa estatística: quantos dos leitores que antes não estavam nem aí passaram a fazer algo – freqüentar terreiro, buscar
Lojas, fazer o Ômer, etc…

@MDD – Boa idéia. Aqui no Sedentário é complicado pelos espíritos de porco (ou como o Ziraldo disse: “Na Internet só tem
babaca!”), mas vou fazer lá no TdC mesmo.

69. Gabriel Nascimento


15 de junho • Editar

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 23 of 29

É impressionante o número de pessoas que acreditam em tudo que lêem, não pesquisam em outros lugares, não querem uma segunda
opinião…

Só uma perguta ao autor do post. Em que se basearam para afirmar que uma pessoa que tenha “Mercúrio em Gêmeos” terá uma facilidade
muito maior que a média de lidar com palavras? Alguma pesquisa? Algo do tipo?

@MDD – “Alguma pesquisa”? existem dezenas de milhares de páginas de pesquisas publicadas a respeito. No site do Dane
Rudhyar tem quase uma centena de livros de grande qualidade a respeito da Astrologia e de toda a parte teórica dela:
http://www.khaldea.com/rudhyar/

70. Lucas
16 de junho • Editar

1,453.440.000.000.000.000.000.000 de combinações???

São muitas possibilidades.


Quero dizer, com tantas possibilidades não fica dificil acertar as características de alguns.

71. Hendric
17 de junho • Editar

Saindo completamente do assunto, e voltando alguns milhões de anos no teoria da conspiração:

O cara do The Man from earth olhava muito pro sol? seria isso?

Desculpe a pergunta atrasada, só agora fiz um link mental.

Abração!!

72. AD&D
18 de junho • Editar

Ótimo post DD, quando estava lendo achei até que já tinha lido.. mas é porque grande parte da coluna já foi de uma maneira, ou de outra,
postado no outro blog ,)

Abraços e menos stress, pelo simples fato de que não vale a pena.

Lembre-se que a maioria das besteiras escritas nos comentários são feitas por pessoas que não sabem o que estão falando e nem estão
buscando nada.

73. AD&D
18 de junho • Editar

@Lucas
1,453.440.000.000.000.000.000.000 de combinações???

São muitas possibilidades.


Quero dizer, com tantas possibilidades não fica dificil acertar as características de alguns.

Lucas não seria ao contrário? 0.o ..quanto (mais) combinações (mais) difícil seria “acertar” características de alguns! E não mais fácil.
Ou seja, se existissem 10 combinações apenas, seria muito mais fácil “acertar” as características de alguns.

@MDD – É… o Lucas viajou na maionese… mais possibilidades, mais complexas são as pessoas.

74. Fique por dentro Mapa » Blog Archive » Analisando um Mapa Astral - parte 2
22 de junho • Editar

[...] mostra o que te agrada eo que te incomoda; mostra os vícios que … fique por dentro clique aqui. Fonte: [...]

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 24 of 29

75. Caio Calandrino


23 de junho • Editar

Como sempre fui uma pessoa que queria mesmo ver se existia algo além de vivo, que acabei indo pesquisar e estudar . Acabei me
tornando umbandista, depois disso.
O que eu sempre falo para as pessoas é que devemos conhecer para opinarmos e a grande maioria não faz isso, o que corrobora com o que
eu penso sobre o ser humano: quanto mais tecnologia, mais preguiça em procurar pensar e mais facilidade em acessar as informações pré-
formadas (jornais, internet, religião, etc…) e com isso esses sere-humanos acabam ajudando a manter o pré-conceito quando não
procuram conhecer e apenas ficam criticando.
Claro que a pessoa ter meios que “pensam por ela” (jornais, internet, religião, etc…) não por si só são a causa dessa maneira de agir.
Muito também desse incentivo em pesquisar e formular nossas opiniões sobre tudo vem da falta de incentivo que deveriamos ter sobre o
estudo desde jovem e crescemos apenas anexando as opiniões pré-formadas.
Claro que muitos vão dizer que hoje há mais pessoas na escola e o número de formandos nas universidades é o mais alto de nossa história,
o que não quer dizer nada para mim. Muitos podem ser PHD em algo, mas isso não foge da minha opinião, pois muitos agem com as
amarras da carreira. Acabam tratando a sua area como a máxima verdade (cientistas ortodoxos) para explicar tudo, o que torna essa
discussão em muitos casos incabíveis por não quererem entender que uma coisa pode ser explicada de várias maneiras.
Um exemplo, é que hoje estudo História e nunca poderia dizer que o Brasil está desse jeito só porque foi colonizada por portugueses.
Podemos explicar também através de um economista, um geógrafo, um sociólogo, etc…
Essa é a minha opinião, mas garanto que teremos os críticos de plantão tentando destruí-la, vide os vários trabalhos de doutorados e
mestrados que procuram destruir ou invalidaar autores e linhas de pensamento contrários, algo que acho de pequenês por não trazer nada
de relevante.

76. TH13
23 de junho • Editar

Tudo bem aí, Marcelo?

77. thomaZ
25 de junho • Editar

Aproveitando o gancho de que suas respostas aos comments estão bem tolerância zero… (olha que isso é elogio).
Primeiramente agradeçer pelos ensinamentos deixados ao longo do texto e por todo seu trabalho.

Pergunta:

Já que o grande problema é o Vocabulário, o que me diz de mais de 5.000 anos de conhecimentos acumulados, se um grupo de 25
pessoass sérias não conseguem passar uma mensagem mantendo as mesmas características básicas, em uma dinâmica de Telefone Sem
Fio (baca a ouvido), dentro de uma mesma sala, na mesma hora? (eu estava presente)
Sem contar que os antigos ensinamentos foram transmitidos por diferentes idiomas, culturas e formas de se expressar, assim como lí no
texto do TdC sobre isso (A Linguagem e o Pensamento).
O fato de que funciona não me deixa tantas dúvidas, mas é curioso pensar que o que eles queriam dizer tempos atrás poder ser preservado
até os dias de hoje e concebido por mentes de estudiosos (isso inclui vc) é que me assusta.
Como vocês fazem pra manter essa informação – não vou dizer intacta – mas com grande parte de sua essência preservada?

78. H.A.
28 de junho • Editar

não sei se faz sentido, até pq eu sou astrologo café-com-leite. XD


Mas acho que se vc fizesse uma pergunta pra cada relação Astro X Casa acho que seria mais funcional, ai elas seriam de multipla escolha
vendo o nivel de sincronidade com a relação Astro x Casa. p.e.: 5 alternativas e ai cada uma seria de uma nivel menos sincronizado com o
Astro em questão, até o mais sincronizado. (sei que talvez vc já tenha pensado nisso, mas não custa tentar.)

Mas DD uma coisa que me deixou intrigado, é que como parece, nem um signo se repete, e não existe pessoa igual (parecida sim, igual
não). O que me leva a uma pergunta:
Quando chegamos no final das combinações o que acontece?

Pra mim o mais logico é recomeçar o ciclo todo de novo.

Mas de qualquer forma eu espero que dê certo. Eu acredito que essa é uma das poucas oportunidades que os leitores do Teoria de
presenciar um teste que tenta comprovar cientificamente a Astrologia.

Boa sorte DD e Kentaro.

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 25 of 29

79. Ellen Ester Silva Souza


04 de julho • Editar

Olá tio!
Adoro a astrologia, a metafisica me fascina, e gostaria muito de saber algumas coisas a meu respeito atraves dess fantastico e maravilhoso
estudo astrologico.
Nasci dia 22 de outubro de 196, e consta no meu registro, as 9hs da manha.
Se o senhor puder me enviar algum parecer sobre meu mapa, se tenho ainda possibilidades , eu fico eternamente agradecida.
Que Deus te ilumine cada dia mais.
Muita paz e luz!!!
Grande abraço
Ellen

80. Daniliroses
13 de julho • Editar

Putz, eu fiquei um tempo sem ler os posts e quando retorno vejo isso tudo , ameiiiiiiii esse estudo , por falar nisso seria muito bom vc dar
um curso de astrologia aqui no RJ .
Quanto aos céticos , adoraria vê-los em um gira de Exu na Umbanda ou blé , seria óootimo rsrsrs
Tio Mestre , continue que está demais , Aguardo o seu curso em agosto.
bjaum
Pax

81. P!0
04 de agosto • Editar

Olá Marcelo, tudo bem?

Achei interessante a maneira clara que você escreve, procurando trazer a luz perante aqueles que optam por continuar cegos, mas enfim,
você faz a sua parte com maestria, embasamento e argumentações sólidas.

Acabo de ler o seu texto, que encontrei por acaso, quando procurava por emérides de rafael, mapas astrais, connassaince des temps, entre
outros; temas recomendados pelo autor de um livro que leio atualmente.

Você disse que fez um curso de Astrologia há uns dez anos atrás, certo? Estou querendo me aprofundar no estudo da Astrologia
Hermética, gostaria de dicas de livros que sejam claros, assim como você, à parte do misticismo, que vela em maior ou menor parte, todas
as obras esotéricas.

Um Forte Abraço,
P!0

Participe

Faça seu protesto

1. Deixe seu comentário (obrigatório)

Enviar

cforms contact form by delicious:days

Colunas

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 26 of 29

Ocioso

Cúmplices

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 27 of 29

Orkut

info

BlogBlogs.Com.Br

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 28 of 29

Adicione o S&H:
<a
href="http://ww
w.sedentario.or
g"
target="_blank"

alt="Sedentário

total de visitantes

Contato

 Comercial
 Parcerias
 Dicas de Post

feed

Blogs Hiperativos

 Interney
 Degraça é mais gostoso
 Siriloko
 Preguiza
 Curto e Grosso
 Asttro
 Smelly Cat
 Dormiu
 Acidez Mental
 Jogos Gratis
 Wiki Doido
 Recebi por e-mail
 OMEdi
 Jogos
 Megabalaio
 Copi-Cola
 Kibe Loco
 Pilândia
 Buscar Jogos
 Sac Divino
 Procurando Vagas

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009
Analisando um Mapa Astral – parte 2 | Sedentário & Hiperativo Page 29 of 29

Categorias

 animações
 Arte/Design
 artigos
 Cinema/séries/TV
 colunas
 comics addicted
 Dúvida Razoável
 delicinhas
 Dicionário das Marcas
 diversos
 Galeria
 games
 HQ
 humor
 imagens
 Informe Publicitário
 Internet
 inutíl
 lógica mente
 músicas
 O Comedor de Lixo
 publicidade
 Sarjeta dos Quadrinhos
 tecnologia
 Teoria da Conspiração
 Tosco / Bizarro
 toys
 utilitários
 vídeos

Tema por Tropus Comunicação na Internet • Design por Evel Ryu


Monetização otimizada por Gestão Ativa WebDesign

Monetize o seu blog com HOTWords utilizando o plugin WP-HOTWords 4.4.1.

http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/analisando-um-mapa-astral-... 06/08/2009