Você está na página 1de 4

Critérios de Avaliação

2007/2008

1. Critérios de Avaliação
1.1. Competências específicas definidas para cada disciplina e áreas curriculares e respectivos

instrumentos de avaliação. (2º Ciclo – 70%; 3º Ciclo – 80%).


1.2. Atitudes e Valores (2º Ciclo – 30%; 3º Ciclo – 20%)
Participação / Empenho
Realização dos trabalhos de casa
Apresentação do material necessário *1
Assiduidade
Pontualidade
Comportamento
*1O Caderno diário, ou dossier da disciplina que deve conter:

• Sumários e registos de conteúdos da aula


• Fichas informativas/trabalho dadas nas aulas
• Testes e outras actividades realizadas individualmente

2. Avaliação Formativa
(Dec. Lei n.º6/2002, Dec. Lei n.º 209/2002 e Desp. Norm. 1/2005)
2.1. O processo de avaliação formativa assume um carácter contínuo e sistemático e fornece informação
sobre o desenvolvimento das aprendizagens, competências e atitudes.
2.2. Expressão da avaliação:

Nomenclatura Nível % Nomenclatura Nível %

Muito
Insuficiente 1 0% -19% Bom menos 4 70% - 74%
Insuficiente 2 20% - 49% Bom 4 75% - 84%
Suficiente 3 50% - 54% Bom mais 4 85% - 89%
menos
Suficiente 3 55% - 64% Muito Bom 5 90% - 100%

Suficiente mais 3 65% - 69%

3. Avaliação Sumativa Interna


(Dec. Lei n.º 6 / 2001, Dec. Lei n.º 209 / 2002 e Desp. Norm. n.º1 / 2005)
3.1. Efectua-se no final de cada período, sendo da responsabilidade dos professores e da escola, e
traduz-se num juízo globalizante sobre o desenvolvimento das aprendizagens, competências e atitudes
dos alunos, traduzindo – se do seguinte modo:

Disciplinas Classificação de 1 a 5
Áreas Curriculares não disciplinares Menção qualitativa de:
(Área Projecto; Estudo Acompanhado; Formação Cívica; - Não Satisfaz
TIC (5º e 6º anos); English Fun Learning (7ºano); Ciência - Satisfaz
Experimental (8ºano) - Satisfaz Bem
A avaliação sumativa traduz-se em Transitou / Não Transitou no final de cada ano e de Aprovado / Não
Aprovado no final de cada ciclo.

3.2. Avaliação Sumativa Interna


(Desp. Norm. n.º1 / 2005)
40 - A avaliação sumativa interna, no final do 3° período, implica:

a) A apreciação global das aprendizagens realizadas e das competências desenvolvidas pelo aluno ao
longo do ano lectivo;
b) A decisão sobre a transição de ano, excepto no 9° ano de escolaridade, cuja aprovação depende
ainda da avaliação sumativa externa;
c) A verificação das condições de admissão aos exames nacionais do 9° ano.

4. Avaliação Sumativa Externa


(Dec. Lei n.º 209/2002 – n.º 4, alínea b), Desp. Norm. n.º1 / 2005)
Efectua-se no final do 9º ano, sendo da responsabilidade dos serviços centrais do Ministério da Educação,
e compreende a realização de exames nacionais, nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática os
quais incidem sobre as aprendizagens e competências do 3. ° Ciclo.

42 - São admitidos aos exames nacionais do 9° ano todos os alunos, excepto os que, após a avaliação
sumativa interna, no final do 3° período, se enquadrem nas seguintes situações:
a) Tenham obtido classificação de frequência de nível 1 simultaneamente nas disciplinas de Língua
Portuguesa e Matemática;
b) Tenham obtido classificação de frequência inferior a 3 em duas disciplinas e de nível 1 em Língua
Portuguesa ou Matemática;
c) Tenham obtido classificação de frequência inferior a 3 em três disciplinas, ou em duas disciplinas e
a menção de Não satisfaz na área de projecto, desde que nenhuma delas seja Língua Portuguesa ou
Matemática;
d) Tenham obtido classificação de frequência inferior a 3 numa disciplina, a menção de Não satisfaz na
área de projecto e nível 1 em Língua Portuguesa ou Matemática.
43 - Não são, ainda, admitidos aos exames nacionais do 9° ano os alunos abrangidos pela alínea a) do artigo
22º da Lei nº 30/2002, de 20 de Dezembro, salvo decisão em contrário do conselho pedagógico,
precedendo parecer do conselho de turma.
44 - A classificação final a atribuir a cada uma destas disciplinas, na escala de 1 a 5, é calculada de acordo
com a seguinte fórmula, arredondada às unidades:
em que:
7Cf+3Ce CF = classificação final;
CF = Cf = classificação de frequência no final do 3º período
10 Ce = classificação da prova de exame.

45 - Os exames nacionais previstos no nº 43 realizam-se numa fase única com duas chamadas, sendo que a
1ª chamada tem carácter obrigatório e a 2ª chamada destina-se a situações excepcionais,
devidamente comprovadas que serão objecto de análise.
46 - A não realização dos exames referidos nos números anteriores implica a retenção do aluno no 9° ano
de escolaridade.

5. Exames de Equivalência à Frequência dos 2º e 3º ciclos do ensino básico


(Desp. Norm. Nº1/2000, Desp. Normativo Nº18/2006 e Desp. Normativo Nº5/2007)
48 - Os exames de Equivalência à Frequência nos anos terminais dos 2º e 3° ciclos do ensino básico

realizam-se a nível de escola, com vista a uma certificação de conclusão de ciclo. Estes exames
realizam-se em Junho, Julho e Setembro e destinam-se aos candidatos que se encontrem numa das
seguintes situações:

2
e) Alunos que atinjam a idade limite da escolaridade obrigatória sem a aprovação na avaliação sumativa
6.3. Sempre
final noque sejade
6º ano necessário ponderar
escolaridade, situações de
e se candidatam aosprogressão/retenção,
exames na qualidadeadeavaliação global no
autopropostos, do
desempenho
mesmo anodos lectivo.
alunos deve basear-se nos seguintes aspectos:
Domínio da Língua Portuguesa (expressão oral e escrita nas várias disciplinas);
f) Alunos que atinjam a idade limite da escolaridade obrigatória sem a aprovação na avaliação sumativa
final no 9º para
Educação ano adecidadania/Formação
escolaridade, e se candidatam aos exames de
Cívica – cumprimento nanormas
qualidade de autopropostos,
e regras estabelecidas no
no
mesmo ano lectivo.
Regulamento Interno, assiduidade nas disciplinas e áreas curriculares não disciplinares (Área de
g) Alunos que,Estudo
Projecto, tendo Acompanhado
iniciado o ano electivo com 15
Formação anos de
Cívica), idadede
sentido noresponsabilidade,
ensino básico e não obtenham
atitudes e
aprovação na avaliação
comportamento, respeito sumativa final no 9º ano
no relacionamento comdetodos
escolaridade, se candidatem
os elementos aos exames
da comunidade na
educativa;
qualidade de autopropostos no mesmo ano lectivo.
Desempenho na Área de Projecto (obviamente, nas situações em que o insucesso se verifica em
mais de duas
49 - Os candidatos disciplinas):
referidos no número anterior realizam os exames numa única chamada:
Desempenho na
a) No caso da alínea áreae),deosEstudo
examesAcompanhado
de equivalência(e seu reflexo noem
à frequência desempenho nas váriasdo
todas as disciplinas disciplinas);
ciclo que
Distanciamento excessivo entre as competências desenvolvidas e as definidas para o final
incidem sobre as competências e as aprendizagens definidas no currículo nacional para o 2º ciclo do
respectivo ciclo. e contemplam ainda, no caso da Língua Portuguesa e das Línguas Estrangeiras uma
do ensino básico
prova oral;
b) No
7. Efeitos decaso das alíneas f)do
ultrapassagem e g), os exames
limite nacionais
de faltas nas disciplinas de Língua Portuguesa e de
injustificadas
(Lei n.º Matemática
30/2002 de 20 do de
3º Dezembro)
ciclo do ensino básico;
7.1. As c) No injustificadas
faltas caso das alíneas f) e g),exceder,
não podem os exames de equivalência
em cada ano lectivo (...)àofrequência nas disciplinas
triplo do número de tempos em que não
obtiveram aprovação.
semanais, por disciplina, nos 2º e 3º ciclos do ensino básico
50 - O(Artigo
aluno é21º,
considerado
n.º1) aprovado quando se verificam as condições de transição estabelecidas para o
final dos 2º e 3° ciclos do ensino regular, nas disciplinas em que realiza exames.
7.2. Ultrapassado o limite de faltas injustificadas, o aluno fica numa das seguintes situações:
6. Critérios específicosque
a) Retenção, a observar
consiste nanomanutenção
3º período do aluno abrangido pela escolaridade obrigatória, no ano
(Desp. Norm. N.º1 / 2005 e Desp. Normativo Nº18/2006)
lectivo seguinte, no mesmo ano de escolaridade que frequenta, salvo decisão em contrário do
64 - Em conselho
situaçõespedagógico,
de retenção, competeparecer
precedendo (...) ao do
conselho
conselhodedeturma,
turma.nos
*3 2° e 3° ciclos, proceder em
conformidade com o disposto no Desp. Norm. Nº50/2005 de
b) Exclusão, que consiste na impossibilidade de o aluno não abrangido 9 de Novembro.pela(Plano de
escolaridade obrigatória
Acompanhamento e Proposta de Retenção ou Progressão)
continuar a frequentar o ensino até final do ano lectivo em curso.
65 – A(Artigo
tomada22º,
de decisão
alínea a)relativa
e b)) a uma retenção repetida, em qualquer ciclo, à excepção do 9º ano de
escolaridade, só ocorre após a aplicação da avaliação extraordinária prevista no artigo 4 do Desp.
Norm. do
*3 No parecer Nº50/2005.
Conselho de Turma deve constar a disciplina e a data em que o aluno ultrapassou o

6.1. Na tomada de decisão acerca de uma segunda retenção no mesmo ciclo, à excepção do 9° ano de
limite de faltas, bem como o total de faltas justificadas e injustificadas em cada período e
escolaridade,
referência àdeve serdo
atitude ouvido
alunooface
E.E.,à após convocatóriaApelo
sua assiduidade. este D.T..
parecer devem ser anexadas a ficha
6.2. A decisão de progressão, ou retenção, no 5º, 6º, 7º, 8º e 9º anos deveaos
individual do registo de avaliação e ficha de informação referentes ter três
em conta os critérios
períodos.
aprovados em Conselho Pedagógico.

5º, 7º e 8º Anos3 de Outubro de6º2007


Amadora, Ano 9º Ano
Nº de níveis inferior a 3 Nº de níveis inferior a 3 Nº de níveis inferior a 3
A Secção de Avaliação
D+D do Conselho Pedagógico:
D + DCândida Ferreira, D + D
PROGRESSÃO LP +D LP Cristina
+D Algeós, LP +D
MAT+D Fátima Rebelo,
MAT+D MAT+D
LP + MAT Lurdes
LP + MAT Reis.
RETENÇÃO ou ou
Aprovado em Conselho Pedagógico de _______________
(PONDERAÇÃO*2) D+D+D D + DOutubro
3 de + D de 2007
(porOmaioria) (por unanimidade)
Presidente do Conselho Pedagógico
LP + Mat.+ D LP + MAT+ D LP + MAT
RETENÇÃO ou ou
___________________________________ ou
D + D + D + DJoão PereiraD + D + D + D D+D+D

LP – Língua MAT – Matemática D – Qualquer disciplina com Classificação inferior a 3,


Portuguesa incluindo Área de Projecto (Não Satisfaz)
*2 No caso de progressão, registo em pauta e ficha informativa:
- Ao abrigo do artigo 54 alínea b) do Despacho Normativo nº 1/2005 de 5 de Janeiro, para os 5º, 7º e 8º Anos;
- A o ab r ig o d os ar t ig os 58 e 5 9, d o Despacho Normativo nº 1/2005 de 5 de Janeiro, par a o 6 º An o.

3
4