Você está na página 1de 32

QUINZENÁRIO INDEPENDENTE AO SERVIÇO DAS COMUNIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA

2 a Quinzena de Agosto de 2009


Ano XXIX - No. 1069 Modesto, California
$1.50 / $40.00 Anual

FALECIMENTO

Morreu Raul Solnado A Juventude em duas


Convenções

Morreu aquele que fez rir Portugal, num tem-


po em que o nosso País vivia numa sonolên-
cia fascizante e onde os coronéis da censura
tentavam cortar as raízes ao pensamento dos
maiores artistas portugueses, e onde também
a justiça (com algumas boas excepções) anda-
va de mãos dadas com o poder retrógada da-
queles que nunca foram eleitos em Portugal.
Raul Solnado ainda teve a sorte de viver 35
anos em democracia.
Portugal perdeu um grande Homem mas os
Céus ganharam um grande Artista. Convenção da UPEC: Princess Kaylee Faria, Supreme President Natalie Batista, UPEC Convention Queen Brittney
Tinha 79 anos de idade. Aceves, State Youth President Mary Batista

RECONHECIMENTO

PALCUS reconhece
Manuel Eduardo Vieira
A PALCUS vai homena-
gear o industrial Manuel
Eduardo Vieira atribuin-
do-lhe o Business Lea-
dership Award, na Noite
de Gala dos Leadership
Awards que se irá reali-
zar em 10 de Outubro no
Club Português de Har-
tford, Connecticut.
Os outros recipientes dos Prémios da PAL-
CUS serão:
Eduardo Vieira - Business
David Leite - National Author - Portuguese
Table
Pilar Coelho - Young Portuguese

JUVENTUDE Convenção da Luso-American - Grupo Vencedor na Categoria “Best Dancing” - Youth Council # 4 Sacramento.
Embaixo: Grupo Vencedor na Categoria “Best Musical / Variety” - Youth Council # 11 Mountain View / Santa Clara

Michael Rosa, best


performer
Durante o espectáculo
da Juventude da Luso-
American, realizado
no San José Center for
the Performing Arts, a
actuação de Michael
Rosa, do San José
Youth Council # 2,
valeu-lhe o Prémio de
“Best Individual Per-
former”, que foi entregue durante o Jantar.
A reportagem da Convenção da Luso-Amer-
ican sairá na nossa próxima edição de 1 de
Setembro.
portuguesetribune@sbcglobal.net • www.portuguesetribune.com • www.tribunaportuguesa.com
2 SEGUNDA PÁGINA 15 de Agosto de 2009

Crónicas do Perrexil
O Ego, meus
caros... J. B. Castro Avila
EDITORIAL
Pensar no futuro Todos nós temos as nossas manias. Visconde de Alameda meus sentimentos e no respeito que
Aproxima-se a passos largos os 30 anos deste jornal. Mais Antes mesmo da proliferação inter- Ex-Ministro dos Assuntos Insulares eu tenho pelas pessoas.
quinze dias e aqui estaremos celebrando esta data, infeliz- nética dos Facebook, Twitter, etc., Ministro das Repúblicas para o Cen- Aconteceu, salvo erro, na última
mente não na California, mas na Terceira onde estaremos eu e o meu amigo Miguel Canto e tral Valley viagem da TAP directamente de Los
passando uns dias de férias. O jornal chegará às vossas Castro, descobrimos uma maneira E como estas coisas são tão visíveis Angeles para a Terceira. Era Dezem-
mãos antes do dia 1 de Setembro, mas a edição do dia 15 de comunicação que serve também (pois são escritas com letra muito bro, e só havia 11 passageiros, 9 da
de Setembro, sairá 4 dias atrasada. As nossa desculpas. para aumentar o nosso ego. Foi um grande para dar nas vistas), e pas- California e dois vindos da Austrália
Prometemos no entanto que durante o ano do aniversário processo muito simples. sam por tantas mãos, não é que outro para irem de férias às Ilhas.
iremos celebrar esta festividade de diferentes maneiras. O Miguel manda-me semanalmente dia recebemos uma carta do Museu Havia também uma dúzia de fami-
O importante para já é que este nosso/vosso jornal conti- num envelope amarelo os jornais do Smithsonian a pedir cópias desses liares dos tripulantes.
nue a ser o arauto dos desejos e anseios da nossa comuni- Ao chegarmos às Lajes, Terceira, o
Pico, e abaixo do meu nome acres- envelopes, porque, segundo diz o
dade. Que mostre a todo o mundo aquilo que somos. tempo estava muito feio, muito escu-
Verdadeiramente aquilo que somos, sem maquilhagens centa pequenas maravilhas titulares, psicólogo do Museu, esta é uma
ro, muito vento e com possibilidades
falsas de ser o que não somos, nem nunca fomos, nem tais como: nova maneira de incutir na alma
de chuva, se não mesmo alguns chu-
mesmo queremos ser. das pessoas um certo orgulho de ser viscos.
José Ávila aquilo de que gostariam de ter sido. Fui o primeiro a sair do avião e fi-
Quando morrem grandes artistas, como é o caso de Raul Vice-Rei das Índias e Algarves É muito salutar e faz bem à saude, quei parado no cimo das escadas.
Solnado, é que pensamos quão triste e miserável era Por- Comendador dos Mares Nunca Dan- dizem eles. Pude ver um autocarro lá embaixo
tugal (político) antes do 25 de Abril. tes Navegados E mais. Também o Correio-Mór da e uma hospedeira. Esta perguntou à
Como foi possível não se poder falar de nada durante tan- Visconde da Graciosa e Carapacho America, congratulou-nos por esta hospedeira de bordo, que estava ao
tos anos, não se poder escrever livremente como hoje se Super Editor do Maior Jornal Portu- tão brilhante ideia, que faz com que meu lado: “Vieram passageiros na
faz, não se escrever poemas onde se mencionasse a pala- guês a Oeste de Mississippi os carteiros possam aprender uma
vra LIBERDADE. A censura cortava palavras como la- primeira classe?”
Maior Cronista Taurino do Pacífico nova linguagem a que não estavam Respondeu a hospedeira da TAP:
drão, assalto, prostituta, greve, reunião de estudantes, e
tantas e tantas outras. Uma vergonha. e Arredores habituados. “Não, não vieram.”
Muitos de vós se lembrarão que quando chegávamos à É incrível como uma bricandeira Então, a hospedeira da Terceira vi-
Terceira de barco, vindos das outras Ilhas, abriam-nos as E eu, de vez em quando, mando- tem esta repercussão. Se não se ti- rou-se para o condutor e disse-lhe
nossas malas e os caixotes que trazíamos. Que liberdade lhe cópias do semanáraio faialense vesse passado connosco, eu nunca que ele poderia ir-se embora. Vi o
era essa? Tribuna das Ilhas ou então CD’s de acreditaria. autocarro desviar-se do avião, vazio,
Como foi possível suportar tanta idiotice, tanta malandrice Fados antigos, com o mesmo tipo de e nós descemos a escada do avião e
daqueles que nos queriam mandar, sem nunca, mas nunca, referências elogiosas, tais como: Outro dia numa reunião de amigos percorremos cerca de 150 metros
terem sido eleitos por nós. perguntaram-me qual teria sido a a pé, com o vento frio e húmido a
Miserável País que vivia com as costas voltadas para o Miguel Canto e Castro maior “bofetada” que eu tinha apa- bater-nos na cara, até ao edifício do
Mundo. Só Portugal é que era bom, todos os outros não Barão do Pico e Arrochela nhado na minha vida. Terminal.
prestavam. Sinceramente devo ter apanhado Naquele momento senti vergonha de
Vice-Rei do Brasil Antes da Desco-
A França, a Bélgica, a Holanda, a Inglaterra, perceberam várias, em diversas fases da minha ser da mesma terra daquela jovem
berta
os ventos da mudança e Portugal cego e atrasado, conti- vida profissional ou social, mas há hospedeira.
Comendador das Almas Penadas
nuou a cantar as glórias do Minho a Timor. uma que eu nunca mais esquecerei. Só espero que essa hospedeira tenha
Embaixador das Ideias Progressistas
Ainda hoje estamos a pagar esse atraso. Que raiva... Não por ser muito importante, mas pesadelos de vez em quando, pelo
e Abrangentes
por me ter ferido enormente nos acto inqualificável que praticou.
jose avila

Year XXIX, Number 1069, Aug 15, 2009


COLABORAÇÃO 3

Tribuna da Saudade
Pregadores de Santo Antão
Ferreira Moreno

E
mbora conhecido mun- Frutuoso, a Praia da Vitória porquinho. te”, em Fevereiro
dialmente pelo nome dispunha duma ermida de San- Aparentemente, o diabo com- de 2000 relembrou
de Santo António do to Antão “pegada na rocha”, e prazia-se em atormentar o ce- a figura empolgan-
Egipto, onde nasceu duma fortaleza “pegada com nobita Santo Antão com as mais te do padre Vicente
em 251 e faleceu em 356 com a o mar” de nome Santo Antão. sedutoras e obscenas tentações, Afonso (que ainda
provecta idade de 105 anos, no Essa ermida desapareceu por quer na voluptuosa configuração conheci em vida),
entanto, completo nos anos 1800, devido duma mulher, quer na asquerosa cuja voz altisso-
p’ra nós portugueses ele conti- a terramotos então ocorridos, forma duma porca, o que certa- nante adaptava-se
nua a ser carinhosamente mais enquanto a fortaleza, ou antigo mente motivou um afamado pre- excepcionalmente
conhecido com o nome de Santo forte, é presentemente um acer- gador a proclamar que a imagem à pregação elo-
Antão. vo de ruínas. da porca, aos pés da estátua de quente e música
Cruzando até à ilha de S. Jorge, Santo Antão, representava a mu- clássica. Um au-
Linda festa vai na rua, deparamos com a freguesia de lher de maus poderes, “daquelas têntico crisóstomo,
Com linda iluminação, Santo Antão, com a respectiva que dão calda aos homens trans- mas com o “se-
P’ra festejar o bom santo, igreja dedicada precisamente ao tornados com os touros na Ter- não” de possuir,
Meu querido Santo Antão. mesmo Santo Antão. ceira depois de toureados”. simultaneamente,
Curiosamente, durante o domí- Concordo que, originalmente, o um temperamento
Ó meu senhor Santo Antão, nio espanhol, as ilhas das Flores porco denotava o diabo, mas no irascível, que lhe
Deparai-me o que eu perdi: e do Corvo foram abrangidas decurso do século 12 esta repre- causou, frequen-
O meu saquinho de pão, com o nome de Ilhas de Santo sentação artística adquiriu novo temente, situações
Que há três dias não comi. Antão. (Manuel Luís Maldona- significado, devido à populari- desagradáveis.
do, Fénix Angrense, pgs. 690- dade dos Irmãos Hospitalares Num sermão, en-
Na sumptuosa Igreja Matriz de 691, ed. 1990). de Santo Antão, ordem religiosa comendado p’rà
Nossa Senhora da Estrela, na O dia da festa litúrgica em honra fundada em 1906 em Clemont Festa de Santo An-
“minha” Ribeira Grande, em S. de Santo Antão ocorre, anual- (França), cujas obras de carida- tão, o padre Vicen-
Miguel dos Açores, existe um mente, aos 17 de Janeiro. O seu de granjearam a admiração do te Afonso serviu-
altar lateral com a imagem do patrocínio é invocado contra os povo, acumulando-lhes o prvi- se do púlpito p’ra rafim de Chaves, distinto poeta
anacoreta Santo Antão. Essa contágios e doenças de pele; a légio de poderem apascentar, rebater a superstição popular, e pregador, natural da Vila do
imagem é deveras preciosíssi- ele recorrem os salsicheiros, por- livremente, os suínos com os dispensando culto a um animal Porto. Com graça e ironia, no
ma, pois advém do século 16 ou queiros e cesteiros, bem como é frutos das matas. P’ra maior ên- nojento e imundo, e símbolo da seu sermão, lamentou que Santo
17. Na Vila do Porto, em Santa considerado o protector dos por- fase, atavam uma campainha no tentação, equiparando o porco Antão, no dia da sua festa, “se
Maria, encontramos a igreja de cos e dos animais em geral. pescoço de uma ou mais porcas com o diabo. Gesticulando e condoía por ouvir passar as la-
Santo Antão, cuja primitiva er- Na iconografia é costume repre- em cada vara de porcos. Esta a batendo no púlpito, num paro- bregas da Serra, levando à cabe-
mida foi erecta no século 16. A sentar Santo Antão segurando, razão da sineta ou campainha no xismo de indignação, o pregador ça púcaros, caçarolas e até potes
sua antiguidade está compro- numa das mãos, um livro sim- cajado ou bordão de Santo An- atacou a sensualidade contra a com massame de banha, e eu
vada através das referências de bolizando o Livro da Natureza e tão. qual Santo Antão se fartara de p’ràqui a tenir, a tenir, a tenir”.
Gaspar Frutuoso no Livro III empunhando (na outra mão) um O saudoso sacerdote, professor lutar e rematou à mulher todas O tenir, neste caso, coincidia
das “Saudades da Terra”, capítu- cajado encimado com uma si- e historiador, dr. Jacinto Manuel as culpas do pecado da carne. com a sineta dependurada no ca-
los 6, 18 e 19. neta. Junto aos pés encostam-se Monteiro da Câmara Pereira, no Em contraste com este estilo de jado de Santo Antão.
Na ilha Terceira, no tempo de alguns animais, entre os quais o mensário mariense “O Baluar- oratória destacou-se o padre Se-
4 COLABORAÇÃO 15 de Agosto de 2009

Do Tempo e dos Homens


ESCOLAS Manuel Calado
PORTUGUESAS mbcalado@aol.com

SAN JOSÉ e Palavras, Só Palavras


NEWARK, Ora então, vamos lá retomar a
conversa.A semana passada não
Caro,que estás arquitectando e
ditando estas falas, que alguns
nas suas infinitas manifestações
.Deus não está além, num parai-

CALIFÓRNIA houve falas. Fui cavar em outra


vinha.Mas como é a falar que a
gente se entende. Ou dsentende,
dos meus irmãos vão julgar, que
são um produto de genuino Bair-
rada ou Bagaceira.Mas não são,
so secreto, entre as galáxias do
universo.Deus está aqui e ago-
ra. Está dentro e fóra de nós.A
vamos lá dizer alguma coisa, não senhores.que ainda hoje cá Vida é a única coisa que merece
para não ficar calado.Que, cala- não entrou nenhum dos elixires ser adorada e defendida pelos
COMUNICADO do, devia ser o meu estado nor- que mencionei. E Tu bem sabes humanos.A Vida é completa.
mal.Diz a sabedoria do povo que, que é verdade.” Nada lhe falta.Nós, os animais e
A ESCOLA PORTUGUESA de San José, iniciará o novo quem muito fala, muito erra.Mas É assim que eu Lhe falo, de cara as plantas, somos parte desse cor-
Ano Lectivo de 2009/10, na Terça-Feira, dia 8 de Setem- falar, é a melhor prova de que es- levantada e sem aquela pedin- po imenso.A vida é inteligente.A
tamos vivos e a estrebuxar.E es- chisse humilhante de mendigo, vida fala e pensa, como eu estou
bro, às 5:15 da tarde, dia destinado a matrículas e funcio- tar vivo,é estar em sintonia com como se falasse a um ditador falando e pensando.A vida é esse
nará depois às Segundas-Feiras das 5:15 às 7:00 da tarde. a sinfonia do Universo. irascível e mal humorado , sem- sopro místico, que agita a matéria
As aulas terão lugar nas instalações da P.O.S.S.O., situada Com o correr do tempo, a nossa pre de chicote na mão e pronto a e a transforma.A mosca não fala,
a 1115 East Santa Clara Street, em San José. natureza, tanto física como psí- castigar. mas é capaz de ildudir o homem
quica e intelectual modifica-se. Quando comecei a dizer coisas mais sábio e inteligente, não se
Eu, hoje, não penso como pen- aos meus irmãos da chamada di- deixando apanhar.A vida é béla,
A ESCOLA PORTUGUESA de Newark, iniciará o novo sava quando, com os meus vinte áspora, no “papel” e através das enigmática, misteriosa, por vezes
Ano Lectivo de 2009/10, na Quarta-Feira, dia 9 de Setem- e quatro anos, entrei no jorna- ondas hertesianas,a minha forma perigosa, e não há mais nada para
bro, às 5:30 da tarde, dia destinado a matrículas e funcio- lismo, por uma porta que se me de dizer era mais aérea, mais po- alem dela.E quando algum dia o
nará depois às Quartas-Feiras das 5:30 às 7:00 da tarde. abriu sem eu esperar.As “Cróni- ética, mais baseada nos cânones Sol se apagar, nada mais restará,
cas da Minha Rua” e as poesias da tradição espiritual herdada. porque não haverá mais pensa-
As aulas terão lugar nas instalações do Centro Pastoral de então, sao diferentes das que Nestas falas irreverentes que ago- mento para o conceber.
Português de Newark, situado a 5800 Thornton Avenue, hoje consigo fazer.O meu pensa- ra vos atiro à cara,procuro incluir E chegou a altura de repetir o
em Newark. mento, a minha visão do mundo, sempre qualquer coisa relacio- título destas falas: “Palavras, Só
dos homens e do universo, modi- nada com a essência, o sumo, o Palavras”.E eu só queria possuir
Ambas as escolas se destinam a crianças ou jovens que ficaram-se .O meu estilo de agoa, espirito das coisas .Estes anos da a convicção do Sábio Sócrates e
não é o mesmo de então.Agora “maratona final”, trouxeram-me dizer: “ Só sei, que não sei coisa
queiram aprender ou aperfeiçoar os conhecimentos da é simples, sem redondilhas, sem um descartar das teias que pri- alguma”.Mas chegar a esse esta-
Língua Portuguesa. Apelamos à comunidade em geral, e preocupações estilisticas, por meiro enredaram o meu enten- do de espirito, de saber que nada
aos pais e avós em particular, para que incutam nos seus vezes controverso,inconveniente dimento, e formaram o universo sabemos, é já saber alguma coisa.
filhos e netos o gosto pela aprendizagem da Língua de Ca- ,contundente,malcriado.Tratando místico da minha forma de ser e Que a verdadeira sabedoria, está
Deus por tu, como meu compa- de estar no mundo. em aceitar humildamente as nos-
mões, a sexta língua mais falada no mundo. Ajudem os nheiro e meu irmão. Nunca estive tão imbuido da re- sas limitações, a nossa ignorân-
seus filhos e netos a que se sintam orgulhosos da límgua Quando isto acontece, dirijo- alidade do mundo como agora. cia.Se os “profetas” e os fanáticos
dos seus antepassados. me ao meu misterioso Amigo, e Nunca me preocuparam tanto os julgam que sabem tudo, e estão
digo-lhe : “Tudo isto é por Tua ódios e os fanatismos.Se o mun- dispostos a cometer crimes hor-
Os alunos interessados podem matricular-se a qualquer causa.Tu és o dono do mundo,dos do, como o conhecemos, algum riveis, para”glória de Deus”, ou a
pensamentos, e de mim próprio. dia se espatifar numa orgia de arrecadar milhões, para a compra
altura, de preferência no primeiro dia de aulas, 8 e 9 de És a fala com que falo. Bem Te ódio e de fogo atómico,o respon- de uma nova arca,ou um luxuoso
Setembro, em San Jose e Newark, respectivamente. sinto a fervilhar dentro da minha sável será o fanatismo suicida iate, para se salvarem a eles e a
“cachimónia”.Que eu, por mim, das religiões . mais ninguém, então, o mundo
Para outras informações, podem telefonar-me pelos núme- sou apenas um parafuso. Um pe- A Vida, é a única religião que está perdido.
daço de matéria viva que, ao fim os povos deviam seguir.Diz o
ros (408) 251-8000, (510) 710-5804 ou correio electróni- Palavras, só palavras.Mas será
e ao cabo, é apenas um pedaço meu amigo filósofo de Agua de
co Tonysil@aol.com. Podem também contactar a POSSO mesmo assim ?
do teu próprio corpo.És tu, meu Pau, que Deus, é a vida.A vida
(408) 293-0877, para informações sobre as aulas em San
José, e o Sr. Manuel Alves (510) 793-6572 e (510) 301-
0360, sobre as aulas em Newark.


Director Pedagógico
António Silveira

Português para
Crianças
A Escola JARDIM INFANTIL Segundas-feiras e/ou Quintas-
DOM DINIS apresenta Portu- feiras das 15:30h às 17.00h
guês Para Crianças, que terá iní-
cio em Setembro. Este programa Chame já e reserve um espaço
tem como objectivo assistir fa- para a sua criança para Setembro.
mílias que tentam ensinar as suas Para mais informações chame
crianças a manter e desenvolver para o número
a língua portuguesa durante a in-
fância. (408) 993-0383
Crianças entre os três e os seis ou visite www.domdinis.com
anos de idade:

Segundas-feiras e/ou Quintas-


feiras das 9.30h às 11.00h

Crianças entre os cinco e os


nove anos de idade:
COLABORAÇÃO 5

Muito Bons Somos Nós


Estranho tempos estes
Joel Neto «No fim, somos até capazes de nos acusarmos a nós próprios de traição conjugal. O
neto.joel@gmail.com que não queremos é ser obrigados a consumá-la. Isso, sim, dá trabalho. Isso, sim, já
não tem emoção nenhuma. E não é por haver crise que passará a ter.»

