Você está na página 1de 16
Instruções 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e,

Instruções

1

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso.

 

Se, em qualquer outro local deste Caderno, você assinar, rubricar, escrever mensagem, etc., será automaticamente excluído do Vestibular.

2

Verifique se este Caderno contém 12 questões discursivas, distribuídas de acordo com o quadro a seguir:

História

5 a 8

3

Se o Caderno estiver incompleto ou contiver imperfeição gráfica que prejudique a leitura, peça

 

imediatamente ao Fiscal que o substitua.

4

5

6

Será avaliado apenas o que estiver escrito no espaço reservado para cada resposta, razão por que os

rascunhos não serão considerados.

Escreva de modo legível, pois dúvida gerada por grafia, sinal ou rasura implicará redução de pontos.

7

Use exclusivamente a Caneta que o Fiscal lhe entregou. Em nenhuma hipótese se avaliará resposta

 

escrita com grafite.

8

Utilize, para rascunhos, qualquer espaço em branco deste Caderno (exceto os reservados para as

respostas) e não destaque nenhuma folha.

 

a todas as

9

Você dispõe de, no máximo, quatro horas e meia para responder, em caráter definitivo,

 

questões.

10

Antes de retirar-se definitivamente da sala, devolva ao Fiscal este Caderno.

Assinatura do Candidato:

UFRN Vestibular 2013 Área Humanística II - Espanhol

ao Fiscal este Caderno. Assinatura do Candidato : UFRN  Vestibular 2013  Área Humanística II

As respostas às questões de Língua Estrangeira deverão ser redigidas em Português.

O texto abaixo servirá de base para as questões 1 e 2.

Casi un tercio de la comida acaba en la basura 1.300 millones de toneladas de alimentos terminan cada año en la basura, una cantidad comparable con la totalidad de los alimentos que se producen en África subsahariana en un año.

Verónica Bravo

Esta es una de las principales conclusiones que revela el informe Global food looses and food waste (Pérdidas y desperdicio de alimentos en el mundo) elaborado por el Instituto Sueco de Alimentos y Biotecnología (SIK), por encargo de la Organización de Naciones Unidas para la Agricultura y la Alimentación (FAO).

Los países ricos desperdician más Aunque no es una conclusión que llame la atención, sí que nos pone en alerta saber que cada año los países industrializados desperdician o pierden 670 millones de toneladas de alimentos. Un consumidor europeo o estadounidense despilfarra entre 95 y 115 kilos de comida cada año. En África subsahariana, Asia meridional o el Sudeste asiático, sin embargo, se tiran entre 6 y 11 kilos de

alimentos. Los productos que más se desaprovechan son las frutas y las hortalizas, además de las raíces y tubérculos. En España, cada uno de nosotros, tiramos, de media, 63 kilos de comida al año. Lo que supone un gasto total de 11.000 millones de euros anuales en alimentos que no se van a consumir.

¿Por qué se tiran estos alimentos? En los países con ingresos medios y altos, los alimentos se tiran, siendo aptos para el consumo humano. Lo que supone un importante problema ecológico. En los países pobres, por otro lado, la mayor parte de los alimentos se pierden durante el proceso de producción, antes de llegar al consumidor final.

Consecuencias para el medio ambiente Este problema afecta al medio ambiente ya que los alimentos que se producen y al final terminan en la basura favorecen:

- El aumento de la contaminación, porque en su producción se utilizan pesticidas y abonos

nitrogenados.

- El agotamiento de los recursos naturales.

- El incremento de la producción de plásticos para el envasado y empaquetado de los alimentos.

- El aumento de la producción de residuos.

- La producción de una emisión adicional de gases de efecto invernadero, que contribuyen al calentamiento global.

Consejos para no tirar comida Es labor de todos ser un poco más ecológicos y evitar desperdiciar comida. ¿Qué se pued e hacer en casa?

- Cuando vayas al mercado, procura no comprar en exceso. Es mejor comprar semana a semana los alimentos que se vayan a consumir, especialmente si son perecederos.

- Compra productos de temporada y de calidad. No hay que fijarse únicamente en el aspecto de los alimentos, ni en los empaquetados.

- En casa es importante planificar bien los menús y utilizar los alimentos cuya caducidad esté más próxima.

