Você está na página 1de 49

Unidade I

Matemática Aplicada

Prof. Mario Barbosa


Relações

Par: chama-se par todo conjunto formado


por dois elementos, por exemplo, {1, 2},
{3, -1}, {a, b} indicam pares.

Em Matemática existem situações em que


há necessidade de distinguir dois pares
pela ordem dos elementos. Por exemplo, no
sistema de equações:

x+y=3
x–y=1

S= {2, 1}
Relações

Par ordenado: entendemos por par


ordenado um conjunto de dois elementos,
sendo:
(a, b) = (c, d) ↔ a = c e b = d

Por exemplo:
a) (3, b) = (a, -5) para a = 3 e b = -5

b) (5, y + 1) = (x – 1, 4) =
para x – 1 = 5, onde x = 6
para y + 1 = 4,
4 onde y = 3
Relações

Plano Cartesiano: consideremos dois eixos


x e y perpendiculares em 0, os quais
determinam o plano α. Dado um ponto P
qualquer, P ‫ א‬α. Temos:
Relações

Por exemplo: vamos localizar os pontos


A(2, 0), B(0, -3), C(2, 4), D(-3, 4), E(-1, -3),
F(1, 2).
Relações

Produto cartesiano: sejam A e B dois


conjuntos não vazios. Denominamos
produto cartesiano de A por B o conjunto
indicado A x B cujos elementos são todos
os pares ordenados (x, y), em que o
primeiro elemento pertence a A e o
segundo pertence a B.

A x B = {(x, y)| x ‫ א‬A e y ‫ א‬B}

Por exemplo:
Se A = {1, 2, 3} e B = {1, 2}, temos que :
A x B = {(1, 1), (1, 2), (2, 1), (2, 2), (3, 1),
(3, 2)}
Relações

Representação pelo gráfico cartesiano:


Relações

Relação binária: sejam dois conjuntos, A e


B, não vazios, chamamos de relação binária
de A em B qualquer subconjunto do
produto cartesiano A x B. Por exemplo:
Dados os conjuntos A = {1, 2, 3} e B = {4, 6,
8} efetuando o produto cartesiano
8}, cartesiano, temos:
A x B = {(1, 4), (1, 6), (1, 8), (2, 4), (2, 6), (2,
8), (3, 4), (3, 6), (3, 8)}

Uma relação binária R do produto


cartesiano, em que, y é dobro de x.
R = {(x, y) ‫ א‬A x B | y = 2x}

R = {(2, 4), (3, 6)}


Relações

Relação binária representada por diagrama


de flechas.
Relações

O conjunto A dos primeiros elementos dos


pares de R recebe o nome de domínio (D)
da relação e o conjunto B, de
contradomínio (CD):

No exemplo anterior,
anterior temos que:

D = {1, 2, 3}
CD = {4, 6, 8}

Os elementos do conjunto B que participam


da relação formam um conjunto
denominado imagem da relação (Im):

Im = {4, 6}
Interatividade

Dados os conjuntos A = { -1, 0, 1, 2} e


B = {0, 1, 2, 3, 4, 5} e a relação R
= {(x, y) ‫ א‬A x B | y = x + 1}, determine o
conjunto domínio e imagem.

a) D = {-2, -1, 0, 1} e Im = {0, 1}

b) D = {-1, 0, 2} e Im = {2, 3}

c) D = {0, 1} e Im = {0, 1, 2, 3}

d) D = {-1, 0, 1, 2} e Im = {0, 1, 2, 3}

e) D = {-1, 0, 1, 2} e Im = {0, 1, 2}
Funções

Dados dois conjuntos A e B, não vazios,


uma relação binária de A em B, dizemos
que essa relação é uma função de A em B
se, e somente se, a cada elemento x do
conjunto A corresponder um único
elemento y do conjunto B.

f: A → B ↔ (‫ ׊‬x ‫ א‬A, ‫׌‬ι y ‫ א‬B| (x, y) ‫ א‬f)

f: A → B lê-se: f é função de A em B
Funções

Vamos considerar algumas relações


representadas pelos diagramas de flechas e
ver quais delas representam uma função

a)

Ra não é função de A em B, pois o


elemento 1 do conjunto A não possui
correspondente no conjunto B.
Funções

b)

Rb é função de A em B, pois a cada


elemento do conjunto A corresponde um
único elemento do conjunto B.
Funções

c)

Rc não é uma função de A em B,


B pois o
elemento 4 do conjunto A possui dois
correspondente em B(-2 e 2)
Funções

d)

Rd é função de A em B, pois a cada


elemento do conjunto A corresponde um
único elemento do conjunto B.
Funções

Função constante:

É toda a função y = k, em que k é uma


constante real.
Função

Por exemplo:

Construir o gráfico da função de Թ em Թ


definida por y = 3
Funções

Função linear:
Sendo A e B conjuntos de números reais, e
m uma constante real diferente de zero,
dizemos que uma função
f: A → B, com f (x) = m . x é uma função
linear.
Funções

Exemplo: construir o gráfico da função


y = 2x
Funções

Função afim: uma função é chamada de


função afim (ou função do 1º grau) se sua
sentença for dada por:
y = a. x + b, sendo m e n constantes reais
com m ≠ 0.
Funções

Exemplo: construir o gráfico da função


y = 2x + 1
Funções

A função pode ser: crescente ou


decrescente

O coeficiente ‘a’ da função y = ax + b é


denominado coeficiente angular.
y 2 − y1
a= x 2 − x1

O coeficiente b da função y = ax + b é
denominado coeficiente linear
Funções

Exemplo: a remuneração de um vendedor


de uma loja de camisa é feita em duas
parcelas: uma fixa, no valor de R$ 500,00 e
a outra variável, correspondente a uma
comissão de 12% do total de vendas
realizadas no mês
mês. Qual é a lei de formação
para calcular o valor de remuneração do
vendedor?

R(x) = remuneração do vendedor;


a = 12% de comissão do total de vendas;
b = R$ 500,00 remuneração fixa.

R(x) = 500 + 0,12x


Interatividade

Devido
D id ao desgaste,
d t o valor
l (V) de
d uma
mercadoria decresce com o tempo (t). Por
isso, a desvalorização que o preço dessa
mercadoria sofre em ração do tempo de
uso é chamada de depreciação. A função
depreciação pode ser uma função: o valor
de uma máquina é hoje R$ 1.000,00,
e estima-se que daqui a 5 anos será
R$ 250,00. Qual será o valor dessa máquina
em t anos?

a) V(t) = 1200 – 200t


b) V(t) = 1000 + 200t
c) V(t) = 1000 + 100t
d) V(t) = 1000 + 150t
e) V(t) = 1000 – 150t
Demanda de mercado

Demanda de mercado:

Entende-se por demanda a quantidade de


produtos que os consumidores desejam e
podem adquirir por diversos níveis de
preço e em determinado momento
momento.
Demanda de mercado

Lei geral da demanda de mercado:

Quando se tratar de demanda do mercado,


pense como consumidor, ou seja, ‘se o
preço estiver subindo eu vou comprar
menos’.
menos’

A demanda de mercado é uma função de


várias variáveis, por exemplo, preço por
unidade de produto, renda do consumidor e
etc.
Demanda de mercado

Função demanda

Quando todas as variáveis são constantes,


exceto o preço unitário do produto (p), a
função demanda é a relação entre o preço
unitário do produto (p) com a quantidade
demandada (x), representada por:

p = f(x)
Demanda de mercado

Existe a função demanda para um


consumidor individual e para um grupo de
consumidores, em geral, quando nos
referimos à função de demanda, faremos
referência a um grupo de consumidores e o
chamaremos de função
f nção de demanda de
mercado, representada por:

Qd = -ap + b

Qd = quantidade de demanda por unidade


tempo;

p = preço do bem
Demanda de mercado

Exemplo: quando o preço de um telefone é


de R$ 100,00 são vendidos 200 unidades.
Aumentando R$ 20,00 no preço, verifica-se
um queda de 40 unidades no total de
vendas. Determine a função demanda de
mercado e o seu gráfico.
gráfico

A função demanda de mercado é dada por:

Qd = - ap + b, onde:
Qd = 200 unidades; p = R$ 100,00
Substituindo os valores temos:
200 = -100a + b
Demanda de mercado

160 = -120a + b

Resolvendo o sistema de equações, temos:

200 = -100a + b
160 = -120a
120a + b x ((-1),
1) temos:

200 = -100a + b
- 160 = 120a - b
40 = 20a
2 = a, b = 400

Qd = - 2p + 400
Demanda de mercado

Representação gráfica:

D = - 2p + 400
Oferta de mercado

Oferta de mercado:

É a quantidade de produtos produzidos que


os vendedores desejam para vender a
diversos níveis de preço.
Oferta de mercado

Lei geral da oferta:

Quando se tratar de oferta, pense como um


empresário, ‘se o preço estiver subindo eu
vou vender mais produtos’.

A oferta de mercado é uma função de várias


variáveis, por exemplo, preço do bem,
tecnologia utilizada e etc.
Função de oferta

Quando todas as variáveis são constantes,


exceto o preço do próprio bem (p), a função
de oferta é a relação entre o preço de bem
(p) com a quantidade ofertada (x),
representada por:

p = g(x)

p = ax + b
Função de oferta

Exemplo: quando o preço de um bem é


R$ 10,00, 5 unidades são oferecidas e,
quando o preço é R$ 20,00, 15 unidades são
oferecidas. Determine a equação de oferta e
o seu gráfico.

Seja p = ax +b, substituindo temos:


P1 = R$ 10,00 e x = 5 unidades
10 = 5a + b

P2 = R$ 20,00
, e x = 15 unidades
20 = 15a +b

Resolvendo o sistema de equações


temos:
Função oferta

10 = 5a + b
20 = 15a + b x(- 1)

10 = 5a + b
-20 = -15a - b
-10
10 = -10a
10a

a=1eb=5
p=x+5
Função oferta

Gráfico da função oferta:


Preço e Quantidade de equilíbrio

É o ponto intersecção entre as curvas de


demanda e curva de oferta, onde
D(p) = S(p)
Interatividade

Suponha que a demanda e a oferta de um


bem podem ser apresentadas pelas
seguintes funções:
Q(p) = - 13p + 520
S(p) = 13p – 130
Qual é o preço de equilíbrio?

a) R$ 100,00
b) R$ 10,00
c) R$ 18,00
d) R$ 25,00
e) R$ 24,00
Receita total

Receita total

Seja x a quantidade vendida de um produto,


chamamos de função receita o produto de x
pelo preço de venda, representada por:

R = x.p
Receita total

Exemplo: uma indústria de autopeças tem


um custo fixo de R$ 16.000,00 por mês. Se
cada peça produzida tem um custo de
R$ 6,00 e o preço de venda é de R$ 10,00
por peça, qual a receita que a indústria
precisa para ter um lucro de R$ 20
20.000,00
000 00
por mês?
L=R–C
20.000 = 10p – (6p + 16.000)
36.000 = 4p
9.000 = p

R = x.p
R = 10.9000
R = R$ 90.000,00
Custo total

Custo total

É o somatório de todos os custos que se


tem na elaboração e/ou comercialização de
um determinado produto.

CT = CF + CV

CF = custo fixo que não dependem da


quantidade produzida (x), por exemplo,
aluguel,
a ugue , segu
seguro
o e etc...
etc
CV = custo variável depende da quantidade
produzida (x), por exemplo,
transporte, energia elétrica e etc...
Custo total

Exemplo: uma empresa produz um único


produto com um custo fixo de R$ 1.300,00 e
com um custo variável de R$ 10,00 por
unidade. O produto e vendido por R$ 60,00.
Determine o seu custo total em função da
quantidade q produzida.
produzida

CT = CF + CV
CT = 1.300 + 10q
Ponto crítico (break even point)

P t crítico
Ponto íti ou ponto
t de
d nivelamento
i l t

É o valor de x, tal que R(x) = C(x)

Exemplo:
Um produto, quando comercializado,
apresenta as funções custo e receita dadas,
respectivamente, por C = 3q + 90 e R = 5q,
onde q é a quantidade comercializada que
se supõe ser a mesma para custo e receita.
Determine o break even point.
R(x) = C(x)
5q = 3q + 90
5q – 3q = 90
q = 45
Lucro

Função
F ã lucro:
l
É a diferença entre a função receita (R) e a
função custo (C), representada por:

L(x) = R(x) – C(x)

Exemplo: Um produto, quando


comercializado, apresenta as funções custo
e receita dadas, respectivamente, por C =
3q + 90 e R = 5q, onde q é a quantidade
comercializada que se supõe ser a mesma
para custo e receita. Determine a função
lucro:
L=R–C
L = 5q – (3q + 90)
L = 2q – 90
Margem de contribuição

M
Margem d contribuição:
de t ib i ã

É a diferença entre o preço de venda e o


custo variável por unidade.

Exemplo: uma empresa produz um único


produto com um custo fixo de R$ 1.300,00 e
com um custo variável de R$ 10,00 por
unidade. O produto e vendido por R$ 60,00.
Qual é a margem de contribuição.
Mc = Pv – Cv
Mc = 60 – 10
Mc = R$ 50,00
Interatividade

Uma empresa tem a função receita dada por


R = 6q e uma função custo total
CT = 5000 + 4q, onde q representa a
quantidade produzida. Para que seu lucro
mensal seja igual a R$ 5.000,00, é
necessário que sejam produzidas e
vendidas mensalmente.

a) q = 10.000,00
b) q = 8.000,00
c) q = 12.000,00
d) q = 600,00
e) q = 5.000,00
ATÉ A PRÓXIMA!