A
recessão tem destas e será apresentada como obra de tentar, no fundo, preencher com foi ‘fornicar” a palavra que ele zes de nos acusarmos a nós pró-
coisas. Os despedi- arte na Feira de Imobiliário de algo de novo o espaço vazio na usou] que eu já nem sei como é prios de traição conjugal. O que
mentos sucedem-se. Milão. Mas tem merecido uma minha alma.” que ainda têm vontade de forni- não queremos é ser obrigados a
Quem não é despe- tal projecção mundo fora que Depois, no entanto, lembro-me car, se é que ainda a têm.” consumá-la. Isso, sim, dá traba-
dido passa a ter de trabalhar em está já em estudo a sua distri- que, se há hoje em dia alguma Não, aparentemente não temos. lho. Isso, sim, já não tem emoção
dobro. Onde não há rescisões buição comercial como apenas coisa mais relevante para a carac- Os nossos pais, se eram fiéis, nenhuma. E não é por haver crise
contratuais há pelo menos desin- mais uma caixa de ferramentas terização da civilização ociden- eram-no por necessidade e obri- que passará a ter.
vestimento. O discurso cresce em para a despensa lá de casa. Apa- tal do que o sensualismo emo- gação. Teriam talvez alguma
catastrofismo. A atmosfera puxa rentemente, e apesar de destruir cional, essa coisa é a preguiça. moral, mas tinham seguramente
para baixo. O medo impera. Por muitos casamentos, a infidelida- E, inevitavelmente, ponho-me a mais medo. Nós, pelo contrário,
outro lado, os restaurantes estão de salva outros tantos. E como, pensar se, mais do que a simples não temos medo de nada – e a
à pinha. Os bares e as discotecas, muito mais do que a infidelidade, necessidade de provocar e expe- moral é uma questão que nem
se se queixam, é por ladainha. o que interessa são as provas da rimentar emoções, esta inusitada se põe. No fim, somos até capa-
Concertos, teatros, exposições, sua existência, Björn Franke e os caixinha de ferramentas não res-
cinemas – a todos acorre aparen- seus apoderados entendem que ponderá à urgência de provocar-
temente mais gente do que antes, há espaço para a comercialização mos e experimentarmos emoções
tal a necessidade de evasão e de em massa do kit. Que faz o mes- sem sequer termos de dar-nos ao
cor. E, entretanto, um designer de mo efeito que a infidelidade ela trabalho de viver as aventuras
Londres lança o kit Traces Of An própria – mas, como um compri- que em primeiro lugar as provo-
Imaginary Affair. mido, actua muito mais depressa cariam. Ou seja: se, mais do que
“Vestígios De Um Caso Extra- do que ela. contornar o problema da falta de
conjugal Imaginário”, eis como E eu, ao ler sobre a história, parceiro para uma infidelidade
poderemos chamar-lhe em Portu- penso primeiro num cozinheiro. cirúrgica, o kit “Vestígios De Um
gal. E no que consiste ela? Numa Anthony Bourdain, mais propria- Caso Extraconjugal Imaginário”
caixinha com oito ferramentas mente – e no seu extraordinário não contornará mesmo a nossa
diferentes, todas elas destinadas “Cozinha Confidencial”, manual falta de vontade para essa infide-
a inscrever no corpo e na indu- sobre a condição humana como lidade.
mentária do seu proprietário os ela pode ser observada a partir Ainda no outro dia o dono de um
mais variados indícios de que o das cozinhas dos grandes restau- tasca onde arrisquei almoçar me
mesmo anda a pular a cerca. Há rantes da Nova Inglaterra. Diz falava do quanto ao mesmo tempo
uma bomba de sucção para si- Bourdain, a propósito dos seus inveja e deplora a minha geração.
mular chupões. Há cordas para primeiros e determinados pas- Dizia-me ele, gordo e enxovalha-
imprimir sequelas de sexo ma- sos em direcção ao Olimpo da do: “No meu tempo isto não era
soquista. Há um alicate que fin- culinária: “Olho frequentemente assim. Tínhamos de ir às prosti-
ge mordidelas. Há um garfo para para a minha vida, à procura da- tutas [não, não foi ‘prostitutas’
provocar arranhões. Há adesivos quele momento em que o cami- a palavra que ele usou]. Vocês,
com marcas de batom. Há cápsu- nho se divide em dois, a tentar hoje em dia, têm tudo. Não há ra-
las com perfumes estranhos. Há descobrir exactamente quando é pariga que não esteja disponível.
cabelos para colar à roupa. Há até que me tornei mau e passei a ser E eu só não percebi ainda se isso
uma lima que provoca nos joelhos um sensualista esfomeado por é bom ou é mau. Vocês, hoje em
feridas supostamente resultantes prazer e ardente por excitação, dia, não dão valor a nada. Anda
da fricção numa carpete. sempre à procura de chocar, di- tudo para aí a fornicar de tal ma-
A ideia pertence a Björn Franke vertir, aterrorizar e manipular – a neira [não, obviamente que não

Traços do Quotidiano
Margarida da Silva
Dia de Portugal em
santamarense67@yahoo.com Sausalito
O
Dia de Portugal foi americanos, muitos dos quais uma linda exposição de quadros
celebrado, pela pri- souberam do acontecimento atra- dos artistas Goretti Carvalho,
meira vez, na sede da vés da imprensa local e da página Maria Fernanda Simões, Hélia
Irmandade do Divi- na internet. ( www.idesst.org) Borges Sousa e do Reverendo
no Espírito Santo e Santíssima O bem delineado programa co- Padre Manuel Bernardo Soares
Trindade, mais conhecida pela meçou com um discurso alusi- que, infelizmente, faleceu recen-
I.D.E.S.S.T., de Sausalito, no sá- vo à celebração pelo Cônsul de temente, mas, cujas obras foram
bado, 6 de Junho, 2009. Em boa Portugal em San Francisco, Dr. muito apreciadas, incluindo o
hora a direcção decidiu participar António José Alves de Carvalho. quadro inacabado das Portas da
num evento tão importante para Seguiu-se a actuação do Côro Cidade de Ponta Delgada.
a comunidade portuguesa do Ma- Juvenil da Igreja Nacional Portu- Na sala de jantar havia repre-
rin County. Esta Irmandade, fun- guesa das Cinco Chagas, Grupo sentações da Padaria Nove Ilhas,
dada em 1888, está de parabéns Folclórico Tradições da Nossa Restaurante LaSalette, Fábrica
pelo grande sucesso do mesmo Terra, Hélio e Maria das Dores de Queijo Matos, HJC Imports,
que atraíu pessoas do norte ao sul Beirão, Júlia e David Borba, a Viños Unico e Adega Morey que
da área da baía de San Francisco. fadista Ilda Maria e o Conjunto ofereceram provas e vendas dos dados, colchas de retalhos,etc,. se lembravam do velho fiadeiro
Como era a primeira vez que se de Guitarras Sete Colinas com seus produtos. No Snack Bar O que atraiu muita gente foi um da sua mãe ou da sua avó, fica-
celebrava o Dia de Portugal nesta Helder Carvalheira, João Carda- foram servidas as saborosas bi- fiadeiro, por acaso feito no Cana- ram igualmente encantados mas
área, confesso que tinha alguma deiro e Manuel Escobar. Todos fanas, sanduíches de linguiça e dá, usado pela minha mãe, Mar- nostálgicos pela demonstração.
dúvida quanto ao seu resultado. os artistas, que voluntariamen- malassadas. garida Nunes, que demonstrou O Sr. Osvaldo Palhinha e esposa
Porém, foi uma enorme surpresa te se fizeram representar, foram Na capela, além da exibição de o seu funcionamento, incluindo estiveram presentes a filmar o
ao chegar ao salão da I.D.E.S.S.T., calorosamente aplaudidos. Bem várias coroas do Espírito Santo no o cardar da lã. Algumas crian- evento para um futura apresen-
vê-lo cheio de gente e, para meu hajam! altar, estiveram expostos muitos ças, que nunca tinham visto um tação no Califórnia Contacto da
prazer, um grande número de No salão principal encontrava-se e lindos trabalhos de rendas, bor- fiadeiro na sua vida, observaram RTPi.
embevecidas. Muitos adultos que
6 COMUNIDADE 15 de Agosto de 2009

SATA Internacional já pode transportar animais


des específicas dos seus passageiros, um modelo de distribuição, marketing e
por uma questão de proximidade. “ Foi vendas mais contemporâneo e abrangen-
mais um passo que demos no sentido de te, viabilizando várias e positivas inova-
satisfazer os nossos clientes que viajam ções como a venda de lugares on-line,
nesta rota tão significativa para nós, inclusive no site www.sata.pt.
pois sempre tivemos consciência da Finalmente, é de salientar que os pas-
importância que os animais de estima- sageiros devem contactar os serviços
ção representam para os seus donos e o da SATA (707 22 72 82) ou www.sata.
agrado que é, para estes, poderem levar pt para confirmarem a disponibilidade
os seus animais quando viajam ” refere dos voos e procederem à respectiva pré-
o Presidente da transportadora. reserva de transporte.
Recorde-se a este propósito, que foi
recentemente concedido à SATA In-
ternacional o estatuto de operador re-
gular nos voos para os Estados Unidos
e Canadá em contraposição ao formato
Desde o passado dia 29 de Julho, que a viagens com origem e destino nos Estados de charter. Este formato de operador
SATA Internacional está reconhecida Unidos. regular permite a implementação de
como “Cargo Hold Pet Carrier ” nos voos A este propósito, António Gomes de Me-
com destino aos Estados Unidos. nezes, Presidente do Conselho de Ad-
Na prática, isto significa que passa a ser ministração do Grupo SATA, salientou
possível, a partir daquela data, o transpor- que o Grupo SATA procura, de modo Apontamentos da Diáspora
te de cães e gatos no porão dos aviões nas pró-activo, ir ao encontro das necessida-

Caetano Valadão Serpa


v.serpa@verizon.net

Da Casa Pia em Portugal às


Instituições Católicas da Irlanda

O
s abusos sexuais de crianças e sas, entre elas os Christian Brothers e Sis-
menores têm sido e continuam ters of Mercy, conhecidas em todo o mun-
a ser dos comportamentos mais do cristão. Infelizmente, tal missão falhou
indignos da espécie humana, escandalosamente. Depois de inúmeras
com a agravante de que não provêem ape- queixas e muitas suspeitas de actividades
nas de indivíduos psicológica e mental- ilegais e criminosas, um inquérito foi re-
mente insanos, praticam-se no próprio seio querido e realizado, revelando seis déca-
CASAL OFERECE-SE PARA TRABALHAR de instituições destinadas aos mais dignos das de graves abusos físicos, psicológicos
em limpesas, quer em casas particulares ideais éticos. Dois casos tornados públicos e sexuais de crianças e menores.
nos últimos tempos são disto exemplos fla- Há semanas, foi tornado público o relató-
ou em escritórios. rio desta investigação de nove anos, base-
grantes.
Contactar 209-664-0352 Primeiro, a Casa Pia em Portugal, funda-
ado no testemunho de duas mil vítimas,
homens e mulheres que frequentaram as
da pela rainha D. Maria I, a Pia, donde lhe
numerosas escolas destas instituições. Um

DISH Network
vem o nome, e organizada pelo Intendente
relatório de 2600 páginas, cinco volumes
da Polícia, Pina Manique em 1780, afim de
de crimes silenciados durante mais de meio
amenizar as devastadoras consequências
século. Silêncio endémico e compromete-
sociais do Terramoto de Lisboa de 1755.
DISH NETWORK LÍDER DO FUTEBOL Durante três séculos, tem educado com re-
dor do mais imoral narcisismo eclesiástico
que se possa imaginar, em que a reputação
conhecido sucesso milhares de jovens de
da instituição é mais valorizada que a dig-
ambos os sexos, tornando-se a maior insti-
nidade individual, neste caso, crianças e
tuição educacional portuguesa dedicada à
AGORA PODE VER A LIGA ESPANHOLA NO ESPN formação de jovens em risco de exclusão
jovens abusados impunemente por pessoas
LIGA PORTUGUESA NA RTP E SPT NO PACOTE LUSO adultas, algumas delas com votos de cas-
social ou sem apoio familiar. Ocupou o
tidade e pobreza, as duas mais admiráveis
$24.99 Castelo de São Jorge até à invasão francesa
privações da vida.
e hoje, com 10 Colégios e cerca de 4700 es-
RTP $4.00+100 CANAIS TURBO BRONZE $19.99 AO tudantes, conta com mais frequências que
Já em 2002, a Igreja Católica e o Governo
Irlandês, prevendo o resultado escandalo-
MÊS muitos institutos superiores e universida-
so do inquérito, haviam acordado, mutua-
des portuguesas da actualidade. Através
Especial válido por 12 meses. dos tempos, muitas figuras portuguesas de
mente, em indemnizar as 13800 vítimas.
As instituições católicas contribuiriam
destaque nacional passaram pelos colégios
Instalamos de 1 a 4 tv’s com contrato de 2 anos casapianos e nenhuma outra instituição de
com 175 milhões de dólares e o governo
irlandês com 1.5 bilião, na condição de as
ANTENA ESPECIAL SÓ PARA A RTP E RADIO E ensino deu ao país tantos oficiais do exér-
vítimas renunciarem ao direito de proces-
cito e da armada.
CANÇÃO NOVA Em 1981, porém, a Polícia Judiciária apre-
sar o governo e a igreja, e manterem em
COMPRE A ANTENA E NÃO PAGA NADA POR MÊS segredo de justiça a identidade dos abusa-
sentou queixa contra os responsáveis da
dores! Até ao presente, o acordo estabele-
LIGUE AGORA MESMO PARA LUCIANO COSTA Casa Pia por abusos sexuais documen-
cido está parcialmente cumprido, com o
tados com fotos comprometedoras. No
governo a pagar com o erário publico pelos
1-559-435-1276 CELL 1-559-347-8257 entanto, quando tudo parecia preparado
crimes da igreja e as instituições religiosas
para se iniciar o processo, as fotografias,
Falamos Português COSTA ELECTRONICS misteriosamente, desapareceram dos ar-
detentoras de vastos bens imobiliários a
reclamarem falta de recursos financeiros,
quivos policiais. Só em 2002, antigos estu-
DEALER AUTORIZADO DO DISH NETWORK oferecendo em contrapartida serviços de
dantes da instituição, alguns deles forma-
aconselhamento psicológico e possibilida-
dos em advocacia, formalizaram de novo
des educacionais às vítimas e suas famílias.
as acusações de abuso e de tráfico sexual
Por sua parte, o Vaticano, uma das mais
de crianças e jovens da instituição, envol-
ricas instituições do mundo, mantém-se à
vendo personalidades nacionais e estran-
margem do problema e o governo irlandês,
geiras. Os julgamentos iniciaram-se dois
refém do moralismo católico, ainda bem
anos depois em 2004, mas até hoje, com
patente na legislação do país referente ao
adiamentos e apelos processuais contínu-
divórcio e ao aborto, prefere as benesses
os e com sérias suspeitas de interferências
da igreja à árdua tarefa de fazer justiça às
alheias ao processo normal de justiça, o
vítimas dos abusos sexuais das poderosas
sistema legal português parece incapaz de
ordens religiosas irlandesas.
resolver o problema.
A complicar ainda mais todo este infeliz
Um pouco mais a norte, na Irlanda, a ilha
cenário, é aguardada para breve a publi-
verde sem serpentes, onde o clero católico
cação do resultado de outro inquérito ao
até hoje tem gozado de imensa influência e
clero diocesano também acusado de abu-
privilégios, este género de encargo sócio-
sos sexuais. A Presidente da Irlanda, Mary
filantrópico subsidiado pelo governo irlan-
McAleese, de visita a Boston, recomenda
dês foi entregue à Igreja Católica. Esta, por
uma séria reflexão nacional sobre o pro-
sua vez, delegou a responsabilidade de tão
blema.
digna tarefa nas suas instituições religio-

COLABORAÇÃO 7

Rasgos d’Alma Há quarenta anos


Luciano Cardoso
lucianoac@comcast.net

F
ins da década de sessen- da da Velha Guarda, lançando a direção à redondinha Lua Cheia, de certeza com certas peripécias tunidades impensáveis há quatro
ta. ousada “blasfémia”: sorridente: que hoje em dia consideramos décadas atrás. O progresso tec-
À boquinha da noite, “O Ti Gabriel já ouviu? Os “Acho que vocês estão mas é banais. nológico, o avanço cientifico e a
prateada, vaidosa e luzi- americanos acabam de chegar à bem enganados. Se reparares Mas não tenho dúvidas que o Ti insaciável apetência do homem
dia, a Lua espreguiça-se Cheia e Lua…” bem agora mesmo, Frank, vês lá Gabriel, ferrenho adepto do Ben- em atingir metas incógnitas con-
rechonchuda sobre os estrelados “Bulshit!” Inglesou o ranhoso ve- um homem sentado com uma lata fica, adoraria os tempos d’hoje tinuam e continuarão a dar que
céus dos Açores. lhote de imediato, com a lingua de cocacola na mão e a bandeira e não teria outro remédio senão falar.
Nas nossas formosas ilhas de destravada entre o inglês rasquei- americana ali mesmo ao lado.” engolir a grosseira linguagem Apesar da actual crise que se
bruma, como é sabido, o sereno ro e o português mexeriqueiro: “Ó Manel, não queres ir berda- d’então. Não tanto porque ande o arrasta e das insuficiências gri-
luar de Agosto não manda nin- “Quem foi que te disse isso?” merda com essa conversa?” Co- seu Benfica agora p’ráí a ganhar tantes deste planeta onde ainda
guem para casa. A essa hora, o “Veio no jornal d’ontem.” (O mentou prontamente o Ti Gabriel, a torto e a direito mas porque não vergonhosamente se morre dema-
mágico brilho do nosso vizinho jornal d’então, a velha “União”, sem papas na lingua, sempre bas- perderia um jogo ao vivo, via sa- siado à fome, o progresso geral é
astro apenas parece querer pro- chegava-lhes às mãos quase um tante aporcalhada: “Tu não és télite. Ele que, já meio surdo, não inegável e, em muitos aspectos,
longar o dia. mês depois da professora que o capaz de ver um palmo adiante perdia um relato que fosse com podemos e devemos considerar-
Apetece mesmo fazer serão. assinava, do sapateiro que o pe- do nariz e agora tambem já vês o ouvido bem encostadinho ao mo-nos uns felizardos.
Cá fora, sentados ao portão, os dia emprestado e antes do comer- os americanos na Lua, a milhas seu velho “Grundig em volume “Há quarenta anos” – é fácil ou-
sapientes velhotes do meu tem- ciante lhe dar uso na mercearia e milhas de distância? Lá por máximo ao pé da janela aberta vir-se dizer – “aquilo é que era
po dão largas à sua boa disposi- para embrulhar sabão, feijão ou eles te mandarem de mês a mês o – delirio absoluto da vizinhança mesmo um atraso de vida.”
ção apadrinhando dois gostosos então enfiá-lo na retrete junto ao cheque da reforma não quer dizer em tardes de domingo e quartas- Mas o mundo, que gira em tempo
dedos de conversa amenamente cifão para limpar you know what que tenhas agora que lhes andar feiras à noite quando o grande que não volta, tem mesmo destes
pincelada com a subtil experiên- I mean…) tambem a beijar o cú.” Benfica dos bons velhos tempos paradigmas insólitos.
cia da vida. “O jornal só traz mentiras, ra- Ante os olhos arregalados do dava então cartas em Portugal e Se Deus me conservar por cá
Dois deles, o Ti Gabriel do Benfi- paz.” Adiantou o sr. Frank, algo Frank Barcelos, que tambem no estranjeiro. outros quarenta em bom estado,
ca e o sr. Frank Barcelos, que até perturbado com o estranho teor não tinha lá muito apurado o seu Os inúmeros satélites em órbitra tenho a certeza que (já depois
já andaram por terras da Ame- da bombástica noticia a fazer-lhe parco sentido de humor, meu avô no espaço cada vez menos desco- do Homem ter chegado a Marte)
rica, de quando em vez, não he- chegar a mostarda ao nariz: “… riu-se uma vez mais por ter con- nhecido oferecem-nos hoje opor- ouvirei então algum bisneto meu
sitam meter com graça a lingua Nem americanos, nem russos, seguido fazer escapolir da atre- dizer exatamente o mesmo.
no inglês macarrónico que por lá nem chineses, nem o diabo que vida boca do Gabriel do Benfica
aprenderam às três pancadas no os carregue a todos. Por mais “bullshit” e berdamerda, sinóni-
curto lazer das horas vagas. que se esfolem…lá acima é que mas coisas frescas a cagarem-lhe
À sua volta, mergulhados na não chegam. A Lua fica no céu. literalmente a ponta da lingua.
brincadeira que se prolonga noite E no céu quem manda é Deus.” Isto foi há quarenta anos.
dentro, os divertidos putos da vi- Conhecendo bem a força de am- Todos conhecemos hoje o tremen-
zinhança não arredam pé. bos, meu avô, que tambem fazia do alcance do gigantesco passo
Um deles, sem ter sequer ainda parte do jovial grupo de castiços que a histórica missão espacial
uma dúzia d’anos de idade, mas filósofos da rua, para lançar um da nave Apollo 11 significou para
já com alguns anitos de esco- pouco de água na fervura e li- o extraordinário progresso da
la primária e atenta ás recentes vrar-me ao mesmo tempo daque- humanidade nas últimas quatro
aventuras do homem no espaço, la súbita alhada, levantou a sua décadas.
atreve-se a entrar na conversa fia- bengala para o firmamento em Se meu avô fosse vivo desmaiava
8 PATROCINADORES 15 de Agosto de 2009

