Disciplina: PORTOS E HIDROVIAS

Navegação Marítima Tipos de Navios Introdução

TRANSPORTE
Finalidades do Transporte

• • •

Movimentar produtos entre pontos distintos; Dentro do prazo estipulado; Com segurança; Mantendo a integridade da carga.

Objetivo do Transportador • Busca-se o menor custo possível.

2

Navegação Marítima
Características Gerais
a)
b)

c)

A Navegação é o conjunto de procedimentos que permitem a condução segura de uma embarcação de um ponto a outro da superfície terrestre. Navegação marítima, ou transporte marítimo, é um dos sub-modais que contemplam o transporte aquaviário. É realizada em mar aberto, como também em águas oceânicas exploradas pelo Estado e nas áreas dos portos e terminais. Ao transporte marítimo se refere ao que possui fins comerciais ou mercantis. A realização do comércio marítimo faz-se por meio de uma atividade de navegação.
3

4 .

5 .

produtos primários de baixo valor agregado. O escoamento das mercadorias nacionais esbarra nas ineficiências internas. ou seja.Navegação Marítima Contexto Internacional e Nacional      O comércio exterior brasileiro vem acompanhando a tendência mundial do início da década de 2000 e evoluindo a cada ano. com o comércio mundial de commodities. 6 . (Exemplo: Coréia do Sul) O aparelhamento do setor portuário e os incentivos à indústria naval desses países é uma de suas principais características. Países desenvolvidos e emergentes se aparelharam de forma eficiente para uma melhor inserção de suas economias na economia globalizada. essencialmente. O Brasil participa da economia global. principalmente as relacionadas ao sistema de transportes.

ou seja. os países que dominam o mercado da construção naval são Japão. no transporte interno até os portos brasileiros.Navegação Marítima Contexto Internacional e Nacional  Os entraves oriundos do escoamento da produção de commodities no país. causa o chamado Custo Brasil. Um dos gargalos no sistema logístico nacional se refere ao sistema de transporte marítimo. O Brasil já teve uma das maiores indústrias navais do mundo. na atualidade. esse setor depende de encomendas do setor petrolífero nacional. Na atualidade. pois falta maior participação do capital nacional. Coréia e China. eficiência e interação com os demais modais. 7    . entretanto.

na atualidade. Um dos gargalos no sistema logístico nacional se refere ao sistema de transporte marítimo. causa o chamado Custo Brasil. ou seja. os países que dominam o mercado da construção naval são Japão.Navegação Marítima Contexto Internacional e Nacional  Os entraves oriundos do escoamento da produção de commodities no país. Coréia e China. esse setor depende de encomendas do setor petrolífero nacional. eficiência e interação com os demais modais. 8  .   O Brasil já teve uma das maiores indústrias navais do mundo. Na atualidade. no transporte interno até os portos brasileiros. entretanto. pois falta maior participação do capital nacional.

9 . Criação de blocos econômicos. Resultado • Aumento significativo no comércio internacional. Globalização. Segunda Guerra Mundial. • Aumento na demanda por serviços de transporte.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Momentos Históricos • • • • Revolução Industrial.

b) navegação de cabotagem: a realizada entre portos ou pontos do território brasileiro. 10 . para atendimento a embarcações e instalações portuárias.utilizando a via marítima ou esta e as vias navegáveis interiores. c) navegação de apoio portuário: a realizada exclusivamente nos portos e terminais aquaviários. d) navegação de apoio marítimo: a realizada em águas territoriais nacionais e na Zona Econômica Exclusiva para o apoio logístico a embarcações e instalações que atuem nas atividades de pesquisa e lavra de minerais e hidrocarbonetos.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Tipos de Navegação (Resolução Nº 052/ANTAQ) a) navegação de longo curso: a realizada entre portos brasileiros e estrangeiros.

por empresas de navegação de longo curso.    11 . Alemanha. Hong Kong. Singapura e Dinamarca possuíam. China. Reino Unido. Noruega. Grécia. Estados Unidos. no início da década.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Longo Curso   Mercado dominado por grandes empresas internacionais. Japão. A participação de empresas brasileiras é reduzida no mercado internacional. As exportações brasileiras que são transportadas a partir dos portos e terminais do país. as maiores frotas mercantes do mundo. ficam na ordem de 90% O comércio internacional realizado através dos oceanos representa 80% das transações realizadas em todo o mundo. inclusive nas exportações das commodities produzidas em território nacional.

a ANTAQ tinha autorizado 21 EBNs na navegação de longo curso. observados os acordos firmados pela União. estabelece que a operação ou exploração do transporte de mercadorias na navegação de longo curso é aberta aos armadores. às empresas de navegação e às embarcações de todos os países. atendido o princípio da reciprocidade.   12 . 66% das EBNs na navegação de longo curso possuem sede no estado do Rio de Janeiro. A lei 9432/97. em seu artigo 5°.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Longo Curso  Até o fim de 2008.