- Evita tirar comida que no esté en malas condiciones. Y, si ves que no vas a consumir un

alimento perecedero en pocos días, la mejor alternativa es optar por la congelación para alargar su vida.

es optar por la congelación para alargar su vida. Disponível

Disponível em:<http://www.mundo-geo.es/gente-y-cultura/casi-un-tercio-de-la-comida-acaba-en-la-basura>. Acesso em: 10 maio 2012. [Adaptado].

Questão 1

Cite duas diferenças entre os países ricos e os países pobres, apresentadas por Verónica Bravo, em relação ao desperdício de alimentos.

Espaço destinado à Resposta

Fim do Espaço destinado à Resposta

Questão 2

Sobre o desperdício de alimentos, responda:

A)

B)

O que a autora sugere em relação à compra e à conservação dos alimentos perecíveis?

Quais são os mais desperdiçados?

Espaço destinado à Resposta

A)

B)

Fim do Espaço destinado à Resposta

O texto abaixo servirá de base para responder as questões 3 e 4.

Los buenos recuerdos mejoran la salud

Ana Palicio Pire

¿Pensar en las vacaciones es bueno? ¿Mejora la salud recordar el pasado de forma positiva? Una investigación española afirma que la actitud de las personas hacia el pasado, las vivencias presentes o las expectativas futuras, influye en la percepción de la salud y en su calidad de vida.

¿Eres fatalista o conoces a alguien pesimista? La ciencia te da argumentos para cambiar de actitud. Acaba de quedar demostrado que quien es negativo vive peor. “Hemos observado que cuando las personas tienen una actitud negativa hacia los eventos pasados de su vida, y al mismo tiempo, se tiene una actitud pesimista o fatalista respecto de los eventos presentes, se generan mayores problemas en sus relaciones y son estas personas las que presentan los peores indicadores en calidad de salud”, explica Cristián Oyanadel, investigador de la Universidad de Granada (UGR).

Los investigadores evaluaron mediante cuestionarios y pruebas de estimación temporal a 25 mujeres y 25 hombres entre los 20 y 70 años. Los encuestados tuvieron que realizar el Test inventario de orientación temporal de Zimbardo, diseñado en Estados Unidos y validado por varios países incluido España . Este Test recoge nuestras actitudes hacia el pasado, el presente y el futuro. Una vez agrupados por perfiles según su estimación del tiempo, aplicaron a los encuestados un cuestionario de calidad de vida para medir su salud física y mental.

“Según lo observado en nuestro estudio, la dimensión más influyente es la percepción del pasado. Una visión negativa de éste se relaciona altamente con peores indicadores de salud”, apunta el investigador. Eso quiere decir que las personas con esta tendencia nega tiva reportan dificultades para esforzarse físicamente en actividades cotidianas. También están más limitados físicamente para el rendimiento en el trabajo. Y, lo que es peor, perciben mayor dolor corporal y tienen mayor predisposición a enfermar. “Además, presentan tendencia a estados depresivos, ansiosos y alteraciones conductuales en general”, añade Oyanadel.

¿Pensar en el futuro es bueno?

Los tres perfiles temporales encontrados entre los participantes del estudio corresponden a tres estilos: predominantemente negativo, predominantemente orientado al futuro y otro más equilibrado. “El perfil equilibrado es el ideal puesto que resulta de una actitud saludable en las tres zonas temporales. Son personas que aprenden positivamente de las experiencias pasadas , se orientan al cumplimiento y autoexigencias de metas en el futuro, pero no descuidan la posibilidad de vivir emociones y experiencias agradables y placenteras”. Asimismo, estas personas cuentan con una mayor puntuación en las capacidades de esfuerzo fís ico, mejor salud mental general, menos tendencia a enfermar y menor percepción de molestias o dolores corporales.

En el estudio acaban de demostrar que quienes viven pensando en el futuro tienen peor calidad de vida que quien no piensan en el futuro. “Las personas orientadas al futuro, es decir, a dejarlo todo por cumplir metas y exigencias personales olvidándose de v ivir experiencias agradables presentes y con poca conexión con sus experiencias pasadas positivas, no tienen mala salud física y mental, pero ésta es de menor calidad que las personas del grupo equilibrado”, concluye Oyanadel.

las personas del grupo equilibrado”, concluye Oyanadel. Disponível em:

Disponível em: <http://www.mundo-geo.es/gente-y-cultura/los-buenos-recuerdos-mejoran-la-salud>. Acesso em: 09 maio 2012. [Adaptado].

Questão 3

Considerando que, no estudo realizado, foram aplicados testes e questionários aos voluntários, responda:

A) Qual a finalidade do Teste de Zimbardo?

B) Em que momento da pesquisa o questionário foi aplicado e qual a sua finalidade?

Espaço destinado à Resposta

A)

B)

Fim do Espaço destinado à Resposta

Questão 4

A que conclusão o estudo chegou em relação

A)

B)

às pessoas que têm boas lembranças?

às pessoas que são voltadas para o futuro?

Espaço destinado à Resposta

A)

B)

Fim do Espaço destinado à Resposta

Questão 5

A palavra “democracia” surgiu na Grécia Antiga, mas, em diferentes tempos, ela denominou realidades distintas. Analisando a formação da democracia grega no sécu lo VI a.C., o historiador Ciro F. Cardoso afirma:

Ao apoiar-se politicamente nas massas populares, em favor das quais tomava diversas

a tirania promoveu a configuração do demos como força política mais

estruturada do que o fora até então: ela significou, assim, a destruição, não dos aristocratas, mas da sociedade e do regime aristocrático mais ou menos exclusivo.

medidas, [

]

CARDOSO, Ciro F. A cidade antiga. São Paulo: Ática, 1993. p. 31.

A) Mencione duas diferenças entre o modelo político aristocrático e o modelo democrático na Grécia Antiga do século VI a.C.

da

B) Compare

os

direitos

de

cidadania

e

o

exercício

do

voto

na

democracia

ateniense

Antiguidade e nas sociedades democráticas ocidentais contemporâneas.

Espaço destinado à Resposta

Fim do Espaço destinado à Resposta

Questão 6

O historiador Christopher Hill se notabilizou pelos seus estudos sobre a Revolução Inglesa do século XVII (Revolução Puritana/Revolução Gloriosa). Considerando essa revolução como um evento capital não só da história inglesa mas também da história de todo o mundo contemporâneo, Cristopher Hill afirma:

Se você observar a Inglaterra no século XVI, verá que é uma potência de segunda classe, levando um embaixador inglês em 1640 a dizer que seu país não gozava de qualquer consideração no mundo. O que era verdade. Mas já no começo do século XVIII a Inglaterra é a maior potência mundial. Logo, alguma coisa aconteceu no meio disso.

MARQUES, Adhemar M.; BERUTTI, Flávio C.; FARIA, Ricardo de M. História contemporânea através de textos. São Paulo: Contexto, 2012. p. 12.

A) Mencione e explique duas mudanças que contribuíram para a Inglaterra, no começo do século XVIII, se tornar a maior potência mundial.

B) Justifique por que a Revolução Inglesa do século XVII pode ser considerada um evento capital de todo o mundo ocidental contemporâneo.

Espaço destinado à Resposta

Fim do Espaço destinado à Resposta

Questão 7

Os fragmentos textuais a seguir abordam um período de transição na história brasileira, nas últimas décadas do século XX.

No início da década de 1980, o isolamento do governo se aprofundaria cada vez mais, em grande parte devido à situação econômica do país, que piorava a cada ano. O regime militar dava, enfim, sinais de declínio político. O principal estrategista político do regime continuava a ser Golbery do Couto e Silva, mantido como chefe da Casa Civil no governo Figueiredo. Golbery havia estabelecido uma agenda para a transição ao poder civil, que deveria se realizar mediante diversas reformas políticas.

NAPOLITANO, Marcos. O regime militar brasileiro: 1964-1985. São Paulo: Atual, 1998. p. 77 e 87. [Adaptado].

A chamada Nova República foi sendo instaurada assim como uma mistura híbrida entre o velho e o novo. Inegavelmente se trata de um novo regime. A forma de dominação política foi modificada, porém, o Brasil que sai da transição política herda pesadas cargas do regime anterior.

SADER, Emir. A transição no Brasil: da ditadura à democracia. São Paulo: Atual, 1990. p. 54 e 89. [Adaptado].

A) Mencione duas reformas políticas ocorridas nesse período de declínio do governo militar.

B) Mencione e explique duas características do período militar que permaneceram nos anos iniciais do governo civil e duas mudanças ocorridas na década de 1980, durante a “Nova República”.

Espaço destinado à Resposta

Mais espaço na folha seguinte

Continuação do espaço para resposta da questão 7

Fim do Espaço destinado à Resposta

Questão 8

Em 1946, Dwight Eisenhower, ex-General em Chefe dos Exércitos Aliados, assim se pronunciou:

Tive muita satisfação de pisar o solo do lugar de que tanto cogitei durante a guerra. Natal teve, como todos sabem, influência decisiva na guerra, possibilitando às Nações Unidas as maiores facilidades para alcançar seus objetivos.

Apud MEDEIROS, Tarcísio. Estudos de história do Rio Grande do Norte. Natal: Tipografia Santa Cruz, 2001. p.130.

A) Por que Natal possibilitou que as Nações Aliadas alcançassem seus objetivos?

B) Mencione duas mudanças no âmbito local diretamente relacionadas a esse momento histórico.

Espaço destinado à Resposta

Fim do Espaço destinado à Resposta

Questão 9

O Brasil, nas últimas décadas, transformou-se em um dos maiores celeiros de produção de gêneros alimentícios do mundo. Essa transformação foi impulsionada, entre outros fatores, pelo cultivo de soja.

Observe os mapas a seguir, cujos círculos representam áreas do cultivo de soja no território brasileiro, em diferentes períodos.

ÁREAS DO CULTIVO DE SOJA NO BRASIL

em diferentes períodos. ÁREAS DO CULTIVO DE SOJA NO BRASIL TERRA, L.; et al . Conexões.

TERRA, L.; et al. Conexões. V. 3. São Paulo: Moderna, 2010, p. 152/153; 268/269.

A) A partir dos mapas, que mudança pode ser observada na dinâmica espacial da produção de soja?

B) Mencione dois fatores que justificam essa mudança.

C) Cite e explique um problema ambiental decorrente do cultivo da soja no Brasil.

e explique um problema ambiental decorrente do cultivo da soja no Brasil. UFRN  Vestibular 2013

Espaço destinado à Resposta da Questão 9

Fim do Espaço destinado à Resposta

Questão 10 As migrações internacionais são fluxos de populações que se deslocam dos países de origem para fixar residência em outros países. A história das migrações internacionais pode ser dividida em duas fases distintas: de 1830 a 1939 e de 1945 a 2005.

Observe o mapa seguir.

FLUXOS MIGRATÓRIOS INTERNACIONAIS

0 3.000 6.000
0 3.000 6.000
0
3.000
6.000

Disponível em: <http://clientes.netvisao.pt/carlhenr/9ano4.htm >. Acesso em: 14 jun. 2012. [Adaptado].

A) De acordo com o mapa, explique a diferença da dinâmica dos fluxos migratórios em relação à Europa, considerando os períodos em que ocorreram.

B) Explique, do ponto de vista econômico, por que o imigrante, na Europa, tem enfrentado problemas de discriminação.

 Geografia 12
 Geografia
12

UFRN Vestibular 2013

Espaço destinado à Resposta da Questão 10

Fim do Espaço destinado à Resposta

Questão 11

O Sudão, maior país da África, enfrentou uma guerra civil que começou na década de 1950, devido à rivalidade entre os árabes muçulmanos grupo majoritário no norte do país e a população negra do sul do país, onde os cristãos e os animistas são maioria. No dia 8 de julho de 2011, a divisão do país foi efetivada. A população do Sudão do Sul celebrou a sua independência, resultado de um referendo realizado no início do mesmo ano.

A situação do Sudão ilustra a dinâmica que diz respeito à delimitação territorial de países africanos e à persistência de conflitos existentes em suas fronteiras.

Em relação ao Continente africano, explique por que alguns países continuam a enfrentar problemas de instabilidade em suas fronteiras.

Espaço destinado à Resposta

Fim do Espaço destinado à Resposta

Questão 12

Natal apresentou, no Censo Demográfico de 2010, uma população absoluta de 785.722 habitantes, tendo crescido 10,7% em relação a 2000. O crescimento populacional tem contribuído para acelerar o processo de ocupação e as modificações na paisagem urbana.

A) Explique um impacto ambiental negativo decorrente de formas inadequadas de ocupação urbana em Natal, em área de dunas.

Ambiental importante para a dinâmica físico-

B) O Parque

das Dunas é Zona de Proteção

ambiental da cidade do Natal. Apresente duas justificativas para essa afirmação.

Espaço destinado à Resposta

Fim do Espaço destinado à Resposta