Você está na página 1de 226

1

A E scola
A nossa história começa em uma pequena cidade do interior de Minas Gerais na
cidade de Itabira,onde existe extração de minério desde o ano de l937. apesar de já
estarmos no ano de l99l, a cidade apresenta aspecto do início do século com todo o seu
atrazo caraterístico do Brasil sem futuro. Sebastião, personagem central de toda
confusão provocada na mente dos meninos, é a personificação do pai que os garotos
gostariam de ter, e é um desconhecido que chegou à cidade de há pouco mais de treis
anos e leciona história no ginásio principal e único da cidade. ninguém conhece a sua
origem, de onde ele veio, ou mesmo o seu sobrenome. parece que ele veio abruptamente e
entrou para o cenário da história daqueles meninos. personagem fantástica, que os
meninos daquela pacata cidade idolatraram.

Bem,vejamos como começa a história que parece não ter fim.

Como tudo começou


Uma sala de aula de história
No próximo verão marcharemos em direção a nossa caverna que se
encontra no alto daquela montanha que nós vimos quando fomos a São Paulo
no ano passado.
assim começou Sebastião a falar, tão logo os alunos regressaram do recreio, naquela tarde
de verão que já chegava ao fim. todos arregalaram os olhos como se fosse coisa do
outro mundo aquela atitude de Sebastião ao pronunciar aquela palavra mágica, caverna,
que inspira algo misterioso nas profundezas da alma infantil. a princípio não parecia ser
muito interessante para alunos da terceira série ginasial. eram meninos de 12 a 15 anos
quase todos pertencentes a famílias de operários da cidade de itabira. havia na sala
meninos de todas as cores: brancos , morenos, pretos ; mas como todos tinham o mesmo
nível social havia uma perfeita harmonia entre eles . os alunos começaram uma certa
algazarra na sala de aula. mas sebastião que já conhecia as crianças através dos olhos,
calou-se repentinamente não dizendo nem mais uma palavra. daí de repente todos se
calaram como que por encanto e esperaram que Sebastião começasse a dizer aquilo que
eles gostariam de ouvir, e que nem por sonho poderiam adivinhar o que seria.

1
EM BUSCA DA CAVERNA.
2

enquanto estavam assim naquela pequena confusão , Sebastião voltava-se com o


pensamento para o reino da fantasia que só existia dentro de sua alma; mas que haveria de
conquistar todos aqueles coraçõezinhos infantis que ali diante dele se encontravam à
espera da grande aventura que haveriam de empreender a partir daquele momento. daí o
seu cérebro procurou fugir para as mais longínquas paragens do ideal .

em sua feição observa-se uma serenidade completa , semelhante a existente no semblante


da esfinge, que em pleno deserto, mantém os olhos hirtos em direção ao infinito , ou ainda
, dos olhos de quem já completou um grande sonho que se transformou em realidade.

Durante esses poucos minutos seguidos , ele fugiu as mais altas montanhas,
procurando através da natureza algo que pudesse demonstrar a quietude que ia em seu
espírito de fantasia. queria ele transmitir aos garotos que só uma coisa pode tornar o
homem invencível: “ a vontade de vencer” . tudo correu como ele imaginara. os que
estavam mais exaltados já haviam se acalmado contemplando a face daquele que iria iniciar
com eles uma grande aventura. aventura esta que centenas de crianças gostariam de
empreender . passaram-se mais alguns segundos e Sebastião começou a falar: como eu lhes
disse , no próximo verão marcharemos todos e mais alguns dos nossos colegas para uma
grande aventura. há muitos anos que eu prometo a meus alunos levá-los a um lugar onde
existe uma grande caverna misteriosa.

quando falou a palavra caverna misteriosa, todos os olhos que estavam naquela sala
aquietaram-se cada vez mais.podia se ouvir o zumbido de uma mosca na sala de aula, e
continuou dizendo Sebastião: - até hoje não houve a possibilidade de subirmos, porém,
neste verão nós todos iremos. vocês todos gostariam de ir?. foi a primeira pergunta quais
todos responderam prontamente que sim. muitos daqueles que responderam que sim,
estavam sentindo o entusiasmo da maioria. mas sebastião começou a falar o que era uma
caverna. antes porem deu um grande suspiro como quem tomava fôlego para falar. bem o
negócio é o seguinte: - A caverna é muito grande e está em

uma das montanhas mais altas do país . a sua porta encontra-se aberta dia e
noite onde todos podem ver o que se encontra lá dentro . pedras de todas as
cores; verde, azul, cristal de rocha onde tudo reflete a luz do sol formando lá
dentro , o mais bonito arco íris por causa de uma fonte de água cristalina. a luz
do sol passa por um buraco existente na parte superior da caverna e ilumina
toda ela por dentro. sebastião continuou falando quando a campainha tocou

2
EM BUSCA DA CAVERNA.
3

avisando o término da aula. alguns já pegavam o material para saírem quando


ele avisou que nos dias seguintes de aula continuaria a contar-lhes como eram
as coisas lá em cima.
via-se um grande contentamento no semblante de todos aqueles meninos . eram
rapazinhos de treze a quatorze anos mal feitos, que naqueles poucos minutos
acabavam de sonhar um pouco. era apenas um sonho, mas, quem sabe? um dia
poderia tornar-se realidade. e este dia seria o mais glorioso para todas as
crianças do brasil e talvez de todo o mundo.
• naquele dia Sebastião saiu pela rua triste e pensativo, como se o único que
não acreditasse na caverna fosse ele e uma tristeza imensa invadiu sua alma
como se o mundo fechasse o rosto para ele. Afinal não havia razão para ficar
triste. ele mesmo criara a fantasia que agora não podia voltar atrás; consigo
mesmo agora ele dizia baixinho é preciso ir adiante. não podemos parar agora
que tudo já começou. como criança é muito flexível em relação a fantasia os
sonhos devem ser alimentados todos os dias até um dia tornar-se realidade.
como pode uma palavra modificar a mente ? como é estranha a força interior?.
como o pensamento de uma criança pode operar maravilhas. assim ia ele
pensando quando foi abordado por uns alunos que o alcançaram em plena
rua a caminho da casa, e o interpelaram; sr sebastião, era como os alunos
costumavam chamá-lo, --- como pode existir no alto de uma montanha uma
caverna gigantesca? - ah ... vocês compreendem como são as coisas, Deus
fez a natureza de tal maneira que nós podemos aproveitá-la a medida que
precisamos dela. uma caverna é geralmente formada pela erosão através dos
tempos. a parte interna é de material que se dilui facilmente com a água da
chuva que vai carregando lentamente partículas mais leves, deixando a parte
externa que é mais dura. assim são formadas todas as cavernas.
aquelas palavras não foram muito bem compreendida. por isso uns
acreditavam e outros ainda não tinham muita confiança. .mas a maioria
vibrava com a coisa inédita que em breve eles conheceriam.
a partir daquele dia sebastião observou que entre eles havia uma amizade
mais profunda do que antes . basta dizer que a freqüência em sala de aula
melhorou quase cem por cento. aquele índice muito alto de freqüência para uma
turma indisciplinada e desorientada era algo assombroso. o aproveitamento

3
EM BUSCA DA CAVERNA.
4

passou a ser melhor do que nos meses anteriores. todos os alunos da terceira
série já haviam melhorado suas notas, muitos dos pais já tinham desconfiado
desta melhora mas ninguém sabia o que estava transformando os seus filhos
de uma hora para outra. era necessário que a partir de agora. a velinha do
ideal nunca mais se apagasse para que pudesse levar cada aluno a descobrir
sua própria caverna ... tudo aconteceu tão de repente que muitos dos
professores quiseram saber o que se passava por de trás de tudo aquilo. volta e
meia tornavam a se reunirem para discutir como seria grande tal caminhada
para a caverna. já corria o mês de maio e as reuniões preparativas não mais se
realizavam em sala de aula, e sim no grande pátio todos os sábados à tarde.
e ali naquele velho pátio cercado de muro quase caindo,cheio de musgos e
liquens pelas parede, somente eles agora pisavam para aprender sobre a “ terra
prometida” . eram cerca de 40 meninos que com o consentimento do diretor se
reuniam ali, para juntamente com Sebastião traçarem

planos para atingir aquele objetivo tão almejado e sonhado por todos. Essas reuniões

chamaram a tenção de outros meninos que também queriam tomar parte do bando.

a princípio muitos meninos tomaram parte , mas logo depois desistiam e só os mais
persistentes continuariam a assistir as reuniões..as reuniões mais consistiam de jogos de

campo e de palestras sobre as coisas do campo. como o grupo estava , crescendo , era
preciso uma organização mais bem orientada e que iria exigir mais energia de sebastião.

. estando agora o grupo com cerca de setenta meninos , foi necessário dividi-los
em dois grupos de trinta e cinco alunos em cada reunião para os jogos
preparativos.

Rufino sonhou

Certa noite, , no meio de toda confusão, o Rufino teve um sonho no qual ele
estava reclamando de muita coisa: Sonhou que já era adulto e depois de ter todo
fracasso na vida,reclamava:

-Fico imaginando como podia Sebastião naquela época ter tanta


imaginação que deixava qualquer um de boca aberta. como poderia eu ,que
depois de percorrer todo o caminho que sebastião me mostrou,, sonhar aquela

4
EM BUSCA DA CAVERNA.
5

maravilha a procura de uma caverna, que ele ensinou existir dentro de cada um
de nós, e depois eu sentir como a morte rondava seu espírito? . quantas vezes
solitário onde todas as forças pareciam perdidas e o temor de algo existente
dentro de mim não explicavam aquilo que atemorizava meu espirito ?. lembro-
me perfeitamente dos momentos de cisma na qual eu dizia: quem sou eu? de
onde vim?. de onde vinha aquela força que jogava em direção ao vácuo?. todas
aquelas interrogações profunda do ser me convidava ao nada, era a falta de um
ideal que alimentasse o espírito em meio a toda a aflição. lembro-me
perfeitamente de tudo que o mestre me ensinava, e eu em meu subconsciente a
tudo recusava”.

Sebastião tinha muito boa vontade, mas eu , apesar de estar sempre junto
dele,sempre recusava os seus ensinamentos.

Até hoje o Rufino ainda pensa naquele sonho.Mal sabe êle os outros sonhos
que êle ainda vai ter

, Certo dia um dos meninos deu a idéia de fazer uma excursão em algum
lugar próximo para irem treinando. na verdade sebastião já havia pensado nisto,
porém queria que a idéia partisse deles, pois sempre dizia não querer ser um
chefe para somente mandar ,mas sim para orientar e acatar as idéias de todos.
vocês é que dão as idéias para que possamos fazer a grande caminhada. eu
não me intrometo e para maior liberdade entre os meninos procuro não chegar
perto quando estão realizando as reuniões. uma coisa porém é preciso que seja
observado entre eles : é a camaradagem e a dedicação para com seus
companheiros. a primeira excursão, deveria ser realizada aqui por perto para
que eles não estranhassem muito, e não deveria durar muito tempo. apenas uma
tarde de sol ou domingo de manhã. como os líderes vieram falar comigo,sugeri a
eles que deveríamos ir de manhã. era necessário escolher agora o local da
excursão, o que foi permitido os garotos que escolhessem. após muitas
discussões chegaram a uma conclusão; um local denominado serra da
conceição, foi o escolhido por ser perto e podermos aproveitar para visitar o
lugar onde se extraia ouro na época da escravidão. combinamos que deveria
ser o primeiro domingo de julho, e assim já teríamos tempo para pensar em

5
EM BUSCA DA CAVERNA.
6

outras atividades. na véspera da excursão Sebastião reuniu todos os meninos


para contar a eles algumas histórias que todo apreciavam.

depois perguntaram se estavam satisfeitos em poder no dia seguinte fazer um

passeio como se fosse na grande caverna? todos estavam realmente felizes, mas alguns se
mostraram indecisos quanto a resposta, ao que foi interpelado por Sebastião. o que há
com vocês que não estão sabendo responder?- podem dizer aquilo que sentem. nós
estamos satisfeitos sim, más... responderam alguns como que titubeando.

podem dizer com franqueza o que quiserem, nós somos amigos.nós queremos
mesmo ir amanhã , mas já que daqui há dez dias nós entraremos em féria,
porque não podemos logo ir a nossa caverna? aquela pergunta caiu assim de
chofre deixando Sebastião sem poder responder por alguns segundos. era
realmente uma coisa espantosa. toda aquela idéia fantástica sobre a caverna já
estava tão arraigada na mente dos meninos que agora tornava-se quase
impossível voltar atrás, não podia decepcionar aqueles meninos que lhe
demonstravam tanta confiança. devia seguir em frente , seja qual for o resultado
da coisa toda. se sebastião recuasse, seria um desastre para todos aqueles
meninos que o acreditavam . que haveria sebastião de fazer diante uma situação
dessa?

primeiro ele apareceu com a idéia da caverna e ainda não tinham dado
os primeiros passos e os meninos queriam agora passar a sua frente pedindo
que os levasse às asas dos ideais . durante cinco segundos sebastião pensou
em tudo o que poderia responder e os olhos atentos esperavam por sua
resposta que pudesse satisfazê-los. sebastião ia responder quando mais dois
meninos disseram que queriam falar com ele. como pensou tratar-se de uma
outra coisa, autorizou-os a falarem naquela hora mesmo; então viu que se
tratava do mesmo assunto que antes alguns dos meninos havia proposto. um
dos meninos que fazia a proposta era carlos lobato, um menino de onze anos.o
qual não estava na escola , mas é amigo de todos do grupo. após meditar muito
sebastião disse que idéia era boa mas que nós deveríamos falar sobre isto
depois que voltássemos da excursão do dia seguinte. eram já dezenove horas o
frio soprava em todas as direções. todos foram para suas casas dormir e com a

6
EM BUSCA DA CAVERNA.
7

promessa de voltarem no dia seguinte o mais cedo possível. sebastião ficou a


porta de sua casa conversando com amigos. na cidade não havia luz

elétrica, era luz de lamparina ou da lua ou das estrelas que brilhavam sempre no
céu. Grupo de rapazes preparava se para fazer serenatas naquela noite de
sábado. tudo era sonho e ilusão. A ação destruidora do tempo e da civilização
ainda não haviam chegado ali. E Sebastião ficou conversando até altas horas
da noite. O reino fantástico da ilusão , que vive dentro de nosso ser, é o lugar
onde ninguém poderá penetrar. marcharemos em todos os vales , em todas as
colinas, em todas as florestas à procura da nossa caverna que não
encontraremos em nenhum desses lugares . ela se encontra mais perto do que a
gente pode pensar , de tão perto que se encontra, parece longe.ela se encontra
dentro de nosso ser, mas este é o único lugar onde a gente não procura por não
sabermos que ela está lá, embora nós sabendo de tudo isto não podemos
mostrar aos outros pois os mesmos não creditarão. É preciso andar
com elas durante muitas e muitas léguas, procurar em mil lugares. e só depois
então ela compreenderá que o lugar procurado não devia ser aquele, e assim
Sebastião ia pensando.

O primeiro acampamento

Raiava o dia oito de junho de l987. Eram seis horas da manhã com os
termômetros marcando uma temperatura de cinco graus centígrados, as primeiras luzes do
sol já começavam a se despontar no horizonte . o silêncio tortuoso da noite ainda pairava
sobre nossos ouvidos. Nas encostas das colinas um intenso nevoeiro dando a impressão ao
viajante de não mais existir vida dali para diante. O pico do Caue, com seus 1900 metros de
altitude, ainda não havia aparecido totalmente, apenas recebia naquele momento as
primeiras luzes do Sol, que tem o privilégio de iluminar em primeiro lugar, as grandes
montanhas. Já passado quase vinte minutos de clarão do Sol de vermelho tornara-se
amarelo e descia em quase todos os vales. pelas ruas apareceram os meninos que faziam a
entrega do pão. as pessoas com as melhores roupas dirigiam-se a missa numa imensa
alegria nos corações .O Sol já estava todo do lado de fora, parecendo até que hoje ele
brilharia mais que nos dias anteriores. Na porta da escola já se encontra grande número de
meninos, outros veem mais adiante. quando chegou a completar setenta, vimos que estava
na hora de partir.

7
EM BUSCA DA CAVERNA.
8

Atravessamos a cidade carregando as nossas mochilas ou então bornal com a comida, à


frente ia um menino carregando a bandeira brasileira. Ao passar pelo povo estes chegavam
a tirar o chapéu ou apear o cavalo. Parecíamos um bando de ciganos que marchava pela
rua. Gastamos quinze minutos até o morro d’água Santa, em cima do mesmo, forma-se um
pantanal donde se avista a serra da Conceição. de cima desse morro também pode se ver
muitas outras serras ao redor da cidade ficando a mesma no fundo de um buraco .

Bem aqui perto de nós, disse Sebastião, existe um rancho de tropeiros, vamos até lá
ver como eles estão.

É interessante ver como eles vivem. fazem sua comida em tripé uma
espécie de fogão feito de trens ferros amarrados entre si , dormem em cima dos
couros de bois sem a mínima higiene. ali também junto aos tropeiro , está um
grupo de ciganos na mesma promiscuidade. Olhando para a frente vimos o
caminho que deveríamos seguir. Despedimos dos tropeiros e saímos correndo ,
caminhamos mais uns dois quilômetros até entrarmos na mata que estava fria e
cheia de orvalho. Ali no meio da mata andamos em silêncio. A vegetação não era
muito alta . Depois de andarmos uns dois mil metros, saímos em um
descampado, mostrando a serra a serra do do Esmeril. Dali também se podia
ver uma região muito grande com toda aquela floresta ao pé da serra. No lugar
onde passavamos agora era um caminho de pedra que, segundo o povo da
região,era um aqueoduto , ali passava água para a cidade no tempo da
escravidão ou no início do século.

Este caminho de pedra não nos serviu por muito tempo, pois logo após saímos
do mesmo e entramos no meio da mata novamente. atravessamos diversos
riachos e depois de caminhar mais de três quilômetros chegaram ao pé da serra
da Conceição.

gastaram duas horas para subir até o topo da montanha . Ao chegarem lá em


cima estavam tão cansados, que mal tinham pernas para ficarem em pé. alguns
se deitavam no

chão duro de pedra e após descansarem quinze minutos, levantaram-se e


começaram a correr novamente. Sebastião sentou-se no chão como os outros e
começou a contar uma porção de histórias para as crianças.

8
EM BUSCA DA CAVERNA.
9

as história que Sebastião contava, sempre era sobre escravos que haviam
fugido e se embrenhavam no meio da mata. Contou ele que certa vez no
trabalho de mineração de ouro naquela serra, uma turma de escravos cerca de
vinte, fugiram para as matas do rio Doce . tão logo os donos dos escravos
notaram a fuga saíram com um outro bando de escravos a procura dos fugitivos.
Os escravos que fugiram eram comandados por um que havia chegado há pouco
tempo da áfrica e era conhecido dos pais daqueles que se encontravam ali
trabalhando naquela terra , explorando ouro para os ingleses. os fugitivos
desceram até o rio doce e dali fizeram balsas, chegando até o porto de vitória
onde se apoderaram de um navio e fugiram para África.

Naqueles dias as histórias de Sebastião não estavam muito boas, más ele
prometera aos meninos que de outras vezes contaria outras melhores e mais
longas, como já estavam cansados, era chegada à hora de regressar para a
casa. eram quatro horas da tarde, o vento já começava a soprar frio no alto da
montanha . depois de todos terem comido a merenda que haviam trazido deram
início ao retorno da primeira excursão preparativa para a grande marcha à
caverna. a descida da serra era muito íngreme. na volta não tiveram muita
novidade para ver por que ficaram com medo de escurecer no meio do
caminho, por isso voltaram o mais rápido possível.

a volta foi feita praticamente em silêncio por causa do medo horrível de serem
apanhados pela escuridão em plena mata . Ao chegarem no morro da Água
Santa, puderam ver lá no fundo as luzes de lamparina toscamente acesas no
fundo do vale.

Era finda a viagem; a cidade se preparava para nos receber. No chão não
mais cresciam nossas sombras, por que o Sol se declinara todo de trás da
montanha. E Sebastião acompanhando com os olhos o entusiasmo dos meninos
, caia numa longa cisma; como é belo ser criança: quem me dera nascer de
novo; voltar às entranhas do ser para nunca nascer, e sempre esperar pelo dia
do meu nascimento que não seria nunca. como é belo ser o que não somos.
viver-se num mundo que não nos pertence . em um eterno reino de fantasia.
dormir e ... sonhar com tudo aquilo que tínhamos vontade de ser ou fazer. neste
mundo não despontou a vida. mas ele virá um dia, o dia em que todos os

9
EM BUSCA DA CAVERNA.
10

homens da terra se redimirem e buscarem a paz num sorriso de criança, o ser


não vivido; aquele que é a esperança do mundo. assim meditava Sebastião
quando viu que estava chegando à hora de se separarem cada um para sua
casa.

No dia seguinte na cidade todos comentavam o acontecido na véspera.


Sebastião passou, a partir daquele dia, o homem mais conhecido da região.

. uma coisa porém que intrigava a todos, era a origem do líder de todas as
crianças da cidade. sabiam apenas que ele morava numa pensão da cidade;
mas isso não era o suficiente para conhecê-lo. de vez em quando ele sumia
durante três dias , e depois ele voltava assim meio misterioso, sem dar muita
conversa aos outros . como o povo da cidade, dizia que Sebastião era, era meio
místico ,um desses ermitão que vivia isolado no alto das montanhas em
completa meditação, a fim de receber as bênçãos do Céu. Mas na verdade
ninguém sabia aonde ele ia nos dias em que se afastava da cidade . Sabiam
porém que em sua pensão era sempre procurado por alguns dos seus alunos e
muitas vezes ficavam os mesmos conversando na porta horas seguidas, sem se
cansarem. Dos meninos que ele mais recebiavisita, destacavam-se o Barros o
Rufino e o Lobato, que eram meninos de dez a quatorze anos aproximadamente
. o mais interessante é que os pais dessas crianças sabiam perfeitamente quem
eram Sebastião, mas não diziam nada a ninguém sobre sua identificação. as
crianças daquela cidade adoravam a Sebastião como se fosse um pai. Talvez
por causa das inúmeras histórias que contava para todas as crianças da cidade.
Numa temporada de férias , Sebastião conseguiu autorização dos pais das
crianças para fazer um acampamento , uma excursão de dez dias pelas terras
ao redor da cidade. como ele era muito conhecido dos pais gostaram muito da
idéia, já que confiavam nele e assim seus filhos teriam uns dias de
aprendizagem sobre a atividade no campo. a excursão seria d preferência num
alto de serra e bem longe da cidade.

dois dias antes de partirem reuniram-se todos na casa do lobato. era uma
reunião preparatória sobre o local que deveriam ir e o que iriam fazer nesse
acampamento.

10
EM BUSCA DA CAVERNA.
11

Eram já oito horas da noite e os oito garotos estavam ali reunidos à


espera de Sebastião. o local de reunião era o porão da casa cedido pelo pai de
lobato.todas as paredes eram adornadas com figuras geométricas . Enquanto
esperavam seu líder os meninos liam livros de histórias, jogavam damas , ou
simplesmente conversavam. Estavam todos absortos nos folguedos, quando
uma voz falou na porta: -Boa noite. Todos se voltaram para ver de quem se
tratava e sem espanto viram que era seu amigo sorridente como sempre.
alguns pensavam que ele não viria mais. E por que não haveria d vir? Indagou
Sebastião. Estão todos aí? perguntou ele. Sim não faltava ninguém .Mas os
meninos perguntaram a Sebastião porque não tinha convidado todos os
meninos.

Bem vocês compreendem , para fazer uma excursão destas , como é a procura
da caverna, é preciso ter muita experiência e como eu não posso ensinar a
todos ensinarei a vocês e depois vocês ensinarão aos outros.

essas palavras foram ouvidas com muito silêncio pela meninada. É preciso
vocês saber tudo ou quase tudo que eu sei, continuou Sebastião, porque se eu
faltar ou morrer vocês poderão continuar a grande excursão.

o entusiasmo fervia no sangue daquelas sete criaturinhas. Era como uma


varinha mágica que abrisse os seus corações. Todos estavam ardentemente
entusiasmados para aquela excursão de dez dias. Como já eram 21 horas ,
todos foram para a casa descansar um pouco para ás 5 horas da manhã estarem
a porta da casa do Elmo.

Todos saíram com exceção do Elmo que morava ali mesmo naquela casa
e o Sebastião que ficou conversando até meia noite com o sr. Lima, pai do elmo
por afinal dormiu ali mesmo, pois já era muito tarde. Durante a noite ninguém
conseguiu dormir. Nem Sebastião, Nem Elmo, nem os outros meninos, como
contaram no dia seguinte. Não conseguiram dormir por que ficaram pensando
que poderiam perder a viagem do dia seguinte.

• Por isso as quatro e meia, todos se encontravam a porta da casa do


companheiro , pedindo para abri-la pois estava muito frio fora da casa. vocês
já chegaram? perguntou o Elmo.

11
EM BUSCA DA CAVERNA.
12

• Sim, nenhum de nós conseguiu dormir a noite, e só viraram na cama de um


lado para o outro, a espera da hora que não chegava nunca.—comigo
também aconteceu a mesma coisa falou Elmo. não dormi durante um minuto.
e o Sebastião que ficou aqui também não conseguiu dormir.
Neste instante, a mãe de Elmo que foi chegando a porta , convidou-os para
tomar café.

Eram dez minutos, estavam todos prontos, parecíamos verdadeiros soldados


que partiam para a guerra. Cada bagagem que pesavas de oito a dez quilos. Na frente da
turma marchava Lobato, logo atrás o Elmo e em seguida o Viking, que era o menor da
turma , e gostava de ficar no meio. os outros iam desordenadamente.

a madrugada chegava fria. A cerração descia tão baixa que não se


conseguia ver a quinze metros a frente . A cidade ainda dormia e as luzes das
lâmpadas muito fracas davam um tom de penumbra à rua . Mais embaixo corria
o córrego da Água Santa, no seu ruído incessante. E os nossos heróis
marchavam rumo a estação que ficava a uns quatrocentos metros. o caminho
mais curto era atravessando um pasto de gado. acima, a uns 100 metros, já se
ouvia o barulho da máquina que partiria dai a pouco. todos pararam e Sebastião
disse: - como não temos dinheiro para pagar a passagem, cada um de nós
subirá em um vagão de minério, na medida que o trem for saindo. Ficaremos
escondidos aqui, quando a máquina apitar para sair tratem de subir, mas
cuidado para não cair. O Lobato se esconde no primeiro , e os outros
sucessivamente nos seguintes. eu estarei no último vagão e direi para vocês
quando chegar a hora de descer. Muito cuidado, pois deve descer um de cada
vez . Assim fizeram.

Ficaram esperando impacientemente até quando o comboio deu o sinal


de saída. Tudo foi feito como o combinado. Quando já estavam todos alojados
nos seu lugar e, Sebastião foi o último a subir. o trem começara a andar
vagarosamente. Os primeiros balanços mostravam a dureza da viagem de
cinquenta quilômetros. Em cada vagão perto do freio havia um clandestino bem
escondido, que ninguém conseguia ver.Sebastião ao invés de pegar o ultimo
vagão como combinara, ficou ali mesmo junto do Lobato e a toda hora observava
se tudo corria bem nos outros carros, como os garotos . já tinham viajado mais

12
EM BUSCA DA CAVERNA.
13

de 15 quilômetros e o Lobato sempre perguntando : Será que ainda está muito


longe? E o Sebastião respondia com toda a paciência: Calma meu filho, ainda
esta muito longe. Como o trem corria muito e fazia muito barulho, eles tinham de
conversar bem alto, e como cansaram de falar alto, passaram a observar a
paisagem que já se mostrava com as primeiras luzes da manhã . passaram pela
primeira estação onde o trem deu uma parada de cinco minutos . Alguns
passageiros subiram no carro, pois o trem era misto. O Florisvaldo que estava
com a roupa suja e rasgada desceu para ver se havia alguma novidade. Como
um guarda - freio vinha examinar o trem, ele voltou e escondeu-se no mato. daí
a três minutos o trem deu partida e ele correu para pegá-lo.

após viajar meia hora estrada abaixo, o trem passou a margear um riacho que se
desenhava no fundo um abismo de mais de cem metros. ali já aparecia uma
floresta mais densa do que perto da cidade de Esperança. Nesta mesma hora,
Sebastião anunciou que dali a pouco saltariam, que ficassem todos alertas, pois
na próxima curva antes da estação haveria de saltar, sem que ninguém os visse.
Assim foi feito. No lugar marcado, sebastião acenou e foram pulando um de cada
vez . Após descerem, todos saíram para fora da margem da linha subiram um
morro, onde havia uma grande arvore. Ali todos descansaram da viagem e então
passaram a examinar o mapa no qual se orientavam. colocaram o mapa no chão
e começaram a observar distância. Ali se via nova e linda, as terras que
separavam o distrito de Esperança e outros acidentes geográficos. Tudo era tão
bem marcado no mapa, que parecia estar vendo a própria região. no local onde
estavam até onde deveriam ir tinham uma distancia de 35 quilômetros já se ouvia
o barulho da máquina que partiria dai a pouco.- mas 35 quilômetros é muito
longe para andarmos num dia, falou Florisvaldo: Bem o negócio é o seguinte,
não é assim como vocês estão pensando, falou Sebastião. o mapa com todos os
acidentes geográficos marcados, possibilita que avancemos 15 quilometros por
dia. nesses 10 dias percorreremos cerca de 150 quilômetros aqui pelas
montanhas, falou Sebastião mostrando o mapa com uma varinha. devemos
conhecer esta serra muito bem, pois, só assim vocês poderão um dia ser o guia
dos que irão a procura da caverna no alto da montanha. deverão aprender o
bastante sobre a natureza, animal ,vegetal e mineral.- sim , isto é muito bom
para nós, falou a Riqueza, eu que estou no primeiro ano ginasial , já ouvi meu

13
EM BUSCA DA CAVERNA.
14

professor falar sobre a composição dos animais e minerais. o Viking e o Elmo


que são irmãos , farão uma coleção de folhas. enfim cada um colecionara uma
coisa. O certo é que nós temos dez dias para atravessarmos toda esta
montanha. Vamos aproveita-los bem, na esperança de sairmos bem nessa
aventura. Assim ia dizendo Sebastião enquanto descansavam à sombra de uma
grande árvore.

Porém com eles eram em sete, foi preciso dividi-los em dois grupos, um de
quatro e outro de três. Em cada grupo escolheram um monitor. . Sómente este
poderia trazer as opiniões a Sebastião e também levar ordens. Todos foram
obrigados a fazer um juramento ao monitor. Tal juramento era apenas uma coisa
simbólica para que os meninos tivessem conhecimento de disciplina que deveria
existir entre eles para que na hora do perigo,não tivessem medo, pois o
monitor além de tudo era amigo de todos. Enquanto aos outros meninos
recomendou que deveriam obedecer ao monitor em tudo, para que a nossa
expedição saísse em ordem desde o início até o fim.

A nossa saída é daqui a meia hora, vocês podem fazer o que quiserem. tão logo
Sebastião acabou de dizer isso, o Rufino e o Viking, solicitaram para ir até a vila comprar
alguma coisa. compraram algumas rapaduras e farinha que estava faltando. arrumaram tudo
dentro de mochilas e puseram o pé na estrada. eram mais ou menos meio dia. Só não
estava muito quente por ser inverno. Sebastião e mais sete meninos começaram a
caminhada para a grande aventura.

Assim que começaram a andar tiveram que atravessar uma porteira que dava para um
pasto muito grande onde centena de bois pastavam. O caminho que tinham que atravessar
era bem no centro do pasto que era todo verdinho e de ponto em ponto, uma arvore
retorcida, demonstrando a qualidade da terra só servia para criação de gado.

Além do pasto, havia um grande morro, onde a vegetação de gado era um pouco
mais densa. depois de ter cruzado o morro, encontraram um outro pasto até chegarem no
pé de uma grande colina, onde eles resolveram parar pois já eram cerca de 15 horas e
deveriam acampar por ali, senão poderiam não encontrar melhor lugar onde armar
acampamento. todos estavam um pouco cansados. Só o entusiasmo não impedia que eles
continuasses caminhando. Sebastião sendo sabedor de tudo isto, viu que não podia cansar
muito os meninos ou no outro dia seria mais difícil a caminhada. armaram o acampamento

14
EM BUSCA DA CAVERNA.
15

à beira de um riacho de águas límpidas., onde aproveitaram o uso das mesmas para suas
refeições. depois de armado o acampamento, Sebastião e três meninos saíram junto para
reconhecimento do local. enquanto os outro quatros ficaram no campo preparando as
refeições da tarde. o local onde andavam era cheio de moitas de capim. o que causou-lhes
o pressentimento da presença de cobras. Era preciso então maior cautela ao andar ali por
aquelas redondezas. No meio do pasto estava o caminho por onde passariam alguns
viajantes. Tão logo andaram uns quinze minutos ao redor do pasto, avistaram ao longe
uma choupana, que pelas observações deveria morar gente, pois estava saindo fumaça
pela chaminé. como não era muito longe, resolveram ir até lá conversar com o dono da
casa. Quando estavam a uma distância de cem metro da casa, tiveram que passar por
debaixo de uma cerca, por dentro da mesma existia um pomar, plantação que mais se via,
era cana , mandioca e milho. era uma casinha de sapé encostadas a um morro onde ao lado
do mesmo passava uma nascente dágua.

ao redor da casa, tinha alguma plantação de couve e quiabo. e em cercado, havia umas 15
galinhas. distante 50 metros da casa, os cachorros já anunciavam a nossa chegada. Assim
que escutou o latido dos cães o dono da casa veio chegando e dizendo

que podiam entrar. Sebastião tirou o chapéu e foi dizendo : boa tarde, prontamente o foi
respondido pelo camponês. era um senhor de uns trinta anos com uma aparência bem
magra consumida pelo trabalho. o camponês convidou os a entrar e ficaram conversando
até seis horas da tarde. Havia um grande número de crianças na casa, mais de 9 crianças
foram contadas. com as idades de 1 a 15 anos, todos sujos maltrapilhos e esfomeados.

Como não podia ficar conversando por mais tempo saíram e voltaram para o
acampamento, onde a fumaça do fogo já se via de longe. o jantar já estava pronto, e depois
de fazer refeição que constou de carne seca e farinha, foi servido café. a noite todos
sentaram em torno da fogueira para conversarem. depois de falarem sobre s atividades do
dia, os meninos pediram a Sebastião que contasse uma história. não era preciso ser uma
história muito grande, diziam os meninos. Apenas uma história para que eles não
perdessem o costume de ouvir. E assim foi... Sebastião foi pensando sobre -alguma que
servisse para aquela noite, até que se lembrou de uma muito interessante.

A floresta sem nome

15
EM BUSCA DA CAVERNA.
16

A história que vou contar pra vocês hoje, aconteceu há muitos anos, lá pelas bandas
da Europa, no tempo em que havia muitos reis com seus castelos bonitos. Assim que
Sebastião começou a falar, o silêncio reinou no acampamento. Apenas de vez em quando, o
crepitar do fogo abalava como um ruído estrondoso. Sebastião olhou para as estrelas
como que pedindo a elas que o orientassem em sua história, pois elas eram inventadas no
momento de contá-las. Depois de meditar alguns segundos começou a dizer:
Há muitos anos passados, existiu lá na Europa um rei muito rico que tinha muitos filhos.
O seu castelo era no alto de uma colina muito bem protegida com as torres altas onde
guardas passavam de um lado para outro com lança na mão prontos para impedir qualquer
inimigo que entrasse no castelo. Dentro vivia todas as pessoas da família do rei, mais os
escravos de confiança do rei. Do lado de fora do castelo, abaixo da colina, tinha uma
planície muito grande onde era feito as plantações de trigo, arroz e outros vegetais. Ali
também passavam muitos rios de água pura que corriam de uma grande montanha que se
via a grande distância. A época mais bonita era a primavera que enchia de flores todas as
planícies do reino.

a felicidade devia reinar entre eles, se o rei não fosse de coração tão duro como era. Por
qualquer coisa mandava prender os seus escravos , e as vezes, torturá-los até a morte. O
filho mais velho do rei tinha sete anos e o mais novo cinco anos. A rainha, isto é a esposa
do rei, ela tinha um coração que era uma doçura para com todos de seu reino. Muitas
vezes ela interferia junto ao rei para que o mesmo não praticasse tanta maldade com os
outros.

Todas as noites ela sentava a beira da cama com seus filhos menores e ficava
contando as mais belas histórias de fadas e dragões que eles ouviam até dormir.

Na época que havia festa no palácio, era o tempo que o rei fazia as maiores perversidades
com os seus semelhantes. Deixando-os sem comida, só porque, alguns dos empregados
deixavam cair um dos pratos no chão ou então quando esqueciam de trazer o café no
momento em que ele gritasse para traze-lo. Muitas vezes ele mandava prender seus filhos
no calabouço existente no subterrâneo do castelo. Quando fazia isto a mãe que era muito
boa , ficava chorando o tempo todo na porta do calabouço pedindo para que soltassem
seus filhos.

Muito dos filhos do rei queriam abandonar o palácio e morar muito longe por
causa da maldade do pai só não faziam para não deixar sua mãe sozinha junto

16
EM BUSCA DA CAVERNA.
17

ao rei. Certa vez ele mandou prender o menino de cinco anos no calabouço
porque o mesmo tinha protegido um dos escravos dando-lhe um pouco de
comida quando se encontrava preso no calabouço do castelo. O próprio rei
pegou o menino pelo braço, mandou que abrissem a porta e jogou-o com toda a
força lá dentro. Foi em vão o pedido da mãe e de todo o povo do palácio que
gostava muito daquele menino por ser o mais novo e mais bonito e inteligente
dos irmãos. Naquele dia até os guardas do palácio ficaram muito tristes com o
acontecido. Ninguém tinha coragem de reclamar , pois que se assim o fizessem
o rei seria capaz de mandá-los matar. Muitos dos empregados, chegaram a
oferecer para ficar preso ficar no lugar do menino. Outros por sua vez ,
ficaram sem comer com pena do menino que ficava lá preso sem comer,sem
beber, quando então apareceu à porta do palácio , uma bruxa feiticeira que
gostava de fazer o bem para os outros , embora não tivesse uma aparência
muito boa fisicamente, demonstrava possuir um bom coração.Quando os
guardas viram-na se aproximar, começaram a atirar paus e pedras em cima dela,
mas de nada adiantava, porque assim que os paus e pedras batiam em cima
dela, pegavam fogo e desapareciam como que por encanto. Quando ela se
aproximou da porta do palácio, disse que queria entrar para falar com o rei.
Então eles levaram notícias até sua majestade, dizendo que uma bruxa feiticeira
queria falar-lhe . Quando contaram ao rei do acontecido na porta do palácio,
dos paus e pedras que desapareciam ao tocar o seu corpo, o rei pensando
tratar-se de uma bruxa má , mandou que ela entrasse . O palácio era muito
bonito por dentro e a medida que a bruxa foi entrando , admirava todas as
coisas nos mínimos detalhes. O povo da palácio se afastava para que ela
pudesse passar, sem encostar em ninguém. Imediatamente levaram a noticia até
a rainha de que uma bruxa feiticeira estava chegando ao palácio para falar com
o rei. A rainha, porém, não teve medo, pois sabia tratar-se de uma fada
encantada que estava com disfarce de bruxa até o dia que uma criança com
menos de sete anos beijasse-lhes no rosto com todo o amor filial. A rainha sabia
de tudo isto segundo uma história que sua mãe lhe contara. porque essa bruxa
viveu no mundo do tempo da sua bisavó e tinha sido enfeitiçada pela avó do rei
daquele palácio, . a bruxa foi entrando no palácio devagarinho até chegar na
presença do rei. Quando chegou a presença do rei ele sentiu um verdadeiro

17
EM BUSCA DA CAVERNA.
18

arrepio no corpo, tal era a feiura da bruxa , mas como ele queria fazer maldade,
pensando também que a bruxa era tão má quanto ele, agüentou firme a
presença daquela criatura horrível. Ela tinha o nariz rebitado para cima , sua
roupa era preta , os cabelos compridos e vinha montada em cima de uma
vassoura. Ela abaixou a cabeça até o chão , pois era assim que o rei gostava de
ser saudado pelas pessoas que chegavam de fora pela primeira vez. depois de
toda a saudação o rei mandou que ela ficasse sentada a uma distância de cinco
metros para que eles pudessem conversar . E assim a bruxa obedeceu
enquanto o rei ia lhe dizendo o que queria dela. contou-lhe que um dos meninos
estava preso e queria que ela fosse até o calabouço e lançasse uma praga no
menino transformando em uma coisa bem feia para que sua mãe não viesse
mais a gostar dele. É uma maneira de me vingar dela que vive achando ruim
comigo quando eu prendo os meus filhos no calabouço. A bruxa não disse
nada ao rei sobre a sua missão naquele palácio; pois ela não era uma bruxa má
como o rei pensava. Ela tinha vindo ali porque ouvira do seu bosque escondido
na floresta onde vive,o choro da mãe e do menino que havia sido preso no
calabouço do castelo. Como era uma fada encantada com aspecto de bruxa ela
tinha o poder de ouvir tudo o que quisesse, por maior que fosse a distância. e
por isso ela ouviu primeiro o choro do menino de cinco anos que estava preso.
Ela sempre vivia procurando ouvir toda e qualquer tristeza de criança a fim de
que pudesse fazer com que as mesmas parassem de chorar e sorrissem.

Então o rei perguntou-lhe : - você está disposta a fazer tudo aquilo que lhe
ordenei? ao que a bruxa respondeu:- sim senhor rei, tudo o que falaste comigo
será feito de acordo com tua vontade. Farei isto e muito mais que o senhor
precisar de mim. É só ordenar e imediatamente será feito. Gosto muito de
obedecer aos reis. Quando a bruxa ia dizendo estas palavras , baixinho ela
dizia para consigo mesma: nunca, nunca,nunca só quero salvar esta criança das
mãos deste rei malvado. E foi se afastando em direção ao calabouço onde se
encontrava a criança. Quando ela começou a descer voltou-se ao rei e disse ao
rei que sua magia só funcionaria a noite. Mas na verdade ela só queria ganhar
tempo para agir dentro do palácio. Enviando à mãe do menino uma mensagem
dizendo que ela na verdade não era a bruxa. como a rainha já sabia de toda a
história da fada encantada que estava transformada em bruxa , não ficou muito

18
EM BUSCA DA CAVERNA.
19

triste ao saber que a mesma se dirigia para o subterrâneo do palácio. Mas o


resto do povo do palácio ficou só dizendo que a mãe do menino também não
tinha coração. Imagina, como pode deixar que aquela bruxa transformasse o
menino numa praga. Depois de ouvir toda aquela exclamação a mãe respondia
que a bruxa não era tão má assim e que ela não ia fazer nenhum mal a seu
filho.
Chegara a tardinha, o rei estava ansioso para ver a sua vingança
sobre a sua esposa, a toda hora ele perguntava a bruxa se já podia começar a
trabalhar , a bruxa em um canto do palácio respondia dizendo que durante a
noite tudo seria feito. E assim quando já estava bem escuro ela se dirigiu para
o subterrâneo do castelo onde se encontrava o menino preso. Ao chegar lá o
carcereiro que sabia de tudo abriu a porta e falou com o menino que estava
preso que tinha visita para ele. O menino que durante dois dias não comia
nenhuma comida, só bebia água que o carcereiro dava escondido para o rei não
saber. O subterrâneo onde se encontrava aquela criança estava completamente
escuro e úmido e assim que o menino viu a porta se abrir , pensou que ia ser
libertado, começando a chorar com fome . Mas quando viu que aquela bruxa feia
também tinha ficado ali dentro com ele, sentiu mais medo e por isso começou a
chorar ainda mais ... ogo atrás da velha bruxa, o carcereiro fechou a porta
deixando a prisão totalmente escura. Com a porta fechada o menino não mais
viu o rosto da bruxa e sim sua voz que parecia tão diferente do que ele
imaginara. Ai então ela começara a falar -lhe com toda doçura de mãe para
filho : - você ainda tem medo de mim ? perguntou-lhe a voz encantada.- sim,
respondeu o menino. -pois pode ficar completamente despreocupado que eu
não vou lhe fazer mal algum. Eu não sou uma bruxa como você está pensando...
eu sou uma fada encantada que foi amaldiçoada há muitos anos e agora vim
aqui para libertá-lo desta prisão. Quero também libertar o seu pai desse rancor
que ele tem em seu coração que foi causado também por uma praga lançada
sobre ele há muitos anos por uma bruxa muito má.
Enquanto ela ia contando isso ao menino o mesmo ia tomando mais
confiança nela . Mas com tudo isso a fada não contou de seu encantamento
que poderia ser desfeito se uma criança de cinco anos lhe beijasse a face com
todo o amor filial. Se ela contasse perderia a efeito . Seria preciso que a criança

19
EM BUSCA DA CAVERNA.
20

lhe beijasse no rosto por sua livre e espontânea vontade . E assim ficaram os
dois conversando durante mais de duas horas, até que tinha ficado bem escuro.
o menino pediu que a bruxa o levantasse um pouco para que ele pudesse ver
estrelas. A bruxa pegou o menino pela cintura, levantou ate o parapeito onde
se encontrava as grades da prisão e dali o menino pode ver as estrelas. Os
seus olhos perscrutaram todo o horizonte a procura de uma estrela bonita,
quando viu cintilando no céu uma bem grande, falou bem alto: - óh minha
estrela amiga, ajude-me a sair deste castelo para que eu possa fazer com que o
coração de meu pai não seja tão ruim assim. Ajude-me minha estrela você é
minha única esperança . Enquanto o menino ia dizendo estas coisas, a ‘bruxa’
pode constatar a bondade em seu coração. Quando já estava bem cansado
pediu a fada para desce-lo, o que ela fez com todo o cuidado para que ele não
se machucasse. quando já se encontrava no chão agradeceu a fada e deu-lhe
um beijo na testa dizendo: - muito obrigado por tudo, você é a pessoa mais
bonita que eu já vi em toda minha vida. No momento exato em que o menino
acabara de pronunciar estas palavras e dar lhe um beijo no rosto, um estrondo
muito grande se deu ali dentro da prisão e uma luz muito clara, começou a
iluminar ao redor da fada que havia se transformado de bruxa em fada. Foi o
milagre do beijo da criança. A praga que havia sido lançada sobre ela há mais
de quinhentos anos, tinha desaparecido para sempre. As sentinelas do palácio
ouviram o barulho e vieram correndo até a prisão. uando chegaram lá a fada e o
menino estavam deitados fingindo que estavam dormindo . Do lado de fora da
prisão ninguém podia ver a luz que estava ao redor da fada , Só o menino podia
ver . Como ninguém conseguiu descobrir o que havia acontecido, ficaram todos
apavorados e até mesmo o rei ficou com medo.
Dentro da prisão o menino se encontra deitado nos braços da fada que estava contando
toda a história de sua longa vida. falou-lhe da praga que avia sido lançada sobre ela e a
maneira como a mesma poderia desaparecer. e agora, dizia a fada- vou poder fazer o que
você quiser.- qual é o seu maior desejo? perguntou-lhe a fada.- o meu maior desejo é estar
perto de minha mãe e depois gostaria que meu pai não fosse tão ruim como tem sido para
todos nós. - Todos os seus desejos serão realizados, porém, devemos faze-los de tal
maneira que o rei não descubra que eu estou protegendo você. - Esta bom assim?
perguntou-lhe a fada- claro que sim, concordou o menino. era preciso traçar os planos para

20
EM BUSCA DA CAVERNA.
21

que tudo fosse feito naquela noite. quando amanhecesse o dia tudo já deveria estar
completamente transformado, ele iria viver feliz junto d sua mãe e o coração de seu pai
deixaria de ser perverso como era. - mas como fazer? perguntou-lhe o menino.—você
ficará dormindo até que eu possa com minha varinha mágica que tem poder para fazer
tudo aquilo que eu deseje , transportar você e depois a seu pai para minha floresta sem
nome. atendendo o pedido da boa fada, o menino e deitou se no chão e fechou os olhos ,
esperando que ela lhe tocasse com a varinha de condão. Era tão bonita aquela fada que
dava gosto viver sempre ao lado dela. Ela era de uma altura de um metro e meio, o corpo
muito bonito, a cinturinha fina, sua roupa era branca como a cor das nuvens e bordada
com fios de ouro e prata. na sua cintura havia um cinto muito largo que era de um ouro
tão brilhante que chegava a doer nos olhos da gente. Os seus cabelos eram muito longos e
bonitos, chegava quase a altura das pernas.

O menino já estava deitado no chão a espera da fada que ia transportá-lo


à floresta sem nome. Então o menino perguntou : “porque floresta sem nome ? e a fada
respondeu “ - por que é você que dará o nome a ela .”. a fada pegou sua varinha mágica e
começou a tocar sobre a testa do menino e pronunciando as palavras:- menino, filho de rei
preso no calabouço junto comigo, durma um sono profundo que vou levá-lo a floresta
encantada , onde ninguém de fora tem permissão para entrar . só pode entrar nela quem
souber da porta secreta, e esta porta secreta, só eu sei onde ela se encontra, e só eu posso
permitir, que as pessoas entre em seu interior, como eu vou fazer com você. Quando a
fada acabava de dizer estas , o menino estava dormindo um sono profundo. Então a fada
fez um sinal com sua vara mágica e abriu um buraco muito grande na parede do castelo.
Por aquela passagem puderam sair a fada e o menino. Eles saíram voando, bastava que ela
tocasse o menino com sua varinha mágica e ele voava junto com ela. Voaram muito alto,
quase junto das estrelas. depois desceram em uma floresta muito escura. A floresta era a
morada da fada. Ali era cheio de animais, mas todos eles eram animais mansos que a fada
criava para que eles brincassem com todos os meninos que ela levasse lá. Assim que
chegou lá , acordou-o dizendo que ele já se encontrava no meio da floresta sem nome, e
que ele agora deveria ficar ali enquanto ela voltaria até a palácio e procuraria trazer o rei
também.

a fada desapareceu imediatamente. o menino ficou deitado debaixo de uma


grande arvore . A floresta era toda diferente das que ele já tinha visto. Os

21
EM BUSCA DA CAVERNA.
22

animais que habitavam aquela floresta eram todos muito bonitos e o mais
interessante era que eles falavam a língua do menino. Estava ele nesta
observação , quando de repente ouviu um ruído interrompido por outro mais forte
e mais grosso que parecia a voz de uma vaca. Quando olhou para o lado, viu
que todas as folhas das arvores estavam viradas para o lado dele como que
observando aquela criatura filho de homem. E todas saudavam o
menino,desejando-lhe muitas felicidades. Algumas plantas perguntavam a ele de
onde ele tinha vindo, ao que ele respondia ser filho de um rei muito ruim e
estava ali porque a fada dona daquele bosque o havia trazido em um sono
muito profundo. As árvores mais velhas diziam que de vez em quando a fada
trazia até aquele bosque uma criança que se encontrava triste no reino do
mundo . Diziam também para o menino que ele podia ficar sossegado que nada
de ruim lhe aconteceria, e que todas a árvores estavam felizes com a sua
chegada.
depois de ouvir as palavras das árvores, menino se lembrou que não comia
há dois dias, e então falou com uma das arvores mais velhas :- a senhora podia
me arrumar um pouco de comida? - que eu não como nada ha dois dias ? -
estou com uma fome danada:- a árvore mais velha respondeu-lhe imediatamente
: claro que posso. Se você tivesse falado há mais tempo já teria mandado trazer.
E em seguida mandou que as outras árvores levassem ao menino as melhores
frutas daquela floresta. E uma das arvorezinhas que pareciam filhas das
grandes, veio até onde se encontrava o menino e lhe entregou umas frutas
muito gostosas. algumas das meninas árvores , ficaram até gostando dele por
que ele era muito bonito e simpático. Uma delas não saiu mais de seu lado e a
toda hora ficava perguntando-lhe , se não queria mais frutas. depois quando já
estava satisfeito e não tinha mais fome, veio uma comissão de árvores, cerca de
duzentas delas, cada uma de uma espécie diferente. era uma reunião de árvores
que habitavam um vale que se encontrava muito próximo dali e vinham lhe trazer
boas vindas , dizendo-lhes que naquela noite seguinte daria uma grande festa
em sua homenagem.o menino ficou muito contente , mas ficou pensando na sua
mãe que deveria estar esperando por ele em casa pensava na volta da fada que
deveria trazer seu pai à floresta encantada para que seu coração deixasse de
ser tão ruim como era. as árvores estavam ouvindo a voz do menino e iam

22
EM BUSCA DA CAVERNA.
23

abanando as folhas como quem estivesse dizendo alguma coisa. . Quando ele
acabou de falar, elas responderam que a fada não voltaria senão dentro três
dias , pois ela já sabiam do caso de seu pai e era bem difícil convencer o rei
tirar alguma maldade em seu coração. De nada adiantaria tentar modificar o
coração do rei. Pois ele também era vítima de feitiçaria de uma bruxa muito
cruel. E as árvores iam contando tudo sobre a sua vida e a vida do rei no
palácio . O menino ficava espantado como as árvores sabiam de tudo. E elas
diziam para ele que as verdadeiras arvores se transformarão em fadas. Então
quer dizer que as fadas são transformações de árvores? perguntou o menino. E
elas responderam: - sim nós somos transformadas em fadas quando atingimos a
idade de quinhentos anos. Depois de vivermos todo este tempo, produzindo
frutos e flores para todas as crianças que são trazidas para aqui; a nossa rainha
nos transforma em fada e nós passamos a andar pelo mundo fazendo o bem e a
justiça para todos os que precisam delas. portanto meu filho, não tenha medo,
nós estamos aqui para fazer tudo para a sua felicidade, amanhã à noite
daremos uma grande homenagem a você que hoje nos visita. O menino ia
ouvindo as palavras das árvores e sentia realmente que estava feliz , Por ser
ele o primeiro menino do palácio que estava no bosque encantado das árvores,
tendo para sua companhia uma arvorezinha que o acompanhava por todos os
lugares para onde ia. depois de ouvir todas as conversas das árvores, elas se
retiraram lembrando-lhe da festa da noite seguinte, agora ele devia dormir até
quando o dia clareasse.
enquanto isso a fada que tinha se dirigido a seu castelo, tinha encontrado muita dificuldade,
pois o rei descobriu que o menino havia desaparecido e ele queria por a culpa nos guardas
por não terem vigiado direito a porta da prisão. estava uma verdadeira confusão no palácio.
Todos corriam de um lado para o outro como um bando de loucos a procura do menino
que havia desaparecido. Ninguém tinha explicação para o buraco que aparecera na
parede da prisão. Apenas supunham que o pequeno prisioneiro havia fugido por ali. Mas
com toda aquela altura como poderia ter saído sem se machucar? - era a pergunta que
todos faziam aflitos, principalmente a mãe do menino. Quando ela se encontrava chorando
em seu quarto debruçada sobre o travesseiro que já estava todo molhado em lágrimas, a
fada entrou no seu quarto sem ser notada pela mãe do menino , ela apenas sentiu que havia
outra pessoa dentro do quarto mas não podia ver ninguém, a fada que se encontrava

23
EM BUSCA DA CAVERNA.
24

invisível foi aparecendo aos poucos na sua presença. a princípio, apenas uma luz amarela
foi enchendo o quarto e em seguida a luz tomou forma de uma pessoa que logo pode ser
identificada pela mãe do menino como sendo a fada. a rainha foi tomada de um grande
susto, mas como a boa fada começou a falar-lhe com brandura, ela começou a se acalmar.
Então a fada disse para a mãe do menino.- não tenha medo que eu só vim fazer-lhe o bem .
- Não precisa ficar chorando, o seu filho se encontra em um lugar muito seguro na minha
floresta sem nome. Eu vim aqui porque ele me pediu que fizesse todo o possível para que o
coração de seu pai não fosse mais tão ruim como tem sido até agora. Ao ouvir aquela voz
mansa da fada a mãe do menino parou de chorar e perguntou como ele estava, se estava
com fome, se tinha chorado muito e se estava gostando do lugar para onde tinha sido
levado. A fada respondeu que ele se encontrava muito bem protegido no meio de uma
floresta sem nome onde era tratado com muito carinho pelas árvores mais novas que lhe
traziam para comer muitas frutas e que lhe contavam muitas histórias.

como a mãe ficara calma diante da notícia do filho, a fada lhe disse que para terminar a
missão , era preciso levar o rei até a floresta encantada, a fim de que pudesse assistir na
noite do dia seguinte a festa da dança das árvores. Pois só assim, o coração do rei se
amoleceria e ele voltaria a ser bom como antes de ser lançado sobre ele a praga da bruxa
má . A mãe concordou que deveria levá-lo, mas como poderia faze-lo? - se o rei não
aceitava ordens de ninguém e se encontrava muito furioso pela fuga do menino? durante
algum tempo ficaram as duas pensando o que deveria ser feito. a fada que era muito boa,
pediu a mãe que também desse alguma opinião sobre a retirada do rei do palácio e levá-lo
até a floresta encantada. as duas ficaram conversando até quando a luz do sol já se punha
do lado de fora. parece que naquele dia o sol veio mais feliz por saber que o menino se
encontrava a salvo, e em breve o coração do rei se transformaria, desaparecendo feitiçaria.
a notícia do menino não havia sido dada a todos mas apenas as pessoas mais chegadas da
rainha . o rei nem por sombra deveria saber onde ele se encontrava, senão ficaria mais
furioso ainda. depois de pensarem muito , a fada disse:- óh .. para que a bruxaria de seu
marido desapareça, é preciso que o mesmo seja levado à floresta antes do anoitece. então
a rainha disse que tinha uma idéia. na hora que o rei fosse almoçar, devia ser colocado em
sua comida, um pózinho que fizesse com que lhe dormisse bastante , assim a fada poderia
levá-lo à florestasem nome. essa idéia foi bem aceita pela fada que disse trazer com ela um
pó que serviria bem para o caso. então tudo ficou combinado para que na hora do almoço
não se esquecesses do que haviam combinado

24
EM BUSCA DA CAVERNA.
25

Naquele dia , o almoço fora servido fora da hora que seria o normal, devido a
confusão que reinava no castelo. aqueles que ainda não tinham tido ainda a noticia do
menino., encontravam-se bem tristes, pensando que havia lhe acontecido alguma coisa de
mal, e essas pessoas eram bem poucas que sabiam, por que a fada pedira a rainha que só
contasse esse segredo aos que fossem de muita confiança dela . caso contrário o rei
acabaria descobrindo e colocaria todo o plano em ruína. a cara do rei não se encontrava
muito triste como os outros, mas nos seus olhos saiam chispas de fogo, demonstrando o
ódio que ia em seu coração.

Na hora do almoço, a fada já tinha dado a rainha , o pó mágico que haveria de fazer o rei
dormir até as seis horas da tarde, antes do sol entrar. o mais interessante é que a fada não
aparecia para todos no palácio, e sim para a rainha somente . muitas vezes ela andava ao
lado da rainha conversando com a mesma sem que ninguém soubesse . esse era um dos
segredos das fadas , de ficar invisível para quem elas quisessem.

A rainha foi a cozinha e entregou o pó a um dos empregados de confiança para que


colocasse na comida do rei no momento em que fosse servido. todos estavam sentados à
mesa, muito já tinham comido, quando o rei começou a sentir uma dor de cabeça e dai a
pouco caiu em sono profundo na própria sala de refeições. imediatamente foi transportado
para a sua cama, por que ele estava apenas dormindo como foi constatado pelos médicos
do palácio. a rainha sabendo de tudo mandou que dois guardas ficassem a porta de seu
quarto e que não deixassem ninguém entrar até o dia seguinte. o rei dormia um sono
profundo, ninguém tinha coragem de acordá-lo. afinal se ele fazia tanta maldade com os
outros, por que acordá-lo então? seria melhor para todos que ele continuasse dormindo por
muito tempo ainda. dentro do quarto junto com o rei se encontrava apenas a boa fada.,
invisível, tomando conta dele para que nada de ruim lhe acontecesse. às seis horas em
ponto, o rei seria levado para a floresta encantada onde se daria toda a transformação.

como a rainha viu que parte do plano já estava pronto e que dali a pouco a fada havia de
levá-lo para bem longe dali; ela começou a dizer a todo mundo que no dia seguinte o rei se
levantaria completamente transformado e não seria mais tão ruim como fora até então.
mas ninguém acreditava no que ela dizia. pois como? se durante muito tempo ele tinha
sido o pior rei existente em toda a região. mas ela continuava a dizer : - esperem até
amanhã que vocês verão o que há de acontecer. infelizmente não posso dizer-lhes de que
maneira isto irá acontecer, basta esperar o raia do sol do dia seguinte.

25
EM BUSCA DA CAVERNA.
26

enquanto toda s confusão reinava dentro do palácio com o sono misterioso do rei, dentro
do quarto a fada via que estava na hora de levá-lo para o local onde haveria de se dar a
grande mudança em sua vida. assim que ela viu que o sol já estava declinando, lançou sua
varinha mágica sobre o corpo do rei e foi dizendo as palavras - rei, rei, rei, vamos passear,
bem devagarinho para você não acordar. e os dois começaram a voar. saíram pela janela,
tendo a fada com sua varinha sobre o corpo do rei para que ele não caísse, e foram voando
até sumir. voaram até pertinho do sol. depois desceram. quando chegaram na floresta
encantada, o sol desapareceu. a fada colocou o rei no meio de uma clareira onde ele ficou
dormindo até escurecer. naquela noite a luz da lua saiu muito mais bonita do que nas
noites anteriores . dai a pouco o rei começou a acordar . e como viu aquela grande
quantidade de arvores ao seu lado, pensou que estava sonhando. como já estava quase na
hora da festa começar em homenagem ao menino, algumas dar árvores vieram trazer
comida e água ao rei. quando ele viu uma arvore lhe oferecendo comida e água, pensou
que estivesse louco ou que estava tendo um pesadelo . algumas delas para fazerem mais
medo ainda ao rei diziam com aquela voz rouca:- boa noite sua majestade. e todas elas se
curvavam diante dele, colocando os seus galhos no chão. mesmo com todo o medo que
sentia, ele comeu a comida que lhe era oferecido, pois dentro em breve pensava que iria
acordar. enquanto isso o menino do alto de uma grande árvore, observava tudo o que
acontecia com seu pai. a lua já se encontrava bem no alto mais ou menos meia noite, era
hora de iniciar a grande dança de árvores.

O rei que se encontrava deitado, pensando que estivesse sonhando,


levantara de medo quando viu as árvores se moverem ao lado dele e dizerem com sua
voz rouca:- agora nós vamos iniciar a grande festa em homenagem ao filho do rei que
se encontra aqui junto de nós. quando o rei viu falar sobre seu filho , que ele estava ali,
sentiu desmaiar de remorso pelo que tinha feito ao pequeno e notou que tudo aquilo
não era sonho, e sim realidade . a festa começou , era um barulho infernal, no meio da
mata. todas a árvores cantavam e dançavam ao lado do rei . ele se contorcia de grande
medo que havia se apoderado do mesmo . queria gritar, mas não tinha forças para
isso.depois de ver desfilar diante dele quase todas as espécies de plantas da floresta sem
nome, ele ouviu uma voz que dizia assim:- senhor rei , se quiser ver seu filho de cinco
anos que você mandou prender dentro da prisão , será preciso você fazer um juramento
a todas essas árvores que estão aqui, e ele imediatamente aparecerá a seu lado. você
concorda com isto? respondeu o rei .- claro que sim , eu não sabia por que fazia toda

26
EM BUSCA DA CAVERNA.
27

essa maldade. eu estava enfeitiçado. perdoe-me árvore, mãe de todas as arvores, eu juro
como nunca mais farei maldade com mais ninguém deste mundo. assim que o rei acabou
de pronunciar essas palavras, o seu filho que estava vendo e ouvindo tudo lá do alto de
uma grande figueira , desceu e chegou perto de seu pai beijando-o dos pés a cabeça. e o
rei dizia:- perdoe-me meu filho por tudo que fiz a você. e o menino respondeu:- o
senhor sempre esteve perdoado meu pai, eu sabia que o senhor não era tão mau assim ,
apenas o feitiço que foi lançado há muitos anos sobre sua pessoa é que fazia isto, de
agora em diante será tudo diferente, falou o rei, toda a minha fortuna será colocada a
disposição dos pobres para que possa fazer do meu reino o paraíso das crianças.
enquanto o rei estava dizendo essas coisas, as árvores pararam de cantar e dançar para
poderem ouvir direito o que ele dizia., ao seu filho,.estavam nesta conversa quando o
menino pediu ao pai para este ir chamar uma pessoa muito amiga que estava também ali
por perto. o menino saiu dali a pouco voltou com a fada. ela estava iluminada com a luz
branca da lua e trazia em sua cabeça uma coroa de luz. então o menino explicou como
que tinha acontecido tudo aquilo, que a fada tinha sido sua protetora durante todo
aquele tempo que se encontrava fora de casa. o rei agradeceu muito a fada e pediu-lhe
desculpas por tudo o que acontecera. o rei agradeceu muito a fada e como ela era muito
boa, disse que não era nada, pois a sua missão na terra era fazer todo o povo feliz, desde
as crianças até mesmo os reis e rainhas.

Estavam os três conversando, quando as arvores pediram licença para continuar a


festa em homenagem a todas as crianças do mundo. e a festa continuou, agora com
muito mais alegria, pois o rei com seu filho e a fada se encontravam sentados
assistindo a grande festa que continuou até o raiar do dia. todas as árvores dançaram
desfilando diante deles. o rei e o menino ainda estavam surpresos pois pensavam que as
árvores eram imóveis, como eles as tinham visto em outros locais. o rei também ficou
muito contente com a festa e pediu a fada que o levasse para casa, pois ele já estava
sentindo saudade de todos seu reino.

Antes que ele partisse a fada falou com o menino:- meu filho, o que acabou
de ver , foi um privilégio que não poderá mais ser repetido, mas se você quiser ver as
árvores dançar não precisa vir até aqui, quando você estiver com outros meninos
brincando em qualquer bosque ou floresta, não se preocupe, este espetáculo você
tornará a ver. basta que você queira e tenha bondade em seu coração e todas as árvores

27
EM BUSCA DA CAVERNA.
28

dançarão. - adeus meu filho, adeus meu querido rei. e dizendo isso, pediu aos dois que
fechassem os olhos pois tão logo eles tornasses a abri-los, já estariam deitados na cama
do palácio . imediatamente obedeceram e quando tornaram a abrir os olhos os dois
estavam deitados na cama onde o rei havia se deitado no dia anterior.

Eram seis horas da manhã , já estava quase na hora do sol nascer, quando foram
lá chamar o rei pensando que ele ainda estava com aquele mau humor do dia anterior.
mas verificaram com grande surpresa que estavam todos enganados, pois o rei recebeu-
os muito bem e pediu perdão a todos por tudo que tinha feito de mal a eles, desde a
rainha, sua esposa, até seus empregados e escravos. os outros filhos do rei vieram para
junto dele e a partir daquele dia o rei começou a contar-lhes muitas histórias todas as
noites. desde aquele dia a vida naquele castelo modificou - se completamente. e os
meninos cresceram e viveram o resto de sua infância felizes até tornarem-se adultos.

naquela noite após contar a história da dança das árvores, o silêncio desceu sobre o
acampamento. não se ouvia mais o crepitar do fogo, todos dormiam a sono solto.
apenas permanecia acordado, sebastião, que ainda não tinha sono. era interessante a
maneira como eles deixavam o acampamento durante a noite, sem a menor vigilância
por parte dos garotos ou mesmo por parte de sebastião que nunca dormia nas barracas
como faziam os meninos. o seu lugar de dormir era sempre no alto de uma colina ou no
pé de uma grande árvore. a única proteção que tinha era deixar a fogueira acesa à noite
toda para afugentar algum animal selvagem. de duas em duas horas um deles se
levantava e vinha colocar mais lenha no fogo para que ele ficasse acesso até o dia
seguinte, era a única preocupação dos meninos.

Sebastião que nunca dormia no acampamento, subia no alto de uma


colina existente perto do acampamento logo após verificar que os garotos já estavam
acomodados em suas barracas. ali chegando, fez a sua prece como de costume e ficou
admirando as estrelas que brilhavam no infinito e era esta a única maneira dele
conseguir toda a resistência necessária para a caminhada através do campo. apesar de
sebastião se afastar do acampamento, nenhum dos meninos sabia o que ele fazia lá em
cima e nem mesmo onde ele dormia. depois de fazer os exercícios dirigiu-se até uma
árvore, subiu a sua copa e procurou se acomodar em uma rede que havia colocado ali
para esse fim. cobriu-se com dois cobertores e dormiu durante cinco horas seguidas,.
quando deu o sinal de amanhecer o dia, sebastião saiu e foi para o alto da colina onde

28
EM BUSCA DA CAVERNA.
29

ficou mirando o sol nascente até a hora que o mesmo saiu. até hoje nenhum dos meninos
conseguiu ver como ele consegue ficar tanto tempo mirando as luzes do sol sem se
pestanejar. muitas vezes os meninos viam-no naquela altitude de silêncio e
contemplação, e não tinham o mínimo de coragem de fazer o menor comentário a
respeito. apenas olhavam distraidamente para onde ele se encontrava. aquilo era o
suficiente para que demonstrassem o máximo de confiança em seu mestre.

o desfile dos mortos

no dia seguinte , tudo aconteceu como se o mundo fosse novo, não foi feito o menor
comentário sobre o dia anterior e cada um cumpria a sua obrigação em relação ao
campo. naquela manhã o orvalho subia como fumaça tornando branco todo o vale,
quando as luzes do sol batiam nas sua gotas de orvalho, resplandeciam em verdadeiro
arco íris. à sombra da floresta, uma aragem fria chegava a cortar os ossos da gente . e
mesmo com todo esse frio, os meninos tiveram coragem para um banho no riacho.. o
único que estava com medo era o viking que pedia sempre ao sebastião que segurasse a
sua mão com medo i ir para o fundo, ou ser arrastado pela correnteza. após banho,
todo se entreteram o estômago com uma água doce de rapadura e um pouco de farinha
que ainda sobrava dos outros dias . estavam ele ainda tomando a sua refeição matinal
quando viram ao longe uma porção de urubus que voavam em todas as direções numa
distância bem longe do acampamento . logo imaginaram uma série de coisas. um dizia
que era um boi morto, outro falava que talvez fosse um matadouro que havia ali pois
nas cidades do interior os matadouros são longe das ruas para afastar o mau cheiro. e
ainda tinha alguns que pensavam na possibilidade de haver alguma pessoa morta ali. uma
interrogação pairou nos olhos de todos. tudo para ele era motivo de expectativa, afinal
estavam em contato com a natureza em todo seu esplendor . sebastião disse que a
melhor maneira de descobrirem era ir ate o local e verificar o que realmente estava
acontecendo.

ficou combinado que dois companheiros deviam ficar tomando conta do acampamento,
enquanto sebastião e os outros garotos iam até o local para averiguarem o que tinha
acontecido. sebastião mais cinco garotos partiram radiantes de felicidade para
descobrirem todo aquele mistério. afinal eles iam ter a primeira aventura no campo. a
distância que tinham de vencer era de mais ou menos de cinco ou seis quilômetros. e o
caminho era todo emaranhado em volta do ria que em determinadas curvas sua

29
EM BUSCA DA CAVERNA.
30

correnteza era mais forte fazendo com que os meninos sentissem medo. a vegetação era
rasteira por todo aquele caminho. apenas arbustos retorcidos e de ponto em ponto uma
árvore servindo de abrigo e sombra para o gado na época da seca. a medida que
avançavam, em todas as direções avistavam urubus que esvoaçavam em volta do local
para onde se dirigiam. ao subir um pequeno morro, puderam vislumbrar o quadro mais
dantesco que até hoje puderam ver em sua vidas. havia caído ali um avião muito grande,
que perdera sua rota e todos os passageiros e tripulantes estavam mortos. era um mau
cheiro horrível que exalava a mais de duzentos metros.- todos mortos. foi a expressão
que saia da boca de todos.- como podia ter acontecido uma coisa dessas sem que nós
tivéssemos ouvido o barulho? perguntou sebastião. mas os meninos que são inteligentes
viram logo que aquele desastre de avião já tinha sido há dois dias, em virtude do estado
de decomposição dos cadáveres. vejam como os urubus estão estraçalhando os corpos.
disse um dos meninos. - è preciso fazer alguma coisa, vamos chegar mais perto e ver
como se encontra. foi preciso colocar lenços no nariz de todos, tal era o mau cheiro.
ninguém ficou para trás. todos chegaram perto. o avião se encontrava quase todo
destruído, e os corpos se espalhavam por uma área de mais de cem metros. havia ali um
total de vinte e oito pessoas mortas. pois os meninos puderam contar pelas cabaças que
iam encontrando, corpo inteiro não era possível contar devido as mutilações .
verificaram que havia dezenove homens , quatro crianças e cinco mulheres. era preciso
fazer alguma coisa, e a primeira idéia que tiveram foi a de avisar as autoridades da
cidade que ficava a uns cinqüenta quilômetros. sebastião determinou que dois dos
meninos partissem em direção a cidade para avisaras autoridade, enquanto ele e os
outros três ficariam tomando conta dos corpos para que os urubus não os devorassem.
talvez as autoridades já estejam á caminho, mas como vou saber? o negócio era partir
naquela mesma hora. se as autoridades estivessem a caminho eles voltariam junto, caso
contrário, deveriam chegar até a cidade. ao passarem pelo , deviam avisar os dois
meninos do acontecido e dizer-lhes para ficarem ali nos esperando que a tarde viriam
para jantar. os meninos partiram, sebastião e três meninos ficaram tomando conta dos
destroços . o trabalho deles era impedir que as aves de rapina devorassem os corpos.
quem mais trabalhou nessa operação foi lobato que corria de um lado para outro com a
maior facilidade por ser pequeno e por ser atleta de corrida. muitas vezes via-se uma
disputa entre urubus e um de nossos heróis que impediam a todo o custo que os
urubus estraçalhassem mais corpos. realmente era um quadro estarrecedor para

30
EM BUSCA DA CAVERNA.
31

qualquer pessoa humana. principalmente para uns garotos que tinham saído pela
primeira vez de casa. só mesmo os fracos cairiam diante uma situação dessas . porém
como eles estavam junto de sebastião, não tiveram medo, pois o mesmo de hora em
hora falava com eles que era preciso coragem e que somente eles que estavam ali
poderiam fazer aquele serviço. sebastião sempre dizia para os meninos que aquele dia
era o mais importante até hoje na vida de todos ele; pois afinal,estavam fazendo uma
coisa muito importante que faria com que eles fossem lembrados por toda a vida.

o que estará acontecendo agora com nossos companheiro que partiram para a cidade?
foi a de lobato quando parou um pouco para descansar. mas não teve tempo de
descansar muito pois sebastião mostrou-lhe um urubu que se dirigia em direção ao
corpo de uma criança. e imediatamente ele correu e espantou o urubu, mas assim que
voltou , sebastião lhe disse que devia descansar um pouco, enquanto isso os dois
meninos tratavam de fazer o trabalho. então sebastião lhe disse que os meninos teriam
bastante possibilidade de atingirem a cidade , pois o rufino que é inteligente e resolverá
qualquer problema que surja pela frente.

enquanto isso os nossos companheiro que partiram para cidade já se encontravam bem
longe do local do desastre e estão bem satisfeito da sua missão. afinal estavam prestando
algum serviço e era isso que eles queriam . já tinham vencido quase dez quilômetros,
quando depararam com um grupo de soldados. um dos meninos se escondeu no meio
do mato e o outro ficou na beira da estrada para falar com eles, caso fossem inimigos, o
outro correria até o acampamento e avisaria os outros que ficaram lá. como os soldados
poderiam querer saber o que ele fazia naquela região, ele procurou assanhar os cabelos,
jogou fora os sapatos, posou terra no rosto e assim poder passar por um menino da
região. tudo isso era observado pelo seu companheiro que se encontrava a uma
distância de 20 metros no meio do mato. nisso os soldados já se encontravam a uma
distancia de 50 metros, e o nosso herói fingindo ser um menino daquela zona , foi lhes
dando passagem, chegando para o canto, quando os mesmos estavam bem perto.
quando os soldados viram-no , perguntaram se ele não tinha visto alguns urubus
voando ali por perto. por esta pergunta o menino pode observar tratar-se de uns dos
soldados que buscavam destroços do avião. como eram amigos não era mais preciso ter
medo. então respondeu-lhes que ia a cidade justamente para avisar sobre um desastre de
avião que tinham encontrado a uma dezena de quilômetros dali. e que lá já tinham

31
EM BUSCA DA CAVERNA.
32

alguns dos seus colegas tomando conta para que os urubus não estraçalhassem mais os
corpos que lá se encontravam . e que eles poderia servir de guia para eles. então o
menino deu um assobio e o seu colega saiu do meio do mato. quando o sargento viu sair
aquele menino do meio da moita, perguntou de que se tratava. ao que o menino
respondeu tratar-se de um de seus companheiros que estava ali escondidos pensou que
os soldados fossem inimigos. então os soldados riram e disse que agora ele iam juntos
até o local do desastre. junto aos soldados vinha também uma turma de salvamento
formado por voluntários da cidade de esperança. como já sabiam que não havia
sobreviventes, mandaram que dois dos mesmos voltassem até a cidade para avisar que
não havia nenhuma pessoa viva.

eram quinze horas de um dia de sol bem quente anunciando uma noite fria. o trabalho de
remoção dos corpos deveria começar ainda aquela noite. eles traziam redes onde seriam
colocados os corpos para serem levados à cidade mais perto que era a cidade de
esperança a cerca de vinte quilômetros. chegaram ao local do desastre já quase noite.
sebastião e os meninos mudaram a acampamento para perto do local do desastre.
estavam todos descansando de um dia árdua de trabalho e a noite caia mansa , fúnebre e
triste.

a turma de salvamento deu início a remoção dos corpos até as oito horas da noite, não
podendo mais continuar por causa do frio. ali mesmo os soldados armaram
acampamento. grandes lampiões foram acessos e depois de colocar guardas nos quatro
cantos do acampamento. todos foram dormir . sebastião e os meninos ficaram também
observando o movimento dos soldados e depois se recolheram.

no dia seguinte á seis horas da manhã já tinham reiniciado o trabalho de remoção dos
corpos. eram mais de cem homens trabalhando no local fúnebre. ao meio dia em ponto,
já tinham terminado toda a remoção, colocando os corpos em sacos , esteira e até
mesmo em caixões pequenos. imediatamente saíram em direção à cidade que ficava a
quinze quilômetros.

As primeiras luzes do sol já começavam a surgir no horizonte . a


princípio apenas uma nesga de luz branca , amarelada, depois foi
aumentando lentamente até se tornar claro. antes que o sol saísse ,
para os homens rumo à cidade de esperança em cortejo fúnebre, levando
vinte e oito corpos do avião sinistrado. naquele dia tudo correu como se

32
EM BUSCA DA CAVERNA.
33

assistisse a uma cerimonia macabra. o sol saiu claro e radiante , mas tão
logo viu pelo campo a cerimônia da marcha fúnebre, tratou-se de
esconder -se por entre as nuvens, dando ao dia um ambiente triste. os
urubus ainda voavam sobre o local do desastre a procura de algum resto
de cadáver . naquela manhã nem os pássaros vieram saudar o novo .
todos fugiram com medo do cortejo fúnebre, como se morte fosse a única
coisa desagradável da vida. cinco meninos marcharam bem a frente do
cortejo a fim de comunicar o povo da cidade. enquanto isso sebastião e
os outros meninos iam juntos ao cortejo, que naquela manhã fria de julho,
passeava pelos campos cobertos de orvalhos.
Sebastião ao passar pelos campos que acamparam em noites
anteriores, lembrava juntamente com os garotos, aquelas noites
sentados à beira do fogo, contavam história e sonhavam um dia edificar
os seus ideais. lembravam todos os sonhos mais variados possíveis. e
agora a sombra da morte rondava a vida, à sombra de um sol que não
saiu. que força misteriosa é essa que envolve o espírito do homem?
porque será que nunca chegamos ao fim do nosso ideal? - oh, como a
tristeza se abate sobre mm. e o meu espírito na maior confusão contempla
a morte desfilar pelos campos afora. e ele continuava a cismar... viver ,
morrer ? qual a grande diferença? se a maioria daqueles que carregam
os corpos não sabem por que vivem. quem diria que há duas noites
passadas , nós brincávamos alegres por esses mesmos campos onde
agora, silencioso como um sepulcro, nós fazemos a morte desfilar ao
nosso lado? será que todos os planos foram desfeito?
assim ia pensando sebastião e talvez os outros meninos também pensavam, pois eles
estavam muito calado, quando as nuvens começaram a formar no céu imagens, como
que nos dando um aviso. podemos nós acreditar na visão fantástica do nada que
descreve diante nossos olhos as mensagens das nuvens? esses eram a multidão de
pensamentos que sebastião pensava enquanto caminhava no meio dos homens que
conduziam os caixões com destroços humanos em meio ao mais fúnebre silêncio.

descansavam de meia em meia hora. o caminho era tortuoso e cheio de pedras. parecia
que após uma curva nós encontraríamos o fim da estrada anunciando a cidade, mas não
era assim. depois de uma curva, surgia um caminho que era longo e parecia não ter fim.

33
EM BUSCA DA CAVERNA.
34

as montanhas ao longe, cobriam-se de nuvens escuras, inspirando o culto dos mortos


que desfilavam pelo campo. os pássaros não cantavam como nos dias anteriores em que
os meninos ali brincavam. estavam com medo dos homens que palmilhavam seus
caminhos. no primeiro dia conseguiram vencer somente vinte quilômetros. à noite
acenderam grandes fogueira e ali mesmo ao lado dos mortos deitaram-se para descansar
até o dia seguinte.

no dia seguinte marcharam mais de 10 quilômetros carregando os


corpos e, na estação já estava o trem aguardando os corpos para serem
enviados para a cidade de esperança. - depois que tudo foi colocado no
vagão de carga do trem, os meninos e sebastião entraram no carro de
passageiro com poltronas e sentavam aguardando a partida do trem com
a carga fúnebre o trem partiu, a princípio devagarinho, depois ganhou
mais velocidade. enquanto o trem corria cortando as montanhas e morros
que lhe parecia a frente, sebastião despejava os olhos para a paisagem
que corria pela janela do comboio. admirando as flores e as folhas dos pé
de mamonas,mergulhava o seu espírito na mais completa meditação.
porque estavam eles naquele trem? que fizemos nestes últimos dias de
acampamento? estaremos nós vivendo uma vida cheia de ilusão ? não é
isto que eu quero pensar, e sim coisas bem diferente que não sei
explicar. hoje não consigo centralizar o meu pensamento numa coisa
firme como naquelas noites de campo onde eu inventava história umas
atrás da outra. será que a loucura está tomando conta do meu cérebro?
não, isto também não pode ser. sinto como se tivesse a força total do
universo. nos meus? será que estou tão forte assim como digo estar?
tudo isto ia pensando sebastião enquanto os garotos dormiam a sono
solto aproveitando o balanço do trem também o sono foi chegando ao
chefe, era assim como os garotos chamavam e ele acabou dormindo e
dormiu. no sono sonhou que tinha voltado à sua infância . tinha então
cinco anos de idade quando ainda morava lá em passabém. seu pai está
carpinando roça até as seis horas . de repente passa pela estrada os
caçadores o convidas também para ir com ele:- “ como é seu mané o
sinhô não vai caçá com a gente ?” “-pois é , hoje eu não posso ir porque
preciso terminar um pedaço de terra que precisa ser limpo “ tá bem,

34
EM BUSCA DA CAVERNA.
35

entonce , inté minhã” . os caçadores partiram e o sr manoel permaneceu


no trabalho por mais meia hora. sebastião que contava cinco anos de
idade mal feitos já ajudava o seu pai juntamente com seus irmãos mais
velhos.
era um total de 6 meninos e 4 meninas dentro de casa. as meninas
por sua vez ajudava no trabalho de casa juntamente com sua mãe :
naquela tarde , quando o sol já havia se posto no horizonte, viram umas
pessoas pelo caminho que divisava as terras do sr manoel com a
estrada: imediatamente o nosso amigo se dirigiu para ele tratava. o sr
nem imaginava o que foi que aconteceu , o sr se lembra do filho da
marocas ? aquele que é meio doido ? pois é ele sumiu de casa hoje de
dia e até agora não foi encontrado.
o filho de dona marocas era chamado de jorginho e muito conhecido pelo
povo daquela vila. era uma espécie de menino que todos zombavam :
chamavam-no ; o que fazia ficar mais furioso ainda.
desde pequeno que o jorginho era meio abobado, por ter sofrido uma doença muito
grave : não morrera . “ mas ficou doido” como dizia o povo. certa vez burlou a
vigilância da mãe e dos irmãos e fugira de casa . Foi procurado por todos durante o dia
sendo inútil a busca.

Naquela noite a vila ficou em desespero. . Eram homens á cavalo procurando o


menino por toda a parte. No dia seguinte caçadores saíram bem cedo para a caçada
matinal, ainda estava bem escuro quando passando por um caminho depararam com
um vulto mexendo no meio do mato. Com a ânsia de levar para a casa a caça do
almoço daquele dia , não se lembraram do menino que havia fugido de casa na véspera.
Fizeram pontaria e atiraram: Em seguida ouviu-se um grito de dor . Era o Jorginho que
estava deitado no meio da mata. Os dois caçadores correram para perto do menino e
com desespero viram que tinham atirado no filho de dona Marocas. Que seria daquela
pobre criatura dali pela frente? O menino não morrera, levaram-no para o hospital da
cidade onde ficou muito tempo tratando do ferimento recebido. E como havia recebido
um tiro na cabeça ficou com uma parte do corpo paralisado: Só conseguia andar com
uma perna pulando feito saci.

35
EM BUSCA DA CAVERNA.
36

Era um menino já com quinze anos, e agora acontecia aquilo. Fugira de casa, se
arrastando pelo meio do mato , sabe lá deus como ‘ se pelo menos ele morresse
acabaria com o sofrimento de dona marocas” era o que dizia uns já outros diziam
que era castigo pois sua mãe fora muito perversa para os seus escravos.

Estavam todos na porta da venda discutindo a vida do menino quando surgiu um


rapazinho dizendo que o jorginho estava morto no rio mordido por uma cobra cascavel.

Ao pronunciar a palavra cascavel Sebastião que dormia e sonhava, acordou rapidamente


pois o trem estava chegando ao seu destino . Era finda a primeira viagem de
experiência com os nossos heróis. Dali por diante teríamos de esperar . a primeira
viagem havia terminado. Aquilo foi o início. O fim seria maravilhoso.

Outro acampamento

Eram 13 horas . as nossas sombras já começavam a caminhar para o oriente. O Sol


, que não estava muito quente por ser inverno, mostrava-se vermelho como um tomate.
Falei com todos os meninos: - Vocês estão vendo aquela serra que parece encontrar com
o azul do céu? - Estamos vendo sim , responderam todos . Pois é ali em cima que nós
vamos . Portanto tratemos de caminhar pois a viagem é longa.

Á nossa frente uma porteira que dividia a cidade com o pasto . Além do pasto só
avistamos os caminhos primitivos feito pelos pés dos animais e dos homens que por ali
passavam . Com o Barros á frente seguimos “ a coluna por um’’ . a princípio eles
conversaram sobre os mais variados assuntos ; depois o silencio foi quebrando á
medida que o cansaço da caminhada chegava. sabendo que tinham dez dia para andar ,
era preciso aprender a andar en silêncio, só assim evitava o cansaço.

De um lado e de outro do caminho só grama rasteira. hora por outra um curso dágua
atravessava a nossa frente, onde os animais saciavam a sua sede, e á margem dos
mesmo florescia lírio do campo e ‘’ chapéu de couro’’. chapéu de couro é uma planta
medicinal que serve também como chá adoçado com mel.

depois de andarmos seis quilômetros vimos na nossa frente uma


coisa muito grande que se movia a uma distancia de 500 metros.
paramos para afirmar a vista, e só quando a mesma já estava bem perto ,
notamos que era uma grande boiada. ela estava sendo trazido pelos
vaqueiro , que de longe já houvemos seus gritos.

36
EM BUSCA DA CAVERNA.
37

diante daquele espetáculo todo os meninos pararam e começaram a


observar . só então eu lembrei que podia haver boi bravo ali no meio
daquela boiada. imediatamente sebastião deu ordem aos meninos para
que se misturassem no meio dos arbustos, e ficassem imóvel o mais
tempo possível pois ele já observara que alguns bois já estavam de
orelha em pé à procura de alguém para atacar .
assim fizeram. cada um se escondeu o mais depressa como pode por detrás da árvores.
e sebastião lhes disse ainda que se algum touro chegar perto de vocês não tenham
medo e nem corram procurem fitar-lhe bem nos olhos e não serão molestados.

porém o viking que é o mais novo , com apenas nove anos de idade, tremia de medo
como uma’’vara verde’’ e dizia para sebastião: - eu tenho medo do boi me pegar, deixa
eu ficar perto de você.—não precisa ter medo respondeu sebastião faça como eu lhe
disse: -- fite-o bem nos olhos e não se mova. por via das dúvidas fique aqui perto de
mim que eu lhe ensinarei como fazer. como os meninos estava atrás do arbusto e sem se
mexer. os animais passaram bem perto deles sem vê-los. mas quando passou perto de
viking , ele se moveu tanto que chamou a atenção de um touro preto. sebastião viu que
era ora de fazer a prova com o menino e disse bem baixinho para ele:- calma viking,
tenha coragem e tudo sairá bem . segure na minha mão e na hora que o boi estiver
bem perto faça o que eu mandar. assim fizeram , e o touro veio se aproximando cada
vez mais do dois amigos e bufava pelas narinas ‘’incendiadas’’ . nisso o nosso amigo
falou no ouvido do menino:- é agora. olhe bem nos olhos dele , assim como eu estou
fazendo, mesmo se o boi chegar perto não faça nada, nem um movimento. o touro foi
chegando devagarinho até uma distancia de dois metros deles. sebastião não tirava os
olhos do touro. neste momento a mão do menino foi se largando aos poucos até
soltá-la por completo.

logo após chegou um vaqueiro preocupado com os dois e falou:- pensei que o touro
tivesse atacado vocês , pois ele ´s o mais bravo da boiada- mas acontece que ele teve
medo de nós, respondeu viking, não é sebastião?? é verdade sim. nós estamos treinando
todos estes meninos que o senhor está vendo aqui, para um dia eu mostrar a ele uma
grande caverna. e o bom moço simples com era , disse que aquelas terras que
estávamos passando pertenciam ao coronel. josé batista e que ele ficaria muito
satisfeito se nós fossemos à fazenda dele. e sebastião perguntou:- o senhor trabalha

37
EM BUSCA DA CAVERNA.
38

para ele há muito tempo? - ah moço, respondeu o vaqueiro , desde menino que eu ando
por estas bandas. fui criado no pé daquela serra que se avistava daqui. neste meio
tempo todos os meninos já se encaminhavam perto de sebastião a escutar a conversa de
vaqueiro. todos estes meninos são da cidade? perguntou o nosso amigo.Sim, nós som de
Itabira e estamos fazendo uma excursão de 10 dias. depois de bem treinados subiremos
em todas as montanhas de nosso Brasil, só assim encontraremos a nossa Caverna . e o
nosso amigo respondeu: - olha , se todos os meninos da nossa terra tivesse uma
educação como esta que o senhor esta dando a eles, nós teríamos uma pátria bem
melhor não sofreríamos tanto como temos sofrido depois que passamos o ano 2000.
veja vocês, meus amigos, eu nasci no ano 2010 já tenho 35 anos e até hoje não aprendi
a ler nem escrever. porém mesmo assim eu me sinto feliz porque durante toda a minha
vida passei junto a mãe natureza, e vocês meus meninos , aprendam bastante porque a
natureza é sábia em tudo. porém ela dá o prêmio e o castigo. e vocês aprendendo a
dominá-la poderiam amostrar ao nosso povo , que debate nas trevas da ignorância , o
caminho que devemos seguir , nós vaqueiros não temos o mesmo direito de reclamar
das injustiças.

Como o cavaleiro notou que os que os seus companheiros já iam longe com a
boiada e rematou dizendo ;- “há de chegar o dia em que teremos uma vida diferente,
mais justa’’ dizendo estas palavras , partiu apressadamente para juntar-se à boiada que
já ia bem longe. aquelas palavras soaram como uma advertência . Vimos naquele pobre
vaqueiro uma triste lembrança de um passado que não será perdoado pelo futuro.
Todos nós temos fé em algumas coisa , mesmo dizendo que somos incrédulos. temos fé
em nós mesmo de conseguir vencer todas as dificuldades interposta em nosso caminho.
este pobre que nos deixou neste momento não sabe nem ler nem escrever , e no entanto
pode dar uma lição de sabedoria em muitos ‘’ letrados’’. podemos ver estampado em
seu rosto o símbolo da miséria e da desgraça, mas vimos também uma demonstração de
fé e coragem. tudo isto ia passando pelo cérebro de Sebastião : quando de repente ele
falou bem alto:= Olá pessoal vamos descansar um pouco aqui embaixo destas arvores?
Foi nesta hora, então, que os meninos lembraram de perguntar ao Sebastião porque foi
que o moço que nasceu em 2015? Não compreendemo, pois ainda estamos no ano de
19 91? Bem esta é uma história que nem eu entendí.

38
EM BUSCA DA CAVERNA.
39

Mas aquela boiada passou um susto danado em um menino que está perto de mim .
falou assim piscando os olhos para a meninada. o viking que vinha segurando na mão de
sebastião notou que as palavras do seu amigo era para ele e disse:- mas vocês viram
como o touro chegou perto de mim e voltou com medo de mim todos caíram numa
gargalhada e foram sentar a sombra de uma grande arvore, beberam água , comeram
rapadura . e viram que o sol ainda estava muito alto. podiam caminhar os caminhos
incertos que haveriam de aparecer nas suas vidas. logo à frente avistava-se uma
campina verde ondulada batida pelo vento que sumia de vista no horizonte , tendo ao
fundo o alto da serra com a cabeça ‘’ enterrada’’ nas nuvens. ao lado era a floresta que
limitava o pasto do gado.

de ponto em ponto levantava uma casa de cupim servindo de esconderijo para todo o
tipo de réptil.todos estavam calados e caminhando . quando o rufino começou a dizer:-
ali quem me dera viver aqui sempre acampado nesta campina, sim, era o dia inteiro
correndo pelos campos, subindo pelas arvores, tomando banho de riacho. é respondeu
rufino, nós seriamos os meninos mais felizes do mundo. pelo menos a gente não
estudava o dia inteiro e nem tínhamos de andar vestido de calça, sapato e camisa.
teríamos como companheiros inseparáveis .. os cavalos, os bois, as vacas, os pássaros e
toda a natureza se manifestaria como nossa protetora:- mas já que não podemos viver
toda a vida aqui, pelo menos devemos ficar satisfeito por poder passear de quando em
quando aqui pelos campos. quem me dera que a gente nunca crescesse.

iam comentando estes e outros aspectos da vida do campo, quando


passou perto de nós um gavião que trazia no bico um bem -te- vi quase
morto e passou em cima de um cupim todos correram para acudir o
pássaro que já dava os últimos suspiros. com a nossa aproximação o
gavião ganhou altura deixando a pobre vítima quase morta no chão.
tentamos salvá-lo mas já era tarde . o passarinho morreu nas mãos de
lobato que ficou muito triste.
como é misteriosa e estranha morte, até mesmo de um pássaro,
ninguém ousa tocar de frente a grande realidade. tudo foi razão para os
meninos apresentarem uma fisionomia de tristeza. todos os meninos
reuniram um círculo e fizeram o enterro do pobre passarinho. o rufino
abriu uma cova com uma pá, o florisvaldo fez uma cruz e colocou em

39
EM BUSCA DA CAVERNA.
40

cima, os outros meninos cataram pedra e fizeram um círculo em torno da


sepultura da pobre vítima da natureza.
terminado o sepultamento apenas a cruz e o círculo ficaram para trás
como símbolo de um ser que um dia voou, correu, comeu e morreu. já
caminhamos um bom pedaço após a ultima parada, quando sebastião
observou que todos estavam calados pensando que não sabemos o que
,talvez já cansados daquele primeiro dia de caminhada ou então quem
sabe? pensando na lição que acabavam de receber sobre a lei da
natureza . a morte daquele animal, por pequeno que seja, pode ter um
grande significado para ao menos ter aprendido: todos esses meninos
que nunca saíram da cidade , só ao lado do protecionismo dos pais e da
civilização e tudo que é artificial, sem pelo menos ver como nasce um
bezerro ou um cavalo; ao primeiro impacto das leis da natureza sentem-
se completamente estarrecido pelo que acabaram de presenciar.
ninguém absolutamente ninguém dizia nada. nem pelo menos
assobiavam. caminhávamos sem cessar. através dos campos, através
dos campos dos caminhos tortuosos incertos não acabavam nunca.
diante dos nossos olhos víamos o trilho feito pelos pés dos homens
sempre aparecer após uma curva, sempre desconhecido e incerto como
são os caminhos daqueles que debatem na estrada do ideal. a nossa
esquerda víamos montes de pedras de onde saiam correndo as lagartixas.
verdadeiros despenhadeiros confundia se com o inferno, de tão fundo
que era e nos dava calafrio e à direita o mato verde. que descortinava
através de nossos olhos. e nós caminhávamos sempre naquele silêncio
terrível. só a voz do vento e dos insetos confundia nosso ouvido . e a
medida que nossa sombra aumentava na terra víamos que era hora, ou
estava bem perto da hora que devíamos acampar.
nós acamparemos após esta árvore perto de uma fonte , falou sebastião. ali estaremos
abrigados do vento que sopra muito forte nesta região. assim fizeram chegando ao
local apropriado , deram início a instalação do acampamento. enquanto três deles
arrumaram as 2 barracas, os outro quatro buscavam água e prepararam a cozinha.
cercaram o campo como medida de prevenção contra animal . que poderia rondar as
barracas à noite. o fogo e o local da fogueira foi protegido da mesma forma.

40
EM BUSCA DA CAVERNA.
41

nesta hora de instalar o acampamento os garotos já conversavam e cantavam


alegremente. talvez pelo simples prazer de saber que pela primeira vez dormiriam fora
de casa em uma barraca de lona semelhante aos ciganos, como sebastião ficou contente
em observá-los na espreita de uma arvore. todos , sem faltar um, trabalhavam
ativamente para deixar o acampamento em ordem o mais breve possível . e isso para o
sebastião era motivo de alegria saber que todos os meninos estavam satisfeitos.

eram 16:30 oras . e no acampamento as barracas já estavam armadas, todo o material


protegido das intempéries da natureza, no fogão, feito de duas pedras, já saia fumaça
onde seria preparado o jantar daquela noite um monte de lenha estava ali ao lado
preparado para o frio da noite.

enquanto alguns meninos colhiam informes sobre a natureza local, os outros


preparavam o jantar. rufino e lobato eram os dois cozinheiros daquele acampamento e
fazia a na mais estreita medida para não faltar para os outros dias.

uma nuvem de fumaça subia ao céu que estava azul e claro. o sol porém , já se escondia
por detrás das montanhas, e após um breve descanso, fizemos no campo ao ar livre a
nossa primeira refeição do dia que era sopa de macarrão com tomate, cebola e caldo de
galinha como não tínhamos café foi feito chá com folha de ‘’chapéu de couro’’ adoçado
com mel de abelha para ser servido à noite.

a tarde ia morrendo lentamente no céu não mais víamos as aves as moitas de capim já
começavam a formar vultos misteriosos com a sombra da noite. e na mata ouvíamos um
triste chorar do noitibó com todos os meninos sentados ao redor da fogueira,
começamos incessantemente a olhar para o firmamento e eis que inesperadamente
avistamos as primeiras estrelas. já podíamos considerar noite. neste momento começou
a nossa brincadeira. cantavam, tocavam gaita, , flauta e até uma viola apareceu, era o
lobato que tocava arranhando. cada um procurava expandir na mais sadia das diversões.
um número de gaita, outro de sanfona, uma canção e assim fomos até as 22 horas,
quando a noite fechada e escura, aparecia apesar das luzes da fogueira e dos lampiões a
iluminar o acampamento. como guarda apenas rex, um cachorro policial trazido pelo
elmo. para o firmamento e pudemos ver a beleza do céu com milhares e milhares de
estrelas, saímos m pouco de perto das luzes para que as mesmas não ofuscassem as
nossas vistas e sebastião ia explicando o nome das constelações:- aquela lá é o cruzeiro
do sul, o que vocês chamam de três marias é a cinto do sr orion da constelação de orion

41
EM BUSCA DA CAVERNA.
42

lá esta a constelação de navio a do escorpião e muitas outras. e por falar em escorpião


disse sebastião vou contar para vocês a lenda de como apareceu a constelação de
escorpião. vocês querem ouvir? - claro que sim responderam todos , qual o menino de
11 ou 12 anos que não gostaria de ouvir uma estória contada em plena noite de
acampamento???

_- pois bem vou contar para vocês como apareceu a constelação de escorpião sebastião
ajeitou melhor o cobertor que lhe cobria as costa por causa do frio, colocou mais
alguns galhos de lenha no fogo, bebeu alguns goles de chá e depois de olhar bem as
estrelas que coalhavam o céu e começou a dizer.

alaão o deus dos meninos

ha´ muitos e muito anos passados, ao sul da serra da mantiqueira, existiu uma tribo de
índios que viviam em pleno contato com a natureza. era uma tribo de homens valentes
que freqüentavam a natureza hostil em todo seu real aspecto. eles tinham a cor da pele
toda bronzeada pela luz do sol que ardia em todo o verão. sua principal atividade era a
agricultura, caça, pesca e a fabricação de objetos de cerâmica.

apesar deste povo viver em semi primitividade, havia do outro lado da montanha uma
outra tribo de cor branca que já tinha um grau de civilização adiantado em relação a
outra, pois eles já possuíam cidades casas de pedra, templos, escolas, e as ciências,
como a matemática e astronomia já eram estudada por seus sacerdotes, assim como a
química e a anatomia dos animais.

mas a tribo de cor bronzeada, que estava mais acostumada a viver


em contato com a natureza, tudo fazia para que a felicidade reinasse
entre eles. suas crianças eram levadas para a escola de caça e pesca
desde que completassem cinco anos de idade, já aprendiam todo o
segredo da selva assim como a se defender da melhor maneira possível
contra os animais ferozes. o período de aprendizagem ia até os
dezessete anos de idade e quando se encontrava em atividade suas
dormidas eram feitas em cavernas na montanha. as crianças que
participavam dessa escola viviam muito felizes por ter sempre ao seu
lado o índio mais forte que lhes ensinava a se defender de todos os

42
EM BUSCA DA CAVERNA.
43

perigos. havia naquela região muitos rios , lagos e cachoeiras. a


vegetação era intensa que proporcionava frutas e mel silvestre.
certa vez um menino de cento e vinte luas, fazia sua prova pelo alto
das montanhas sozinho, pois as provas eram feitas sem a companhia do
índio mais forte. depois de andar muitos dias, não mas encontrou o
caminho de casa . quando viu que era difícil voltar para a casa sentou
em cima de uma pedra, pois de nada adiantaria chorar nem gritar. só a
sua coragem e inteligência poderiam mostrar-lhe o caminho de casa.
sobre esta mesma pedra puai deitou e dormiu. e no sono, sonhou que
tinha encontrado a mais linda criatura do céu do céu que lhe dizia ‘’’: puai
você é o menino escolhido para salvar o meu povo. acorde e você verá
em cima da pedra , o deus dos meninos o deus alaâo: acorde puai,
acorde puai”” quando ele acordou aquelas palavras ainda sopravam em
seus ouvidos. pensava ele que tivesse tido um grande pesadelo. já era
bem tardinha, o sol já havia rolado para baixo das montanhas, havia
finado mais um dia .
de repente uma luz branca que chegava a ofuscar os olhos começou
a descer do alto e parar em cima de uma pedra a poucos passos de onde
se encostara puai. o nosso herói ficou um pouco assustado, mas
imediatamente lembrou-se do sonho que tinha tido há pouco e esperou
firme. a luz branca foi tomando a forma de um corpo humano e começou
a chamar o nosso menino pelo nome: ‘’ puai . venha até aqui que eu
preciso falar com você . não tenha medo, eu sou alaâo o deus dos
meninos do mundo inteiro. . puai . ao ouvir aquelas palavras, lembrou do
sonho em que aparecera a figura angelical e começou a caminhar para
onde se encontrava o deus que ali diante dele , resplandecia como a luz
do sol. o deus alaâo vestia uma túnica vermelha bordada com fio de
ouro. em sua cabeça não havia coroa mas sim um ramo de oliveira. ao
chegar bem perto puai disse: -’’você parece com a pessoa que me
apareceu em um sonho que tive há pouco’’. - “” sim , sou eu mesmo, disse
alaâo. eu sou o deus de todas as crianças e quero construir aqui em cima
desta montanha o meu reino . nele só entrarão meninos e meninas. todas
as crianças do mundo morarão aqui onde poderão brincar o dia todo em

43
EM BUSCA DA CAVERNA.
44

meus bosques encantados. ‘’ o senhor tem muitos bosques encantados ?’’


perguntou puai. - ‘’ se tenho ? é só você segurar nas minhas mãos e nós
voaremos em todos eles. ‘’ assim fez .puai segurou as mãos e os dois
começaram a voar . não voaram muito alto , para que o menino pudesse
observar a beleza da floresta. era só selva virgem. as arvores muito
grandes cheias de flores como na primavera. por baixo das arvores , a
verde grama onde pastavam todos os animais do reino. e o que havia de
mais interessante é que todos os animais viviam na mais perfeita
amizade sem brigarem uns com os outros. em todo o recanto do bosque
havia um lago sagrado onde todos os animais podiam banhar-se
juntamente com todos os meninos que viessem morar ali . e o deus alaâo
ia explicando : ‘’ aqui será o lugar onde construiremos o nosso reino, mas
para isto, eu preciso de sua ajuda. você está disposto a ajudar? ‘’ - ‘’ claro
que sim , respondeu prontamente puai. diga o que tenho que fazer e
imediatamente farei “- ‘’ pois preste bem atenção ao que vou lhe dizer : -
lá embaixo no outro lado da montanha existe uma cidade muito grande.
nesta cidade tem muitos templo. e no templo principal está guardado o
escorpião sagrado que pertenceu ao meu povo quando eu vivia na terra.
ele foi roubado por aqueles habitantes que assaltaram a nossa cidade a
muitos anos. è neste templo que você deve ir e retirar de lá o escorpião
sagrado ao chegar ao templo você deve burlar a vigilância dos guardas
e levá-lo para sua aldeia e depois traze-lo até a mim : no templo há uma
passagem secreta que leva ao fundo do rio que corre ao lado da cidade.
esta passagem está situada a quinze passos de onde se encontra o
escorpião à direita. porém para abri-la você precisa de uma palavra
mágica; guarde a bem : ‘’apetecapa ‘’. o escorpião é do tamanho de um
lobo, em suas patas existem umas lentes que se forem colocadas uma
de encontro da outra de tal maneira que a luz do sol passando por elas
e venha de encontro a uma distancia de dois metros , toda pedra que for
colocada no encontro dos raios refratados será transformada em ouro
instantaneamente. ‘’ assim ia dizendo alaâo.’’ é com este ouro que
construiremos aqui em cima desta montanha o reino que será a morada
de todas as crianças do mundo. ‘’ puai ouvia atentamente as palavras

44
EM BUSCA DA CAVERNA.
45

ditas pelo alaâo sem perder nenhuma das explicações. assim que ele
terminou de falar o menino pediu que mostrasse o caminho de casa . e
alaâo chamou um de seus melhores servos que era um dos gaviões
para que levasse o menino para a sua tribo. assim que a ave apareceu
puai montou em cima de seu dorso e esta voou até perto de uma arvore
deixando lá o menino puai, o gavião retornou ao reino , ou melhor, ao
bosque onde seria construído o reino dos meninos.
em sua tribo todos já o procuravam há dias. não estavam muito preocupados, pois
sabiam que qualquer menino seria capaz de vencer todas as dificuldades que por acaso
lhes aparecessem. mas quando viram que ele já estava de volta, todos correram em sua
direção procurando saber o que havia acontecido com ele.

puai não contou a todos o que tinha lhe acontecido, mas só a alguns
meninos de sua idade que eram seus melhores amigos. e assim foi
dizendo puai, depois de contar-lhes toda história do deus alão ; ‘ é
preciso que vocês me ajudem a retirar de lá daquela cidade o escorpião
sagrado que eles roubaram da família de alaâo quando vivia na terra. - ‘’ -
‘’ pode contar com a nossa ajuda’’, responderam todos, ‘’ nós também não
queremos mais viver aqui em companhia dos nossos pais, pois eles
estão ficando guerreiros e só pensam em brigar com as outras tribos .
aquela paz que existia aqui entre nós há muito que ela desapareceu’’.
e assim fizeram. combinaram tudo e dai a uma lua partiram puai e
seus companheiro para a tal cidade onde haveriam de retirar de lá o
escorpião sagrado. a cidade era do outro lado da montanha. gastaram
três dias para chegar até as bordas da cidade. a cidade não era muito
grande como eles pensavam, mas era muito bonita, situada num vale
onde corria um rio muito grande de águas cristalinas. do alto de um morro
conseguiram descobrir o templo que guardava o escorpião. era aquele o
maior de todos bem no centro da cidade.
como retirar de lá o escorpião de vidro se o templo era vigiado noite
e dia? cada um dos meninos deu sua opinião como deveriam agir. puai
escutava-os atentamente e depois falou: - ‘’ será melhor ficarmos aqui do
lado de fora da cidade e só entrarmos lá no dia da cerimonia. ‘’
escolheremos um para ir até a cidade e procurar, disfarçadamente, saber

45
EM BUSCA DA CAVERNA.
46

o dia da cerimônia. assim que o escolhido partiu para a missão secreta,


os outros meninos ficaram escondidos no meio da floresta se
alimentando de frutas. na noite seguinte voltou o emissário trazendo a
notícia de que a cerimônia seria daí a três dias. então puai combinou: - ‘’
eu entro no templo com três de vocês e nos misturamos no meio do povo.
quando terminar a cerimônia nos escondemos no templo e, quando todos
saírem, tiraremos o escorpião e fugiremos pela porta secreta. dois de
vocês devem nos esperar com uma canoa em cima do rio mais ou menos
perto daquela pedra onde vamos sair.’’ . e o resto dos outros meninos, que
eram cinco ficariam bem embaixo do ponto de encontro do rio afim de
que vigiassem caso alguém se aproximasse.
e desta maneira tudo foi feito. no dia marcado para a cerimônia lá
estava puai e os seus companheiros misturados no meio do povo
vestidos de acordo com a moda do local para que ninguém desconfiasse.
passaram uma tinta branca no rosto para que ficasse igualzinhos aos
outros meninos. e lá já estavam nossos heróis dentro do templo
observando tudo que era interessante.
o templo de mármore verde bordado com fios de ouro e prata o altar principal, onde
ficava guardado a figura sagrada, era também de ouro e pedras preciosas. no templo não
tinha bancos para sentarem, pois todos sentavam no chão. era verdadeiramente grande
a multidão que se aglomerava ali para ver a mais prodigiosa obra da natureza. puai e
seus companheiros , como eram pequenos procuraram ficar diante de todo povo para
melhor apreciar a cerimônia.

na hora apareceram dois sacerdotes vestidos com roupas de seda bordada a ouro e
prata. atraz deles vinham quatro meninos também vestidos da mesma forma, e cada um
estava carregando uma pedra muito pesada que quase não agüentavam. quando os
sacerdotes apareceram todo o povo curvou-se no chão colocando a cabeça na ponta dos
pés. depois todos sentaram no chão com as pernas cruzadas. os sacerdotes caminhavam
vagarosamente ao altar onde se encontrava guardado a mais valiosa obra de todos os
tempos. foi aberto o altar com uma chave de ouro. pela primeira vez puai e seus
companheiros viram aquilo que durante muitos anos pertenceu ao deus alaâo .
realmente era uma obra de arte toda aquela peça de vidro. era o formato de um
escorpião medindo mais ou menos oitenta centímetros; em suas patas haviam as lentes..

46
EM BUSCA DA CAVERNA.
47

eram oito lentes , uma em cada pata, nas pernas e em todo corpo havia rubis e pedras
preciosas h que resplandecia a luz do sol , os sacerdotes com toda cerimônia
carregaram o escorpião, colocando -o em cima de uma pedra de mármore branco que
já se encontrava no lugar determinado para este fim, que já estava devidamente inclinada
no lugar , onde , ao meio dia a luz do haveria de passar através de um buraco no teto
do templo e bater justamente nas lentes e refratar mais além em cima as pedras e
transformando-as assim em ouro maciço.

enquanto os sacerdotes procediam a cerimônia o povo acompanhava com os olhos


completamente perplexos diante aquele acontecimento. era interessante ver como eles
trabalhavam bem devagarinho em todas as suas ações. as lentes foram colocadas umas
superpostas às outras de tal maneira que quando a luz do sol batesse em uma passaria
por todas as lentes. foi preciso inclinar um pouco a pedra para que melhor se adaptasse às
condições de sol que dai a alguns momentos transformaria em ouro as pedras. já se podia
ver o sol que caminhava lentamente e o povo acompanhava com olhos na fixos naqueles
movimentos. assim que a luz refratada bateu na primeira pedra esta se transformou
imediatamente em ouro. o sacerdote a tirou e a mostrou ao povo. e este tomado como
de um acesso de loucura, abaixava a cabeça até aos pés repetidas vezes saudando o grande
escorpião . quando a última pedra foi transformada em ouro, todo o povo ficou em pé
numa gritaria ululante como tomados do acesso demoníaco.

enquanto estavam naquela confusão de acessos de loucura, puai e


seus colegas procuraram esconder-se debaixo do altar. ficaram ali
escondidos até que a ultima pessoa saísse do templo. já era bem tarde
e começava a escurecer. puai verificou que não mais havia mais
ninguém no templo, começaram a agir. puai seguiu até o altar onde se
encontrava o escorpião . enquanto um dos colegas vigiava a porta, outro
media os quinze passos à direita até encontrar a porta secreta. ali
encontrou uma porta de pedra quase igual a parede era preciso muita
observação do contrário passaria desapercebido. puai não agüentava
carregar sozinho o escorpião . foi preciso pedir ajuda dos outros para
que carregassem-no até a porta secreta. puai inclinou a cabeça no chão
e repetiu a palavra mágica :- apetecapa. imediatamente ouviu um barulho
imenso dentro do templo com alguns tremores de terra que parecia até

47
EM BUSCA DA CAVERNA.
48

mesmo que desmoronaria, a porta foi abrindo devagarinho como que


fosse mágica. além da porta havia um corredor escuro . um dos meninos
correu ao altar pegou uma tocha de fogo que ficava ali a iluminar o altar
e trouxe até o c corredor. assim que atravessaram a porta puai repetiu
mesma palavra e a porta foi fechando devagarinho, com o mesmo
estrondo que houve anteriormente.
a primeira etapa do plano já havia sido vencida, restavam agora a
parte mais difícil. caminharam uns quinhentos metros debaixo do túnel,
que passava por baixo de quase toda a cidade. puai segurava de um
lado enquanto que outro menino segurava da parte mais leve. à frente ia
outro iluminando o caminho com a tocha de fogo. as paredes do túnel
eram todas de pedras escuras e ali havia inscrições dos dias em que o
deus alaâo viveu no mundo . os nossos heróis diante aquelas palavras
enigmáticas, foram tomados de um poder estranho e iam lendo tudo o
que estava escrito nas paredes. era uma descrição de toda a vida de
alaâo quando se encontrava na terra . todos leram mentalmente sem que
um soubesse que o outro estava lendo. este poder foi adquirido pelas
emanações ectoplasmáticas impregnadas nas paredes deixada pelo deus
alaão quando ainda vivia na terra e que estava impregnadas ali hà
milhares e milhares de anos.
. quando chegaram ao final do túnel, viram que a água ocupava dois
degraus e se encontrava suja e em movimento. como haviam de levar
aquele peso todo para cima? sim, porque dali até o nível era mais ou
menos uns quinze metros. nadar com todo o peso nas costas era
impossível senão qualquer um deles afundaria. e então como fazer?
todos olharam para o rosto de nosso heroizinho como que esperando
uma solução. puai , com aquele rosto moreno, cabelo liso na testa,
apresentando uns doze anos mal feito, fisionomia calma , pensou e falou:
- é preciso que um de nós mergulhe até a superfície, encontre com os
nossos amigos e de um jeito de arrumar uma corda de cipó para que
posamos amarrar a nossa presa e levá-la até a superfície. o menino que
segurava a tocha na mão não perdeu tempo: entregou o lume ao puai e
mergulhou nas águas sujas do rio e foi descendo os últimos degraus

48
EM BUSCA DA CAVERNA.
49

até onde não mais sentia o pé no fundo do corredor. ao sentir -se puxado
para o fundo do rio nadou com toda a força até à tona. o rio ali se
encontrava bem fora da cidade não havendo , portanto , nenhum perigo
para eles. seus amigos já se encontravam à espera com um barco.
contou-lhes o que era preciso fazer e imediatamente um deles
providenciou uma corda feita de cipó com vinte metros de comprimento.
enquanto os dois seguravam a ponta da corda no barco o outro sumia
sob as águas do rio deixando atrás de si apenas um rastro de espuma. ao
voltar ao túnel lá estavam os dois companheiros sentados esperando-o.
o escorpião foi amarrado com todo carinho para não quebrar. os três
prenderam a respiração e foram descendo até chegar à boca do túnel .
a escuridão era perfeita . eles se guiaram apenas pelo instinto de fazer
todas as coisas sem erro. um subiu até o barco para avisar que podiam
puxá-lo para cima e puai e outro menino nadou junto até chegar ao
barco. quando os cinco meninos se reuniram no barco e puderam ver a
luz das estrelas, respiraram profundamente por já terem cumprido grande
parte da tarefa.
já era bem tarde da noite . o céu estava todo coalhado de astros
luminosos. a via láctea toda esbranquiçada manchava o espaço infinito.
os meninos deliravam de felicidade ao saberem que em breve seria
construído o reino dos meninos da terra. tudo seria mais fácil dagora em
diante. alaão se transferiria para o mundo. todas as crianças de
qualquer parte do mundo , iriam morar lá em cima no reino encantado. e
assim os nossos heróis, descendo o rio, cantavam alegremente: - salve o
deus alaão o deus dos meninos. salve o nosso reino. lá teremos muitos
banhos de cascata e lagos. as suas águas são tão puras que parecem
espelhos de prata. comeremos frutas das arvores e mel de abelha.- e
assim cantaram a felicidade do futuro reino até o fim da viagem,
quando as nuvens vermelhas do sol nascente anunciavam um novo dia.
ao chegarem na tribo todos já estavam preocupados com a demora
de tantos dias dos meninos. todo povo começou a perguntar o que era
aquilo todo cheio de pedras que brilhavam nos olhos dos meninos. então
puai foi contando a longa história do encontro com o deus alaão no

49
EM BUSCA DA CAVERNA.
50

alto da montanha, a incumbência de ir buscar na cidade vizinha quilo


que daria ao deus dos meninos a força de poder construir no alto
daquela montanha o reino de todas as crianças do mundo. todo o povo de
puai ficou entusiasmado com a história e quiseram experimentar
transformar a primeira pedra que tinham a mão em ouro. quando viram a
pedra ficar amarela como é o ouro, verdadeira cobiça apoderou daqueles
homens .
os pais de puai tomaram lhe o escorpião dizendo que iriam construir
um reino mas era cá embaixo, para eles , e não para um deus bobo como
aqueles em que ele acreditava. e os nossos heroizinhos foram expulsos
da tribo. durante muitos dias vagaram pela floresta rumo à montanha .
chegando lá em cima perto da mesma pedra onde foi visto pela primeira
vez o alaão, todos dormiram um sono profundo de tão cansados que
estavam. enquanto isto cá na aldeia o povo que era feliz e só vivia
cuidando da felicidade modificou-se por complemente. ninguém mais
trabalhava, só pensavam em transformar todas as coisas em ouro para
trocá-las por roupas e bebidas . de tanto ouro que eles adquiriram
apenas em quinze dias , a mentalidade do povo feliz já havia se
transformado complemente.
nisso os nossos heróis dormiram cinco dias seguido. quando
acordaram lembraram de chamar o deus alaão: e todos a uma só voz
começaram a dizer:- alaão , alaão? nós estamos aqui. venha que
precisamos contar-lhe tudo. e nisso a mesma luz que houvera aparecido
da primeira vez para puai começou a descer do céu era uma luz branca
como a luz do sol e, ao ir tomando a forma humana, desceu junto à pedra.
depois de contar toda a história, dizendo que no final de tudo seus pais
os expulsaram de casa, alaão disse:- não tenha ódio em seus corações
meus filhos. eles hão de pagar bem caro por terem violado uma coisa
que não lhes pertencia. agora eu quero que vocês voltem à tribo e me
tragam o escorpião até aqui. os meninos desceram a tribo e deram um
jeito de tirá-lo de lá e, com muito custo conseguiram levá-lo à montanha:
ao chegarem à montanha o alaão apareceu e mandou que os meninos
colocassem-no em um lugar do bosque até o dia seguinte. voltando os

50
EM BUSCA DA CAVERNA.
51

meninos para junto de seu deus, este começou a dizer:- os homens não
compreenderam a maravilha do nosso reino e eles receberão o castigo
que merecem. os nossos amigos pensaram que os seus pais iam receber
um castigo muito grande , assim como por exemplo; morte ou coisa
semelhante. mas nada disso, alaão não era tão mau assim. apenas ia
tirar lhes todo o ouro e eles teriam que viver como era antes. e assim foi
feito. a um sinal de alaão o escorpião chegou para perto dele e apontou
na direção da aldeia. e alaão disse:- todo o ouro que se encontra
naquela aldeia que se transforme imediatamente em pedra. e tudo que
era ouro havia sido transformado novamente em pedra. todo o povo da
aldeia de puai voltou a trabalhar como fazia antes. as brigas
desapareceram, o ódio deixou de existir entre eles. a paz voltou a reinar
no meio de todos porque não havia mais ouro. e voltando para os
meninos disse: o reino que eu lhes disse que iria construir , será
construído por cada um de vocês dentro do coração de cada um.
enquanto existir uma criança sobre a face da terra , aí estará o meu
reino, eu estarei presente. por favor meus amigos quando quiserem falar
comigo não é mais preciso vir até o alto desta montanha, eu estarei
brincando com vocês, onde estiverem. por menor que seja o brinquedo
de uma criança eu estarei ali do lado dela amparando-a e orientado no
caminho do bem. obedeçam sempre aos seus pais eles sabem tudo que
há de bom para os seus filhos . e agora prestem atenção ao que eu vou
fazer com este escorpião que transforma pedra em ouro . a um simples
sinal de alaão o escorpião começou a subir em direção ao céu. subiu ,
subiu até sumir de vista e a gente só poder ver umas luzinhas saindo das
patas do escorpião. e assim alaão disse aos meninos:- o escorpião
ficará no céu. de lá ele nunca mais sairá. a partir de hoje g podem
chamá-lo de ‘’’ constelação de escorpião’’’ porque as sua lentes
brilhantes que transformavam pedra em ouro se transformaram em
estrelas.
puai e os meninos , seus amigos, retornaram à tribo e foram
recebidos entre abraços e carinhos. todos estavam completamente
arrependidos do que havia feito e dali por diante viveram felizes para

51
EM BUSCA DA CAVERNA.
52

sempre. só puai e seus amigos ficaram sabendo de uma nova


constelação que aparecera no céu e , de vez em quando, eles ficavam ,
namorando aquelas estrelas que passaram a ser suas melhores amigas.

quando sebastião acabou de contar a história de alaâo os deuses dos meninos já era tarde
da noite. a constelação de escorpião já ia bem longe, e apareciam no horizonte outras
constelações. cada um dos meninos procurou acomodar em suas barracas. quem sabe,?
para talvez sonhar com o deus alaâo e puai.

sebastião enrolou em seu cobertor e deitou ao lado da fogueira perto do rex que ficara
de guarda.

era o fim do primeiro dia da excursão. o silêncio descera sobre o acampamento.


somente a luz dos lampiões e o resto da fogueira ainda davam um sinal de vida. aos
poucos a fogueira foi também morrendo e os lampiões apagaram por falta de azeite, e
a mais densa treva desceu sobre a terra. só lá no firmamento , as luzes das estrelas .

sebastião não pegou logo no sono ficou pensando sobre o que ainda haveria de
realizar. até o dia que eles subiram à sua caverna encantada. os homens haveriam de
compreender um dia que a felicidade depende, não das coisas valiosas mas sim da
simplicidade da vida.

a felicidade virá um dia para os homens, è só eles procurarem onde ela se encontra.

aqueles setes meninos já dormiam e sonhavam com a felicidade. a madrugada chegara


bem fria. o nevoeiro tomara conta de toda campina onde se achava o acampamento.
não se conseguia ver nada a frente a uma distância de cinco metros, de tão denso era o
nevoeiro . porém , a temperatura não estava muito baixa. o rex procurava enrolar o
focinho para se proteger do frio.

sebastião que já estava acordado percorreria as barracas que eram só duas, e procurou
avivar a fogueira para esquentar do frio. dai a uma hora o sol começaria a despontar no
horizonte. primeiro começou surgir uma mancha branca no oriente, depois esta mancha
foi mudando de cor para o vermelho, ate quando uma ponta do astro rei começou a
surgir. sebastião chamou todos os meninos para ver o sol nascer. cada um levantou com
o cobertor enrolado nas costas e sentou ao lado do fogo. porém todos calados apenas

52
EM BUSCA DA CAVERNA.
53

murmuravam de vez em quando. - ai que frio, mesmo assim diziam entre os dentes, que
mal dava para compreender .

pouco a pouco a névoa foi se dissipando. um clarão de luz já aparecia no céu


longínquo. agora o nevoeiro já se afastara bem de onde se encontravam os nossos
heróis. apenas gotas de orvalho nas folhas mostravam a sua presença. já se avistava a
mata lá embaixo contornando com o pasto. as montanhas da nossa esquerda já eram
banhadas pela luz do sol. enquanto que no vale apenas o reflexo daquilo que
haveriam de descer tão logo, e o astro rei , subisse um pouco na órbita celeste.

todos os meninos que haviam levantado para esquentar ao fogo, já estavam ali
dormindo, deitado de qualquer maneira no chão. rex aproveitava para dormir entre
dois deles, só assim esquentaria o seu focinho.

sebastião fitou o infinito e caminhou um pouco até onde passava o riacho,


contemplando o céu e a natureza.

a cobra cascavel

o silêncio era terrível, nem mesmo os grilos, nem os insetos vinham espantar aquele
vácuo que descia sobre o vale. apenas o cérebro de sebastião funcionara no meio
daquele turbilhão de seres que, embora vivos, ainda dormiam o sono da inocência.
sebastião contemplou toda a paisagem. a sua frente era o pasto que sumia de vista
fazendo curvas e mais curvas através dos morros. havia uma cerca de arame que
dividia o pasto com a floresta que era imensa e , em cima das folhas verdes observava
as folhas brancas de embaúba. atras era a montanha de monlevade, jazida de ferro a
espera de ser extraída da natureza. e tudo aquilo estava deserto de população. era
preciso muitos anos para ensinar o nosso povo a usar aquela terra imensa;- estava
muito longe ainda o dia em que haveríamos de conhecer toda a verdade à cerca do
nosso passado- murmurava sebastião; - o passado e o futuro nos acompanham como
um fantasma. o que poderemos fazer para que as mentes se despertem? todos esse
meninos que ainda dormem o sono da inocência, como será o futuro deles. qual será a
ilusão com que eles sonham? todos os dias nos vemos diante dos nossos olhos , tantos
meninos enfileirados . vindo de todos os recanto da pátria a vagar pela estrada do
ideal. mas o dia em que nós adultos, mostrarmos ser seus amigos, e marcharemos com
à sua frente, mostrando a doçura da fraternidade humana, veremos também que com

53
EM BUSCA DA CAVERNA.
54

apenas um pouco de boa vontade e otimismo poderemos endireitar o mundo em pouco


tempo. - até mesmo antes de chegarmos ao século 21. è só termos boa vontade e
compreensão para com o próximo uma palavra para com o desconhecido. um sorriso
para as crianças das estradas. quantas pessoas morrem ao abandono, só por não ter
uma voz amiga que respondesse ao seu sussurro.

quantas pessoas vêem em nossas portas oferecer mercadorias para comprarmos e,


todavia, ninguém é capaz de chegar em nossa casa e dizer: - vamos conversar um
pouco amigo?

a cobra cascavel

assim pensava sebastião, sentado à beira do riacho que cortava incessantemente a


planície. no fundo do rio já resplandecia nas pedras de cristal a luz do sol. no
acampamento os meninos já brincavam e o alarido era grande. agora já estavam todos
alegres sorridentes, enquanto rufino e outros preparavam o café da manhã.

assim é a comida daqueles que se dispõem à vida rude do acampamento;- café de


rapadura, carne seca com farinha, ou torresmo com farinha. após o repasto do
estômago, todos guardaram o material dentro das mochilas e guardaram-nas dentro
das barracas . combinaram entre eles que não sairiam naquele dia, só no outro dia de
madrugada é que levantariam acampamento. naquele dia faríamos observação pelos
arredores. estudariam a topografia do terreno, a vegetação a fauna e as habitações
caso tivesse. seriam divididos em grupos de três elementos, e três deles ficariam
fazendo o almoço, que por sua vez seria substituído por outro grupo no outro dia.

sebastião saiu com um grupo de três meninos para o mato onde iam caçar comida para
aquele dia, e também aprenderiam com sebastião um meio de sobrevivência na selva.
isto aprenderiam a conhecer o que poderiam comer em caso de necessidade. assim com
frutos animais.

eram oito horas, o sol já queimava a nossa pele e mostrava que naquele dia ia ser mais
quente apesar da cerração que caíra durante a noite. com sebastião a frente, seguindo
por um caminho feito pelo pés dos homens e dos animais , os meninos seguiram
atentos.

a frente, a mata misteriosa com todos os seus desafios , diante de uns quinhentos
metros. a medida que iam andando para a frente, o acampamento ia ficando para traz, e

54
EM BUSCA DA CAVERNA.
55

só se via a sua fumaça que também ia sumindo. o florisvaldo sempre olhava para traz
para ver o que restava do acampamento. de repente na floresta uma coisa misteriosa
no espirito de todos. era a diferença de temperatura, e a diminuição da luz solar que
provocava aquela sensação de calafrio pelo corpo que provocava uma modificação no
espirito de cada um. os meninos estavam bastante alegres, cantavam e assobiavam
quando então sebastião gritou:- cuidado! uma cobra cascavel. todos correram para traz
e sebastião com um pedaço de pau estava à espera da cobra que estava em rodilha.
balançando o seu chocalho. e sebastião aproveitava a ocasião para explicar: - a cascavel
é uma cobra muito mansa. porém sua mordida é super venenosa que é morte certa.

os meninos viram pela primeira vez uma cascavel. e sebastião dizia que é uma tradição
matar toda a cobra que aparece pela frente , e com uma só paulada esmagou a cabeça da
cobra.

os meninos ficaram estarrecidos quando a cobra ficou se remexendo


depois de morta e sebastião dizia que era devido ao veneno que a
mesma contem a isto se chama animal peçonhento, o rufino disse que na
terra dele havia muita cascavel e que ele mesmo já tirou muito couro
deste tipo de cobra. e imediatamente pegou o canivete e começou a tirar
o couro. os outros vendo ele fazer isto tomaram coragem e ajudaram a
tirar o couro. até que era um quadro interessante quatro pessoas tirando
o couro de um animal tão pequeno. uns seguravam na cauda onde tem o
chocalho , outro cortava a cabeça colocando-a em um buraco para que
ninguém se envenenasse nos dentes na mesma. rufino tinha um jeito
muito especial para tirar couro de cobra que em 15 minutos já tinha
extraído o mesmo: agora , dizia ele , é só deixar no sol para secar e levá
lo como troféu assim que retornasse para casa:- aquele quadro serviu de
advertência para todos, dizia sebastião, a natureza é implacável com
todos. não perdoa os incautos que brincam com seus segredos, nada
absolutamente nada será perdoada àqueles que diante da natureza
queira desobedecer as suas leis.
durante a caçada , andaram muito e não trouxeram nada, a não ser
um punhado de carrapato. chegando ao acampamento fizeram um, fogo
de labareda bem grande para matar os carrapatos da roupa. os outros

55
EM BUSCA DA CAVERNA.
56

meninos que não tinham saído do acampamento, não quiseram sair por
causa dos carrapatos que os colegas pegaram de manhã cedo. a tarde
colheram algumas ervas silvestres como. barbaço, ‘’ mãe boa’’ e fizeram
um banho de ervas para retirar o veneno dos carrapatos . dentro de um
cercado de lona , para se proteger da corrente de vento iam passando
sabão de dicuada , “sabão feito em casa,” e depois colocava por cima do
corpo o banho com folhas de ervas.
felizmente todos pararam de se coçar depois do banho e sebastião dizia que esta tinha
sido a primeira prova para aqueles queriam visitar a caverna , depois do jantar
acenderam uma fogueira bem alta e sentaram ao redor: porém não tinha o mesmo
entusiasmo da noite anterior , mesmo assim não deixaram de conversar sobre os
acontecimentos do dia.

cada um tomando chá feito com folhas de ‘’ chapéu de couro’’


adoçado com mel de abelhas , que era melhor do que café : ali sentados
ao redor da fogueira estavam os quinze meninos que um dia , subira à
montanha a procura de uma caverna e ouviram sebastião dizer: -’’ assim
ou pior do que isto será o grande dia em que subiremos à caverna, nós
devemos conhecer quase de tudo antes de começarmos a grande
caminhada. devemos aprender de tudo: matar cobra , fazer comida,
costurar roupa, dar banho no companheiro mordido por carrapato’’
quando sebastião falou em mordida de carrapato foi motivo de riso para
todos, principalmente o viking que mais sofreu com o carrapato. foi
preciso ficar nu e os companheiros tirando os carrapatos do corpo.
também pudera longe da civilização não era motivo de vergonha ficar nu.
aquela risada de todos fez com que sono despertasse um pouco, sono
este que quase se aproximava sim ! falou o elmo, até que o viking
estava muito engraçado correndo sem roupa pelo campo afora; parecia
até um indiozinho. nesta hora o viking ficou corado de vergonha ,
achando ruim da brincadeira:- olha só, já começaram a fazer zombaria
comigo, somente porque eu sou pequeno. mas vocês vão ver . eu vou
crescer , e ficar grande, e assim subirei lá nas montanhas mais altas do
mundo, subirei muitas vezes.