.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Cabotagem  Na navegação de cabotagem. Para o afretamento de embarcação estrangeira é necessário. antes. Isso somente pode ocorrer quando verificada inexistência ou indisponibilidade de embarcação de bandeira brasileira de tipo e porte adequados para o transporte.500 km de litoral. um processo de circularização. O artigo 7° da lei 9432/97 estabelece que “as embarcações estrangeiras somente poderão participar do transporte de mercadorias na navegação de cabotagem (. Mesmo com um potencial enorme. na cabotagem são: 13      . Os principais produtos transportados combustíveis.. a cabotagem não é utilizada em sua plenitude no Brasil. tendo em vista os mais de 8. o Estado procurou preservar o mercado para embarcações brasileiras. minérios e carga geral.) quando afretadas por empresas brasileiras de navegação”.

cargas destinadas às instalações da indústria do petróleo. È transportado. também conhecida como Off-Shore. 14 . ácidos. Tem como finalidade otimizar sua operacionalidade. tem no Brasil um grande cliente.    Transporta-se óleo combustível. As embarcações de apoio Marítimo executam as tarefas de transporte entre as bases terrestres e as plataformas de extração de petróleo.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Apoio Marítimo  A navegação de apoio marítimo. etc. água potável. gêneros alimentícios. água industrial. fluídos de perfuração. silos ou tanques. que é a PETROBRÁS. equipamentos. nessa modalidade de navegação marítima.  A maioria das empresas autorizadas trabalha em razão da produção de petróleo da PETROBRÁS.

15  . que permite o uso de embarcações estrangeiras desde que sejam afretadas por empresas brasileiras de navegação e que essa siga todos os itens dispostos na lei.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Apoio Marítimo  A embarcação suprimentos. Paralelamente. o artigo 7° da lei 9432/97. nessa modalidade de navegação marítima. popularmente chamado de PréSal. Aplica-se. Algumas dessas já participam do mercado nacional. Off-Shore é a típica embarcação de  O surgimento de novos campos de exploração no litoral de São Paulo e Rio de Janeiro. colocará o Brasil em posição de destaque na produção mundial de petróleo. as perspectivas para o crescimento da Navegação de Apoio Marítimo também crescem e também o interesse de empresas estrangeiras.

alto grau de manobrabilidade e capacidade de resposta rápida. a assistência em manobras dentro da área do porto são as principais atividades deste tipo de navegação.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Apoio Portuário  A navegação de apoio portuário tem a finalidade de atender as embarcações que estão atracadas ou fundeadas nos berços de atracação. na atualidade.    As EBNs que atuam no apoio portuário estão buscando. o transporte da tripulação entre o navio e o cais. 16 . As empresas de apoio portuário também prestam auxilio aos estaleiros e empreiteiras que possuem atividades nas áreas dos portos organizados. O abastecimento das embarcações. embarcações com maior potência. dentro da área do porto organizado ou terminal privativo.

o artigo 7° da lei 9432/97.   17 . Isso em razão das características de cada porto em receber embarcações marítimas. nessa modalidade de navegação marítima. que permite o uso de embarcações estrangeiras desde que sejam afretadas por empresas brasileiras de navegação e que essa siga todos os itens dispostos na lei. Um exemplo ocorre no porto de Manaus.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Apoio Portuário  Mesmo sendo considerada uma especialidade de navegação marítima. é comum a autorização de empresas de apoio portuário em hidrovias e portos fluviais. Aplica-se. A dragagem também é considerada um tipo de navegação de apoio portuário.

1912: primeiro navio a combustão – 7. • • • 1852: na Inglaterra é construído o primeiro navio de carga movido a vapor de 500 tpb (tonelagem de porte bruto). Além da carga comercial.400 tpb.0 TRANSPORTE MARÍTIMO Evolução dos Navios • Definição: Tonelagem de porte bruto (TPB) Tonelagem total que pode ser embarcada em um navio.030 tpb. 18 . tripulação. inclui combustível. 1886: primeiro petroleiro de 3. víveres. etc.

dragagem. O tamanho dos navios de carga foi aumentando gradativamente.. o aumento no tamanho acarreta aumento dos custos operacionais: armazéns. etc. área portuária. 19 .0 TRANSPORTE MARÍTIMO Evolução dos Navios • • • Até hoje os motores são a combustão. Porém. buscando ganho de escala e reduzindo o custo unitário do transporte. tancagem.

1997) 20 .0 TRANSPORTE MARÍTIMO Evolução dos Navios • Limite de crescimento ocorreu em 1980: Evolução do tamanho dos navios (Stopford.

0 TRANSPORTE MARÍTIMO Evolução dos Navios • 1980 – entra em operação o Jahre Viking. petroleiro de 555.843 tpb. 21 .

1 hélice de 9 metros de diâmetro girando a 85 RPM Velocidade Máxima: 29 Km/h Tripulação: 40 22 • • .297 metros cúbicos ou 424.5 metros Capacidade de Carga: 674.0865 barris de petróleo • • • • Propulsão: Turbinas a Vapor (50 mil HP).9 metros Calado (Profundidade do Casco Submerso): 24.0 TRANSPORTE MARÍTIMO • Comprimento: 458.4 metros Largura: 68.