CA LL!
LAST
COLABORAÇÃO 9

Adalino Cabral, coleccio-


Do Pacifíco ao Atlântico

Rufino Vargas
nador de mestrados
Portugal, País dos 3 F’s (9)
H
á cerca de três déca- cursos relacionados com a edu- entre o Exército, Força Aérea e
das, numa comuni- cação. Assim ele possui três Guarda Nacional.
dade luso-americana, mestrados em Ciências de Edu- O Adalino é sem dúvida um ex-
FALTA DE EDUCAÇÃO- O sis- famoso portátil (laptop) «Maga- cação (M. Ed.): um pela presti- celente exemplo de persistência,
ouvi um adminis-
tema de ensino educacional, tan- lhães», para ser distribuído pelas giada Universidade de Harvard perseverança, e sucesso acadé-
to na costa do Pacífico como no escolas como instrumento com- trador dizer que os portugueses
não valorizavam o ensino. A sua com ênfase em Administração mico. Porém, conhecendo bem
rectângulo peninsular, está pelas plementar de ensino. Embora
afirmação demonstrava as ex- Escolar e dois pela Bóston State este “português dos pés à ca-
ruas da amargura. A California Fernão de Magalhães tenha nas-
pectativas que muitos educado- College— um em Estudos Bilin- beça,” sabemos que ele não vai
governada por um governador cido em Portugal, foi ao serviço
nascido na Áustria e com o sota- da coroa espanhola que atingiu res tinham do nosso grupo étni- gues e Multiculturais e outro em ficar por aqui.
que gutural germânico, pronun- notorieadade com a primeira co. Embora a taxa da desistência Inglês como Segunda Língua. Não ficaremos nada surpreendi-
cia correctamente California em viagem de circum-navegação do escolar fosse bastante elevada O décimo mestrado do Adalino dos se daqui a uns anitos ele re-
vez de Calafornia. Assim como globo, escolha esta que parece é o prestigioso Master of Bu- ceber ainda outro mestrado! Ele
nos anos sessenta e princípios
Ronald Reagan que também foi anti-patriótica. Sócrates assumin- siness Administration (MBA) mostra-nos que estamos toda a
dos setenta do século passado
governador deste Estado e Presi- do o papel de caixeiro-viajante que ele tirou na Plymouth State vida a aprender e que podemos
(antes da implementação dos
dente dos Estados Unidos alcan- foi visitar Hugo Chavez, el cau- University, de New Hampshire. frequentar as universidades com
programas bilingues), a verdade Em 1985 o nosso amigo termi- qualquer idade, uma vez que as
çou celebridade em Hollywood dillo da Venezuela, novo Simão
como actor. É casado com Ma- Bolivar e apóstolo de Fidel de é que hoje nas comunidades lu- nou o seu doutoramento (Ph. D.) oportunidades e as bolsas de es-
ria Shriver, da família Kennedy, Castro da América Latina, com so-americanas a norma entre os em Administração e Supervisão tudo se disponibilizem.
considerada como família real o intento de vender aos nuestros nossos jovens não é só de termi- Escolar na prestigiada universi- O nosso Adalino Cabral está de
americana, Temos instituições hermanos o célebre Magalhães. nar os estudos secundários, mas dade jesuíta Bóston College. parabéns. E, como ele próprio
de ensino superior, universida- Em contrapartida, Lula da Silva de tirar um curso superior numa Deve-se salientar que além de termina, sem falta, os seus ar-
des de renome internacional tais presidente do Brasil- país irmão boa universidade. todos estes graus académicos, tigos e comunicações, de uma
como: Stanford, Berkeley e Santa de Portugal- em gesto pseudo Um imigrante que nos serve de
Clara. Esta última práticamente fraternal e capitalista aceitou 30 paradigma no que diz respeito à
vizinha de porta, é dirigida pelos protótipos portáteis classmate pc valorização do ensino é o Ada-
Jesuítas e “ipso facto”, o seu lema ,(fac-simile do Magalhães) envol- lino Cabral. Natural de Ferreira
dos 3 C’s - Consciência, Compai- vendo uma eventual mega-com- Grande (Santana), Concelho do
xão e Competência, deveria ser pra da multi-nacional Intel desta Nordeste, São Miguel, Açores, o
farol universal. Engenheiros e pitoresca cidade de Santa Clara Adalino— após serviço militar
doutores é tudo importado, ora da Califórnia e minha vizinha de obrigatório, e com uma comissão
da China ou India. A primeira porta. de serviço na Guerra do Vietna-
produz 10 vezes mais engenhei- FINALMENTE- Genuino Ma-
me no final da década de 60—
ros do que os Estados Unidos e druga, picoense e açoriano de
começou os seus estudos aca-
a India ±1 milhão.No meu tempo gema completou, não uma mas
juvenil a ameaça proveniente da duas viagens de circum-navega- démicos na Bristol Community
Ásia chamava-se perigo amarelo ção ao planeta em que todos nós College (Fall River, MA) onde
e julgo que hoje se transformou vivemos. É um feito extraordiná- recebeu o seu primeiro grau:
numa realidade. Este Estado após rio em que todos os Portugueses um Associado em Artes (A. A.)
ter sanado um buraco financeiro e particularmente Açorianos de- Tirou dois Bacharelatos: um B.
na ordem de ±$45 biliões abriu vem estar orgulhosos. Fernão de A. em Estudos Portugueses na
outro de >$20 biliões.O sistema Magalhães, navegador Português antiga Southeastern Massachu-
educacional vai ser gravemente ao serviço de Carlos V da Coroa setts University (SMU), hoje a o Adalino é ainda titular de nu- maneira invulgar, sempre enco-
afectado. É um passo atrás para o Espanhola, detem a fama de ser Universidade de Massachusetts merosos certificados civis e mi- rajadora, cheia de força e soli-
desenvolvimento tanto deste Es- o primeiro a circum navegar o em Dartmouth, (vila encostada litares: entre outros, estudos de dariedade, repetimos aqui, com
tado como a nível nacional. Em nosso planeta, no entanto como à “Cidade Baleeira” de New Be- guerra nuclear, biológica e quí- licença, prazer e orgulho, o seu
Portugal o governo de Sócrates foi assassinado nas Filipinas, o dford) e o outro, B. S., na Uni- mica; polícia militar; transpor- lema de lei que vimos ouvindo,
e entourage, no que concerne à trajecto final de regresso à Espa- versity of the State of New York tes militares; inteligência mili- sentido e apreciando há longos
educação e exploração técnico- nha foi efectuado pelo seu piloto- (Albany), em Psicologia. Desde tar: comunicações estratégicas; anos. Sempre p’rà frente! (SPF!)
cientifica, é na minha óptica Sebastian Delcano. Aqui está um então, é titular de dez (10) mes- marketing; recursos humanos... Que assim seja, e sempre!
avant- garde. O ensino de inglês exemplo de um homem do Pico, trados e um doutoramento. Ele também possui diplomas dos
a partir do 1º ciclo é a medida que não teve que recorrer aos pre-
certa para preparar a nova ge- fixos de doutoramemto ou licen-
O Adalino possui três mestra- cursos complementar e superior José Moreira
dos em artes/letras (M. A.): um de língua e cultura portuguesas
ração para enfrentar a globali- ciamento para se tornar famoso, em Estudos Luso-Brasileiros da das Universidades de Lisboa e
Figueiredo, Ed. D.
zação sem fronteiras em que o mas sim assumindo garbosamen- Universidade do Novo México Hudson, Massachusetts
idioma de Shakespeare é “lingua te a sua profissão de PESCADOR Coimbra. Ainda, como bolsista,
(Albuquerque); outro em Hu- estudou na Faculdade de Lin-
franca” universal. A aposta deste Na minha opinião este grande va-
manidades (especialidade em guística da Georgetown Univer-
governo na construção do novo lor que representa o Genuino de-
aeroporto e sistema rápido ferro- veria ser utilizado para orientar História) pela Califórnia State sity (jesuíta), na cidade capital
viário, são 2 medidas essenciais, e formar os nosssos jovens nas University, Domingues Hills; de Washington, DC. Por fim, es-
para o “grande salto em frente” lides náuticas e na arte da faina e outro em Recursos Humanos tudou enfermagem durante dois
da nossa economia. A oposição piscatória, seguindo a senda do pela Framingham State College. anos em Massachusetts; e tirou
governamental é infelizmente Infante D. Henrique que a par- O Adalino é titular também de o curso de Liderança Militar do
demolidora, provocando um con- tir da escola de Sagres instruíu e três mestrados em ciências ( M. Exército dos Estados Unidos
siderável retrocesso em relação formou marinheiros que deram S.): o primeiro em Administra- na prestigiada Massachusetts
à União Europeia. É a maldita «novos mundos ao mundo». Ho- ção Pública, da Universidade de Institute of Technology (M.I.T.)
saga dos velhos do Restelo e dos diernamente, a doutrina capita- Massachusetts, Bóston, o segun- de Cambridge, Massachuseets.
vencidos da vida do fin de siècle. lista foi olvidada e condenada do em Psicologia Clínica pela Resta-nos salientar que ele ser-
Durante a II guerra mundial, o ao desprezo e socialismo é Ǖber Salem State College (Massa- viu o total de 16 anos nas Forças
presidente da KLM-linhas aére- alles. Tanto o governo regional chusetts), e o terceiro em Justiça Armadas dos Estados Unidos,
as holandesas - Albert Plesman, como as autarquias têm aqui Criminal, com ênfase em Se-
quando tentou negociar o esta- uma excelente oportunidade de gurança Nacional, da Westfield
belecimento de carreiras aéreas investimento no futuro da nossa State College (Massachusetts).
entre os 2 países, perante tanta juventude. Com os clubes navais Como professor e administrador
frustação e obstinácia demons- e outras instituições afins, temos escolar, em escolas da Grande
trada pela missão Portuguesa, a infra-estrutura ideal para mate- Área de Bóston (Cambridge,
declarou: Portugal não faz e não rializar este projecto. A próxima Bóston, Malden e Hudson), bem
deixa fazer. geração é que beneficiará e ficará como ex-professor das universi-
O governo em parceria com as reconhecida por tal, no entanto a dades Stonehill College e Bós-
multinacionais Intel e Microsoft responsabilidade de implementar ton University), o nosso mode-
está a construir com prata da casa este programa é de todos nós., hic
– companhia- J. P. Sá Couto- o lo de alguém que realmente dá
et nunc, aqui e agora. valor ao ensino, tinha que tirar
10 COLABORAÇÃO 15 de Agosto de 2009

Reflexos do Dia–a–Dia
Gabriel Garcia Marquez
Diniz Borges Para quem não é leitor de Sarama- quais ajudam-nos a compreender no lado de dentro. Aqui mistura-
go, ficaria muito mais bem servi- o Brasil de hoje. Escrito, obvia- se o jornalismo, a crónica, a es-
d.borges@comcast.net do lendo Levantado do Chão, O mente, no português do Brasil, é crita diarística para em suma ter-

O
Evangelho Segundo Jesus Cristo, um livro cativante e uma boa en- mos uma perfeita simbiose, um
verão no vale de S. Jo- a intelectualidade de Sepúlveda. o Ensaio da Cegueira, A Caver- trada no novo acordo ortográfico romance de grande fôlego. Por
aquim, para além de Não tenho nenhum problema em na, o Memorial do Convento, ou que aí vem para a nossa língua vezes violento, já que ninguém é
ser uma época de fes- criticar as políticas americanas, um livro que poucos gostaram, portuguesa. poupado, este é um livro para se
tas promovidas pelos ou de outro país qualquer, mas mas que é um dos meus preferi- O que não foi surpresa, porque ler sem preconceitos. Como es-
emigrantes e luso-descendentes, Sepúlveda não soube conter a sua dos do célebre autor português: já só se espera bons livros dele, creveu João de Melo: “Há uma le-
de ser (continua a ser) a época das critica ao mundo político. En- O Ano da Morte de Ricardo Reis. foi o novo romance do escritor veza, um fio em suspenso no eixo
temperaturas na casas dos cem tretanto, recomendo vivamente, Uma frase para meditar do livro moçambicano Mia Couto, Vene- desta longa e vibrante narrativa,
(na escala do Fahrenheit, como O Velho que Escrevia Romances A Viagem do Elefante: “Se toda a nos de Deus - Remédios do Dia- o qual começa por enlear-nos nas
se sabe), daí que muita gente foge de Amor, o seu primeiro roman- gente fizesse o que pode, o mun- bo. Um romance curto, cheio de primeiras páginas, para nunca
para outros lugares com tempera- ce e um dos seus melhores livros. do estaria com certeza melhor.” ternura e com um enorme senti- mais nos desprender.”
turas mais amenas, é, para mim, Mas este, Crónicas do Sul, é tam- Uma das surpresas em língua mento da magia de África e das E porque nem só em português
uma das estações do ano por ex- bém um livro extremamente in- portuguesa foi o livro O Rastro vivências do povo moçambicano. vive o homem, fizeram-me com-
celência para as leituras. Daí que teressante. Nele vive-se alguns do Jaguar. Um calhamaço com Este é um livro de sonhos e de panhia ao longo deste verão al-
partilho alguns dos livros que me dos dilemas do velho continente mais de 500 páginas que me pesadelos, de verdades e de men- guns livros na língua inglesa que,
fizeram companhia neste verão e aprende-se muito sobre o Chile prendeu deste a primeira página. tiras. Neste livro de 188 páginas para aqueles que lêem na língua
de 2009. e a luta do povo deste país pela É o primeiro romance do jorna- estão algumas frases, que podem de Shakespeare, recomendo. Um
Logo que terminou o ano escolar, democracia. Um forte opositor lista brasileiro Murilo de Car- ser interpretadas como senten- género literário pouco utilizado
comecei a ler um pequeno/gran- às guerras e às chacinas, Sepúl- valho. O que mais cativa neste ciosas ou mesmo demasiadamen- em Portugal, mas muito utilizado
de livro de Luís Sepúvelda, Cró- veda escreve esta frase lapidar: romance são as descobertas que te pesadas para o texto, mas são aqui nos Estados Unidos, e que
nicas do Sul. Há anos que leio “Não devemos esquecer que uma se faz sobre os povos indígenas estas frases que fazem este, mais gosto de ler é a biografia, parti-
Sepúvelda, escritor latino-ameri- bala não tem bandeira, limita-se do Brasil. A história baseia-se à um grande livros de Mia Couto. cularmente quando é bem feita
cano, natural do Chile e que após a matar.” volta das guerras que nos fins do Eis algumas: “Saudade do tempo e sobre gente interessante. Daí
o golpe de estado autorizado por Em viagem pela maravilha que é século XIX envolveram o Brasil, em que tinha saúde para despre- que deliciei-me com a biografia
Henry Kissinger e o presidente o estado de Alasca tive oportuni- o Paraguai, e Argentina contra zar o próprio corpo.” “A gente escrita por Gerald Martin sobre o
americano Gerald Ford (que de- dade de ler, em parceria com um o Uruguai. A história desfaz-se precisa do viver para descansar escritor latino-americano Gabriel
pôs o governo democraticamente amigo meu, e colega de leituras com pequenas recordações e uma dos sonhos.” “É o esquecimento Garcia Marquez, intitulado, A
eleito de Salvador Allende, colo- em língua portuguesa, o mais caixa de cartas. Como indicou o e não a morte que nos faz ficar Life. Tenho uma enorme admira-
cando no poder o nefasto ditador recente livro de José Saramago, próprio autor, o livro “trata fun- fora da vida.” “Quem tem medo ção pela escrita de Gabriel Garcia
Augusto Pinochet) foi viver para A Viagem do Elefante. Sou um damentalmente da vida de um da infelicidade nunca chega a ser Marquez e recomendo a qualquer
Espanha. É na península ibé- leitor assíduo de José Saramago, índio brasileiro que foi criança feliz.” “Diz-se que o silêncio ins- pessoa a leitura de pelo menos o
rica que Sepúlveda escreve os mas este último livro dele decep- para a Europa e que, nessa oca- pira medo porque, nesse vazio, seu grande clássico Cem Anos de
seus romances e crónicas. Re- cionou-me. Um livro com uma sião, está de retorno ao Brasil ninguém é dono de nada.” “Os Solidão.
comendo os seus livros, gostei temática interessante, mas que se para reconhecer sua terra e seu padres tratam a alma como uma
de todos menos o livro de cró- perde nas excessivas divagações. povo. E quem o acompanha é um árvore, podam-na.” (conclui na página 25)
nicas Uma História Suja. Nes- Para quem é leitor contínuo de jornalista nascido em Portugal, De Ricardo de Saavedra, Os Dias
se livro, Sepúlveda mostra um José Saramago, o único Nobel Pereira, que é o narrador do li- do Fim. Um livro sobre o fim da
anti-americanismo primário, que da língua portuguesa, deve ler A vro.” Ao longo das quase 600 pá- presença colonial portuguesa em
poderá caber em alguns cidadãos Viagem do Elefante, porque nes- ginas o autor apresenta-nos uma Moçambique. É o desenrolar da
comuns europeus, mas não é para te livro se vê um outro Saramago. amalgama de personagens as descolonização por quem estava

Extraordinária Tourada à Corda


FESTA DO ESPÍRITO SANTO - CHINO D. E. S.
SEXTA FEIRA DIA 28 DE AGOSTO DE 2009
INÍCIO PELAS 18:00 HORAS - Portões abrem às 3 horas
NO “CHINO FAIRGROUND”

“6 BRAVOS TOIROS 6”

da GANADARIA
DE JOSÉ E LUÍSA
PACHECO”
PREÇO DE ENTRADA $10.00
HAVERÁ BEBIDAS E PETISCOS À VENDA
COLABORAÇÃO 11

Temas de Agropecuária
Egídio Almeida
egidioisilda@charter.net

A situação crítica con- a verdadeira razão dos “International Dairy Foo-


tinua na produção do nossos problemas, a perca ds Association”, que, como
leite, mas está cativan- dos mercados? Demasia- sempre julga que o leite
das vacas? Falta de contro- nasce numa fonte cristali-
do a merecida atenção

A
le na oferta e procura? Ou na, e por conseguinte não
simplesmente manipulação há que pagá-lo aos produ-
complexidade
nos mercados? tores.
da crítica situ-
CWT está no processo de Tom Suber, Presidente de
ação económi-
completar outro programa “United States Dairy Ex-
ca que estamos
e direcionar mais 87.000 port Council” declarou na
atravessando é um enig-
vacas do mercado do leite Sub-Comissão de “Lives-
ma, até para aqueles cujas
para o mercado da carne. tock Dairy and Poultry” da
vidas e trabalho tem sido
Mas, numa recente confe- Casa dos Representantes,
dedicadas à economia. No
rência em Reno, Nevada, que o Congresso e a admi-
futuro e na próxima déca-
foi anunciado que graças à nistração Obama poderão
da haverá sondagens e vo-
nova tecnologia que pode ajudar a aumentar a nossa
lumes de livros publicados
em parte alterar as funções competitividade global, e
sobre as raízes da causa de
da Mãe Natureza, devido influenciar, para mais rá-
toda esta desordem eco-
ao uso de “Sexed Semen” pidamente recuperarmos
nómica. Por agora saberá
há agora 161.000 extra vi- os nossos mercados de ex-
alguém qual a verdadeira
telas para entrar em produ- portação dos produtos de
causa dos nossos proble-
ção no próximo ano. lacticínios, à medida que
mas financeiros? Dívidas
Não obstante, alguns acon- os Países vão recuperando
do crédito? Mercado habi-
tecimetos das últimas se- as suas economias.
tacional? Avareza do ”Wall
manas vem encorajar um Nos primeiros cinco meses
Street”? Neste momento,
pouco a visão do próximo do corrente ano, as expor-
apontar uma razão concre-
futuro da indústria, tais tações diminuiram 52%
ta é como decifrar a caída
como, o aumento do pre- em referência ao passado
de uma linha de dominós.
ço mínimo do leite pago ano, uma severa redução
Sabemos qual caíu primei-
aos produtores, pela Ad- da procura nos mercados
ro mas não sabemos o que
ministração do Presidente globais chave. Como re-
causou a queda.
Obama e a apropriação de sultado, os produtos expor-
Mais importante de que
$350 milhões pelo Senado tados são cerca de metade
analizar os mais recen-
dos E.U., para aquisição de dos números conseguidos
tes económicos eventos
leite em pó magro e queijo em 2008.
para atribuir as culpas a
cheddar para os seus pro-
alguém, seria analizá-los
gramas de nutrição, em-
para recuperar o nosso po-
bora esta com alguma po-
der económico, o mesmo
lémica e oposição vinda da
devia acontecer na indús-
controversa organização
tria da agropecuária. Qual

SJGI tem o prazer


de apresentar

Eduardo da
Silveira, M.D.
Diplomado em
Gastroenterologia.
Especialista em Doenças
do Fígado e do Aparelho
Digestivo.

O Dr. Eduardo da Silveira


fala múltiplas línguas
incluindo o Português,
Inglês, Espanhol e Francês.

Bem-vindos a San Jose Gastroenterology (SJGI)


Agradecemos a oportunidade de
oferecer os melhores cuidados médicos em
Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva.

Dois escritórios para o servir em San Jose


MONTPELIER OFFICE: 2340 Montpelier Dr., Suite A
O'CONNOR OFFICE: 231 O'Connor Dr.

Telefone: (408) 347-9001


12 COLABORAÇÃO 15 de Agosto de 2009

Perspectivas
Em Busca da Felicidade (2)
Fernando M. Soares Silva
fmssilva@yahoo.com

(continuação da última edição) personificado pelos famosos SE- “bem” ou “prazer”. Todas as ac- Ainda mais: Freud, embora man- fessam sentir-se mais felizes e
NECA, MARCO AURÉLIO e ções devem ter como objectivo a tendo que “o instinto da vida” é menos “stressadas” do que pes-
Esta nova corrente filosófica EPICTETO, entre outros. obtenção do maior grau de feli- o gozo dela, introduziu conceitos soas irreligiosas. Análises de
apresentava também uma unifi- No seu sermão proferido no cimo cidade, insistem os proponentes contraditórios e irreconciliáveis mais de 200 estudos sociológicos
cada visão do Ser e da Realidade da Montanha (Evangelhos de desta teoria. Note-se, todavia, como o “instinto da morte” que indicam que “alta religiosidade”
Humana, com a sua elaborada São Mateus, capítulo 57), JESUS que o Utilitarismo de John Stuart ele equacionou com os “desejos parece ser o factor básico na re-
Lógica formal, e, sobretudo, com CRISTO, com as suas explícitas Mill é “altruísta”, isto é, julga a de silêncio e paz”, calma e escu- dução da probalidade e dos riscos
o seu sistema ético naturalista. Bem-aventuranças ou Beatitudes, moralidade das acções pelo bem ridão, que, por sua vez, segundo de depressão e de toxicodepen-
Este sistema era, na realidade, o compendiou os seus principais e pela felicidade que elas trazem ele, se metamorfoseam em “feli- dência, bem como da muito mais
foco principal das teorias episte- ensinamentos morais conducen- ou produzem em prol do bem e cidade”. A contradição está no baixa incidência de tentativas de
mológicas estóicas, ou seja, das tes a uma vida regrada e honesta, da felicidade geral de todos. facto de que o “instinto de mor- suicídio. Os indivíduos religiosos
ciências sobre o Conhecimento conducente ao caminho para uma te” pode equivaler ao “desejo de ou envolvidos em espiritualidade
humano. Para os estóicos, esses efectiva paz de espírito e à feli- ***** morte”, ambos irreconciliáveis também demonstram maior grau
estudos levariam ao aperfeiço- cidade que culmina na Felicidade com o “instinto de sobrevivên- de satisfação com a sua vida se-
amento ético do indivíduo e ao Suprema na eternidade de Deus. Outra variante de Hedonismo cia”, fundamental e natural ao ser xual.
entendimento da “virtude” que No CRISTIANISMO CATÓLI- moderno é o EGOÍSMO PSICO- humano. Quem vive a desejar a Quatrocentos e oito estudos pos-
consiste “no desenvolvimento de CO o, a final e mais importante LÓGICO. morte nunca pode sentir-se feliz teriores apontam positiva corre-
uma robusta força da vontade só meta da existência humana é essa Os adeptos desta modalidade enquanto viver assim. lação entre dedicada religiosi-
possível mediante a concordância “felicidade abençoada”, ou como acreditam que os seres humanos dade e mais elevados níveis de
da vida com as leis naturais”. a descreveu o grande teólogo e fi- são sempre influenciados ou mo- ***** auto-estima e, ao mesmo tempo,
O Estoicismo preconizava a acei- lósofo escolástico (São) Tomás de tivados por “interesse e proveito mais baixos níveis de hipertensão
tação de todos os escravos, e de- Aquino (1225-1274 d.C.), próprio”, mesmo em casos de Recentemente, surgiram coliga- e depressão. A grande maioria de
fendia a igualdade de todos os “a visão beatífica” de Deus após a aparente altruísmo. Segundo os ções de psicologistas e economis- centenas de outros estudos con-
seres humanos porque ”todos são vida terrena. Seguindo os trilhos seus proponentes, todas as acções tas cujos propósitos e objectivos firma também que altos níveis de
igualmente filhos de Deus”. apontados por JESUS CRISTO voluntárias dos seres humanos alvejam a análise e a avaliação da envolvimento religioso estão po-
Aplicando esses princípios às aos seus Apóstolos, o Catolicis- são afectadas, ou impulsionadas, “qualidade de vida” de um país sitivamente associados com indi-
relações interpessoais e sociais, mo indica a “prática das Bem- pelo desejo inato, consciente ou para determinar a satisfação pú- cadores de bem-estar psicológico
o Estoicismo urgia compreensão aventuranças” como a “virtude”, inconsciente, de sentir ou gerar blica do seu respectivo “modis tais como satisfação, felicidade,
mútua e harmonia em interacções a rota e o específico requisito “prazer”, ou de “evitar sofrimen- vivendi” económico , ou seja, positiva atitude mental, e alta
humanas, controlo de impulsos e para a relativa felicidade possí- to”, Só assim, agindo segundo o da sua “FELICIDADE ECONÓ- moralidade.
acções de abusiva zanga e cólera, vel neste mundo. O conceito de seu próprio interesse, poderá o MICA”, como determinante da
abstenção de violência, bem como “virtude” pode definir-se como indivíduo alcançar “felicidade”. felicidade geral desse país. Esses ******
evitação de sentimentos de inve- um conjunto de boas qualidades O famoso psiquiatra austríaco grupos percepcionam a felicida-
ja e de ciúmes. No cumprimento morais que modelam o carácter SIGMUND FREUD (1856 –1939 de humana como o resultado da Aqui tem o leitor uma sinopse
dos seus deveres e obrigações, no humano e o dispõem e habituam d .C.), é muito conhecido pelas “qualidade de vida” económica, explicada de percepções de “fe-
caminho da virtude, no domínio para a probidade e rectidão ten- suas singulares teorias da “mente ignorando outros factores es- licidade” através dos séculos. As
e controlo dos seus desejos, das dentes à força moral da prática do incônscia” e do “mecanismo de senciais e imprescindíveis a una percepções variam reflectindo os
suas paixões e ambições, poderá bem. A prática do bem traz felici- defesa da repressão psicológica” completa inquirição, apontam os fundamentos, os valores, e as nor-
o Homem sentir-se feliz. dade a quem o faz! e, sobretudo, por ter sido o cria- detractores desta nova percepção mas éticas de quem alimentou, ou
dor de processos de psicanálise psicoeconómica, os quais asseve- alimenta, o sonho de viver “feliz”
***** ***** formulados para o tratamento ram que uma satisfatória “quali- na sua caminhada existencial por
de casos de psicopatologia. Os dade de vida” só por si não é si- este planeta, onde todos estamos
A expansão do CRISTIANISMO Novos tempos têm trazido novos seus escritos sobre psicanálise e nónima de “felicidade”. de passagem…
através da Europa e do enorme conceitos e mais variadas pers- o subsequente movimento psica- Há ainda quem visua- Analisando estas percepções de
Império Romano foi impulsiona- pectivas às buscas da “felicida- nalítico que se alastrou pela Eu- lize a felicidade pelos prismas “felicidade”, o leitor, concordan-
da pela difusão dos Evangelhos e de” neste mundo onde a confu- ropa e em muitas outras partes do do “dinheiro” e das “riquezas do ou discordando, poderá colher
dos ensinamentos doutrinais de são e a intranquilidade reinam mundo revolucionaram o estudo materiais” e ainda quem diga importantes dados para formular,
CRISTO primeiramente no idio- soberanas. Embora com diversas e a prática de psicologia desde o encontrá-la em afiliações políti- ou reformular, os conceitos mais
ma grego, a língua internacional variantes, as correntes modernas findar do século XIX. cas, ou nas neblinas da toxicode- plausíveis ou mais apropriados à
e cultural daqueles tempos, e, e contemporâneas enraízam-se, Entre novas técnicas terapêuticas, pendência. Bastará aqui só frisar sua desejada “felicidade” dentro
imediatamente após, pelo latim quase todas, e de uma forma ou Freud introduziu o uso de “livre respectivamente que o dinheiro do contexto da relatividade da
que rapidamente suplantou o gre- outra, no HEDONISMO, já fala- associação” ,“transferência”, e não compra o verdadeiro amor, vida humana.
go como a língua indispensável do neste estudo. Isto é, essas cor- “interpretação de sonhos” como e o amor verdadeiro é parte es-
em todas as facetas de interacção rentes ou tendências, apontam “o fontes de penetração e elucidação sencial da felicidade; que basear Os horizontes da felicidade nunca
do universo ocidental. prazer” como o maior “bem” e o de “desejos inconscientes”. E foi a felicidade em afiliação política se fecharão para quem compre-
As estruturas teológicas do principal e desejado objectivo do ele, também, quem redefiniu o é tão lógico como medir alterosas enda que a verdadeira satisfação
CRISTIANISMO, embora ini- ser humano. O valor real de uma “desejo carnal ou sexual” como ondas com um ioió; e que alu- anímica não bafeja o egoísta, o
cialmente baseadas no Judaísmo coisa ou de uma acção é avalia- “a principal energia motivadora cinações só mascaram mas não arrogante, o malvado ou o mal-
contemporâneo, gradualmente do e aquilatado em proporção ao da vida humana”. mudam as realidades da vida... feitor mas, sim, quem, sem enfiar
foram reforçadas e enfatizadas “prazer” que traz ao indivíduo, e, Sigmund Freud é considerado a cabeça nas densas nuvens da
com conceitos provenientes de também, em relação ao possível hedonista psicológico, mas im- ***** abstracção das realidades huma-
influentes pensadores helénicos, sofrimento, amargura ou pena porta notar aqui significativas di- nas, e sem fincar os pés no duro
tais como PLATÃO e ARISTÓ- que lhe evita. vergências entre o hedonismo de É interessante notar que, através solo do narcisismo ou da negação
TELES. Outras perspectivas Assim, os filósofos britânicos Freud e as ideias hedonistas tra- dos anos, têm aparecido muitos e da perenidade ontológica abre o
filosóficas populares na antiga do século XIX, JEREMY BEN- dicionais.. Por exemplo, Epicu- diversos estudos que estabelecem intelecto, a alma e o coração ao
Grécia e na Roma republicana e THAM (1748-1832 d.C..) e JOHN ro disse que o indivíduo deveria a correlação de religiosidade com bem-fazer em prol de uma me-
imperial afectaram também con- STUART MILL (1806 –1873 escolher e gozar os prazeres que “felicidade”. Recentes sondagens lhor Humanidade.
ceitos de moralidade no modo de d.C.) formularam a teoria ética lhe interessassem; mas ele nunca empreendidas por GALLUP,
vida e nas perspectivas cristãs UTILITARIISMO que defende sugeriu ou insinuou que esse in- NATIONAL OPINION RESE-
de felicidade. Entre essas influ- que os indivíduos devem fazer divíduo vivesse uma vida egoísta ARCH CENTER e PEW ORGA-
ências filosóficas salienta-se o aquilo que lhes é mais útil e van- ao ponto de impedir que outros NIZATION revelam que pessoas
ESTOICISMO de cariz romano, tajoso e lhes proporciona o maior chegassem ao mesmo objectivo. religiosas mais facilmente con-

Grande Espectáculo
Jorge Ferreira
no Artesia D.E.S.
19 de Setembro de 2009, pelas 7 horas
Admissão $30.00
Para mais informações,
contactar Vital Lourenço, 562-664-4194
COLABORAÇÃO 13

Agua Viva
Conclusões do XVII Encontro de
Filomena Rocha
filomenarocha@sbcglobal.net
Professores de Língua Portuguesa
A saudade...
O XVII Encontro de Professores de 4. Continua a ser consensual que a As- de se criar lóbis comunitários que pos-
Língua Portuguesa nos Estados Uni- sociação de Professores de Português sam pressionar as autoridades locais
dos e Canadá, subordinado ao tema dos EUA e Canadá, deverá ser parcei- dos seus respectivos distritos escola-
“Cruzando os Mares com a Língua ra no desenvolvimento das políticas res para a criação do Português como
Portuguesa”, realizado a bordo do na- da língua do governo português; que língua estrangeira de opção nos seus
É sempre com uma pontinha de tristeza que de longe ve-
vio Spirit da Norwegian Cruise Lines a mesma associação deve continuar a currículos
mos as festas das nossas ilhas de encanto.
e no Clube Português Vasco da Gama progredir no sentido de tornar-se uma 7.2. Para isso, é fundamental que se-
das Bermudas, proporcionou, mais voz activa nos movimentos de ensino jam concertadas estratégias de actua-
Creio que acontecerá não só com os Açorianos, nem tão uma vez, a aprendizagem sobre téc- das línguas estrangeiras no continen- ção entre todas as forças vivas da co-
pouco com os Madeirenses, mas naturalmente com os fi- nicas de ensino do português como te norte-americano; que se continue a munidade, Embaixada, Consulados,
lhos de Portugal inteiro ou de qualquer lugar do Mundo. língua estrangeira, e a reflexão e apu- trabalhar para que o segmento da as- Coordenações de Ensino e Conselho
ramento de várias ideias e contributos sociação dedicado aos Professores de das Comunidades.
É uma reação natural de qualquer individuo que tenha que se prendem com o futuro da nossa origem portuguesa, leccionando ou- 7.3. Promover a assinatura de me-
um mínimo de sentimentos, cultura e educação moral e língua e cultura no continente norte tras disciplinas, seja fortalecido a fim morandos de entendimento entre as
social. americano. de que APPEUC seja uma força con- escolas comunitárias e escolas se-
gregadora de todos quantos trabalham cundárias de modo a que os créditos
Infelizmente a situação económica global não está a não 1. Neste Encontro os docentes tive- no sector do ensino público e privado pelos anos de frequência a Português
ser para as lamúrias que já vamos passando, devido a uns ram oportunidade de aprender for- nos EUA e Canadá e que sejam de ori- nas primeiras possam ser reconheci-
quantos aldrabões que mereciam mesmo ficar presos du- mas pedagógicas de ensinar a língua gem lusa. dos pelas escolas oficiais canadianas
rante anos seguidos até conseguirem endireitar as dívidas portuguesa como língua estrangeira, e americanas.
que contraíram à custa da confiança que lhes foi atribuída incorporando elementos da herança 5. No último dia, os participantes fo- 7.4. Criar um grupo de trabalho para
por gente boa e trabalhadora. O pior é que os que fazem as lusa, assim como elementos linguís- ram divididos em grupos de trabalho articular programas/cursos de língua
falcatruas já as fazem há tanto tempo que até já acham que ticos e culturais das vivências luso- que abordaram os seguintes temas: e cultura portuguesa a nível secundá-
isso é normal, muito natural e que assim é que está certo. americanas e luso-canadianas. rio e universitário.
E têm sempre quem os defenda. Assim são os mentiro- 1 – Escolas comunitárias
sos compulsivos. Fazem da mentira a sua única verdade. O encontro foi exemplo, claro e ine- 2 – Ensino Integrado 8. Na área do futuro da Associação de
Esquecem-se que é mais fácil apanhar um mentiroso que quívoco, que nas nossas comunidades 3 – Formação de Professores e mate- Professores, o grupo de trabalho de-
existem os técnicos e os recursos para rial de apoio cidiu:
um côxo, porque todo o mentiroso tem memória curta. É
fazer formação de professores e que 4 – Coordenações de Ensino nos EUA 8.a. – dar uma nova designação em
apenas uma questão de tempo.
o governo português os deve utilizar e Canadá e futuro da Associação de inglês à Associação de Professores
por estarem mais ligados a esta rea- Professores (APPEUC) que deve chamar-se North American
Tempo é contudo o que vai faltando para alguns já em ida- lidade. Association of Portuguese Teachers
de avançada. Talvez fosse este ano o último da sua vida, e apresentando as seguintes propostas: (NAAPT/APPEUC), mantendo-se a
que devido à crise não puderam visitar a santa terra, ape- 2. Mais uma vez se debateu a situação sigla APPEUC como identificação em
sar das horas de vôo, das malas e bagagens que ficaram da língua portuguesa no continente 5. a. – Na área das escolas comunitá- português;
para tràs, mas quanto esforço compensado ao avistar o lu- norte-americano e se concluiu que há rias os congressistas foram unânimes 8.b – criar dento dos corpos directi-
gar de origem, as pessoas amigas e as festas que têm outro a necessidade do governo português em reconhecer a importância destas vos a designação de delegados para as
sabor se vistas nos caminhos e canadas de tempos idos. implementar no continente norte- escolas no futuro da língua e cultura
várias províncias do Canadá e estados
americano, com a máxima urgência, portuguesas no Canadá e América;
americanos reflectindo assim a reali-
Este ano, até pudemos ver as Festas da Praia ao vivo e a nova lei orgânica do EPE de forma 5.b. – é urgente e absolutamente ne-
dade geográfica dos associados;
ao pormenor, o que infelizmente não aconteceu com as a abranger todos os níveis de ensino, cessária a formação dos docentes des-
incluindo as escolas comunitárias, o tas escolas na área do Português como 8.c. – criar paralelamente uma Asso-
Sanjoaninas de Angra. Porque seria? Cidade Património,
ensino oficial e as universidades. Língua estrangeira; ciação de Amigos da Língua Portu-
primeira presença da Unesco nos Açores e não teve hon-
5.c. – é necessária uma comunicação e guesa (Friends of the Portuguese Lan-
ras de Televisão Portuguesa senão uma semana depois,
Chegou-se à conclusão que é impres- colaboração mais estreita entre as Co- guage (FPL) para apoiar a associação
quando já os ânimos estavam arrefecidos. Falta de ver-
cindível que as coordenações de ensi- ordenações de Ensino, os professores na preservação e divulgação da língua
bas? Foi o que o imigrante ouviu dizer por aqui… Falta de
no tenham como principais objectivos e os directores escolares; e cultura Portuguesas
interesse ou falta de lógica? - A começar pelas tarifas al-
a abertura de vários cursos de língua 5.d. – para aumentar o número de alu- 9. Por último, em relação à Bermuda,
tíssimas aplicadas aos passageiros da Diáspora. E nós que
e cultura portuguesas nas escolas pú- nos destas escolas é urgente lançar os participantes concluíram que é im-
tanto gostamos de receber os mensageiros dos programas
blicas americanas e canadianas, a pro- uma campanha de marketing da lín- perioso e absolutamente essencial que
da Festa Brava e outros que num estreito abraço nos fa-
moção de acções de formação regula- gua junto das comunidades portugue- as autoridades portuguesas apoiem a
lam do que ainda consideramos nosso. E todos os anos se
res e com formadores que conheçam sas, americanas e lusófonas, na comu- escola do Clube Vasco da Gama por
repete o ritual. Os visitantes são recebidos com jantares e
a realidade do ensino do Português nicação social, nas associações, etc. ser o único veículo de divulgação e
passeios, programas preparados para a circunstância e dá- como língua estrangeira, e o apoio às 5. e. – é urgente a criação de um cur- promoção da língua portuguesa nesta
se-lhes o abraço como se fossem a Ilha inteira… Assim é escolas comunitárias em zonas de for- rículo (programa) específico para o ilha, particularmente porque grande
o Imigrante e para o ano haverá mais. te concentração dos nossos emigran- ensino do português nas escolas co- parte da comunidade portuguesa aqui
tes e onde esta é a ainda a única forma munitárias residente tem o seu regresso marca-
Por agora, resta-nos essa esperança de poder lá estar e dos luso-descendentes aprenderem o do no tempo consequência das leis
ver, tanto as marchas alegres e garridas do Povo que sai português. 6. Na área da formação de professores de emigração. Neste cenário, é fun-
à rua para dar largas à sua forma de ser constante ao São e materiais de apoio o grupo de traba- damental para estas famílias que os
João, como talvez outros motivos da nossa história, ou- 3. Constatou-se a necessidade de lho decidiu:
seus descendentes aprendam a língua
tras sereias lindas da Praia e do Mar de Nemésio onde as apoiar os professores com vínculo a 6.a. É urgente desenvolver iniciativas
portuguesa de modo a que quando
lendas nos encantam como o seu cantar e a sua beleza nos Portugal ou contratados localmente, de formação pedagógica para profes-
regressarem a Portugal não sejam
atraiem para bem ou para mal, se outrora para as profun- que leccionam nas escolas comunitá- sores de diferentes ciclos/níveis de
rias do continente americano dando- ensino descriminados ou excluídos nas es-
dezas do Oceano Atlântico, hoje para esta Saudade que
lhes condições e formação específica 6.b. As acções de formação devem colas portuguesas.
sempre nos amargura até às profundezas da Alma.
para que possam ser eles, também, incidir sobre pedagogia, ensino do
factores de promoção da nossa língua Português como língua estrangeira, Bermuda, 16 de Julho de 2009
Parabens Praia, pela imaginação, pelo cortejo e decrição
do mesmo, pelo respeito e carinho para com o imigrante e cultura junto das escolas oficiais dos planeamento de aulas, criação e de-
dois países, uma vez que conhecem senvolvimento de materiais de apoio, Há que registar os apoios recebidos
que não pôde estar presente.
perfeitamente esta realidade. elaboração de programas para este XVII Encontro:
Até lá, continuarei a cantar: Esta Praia, linda concha à
6.c. É urgente a criação e desenvolvi- Direcção Regional das Comunida-
beira-mar/ tem mastros e velas/ e remos para a remar…
mento de materiais des, Presidência do Governo dos
específicos para o Açores - alto patrocínio
ensino do Portu- Secretaria de Estado da Educação
guês como língua Fundação Luso-Americana para o
estrangeira Desenvolvimento (FLAD)
6.d. É necessário E a colaboração:
o envolvimento da Banco Espírito Santo, Newark, NJ
família e o movi- Clube Vasco da Gama das
mento associativo Bermudas
e a comunicação Connor’s Travel de Fall River, MA
social das nossas Órgãos da comunicação social em
comunidades
Portugal e na diáspora.
6.e. Sugere-se a
criação de um blo-
gue como platafor-
ma de partilha de
estratégias, activi-
dades e sugestões

7. Na área do en-
sino integrado, o
grupo de trabalho
decidiu:
7.1. A necessidade
14 ENTREVISTA 15 de Agosto de 2009

Antonio Alves Carvalho -


um apaixonado pela
California
Chegou no fim do Verão de 2004 e a sua primeira participação pública foi
assistir ao Festival em Honra de Cabrilho em San Diego. Assim começou
uma relação entre este Cônsul-Geral e a Comunidade da California, que
durou quase 5 anos.
Como sempre, houve aqueles que gostaram dele, outros houve, que não o
apreciavam. O grande problema destas divergências de opinião já vem de há
muitos anos, quando o lugar de Cônsul-Geral era visto como uma entidade
muitas vezes estranha, inserida na nossa Comunidade, mas sem uma relação sendo propriedade do Estado português visando contribuir para o reforço dos pro-
estreita com ela. desde os anos 80, no edifício que tantos gramas existentes, de leitorados, da pre-
Aqui fica uma parte substancial da nossa conversa com o ultimo Cônsul- conhecem, aqui, em Pacific Heigths, San sença de professores visitantes ou residen-
Geral, realizada em San Francisco. Francisco, que uma missão técnica do tes e, de uma maneira geral, para o reforço
GTPE (Grupo de Trabalho de Gestão do da presença dos estudos de português e da
Património) do Departamento Geral de cultura portuguesa nos respectivos Depar-
Administração do Ministério dos Negó- tamentos de Português e Espanhol. Falei,
Depois da sua permanência durante da Comunidade, sem distinções ou discri- cios Estrangeiros, deslocou-se de Lisboa acima, a propósito de alguns resultados
cinco anos, defina-nos áreas de sucesso minações de qualquer ordem, natureza ou para avaliar o estado deste importante alcançados nesta áreas. Falei dos casos
e áreas cujos resultados ficaram aquém origem; património que afinal e de todos nós. Tal de Santa Bárbara (que não é novo) e de
das expectativas. ·Finalmente, mas de grande importância a não deixará de se dever à sensibilidade, Stanford, que “ressuscita” agora, através
manutenção de um magnífico espírito de interesse e impulso de S. Exª o Secretário da acção deste Consulado Geral em 2008
Quando cheguei a San Francisco, em Se- working team no conjunto de excelentes de Estado das Comunidades Portuguesas, e com a decisão do IC (Instituto Camões)
tembro 2004, recordo-me que tive a opor- funcionários deste CG sem o qual o traba- Dr. António Braga, por ocasião da sua relativa à instalação de Professor de portu-
tunidade de enumerar alguns objectivos lho do Cônsul Geral seria absolutamente Visita Oficial à Califórnia, no ano passa- guês no Departamento, num exercício de
que pensei poderiam eventualmente orien- inexistente. do, o qual, em reunião de trabalho havida “recomposição de equilíbrios” de verten-
tar a minha acção, pelo menos, até ao mo- nesta chancelaria, constatou a necessidade tes linguísticas com reforço da “vertente
mento em que melhor e mais aprofundado Vamos falar de estatísticas. Nestes anos de intervenções, no respectivo espaço de portuguesa ibérica/europeia”.
conhecimento viesse a ter da realidade da quantos cidadãos portugueses é que se trabalho e atendimento aos utentes. Sei
cultura, das artes, da tradição e da histó- inscreveram no Consulado? Quantos que o esboço existente aponta para inter- As novas tecnologias ajudaram o Con-
ria, da língua, dos contactos empresariais/ passaportes foram passados e BI’s? venções faseadas, valor muito substancial, sulado?
económicos bilaterais e do associativismo que alterarão e modernizarão por comple-
em geral, prevalecentes na Comunidade No período da minha gestão (2004 a 2009) to o espaço actual. Aguardam-se, para já, Por estas e muitas outras razões que pode-
ou que pudessem vir a constituir factores registaram-se cerca de 3.500 pessoas. O decisões superiores sobre eventual adjudi- ria adiantar, a manutenção de Consulados
novos de abordagem daquelas matérias, acto de inscrição consular é extremamen- cação da fase de projecto para depois se Gerais nada tem a ver com a introdução,
sempre a pensar na defesa e promoção dos te simples, não é obrigatório, é gratuito, passar à escolha da equipe de construto- muito oportuna e adequada, de resto, das
interesses dos portugueses e luso-ame- mas, na generalidade, as pessoas apenas res, sempre em estrita coordenação com as novas tecnologias na função e serviço con-
ricanos da Califórnia, bem como de Por- se inscrevem no CG quando necessitam de estruturas em Lisboa e o Cônsul Geral em sular, o qual veio agora a beneficiar, apro-
tugal. Tais objectivos, eram, uns, então, recorrer ao serviço consular. Campanhas San Francisco. veito para dizer, com a introdução de um
indicadores de intenção de acção imedita, não funcionam, nem neste nem noutros sistema on-line de registo civil (SIRIC).
outros, estruturantes, penso, com projec- casos (vg, o recenseamento eleitoral). A O papel de um Cônsul-Geral Por exemplo, os registos e assentos de
ção no tempo, da acção de um qualquer consciência cívica de cada um deverá di- nascimento, casamento e óbito, que antes
Cônsul Geral em San Francisco. tar o seu modo de acção e comportamen- Quais são as funções de um Cônsul-Ge- demoravam meses a ser integrados nas
to que, no fim, define o todo comunitário ral? conservatórias, são agora “tratados” elec-
Nesta base, enumeraria algumas das áreas considerado. A inscrição consular, para tronicamente pelo CG num dia.
onde resultados foram mais visíveis e ou- além do seu carácter meramente formal As funções de um Cônsul Geral estão de- Por outro lado, veja-se afinal, que a deci-
tras que necessitam de maior atenção por ajuda o Estado e o Governo da República e terminadas por lei e encontram-se, de res- são de criar ou decidir acerca da criação de
parte de todos. os Governos Regionais a terem noção mais to, consignadas no recente e novo Regu- um Consulado Geral num qualquer ponto
A título exemplificativo, exacta e aproximada de quantos portugue- lamento Consular, aprovado recentemente do Mundo está ela também regulada no
ses ou luso-descendentes existem pelo em Março último. novo Regulamento Consular e obedece a
·O nível alcançado de relacionamento e Mundo. Ajuda para as estatísticas e ajuda Cabe-lhe prosseguir e desenvolver os prin- critérios objectivos de numa óptica estra-
abertura entre o Consulado Geral e a Co- para argumentar a favor de políticas cada cípios gerais da política externa do Estado tégica abrangente de servir os interesses
munidade no seu todo; vez mais fortes e estruturadas viradas para em estreita coordenação com a Embaixa- estratégicos externos do Estado.
·Os novos patamares alcançados no plano as Comunidades. O exercício de direitos da de Portugal acreditada no país onde
do EP resultantes da instalação de uma só pode ser reivindicado quando, e se cada se encontra. É ainda sua função defender Portugal ainda não compreendeu a im-
coordenação autónoma e própria para a um, cumprir com tais obrigações e deve- e promover os interesses dos nacionais e portância da California. Porquê?
Costa Oeste a partir da Califórnia; a parti- res. De 10/01/04 a 06/30/08 foram pratica- descendentes portugueses bem como de
cipação, envolvimento e influência do CG dos, na generalidade, cerca de 45.800 ac- Portugal na observância da lei interna do Com os elementos que tenho procurado
neste processo; tos consulares. Em 2009, até Junho último, Estado onde exerce funções. Tem igual- dar, na medida do possível curtos e pon-
- Os níveis alcançados de interacção e de foram executados 4.566 actos consulares. mente competências em matéria de defesa tuais, não posso concordar de todo que
parcerias com as universidades em várias exista “cegueira” de Portugal em relação
áreas de intervenção e conhecimento; o à Califórnia. Os contactos constantes com
alargamento, reintrodução e/ou reforço
próximo de protocolos ou presença do
De 10/01/04 a 06/30/08 foram praticados, na generalidade, cerca de as tutelas competentes, a disponibilidade
45.800 actos consulares. Em 2009, até Junho último, foram executa- sempre encontrada, as visitas oficiais e de
português, em departamentos linguísti- trabalho que poderia e que preencheriam
cos, por exemplo nas Universidades de dos 4.566 actos consulares. Comparativamente, de 2000 a 2003 foram longa coluna, quer vindas dos Açores quer
Santa Bárbara e de Stanford; as iniciativas praticados 39.124 actos. Também de 2004 a 2009 (Junho último) foram de Lisboa, o apoio e patrocínio institucio-
conjuntas com o Departamento de Estudos
Europeus, com o Programa de Estudos
arrecadados cerca de $1,300.000 em receitas consulares. Ente 2000 e nal incansável de departamentos públicos,
2003, tais receitas alcançaram aproximadamente os USD500.000. Os de instituições e fundações privadas que
Portugueses de Berkeley e o nosso Leito- permitiram lançar e concretizar projectos
rado ali; números revelam uma tendência de aumento no universo geral da acti- marcantes, na área da cultura e da ino-
·O envolvimento do CG no reforço da vidade do Posto. Os pedidos de aquisição de nacionalidade portuguesa vação e desenvolvimento, o interesse pe-
presença e acção da PALCUS na Califór-
nia; os networks tecnológicos iniciados
registaram um aumento sustentado da ordem dos 30%. las novas tecnologias e o entendimento e
compreensão graduais gerados em torno
em 2006; a génese e a concretização dos
de uma “diáspora tecnológica” de valor
“mixers” da PALCUS na Califórnia, como
consequência; Comparativamente, de 2000 a 2003 foram notável que honra e prestigiam a presença
e promoção dos valores culturais de Por- de Portugal na Califórnia e que deve esti-
·A alteração qualitativa, reconhecida na praticados 39.124 actos. Também de 2004 tugal e também no âmbito da coordenação
generalidade, introduzida nas Celebrações a 2009 (Junho último) foram arrecadados mular profissionalmente as novas gerações
do Ensino do português, área agora tutela- da nossa comunidade, objectivo que igual-
de Portugal em Junho de cada ano através cerca de $1,300.000 em receitas consula- da directamente pelo Ministério dos Ne-
de uma sua maior abrangência temática, res. Ente 2000 e 2003, tais receitas alcan- mente procurei lançar em 2006, tema que
gócios Estrangeiros/ICA e que se encontra com satisfação vi, há pouco tempo, ser re-
geográfica e social; çaram aproximadamente os USD500.000. prevista na lei. Para além de tudo isto, e
·Excelente nível de relacionamento insti- Os números revelam uma tendência de au- tomado nas páginas deste ilustre jornal, os
naturalmente, da sua função consular, em
tucional e oficial mantido com as autori- mento no universo geral da actividade do prémios ganhos por ilustres representan-
sentido estrito, cabe ao Cônsul Geral fun-
dades portuguesas (Lisboa-Ministério dos Posto. Os pedidos de aquisição de naciona- tes da Comunidade nos últimos dois anos
ções gerais de representação do Estado,
Negócios Estrangeiros/Açores/Entidades lidade portuguesa registaram um aumento (Prémio Empreendedorismo/COTEC em
interagir e actuar nas áreas económica,
privadas) bem visível no apoio dado aos sustentado da ordem dos 30%. empresarial, das dinâmicas que contribu- 2008 e 2009, distinção de personalidades
projectos/propostas submetidos e nos pa- am para o incremento do relacionamento com a atribuição de graus de ordens hono-
trocínios recolhidos sobretudo recolhidos As tão esperadas obras bilateral com Portugal, do conhecimento, ríficas portuguesas, finalistas nos prémios
nos planos cultural e das artes plásticas; da inovação, da ciência e da investigação. Talento, etc…etc…), constituem um vas-
resultados obtidos, como alguém disse, no Qual o futuro das obras no Consulado? Em particular, aqui, na Califórnia, da inte- tíssimo conjunto de argumentos que me
plano de uma maior e mais forte conscien- Pela primeira vez, penso, desde que as racção com o universo das Universidades levam a refutar a tese da “cegueira” e
cialização da riqueza própria imensurável instalações consulares estão localizadas,
ENTREVISTA 15

apelar para uma maior concentração de Durante a sua permanência aqui, houve relacionada com a actividade e a presença zem, como é que podem ser úteis.
esforços da nossa Comunidade em torno certas divergências com organizações e com a história da comunidade portugue- Organizaram-se dois workshops em Berke-
de ideias e conceitos modernos que con- portuguesas. Houve acções, que talvez sa aqui na California. É uma editora que ley e recordo-me ver a reportagem que o
tribuam para uma crescente e sempre mais não foram bem compreendidas, ou pelas sempre reconheci e sempre divulguei. A Tribuna fez sobre o primeiro workshop.
participante forma de “viver” Portugal e organizações ou pelo Consulado. Que primeira coisa que me passou pela cabeça Eram quase quarenta jovens, alguns de-
a “portugalidade”, em conjunto e diálogo divergências foram essas? foi munir-me sempre de livros dessa edito- les já com sucesso assinalável e que hoje
com o Consulado Geral. Um Consulado ra, que me pudessem permitir sempre nas conheço bem e estiveram sempre com o
Geral unido e próximo à sua Comunidade Da minha parte não houve divergências minhas deslocações oficiais e sempre que Cônsul-Geral sempre que necessário.
poder ter uma influência muito grande na nenhumas, pelo contrário. Estando de par- visitava autoridades do poder local ter es- Esta ideia do network é ampla e foi abran-
promoção defesa e consolidação de valo- tida, estive a arrumar papéis, a rever notas sas obras para poder oferecê-las e deixar gente. Uma ideia, um conceito, que tem
res que conhecemos e partilhamos. Apelo, e recordo ver já em 2004 quando aqui che- uma marca de qualidade, o mesmo aconte- que ser naturalmente continuado.
outrossim, a que esse espírito progrida e guei, as ideias e objectivos que pensava ter cendo quando visitava Sacramento. Lembro-me que quando falei em criar
se consolide, sem reservas e com dádiva nesta minha permanência na California. pontes em 2006 muitas pessoas olharam
de todos, a bem de todos e a bem, afinal, Delas nada retiro, nelas continuo a rever- Em que situação é que estamos àcerca para mim sem compeender o que eu que-
do Portugal que todos trazem bem dentro me como objectivos gerais. Não divergi, do network entre a juventude da nossa ria atingir.
do coração. pois cabe ao Cônsul-Geral ter um papel comunidade? Já em 2009 vi num editorial do Tribuna o
Termino, afinal, agora, depois do que par- de apaziguador e um papel de diálogo e de tema ser bem tratado, àcerca de quem so-
tilho convosco, que o futuro cabe a todos e mos e para onde vamos.
cada um de nós. O futuro passa sobretudo
pela vontade e pelo engenho do homens. Fale-nos um pouco do
Os portugueses e aqueles que se sentem que tem visto no dia de
próximos a Portugal, às suas origens pri- Portugal de Camões e das
mordiais açorianas, são Homens e Mulhe- Comunidades?
res de rija têmpera. Portugal quer conhecer
mais e melhor esses Homens e Mulheres. O 10 de Junho tem sido es-
Aperfeiçoamento de canais de contacto e tatísticamente um sucesso
convergência de vontades farão o futuro, e um sucesso em si mes-
estou convicto, de uma história emocio- mo.
nante e longa da presença dos Portugueses O meu primeiro 10 de Ju-
na Costa Oeste dos Estados Unidos, que nho foi em San José, no
levo comigo e que me transformou e in- Kelley Park. O que eu pro-
fluenciou muito positivamente, humana e curei fazer, foi tentar aju-
profissionalmente. dar e dinamizar o conceito
de Portugal. Tentar abraçar
O que é que mais apreciou na Comuni- este grande Estado para
dade Portuguesa da California? sentirem Portugal duma
maneira diferente.
Cinco anos permitem-me dizer que a co- Teresa Sotto-Maior Carvalho e António Alves de Carvalho - apaixonaram-se pela California
munidade portuguesa ou luso-americana Há-de reconhecer-se que
na California, é uma comunidade que pode o Consulado sempre aju-
ser considerada um exemplo para outras dou finaceiramente al-
comunidades no mundo. Não há melhores, abertura constante e jamais ser um factor Foi uma ideia que eu lancei em 2006 quan- guns projectos relacionados com o Dia
nem piores. Existem sim comunidades di- de divergências. do tentei criar o Ano da Juventude. Até de Portugal.
ferentes, geografias diferentes, problemas há a ideia de trocarmos impressões sobre
diferentes. O que me impressionou funda- O que é que aconteceu entre o Cônsul e aquilo que se fez e aquilo que não se fez. Sempre tentámos ajudar o mais possível,
mentalmente foi a capacidade e riqueza, a Portuguese Heritage Publications of A juventude foi um tema que sempre me através de fundações e outras entidades, o
sobretudo a riqueza de preservar a iden- California? interessou muito e em todas as convenções que se fazia no 10 de Junho, isto é, simpó-
tidade, de preservar hábitos, a história, a que participei sempre batalhei nessa ideia. sios, exposições de arte, espectáculos de
cultura, as tradições, e tudo isto com uma Nunca houve nenhuma divergências da Criar condições para uma escola de asso- ópera, mixers tecnológicos em Stanford e
visão do futuro. Uma visão de integração minha parte. ciativismo de liderança, para podermos Berkeley.
na comunidade de acolhimento com su- trazer a juventude para dentro das institui- Uma das coisas que mais me satisfez foi
cesso a todos os níveis. Impressionou-me Então como é que se explica que o Cônsul ções, obedecendo e respeitando as diferen- precisamente a ajuda que pudemos dar às
também a riquza humana das pesssoas, nunca tenha assistido às dez apresenta- ças entre gerações. Comemorações do Dia de Portugal.
o contacto humano que as pessoas tão ções de livros feitas por esta importante
genuinamente mostram. Estas caracterís- Editora? Esse network já está a trabalhar? O que é que se poderia fazer para que os
ticas que eu encontrei aqui na California portugueses se inscrevam cada vez mais
são realmente identificadoras de uma co- Por não ter recebido convites algumas ve- A ideia consolidou-se. Durante as minhas no Consulado?
munidade que veio para ficar. zes e outras vezes poderei não ter podido visitas às comunidades vi muitos jovens
Esta riqueza humana foi também uma au- comparecer, porque nalgumas vezes terão em posições de liderança, em sociedades, O acto de inscrição no Consulado é volun-
to-defesa, por manterem o seu portugue- coincidido no tempo circunstâncias que boards e essa juventude esta lá cada vez tário.
sismo, a sua fé, no acreditar que é possivel não permitiram a presença do Cônsul Ge- mais. Eu penso que o network da juven- Campanhas a favor da inscrição consular
melhorar, longe das suas origens. ral a iniciativas da PHPC. tude ficou. não são fáceis de fazer. Isto deve passar
Eu sei que há muita gente a trabalhar nisso pela consciencialização das pessoas e das
Todos os Cônsules tem a sua maneira Mas existe uma Vice Cônsul que pode- e posso falar no nome da Ãngela Simões. necessidades que elas tenham de ter direi-
de ser, de fazer política, com diferentes ria ter assistido… A Ângela é o exemplo claro e evidente tos defendidos, de reconhecerem as vanta-
personalidades. Que objectivos é que um gens de estarem inscritas no Consulado.
Cônsul tem quando chega a California?
Cinco anos permitem-me dizer que a comuni- A inscrição é um acto muito simples, é o
preenchimento de uma ficha com uma fo-
Um Cônsul quando chega a California vem
para aprender, para ver, estudar, avaliar e
dade portuguesa ou luso-americana na Cali- tografia e os dados básicos de identifica-
ção, mais nada e apenas isto.
conhecer com humildade aquilo que é esta fornia, é uma comunidade que pode ser consi- A sensibilização deste problema poderia
realidade. Um Cônsul não chega aqui com
ideias pré-concebidas ou com cenários que
derada um exemplo para outras comunidades ser feito através das organizações frater-
nais, até mesmo da Igreja, das festas tradi-
traga debaixo do braço, muito bem enro- no mundo cionais, no encontro de pessoas amigas.
ladinhos, para exercer as suas funções. O A inscrição está ligada ao interesse espe-
Cônsul-Geral na California é aquilo que cífico da pessoa. E quando a pessoa sabe
ele quiser ser, segundo aquilo que a Comu- Não, assim estamos a entrar completamen- da pessoa que, sendo jovem é altamente que precisa, vai inscrever-se.
nidade quiser fazer com ele e em termos te noutro campo, haveria que abordar este madura e que tem várias responsabilida- Algumas pessoas temiam que ao inscreve-
de resultados o que for possível alcançar. aspecto um de cada vez. O papel da figura des aqui na California, e ao nível da PAL- rem-se no Consulado e pedir a sua nacio-
Tudo isto com um espírito de grande hu- da Vice Cônsul tem outra natureza. CUS. nalidade poderiam perder a sua cidadania
mildade, por um lado para prosseguir os Não há condições de um Cônsul-Geral se Hoje não só temos network de jovens mas Americana, o que não é verdade. Ninguém
objectivos de política externa de Portugal, fazer representar em centenas de eventos, existe outra coisa que eu lancei que é este perde o que já adquiriu.
sempre em coordenação com a Missão que existem e acontecem na California. dialogo entre a juventude da comunidade
Diplomática, a Embaixada de Portugal Sabemos que temos uma realidade geo- com aquilo que nós chamamos a diáspora
em Washington e sob a orientação do sr. gráfica enorme e por conseguinte só há um tecnológica. Nota do Editor:
Embaixador de Portugal, que esse sim, é Cônsul-Geral. A Vice-Cônsul é tudo o que A juventude da nossa comunidade tem toda
o representante máximo de Portugal nos Cônsul Geral orienta, determina, coorde- a vantagem de fazer, de realizar e compre- Dentro de pouco tempo vamos ter um novo
Estados Unidos. na interiormente no Consulado Geral, mas ender este diálogo. Viver na California tem Cônsul-Geral e outro ciclo irá começar.
O cônsul-geral é um elo de ligação entre a é mais do que isso, é o autor e o garante do vantagens extraordinárias e hoje em dia a Vem de Paris, de uma cidade, embora mui-
comunidade, os poderes e as tutelas devi- funcionamento da Chancelaria, que é uma juventude tem um futuro invejável. to grande, mas que não tem a grandeza e
das na República, é um agente que se des- das vertentes entre as tais, que se divide Era impensável há vinte ou trinta anos, a complexidade da California e dos outros
dobra em actividades e funções sempre na entre o Consulado Geral, quando o Cônsul que hoje em dia haveria tantos jovens nas 12 Estados que estão à responsabilidade
promoção dos interesses de Portugal, nas está fora, ou quando está em funções junto nossas universidades e em locais chaves do Consulado de San Francisco.
áreas da cultura, economia, investimento, da comunidade. nas suas vidas profissionais. Houve uma Continuamos a esperar que Portugal abra
empreendedorismo, ciências, parcerias Esta editora tem feito um trabalho notá- evolução enorme para esta juventude de mais os olhos no respeitante às suas re-
universitariás, sociais. O Cônsul-geral é vel de promoção com a colaboração de hoje, e é facil entender a necessidade de lações comerciais e tecnológicas com a
tudo isto e muito mais. grandes nomes não só portugueses mas haver pontes entre eles. California, muito em especial depois des-
americanos, universitários, académicos, Este network é importante para sabermos ta enorme crise económica que afectou o
sobre temática tão diversa, quase toda ela quem é quem, onde estão, o que é que fa- mundo inteiro. O futuro o dirá.
16 CONVENÇÃO 15 de Agosto de 2009

Convenção da UPEC Fotos de José Enes

Next Generation (20/30) Officers. Seated - Secretary Maria Julia Barreiro, President Monique Vallance, Vice-President Katie Woods. Standing: Master of Ceremonies Zachary Batis-
ta, Activities Director Jennifer Medeiros, Treasurer David Vallance.

A 123ª Convenção Anual do Conselho Supremo da União


Portuguesa do Estado da California (UPEC) teve lugar de 1
a 4 de Agosto em Palm Springs, California.
O Conselho #43 do Chino foi o responsável por esta histó-
rica Convenção, sendo esta a última Convenção da UPEC
antes do começo de actividade da nova Portuguese Frater-
nal Society of America (PFSA).
O programa da Convenção começou na noite de Sábado
com a Youth Testimonial e o espectáculo de variedades.
No Domingo houve a tradicional Missa, seguida da hora
dos visitantes e o Grande Ball à noite.
A President’s Reception na Segunda-feira à noite foi muito
concorrida, com toda a gente vestindo as melhores recorda-
ções dos anos 60’s.
Até Sonny Bono apareceu na festa.
A nova Supreme President of UPEC, Marie Kelly Barreiro
tomou posse na Terça-feira à noite, bem como sua filha Mo-
nique Vallance, como “Next Generation (2-30)” President.
Também tomou posse Ashley da Silva como State Youth
President.

Uma Convenção para ser recordada.

2009 U.P.E.C. Scholarship recipients with parents and grandparents at Testimonial.

Past Supreme Presidents and Spouses. SEATED Marie B. Kelly Barreiro, Maria Aldina
Silva, PSP Gloria Fresquez, PSP Mary I. Pereira, PSP Mary Medeiros, Maria Medeiros
and Rose Rosa. STANDING-PSP Jonine Barreiro, PSP Joe I. Silva, PSP Joe Faria, Louis
Fresquez, PSP Natalie Batista, Maria de Conciecão Corvelo, PSP George Corvelo, PSP
Gary Dias, PSP Manuel Medeiros, PSP Timothy Borges and PSP Joe P. Rosa. Family of Supreme President - David Vallance, Monique Vallance, Marie B. Kelly Barreiro,
Jonine Barreiro and Maria Julia Barreiro.
CONVENÇÃO 17

2009 UPEC Convention Grand March led by Mr. Richard Castro and Isolete Facão-Grácio

UPEC Board of Directors and Spouses. SEATED-Egidio Almeida, Chairman of the Board Joe I. Silva, Joe Pimentel, Se-
cretary of the Board Gary Meyer, Vice-Chair of the Board Gary Dias. STANDING-Isilda Almeida, Lydia Wentz, Maria
Aldina Silva, Maria Bertão, Robert Bertão, Maria Alice Meyer, Mary Medeiros, Caron Dias.

Justine “Hannah Montana” Navarra at the 2009 Youth


Talent show

Youth Talent Variety Show with youth from Artesia Youth


Council

Supreme Line Officers of UPEC- Seated Assistant Secretary/Treasurer Isolete Facão-Gracio, Supreme President Marie
B. Kelly Barreiro, Marshal Katie Woods, STANDING-Guard Anselmo Sousa, Vice-President Edward Braun, Master of
Ceremonies Michael Bryant, Secretary/Treasurer Timothy Borges
18 COMUNIDADE 15 de Agosto de 2009

Visita da Equipa de Veteranos do Sport Club Barreiros


Um Grupo de amigos está a pre- ado ao 3442 E.Bardsley, Tulare.
parar uma Recepção à Equipa de Após o Jogo, jantar de BBQ de
Veteranos do Sport Club Barrei- galinha, na Sede do Tulare An-
ro, que se irá deslocar à Califor- grense situado ao 521 E. Bardsley
nia de 17 de Agosto a 7 de Setem- Ave, em Tulare. Para outra infor-
bro. O Programa é o seguinte: mação sobre o jogo ou o jantar,
ligue para o Armando Couto 559
Segunda Feira, 17 de Agosto, às 970-7473.
6:00 horas da tarde, recepção à
caravana e suas famílias na Sede Quarta Feira dia 2 de Setem-
da Casa do Benfica, situada ao bro, às 5:30 da tarde, jogo contra
1098 E. Santa Clara Street em ex-atletas do Barreiro, no Anne
San José, com copo de água. Darling School, situado ao 333
N. 33rd Street em San José. Se foi
Sexta Feira, 21 de Agosto, às jogador do Sport Club Barreiro e
7:00 horas da tarde, jantar de so- quer participar neste jogo, ligue
pas e Cozido Regional a moda da para o Luís Melo 408-655-0055.
Terceira, bebidas e sobremessa, Após o jogo, jantar de Alcatra de Barreiro no passado, para que de já convidada a participar nes-
na sede da Banda Portuguesa, Cabrito na Casa do Benfica. ninguém fique esquecido. tes eventos.
situada ao 100 N. 27th Street em Para além dos nomes e números
San José, seguindo-se entreteni- Sábado, 5 de Setembro às 11:30 Os bilhetes para os jantares já de telefones acima mencionados,
mento por Giria da Terra e baile da manhã almoço oferecido pelo estão à venda. Aproveite esta poderá contactar qualquer outro
por Artur Azevedo DJ: os Bilhe- Grupo de Carnaval na sua Sede, oportunidade para conviver com elemento ligado à Comissão da
tes para este jantar estão à ven- situada ao 1610 Alum Rock Ave. alguns dos melhores jogadores sua área. Contamos consigo.
da na Casa do Benfica, no Rosa em San Jose, às 4:00 da tarde, que representaram o Sport Club
Trade Rite Market, ou ligue para jogo com os veteranos da Casa do Barreiro. A comunidade está des-
o António Leonardo, 209-824 Benfica, no San Jose High Scho-
2950. ol, situado ao 275 N. 24th Street
em San José; às 7:00, jantar de
Sábado, dia 22 de Agosto, jogo BBQ de galinha e carnes de vaca
às 4:30 da tarde contra os Vete- com acompanhamentos na sede
ranos do Boavista de Escalon no da Casa do Benfica. Após o jan-
Escalon High School, situado ao tar, música para baile por David
1528 Yosemite Rd., em Escalon. Amarante DJ.
Às 7:00 jantar de Tri-Tip e acom-
panhamentos na sede da Azores O Sport Club Barreiro, fará nesse
Band Escalon, situada ao 1432 dia uma Homenagem aos seus ex-
First Street em Escalon. Para ou- Directores e Jogadores que fize-
tra informação sobre o jogo ou ram parte dos quadros do Barrei-
o jantar, ligue para Luís Coelho, ro. Como não temos os contactos
209-847-6532. de todos, pede-se a quem foi Di-
rector ou Jogador do Sport Club
Sábado, 29 de Agosto, às 11.30, Barreiro, ou se conhece alguém
almoço à caravana e suas famí- que o tenha sido, para contactar
lias oferecido pelos Veteranos do o Joe Filomeno Dutra 408-639
Tulare Angrense na sua Sede, às -5695, para nos dar a informação
5:30 da tarde, jogo contra os ve- e assim podermos juntar o maior
teranos do Tulare Angrense no número possível de elementos
Mission Oak High School situ- que fizeram parte da família do
PATROCINADORES 19
20 COLABORAÇÃO 15 de Agosto de 2009

Sabor Tropical
Pombos-Correios e o
Elen de Moraes
elendemoraes_rj@globo.com crime organizado
Q
uando se pensava que tecnologia avançada das comuni- São Paulo, foi flagrada levan- que a avezinha foi abatida por al- viajar a diversos pontos. Simples-
hoje em dia os servi- cações – o celular – o milenar e do duas pombinhas escondidas gum exímio atirador, de alguma mente ele volta ao local onde foi
ços dos pombos-cor- seguro transporte alternativo da numa marmita. As aves tinham quadrilha rival interessada em criado.
reios se restringissem noticia: o pombo-correio! pequenos sacos de tecidos amar- “detonar” a concorrência. Então, se é assim, essa é a pior
ao passatempo dos seus criadores Agentes penitenciários descon- rados ao seu corpo e a explicação De acordo com José M. Raposo, parte da notícia: os pombos são
e das competições de columbofi- fiaram da atitude pra lá de suspei- dada, no maior descaramento, foi grande conhecedor de pombos- criados e alimentados pelos pre-
lia, onde milhares de aficionados ta de um pacífico pombinho que de que elas serviriam para levar correio por criá-los desde a ado- sos, lá na penitenciária mesmo,
continuam a fazer deles o seu ani- estava pousado no fio elétrico alimentos para os presos, porém lescência, é difícil controlar os sem que as autoridades tomem
mal de estimação, eis que a deli- que passa sobre a ala destinada a policia desconfia que seriam criadores clandestinos que nem conhecimento e o agravante é
cada avezinha volta a ser usada aos presos do regime semi-aber- usadas para o transporte de dro- sempre usam a ave para a prá- que, talvez, a farra esteja sendo
com uma engenhosidade de fazer to, da penitenciária de Sorocaba gas e celulares. tica de esporte e explicou que, feita com o dinheiro do contri-
inveja às mentes privilegiadas. - interior do Estado de São Paulo Funcionários do presídio ao nota- ao contrário do que muita gente buinte brasileiro.
Acho que nem Salomão em sua - e resolveram investigá-lo, por rem que o numero de visitas dos pensa, o pombo não é capaz de Era só o que faltava!
sabedoria, quando mandou es- notarem que ele tinha algo amar- pombinhos às celas se intensifi-
palhar pombais por todo seu Im- rado ao seu corpo. Atraíram o cou, decidiram que daquele dia
pério para saber, rapidamente, o
que nele se passava, nem os gre-
animalzinho com alimento e usa-
ram uma rede de pesca para cap-
em diante pombos só entrariam
no presídio depois de minuciosa Vende- se Leitaria de Cabras
gos que tinham aprendido com turá-lo. No dia seguinte pegaram revista.
os caldeus e com os israelitas as outro pombo nas mesmas condi- 8.9 acres com irrigação própria
vantagens dos pombos mensagei- ções. Ao caíram na armadilha, Recentemente novo caso de pom- Casa com 3700 pés quadrados, 5 quartos de cama, 3 quar-
ros, tampouco os egípcios, quatro os bichinhos foram detidos para bo-correio levando celular para o tos de banho, toda remodulada.
mil anos antes, que já usavam “averiguação”. Traziam amar- presídio tomou as manchetes dos Perto da auto-estrada e Shopping Center
essa ave tão atraente para man- radas, em suas costas, pequenas jornais. Desta vez aconteceu em Fica situada a 1 milha do novo Hospital do Kaiser
dar e receber noticia, poderiam sacolas com peças de celulares outro Estado, o Rio Grande do Permanente, em Dale Road, Modesto, California
imaginar que esses bichinhos desmontados. Os policiais revis- sul. Mais precisamente em Por- Perto do novo Liceu
inocentes, em alguma época, se- taram as celas e não encontraram to Alegre: um pombo que trans- Extraordinário investimento de $990K dolares
riam colocados a serviço do cri- pombos em poder dos detentos. portava carregador e bateria para Os animais existentes não estão incluídos
me organizado. Mistério! celular, foi encontrado por poli-
Pois é, exatamente, o que está Noutra ocasião, ainda em Soro- ciais militares, no pátio do 4º Re- Contactar AHMAD SHAMA (209) 505-5268
acontecendo! Os pombos-correio caba, policiais “detiveram” outro gimento da Policia Montada da
que foram usados nas duas gran- pombo com um celular dentro de brigada Militar. A delicada cria-
des guerras do planeta e que bem uma “mochila”, também amarra- tura fora atingida nas duas asas,
antes, em 1880, em Portugal, da às suas costas, como no caso por tiros de chumbinho, de auto-
constituíram uma rede de apoio anterior, e junto vinha especifica- ria desconhecida, quando voava,
aos telégrafos, com a construção do o nome e o numero da cela do tranquilamente, em direção ao
em várias cidades, de pombais preso que deveria receber a “en- presídio central. Ela foi resgatada
militares, agora, no inicio do sé- comenda”. Um “serviço” muito e operada no Hospital das Clini-
culo XXI, aqui no Brasil, estão bem organizado! cas Veterinárias da Universidade
sendo manipulados pelos “me- Mas a história com os pombos- do Rio Grande do Sul e por se
liantes”, para lhes prestar “apoio correio não começa aqui: ano tratar de um procedimento cirúr-
logístico” na criminalidade. passado, uma mulher, ao sair da gico delicado, não foi garantida
A bandidagem decidiu aliar à cadeia de Marília, também em a sua sobrevivência. Tudo indica

Ao Sabor do Vento
Mas as pombas vão comigo
José Raposo
raposo5@comcast.net

A
Quem olha a casa pela frente não se aper- rastado pela rampa abaixo. Eu pensei para por via dos diabetes e quando se junta a
casa não se quer grande cebe do que está nas trazeiras, mas, ao en- comigo: fome à vontade de comer, é um problema
Para ser igual ao ninho. carar com o quintal vê logo que ali moram - Basta! resistir aos cozinhados da culinária Portu-
Amor em casa pequena Portugueses. Tenho que dar outro rumo à minha vida. guesa. O coração embora batendo, já não
Anda mais aconchegadinho. A nossa ideia foi sempre viver nela até ao Pedi a minha mulher para começar a pro- bate como batia. O stress, coisa que an-
dia que a vendessemos para comprar uma curar casas na internet para a gente com- tigamente ninguém falava, manifesta-se
Era esta quadra muito popular e via-se à mais pequena e onde não tivesse-mos que prar uma mais pequena e arrendar a que das mais variadas formas. Em vez de estar
entrada de muitas casas pequenas da mi- passar os nossos fins de semana a arrancar temos ou vendê-la. Não quero luxos. Eu gozando a minha piscina, tenho é andado a
nha ilha. Quando cheguei a este país minha ervas e levantar folhas. Pensava que isso nasci e vivi uma grande parte da minha apanhar sol na careca em paradas e procis-
mulher já havia arrendado um apartamen- levaria mais uns anos até que resolvesse vida sem água corrente em casa, tinha sões. Tenho-me preocupado mais com os
to. Cinco ou seis meses depois compramos fazer essa decisão, porém quando comecei todos os dias que ir ao fontenário públi- outros do que comigo mesmo. É tempo de
um duplex de parceria com minha cunha- a ter problemas cardíacos disse para comi- co de barril às costas para trazer água a fazer mudança. De maneira alguma posso
da e o marido. Dois anos e meio depois go: - Vai ser agora. fim de encher o talhão de barro de San- arrancar as àrvores e roseiras que plantei
vendemo-lo e cada um de nós comprou a Entretanto, lá me fui arranjando como ta Maria. Não havia quarto de banho e a mas as pombas vão comigo.
sua casa independente. pude. Quando o quintal precisava de ser electricidade era em pó. Enfim vocês sa-
Mais poucos anos passados e compramos cavado ia pegar dois ou três latinos para bem como era. A minha saúde agrava-se
uma casa maior, com quintal grande e pis- me ajudarem. Muitas vezes aconteceu isso
cina. Eu costumo dizer que compramos a quando ainda tinhamos a lavandaria. Na
piscina e a casa veio juntamente. hora do almoço minha mulher vinha a casa
Nos primeiros anos nadava todos os dias ou cozinhava para comermos ou comprava
quer fizesse sol, chovesse ou ventasse. a comida já feita num restaurante qualquer
Depois a febre passou e agora tem havido das redondezas. Qualquer pessoa que me
anos que poucas ou nehumas vezes tenho veio ajudar a cavar o quintal, independen-
usado a piscina. te da nacionalidade, cor da pele ou crença
Plantei àrvores que dão bons frutos, que religiosa, sentava-se sempre connosco à
os esquilos e os gaios comem ou deitam mesa. Se por acaso eu tinha que sair, as
para o chão a maior parte. São nesperei- portas ficavam sempre destrancadas para
ras, ameixeeiras, groselheiras, pesseguei- que os trabalhadores pudessem fazer uso
ros, damasqueiros e mais umas quantas do quarto de banho ou abrirem o frigorífco
outras. e beberem o que quizessem. Nunca colo-
Tenho canários, pombas e galinhas e sem- quei preço ao seu trabalho. Paguei sempre
pre que alguma foge do galinheiro, os cães o que me pediam. Salvo raras excepções,
saltam em cima e temos canja para o jan- fui sempre bem servido. Algumas vezes,
tar. depois de um dia de trabalho muitos deles
No jardim penso que temos 75 roseiras se banhavam na piscina. Tratei todos como
diferentes. Hortênsias, conteiras, uma gosto que me tratem.
até vinda do Brasil. Uma quantidade de Há poucos dias estava eu a colocar as ca-
ervas medicinais que sempre que minha necas do lixo na berma da estrada e ao
mãe vem cá trouxe escondidas. A salsa descer a rampa da minha casa para a rua,
nasce por todos os lados. Couves nem se como as canecas estavam muito cheias e
fala. Tomates, feijão, abóboras e pepinos. pesadas não me consegui segurar e fui ar-
COLABORAÇÃO 21

Luso-American Education Foundation


Cultural Youth Summer Camp em USF
Luso-American Education Foun-
dation Cultural Youth Summer
Camp em USF
Teve lugar nos dias 13 a 17 de
Julho, na Universidade de San
Francisco (USF), o décimo-se-
gundo Cultural Youth Summer
Camp da LAEF com a presença
de 24 participantes do norte ao
sul da Califórnia, acompanhados
por uma equipa com larga experi-
ência educativa, liderada por Jo-
ann Malta-Weingard (co-chair),
com apoio logístico proporciona-
do por Joe Resendes (co-chair),
Arnold Rodrigues, Mary Jo Ro-
drigues e Carmen Odom. As ac-
tividades de língua portuguesa
e culturas lusófonas estiveram a
cargo de José Luís da Silva (pro-
fessor de Português em San Jose
High Academy), Francisco Alves
(professor de Estudos Sociais em
Independence High School, em
San Jose) e Lisa Maria Pereira
(professora de Inglês e coorde-
nadora de actividades estudantis
em San Jose High Academy).
Nancy Nunes (professora de Ma-
temática e coordenadora de acti-
vidades estudantis numa escola
secundária em Tulare) coordenou
os quatro mentores ( Lisa Pereira,
Steven Resendes, Gary Resendes
e Stacy Esteves). cinema, etc. Elaine Almeida tal em português. Muito aprecia- participantes visitaram o distrito ta e arduamente para que se torne
O “camp”, que teve como objec- ensinou todos os jovens a dançar da pelos participantes foi a apren- de negócios de San Francisco, realidade, é um exemplo do que
tivos dar a conhecer o mundo o folclore português numa sessão dizagem de canções tradicionais terminando com uma visita guia- se pode fazer em prol dos nos-
universitário a jovens de escola muito animada em que os parti- portuguesas, utilizando o sistema da ao Federal Reserve Bank onde sos jovens, visando estabelecer
secundária (do sétimo ao décimo- cipantes foram capazes, no final de karaoke, terminando com um puderam observar o “armazém” uma ponte entre o nosso passado
primeiro anos), ao mesmo tempo da noite, de apresentar um nú- concurso de interpretação de can- que guarda milhões de dólares, comunitário e aquilo que gos-
que lhes proporcionava conheci- mero do nosso folclore. Noutra ções em que os jovens cantaram além de verem a maior colec- taríamos de ver no futuro: uma
mentos e experiências da língua sessão, Mestre Chris apresentou e coreografaram as melodias, re- ção de notas emitidas neste país. comunidade moderna, educada,
portuguesa e culturas lusófonas, aos participantes os movimen- cebendo, no final, prémios pelo Seguiu-se um passeio por Chi- adaptada às novas realidades e
foi uma vez mais um sucesso, tos essenciais da capoeira, for- seu talento e entusiasmo. natown onde visitaram o estúdio que se interesse pela nossa língua
graças ao empenho e boa vontade ma artística de uma arte marcial A realidade contemporânea do do artista gráfico luso-americano e cultura, renovando-se neste
do grupo de trabalho que o orga- brasileira, conseguindo que os mundo lusófono foi um aspec- de grande renome John Mattos mundo globalizado em activida-
nizou e à simpatia, boa disposi- adolescentes se movimentassem to vincado no “camp”. Fran- que, simpaticamente, falou aos des e atitudes que possam man-
ção e energia dos jovens que nele a rigor e aprendessem os cânticos cisco Alves apresentou uma jovens do seu trabalho e trajecto ter o interesse por aquilo que nos
participaram. O tema central do tradicionais. Um painel compos- sessão intitulada “Estereótipos profissional. No penúltimo dia do une . O Summer Camp está sem-
“camp” deste ano foi a realida- to pelos mentores, debruçou-se vs.Realidade” visando analizar “camp” houve um passeio à ponte pre aberto a qualquer jovem que
de contemporânea em Portugal, sobre a experiência universitária, as perspectivas dos jovens quan- Golden Gate (que os jovens atra- queira participar. Várias organi-
Brasil e Estados Unidos, incluin- ao longo de três reuniões que fo- to a atitudes sobre a comunidade vessaram a pé na sua totalidade) zações e entidades têm colabora-
do oportunidades académicas e caram a adaptação à vida univer- luso-americana e Portugal. Lisa e ao museu de Marin Headlands do para que esse evento se possa
profissionais. sitária, incluindo aos dormitórios Pereira debruçou-se sobre a rea- onde se encontra uma secção so- realizar. Será nesse espírito de
Todos os participantes ficaram e colegas de quarto, como decidir lidade do Brasil contemporâneo. bre a presen¬ça portuguesa na- união que o próximo “camp” se
acomodados num dormitório de o curso universitário e escolher Nelson Ponta-Garça falou sobre quele condado. realizará numa universidade a
USF - uma universidade jesuí- aulas, e como obter ajuda finan- a música contemporânea por- No último dia, depois de arruma- designar. É uma oportunidade a
ta de grande renome - e tiveram ceira. tuguesa, desafiando os jovens a rem quartos e bagagem, os par- não perder por parte dos nossos
à sua disposição uma ampla e Um painel de enorme impor- conhecerem aquilo que de me- ticipantes despediram-se uns dos jovens que todos queremos ver
confortável sala de reuniões. As tância no “camp” foi aquele que lhor se faz na área da música em outros e dos adultos que os guia- realizados e produtivos no futu-
refeições foram servidas no re- analizou as oportunidades profis- Portugal. ram, depois de receberem, em ro.
feitório da universidade, com ex- sionais para quem tem curso uni- Qualquer evento em São Francis- ambiente de camaradagem e boa
cepção de um piquenique no Em- versitário. Esse painel, composto co não pode escapar aos encantos disposição, certificados alusivos José Luís da Silva
barcadero Center e um almoço por jovens profissionais da Cali- e vivacidade da cidade. Durante à sua participação no evento.
numa pizzeria brasileira. O ponto fónia e Portugal, falou das van- a semana, o grupo fez várias vi- Esta iniciativa que a Luso-Ame-
alto da experiência gastronómica tagens em ter um curso universi- sitas, começando por uma vol- rican Education Foundation vem
foi um jantar na sala de reuniões tário, da realidade no mundo de ta pelo bonito campus de USF fazendo ao longo de vários anos,
que tinha sido confeccionado de trabalho no mundo global em que onde se encontra uma belíssima com uma equipa de profissionais
forma exímia por Antelmo Faria, vivemos, especificando as vanta- e grandiosa igreja. Noutro dia, os de educação que trabalha gratui-
chefe executivo do novo restau- gens em saber a língua portugue-
rante Horatius, em San Francisco. sa. Entre os jovens profissionais,
A ementa preparada pelo chefe encontravam-se duas figuras
Faria (salada verde, galinha à pi- bastante conhecidas na nossa co-
ripiri, acompanhada por legumes munidade: Angela Costa Simões
e puré de batata com queijo de e Miguel Ávila, filho do proprie-
São Jorge), fez as delícias de par- tário da Tribuna Portuguesa e
ticipantes, adultos e convidados responsável pela secção do jornal
(incluindo duas individualidades em inglês. Seguiu-se uma sessão
de USF). A seguir, Antelmo Faria sobre como apresentar-se num
explicou aos participantes como ambiente profissional, incluindo
ele interpreta a nova cozinha por- maneira de vestir-se, falar e lin-
tuguesa e falou do seu próprio guagem gestual. Noutra ocasião,
percurso profissional. o Dr. Manuel Bettencourt falou
As actividades de socialização do seu percurso pessoal e pro-
são sempre muito importantes fissional e incentivou os jovens a
num evento desse tipo. Entre as irem o mais longe possível na sua
muitas acividades sociais, inclui- educação universitária.
ram-se aquelas que aligeiraram As actividades linguístico-cultu-
as apresentações dos presentes rais incluiram a aprendizagem de
e clarificação das regras do en- formas de cortesia, vocabulário,
contro, jogos de sueca, noite de e como escrever um bilhete pos-
22 DESPORTO 15 de Agosto de 2009

Liga Sagres 2009/2010 CALENDÁRIO


A Liga 2009/10 arranca no fim-de-semana 7ª Jornada, 04 Outubro: 16ª Jornada, 17 Janeiro 2010: Académica-F.C. Porto
de 16 de Agosto. F.C. Porto e Sporting co- Sp. Braga-Vitória de Setúbal Académica-Sp. Braga Olhanense-Belenenses
meçam fora de casa (em P. Ferreira e na Académica-Marítimo V. Guimarães-V. Setúbal P. Ferreira-Marítimo
Choupana, respectivamente), enquanto o Sporting-Belenenses Marítimo-Benfica Sp. Braga-Rio Ave
Benfica recebe o Marítimo. O primeiro Olhanense-F.C. Porto Rio Ave-U. Leiria
clássico está reservado para a sexta jor- Leixões-U. Leiria Belenenses-Leixões 24ª Jornada, 28 Março:
nada (27 de Setembro), no Dragão, onde Naval-Rio Ave Olhanense-Naval Benfica-Sp. Braga
o F.C. Porto recebe o Sporting. Segue-se o Nacional-V. Guimarães Sporting-Nacional V. Guimarães-Académica
derby de Lisboa, em Alvalade, à 11ª jorna- P. Ferreira-Benfica F.C. Porto-P. Ferreira Marítimo-Sporting
da (29 de Novembro), e à 14ª jornada (20 Rio Ave-Olhanense
de Dezembro) é a vez da Luz receber um 8ª Jornada, 25 Outubro: 17ª Jornada, 31 Janeiro: Belenenses-F.C. Porto
clássico, com o F.C. Porto. V. Guimarães-Sporting Benfica-V. Guimarães Leixões-Naval
A segunda volta da Liga 2009/10 carrega V. Setúbal-Leixões P. Ferreira-Académica V. Setúbal-Nacional
aquele que será à partida o encontro mais Benfica-Nacional Sp. Braga-Sporting U. Leiria-P. Ferreira
escaldante: dia 2 de Maio, à 29ª jornada, o U. Leiria-Naval U. Leiria-Olhanense
F.C. Porto recebe o Benfica. O Estádio do F.C. Porto-Académica Nacional-F.C. Porto 25ª Jornada, 03 Abril:
Dragão recebe um clássico que pode ser Belenenses-Olhanense Naval-Belenenses Sp. Braga-V. Guimarães
decisivo para as contas do título, à penúlti- Marítimo-P. Ferreira Leixões-Marítimo Olhanense-V. Setúbal
ma jornada. Os clássicos da segunda volta Rio Ave-Sp. Braga V. Setúbal-Rio Ave Naval-Benfica
realizam-se todos nas dez últimas jorna- Académica-U. Leiria
das. O Sporting recebe o F.C. Porto à 21ª
9ª Jornada, 01 Novembro: 18ª Jornada, 07 Fevereiro: Nacional-Leixões
volta, dia 28 de Fevereiro, e desloca-se à P. Ferreira-Belenenses
Sp. Braga-Benfica Belenenses-Sp. Braga
Luz à 26ª jornada, dia 11 de Abril. De res- F.C. Porto-Marítimo
Académica-V. Guimarães Sporting-Académica
to, a Liga encerra com o Benfica a jogar Sporting-Rio Ave
Sporting-Marítimo V. Setúbal-Benfica
em casa, enquanto F.C. Porto e Sporting se
Olhanense-Rio Ave Marítimo-U. Leiria
despedem do campeonato fora de portas.
F.C. Porto-Belenenses Rio Ave-Leixões 26ª Jornada, 11 Abril:
Naval-Leixões F.C. Porto-Naval U. Leiria-Sp. Braga
Nacional-V. Setúbal Olhanense-Nacional V. Setúbal-Académica
1ª Jornada, 16 Agosto: P. Ferreira-U. Leiria V. Guimarães-P. Ferreira Benfica-Sporting
Sp. Braga-Académica V. Guimarães-Olhanense
V. Setúbal-V. Guimarães
10ª Jornada, 08 Novembro: 19ª Jornada, 14 Fevereiro: Rio Ave-F.C. Porto
Benfica-Marítimo Marítimo-Belenenses
V.Guimarães-Sp.Braga Naval-V. Guimarães
U. Leiria-Rio Ave Naval-Nacional
V.Setúbal-Olhanense U. Leiria-V. Setúbal
Leixões-Belenenses Leixões-P. Ferreira
Benfica-Naval P. Ferreira-Sporting
Naval-Olhanense
U. Leiria-Académica Académica-Olhanense
Nacional-Sporting
P. Ferreira-F.C. Porto
Leixões-Nacional Leixões-F.C. Porto 27 ª Jornada, 18 Abril:
Belenenses-P. Ferreira Benfica-Belenenses F.C. Porto-V. Guimarães
Marítimo-F.C. Porto Sp. Braga-Marítimo Sporting-V. Setúbal
2ª Jornada, 23 Agosto: Rio Ave-Sporting Nacional-Rio Ave Académica-Benfica
V. Guimarães-Benfica Nacional-U. Leiria
Académica-P. Ferreira
11ª Jornada, 29 Novembro: 20ª Jornada, 21 Fevereiro: Sp. Braga-Leixões
Sporting-Sp. Braga P. Ferreira-Naval
Sp. Braga-U. Leiria F.C. Porto-Sp. Braga
Olhanense-U. Leiria Olhanense-Marítimo
Académica-V. Setúbal Belenenses-Académica
F.C. Porto-Nacional Belenenses-Rio Ave
Sporting-Benfica Olhanense-Sporting
Belenenses-Naval
Olhanense-V. Guimarães Benfica-U. Leiria
Marítimo-Leixões
Rio Ave-V. Setúbal
F.C. Porto-Rio Ave V. Guimarães-Leixões 28ª Jornada, 25 Abril:
Belenenses-Marítimo V. Setúbal-Naval Naval-Sp. Braga
Nacional-Naval Marítimo-Nacional Leixões-Académica
3ª Jornada, 30 Agosto: P. Ferreira-Leixões Rio Ave-P. Ferreira U. Leiria-Sporting
Sp. Braga-Belenenses Benfica-Olhanense
Académica-Sporting 12ª Jornada, 06 Dez: 21ª Jornada, 28 Fevereiro: V. Setúbal-F.C. Porto
Benfica-V. Setúbal V. Guimarães-F.C. Porto V. Guimarães-Belenenses
U. Leiria-V. Guimarães
U. Leiria-Marítimo Leixões-Sp. Braga Rio Ave-Marítimo
P. Ferreira-V. Setúbal
Leixões-Rio Ave V. Setúbal-Sporting Nacional-P. Ferreira
Leixões-Benfica
Naval-F.C. Porto U. Leiria-Nacional Sp. Braga-Olhanense
Nacional-Olhanense Naval-P. Ferreira
P. Ferreira-V. Guimarães
Sporting-F.C. Porto 29ª Jornada, 02 Maio:
Marítimo-Olhanense Nacional-Belenenses Rio Ave-V. Guimarães
Rio Ave-Belenenses Naval-Marítimo Marítimo-V. Setúbal
4ª Jornada, 13 Setembro: Benfica-Académica Académica-Rio Ave F.C. Porto-Benfica
V. Guimarães-Naval Belenenses-U. Leiria
V. Setúbal-U. Leiria 13ª Jornada, 13 Dezembro: 22ª Jornada, 07 Março: Olhanense-Leixões
Sporting-P. Ferreira Sporting-U. Leiria Sporting-Naval
V. Setúbal-Sp. Braga
Olhanense-Académica Sp. Braga-Naval Académica-Nacional
Marítimo-Académica
F.C. Porto-Leixões Académica-Leixões Sp. Braga-P. Ferreira
Belenenses-Sporting
Belenenses-Benfica Belenenses-V. Guimarães F.C. Porto-Olhanense
Marítimo-Sp. Braga Olhanense-Benfica
Rio Ave-Nacional
U. Leiria-Leixões 30ª Jornada, 09 Maio:
Marítimo-Rio Ave Rio Ave-Naval Nacional-S. Braga
F.C. Porto-V. Setúbal V. Guimarães-Nacional Naval-Académica
5ª Jornada, 20 Setembro: P. Ferreira-Nacional Benfica-P. Ferreira Leixões-Sporting
Sp. Braga-F.C. Porto P. Ferreira-Olhanense
Académica-Belenenses 14ª Jornada, 20 Dezembro: 23ª Jornada, 14 Março: U. Leiria-F.C. Porto
Sporting-Olhanense V. Guimarães-Rio Ave V. Setúbal-Belenenses
Sporting-V. Guimarães
U. Leiria-Benfica V. Setúbal-Marítimo V. Guimarães-Marítimo
Leixões-V. Setúbal
Leixões-V. Guimarães Benfica-F.C. Porto Benfica-Rio Ave
Nacional-Benfica
Naval-V. Setúbal U. Leiria-Belenenses Naval-U. Leiria Estádio do Dragão
Nacional-Marítimo Leixões-Olhanense
P. Ferreira-Rio Ave Naval-Sporting
Nacional-Académica
6ª Jornada, 27 Setembro: P. Ferreira-Sp. Braga
V. Guimarães-U. Leiria
V. Setúbal-P. Ferreira 15ª Jornada, 10 Fevereiro:
Benfica-Leixões Sp. Braga-Nacional
Olhanense-Sp. Braga Académica-Naval
F.C. Porto-Sporting Sporting-Leixões
Belenenses-Nacional Olhanense-P. Ferreira
Marítimo-Naval F.C. Porto-U. Leiria
Rio Ave-Académica Belenenses-V. Setúbal
Marítimo-V. Guimarães
Rio Ave-Benfica
PATROCINADORES 23

Scotch Whisky
Johnny Walker
Blue label $147.99

Super Promoções:
Mateus Rosé $5.99
Segunda garrafa
Grão Vasco $7.99
Esporão Reserva Branco $.05 cents
$12.99
Linguiça das melhores Companhias: Goulart, Barcelos, São Jorge
Pão fresco das Padarias Hiser, Santa Clara, Nine Islands

A Revista da Tertúlia Tauromáquica Terceirense “Festa na Ilha” já chegou à Califor-


nia. Custa $4.50 euros ou seja $6.50 dólares.
Estará à venda na Padaria Popular (San José), Rosa Trade Rite Market (San José), Fer-
nandes Linguiça (Tracy), Tribuna Portuguesa (Modesto).
São 93 páginas de belas fotos e bons artigos sobre a Festa Brava da Terceira, Graciosa,
São Jorge e até da California. Não perca o melhor das Ilhas.
24 TAUROMAQUIA 15 de Agosto de 2009

A segunda parte Quarto Tércio


José Ávila
valeu a viagem a Laton Tiro o meu
josebavila@gmail.com

Praça de Laton
Festa de Santo António chapéu ao Paulo
3 de Agosto de 2009 Ferreira pela exce-
lente noite de toureio
Cavaleiros - Paulo Ferreira e na Praça de Laton,
Miguel Duarte perante toiros de Joe
Forcados de Turlock e do Aposento Pacheco e Açoriana.
de Turlock
Toiros de Joe Pacheco (3) e Açoria- Dois chapéus
na (3)
Banda de Tulare
ao alto porque,
pela primeira vez na minha vida assisti através da
Director - José Sózinho
Curro muito igual, médio alto de Internet a duas corridas de toiros ao mesmo tempo,
peso e trapio. graças à TVI (Corrida do Emigrante, Campo Pequeno)
Melhores toiros - 4º e 5º da Açoria- e Via Oceânica (Corrida das Festas da Praia da Vitoria,
na. Os três primeiros toiros da cor- Monumental de Angra).
rida eram de Joe Pacheco. Só foi pena algumas locutoras da TVI não saberem o
Luz imprópria para uma corrida que dizem. Uma delas perguntou a uma senhora que
de toiros vive em França: ”A senhora anda lá lutar pela vida, não
Casa cheia Paulo Ferreira, uma grande noite de toureio e?”. Possívelmente em Portugal anda-se a lutar contra a
morte. Estes jovens locutoras/es precisavam mesmo era
A Lua ia alta, mas um tanto pálida, voltas à praça, que nada adiantam ao toda a gente de Laton e arredores. de uma boa ensaboadela.
porque na Terra havia um cavaleiro toureio. Os curtos foram em crescendo, aca-
que iria brilhar na Praça de Laton, O seu primeiro comprido bateu no bando com um bom violino. A noite Qualquer dia temos mesmo que fazer uma homena-
onde a luz é madrasta e pouco ilu- velcro e caíu no chão. Miguel teve era toda de Paulo Ferreira. gem a este bandarilheiro. Mário Teixeira merece tudo
mina. Paulo Ferreira mostrou a todos uma boa tira e boa cravação no seu Uma noite para recordar. o que se possa fazer.
aqueles que ainda tinham dúvidas, segundo. No seu terceiro, citou de A pega de Donaldo Costa foi ofereci-
É preciso começar a pensar nisso.
que é um cavaleiro de cinco estrelas, longe, e cravou bem. da ao seu antigo grupo, o do Aposen-
não só dentro da arena, mas como Nos curtos esteve muito bem com o to de Turlock. Gesto bonito.
treinador de cavalos.
Uma noite brilhante para este jovem
de Vila Franca de Xira.
No seu primeiro toiro, negro bragado,
cravou o primeiro de castigo e bem o
seu segundo, citando de meia praça,
mas o terceiro foi a cilhas passadas.
Mudou de cavalo para os curtos.
Esteve bem nos curtos, muito embo-
ra o toiro não estivesse à altura do
cavaleiro.
Actuação positiva de Paulo Ferreira.
Pega muito boa e segura de Jason
McDonald, do Grupo de Turlock,
bem ajudada por tudo o grupo.
O segundo toiro, saro, manso, não
deu nem podia dar qualquer hipótese
ao Miguel Duarte. Toiro muito dis-
traído, sem prestar atenção ao cava-
leiro. Miguel Duarte - actuação positiva na segunda parte
Foi um passar de tempo com crava-
ções possíveis, mas nem sempre de-
sejáveis e alguns toques. Com toiros toiro a corresponder também. Pega muito boa, mas houve uma altu-
deste calibre deveria haver uma ma- Actuação positiva de Miguel Duarte. ra, quando o toiro se desviou do gru-
neira de os meter dentro mais cedo, Só precisa ter mais cuidado com os po, que foi preciso Donaldo se em-
porque não beneficiam ninguém - toques. penhar muito bem para se manter na
nem o ganadero, nem o artista, nem o Foi pena o meu amigo Carlos Diniz cabeça do toiro. O grupo fechou-se
público. O Director deu música neste ter-se ido embora ao terceiro toiro, bem. Foi um bom treino para as cor-
toiro, o que é uma coisa impensável. pois perdeu uma segunda parte muito ridas em Porugal, no dia 20 no Cam-
Houve duas tentativas de pegas pelo boa. Nunca se deve abandonar uma po Pequeno e a 26 em Albufeira.
Grupo do Aposento de Turlock, mas corrida quando há duas ganadarias O sexto toiro da Açoriana, saro bra- Pega de Jason McDonald ao primeiro toiro da noite
o toiro “queria era sangue”. Derrota- em jogo, porque, se a primeira parte gado, baixel de cornamenta, não foi
va muito alto. Fez muito bem o Di- corre mal, há sempre a possibilidade tanto bom como o quarto e quinto,
rector mandar para dentro este toiro da outra ganadaria fazer melhor e mas deu o seu jogo e foi muito pres-
que nem para a pega prestou. salvar a corrida. tável para Miguel Duarte.
No terceiro da noite, saro, bragado e Foi pena que as pegas de Michael Este cavaleiro esteve relativamente
último de Joe Pacheco, toiro que se Menezes não tivessem sido concre- bem, muito embora não tivesse re-
prestou bem à actuação de Paulo Fer- tizadas a 100 %. Na primeira tenta- dondeado as suas lides. Aqueles to-
reira, com o senão de não carregar tiva, boa pega, o toiro derrotou alto ques, aquelas voltas à praca, são para
depois da cravação, o que é um mau e o Michael aguentou-se na córnea. prestar atenção em futuras corridas.
sinal. Nos compridos houve dois fer- Infelizmente o grupo não consegiu Houve ferros bons, em especial o
ros onde o cavaleiro não parou para travar o toiro. Na segunda tentativa primeiro e segundo curtos. Para fi-
citar, embora cravasse bem. Este o Michael não consegiu embarbelar nalizar a lide tentou um par, mas um
pormenor é de rever. Não se deve re- e o primeiro ajuda deitou-o fora. Na caíu-lhe no chão depois de ter batido
jonear quando podemos e devemos terceira tentativa, mais carregada, o noutro já cravado.
tourear. toiro baixou muito a cabeça e os dois Uma nota final sobre o Miguel - aque-
Paulo esteve bem e deve ter sentido forcados ficaram muito para a fren- le colarinho aberto, fica mal. Pode ser
que poderia ter uma noite de triunfo, te e toiro derrotou-os fácilmente. O moda, mas não gosto nada.
pois, quer os cavalos, quer os toiros Director e bem, mandou o toiro para Fernando Machado “Junior” fez uma Pega de Michael Lopes no terceiro toiro
que lhe iam saindo, correspondiam dentro. Azar dos jovens do Aposento bela pega. Aguentou-se imenso na
ao seu estilo de toureio. de Turlock. cara do toiro mas o grupo não conse-
Boa pega de Michael Lopes, do Gru- giu aguentar o toiro. Segunda tentati-
po de Turlock. A Noite de Paulo Ferreira va, com outra grande pega do Junior,
com este a sofrer imensos derrotes e
A 2ª parte valeu a viagem E veio o quinto (dizem que não há o grupo a demorar a fechar. Já com
quinto mau) da Açoriana para confir- o toiro rodeado de todos os forcados
O quarto toiro para Miguel Duarte, mar o bom momento de Paulo Fer- e parado, de repente escapuliu-se e o
era negro bragado, bonito. reira. Director mandou o toiro para dentro.
No começo houve muitas voltas à Toiro saro bragado, nobre, bravo, que Todos os grupos tem a sua noite ne-
praça para poder pôr o toiro em sorte. deu todas as possibildades para Paulo gra e este dia também chegou aos do
Estas voltas à praça tem de ser me- Ferreira brilhar. Aposento de Turlock.
lhor compreendidas pelos cavaleiros. Quer nos compridos, com especial Melhores dias virão.
Se o toiro não se descola do cavalo, é referência para o primeiro e terceiro, Ao Director - cuidado com a música.
para isso que existem peões de bre- quer nos curtos, Paulo deu vantagem A praça de toiros não é um Coreto.
ga. Não devemos perder tempo a dar ao toiro, bregou bem e entusiasmou Pega de Fernando Machado Junior, depois não consumada
COLABORAÇÃO 25

À
minha volta os meus amigos bem instalada a uma mesa na companhia
falam animadamente mas eu dos meus amigos, relaxo e preparo-me
não estou prestando atenção. então para ser eu agora a admirar os que
Observo as pessoas mais perto vão entrando. O Clube é o arraial de an-
de mim, falam baixinho e olham furtiva- tigamente. O lugar ideal para olhar sem
mente uns para os outros e para o pessoal incomodar ninguém e até para namorar
composto pelos demais que não perten- abertamente às escondidas.
cem à sua mesa. Procuro o pastor — to- Olho para a mesa ao meu lado. A mesa
dos os rebanhos necessitam de um, penso. que dois grandes amigos sempre ocupa-
Ouço palavras soltas. A garrafa de vinho vam mas já não ocupam. Eram ambos,
é passada à volta da mesa. Quando chega sem dúvida, ovelhas perdidas deste reba-
a minha vez, não me faço rogada. Alguém nho, mas disfarçadas. Tentavam aderir às
pede logo outra. A conversa continua sal- convenções sociais mas o olhar, às vezes
picada. “Fados. Cruzeiros. Açores. Papo- mordaz ou então distante traia-os. Um
secos. Fulano. Sicrano.” O Clube, sabe-se ano lembraram-se de nos ensinar uma li-
bem, não é o lugar indicado para grandes ção e morreram. Que pena, um grande
discussões ou conversas sérias. Às vezes sacrifício e não aprendemos nada.
sinto saudades das grandes declamações Olho de novo à minha volta. Já não vejo os
e tiradas dos tempos universitários. Mas meus amigos. Vejo sim os pais dos meus
essas aconteciam sempre entre um peque- amigos nos tempos em que eram eles que
no grupo de amigos íntimos num espaço pertenciam ao Clube. Sinto-me atordo-
mais minúsculo ainda e num ambiente ada; decerto é o vinho. Não, não é uma
imparcial e sem preconceitos. miragem! Surpreendida vejo que essas
Éramos todos tão jovens quando entrá- caras, esses corpos de cinquenta e sessen-
mos para o Clube. Alguns recém-casados, ta anos, não são os deles, são os nossos!
como nós, outros bem-casados e outros Felizmente a aparição desvaneceu-se tão
bem mal-casados. Mas todos casados. bruscamente como aparecera. De novo
Não há lugar para solteiros e muito menos vejo os meus amigos com os olhos do so-
para solteiras neste clube. Mal conhecia nho, da poesia — da juventude. Quando
estas pessoas antes do Clube, mas tenho nos juntamos seremos sempre os filhos
a certeza que, noutras circunstancias, os dos nossos pais e não os pais dos nossos
meus amigos seriam outros. Olho para filhos. Aliviada, sinto que o meu mundo e
mim e para as minhas amigas; os maridos a realidade se reconciliaram. Acalmo-me.
todos de camisas engomadas, gravata de Sinto os olhos molhados. Pertenço, faço
seda e sapatos bem engraxados. Nós qua- parte, sou sócia, do passado, presente e
se todas temos o mesmo penteado, saias futuro do Clube. Enternecida, levanto-
curtas, saltos altos, maquilhagem e unhas me e abraço os meus amigos, um a um.
pintadas. De repente sinto o desconforto Olham para mim e sorriem, a sua ovelha
desta roupa — ovelha com necessidade de perdida, mais uma vez regressara. De sú-
uma boa tosquia. bito, todos se calam e olham na direcção
Há pessoas que estão no Clube como se da porta. Reparo e vejo que o pastor do
estivessem em sua casa: descontraidos e rebanho acaba de entrar. Alegro-me, para
à vontade. Eu não tenho essa sorte. Quan- mim ele será sempre o homem jovem e
do entro no salão, sinto sempre um certo belo das minhas memórias. Pastor ou ove-
temor e uma certa reverência e respeito lha perdida, rebanho ou clube, às vezes é
por todos os que já lá estão presentes. difícil discernir, e o baile principia.
Suspeito sempre ver olhares desdenhosos Afinal a lição não foi em vão queridos e
e sorrisos disfarçados. Uma vez dentro e saudosos amigos.

Gabriel Garcia Marquez


(continuação da página 10)

Nesta biografia, Martin, tes de sempre e, segura- inocentemente e que aca-


um dos intelectuais que mente, a mais marcante do bam sendo, verdadeira-
melhor conhece a obra século XX, a administra- mente explosivos.
de Marquez, dá-nos um ção de Franklin Roosevelt. Foram estas as minhas
relato fascinante sobre o Um livro empolgante que companhias num verão
romancista internacional vai além da análise políti- que está a acabar, pelo me-
mais popular dos últimos ca e com o qual ficamos a nos em termos de leituras
50 anos. Do jornalista Ri- conhecer muito melhor a contínuas e assíduas, já
chard Wolfe, Renegade— idiossincrasia de Roosevelt que com o sair desta edição
The Making of a President. e de alguns dos seus mais do Tribuna Portuguesa, a
Um livro baseado em en- respeitados aliados. Com 15 de Agosto, começam as
trevistas e reportagens este livro fica-se a conhe- aulas na escola secundária
com o Presidente Barack cer muito melhor a história e no community college
Obama. Ao longo de 338 dos EUA. Finalmente um onde tenho o privilégio de
páginas ficamos sentados livro que há 3 anos anda na leccionar. Mas querendo
na primeira fila e podemos lista para ser lido, War by os deuses e a organização
viver o percurso extraordi- Candelight (em português necessária para conjugar a
nário entre o momento em algo como—Guerra à luz carga que vem com o ano
que Barack Obama anun- da Candeia) por um escri- lectivo, em termos de au-
ciou a sua candidatura à tor novo, Daniel Alarcon. las e de serviço à comuni-
nomeação do Partido De- São um conjunto de nar- dade, é possível que aqui
mocrático para a Presidên- rativas que se interligam. e ali hajam uns momentos
cia dos EUA e o dia em que São textos que começam de leitura e reflexão.
foi empossado presidente
deste grande país. Esta-
mos perante o verdadeiro
sonho americano. De Jo-
nathan Alter, outro distinto
jornalista ligado à revista
Newsweek, The Defining
Moment, FRS’s Hundred
Days and the Triumph of
Hope. Um livro que conta
os primeiros cem dias de
uma das administrações
americanas mais marcan-
26 ARTES & LETRAS 15 de Agosto de 2009

No mais profundo das águas, Apenas


Duas
de Norberto Avila Palavras

Uma vida de cena Diniz Borges


Norberto Ávila nasceu em 1936 em Angra do Heroísmo. De 63 a 65 frequentou em
Paris a Universidade do Teatro das Nações. Foi fundador e director da revista “Teatro
d.borges@comcast.net
em Movimento” e, entre 74 e 78, chefiou a Divisão de Teatro da Secretaria de Estado
da Cultura. Em 1960, a segunda das suas peças, “O Homem que Caminhava sobre as Em pleno mês de Agosto, com ainda
Ondas”, foi representada em Évora, por um grupo amador. Desde então nunca mais algum verão pela frente, aqui estamos
abandonou a cena: ao todo escreveu 27 peças, para companhias como o Teatro Expe- com mais uma edição da Maré Cheia.
rimental do Porto, Teatro de Portalegre, Teatro da Trindade, Teatro Experimental de Esta dedicada a um escritor açoriano.
Cascais e Teatro Animação de Setúbal. A estreia no teatro profissional foi em 1962, com É que este ano o dramaturgo, poeta e
“O Servidor da Humanidade”, no Teatro Popular de Lisboa. Em 65 passou à estreia in- escritor Norberto Ávila celebra 50 anos
ternacional, em Paris, com “A Ilha do Rei Sono” - e é hoje o dramaturgo português mais de vida literária. Aliás, celebramos to-
Victor Rui Dores representado internacionalmente. A sua peça “As Histórias de Hakim”, que teve grande
êxito em Portugal logo na estreia no Monumental de Lisboa em 69, conquistou depois
dos nós. Tive o privilégio de conhecer
Norberto Ávila há vários anos, através