56
EM BUSCA DA CAVERNA.
57

:- mesmo pequeno assim como era o viking, um menino de sete anos,


qual ainda nem estava freqüentando a escola primaria, iria também subir
a montanha à procura da caverna encantada. ele, como os seus
companheiros, meninos como eram, subiram , um dia, o maior monte
sagrado do mundo , no qual encontrariam o que de mais misterioso
existe. os meninos que habitarem o mundo no ano de 3000, também
procurarão a sua caverna encantada, onde verão o seu mundo
encantado. alo meninos do brasil do ano de 2500 ou 3000 ? como está o
mundo neste ano? já encartaram a caverna encantada falada por mim
há muitos anos? se ainda não encontraram, é preciso procurá-la, vejam
ela está além daquela serra que vocês vêem todos os dias antes do
nascer do sol. corra até lá e vocês a encontrarão. assim ia sebastião
pensando, e continuava:- hoje milhares de anos que existe a civilização,
e nós estamos aqui no acampamento onde aprendemos como devem
fazer para procurar a caverna. . os homens acham que conquistando o
espaço terão encontrado o caminho alternativo para sobrevivência da
espécie humana: puro engano. o verdadeiro caminho esta na direção
oposta do espaço. é preciso descer antes de subir. em toda subida
precede uma descida; ai então sim, a subida será triunfal e gloriosa.
sim, meninos de todos as épocas procurem um lugar encantado onde possam morar ou
brincar sem que os adultos venham importunar-lhes os seus sonhos de fantasia.

:- o pior de tudo, continuava pensando sebastião, é que eles nunca encontrarão o reino
encantado neste mundo de terceira dimensão, ou melhor, para eles encontrarem aquilo
que buscam, terão que procurar a vida inteira, desde pequena, pela juventude, pela
vida afora, sempre procurando através dos montes, atras das flores. junto das
cachoeiras, nas florestas escuras e sombrias, no himalaia, nas profundezas do oceano,
em cima das arvores dentro dos ninhos dos passarinhos, nos dias de chuvas , nas noite
de lua clara, enfim teria o homem que procura-lo por todos os recantos da terra.
também , por que não dizer dentro de si mesmo, na palavra amiga, na felicidade e em
tudo aquilo que representasse o amor?? o dia em que todos os homens da terra
procurassem a felicidade onde ela realmente se encontra, o mundo tornaria um paraíso.
mas enquanto não a encontramos. teremos que procura-lo sempre. será, talvez esta, a
única maneira que nos conduzira realmente a felicidade .

57
EM BUSCA DA CAVERNA.
58

a palestra continuava animada no acampamento,aquele riso fez com que todo mundo
ficasse alegre e logo deu vontade de cantar. e àquela hora da noite já cantavam e
dançavam a ‘’ dança do touro’’ a dança do touro é uma dança africana na qual todos
dançam em pé , formando um grande círculo tendo no centro um elemento um pouco
maior , que com uma lança vai imitando a captura de um leão, gesticulando como se a
fera estivesse escondida na sua toca, e ao mesmo tempo cantando em língua africana:
en goiamá, en goiamá, envô bô, e os que fazem parte do círculo, vão andando a passos
lentos, ora virando à direita e ora à esquerda e vão respondendo: abo, yabo envo bo. os
meninos se vestiam para esta dança de capim nas pernas, na cintura e na cabeça. e
assim iam os garotos cantando até já quase 11 horas da noite, quando caíram sentados
já cansados de tanto dançar.

enquanto as estrelas cada vez mais brilhavam no céu, mais a fogueira ardia no
acampamento naquele sertão deserto . e mais a nossa alegria se expandia no recôndito
íntimo do nosso ser.

era interessante ver como todos aqueles meninos se manifestavam da maneira mais
estranha que pudesse parecer aos nosso olhos. cada um procurava dançar a seu modo
como muito bem quisesse. pois eles muito bem sabiam que ninguém se incomodaria da
sua atitude. uns dançavam caindo com as duas mãos no chão como um ritual diabólico.
outros colocavam a mão no chão e suspendiam os pés para cima como que ‘’
plantando bananeira’ e caminhavam com as mãos no chão . é tudo isto fazendo um
alarido tremendo com os cantos que iam cantando abo yabo en vo bo.

quantos dos que ali estavam não procuravam libertar-se de todo recalque que os
inibiam, fazendo com que cada um se manifestasse a sua própria alma?? aquilo que é de
ruim e está em nosso coração deve sair para melhorar o nosso ser. aquele que tem só a
maldade dentro de si, deve parar um pouco e refletir que tudo isto , mais tarde ou
mais cedo, só serviria para infernizar-lhe a vida. e então será tarde demais para queixar-
se. enquanto que aqueles possuidores de bondade no coração deverão refletir a sua
bondade através dos olhos para fazer a felicidade dos homens.

todas as criaturas do mundo devia ser assim:- procurar estirpar o que haveria de ruim e
inibido no íntimo do seu ser , nas profundezas do seu espírito não haveria mais mentiras,
nem deprimidos, obsessivos compulsivos e o mundo seria mais feliz.

58
EM BUSCA DA CAVERNA.
59

mas como não fomos nós que fizemos o mundo. e nem tão pouco seremos nós que
vamos consertar, o melhor é nós fazermos a nossa parte para contribuir à felicidade da
humanidade ‘’ consertando ‘’ a nós mesmo.

assim ia pensando sebastião enquanto que os meninos iam parando de cantar e dançar
esperando que seu melhor amigo fosse contar a história daquela noite.

fazendo de conta que não estava sabendo o que queriam, perguntou-lhes de uma
maneira que não soubesse da resposta positiva: - ‘’ vocês querem que eu conte hoje
uma outra historia para vocês’’?? e a resposta foi dita que se como ele já esperava.

a montanha da china

sebastião até aquele momento não tinha pensado em nenhuma história , nem sabia qual
ele deveria narrar àquela noite , e começou a olhar para as estrelas como que
procurando lembrar de algumas ou fazendo preambulo como era sempre o seu natural.
num segundo o seu pensamento foi no infinito e voltou: a bem da verdade é que a sua
cabeça estava complemente vazia, mas havia uma coisa mais misteriosa. à frente - ‘’ não
podia deixar aqueles meninos desiludidos de algo que eles tanto gostavam. depois de
passar a mão na testa e dar um suspiro bem fundo , começou a dizer:

a montanha da china

existiu , há muitos anos passados, lá na velha china uma família de camponês que tinha
muitos filhos. o chefe da família chamava-se cho-chi-min. e sua bela esposa lin tin sin-
residiam ao sopé de uma montanha das tantas que existem naquele país cho chi min
com seus doze filho passavam o dia inteiro na lavragem do campo para o plantio do
arroz, muito cultivado naquela região. o trabalhai era feito desde a hora que o sol se
punha do lado de fora até quando os pássaros procuravam os seus ninhos ao cair da
tarde. viviam muito felizes pois a terra era generosa e seus frutos matavam a fome de
qualquer ente humano que por ali passasse todos os dias após o término do trabalho,
reuniam todos ao redor da fogueira e iam cantando e cantando a história da formação
do mundo.

todos as vezes que se realizava as festas das lanternas , lin tin sin contava a seus filhos
a história da moça que pedia que seu pai trouxesse para ela um pedaço de pedra da
antiga muralha da china. estranho pedido daquela moça. que faria ela com um pedaço de
pedra? e a tragédia sucedida com o pai de outra moça ao chegar perto da muralha se

59
EM BUSCA DA CAVERNA.
60

transformara em pássaro. era outra história da moça que também pediu ao seu pai
um pedaço de pedra da muralha

tudo aquilo fascinava os seus filhos e filhas como se fosse uma coisa misteriosa a atrair
todo mundo.

o pai sempre dizia a seus filhos que um dia ele desmancharia a montanha da sua região
para poder melhor comunicar-se com os outros povos que habitavam o outro lado.
durante um dia do mês ele e seus filhos se dedicava a subir a montanha, onde com uma
pá picareta e enxada, começava, a cavar o morro, só voltando dali quando o sol já
tinha entrado e desciam o caminho já na escuridão sem ter medo de coisa alguma que
aparecesse. todos os seus vizinhos diziam que ele estava doido em querer fazer uma
coisa que até hoje ninguém tinha tentado. mas cho chi min não desanimava, e , sempre
partia com seus filhos para cumprir a missão de desmanchar a montanha.

certa vez , quando os nosso heróis estavam cavando a montanha,


que um dia daria passagem aos povos dos dois lados apareceu-lhes uma
pessoa esquisita, estranha com aspecto de gente de outras terras, e
quando viu que estavam cavando o morro perguntou qual era o objetivo
de tal ação. ao que lhe foi respondido - ‘’ ah senhor , isto é uma história
muito grande, seria preciso explicar-lhe a vida inteira para o sr entender:
ao que o visitante respondeu:- ‘’ pode começar a explicar pois eu não
tenho pressa’’ ‘’ tenho a vida inteira para isto’’ cho chi min sim , tinha
falado assim só para ver se o homem fosse embora e deixasse ele
trabalhar em paz. mas como viu que o homem não foi embora , yo chi
min e seus filhos sentaram no chão , o visitante também sentou enquanto
escutava as palavras doces do camponês que ia descrevendo as
maravilhas que um dia o povo do outro lado da montanha, pudesse
transitar livremente sem ter que subir e descer, com a retirada com a
retirada do mesmo. ele falava como se aquilo fosse um sonho e que um
dia tudo seria realizado. como nas festas das lanternas. os seus filhos
também acreditavam fielmente no que seu pai dizia. realmente era
assombroso desviar aquela montanha do caminho de dois povos , o bom
moço ouviu toda a história e quando lembrou de descer a serra, já era
bem tarde da noite. porém antes de despedir um do outro falou o

60
EM BUSCA DA CAVERNA.
61

visitante:- ‘’ esta idéia é muito boa, porém, talvez nem daqui a mil anos
com todos os habitantes da china, trabalhando noite e dia, conseguirão
fazer este trabalho, yo chi min respondeu - “ não importa, trabalharemos
o tempo inteiro durante toda nossa vida e um dia veremos nosso trabalho
realizado.
yo chi min, não sabia que aquele homem era uma espécie de
lendária que habitava há muitos anos nas grandes montanhas da china. e
o moço disse :- ‘ ’eu sou o rei das montanhas deste país ‘’ ao ouvir isto
yo e seus filhos ficaram atônitos e sem dizer nada, como que paralisado.
vivo escondido no meio de todas as serras que vocês vêem na china. eu
me chamo meu nome não pode ser pronunciado e tenho o poder de fazer
este trabalho num abrir e fechar de olhos . ao ouvir aquilo o camponês e
seus filhos ficaram muito contentes pois agora o seu sonho podia
tornar-se realidade sem que ele dormisse para sonhos. “” se quiserem
posso fazer isto em um dia marcado para vocês’’’’ . falou o bom moço. a
única coisa que eu exijo é o segredo: que ninguém saiba como isto
aconteceu. o bom moço despediu de todos eles e imediatamente
desapareceu entre as folhas do mato.
naquela noite quando o camponês reuniu-se diante do fogo , como
de costume contou para sua esposa e os outros filhos o acontecido
daquela tarde . todos ficaram contente, pois enfim seria realizado o sonho
e dentro de um sonho de verdade. naquela noite ficaram conversando
até mais tarde. quando foram dormir só pensavam no dia seguinte em
encontrar o rei das montanhas transportar o monte pare bem longe dali,
talvez jogá-lo no mar.
naquela noite todos da casa sonharam. e por mais interessante é que sonharam todos a
mesma coisa. e com que sonharam, sonharam com o rei das montanhas que estavam
em toda a família de yo chi min à margem do rio yang -tse e do outro se encontrava o
rei das montanhas todos caíram com a cabeça no chão ao vê-lo na outra margem. já
começava a clarear o dia, porém as primeiras luzes do sol ainda não tinham aparecido.
assim que o sol aparecesse no horizonte,... transportaria o monte para o meio do mar.
todos esperavam com ansiedade o grande momento. toda hora os seus filho menores
olhavam para traz vendo se o astro rei já aparecia. era uma ansiedade tremenda. parecia

61
EM BUSCA DA CAVERNA.
62

até que naquele dia não teríamos sol. aqueles poucos segundos passaram passou-se
como se fosse uma eternidade. cada vez mais o clarão do dia aumentava estava quase
na hora da grande revelação.

de repente uma luz muito clara e muito intensa caiu sobre todos os presentes. era a
força poderosa... que ia manifestar . durante poucos segundos ninguém conseguiu ver
nada porque a luz impedia,... que estava ajoelhado diante da montanha fez um sinal e
aos poucos toda a montanha foi se levantando devagarinho, depois tomou a direção do
mar, onde ninguém mais a viu. nisso cho chi min e toda a sua família abriram os olhos e
não mais viram diante deles o rei das montanhas, assim também não mais viram diante
de si a grande montanha que eles teriam tanto trabalho para desmanchar, no seu
lugar já se podia ver perfeitamente do outro lado. ali transformou como se fosse uma
planície muito grande. todos encheram de contentamento pois a idéia de yo chi min de
unir duas aldeias tinha sido realizada como um sonho de fada. agora era preciso todos ir
avisando todo muno que a passagem já estava aberta e tornava-se mais do que nunca
vivermos bem unidos para construir uma pátria melhor.

assim fizeram. todo o povo da china ficou sabendo da passagem aberta para montanha
onde se encontravam cho chi min e sua família. ali onde a planície apareceu, fizeram
uma imensa plantação de arroz, arroz este que nascia na metade do tempo que era
preciso em outras épocas no pé da montanha. também para aquele lugar começou a
parecer uma porção de gente de todos os lugares da china.

cho chi min e seus filhos nunca disseram a ninguém segundo a promessa feita ao........
rei das montanhas.

quando todos acordaram contaram com o que haviam sonhado ; e como tinham sonhado
a mesma coisa, desconfiaram de que tinha sido verdade aquele sonho. então sairiam
todos correndo para ver onde se encontrava a montanha. e chegando lá não mais virão,
e no seu lugar , e no seu lugar apenas se encontrava uma planície muito grande. o ...
havia cumprido o que prometera, tirara a serra do lugar e deixou apenas a planície.

• agora, falou cho chi min, é preciso fazer como apareceu no nosso sonho,.
avisaremos todo o povo da china sabre a passagem aberta. depois, então
plantaremos arroz em toda a planície.

62
EM BUSCA DA CAVERNA.
63

a partir daquele dia passaram a vir camponeses de todos os recantos do país para ver a
grande passagem aberta no lugar da montanha. todos vinham trabalhar ali na planície
sagrada como já diziam o povo.

durante muitos anos plantaram aquela planície de arroz e de trigo.


todo o povo da china vivia nos tempos passados. toda época das festas
das lanternas eles dançavam e cantavam agradecendo aos deuses por
feito àquela bondade para eles.
mas, junto à felicidade também apareceu a preguiça o ódio a inveja
entre eles e tudo de ruim que pode impedir o homem de progredir na
vida. não mais respeitavam às leis dos pais. muitos não mais queriam
trabalhar e só viviam jogando e roubando dos outros . como aquela região
progrediu muito também atraiu grandes mercadores que viviam só do
comércio. o povo que era feliz antes por ter que lutar com mais força
para sustentar a família, viu agora que a riqueza não trazia felicidade
para ninguém. a nostalgia e o tédio ia tomando conta de todo mundo.
não mais se trabalhavam. trabalhar para que? se tudo que plantamos
nasce tão bem , que só temos o trabalho de colher? assim já estava o
povo nesta situação.
cho chi min que já se encontrava bem velho e seus filhos todos crescidos viu que tudo
aquilo tinha sido prejudicial para o povo., pois, não tendo que lutar para ganhar a vida,
também perdeu entre eles o amor e a coragem. era preciso fazer alguma coisa para que
aquela situação não mais continuasse.

cho chi min ficava o tempo todo pensando o que deveria fazer para acabar com
aquela situação um dia sonhou novamente com o rei das montanhas e este lhe disse que
estava muito triste pois o povo não era mais aquele povo que antes trabalhava para
ganhar a vida, agora só vivia na orgia e se esqueciam das coisas sagradas sempre
aconselhadas pelos deuses. estou muito triste com o que o povo disse..... então cho chi
min perguntou se podia fazer alguma coisa para fazer o povo voltar como era dante. sim
: poder pode, mas é preciso fazer muita coisa, antes disso ele acordou , e imediatamente
chamou o seu filho mais velho e contou-lhe do acontecido.

vamos imediatamente procurar o.... e falaremos com ele. assim fizeram no dia seguinte
sairiam à procura. e no alto de uma outra grande montanha pediu ao rei que

63
EM BUSCA DA CAVERNA.
64

aparecesse pois havia grande necessidade de falar com ele. inesperadamente apareceu
por dentre as moitas de capim bem atras dos dois que o procurava .: - vocês estão me
procurando? perguntou... aos dois que ainda não o tinham visto. quando ouviram a voz
levaram um susto e viraram para ver quem falava. ah sim , nós o procuramos para...-
não é preciso dizer eu já sei de tudo. fui eu que estive no sonho com você ontem a
noite. cho cho min contou que estava muito triste e queria se fosse possível fazer
novamente a montanha voltar novamente para o mesmo lugar: claro que sim
respondeu... é o que eu vou fazer no dia de amanhã. desçam para aldeia e não digam
nada para ninguém.

no dia seguinte bem de manhã, apareceu no céu um aviso muito grande que dizia
assim “ atenção , atenção todo o povo da china venham todos e v vejam o que vai
aparecer hoje no mar saiam todos de casa e venham até a praia’’. todo mundo correu
até a praia e viu uma ponta de serra aparecendo como se fosse uma ilha aos poucos foi
crescendo até ficar tão grande como a montanha que dividia as duas aldeias e . sairá há
tantos anos passados . ela foi subindo até sumir no infinito, depois desceu e ficou no
mesmo lugar onde havia ficado e o tempo voltou ao passado como e nada tivesse
acontecido, apenas yo chi min e seus filhos sabiam o que tinha acontecido. todos eles
voltaram a serem pequenos como eram dante -s. tudo para eles tinha passado como um
pesadelo. a região voltou ao que era entes, yo chi min com seus filhos pequenos
voltaram novamente a trabalhar na roça, cultivando o campo e a tarde voltavam
novamente para cortar a montanha onde um dia devia dar passagem entre os dois
povos.

mas desta vez eles não aceitariam mais nenhum milagre queriam fazer tudo com seu
esforço. assim passaram muitos anos, yo chi min morreu e seus filhos já crescidos
continuavam a cortar a montanha.

passaram centenas e centenas de anos todo o povo daquela região viveu feliz porque
estava trabalhando para que um dia fossem muito felizes. e até hoje não terminaram de
cortar a montanha.

e o povo da china vive feliz até hoje, por que ainda não conseguiram abrir a passagem
. mas o dia que conseguirem serão felizes pois fizeram com o próprio esforço.

64
EM BUSCA DA CAVERNA.
65

depois de contar aquela história sebastião disse para os meninos que cada dia que êles
passassem em um acampamento era mais uma lembrança que teria em toda sua vida.
naquele momento os meninos já estavam tão cansado de cantar e de dançar e, agora,
depois de ouvir aquela linda história do sebastião, só pensava em deitar e dormir de tão
cansado que estavam. nem sequer comentaram coisa alguma a mais e foram cada um
deitar em suas barracas. sebastião,por sua vez, ficou acordado ao redor da fogueira.
naquela noite ele não foi repousar na sua barraca. ficou sentado apreciando as estrelas
que lá ia andando no céu. ele ficava várias horas namorando as estrela como que
ouvindo alguma coisa que parecia que elas queriam lhe dizer.e sebastião cismava: “será
que eu acredito nas histórias que conto para os meninos?” como foi que esta história
veio surgir de mim se eu nunca me lembro de sabe-la antes?quando quase tods as
constelações conhecidas já tinham desaparecido do céu,sebastião caiu por fim vencido
pelo sono e dormiu mesmo ali à beira da fogueira que já tinha se extinguido.e, no sono,
sonhou que estava em itabira juntamente com um velho amigo que não via hà muito
tempo..e passaram a visitar os pontos principais da cidade e

era natural que servisse de cicerone para o amigo. como o amigo também era
professor de história em outra cidade, ficou muito amigo dos meninos a ponto de o pai
do lobato mandou que o seu motorista levasse os dois para visitar a cidade. só que
sebastião não gostava de andar de carro. então às vezes, mandava o carro embora para
buscar só na hora de ir para casa quando ele então solicitava de novo o carro.

naquele dia sebastião ele não quiz esperar o carro que os levariam para casa. resolveu
descer mesmo a pé a rua santana, uma das ruas mais velhas de itabira com suas casas
relambrando o tempo coloniall, onde houve um passado de glória.

os dois desciam lentamente a ladeira sempre conversando sobre os mais variados


assunttos. sebastião, muito solicito, ia mostrando ao amigo as novidades que iam
aparecendo. uma casa antiga com seus portais góticos, outra casa de moradia com as
portas grandes e forte as que mais pareciam igrejas. a metade da rua ainda é calçada
com pedras de minério de ferro. quando passaram em frente ao colégio das írmãs´como
era assim chamado. sebastião disse:-este é o colégio da irmandade de n.s.das dores. esta
irmandade chegou a itabira a cerca de cem anos. desde então tem progredido muito e é
um internato só para moças. veja todos estes prédios, foram construidos por elas.os
dois fora,m conversando até subir o morro da prefeitura onde avistaram um chafariz de

65
EM BUSCA DA CAVERNA.
66

ferro maciço antigo encostado na parede de fora e em desuso hà muito tempo.aquela


peça histórica tinha sido fundido em itabira hà muitos anos e servia ao povo da rua
santana onde quase todas as pessoas apanhavam água em lata de querosene para usar
em suas casas.hoje esta peça se encontra no mais completo abandono e na solidão
servindo apenas de pouso para os passarinhos que lá tranzitam.

quando sebastião já se encontrava mais ou menos na parte dos fundos do prédio da


prefeitura,treis meninos. sendo que um deles estava sentado e vertia lágrimas dos
olhos,enquanto que os outros dois tentavam consolá-lo indagando a causa do choro.as
lágrimas que rolava da da face desciam até cair nas pernas e umedeciam a terra. em sua
mão o menino segurava um embrulho.sebastião, ao comtemplar um quadro como
aquele,lembrou da sua infância longínqua e tristonha,quando ele chorava à margem de
um rio tranquilo procurando uma nova vida que o coração dizia existir. mas para ele era
só sombra, fome e miséria. ninguém absolutamente ninguém voltava os olhos para
aquela criança que chorava. naquela época sebastião sonhava com um mundo melhor. e
hoje passado tantos anos o problema continua insoluvel. ou talvez até aumentando
como uma bola de neve

porque chora este menino?qual a força profunda que faz com que as pessoas
choram?estas e outras interrogações passava pela sua cabeça. se fosse preciso destruir
o mundo para que esta criança não chorasse, eu o destruiria.todos nós nascemos para
sermos felizes, mas se assim não pode ser é preciso destruir esta estrutura do homem.
tirar esta pedra bruta , lascada que vive dentro de nós desmanchar algo de velho e
errado que carregamos na nossa genética. um mundo novo onde não haja sombra de
dúvidas para os pequeninos. então construiremos dentro de nós mundo novo, uma nova
patria.

o verdadeiro objetivo de sebastião não era fazer nenhuma revolução como muitos
pensavam, antes pelo contrário, sua intenção era justamente colocar todos os meninos
no caminho do bem, da salvação da alma e do espírito. pois o espírito ainda está acima
da matéria. todavia o tom misterioso que ele apresentava em suas prática, fazia parte das
manifestações remotas enraizadas em seu espírito desde a sua infância. -:-” levarei
centenas deles até o vale do paraíba,onde , então ,retiraremos do fundo do rio a imagem
de n.s.aparecida que ali dorme a espera dos seus filhos. antes porém é preciso pensar no
meio de subsistência de toda esta gente durante a viagem.é preciso também ensinar a

66
EM BUSCA DA CAVERNA.
67

todos a ficar no silêncio e na solidão. quando eu me refiro silêncio e solidão não é ficar
sem falar com ninguém. não. não é isto. aconselhamos as pessoas a não se identificar
com os acontecimentos em torno de si. assim esta não identificação com as
manifestações de outros pensamentos, isto sim , é o verdadeiro silêncio.a meditação
pode até curar doença do corpo físico, como coração cérebro, pulmão e intestino.enfim
todo corpo somático se beneficia com as delícias do silêncio.o recanto sombrio do
bosque, o ar puro da montanha faz com que recuperemos o desequilíbrio do nosso
corpo físico.o apreciar do nascer do sol traz um bálsamo para o nosso seio

infelizmente o homem moderno esqueceu completamente do benfazejo de uma tarde de


primavera debaixo dosa eucalíptos. o dia que o homem parar um pouco para pensar e
dedicar um pouco para pensar no seu mundo interior, ele terá a paz tão procurada e
nunca encontrada porque ele só a ´procura onde ela nao se encontra. quando eu digo,
mãe natureza, não é preciso ser eremita no alto da montanha ou comer tâmaras no
deserto não! não é preciso tudo isto. a vida moderna impede que o homem seja simples.
mas ele pode fazer um esforço interno para ser o mais simples possivel.basta apreciar,
mesmo de demtro da sua casa um céu estrelado..ou um dia de sol quente com um céu
sem nuvens quem não pode sair de casa apreciando a natureza, que aprecie uma rosa do
seu jardim. o importante é a paz do homem sobre a terra. è ele saber enfrentar todos os
problemas que surge pela frente antes de tudo, problemas interno que devem ser
resolvido internamente. ao deitarmos à noite façamos uma reflexão sobre tudo que
aconteceu com a gente durante o dia . e logo ao levantar tenhamos força para fazer
com que tudo corra bem durante o dia.

as eternas creaçãoes da alma e do espírito so são posiveis no silêncio e na solidão. o


barulho é a ordem da turba que acompanha os desorientados em direção ao abismo. o
silêncio é a voz mansa que dirige os homens. os loucos, os depravados os sexuais, e os
malvados, foram vítimas da algazarra e do barulho.

o silêncio e a solidão e todas as outras virtudes do homem são as alavancas que movem
as montanhas do espírito.

sebastião acordou assustado com aquele sonho esquisito que ele teve mas depois se
acalmou. as estrela já iam todas sumindo no céu, dando lugar as luzes vermelhas do sol
nascente. começava se mais um dia de atividade de acampamento.

67
EM BUSCA DA CAVERNA.
68

naquele dia os meninos desenvolveram as suas atividades interrompidas , a toda hora,


por um banho no riacho que corria logo ali perto. depois da última refeição prepararam
para mais uma noite de sonhos com as história de sebastião

Sebastião acordou assustado com aquele sonho esquisito que ele teve

mas depois se acalmou. As estrela já iam todas sumindo no Céu, dando lugar as

luzes vermelhas do \sol nascente. Começava se mais um dia de atividade de

acampamento.

Naquele dia os meninos desenvolveram as suas atividades

interrompidas , a toda hora, por um banho no riacho que corria logo ali perto.

Depois da última refeição prepararam para mais uma noite de sonhos com as

história de Sebastião

Era já tarde da noite , todos os meninos estavam sentados em torno da

fogueira que ainda crepitavam alguns galhos de candeia que estavam meio

verde. todos aguardaram a história que Sebastião deveria contar aquela noite.

Mas ele estava demorando a começar. Os meninos sentiam que alguma coisa

diferente estava acontecendo. Quando então o Sebastião começou a dizer:- ‘’

hoje vamos fazer uma viagem’’ E todo mundo começou a exclamar : - ‘’ Mas

como? fazer uma viagem a uma hora desta da noite? E Sebastião começou a

explicar : - ‘’ A nossa viagem é ao interior de uma semente’’ A exclamação foi

ainda bem maior e todos estavam atônitos por não entender o que era aquilo.

Mas ao mesmo tempo estavam confiante por que o Sebastião sempre sabia

das coisas. E para ele nada era impossível. Depois que os ânimos se

acalmaram. Todos se colocaram mais a vontade com os cobertores nas costas,

e se juntaram mais por causa do frio . E então o Sebastião começou a dizer : A

viagem ao interior de uma semente que eu me referi trata-se de uma

aprendizagem que vocês vão entrar em contato e que servirão para toda vida.

qual a melhor semente para a gente viajar dentro dela? Perguntou ele ¨. Cada

68
EM BUSCA DA CAVERNA.
69

um sugeriu uma semente mais ou menos conhecida. Falou-se em jabuticaba pé

de laranja , não é pé de laranja dizia outro é semente de laranja. E assim

ficaram discutindo cada qual sobre que semente eles iriam viajar para dentro.

E o Sebastião começou a falar que toda a planta tem vida, tem alma, sofre ,

chora , fica alegre e morre. E a alma da planta nos chamamos de sementinha

cada árvore tem seu sementinha que pode se manifestar para nós de diversas

formas :- Pode ser uma sementinha de trinta centímetros, pode ser de cor de

rosa, cor de violeta.

Todos estavam assim, como que, hipnotizado com as palavras do Sebastião.

De repente as coisa começaram a rodar em torno deles como que uma grande

ventania. E rodaram, rodaram até cairem em sono profundo. E, muito depois,

foram acordando devagarinho como que azoinado. E viram uma figura de uma

pessoa que estava parada no a mais ou menos um metro do chão. Não estavam

entendendo nada . Só daí a uns minutos, notaram que era o Sebastião.

E Sebastião começou a dizer: - Lembram que u falei com voces que eiam

traze-loa ä terra do jatobá?

Pois aqui nós estamos. Vejam o templo. Mas os meninos não viram nada . E

Sebastião mostrou lhes uma arvore de JatobÁ mais ou menos de 21 metros de

altura e, no trnco havia uma passagem que mal dava para uma pessoa adulta

passar. Sebastião disse que nós iamos entrar ali, e ele mesmo se abaixou e
conseguiu passar pela passagem apertada . E todos os meninos seguiram –no e

ao chegar lá dentro era um templo enorme de mais de 50 metros de altura ,

grande e largo

Todo, parecia de pedras preciosas. Da Abóbada e no centro do templo uma

gigantesca arvore de jatobá de quinze metros de altura carregada de frutas

maduras no ponto de comer. No alto da Abóbada do templo havia um cristal

muito grande por onde fluía a luz do sol e se desdobrava no mais lindo arco-íris

já conhecido mundo. Inclusive as cores do arco -íris quando batiam em uma

criatura sementinha resplandecia com muito mais intensidade.

69
EM BUSCA DA CAVERNA.
70

Quando os meninos viram tudo aquilo ficaram pasmados. Nunca tinha visto

coisa igual. Era de uma beleza inigualável. Pediram licença aos sementinhas

para subir na arvore para pegar jatobá ; era jatobá da mais linda espécie e de

um gosto diferente daquele que estávamos acostumados aqui no mundo físico..

subiram na arvore encheram as mochilas com frutas, e naquele momento as

criaturas sementinhas ficavam no mais silêncio absoluto. Então quando os

meninos desceram da árvore notaram que as criaturas totalmente paralisadas.

observando que o sementinha daquela planta estava chegando. Porque os

meninos já sabiam que cada planta tem um sementinha e , quando chegou o

sementinha da arvore do jatobá, puderam ver que se tratava de um criatura em

forma de menina , de sessenta centímetros de altura e tinha um vestido rodado

abaixo do joelho, vestido de cor branca. e ela estava muito contente por ter

recebido a visita em seu templo de meninos da terra humana e o sementinha do

jatobá disse para os meninos em forma de transmissão de pensamento:-’’

Todos as vezes que vocês quiserem, podem vir aqui visitar o templo do jatobá.

Se não puderem vir até aqui na terra do jatobá , vão até perto de um pé de

jatobá, com muita educação, silêncio, e rogue pela minha presença e eu

aparecerei : Para poder ajudar vocês no que quiserem continuou falando o

sementinha do jatobá : - ‘’ Agora venham todos para o meio do salão que vamos

ouvir música cantada pelo futuro sementinhas que vão proteger as arvores
no mundo da terra.

E todos se sentaram no chão e começaram a olhar para as paredes do

templo, que estava todo iluminado pela luz do arco íris e a luz era refletida nas

folhas que estavam em toda amplidão do templo. Então apareceu na parte

superior do templo uma ‘massa’ de luz que seriam os futuros sementinhas da

terra;; E eles começaram a tocar uma música totalmente desconhecida para

eles, salvo alguns meninos e o cachorro Rex que já tinham um pequena

lembrança de música semelhante aquela que estavam chegando as suas

mentes através da telepatia dos sementinhas. Parecia alguma música de

Mozart , alguma coisa da flauta mágica. Terminando a apresentação, todos

70
EM BUSCA DA CAVERNA.
71

agradeceram pelos jatobás e pela música que foi apresentada. Puderam ver

também toda a evolução de uma árvore , como nasce a semente, como é a

busca da seiva através da coifa que é um ponta da raiz que recebe a seiva e

toda a nutrição da arvore. E viram também impregnadas nas paredes do templo

como uma planta morre. Pois elas todas tem o seu ciclo de vida que é desde o

nascimento até a morte. Ou seja, até o momento em que as arvores ficam

secas e só servem para fazer lenha para fogueira . E mesmo assim elas , as

madeiras, não ficam sozinhas , tem sempre uma sementinha

ao seu lado. Até mesmo quando estão queimando no fogo, tem os

sementinhas do fogo que pode se apresentar para nós em forma de

salamandra ou seja, uma pequena lagartixa .

Depois de ver tudo dentro do templo os sementinhas ficaram a disposição

para alguma pergunta que os meninos quisessem fazer: E todos se

manifestaram o desejo de aprender os palavras que chamavam os sementinhas

para perto dele e foi ,lhes dito que isto só será possível quando eles voltassem

para o mundo físico e fizessem um trabalho interno sobre as suas condutas. Ou

melhor a partir do dia que vocês tiverem a coragem de olhar para o seu interior,

e descobrisse todos os seus defeitos e pedisse ao deus interno que destruísse

aquele defeito, vocês conheceriam tudo a respeito dos palavras e a respeito de

tudo da vida e da morte . E o sementinha do jatobá disse alguma coisa já quase


na hora que eles estava saindo do templo. Parecia mais um enigma do que

mesmo um ensinamento: - Ele disse :- ‘’ Procurem a roda Shimon’’ e disse os

palavras aaalaaaonnnnn eennnn e depois não disse mais nada. Todos saíram

de dentro de templo e , assim que passara o portal principal e olharam para traz

o templo estava do mesmo tamanho que antes; cerca de sessenta centímetros

de altura. E todos notaram para onde estava Sebastião, que permanecia imóvel

e quieto no mesmo lugar onde havia chegado.. Também foi chegando os outros

grupos de meninos que haviam saído para conhecer os templos das arvores ...

cada um deles contava para o outro experiência vivida. junto com os sementinhas

no reconhecimento da região, e então Sebastião lhes perguntou:- ‘’ Então

71
EM BUSCA DA CAVERNA.
72

conheceram o interior da semente de jatobá?? que tanto queriam conhecer?? E

continuou a dizer através dos pensamentos ‘’ - tudo que vocês viram aqui na

quarta dimensão é o que existe de mais real. É pena que vocês ainda não

tenham entendimento para compreender muita coisa que foi ensinado no dia

de hoje. Só muito mais tarde quando vocês fizerem um trabalho interno de

auto observação é que compreenderão que eu estou dizendo antes porém,

gostaria que vocês olhassem ao redor. Observassem tudo nos mínimos detalhes

Esta pequena viagem que nós fizemos é apenas uma amostra daquilo que

podemos ensinar a vocês.

--Depois que todos já tinham observado tudo, até a imobilidade da água no

riacho, a névoa que ficava ofuscando as suas vistas, já estava menos densa e

eles podiam ver um pouco mais longe. Conseguiram ver todos os templos de

todas as plantas e de todos os animais existente na terra do homem. Já

conseguiam conversar com os animais através do pensamento . Falavam com

as cobras, com os cachorros , e então nesta hora, Rex ficou reclamando das

vezes que ele latia e ninguém entendia o que ele falava. Descobriram que a

cobra só ataca pessoas ou não dependendo do coração das pessoas. - E

Sebastião disse: -’’ esta na hora de voltarmos para a casa, e os meninos de

todas as épocas gostariam de visitar a quarta dimensão que vocês visitaram .

Só tem um pequeno problema que vocês não deram em conta. Falou Sebastião:
Todos ficaram atentos ao que ele ia dizer. Até Rex parou de se coçar e ficou

atento com o focinho entre as pernas numa postura de ‘’pessoa’’ educada. E

Sebastião continuou falando : - ‘’ tem apenas pouco tempo que nós chegamos

aqui, e vejam vocês quanta coisa nós já aprendemos, e no entanto lá no mundo

físico, isto é, do local de onde nós viemos já se passam mais de 200 anos. Lá na

terra de nossas famílias já estão no ano de 2184, pois ao entrarmos aqui na

quarta dimensão, nós entramos numa fenda do tempo e ficamos presos a esta

fenda. Portanto não podemos ter pressa de irmos embora. Então os meninos

não ficaram preocupados porque não estavam entendendo aquilo que

Sebastião estava falando . Porém como Sebastião sabia o que se passava nos

72
EM BUSCA DA CAVERNA.
73

corações dos meninos,, continuou dizendo:- ‘’ Aproveitando que ainda estamos

aqui onde o numero de leis físicas é bem inferior ao numero de leis de nosso

mundo’ Portanto vou dar-lhes uma visão do mundo de hoje’’. E fez um sinal e

apareceu como se fosse uma tela de cinema e eles viram o ano de 2184, como

estava diferente já não havia mais carro como no tempo deles nem locomotiva

nem gado, nem galinha, A população da terra estava bem diminuída devido a

hecatombe que aconteceu no ano de 2012 a 2050 a cidade de Itabira tinha

apenas treis famílias que lá habitavam. as outras casas restante estavam todas

em ruínas e o povo não tinha coragem suficiente para fazer as coisas. Era tão

desanimado devido a uma mudança genética que se sucedeu após sucessivas

explosões atômicas.

E depois todos viram o futuro da terra ficaram pasmados olhando para

Sebastião como que dele pudesse sair alguma resposta. E o seu guia lhe disse

;-’’ vamos voltar para o nosso mundo terreno. . Porem , antes de voltarmos

quero dizer-lhes uma ultima palavra:-’’ Pensem em fazer uma mudança radical

em vocês quando saírem daqui e voltar para as suas casas. Lembrem de todos

os ensinamentos que receberam aqui transforme todas as impressões . Pergunte sempre

ao coração quando tiver qualquer dúvida e ele trará a resposta certa. procurem acordar

no sonho e ver que o nosso sonho nada mais é que uma viagem a outras dimensões.

Agora prestem atenção ao que eu vou lhes dizer:-’’ Fechemos os olhos lentamente,

concentrem profundamente no coração: Enquanto os meninos estavam concentrados

Sebastião pronunciou algumas palavras que os meninos não compreenderam : ‘’ Agora

pode abrir os olhos ‘’ disse o guia todos os meninos permaneceram calados e parados no

mesmo local. Ficaram assim por uns momentos e depois começaram a se levantar,

arrumar as barracas para dormirem pois estavam muito cansados, Sebastião estava com

um cobertor nas costas por causa do frio que já soprava aquela hora da noite. E os

meninos nada diziam foram dormir e dormiram profundamente naquela noite misteriosa.

73
EM BUSCA DA CAVERNA.
74

naqueles meses seguintes o sebastião teve que se ausentar da cidade de itabira, a fim
de refazer as forças, energia que havia gastado. antes de sair, porém ., sebastião falou
com todos os meninos que deveriam continuar se reunindo de 15 em 15 dias
procurando discutir entre todos os meninos os ensinamentos recebidos quando se
estavam no interior da semente de jatobá. deveriam também passar estes ensinamentos
para seus pais e levá-los a refletir sobretudo o que foi ensinado fariam tudo sem a
presença do guia que estaria longe com outros afazeres.

as histórias
foi com assombro que a população da cidade reagiu as histórias que
os meninos contavam quando estiveram no último acampamento , onde
eles visitaram a terra do jatobá, criaram até uma associação de
moradores para analisar as histórias que os meninos contavam: tinham
alguns deles que contavam tudo no mínimos detalhes. alguns falavam da
fogueira que acendiam e que o fogo não queimava o corpo deles. e eles
brincavam dentro da fogueira como se estivessem tomando banho no
rio de água limpa. alguns outros contavam que , quando estavam
brincando dentro da fogueira encontravam lá dentro outras pessoas de
formas diferentes e pequenas que ficavam conversando com eles, e

74
EM BUSCA DA CAVERNA.
75

lhes contavam as mais belas história de uma terra distante, onde elas,
as criaturas, haviam vivido há milhares de anos.
certo dia, a noite, quando todos estavam reunidos na associação de
moradores da cidade de itabira, um dos meninos , filho de um operário da
extração de minério , menino bem franzino que ninguém dava a mínima
atenção para o que êle pudesse fazer, por apresentar um certo medo de
tudo e não ir muito bem nos estudos, contou uma história emocionante
que ele ouviu de pessoas de formas estranhas que estavam dentro da
fogueira quando ele esteve na terra do jatobá junto com outros meninos
brincando dentro do fogo

o fogo, começou a lhe dizer, não parecia fogo, era de cor amarelo
dourado e azul celeste. não era quente e nem frio. a gente ficava
brincando no meio do fogo porque parecia que ele fazia bem a gente , os
meninos se sentiam tão bem que não queriam mais sair de lá de dentro
da fogueira. se a gente tinha qualquer ferida no corpo , ela desaparecia
de imediato, fome também a gente não sentia. é difícil descrever o que
nós sentíamos quando estávamos dentro da fogueira. certa vez quando
eu estava brincando dentro do fogo juntamente com as criaturinhas,
notei que havia uma sombra de ‘’ criatura’’ muito grande que ficava atras
de mim em todo momento que eu estava dentro do fogo . era uma
sombra maior que toda a fogueira, e ela tentando conversar comigo mas
como eu tinha medo eu procurava fugir da sua presença. mas a sua
força de atração foi tão grande que numa hora ela me cercou e, em torno
de mim ficou tudo escuro ate o fogo desapareceu devido a força tão
grande que a sombra possuía. e ela começou a me chamar pelo meu
nome. eu não via por onde ela falava, mas eu sentia como se ela falasse
dentro da minha cabeça. a sua voz era suave e doce e me chamava
assim :- ‘’ etevaldo, etevaldo eu preciso falar com você’’ pare de rodar
dentro do fogo e me escute’’ eu sou a abelhinha” e tenho bom motivo
para estar junto de você e lhe ajudar’’. a princípio eu fiquei com medo,
mas depois fui me acostumando aquela voz e cai em desmaio: e
quando me acordei estava dentro de uma selva muito densa, grande e
escura, e a sombra que era muito grande foi diminuindo de tamanho até

75
EM BUSCA DA CAVERNA.
76

tornar-se o tamanho de uma pessoa normal e tornou-se a forma de


uma mulher jovem muito linda. então eu e ela sentamos em um toco
de arvore e começamos a conversar, eu ainda estava um pouco confuso
e com medo, parecia um sonho pensei comigo mesmo :- ‘’ primeiro
aconteceu a nossa vinda misteriosa para este lugar onde as coisas são
tão diferentes lá do nosso mundo’’ fogo que não queima, água do rio
parada sem se mexer não nos cansamos de nenhuma atividade. e agora
aconteceu isto comigo? não sei realmente do que se trata ia eu assim
pensando quando a personagem que dizia ser a minha abelhinha
começou a dizer :- ‘’ etevaldo , você deve estar achando tudo estranho
toda esta situação mas eu vou lhe dizer:- “” eu sou a sua consciência e
tenho observado você a milhares de anos desde quando você veio a
este planeta pela primeira vez.. “e hoje gostaria de mostrar-lhe uma
coisa muito interessante você está vendo este túnel ?? e assim que ela
falou , apareceu diante de mim um túnel em forma de funil ‘’pois bem’’
continuou ela:- ‘’ você vai entrar por este túnel e no final dele você
encontrará uma parede de neblina muito densa , não tenha medo pode
entrar pela parede de neblina que você vai aparecer nos primeiros
momento de vida no planeta terra onde você surgiu pela primeira’’ : você
tem coragem de passar por este túnel e pela parede de neblina,? ‘’ veja
só’’ eu estarei invisível ao seu lado. e ele disse :-’’ sim eu quero ir afinal ,
devo sempre querer aprender alguma coisa: e partiu rumo ao
desconhecido ... quando começou a entrar pelo túnel sentiu vontade de
voltar mas sentia impelido por uma força interios a procurar o seu
passado e foi.. o túnel era formado de luzes das mais variadas cores,
e quando chegou no final do túnel encontrou uma parede feita de
fumaça que se mexia de um lado para o outro da parede. depois ele deu
mais um passo para dentro da fumaça e então não via mais nada.
mesmo assim foi andando. andou cerca de 10 minutos e a sua visão foi
clareando e ele começou a perceber vultos de uma espécie muito
límpida e cheira de grama verde.. ao longo da planície terminava com
pequenas montanhas azuis que se confundiam com o céu. voltando os
seus olhos mais para a direita viu um palácio muito grande ,

76
EM BUSCA DA CAVERNA.
77

resplandecendo de luz. era todo feito de ouro. as pessoas tinham as


roupas todas bordadas de ouro. o etevaldo notou então que ele estava
invisível, pois não via as suas pernas e o seu corpo e as suas mão;
totalmente invisíveis era mais fácil ele averiguar as coisas.. então
começou aproveitar da sua invisibilidade e entrou dentro do palácio ,
ficava ouvindo as pessoas ia até a cozinha na sala real onde ficava o
chefe daquela gente. e só assim poderia saber alguma coisa do seu
passado. as pessoas daquele palácio falava numa outra língua que ele
não entendia. mas ele conseguia entender telepaticamente tudo o que se
falava .
primeiro ele procurou adaptar-se a nova situação, devemos
observar todas as reações que surgem dentro de nós para depois
tornarmos decisão. assim foi etevaldo pensando e por fim chegou a uma
nova conclusão sábia:- “ naquele momento quem estava assim
raciocinando não era o menino etevaldo, menino franzino de 12 anos, filho
de um operário de uma mineralogia do fim do séc xx. , não, não era. era
sim um ser bastante evoluído durante milênios e milênios e que agora
tinha a oportunidade de visitar seus primeiros momentos de vida no
planeta terra.
era difícil para o etevaldo avaliar há quantos anos ele havia
regressado no tempo: centena de anos, milhares de anos? ou milhões de
anos? não daria para saber logo assim de imediato. era preciso que ele
conhecesse em primeiro lugar onde é que ele estava. fazer uma análise
de tudo que fosse visto e falado, naquele lugar tão misterioso. em que
ele não entendia a língua do povo, mas ele compreendia tudo o que as
pessoas falavam porque ele percebia dentro dele. ele tinha outro fator a
seu favor que era a invisibilidade, assim ele podia visitar qualquer lugar
sem ser visto.
então etevaldo optou para avaliar a evolução das erosões, começou
por observar as formações dos rios, os terrenos ao redor do rio era de
grande vegetação e qual a natureza da vegetação se era vegetação
primitiva assim como por exemplo o pteridófilo assifonógamo, como no
caso das samambaias ou vegetação evoluída como jatobás, maçã , pau

77
EM BUSCA DA CAVERNA.
78

brasil e outras só assim ele teria idéia de quanto tempo atras ele havia
regredido.. bem . assim pensou e assim começou a fazer : saiu pelo meio
da rua , misturou no meio do povo e começou a observar os costumes
após as escadas do templo que resplandecia de luzes devido a
quantidade de ouro, aparecia um pátio muito grande com guarda que
não usasse nenhum tipo de arma na mão. aonde usava uma tanga como
roupa pois ali a temperatura era muito alta , cerca de 40 graus celso
durante o dia. as pessoas eram de cor morena escuro e de cabelos
negro e lisos. logo após o pátio do palácio havia uma carreira de casas
feitas de pedra. todas muito bem ornamentadas : era como se fosse um
templo as casas. e eram quatro carreiras de casas, cada uma dela
saindo de uma lateral do templo e formava uma cruz : cada braço da cruz
seguia em direção dos pontos cardeais. etevaldo andou por todos aquelas
ruas que estavam cheias de gente fazendo compras no supermercado.
as compras era feitas por troca de uma coisa pela outra. não havia
dinheiro , ainda não havia sido inventado. como objeto de troca existia
de tudo, desde pele de animais até peças feitas artezanalmente .
existia também pessoas que traziam para trocar na feira uns tipos de
pedras que parecia ser pedra de cristal, que tinha uma luminosidade
muito grande. aquelas pedras as pessoas traziam para as trocas eram
retiradas das jazidas da natureza em montanhas bem próximas a cidade.
aquelas pedras davam um colorido a todo lugar por ela passava, não era
exatamente em forma de luz era em forma de claridade no ambiente, e o
foco da luz não eram as pedras e sim todo o ambiente em torno dela e
isto preocupou muito etevaldo. então ele disse : ‘’ nunca ouvi falar numa
coisa semelhante a esta’’ que será isto? como descobrir melhor a
origem desta pedra e os seus segredos? assim ia pensando o nosso
amigo e a voz da sua consciência surgiu dentro dele :- ‘’ etevaldo ,
etevaldo,, qual é o problema ? o que está acontecendo ? - então como
que despertando de um sono , pois ele já havia esquecido da sua
pessoa quando ela lhe disse que estaria seu lado e, naquela hora havia
grande angustia dentro do etevaldo para descobrir o segredo das pedras
coloridas, etevaldo respondeu :- ‘’ ah sim, já havia me esquecido da

78
EM BUSCA DA CAVERNA.
79

sua promessa’’ então a consciência disse:- eu tenho lhe observado desde


o momento que você que você entrou aqui. e posso informar tudo sobre
estas pedras misteriosas. continuou a consciência. esta é um tipo de
pedra muito conhecida hà milhares de anos na antiga lemúria . e esta
pedra tinha, eu disse tinha porque hoje não tem mais, a alma do
sementinha das pedras que viviam dentro delas . e era este sementinha
que iluminava as casas das pessoas. e ele era eterno , não acabava
nunca. aquilo que você esta vendo, o brilho das pedras é apenas o resto
da energia das sementinhas que ainda resta dentro delas que foi
desaparecendo devido vida agitada do homem que o homem
alimentando dentro do seu corpo , dentro da sua consciência. por isso que
você vê que as pedras brilham mais do que as outras. e muitas delas
vão apagando as suas luz para sempre. mas mesmo assim o povo
ainda pode aproveitar um pouco dela. bem eu gostaria de mostrar-lhe
uma coisa. ‘’ você gostaria de ver como estão todas as pedras que o povo
deste local mantém em suas casas ? bem eu vou levar você a uma altura
de mais ou menos- 2000 metros de altura e de lá você deve olhar para
baixo e ver o colorido das pedras. então a consciência tornou-se visível e
disse para o etevaldo _’’ você deve tornar-se visível também’’ ... então
ele tornou-se visível e ficou olhando para a parte de seu corpo que
estava diferente quando ele estava em itabira e partiu para o
acampamento. então ele viu que já estava diferente seu corpo não era
mais aquele corpo de menino franzino como ele era . era um corpo de
um homem adulto , forte e de cabelos longos. como roupa , usava apenas
pele de animais: como não compreendia toda aquela situação, foi preciso
da intervenção da sua consciência que agora estava com o
corpo de jovem feminina. e ela lhe disse:- ‘’ veja quanta transformação se
deu em você’’ ! e o mais importante é a transformação da sua
consciência que sou eu. você está regredido no tempo há milhares e
milhares de anos. foi aqui que você surgiu pela primeira vez no planeta
terra. eu não posso dizer a você o nome do lugar onde você está . isto
você devera descobrir com o seu próprio esforço. vou dar lhe apenas
uma ajuda para você verificar a origem destas pedras coloridas que tanto

79
EM BUSCA DA CAVERNA.
80

você está admirando :-’’ venha’’ disse-lhe a abelhinha e ela começou a


levitar em direção às nuvens levando etevaldo pela mão. e ele sentia
como estivesse voando também, pois não sentia força na mão da
consciência, e foram subindo . primeiro pode o telhado das casas que
eram todos de pedra, não era de telha, como ele imaginava. viu a parte
superior do palácio uma antena ‘’ esse para -raio’’ disse-lhe a abelhinha
serve para captar e transmitir energia para as naves que saem deste
local. e foram subindo á ,medida que ia subindo os prédios , casas
pessoas e arvores iam ficando pequeninos , e, também ia aumentando o
horizonte do etevaldo. isto é ele podia ver muito alem das fronteiras da
cidade. via os portões de ouro na entrada fortificada da cidade. a cidade
fortificada tinha mais ou menos um quilometro quadrado com quatro
portões de entrada em mais lindas espécies de pássaros. alem dos
jardins , lagos de peixes, havia também um lugar reservado para as
colmeias. eram mais de 50 caixas de abelhas com todo seu movimento de
vai e vem.
foi num local como este que os dezenove meninos mais o rex se aproveitaram para se
reunir e tomar a decisão da sua vida. assim fizeram no primeiro dia reuniram a noite a
‘’ boca das aves maria’’ era como o povo chamava a hora que o sol entrava e as aves
começavam a procurar seus ninhos.

sentaram todo no chão em círculo. o rex ficou no meio , o salão estava iluminado
com as luzes de lamparinas que eram em torno de 5. como não sabiam como começar a
reunião , ficaram todos sentados quietos olhando para a posição do rex, que estava
imóvel. ficaram assim durante uns dez minutos quando começaram a sentir um
ventinho frio soprar entre eles. era tão fraco o vento que não movimentavam as
chamas das lamparinas. desaparecido apenas fiquei invisível todo este tempo para poder
observar o comportamento das pessoas desta algum que se estende de itabira até a
cidade de caeté é cheia de montanhas vales e outros acidentes geográficos. ao lado
das montanhas corre rios de águas cristalina. vez por outro , encontramos lagos e
lagoas, temos floresta , mas não muito densa, savanas e campos, onde gado pasta. no
entanto tem uma coisa que as pessoas não sabem : - ‘’ por debaixo de toda esta
natureza exuberante existe um mundo subterrâneo cheio de mistério. ‘’ ‘’ vocês já
sabem que aqui na região central de minas existe muitos minas de ouro que estão

80
EM BUSCA DA CAVERNA.
81

abandonadas desde o final do século passado. e ao lado de todas estas minas


abandonadas encontra-se uma linha de trem subterrâneo que vai daqui de itabira até a
cidade de caetés

. estas linhas de trem foram construídas há milhares de anos, quando


aqui viveu um povo que não podia ver a luz do sol . a sua cidade era
também subterrânea. este povo só sais para colher vegetais para a sua
alimentação: havia milhares e milhares de seres daquela época depois
devido a terremotos e abalos sísmicos este povo foi desaparecendo e só
ficou a linha de trem que ligava ao fundo do pico do cauê aquela serra
lá em caetés
que hoje nós chamamos de serra da piedade. a linha de trem passava
pelos lugares misteriosos e exóticos que hoje ainda existem, assim
como por exemplo : --’’ a fonte das águas termais do pará, pelo fundo do
poço da água santa , que não é poço é apenas uma nascente de água
termal que passa pelo fundo das cavernas subterrâneas . chegando à
superfície com a temperatura elevada. e, falando em ‘’ poço da água
santa’’ vocês devem lembrar muito bem da lenda da cobra cuja cabeça
se encontra debaixo do poço da água santa e a cauda debaixo da igreja
da saúde , que mais tarde vamos falar com mais detalhes a linha de trem
passa por outros lugares protegidos da natureza como a serra do esmeril
serra da conceição serra do caraças lá em santa bárbara, todos estes
lugares , assim como os outros ainda desconhecido , são portas de
entrada para estes lugares. por isto que eu voltei , para levar vocês
a este mundo subterrâneo . a primeira vez levei vocês até à terra do
jatobá.
. desta segunda vez será a este mundo subterrâneo desconhecido.
o trem subterrãneo

terminado sua pratica eloqüente ouviu-se um estrondo que chegou


a doer nos ouvidos devido a movimentação do ar e todos os meninos e o
rex caíram em sono profundo deitado no chão . as luzes das lamparinas
se apagaram com a explosão. ficou tudo escuro, ninguém havia ainda
recobrado o sentido e sebastião no meio deles numa altura de um metro

81
EM BUSCA DA CAVERNA.
82

do solo. dai a momentos os meninos começaram a se mexer levantando


a cabeça, olhando para o lado , como porém despertando de um sono
profundo e procurava conhecer o local onde se encontra. todos estavam
como que ‘‘ azoinados, zonzos’’ . não falaram nada apenas mirava para a
figura de sebastião que, vez por outra , se movia de um lado para o
outro. a medida que os meninos acordaram ficaram atônitos sem
saberem o que tinha acontecido. sem saberem o que tinha acontecido.
só se lembraram de que sebastião havia lhes contado uma história de
trem subterrâneo , e depois ouve um barulho estranho e ficou tudo
escuro. e agora? começara a perguntar entre si, mas sebastião que
estava atento a tudo falou-lhes :’’ - tenham calma , tudo foi feito de
acordo com o que já estava designado pelo registro das coisas , não
entenderam: e sebastião começou a explicar: tudo na vida não acontece
ao acaso se nós viemos e nos encontramos até aqui, foi porque uma
força superior assim o permitiu lembram agora, continuou dizendo .
quando eu lhes falei da linha de trem subterrâneo ?? acontece que nós
no encontramos aqui agora no mundo subterrâneo e quando acabou de
proferir estas palavras o ambiente começou a ficar claro . a luz não
vinha de lugar algum. simplesmente ficava claro . as paredes e os
tetos . então os meninos puderam ver , a beleza que era . o teto tinha
uns seis metros de altura e era um salão muito grande onde cabia mais
de quinhentas pessoas . o chão era todo de pedras preciosas e
brilhantes . as paredes eram de pedras cinzenta, mas havia uns pontos
brilhantes que eram diamantes de 10cm de largura: em cada ponto do
salão havia um barulho de água cristalina que jorrava sem fim . os
meninos sentiam maravilhados com toda aquela exuberância do mundo
subterrâneo em cada ponto cardeal do salão tinha um túnel tão extenso
e escuro que, por mais que se lançasse os olhos , não se via nada. e o
rufino juntamente com o etevaldo começaram a entrar por um dos
túneis . foram ao túnel do oriente e , assim que começaram a andar , foi
clareando as paredes do túnel por um encanto , assim como também o
chão do túnel . e os meninos puderam observar que ali havia trilhos
de trem de cor amarela : era um amarelo diferente do que eles

82
EM BUSCA DA CAVERNA.
83

conheciam : os dois meninos , vendo aqueles trilhos de cor amarela


foram correndo contar para sebastião e os outros meninos estavam tão
afoitos, excitados que saíram correndo : sebastião , sebastião , venha ver
, corre , veja o que nós achamos . e sebastião que s e encontravam
conversando com os outros meninos e lhes contavam a história daquela
civilização que havia ali a milhares e milhares de anos , para ver do
que se tratava: e os dois começaram a contar do achado deles no túnel
oriente e sebastião, com muita paciência começou a explicar para o
rufino e o etevaldo : -”’ eu estava explicando para os outros meninos
que ficaram comigo aqui que há tanto tempo , que nenhum historiador
poderia contar, que já existia esta civilização do mundo subterrâneo. eles
eram tão adiantados que tinham inclusive roupa de naves espaciais. e ,
a viagem a outros planetas, era coisa tão simples e corriqueira . mas
eu creio que não é necessário a gente estar discutindo este assunto de
nave espacial aqui agora. como vocês sabem tudo na vida evolve e
invoque: assim como as grandes civilizações do egito, da grécia., da ilha
de páscoa, dos maias, dos incas , etc,etc hoje só resta estes túneis com
as trilhas , com pessoas , não! não existem tudo já acabou. apenas
algumas substâncias ectoplasmática que ficou impregnada nas paredes
do túnel que resplandece no momento que vocês passaram por perto
dos trilhos . por isto que todas as vezes que nós chegamos perto de
qualquer material existente aqui nesta profundeza, ele torna-se claro
cheio de luz. veja vocês que o material não emite facho de luz . apenas
torna-se claro, ao contato com a pessoa humana. è bom que g saibam
que aqui no subterrâneo da terra, existiu a milhões de anos uma
civilização com milhares de seres. se vocês quiserem poderiam fazer
uma viagem ao passado e conhecer aquela civilização. então vocês
poderão ver com os seus próprios olhos aquilo que eu vi e estou lhe
dizendo.
os meninos concordaram em visitar aquela civilização antiga, só que
ficaram com medo de acontecer com eles o mesmo que aconteceu
quando eles retornaram da quarta dimensão após ter visitado os
templos da sabedoria das almas das plantas . ficaram calados e

83
EM BUSCA DA CAVERNA.
84

pensativos , e sebastião que não queria influenciar em nada


deixou que eles assim o decidissem: até o rex , grande amigos dos
meninos , ficou em silêncio depois que sebastião notou um certo receio
dos meninos em relação à confusão acontecida com a sociedade de
itabira , quando alguns meninos foram acusados de charlatões ,
mentirosos e aquilo se tornou muito ruim para eles. os meninos também
falavam da ausência que eles teriam na casa dos seus pais , é , como
iriam justificar esta ausência de tantos dias? enfim, falou um dos meninos.
até que enfim vocês resolveram falar . e esqueceram de que não
precisam falar que eu entendo vocês . tudo o que vocês pensam, eu fico
sabendo . e , portanto, não precisam pedir permissão a seus pais para
visitar a civilização subterrânea , por que g já se encontram nela desde
o momento em que aqui chegaram após aquela explosão e o estrondo a
seguir naquele momento vocês viajaram a milhões e milhões de anos no
passado. portanto vocês já se encontram no interior da terra na
civilização subterrânea . e este vazio que acontece aqui neste salão,
com todo este silêncio e o silêncio dos túneis no norte, sul, leste e oeste
, é apenas aparente tudo foi feito para confundir a cabeça de vocês
que nada vêem:- ‘’ vejam’’’ e falando assim, abriu os braços apontando
para as paredes da caverna que tornam-se toda iluminada com luzes
brilhantes verde, azul e amarela, e, dos túneis também apareceram uma
luminosidade intensa como se fosse um facho de luz , os trilhos que
eram simplesmente amarelo começaram emitir luz de cor também
amarela. o local que era silencioso tornou-se cheio de um som
misterioso , que encluia toda aquele atmosfera. e começou a aparecer
figuras estranhas no ,meio da parede da caverna e, à medida que a figura
ia amadurecendo, ela pulava da parede para o chão e uma figura
humana . e assim foi acontecendo e, em pouco tempo todo o salão da
caverna estava cheio de pessoas que misturava junto dos meninos e
conversavam entre eles: as figuras acharam muito estranho a figura do
rex : pois eles não tinham animal doméstico entre eles todos os animais
viviam livres na superfície da terra onde eles abundavam e se
multiplicavam sempre mantendo o equilíbrio.

84
EM BUSCA DA CAVERNA.
85

então os meninos explicaram as ‘’ figura’’ do subterrâneo que ele era


um cachorro. até que o rex ficou comportadinho, apenas balançava o
rabo como sinal de compreensão, também ao redor de sebastião as
figuras subterrâneas também conversavam com ele como se fosse uma
pessoa conhecida de muitos anos . o povo do subterrâneo.
os meninos não compreendiam como aconteceu toda aquela
mudança :-’’ eles apenas estavam visitando uma ruína e, de repente, tudo
mudou e ganhou vida’’’? era a pergunta que eles faziam entre si .
sebastião que estava alerta a toda mudança de estado de coisas ,
explicou para eles:-’’ quando chegamos aqui a poucos minutos eu já
sabia que tínhamos viajado no tempo há trezentos milhões de anos.
estamos exatamente no período triàssico da era secundária. as
superfícies do planeta não apresentam a mesma geografia do nosso
tempo . se vocês subirem até a superfície verão com seus próprios
olhos os grandes em erupção constante. verão os animais pré-históricos
vivos e andando normalmente pela terra. podemos citar os megatérios,
dinossauros, lagartos gigantes: e outros etc vocês poderão ver também os
vegetais que nunca viram , porque no nosso tempo ele não existe mais.
assim como não verão animais da nossa época, pois ainda não houve
metamorfose. as chuvas que caem aqui nesta época são tão gigantesca
que é um dilúvio, os rios de hoje ainda matem o seu leito provisório de
nascença. os mares já se acomodaram em seus leitos . com exceção de
algumas ilhas imensas que serão deslocadas para outros locais de
acordo com as erupções vulcânicas. o eixo da terra hoje, não é o
mesmo de nossa época. se vocês tiverem um bússola poderão provar
isto que eu estou dizendo, vendo que o norte magnético da terra esta na
direção do astro sol, ou seja na direção leste :oeste.
sebastião ainda estava falando, quando houve um barulho imenso
como que um trovão e as muralhas do salão e dos túneis começaram a
tremer e tremeram durante quinze minutos e os meninos ficaram
assustados mas sebastião, com a sua serenidade , acalmou-os dizendo:-’’
isto é apenas uma acomodação da montanha ‘’jura’’ que lá no outro
continente que nós conhecemos como europa , está acabando de tomar

85
EM BUSCA DA CAVERNA.
86

sua posição definida como nós a conhecemos hoje. vocês devem saber
que este tipo de acomodação geográfica irá acontecer ainda por 200
milhões de anos. período em que o ser humano também se modificara.
então sebastião disse, que se os meninos quisessem, a partir daquele
momento eles estavam livres para poder visitar e conhecer a região
subterrânea, deveriam sempre ir acompanhado de uma criatura
subterrânea e, quando quisessem ir a superfície deveriam ir com duas ou
treis criaturas que já conhecessem a região: sebastião orientou também
que deviam se subdividir em grupos de 5 pessoas e o rex deveria ir com
o grupo de quatro meninos, e assim fizeram os meninos se reuniram,
juntamente com o rex que era um cachorro muito inteligente e decidiram
que em primeiro lugar gostaria de conhecer o povo do subterrâneo com
todos os seus chefes e organizações . assim o fizeram: se subdividiram
em grupo de 5 e pediram as criaturas que os acompanhassem:
as criaturas do subterrâneo eram diferentes dos elementais da
quarta dimensão, onde eles haviam visitado elas tinham uma estatura de
um metro e meio tinha pernas e braços como o ser humano atual . era de
cor morena, não usava roupa, na cabeça não tinha nariz nem orelha ,
não tinha cabelo. os olhos eram pequeninos. eram alegres e
comunicativos. gostavam de falar com os meninos : e havia também
crianças e adolescentes no meio deles , só que as crianças tinham a
mesma estatura que os adultos. a diferença de um adulto para uma
criança ou adolescente era apenas no pensamento.
o povo subterrâneo, que os meninos apelidarem de ‘’ homens pedras’’ devido a sua cor
parecida com a s pedras do subsolo, tinha uma grande facilidade de se comunicar com
os meninos: todos pensavam que eles falavam mas não . a comunicação era instatânea
e, no momento de eles pronunciarem uma palavra, movimentavam os lábios. por esta
razão dava-se a impressão de que eles falavam.

já haviam dividido o grupo e cada um deles e cada um deles saiu


por um túnel . o grupo que estava etevaldo foi para a direção norte,
juntamente com os treis personagem do subsolo. assim que entraram no
túnel a portas que dava para o salão fechou-se como que por encanto, e
o túnel tornou-se bem mais claro, os trilhos dourados ficaram mais

86
EM BUSCA DA CAVERNA.
87

dourados e claros. obedecendo a uma ordem dos ‘’homens pedra’’ surgiu


como que do nada, uma máquina, que mais parecia um ônibus, ou um
vagão. e os ‘’ homens pedra’’ falaram para os meninos que eles iam fazer
uma viagem de trem até os confins da terra. e os meninos sentaram no
chão do vagão pois não havia bancos , o ‘’vagão’’ era como se fosse uma
montagem só de ‘ luzes’ mas quando os meninos entraram , sentiam
como se fosse maciço de ferro, podia encostar e sentar no chão sem se
machucar.
depois que todos se acomodaram , foi dada partida no ‘’ trem’’ . os
meninos notaram que o veículo estava se movimentando e eles notaram
que não havia barulho, e, a princípio o movimento era lento mas foi
aumentando progressivamente até atingir uma velocidade gigantesca.
dentro dos vagões não estava frio, mas a medida que o ‘’ trem’’ andou
houve um deslocamento de vento dentro do vagão , baixando a
temperatura: um dos ‘’homem pedra’’ perguntou aos meninos onde eles
queriam ir e o etevaldo respondeu pelo grupo:- como vocês sabem, nós
não conhecemos nada deste mundo antigo. portanto nós não sabemos o
que conhecer , mas se tiverem cidades nós gostaríamos de ver. ou então ,
seria bom a gente subir um pouco ‘pa superfície e conhecer um pouco
da flora e da fauna e por que não!!, seria interessante a gente ver um
vulcão em erupção. ou outra coisa fantástica que g possam mostrar para
a gente : então ficou combinado que primeiro eles visitariam uma
cidade subterrânea. dai a momentos o túnel terminou em uma parede
feita de fumaça : ali era a entrada para um grande salão que era a
principal porta para a cidade.
todos desceram do trem atravessaram a parede de fumaça e
chegaram até o salão igualzinho aonde eles chegaram a primeira vez :
e o guia lhes disse que a partir de agora eles iam visitar a mais antiga
cidade subterrânea que já tinha mais de um milhão de anos. e o guia
disse também que se acontecesse de tudo aquilo que tivesse vontade
de fazer pois estávamos entrando em um mundo totalmente estranho :
todos os meninos se comprometeram a manter-se apenas como
observador , não emitindo sua opinião. e assim que o guia fez um sinal ,

87
EM BUSCA DA CAVERNA.
88

a parede do salão começou a se desmanchar e apareceu a frente


centenas de pessoas da cidade subterrânea . havia gente de todas as
idades e eles moravam em que tinha mais ou menos o tamanho de um
apartamento modesto da nossa época. a comunidade subterrânea era
dirigida por um líder que recebeu os meninos : ele falou que já sabia
da chegada dos meninos e fez questão de mostrar todas as coisas
para a curiosidade deles: então saíram todos os cincos meninos
acompanhados dos guias para conhecer . os guias mostraram a eles
como era feita a comunicação entre os povos de outras cidades havia
uma sala, toda revestida de ouro e pedras preciosas e havia na parede
uma pedra de esmeralda totalmente plana e de cor verde clara de mais
ou menos dois metros de larguras . as pessoas que queriam se
comunicar sentava-se em uma cadeira ( de ouro bem confortável) em
frente a tela e a mesma começava a mudar de cor e , a pessoa que
estava sentada simplesmente ia pensando no que queria ver e ia
aparecendo na tela verde de esmeralda .
os meninos acharam muito interessante todo aquele sistema de
comunicação , que até quiseram experimentar também se comunicar
com seus familiares e o Etevaldo foi o primeiro a sentar na cadeira de
ouro . e assim que ele sentou , colocou sua mão esquerda no coração ,
mais ou menos a altura do peito, a mão direita no apoio da cadeira e
os dedos tocaram a frente figuras de mais ou menos dois centímetros
de largura que faziam com que as figuras a na tela de esmeralda fossem
mudando . as figuras que ficavam na ponta dos dedos do operador
tinham um aspecto estranho que parecia mais figuras de cartas
enigmáticas etevaldo muito curioso perguntou para o guia o que era
aquela figura onde ele mexia com os dedos para mudar a imagem na
tela de esmeralda . e o guia respondeu :=ah! meu filho isto é uma coisa
tão simples para nós que hoje não vemos nada complicado, e nem
sequer sabemos como isto . mas levando em consideração que você
vem de outro tempo, posso dizer-lhe que esta é a escrita que nós
usamos hoje e que no seu tempo será chamada de runas..

88
EM BUSCA DA CAVERNA.
89

runas. runas continuou o guia dizendo, são figuras geométricas que tem
a sua representação responsável por modificações ocorridas por
modificações com a matéria criada pelo son:- isto era muito complicado ,
os meninos não estavam entendendo . assim foi pensando ele . ao que
o guia respondeu _’’ como que vocês não estão entendendo ? vocês
fizeram isto muitas vezes quando estava lá no templo do elemental do
jatobá ? vocês não se lembram? è a mesma coisas , continuou dizendo
o guia, tudo aquilo que você fala, você cria e estes botões que vocês
estão vendo aqui serve apenas para que vocês pensem e as coisas
acontecem : outros meninos aproveitaram para perguntar sobre aquele
tesouro de esmeralda , pedra de brilhante , ouro e prata que existiam
em todo o lugar por onde eles passaram?/ ao que o guia respondeu—”
todo este material que vocês viram pelas paredes da caverna , assim
com, o ouro que se encontra espalhado por toda a parte subterrânea, de
nada vale para nós, assim como na superfície ele não tem a mesma
aparência que tem aqui. na superfície este tesouro vira uma pedra
comum sem valor nenhum’’.
terminado de explicar o guia pediu para o etevaldo que
experimentasse a comunicação pelas telas de esmeralda. então
etevaldo sentou-se calmamente na cadeira, colocou a mão esquerda na
plexo solar e a direita com os dedos indicador e médio nas figuras
estranhas e , a medida que ele ia colocando os dedos nas pedrinhas, as
figuras iam mudando da tela, etevaldo pensou em tentar ver através da
tela os acontecimento da sua terra natal então ele apertou o botão e
começou a aparecer na tela os contornos da geografia da sua cidade
de itabira. apareceu o pico do cauê, o morro de aparecida, o campestre ,
e enfim , toda a geografia da cidade de itabira: etevaldo procurou em
todos os recantos da tela encontrou alguma identificação do local onde
os seus familiares encontravam mas tudo foi en vão, ele só conseguia
identificar alguns morros , montanhas , fontes de água etc ele pode
notar um grande lago a fonte do pará e o morro de aparecida, pelo que
pode ver o lago tinha mais de 50 m metros de profundidade . e notou
alguns animais gigantescos nadando nas águas do lago e se escondendo

89
EM BUSCA DA CAVERNA.
90

nas cavernas que existia no fundo do lago ,no planalto


onde fica o bairro do pará, só foi visto uma escarpa com sulcos de
larvas, conseguiu ver que ao lado do pico da cauê havia saída de lavas
incandescente derramado para o lado norte. para o lado da baixada
havia um vasto lençol de areia escura. para o lado leste havia uma
vegetação imensa e pode notar grande quantidade de répteis que
habitavam a região: então depois de ver tudo isto junto com os outros
meninos, ficaram muito triste e começara a chorar. então o guia começou
a explicar para os meninos , que deles não devia ficar triste pois eles
estavam viajando no tempo há trezentos milhões , portanto o planeta
terra não estava ainda habitado como na época dos meninos a
cidade de itabira , nem sequer existiu ainda. ela só ira aparecer
precisamente daqui a dois milhões de anos, portanto , aproveitem bem a
nossa civilização rudimentar, porque quando vocês voltarem para o
seu tempo , terão muitas histórias para contar . só que vocês terão de ter
cautela para as novas histórias para não acontecer o que aconteceu
com a viagem á quarta dimensão , ouvindo isto os meninos ficaram
pensando como é que ele sabia do que tinha acontecido : mas não se
intimidaram muito continuaram pensando na tela de esmeralda a
superfície do planeta.. para o lado sul havia ainda muitos vulcões em
erupção com grandes camadas de cinza pela planície. e o guia
explicava que aquela camada prejudicava as plantas e poluía as fontes
de água.
depois que todos os quatro meninos brincaram a vontade na tela de
esmeralda procurando conhecer melhor a superfície do planeta, todos
falaram com o guia que gostaria de conhecer a superfície do planeta. ao
que o guia respondeu , não ser aquele o momento propício pois chovia
torrencialmente naquela região e, em alguns pontos a água já havia
subido mais de 50 metros, portanto seria bom que nós aguardássemos
uns 30 dias. enquanto isto eles podiam conhecer mais a cidade
subterrânea . e o guia ainda disse: vamos aproveitar a tela de esmeralda
para ver o que os outros colegas estão fazendo. então o guia localizou
na tela o local onde estavam os outros meninos : descobriram então ,

90
EM BUSCA DA CAVERNA.
91

que eles estavam a milhares de quilômetros a beira de uma praia com


ondas gigantescas eles haviam saído para a superfície em um local que
não chovia a muito tempo. e pelos cálculos do guia deviam estar na
lemúria. todos queriam saber o que era a lemúria e o guia explicou que é
um continente existente ao largo do oceano pacífico . vocês nunca
ouviram falar no continente, a não ser , raramente na história . nele
desenvolveu uma grande civilização que, no momento está em pleno
apogeu . daqui a 200 milhões de anos este continente vai s deslocar ,
de acordo com as condições climáticas, para o pólo norte da terra, como
hoje vocês conhecem o oceano pacífico ficará na geografia como
vocês conhecem no tempo de vocês. continuou explicando o guia a
região onde vocês entrarem no subterrâneo é a porta central da
civilização nossa e os túneis atravessam debaixo dos vulcões e dos
mares. mas deixemos de lado estes comentários e vamos ver o que está
acontecendo lá na lemuria:.
naquele momento a tela de esmeralda foi aumentada de
comprimento e largura: o interessante era que para ampliar a largura
da tela, simplesmente guia fazia um gesto com a mão e, imediatamente a
tela ficava graduada de maneira que se queria . então puderam ver na
superfície do continente lemuriano.

a superfície da lemúria

a superfície da lemúria era diferente de todas as outras regiões do


planeta. só existia uma estação de trem subterrâneo no início do
continente: havia uma grande contingência de pessoas que faziam
comércio com o povo subterrâneo do continente vizinho. não havia imites
para a troca de mercadorias. ficava a critério de cada comerciante . o
povo permanecia vestido com uma túnica branca até os pés , tanto
homens quanto mulheres . as crianças também usavam típicas brancas .
o casamento era feito de maneira misteriosa que não se conhecia muito
bem pelo povo subterrâneo. na lemúria havia construção edificada e de
alvenaria , as cidades eram compostas de casas em círculos . até os
bairros eram em círculos e obedecia a uma certa distância entre as

91
EM BUSCA DA CAVERNA.
92

casas que não havia terra para plantar as cidades eram formadas de
círculos de casas . havia um círculo grande central e, logo após , círculos
menores de casa e, no final um círculo grande feito d círculos
pequenos , tendo no centro o círculo maior que era a sede central da
cidade> para além dos portões da cidade havia grande extensão de
terras que eram utilizados pela agricultura> não foi visto criação de
animais para ser consumido pela população , assim como exemplo , boi
, vaca, galinhas etc.-os lemurianos eram puramente vegetarianos por
excelência . eles não conheciam o uso de carnes de animais para o
seu alimento . o que eles cultivavam muito era um tipo de cogumelo
que não existe mais hoje no planeta terra. o uso de água potável
vinha de fontes cristalinas existente nas montanhas através de
aquedutos feitos de pedra-talhada os esgotos dos lemurianos não eram
jogados no mar, nem nos rios eram canalizados , tratados por processos
químicos e retornado a lavoura para adubo de vegetais. outro tipo de
alimentação dos lemurianos eram as samambaias, cujo broto era cozido
e comido: eram tipos de samambaia que, também não existem mais no
nosso tempo de hoje.
no campo existiam muitos tipos de arvores totalmente estranha para
nós . também foi encontrado na lemúria, alguns tipos de vegetais que
não evoluíram , assim como também, não desapareceram e chegaram
até o nosso tempo de hoje . o guia conseguiu ampliar natal de esmeralda
uns desses vegetais , e os meninos puderam identificar como sendo
uma gramínea muito conhecida no tempo deles aos arredores de itabira.
continuando a pesquisa na tela de esmeralda , foi mostrado para
os meninos como era a organização social, cultural e religiosa dos
lemurianos. as crianças não iam para a escola; elas viviam na escola.
nasciam e cresciam na escola juntamente com os seus pais . a escola
era o próprio círculo pequeno onde todos moravam e viviam. na escola
tinha o estudo das urnas com o seu respectivo son. como vocês sabem
urnas eram figuras estranhas como se fosse letras do alfabeto de hoje.
apenas com uma diferença, quando se pronunciava a letra, o seu som
criava alguma coisa imediatamente . e este cuidado as pessoas deveriam

92
EM BUSCA DA CAVERNA.
93

ter quando fosse pronunciar uma dessas palavras. o local para


apreender os sons das runas, eram hermeticamente fechados para que
o son não saísse fora daquele ambiente e provocasse algum acidente
ou mesmo interferisse em outros processos vibratório das ondas
mentais do povo lemuriano.
o casamento dos lemurianos eram determinado pelos sacerdotes do
templo e este só poderia ser realizado quando o jovem e a jovem
tivessem terminado o estudo do conhecimento das urnas , com provas
bem difíceis que reprovavam o candidato nos mínimos detalhes, caso ele
não tivesse uma firmeza de propósito . o ensinamento para o povo da
lemúria era baseado numa revolução interna dos seus sentimentos .
desde pequeno a criança aprendia a ficar com a mente quieta sem
pensar . e aos sete anos já era capaz de materializar com o pensamento
qualquer objeto físico. a medida que a criança fosse tornando
adolescente ia aumentando a sua responsabilidade e também o seu
conhecimento aos 18 anos de idade ele já era capaz de se movimentar
através da levitação. não era uma levitação exagerada, apenas
conseguia elevar-se a uma determinada altura do solo e dar um salto de
mais de 20 metros . aos jovens que por qualquer fator deixasse entrar
em seus pensamentos coisas ruins , eles fracassavam nas provas e a
levitação não acontecia, mas era uma coisa muito rara acontecer um fato
deste. quando o jovem chegava a idade adulta estava na época do
casamento que era feito dentro de um ritual religioso.
o jovem casal daquela época sabia transformar as energias e, com
isto, eles conseguiam viver muitos anos de idade mantendo a jovialidade
de. isto se devia ao fato de conseguir juntar energia suficiente para
manter a juventude. . como vocês sabem o hormônio do corpo
humano que não é desprezado e é reabsorvido no organismo
modificando todo o sistema .
_ antes de terminar a sua prática, o guia que estava manipulando a
tema de esmeralda, voltou sua atenção para os meninos que estavam tão
atentos . acontece que eles estavam era observando o jeito dele falar ,
assim como também , os movimentos dos braços daquele membro do

93
EM BUSCA DA CAVERNA.
94

mundo subterrâneo. estavam bem parecidos com alguém que eles


conheciam mas o guia não percebeu a razão desta atenção toda voltada
para ele e continuou explicando sobre a lemúria.
na lemúria, faliu o guia, existe uma organização secreta onde se faz
o estudo das urnas, assim como experiências com novos sons , não se
sabe exatamente quais são os ensinamentos que nesta sociedade é
muito ministrado, temos apenas amostras do que é feito lá, mas
tem muita coisa ligada ao destino do homem na face da terra. os
meninos não compreenderam e ficaram calados. logo a seguir
demonstraram que estavam cansados daquela situação de ouvir o guia
falar e propuseram que queria conhecer a superfície do planeta.
itabira a 300 milhões de anos

os meninos já estavam cientes de que haviam viajado no tempo: um


milhão de anos ou cem milhões de anos a diferença era pouca. mas
trezentos milhões de anos no assado já era alguma coisa significante.
eles não mudaram de lugar apenas recuaram no tempo. portanto eles
podiam conhecer toda a superfície do local onde eles nasceram.ou
melhor haverão de nascer. . com muito cuidado , por causa dos animais
gigantes , conseguiram identificar alguns pontos geográficos que lhes
eram bem peculiares . assim como por exemplo o pico de cauê , a serra
do esmeril, a serra da conceição. estes treis maciços já tinham a forma
definida como que se conhecem na época de hoje encontraram também
um grande lago que era em forma de u.
depois que eles conheceram um pouco da superfície já queria voltar
para o mundo subterrâneo já estavam tão acostumados a ficar no
subterrâneo que sentiram-se cansados. e voltaram, ao chegar no subsolo
sentiram tão cansado que chegaram a dormir. e , assim que desceram ,
não entraram no trem procuraram com o guia um local para descansar :
imediatamente o guia foi até a cidade subterrânea mais próxima e
acomodaram os meninos para repousar após a refeição de palmito e
coco.
o grupo que saiu em direção ao túnel sul viajou também milhares de
quilômetros passaram por debaixo de um pequeno maciço de apenas

94
EM BUSCA DA CAVERNA.
95

100 quilômetros no sub solo um continente e saíram até a superfície do


planeta. e passaram a fazer observações e o reconhecimento da região.
era uma vasta região de floresta e muitas montanhas. como não notaram
muita coisa interessante quiseram retornar imediatamente para o ponto
de origem quando havia se separado. todos os grupos retornaram
imediatamente a ponto de encontro , obedecendo a uma ordem de
sebastião como que instintivamente .
a medida que foram chegando, os meninos se reuniram no salão
onde o sebastião havia permanecido parado em um único lugar durante
todo o tempo em que eles visitaram o continente.
sebastião continuava parado em um só lugar sem dizer uma só palavra. todo os meninos
inclusive o rex , permaneceu sentado no chão a espera que sebastião falasse alguma
coisa. mas ele não disse. nem pensou. porque se ele penasse os meninos leriam o seu
pensamento . por fim , os meninos também, não mais pensavam : conseguiram aquietar
a mente. ficaram sentados no chão: não se ouvia o nível de respiração de cada um foi
abaixando a medida que ficavam quietos. foram ficando assim imóvel até que um sono
letárgico apoderou-se de todos. tudo era silêncio, tudo era vazio.

daqui a pouco os menino começaram a acordar e, aos poucos, como


que despertando de um grande sono. começaram a olhar de um lado para
o outro, olharam pela janela da fazenda : ouviram o canto de um bem-te-
vi e ficaram olhando para aquela ave como se fosse um ser estranho:
então ouviram um batido na porta da sala, era a dona maria que estava
trazendo café e bolo para os meninos. então os meninos levantaram e
foram tomar o café com bolo que a dona maria trouxe. o corpo estava
doido de ficar deitado no chão . não falaram nada respeito da ‘’ viagem’’
que fizeram : depois aos poucos, eles começaram a lembrar que tinha
acontecido com eles e o sebastião? onde ele está?perguntou rufino ‘’ele
estava aqui quando a gente estava reunindo para tratar das confusões
de itabira então neste momento já estavam todos acordados e
conscientes . então todos resolveram voltar para casa. e voltaram
corria o mês de agosto de 1990 . a cidade de itabira assim como no
campo, tomava vida na rotina normal , era época de podas das árvores.
havia grande queimada, como preparo da terra para o plantio de feijão

95
EM BUSCA DA CAVERNA.
96

e milho. os meninos já iam para escola normalmente só com uma


diferença, eles estavam calados sem entusiasmo aparente. acontece que
eles lembraram do que lhes aconteceu quando retornaram da terra do
jatobá : todos eram unânimes - não deviam dizer a ninguém nada, a
partir daquela data, e m virtude do que aconteceu e ainda estava
acontecendo na cidade de itabira: os nossos amigos , isto é, os meninos
escolhidos por sebastião para serem pioneiros da grande aventura,
estavam tristes e preocupados com a ausência do seu guia : mas eles
não demonstravam a mínima desconfiança do que passava dentro do
seu coração. já que estavam suficientemente treinados para conter as
suas emoções.
assim passou o mês de agosto setembro, outubro, já no final de
outubro começou as primeiras chuvas o povo de itabira já havia
esquecido as histórias dos meninos e criaram lendas em torno do que
eles contaram as pessoas não se entendiam mas haviam retornado à
barbárie. só queriam explorar o nome dos meninos . e os meninos
estavam tristes? silenciosos em relação aos acontecimentos . com a
chegada das águas não dava para fazer muitas atividades no campo. ?
por isto os meninos que se trata dos 19 que sebastião começou a
educá-los para uma nova vida, desde o ano passado eles resolveram
procurar as pessoas mais idosas de itabira que lhes contasse alguma
coisa , então eles encontraram um senhor de 90 anos que morava na
rua do cascalho e este contou muitas lendas sobre itabira. uma delas s
falava de uma cobra gigantesca que tinha a cabeça debaixo do poço
d’água santa e a cauda escondida debaixo da igreja da saúde.
a lenda da cobra

aconteceu mais ou menos no ano de 1810 quando a igreja estava


sendo construída, apareceu na rua da água santa uma cabra imensa ,
de mais de 150 metros de comprimento, este animal feroz afugentou
todas as pessoas da cidade disseram que era a materialização do
demônio em forma de cobra . foi chamado o padre para exorcizar o
animal demoníaco, o mesmo correu até o poço da água santa e ninguém
mais viu a serpente.

96
EM BUSCA DA CAVERNA.
97

passado muitos anos quando foram fazer uma reforma no assoalho


da igreja da saúde encontraram debaixo das tábuas um rastro de
cauda de cobra . e as pessoas daquela época disseram que a cobra
ficaria ali até os finais do tempo, quando o povo daquela cidade se
desviasse do caminho.
e a pessoa idosa que contou isto para os meninos, falou assim que
estava muito preocupado com toda aquela confusão que tinha
acontecido com itabira. e ainda dizia assim :-’’ êh! eu não sei porque o
povo agiu assim com a história que os meninos contaram quando
voltaram do acampamento isto, continuou a dizer, é sinal de mau agouro:
mas isto não importa, é apenas a minha opinião e, hoje em dia, opinião
de gente velha e caduca ninguém da mais valore, dizendo isto,
abençoou os meninos . pedindo que eles continuassem na busca das
coisas boas e novas. os meninos agradeceram a boa acolhida que o
ancião teve para com eles e pediu lhe que indicasse outras pessoas mais
antigas de itabira que pudesse também informar algumas coisas sobre
itabira. então o ancião informou-lhes que na rua santana, logo no início
da subida da rua, havia o sr. Mendigado, que estava cego de uma
doença. mas estava bem lúcido para contar-lhes mais história sobre
itabira.
no dia seguinte foram até a casa do sr mendigado , quando
começaram a descer a rua, atrás da prefeitura, ouviram batidas do sino
da igreja de santana. era uma batida diferente que eles já conheciam. a
igreja de santana era a mais antiga da cidade e, há muito ela não era
usada para celebrar missa ou outra cerimônia porque o povo tinha medo
de entrar na igreja por causa de aparições que lá acontecia de vez em
quando. mas a batida do sino era o que mais chamava a atenção no
momento. quando chegaram no início da rua santana, mais ou menos
perto do corpo do sr mendigado os meninos notaram grande aglomeração
de pessoas bem vestida , e com aspecto de tristeza : na porta da casa
havia uma tarja preta de mais de treis metros de comprimento. e era sinal
de luto: assim que os meninos chegaram a porta da casa perguntaram o
que havia acontecido e os presentes responderam que o sr mendigado

97
EM BUSCA DA CAVERNA.
98

havia falecido na noite anterior e que, daqui a uma hora seria o seu
sepultamento no cemitério da igreja de Santana. - então os meninos
pararam e ficaram um pouco indecisos sobre a que recorrer para a sua
pesquisa de lendas de itabira. no dia seguinte reuniram novamente para
saber que decisão tomavam .
o mais interessante das reuniões dos meninos é que eles não
falavam. ficavam todos sentados á moda escoteira, mão sobre as
pernas , numa posição de recolhimento . depois de ficar assim mais ou
menos uma hora chegaram a uma conclusão: ‘’ eles deveriam procurar
pessoalmente a lenda , ou a própria cobra que tinha a sua cabeça no
poço da água santa e a cauda debaixo da igreja da saúde.
assim combinaram o melhor horário seria a noite para observar a
saída da cobra do poço da água santa: eles iriam fazer vigília noturna
na porta do poço enquanto que o outro grupo ficaria na porta da igreja
durante a noite quatro meninos , juntamente com o etevaldo ficariam no
poço da água santa. enquanto que o rufino e quatro meninos e o rex ,
ficariam na porta da igreja e deviam chegar ás 23:00horas,pois é em
torno da meia noite que as coisas aparecem. assim fizeram chegaram
ao poço da água santa ás 23:10 h quando se diz poço da água santa,
não é no sentido literal de poço , e sim, o início de uma caverna feita por
derrame de lavas e no seu centro saia uma nascente de água morna, e
esta água juntava-se com a água do córrego que passava ao lado.os
quatro meninos ficaram de vigia observando a queda incessante de água
que era um barulho ensurdecedor: a água saia do fundo da caverna,
escorria pelas pedras e era canalizada em um cano de mais ou menos 2
metros de comprimento e caia no meio das pedras. deu-se início a noite ,
uma hora da manhã , não acontecia nada. o local estava escuro não se
dava para ver nada, apenas ouvia o barulhos da água que caia e os
meninos . e os meninos montavam guarda.
enquanto que na porta da igreja rex e os treis meninos também
vigiavam . a rua estava totalmente deserta. poucos lampiões nos postes
tornava-se a rua um pouco escura vez por outra passava-se um
cachorro vira-lata, perambulando pela rua, quando isto acontecia o rex

98
EM BUSCA DA CAVERNA.
99

ficava atento e de orelha em pé . e os meninos falavam com ele para


ficar quieto . no meio de todo aquele silêncio ouvia-se apenas o
pêndulo do relógio da igreja da saúde e ‘’taum, taum taum’’ de meia em
meia hora aumentava barulho, quando as engrenagens daquele relógio
secular se enroscava para marcar as meia horas de hora. e, naquele
momento , os treis meninos sentiam como se fosse acontecer alguma
coisa fenomenal. então ouviam um batido no sino, e, aquele son
parecia não terminar nunca. e ficaram esperando que a próxima batida
de sino e dai a meia hora acontecesse. haviam chegados ali ás 22:00h
observaram tudo ao redor da igreja, chegaram até a porta do cemitério ;
era um cemitério muito antigo , pertencente a ordem de são francisco de
assis mas ali não era mais enterrado ninguém já há muito tempo, o
rufino ficava olhando pelo portão, para o túmulos antigos e pensando nas
história de assombração que seus avós contavam. chegava a sentir um
calafrio pelo corpo no momento que ele lembrava das história quando
isto acontecia , isto é, sentia o calafrio pelo corpo, uma voz falava na sua
consciência :’’ isto é fuga de energia’’’’conserve as suas energias’’ então
ele lembrava de todos os ensinamento que teve na terra do semente do
jatobá. observaram com bastante cuidado passando as mãos na porta da
igreja , aquelas portas grossas com ferrolhos grandes. a porta principal
era tão grossa que devia ter cerca de 10 centímetros de espessura. o
comprimento era de cinco metros de altura e a largura de treis metros .
o relógio , deu um solavanco para dar as 23h e bateu 11 vezes. os
meninos já estavam ansiosos até chegar as 24 horas o que poderia
acontecer?? ficaram assim pensando quando o sino bateu uma só vez ,
eram 23:30h . faltava muito pouco para terminar o dia e começar outro
e era neste momento de transição que as coisas podiam acontecer .
nenhum dos meninos teve sono, apenas estavam excitado por se
encontrarem na porta de uma igreja velha ao lado de um cemitério
também velho . cada segundo , cada minuto era esperado pelos meninos.
já passava das 23:47h e os meninos se separaram a uma distancia de
dez metros entre eles . esses poucos minutos pareciam uma eternidade
para os nossos heróis.

99
EM BUSCA DA CAVERNA.
100

quando foi chegando as 23horas e 58 minutos , parecia que tudo ia acontecer , deu
23horas e 59 minutos e os meninos ficaram cautelosos mentalmente, como se fosse
segundo : nestes últimos sessenta segundos pareciam demorar mais de cem anos ,
devido à ansiedade dos meninos , quando faltavam apenas um segundo todos ficaram
observando . para começar a contagem. de repente ouviu-se um barulho como se
estivesse destruindo as ferrolhos antigos de um portão velho e começou a bater o sino
de bronze: e os meninos começaram a contar :-’um, dois, treis, quatro, cinco, seis,
sete, oito, nove, dez, onze, doze,’’ então, momentaneamente , falaram assim terminou.
e assim que acabaram de pronunciar a palavra terminou, o sino bateu mais uma vez ,
dando a décima terceira badalada . e todos exclamaram ao mesmo tempo:-’’ oh! meu
deus , o relógio bateu 13 vezes’’ _

neste instante no ‘’poço’’ da água santa etevaldo e os outros


meninos, que não tinham relógio de igreja para saber a hora, mas
tinham um relógio de bolso que trazia no bolso de etevaldo e, toda hora,
ficavam perguntando que horas eram naquele momento estavam
também preocupados com o que poderia acontecer quando fosse
24horas. e o tempo não passava . no relógio de bolso de etevaldo
estava chegando as 24:00horas , então o barulho da água caindo
começou a diminuir. foi diminuindo também a água que descia pelo cano
a água do córrego que descia paralelo a água que saia da gruta,
também começou a diminuir :foi acabando até ficar um filetezinho que
por fim parou de jorrar: e os meninos tiveram calma de observar ,
notaram que no fundo da caverna , exatamente no local de onde saia a
água cristalina , começou a parecer um foco de luz amarela como se fosse
um ferro quente em brasa. e em seguida o clarão tomou conta de toda a
caverna. e os meninos puderam observar como se tivesse dois olhos
no meio daquela ‘’bala ‘’ de luz . depois deste aparecimento , apareceu
uma cabeça de cobra muito grande que tinha em seu semblante um
desfalecimento e uma tristeza que resplandecia em todo o recanto da
caverna. e ouviu-se uma voz surda que dizia assim:-” Ha centena de
anos que eu sofro com este relógio batendo 13 vezes quando chegar a
meia noite . desde quando eu fui morta há mais de duzentos anos que
eu não consigo acabar de morrer. quando eu estou quase morrendo perto

100
EM BUSCA DA CAVERNA.
101

das 24 horas, aquele relógio bate 13 vezes e eu então me lembro do


numero treze e este número me liga a minha origem’’’’ ‘’portanto eu lhes
peço por toda a misericórdia, pare aquele relógio de bater 13 vezes á
meia noite pois eu preciso chegar à minha segunda morte’’ e falando
estas palavras, a cabeça de cobra foi esmorecendo e sumiu pelo meio
das pedras , a luz foi também diminuindo e quando ficou tudo
escuro a água começou a correr novamente . primeiro começou com um
filetezinho, depois foi engrossando até voltar ao normal como era
dantes. os meninos ficaram espantados com todo aquele acontecimento.
e quando voltaram a observar a nascente de água em volta das pedras
, viram uns pontos brilhantes se mexendo no meio das pedras, parecia
formiga, mas não era. e , logo depois, os pontos de luz foram
aumentando. o etevaldo que era o mais perspicaz de todos teve a
coragem de pegar aquele pontinho luminoso e notou que era uma
lagartinha, destas que andam no nosso jardim e luz fosforecênscia em
seus membros, resultado de uma pigmentação e a reação química, coisa
parecida com os vagalumes. então todos os meninos reuniram em torno
dele para ver também a lagartinha, como viram que era
inofensivo,também cada menino pegou uma lagartinha e ficou
observando aquele ser primitivo que poderia criar uma nova lenda
mas que tem grande utilidade no estudo da natureza. aqueles pontinhos
, eram filhinos da cobra.
e os meninos falaram assim:-”” o que está acontecendo com rufino,
o rex e os outros meninos que foram para perto da igreja’’? como ali no
poço já estava tudo em ordem. foram até o adro da matriz para ver
como estavam os outros colegas. não era muito longe, mais ou menos 2
quilômetros foram andando pela cidade deserta a uma hora daquela
subiram a rua do cascalho e quando avistaram a igreja e os meninos.
contaram para eles a história da cabeça de cobra que falou com eles e
os meninos da igrejas também contaram as 13 batidas do relógio. então
foram para a casa, dormiram o resto da noite e no dia seguinte se
planejaram para falar com o padre sobre o problema das 13 batidas.

101
EM BUSCA DA CAVERNA.
102

no outro dia falaram com os seus pais e eles se providenciaram falar


com o padre, a fim de não expor os meninos ao ridículo da opinião
pública. quando chegaram os ferreiros para ver o problema do relógio o
mesmo descobriram que nas engrenagens tinha um dente a mais e era
este dente que fazia com que o relógio batesse treze vezes quando
chegasse a meia noite. e assim terminou a lenda . o mais interessante é
que o povo de itabira devido a sua avareza, nunca tinha ouvido o relógio
da igreja bater treze vezes a meia noite.

o cruzeiro do morro de n.s. aparecida

a cidade de itabira é cheia de morros , elevações, picos. todos eles


formados de 90% de minério puro. assim nós vemos que ao lado do poço
da água santa há uma elevação feita , toda ela de minério e cascalho.
entre o poço da água santa e o alto desta elevação tem uma diferença de
250 metros. no alto desta elevação , no século passado, foi colocado um
cruzeiro no alto daquele morro, mais ou menos na mesma época da
construção da igreja da saúde .
segundo uma lenda do povo, a imagem de n.s. aparecida havia
parecido no poço da água santa desde o início do século. e a santa
ficava lá para ser venerado pelo povo . mas como os homens iam
tomar banho totalmente despido, a santa ficou humilhada e
envergonhada e com isto ela desapareceu. então o povo da cidade
juntou-se e instalaram no alto daquela elevação uma cruz de quinze
metros de altura com um braço de seis metros: foi colocado uma
escadinha, lança, martelo todos os apetrechos usados na encenação
cósmica por jesus no calvário há dois mil anos atrás. e por esta razão o
cruzeiro de aparecida, como era chamado,era muito venerado pelo povo
de itabira principalmente pelas pessoas mais simples. assim em época
muito seca, as famílias se reuniam e mandavam as crianças fazerem

102
EM BUSCA DA CAVERNA.
103

procissão e jogar uma garrafa de água no pé da cruz para que chovesse


na região. e, de vez em quando, lá ia uma procissão de 15 a vinte
crianças,todas sujas , maltrapilhas , descalças, vestes rasgadas pelo
corpo, saiam cantando e rezando . ao chegar no pé do cruzeiro
despejava aquela água e depois descia cada um para sua casa.
este cerimonial de despejar água no pé da cruz era escolhida uma
criança com menos de sete anos de idade. assim como por exemplo de
5 e 6 anos. as pessoas mais antigas diziam que elas eram ainda
inocentes , ou seja, ou seja,, só tinham os pecados originais.
Vez por outra havia celebração de missa católica em cima do morro.
o cruzeiro era todo enfeitado de bandeirinha colorida: pelos caminhos
era todo colorido de bandeirinhas e flores naturais em vaso que a
população colocava. todos veneravam de longe o cruzeiro quando
chegavam à cidade . no meio do caminho, na subida do morro, havia um
pequeno canal de um metro de largura onde passava água corrente
limpa para a casa grande que existia no pé daquele morro. era uma
água cristalina e limpa que os fiéis aproveitavam para saciar a sede.
estávamos no mês de janeiro de 1991. a escola, única em itabira, estava
fechada por ser período de férias . os nossos heróis não tinham
atividade há duas semanas. estavam descansando. alguns meninos
aproveitaram e viajaram para fazendas e sítios de seus tios. outros
ficaram na cidade ajudando seus pais na vida monótona de uma cidade
, que estava bem perto do terceiro milênio, mas tinha aspecto de uma
cidade de 1920. ela havia parado no tempo e na evolução . até mesmo a
mentalidade parou. parou no ano de 1920.!
antes do início das aulas de 1991, a cidade foi tomada de surpresa
por um fato curioso. o cruzeiro de aparecida, localizado no morro que
nascia junto às nascentes do poço da água santa , onde surgiu, segundo
a lenda , a imagem de n.s. aparecida, desapareceu misteriosamente. foi
um dia de manhã , quase no fim de fevereiro. logo após o carnaval. um
menino, filho de uma lavadeira que deu a noticia:-’ mãe cadê o cruzeiro ?
sumiu!! quando maria , mãe do menino, também não viu o cruzeiro ,
clamou em altos brados:-’’ meu deus , o que foi que aconteceu? ‘’ agora

103
EM BUSCA DA CAVERNA.
104

vai ser mesmo o fim” todas as desgraças vão se abater sobre nós ‘’ dona
maria saiu correndo até ao chafariz , onde as pessoas se reuniam para
apanhar água, e contou para duas mulheres, que estavam enchendo as
suas latas de água, olharam para o alto e notaram a ausência do
cruzeiro então começaram a chorar, rezar. outras pessoas caíram em
verdadeiro pranto de choro. dai a pouco a noticia corre toda a cidade .
não sei como é que as noticias corriam assim para todos os recantos da
cidade sem rádio, sem telefone: os comentários á porta dos armazéns
era só este: ‘’ o cruzeiro de aparecida sumiu’’ até uns tropeiros que
vinham da fazenda do brocotó vieram comentando, sobre o sumiço do
cruzeiro.quando pararam no rancho do armazém do sr zacarias
informaram que a noticia do desaparecimento do cruzeiro já havia
chegado até lá e ainda diziam eles:-” que as pessoas das fazendas ao
redor iam fazer uma procissão até o pé do morro pedindo a nossa
senhora de aparecida que fizesse reaparecer o cruzeiro”.
todos na cidade , nos dias seguintes só falavam sobre este assunto,
alguns diziam ter sido castigo implantado ao povo por ter desrespeitado
a história que os meninos , alunos do sebastião , haviam contado aquela
história da semente da árvore do jatobá. outras pessoas mostravam
verdadeiro desespero e tristeza pelo acontecido. e então, à noite, nas
casas havia novenas para n .s de aparecida fazer retornar cruzeiro a seu
lugar. na missa de domingo na igreja da saúde, o pároco local, fez uma
reflexão com os fiéis dos últimos acontecimentos da cidade. citou ele:_ o
caso do relógio da igreja que batia 13 vezes á meia noite. falou do abuso
do povo itabirano em relação a história contada pelos alunos do sr
sebastião . enfim citou muitos casos que estavam acontecendo em
itabira como sinais de castigo dos fins dos tempos que tudo deveria
acontecer se o homem não mudasse de atitude e a sua maneira de
pensar . então ele conclamou o povo que fosse procurar o cruzeiro a
partir do dia seguinte ou um castigo terrível iria acontecer com aquela
cidade antes do fim do século, ou seja, como está escrito, em 1999.
após terminada a missa a saída foi diferente dos outros dias. o povo não queria sair da
igreja, muito ficaram dentro da igreja ajoelhados e rezando pedindo a n.s de aparecida

104
EM BUSCA DA CAVERNA.
105

que atendesse às suas súplicas. no dia seguinte houve procissão imensa de pessoas ao
lado de toda encosta à procura do cruzeiro. as pessoas andavam em procissão de 8 a 10
pessoas rezando em voz alta o canto era mais ou menos assim:

uma estrela brilha no céu.


e os peixinhos no mar
nós queremos , amar, amar, amar
estrela no céu

que clareia um dia , e dia é dia


da virgem maria
eu vi o nosso senhor
que o seu sangue derramou
na cruz do cruzeiro
de aparecida que é o nosso amor.
e assim iam cantando , uns iam de vela acesa. até a noite vasculhavam todos os
caminhos ao redor da encosta. e nada”! o cruzeiro continuava desaparecido , nos dias
seguintes toda a cidade já havia perdido a esperança de encontrar o cruzeiro de aparecida
, passaram-se quase 20 dias , já estava quase no dia de iniciar as aulas no grupo escolar
de itabira. os nossos heróis ficaram sabendo e acompanharam de perto os acontecimento
do sumiço do cruzeiro , mas não quiseram tomar parte em nenhuma busca para não
acontecer o que aconteceu com eles meses atrás. eles estavam mais preocupados com as
aulas que em breve iriam começar e com o sumiço de sebastião que até aquele momento
não tinha dado sinal de vida. ah! se o sebastião estivesse ai´seria bem diferente. êle saberia
o que teria acontecido com o cruzeiro.mas como êle não está, é só a gente esperar pelos
acontecimentos. afinal as aulas já vão começar logo em breve e....depois ninguém mais se
lembraria de nada.

era o dia primeiro de março de 1991 itabira sofria um calor nunca visto. as chuvas já
haviam findado. os córregos já apresentavam sinal sinal de vazante. as costureiras da
cidade estavam assoberbadas fazendo uniformes de brim caqui amarelo para centenas
de alunos. no grupo escolar, que havia sinal de tristeza e de abandono das férias, já
estava todo pintado de novo . alguns buracos do pátio foram remendados. as carteiras
foram limpas o chão do assoalho lavado com pita e colocado areia branca. era um
costume da época colocar areia branca na sala de entrada das casas . todos na cidade

105
EM BUSCA DA CAVERNA.
106

só falavam no ínicio das aulas que dariam no dia primeiro de março, numa segunda feira
todos tinham a esperança de que aquele seria um ano diferente de todos os outros. até
os nossos heróis, os discípulos de sebastião, tinham esperança que tudo seria melhor
até o reaparecimento de sebastião foi cogitado entre eles.

e assim foi : no primeiro dia de aula todos formado no pátio. depois de cantarem o
hino nacional , começaram a cantar:

“” em grandeza a minha terra


vou cantar a sua lira
a cidade mais formosa
seu nome é itabira...
todos os meninos cantavam entusiasticamente , menos os nosso heróis , que apenas
acompanhavam os outros. pois eles sabiam que no fundo de todo acontecimento
estaria uma face escondida. e a voz infantil continuava entoando em meio aos pés
de sabonete jaboticabas e sabugueiros: tinha ate um pé de cacau no meio do pátio.

.... quem bebe de suas águas


não se esquece mais de lá...
não era nisto que nossos heróis pensavam . de todos os lugares que eles conheceram na
companhia do padrinho sebastião, nenhum deles gostaria de esquecer a árvore de
jatobá na outra terra . e iam eles pensando , enquanto as sua bocas acompanhavam ,
com movimentos bilabiais os outros meninos que cantavam.quando terminaram a ultima
estrofe do hino à cidade de itabira, apareceu no topo de uma escada o vulto de uma
pessoa muito conhecida dos meninos assim o chamavam: sebastião, que era de cor
negra , alto e usando chapéu. todos ficaram contente em ver o seu amigo que há
muito tempo havia sumido.

e assim teve o início das aulas no ano de 1991. todo aquele ano seria apenas de preparo
para grande viagem que devia acontecer no fim do ano letivo , ou seja, a partir de
dezembro.

no decorrer de todo o ano não aconteceu com os nossos heróis


nada que pudesse chamar atenção da opinião pública. quando eu digo
nada . é apenas um nada aparente , porque no fundo de seus
coraçõesinhos, havia uma coisa diferente. . dirigido a o seu mundo interior

106
EM BUSCA DA CAVERNA.
107

, onde eles não podiam provar nada a ninguém, a não ser para eles
próprio, que faz com que as pessoas possam ver as suas condições de
inúteis: descobrindo nossas fraquezas , nós podemos tornar úteis a nós
mesmo. mas , sem saber nem pelo menos o que nós somos é difícil
prosseguir sua jornada. precisamos aprender que nada existe neste
mundo que não possamos conhecer: por exemplo, se vemos uma
determinada atitude de uma pessoa , não devemos criticá-la, nem tão
pouco fazer o nosso julgamento se ela está agindo bem ou mal. e,
agindo assim, vamos diminuindo os nossos defeitos que tanto nos
impede de progredirmos.
sebastião que já estava novamente lecionando na escola trabalhava
todos os dias até as 22:00 horas dando aulas de ciência dava aulas
de manhã e à tarde ele descansava . nos fins de semana reunia com os
meninos no grupo de escoteiro onde ele aprendiam a fazer todo o tipo
de atividade.
uma coisa que sebastião gostava muito de explicar era a disciplina.
a disciplina, dizia ele, é aquela que nos educa, que nos faz ver os
nossos erros : se estivermos disciplinados em todos os momentos
da nossa vida, podemos evitar muitos desgostos. e possamos ter a
disciplina internamente podemos controlar até os nossos pensamento e
as nossas vontades. sem disciplina somos um bando de animais
irracionais que não sabemos nem beber água.
durante todo o segundo semestre de 1991 as atividade dos meninos
tinha aumentado durante os sábados. eles permaneciam o dia todo
reunidos para aprender o que sebastião mais exigia dos meninos era o
segredo absoluto das suas atividade . para a opinião pública de itabira ,
era apenas um grupo de escoteiros que participava de atividades de
campina, mas no fundo era mesmo o preparo para a grande viagem, e
voces sabem que os meninos adolescentes adoram falar de aventura,
principalmente se eles confiam na pessoa que eles seguiam . também
era preciso escolher as pessoas que iriam com eles alem dos 19 meninos
que desde o início participaram das atividades. então o sebastião
orientou os meninos que eles deveriam escolher mais treis meninos

107
EM BUSCA DA CAVERNA.
108

para juntar ao grupo para a grande viagem que deveria ser nas férias de
janeiro de 1992.
sebastião orientava aos meninos que a viagem em busca da
caverna devia ser em absoluto segredo . não devia dizer para outras
pessoas a não ser com os pais . para isto sebastião já mantinha reunião
semanal com os pais dos meninos; explicando que seria um
acampamento ao sul da mantiqueira onde nós ficaremos mais ou menos
trinta dias por isto precisamos do apoio de todos os pais a fim de que
tenham sucesso no acampamento . sebastião notou que os pais dos
meninos estavam contentes em saber que os filhos deles estavam
orientados por que aquele senhor que, a princípio parecia estranho, mas
foram se adaptando ao seu jeito de ser.
foi o ano mais longo da história dos meninos porque eles se
prepararam o ano todo para a grande aventura, que eles nem sequer
sabiam como seria o desenlace de tudo aquilo. só sebastião sabia o
que iria acontecer, mas mesmo assim ficava com receio em relação ao
comportamento dos 19 meninos que iriam com ele até o desconhecido.
todos já estavam com o seu material em ordem para o acampamento e,
ainda era o mês de outubro. eles deveriam ainda fazer as provas de final
de ano e deveriam passar para a série seguinte: e sebastião ia
pensando...
• ’’não haverá volta , a não ser daqui ha muitos anos. todas estas criaturazinhas
com rosto infantil estão totalmente enganadas de que retornarão, mas não
podemos modificar a história do que já está tudo pronto.
logo após o dia 23 de outubro de 1991 começaram as chuvas de
verão, no principio foi apenas chuvas grossas e chovia apagando a
poeira do chão. depois começaram a chover dias sem parar. no mês de
novembro houve uma parada nas chuvas de uns dez dias. os meninos
resolveram fazer um acampamento tradicional : depois de ter o
consentimento dos pais reuniram na sede com todos os meninos e
decidiram que o acampamento seria dividido em 3 grupos de 5 meninos ,
e de um grupo de 4 e outro de treis.

108
EM BUSCA DA CAVERNA.
109

sebastião ficaria sozinho em, sua barraca. assim decidiram os


meninos por que ele era adulto e gostava de ficar sozinho o tempo
todo. combinaram entre eles que teriam dois meninos só para fazer o
relatório de todo o acampamento . dois se encarregaram de fazer a
fogueira a noite mais dois encarregados de buscar água, mais dois
fariam comida mais mais dois arrumariam as barracas , e enfim todos
teriam a sua atividade e responsabilidade durante o acampamento ,
partiram logo de manhã cedo , a terra estava um pouco seca, mas ainda
não saia poeira : as nascente já começavam a jorrar água cristalina. de
vez em quando pelo caminho encontravam um carro de boi que era logo
identificado de longe e sebastião dizia assim:-’’’ esta vindo ai um carro de
boi , e ele está bastante carregado: e os meninos queriam saber como
sebastião sabia de tudo isto. e ele explicou :-’’ tudo na natureza vibra em
uma determinada nota musical, uma fonte de água ,um canto da cigarra ,
o canto do grilo, o choro de uma criança , . e aquele carro de boi deve
estar a uma distância de quinhentos metros , esta com o eixo do lado
esquerdo mais quente que o direito. tudo porque a vibração das notas
estão diferentes . e vejam , vocês , o vento esta á nosso favor , está
soprando para nossa direção de maneira bem fraquinha que a sua
força não interfere no som dos eixos do carro de boi que vem em nossa
direção: no próximo encontro de carro de boi vocês é que deverão
identificar e dizer para mim o son que voces ouvirem. também não se
esqueça que cada pessoa escuta determinado son de acordo com o
seu entendimento ,e com os seus sentidos .
naquele momento já avistaram a uma distância de 400 metros um
homem e um menino. ao lado de um carro de boi que puxava uma
cargas de sacas de feijão e os meninos pararam para ver mais de perto o
carro boi . a medida que o comboio chegava perto aumentava a son de
tal maneira que alguns meninos tamparam os ouvidos . sebastião fez
sinal e o menino parou o carro de boi : os nossos heróis arrodearam o
carro de boi para observarem mais de perto o eixo do carro que
‘’cantava’’ de longe. Era a expressão usada por eles. E o Rufino passou
a mão no eixo e deu um grito de dor. É que o mesmo estava tão quente

109
EM BUSCA DA CAVERNA.
110

que queimou o seu dedo : Sebastião explicou que com o atrito do eixo
com a madeira vai esquentando a ponto de pegar fogo. Por isto depois
de muito tempo é preciso parar um pouco para esfriar o eixo. depois que
os meninos conversaram o dono do carro de boi e o seu filho , seguiram
viagem rumo ao acampamento.
Depois de andarem durante duas horas chegaram a uma área
onde havia corrente de água e uma pastagem logo atraz da serra da
Conceição. E sebastião começou a contar a história da extração de
ouro feito pelos ingleses e portugueses no século passado. dizia ele: _ “
foi tanto ouro que levaram desta serra que ela se encontra totalmente
oca. Eram feitas minas desde a superficie até o centro da mesma e de
lá era tirada a areia que era lavada e depois era separado o ouro:
Este trabalho foi feito durante desde o início da metade do século.
foram tanto ouro roubado que levou a miséria a este povo que habita
toda a região central de Minas Gerais esta é a razão do nome do
estado: E não foi só aqui em Itabira , quase todas as cidades que hoje
tem extração de minério , no passado era extração de ouro. Assim como
por exemplo em Santa Bárbara, Barão de Cocais, Caeté , Nova Lima,
Belo Horizonte enfim todas as cidades da região central “
_ de que maneira era o ouro extraido das serras ou jazidas?
perguntou um dos meninos . E Sebastião fez um relato de toda técnica
de extração do minério. E citou que era extraído das minas. Mina é uma
entrada , ou um buraco que é feito na montanha e vai perfurando até o
centro e as areias se misturando com a terra e outros minerais era
lavado e separado o ouro, e jogado fora o resto. Eles não aproveitavam
o restante dos materiais como enxofre, magnésio etc, não! só
interessava o ouro. E assim levaram todo o ouro da nossa terra e ainda
mais, continuava Sebastião .
• ” tomava posse de toda terra que havia nesta região como pago de favores
prestados ao reinado” . mas estas histórias não nos interessa no momento o mais
importante para nós era a história contada pelos homens escravos que
trabalhavam nas minas. Algumas são histórias fantásticas , outras são lendas que
foram passando de boca a ouvido ate chegar ao tempo de hoje. Alguns

110
EM BUSCA DA CAVERNA.
111

trabalhadores chegaram à montanhas tinham tanto medo que, às vezes ,


desmaiavam ou morriam de medo. Diziam eles que podiam morrer porque ao meio
dia em ponto rolava grandes pedras do alto da montanha e atingia as pessoas que
estavam em baixo. Muitas vezes , antes da pessoa cair morta no chão dava um
grito tão alto e diziam que uma pedra gigantesca estava rolando em sua direção e
morria. só que muitas pessoas que estavam do lado não viam as pedras. Mas a
pessoa que gritava e anunciava a corrida da pedra, morria. e, imediatamente era
interrada logo no pé da montanha. outras pessoas que trabalhavam dentro das minas
contavam histórias de “”aparição “” estranhas, vozes, luzes e outras manifestações
não entendido pelos operários-escravos, principalmente aqueles que trabalhavam
lá no fundo da mina. Eles contavam também que as vezes , aparecia um buraco
escuro sem nada lá dentro. Quando isto acontecia o trabalho de escavação era
imediatamente interrompido e iniciava-se em outro local a perfuração de outra
mina. As vezes uma mina era chamada de mina cruzada. isto acontecia porque
duas perfurações se encontravam a um determinado ponto. e quando isto
acontecia havia corrente de ar e facilitava o trabalho das escavações . Mas mesmo
assim no encontro final das duas minas os operários escravos não gostavam de
ficar porque diziam que ali o local de encontro dos espíritos da natureza,ou os
espiritos da pedras, como os escravos diziam : Existe alguns relatos que foi de
boca a ouvido desde o tempo da escravidão, de que homem em forma de pedra e
de cor da própria pedra, apareciam vagando pelo interior das minas e de repente
desapareciam misteriosamente. E estas aparições faziam com que os escravos
tinham medo de entrar em determinada mina, com excessão dos escravos mais
velhos de idade que orientava o traballho de escavação . Estes sim ; não tinham
medo . Eles entravam na ‘’mina cruzada’’ sózinhos e ficavam lá dentro várias
horas conversando com os homens pedras.e muitos deles não contavam para os
outros escravos estas suas histórias para não descobrir os seus segredos de
conversas com os grão de areia da natureza no interior da mina.
Bem , por hoje chega de contar história, disse Sebastião. A nossa
sombra já esta ficando pequena. Daqui a pouco ela vai começar a
crescer para o ocidente . quando a nossa sombra estiver na medida do
nosso corpo, nós vamos parar e montar acampamento. Alguns dos
meninos não entenderam aquele jogo de palavras mas ele estava

111
EM BUSCA DA CAVERNA.
112

dizendo que: como estava próximo ao meio dia e , estávamos saindo do


verão , a nossa sombra estava quase debaixo dos nossos pés . E depois
que passasse do meio dia e o sol começasse a declinar para o oriente a
nossa sombra caminharia para o ocidente. E quando ele disse que a
nossa sombra estaria do tamanho do nosso corpo podemos
compreender que era mais ou menos 3 horas da tarde.
Os nossos heróis andaram mais treis horas e encontraram uma
vasta planície que sumia de vista, ao longe uma carreira de montanhas
parecia querer subir para céu, cada um com seu pico mais alto.
conforme Sebastião previra a sombra das pessoas já estavam do
comprimento do corpo, portanto era hora de baixar acampamento. eram
quatro barracas que foram montadas em círculo. A primeira coisa a fazer
após a montagem das barracas era acender a fogueira e deixa-la
acesa demonstrando que havia gente presente. Depois foi preparado
a comida que constou de pão com queijo e café com leite.
Edepois , quando o Sol não mais media as suas sombras, as aves já
haviam recolhido a seus ninhos, e as primeiras estrelas começaram a
pintar o céu, já era hora de recolher , sentar em torno da fogueira e
simplesmente conversar . Talvez sebastião falasse alguma coisa sobre o
grande acampamento . Mas ele permaneceu calado . a medida que se
escurecia mais estrelas eram pintadas no céu . Ele já estava quase cheio
de estrelas mostrando a via Láctea, ou caminho do leite como dizia os
meninos. Os vultos das arvores e dos arbustos constratavam com a luz
da fogueira parecendo fantasmas. Alguns meninos relembravam as suas
primeiras viagens e os primeiros acampamentos e lembravam das
histórias contadas por Sebastião _” Alaão o deus dos meninos , A
floresta sem nome, a Montanha da china. e as viagens feita à terra do
jatobá . enfim lembraram quase tudo que ebastião lhe contara nos
últimos anos . E ficavam pensando:- Como ele sabia de tanta coisa?
Era impossível que uma pessoa comum soubesse tanta coisa assim :--
Como Sebastião viu que os meninos estavam inquietos , chegou
perto deles e começou a dizer:-” este é um os últimos acampamentos
que nós fazemos antes da grande viagem. ‘’ . portanto fiquem bem

112
EM BUSCA DA CAVERNA.
113

atentos as orientações’’ “” a nossa viagem vai ser de trem subterrâneo


até o sul da mantiqueira : porque como voces sabem o trem
subterrâneo encontra-se debaixo de todas as montanhas existentes no
centro sul de Minas Gerais. A porta de entrada do trem subterrâneo são
as minas abandonadas, são as grutas e as cavernas existentes.
Normalmente as pessoas mais velhas não se fala nela porque não
sabem que elas existeme, se soubéssem, também não falariam com medo
de cair no ridículo.
De uma maneira geral as pessoas não tem compreensão para entender
uma coisa tão simples , ela prefere falar com ‘’ sabedoria’’ as coisas
importantes. O outro mundo, que é o mundo subterrâneo , é que é um
mundo paralelo a este torna se difícil para êles entenderem. Por isso
devemos ser reservado quando falarmos neste assunto. Depois de
viajarmos até o sul da Mantiqueira , sairemos à superfície e
continuaremos a pé até a serra de Itatiaia, depois de São Lourenço.
Agora precisamos manter toda a calma, senão todo este nosso trabalho
poderá acontecer com voces o que aconteceu quando retornamos
da terra do Jatobá. As pessoas que estaõ estão longe do nosso convívio
não devem saber destes detalhes. Elas não compreenderiam e levariam
para o outro lado do entendimento.
terminado a palestra do Sebastião, o fogo ainda crepitava alguns
galhos secos de candeia. Os meninos já davam sinal de cansados
devido a caminhada daquele dia. epois de vasculhar toda a imensidão
do infinito , mirando as milhares de estrelas , montaram guarda com 4
meninos e os outros foram dormir nas barracas: Sebastião dormia
sozinho em uma barraca bem afastada das demais .
o dia seguinte todos acordaram contentes, alegres por estarem no
acampamento . Depois da primeira refeição foram fazer reconhecimento
do local e descobriram que ali perto passava um riacho com água
límpida, então pensaram logo em um banho antes da refeição que
seria em torno das 16:00 horas . quase todos os meninos ficaram
brincando na água do riacho das 11:00 até as 15:30 com excessão dos
que tomavam conta do acampamento e preparavam as refeições. depois

113
EM BUSCA DA CAVERNA.
114

da refeição da tarde que era a única, depois do desjejum, só tinha uma


outra refeição a noite. fizeram o relatório das atividades do dia e
planejaram as atividades do dia seguinte que seria a coleta de especie
de parasita para colocar no jardim botânico da Escola. E verificar que
espécie de animal existia na região . Terminado tudo, montaram guarda
no acampamento deixaram a fogueira acesa e outros foram dormir .
Dormiram profundamente devido ao cansaço e a atividade do dia inteiro.
Naquela noite de acampamento tudo transcorreu normalmente. O
outro dia tudo seria novo e assim foram passando os dias até a
quinta noite de acampamento. Quando então sebastião disse . -’’
amanhã retornaremos”” a próxima partida nossa é definitiva”: - todos
ficaram sentados ao redor da fogueira até alta hora da madrugada. não
dormiram, depois dormiram ao lado da fogueira até a mesma se apagar
e ficar só o borralho.
aquela madrugada foi a mais longa de todas: Foi difícil conseguir
ver as primeiras luzes vermelhas do sol nascente porque não
chegava. A ansiedade dos meninos era tão grande pelo Sol
nascente que ele não vinha. Depois, muito depois começou a surgir os
primeiros raios de luzes vermelhas anunciando a alvorada. Aalegria
retornou ao semblante dos meninos , após uma madrugada de
angústia . parece que a noite traz para os homens a descrença ea
morte de todas as esperanças acumuladas no decorrer do dia. Assim
os meninos recobraram o vigor e nasceram em seus corações a
esperança. Reacenderam a fogueira, prepararam o desjejum do resto de
comida que ainda existia nas mochilas, e começaram a desmanchar o
acampamento, voltaram para a casa sonhando que, um dia iriam até
à caverna tanto criada dentro de suas almas: -- voltaram...

Natal de 1991.

Já esta tudo pronto para a ceia de natal ? perguntou Sebastião aos meninos .
Não está faltando nada, apenas a sua presença aqui na nossa casa, falou o Rufino assim

114
EM BUSCA DA CAVERNA.
115

que o Sebastião chegou à porta da sua casa. Era costume costume dos pais dos
alunos convidarem os professores para passar o natal em suas casas , e o Sebastião
havia sido convidado por muitos pais naquele ano, mas ele só pôde ir na casa de um
menino, e a casa do Rufino foi a escolhida por ele naquela vez. A refeição era muito
simples por eles serem bem pobres . Na casa , além dos pais de ufino , estava também
ali o avô e a avó do rufino que também eram pessoas de uma humildade sem fim .
Depois de fazer a ceia e natal conversaram até o amanhecer do dia 25 de dezembro.
Falaram de tudo, os avós do Rufino ficaram encantados com o Sebastião era uma
pessoa simples e diferente do que eles já haviam conhecido até hoje, diziam.

O Sol já estava nascendo quando Sebastião saiu da casa do Rufino que ainda
estava dormindo. menino não participa do assunto de gente grande , dizia o seu pai.

Assim terminou para Sebastião a festa de natal de 1991. Agora restava reunir os
meninos e marcar a saída para o acampamento. Mas era melhor esperar passar as festas
de fim de ano. Quando então todos os meninos já teriam voltado para casas de seus
familiares onde iam passar as festas de fim de ano.

O ano de 1992 começou com um calor muito forte. Não havia


previsão de chuvas . A poeira levantava a uma altura de cem metros
quando havia o rodemoinho: O vento começava a rodar em forma de
tufão e levava para o espaço a cerca de cem metro ou mais, pedaços de
papel e folhas secas que estavam pelo chão. As pessoas tinham um
certo receio de passar perto do redemoinho. Pois diziam que naquele
momento o diabo estava presente . Não havia nenhum sinal de chuva ,
parecia que a terraestava se queimando e bebia todas as águas do céu.
As fontes de água que abastecia a cidade de Itabira , já dava sinal de
fraqueza. Sebastião compreendeu que não podiam esperar mais tempo
e tratou de marcar a saída para o acampamento no dia 20 de janeiro de
1992 às 13:00 hs
Todos os meninos levaram ao conhecimento dos seus pais que
concordaram em autorizar a saída para o acampamento. seria um
acampamentozinho de 15 dias aonde eles iriam até o sul da Mantiqueira
conhecer as nascentes de água mineral.

115
EM BUSCA DA CAVERNA.
116

todos os meninos apresentavam bastante excitados com a idéia de


partir para mais uma ventura. eram 19 meninos um cachorro, o Rex, e
sebastião. total de 21 seres que iriam acampar. Notava-se também uma
certa agitação e comentários entre o povo de Itabira, principalmente , à
saída das missas e das rezas à noite . Todos já sabiam que os meninos
iriam sair para mais um acampamento misterioso: Parece que o povo já
sabia de alguma coisa, mas era só impressão. Mas os meninos já sabiam
de todas as coordenadas para a viagem, só que eles não falavam com
ninguém. Nem os seus pais sabiam o que aconteceria.
Duas semanas anteriores a data da partida os meninos faziam
verdadeiros desfiles pelas principais ruas de Itabira arrecadando comida,
roupa também visitaram todos os parentes e ficaram até altas horas
conversando com as pessoas mais velhas. durante todo o dia próximo à
partida os meninos tinham atividade de rua desde manhã até a noite: A
porta da igreja da matriz , eles se reuniam após a cerimônia da missa
de domingo, montavam um pequeno acampamento e demonstravam
para o público como seria as suas atividades no acampamento.
Sebastião que era o líder máximo dos meninos quase não aparecia.
Ficava coordenando todo acontecimento à distância.
No dia 15 de janeiro de 1992 domingo, houve uma grande
manifestação dos meninos na hora do sermão autorizado pelo pároco
local. A manifestação dos meninos seria uma homenagem a São
Sebastião, santo guerreiro da igreja católica que tem o seu dia de
consagração o dia 20 de janeiro. Todos viram com assombro o
poder de trabalho dos meninos. Falaram de tudo que possa imaginar
desde o fanatismo do povo de Itabira , quando do retorno da terra do
Jatobá , onde falaram da experiência na terra do jatobá até exploração
que existe dos mais fracos com os oprimido. falaram daqueles que
prendem passarinho nas gaiolas, e o atraso que esta atitude traz para as
pessoas. no final da missa, no adro da igreja, o povo reuniu pedindo
desculpa para tudo aquilo que eles fizeram. -’’ mas já era tarde demais’’ -
assim pensaram os meninos, todos ao mesmo tempo.

116
EM BUSCA DA CAVERNA.
117

Apartida definitiva

Eram 13:00 horas do dia 20 de janeiro de 1992. o Sol a pino


escaldante, vigiava os meninos que caminhavam pelas ruas de Itabira,
saindo do pátio do colégio onde eles estudavam eram meninos: :Rufino,
Lobato, Etevaldo, Lucas, Luis, Neide, Marcelo, Raul, Marinaldo,
Alexandre, Joaquim , Antônio , José Martins, Carlos , cavalcante, Mauro,
Virgílio, Pedro , Paulo e o rex , amigo inseparável de Lobato . Todos com
mochilas nas costas pesando cerca de 10 kilos, na mão direita
carregavam o bastão para apoiar o corpo.Estavam no maior silêncio, e
à a frente, cerca de cem metros ia Sebastião guiando os meninos. Por
onde eles passavam o povo deixava os seus afazeres e vinha ver o
cortejo que seguia firme de cabeça erguida . Depois que desceram a
rua da Água Santa atravessaram o córrego do mesmo nome e
começaram a subir o morro. Ali neste ponto a marcha já era mais lenta.
ao chegar no topo do morro voltaram para trás e miraram o caminho
percorrido como dando um ultimo adeus à cidade que eles jamais
veriam , olharam a frente e vislumbraram o caminho a percorrer.
a medida que foram andando já ia diminuindo a quantidade
de casas e por final apenas o caminho de terra batida pelos pés dos
animais , burros e cavalos e dos homens que ali passavam . ao lado a
vegetação era composta d e savana e arvores retorcidas, vez por outra
via se uma gigantesca arvore de articum que servia de sombra para os
animais . a frente os meninos já vislumbravam a serra da conceição
que já começava a enterrar sua cabeça nas nuvens dando a impressão
que o tempo ia mudar e que podíamos ter chuvas.
andaram mais duas horas pelo caminho ensolarado e tortuoso ,até
chegar à margem de um regato de água cristalina , logo atras da
serra que, tanto mistério inspirava nos meninos. assentaram
acampamento acenderam a fogueira e prepararam o jantar .
permaneceram sentados vendo a fogueira queimar sem dizer uma
palavra, nem canção, nem jogos. nada todos estavam quieto. até rex
permanecia deitado com as patas trançadas apoiando o focinho.

117
EM BUSCA DA CAVERNA.
118

sebastião também estava sentado no meio deles sem dizer uma palavra.
assim foi escurecendo até não mais se ver nada., ao redor uma vez
que aquela noite não tinha nenhuma estrela no céu. estava escuro
feito ‘’ breu’’ . só a fogueira permanecia acesa sendo alimentado pelos
meninos. quatro meninos já estavam de guarda, e todos dormiam a o
redor da fogueira.
no dia seguinte não houve luzes vermelhas anunciando o sol
nascente. o tempo estava nublado foi clareando ao poucos e por igual.
bem diferente de
quando o céu está cheio de estrelas e as luzes vermelhas
anunciando a aurora vão apagando as estrelas deixando o céu
somente os mais fortes que insiste em ficar, mas depois não agüentam a
força do astro-rei acaba sucumbindo dando lugar a luz do dia. não!
naquele dia não houve isto. naquele dia, apenas foi clareando por igual
até tornar-se totalmente claro. algumas nuvens davam lugar ao sol
mas ao mesmo tempo ele escondia de novo. foi feito o desjejum para
todos e, antes de desmanchar o acampamento sebastião reuniu os
meninos e disse que a partir dali ao sul da mantiqueira era a próxima
caminhada. enquanto sebastião falava com os meninos o rex
começou a latir e sair correndo em direção à serra da conceição. então
sebastião ordenou que o rufino e mais quatro meninos fossem atras
do rex e verificar o que estava acontecendo. depois de andarem mais
de uma hora atras do rex , os meninos encontraram-no parados diante
de uma abertura de mais ou menos dois metros de altura, como se fosse
a entrada para uma mina velha abandonada. o rex totalmente
paralisado com os olhos fixos como se estivesse hipnotizado . assim
que os meninos viram rex imobilizado olhando para a entrada da mina,
eles também ficaram parados olhando o que o rex ia fazer. o
cachorro não fez nada a não ser ficar parado . mas os meninos
começaram a olhar para a entrada da mina e conseguiram ver de longe
que alguma coisa estava se movendo. então todos ficaram escondidos
sem ser visto . puderam observar que na porta da mina abandonada
havia figuras de forma humana e de cor escura marrom . se

118
EM BUSCA DA CAVERNA.
119

locomovendo como se estivesse tirando alguma coisa de dentro da mina


e jogando . era um movimento de vai-vem de duas ou treis formas de
vida que estavam atuando na porta da mina . e os meninos não
tiveram coragem de chegar mais perto saíram correndo para o
acampamento juntamente com o rex e foram contar para o sebastião
tudo o que viram e como aconteceu. sebastião que já sabia de tudo ,
ordenou que os meninos não voltassem mais aquele lugar e que
também não desmanchassem o acampamento: deveriam esperar até... o
dia seguinte. ou talvez mais tarde. ‘’ aguardem’’ disse ele.
todos os meninos ficaram no acampamento sem sair dos seus
limites . a fogueira foi novamente reacendida e foram ali sem fazer
nada . a medida que foram chegando a tarde todos os meninos
prepararam as refeições da da tarde mais cedo e ficaram pensando
sobre o acontecimento do dia na porta da mina.
a tarde começou um vento frio, a fumaça da fogueira espalhava
por todo o lado . o vento foi aumentando de tal maneira que o sebastião
achou melhor desmanchar acampamento . além do vento que era forte
começou a chover aquela chuva gelada e fria. cada um procurou o seu
agasalho na mochila para se proteger , quando então se ouve um
estrondo de trovão tão grande que doeu no ouvido de todos ,
antecipado de um clarão mesmo de um raio que caiu na serra da
conceição que estava a uns dois quilômetros de distância . no lugar
onde caiu o raio formou-se uma labareda de quase 10 metros de altura.
e , repentinamente a chuva parou e o chão ficou seco como antes. e
sebastião apareceu no meio dos meninos e disse :-’’ é agora, vamos ‘’
eram mais ou menos 18 horas estava escuro por ser tempo de chuva.
se não fosse te mpo chuvoso ainda teríamos sol do lado de fora . assim
ia dizendo sebastião . quando os meninos começaram a carregar as
mochilas as costas um clarão imenso, saindo do chão iluminava a área
do acampamento e se dirigia até a porta da mina abandonada onde os
meninos estiveram durante o dia : e sebastião falou para eles :-’’ este
clarão que está iluminando o chão só vai durar trinta minutos . o tempo
suficiente para nós andarmos até a entrada da minas. como voces

119
EM BUSCA DA CAVERNA.
120

vêem não existe um fonte de luz , o chão simplesmente fica claro a


medida que a gente pisa . voces podem observar que o chão vai
seguindo o caminho traçado por voces que estiveram na boca da mina
abandonada no dia de hoje . todos os meninos estavam sem dizer nada
apenas obedeciam o que o sebastião determinava começaram a
caminhar : sebastião ia atras de todos. afinal não tinha o que errar :
era só seguir o clarão de luz . seria um quadro interessante a gente
poder ver de longe , do alto da montanha , aquele caminho de luz e
ver vinte pessoas e um cachorro andando no meio da estrada onde não
se projetavam sombra, seria só luz pelos caminhos . à medida que os
meninos andavam o facho de luz do chão ia desaparecendo
vagarosamente à mesma distância de 30 metros atras dele, quando os
mesmo chegaram a porta da mina , sebastião mandou que os meninos
fosse entrando , não precisavam ter medo porque lá dentro também
tinha iluminação no chão e nas paredes , todos foram entrando e,
assim que sebastião entrou a porta da mina foi travado com ferrolho
e, do lado de fora voltou a escuridão.

a viagem do trem subterrâneo

depois de conversar com os meninos como seria a viagem dali


até ao sul da mantiqueira. que seria uma viagem em um trem que
andava por baixo do chão como foi feito em outra época por eles
quando estiveram visitando a lemúria, sebastião fez um sinal e as
creaturas que estavam impregnadas com matéria ectoplasmática nas
paredes das cavernas foram saindo e tomando a forma humana: eram
cerca de quatro figuras do mundo subterrâneo que ia guiar o trem até o
destino: imediatamente o vagão de luz apareceu . era um vagão
comprido que tinha bancos de luz à medida que os meninos entraram
no vagão e sentaram parecia ser tão macio quanto o ferro ou madeira
conhecida.
os meninos já estavam ais descontraídos e conversavam entre si .
sebastião também contava para eles algumas histórias do mundo
subterrâneo o trem corria a uma baixa velocidade . quando os

120
EM BUSCA DA CAVERNA.
121

meninos tinham fome ou sede , as figuras paravam o trem e ofereciam


a eles uma espécie de comida feita com alga e musgo , a água era tirada
das paredes da caverna , depois de pararmos duas vezes para comer e
tomar água, o trem parou em um salão muito grande. era a entrada
de uma antiga cidade subterrânea que só restava ruinas ali pararam
saíra fora do trem e foram repousar. repousaram dormindo por mais ou
menos oito horas . prosseguindo viagem logo a seguir , não sabiam se
era dia ou noite por que ali não havia luz do sol.
depois de viajarem o equivalente a dois dias chegaram a um
salão muito grande o trem não seguia a partir dali . logo em seguida
apareceu uma parede de fumaça que tinha um porta aberta e que
continuava um túnel largo e escura e que à sua saída tinha luz do dia
todos os meninos ficaram ansiosos para sair do lado de fora. pois eles
não viam a luz do dia a mais de 72 horas. chegando à porta do túnel
viram que dava para um lugar muito lindo e maravilhoso . não havia
casa nem fazenda apenas arvores e flores, córrego, riacho, cachoeira e
uma grama verde que cobria vária planície.
sebastião avisou-lhes -’’ é o sul da mantiqueira , vamos acampar hoje por aqui.

procuraram um lugar na planície para manter o acampamento .


logo em seguida acendram o fogo : não podia ter acampamento sem
ter uma fogueira acesa. depois prepararam a refeição do dia e foram
explorar o local . dividiram em grupos de 3 meninos sebastião desta vez
foi junto deles cada grupo seguiu por um lado . deveriam voltar em
torno das 16:00 horas quatro meninos e o rex ficaram tomando conta do
acampamento. quando os grupos voltaram da expedição ficaram
encantados com o que descobriram banho h:
havia rios, cascatas, cachoeiras, riachos, lagos para tomar banho nos
rios havia peixes de todas as qualidade . em um local perto da serra
havia muitos frutos silvestres e frutas já conhecidas.
um outro grupo informou que encontraram uma fazenda onde havia
bastante galinha , vaca,e muitos frutos. outro grupo encontrou uma
estrada , onde ao lado havia poste de telégrafo que que ia em direção
ao sul , outro grupo encontrou caixa de marimbondo de 5 metros de

121
EM BUSCA DA CAVERNA.
122

altura , marcaram bem o local para nem sequer passar por perto , e o
quarto grupo voltou muito assustado por ter encontrado uma jibóia
muito grande à beira da lagoa.
todos voltaram para o acampamento à tarde. prepararam o jantar
que foi diferente dos outros dias. pois eles já estavam cansados de
comer sanduíche de algas e musgos. naquele dia a tarde iam comer
galinha assada que ganharam na fazenda assim comeram feijão e
arroz. o desejam dos dias seguintes eram adoçados com rapadura e
mel. durante a noite á beira da fogueira todos descontraídos e com medo.
porque apesar do lugar ser muito bonito havia muitos perigos cobras ,
marimbondo e outros animais selvagens que poderiam aparecer :
sebastião que já não se apresentava tão mistério como de outras vezes
, estava também bastante alegre junto dos meninos e ele disse:- ‘’ que
não devia ficar com medo do lugar ainda bem selvagem e que as
cobras e os marimbondos e as abelhas e outros animais deviam ficar
ali mesmo que era o local próprio do seu habitat, nós é que somos os
invasores. portanto aproveitem bem as férias e façamos tudo para que
este acampamento seja cheio de saúde e felicidade para todos nós
mesmo assim os meninos tinham medo. mas no segundo dia já foram
acostumados as intempéries da natureza: mas mesmo assim estava
hostil a natureza contra os meninos , pois era quantidade imensa de
cobra que aparecia no acampamento, principalmente a medida que o sol
se escondia. além de cobra tinha os mosquitos que infernizavam a vida
dos meninos. a fora um enxame de marimbondo que foi fazer casa na
barraca do rufino: os meninos queriam colocar fogo mas o sebastião
disse’’ deixa eles em paz . nós é que somos os invasores , quando a
gente menos esperar eles vão embora, pois o local que eles escolheram
não é próprio’’ então os meninos ficaram apenas olhando como era o
trabalho dos marimbondos na época do enxame. e aquela barraca não
foi usada naquele dia. e os meninos evitaram passar por perto para
evitar que levasse ferroada dos insetos: logo mais naquela mesma tarde
ouviu-se um zoado no meio da área do acampamento . todos

122
EM BUSCA DA CAVERNA.
123

perceberam que os marimbondos estavam indo embora: e a barraca do


rufino ficou livre dos ‘’invasores’’.
• e assim ficaram ali seis noites acampados. durante o dia iam até as fazendas da
região pedir comida para êles, pois a deles já estava diminuindo e como as pessoas
da região eram simples de coração , davam para os meninos tudo o que eles
precisavam, assim como carne seca, rapadura para adoçar o café, leite em latão,
frango sal, farinha outras coisas que eles precisavam como querosene, vela. enfim
tudo foi doado pelo povo da região . arrumara para eles até duas mulas , animal de
carga para levar os mantimentos. então ficaram com mais animo para prosseguir
viagem saindo daquele local que eles já apelidaram de os inferno das cobras e dos
marimbondos.
ficaram mais duas noites . sebastião havia sugerido sair dali e
irem até o planalto de itatiaia. pis lá era um local conhecido por ele e
não tinha tantos perigos como ali. seria apenas treis ou quatro dias de
viagem à pé .continuou sebastião dizendo que não poderíamos seguir a
estrada que tem os fios elétricos que passava por itatiaia e vai até o
rio de janeiro. assim não perderiam o caminho . e chegaríamos até o
planalto de itatiaia.
de onde eles estavam acampados via-se no horizonte o contorno
do maciço de itatiaia , sempre com a cabeça enterrada nas nuvens.
inspirando um culto tenebroso para os incautos . e os meninos
ficaram admirando de longe aquela serra lá no horizonte onde eles, um
dia, haveriam de subir apesar das dificuldades de tudo com presença
de grandes animais peçonhentos, os meninos gostavam das dificuldades
pois era uma prova para eles e uma aventura de contar um dia naquele
acampamento. e sebastião já falava com eles a necessidade de sair
dali e procurar um novo local para eles aventurarem. e ele sempre
fazia referência ao planalto de itatiaia como sendo um local excelente
para se passar um dia e estudar a natureza.
dizia ele:-’ o planalto de itatiaia são formações em virtude de
erupção vulcânica do período triássico da era secundária são formações
muito antigas do planeta. são comparadas com os existente no planalto
do himalaia, no tibet. as formações rochosas são de cor azul claro. bem

123
EM BUSCA DA CAVERNA.
124

diferente das rochas de outras regiões do pais. o tipo de vegetação é


considerada sub-tropical lá nos encontraremos vegetação totalmente
diferente daquji da planície as folhas das plantas rasteiras são duras
e pequenas e suas raízes são grandes andando paralela ao solo. as
flores de qualquer planta rasteira é muito linda e perfumada .
porém é bastante dura para resistir às intempéries da natureza, as
nascentes de águas são cristalinas e puras, principalmente no tempo do
inverno, quando o nível de água diminui. contou também que lá existe
uns pés de bambu de mais ou menos trinta centímetros . que são tão
lindos que seviriam para enfeitar qualquer jardim.
por todo o lado existe fontes de água. em alguns locais mais
úmidos encontramos na água sapinhos de um centímetro de
comprimento e de cor vermelha existe dezenas deles pulando de um
lado para o outro quando a gente passa por perto deles . encontramos
também grande quantidade de formigas sempre anda as bandas em
mais de milhares delas . do lado sul existe muitas cachoeiras que são
verdadeiros’’ véus de noiva’’ que desce encachoeirados desaguando no
rio paraíba do sul . do planalto do itatiaia avista-se todo o vale do
paraíba numa extensão de mais de cem quilômetros , avista-se também a
serra da mucamba. que faz parte do maciço da serra do mar , que
antigamente havia uma estrada que ligava Minas Gerais até Parati
onde havia um porto por onde os ingleses no século 18 , escoavam todo
o ouro de Minas. como voces sabem a serra do Mar e a serra da
Mantiqueira correm paralelamente até certo ponto, depois ela se bifurca
para o interios de Minas Gerais formando o nó orográfico onde tem
início a serra, chamada Serra Geral de Minas.
Mas falando só de planalto de Itatiaia, que é o nosso principal objetivo,
uma vez que nós pretendemos ir lá para conhecermos a vegetação e a
fauna é comparado ao ao do Tibet. Pois muitas plantas encontradas são
semelhantes entre si : Para o lado norte tudo é diferente, pois segundo
o estudo da geografia ali as formações foram devido ao derrame de
lavas incandescente há 300 milhões de anos. E estas terras formadas
por derrame de lavas são exatamente estas onde nós nos encontramos

124
EM BUSCA DA CAVERNA.
125

agora. Para o lado oeste do planalto existe muitas grutas e cavernas


que, segundo os antigos, morava ou aparecia de vez em quando
criaturas estranhas que sumia em meio de facho de luzes bem, isto de
caverna e criatura estranha, vocês já devem conhecer que são seres
do mundo subterrâneo que vocês já conhecem muito bem.
Hoje podemos encontrar lá no planalto algumas casas feita de
pedras que serve de abrigo para os excursionista. Estas casas foram
feitas há mais de cem anos e ainda se encontram em perfeito estado
de conservação . Lembro-me que uma vez que lá em meio dessas
casas já se encontravam hospedados mais de 50 pessoas de muitos
países. Era um encontro internacional de alpinista.
Quando sebastião acabou de falar os meninos já estavam mais
confiantes de poder sair daquele acampamento o mais breve possível .
Naquela noite poucos meninos foram dormir nas barracas a maioria
ficou de vigília perto da fogueira até o amanhecer.
Depois de desmontar o acampamento ,colocar os mantimentos
nas duas mulas os mesmos partiram rumo a estrada que tinha ao lado
os fios do telégrafo . Era uma marcha pelo meio da mata , precisando
abrir picada com o facão , atravessar o leito de riacho até chegar a
margem da estrada. Depois de andar um dia inteiro, a beira da estrada,
que não passava carro , armaram acampamento, tomaram banho em uma
cachoeira , prepararam a comida, libertaram os animais de carga ,
trataram de dar comida para os mesmos e foram dormir, deixando duas
fogueiras acesas para servir de refúgio de animais e iluminação para
os que tomavam guarda .
Naquela primeira noite de acampamento dormiram durante 12
horas . nem viram o céu estrelado daquela : Nem mesmo os que
montaram guarda viram . Porque cairam no sono. Só Sebastião não
dormiu, ficou de guarda a noite toda. Mas naquela noite fria , não estava
mais nublado . o céu podia-se ver miriades de estrelas. muitas delas
estavam maior que nas outras noites . o Cruzeiro do Sul, o Escorpião, a
Constelação de Orion, todas as estrelas brilharam mais do que nas
outras noites e tomaram conta do acampamento . Era interessante como

125
EM BUSCA DA CAVERNA.
126

os meninos ficavam namorando as estrelas e ouvindo suas músicas.


Quando os meninos acordaram, juntamente com a saída do Sol,
Sebastião falou para eles que durante a noite, enquanto eles dormiam ,
duas estrelas desceram do céu e tomaram conta do acampamento os
meninos ficaram surpresos com a história.
Naquele primeiro dia de novo acampamento apenas descansaram
dos dias anteriores , tomaram banhos em riachos . não tiveram
nenhuma atividade extra. Ao longo da estrada tinham postes com dois
fios, era o telégrafo de comunicação entre as cidade , Etevaldo que tinha
conhecimento de eletricidade de telégrafo deu a idéia de mandar um
telegrama para a cidade de Itabira. pensaram como fazer, era preciso
de conhecimento de eletricidade , fio para fazer as ligações e uma
mensagem. Foram falar com o Sebastião sobre o assunto , mas ele
disse que não deveria fazer isto porque poderiam atrapalhar a
comunicação entre as cidades . E isto não seria interessante, a gente
provocar uma coisa errada como esta atrapalhando as comunicações ,
não! não vamos fazer isto . afinal tem apenas seis dias que deixamos a
cidade vamos deixar nossas forças de trabalho para subirmos o
maciço de Itatiaia que nos espera.
Assim foi, permaneceram naquela acampamento à margem da
estrada de terra que fazia ligação entre o sul de inas com o litoral . A
margem da estrada só tinha vegetação tipo savana e os postes que
levavam dois fios de telégrafos até a cidade do Rio de Janeiro ficaram
ali durante treis dias e neste período não passou ninguém por ali ,
nem mesmo carro , carroça ou outro viajante solitário que por ali fosse.
os meninos ficavam brincando encostando o ouvido no poste e
ficavam e ouvindo as trepidações dos fios esticados que transmitiam
até seus ouvidos . e eles diziam que eram as ondas do mar.Depois de
descansarem dois dias naquele acampamento a beira da estrada
fazendo o preparo para a viagem até o planalto : No dia marcado
prepararam para a viagem até ao planalto : No dia marcado
prepararam tudo de manhã colocaram a carga mais pesada nos
animais que ganharam e partiram estrada a frente : sempre seguindo

126
EM BUSCA DA CAVERNA.
127

o conselho :- ‘’ seguir a linha do telégrafo, pois ela esta sempre ao lado


da estrada e não há jeito de errar caminho. na estrada como era mais
fácil o caminho andaram trinta quilômetros no primeiro dia, depois de
montar acampamento , dar comida para as duas mulas que
transportavam o material pesado . prepararam a fogueira e fizeram o
primeira refeição do dia . a refeição como sempre era composta de
arroz feijão carne seca ou as vezes queijo com farinha.
Naquele acampamento ficaram mais de dois dias parados porque
foram procurar os animais para o transporte e não os encontraram .
Procuraram até o local do acampamento do dia anterior . Então decidiram
seguir sem eles , seria uma viagem mais difícil por causa do material
pesado . Assim sendo a distância a percorrer por dia seria menor.
Ficou decidido também que eles andariam um dia e descansariam dois .
afinal de contas não tinham pressa de ir a lugar nenhum . Só
pensavam em seguir adiante . Nem sequer alguém estava pensando
na volta . ‘’ e tão interessante como o adolescente se manifesta diante
as coisas novas que lhe vão sucedendo’’ , assim pensava Sebastião
a criança , o adolescente , menino ou menina, quando esta sendo
guiado para fazer uma atividade , é como se ela estivesse alheia a
tudo que está ao seu redor . Mas na verdade não é , apenas ela
manifesta seu comportamento de acordo com o grupo . No dia seguinte
às seis horas da manhã já estavam de pé novamente para mais um
dia de marcha.

a mudança no tempo e o novo sebastião


mais um dia de marcha um pouco acelerado, cansado por causa
das pedras pelo caminho. foram armar acampamento por volta da
quatorze horas da tarde. Felizmente ali perto passava uma corrente da
água cristalina para fazer a comida. então foram descansar mais cedo.
Cerca da dezenove horas já estava a fogueira acesa com todos
sentados contando os casos do dia. Naquela noite não quiseram ver
as estrelas por que já estavam muito cansados dos dias

127
EM BUSCA DA CAVERNA.
128

anteriores.Foram dormir mais cedo.dormiram tanto que não viram a noite


passar.
o novo sebastião e o encontro com os bandeirantes.

• O dia já estava clareando , Rufino foi o primeiro a acordar e notou que dentro
da sua barraca havia a raiz grande de uma árvore. Ele achou estranho . Pensou
que ainda estava dormindo e sonhava, mas não ! Ele não estava sonhando .
Imediatamente chamou os colegas de barraca resolveram sair para ir avisar
Sebastião . quando tiveram um assombro ainda maior ‘’
a estrada havia desaparecido os postes de linha de telégrafo também
não mais estavam lá. os locais onde estavam instalados as outras
barracas estavam todos inclinados , bem diferente de quando
acamparam na noite anterior . a vegetação ao lado das barracas
também não era a mesma , já havia arvores gigantesca e tudo mais
verde como era no dia anterior. até o riacho estava mais cristalino e de
volume de água mais cheio. então chegaram até a barraca do sebastião
para avisar do ocorrido ele também ficou surpreso do ocorrido e, pela
primeira vez Sebastião não sabia o que fazer, ele nem sequer sabia
porque estava fazendo aquele acampamento.e comecou a dizer: _ eu
não sei.... e ficou só repetindo isto. Os meninos notaram que o seu
guia não era o mesmo da noite anterior. Mas mesmo assim como ele
era o mais velho do grupo devia dar as ordens.

Rufino fica como o líder do grupo. olhando ao redor os meninos


conseguiram identificar apenas o local onde estavam . não mudaram
de local,a penas as coisas mudaram , e Sebastião que outrora sabia de
tudo , agora não sabia mais nada. Parece que tudo desapareceu, foi
varrido de sua mente. Os meninos não compreendiam isto. Mas afinal o
que aconteceu com ele ? Era a pergunta feita por todos , ou será que
ele está apenas fingindo? . Também surgiu esta imaginação no meio
dos meninos , por que era a única resposta que os meninos tinham
resposta ou dúvida que pairava em suas mentes .

128
EM BUSCA DA CAVERNA.
129

então ficou decidido que deveriam seguir em frente até encontrar


uma resposta para o acontecido . O itinerário seria o mesmo da noite
anterior . só que desta vez não ha estrada que lhes mostrava o
caminho . não tinha como parâmetro a linha de telégrafo ao lado . apenas
tinham que seguir a orientação da bússola . e tinham como destino o
planalto do Itatiaia eles só sabiam , pelas orientações do Sebastião ,
que ao chegarem até o alto da serra seria avistado o vale do Paraíba e
teriam como visão ao fundo a serra da Bocaina . Sebastião que desde o
início dava as ordens para os meninos , agora ele tinha de perguntar
o que fazer diante desta ou aquela situação e os meninos ficava
até embaraçados ter de falar com o seu guia ; faça isto, faça aquilo,era
realmente sem jeito.
Mas eles mesmo perguntavam o que devia fazer diante desta ou
daquela situação . E os meninos acharam melhor que o rex , que era
um bom cão de guarda que tomasse conta de ebastião até ele recobrar
a memória.
dali para a frente os meninos tinham que contar com as suas
próprias decisões, o mais importante agora para todos eles era saber o
que tinha acontecido. Era verdadeiramente um enígma, por que de
outras vezes que eles tiveram um acontecimento em suas vidas o
Sebastião estava por perto para dizer o que tinha acontecido . Mas
desta vez o destino tinha lhes pregado um peça teatral para eles
resolverem : Que seria a modificação do acontecimento que sofreu
com o desaparecimento da estrada e a perda da memória do seu guia.
Mas mesmo assim continuaram andando em direção ao maciço de
Itatiaia que era o mesmo. Não havia mudança . Isto eles sabiam muito
bem , eles estavam subindo em direção ao planalto , mas os seus olhos
nunca desprezavam alguns indícios que pudessem evidenciar o enigma .
bem , no terceiro dia de caminhada pela encosta avistaram marcas pelo
chão a uma distância de mais ou menos 200 metros era como se fosse
um caminho ou onde passasse os animais de carga. Era apenas uma
trilha na encosta da serra diferente de onde eles estavam . então
todos chegaram a conclusão , inclusive o Sebastião que era guiado pelo

129
EM BUSCA DA CAVERNA.
130

rex , que deviam averiguar o caminho . saíram do caminho novo. ao


chegar no local encontraram m seco: dando sinal marcas de ferraduras
e estrume de burro já devia ter sidodeixado ali a uns dez dias.
Ficaram um pouco aliviados ao saberem que eles já não estavam
mais sozinhos naquela região desértica. E notaram também que o
caminho seguia a direção do planalto do itatiaia , porém declinava mais
a direita. assim sendo decidiram seguir por aquele caminho que
pelo menos devia chegar a algum lugar . Já que por ali passava
animais de carga e provavelmente o homem.
o encontro com os bandeirantes do séc xviii

A caminhada dos 19 meninos mais o rex e o Sebastião continuaram


pelos caminhos que devia levar a algum local que eles não sabiam
onde . Todos os dias acampavam a beira do caminho , sempre em um
local que havia nascente de água. no dia seguinte levantavam
acampamento às 8:00 horas e seguiam a frente. Assim fizeram
durante dias seguidos até chegar ao alto da serra que era o divisor de
água das duas regiões . Ali no alto instalaram acampamento e
ficaram uns treis dias ali: Era um local plano, onde marcas de muitos
animais de carga. havia até uma casinha feita de madeira e capim .
era toda cercada de pau apique para se protegerem do vento frio que
soprava naquela região.
Dali do alto era como se fosse um belvedere, onde se podia ver a
centena de quilômetros na região sul que tinham no fundo do vale um
rio bastante cheio. Era o rio Paraíba. Na direção leste avistava-se a
serra da Mucamba como falou certa vez Sebastião . Na direção leste-
oeste via-se o caminho trilhado por eles naquela dia de ‘’ penúria’’. de
todos os lados onde eles olhavam não viam nem sinal de civilização.
As vezes , vez por outra , via-se sinal de fogo. então era dado um
alívio aos corações dos meninos. Porque presos naquela condição
inóspita . Sem caminho para voltar para a casa. e o que era pior sem o
Sebastião. para orientar no momento preciso . Era verdadeiramente
desolador a situação dos meninos até que aparecesse um milagre.

130
EM BUSCA DA CAVERNA.
131

Decidiram então ficar acampado até que aparecesse alguém que


pudesse lhe dizer o que tinha acontecido . Ficaram acampados muitos
dias . Comida eles tinham bastante . E mesmo assim nos matos da
região havia muito fruto silvestre que eles comiam economizando
assim sua ração de queijo farinha e rapadura. O dia inteiro ficava dois
ou treis meninos no alto de um morro perto do acampamento, de atalaia
tomando conta dos caminho. Qualquer sinal de gente ou de fumaça era
para avisar a todos. No quinto dia que estavam ali acampado o Rufino
veio correndo até onde estava o grupo para dizer-lhe que bem abaixo
tinha visto sinal de fumaça. Então todos correram para o alto do morro e
ficaram observando a fumaça do fogo subir até a atmosfera e se
misturar com a mesma. Puderam observar que o fogo foi aceso por
mais treis dias consecutivos. eles também por sua vez acendiam
fogueira com bastante capim verde para fazer bastante fumaça e
marcar sua presença no alto da serra. Nos dias seguinte observaram
que a fumaça mudou de local para mais perto deles , Então todos
ficaram atento noite e dia . e pensavam :-’’ quem será que vem lá de
baixo?’’
O mais imteressante de tudo isto era o grupo de pessoas que
subia a serra também avistava a fumaça lá em cima da serra e
pensava da mesma formas :-’’ quem está a nossa frente?’’ não temos
noticia de nenhum bandeirante sair antes de nós . As pessoas que
subiam a serra também estavam apreensivas. Os meninos do alto da
serra avistaram a última coluna de fumaça e calcularam que quem quer
que fosse com mais um dia estaria aqui junto deles. Naquela noite
ninguém dormiu nas barracas . Apesar do vento frio que corria lá
deixaram treis fogueiras acesas com treis meninos Sebastião e o rex .
os outros ficaram de tocaia no meio de mato.
O dia amanheceu. De noite não acontecera nada anormal. Fizeram a
refeição da manhã e aguardaram o Sol ficar mais forte. o Sol passou
pelo meridiano as sombras começaram a caminhar para o leste.
Quando as sombras já estavam quase do mesmo tamanho do corpo
dos meninos . O rex começou a latir avisando a aproximação de seres

131
EM BUSCA DA CAVERNA.
132

vivente. rimeiro veio um homem com muitas roupas pelo corpo,chapéu


de couro, bormal pelo ombro, faca na cintura e na sua mão uma
espingarda de boca larga. Juntamente com eles vinha duas mulas
carregadas de material roupa comida que já estavam cansadas do
pesado fardo.
Os outros animais de carga seguiam a mula que estava na
frente com um sino no pescoço aquele sino ( sincerro) como era
chamado servia de orientação para outros animais seguirem, mais atraz
vinha uma porção de cavalos mais ou menos 30 deles cada um com
um cavaleiro . depois que todo o cortejo de animais parou no largo do
acampamento e também os cavaleiros desceram dos cavalos, os
meninos começaram a chegar por perto e começaram a saudação
entre ele. rimeiro foi Sebastião que cumprimentou por ser o mais velho
do grupo, logo a seguir foi a vez dos meninos.
data : 27 de abril de 1777;
Depois que todos animais foram aliviados da carga e ficaram
soltos para comer capim que ali nascia exuberantemente os cavaleiros
tiraram as botas e fizeram fogo para o jantar deles, Etevaldo e o Rufino
que eram agora os comandantes do acampamento devido a perda de
memória de Sebastião ,chegou para bem perto estabeleceu um primeiro
contato: s menino falavam que vieram de Itabira, mas os homens nunca
tinham ouvido falar naquela cidade . Depois deles contarem toda a
odisséia e estabelecerem um vinculo amistoso, lembraram de perguntar
se eles sabiam qual era o dia de hoje. Então os homens chamaram
uma outra pessoa que vendia muitas coisas através do sertão e tinha
um calendário e ele disse _’’ hoje é o dia 27 de abril de 1777’’. quando
os meninos ouviram falar a data do ano, pediram para repetir o ano. E o
homem disse : 27 de abril de 1777. Todos os meninos ficaram atônitos .
pois eles recuaram 214 anos no tempo e desta vez não foi pelo
Sebastião e sim por outro fator desconhecido.
Então os meninos lembraram de perguntar para aqueles homens
de onde eles vinham e eles falaram que vinha do planalto do Piratininga
e tinham como objetivo povoar o interior do pais.

132
EM BUSCA DA CAVERNA.
133

Foi então que eles viram que êles eram os bandeirantes . mesmo
porque junto de cada homem vinha sua esposa os seus filhos: Então um
vinculo entre os meninos e as crianças filhas dos bandeirantes foi bem
maior. E os nossos meninos falaram para eles de onde eles estavam
vindo. mas os bandeirante não acreditaram na história apesar das
roupas e sapatos estranhos que os meninos usavam; assim como o
linguajar os apetrechos. Tudo aquilo era estranho. e para os meninos
aquela atividade bandeirante era só na história.
Os bandeirantes não acreditaram que os meninos eram do futuro
então o Rufino e o Etevaldo com os outros meninos que tinham notas
boas em história ficaram falando com os bandeirantes nomes que eles
já conheciam como por exemplo.
“” Os irmãos albernaz foram os que descobriram Itabira’’. e falaram
muitas coisas que os bandeirante não ficaram surpresos pois afinal de
contas naquela época todo mundo sabia isto. Mas quando os meninos
disseram que no dia 27 de setembro de 1777 os escravos descobririam
no fundo daquele rio que corria entre as duas montanhas uma imagem
preta de N.S. a virgem Maria, os bandeirantes viram que eles estavam
falando a verdade . Porque no planalto do piratininga se falava muito
de uma lenda onde crianças que apareciam misteriosamente no alto da
serra.
trazendo a noticia de uma imagem da virgem Maria que haveria
de aparecer no fundo do rio que banha o vale . Todos ficaram surpresos
agora porque todo o grupo era extremamente católico e acharam que os
meninos, surgidos misteriosamente no alto da serra seria um enviado da
virgem Maria. Imediatamente chamaram o padre que acompanhava os
bandeirantes e contaram a eles a história dos meninos. o padre por
sua vez, achou muito interessante também, porque aquela lenda dos
meninos trazerem a notícia de um futuro aparecimento de uma imagem
da virgem Maria, ele já conhecia desde o tempo quando era menino lá
em portugal. E ficaram conversando até alta hora da noite. no dia
seguinte na alvorada, os meninos acordaram com o barulho de gente
fazendo o desjejum, comida, para todo o grupo.

133
EM BUSCA DA CAVERNA.
134

inclusive os meninos passaram a ter mais regalias no meio dos


bandeirantes, afinal êles eram os enviados da virgem maria, as 10:00 hs
foi celebrada uma missa campal no alto da montanha, em homenagem
aos meninos por trazerem a notícia , logo no dia seguinte o chefe do
grupo mandou uma mensagem através de cartas até o planalto de
piratininga e ara são sebastião , levando a notícia para todas as igrejas
de que havia aparecido os meninos que traziam a noticia do
aparecimento da imagem no fundo do rio que banhava o vale. na carta
dizia também que os onde os meninos passassem devia ser bem
tratados , e que nada de mal poderia lhes acontecer. estava marcado
para levantarem acampamento no dia seguinte . aquele resto de tarde
serviu para continuar conversando sobre os mais variados assuntos foi
quando então perguntaram para os meninos quem era aquele senhor de
cor escura que estava no meio deles, e que até o momento não tinha
dito uma palavra. os meninos falaram que era o sebastião , o nosso guia
e que tinha idealizado o acampamento., mas depois da primeira noite
de acampamento à beira da estrada ele ficou diferente. não sabia mais
porque estava fazendo as coisas. por isto nós deixamos o rex tomar
conta conta dele,antes que ele saisse pelo meio do mato e se
perdesse. o padre comentou que só por um milagre ele poderia ficar
bem . somente através de muita oração e penitência ele poderia ficar
bem.
no dia seguinte foi levantado o acampamento dos dois grupos: dos
meninos que iam seguir a direção leste e dos bandeirantes que iam
seguir a direção oeste. quando conseguiram sair do local era quase
meio dia. como os meninos iam descer a serra tornava-se mais
fácil a caminhada, porque os meninos ganharam doa bandeirantes dois
animais de carga e muita comida que dava para uns treis meses:
desceram a serra resolveram só armar acampamento no quarto dia
quando já estivesse na planície à margem do rio. todos aquela noite
dormiram debaixo de pedra que servia de abrigo: já instalados à margem
do rio ficaram cinco dias acampados, se deliciando com as águas

134
EM BUSCA DA CAVERNA.
135

cristalinas . depois decidiram ir. se era para a foz do rio ou para a


nascente.
depois de combinarem entre eles chegaram a uma conclusão
que deveria seguir em direção a nascente , pois já era mês de maio e até
chegar o dia 27 de setembro, dia em que segundo a história, a imagem
foi encontrada, eles teriam mais ou menos quatro meses de marcha ao
longo do ria, mesmo porque eles não sabiam exatamente onde era. tinha
apenas vaga idéia do local. sabiam que tinha uma fazenda muito
grande com muitos escravos . tinha também uma igreja recém
construída. eles estavam também preocupados com sebastião . ele que
era o nosso guia e agora... naquele acampamento a beira do ria, ficaram
quatro dias e depois levantaram acampamento e começaram a seguir a
estrada que ligava o rio de janeiro a santos. era uma estrada onde
passava ,de vez em quando , uma carruagem trazendo passageiros
ilustres.
porém, a marchados meninos era a pé e levando uma mochila de
15 quilos nas costa. era uma marcha horrenda, atravessando lodaçal
e brejo. sendo perseguido por animais ferozes , cobras e outros animais
peçonhentos e assim gastaram quarenta e cinco dias para chegar a
aldeia onde a seria o local do achado da imagem.
já corria o dia 30 de junho de 1777 e eles foram chagando
devagarinho e acamparam perto de uma grande fazenda . os
meninos não sabiam que a chagada deles já havia sido anunciada um
mês antes quando o chefe dos bandeirantes mandou um emissário até o
planalto de piratininga anunciar o aparecimento misterioso dos meninos
no alto da serra. e , por todo o vilarejo por onde eles passavam, era
espalhada a noticia do aparecimento misterioso de crianças,. por isto tão
logo eles montaram um acampamento apareceu muitas pessoas para
visitá-los. era homens, mulheres, crianças,escravos, senhores. até o
dono da fazenda convidou os meninos para ficar como seu convidado
na ‘’ casa grande’’ como era assim chamado a principal casa da fazenda.
os meninos aceitaram mas primeiro desmancharam o acampamento,
saltaram os animais no pasto e foram para a fazenda. a fazenda tinha

135
EM BUSCA DA CAVERNA.
136

muitos quartos e os meninos só usaram dois quartos grandes. o rex


também ficou dentro de casa porque lá era costume o animal doméstico
dormir dentro de casa .
durante 2 meses e meio os meninos ficaram na fazenda como
hóspedes , mas eles mesmos se prontificaram a fazer qualquer coisa
para pagar a estadia , foram cortar cana para o engenho, tratava dos
animais , cortava lenha, fazia comida na cozinha grande. eles tinham
cuidado de trabalharem sempre em grupos de quatros meninos para que
não houvesse perigo de sumir ou qualquer outro acidente. à noite
dormiam nos dois quartos juntamente com o sebastião e o rex. eles já
estavam bem acostumados ao povo daquela aldeia. tanto é que contava
histórias todas as noite até as 22:00 horas eles faziam também o
relatório de tudo o que acontecia com os seus colegas. afinal era
preciso escrever todos os dias colocando a data nas folha porque no
dia 27 de setembro de 1777 os treis pescadores iriam pescar e achariam
a imagem que viria na rede.
• aparecimentoda imagem de n. s. aparecida
já era o dia 15 de setembro de 1777 e eles não lembravam na
história quais os treis pescadores que iriam pescar naquela tarde. . se
sebastião estivesse bom de memória ,seria fácil porque ele sabia tudo .
mas...
durante a noite nas conversas com os escravos eles ouviam
muitas história trazidas da áfrica que chegava a arrepiar os cabelo .
alguns contavam como vieram da áfrica em navios cheios de escravos.
e descrevia as cenas de horrores no navio. e os meninos tentavam
lembrar o nome dos treis pescadores, mas não lembrava pensaram em
seguir os pescadores. mas eram tanto os homens que pescavam.
então quando já faltavam apenas cinco dias para ser encontrado
a imagem rufino lembrou de uma história que sua mãe sempre contava
quando ela falava sobre o aparecimento da imagem no rio. dizia ela que
havia chegado a fazenda para se hospedar naquela dia um comendador
vindo de são sebastião do rio de janeiro . e como era uma pessoa
exigente queria comer peixe naquele dia. e o dono da fazenda mandou

136
EM BUSCA DA CAVERNA.
137

treis pescadores cujo nome eu não me lembro . mas ele falava o nome
deles. então os pescadores saíram de canoa para pescar mas como
não encontraram peixe , voltaram e falaram com o patrão . mas o
comendador ficou bravo e gritou:- ‘’ eu quero peixe’’ .
os pescadores retornaram ao rio e lançaram a rede quando puxaram
veio uma coisa pesada... então o detalhe é este; quando chegou o
comendador ou quando notarmos a chegada de carruagem com
pessoas estranhas , será esta pessoa que vai querer peixe. ficaremos
atentos para que os pescadores para o rio.
faltavam apenas doze dias para o grande acontecimento que
mudaria a história de um povo. os meninos também estavam bastante
confiantes de que aconteceria um milagre . milagre de n.s. aparecida que
vai curar a falta de memória do nosso querido sebastião, assim pensavam
e tudo foi feito para que não saísse nada errado. eles deveriam estar
escondidos á beira do rio no momento de retirar corpo da imagem da
água e, no momento de colocar a cabeça em cima do pescoço,
aconteceria o primeiro milagre da cura de sebbastião.
nos dias seguintes quase todos os meninos ficaram mais ali perto
do pátio da fazenda andando e trabalhando em grupo de 4 sempre a
espreita da carruagem que podia chegar a qualquer momento. à noite
quando eles se misturaram no meio dos trabalhadores e escravos para
conversarem, ficaram apenas observando o comportamento e os
pensamentos das pessoas relativos a religiosidade. as vezes eles
participavam também de um grupo de culto primitivo dos negros onde
ficavam até de manhã cedo. o mais importante ´e que eles não podiam
dizer para as pessoas o que iria acontecer. e ficavam contando os dias.
já era dia 25 de setembro só faltavam 2 dias . na véspera dia 26 , à
tarde alguns meninos ficaram observando o comportamento das
pessoas que chegavam e saia da casa grande. como seria amanhã
esta mesma hora? ficavam perguntando entre si: ‘’ e se o comendador
não viesse na hora certa?? assim pensavam e comentavam entre si, mas
etevaldo disse que a historia já estava pronta e que nada podia ser
modificado. era só esperar e aguardar.

137
EM BUSCA DA CAVERNA.
138

manhã de 27 de setembro de 1777

um pequeno vilarejo com uma grande fazenda que produzia de tudo. uma igreja recém
construída e lapidada por artífices portugueses , tendo ao fundo como paisagem o rio, que
mais tarde seria chamado o ria paraíba, o sol apareceu mais brilhante do que os outros
dias . os nossos heróis estavam alegres e confiantes porque aconteceria um milagre :-’’
sebastião voltaria ao normal recobraria a consciência. as atividade na ‘’ fazenda’’
continuava o normal porque ninguém sabia da chegado do comendador , nem tão pouco
da imagem na virgem maria que haveria de subir do fundo do rio, só os meninos
sabiam que tudo isto ia acontecer naquele dia. portanto eles estavam bastante excitados
porque iriam ver uma acontecimento histórico mais importante para a vida de todo o
católico do brasil e do mundo. o sol continuava bem aceso mostrando uma primavera
mais linda da vida de todos, apesar da escravidão , da vida dura de trabalho na lavoura, a
sombra das pessoas estava começando a crescer novamente , depois de ter diminuindo ao
máximo, os meninos já tinham feito as suas refeições do meio dia. pelos cálculos de
rufino , o comendador deveria chegar por volta das 3 horas da tarde. então a metade dos
meninos se dirigiram para a estrada que acercava a fazenda na direção norte .a outra
metade ficou ao redor da fazenda aguardando a chegada do hóspede famoso , mais ou
menos quando sombra dos meninos estava do mesmo tamanho deles, foi avistado a uma
distância de dois quilômetros, nuvens de poeira se levantando ao céu. e dava para ver que
eram treis carruagens sendo a segunda a mais bonita e luxuosa de todas. ouvia-se o grito
dos cavaleiros que dirigiam o veiculo. a medida que foi chegando mais para perto da
fazenda foi diminuindo a velocidade. ao chegar na porta da fazenda as treis carruagens
pararam : e devagarinho foi saindo para fora as pessoas: primeiro saltou um homem
alto, de chapéu de couro, botas até o joelho, casaco grande, óculos de pinoque(pince-nez)
bengala de couro folheada a ouro, este era o convidado . depois desceu sua comitiva que
era os seus ajudantes de ordens e desceu também 2 escravos pretos , bem arrumado de
roupa branca até quase os pés , camisa branca fechada , e descalços . eles carregavam as
malas ajudavam o seu dono a se vestir, tomar bahno , enfim era o mordomo confiança. na
ultima carruagens vinham outras pessoas, também importante que se dirigem para o
planalto de piratininga. eles ficariam ali na fazenda aquela noite e seguiriam viagem no
dia seguinte. a fazenda era apenas um local de descanso dos passageiros e dos animais .
todos pagavam hospedagem ao dono da fazenda, com exceção dos funcionários do

138
EM BUSCA DA CAVERNA.
139

reinado que nada pagavam. os meninos já estavam no meio dos transeuntes lavando as
carruagens liberando os animas para o pasto e para as rações, todos estavam alerta para a
hora que o dono da fazenda fosse chamar os treis pescadores para trazer peixe. porque
eles ,os meninos, não podiam estar dentro da fazenda e ouvir conversa de adultos: mas
eles logo depois ouviram comentários de que o hóspede queria peixe e o dono da
fazenda mandou que os treis fossem pescar . eles saíram para a beira do rio, os meninos
seguiram-nos . e ficaram escondidos juntamente com sebastião, vendo atitude dos
pescadores. como não conseguiram pescar nem um peixe voltaram para a fazenda. mas o
hóspede ilustre estava muito bravo, e os pescadores voltaram ansiosos para a fazenda a
beira do rio. e um deles que era o mais velho disse assim :-’’ tenhamos fé em deus que
teremos sorte desta vez , que a virgem maria nos ajude’’ estas ultimas frases os meninos
ouviram mas não demosntraram sua presença. os pescadores entraram no rio de canoa
novamente e lançaram a rede. os meninos disseram entre êles- ‘’ é agora’’ tão logo a rede
foi lançada no rio a mesma desceu até o fundo . e quando puxaram, notaram que estava
pesada, isto é fazia um pouco de força para puxar. quando a rede chegou a flor d’água ,
notaram que tinha um objeto de cor preta. quando pegaram o objeto viram que era o
corpo de um santo, mas estava sem cabeça, colocaram o objeto na canoa , jogaram a
rede novamente. mesmo fato anterior ela estava um pouco pesada e sem peixe. quando
chegou até em cima , ,era a cabeça reta do santo, que tinha aspecto de mulher, tentaram
colocar a cabeça na parte do corpo que haviam tirado primeiro e ela coube
perfeitamente. e todos ficaram abismados. ‘’ meu deus é uma santa preta’’ naquele
momento sebastião que estavam junto dos meninos escondido no meio do mato, deu um
grito profundo, como que saindo de um grande sono: e disse: foi isto que aconteceu
mesmo, e começou a dizer a história da origem da imagem jogada no rio. dizia ele ‘’ há
muitos anos talvez , antes do descobrimento , existiu no norte da áfrica uma civilização
muito antiga que cultuava a deusa mãe do mundo nesta imagem que foi trazida pelos
escravo. quando vieram para cá, tinham dito esta palavra e os meninos ficaram excitados
com a volta da memória do seu melhor amigo. então ficaram olhando para os treis
pescadores que também estavam assustados , pois tão logo colocaram a cabeça da
imagem em cima do corpo, uma grande quantidade de peixes afluiu perto da canoa e os
treis homens lançaram a rede ela voltou cheia. e voltaram para a casa quando mostraram
para o dono da fazenda a quantidade de peixe que pescaram . estava feito o primeiro e o

139
EM BUSCA DA CAVERNA.
140

segundo milagre, primeiro a cura do sebastião ,em segundo a grande quantidade de


peixe.

imagem que apareceu

os treis pescadores não contaram para o dono da fazenda sobre o


achado da imagem ao terminar o trabalho na fazenda foram para as suas
casas o mais rápido do que os outros dias, mostrando para as pessoas
o que tinham encontrado no rio e sobre o milagre do aparecimento dos
peixes. no vilarejo todos ficaram sabendo e foram fazer romaria até a
casa dos pescadores . arrumaram um altar para colocar a imagem ,
acendendo vela toda à noite , após a tarefa do dia iam rezar ao pé da
santa pedindo mais um milagre. o milagre que eles mais pediam era
aplacar a ira que pairava no coração do dono da fazenda. os meninos
acompanhavam todas as orações nas casas dos pescadores, pois cada
dia ela ficava em uma casa. para que pudesse abençoar todas as
casas . sebastião que já havia recobrado a memória no primeiro
momento da colocação da cabeça sobre o corpo da imagem , já
comandava também as campanhas de oração feitas pelos escravos. e
como ele era de cor preta e falava a língua dos escravos tornou-se
muito respeitado entre eles . sebastião contava para todos a historia do
povo que existiu no norte da áfrica até o surgimento de invasores que
escravizaram o seu povo. e aquela imagem encontrada, era a peça
principal de culto daquele povo. quando os escravos vieram para o
brasil por volta de 1670 dc, trouxeram no meio de suas coisas aquela
imagem preciosa. e não sabemos por que razão ela foi parar no fundo
do rio. se fossemos analisar sobre o ponto de vista da física, ela não
poderia se pega pela rede de peixe. por que por ela ser mais pesada
deveria estar no fundo do rio , no meio da areia ou do lodo. e a cabeça da
imagem, por ser pequena , também não poderia ser apanhada pela rede.
bem o aparecimento da imagem na rede vai ser um mistério que nunca
descobriremos. mas o que importa . o importante é que ela apareceu,. e
fez com que os escravos tornassem mais unidos juntamente com o
sebastião e os meninos.

140
EM BUSCA DA CAVERNA.
141

quando o dono da fazenda ficou sabendo mais tarde do


aparecimento da tal imagem focou furioso e mandou chamar os treis
pescadores. perguntou para eles , em tom de agressão , o que eles
trouxeram aquela imagem para a fazenda. agora os escravos não vão
mais querer trabalhar sem ficar adorando aquela imagem preta. os
pescadores responderam que eles não viam nenhuma coisa errada em
trazer a imagem , afinal de contas depois que a santa ‘’ subiu’’ na rede
grande , grande quantidade de peixes apareceram.
mas mesmo diante desta explicação o dono da fazenda estava
arrogante e grosseiro, e por final deu uma chicotada em cada um dos
pescadores falando assim:-’’ isto é para você aprenderem a cuidar mais
do trabalho de vocês e não estar prestando atenção a estas bobagens
de imagens’’. os treis homens deram um grito de dor quando receberam
a chicotada nas costas, eles não podiam nem reclamar nem revidar por
que seria pior . a marca do chicote ficou na região lombar de cada um
. estava tão avermelhada que foi preciso lavar com salmoura quando
chegaram em casa. não choraram , mas a noite durante a reza, foram
também ajudar os escravos a pedir a n.senhora que apareceu a
desmanchar do coração daquele homem, aquela pedra tão dura .
naquela noite que os treis pescadores foram até a casa e oração rezar,
grande numero de pessoas aguardavam pela rua para dar-lhes as
condolências pelas chicotadas. todos no vilarejo ficaram sabendo do
ocorrido, mas ninguém tinha coragem de dizer nada contra o dono da
fazenda que era absoluto nas suas decisões. o sebastião , juntamente
com os 19 meninos é que iriam coordenar a ‘’reza’’ daquela noite . a
casa encheu de gente . escravos , o povo das ruas , sebastião e os
meninos . já tinham feito até um altar tosco para colocar a imagem.
estava toda iluminada com trinta e treis velas e muitos tipos de flores .
sebastião colocou naquela noite a sua túnica branca e depois de
saudar aos presentes . pediram a todos que rezassem pedindo a virgem
maria ou seja, n senhora que apareceu no fundo do rio que realizasse o
terceiro milagre que era aplacar a ira do coração do sr guilhermino, o

141
EM BUSCA DA CAVERNA.
142

dono da fazenda. então o próprio sebastião começou a rezar a ave


maria em latim:
ave maria, plena grátis.
plena gratis
dominus vobisco
vostro ventre
nastia iesus
santa maria

mater dei
ora pronobis
precatores
aora
nuestra muerte amén

depois rezaram a ave maria em língua da áfrica do norte.

boiacudá iruga só
canaiapu inagu 0shim
pein na cá tibo su
vanagutá ireretá

tanaguta igoiá
tanaguta igoiá - ná
iabo- iabo en vovo en vobo
iaiu kodá ingoiamá
esse tipo de reza foi acompanhado por todos os negros da casa.
principalmente os negros mais velhos da tribo, que ainda guardava na
lembrança os ensinamentos da língua materna.
depois de sebastião rezou em português para a maioria dos
presentes. no fundo o que foi pedido foi o terceiro milagre. todos pediram
em voz alta , a nossa senhora aparecida. “” tirai a pedra que esta no
coração do guilhermino’’ ninguém pedia vingança , nem mesmo, queria
a morte daquele homem que já tinha feito muita maldade contra o povo.
a única coisa que pediam era que ele se arrependesse de coração :

142
EM BUSCA DA CAVERNA.
143

naquela primeira noite quando terminaram a reza já era quase meia


noite e os meninos ficaram com medo de dormir na casa grande a partir
daquela . tinham a impressão , o pressentimento, que alguma coisa
extraordinária aconteceria naquela . e falaram com o sebastião . e ele
concordou que fossem dormir na senzala com os escravos . todos
dormiram no chão em palha de milho em meio aos escravos , estavam
decididos , que a casa grande era um lugar amaldiçoado devido a
maldade do sr guilhermino.
aquela maneira de rezar toda a noite permaneceu por muito tempo
e quando o sr guilhermino ficou sabendo que eles pediam para ele ficar
bonzinho e não fazer mais maldade com os escravos, ficou mais furioso
ainda e mandou que seus empregados colocassem fogo na casa de
reza durante a madrugada. então juntou mais de 30 homens e foram
com as tochas acesas, mas quando encostava na parede de madeira ela
virava água. nenhuma tocha de fogo chegou acesa até as parede de
madeira todas viraram bolhas d’água. então os homens tentaram jogar
a casa no chão usando picaretas e enxadas mas quando iam bater
com as picaretas elas viraram folhas de cana seca. os homens não
conseguiram chegar perto da casa par executar o trabalho que o
patrão ordenara. eles s ó conseguiram ver o facho de luz que saia
pelas gretas das paredes. era a luz que imanava da imagem de
n.senhora de aparecida. era tão forte que pouca luz que saia pelo
buraco da parede cegava todas as pessoas que a visse . então
muitos homens sairam correndo , levando como guia de cego,as pessoas
atingidos pelo facho de luz . e diziam que era castigo , e que pediam
perdão por ter feito aquilo. e d foram correndo contar para o sr
guilhermino . quando chegou o sr guilhermino estava bastante abatido
pela doença que caiu sobre a sua filha , ‘’ a sinhazinha’’ da fazenda,
uma linda menina de 13 anos que, repentinamente , caiu prostrada no
leito.
não falava não comia , já estava assim neste estado há treis dias.
quando o sr guilhermino abriu a porta , encontrou os homens que
traziam a noticia do acontecido na casa de reza. atônito e chorando ,

143
EM BUSCA DA CAVERNA.
144

dizendo que havia acontecido um grande castigo para eles . que aquilo ,
referiam a santa, era mesmo coisa de deus . como pode sair da imagem
um facho de luz tão grande como aquele? o dono da fazenda contou-lhes
que, com ele também havia acontecido um castigo . e contou o
acontecido com a sua filha e ele estava muito triste e preocupado com
isto.
aquela noticia do foco de luz que saia da imagem e cegou treis
homens que foram destruir a casa. e a doença da ‘’ sinhazinha’’
correu por toda a região do vale do trio. de outras fazendas chegavam
pessoas para assistir a ‘’reza’’ onde estava a imagem . e como já havia
passados mais de treis meses, e as pessoas que ficaram cegas , não
haviam retornado a visão assim como a ‘’ sinhazinha’’ continuava doente
e muito emagrecida, o sebastião que havia desaparecido por uns
tempos , foi falar com o sr guilhermino. quando chegou na ‘’ casa
grande ‘’ . foi bem recebido pelo pai da menina e levou-o até o quarto
onde ela estava , sebastião ficou totalmente horrorizado com o que viu.
a menina estava em estado de torpor , esquálida, os olhos abertos
como quem estivesse olhando ara uma outra coisa e não o que estava
sua presença . quando ele colocou a mão no rosto da menina sentiu como
que um calafrio muito grande saindo dos seus dedos . então
compreendeu perfeitamente o que estava acontecendo . e falou par o sr
guilhermino :-’’ o que está acontecendo com a sua filha é uma coisa
muito simples de ser curada. porém tudo depende da sua pessoa . o
sr tem de se arrepender da maldade que fez para os outros pessoas
durante toda a sua vida e postar ao pé da santa que emite facho de
luz. ao que ele respondeu : mas? como? eu não fiz nada! sr. sebastião
falou com ele que a sua filha para ficar boa novamente , só se
acontecesse um milagre. e a imagem da virgem maria que apareceu
no fundo do rio é a mãe de todos os homens da face da terra , e ela
abre o seu coração a todos. e perdoa àqueles que dispuserem a pedir
-lhe perdão . pensa bem em tudo que você fez e na possibilidade de
ser perdoado. mas o homem continuava irreverente , não queria de jeito
nenhum tomar consciência de que ele era um pecador, e só poderia

144
EM BUSCA DA CAVERNA.
145

receber perdão , o pecador arrependido. por fim o homem agradeceu a


visita de sebastião e disse que ele era uma pessoa boa e se quisesse ,
poderia voltar a falar-lhe novamente . mesmo ele não concordando
com as idéias do sebastião , ele achou a sua visita ótima para sua
pessoas . no dia seguinte sebastião voltou bem mais cedo para visitar
o ‘’ sinhazinha’’ pois assim ele teria um pretexto para conversar com
o sr guilhermino e aproveitaria para abrir-lhe o seu coração. só que
naquele dia , ele precisava tratar um pouco a menina de uma maneira
tal que o seu pai observasse que ela estava melhorando . assim quem
sabe? o seu coração se abrisse ais. ele chegou , cumprimentou o sr
guilhermino que se apresentava mais alegre e animado. e foi dizendo : ‘’
foi bom o senhor ter vindo logo cedo, pois a minha filha perguntou
hoje de manhã pela sua pessoa ‘’. ela falou assim :-’’ eu senti a que
estava muito longe quase caindo em um abismo e uma pessoa de cor
negra havia me dado a mão e me puxado para ca ‘’ depois de tomar
café com leite e mandioca frita servida pela escrava maria, sebastião
ficou conversando alguns minutos com o sr guilhermino antes de ir ver
a ‘’ sinhazinha’’ . depois que falaram de muitos assuntos , que aliás só
giravam em torno da fazenda , animais , escravos etc, sebastião viu que
o sr guilhermino já dava sinais de brandura em seu coarão . já falava
em um milagre para que a sua filha ficasse boa . e foram ambos
conversar com a ‘’ sinhazinha’’ que já tinha tomado o seu café da
manhã e estava sentada na cama. ela se apresentava um pouco mais
corada que nos dias anteriores. conversava pouco mais e quando viu o
sebastião ficou mais alegre e disse :-’’ foi ele que me puxou quando eu
estava caindo’’ ‘’ você é meu salvador’’ ao que sebastião respondeu :-
“” não ! eu não sou o seu salvador apenas segurei a sua mão na
primeira vez que eu lhe vi’’ sebastião sabia do que ela estava falando ,
só que o seu pai não entendia o significado das palavras. ficaram
mais uns momentos conversando e depois saíram do quarto . o pai
da menina manifestou o desejo de falar com o sebastião
particularmente , o que ele prontamente atendeu. e foram os dois
conversar numa sala de portas fechadas . e ele ouviu o sr guilhermino

145
EM BUSCA DA CAVERNA.
146

falar o seguinte :--”sebastião , eu não lhe conheço , você é uma pessoa


estranha que apareceu aqui misteriosamente junto com aquelas
crianças que já haviam anunciado o seu aparecimento . você é de cor
negra no entanto não é escravo . pela sua maneira de falar você é uma
pessoa muito entendida em todas as coisas , e agora com a melhora
do estado geral da minha filha , o que eu só posso atribuir a sua
pessoa, eu queria pedir-lhe um favor . você poderia me ajudar? ‘’
depois de ouvir tudo aquilo em silêncio , sebastião pode observar na
entonação de voz daquela pessoa que até há poucos dias era
rancorosa e agora estava pedindo a ele um favor. claro que sim sr
gulilhermino , respondeu sebastião .e o sr dono da fazenda mais
próspera da região , confessou a sebastião que estava tão arrependido
de feito mal aquelas pessoas e com a ‘’santa’’ aparecida tentando
colocar fogo na casa de reza. sinto uma coisa prendendo o meu coração
e eu não sei o que fazer . portanto lhe suplico . o que devo fazer??
sebastião notou que o sr guilhermino estava totalmente arrependido
do que fez . e este era o terceiro milagre da santa que apareceu no
fundo do ria. sebastião disse que primeiro ele devia pedir perdão a
santa através de um pedido feito internamente ao coração .
depois ele devia mudar a sua maneira de ser e de agir com as
pessoas ; só assim ele poderia ganhar a confiança de todos , e quem
sabe? neste meio temo poderia acontecer um milagre e a sinhazinha
ficar boa de uma hora para outra , mas este milagre só vai depender
do merecimento das pessoas . terminada a conversa saíram do quarto e
foram despedir da sinhazinha , mas ao chegar ao quarto não
encontraram -na. elas estava andando pelo jardim da fazenda
juntamente com a escrava que lhe cuidava . sebastião achou melhor a
gente não incomodar e deixa-la mais a vontade. e saíram.
naquele dia que o sebastião ficou na casa grande junto com o
guilhermino e a sua filha, os meninos decidiram mais as suas
atividade junto com os escravos muitos deles até já sabiam falar a
lingua deles devido ao convívio social. mas todos os dias à noite havia
‘’ reza’’ na casa da imagem com um numero cada vez maior de

146
EM BUSCA DA CAVERNA.
147

participante . certa noite , quando todos as pessoas dirigiam para a ‘’


casa da santa ‘’ como era chamada, foi com assombro que eles viram o
sr guilhermino , o dono da fazenda e a sua filha a ‘’ sinhazinha’ que
também se dirigiam para a reza a noite e agradeciam pelo milagre do
restabelecimento da sua fila. todos pararam para ver , ninguém tinha
coragem de dizer nada naquele dia foi o sebastião que dirigiu a
cerimônia . a casas de reza ficou superlotada de gente :- escravos,
pessoas da vila , gente da fazenda. os primeiros lugares foram
ocupados pelo sr guilhermino e sua filha . havia tanta gente que o
povo se aglomerou do lado de fora. quando todos rezavam a ave maria
já pela terceira vez , ouviu-se um estrondo e um som forte que
sacudiu o ouvido de todos . um clarão de luz desceu sobre a igreja
como se estivesse saído do centro do céu . este clarão de luz
atravessou o telhado e formou uma cruz ao lado da sinhazinha que
orava junto com o seu pai e a sinhazinha que ainda apresentada
debilitada e com aspecto triste . tornou-se rapidamente , esperta e
prostrou se de joelho agradecendo a n. senhora aparecida pelo seu
restabelecimento o seu pai também se ajoelhou e pediu perdão a
nossa senhora aos altos brados. naquele momento o sebastião
interrompeu a cerimonia da reza .
o sr guilhermino prometeu dar carta de alforria a todos o seus
escravos . assim eles poderiam ir e vir o momento que quisessem ,
sebastião ouvindo aquilo pensou:- ‘’ isto não vai acontecer , por que
nós não sabemos se aconteceu’’ todos estavam comovidos com aquele
acontecimento . na verdade eram dois: , o estabelecimento completo
da sinhazinha e o abrandamento do coração do sr guilhermino. o sr
guilhermino até propôs construir a nova igreja , para santa.
naquela noite histórica dos milagres acontecido com a sinhazinha e
a conversão do sr guilhermino , amolecendo o seu coração , foi
decisiva na vida dos dezenove meninos e do próprio sebastião . estava
na hora de eles se retirarem do cenário do aparecimento da santa . mas
um novo fenômeno aconteceu na vida dos nossos heróis :-’’ rufino
sonhou’’

147
EM BUSCA DA CAVERNA.
148

depois de estarem todos acomodados na fazenda , após os


milagres acontecido , principalmente com a conversão do sr. guilhermino
e a sua proposta de construir uma nova igreja para a santa e a alforria
aos escravos os meninos , juntamente com sebastião e o rex , decidira
o vilarejo e viajar de balsa pelo rio em direção ao mar já estava quase
tudo pronto . os carpinteiro da fazenda estavam construindo as
jangadas , com depósito de água e alimento para uma grande jornada
que não sabiam de quanto tempo . sebastião calculou em torno de
1200 km de rio com todas as dificuldades gastariam cerca de seis
meses até chegar ao litoral.
o sonho do rufino
a busca agora não era mais a caverna, e sim um outro lugar que o
coração dizia existir . mas uma bela noite todo o sonho mudou , porque o
rufino teve um sonho dantesco . sonho este que permaneceu uma
semana inteira :- ‘’ o sonho ‘ corria o ano de 2013 . a cidade de itabira
corria o seu ritmo normal . a extração de minério de ferro era feita por
uma companhia muito conhecida pelo povo itabirano : o povo vivia feliz
. o nivel de vida sócio econômico já havia melhorado bem acima das
expectativas . itabira já tinha uma faculdade de direito que era mantida
gratuitamente pela companhia minerado . a linha de trem que ia de
itabira até vitória do espirito santo , estava totalmente duplicada. de
repente surgiu em itabira um processo diferente para extrair minério e
pode -se ver a velocidade com que o buraco ia aumentando de largura
e profundidade . as pessoas iam ao local só para ver a profundidade
algumas desmaiavam ao ver o buraco tão fundo. e então começava a
surgir uma nova crença e aflição ao mesmo tempo.
segundo dia de sonho 12/08/2012
apesar de todos os cidadãos manterem sua posição sócio
econômica estabilizada , devido ao movimento da mineradora , já
começava a sentir uma inquietude . as pessoas já viam com
pessimismo a extração de minério . pensavam eles ‘’ ganhamos muito

148
EM BUSCA DA CAVERNA.
149

dinheiro mas a nossa paz acabou’’ grande de massa de população saia


pelas ruas a procura de emprego e comida. pois todos pensavam que a
cidade era toda de ouro , e vinha multidões de pobres de outros estados
procurar abrigo em itabira: com isto a miséria dos pobres da cidade
aumentou também o crime , o roubo, a desmoralização dos valores da
família e da sociedade.
terceiro dia de sonho 13 /8/2012
certa noite enquanto itabira dormia, no local da extração de minério
homem e máquina disputavam para ver quem era mais velozes .
quando as 00:35 horas ouviu-se um estampido tão alto e comoção de
terreno balança que quase todas as casa da cidade balançaram.
algumas igrejas velhas ruíram . no local de extração do minério grandes
nuvens e fogo subiram em direção ao céu com uma velocidade
espantosa. todas as pessoas da cidade acordaram e saíram para o
meio da rua pensando ser o fim do mundo. ninguém sabia ao certo o que
tivera acontecido lá no local da extração de minério. a única coisa que
viam era a labareda de fogo subir a uma altura de mais de 200 metros e
iluminar o céu a uma distãncia de mais de 100 quilômetros . a altura do
fogo podia ser vista das parte mais altas da cidade de belo horizonte . a
cada explosão eram nuvens de pedra e poeira que iam jogando em
cima de de toda a cidade. quando o povo pensou que tudo tinha
terminado do , as explosões começaram de novo . e desta vez bem mais
z que durante a noite . no antigo bairro do campestre era só escombro de
pedras, casas , máquinas , corpos de pessoas . as casas que
pertenciam a rua santana , bairro antigo de itabira, haviam sido
destruídas. eram mais ou menos 09:00 h, daquele dia fatídico do ano de
2012 quando ouviu-se a maior explosão de todos os tempos no planeta
terra: todo o bairro do campestre com rua santana voaram pelos ares em
uma série de explosões , que encheram todo o vale de terra e pedra. até
mesmo os locais mais distante como poço da água santa , o cruzeiro de
aparecida , a caixa d’água encheram de pedra e poeira com cinzas de
larvas incandescentes. todos os corpos estavam soterrados na cinza
vulcânica e nas pedras. só se salvou quem estava bem distante como a

149
EM BUSCA DA CAVERNA.
150

velha vila da conceição e da gabiroba , mas mesmo assim estavam tão


traumatizados que não compreendiam o que estava acontecendo . na
cidade nada mais funcionava , nem telefone, nem luz, nem água, nem
rádio.
quando chegaram os primeiros socorros vindos de belo horizonte ,
os bombeiros depararam com um quadro desolador . difícil de ser
descrito e compreendido pelas pessoas. entre o antigo bairro do
campestre e o local onde outrora , retirava minério de ferro e ouro, era só
uma cratera de mais de 300 metros de profundidade que saia chamas e
cinzas a mais de 500 metros de altura. a cinza vulcânica já haviam
cobrido mais da metade da cidade, e já começava a atingir até os bairros
mais distantes. era impossível uma alma vivente passar por ali. não era
possível contar os mortos , pois havia mais de 100 metro de pedra, areia
e cinzas em cima deles. era tanta terra que saiu de dentro da cratera que
plainou toda a região até além do centro da cidade. e o que sobrou não
tinha mais condições de prosseguir a vida, depois de toda a hecatombe
, como se não bastasse , começou a cair a chuva de fogo saindo da
cratera . era tanto fogo que saiu durante dias que iluminou as noites à
centenas de quilômetros . neste terceiro sonho o rufino acordou
assustado. ficou sentado na cama tentando não esquecer um só detalhe
do sonho. ficou assim durante uma hora. depois olhou para o lado viu os
companheiros dormindo . lembrou que eles tinham passado em uma
ferida do tempo e recuado a 214 anos . então viu que tudo aquilo parecia
mais um pesadelo . que não estava com jeito de acabar. acabar como?
se a cidade de itabira nem sequer havia sido fundada. agora que os
bandeirantes caminhavam em direção ao interior do brasil . e agora no
sonho ele via a sua cidade natal toda destruída? só podia ser um
pesadelo !! tudo isto,..
leitor amigo pense bem !!! que aflição a do rufino!!
• naquele dia seguinte todos levantaram cedo juntamente com os escravos e, depois
de ‘ matutar’ a fome com alguma coisa de comer, foram para a lavoura, na limpeza
dos pés de cana. sebastião havia ficado na fazenda junto com o sr guilhermino que
queria contar lhes ma decisão que ele havia tomado.

150
EM BUSCA DA CAVERNA.
151

pois é sr sebastião , assim começou a sr ?guilhermino a falar : veja como é a ironia do


destino, há poucos dias eu mesmo mandei que queimasse e destruisse a casa de oração
e agora com o milagre que aconteceu curando a minha filha, tudo mudou . eu não
mereço tanta benção , por isto, sebastião eu tenho um plano para construir aqui uma
igreja. então eu gostaria que o sr e os meninos ficassem aqui, isto é, fixasse residência
aqui à margem do rio para verem crescer a adoração a /santa aparecida.

sebastião que estava atento a tudo que ele dizia , ia pensando na história dos meninos
que agora não tem passado . pois como voltaram mais de duzentos anos no tempo, os
seus avós ainda não nasceram. como será a vida dos 19 meninos que saíram da sua
terra natal e agora não tem mais passado . outra coisa que atribulava a mente foi saber
o terceiro sonho do rufino com a destruição da cidade de itabira .

o retiro dos meninos

e agora estamos presos no ano de 1777. as mudanças vão surgir


lentamente na mente das pessoa. estamos ainda no ano de 1777. as
mudanças no mundo estão acontecendo agora. ainda não aconteceu a
revolução francesa, mas as idéias estão fervilhando por lá na cabeça
das pessoas . já sabemos que napoleão bonaparte vai dominar quase
toda a europa nos próximos trinta anos . sem contar ainda que teremos a
inconfidência mineira pelos 15 anos a frente . lion hipolite denizar rivailt
“ alan kardec” está acabando de escrever o seu primeiro livro e só vai
entrar para a história a partir de março de 1785. daqui a oito anosquando
ele publicar o livro dos espíritos. . portanto qualquer decisão que
tomarmos poderemos mudar a história. e qualquer mudança na história
pode ser tragédia para todos nós do futuro.
estava assim acabando de pensar quando o sr guilhermino notou
uma certa ausência nos olhos de sebastião . e disse: e então ? ‘’ você
poderia me dar a sua opinião ‘? ao que ele respondeu : ‘’ é muito
complicada a nossa situação ,a minha e a dos meninos , que aparecemos
misteriosamente no alto das montanhas como foi relatado por carta dos
bandeirantes que encontramos a meses atrás “ seria difícil para todo o
povo desta época nós darmos uma explicação . portanto sr guilermino ,
antes de dar -lhe uma resposta para ajudar na construção da igreja , eu

151
EM BUSCA DA CAVERNA.
152

preciso de me reunir com os meninos que já estão crescendo, ou melhor


dizendo , não são mais meninos , já cresceram e se tornaram adultos , e
ai então voltaremos a conversar certo? o sr dono da fazenda aceitou
bem as opiniões de sebastião e ainda lhe ofereceu um lugar seguro ,
onde os meninos pudessem tirar umas férias durante um mês . seria em
uma ‘fazendinha’ no pé da montanha com bastante água natural muita
plantação, gado leiteiro local apropriado para eles refazerem as energias
perdida, sebastião aceitou . despediu e foi falar com os meninos.
o retiro dos meninos

sebastião e todos os meninos se encontravam espalhados pelas lavouras da fazenda


trabalhando junto com os escravos. muitos deles estavam bem adaptados que se
integravam perfeitamente a situação. muito deles , devido a côr negra, eram
confundidos com filhos de escravos , só que tinham uma diferença na maneira de falar
, de agir em determinada situação tornando-os diferentes dos escravos.

depois de reunir todos e contar o acontecido e as idéias do dono


da fazenda em construir uma igreja para a santa , e pedir nossa ajuda .
para tanto eu que a ele que nós precisávamos descansar de todas estas
mudanças que aconteceram em nossas e, para isto, foi nos oferecido
uma ‘ fazendinha “ no pé da montanha , onde nós devemos descansar
pelo menos por uns 30 dias e resolveremos o que vamos fazer pelo
resto da nossa vida . todos os meninos já não eram mais meninos ,
pois já haviam amadurecido . estavam ainda desnorteados com todo o
acontecimento da suas vidas . aquela história de terem recuado no
tempo , não estava muito bem elucidada . a maioria deles não
acreditavam muito no que foi visto assim como por exemplo , o encontro
com os bandeirantes , o aparecimento da imagem de nossa senhora de
aparecida . tudo isto não era muito convincente . era preciso algo mais
profundo . e o sonho do rufino ? onde ele entraria na história ?
também eram perguntas que os meninos faziam para si mesmo. todos
os meninos concordaram em fazer o retiro na ‘ fazendinha ‘ r
programaram sair na semana seguinte após o domingo :. não era muito
longe o local , apenas 4 horas de viagem a pé . teriam animais para

152
EM BUSCA DA CAVERNA.
153

levar a carga e eles levariam apenas a mochila com seus objetos


pessoais . segundo o sr guilhermino não havia estrada , era apenas
picada no meio da mata , passariam por trrei fontes de água cristalina ,
perto de uma caverna , onde segunda a lenda , tinha ‘ aparições ‘ de
seres estranhos misturado com figuras estranhas . depois chegaria a um
local onde houve uma grande queimada e os troncos de árvores
estavam todos preto de carvão . depois entrariam em uma mata escura
onde havia pequenas lagoas com canto de sapos , grilo e outros animais
. depois eram um caminho menos em uma campina verde , plana e
macia onde tudo era silêncio . no final da campina havia uma árvore de
jacarandá a primeira pessoa que chegasse perto da árvore devia colocar
a mão esquerda na mesma e com a mão direita apontar para a frente
que imediatamente apareceria o local próprio para o retiro .
o dia seguinte saíram ás oito horas da manhã e , à medida que
foram entrando na mata encontraram tudo exatamente como foi descrito
anteriormente . ao chegar na primeira ponte de água cristalina , os
meninos resolveram tomar banho para tirar o suor do corpo . na
segunda fonte de água apenas beberam p/ saciar a sede . na terceira
fonte de água só lavaram o rosto . depois de andar mais de uma hora
o caminho começou a descer um pouco e foi ficando escuro por causa
das árvores e das paredes do morro e já se via lá na frente , um buraco
escuro . quando os meninos avistaram o buraco escuro ficaram meio
receosos de seguir a frente , mas o sebastião disse : -: não tenham medo
eu estou com vocês . e eles começaram a andar devagarinho . ao
chegarem bem perto da caverna pararam e começaram a olhar para
dentro do buraco . era um buraco vazio , não se via nada lá dentro , do
lado de fora à direita tinha um toco de madeira de mais ou menos um
metro queimado , todo preto e de pé . à esquerda nascia umas flores de
orquídea muito bonita . mas os meninos não viram nenhuma aparição
como dissera antes . nem tão pouco tiveram a presença de seres
estranhos continuaram caminhando pela picada a dentro . chegaram a
um local onde houve grande queimada da mata numa extensão de
729 metros quadrados onde as árvores queimadas pareciam

153
EM BUSCA DA CAVERNA.
154

verdadeiros espetos e davam uma visão simbólica de pessoas vestidas


de preto e imobilizadas na terra . os meninos , que não estavam se
identificando com aqueles ‘ monstros ‘ seguiam a frente em busca do
local onde haveriam de descansar um dia depois entraram em uma
mata escura e fria . parecia que um calafrio entrava-lhe pelo corpo . ao
lado da mata escura e fria havia lagoas com muitas plantas aquáticas
onde no meio dos quais escondiam pequenos animais que emitiam
sons estridentes que, as vezes , impediam os meninos de ouvir os seus
pés de bater na terra . depois que saíram da mata escura e fria o
caminho foi clareando vagarosamente até entrar em uma campina
verde ondulada , onde ao longe refletia a luz . era tão silencioso
aquele local que todos sentiram uma verdadeira felicidade dentro de si .
parecia que ao longe ouviam repicar de sino , convidando-os a
meditação . naquele momento todos esqueceram por um momento de si
e, cada um , parecia que era sozinho no meio daquela imensidão de
planície , caminhavam , caminhavam e a planície parecia que não tinha
fim . quando já estavam quase saindo da planície e começaram a subir
um caminho levemente inclinado , voltaram a ter conhecimento do grupo
. e então voltaram a conversar como se como se não tivesse
passado pela campina . de longe avistaram uma grande árvore
frondosa à beira do caminho . e sebastião informou ser aquela a
árvore de jacarandá . ao chegar no pé de jacarandá o rufino fez , como
foi orientado , e apareceu exatamente como que abrindo uma cortina ,
descortinou à sua frente a mais linda paisagem já vista por eles :---
primeiro surgia a sua frente uma verde campina plana , apesar de
estar na serra , no meio da campina surgia um caminho de areia
branquinha e fofa com flores de papoula vermelha ao lado . o caminho
era de forma em zig zag . e no final de uns trezentos metros tinha uma
pequena elevação e no final uma caída brusca ai encontraram uma
casa muito grande feita de pedra . ao redor da casa i mais lindo jardim já
visto. por todos e , mais além , um pomar com todos os tipos de frutas
maduras . pelo meio do pomar corria água cristalina em forma de riacho .
então os meninos pensaram que estavam chegando no paraíso . a casa

154
EM BUSCA DA CAVERNA.
155

estava com as portas aberta como que esperando alguém havia muitos
quartos , sala imensa com móveis cadeiras e mesas . não era frio nem
quente , o clima era ameno . a cozinha era grande com um fogão de
lenha que também já estava aceso . e o mais engraçado , aquele fogo
nunca se apagava ou diminuía as chamas . e também não fazia fumaça
como faz qualquer fogão de lenha .
os meninos chegaram libertaram os animais das cargas e deixaram
soltos no pasto . dividiram as atividades como se fosse uma acampamento
e tomaram posse dos quartos , dois meninos em cada quarto e o rex
ficou dormindo na casinha. depois de organizarem as atividade para os
próximos dias , sebastião propôs aos meninos descansar o máximo
possível , com exceção do menino encarregado da alimentação do
restante que seria revezado a cada dia .
depois de fazerem o reconhecimento de todo o local chegaram a
uma conclusão estranha :. tudo as redor parecia que estava pronta há
muito tempo, mas ao mesmo tempo parecia que foi feito naquela hora .
por exemplo :. as flores eram muito linda mas não tinham folhas secas
nas plantas , assim como também não de flores que iam abrir nos
próximos dias . os pássaros que esvoaçavam de um lado para o outro ,
também tinham um comportamento diferente . as águas do riacho eram
limpas e cristalinas nunca mudavam de cor : tudo acharam estranho no
primeiro dia . mas quem sabe ? amanhã poderá ser diferente ; assim
pensaram nossos heróis que de agora em diante só iam pensar em
descansar . nos dias seguintes n não fizeram nada , nem sequer se
preocuparam em observar s diferenças do dia anterior . assim se
passaram dois , treis dias quando então se sentiram descansados e
falaram com sebastião que já podiam reunir para decidir as coisas do
futuro . ficou decidido entre eles que iriam se reunir das a treis dias
pois as idéias já deviam estar bem amadurecidas e assim podiam tomar
a decisão.
depois decorrido os treis das marcados por eles resolveram
conversar . primeiro os meninos perguntaram para o sebastião o que
tinha aquele lugar de comum ou estranho como eles descreveram no

155
EM BUSCA DA CAVERNA.
156

segundo dia . depois perguntara, se realmente eles não iam voltar para
casa . e aquela história de ter voltado no tempo era verdade mesmo ou
era apenas uma ilusão ?/ também fizeram referência de, caso eles
tivessem mesmo recuado no tempo , como poderia ser a atuação deles
para construir a história ?
sebastião ponderou em todas as perguntas . e depois de um longo silêncio
respondeu : -’’ observem ao redor de vocês ç todas as coisas nada no mundo
se move sem que tenha uma lei em torno disso . todas as coisas tem um
principio e um fim , não foi só o acaso que nós viemos parar no ano de l777,
temos uma grande missão a cumprir aqui neste local onde todos vocês sabem ,
apareceu milagrosamente a nossa senhora aparecida a rainha padroeira do
brasil “ “ sim !! recuamos no tempo sim . voltar para a casa ? que casa ? a
casa onde nascemos junto de nossos familiares ? è isto que vces querem : e a
nossa missão ? n senhora aparecida espera que todos nós continuemos a
cumprir aquilo que foi designado . depois quem sabe : pode até acontecer um
outro milagre . mas lembrem vocês que existe uma outra coisa que está em
jogo !! é ‘o sonho do rufino ‘ temos de pensar bem na nossa decisão que é
muito importante . ‘ o sonho de rufino ‘ que se deu a data de 13 de agôsto de
2012 para a destruição da cidade de itabira com o reacendimento de um
vulcão extinto debaixo de 300 milhões de anos é coisa para nós , que estamos
tão distante , pensar bem nisto . não !! não podemos mudar a historia . nem
tão pouco podemos ficar de braço cruzado esperando que os fatos aconteça.
se o sr guilhermino , que é um dos homens mais rico dessa região , está
interessado em construir a igreja para a nossa senhora aparecida , e veio pedir
a nossa opinião , e , como vocês sabem através da história que foi
construída um grande templo para a santa aparecida , é sinal que esta
intenção do sr guilhermino é verdadeira , então devemos a ajuda lo . eu sei
também que voces estão com vontade de descer o rio paraíba até a sua foz e
entrar pelo mar adentro à procura de uma ilha misteriosa , podemos fazer as
duas coisas . quando terminar a construção podemos descer o ria de balsas
como já aviamos programado anteriormente até com a construção das
jangadas e balsas . mas agora a situação mudou com a idéia da construção

156
EM BUSCA DA CAVERNA.
157

da igreja p/ a n. s. aparecida . bem por hoje chega . amanhã , ou daqui a treis


dias voltaremos novamente a falar com formalidade .
passaram-se treis dias e os meninos reuniram novamente , já estavam
com idéia amadurecida em relação a ajudar ao sr guilhermino . eles não iam
poder ficar até o final da construção , mas quando mais ou menos pela
metade eles partiriam rio abaixo .
ficaram mais quinze dias na ‘ fazendinha ‘ aproveitando as férias e , no dia
marcado , retornaram para a vila . eles já estavam mais vazios mais leves . por
que a maioria da carga levada no início , era só comida e alimentos et.
inclusive os animais vieram sem carga.
voltaram . quando chegaram perto da árvore de jacarandá , sebastião
disse ? -- “ vamos olhar para traz e dar o ultimo adeus a ‘fazendinha ‘ . quando
voltaram para olhar para traz , não viram mais nada . só floresta e nem mais a
picada tinha no meio da mata . a picada no meio da mata só existia para o
retorno dos nossos heróis . a medida que eles voltavam a mata atras deles iam
‘fechando ‘ misteriosamente como uma floresta como uma floresta encantada
fechada , intransponível . até mesmo o caminho perto do vilarejo , desaparece .
assim entraram no pasto de gado da fazenda tudo, tudo fechou ,
como se nunca tivesse existido caminho algum . “ mundo estranho este “
exclamara os meninos “ onde tudo pode acontecer “.
seguiram até a fazenda e notaram uma grande movimentação de
carruagem , carroças e pessoas com aspecto de ser gente de outra cidade .
sebastião e os meninos pararam a uma certa distância e ficaram só observando
. pelas ruas do vilarejo também tinha grande movimentação de pessoas que
subiam e desciam apressadamente a rua . ao entrarem na fazenda o sr
guilhermino informou- lhe que toda aquela movimentação era devido ao fato de
ter chegado da cidade de são sebastião os arquiteto que vieram da frança para
a construção da igreja . junto deles também vieram treis padres , dois filósofos
engenheiros e mestres de obras na reunião da noite seguinte só o sebastião
que foi convidada . os meninos ficaram distribuídos em casas de escravos ao
redor da capela onde estava a santa .
na reunião os franceses falaram para os presentes , sebastião , os padres
do vilarejos , filósofos etc . que as coisas lá pelo lado da frança estavam

157
EM BUSCA DA CAVERNA.
158

fervendo para mudança . falaram sobre as atitudes e as fraquezas do reinado lá


. ficou combinado que a reunião entre eles continuaria no dia seguinte e
sebastião pediu para os estrangeiros que deixassem os meninos participarem
da reunião . as pessoas estranharam aquele pedido de deixar crianças
participarem de assunto de adulto . mas sebastião afirmou ser aqueles
meninos seus discípulos . e que ele como professor de história gostaria que os
seus alunos soubessem como estão desenvolvendo a história lá pela
longínqua europa. todos eles , afirmou sebastião , sabem falar o português , o
latim e o alemão . sebastião podia dizer muita coisa a respeito deles , só não
podia dizer suas verdadeiras origens . que tinham viajado no tempo mais de
200 anos . pois isto seria incompreensível para as pessoas daquela época .
no dia seguinte lá estavam os dezenove meninos vestidos de escoteiro e
bem limpo . todos sentaram em ‘ rodas’ para melhor conversar e emitir as
opiniões . naquele segundo dia de reunião apareceu mais pessoa além dos
franceses . vieram refugiados políticos perseguidos por napoleão . pessoas
com idéias de aqui nesta parte do mundo uma nova república independente .
os refugiados políticos que estavam presentes falaram de um local no interior
do país chamado de vila - rica pela grande quantidade de ouro encontrado lá
uma república em protesto contra os impostos de portugal.
explicavam ele para os meninos “ o imposto que a europa cobra de sua colônia é o quinto
de tudo que se produz ‘’ vinte por cento de tudo deve ser entregue a matriz. e neste caso
não é só portugal , mas sim todos países que tem colônia aqui na américa . falaram eles
que diversos ingleses também estão se dirigindo para o brasil , principalmente a região
central onde tudo é repleto de ouro.

enquanto os europeus falavam sebastião pode ver nas palavras de cada um o que ia dentro
da sua alma e ele ia pensando :-- este que agora falou fará parte da inconfidência mineira
daqui a 11 anos . este outro vai ser o traidor de tiradentes , o joaquim silvério dos reis
este outro será o visconde de barbacena daqui hà 10 anos . depois que ele indicou todo , o
que os mesmos seriam , por que ele , o sebastião já sabia ha muito tempo por ser professor
de história , portanto tudo aquilo que os europeus estavam dizendo , não eram novidade
para ele . apenas estava conferindo a história e , observando as faceta da mesma.

158
EM BUSCA DA CAVERNA.
159

uma coisa interessante que /sebastião e os meninos observaram era o comportamento do


ser humano . em 200 anos não houve nenhuma modificação acentuada que pudesse
chamar a atenção .—apenas o mesmo desejo de cobiça , de fama e de fortuna . até
mesmo a intenção do sr guilhermino de construir uma igreja para a santa era apenas uma
boa intenção mas no fundo ele só estava interessado em se autopromover .

depois que reuniram muitos dias traçando o plano para a construção da


igreja , alguns do europeus se despediram partindo para o planalto do
piratininga e outros partiram para o centro do país com destino a vila rica , hoje
a cidade de ouro preto . na cidade ficaram apenas os mestres de obras que
iam dar início a construção da igreja que seria para a morada da santa.
os nossos heróis estavam deslocados na história . eles queriam a ajudar ,
mas esta ajuda poderia comprometer o futuro e assim , eles poderiam deixar de
existir. sebastião estava bem atento a tudo que os meninos comentavam , por
que no meio dos europeus que a sua obrigação era apenas registrar o
acontecido.
todas ao noites continuava as rezas na antiga casa da santa e todos
estavam bem confiantes por que em breve teríamos a nossa igreja onde
caberia milhares de pessoas para rezar a noite.
a construção da igreja

os arquitetos já haviam dado início aos planos para a construção . primeiro


organizaram o material . ela seria construída toda de pedra e tinha escravos
que eram verdadeiros mestres em lapidar a pedra bruto . então orientada pelos
mestres , o aprendiz de arquitetura pegava o cinzel e o martelo e ,
pacientemente iam desbastando a pedra bruta . a pedra bruta vinha das
jazidas da natureza abundante na região . para lapidar uma pedra de treis
metro o aprendiz levava quase 9 meses depois a pedra já estava totalmente
lapidada e era colocada no local para edificar a igreja , usando o sistema de
alavanca . e assim , pedra por pedra o templo da santa ia subindo . não havia
outro material a não ser pedra para a construção do templo. cerca de 100
escravos trabalhavam 10 horas por dia retirando material na jazida da
natureza e transportando até o local da construção . era uma verdadeira

159
EM BUSCA DA CAVERNA.
160

procissão de pessoas um vai e vem carregado . passado seis meses e o


esboço da igreja já estava definido .
e os nossos heróis ? os discípulos de sebastião ? o que estaria eles
fazendo naquele tempo ? longe dos pais da casa ? e como vivia sebastião ?
naquele tempo tudo era diferente . os meninos já não eram mais meninos , já
tínhamos crescido e estavam crescendo mais ainda . então resolveram tomar
uma decisão na vida . falaram com sebastião e tomaram a decisão de descer o
rio em direção ao mar . ele não sabiam bem o que queriam . só não queriam
ficar parado no tempo coma já estavam há quase oito meses . resolveram partir
mais uma vez. e em breve sebastião não iria com eles . ficaria na cidade para
poder ajudar na ereção do templo à virgem maria e ficaria vigiando para que
não modificassem a história. aguardavam também um milagre a fim de
retornaram a seus tempo . pois estavam bastante preocupados com o terceiro
sonho de rufino onde itabira foi destruída por um terremoto,ou Vulcão..
a outra partida
já haviam retirado as jangadas e canoas dos lugares onde estavam
escondidos . pediram aos escravos para arrumar alimento p/ treis meses .
como os meninos tinham muita amizades entre eles nada foi difícil . eram treis
embarcações e uma canoa . no dia combinado saíram secretamente à noite .
sebastião foi até a margem do rio se despedir dos meninos . era noite de lua
clara . todos ficaram, cantando e chorando com a saída dos meninos , treis
escravos já com 18 anos saíram com eles . no dia seguinte ao sair do sol
todos notaram a ausência dos meninos mas ninguém teve coragem de
comentar o que tinha acontecido . sebastião voltou a ajudar os arquitetos na
construção da igreja
a descida pelo rio

agora os meninos não tinham mais o sebastião para orientá-lo . eles teriam que agir de
acordo com os seus conhecimento adquiridos ao longo de tanto tempo de quem já sabia .
o rufino era o líder deles . agora eram 19 meninos , 3 pessoas que eram escravos que
dali para a frente estavam livres e o rex , cão do lobato . entre eles deveria haver
disciplina rígida para que não acontecesse nenhum acidente na grande viagem .desde a
proximidade do planalto de piratininga até o oceano atlântico descendo o rio paraíba e
passando por mais de mil quilômetros de extensão. no ano de 1777 o rio paraíba do sul

160
EM BUSCA DA CAVERNA.
161

era bem diferente de hoje . ele era muito mais largo e volumoso . do que atual . as suas
àguas eram límpidas . peixes abundavam toda a extensão , principalmente nos lugares
mais planos a margem era cheio de floresta imensa , com imensos tipos de árvores
frutíferas selvagem . os meninos tiveram ocasião de conhecer os pé de banana mativos
da região . todo o tipo de bananas havia pela margem . a noite acampavam a beira do
rio onde acendiam fogueira para espantar os animais uma vez por semana .

o padre lourenço

acamparam por treis ou quatro dias e aproveitara para consertar as


jangada e explorar a região . depois de trinta dias descendo o rio abaixo
encontraram uma caminho à beira do rio que dava em uma fazenda . saíram
do ria , acompanharam à margem . no segundo dia aventuraram a entrar pelo
caminho e chegaram até a fazenda , mais a frente havia um vilarejo de
umas 20 casas algumas delas feitas de pedra , outra de madeira , não havia
nenhuma casa feita de alvenaria . o centro da vila tinha uma capela que
permanecia aberta noite e dia para uso das pessoas . havia um pequeno
altar onde ostentava um crucifixo todo feito de prata e algumas imagens de n.
senhora das graças , n. s. da conceição e de são joão .
os nossos heróis chegaram lá por volta das 11:00 horas do dia .: em
primeiro lugar ,montaram acampamento ao longo do rio . amarraram as
jangadas às arvores para que a correnteza não os levasse rio abaixo . e
tiveram o cuidado de não sair todos ao mesmo tempo do acampamento .
apenas 4 dos meninos é que foram , sorrateiramente , até à vila . os outros
meninos e os treis ex- escravos ficaram no acampamento de guarda . era
interessante como ele já haviam aprendido em relação a todo o tempo que
acamparam junto do sebastião . tinham o maior zelo de manter o acampamento
numa posição que não era veste por pessoa estranhas à primeira mão.
deixaram tudo camuflado de tal maneira que o acampamento era
confunfido com as folhas da mata . a única coisa que não podia ser
camuflada era a fumaça da fogueira mas mesmo assim eles faziam treis
fogueiras formando um triângulo entre si.
bem , os quatro meninos se dirigiram até o arraial e tentaram identificar
qual seria aquela vila . então eles falavam entre si . ‘ que cidade vai ser esta

161
EM BUSCA DA CAVERNA.
162

? ‘ será barra mansa , rezende ou barra do pirai ?? enquanto não chegariam


um acordo foram entrando devagarinho pelo caminho que levava até a vila .
encontraram muitos escravos trabalhando na lavoura do gado , carregando
peixe pescado no rio ao chegar na vila foram logo para a capela e começaram
a rezar de joelho diante da imagem de n . s. da graça . ficaram rezando de
joelho na capela até escurecer e caíram no sono profundo . quando as
pessoas da vila foram acender vela levaram um susto vendo aqueles
rapazes estranhos deitados no chão . a principio ficaram com medo e
chamaram mais pessoa para ver os quatro rapazes dormindo . foi preciso
muito trabalho para acordá-los , tamanho era o sono dos meninos . eles foram
acordando lentamente e começaram a falar numa linguagem estranha que as
pessoas do vilarejo não entendiam . eles falavam como se estivessem
dormindo , sonolento . o povo da vila foi chamar o padre para rezar e tirar
aqueles maus espíritos . enquanto os ‘ meninos ‘ não reconheciam ninguém
, nem mesmo os seus companheiros , e eles falavam gesticulavam apontando
para o lado do rio como estivesse querendo dizer alguma coisa que estava lá .
a maioria das pessoas focou com medo de chegar perto como o padre morava
longe , demorou a chegar até o local . como ficaram com medo dos rapazes ,
arrumaram cordas para deixa-los amarrados até a chegada do padre . o padre
que veio era uma pessoa que falava mais de 12 línguas e havia fugido da
europa por causa da perseguição religiosa que ainda existia lá . havia ele
estudado nos mosteiros dos cátaros , cujo último reduto foi destruido em l744
no dia 30 de março pelas cruzadas . apesar deste padre estar ‘ escondido ‘ no
interior do país era uma pessoa capacitada a dirigir até uma nação tão grande
quanto aquele brasil que estava nascendo. bom ele chegou de longe já , por
mandando que desamarrassem os rapazes , e começou a conversar com eles .
então as pessoas viram o padre também falando na mesma língua dos
meninos . e depois de algum tempo os meninos já estavam mais calmos e
não estavam gesticulando mais e falavam normalmente . depois dos meninos
acalmarem , o padre conversou com os presentes revelando o que os meninos
diziam :-- ‘ eles faziam a revelação de uma imagem de n. senhora que estava
no fundo do rio próximo à nossa vila diziam também que esta imagem
será resgatada por uma criança de menos de sete anos “ e que a nossa vila

162
EM BUSCA DA CAVERNA.
163

crescerá tanto com a benção da santa que nós viveremos felizes para sempre
. e ainda pedia para que fossemos procurar a imagem que ela teria grandes
revelações a fazer ao mundo . agora , disse o padre , vamos rezar pela
recuperação dos quatro rapazes .
naquela noite o próprio padre dirigiu a reza com a presença dos meninos
. depois que terminou as orações foi perguntando para os meninos como
eles tinham chegado até aquele vilarejo , pois ninguém os conhecia . e eles
contaram a sua história : que estavam descendo o rio em direção até o mar :.
e que os outros companheiros estavam acampados s beira do rio . e que todos
eles eram em número de 23 pessoas e um cachorro ,. só contaram o episódio
da saída da vila de onde apareceu a santa no rio . não falaram suas aventuras
de antes do encontro com os bandeirantes no alto da serra da mantiqueira ,
como eles tinham que voltar ao acampamento o padre mandou que os treis
escravos acompanhasse eles até o local a beira do rio e que no dia seguinte
ele poderiam retornar à capela para conversar e rezar . assim fizeram quando
chegaram ao acampamento , os outro colegas , estavam à beira das fogueiras
fizeram quatro fogueiras bem altas para espantar os animais do mato . os
escravos que levaram os meninos até o local do acampamento falavam a
língua de origem da áfrica , e como os meninos já sabiam falar a sua língua ,
foi fácil eles se entenderem . ao entrar em contato com os outros quatro ex
escravos que desceram o rio com os meninos , fortaleceram mais os vínculos
ainda dos meninos com os escravos daquela região . os meninos que levavam
os quatro rapazes até acampamento à beira do rio , ao encontrar os outros
quatro ex- escravos tiveram a impressão de que os meninos eram
libertadores dos escravos de outras regiões e , a principio , quiseram ficar com
eles também e fugir rio abaixo . mas imediatamente os meninos tentaram
explicar- lhes que a situação era diferente :- primeiro os 19 meninos não eram
escravos . eles vieram do alto da serra e encontraram com os bandeirantes
que os tiveram como enviados do céu , de acordo com a crença lá em portugal
. continuaram explicando :. nós viemos do interior do paíz por lugares , hoje
nunca pisado , mas bastante pisados no futuro . a razão pela qual estamos aqui
nem nós mesmo entendemos .

163
EM BUSCA DA CAVERNA.
164

e também é difícil explicar para voces de uma época tão distante da nossa :
mas mudemos de assunto . contem um pouco de vocês :. era o rufino quem
falava com eles , e ele achou melhor deixar que eles falassem.
então um dele , que parecia ser o líder , começou a dizer : “ somos recém
chegados aqui a esta fazenda , viemos de um lugar muito distante . não
sabemos o que é isto aqui , só sabemos que temos de trabalhar doze horas
por dia , à noite somos jogados em um quarto escuro e imundo sem luz para a
gente não poder fugir , dizem os capatazes . viajamos mais de 60 dias num
navio com muitos dos nossos que morreram durante a viagem . os malvados
foram até a nossa tribo e raptaram nossas mulheres e filhos e disseram assim :
“ se vocês não vierem com a gente nos vamos matar todos os seus filhos e
mulheres . por isto nós viemos juntos para eles não maltratar . depois
chegamos a uma cidade à beira mar onde fomos levados para um mercado e
vendido como animal para os donos de fazenda desta região . só o senhor
daqui comprou mais de cinqüenta escravos :. depois que chegamos aqui
tivemos sorte que toda nossa família ficou junto .
a medida que os escravos falavam rufino e outro menino ficaram
imaginando que cidade à beira mar poderia ser esta ? pela descrição feita por
eles só poderia ser a cidade de são sebastião do rio de janeiro . então pela
cabeça deles um plano . em vez de continuar descendo o rio em direção ao
mar poderiam ir até a cidade do rio de janeiro e encontrar com os padres
jesuítas e contar as verdadeiras histórias de suas aventura. mas todos calaram
e acharam melhor não tomar decisão assim abruptamente . pois eles não
tinham mais a presença do seu amigo sebastião que lhes orientava , portanto
qualquer decisão sem sabedoria poderia ser perigosa e , como eles recuaram
no temo , e já sabendo do que iria acontecer seria perigoso se tentassem
mudar o curso da história se tivesse um erro , até eles mesmo poderiam não
mais existir .
como já era tarde da noite os 23 personagens da expedição mais os treis
escravos que acompanharam os meninos até o local do acampamento . alguns
deles ficaram no acampamento , naquela noite , cantando cantigas da àfrica
e outros saíram até a margem do rio para ouvir o ‘ barulho ‘ das águas
chegando até a barranca , notaram uma coisa estranha - às águas

164
EM BUSCA DA CAVERNA.
165

estavam calmas sem nenhum movimento . os animais aquáticos e do brejo que


sempre entoavam a sua sinfonia , naquela noite estavam em silêncio . era uma
escuridão sem fim , e um silêncio ensurdecedor . no céu apenas as estrelas
vigiavam o mundo . ves por outra , uma estrela cadente riscava o céu , e os
olhos apavorados dos escravos viravam o rosto para não ver onde ela , a
estrela cadente , ia cair , pois segundo a crença popular seria indicio de mau
agouro . os meninos mão usavam lanternas , devido ao uso constante da
visão no escuro já conseguiam identificar qualquer objeto caido no chão . era
interessante ver como eles caminhavam rapidamente no meio da mata sem se
embaraçar : e naquela noite histórica de 23 de janeiro de 1778 os nosso
heróis mais os quatros companheiros e os treis escravos daquela fazenda
presenciaram no meio da água parada do rio , um clarão imenso saindo do
fundo :. quase todos ficaram , com exceção dos 4 meninos que tiveram o
sonho sobre a aparição de n. s. das graças . o clarão em forma de luz branca
chegou até a superfície e parou , ficou imóvel . os meninos ficaram paralisados
de terror afinal era mais um mistério que surgiria nas suas vidas e eles teriam
de resolver sozinho . pois o seu mestre tinha ficado há mais de trinta dias
atras . então toda aprendizagem , e orientação era hora de provar que eles
tinham aprendido . o clarão permanecia imovel na superfície da água . os
escravos ficaram com medo e saíram correndo no meio da noite para a
senzala da fazenda . eles estavam petrificados de terror , correram até chegar
em casa . ao chegar na senzala contou para os mais velhos o ocorrido no
meio das águas . só que eles fantasiaram muito e quem ouviu teve a
impressão de uma coisa muito mais espantosa e foram transmitindo a outros
pessoas . no final daquele dia chegou até os ouvidos do padre que tinha
assistido ao meninos na noite anterior .aquele padre , cujo nome verdadeiro
deveria manter-se em segredo , chamava-se padre lourenço , como era
conhecido em toda a região . diziam as pessoas :- “ ele é uma pessoa
misteriosa , diante de sua “santa’’ pessoa todos os males desaparecem . a
gente fica com que hipnotizado quando ele fala , até os animais obedecem “
outro dia foi visto uma cena incrível . uma jibóia tinha laçado uma criança e já
começava a apertar o pescoço da inocente . quando o padre viu aquela cena

165
EM BUSCA DA CAVERNA.
166

deu um grito e falou uma frase estranha a cobra deixou a vitima e foi saindo
devagarinho e se jogou no fundo do rio .
bem, a notícia da ‘ aparição ‘ do clarão deixou o padre um pouco
preocupado . nem mesmo ele sabia que as coisas seria daquele jeito , já
eram quase 18 horas daqueles dia de verão de 1778 . os raios de sol ainda
banhavam as águas do rio , dando uma conotação dourada :. as aves a cata
de pequenos insetos para o seu sustento . de repente o céu encheu -se de
tanajura . apareceu milhares de pássaros à procura de seu alimento num
verdadeiro equilíbrio da natureza. o padre saiu da sua casa acompanhado de
treis escravos da fazenda e se dirigiram até a barranca do rio . caminharam
lentamente como que contando os passos . as suas sombras já estavam enorme
. parecendo uma figura fantasmagórica. quando chegaram à margem , as suas
sombras já estavam do outro lado do rio . eram quatro sombras que
caminhavam do outro lado da margem . a primeira era uma sombra com
roupas longas , balançando ao vento , andar altivo demonstrando que o seu
dono tem a cabeça no lugar . as outras treis eram de andar bamboleante ,
corpo encurvado para a frente mostrando o peito , a barriga , apenas
apresentava roupas curtas até o meio da canela , numa demonstração clara de
que está guiado por alguém . os quatro caminharam até o local de
acampamento dos meninos a chegaren lá os nossos heróis estavam
preparando a ultima refeição do dia . que aliás estava ótima devido ter
recebido doação do povo do vilarejo e dos escravos . ao longo de todo aquele
acampamento o vento soprava a fumaça da fogueira em todas as direções . o
padre e seus treis guardas chegaram e sentaram . depois das refeições e
arrumar as coisas no lugar , foram acendendo fogueiras a uma distância de 50
metros de cada uma , e em forma de círculos . era sempre feito desta maneira
para que ficasse protegidos dos animais ferozes da região . começaram a
conversar e o padre queria ouvir os rapazes como foi a aparição da noite
anterior . e os meninos contaram no mínimo detalhe como tinha acontecido .
como já tinha escurecido e as primeiras estrelas começavam brilhar o céu ,
ele foram até a margem do rio para observarem :. quando o padre avistou
aquele espetáculo de água totalmente parada e um facho de luz vindo de
baixo para cima e parava na superfície , ele notou que havia algum objeto no

166
EM BUSCA DA CAVERNA.
167

fundo do rio . somente agora pudera observar se o facho de luz aumentava


e diminuía de intensidade . ficaram treis horas observando o fenômeno como
não houve modificação da intensidade . resolveram abandonar a observação
e retornaram ao acampamento sentaram ao lado da fogueira e começaram a
cantar e dançar eram 19 meninos , 4 ex escravo , 3 escravos do padre , 1
padre e um animal que permaneciam verdadeiros laços de fraternidade . havia
pessoas de todas as raças : brancas , pretas , índia mestiças e até um de raça
amarela , mas todos cantavam dançavam e conversavam sem nenhum
preconceito de raça ou religião . o padre lourenço apresentou- se bastante
comunicativo e ensinou ao meninos muitas canções européias em alemão
e francês . ele era uma padre diferente do que nós conhecemos até hoje . foi
ele mesmo quem sugeriu que os seus treis escravos permanecessem junto
de todos , ao lado da fogueira naquela noite . depois que conversaram ,
contaram e dançaram mais de treis horas seguida . já era hora de silêncio e
reflexão . antes porém foi servido batata doce assada a todos e água
adoçada com mel de abelha :. é preciso lembrar que o século é xviii e não
se conhece o café como conhecemos hoje .
então os nossos heróis pediram ao padre que contasse a eles a sua
história . talvez a história da sua vida lá pelas bandas da europa . o padre
lourenço retrucou : - “ por que vocês não contam em primeiro lugar a história
de vocês : “ andam dizendo o povo que vocês surgiram misteriosamente no
alto da serra da mantiqueira quando encontraram bandeirantes há mais de um
ano atras “ o povo pode acreditar nisto porque as cartas que os bandeirantes
mandam para todo o litoral informam isto “ . mas como pode ter sido ? “
como aconteceu ? só vocês vinham na direção norte e caminhavam para o sul
? se nós sabemos que no interior não existe cidades grandes como o rio de
janeiro , paris ou berlim ? e . além do mais , continuou a dizer o padre lourenço
: - “ vocês meninos são diferentes tem um linguajar nunca visto antes em
parte alguma do mundo . mas da maneira como vocês falam parece uma
linguagem que já chegou ao auge e depois começou a deteoriar‘. então ?
quem são vocês ? de onde vieram : o que fazem aqui ?-- depois de tantas
indagações colocando os nossos heróis em xeque , o rufino que era o líder
dos meninos começou a dizer :- “ é bem razoável as suas indagações “ “

167
EM BUSCA DA CAVERNA.
168

nem sequer nós sabemos o que estamos fazendo aqui . há um mês atras
nós saímos de uma vila onde os pescadores encontraram uma imagem do
fundo do rio . depois de ficar ali mais de seis meses junto com os escravos
daquela região , aprendemos a falar a sua língua e os seus costumes .
deixamos lá o nosso guia , o sebastião , que ficou ajudando a construir a
igreja para a imagem . depois viajamos mais de trinta dias descendo este rio
e , por acaso , paramos aqui para nos abastecer de comida , quando então
aconteceu o episódio da capela com os quatro meninos e em seguida a
aparição deste clarão no fundo do rio , mas nossa intenção é de descer o rio
até o mar e de lá dirigirmos a uma ilha grande no meio do oceano .
realmente nós encontramos os bandeirante no alto da serra da mantiqueira
e eles próprios falaram de uma lenda existente em portugal de que nas terras
as existentes além do mar , numa determinada época, apareceriam
misteriosamente uns meninos , em torno de vinte , no alto da montanha .
foram eles, os bandeirantes , que disseram que os meninos éramos nós.
.portanto não estamos dizendo que nós somos aqueles meninos prometidos
no alto da montanha . a nossa história é muito mais complicada ainda , e
nem sabemos se podemos dizer . pois poderíamos se considerados lunáticos
. ou melhor , talvez ninguém desse a mínima confiança para a nossa história
e não entenderiam . portanto sr lourenço , nós temos uma história diferente
desta que contamos . só que não temos condições de contar aqui no
acampamento . mesmo por que temos juntos mais sete pessoas que não
fazem parte do nosso grupo que são os quatros ex escravos e os treis
escravos que vieram com a sua companhia , além do mais eles são jovens
e não entenderiam as explicações .
também , sr padre lourenço nós sabemos que o sr não é padre . o sr está
aqui no brasil apenas fugido das ultimas perseguições religiosas da europa , e
o seu nome verdadeiro não é este . quando o rufino acabou de pronunciar
estas palavras o padre ficou surpreso com aquilo e tentou mudar de assunto
:. “ bom hoje já está um pouco tarde . è melhor a gente se repousar . e o
rufino ofereceu ao padre a sua tenda para que ele e os seus escravos
repousassem :. naquela noite ninguém dormiu nas barracas ou tendas .
acharam melhor ficar ao lado da fogueira té de manhã cedo .

168
EM BUSCA DA CAVERNA.
169

quando as primeiras luzes da manhã surgiu no horizonte o sr lourençoo ,


o padre e os seus escravos saíram para a fazenda . os meninos continuaram
no acampamento mas resolveram mudar de local , e dividir em 3 grupos de
acampamentos , o rufino e outros dois lideres reuniram e foram analisar o
acontecimento da noite anterior . então ficou decidido que eles deveriam
procurar o padre lourenço para conversar mais a vontade . só que não
devíamos hoje , nem amanhã . daqui a treis dias quando tivermos
organizado os treis acampamento . assim fizeram :. as barracas com todo
material foi dividido em treis porções :. no local do antigo acampamento
ficaram só duas barracas onde ficam o rufino com dois ex escravos . durante
os dias seguintes mantiveram atividade de conserto de jangada e barcaça e
trabalho de lavoura nas fazendas ao redor em troca de comida e também para
conhecimento da região . no terceiro dia combinado os quatro meninos foram
procurar o padre lourenço para conversarem . passaram pelo vilarejo ,
conversaram com as pessoas . rezaram na capela e procuraram pela casa do
padre lourenço . demoraram ate chegar ao local , pois ele morava em outra
vila . ao chegarem na vila encontraram uma casa muito grande e pelo sinal
era a casa do padre lourenço. quando os meninos chegaram o padre estava
ocupado na sua horta plantando orquídeas em vasos de xaxim .
òh que bom que vocês vieram já estava aguardando . assim falou o sr
padre lourenço tão logo viu os meninos entrando no quintal . antes da gente
conversar , vamos fazer uma refeição , pois vocês devem estar com fome .
então se dirigiram para a cozinha e almoçaram bem . o padre falou que
depois eles conversariam na sua biblioteca . depois de conhecer toda a casa ,
a horta , as plantações de orquídeas , o viverio de peixe no fundo do quintal
onde passava um riacho , foram para a biblioteca da casa . era uma sala
imensa com muitas prateleiras cheias de livros . todos sentaram frente a
mesa e começaram a conversar : - o padre lourenço falou com um dos
meninos assim : - “ vocês sabem ler e escrever não é verdade ? então vá um
de voce até a prateleira e pegue um livro para agente ler . o rufino levantou-
se olhou para aquela montanha de livro a sua frente e escolheu um que
estava na primeira prateleira e colocou em cima da mesa . o padre disse :_ “
pode abrir e leia ‘’ rufino colocou o livro diante dos seus colegas e foi abir :

169
EM BUSCA DA CAVERNA.
170

assim que abriu notou que todas as folhas estavam em branco , não havia
nada escrito . então com assombro olhou para o padre . _ “ não havia nada
escrito “ “todas as folhas estão em branco ‘’ depois dirigiu a prateleira e
revirou outros livros e verificaram que todos estavam em branco . não havia
nada escrito . e voltaram p/ o padre lourenço ; “ como nós vamos ler um livro
que não tem letras ? e o padre lourenço de um sorriso e disse : -- “ tudo na
natureza está pronto “ só falta acontecer no tempo exato : se voces já
estivesse, de olhos abertos leriam tudo que está escrito nestes livros “ então
primeiro , necessário se torna abrir os olhos “ e como a natureza não dá salto
não podemos aprender tudo da noite para o dia . porém vamos dar apenas
um exemplo . pegue novamente aquele livro que voce pegou , rufino . disse o
padre “ agora ponha novamente em cima da mesa de frente para vocês
quatro . agora pensem no que vocês gostariam de ler . então rufino procedeu
da maneira indicada e todos estavam muito confusos com os acontecimento
de suas vidas , mas o rufino ponderou . “c gostaria de ver a cidade de itabira no
ano de 2012 d.c . assim que ele abriu o livro apareceu a cidade de itabira
com muitas fotos coloridas . todas as ruas da cidade estavam cheia de gente .
o local onde extraia minério e ouro tinha muita gente trabalhando com as
máquinas mais modernas . procurou . ver todas as ruas . até a sua rua
conseguiu ver . depois quis ver o dia 12 de agosto de 2012 . e viu !! não viu o
povo não estava rezando na igreja . nem tão pouco a imagem de n. senhora
aparecida estava sendo venerada como na época do seu aparecimento na vila
. depois de ver todas as profanações pelo povo itabirano , dentro das igrejas .
não quis ver o diz 13 de agosto de 2012 por que este ele já tinha visto em
sonho , seria muito triste ver tudo de novo . não ! não viu .
os nossos heróis vasculharam outros livros e ficaram conhecendo outro
acontecimento histórico que até então lhe eram desconhecidos . enquanto os
meninos folheavam livros em ‘ branco ‘ o padre lourenço ficava lhes
observando o comportamento e lembrava da sua infância : então a sua
memória retornou até a data de 1735 quando ele tinha 15 nos : - ‘ a cidade é
ao sul da frança . um vilarejo onde a criação de ovelhas era o passatempo
ideal das pessoas :. assim como o meio de vida econômico das aldeias . o
plantio de uva enchia os portos do vinhedo . o seu pai ema uma pessoa muito

170
EM BUSCA DA CAVERNA.
171

respeitada entre os seus contemporâneo . lourenço cujo nome verdadeiro era


robert laubert tinha uma inquietude de querer conhecer todas as coisas do
mundo visível e invisível . ao longo das montanhas que rodeava a cidade
existia castelo desde o séc x da nossa era . eram castelos quase escondidos
no meio da mata e de difícil acesso . os pais de robert todos os dias reunia
com a família , seus irmãos para transmitir - lhes conhecimento herdados de
seus avós , os ‘ antigos ‘ quando completou 18 anos estava na época de
entrar para o colégio secreto . então seu pai e seu irmão mais velho foi levá-lo
até o castelo para continuar s estudos . assim ficou ele ali até a idade de 23
anos , quando então foi mandado para transmitir conhecimento pelo mundo e
se dirigir até as aldeias . procurava-se misturar no meio da mais alta linhagem
da europa . mas em torno de 1742 começou uma perseguição religiosa contra
aquele grupo de pessoas que transmitiam um tipo estranho de conhecimento .
foram organizadas verdadeiras batalhas contra aquelas pessoa . e o castelo
oculto na montanha onde roberto tinha adquirido os seus primeiro
conhecimentos foi destruído na manhã de 30 de março de 1744 morrendo
todo os que estavam lá dentro . assim que a noticia da destruição do castelo
chegou ao ouvido de robert laubert e a outra noticia de perseguição a todos
os membros daquela seita , ele tratou de fugir no primeiro barco de pirata que
partiria para aventuras nas américa . lembro - me ainda que no barco todos o
respeitavam principalmente quando pegavam nos seus livros para ler e os livros
estavam em ?branco . além dos livro trouxe também uma caneta de prata que
servia para chamar as pessoas para as refeições lá no castelo :. como ele tinha
conhecimento de muitas línguas , inclusive o latim , não foi difícil vir disfarçado d
padre e para não chamar a atenção , passou a chamar padre lourenço da
irmandade franciscana que estava sendo fundada naquela época . ao chegar
em portugal em 1745 , não foi difícil , devido ao fanatismo religioso do povo
instalar-se o comodamente em uma casa , mais tarde se esconder no brasil com
os aventureiros da coroa real . e chegando a cidade de são sebastião
procurou a arquidiocese para celebrar missa e transmitir o conhecimento . e um
dia resolveu comprar uma fazenda dirigindo seu trabalho de evangelização dos
africanos .

171
EM BUSCA DA CAVERNA.
172

os meninos já acabaram de ler , ou folhear , uns dez livros e , todos eles


com as informações mais precisas que eles precisavam , quando o padre
lourenço deu um suspiro fundo , “ então descobriram alguma coisa ? os
rapazes que estavam bastante entretidos com os livros sem letras , letras que
só apareciam se a gente quisesse , levaram um susto quando o lourenço
acabou.
viajante do tempo
depois de guardar o livro nas prateleiras voltaram para a grande mesa e
falaram :- o padre e os meninos ao mesmo tempo :- então vamos continuar a
perguntar que somos nós ? todos acharam estanho o padre e eles falarem ao
mesmo tempo . e o padre lourenço começou a falar :- “ ontem lá no
acampamento vocês fizeram menção de que eu não sou padre e meu nome
verdadeiro não é lourenço “ então ? quem sou eu ? os quatro meninos
ficaram surpresos . mas responderam adequadamente :- “ muito simples ,
pelas suas atitudes suas maneiras de pensar o sr padre lourenço é sr robert
laubert e estas coisas não precisa ser advinho para saber . qualquer um do
nosso tempo sabe, por que está nos livros de história toda a sua vida de
fugitivo de perseguições religiosas da europa . quando o padre ouviu aquela
afirmação fez uma exclamação ---- “ ah ! vocês são viajantes do tempo !
como eu sou feliz em encontrar vocês “ “ eu também sou viajante do tempo só
que eu sou do passado , enquanto vocês são do futuro . que feliz coincidência
nos encontrarmos aqui em pleno séc 18 .
eu já desconfiava que vocês não eram desta época desde o dia que eu
fui chamado para ver os quatro rapazes que estavam com ‘’ espirito ‘lá na
capela da vila os quatro falaram tanta coisa inclusive sobre n.s aparecida ,
que será , num futuro longínquo , a padroeira do brasil : continuou o padre
dizendo : o que a história sabe de mim é apenas este episódio das
perseguições religiosas da europa agora no ´sec 18 mas a minha origem se
data 30 anos antes de cristo desde o tempo da eneida de virgílio de tempo em
tempo eu surjo na história . já estive em muitos lugares do mundo em todas as
épocas : estive no concilio de nicéia no ano 300 dc onde lutei contra todos
que queriam tirar os ensinamentos da bíblia e por final reduziram- na a
apenas o livro que conhecemos hoje. participei de reuniões primitivas nas

172
EM BUSCA DA CAVERNA.
173

catacumbas na roma antiga . conheci pessoalmente virgílio quando escrevia a


eneida . estive na távola redonda do rei artur . quase todas mudanças do
sistema politico do mundo es estava presente . estive junto de cristovão
colombo e pedro alvares cabral quando veio para as américas . aliás falando
de pedro alvares cabral . è um viajante do tempo e quando ele veio para o
paralelo 15 na latitude sul e , por acaso , ficou como descoberto o brasil , era
apenas um teatro e de teatro em teatro,a história da civilização cósmica . por
que ele já sabia da existência deste continente . pis ele já havia estado aqui
em outras épocas . assim como o décimo terceiro navio que desviou da rota ,
segundo os historiadores da história secreta do brasil . também era uma
encenação teatral . e assim , de encenação teatral em encenação cósmica , a
história das civilizações ficou nas aparências . já estive na frança na época da
revolução francesa que vai acontecer a 14 de julho de 1789 daqui a 11 anos
. e observando todos os movimentos histórico de todas as épocas, vemos que
o homem está regredindo totalmente em relação ao início do mundo . e agora ,
como vocês vêem , estou aqui disfarçado de padre neste país que está
nascendo , nascerá e morrerá um dia .
este séc 18 é deveras interessante por que a maioria do conhecimento
estão ressurgindo . eu disse ressurgindo e não surgindo , por que toda a
civilização que vamos ter no inicio do séc 21 , 22 23 , nós já tivemos na terra
no passado . vejam vocês o egito antigo , a atlantida com rampas de discos
voadores , a lemúria há mais de trezentos milhões de anos . portanto a
civilização do futuro não chegará nem a metade do que foi no passado .
portanto , meninos temos algo em comum eu, vocês e os outros quinze que
ficaram no acampamento . vejam beethoven hoje está fazendo 8 anos de
idade e a sua nona sinfonia só vai surgir quase do final de sua vida mais ou
menos em 1852 . mozart , hoje está no auge , mas as suas sinfonias são
eternas , assim como todos os clássico que surgiram neste ´seculo . as
mudanças políticas que se espalha pelo mundo é apenas como fruto da
decadência do homem . agora , digam para mim como vocês vieram parar no
´seculo 18 em pleno 1778 ? e os meninos começaram a contar :- viemos com
o sr sebastião até o sul da mantiqueira . estávamos acampados a beira da
estrada , ao lado dos fios de telégrafos quando numa noite acordamos e

173
EM BUSCA DA CAVERNA.
174

estava tudo mudado. e ai nós encontramos com os bandeirantes descobrimos


que estávamos no ano de 1777 . foi realmente bastante embaraçante para nós
este acontecimento . a nossa intenção era simplesmente conhecer o planalto
de itatiaia para nossa aprendizagem de geografia . demoramos tanto a aprender
a conviver com a natureza . fizemos muitos acampamentos juntamente com o
sebastião , o nosso guia , o nosso mestre , que nos guiou até ao sul da
mantiqueira através do trem subterrâneo . depois saltamos numa região
totalmente selvagem com os mais estranhos animais ferozes . depois
chegamos até a estrada onde tina telégrafos e , numa noite misteriosa
aconteceu que entramos numa fenda do tempo . portanto não éramos ou não
somos viajantes do tempo . simplesmente fomos ‘ jogados ‘ para fora do nosso
tempo . todos nós éramos ou somo , ou , nem sabemos se éramos, somos ou
seremos da cidade de itabira , pois esta cidade ainda não surgiu . ela só ira
surgir daqui uns 50 anos :. nossos bisavós ainda não nasceram . estamos
totalmente perdidos no tempo . e não podemos influenciar muito a história , por
que o conhecimento que temos da história é muito superficial em relação a
esta região do brasil que nós estamos . o nosso guia , o sebastião , ficou lá
no vilarejo onde presenciamos o aparecimento da imagem de n. s aparecida
no fundo do ria . e como o sr guilhermino , dono da fazenda , quis construir
uma igreja par a santa , ele achou melhor ficar lá ajudando na orientação da
construção do templo .
o novo lar dos meninos

depois que cada um contou o que tinha e, comum entre si olharam para
o tempo e viram que o sol já estava se escondendo . então trataram de fazer
uma refeição e o ‘ padre ‘ lourenço colocou à sua casa a disposição dos
meninos em caso de necessidade , ou se quisesse poderiam voltar em outra
época para continuar conversando sobre os mais variados assuntos se
assim desejarem . saíram para o acampamento e chegaram já era tarde da
noite . cada um dirigiu- se a um acampamento . os meninos ainda não
estavam deitados e foram informando todo o acontecimento na casa do padre
. era mais uma noite perdida no ano de 1778 . quando voltaremos para a
casa ? era uma indagação de todos . quando veremos os nossos pais ?
continuaram dizendo entre si . e os quatros ex escravos que haviam descido o

174
EM BUSCA DA CAVERNA.
175

rio junto dos meninos , também , perguntavam ou exclamavam :. em africano .


- “ e nós que nem sequer sabemos onde estão os nossos pais , nossos avós .
e onde fica o nosso país ? “ os meninos não poderiam entender a angústia
dos quatro companheiros . assim como eles também não poderiam entender o
que tinha acontecido com os meninos . aqueles quatros ex escravos tinham
vindo do norte da áfrica e sabiam falar muitas línguas inclusive a hebraica :.
naquela noite os meninos tiveram uma idéia . sabiam pela história que castro
alves estava ou estaria atuante naquela a época e pensaram em descer até o
rio de janeiro ou melhor a cidade de são sebastião , e lá juntar aos
movimentos de libertação dos escravos e modificariam os rumos da história .
eles estavam falando a voz da razão . apenas sentiam dentro de si um
ímpeto desenfreado de fazer alguma coisa . então ficou combinado assim :
nos dias seguintes voltariam a falar no assunto durante a noite . lembraram
também de joaquim josé da silva xavier , o tiradentes , que pensou na
libertação dos escravos em vila rica no ano de 1789 durante a inconfidência
mineira . tudo pensaram naquela noite foram dormir quando a constelação de
escorpião já estava 225 graus inclinando para o ocidente mostrando para
os seres vivente que faltava bem pouco para amanhecer o dia . dormiram
e sonharam com um mundo sem escravos . eu disse sonharam , por que se o
sebastião estivesse aqui seria diferente . ele diria assim : - “ a escravidão ou a
liberdade está em lugares nunca dantes procurados muito diferente daquele
que a procuramos “ no dia seguinte lembraram que tinham ainda um outro
mistério para resolver :-- “ o clarão de luz que apareceu na superfície da
[águas do rio . isto era preciso que fosse solucionado cientificamente antes
que passasse ara a história com outra impressão . então resolveram que na
próxima noite eles iriam até a margem do rio e treis ou quatro mergulhariam
até a origem d facho de luz . durante o dia cada um dos seus acampamento
tratariam d prover para a noite , comida lenha para fogueira água para beber
, tudo enfim era preparado com antecedência . todos trabalhavam para o bem
comum .
naquela noite depois que cantaram ao redor da fogueira até o ponto em
que a constelação de escorpião estava no meio do céu . depois que todos
saíram de eus acampamento e se dirigiram de mansinho , sem fazer barulho

175
EM BUSCA DA CAVERNA.
176

para não afastar o facho de luz do rio . treis dele , os mais corajosos , ficaram
de mergulhar no rio em direção a luz . enquanto que os outros ficaram
apenas assistindo . antes porém ficaram observando a luz na superfície do
rio . ela era mais intensa a uma profundidade de mais ou menos es trens
metros . e puderam notar , que de vez em quando a luz diminuía de
intensidade e alguns raios de luz saiam para o lado .aquilo intrigou os
meninos e ficaram mais atento ainda os treis rapazes prepararam para
mergulhar nas águas misteriosas do rio . primeiro mergulhou um , depois foi o
outro e por fim o terceiro . chegaram até junto da fonte de luz , assim que êles
chegaram perto de uma pedra que a verdadeira fonte de luz , centenas de
peixes fosforescente saíram do local de onde estavam , com medo
provavelmente , dos invasores . os treis meninos subiram até à tona pata
tomar o ‘fôlego e expelir o ar impuro e respirar novamente o ar limpo . voltara
imediatamente para o local da fonte de luz , agora já um pouco tênue .
nadaram os treis em direção à pedra e a superfície da mesma estava cheia de
uma espécie de alga fosforescente parecida assim com vagalumes . esta
alga era servida de comida para os outros peixes também fosforecente
retornando os treis mergulhadores trazendo a mão um pouco de alga para
mostrar ao companherios e desfazer o mistério . todos ficaram surpresos por
que uma coisa tão simples deixou todas as pessoas com medo , como se fosse
uma coisa do outro mundo isto é , sobrenatural . os nossos heróis para os
acampamentos , descansaram o resto da noite e dormiram satisfeito . por
terem sozinho , sem ajuda do sebastião , transformando as impressões . no
dia seguinte rufino e os meninos foram até a casa do padre contar - lhe o
acontecimento na noite anterior . foram todos os meninos menos ex escravos
que ficaram tomando conta do acampamento . o padre lourenço ficou
conhecendo todos os 19 meninos e o rex achou interessante levarem consigo
um animal daquela espécie . e , segundo o padre aquele tipo de animal ele só
viu na alemanha .
todos os meninos sentaram em roda no chão e começaram a folhear os
livros em branco que não tinha letras . os outros meninos que ainda não tinham
ido a casa do padre e viram pela primeira os livros em branco e sem letra
notaram também que não tinha titulo na capa do livro . então como o padre

176
EM BUSCA DA CAVERNA.
177

disse era só pensar no que queria ver e tudo aparecia , inclusive o título na
capa do livro . ficaram lendo várias histórias que eles gostariam de saber .
tanto do passado como do futuro , que muitas coisas eles não sabiam embora
todos sendo do futuro . depois de verificar tudo dentro da casa , que para eles
era curiosidade , o elmo pegou na trombeta de prata do padre lourenço e
começou a tocar . . todos vieram para perto dele , dizer que não podia mexer
nos objetos alheios . neste instante o padre lourenço foi chegando e disse que
não tinha nenhum problema ,. pois aquelas coisas não tinham mais nenhum
significado para a sua pessoa , e que tudo podia ser dos meninos . então elmo
perguntou se podia ficar com a trombeta , o padre lourenço disse : “ claro qie
sim”
depois que todos fizeram a refeição da tarde padre lourenço chamou-
os para conversar na biblioteca . então teve a oportunidade de ver todos
os meninos como eram diferente do sec 18 . havia entre os nossos heróis
meninos de cor branca , preta, parda , indio etc era uma verdadeira
miscigenação de raça . pode observar também o comportamento que era
exemplar . depois começou a dizer que se os meninos quisessem podiam
ficar morando ali na sua casa que era tão grande e havia espaço e comida
para todos . assim eles abandonariam os acampamentos onde as intempéries
da natureza é mais árdua e o sofrimento é bem maior . todos concordaram ,
mas tinha um problema . nos acampamentos haviam quatro pessoas que
tomavam conta do acampamento era os ex - escravos que vieram do vilarejo
onde apareceu a santa aparecida . o padre lourenço disse que se eles
quisessem poderiam ficar li na sua casa trabalhando em troca de casa e
comida . e ele , o próprio padre lourenço ia lhes dar uma carta de alforria para
eles , a fim de que pudesse andar livremente sem ser incomodado .
o novo lar dos meninos

já havia quase um mês que os meninos estavam morando na casa do ‘


padre ‘ lourenço ali todos trabalhavam na lavoura , no plantio da cana ,
mandioca , milho e as mais variadas atividades ele faziam durante o dia . a
noite reuniam em torno da mesa á luz de “ cadeia ‘’ que era uma espécie de
lamparina feita de azeite de mamona que iluminava muito bem . naquela
época ainda não se conhecia o querosene . todos á mesa recebiam lições do

177
EM BUSCA DA CAVERNA.
178

padre que ensinava aos meninos outras línguas por exemplo o grego , o tupi
guarani e não podia deixar de ensinar o francês que era a língua
predominante devido a hegemonia da frança devido as peripécias de napoleão .
os quatro ex escravos já tinham carta de alforria e também participavam das
lições de padre lourenço . no ato de , não sei de que , o padre deu carta de
alforria a todos os seus escravos , não sabemos se era arrependimento ou se
era para mostrar aos meninos que ele era diferente dos outros . só sabemos
que todos os seus não eram mais escravos . e sim pessoas livres . todos
tinham bastante interesse em aprender de tudo . desde cozinha , lavar roupa ,
trabalhar na lavoura , dirigir a reza na capela da vila durante à noite ,
conversar com as pessoas mais velhas da fazenda , e com isto eles aprendiam
sobre os costumes do povo do sec xviii .
já estavam na primavera de 1778 . o local era um vilarejo às margens do
rio que vai desde o planalto da piratininga até o oceano atlântico , passando
entre a serra do mar e a serra da mantiqueira . este rio ainda não era como o
rio paraíba do sul . simplesmente o povo dizia “ o rio ‘’ como sendo a coisa
mais importante de suas vidas . a mais de 100 quilômetros de sua extensão ,
recebera como afluente um outro rio que hoje é chamado rio pomba, que é um
rio menor que , a partir dali tornava-se mais volumoso até desaguar no oceano ;
antes porém alargava-se tanto dando a impressão de que mar e rio
abordavam- se numa grande região chamada delta . com todos os escravos
livres e trabalhando na lavoura com mais afinco, as lavouras cresceram muito
mais florida do que antes . a primavera naquela ano chegou com todas as
flores aberta . os nossos heróis que hospedaram a casa do padre lourenço ,
continuavam recebendo todas as lições mas em seus corações só pensavam
em voltar para a casa . quando eles tentavam mudar qualquer atitude das
pessoas da vila sempre eles lembravam que o tempo não era o deles e ,
portanto qualquer modificação seria desastrosa para a história . eles
poderiam , no futuro até não existir . portanto eles só tinham simplesmente de
assistir os acontecimentos históricos . como seria o mundo se napoleão
bonaparte fosse derrotado antes de iniciar as suas campnhas de domínio pela
europa ? era a pergunta que o padre lourenço fazia aos meninos . é preciso
muita calma e paciência diante dos acontecimentos ou teremos um desastre

178
EM BUSCA DA CAVERNA.
179

histórico , afirmava ele :. vocês que pretendem voltar para o seu tempo , não
deve se preocupar com o que acontece hoje . por que tudo isto já aconteceu
, simplesmente vocês voltarão no tempo e estão vendo uma coisa acontecr ,
mas que no fundo já aconteceu há mais de 200 anos :. imaginem vocês
encontrarem aqui neste vilarejo com os seus antepassados e por qualquer razão
contraria a vontade , este antecessor venha a falecer antes de dar
continuidade a descendente , o que acontecerá com vocês ? simplesmente hoje
vocês poderão deixar de existir. repito ! portanto deixem tudo como está .
apenas aproveitem para brincar e aprender. tudo o que estiver em meu
alcance tudo eu farei para ajudar voce inclusive , até se preciso for , fazer
com que vocês voltem para o tempo de vocês . verdadeiro que lhes pertence.
A procura do pergaminho

. quando o padre lourenço acabara de falar com os meninos chegou alguém correndo na
porta e pedindo por socorro . quando os meninos foram tentar ver quem era , o padre
advertiu que eles não deviam ser visto ali por medida de segurança. o próprio lourenço
foi até à porta da casa ver do que se tratava . e viu um escravo chorando e saindo sangue
nas suas pernas . dizia o escravo :. o capataz da fazenda cortou com facão a minha perna
:’’ socorro sr padre , tenha piedade de mim” . ao ouvir a palavra piedade o padre
lourenço tratou imediatamente de ajudar ao pobre infeliz e mandou que ele entrasse.
depois pode observar que os cortes referidos era apenas superficial . foi feito lavagem
com água e colocada cinza quente para cicatrizar mais rápido . mas a vítima estava
totalmente desorientada e gritava desesperadamente , não por causa da dor , mas por
causa do medo dos capatazes da fazenda . se eu voltar ele vai me matar , dizia o infeliz .
quase todos os meninos assistiram aquele espetáculo e pensaram em fazer alguma coisa
pelos escravos , afinal estava na época de mudança . algumas idéias de libertar os
escravos já estavam surgindo e em breve iria acontecer em vila rica proclamado por
tiradentes . e que tal eles dessem um adiantamento na história ?? mas lembraram da
advertência do lourenço :- “ o que for acontecer já está pronto “ depois de cuidar das
feridas do escravo . o lourenço mandou que ele ficasse na cozinha para comer e disse :_
“ voce vai ficar escondido aqui tempo que quiser “ nesta casa os capatazes não podem
entrar . e passados alguns momentos surgiu pelas ruas do vilarejo , homens a cavalo
procurando o fugitivo perguntaram ao padre se êle não tinha visto passar por um homem
preto sangrando pelas ruas . o padre lourenço , que sabia do acontecido permaneceu

179
EM BUSCA DA CAVERNA.
180

calmo e apenas fez um aceno com a cabeça no sentido negativo . os homens saíram
para outros lados à procura do escravo . e quando o padre lourenço voltou até a
cozinha , encontrou alguns dos meninos conversando com o homem , vítima dos algozes
da fazenda . era um homem de estatura mediana mais ou menos 32 anos de idade ,
musculatura forte , como roupa tinha apenas uma calça que só ia da cintura até o meio
das pernas , camisa era um trapo enrolado abaixo do pescoço onde ele escondia um
pergaminho feito de couro de boi onde estava escrito em lingua hebraica . os meninos
conversaram com este homem em língua africana , que eles já sabiam bem :. e o homem
dizia já com um sorriso no lábios , que ele tinha que fazer todo aquele drama para que
as pessoas não descobrissem as suas origens. o padre lourenço foi chegando e também
ficou participando da conversa dos meninos e pode ver que os meninos já falavam
perfeitamente a língua doa africanos . eles ficaram sabendo que aquele homem tinha vindo
de uma tribo no norte da áfrica , quase divisa com o egito , e que era um povo ainda
desconhecido que usava em seus rituais caracteres hebraico . o padre lourenço falou para
os meninos que aquele homem , com o pergaminho no pescoço ,era um achado bastante
interessante e que , se o homem permitisse ele faria a tradução do que estava escrito no
pergaminho . foi ai que os meninos lembraram de perguntar pelo seu nome . ao que ele
disse : - “ meu nome está escrito no ultimo dos caracteres hebraicos do pergaminho ;
mas enquanto não descobrirem pode chamar- me de piapu. este é o nome de um amigo
meu , índio, aqui destas terras que falavam a mesma língua que eu falo e tem também
guardado consigo um outro pergaminho que é a continuação deste aqui . “ e piapu tirou
do pescoço o pergaminho de couro de búfalo e entregou-o para o padre lourenço
agradecendo a hospitalidade .

como aquela história do fugitivo , e do pergaminho , era muito complicada , o padre


lourenço disse que ia estudar o caso dos caracteres hebraicos e se piapu qiesesse podia
ficar hospedado na casa dele o tempo que quisesse , pois ali ele tinha certeza , não seria
incomodado por ninguém :. e que ele só precisava trabalhar em troca de casa e comida ,
mas não era obrigado . em outras palavras :- “ dentro daquela casa não havia escravos
nem senhor “ todos estavam no mesmo nível .

uma civilização desconhecida.

durante muitas noites o “ padre lourenço “ dedicou-se ao estudo do


pergaminho e começou a traduzi-lo mas para completar o trabalho precisava

180
EM BUSCA DA CAVERNA.
181

do outro pergaminho como tal de piapu. mas como fazer para encontrar este
indio ? se toda esta região assim como a região da cidade de são sebastião
está povoada de índios . e como podia descobrir este que trazia consigo
aquele resto de documento . será que devo pedir ajuda aos meninos ??/ não
sei, não sei . eles são de outro tempo e num ímpeto de ‘ heroismo ‘ se sairem
por ai à procura de piapu , poderão praticar algum ato que pode destruir a
história . por que na verdade já esta tudo pronto , e qualquer indecisão pode
ser fatal assim ia pensando o padre lourenço quando um dos meninos
chamou-o para falar lhe . sr padre lourenço precisamos conversar a respeito
daquele escravo que chegou aqui hoje na fazenda : “ veja nós somos em
número de 19 pessoas . já estamos fora de casa há quase um ano , além de
toda a história de fora de tempo que sr já sabe , nós queriamos ser util em
alguma coisa “ “ queremos procurar por toda esta imensidão de floresta e
campo , o outro indio que está com o restante do pergaminho que o
senhor acha dessa idéia ? “ o padre lourenço disse - lhes que já tinha até
pensado em pedir ajuda mas ficou um pouco preocupado com a segurança .
mas já que a decisão partiu de vocês , tornasse diferente , podemos fazer um
plano de ação para procurar o índio piapu .
depois de conversar com o escravo e o mesmo dizer todas as
caracteristicas do indio piapu e de onde encontrá l.o mas aconteceu que o
escravo não se lembrava muito bem do local . e como indio é uma pessoa que
sempre muda de local , tornavas se difícil encontrá-lo . por outro lado o escravo
já havia sido vendido por duas vezes desde quando chegou da áfrica . a única
coisa que ele lembrava é de que desembarcou em um porto de um rio , dentro
de uma lagoa de água salgado muito grande . as águas da ‘ lagoa ‘
balançavam muito . depois ficou guardado numa casa até serem vendidos em
um mercado de escravos . logo depois ele foi comprado por um fazendeiro
que os levou para uma fazenda que demorou 30 dias para chegar até o local ,
caminharam sempre no plano e arrodiando a lagoa muito grande de água
salgada ; um pouco inclinado à direita no sentido de onde o sol de esconde ;
depois de andar muitos dias ao longo da lagoa de água salgada , estrando
numa floresta cheia de perigos . animais ferozes e reptis de todos as espécies
por esta floresta andamos cerca de dez dias no plano onde fomos levado

181
EM BUSCA DA CAVERNA.
182

para uma senzala e marcados com ferro quente . pois aquele dono de fazenda
havia nos comprado . ai nesta fazenda que eu descrevi para vocês é que eu
encontrei u piapu , o índio, que tinha no pescoço outro pergaminho que é a
continuação deste . este índio de que eu falo morava em uma aldeia muito
grande a umas léguas da fazenda e ele estava indicado para ser chefe da tribo
, portanto se nós chegarmos até ele podemos pedir-lhes o pergaminho . porém
, só tem um detalhe : ele só entregará o pergaminho , a que vier com este e
ajustá-lo ao outro de tal maneira que os ultimos caracteres de um coincidam
com os primeiros caracteres dos outros. portanto é preciso chegar os dois juntos
e ajustá-lo uma ao outro . procedendo desta maneira verificar- se -a que os
portadores são pessoas qualificada para recebê-lo. o escravo foi fazendo a
descrição enquanto os meninos ia deduzindo que local poderia ser . o porto ,
dentro de um rio de água salgada deveria ser a baia de guanabara com suas
ondas balançado . quando ele disse que arrodiou uma lagoa imensa de água
salgada , e andaram inclinado à direita de onde o sol se põe , era caminhando
ao redor da baia de guanabara no sentido norte :. e quando ele disse que
entrou dentro de uma floresta escura e andou dez dias pelo meio do mato ,
veja as observações de piapu , ele não fez referência de subir montanha .
então quer dizer que eles seguiram no sentido norte caminhando entre o mar
e a serra do mar , por que logo após passar pelos fundos da baia de guanabara
, o mar ficou a direita e a floresta em frente , e a montanha à esquerda .
provavelmente eles ficaram em uma fazenda no local entre macaé , cidade
histórica , e a cidade de são gonçalo, estas deduções dos meninos eram muito
importante porque eles precisavam saber para onde deveriam andar ou
ficariam perdido no meio do mato . então disse rufino “ : - “ imaginemos nos ,
perdido no meio do mato ? , portanto , disse ele: é preciso muita cautela para
que não nos percamos por este mundo agreste que só agora esta começando a
nascer “ também ponderaram os meninos : - “ não podemos ir todos nós os 19
. alguns terão que ficar aqui neste vilarejo , ou melhor , aqui junto do ‘ padre
lourenço ‘ . tembém não podemos ir em grupos grandes . no máximo tem de ser
até quatro pessoas . podemos dividir em grupos saindo daqui do vilarejo a
cada 5 dias . tudo isto para a nossa segurança . e evitar ser preso pelos
mercadores de escravos . seguiremos o camonho indicado por piapu até

182
EM BUSCA DA CAVERNA.
183

chegar a baixada . não montaremos acampamento , só acenderemos fogueira


quando tivermos perto da tribo indígena para anunciar a nossa presença. mas
etevaldo ponderou dizendo que deviamos sair em apenas dois grupos de cinco
pessoas a cada 10 dias e em caso de perigo colocar sinais de pista para o
grupo seguinte . o restante dos meninos deverão ficar aqui na casa do padre
Lourenço até voltarmos. calculamos mais ou menos uns seis meses de viagem
de ida e volta . e se tivermos sorte traremos o outro pergaminho que servirá
para reconstruir a história de um povo ainda desconhecido.
depois de tudo combinado foram comunicar ao padre lourenço a decisão
de descer a serra do mar e dirigir à baixada e tentar encontrar o indio piapu e
tentar reaver com ele o outro pergaminho de couro de búfalo . marcaram a saida
para dai a treis dias , tendo antes o trabalho de preparar as coisas para a
viagem . como já estavam na primavera de 1778, o retorno do dois grupos
devia ser quase no fim do verão de 1779. assim não sofreriam muito os
intempéries da natureza. pois com o calor era mais fácil andas pelos matos do
que com o frio :. só tinha um problema era os mosquitos que deveriam assolar
a região da baixada fluminense .
então no dia 2 de outubro de 1778 partiu para a baixada fluminense o
primeiro grupo com a liderança do rufino . eram cinco meninos ao todo . os outro
ficariam na casa do “ padre lourenço “ e deveriam sair no dia 7 de outubro
do mesmo ano . com a liderança do etevaldo . os outros nove meninos e o rex
ficaram com o padre lourenço trabalhando na lavoura. partiram dai a cinco dias
, etevaldo e o seu grupo . a medida que o grupo do rufino parava para dormir a
noite . deixavam mensagem para o grupo do etevaldo que deveria chegar em
cinco dias . eles avisaram dos perigos que passaram e o que poderiam
encontrar à frente. e assim aconteceu no trigésimo quinto dia de andança
pelas estradas encontraram uma aldeia de indio pacifico. perguntaram pelo
indio de nome piapu . mas ninguem conhecia este nome . o grupo do rufino
continuou caminhando em direção ao leste até encontrar a “ grande “ lagoa de
água salgada , eles sabiam que ali era a baia de guanabara . pela descrição do
escravo deveriam seguir a esquerda em direção ao norte. o segundo grupo
liderado pelo etevaldo também chegou a avistar a baia de guanabara e, em
vez de seguir à esquerda , entraram a direita e foi na direção sul .

183
EM BUSCA DA CAVERNA.
184

a medida que o tempo passaava eles foram se distanciando um grupo do


outro . o grupo do etevaldo logo no segundo dia , após ter avistado a ‘ grande
lagoa ‘ notou que alguma coisa estava errado . porque o escravo fez
referência de arrodiar a lagoa , e , no entanto eles estavam , caminhando para
a nascente da lagoa . os nativos tinham a idéia de que , a entrada da baia de
guanabara ao lado de uma pedra imensa de 345 metro de altura , chamado
mais tarde de pão de açucar , onde a água do mar entrava com mais com mais
força, era a nascente da da “ lagoa de água salgada” . eles notaram que , à
medida que desciam apareciam grandes fazendas de engenho de cana .
mesmo sabendo que estavam na direção errada continuaram descendo em
direção ao mas . quem sabe ? diziam eles , podemos encontrar bastante
interessante lá embaixo :. então depois de andar mais dois dias avistaram
umas montanhas à direita uma mais alta do que as outras . um dos membros do
grupo identificou como sendo o pico do papagaio, o morro do corcovado .
descobriram então que estavam chegando a cidade de são sebastião do rio
de janeiro . as cabeças da montanha estavam tão altas que pareciam que
estavam subindo para as nuvens . mais em baixo á direita viram duas pedras ,
sendo uma bem comprida e encostando no mar . e outra mais baixa e larga
na parte de cima , também . os nossos heróis como sendo o morro do urca e o
pão de açucar .
estavam muito perto de fazendas . haviam muitos canaviais , bananeiras,
mamão, mandioca e muitas outras culturas . como já estavam no verão a
incidência dessas culturas era abundante . os meninos resolveram acampar e
ficar uns dias observando e fazendo o reconhecimento do terreno. eram cinco
meninos , quase todos de cor branca e idade entre 14 e quinze anos . todos
sabiam falar linguas além do português , falavam o africano e o francês e
dois falavam o alemão , tudo isto aprendido com o padre lourenço . assim
então seria manter contato . ficar acampado seria a melhor opção , por que já
era época de calor e havia muitas correntes de água “ limpinha ‘ por quase
toda encosta de morro , já estavam acampados por mais de 10 dias. como
alimentação comiam frutas , peixes, camarão siri e mel de abelha que tambem
tinha bastante na região . certo dia , após o reconhecimento da região os
meninos encontraram uns escravos trabalhando na lavoura de cana . os

184
EM BUSCA DA CAVERNA.
185

meninos usaram a seguinte ´tatica para chegar perto dos escravos sem serem
visto. começaram a cantar em lingua africana orações aprendidas com os
escravos da margem do ria de onde eles estavam . cantavam bem alto para
chamar à atenção . e assim alguns dos escravos correram e comemtaram com
os outros . aqueles que ouviram primeiro não entendiam muito bem a língua
africana , por serem mais jovens , mas eles avisaram pera outros que
imediatamente identificaram como sendo canções legítimas de suas terras
natais . os meninos cantavam no acampamento com a fogueira acesa ,
justamente para atrair os escravos . na primeira noite não apareceu ninguem
por perto ; mas eles tinham certeza que os nativos africanos estavam ouvindo
as suas canções . no dia seguinte chegaram dois escravos mais velhos perto
dos meninos falando sua lingua nativa que os meninos conheciam , ficaram
sentados conversando e advertiram aos meninos que os capatazes da
fazenda eram muito perigosos e malvados , seriam bom que eles ficassem bem
alerta em relação a esses vigias de escravo , mas que eles poderiam ficar
despreocupados que qualquer sinal de perigo , seriam avisados imediatamente
. naquela noite de verão , lua clara , a beleza exuberante de uma região
tropical , trazia para os meninos a esperança de uma coisa boa para eles .
passaram muitos dias acampados ao longo da lavoura onde tinha os escravos como
amigos . tudo isto graças ao poder da linguagem e da comunicação entre eles . então os
meninos tiveram um plano de pedir ajuda aos escravos . eles ajudariam ensinando ao
meninos o caminho que levava até cidade . e chegando lá eles procurariam os padres
jesuitas e pediam orientação e ajuda para encontrarem o indio piapu, cujo em poder do
mesmo estava o restante do pergaminho que contava a história de povo desconhecido .
etc .

os escravos planejaram que eles os meninos deveriam disfarçar de


escravos para poderem ter acesso à fazenda e lá , planejar melhor a ida até a
cidade . mas o etevaldo não concordou com este plano pois seria muito
arriscado . os capatazes poderiam fazer muitas maldade com eles e até
poderiam matá-los . portanto devia ser outro plano , afinal nós não queremos ir
até à fazenda o que queremos mesmo é conhecer melhor a cidade . façamos
outro plano . de preferência que ninguem saiba que a gente está aqui nesta
região :. agradecemos a vocês qualquer ajuda que queiram nos dar . se vocês

185
EM BUSCA DA CAVERNA.
186

puderem avisem para nós o melhor horário pra sairmos daqui . e os escravos
falaram que o melhor horario seria a noite pois os capatazes ficam a noite em
torno da senzala vigiando para a gente não fugir.
os meninos então combinaram com os escravos para na noite seguinte
que ainda era lua clara , que eles ficassem cantando bem alto até as desoras .
assim os capatazes ficariam mais comprometidos com a segurança dos
escravos e os meninos poderiam passar pelos arredores da fazenda sem
serrem molestados . assim fizeram : na noite combinada , após os escravos
se recolherem na fazenda começaram uma cantoria sem fim . e todas elas em
lingua africana e mandando uma mensagem para os meninos que deveriam
estar por perto .
chegaram dentro da cidade no segundo dia após passar pela fazenda .
era uma cidade diferente do que temos hoje . eram poucas ruas , tinha muitas
igrejas .
conheceram a igreja dos jesuitas que era no alto de uma pedra. andaram pela
cidade vagando de um lado para o outro a procura dos padres jesuitas .
chegaram até a porta do mosteiro dos jesuitas e pediram ajuda em nome de
deus eles tinham que usar o linguajar da época . foram recebidos por um
padre que ouviu toda história dos meninos que estavam perdidos naquela ‘
cidade imensa ‘ . não fizeram referência do outro grupo que tinha ido em
direção ao norte arrodiando a baia . não ! acharam melhor não falar . os jesuita
acharam estranhos que meninos daquela idade estariam andando pelos matos
e pelos campos sem nenhum adulto ao lado deles . então mandou que eles
tomassem banho , colocaram roupa nova e limpa e ficaram conversando até
tarde da noite . os padres gostaram tanto da história dos meninos que os
convidaram para ficar no mosteiro o tempo que quisesem . os meninos
contaram para os padres que assistiram a retirada do fundo do rio de uma
imagem de nossa senhora de cor preta em um vilarejo perto do planalto de
piratininga . e contaram também que o seu amigo , o sebastião , ficou lá no
vilarejo ajudando a construir a igreja para a imagem . falaram também dos
milagres acontecido na época . quando os meninos começaram a falar que
eles e seus outros colegas que caminharam para o norte , tinham encontrado
com os bandeirantes no ano passado , os padres e o padre superior ,

186
EM BUSCA DA CAVERNA.
187

lembraram da lenda sobre os meninos aparecidos misteriosamente no alto da


serra da mantiqueira e , falaram também que eles eram os enviados do virgem
maria .
A montanha oca

os meninos estavam gozando de muitos privilégios no mosteiro para


conhecer melhor a cidade do rio de janeiro de 1778 . observaram que no
mosteiro tinha muitos jovens que estudavam para padre . a maioria deles tinha
vindo de portugal , outros eram filhos de senhores feudais da cidade . eles
eram convidados a passear de carruagem dos jesuitas pela cidade ,
conheceram a igreja da glória que já estava rota e assistiram a construção do
aqueoduto que trazia água do morro do corcovado , hoje conhecido co arco da
lapa . os meninos não tinham falado com os jesuitas a respeito do verdadeiro
objetivo da sua viagem que era apoderar de um outro pergaminho de couro
de búfalo que estava com um indio de nome puapi , nos mosteiros dos
jesuitas também tinham muitos indios que eles ‘ catequizavam ‘ . então os
meninos mantiveram contato com os indios falando emportuguês misturado
com o tupi - guarani . e perguntaram pelo indio . mas ninguem ali os
reconheciam os indios que eram abrigados pelos jesuitas não usavam
nenhum tipo de roupa , simplesmente usavam uma sunga para proteger os
orgãos sexuais . quando queriam fazer as suas necessidades fisiológicas ,
simplesmente abaixavam no chão e faziam em qualquer lugar sem cerimônia,
por isto eles não podiam estar dentro de casa , só ficavam no quintal ou nos
jardins. os nossos cinco heróis já estavam há um mês na cidade de são
sebastião do rio de janeiro e todos eles , vestido de roupa de frade , andavam
pela cidade misturando -se ao povo após a missa . conheciam as idéias de
libertação dos escravos . até alguns planejavam libertá-los . mas como fazer
depois ? e a história ? as ruas eram estreitas e colocadas de pedras de
mármore . havia uns armazens que vendiam de tudo . desde sal , vela , pano ,
livros e até escravos . mas o grande mercado de escravos ficavam na praça
, perto do porto de navios . eles tiveram até oportunidade de assistir a
chegada de um navio negreiro , como era chamado naquela época cheio de
pessoas escravizadas na áfrica . depois assistiram a venda de escravos no
mercado . eram cenas horripilantes , mulheres negras com as tetas nuas era

187
EM BUSCA DA CAVERNA.
188

exibidas em público ;. os seus filhos eram arrancado e vendidos como se vende


hoje , frango na feira . piadas de malícia faziam com os homens que
compravam uma escrava . e outras piadas maldosas eram feitas quando uma
mulher compravam um escravo. aquele quadro deixou os meninos um pouco
atormentados e quando voltaram para o mosteiro estavam bastante revoltados
com a situação que foram conversar com o padre a respeito daquele ato que
eles acabavam de presenciar na praça do mercado de escravos . os padres
jesuitas achavam estranho o comportamento daqueles meninos que por serem
brancos , já deviam estar acostumados a ver todas essas coisas : escravos
sendo maltratados , filhos sendo separados das mães em idade pequena ,
argola de ferro no pescoço , enfim , todos aqueles apetrechos que se usavam
para evitar a fuga da mão de obra escrava , tudo isto incomodava os padres
jesuitas , mas eles diziam que cristo veio para libertar os encarcerados , eles
tomavam as palavras no sentido literal . portanto , eles os padres , eram contra
aquela opressão .além do mais , eles não sabiam e nem tinham como lutar
contra um sistema que foi imposto há milhares de anos : nós não queriamos
que fosse assim , mas o que nós podemos fazer ? diziam os padres . os
meninos que eram de outra época , vejam vocês , meninos eram rapazes entre
16 e 18 anos , com mentalidade de adulto por ter aprendido com o sebastião
durante muito tempo . até memos para os nossos heróis , era um quadro
terrificante aquele dos escravos . sentiram dentro de si o mesmo que castro
alves quando escreveu o navio negreiro e agora , pensavam eles , que a
inglaterra já perdeu o controle sobre as terras dos estados unidos com a
independência em 4/7/ 1776 ; a exploração deste país vai se intensificar
como nos dissera sebastião em outras épocas , quando nos falou do roubo do
ouro de toda a região de minas gerais . ah ! , se nós pudéssemos mudar a
história ? mas também mudar para que ? assim ficavam pensando os meninos
. não podemos esquecer :- tudo já esta pronto , só falta acontecer “ . já havia
tres meses que os meninos estavam no mosteiro dos jesuitas . todos vestido de
roupas de frade porque as suas roupas estavam rasgadas . a cidade de são
sebastião do trio de janeiro já estava até acostumada com aqueles jovens
vestidos de frade pelas ruas . quando então os meninos lembraram do
verdadeiro objetivo da viagem deles àquela região . que era recuperar a outra

188
EM BUSCA DA CAVERNA.
189

metade do pergaminho e lembraram :- “ e rufino com ou outros quatro que


foram para o norte procurar a tribo de indio ? ficaram totalmente deseperados
pelo esquecimento e resolveram falar com os padres jesuitas que dois dele
tinham, que partir imediatamente . partitam o nedison e o carlos , vestidos
de frade . foram a cavalo . assim seria mais rápido o encontro com os outros
meninos . deviam levar a seguinte mensagem “ nós nos perdemos e fomos
até o sul até a cidade do rio de janeiro ficamos no mosteiro , etc etc “ no
mosteiro ficaram o etevaldo mais dois meninos .
veja vocês a ironia do destino , sairam em número de 19 ( +um ,+ um
cão ) . agora o grupo ficou desmembrado . a começar por sebastião que era o
+1 que que ficou no vilarejo contruindo a igreja a margem do rio . nove
meninos ficaram na casa do padre louurenço ( + um cão ) ., também à margem
do rio mais abaixo . cinco deles foram para o norte , além da “ grande lagoa
salgada “ procurar uma tribo de indio ; treis deles ficaram no mosteiro dos
jesuitas e dois partiram a cavalo para encontrar o outro grupo de cinco .
enquanto isto acontecia jáa tinha passado quatro meses de aventura
pelas florestas na baixada fluminense com rufino e seu grupo . depois de
andar por mais de dez dias pelos pantanos e picada por dentro da floresta ,
chegaram a um descampado muito grande . era região que tinha apenas um
riacho foi montado acampamento . depois de reconhecimento da região , viram
ao longe sinais de fumaça subindo ao céu . ficaram atento e também acenderam
uma fogeuira com bastante capim verde para fazer fumaça e mostrar a nossa
presença . era interessante como eles se comunicavam pela fumaça. acender
uma fogueira com bastante fumaça demonstrava que a pessoa era amiga e
não queria chegar de surpresa como o inimigo. naquela noite fizeram treis
fogueira grandes e ficaram cantando cantos indígenas que aprenderam com o
sebastião cantaram e dançaram até altas horas da noite. além de canções
indígenas , cantavam também canções africanas , que eles sabiam muito bem .
inventaram até uma cantigas em língua tupi - guarani com o nome de piapu no
final
rerecó cerá ce mirin
inceis incendi - mucáua

rerecó ce inhi gatu

189
EM BUSCA DA CAVERNA.
190

incein inceindi piapu


esta canção era repetida varias vezes no calor da noite ao redor da
fogueira, misturada a outras canções africanas e cantada em altos brados
para que fosse ouvisto de longe . no dia seguinte acordaram antes do sol
sair . e ele saia bem cedo por que era verão . olharam para o local que
avistaram a fumaça do fogo do dia anterior e notaram a sua presença mais
forte , mais intensa . era verdadeiras nuvens de fumaça que subia ao céu , mas
assim intervalados um pedaço de fumaça do outro lado . um dos meninos
notou que aquilo era uma mensagem de boas vindas . avisou para os
comanheiros e decidiram caminhar até o local da fumaça que saia por detraz
de uma floresta . foram chegando devagarinho até o local e contando a canção
d piapu . só que eles não notaram que os indios estavam indo atraz deles de
maneira bem sorrateiramente . os selvicola andavam vagarosamente
escondendo-se atraz das moitas de capim ou arbusto . quando os meninos
parara e olharam para traz , não via pessa alguma , apesar de terem a
impressão de que estavam sendo seguidos . depois que entraram no meio da
floresta , não avistaram mais a fumaça e a impressão de que centenas de
olhos olhando a seus passos . depois de andarem mais de uma hora dentro da
floresta , sairam em um descampado onde avistariam várias cabanas de capim
em círculo e no meio uma fogueira acesa , apesr de ser de dia foram avistando
também algumas pessoas , vestido de capim e pintada com tinta de ourucum .
todos eles tinham aparência passiva e docil alguns pareciam até que eram
desprovido de memória , pela atitude que ficavam olhando para os nossos
heróis assim que os meninos entraram dentro do ‘ circulo de cabana ‘ . vários
indios , aproximaram deles e perguntaram o que eles queriam . como estavam
numa llíngua que os meninos não entendiam também não deu certo . tentaram
falar em africano como todos os meninos já sabiam falar a língua dos escravos
. não foi díficil para ele mais uma vez ser poliglota . então , o rufino disse :- “
nós viemos pelos pântanos e , muitos antes descemos a serra onde nós
moravamos. estamos à procura de um amigo que tem algo de comum
conosco “ quando os indios ouviram falar aquela língua africana do norte ,
notaram que tinham semelhança com o hebráico , viram tratar-se de alguém
conhecido de alguém deles . como aqueles indios não entendiam reagente tudo

190
EM BUSCA DA CAVERNA.
191

que os meninos falavam foram até a cabana maior e trouxe de junto deles um
indio mais velho que parecia ser o chefe da tribo . quando os meninos viram
aquele indio de mais ou menos 45 anos . bastante queimado pelo sol , notaram
que o mesmo trazia no peito um pergaminho semelhante ao que estava
escondido em seu bolso . então em vez de ir já iniciando o diálogo , os
meninos ficaram olhando para o pergaminho preso ao pescoço do índio e , em
vez de falar , o rufino tirou o pergaminho do bolso e levantou à altura dos
braços para que fosse visto pelo indio . assim que ele avistou o pergaminho ,
veio em direção aos meninos , pegou o seu pergaminho , veio m direção aos
meninos , pegou o seu pergaminho , juntou ao que estava com o rufino e
verificou - se que as partes encaixavam perfeitamente como se fosse um “
quebra cabeça “ . aquele pergaminho era de couro duro e tinha reentrâncias ,
saliências que encaixadas perfeitamente um dentro do outro , e dava aos seus
portadores verdadeira autenticidade das suas amizade . assim que o indio
chefe colocou os pergaminhos juntos formando uma unidade perfeita ele
mostrou para todo o povo da aldeia dele o que os meninos tinham trazido e
todos todos festejaram alegremente e o puapi começou a dizer : “ há muitos
anos que procuramos esta parte do pergaminho feito de couro de búfalo . ele
desapareceu do nosso povo quando houve uma grande tragédia . agora com
as duas partes juntas podemos estudar e voltar para a nossa cidade quando
quisermos” enquanto o puapi falava os cinco meninos olhavam o
comportamento dos indios diante da fala do chefe da tribo. notaram que eles
não pareciam indios verdadeiros . pareciam uma mistura de indio com africanos
. acharam estranho que ao redor das cabanas de capim não tinha nenhum
indício de uso das pessoas . os caminhos até a fonte de água não existia .
‘plantações também não foram vistas , a única coisa presente no centro das
cabanas , era a fogueira que ardia um fogo forte o tempo todo .
depois que puapi acabou de falar , os meninos foram convidados a
participar de uma grande festa em homenagem a eles . os meninos acharam
esquisito quando falaram em festa se eles aparentemente não tinham nada .
mas quando eles entraram dentro da cabana coberta de capim , tudo se
transformou lá dentro . era um palácio muito grande com muita gente , comida
de toda quantidade , frutas , verduras crianças vestidas tipicamente de acordo

191
EM BUSCA DA CAVERNA.
192

com as tradições daquele povo . os meninos foram convidados a ficar ali . mas
eles não podiam ficar , por que eles tinham uma missão a cumprir . em primeiro
lugar eles vieram para procurar a outra parte do pergaminho. em segundo
lugar os seus colegas que estavam liderados por etevaldo não tinham
chegado , já que eles sairam dez dias depois deles . eles não sabiam o que
tinha acontecido . em terceiro lugar os outro nove colegas tinham ficado na
casa do padre lourenço lá no planalto à margem do rio enquanto eles tinham
deixado o sebstião na outra vila construindo a igreja para a santa que
apareceu . e em quinto lugar eles estavam fora de seu tempo . qualquer parte
do mundo , naquele instante , não pertencia a eles . portanto eles não podiam
aceitar o convite do puapi . porém combinaram que ficariam ali mais uns dias e
depois sairiam no encontro com os seus colegas que os precederam .
puapi levou os pergaminhos para os sábios do palácio decifrarem depois
de muito dias de estudo chegaram a uma conclusão de que era a coisa mais
fácil chegar a origem do seu povo . ali ao lado das cabanas , no meio da
floresta , existia um portal feito de pedras :. eram duas pedras de mais ou
menos cinco metro de altura um metro de largura , fincadas no chão . em cima
das duas pedras tinha uma outra pedra formando em portal , estas duas
pedras muitas vezes estavam até cheias de musgo e coberta de parasitas
( epifitas ) . e nenhum dos membros da tribo dava a mínima importância para
aquelas pedras no meio do mato . no entanto , após ter passado 10 dias de
estudo dos pergaminhos os sábios do . palácio chegaram a uma conclusão :
aquele pergaminho contava a história de uma civilização precedente daquela
tribo de indios que há muitos anos , milhares de anos talvez quando a mesma
teve seu periodo áureo no norte da áfrica . e o pergaminho contava também as
invasões dos povos que construiram as civilizações as margens do nilo . e
além de muitas informações históricas , indicavam como retornar àquela
civilização como se fosse os tempos atuais : devia toda a tribo passar por entre
aquelas duas pedras em forma de portal , que eles retornariam à sua
verdadeira origem . e estes segredos desvendados pelos sábios foram
comunicados aos meninos . afinal de contas eles trouxeram parte do
pergaminho e mereciam toda a confiança . então os meninos , isto é o rufino
que era o líder e mais quatro deles foram falar com os sábio para que

192
EM BUSCA DA CAVERNA.
193

aguardasse a chegada dos outro cinco companehiros que ficaram de sair


bem depois que eles partissem . só assim então eles deveriam passar no portal
da cidade . por que foi dito para os meninos que nos pergaminho também,
falava -se de poder viajar através do tempo , estas informações exaltaram os
meninos , pois eles queriam mesmo era voltar para a casa . ficou combinado
entre os cinco meninos que dois deles deveriam partir em direção ao caminho
de volta para encontrar com o grupo de etevaldo que viria atraz e , até aquele
momento já mais de quatro meses ainda não havia chegado . para eles o mais
importante além de ir para a casa era estar todos reunidos . os vintes mais o
rex.
dois deles partiram à procura do grupo do etevaldo. agora vejam
vocês,amigo leitor, a ironia do destino :- o grupo se fragmentou mais ainda :
agora com a saida dos dois . enquanto os dois meninos andavam a pé em
direção ao sul , os outros dois que estavam no mosteiro dos jesuitas já
tinham viajado treis dias a cavalos em direção ao norte . eles tinham a intenção
de ficar esperando no local onde eles deveriam seguir à esquerda quando
desceram a serra . ficariam acampado ali no local pré combinado até o grupo
do rufino aparecer . pois não não daria mais tempo de seguir em direção ao
fim da lagoa salgada.
enquanto que os outros dois que desciam , ao chegar no local do
provavel desencontro , procuraram ainda indicios ou mensagem deixada pelo
grupo de outrora _ os meninos que viajavam a cavalo em direção ao norte ,
chegaram mais rápido ao local . deixaram os animais soltos no capim e
armaram acampamento . e aguardaram algum acontecimento . enquanto que o
grupo do rufino que descia , não foi muito difícil a caminhada por que vieram
acompanhado de um guia da tribo que conhecia um caminho mais curto
assim sendo com apenas 10 dias conseguiram chegar ao local do provavel
desencontro . ao reencontrarem os quatro contaram as suas aventuras de
acordo com o que tinha acontecido . falaram também do encontro com a tribo
de indio que tinha outro pergaminho e a história surgida após o deciframento
do mesmo .
O reencontro dos meninos

193
EM BUSCA DA CAVERNA.
194

os meninos que se encontraram à margem da “ grande lagoa salgada “


precisavam fazer duas coisas que era avisar os treis que estavam no mosteiro
dos jesuitas para que viessem para a tribo . e depois retornarem todos a tribo
. ficou combinado que os dois que vieram do mosteiro deviam retornar e trazer
os outros treis que lá estavam ao chegarem o mosteiro contaram para os outro
treis acontecido e a necessidade deles voltarem o mais rápido possivel. os
meninos falaram com os jesuitas a necessidade de partir para o norte da ‘
grande lagoa salgada ‘ , onde eles tinham um encontro com os cinco meninos ,
colegas seus .
partiram novamente definitivamente da cidade de são sebastião do ri de
janeiro desta vez não vieram a cavalo pois sairia muito caro , cinco animais
arriados e , também eles não iam mais voltar ao mosteiro vieram a pé mesmo .
na primeira noite que acamparam os treis meninos meninos que tinham ficado
no mosteiro enquanto os outros treis vieram procurar os colegas
supostamente perdidos contaram uma história dantesca .
a montanha ôca

“ nós já estavamos cansados de ficar no mosteiro sem fazer nada ,


aquela monotonia do ambiente nos deixava deveras atrofiados “ . “ do alto do
mosteiro todo dia nós ficávamos apreciando a paisagem das montanhas ao
nosso redor “ . “ víamos uma carreira de montanha e , na ponta uma parte
mias alta , e , logo em frente duas montanhas encostadinha no mar . uma
mais baixa mais larga em cima e outra muito comprida e dava as costas para
o mar . onde os escravos lá do planalto chamavam de nascente da “ lagoa
salgada “ bem resolvemos um dia burlar a vigilância do mosteiro e começamos
a andar a beira mar . por precaução fomos vestidos de frades para não sermos
molestados pelos capatazes de fazenda que existe por aqui . andamos junto
às duas pedras altas . o barulho do mar era tão grande que nós ficavamos
horas e horas apreciando o movimento das ondas . no primeiro dia nós
esquecemos e quando resolvemos voltar já era tardinha , não dava temo de
voltar para o mosteiro . então fomos a procura de uma gruta para passar a noite
, comida não era problema porque naquela época havia muitos frutos silvestres
por exemplo mamão . tamarindo e caju . fome a gente não ia passar e nas
encostas das pedras tinha nascente d’agua para a gente beber . como nós já

194
EM BUSCA DA CAVERNA.
195

tinhamos ficado uma noite fora de casa , resolvemos não voltar ao mosteiro “ e
procurar decifrar o enigma das duas pedras juntas “ :. na segunda noite
dormimos em uma gruta onde ouvimos muito gemido e sussurros vindo do
interior da gruta . era noite de lua clara , e as ondas do mar estavam calmas ,
devia ter estacionado a vazante . dentro da gruta entrava a luz da lua . à
medida que foi tornando-se mais tarde , os sussuros aumentaram . e vinham
do fundo da gruta . resolvemos averiguar do que se tratava . vimos tochas de
fogo acesas e muitas pessoas de cor preta reunidas ali no fundo da gruta
que era um salão muito grande e alto , era tão alto que não se via parte
superior , a não ser pela fresta
de luz da lua que ali entrava . eram mais ou menos cincoenta pessoas , não
deu para contar ao certo . eles falavam , cantavam e choravam , gemiam
falavam em lingua nativa africana . por isto podemos entender o que eles diziam
:. como nos não sabiamos do que se tratava , pois na cidade ninguem havia
comentado sobre aquele assunto , achamos por bem não dar alarme com a
nossa presença, e só ficar observando .
as pessoas se movimentavam lá dentro como se estivessem angustiadas ,
nervosas . o que poderiam ser aquilo ? seria um esconderijo de escravos ?
vamos observar mais : ficamos sem dormir aquela noite mesmo porque já
tinhamos perdido o sono e as condições não eram confortaveis e nem sequer
tinhamos coragem de domrir com um movimento de pessoas por perto .
depois de observar várias horas pelo buraco no fundo da gruta notamos que
perto de uma tocha de fogo havia dois rapazes de 20 a 22 anos de cor branca
, bem vestidos , com calça jaqueta , perneira , chapéu que diziam em portugues
para os pretos . “ acalmem , acalmem que o navio vai chegar daqui a pouco,
pelo que combinamos ele, o navio vai chegar mais ou menos na maré baixa .
assim vocês poderão embarcar com segurança e voltar para a áfrica e assim
libertaremos todos os escravos “ passado mais uma hora e meia ele volto e
falou “ esta na hora o navio já está chegando ‘ então todos se levantaram e
foram caminhando para o fundo do salão até gente não pôde ver mais . como
nós queriamos acreditar no que estávamos vendo . saimos da gruta
arrodiamos a pedra , isto é , andamos pelo lado de fora entre o mar e a pedra
até chegarmos a um local onde se avistava a entrada da baia , que os escravos

195
EM BUSCA DA CAVERNA.
196

chamavam de nascente da “lagoa salgada” , onde vimos um navio todo de


madeira muito grande atracado em um local onde as ondas eram bem mais
fracas de acordo com a maré baixa . vimos vária canoas levarem cada uma
cerca de seis pessoas e embarcar no navio . depois que todos que estavam
no salão da caverna embarcaram no navio , foi ‘ largado ‘ as velas e o navio
começou a seguir a direção do mar aberto . e nós ficamos observando até o
navio sumir completamente no horizonte.:. de longe apenas uma luz tênue
caminhava no oceano . depois, bem depois , quando ainda comentavámos o
espetáculo , nós encontramos os dois rapazes que vimos lá no salão da
caverna . quando eles no viram a nós treis vestido de roupa de padre nun local
deserto como aquele , levaram um susto , pois não imaginavam que aquela
operação de embarque de escravos para a áfrica , estava sendo testemunhada
por no´s . então ele foram chegando sem jeito falar . e disseram “ a benção sr
padre e nós repondemos “ que deus vos abençoe “ ( era costume desde o
tempo antigo pedir a benção aos padres ou pessoas mais velhas ou então
diziam : louvado seja nosso senhor jesus cristo e era respondido “ para sempre
seja louvado “) quando eles chegaram mais perto de nós e viram que nós
eramos muito jovem para sermos padres , eles perguntaram _ “ voces são
padre mesmo ou não ?? e nós respondemos :- “ não somos padres , somos
frades do mosteiro dos jesuitas “ e estamos aqui há dois dias morando nesta
gruta e apreciando o movimento das ondas “ o local tinha uma paisagem muito
linda durante o dia e , como era verão , o clima estava ótimo para ficar ao ar
livre , continuando o diálogo : eles perguntaram “ vocês viram um navio sair
pela barra e ganhar mar aberto ? “ sim nós vimos desde o início , vimos
também os botes levarem as pessoas até o navio . as pessoas que sairam por
detras desta pedra imensa estavam todas dentro do salão da ceverna ,
cantando gemendo , sussurando e chorando e vimos também vocês dois lá
dentro que falavam para que eles se acalmassem que em breve o navio havia
de chegar. _ nós só estamos curioso com uma coisa : continuou a dizer um
dos meninos . e que coisa é esta ? perguntou um dos jovens e os meninos
responderam : “ é que na história não está registrado que no ´sec xviii
houve libertação de escravos :. “ não está registrado ? não houve ? mas que
conversa é esta ? vocês falam como se fosse do futuro :. “ ou vocês frades

196
EM BUSCA DA CAVERNA.
197

são doidos ou querem enganar a gente “ bem nós notamos que eles não
podiam entender mesmo já que nós estamos a 214 anos à sua frente . então
mudamos de tática para conversar e falamos :- oh nos estamos alojados ali
naquela gruta , vamos ate lá , a gente se protege do vento e podemos fazer
uma fogueira “ assim fizeram os jovens.caminharam para a gruta onde não
ventava acenderam o fogo, : os dois rapazes tiraram do bolso um pedaço de
rapadura e distribuiu com treis meninos :. agora por favor , explique para nós
que história é esta de “ não está registrado “ não houve? afinal quem são
vocês ? perguntavam os dois rapazes : então um dos treis meninos
perguntou ah! você deve ser o castro alves . “ não o meu nome é josé
alvarenga alves . falou um dos rapazes . “ que mancada , ele deve ser o pai ou
avô do castro alves , por que é bem parecido as feições . depois os meninos
começaram a falar :- “ nós viemos do mosteiro dos jesuitas “ estamos vestidos
de frades porque a nossa roupa estava rasgada e eles nos deram estes
camisolão de padre . nós não podemos dizer a vocês quem somos . vocês
não acreditariam “ “ nós não conhecemos muito bem a história do brasil do
sec xviii sabemos pouca coisa :. sebemos que em 4 de julho de 1776 os
estados unidos entram em guerra pela sua indepêndencia :. sabemos que em
1789 haverá a revolução francesa , sabemos que napoleão bonaparte vai tentar
dominar o muno > inclusive quando ele invadir portugal pelo rio tejo , a familia
real mudará para o rio de janeiro, isto vai acontecer em 1808 , portanto daqui
a uns 30 anos e vai se hospedar , ficar morando numa casa muito grande aqui
no ro de janeiro em um local chamado quinta da boa vista. “ depois continuou
dizendo os meninos , em, 1822 o neto da rainha , dona maria , a louca , vai
proclamar a independência do brasil lá em são paulo à margem do riacho do
ipiranga a 22 de setembro de 1822 “ o rapazes ouviam tudo aquilo sem dizer
uma palavra , por que os meninos falavam com tanta afirmação aqueles fatos .
mas eles não tinham argumento para discutir com os meninos . pensando que
os meninos estavam doidos não quizeram mais falar naquele asunto : os
meninos por sua vez também resolveram mudar de assunto : então digam-me
quem são vocês ? e o que estão fazendo com estes escravos ? colocando-os em
navios ? “ nós somos os libertadores dos escravos , disse os dois rapazes ,
lutamos contra toda a opressão do nosso tempo . “ estão vendo este morro todo

197
EM BUSCA DA CAVERNA.
198

de pedra ? pois é , ele ôco por dentro existe verdadeiros salões subdivididos
em andares com água correndo e ar suficiente para abrigar mais de 100
pessoas “ e nossa instituição traz por dia 2 ou 3 escravos que são maltratados
pelos donos de fazenda ou pelos capatazes . alguns deles chegam a morrer
devido aos ferimento que recebem . então nós os enterramos ali , e apontou
para o pé do morro um cemitério de cruzes enterrado na areia da praia :. “ ali
eles dorme o sono profundo da liberdade “ “ que liberdade ? perguntaram os
meninos : “ a liberdade de poder morrer . pelo menos só isto é livre para eles .
“ quando nós ficamos sabendo que em determinada fazenda existe muita
maldade contra os escravos , nós vamos até lá , fingindo de compradores de
escravos e misturamos no meio dele e , na melhor oportunidade . trazemo-
los até aqui que é o esconderijo ideal , por que até hoje , ninguém descobriu
que esta pedra é oca por dentro ,. aqui foi outrora , á milhares de anos , local
santuário onde era realizado as cerimonias religiosas . e aquele outro morro
todo de pedra ali mais ao lado desta , mais baixo e mais longo também é oco
por dentro . ali existe um salão de mais de duzentos metros de diametro . nós
o descobrimos quando eramos meninos de 10 a 12 anos , brincando por
aqui , um dia distraidamente nos perdemos em uma dessas grutas e , depois ,
de procurar caminho para a casa , entramos mais para dentro e viemos
descobrir que tudo isto era oco . então os meninos falaram assim :- “ vamos
descansar um pouco e amanhã cedo nós gostariamos de conhecer
internamente este local que tanto vocês falam ;. então descansaram tentaram
dormir um pouco, pois as nuvens vermelhas do sol já anunciavam um dia
bem quente lá pelas oitos horas , o sol já ia alto . depois de cada um comer
como desjejum um mamão maduro , tomar um banho de mar , foram até a
entrada secreta para o salão da caverna : entramos pelo lado do mar depois
de andarmos mais de meia hoara a pé por que aquela região é bem
contundente para o
nosso pé . depois chegamos até perto do mar e a maré estava alta . tivemos
que esperar 4 horas para a maré baixar assim que a maré baixou já eram
quase 13 horas :. havia um patamar de mais ou menos 50 metro e de 5 metro
de largura . encostado à rocha havia um paredão liso , feito de pedra
superposta uma a outra . a maneira de abrir era simplesmente empurrando a

198
EM BUSCA DA CAVERNA.
199

primeira pedra da primeira flileira para dentro e um portão de 10 metros de


altura por 5 de largura abriu-se dando uma visão panorâmica de todo
interior do salão da caverna . era um salão de 20 metro de altura com muitas
mesas de pedras que mais parecia túmulos no segundo salão no mesmo
nível era bem menos e no segundo e terceiro nível havia salões que não
visitamos devido ao adiantada da hora : o sol já declinava para o ocidente a
45graus era hora de voltarmos . retornamos ao mosterios e os dois rapazes
foram para as suas casas . e nós selamos o compromisso de manter em
segredo esta atitude dos rapazes libertadores de escravos do séxc 18.
terminado de contar toda estas histórias acontecidas no rio de janeiro, os
meninos viram que já era tarde

da noite , precisavam dormir porque teriam que andar o dia todo a pé . de


manhã , antes de o sol se levantar, sairam os cinco meninos em direção à tribo
indígena . chegaram mais rápido por que o índio ensinou para les um caminho
mais perto . assim em cinco dias chegaram até até a tribo , e juntaram ao outros
cinco que lá haviam ficado, formando agora os dez que haviam saido a
procura da outra parte do pergaminho . ao chegarem na tribo , todos já estava
esperando a chegado dos meninos . puapi não desgrudava dos dois
pergaminho que mantinha em seu pescoço seguro por dois fios de couro de
boi.então ficou marcado o dia que toda a tribo devia passar entre os portais
que estava no meio da floresta juntamente com os nossos dez heróis . assim
eles teriam oportunidade de conhecer uma civilização de milhares de anos .
cidade misteriosa
quando toda a tribo paasou pelo portal que segundo as inscrições do
pergaminho , seria o passo para conhecer toda a história dos antepassados
daquele povo , as pessoas não gostaram de ver o que viram . a medida que
foram passando pelo portal de pedra , foi aparecendo uma cidade toda de ouro
, com casa e palácios gigantesco . era uma coisa realmente estrondosa dentro
dos palácios só encontramos de diamantes e pedras preciosas que
resplandecia a luz . o sol que brilhava naquela cidade era diferente tinha a
impressão de que ele estava muito baixo iluminando só aquela cidade . havia
muitas pessoas na cidade vestida de maneira bem simples e rude . tinha

199
EM BUSCA DA CAVERNA.
200

homens , e mulheres meninos e meninas , todos vestidos apenas com uma


túnica vermelha que ia do pescoço até os pés . o trabalho daquele povo
consistia em lavoura , criações de ovelhas e estração de minérios , pedras
preciosas e ouro que era destinado a construção de casas . notamos logo
assim que chegamos que as pessoas não falavam . tentamos dialogar com
elas mas tinha - se a impressão de que as pessoas não notavam a nossa
presença ; era como se estivessemos invizivel . ninguem nos via . mesmo se
nós estivessemos no caminho eles , os habitantes da cidade misteriosa ,
passavam por nós como se fossemos apenas composição de luzes . via
grande número de pessoas trabalhando , andando de um lado para o outro
mas não se ouvia sons do movimentos . os nossos heróis , que eram agora em
10 meninos só andavam juntos . enquanto que o pessoas da tribo andavam
desorganizadas . os meninos que eram mais curiosos e queriam aprender as
coisas indagaram entre ele . _ “ vocês já notaram que a cidade parece que
termina logo ali ? “ o que será´ que existe além do muro da cidade . podemos
notar que , até o portal por onde entramos desapareceu “ mas o rufino e o
etvaldo tinham marcado no chão o local do portal . então chegaram até perto
às uma distância de um metro do portal e ele começou a vibrar em forma de
luz . quando o rufino encostou a mão na parede o portal , o mesmo apareceu
novamente mostrou do lado de fora a floresta e na parte de dentro a cidade
misteriosas . então chegaram a uma conclusão :- “ era preciso encostar a
mão na parede do portal para que ele aparecesse . assim sendo, era fácil
retornar ao local de origem quando não mais quizessem ficar ali , “ já
imaginaram ! disse rufino , “ nós preso fora do tempo , longe dos nossos amigos
que deixamos lá no planalto , e agora , preso aqui nesta cidade misteriosa que
nem sequer nós sabemos de que época é ? não ! temos que ficar alerto para
todo e qualquer acontecimento aqui :. “ estas pessoas que vivem nesta cidade
não nos veem. passam por nós como se fôssemos de luz :. ou nós somos
luzes para eles ? é difícil saber “!!!.
veja o leitor amigo , que aflição dos heróis :. o que vocês fariam se estivessem no lugar
deles ?

os meninos resolveram averiguar mais as coisas . iriam sair em grupo de dois e vasculhar
toda a cidade todos os pedacinhos de canto a canto . enquanto que os indios ficaram

200
EM BUSCA DA CAVERNA.
201

observando as belezas , os meninos tentaram descobrir o mistério , o local de encontro


seria perto do portal que agora eles já sabiam onde era . um grupo dirigiu-se até o
extremo norte da cidade e descobriu que não havia floresta e nem o horizonte era natural
é um horizonte artificial dando a impressão de natural , mas não era . outro grupo entrou
em quase todas as casa e viram que dentro delas não haviam pessoas , todos estavam na
rua fendo alguma atividade . um outro grupo encontraram em uma casa uma coisa muito
interesante e aguardou a chegada de todos os meninos para falarem do assunto . “
estavam eles observando as casa de uma determinada rua , quando uma delas chamou-
lhes à atenção ;” todas as casa eram feitas de um material desconhecido , não era pedra
parecia ser uma pedra inteira , sem emenda . e todas as casa era quadradas . tinham o
mesmo cmprimento de largura , altura e comprimento . esta casa era diferente era
quadrada mas era mais comprida e mais alta do que as outras : então entramos :- “a
porta era de pedra :. no primeiro andar não havia móveis era um salão pequeno com uma
porta nos fundo que dava para um salão de onde saiu um barulho . fomos até lá da
porta dava ver as luzes que saiam dos aparelhos . era um tipo de transformador de
energia solar . que mandava energia para outro compartimento e para toda a cidade .
entretanto por uma porta que era em zig zag e dava treis voltas para chegar até o seu
interior dentro da sala deparamos com uma máquina estranha que não estava
funcionando . porém ela fazia um barulhinho . quando chegamos a uma distância mais
ou menos de dois metros , ela ligou sozinha e o ambiente iluminado . então nós podemos
ver o que se tratava com mais detalhes : vimos que no salão onde nós estavamos tinha
mais de cincoenta metros de diâmetro e uma altura de uns 15 metros . dava-se a
impressão que , internamente , o prédio era maior por dentro do que por fora : não dá
pra gente explicar com palavras só mesmo a pessoa vendo que pode entender :. de
repente nós vimos além da máquina uma coisa se movendo no fundo da parede que
era côncava . fomos observar e notamos que eram , pessoas que estavam se movendo ,
andando normalmente como se fosse uma cidade . existia um painel ai lado que ,
acidentalmente esbarramos nele , e imediatamente as figuras na parede começou a mudar
e ouviamos vozes . o painel não era como nós conhecemos hoje . era parecido com a
figura de pedras onde colocamos o dedo e houve mudança na posição da figura . na
verdade não era figura móvel ou imóvel. dava-se a impressão que eram pessoas , casas e
objetos em terceira dimensão . havia uma porta em forma de arco de mais ou menos dois
metros de altura . os portais da porta eram de um material parecendo aço inoxidável :.

201
EM BUSCA DA CAVERNA.
202

entre o portal e aparecimento das figuras existiam no meio uma escuridão sem fim . não
se via nada naquele meio , ficamos mexendo no painel e as figuras mudaram vimos
muitas cidade do nosso tempo e mais antiga ainda . chegou a um ponto que
conseguimos ver a cidade de itabira com o pico do cauê que era inconfundível .
através dos botões de pedras conseguimos localizar a cidade mais ou menos no início do
séc 20 mais ou menos em 1910 identificamos algumas ruas que eram novas, algumas
casa que ainda existem até hoje . pelo aspecto do que nós vimos , era realmente o início
do século:> amigo leitor neste momento vocês devem imaginar como os meninos ficaram
ansioso para ver os seus pais , sus casa enfim aquele ambiente que lhes era familiar no
ano de 1991 “ todos queriam porque queriam mexer nos painéis até aparecer a
cidade de itabira na sua época . então começou aparecer na parede uma imagem da rua
dagua santa e depois de esperar um pouco começou aparecer no meio da rua uma
porção de meninos com roupas de escoteiro e com mouchilas na costa . então todos
falaram :- “ somos nós “ e procuraram certificar bem se tinha um cachorro sim, , sim
estava lá ele ao lado do lobato à frente de todos :. nós ficamos sem saber o que era tudo
aquilo . e em que tempo estava se passando aquelas imagens . porque nós desfilamos pela
cidade de itabira diversas vezes . por esta razão achamos melhor chamar vocês e dar a
notícia do achado :.

estavam os meninos reunidos na porta da casa onde encontraram aquele objeto estranho.
a tribo de indio , andavam de um lado para o outro sem encontrar nada interesante e já
começavam a voltar para passar pelo portal e deixar a cidade definitivamente .

depois de ficar ali mais de meia hora . viram as pessoas da tribo que
tinha saido da cidade misteriosa . então eles só conseguia ver as pessoas da
cidade que pareciam inviziveis . isto é , não falavam com ninguem. talvez
porque eles não conseguissem ver nenhuma pessoa . rufino conseguiu notar
que o sol não se escondia . era claro o dia todo , não havia diferença ente dia e
noite , apesar do tempo passar como em todo o lugar disse ele :- “ por que
será que o sol não anda ? só fica parado ? - depois de verificar que toda a tribo
já tinha saido , resolveram os dez meninos entrarem dentro da casa misteriosa
para aprenderem mais sobre o que foi explicado.
A máquina do tempo

202
EM BUSCA DA CAVERNA.
203

já havia passado mais de duas horas , do nosso tempo , quando o rufino


que estava diante do painel , encontrou alguma coisa escrito em uma lingua
que ele conhecia : era a lingua dos africanos do norte . era uma mistura de
africano com hebraico mas infelizmente eles sabiam falar não sabiam ler .
então aconteceu outro incidente : como eram dez meninos que havia entrado
dentro da casa , acidentalmente , um deles esbarraram em uma chave muito
grande e o salão ficou repentinamente iluminado por dentro e apareceu mais
de vinte poltronas que dava para uma pessoa deitar confortavelmente . o teto
da casa abriu mostrando o céu , o rufino achou melhor voltar a posição da
chave ao local inicial pois eles não sabiam o que podia acontecer . voltaram a
ter mais cuidado com as coisas e ficaram diante do painel que controlava o
tempo . ficaram incansavel diante da paisagem de itabira durante horas a fio
.nem viam que o tempo estava passando. procuraram sintonizar a sua cidade
natal dentro da época que eles conheciam . viram todas as épocas . desde
sua fundação com a igreja de n. s. do rosário , o início da mineração a lavagem
do ouro no periodo da escravidão . até o início da extração de minério na
superficie do pico da câue . mas o que eles estavam interessado mesmo era
saber se aquela era uma máquina do tempo . assim poderia voltar ao seu
tempo normal , com muito custo foram conseguindo sintonizar a tela para o
seu tempo e o rufino conseguiu identificar eles , o sebastião e o rex no dia que
partira de itabira pela ultima vez . viam as pessoas chorando e aflitas por
verem seus filhos partirem para um acampamento misterioso, víu a frente
sebastião com sua roupa azul marinho tiveram tanta saudade e vontade de
voltar para a casa mas como ?.
então o etevaldo teve uma idéia :-” “para sabermos se isto ai é máquina
do tempo mesmo é preciso que a gente faça uma experiência “ que tal a
gente colocar uma pedra ou mouchila aqui debaixo deste portal que parece
ser de aço , para a gente ver o que acontece ? todos concordaram , só
acharam melhor não colocar pedra pois esta podia machucar alguém : ao
passo que uma mouchila podia ser identificada pelos familiares que a
encontrassem em casa . “ primeiro temos que sintonizar um dos familiares
nosso e ai colocar aquele objeto .” . ficaram olhando a tela côncava . à medida
que foi aparecendo as figuras eles iam falando : - estamos vendo a rua tal, e

203
EM BUSCA DA CAVERNA.
204

diziam o nome da rua . agora estamos vendo o dono do armazem da esquina .


notaram que só este detalhe não servia . era preciso sintonizar qualquer que
estivesse além do tempo em relação ao dia que eles sairam de itabira para
fazer o último acampamento . caso contrário não teria sentido se aparecesse
em casa um objeto de qualquer um de nós e com a gente presente em casa,
vocês entenderam ?? explicou o rufino , realmente ele tinha razão . era preciso
um detalhe por mais insignificante que fosse . mas servia . de nada , então ,
adiantaria simplesmente mandar um objeto . e se ele fosse parar no dia que
nós estivéssemos saindo de itabira ? ou um ou dois dias antes ? estavam
falando assim quando o etevaldo conseguiu ver que alguém estava chorando
a ausência do filho que já há mais de dois meses . este era o detalhe que
faltava para provar que aquele periodo eles estavam ausente de itabira . então
colocaram cuidadosamente a mouchila do rufino debaixo do portal e
começaram a mexer nos painíes sem sair daquela sintonia . de repente a
mouchila desaparecendo na frente deles todos ficaram na espectativa de ver
a o nome do rufino aparecer na tela , mostrando que ela tina chegado até a sua
cidade natal após a sua chegada em 1991, aqueles poucos milésimos de
segundos pareceu um longo tempo devido a ansiedade dos dez meninos . de
repente conseguiram ver na tela a mouchila do rufino aparecer na casa da
mãe do lobato :. ele havia mandado um bilhete assim : “ mãe avise a todos que
nós meninos do acampamento estamos bem , janeiro de 1779: Nós meninos do
acampamento estamos bem , janeiro de 1779 Rufino :. os meninos sabiam que
com material podia ir através do tempo , mas com pessoa podia ser perigoso .
até do mais eles não tinham coragem de deixar os seus colegas perdido no
tempo na casa do padre lourenço . era preciso que fosse todos . enquanto
isto em itabira no ano de 1992 , a mãe do lobato viu aquela mouchila no meio
da rua com o nome do rufino e aquele bilhete . então ela achou que eles
estavam brincando com ela ; pois eles deveriam estar ali por perto e não
queriam aparecer . afinal eles iam ficar apenas 15 dias fora de casa e só
tinham passado dois meses . então ela foi até a casa dos outros colegas
mostrar o bilhete e acalmar as familias dos nossos heróis . até pensaram em
sair procurando pelos arredores da cidade mas não quizeram incomodá-los ,

204
EM BUSCA DA CAVERNA.
205

iam deixar assim mesmo . afinal eles estavam entregues nas mãos da n. s.
aparecida.
enquanto isto os meninos perdidos no tempo no ano de 1779 dentro de
uma cidade misteriosa na baixada fluminense , muito além de onde termina a
grande lagoa salgada , estão dentro de uma casa que mais parece a casa de
maquina de uma grande nave espacial que é a cidade . depois de mandar a
mouchila do rufno , através do tempo , para os famliares no ano de 1992,
ficaram impotente em continuar operando o painel de controle , por que não
tinha certeza de que funcionaria com pessoa humana . também pensavam
nos outros companehiros que tinham ficado na casa do padre lourenço lá no
vilarejo tinham tambem o seu amigo sebastião que tinha permanecido no outro
vilarejo construindo a igreja para a santa . não ! não podiam voltar para a casa
. - aproveitaram o tempo para conhecer melhor “ aquela casa “ . subiram em
outros andares observaram que do alto da torre sa casa não se via paisagem e
sim um “ céu “ diferente daqueles que estamos acostumados a ver : céu azul
com nuvens brancas “ andando “ não ! não era assim ; era fosco , os meninos
disseram : “ isto aqui esta com jeito de ser do outro mundo “ . desceram
imediatamente para o compartimento onde estavam anteriormente , onde
parecia ser a sala de máquinas “ porque viram um ruido esquisito , e quando
desceram até o salão as poltronas em forma de cama e as pessoas da cidade
estavam deitadas ali . os menios se assustaram e tentaram conversar com os
habitantes : - “ nós vimos vocês
chegarem juntamente com o povo daquela tribo . os nossos antepassados
foram os geradores daquela tribo e agora , graça a vocês , estamos voltando
para a casa , mas o que é isto ?/ falaram os meninos : “ vocês ativaram o
sistema de navegação automática quando esbarraram acidentalmente
naquela chave grande , lembram? : “é que o salão focou totalmente iluminado ?
pois quando vimos o salão iluminado , virificamos que era hora da partida ,
entramos todos , ocupamos os nossos lugares por que este prédio é a parte
que controla toda a nave :. e toda a cidade que vocês viram é a nave que já
está em movimento . vejam pela torre o planeta terra “ e todos os meninos
subiram até o ultimo andar , olharam pelo visor e viram a terra ficando para
traz cada vez menor , até sumir no meios das outras “ estrelas “. então os

205
EM BUSCA DA CAVERNA.
206

habitantes da cidade misteriosa , sairam dos seus lugares e vieram coversar


com os meninos .
a nave se afastava vertiginosamente do nosso sistema solar . mas tinha
-se a imressão de que ela estava parada . e também pelo relógio do etevaldo ,
não tinha gasto nem um minuto, ou melhor o ponteiro não se mexia . os
tripulantes , isto é , os moradores sairam daquele daquele compartimento e
foram para as ruas da cidade no seus afazeres normais . os meninos que es
entrosavam bem começaram a conversar com os habitantes da nave:- “ não
temos palavras para dizer : tudo isto aconteceu tão rápido falem para nós
alguma coisa que possamos entender “ “ nós, meninos depois de tanta
odisséia no nosso planeta agora ser levado até os confins do universo ? quem
são vocês ? e o que faziam no planeta terra ? e os habitantes da nave
começaram a falar :- “ nós viemos de longe há milhares de anos e pousamos
naquele planeta em uma região desértica quente. os nossos antepassados
construiram todas aquelas civilizações antigas que vocês chamam de egito ,
gréga, maia e asteca , o terreno já tinha exaurido toda a força para sustentar a
nave , nós mudávamos de lugar deixando só as ruinas “ começavamos a
construir outra civilização até que o processo de esvelhecimento acabava com
todas as forças do terreno . mas um dia , mas um dia os povos de uma parte do
planeta tentou invadir a outra metade matando e destruindo os seres seus
irmãos : então nós decidimos mudar para o sul daquele continente onde nós
estávamos . era um lugar muito bonito , ali nós deixamos a nossa semente
misturada com a daquela tribo indigena mas como nós vimos que o coração
dos homens era de pedra e que , por mais que nós pregássemos a paz e a
igualdade , eles escravizavam os seus semelhantes achamos melhor
isolarmos com aquele aspecto de cidade perdida” “ aquele pergaminho foi
escrito há milhares de anos contando a história do nosso povo quando chegou
neste planeta :. o pergaminho foi dividido em dos propositadamente e
espalhado com a tribo que habitava perto de onde nós chegamos a primeira
vez . o nosso planeta fica em outra constelação onde é centro do universo:. e
graças a vocês , podemos voltar para a casa’’:. e os meninos responderam :
“mas isto não e justo , nós estamos levando vocês para a casa e nos

206
EM BUSCA DA CAVERNA.
207

afastamos da nossa casa dos nossos pais , dos nossos irmão enfim do nosso
planeta”.
“ não se preocupem vocês serão devolvidos para o seu planeta na época que
vocês quiserem assim que chegarmos em casa “ . com esta afirmação os
meninos ficaram mas alegres . por que afinal , eles poderiam voltar para a casa
, mas uma dúvida pairava no coração deles :. e se eles não mandarem a nave
de volta a terra ? o que faremos : era a pergunta que pairava em todos :
observe o leitor , o drama de cada um.
O planeta estranho
a nave cidade , como meninos apelidaram , continuava a viagem
vertiginosa pelo infinito . as vezes , para os meninos , isto era um sonho . afinal
tantas coisas aconteceram desde quando eles sairam de itabira para fazer um
acampamento de 15 dias no sul da mantiqueira , que uma aventura a mais ou
menos pouca importância fazia :. só tinham saudade de seus pais , irmãos e
dos colegas que deixaram junto com o padre lourenço : imagine você querido
leitor , se os meninos resolvessem agora mudar a história do universo? mas os
nossos heróis não pensavam nisto no momento apenas queriam no
momento,voltar para a sua casa voltar para o seu tempo , junto dos seus
amigos . como isto não era possível , procuraram aprender mais com os
viajantes da nave cidade . e os meninos perguntaram :- “ como é movido esta
nave através do espaço :? que força faz com que ela se mova ? nós não
abemos por que ela foi construida há milhares de anos e , desde o início que
ela funcionou sem problemas . ela ficou parada lá no sul do continente do
planeta terra , mais de 10000 anos , e nós esperávamos , porém o dia de
voltarmos para casa . os meninos se subdividiram en grupos e cada um ficou
mais a vontade dentro da nave cidade . o rufino e o etevaldo ficabvam só na
sala de controle para melhor conhecer a navegação interplanetária e . na tela
, ou melhor , no local onde eles viam através do tempo a cidade de itabira ,
estavam vendo agora outros planeta , outros sóis , outros asteróides . enfim,
milhares de coisas novas surgindo em suas vidas . aprenderam mais sobre
aquele tipo de escrita que os habitantes usavam e que era mais util
aprendiam também a falar a lingua. aprenderam também sobre música e
notaram que a milhões e milhões de quilometros de distância da terra , as notas

207
EM BUSCA DA CAVERNA.
208

musicais eram a mesma. até a nona sinfonia de beethoven pode ser ouvida
dentro da nave cidade , até mesmo antes dela ser composta .
se fossemos contar pelo tempo comum , a nave já estava viajando a mais
de quatro anos , porém como ela estava na velocidade da luz, não gastva tempo
algum . por esta razão os meninos estavam mais confiantes em retornar para
casa , depois que deixasse os tripulantes em seu planeta , etevaldo e rufino
notaram alguma imagem na tela e um aviso para diminuir a velocidade . todos
se acomodaram nas poltronas e a velocidade foi diminiundo gradativamente
até entrar na atmosfera do planeta que era bem menos densa qua a do planeta
terra . a nave foi descendo devagarinho . até pousar no planeta . desde quando
apareceu o aviso que iam diminuir de velocidade , o relógio do rufino começou
a mudar de posição . pois não estávamos mais na velocidade da luz . a nave
desceu em um terreno muito amplo e vasto . a comunicação entre a nave e o
planeta era por meio de son musical . os viajantes interplanetários ficaram
dentro da nave durente muito tempo até que reacostumarem com a atmosfera
do planeta : os nossos heróis foi oferecido um outro tipo de roupa para
desembarcar uma vez que a dele estavam sujas e rotas . eram roupas de cor
cinza bem apertado no corpo . nenhum dos meninos estava gostando daquele
tipo de roupa.ficavam só reclamando, mas como não tinha outro jeito, o negócio
era se adaptar ao planeta estrano
ao planeta estrano

desembarcaram, que sensação estranha, que leveza . que ar que entra nos
nossos pulmões . e as pessoas que vivem aqui são também extranhas
semelhantes os que vieram na nave que encontramos lá no sul do planeta
terra , na cidade misteriosa . as pessoas falam pouco , mas trabalhavam muito
. a comunicação mais efetiva entre eles é através de mímica , que pode ser
com as mãos , pés ou partes do corpo . assim quando uma pessoa está
andando , de acordo com o movimento do corpo , demonstrava que ela
conversava com a outra . podemos observar que o planeta não era
superpovoado como no nosso tempo no planeta terra . vimos ppoucas crianças
, o númedro de jovens também era reduzido . encontramos um povo altamente
disciplinado . os dias se passavam semelhante no planeta terra . um
determinado sol levantava-se no horizonte de manhã cedo “ caminhava “ para

208
EM BUSCA DA CAVERNA.
209

o meio do céu , e depois declinava para esconder no horizonte ,. todo este


percurso gastava 12 horas do relógio do etevaldo . as pessoa trabalhavam
desde a hora que o sol saia e paravam de trabalhar quando o mesmo se
escondia . a noite todos ficavam em suas casa . as refeições era todas a base
de vegetal, cereal . as proteinas eram retiradas dos vegetais existentes em
abundância no planeta . não encontramos no planeta desequilíbrio de qualquer
coisa : havia água encanada vinda das fontes naturais , era água pura
cristalina apesar do planeta já ter mais de um bilhão de anos de civilização .
as casas das pessoas eram feitas de um material desconhecido para nós . não
tivemos condições de conhecer todo o planeta , mas a mostra que nos foi
dada deu para ter uma idéia do restante do planeta e chegamos a seguinte
conclusão ; era um povo de uma alta tecnologia que não sofreu influencia da
mesma . o pensamento de um era o de todos , tivemos a impressão também
que as coisas foram adaptadas a nossa realidade . por que nós nos
hospedamos em uma casa muito grande semelhante a nossa casa com tudo o
que gostariamos de ter . casa , água , fogão , cama , coisas que não viamos nas
outras casas . de todas as nossas observações não conseguimos pegar um só
detalhe que demonstrasse um sinal de fraqueza daquele povo . procuramos
pelo chefe da cidade , ou qualquer outra pessoa que podia falar do nosso
retorno ao nosso planeta e , imediatamente fomos levados a um determinado
centro de controle . era um salão imenso todo côncavo o teto tinha milhares de
aparelhos piscando luzes de todas as cores .
à nossa entrada tocou-se música clássica nossa conhecida como as
música de brans , mozart, schuber , bethoven mas o que os meninos gostaram
mais foi da da flauta mágica de mozart . e o rufino perguntou para as pessoas
da sala de controle :- “ nós apreciamos muita as músicas que vocês nos
oferecem . mas uma coisa nos intriga :- “ muitos deste compositores estão
nascendo agora no meu planeta . e muito deles ainda não compôs estas
músicas lindas , então como elas já existem aqui no seu mundo ? ao que foi
respondido por um dos habitantes :. tempo , isto aqui não existe . não
medimos o tempo como vocês o fazem . nós simplesmente vivemos fora do
tempoo :. usamos uma outra unidade de tempo ainda desconhecida de vocês :.
aquelas crianças que vocês viram quando a nave chegou aqui neste planeta ,

209
EM BUSCA DA CAVERNA.
210

lembram ? elas têm mais de mil anos . e nós adultos mais de 50 mil anos
contando no seu tempo . portanto tudo o que vai acontecer no seu planeta já
aconteceu aqui há milhares de anos . tudo aquilo que voce imaginar que vai
fazer quando voce for adulto , aqui já foi feito . por esta razão que as músicas
de beethoven que ainda vão ser compostas, aqui nós já conhecemos :. neste
planeta , as coisas não acontecem , mas ja aconteceram . portanto meus filhos
vocês poderão ver aqui tudo aquilo que vai acontecer no seu planeta terra
daqui ha muitos anos, então o rufino ouvindo este assunto lembrou do seu
sonho e quiz colocar em prova . e fez a seguinte pergunta : “se vos aprazeis
que eu saiba , dizei-nos o que acontecerá com a minha cidade natal lá no
planeta terra no dia 13 de agosto de 2012? voce poderia dar um outro
detalhe em relação a data? perguntu o habitante , por que nós não entendemos
muito de tempo , falou um dos membros do planeta que parecia ser o lider , o
tempo para nós é relativo . um outro detalhe que voce lembre . então os
meninos lembraram que no dia 12 agosto de 2012 terminava o 13 bactum de
um povo que habitou o planalto de yucatão e que desapareceu há mais de
mil anos :. então ele respodeu : “ um dia antes desta data que eu me referi ,
termina o calendário dos maias que dá início após o final do 13 bactum , a
transformação da matéria “ . quando ele citou a transformação da matéria e o
final do 13 bactum , o habitante do planeta recoheceu a palavra bactum e ,
imediatamente já sabia do que se tratava e disse : “ acontecerá sim ,
acontecerá muitas coisas quando tiver início da transformação da matéria .
muitos sistermas planetários deixaram de existir . muitos planetas secarão suas
vidas . vejam vocês a lua que esta em torna do seu planeta . ela hoje é uma
lage esterill, mas já foi palco de muitos seres . quase todos os planetas tem
dentro uma verdadera bomba que um dia poderá vazar para qa superficie , o
que vocês chamam de vulcão . naquele momento o habitante do planeta voltou
para traz , olhou para a parede e respondeu para o rufino “ o que voce quer
saber já aconteceu a centena de anos do seu tempo . e os meninos
interrogaram “ mas nós estamos do ano de 1778 e este acontecimento será
daqui a 234 anos ! como já pode ter acontecido ? o planeta de onde vocês
vieram , respondeu o anfitrião , é muito primitivo . os seres que ali nascem ,
estão com uma evolução semelhante a dos batráquios , como vocês chamam o

210
EM BUSCA DA CAVERNA.
211

sapo , não é ? sim respondeu os meninos , batráquio é sapo . os seres do seu


planeta são semelhantes a pedra brutas encontrada na natureza . mas se
vocês quizerem poderão mudar tudo isto . antes de tudo porém é necessário
compreender que não somos nada comparado com o todo . por que vocês
estão preocupados com um simples vulcão que vai voltar a funcionar depois
de interrupção de 300 milhões de anos ?? ele apenas vai voltar a sua ordem
natural . deixemos tudo como esta do lado de fora e preocupemos mais com o
que está do lado de dentro, no interior das aparências , concluiu o habitante .
depois os meninos foram convidado a ficar nas casa dos habitantes até o
dia que eles deveriam voltar para a terra . a calma ainda não havia voltado para
os meninos . estavam ainda muito assustados com toda aquela aventura .
acharam que cada um ficasse hospedado em uma casa de familia diferente do
outro . assim eles não teriam influências dos outros meninos colegas e teriam
maior possibilidade de conhecer o povo daquele planeta . rufino ficou em uma
casa que tinha cinco pessoas . o chefe da casa a mãe dos meninos e tres filho
com idade ‘ aparente ‘ entre nove anos , 13 anos e 15 anos , eu disse idade
aparente , por que nós não sabiamos quantos anos realmente eles tinham .
realmente era um povo diferente e estranho para o nosso conhecimento . todos
os dias nós comiamos arroz , feijão e bife de carne de boi parece que a casa
foi adaptada de acordo com os nossos costumes.
tudo no planeta foi adaptado para que os meninos se sentissem como se
estivesse na sua própria cidade , casa etc etc. o rufino certa vez chegou a
comentar : “ estranho , aqui tudo parece com a minha casa , a comida que eu
como , a maneira de fazer a comida é semelhante a que a minha mãe fazia lá
em casa “ “ até a voz da dona desta casa parece com a voz da minha mãe !
estranho , estranho este planeta ! a noite ficavámos convesando até altas horas
quando eles aproveitavam para contar a historia do planeta

a briga dos planetas

as histórias que eram contadas para os meninos , foram aquelas contadas pelos seus
avós e que iam passando de boca a ouvido . muitas histórias eram parecidas com as que

211
EM BUSCA DA CAVERNA.
212

foram contadas na terra durante muitos séculos . falaram da branca de neve e os sete
anões , da gata borralheira ,das mil e uma noites, do saci pererê , a lenda do boi tatá , da
cobra grande e muitas outras histórias que nós conhecemos na infância . mas a história
que os meninos mais ficaram impressionados foi quando contaram a história da briga dos
planetas. eram planetas gigantes , e todos eles queriam ser o rei do universo . eram tão
grandes que para fazer um movimento de rotação levavam uma semana. mas eles eram
inteligentes e queriam trocar entre os outros planetas pedaços de terra que estava com
doença . doença para eles era os vulcões que prosperavam de maneira intensa . e isto
não era bom para eles . então os planetas quizeram dominar o universo . e houve briga ,
guerras que duraram milhares de anos . até que um dia surgiu no horizonte do universo
um planeta diferente misterioso , que ficou só observando e depois deu num grito tão
grande parecido com o trovão em dias de tempestade que os outros ficaram com medo
e pararam de brigar . então o planeta misteriosos propôs que fosse feito uma prova entre
eles .
aquele planeta que tivesse o menor número de habitantes ganharia o prêmio e seria
o rei dos planetas . então , um planetazinho do recôncavo do universo , que só tinha
apenas um único habitante , que era o único seu dono , ganhou o prêmio . mas eles não
quis ficar como rei de planetas, . ia ser desgastante para ele . era melhor ele ficar sozinho
no seu planeta dormindo do que ter que tomar conta de planetas .
passaram-se muitos anos e os planetas não brigaram mais , só ficaram fazendo
intrigas entre eles . até que enfim surgiu novamente o planeta misterioso que convocou
todos os planetas do universo e todas as galáxias para fazer o julgamento dos planetas
brigões . então formou -se no infininito um círculo de milhares e milhares de planetas e
estrelas . e começou o julgamento dos planetas . entre todos os delitos havia um que era o
pior de todos :- “ roubar pedaços de terra de outro planeta e adaptar ao seu . e também
tirar pedaço de terra ruim e colocar nos outros “ depois do julgamento , que durou um
milhão de anos , foram condenados a diminuir de tamanho.cada planeta ficou do tamanho
de uma bola de laranja , que vocês conhecem. e hoje, quando a gente olha para o céu, vê
apenas uma mancha branca , são as bolinhas de laranja que outrora eram planeta .

o retorno à terra

212
EM BUSCA DA CAVERNA.
213

depois de ficar muitos dias naquele planeta aguardando o retorno à terra . foi lhes
dados a noticia de que em breve eles partiriam para a terra que ia deixa-lo no mesmo dia
hora e local de onde eles haviam saído . todos se prepararam para a grande viagem ,
colocaram roupas especiais e , no dia exato foram até a nave cidade que se encontrava
estacionada no mesmo lugar onde ela parou na chegada . entraram continuava a mesma
nave cidade , como eles conheceram no planeta terra . uma cidade artificial . com casas
em círculo . casas de pedra , pedras lisas , todas as casas iguais um céu sem horizonte ,
uma casa grande diferente e comprida que era a casa de maquinas :. todo o povo veio
despedir dos meninos agora eles viajariam sozinho só os dez meninos , os nossos heróis
depois de se acomodarem na sala de controle da nave , a mesma partiu com destino à
terra . o rufino lembrou de olhar o seu relógio de pulso . quando ele não mais estivesse se
movendo , é porque teria atingido a velocidade da luz . porém a nave voava muito velos
e os meninos resolveram olhar pelo visor e dar um ultimo adeus ao planeta . e viram
aquele gigante ir diminuindo de tamanho , e , antes que eles ficasse pequeno devido a
distância , o planeta transformou-se numa bola de branca que iluminou todo universo e
desapareceu . então os meninos dentro da nave comentaram : - “ fizeram tudo para que
nós nos sentíssemos em casa, até o planeta parecia a forma da terra . tudo era apenas uma
ilusão “ nesse ponto o etevaldo notou que o seu relógio não mais estava se movendo ,
isto é , o ponteiro de segundo estava parado . tinham atingido a velocidade da luz . a
partir deste momento não mais gastava-se tempo para a viagem . tempo que me refiro é
a unidade de tempo conhecida na terra dos terráqueos .
fora da nave só se via o vazio escuro . todos caíram em um sono profundo dentro
da nave : a direção da mesma :- o planeta terra . data : 13 de março de 1779 , local sul do
planeta, ou exatamente a 23 graus e 30 minutos de latitude sul.. tripulantes os nossos
heróis , meninos de itabira , uma pequena cidade no interior de minas . acordaram muito
tempo depois , não se sabe quanto tempo dormiram . rufino olhou se o relógio já estava
funcionando . não ! não estava . depois de muitos dias ele notou que o relógio começou
a mover o ponteiro . tinham deixado de viajar na velocidade da luz . a medida que ia o
tempo passando a velocidade ia diminuindo até entrar na atmosfera da terra . quando
entrou na atmosfera a velocidade diminuiu tanto como se estivesse parada . depois a
nave cidade pousou suavemente no mesmo local onde ela estava antes de ir para os
confins do universo. os nossos heróis demoraram mais ou menos umas dez horas para

213
EM BUSCA DA CAVERNA.
214

sair de dentro da sala de controle e vir até o centro da nave cidade . estava findo mais
uma aventura e desta vez fora do nosso planeta e fora do seu tempo .

depois que os meninos reencontraram novamente com a tribo de índio , os mesmo


perguntaram por que eles demoraram a voltar . “ nós já estávamos até preocupado com
vocês . chegamos até a ir ao portal de pedra mas alguns dos nossos ficaram com medo
de atravessar aquele local por causa da aparições que tinha . e depois , logo assim que
saímos , ouvimos um barulho esquisito que durou quase que o resto do dia , e depois ,
vimos um fogo azul muito claro , voar para céu . e não vimos mais nada . mas agora
que vocês retornaram , venham para cá comer um pouco . e os meninos entraram
novamente no palácio disfarçado de capim , para poder descansar da viagem que
fizeram e fazer relatos de todo acontecimento . tudo era anotado para não se perder .
os meninos não contaram para puapi e os membros da tribo as suas aventuras
dentro da nave e a ida lá no planeta distante . porque talvez , eles não compreenderiam .
o importante era o pergaminho que os meninos deviam levar para o padre lourenço
decifrar . sendo que a primeira parte , os sábios da tribo , já haviam decifrado . os
nossos heróis permaneceram uns dias como hóspedes da tribo de puapi e, um dia , à
tarde ouviu-se um barulho intenso no meio da floresta . e depois , apenas um rastro de
luz azul subiu para o céu . os índios ficaram com medo , mas os meninos sabiam que era
a nave cidade que estava decolando para um grande retorno ao seu planeta. rufino e
etevaldo falaram com puapi , depois de quase um mês como hóspede da tribo , que eles
precisavam partir e aproveitaram para aprender mais sobre a língua dos indígenas e a
sua verdadeira ligação com os habitantes da nave cidade .
aquela tribo de índios que dizia ser descendente daquele povo estranho que
morava na cidade fantasma , como chamava os índios, não parecia ter muita ligação com
os extra terrestres , por que eles não eram muito esperto , mas uma coisa intrigava os
menino : como esta tribo de índios sobrevivia em relação alimentação ? se ao lado das
terras pertencente a eles não havia lavoura , plantações de qualquer espécie ? e aquele
palácio grande por dentro e por fora simplesmente uma cabana de capim ? como pode
acontecer tudo isto ?
tudo isto querido leitor os meninos desconfiavam mas não tinham certeza de nada !
o que você faria se estivesse no lugar deles ? os meninos ficaram na tribo mais uns 30
dias aprendendo sobre os costumes indígena :. não tiveram coragem de retornar até a

214
EM BUSCA DA CAVERNA.
215

floresta onde estava o portal de pedra , assim como também não mais falaram com eles
sobre aquele assunto . os meninos observaram que eles eram um povo diferente . parecia
ser que eles também estavam deslocados no tempo. mas única coisa acontecia naquele
local. eles mantinham no meio da taba indígena , uma grande fogueira durante à noite
. e durante o dia a fogueira apenas ficava fumegando , para a noite ser reacesa
novamente’ para iluminar a noite . ou será que o fogo da fogueira tinha alguma relação
psíquica com o passado daquele povo :: “ era interessante notar , observava rufino , como
eles fazem um verdadeiro ritual para preparar fogueira todo dia a tarde . as toras de
lenha eram colocadas ritualisticamente umas sobre as outras de tal maneira que fazia
uma pirâmide de 7 metros de alturas , e , quando a madeira ardia em chamas as toras
não caiam desordenadamente só quando todas as peças de madeira queimavam é que
elas desmanchavam a pirâmide , parecendo obedecer a uma ordem superior , inspirando
na idéia de quem a visse , um culto tenebroso. isto os meninos observaram.
já tinham preparado tudo para deixar a tribo . dois índios experimentados na mata
virgem iam acompanhá los até ao pé da serra . os sábios da tribo já tinham decifrado
todo o pergaminho mas não disseram para os meninos os segredos que eles tinham
encontrado . só entregou-lhes a outra metade do pergaminho de couro de búfalo . objeto
este que eles deviam levar para o padre lourenço decifrar .
numa noite véspera do dia que os meninos iam partir , eles fizeram uma festa muito
grande de despedida . cantaram e dançaram pedindo aos deuses proteção para os nossos
heróis . no dia seguinte , antes de o sol sair , partiram os dez meninos aventureiro e dois
membros da tribo : depois de vencer todas as dificuldades do pântano e vencer todos os
perigos da floresta , chegaram ao pé da serra . dali em diante os meninos seguiriam
sozinho e os dois índios retornariam a sua tribo.

não preciso descrever aqui a epopéia dos meninos retornando ao planalto onde estava o
vilarejo, e onde eles encontraria os seus amigos que tinham ficado com o padre lourenço.
a dificuldade de atravessar a floresta foi muito grande,porém venceram todos os
impropérios. depois seguiram sozinho até ao alto da serra. neste trajeto gastaram mais de
quinze dias a pé devido a dificuldade do caminho.

quando chegaram bem perto do vilarejo,fizeram um acampamento de treis dias a uma


distância de quinze quilômetros e enviaram um membro do grupo até ao povoado para
observarem as coisas discretamente os acontecimentos por lá. se estivesse tubo bem êles

215
EM BUSCA DA CAVERNA.
216

deveriam voltar no dia seguinte trazendo a notícia. o neilson foi chegando


devagarinho,conversou com os escravos.passou pelo vilarejo e notou que a capela estava
muito florida e que dentro havia uma nova imagem que estava com o coração aberto.
imagem esta que êle não conseguiu identificar muito bem porque estava com pressa e
queria chegar à casa do padre lourenço.chegou, olhou e viu e notou que havia muito
movimento pelas terras onde trabalhavam as pessoas para o padre lourenço. observem o
leitor que eu disse pessoas e não escravos. porque o padre já tinha dado carta de alforria a
todos os seus escravos.

neilson identificou de longe os seus colegas que não via hà quase um ano. então êle
ficou assobiando uma canção de escoteiro muito conhecida de todos para chamar à atenção
dos seus amigos. mas não foi preciso porque o rex, que estava junto dos nove meninos,saiu
correndo em direção a êle e a latir. \assim todos foram ver de que se tratava e viram o
neilson brincando com o rex. foi uma alegria intensa. mas êles pergumtaram: _ e os outros?
estão todos bem? o rufino, oetevaldo,enfim todos. o que aconteceu com êles? e o neilsom
respondeu:- estão todos bem. estão acampados a uma distâncias de quinze quilômetros
daqui e eu só vim averiguar as cisas por medida de segurança “ “ como estão os
outros amigos , aqueles que eram escravos e o padre lourenço ?? “ estão todos bem ,
respondeu os meninos , temos aprendido tantas coisas com o padre lourenço neste tempo
que vocês estiveram fora “ aprendemos muitas coisas mesmo “ e a outra parte do
pergaminho ? foi encontrado ? era o maior desejo de todos trazer o pergaminho
paraestudar mais :. sim nós trouxemos esta lá no acampamento !! nós temos muita coisa
para contar que talvez ninguém acreditará . “ encontramos puapi de quem falou a escravo
“” mas é melhor eu descansar e amanhã voltarei para dizer aos restantes que está tudo
bem “ então foram para dentro de casa . o padre lourenço estava nos afazeres da sua
oficina ele ficou muito contente de rever o neilson quase depois de um ano . naquela
noite não contaram a história foram dormir cedo .
no dia seguinte antes de o sol sair neilson já estava a caminho do acampamento dos
meninos solitários . chegando ao acampamento viram que havia boas noticias e voltaram
naquele dia mesmo .
decifrando o pergaminho

já faz quase um ano que vocês sairam daqui do vilarejo nós sentimos a sua
ausência mas não ficamos preocupados porque sabíamos que tudo estava bem com vocês

216
EM BUSCA DA CAVERNA.
217

. eu só estava aguardando a chegada do pergaminho porque prometi a vocês que ia tenta


decifrar . mas agora todos nós podemos trabalhar em conjunto para saber o que de tão
valioso está ali : assim falou o padre lourenço à noite , após o jantar com todos os 19
meninos que tinham crescido bastante e os ex escravos que moravam com eles .
etevaldo e rufino contaram toda a odisséia que aconteceu com êles durante a viagem .
falaram da viagem aos confins do universo , na nave cidade , citaram os hábitos estranhos
do povo do puapi , enfim falaram de tudo da viagem a cidade de são sebastião do rio de
janeiro e das duas montanhas oca . enquanto os meninos contavam a sua história , o
padre lourenço ficava observando as duas peças de couro com os caracteres em
hebráico e ele notou que tudo estava escrito no pergaminho . a cidade fantasma que era
sua nave . as duas montanhas ôca a casa beira mar que era local religioso de uma
civilização antiga .
o padre lourenço falou com os meninos que precisava se ausentar por uns dias : ele
não ia sair de casa mas precisava ficar isolado na sua sala de leitura tentando decifrar o
pergaminho . e que eles , os meninos, podiam ficar na casa o tempo suficiente . não
gostaria de ser interompido no seu trabalho . mais tarde depois de uma semana , ele
voltou a falar com os meninos . e falando isto , entrou para a biblioteca e fechou a
porta . os meninos ficaram conversando mais um pouco à beira do fogão , e depois
foram deitar porque no dia seguinte tinham um grande trabalho a fazer que era colocar
em dia o relatório secreto da viagem interplanetária .
relato

após uma semana que o padre lourenço havia se recolhido aos seus aposentos para
decifrar o pergaminho , ele já havia chegado a uma conclusão dos estudo do achado .
aquele documento tão valioso relatava a história de um povo até então desconhecido
dos historiadores . tratava-se de uma civilização mais antiga que os gregos fenícios e
egito :. este povo habitava o norte da áfrica , pouco abaixo do egito antigo , há cerca de
200000 anos . pelo que se nota no documento eles vieram das estrelas e povoaram as
partes não povoadas do nosso planeta . a nave cidade que os meninos relataram que
viajaram até os confins do universo encontrava-se na terra há mais de 10 mil anos :.
existe alguns conhecimento de viajar no tempo que possamos colocar em prática para
mandar os meninos para o seu tempo . pouca coisa se fala da tribo mesclada que
erravam pelo sul do planeta terra . eram tribos nômades . pelo que podemos deduzir esta
tribo de índios eram descendente da décima terceira tribo de israel que , não se sabe por

217
EM BUSCA DA CAVERNA.
218

qual razão desapareceu do planeta sem deixar o menor vestígio . falava-se também
das pedras ocas que existem no litoral sul do continente . assim como por exemplo . as
duas pedras juntas na entrada da baia do rio de janeiro , que hoje é chamada de pão de
açúcar e morro da urca , são ôcas por dentro e outrora era local sagrado das religiões
dos povos que habitaram à beira mar .
uma pedra muito alta de 841 metros de altura , também à beira mar , chamada de
pedra da gávea , pelo que consta no pergaminho é ôca e serviu de esconderijo para
pirata antes do período de colombo . e neste documento tem uma mapa microscópico
mostrando que debaixo desta pedra esta escondido um grande tesouro em pedra
preciosa e ouro , mas há uma maldição para quem for apanhar este ouro , nem sequer
tenho coragem de dizer qual é a maldição de tão terrível que é ?? amigo leitor ! que
maldição você acha que é ? você teria coragem de dizê-la??
fala se também de buracos e grutas existentes neste grande continente que são
verdadeiro portas para outros tempos . a pessoa que adentrar por um desses lugares e
querer viajar no tempo é só pensar para o tempo que quiser que imediatamente a
pessoa desaparece ali e aparece no lugar desejado :. fala-se de um lugar que tem uma
gruta aqui por perto . a descrição do local está descrito assim :
no vale existe um rios de águas volumosas e límpidas . do lado esquerdo do rio existe
montanha muita altas provenientes de erupção vulcânicas . do lado direito também
existe montanhas , não muito altas , que foi o resultado de quebra “ crack” no período
triássico da era secundária . o detalhe que mostra como mapa é que a montanha do lado
esquerdo , no ponto , de toda a sua extensão , onde ela é mais alta existe treis picos , ou
seja ,treis pontas de montanhas onde uma é mais alta do que a outra , se caminharmos
do ocidente para o oriente quando tivermos à nossa frente os treis picos
simultaneamente , veremos seu triângulo equilátero formado pelos treis picos . em
uma dos dois pico à nossa frente está uma caverna , não daquela feita de sedimentação
calcárea , mas feita por explosão de larvas incandescente que resfriaram rapidamente .
existe treis compartimento , que são verdadeiros salões , que mais parece uma igreja
( sinagoga alta e espaçosa ) . no primeiro salão encontramos nascente de águas termais .
no segundo temos entradas do vento e , no terceiro salão que é totalmente escuro , ali
fica a câmara do silêncio . a temperatura do ambiente é excelente :. neste terceiro salão
é o local próprio , onde algumas pessoas já viajaram no tempo . só tem um detalhe , a

218
EM BUSCA DA CAVERNA.
219

viagem no tempo para onde quisermos ir , é sem volta , isto é , não podemos voltar
adverte o pergaminho.
depois de decifrar o pergaminho e fazer anotações em seus livros , já tinha passado
mais de uma semana . o padre lourenço saiu de seus aposentos e encontrou os meninos
reunidos na cozinho ‘beira do fogão . os meninos que ficaram na casa do padre lourenço
contaram para os outros colegas os acontecimentos da vila na sua ausência :- “ vocês
lembram daquela luz no fundo do rio , que mais tarde nós descobrimos que era alga
fosforescente e que atraia os peixes , também fosforescente do local ? pois é , aconteceu
o seguinte “ faziam mais ou menos dois meses que vocês haviam partido para o litoral à
procura de puapi , quando aqui na vila aconteceu uma coisa interessante “ . sobre a lenda
da imagem que deveria ser resgatada das águas do rio por uma criança inocente com
menos e sete anos . vocês lembram ? certo dia , era um sábado o filho da dona gertrudes ,
esposa do dono desta fazenda que tem um menino de cinco anos , o mesmo que havia
desaparecido :. todos ficaram surpresos com o sumiço do meninos e saíram para procura-
lo . até os escravos tomaram parte nesta procura . estavam todos desesperados por que
como a região é infestada de animais selvagem , pensaram que ele teria sido vítima de
alguns desses animais procuraram por todos os matos , florestas , pântanos e morros . e
nada ! nada fazia o menino aparecer . o sino da capela ficou sendo tocado pelo guarda o
tempo todo , para anunciar ao povo o desaparecimento daquele menino que era filho de
uma pessoa de coração tão bom como era a dona gertrudes . já eram quase cinco horas
da tarde . o sol , bem vermelho , se escondia debaixo da montanha . no céu os bandos de
pássaros se evoaçavam de um lado para outro , devorando os pequenos insetos num
verdadeiro equilíbrio . quando não tinha mais lugar nenhum para procurar , nós e mais
quatros escravos fomos até à margem do rio , perto do local onde apareceu o clarão e
imaginem vocês o que foi que nós vimos ?? “ exatamente no local onde apareceu o
clarão , nós vimos o menino andando descalço em cima d’água ( era como se a água
fosse terra firme ) e conversando com uma imagem de n. s. do tamanho natural de uma
mulher . esta imagem tinha do lado esquerdo do peito, o coração que estava aberto e
podia vê-lo em forma de luz vermelha resplandecente .
o menino ficava conversando e andando ao lado da imagem como estivesse
dialogando com ela . nós não ouvíamos a voz da imagem , assim como também , não
ouvíamos a voz do menino por causa do barulhos das águas . mas tinha-se a impressão
que o menino chamava a santa para vir até a sua casa . ficamos por um momento

219
EM BUSCA DA CAVERNA.
220

observando aquela cena . depois nós falamos com o meninos que com o seu sumiço e que
ela estava chorando muito :. ao que o menino respondeu : “ a minha mãe é esta aqui e
eu estou pedindo a ela para ir até à minha casa assim eu fico com duas mães “ vamos
embora , a sua mãe está ficando triste de tanto chorar :. bem eu só vou se esta minha mãe
quiser vir comigo respondeu o menino : então nós ouvimos a voz da santa que falou tão
alto que todos nós ouvimos :- -” eu vou , mas não vou ficar só na sua casa , vou ficar
na capela da vila onde todos os meus filhos passam me ver e conversar comigo a hora
que eles quisere. e falando assim ela saiu do rio carregando e o menino no colo e disse
quando chegou a margem: : “ vamos para a capela “ . e ela veio à nossa frente andando
sem colocar os pés no chão e todos nós caimos de joelhos e depois seguimos a santa até
a vila e , ela mesma colocou-se ao lado da outra imagem . e ficou ali para ser venerada
pelos seus filhos . e , ainda hoje , ela só com os inocentes e puros de coração . mas
mesmo assim quando tem uma pessoa que está muito aflita a ponto de quase perder o
juízo , ela vem aqui e chama “ ho! minha querida mãe , tenha pena deste pobre filho “
dai me a esperança de morrer em paz’’
o menino foi devolvido a sua mãe que veio e vem todos os dias agradecer à n.s do
coração por manter o seu filho com saúde e são : conta-se que ela tem revelado muitas
coisa para as crianças que lá vão . dizem que ela sai do altar , e desce até ao chão e fica
conversando com as crianças :. os adultos ficam só de longe olhando as crianças
conversarem com ela mas ele não ouvem a voz da santa, apenas vêem os lábios se
movimentarem “.

decifrando o pergaminho

assim que eles acabaram de contar a história do outra santa , o padre lourenço
apareceu . ele não quis interromper o relato para não atrapalhar o entusiasmo dos
meninos , então o padre lurenço disse : “ vamos voltar para a casa ? os meninos acharam
estranho quando ele disse vamos : continuou o padre lourenço . eu acabei de decifrar o
pergaminho e cheguei a uma conclusão muito feliz para vocês :- “ em um lugar bem aqui
perto não tão perto , mas não muito longe . ao lado de treis montanhas existe uma delas
que tem uma caverna muito linda e treis salões : existe o salão das águas mornas o
salão do vento e o salão do sono . se vocês encontrarem esta caverna e todos dormirem
no salão do sono pensando em voltar para a sua cidade natal , vocês estarão no dia e ora
que quiserem. esta notícia aguçou os meninos mas imediatamente veio a desilusão ? e o

220
EM BUSCA DA CAVERNA.
221

sebastião ? perguntou um dos amigos . não podemos voltar sem ele . amigo leitor
gostaria de ter aqui sua opinião :- “ você teria coragem de viajar e deixar o sebastião para
traz ?’
todos estavam decidido : não voltariam sem o seu amigo sebastião . procuraram
saber do padre lourenço as coordenadas do local citado no pergaminho e quando o
padre lourenço citou todos os detalhes eles exclamaram :. quase que ao mesmo tempo
:. mas este lugar a que se refere é o planalto de itatiaia . quando nós nos perdemos após
a noite trágica do desaparecimento da memória de sebastião , onde tínhamos a direita os
fios de telégrafo , nós avistamos os treis montes de que fala o pergaminho e o melhor
caminho é nós seguirmos os caminhos dos bandeirante e quando chegarmos no
planalto caminharemos para os treis picos à nossa frente , e lá estará a misteriosa
caverna de que tanto nos falava sebastião .
estava tudo combinado treis colegas subiriam até o vilarejo onde sebastião tinha
ficado e explicaria a ele toda a história para retornarmos ao nosso tempo . mais uma vez
partiram , o etevaldo , o rufino o lobato o rex e o neilson a pé porque a correnteza do rio
estava em sentido contrário . na volta poderia descer de balsa pelo rio , a correnteza
ajudava.mais um mês de penúria e lá ia os meninos pelo sertão agreste do brasil do séc
18. como é estranho , a gente andar por região despovoada . deitar , dormir e levantar
sabendo que a centenas de quilômetros não há vivalma . para isto os nosso heróis já
estavam bem acostumados depois devencer todos os obstáculos os nossos treis heróis
chegaram até o vilarejo onde estava o sebastião . eu disse estava mas deveria estar. quando
o povo da rua viu os meninos chegarem e começar a subir a rua, todos vieram até ao
encontro deles choramdo de compaixão. quando os meninos viram aqueles rostos de
pessoas, começaram a pensar que coisa boa não tinha acontecido: pareciam que eles
estavam triste mas uma tristeza diferente daquela que ja´estávam acostumado a ver quando
moravam em itabira. mas mesmo assim começaram a dizer entre êles:-”porque será que o
povo está nos dizendo isto se nen se quer nós pergumtamos o que queremos?” mas o
etevaldo foi mais profundo nos pensamento e disse:-ӎ realmente estranho o que tenha
acontecido com sebastião.” e começou a dizer bem alta: -” querido povo do vilarejo de
n.s.aparecida,se tem alguma coisa a dizer para nós,diga logo para que saibamos .” e se for
alguma coisa que tenha acontecido como nosso querido sebastião, não precisa dizer porque
nós já lemos nos seus olhos.”antes que o povo respondesse qualquer coisa porque foram
pego de surpresa pelas palavras do etevaldo,êles olharam para a construção da igreja e

221
EM BUSCA DA CAVERNA.
222

puderam notar que ela já estava bem adiantada. viram que muitas pessoas ainda talhava
algumas pedras tornando-as polida.o resto da pedra bruta que saiu da polidez, jazia como
entulho para ser jogado no meio da terra porque resto de pedra não servia para nada.então
o povo foi chegando para perto dos meninos e começaram a dizer:--”foi realmente
horrível. um dia chegamos para o trabalho de manhã cedo. e o sebastião não tinha ainda
chegado.como ele nunca vinha atrasado, fomos até a sua casa. a porta estava fechada por
dentro. arrombamos a porta.encontramos êle falecido em seu leito . foi preparado o funeral
. fizemos o caixão e tudo de cor preta . quando fomos levá-lo para o cemitério pegamos
o caixão e notamos que o mesmo estava muito leve . então abrimos o caixão e tuvemos
uma surpresa . - dentro só estava a sua roupa da cor azul . o seu corpo não estava . todos
nós ficamos apavorados com o acontecido chamamos o padre da capela para benzer o
local . “durante os primeiros dias após o acontecido o povo ficou triste a até hoje
ninguem fala mais “ . os meninos ouviram toda a história e não comentaram nada . depois
falaram assim : “ isto do sebastião desaparecer deste jeito é sinal de que ele fez isto
propositadamente . e está tentando fazer aguma coisa . é melhor a gente voltar “ . e
voltaram só que desta vez voltaram de barsa porque a cheia do rio assim o permitia
devido as chuvas que chegaram .
a ultima partida
depois de pouco tempo de preparo os meninos sairam para conhecer o planalto de
itatiaia , onde provavelmente tinha uma caverna misteriosa de treis compartimento .
agora em vez de ter o sebstião eles teriam a companhia do padre lourenço que resolveu
vir com os meninos conhecer um pouco mais do futuro . a subida pela serra da mantiqueira
até o local onde eles encontraram com os bandeirantes há dois anos , não seria difícil por
que os meninos já conheciam o caminho . ao chegar no topo da montanha deviam
caminhar na direção norte que era o local onde se encontrava, a caminhada era bem
pousada . todos os 19 meninos , o cão e o padre lourenço , os outros ex- escravos ficaram
na casa do padre : e orientados para ficarem so dentro das terras trabalhando, não
deveriam sair na rua e nem comentar com ninguem a saida do padre e dos meninos . para
todos os efeitos o padre estava em seus aposentos e os meninos ?... bem estes não
existiam , nunca existiram .
andavam bem devagar . afinal eles tnham a frente mais de duzentos anos para
chegar ao destino . nesta pequena viagem agora os acampamentos eram de dois dias
para recuperar as forças para a subida da serra . o padre lourenço se adaptava bem às

222
EM BUSCA DA CAVERNA.
223

intempéries da natureza . aliás os meninos gostavam tanto dele quanto do sebastião que
agora estava ausente . gastaram vinte dias para ir do vilarejo até o alto da serra onde
havia um rancho onde os meninos descansaram só um dia . afinal dali em diante a
caminhada seria mais ou menos no plano . o pior já tinha passado . depois de marcar no
mapa feito pelo padre lourenço o local a seguir , partiram em direção a caverna . não
havia caminho . assim como também não havia mata fechada , apenas arbustos retorcidos
e savanas . como era verão o sol era bem quente durante o dia . água nascente para
beber encontravaam a todo instante pelo caminho . e os meninos andavam , e andavam
com o sonho de chagam ao local misterioso. . as vezes eles olhavam para traz e diziam
‘‘ adeus caminho” , só nos veremos daqui a duzentos anos “ falavam com tanta certeza
de que não mais passariam por aquele caminho . no segundo dia de caminhada pela
montanha avistaram a os treis montes , acamparam . acendida a fogueira ficaram
conversando e cantando até tarde da noite . o céu totalmente cualhado de estrelas . e
eles iam comentando .” lá está as treis Maria o escorpião , e lá bem no alto está prócion
, e dizer que estivemos lá um dia... ! .” “ ninguem acreditaia “ que fique só para nosso
conhecimento “ tudo o que aconteceu deve ficar com a gente “ se conseguirmos voltar
apenas a 15 dias ao dia que partimos , que era o previsto do acampamento , para as
pessoas que ficaran não aconteceu nada . simplesmente houve um acampamento de 15
dias . parece que naquela noite ninguen tinha sono para dormir . o padre lourenço
também contava muitas histórias para eles . e ele diziam assim : aproveitem bem pois
esta é a ultima noite de acampamento de vocês no séc 18 . portanto aproveitem . amanhã
poderá ser um dia novo . quando o dia amanheceu , que foi bem mais alegre e claros do
que nos dias anteriores todos eles , os vinte mais o rex , sairam, assim que o sol já esta a
45 graus, em direção à caverna . andaram pouco , apenas seis quilometros quando já
estava ao pé da montanha onde eles avistaram uma coisa maravilhosa : era realmente uma
caverna muito linda e clara , cheia de luzes refletidas do sol .
no primeiro salão tinha uma piscina natural de água morna . o primeiro salão tinha
mais ou menos 30 metros de altura , a água morna caia em forma de cachoeira e saia
fumaça devido a temperatura mais ou menos de 38 graus . a píscina natural comportava
mais de 200 pessoas e não era muito funda , simplesmente para os meninos bricaram o
tempo todo . antes porém de entrarem na piscinaz foram conhecer os outros salões . o
segundo salão era o salão do vento . onde soprava um vento quente e , de acordo
com a passagem do vento pelas pedras , os meninos diziam que havia um canto . realmente

223
EM BUSCA DA CAVERNA.
224

era como se ouvisse uma música pela passagem do vento . depois até o terceiro salão que
era o salão do sono . era um lugar onde a luz entrava tênuamente , no local do sono
mais a frente estava uma escuridão sem fim .
os meninos ficaram brincando na piscina até quando o Sol já tinha mudado de
posição e as sombras de tudo que é fixo começava acaminhar para o oriente . Brincaran
tanto dentro da água que até esqueceram de comer alguma coisa . porque fome não
tinham até o padre lourenço também ficou brincando nas águas . aquele local era como
se fosse o paraiso para eles de tão lindo que era . vejam, querido leitor. a ironia do
destino: saíram à procura da caverna.tiveram muitas aventuras. e agora no final
encontraram acaverna que a sua salvação?: depois de brincar bastante nas aguas
acenderam uma fogueira e foram comer alguma coisa. depois cada um. foi ouvir a música
de seu entendimento . era necessário acalmar antes de deitar no salão do sono . quando
foram para o salão deitar ficaram no local onde a luz era tênue , apesar de ser noite , a
luz da lua entrava pelas gretas da caverna .
antes de dormir , não conversaram como na noite anterior mas todos pensaram
que queriam acordar bem próximo a sua cidade . dormiram todos de uma só vez. depois
de poucos segundos... estava tudo escuro , diferentre com uma abertura bem pequena da
caverna , não havia o barulho da água , nem do vento “ cantando” estava diferente .
sairam do lado de fora para ver e não era mais a caverna de onde eles estavam.todos
sairam ao mesmo tempo . então viram vir aberas uma pessoa alta e eles falaram : - “
padre Lourenço , tudo bem com o senhor ? Quando a pessoa chegou mais perto viram
que não era o padre Lourenço e sim o Sebastião que foi logo dizendo : Pensaram que iam
se livrar fácil de mim hei? como eu vi que vocês estavam próximos de chegar a caverna ,
resolvi desaparecer do cenário da construção da igreja dando um jeito nas coisas , assim
como vocês ficaram sabendo lá no vilarejo de aparecida. agora meus filhos já estamos
em itabira exatamente 15 dias após a saída para o acampamento e vejam ali na frente o
local onde nós acampamos antes de pegarmos o trem subterrâneo e os meninos saíram
correndo e avistaram o local onde eles acamparam na véspera de pegar o trem o local
do acampamento tinha ainda marcas do fogo que queimava o tempo todo . todos
respiraram ailviados . até que enfim : então o rufino perguntou :- “ e o padre lourenço? o
que aconteceu com ele ? ao que sebastião respondeu :- simplesmente ele foi para outro
tempo e para outra época já que ele não pensou como vocês de vir para aqui “

224
EM BUSCA DA CAVERNA.
225

Sebastião reuniu todos e aconselhou para não comentar nada sobre o


acampamento . Seria melhor que vocês ficassem calados e não dissessem nada. “ bem
vamos para a casa. caminharam devagar , não pararam para descansar . Gastaram cerca
de duas horas até o alto pereiras . O povo saiu para a rua para ver o s meninos , Os sinos
das igrejas começaram a tocar incessantemente . Então todos os meninos pararam de
andar e fixaram o olhar para o local onde outrora era o pico do Cauê . Olharam para o
bairro Campestre , para a rua Santana e não falaram mais nada :
Tomaram uma atitude estranha que as pessoas não compreenderam todos foram para
as suas casas onde seus pais esperavam ansiosamente . O Sebastião foi para a sua cassa
que era uma pensão . Entrou em seu quarto e sumiu. Nunca mais foi visto na cidade .
Todos os meninos do acampamento não voltaram à escola no ano seguinte e nem nos
outros anos . Todos cresceram, tornaram se adultos e ninguém nunca mais ouvir falar neles.
Aconteceu uma coisa extranha a partir daquela data na cidade de itabira. de vez em
quando aparecia pelas ruas um padre com atitudes esquisitas que procurava pelo sebastião
e pelos meninos. era o padre lourenço.

POST SCRIPTUUM DO AUTOR


Esta história foi escrita toda de memória.há muitos anos quando eu
perambulava pelo mundo, á procura de alguma coisa , que aliás, ainda procuro, encontrei
por uma estrada deserta um menino de 11 anos que chorava pedindo ajuda para sua mãe
que se encontrava doente em casa.
acompanhei o menino até a sua casa que era uma tapera no pé da montanha.
chegando lá encontrei uma mulher deitada em uma tarimba e em um colchão de palha de
milho. quando dei lhe atenção sobre a necessidade alguma ajuda , ela pediu que eu
chegasse mais para perto do seu leito e ela contou me toda esta história. para mim eu
fiquei apenas umas quatro horas conversando com a moribunda. quando já estava quase
anoitecendo, ela pediu que eu fosse com o seu filho até ao rio trazer água para ela beber. eu
levei o pote na cabeça até o rio, enchí o de água e quando comecei a voltar para a casa
todo o caminho havia desaparecido. O menino também sumiu . E, no lugar onde estava a
tapera, só havia mata virgem e mata “”serrada”” mostrando que alí nunca tivera casa.
Quando voltei e cheguei até a cidade já havia passado um ano. então comecei a contar
para o povo o acontecido e eles ficaram atônitos, pois naquele local não havia montanha e
nem rio.

225
EM BUSCA DA CAVERNA.
226

226
EM BUSCA DA CAVERNA.