Você está na página 1de 1

Oração

Acho que agora preciso falar de oração. Grande parte da humanidade tem uma idéia muito
equivocada do que seja oração e foi em Goldsmith que eu encontrei a resposta para essa falta
de entendimento.

Desde pequena eu me sentia desconfortável ao fazer minhas orações. Eu achava que tinha
algo errado no que eu havia aprendido sobre oração. Eu não concordava em pedir nada a
Deus. Porque, afinal, deveria ter que falar a Deus sobre minhas tristezas, minhas frustrações,
minhas limitações, se eu achava que ELE JÁ DEVERIA SABER DISSO TUDO. Rezar o Pai
Nosso também tinha passagens incômodas, como “Seja feita a Vossa Vontade”. Não tinha
muita confiança de que o que Deus desejasse estaria muito em sintonia com o que eu desejava
para mim. Mas, não deveria ser assim...

Afinal, eu não era filha de Deus? Deus não me amava e não poderia fazer tudo por mim? Havia
certo ressentimento no ar. Ele já devia saber quais eram as minhas necessidades sem que eu
precisasse lembrá-Lo delas. Assim, minhas orações passaram a ser apenas de agradecimento,
pelo que eu tinha a agradecer, e muitas vezes uma bronca, quando estava brava com ele,
porque achava que ele não estava me ouvindo e, é claro, que estava distante (separado?) de
mim.

Essas crenças infantis persistiram. Mesmo quando adulta e capaz de fazer uma oração mais
harmoniosa, ainda me sentia frustrada de ter que pedir algo a Ele. Pedir me fazia sentir o
distanciamento, a falta de sintonia.

Goldsmith afirma que, SIM, Deus sabe das nossas necessidades, portanto, não precisamos
lembrá-Lo delas. Também, humoradamente, nos lembra que não há sentido algum em orar
para dizer a Deus o que ele deve ou não fazer. Quem somos nós para dizer a Deus o que
fazer? (rsrsrsrs) Isso é tão óbvio e tão engraçado que sempre que penso que nos atrevemos a
dizer a Deus o que achamos que ele já devia estar fazendo, não posso deixar de rir.

Deus é onipresente, portanto, não é preciso chamá-lo. Ele é onisciente, assim, sabe o que nos
acontece e quais são as nossas necessidades. E, como todos sabem, Ele é, onipotente, e,
além do poder de Deus, nada existe.

Então para que serve a oração? PARA OUVIR A DEUS!


Para ouvir a verdade sobre Deus. Para aprender a verdade sobre Deus.

Devemos começar com o que entendemos por meditação, com as afirmações sobre Deus que
conhecemos. Quando atingirmos aquele estado de paz, estamos em Deus.
Daí é hora de dizer: - Fale comigo Senhor. Eu estou aqui para ouvi-Lo.

Mergulhado na presença de Deus, você está em oração.


E é tão gostoso estar lá que a gente não quer nem voltar para o nosso mundo limitado.