2. 7. Casco. Hélice. 6. Proa. 23 . Convés. 3. Chaminé. Ponte. Popa. 9. Calado. Âncora .NAVIOS Esquema de um Navio 1. 8. 5. 4.

NAVIOS Terminologia a) b) Proa .A estrutura de flutuação que suporta o navio. i) Casco .a traseira do navio.O lado do navio que está à direita quando o observador olha para a proa.Qualquer estrutura acima do convés da embarcação.O lado do navio que está à esquerda quando olhando para proa. para fixar Ponte de comando ou Passadiço .o centro de comando da navegação. e) f) g) h) Âncora . geralmente. Bombordo . a ponte e alojamentos. 24 . c) d) Estibordo ou Boreste . Popa . contendo. Superstrutura . Deques .Instrumento metálico pesado utlizado temporáriamente a embarcação em local desejado.Os "pisos" e diferentes pavimentos do navio.A frente do navio.

NAVIOS Dimensões Características de uma Embarcação 25 .

NAVIOS Capacidade de Carga 26 .

NAVIOS Denominações dos Navios Cargueiros 27 .

NAVIOS Tipos de Navios 28 .

TIPOS DE NAVIOS Carga Geral 29 .

TIPOS DE NAVIOS Carga Geral 30 .

TIPOS DE NAVIOS Carga Geral 31 .

TIPOS DE NAVIOS Navio Frigorífico – Reefer Vessel 32 .

TIPOS DE NAVIOS Navio Frigorífico – Reefer Vessel 33 .

TIPOS DE NAVIOS Graneleiros – Bulk Carriers 34 .

TIPOS DE NAVIOS Graneleiros – Bulk Carriers 35 .

TIPOS DE NAVIOS Graneleiros – Bulk Carriers 36 .

TIPOS DE NAVIOS Tanques – Tanker Ship 37 .

TIPOS DE NAVIOS Tanques: Crude Carriers 38 .

TIPOS DE NAVIOS Tanques: Crude Carriers 39 .

TIPOS DE NAVIOS Tanques: Gás Natural Liquefeito Tanques Independentes 40 .

TIPOS DE NAVIOS
Tanques: Gás Natural Liquefeito

Tanques de Membranas

41

TIPOS DE NAVIOS
Roll-On Roll-Off (RO-RO)

42

TIPOS DE NAVIOS
Roll-On Roll-Off (RO-RO)

43

TIPOS DE NAVIOS Roll-On Roll-Off (RO-RO) 44 .

TIPOS DE NAVIOS Porta Contêiner – Full Container Ship 45 .

TIPOS DE NAVIOS Porta Contêiner – Full Container Ship 46 .

TIPOS DE NAVIOS Porta Contêiner – Full Container Ship 47 .

TIPOS DE NAVIOS Porta Contêiner – Full Container Ship Emma Maersk Comprimento 396 m. Largura: 56 m. Capacidade: 12.000 TEUs 48 .

TIPOS DE NAVIOS Porta Contêiner – Full Container Ship 49 .

TIPOS DE NAVIOS Multicarga – Multi-Purpose Ship 50 .

TIPOS DE NAVIOS Multicarga – Multi-Purpose Ship 51 .

TIPOS DE NAVIOS Porta Barcaça – Lighter Aboard Ship .LASH 52 .

LASH 53 .TIPOS DE NAVIOS Porta Barcaça – Lighter Aboard Ship .

TIPOS DE NAVIOS Navio Barcaça – Sea Barge 54 .

TIPOS DE NAVIOS Navio Barcaça – Sea Barge 55 .

56 . Serve para a movimentação de cargas a contrabordo dos navios ou para operação fora da zona de acostagem.Cábrea    É uma embarcação sobre a qual há acoplado um guindaste portuário. Possuem capacidade para movimentar cargas de até 300t.TIPOS DE NAVIOS Apoio Portuário .

TIPOS DE NAVIOS Apoio Portuário . nas atracações e nas desatracações. Para ajudá-los são empregados rebocadores que os auxiliam nas manobras em locais confinados. 57 .Rebocadores  Os navios oceânicos não possuem a manobrabilidade adequada para navegar com segurança dentro das águas restritas dos portos.

água potável e óleo diesel para as plataformas e outras embarcações em serviço nos campos de produção. Os supply boats estão preparadas para transportar cargas no convés. 58 . que têm que ser transportados por mar.TIPOS DE NAVIOS Apoio Marítimo – Supply Boat  As plataformas de prospecção e produção de petróleo consomem um grande volume de suprimentos e materiais.

TIPOS DE NAVIOS Apoio Marítimo – Supply Boat 59 .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Navio graneleiro entrando no canal. .

.O navio quando dentro do canal é guiado por 6 rebocadores elétricos (4 na frente e 2 atrás).

.Curiosidade: Esse navio graneleiro pagou perto de US$ 46.000.00 para poder passar pelo canal.

Primeira eclusa sendo fechada. .

.

Vista da segunda eclusa cheia. O navio encontra-se dentro da primeira. .

Navio entrando na eclusa 2. .

.

.Rebocadores elétricos.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful