Disciplina: PORTOS E HIDROVIAS

Navegação Marítima Tipos de Navios Introdução

TRANSPORTE
Finalidades do Transporte

• • •

Movimentar produtos entre pontos distintos; Dentro do prazo estipulado; Com segurança; Mantendo a integridade da carga.

Objetivo do Transportador • Busca-se o menor custo possível.

2

Navegação Marítima
Características Gerais
a)
b)

c)

A Navegação é o conjunto de procedimentos que permitem a condução segura de uma embarcação de um ponto a outro da superfície terrestre. Navegação marítima, ou transporte marítimo, é um dos sub-modais que contemplam o transporte aquaviário. É realizada em mar aberto, como também em águas oceânicas exploradas pelo Estado e nas áreas dos portos e terminais. Ao transporte marítimo se refere ao que possui fins comerciais ou mercantis. A realização do comércio marítimo faz-se por meio de uma atividade de navegação.
3

4 .

5 .

ou seja.Navegação Marítima Contexto Internacional e Nacional      O comércio exterior brasileiro vem acompanhando a tendência mundial do início da década de 2000 e evoluindo a cada ano. essencialmente. O escoamento das mercadorias nacionais esbarra nas ineficiências internas. principalmente as relacionadas ao sistema de transportes. 6 . O Brasil participa da economia global. com o comércio mundial de commodities. (Exemplo: Coréia do Sul) O aparelhamento do setor portuário e os incentivos à indústria naval desses países é uma de suas principais características. produtos primários de baixo valor agregado. Países desenvolvidos e emergentes se aparelharam de forma eficiente para uma melhor inserção de suas economias na economia globalizada.

O Brasil já teve uma das maiores indústrias navais do mundo. ou seja. 7    . causa o chamado Custo Brasil. Coréia e China. esse setor depende de encomendas do setor petrolífero nacional. os países que dominam o mercado da construção naval são Japão. Um dos gargalos no sistema logístico nacional se refere ao sistema de transporte marítimo. Na atualidade. na atualidade.Navegação Marítima Contexto Internacional e Nacional  Os entraves oriundos do escoamento da produção de commodities no país. no transporte interno até os portos brasileiros. pois falta maior participação do capital nacional. entretanto. eficiência e interação com os demais modais.

Na atualidade. os países que dominam o mercado da construção naval são Japão. causa o chamado Custo Brasil.Navegação Marítima Contexto Internacional e Nacional  Os entraves oriundos do escoamento da produção de commodities no país. Coréia e China. ou seja. esse setor depende de encomendas do setor petrolífero nacional. na atualidade. pois falta maior participação do capital nacional. eficiência e interação com os demais modais. no transporte interno até os portos brasileiros. 8  . entretanto.   O Brasil já teve uma das maiores indústrias navais do mundo. Um dos gargalos no sistema logístico nacional se refere ao sistema de transporte marítimo.

Resultado • Aumento significativo no comércio internacional. Criação de blocos econômicos. Segunda Guerra Mundial. • Aumento na demanda por serviços de transporte.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Momentos Históricos • • • • Revolução Industrial. 9 . Globalização.

c) navegação de apoio portuário: a realizada exclusivamente nos portos e terminais aquaviários. b) navegação de cabotagem: a realizada entre portos ou pontos do território brasileiro. 10 .0 TRANSPORTE MARÍTIMO Tipos de Navegação (Resolução Nº 052/ANTAQ) a) navegação de longo curso: a realizada entre portos brasileiros e estrangeiros. d) navegação de apoio marítimo: a realizada em águas territoriais nacionais e na Zona Econômica Exclusiva para o apoio logístico a embarcações e instalações que atuem nas atividades de pesquisa e lavra de minerais e hidrocarbonetos.utilizando a via marítima ou esta e as vias navegáveis interiores. para atendimento a embarcações e instalações portuárias.

inclusive nas exportações das commodities produzidas em território nacional. China. Hong Kong. ficam na ordem de 90% O comércio internacional realizado através dos oceanos representa 80% das transações realizadas em todo o mundo. Singapura e Dinamarca possuíam. Reino Unido. por empresas de navegação de longo curso. no início da década. Japão. Noruega. As exportações brasileiras que são transportadas a partir dos portos e terminais do país. as maiores frotas mercantes do mundo. Grécia.    11 . A participação de empresas brasileiras é reduzida no mercado internacional. Alemanha. Estados Unidos.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Longo Curso   Mercado dominado por grandes empresas internacionais.

A lei 9432/97. observados os acordos firmados pela União. em seu artigo 5°.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Longo Curso  Até o fim de 2008. atendido o princípio da reciprocidade. estabelece que a operação ou exploração do transporte de mercadorias na navegação de longo curso é aberta aos armadores.   12 . às empresas de navegação e às embarcações de todos os países. 66% das EBNs na navegação de longo curso possuem sede no estado do Rio de Janeiro. a ANTAQ tinha autorizado 21 EBNs na navegação de longo curso.