N
os palcos do mundo: Alemanha, Áustria, Coreia do Sul, Croácia, Eslovénia, Espanha, do nosso saudoso amigo, o poeta Ema-
ão é impunemente que se é Holanda, República Checa, Roménia, Servia e Suiça. Faz também parte duma colecção nuel Félix. Já conhecia a sua obra, ten-
dramaturgo, tradutor, poeta e alemã em que se integram obras dos maiores dramaturgos universais, de Shakespeare do lido várias das suas peças de teatro.
romancista. a Fassbinder, passando por Molière e Strindberg. De sublinhar que em 1975 a SPA, no Gosto da poesia e da ficção narrativa de
Observador infatigável dotado concurso comemorativo do seu 50º aniversário, atribuiu o 1º Prémio à sua peça “As Ca- Norberto Ávila. É uma referência nas
de discernimento crítico, a viver em per- deiras Celestes” (a obra continua por representar, o que não a impediu de ser estudada, letras dos Açores, nas letras do mundo
manente desassossego criativo, Norberto por exemplo, na Universidade de Hamburgo). Norberto Ávila é também tradutor. Uma da língua portuguesa. Para celebrar os
Ávila reinventa uma contínua e continua- vida muito orientada pelas luzes do palco. 50 anos de vida literária de Norberto
da necessidade de expressão literária, es- In Sociedade Portuguesa de Autores Ávila o nosso amigo, colaborador desta
crevendo com mestria narrativa e imagi-
página de artes e letras e distinto poeta
nação verbal. É conhecido o seu intenso e
dades com quem conviveu, havendo a des- tor da Universidade de Coimbra, “inimi- Victor Rui Dores escreveu um texto
obstinado trabalho oficinal, ele que é autor
tacar a íntima amizade que manteve com o go de estimação” de Antero; o marquês sobre o romance No Mais Profundo das
do apuro formal, da exigência estética, da
preocupação estilística. historiador Oliveira Martins. Ávila e Bolama, que assinou a portaria Águas.
Há, efectivamente, uma qualidade literá- Ao ler este livro entramos na intimidade que mandava encerrar definitivamente as Aqui fica o texto de Victor Rui Dores e
ria que escreve Norberto Ávila, qualidade de “figuras de alto coturno” e que, de igual Conferências Democráticas… Mas, ainda um outro pequeno texto da sociedade
literária essa que perpassa toda a sua obra modo, ajudaram a construir o século XIX e sempre, é a figura de Antero que preva- de autores. Aqui fica a nossa simples
dramatúrgica, que inclui 29 títulos e tradu- português: Eça de Queiroz, Guerra Jun- lece, um homem que, durante os 49 anos mas justíssima homenagem a Norberto
ções em 16 idiomas. Aliás, as suas peças queiro, João de Deus, Batalha Reis, Ger- que viveu, ousou sonhar uma nova forma Ávila, com a promessa que continuare-
são elas próprias um belíssimo exercício mano Meireles, Alberto Sampaio, Teófilo de sociedade para o nosso país. “Portugal mos a falar destes seus 50 anos de vida
literário. Embora um texto teatral tenha Braga, José Fontana, Bulhão Pato, Adolfo ou se reformará política, intelectual e mo- literária. Parabéns, Norberto!
como objectivo maior a sua representação, Coelho (o primeiro português a ter a cora- ralmente, ou deixará de existir”, escreveu Abraços
o que é facto é que cada peça de Norberto gem de preconizar a separação do Estado ele no dia 26 de Janeiro de 1890, no jornal diniz
Ávila se lê com o mesmo prazer com que e da Igreja), Salomão Sáragga, entre tantos “A Província”. Palavras de uma brutal ac-
se lê um romance. tualidade!
Estamos perante uma escrita requintada, No Mais Profundo das Águas traça ainda
engenhosa e eivada de uma fina ironia, importantes retratos de gente açoriana que
apanágio de quem escreve comédias de privou de perto com Antero: José Bensaú-
enganos e sátiras sócio políticas… de, Afonso Chaves, Carlos Machado, Ta-
Norberto Ávila domina a carpintaria lite- vares Carreiro, Montalverne de Sequei-
rária tão bem como o faz com a carpintaria ra, entre outros.
teatral. Os seus romances Frente à Corti- A celebrar este ano 50 anos de activida-
na de Enganos e A Paixão Segundo João de literária, Norberto Ávila escreve bem
Mateus são precisamente a transposição e descreve ainda melhor. Os relatos que
de uma linguagem dramatúrgica para um nos faz referentes às peripécias que en-
discurso de ficção narrativa. Isto é, o autor volveram as Conferências do Casino são
transformou duas peças de teatro em dois de antologia. E inesquecíveis são as pá-
romances, ainda inéditos. ginas dedicadas ao suicídio de Antero.
De um escritor diz-se sempre que o seu Estamos perante um livro (universal e
melhor livro é aquele que ainda não escre- intemporal) com grande poder evocativo
veu. Até ver, No Mais Profundo das Águas e boa capacidade expressiva que o leitor
(Salamandra, 1998), que aquando da sua mais distraído ainda vai a tempo de ler.
publicação passou completamente desper- O açoriano Norberto Ávila não é só um
cebido entre nós, é o melhor romance de dramaturgo consagrado, dentro e fora
Norberto Ávila. de Portugal, é também um ficcionista de
Através de um narrador omnipresente e grande qualidade literária.
Norberto Ávila com Luisa Costa na Escola Por conseguinte, estejamos atentos a este
omnisciente, esta obra lança olhares sobre Secundária Vitorino Nemésio na Praia da
o poeta filósofo Antero Tarquínio de Quen- autor que ajuda a engrandecer a língua
Vitória. portuguesa.
tal e à Geração de 70, e é, por assim dizer,
uma viagem histórica, social e cultural
pelo século XIX português e europeu. outros nomes que questionaram Portugal e Horta, 17 de Julho de 2009
Acima de tudo, o livro traça um retrato entreviram a direcção definitiva do pensa-
profundamente humano de Antero, esse mento europeu. Aqui também se evocam e
convocam nomes como Alexandre Hercu-
MARGEM mais,
até que esta criança tenha dito,
“génio que era um santo”, no dizer de Eça
de Queiroz. Não se trata, porém, de uma lano, Camilo Castelo Branco, Júlio Dinis,
Bordalo Pinheiro, Columbano, António
CREPUSCULAR na linguagem de conchas alinhadas, o que
tem a dizer.
biografia romanceada, já que Norberto
Feliciano de Castilho, Joaquim de Vascon- a Tsuneo Matsumoto (Tal como eu o faço com as palavras.)
Ávila renunciou à cronologia, optando por
celos, Carolina Michaelis. E aqui se recor- Com pouco se entretém esta criança.
bem conseguidas elipses e analepses (digo,
dam autores estrangeiros indissociáveis da Um discreto rumor. Gotejam as palavras E da mínima coisa faz o poeta o seu
“flashbacks”), o que empresta a este livro
grandes potencialidades cinematográficas. Geração de 70: Flaubert, Proudhon, Victor no limiar da noite pressentida. canto.
Estamos na presença de uma biografia li- Hugo, entre outros. Virás tu, Poesia, ansiada mensageira,
terária, um relato minucioso da época de Há também figuras obscurantistas, gente num voo de gaivota, no quebrar duma NORBERTO ÁVILA
Antero, da sua vida nas ilhas, em Portugal conservadora da tradição e do passado: vaga?
e no estrangeiro, bem como das personali- Basílio de Sousa Pinto, o tenebroso rei- Demora-se o crepúsculo um instantinho
Tribuna Portuguesa PATROCINADORES 27

Call Today For a Free Consultation

209-545-8727
www.ModestoBacktoNeck.com

Custo: $150,000.00 dolares.


Aceitam-se ofertas
28 ENGLIH SECTION 15 de Agosto de 2009
serving the portuguese–american communities since 1979 • ENG L ISH SECTION

Ideiafix
portuguese
Miguel Valle Ávila
miguelvalleavila@tribunaportuguesa.com

LaSalette and Gabriel’s


tuguese restaurant
in Somerville, and
for those not willing
to drive 22 miles to
Newark, occasionally
a good alternative for
Portuguese cuisine. If
restaurants were clas-
sified as a soccer lea-
gue, Gabriela’s would
be a good candidate
in the 3rd Division.

Gabriela’s Authentic
Portuguese Cuisine
Gabrielas’: faux façade
42 West Main Street
Somerville, NJ 08876
Both LaSalette Restaurant in Sonoma, California, and 908.526.7070
Gabriela’s Authentic Portuguese Cuisine in Somerville, www.gabrielasrestaurant.
New Jersey share a passion for Portuguese food and both com
have been previously reviewed by The Portuguese Tribu-
ne. But that’s where the commonalities end. LaSalette: Serrano ham and scallops

LaSalette Restaurant
And while Gabriela’s offers more traditional Por-
tuguese cuisine, LaSalette, located in downtown
Sonoma in one of California’s most beautiful wine
regions, offers inventive, contemporary Portuguese
cuisine — its Cozinha Nova Portuguesa.

Chef and owner Manuel Azevedo continues to upda-


te its menu with some of best flavors of Portugue-
se mingled with the best Sonoma has to offer. For
appetizers, the bolinhos de bacalhau (cod cakes with
cilantro aioli) are fluffy and fried to perfection and
the Serrano ham crusted scallops are seared in the
wood oven with sweet potato puree, leek confit, and
molho cru (traditional raw onion and garlic sauce)
— amazing!
As one of the main dishes, the pork loin recheado
(stuffed with olives, figs, and almonds) in a Port
wine reduction sauce served with potato croquettes
brought together all its ingredients without overpo-
wering or minimizing any one of them.
The arroz à valenciana is a well-prepared paella dish
with seafood, linguiça, and chicken in saffron rice.
The bacalhau à Alexandre (salted cod) poached in
olive oil served with grated potatoes, leek confit, and
garlic chips — one of the best bacalhau dishes ser- Vintage Porto ice cream
Gabrielas’s: another view of the dinning room ved on the West Coast.
The lamb duas maneiras (two styles) includes a Por-
tuguese-style slow braised lamb leg and an oven ro-
Gabriela’s Authentic Portu- asted lamb chop served with baked polenta. Without
a doubt, one of the best lamb dishes this reviewer has
guese Cuisine ever tasted.
For dessert, we could not pass the Vinho Verde and
Gabriela’s in downtown Somerville, NJ, has a quaint and apple sherbet and the Vintage Port ice cream — outs-
well decorated dining room with earthy colors and Portu- tanding choices to complete this lunch in a warm
guese pottery on the walls. Summer day in wine country. The Vinho Verde sher-
Visiting on a Monday evening in the late Spring, it was bet is crisp and tart while the Port ice cream is rich
almost empty except for a cute young Portuguese family and smooth.
enjoying their dinner. Besides al la carte items, Gabriela’s LaSalette manages to offer excellent local Sonoma
also offers a prix fixe menu at $19.99 for dinner. Tonight’s wines and powerful Portuguese wines.
prix fixe was a choice of caldo verde (traditional Portu- Even when its owners, Manuel and Kimberley Aze-
Bolinhos de bacalhau
guese kale soup) or salad, espada da doca (“Peixe-espada” vedo, are not there, LaSalette continues to offer ex-
translates as largehead hairtails, beltfish or by its scienti- cellent service and outstanding Portuguese-inspired
fic name, Trichiurus lepturus; but this was actually swor- food.
dfish, scientific name Xiphias gladius or “espadarte” in LaSalette would definitively be in the Premier Soccer Le-
Portuguese) or costeleta de porco (pork chop), and for ague and be a candidate to the UEFA Champions
dessert a slice of Key lime cheesecake or flan. I opted for League if it were to compete in soccer tournaments.
the caldo verde, espada (espadarte), and flan.
The caldo verde was nothing special, but with plenty of
chouriço sausage. The main dish was actually very disa- Join us in bringing more content and even
ppointing. The swordfish steak was cut too thin and was
overpowered by a thick tomato and olive sauce. The steak
was also disproportionately too small to be accompanied
better quality to the oldest Portuguese bi-
lingual newspaper on the West Coast.
by a large cup of rice.
For dessert, the flan almost compensated for the meal —
rich and sweet, but the coffee that accompanied it was
bad, really bad.
Nothing changed since my last visit — still the only Por- Subscribe TODAY
ENGLISH SECTION 29

Longing for My Homeland


Testing in an
Pela Primeira Vez Nesta Praça

Ever-pulling homeland
My heart and soul yearn for you Jim Verner
Pátria, place of my fathers
Land of cliffs and sheltered coves
Flashing waterfalls and greening hills
open field jim-verner@earthlink.net

I
Rocky paths trod by generations
n Portuguese, it is called “tenta a campo aberto”
Land of farmers and of oxen adorned with gold-tipped and for many breeders of brave cattle it is conside-
horns red the best way to evaluate the bravery of a young
Of cows, mottled black and white, wary and gentle heifer to determine if she will be saved for breeding.
Giving milk to make round, thick cheeses, tangy when
Most tentas are done in a ring or corral, and while they
aged
also serve to show the bravery of the animal the fact that
To be eaten with coarse cornbread, freshly baked
Removed with flat-handled spatulas there is no way to escape leaves the heifer no choice but
From ovens ember-warmed with sapling branches to charge. In the field, it is a far different story.
Cattle have a strong herd instinct. In fact, it is possible
Island of earth and sea and sky and God to walk near brave fighting bulls that are in a group. As
Of thick-soled shoes and black-shawled widows long as there are no threatening movements, the bulls
Of rites that make each season valued on its own will stay together and merely watch the humans. So,
Without TV cameras or reality shows when a heifer is separated from the herd by only a hun-
A cycle reflecting nature and the Church dred yards and then approached by a man with a cape,
Easter, Pentecost, wine-making, sausage-stuffing she can choose between running back to the herd or at-
tacking the intruder.
Smoky kitchens, wooden floors, storage cellars I recently had the opportunity to test a heifer a “campo
Newborn chicks, motley colored, trailing aberto” at the ranch of Manuel Costa Jr. It was a deli- Passe por alto

Mother hens who scratch to find treasured corn kernels


Children with rosy cheeks, caramel-colored hair
Unprimped, braided.
Cow-licked boys with shy smiles

I long for your goodness, your earthiness


For your poverty of material and your wealth of spirit

Rose Silva King


Modesto, California
mikeroseking@sbcglobal.net

Fontes sisters The heifer charges Manuel Costa’s ATV A wind-blown natural

make up 50% ghtful experience to watch Manuel skillfully separate


the heifer from the herd while “mounted” on an ATV.
focused on the human who was calling for her to char-
ge and moving the capote and muleta. This brave cow
of DeZire He showed all the ability of the best horsemen that know
how to handle fighting cattle, and the young cow showed
charged aggressively, following the lures with nobility
and a smooth charge in spite of a strong wind that blew
all the bravery of the finest fighting bull blood as she the capes wildly and limited the ability to give her the
Sisters Nancy and Vanessa (Nezza) Fontes are half of the low passes her bravery deserved. But one thing was for
charged the ATV.
four friends who make up the new Portuguese-American sure – she would be saved for breeding and contribute to
Once the heifer was alone on the other side of the pastu-
all-girl band, DeZire. re, we started the bullfighting part. Although she could the growing herd of brave cows that make the ganadaria
Nancy and Vanessa are graduates of James Lick High see her sisters on the other side of the pasture, she stayed of Manuel Costa Jr. one of the best in California.
School in San Jose, California. Nancy, 24, completed a
Bachelor’s Degree in Accounting from the University of
Phoenix and works as an accountant at Overstreet Asso-
ciates. Vanessa, 20, is currently a student at DeAnza Colle-
ge and works at a clothing company. She has been singing
since age 5 and recorded a CD at age 14. She has sang at
Portuguese festas and hopes to pursue a musical career.
Nancy and Vanessa are the daughters of Rita and Serafim
Americo Fontes of San Jose.

Young Talents at
Summer Camp
Manuel Costa enters the herd to separate the heifer

The Luso-American Education Foundation hosted its 12th


annual Summer Camp at the University of San Francisco
PT online survey results
in July. Soon after the launch of Tribuna- households have 2 or more people municating: Portuguese (47.8%),
Part of the week-long summer camp attended by about 24 Portuguesa.com and PortugueseTri- who read English. Out of all readers English (46.3%), French (3.0%),
California students, Frank Alves, the director and teacher bune.com, The Portuguese Tribune of The Portuguese Tribune, 66.7% Spanish (3.0%)
at San Jose’s Independence High School Academy of Fi- published a demographic survey on include multiple (2 or more) readers Current PT Subscribers: Yes (51.0%),
nance, hosted a career panel with young Portuguese-Ame- its website. in the household. No (49.0%)
rican professionals from some non-traditional fields. Based on those completing this on- The respondents associate themsel- Read PT paper version at someo-
The panel included (from left in the photo): Evonne Silva, line survey, males outrank females ves mainly with the Azores (84.2%) ne else’s house: Yes (32.7%), No
a future lawyer and current program associate at ACLU 2 to 1 and those above 50 years old (67.3%)
of Northern California, Philip Bastião, a civil engineer at dominate (51.6%) with only 12.5% Detailed Results Buy PT at local store: Yes (4.3%),
a San Francisco firm, Angela Costa Simões, a public re- 30 years old or younger. Sex: male 66.7%, female 33.3% No (95.7%)
lations manager at software company Autodesk, Torben
Among the respondents, 68.4% of Age breakdown: 51-60 years old Read PT online: Yes (69.8%), No
Rankine, a partner at Portuguese firm Leadership Busi-
them have college experience (ju- (30.4%), 41-50 (19.6%), 31-40 (30.2%)
ness Consulting, Alicia Cota, future politician and regu-
lar columnist for The Portuguese Tribune, João Botto, a nior college through doctoral degre- (16.1%), 61-70 (14.1%), 22-30 (8.9%), Typical household: 93.0% with 2 or
visiting intern from Porto, Portugal at Portuguese firm es) with only 3.5% having less than 71 and older (7.1%), 18-21 (3.6%), more people (17.6% with 5 or more
Leadership Business Consulting, Emily Alves, a current high school experience. Not surpri- and younger than 18 (0%) people); 74.5% 2 or more people
college student, and Miguel Ávila, director at Johnson & singly, Roman Catholics dominate Educational level: high school read the PT; 85.7% read English;
Johnson’s cardiology business unit and English section (89.3%) and Portuguese (Continental (28.1%), 4-year college /Bachelor’s 66.7% of two or more read the PT
editor for The Portuguese Tribune. and Brazilian) was the first language (24.6%), 2-year junior college/Asso- paper version; 28.3% of 2 or more
for 86.5% of the respondents. They ciate (17.5%), Master’s (10.5%), some read PT online
are almost equally most comfortable college (10.5%), professional degree/ Portuguese-speaking region identi-
communicating in either Portuguese JD/MD (3.5%), less than high scho- fied with: Azores (84.2%), Conti-
or English (47.8% versus 46.3%). ol 3.5%, doctoral/PhD (1.8%) nental Portugal (17.5%), and Brazil
51% of respondents are current subs- Religion: Roman Catholic (89.3%), (7.0%)
cribers, only 4.3% of them buy The Christian/non-Catholic (1.8%), no Country of residence: USA (82.4%),
Portuguese Tribune at a local store, religious affiliation (1.8%) Canada (8.8%), Portugal (5.9%),
and 69.8% read this newspaper on- First Language: European Portu- and Brazil (2.9%)
line. guese (81.4%), English (10.2%), This survey was conducted betwe-
93.0% of households have 2 or more Brazilian Portuguese (5.1%), French en February 25 and August 2, 2009
residents and 74.5% of them read (3.4%), Creole Portuguese (0%)
using Survey Monkey, an online
The Portuguese Tribune; 85.7% of Language Most Comfortable Com-
survey tool.
30 COMUNIDADE 15 de Agosto de 2009

Feira do Condado
Todos os anos visitamos a Feira do Con- Ávila, que todos os anos é sócio habitual
dado de Stanislaus, em Turlock, com três desta feira, que este ano foi mais uma vez
propósitos: primeiro, ver os jovens portu- um grande sucesso.
guese orgulhosos das suas vacas e bezer- Também encontramos muitos portugueses
ras e dos prémios que ganham; segundo, que vão lá, com o mesmo propósito do que
para ver os produtos que crescem nesta o nosso.
terra abençoada do Vale Central, ali ex- A juventude tem, naqueles dez dias, uma
postos; terceiro, para dançar algumas mu- maneira de se expor e de mostrar aos pais
siquinhas ao som do nosso amigo Chico aquilo que podem e sabem fazer.

Cheyanne Sousa com a “Supreme Champion Replacement Heifer”

Johnnny e sua mãe Sandra Toste, uma presença habitual na Feira

Savannah Sousa mostra-nos orgulhosa a sua vaquinha

Em cima: Elijah Pacheco, de Turlock


Embaixo: Megan Silveira, Denair
Anton Fernandes, Hilmar

Vanessa Martins com a sua preguiçosa bezerra

Taylor Brasil, Newman

Melissa, Madalena, David e Ariana, de visita à Feira


FESTAS 31

Festa de Santo António em Tracy Fotos de Jorge


Ávila “Yaúca”

As três Rainhas e aias acompanhadas pela Chairman Elaine Tavares e Co-Chairman Frank Gomes e Padre
Manuel de Sousa

Chairman da Festa Elaine Tavares e Frank Gomes, Co-Chairman


Realizou-se nos dias 8 e 9 de das Rainhas e Baile. No Domin-
Agosto de 2009 a Festa de Santo go, houve a Parada, Missa Festi-
António em Tracy. No Sábado, va pelo Padre Manuel de Sousa,
dia 8, houve Rosário, seguindo- almoço e arrematações durante a
se o tradicional jantar de peixe, tarde. É uma festa pequena mas
finalizando com a apresentação muito bonita.
Frank Gomes e Richard Castro com as Rainhas de 2008/09 e 2009/10, vendo-se a imagem
de Santo António na porta do Salão

Rainha Grande Lesley Coelho e aias Elizabeth Arduim e Melissa Silva


À direita: Rainha Junior, Madaline Agueda e aias Kelsea Garcia e Alyssa Borges Vaz

Rainha Pequena Monet Coffman e aias Makayla Gomes e Rylie Silveira Quando já não se pode acompanhar a Parada a pé, deve-se usar um bom carro
32 ÚLTIMA PÁGINA 15 de Agosto de 2009

Comunidades do Sul
Fernando Dutra
Espírito Santo em Artesia
Fotos de
Robert Braga

C
umprindo a tradição, a Borges, da Florida, António
comunidade de Artesia Resendes, de Massachusetts e
esteve em festa durante Alberto Sousa, de Artesia, acom-
uma semana, celebran- panhados por Jason Machado e
do as tradicionais festas em hon- Jimmy Enes. Pelas 21h00 horas
ra ao Divino Espírito Santo. teve lugar baile ao ar livre.
As festas tiveram início no Do- Domingo, auge da festa, pelas
mingo, dia 19, com um cortejo 11:00 horas, a Procissão com as
que saíu da Sociedade e juntou-se Rainhas e representacoes de di-
a outro, organizado na residência versas comunidades do Estado da
do Presidente, Ercílio e Fátima California, Filarmónicas de Ar-
Cardoso, todos juntos formaram tesia, Chino, San Diego, Tulare e
um só cortejo, regressando à So- San José, Directores e público em
ciedade acompanhado pela Filar- geral, dirigiram-se para a Igreja
mónica local. Todos os dias da da Sagrada Família, onde o Padre
semana houve terço na Capela da José Fernandes, celebrou a Missa
Sociedade. da Coroação, cantada pelo grupo
Na Sexta-feira, dia 24, como é coral de Artesia. Após a Missa, a
habitual, foi a apresentação das Procissão regressou à Sociedade,
Rainhas e respectivas Aias e a tudo isto sob uma onda de exces-
leitura das suas mensagens que sivo calor que se tem sentido no
são sempre muito interessantes. Sul da California.
Seguiu-se baile ao ar livre, ani- As deliciosas sopas foram ser-
mado pelo conjunto “Rock Har- vidas ao meio-dia e novamente
bor”. após o regresso da Procissão.
Sábado, dia 25, pelas 17h00, Cor- Seguiram-se concertos pelas fi-
tejo de Oferendas, que saíu da re- larmónicas presentes, arraial e
sidência de Ercílio e Fátima Car- arrematações.
doso, em direcção à Sociedade, Na Segunda-feira, também como
onde era aguardado pelo Padre é tradição, houve corrida de toi-
José Fernandes, que procedeu à ros, mas devido a alguns pro- Aia Alyssa Gonçalves, Rainha Grande Alana Lourenço, aia Emily Gilliland
benção das esmolas e proferiu blemas que surgiram durante o
algumas palavras, relacionadas ultimo evento desta natureza, a
com o evento. Seguiu-se o bodo corrida foi da inteira responsa-
com distribuição de massa sova- billidade da Direcção do Artesia
da e vinho a todos os presentes, D.E.S. e felizmente tudo correu
com arraial e concerto pela Fi- dentro da normalidade.
larmónica Nova Aliança, de San A Direcção está de parabéns pelo
José. maravilhoso programa organiza-
Pelas 20h00 houve cantoria com do e concluído.
os seguintes cantadores: José

Aia Kaylee Ourique Rainha Pequena Alaine Gonçalves, aia Aia Justine de Freitas
Atrás podem-se ver os pais destas jovens: Carlos e Kristian Ourique; Fernando e Elizabeth Gonçalves;
Imagem da Rainha Santa Isabel Tony e Jeannette de Freitas

Presidente Ercílio e Fátima Cardoso (ao centro) rodeado pelas Directoras (esq.) Nicole Miranda,
Susie Esteves, Teresinha Ortega, Shiela e Tony Martins, Maria Rocha e Susana Machado Guida e Vital Lourenço (pais da Rainha Grande); Clara e Richard Gilliland

Interesses relacionados