0 TRANSPORTE MARÍTIMO Cabotagem  Na navegação de cabotagem. tendo em vista os mais de 8. antes. Os principais produtos transportados combustíveis. minérios e carga geral. o Estado procurou preservar o mercado para embarcações brasileiras.. O artigo 7° da lei 9432/97 estabelece que “as embarcações estrangeiras somente poderão participar do transporte de mercadorias na navegação de cabotagem (. Mesmo com um potencial enorme. Para o afretamento de embarcação estrangeira é necessário. a cabotagem não é utilizada em sua plenitude no Brasil..) quando afretadas por empresas brasileiras de navegação”. Isso somente pode ocorrer quando verificada inexistência ou indisponibilidade de embarcação de bandeira brasileira de tipo e porte adequados para o transporte. na cabotagem são: 13      . um processo de circularização.500 km de litoral.

silos ou tanques. também conhecida como Off-Shore.  A maioria das empresas autorizadas trabalha em razão da produção de petróleo da PETROBRÁS. equipamentos. etc. água industrial. È transportado. nessa modalidade de navegação marítima.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Apoio Marítimo  A navegação de apoio marítimo. 14 . gêneros alimentícios. As embarcações de apoio Marítimo executam as tarefas de transporte entre as bases terrestres e as plataformas de extração de petróleo. água potável. ácidos. tem no Brasil um grande cliente. fluídos de perfuração. que é a PETROBRÁS.    Transporta-se óleo combustível. Tem como finalidade otimizar sua operacionalidade. cargas destinadas às instalações da indústria do petróleo.

Off-Shore é a típica embarcação de  O surgimento de novos campos de exploração no litoral de São Paulo e Rio de Janeiro. popularmente chamado de PréSal. que permite o uso de embarcações estrangeiras desde que sejam afretadas por empresas brasileiras de navegação e que essa siga todos os itens dispostos na lei. o artigo 7° da lei 9432/97. colocará o Brasil em posição de destaque na produção mundial de petróleo. as perspectivas para o crescimento da Navegação de Apoio Marítimo também crescem e também o interesse de empresas estrangeiras. Aplica-se. 15  . nessa modalidade de navegação marítima. Algumas dessas já participam do mercado nacional. Paralelamente.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Apoio Marítimo  A embarcação suprimentos.

O abastecimento das embarcações.    As EBNs que atuam no apoio portuário estão buscando. a assistência em manobras dentro da área do porto são as principais atividades deste tipo de navegação. 16 . As empresas de apoio portuário também prestam auxilio aos estaleiros e empreiteiras que possuem atividades nas áreas dos portos organizados. na atualidade. embarcações com maior potência.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Apoio Portuário  A navegação de apoio portuário tem a finalidade de atender as embarcações que estão atracadas ou fundeadas nos berços de atracação. alto grau de manobrabilidade e capacidade de resposta rápida. o transporte da tripulação entre o navio e o cais. dentro da área do porto organizado ou terminal privativo.

nessa modalidade de navegação marítima. é comum a autorização de empresas de apoio portuário em hidrovias e portos fluviais. Um exemplo ocorre no porto de Manaus. Isso em razão das características de cada porto em receber embarcações marítimas.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Apoio Portuário  Mesmo sendo considerada uma especialidade de navegação marítima.   17 . Aplica-se. A dragagem também é considerada um tipo de navegação de apoio portuário. o artigo 7° da lei 9432/97. que permite o uso de embarcações estrangeiras desde que sejam afretadas por empresas brasileiras de navegação e que essa siga todos os itens dispostos na lei.

18 . inclui combustível. 1886: primeiro petroleiro de 3. Além da carga comercial. • • • 1852: na Inglaterra é construído o primeiro navio de carga movido a vapor de 500 tpb (tonelagem de porte bruto). víveres.030 tpb. tripulação. 1912: primeiro navio a combustão – 7. etc.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Evolução dos Navios • Definição: Tonelagem de porte bruto (TPB) Tonelagem total que pode ser embarcada em um navio.400 tpb.

área portuária. o aumento no tamanho acarreta aumento dos custos operacionais: armazéns. buscando ganho de escala e reduzindo o custo unitário do transporte. Porém.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Evolução dos Navios • • • Até hoje os motores são a combustão. 19 . tancagem. dragagem. O tamanho dos navios de carga foi aumentando gradativamente. etc..

1997) 20 .0 TRANSPORTE MARÍTIMO Evolução dos Navios • Limite de crescimento ocorreu em 1980: Evolução do tamanho dos navios (Stopford.

843 tpb. petroleiro de 555.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Evolução dos Navios • 1980 – entra em operação o Jahre Viking. 21 .

4 metros Largura: 68.5 metros Capacidade de Carga: 674. 1 hélice de 9 metros de diâmetro girando a 85 RPM Velocidade Máxima: 29 Km/h Tripulação: 40 22 • • .297 metros cúbicos ou 424.0865 barris de petróleo • • • • Propulsão: Turbinas a Vapor (50 mil HP).0 TRANSPORTE MARÍTIMO • Comprimento: 458.9 metros Calado (Profundidade do Casco Submerso): 24.

9. Âncora . 3. 4. 8. 5.NAVIOS Esquema de um Navio 1. Ponte. Convés. 7. 6. Calado. Chaminé. Popa. 23 . Casco. 2. Proa. Hélice.

Os "pisos" e diferentes pavimentos do navio.o centro de comando da navegação. a ponte e alojamentos. e) f) g) h) Âncora .Qualquer estrutura acima do convés da embarcação. para fixar Ponte de comando ou Passadiço . Popa .O lado do navio que está à esquerda quando olhando para proa. Superstrutura .NAVIOS Terminologia a) b) Proa . 24 . geralmente.a traseira do navio.O lado do navio que está à direita quando o observador olha para a proa.Instrumento metálico pesado utlizado temporáriamente a embarcação em local desejado.A frente do navio. contendo.A estrutura de flutuação que suporta o navio. c) d) Estibordo ou Boreste . Deques . Bombordo . i) Casco .

NAVIOS Dimensões Características de uma Embarcação 25 .

NAVIOS Capacidade de Carga 26 .

NAVIOS Denominações dos Navios Cargueiros 27 .

NAVIOS Tipos de Navios 28 .

TIPOS DE NAVIOS Carga Geral 29 .

TIPOS DE NAVIOS Carga Geral 30 .

TIPOS DE NAVIOS Carga Geral 31 .

TIPOS DE NAVIOS Navio Frigorífico – Reefer Vessel 32 .

TIPOS DE NAVIOS Navio Frigorífico – Reefer Vessel 33 .

TIPOS DE NAVIOS Graneleiros – Bulk Carriers 34 .

TIPOS DE NAVIOS Graneleiros – Bulk Carriers 35 .

TIPOS DE NAVIOS Graneleiros – Bulk Carriers 36 .

TIPOS DE NAVIOS Tanques – Tanker Ship 37 .

TIPOS DE NAVIOS Tanques: Crude Carriers 38 .

TIPOS DE NAVIOS Tanques: Crude Carriers 39 .

TIPOS DE NAVIOS Tanques: Gás Natural Liquefeito Tanques Independentes 40 .

TIPOS DE NAVIOS
Tanques: Gás Natural Liquefeito

Tanques de Membranas

41

TIPOS DE NAVIOS
Roll-On Roll-Off (RO-RO)

42

TIPOS DE NAVIOS
Roll-On Roll-Off (RO-RO)

43

TIPOS DE NAVIOS Roll-On Roll-Off (RO-RO) 44 .

TIPOS DE NAVIOS Porta Contêiner – Full Container Ship 45 .

TIPOS DE NAVIOS Porta Contêiner – Full Container Ship 46 .

TIPOS DE NAVIOS Porta Contêiner – Full Container Ship 47 .

Capacidade: 12.000 TEUs 48 .TIPOS DE NAVIOS Porta Contêiner – Full Container Ship Emma Maersk Comprimento 396 m. Largura: 56 m.

TIPOS DE NAVIOS Porta Contêiner – Full Container Ship 49 .

TIPOS DE NAVIOS Multicarga – Multi-Purpose Ship 50 .

TIPOS DE NAVIOS Multicarga – Multi-Purpose Ship 51 .

TIPOS DE NAVIOS Porta Barcaça – Lighter Aboard Ship .LASH 52 .

TIPOS DE NAVIOS Porta Barcaça – Lighter Aboard Ship .LASH 53 .

TIPOS DE NAVIOS Navio Barcaça – Sea Barge 54 .

TIPOS DE NAVIOS Navio Barcaça – Sea Barge 55 .

Cábrea    É uma embarcação sobre a qual há acoplado um guindaste portuário. Serve para a movimentação de cargas a contrabordo dos navios ou para operação fora da zona de acostagem. Possuem capacidade para movimentar cargas de até 300t. 56 .TIPOS DE NAVIOS Apoio Portuário .

57 . Para ajudá-los são empregados rebocadores que os auxiliam nas manobras em locais confinados. nas atracações e nas desatracações.TIPOS DE NAVIOS Apoio Portuário .Rebocadores  Os navios oceânicos não possuem a manobrabilidade adequada para navegar com segurança dentro das águas restritas dos portos.

Os supply boats estão preparadas para transportar cargas no convés. 58 .TIPOS DE NAVIOS Apoio Marítimo – Supply Boat  As plataformas de prospecção e produção de petróleo consomem um grande volume de suprimentos e materiais. água potável e óleo diesel para as plataformas e outras embarcações em serviço nos campos de produção. que têm que ser transportados por mar.

TIPOS DE NAVIOS Apoio Marítimo – Supply Boat 59 .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.Navio graneleiro entrando no canal.

O navio quando dentro do canal é guiado por 6 rebocadores elétricos (4 na frente e 2 atrás). .

.Curiosidade: Esse navio graneleiro pagou perto de US$ 46.000.00 para poder passar pelo canal.

Primeira eclusa sendo fechada. .

.

. O navio encontra-se dentro da primeira.Vista da segunda eclusa cheia.

Navio entrando na eclusa 2. .

.

Rebocadores elétricos. .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful