Você está na página 1de 0
URBANA LEGIO OMNIA VINCIT

URBANA LEGIO OMNIA VINCIT

URBANA LEGIO OMNIA VINCIT

Lucy Needham Vianna In Memoriam

Legião Urbana é

Dado Villa-Lobos Marcelo Bonfá Renato Russo

Leia no Volume Máximo

"Índios" [ Renato Russo ] Quem me dera, ao menos uma vez, / Ter de

"Índios"

[ Renato Russo ]

Quem me dera, ao menos uma vez, / Ter de volta todo o ouro que entreguei / A quem conseguiu me convencer / Que era prova de amizade / Se alguém levasse embora até o que eu não tinha. // Quem me dera, ao menos uma vez, / Esquecer que acreditei que era por brincadeira / Que se cortava sempre um pano-de-chão / De linho nobre e pura seda. // Quem me dera, ao menos uma vez, / Explicar o que ninguém consegue entender: / Que o que aconteceu ainda está por vir / E o futuro não é mais como era antigamente. // Quem me dera, ao menos uma vez, / Provar que quem tem mais do que precisa ter / Quase sempre se convence que não tem o bastante / E fala demais, por não ter nada a dizer. // Quem me dera, ao menos uma vez, / Que o mais simples fosse visto como o mais importante, / Mas

nos deram espelhos / E vimos um mundo doente. // Quem me dera, ao menos uma vez, / Entender como só Deus ao mesmo tempo é três / E esse mesmo Deus foi morto por vocês - / É só maldade então, deixar um Deus tão triste. // Eu quis o perigo e até sangrei sozinho. / Entenda - assim pude trazer você de volta para mim, / Quando descobri que é sempre só você / Que me entende do início ao fim / E é só você que tem a cura do meu vício / De insistir nessa saudade que eu sinto / De tudo que eu ainda não vi. // Quem me dera, ao menos uma vez, / Acreditar por um instante em tudo que existe / E acreditar que o mundo é perfeito / E que todas as pessoas são felizes. // Quem me dera, ao menos uma vez, / Fazer com que o mundo saiba que seu nome / Esta em tudo e mesmo assim / Ninguém lhe diz ao menos obrigado. // Quem me dera, ao menos uma vez, / Como a mais bela tribo, dos mais belos índios, / Não ser atacado por ser inocente. // Eu quis o perigo e até sangrei sozinho, / Entenda - assim pude trazer você de volta para mim / Quando descobri que é sempre só você / Que me

entende do início ao fim / E é só você que tem a cura do meu vício / De insistir nessa saudade que eu sinto / De tudo que eu ainda não vi. // Nos deram espelhos e vimos um mundo doente - / Tentei chorar e não consegui.

1965 (Duas Tribos) [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Vou passar

1965 (Duas Tribos)

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Vou passar / Quero ver / Volta aqui / Vem você / Como foi / Nem sentiu / Se era falso / Ou fevereiro / Temos paz / Temos tempo / Chegou a hora / E agora é aqui. / Cortaram meus braços / Cortaram minhas mãos / Cortaram minhas pernas / Num dia de verão / Num dia de verão / Num dia de verão / Podia ser meu pai / Podia ser meu irmão / Não se esqueça / Temos sorte / E agora é aqui. / Quando querem transformar / Dignidade em doença / Quando querem transformar / Inteligência em traição / Quando querem transformar / Estupidez em recompensa // Quando querem transformar / Esperança em maldição: / É o bem contra o mal / E você de que lado está? / Estou do lado do bem. / E você de que lado está? / Estou do lado do bem. / Com a luz e com os anjos. // Mataram um menino / Tinha arma de

verdade / Tinha arma nenhuma / Tinha arma de brinquedo / Eu tenho um autorama / Eu tenho Hanna-Barbera / Eu tenho pêra, uva e maçã / Eu tenho Guanabara / E modelos Revell. // O Brasil é o país do futuro / O Brasil é o país do futuro / O Brasil é o país do futuro / Em toda e qualquer situação / Eu quero tudo pra cima / pra cima / pra cima.

1977 [ Renato Russo ] Todos os dias quando acordo de manhã / Não tenho

1977

[ Renato Russo ]

Todos os dias quando acordo de manhã / Não tenho mais o tempo do dia que passou Mas tenho muito tempo / Para acabar com essa indecisão / Espero sinceridade e perigo / Todos os dias tento chegar em algum lugar Só pra depois dizer que não quero ficar lá / Não é coincidência / Essa minha indiferença / É que está me faltando motivo / Responsabilidade me deixa sem saber / Qual é a interferência / Ou como deve ser / Todos os dias quando eu deito pra dormir / Fico pensando em todas as coisas que eu não fiz / Só não penso no futuro / Sempre com uma leve preocupação / Se não lembrar qual foi o aviso / Todos os dias quando eu tento esquecer / Todas as coisas que eu não quero mais fazer / É só inconsequência / O tempo continua com a oscilação / E eu não consigo ficar indeciso

/ Pontos de referência / Perdi meu referencial / E quase como sempre não foi proposital / 1977 / Começaram a brincar com eletricidade / 1977 / Quero ficar na cidade ou não

1º de Julho [ Renato Russo ] Eu vejo que aprendi o quanto te ensinei

1º de Julho

[ Renato Russo ]

Eu vejo que aprendi o quanto te ensinei /

E nos teus braços que ele vai saber / Não há por que voltar / Não penso em te

seguir / Não quero mais a tua insensatez / O que fazes sem pensar aprendeste do olhar / E das palavras que aguardei pra ti

/ Não penso em me vingar / Não sou

assim / A tua insegurança era por mim / Não basta o compromisso / Vale mais o coração / Já que não me entendes, não me julgues, não me tentes / O que sabes fazer agora / Veio tudo de nossas horas / Eu não minto, eu não sou assim / Ninguém sabia e ninguém viu / Que eu estava a teu lado então / Sou fera, sou bicho, sou anjo e sou mulher / Sou minha mãe e minha filha, minha irmã, minha menina / Mas sou minha, só minha e não de quem quiser / Sou Deus, tua Deusa, meu amor / Alguma coisa aconteceu / Do

ventre nasce um novo coração / Baby, baby, baby, baby / O que fazes por sonhar / É o mundo que vir pra ti e pra mim / Vamos descobrir o mundo juntos baby / Quero aprender com o teu pequeno grande coração / Meu amor, meu amor / Baby

A Canção do Senhor da Guerra [ Renato Russo ] Existe alguém esperando por você

A Canção do Senhor da Guerra

[ Renato Russo ]

Existe alguém esperando por você / Que vai comprar a sua juventude / E convencê-lo a vencer // Mais uma guerra sem razão / Já são tantas as crianças com armas na mão / Mas explicam novamente que a guerra gera empregos / Aumenta a produção // Uma guerra sempre avança a tecnologia / Mesmo sendo guerra santa / Quente, morna ou fria / Pra que exportar comida? / Se as armas dão mais lucros na exportação // Existe alguém que está contando com você / Pra lutar em seu lugar já que nessa guerra / Não é ele quem vai morrer // E quando longe de casa / Ferido e com frio o inimigo você espera / Ele estará com outros velhos / Inventando novos jogos de guerra // Que belíssimas cenas de destruição / Não teremos mais problemas / Com a superpopulação / Veja que uniforme lindo

fizemos pra você / E lembre-se sempre que Deus está / Do lado de quem vai vencer // O senhor da guerra / Não gosta de crianças

A Dança [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá / Renato Rocha ]

A Dança

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá / Renato Rocha ]

direito / Só vejo

preconceito / E a sua roupa nova / É só uma roupa nova / Você não tem idéias / P'rá acompanhar a moda / Tratando as meninas / Como se fossem lixo / Ou então espécie rara / Só a você pertence / Ou então espécie rara / Que você não respeita / Ou então espécie rara / Que é só um objeto / P'rá usar e jogar fora / Depois de ter prazer. // Você é tão moderno / Se acha tão moderno / Mas é igual a seus pais / É só questão de idade / Passando dessa fase / Tanto fez e tanto faz. // Você com as suas drogas / E as suas teorias / E a sua rebeldia / E a sua solidão / Vive com seus excessos / Mas não tem mais dinheiro / P'rá comprar outra fuga / Sair de casa então / Então é outra festa / É outra sexta-feira / Que se

Não

sei

o

que

é

dane o futuro / Você tem a vida inteira / Você é tão esperto / Você está tão certo / Mas você nunca dançou / Com ódio de verdade. // Você é tão esperto / Você está tão certo / Que você nunca vai errar / Mas a vida deixa marcas / Tenha cuidado / Se um dia você dançar. // Nós somos tão modernos / Só não somos sinceros / Nos escondemos mais e mais / É só questão de idade / Passando dessa fase / Tanto fez e tanto faz.

A Fonte [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] O que há

A Fonte

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

O que há de errado comigo ? / Não

consigo encontrar abrigo / Meu país é campo inimigo / E você finge que vê mas não vê // Lave suas mãos que é a sua porta que irão bater / Mas antes você ver seus pequenos filhos / Trazendo novidades. // Quantas crianças foram mortas desta vez ? / Não faça com os outros o que você não quer / Que seja feito com você / Você finge que não vê / E isso dá câncer. // Não sei mais do que sou

capaz / Esperança, teus lençóis tem cheiro

de doença / E veja que da fonte / Sou os

quilômetros adiante. // Celebro todo dia / Minha vida e meus amigos / Eu acredito em mim / E continuo limpo. // Você acha que sabe / Mas você não vê que a maldade é prejuízo / O que há de errado

comigo ? / Eu não sei nada e continuo limpo. // Do lado do cipreste branco / À

esquerda da entrada do inferno / Está a fonte do esquecimento: / Vou mais além, não bebo desta água. / Chego ao lago da memória / Que tem água pura e fresca / E digo aos guardiões da entrada : / - Sou filho da Terra e do Céu. / Dai-me de beber, que tenho uma sede sem fim. // Olhe nos meus olhos, sou o homem-tocha

/ Me tira essa vergonha / Me liberta dessa culpa / Me arranca esse ódio / Me livra desse medo. // Olhe nos meus olhos, sou

o homem-tocha / E está é uma canção de

amor, / E está é uma canção de amor / E está é uma canção de amor.

A Montanha Mágica [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Sou meu

A Montanha Mágica

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Sou meu próprio líder: ando em círculos / Me equilibro entre dias e noites / Minha vida toda espera algo de mim / Meio sorriso, meia-lua, toda tarde. // Minha papoula da Índia / Minha flor da Tailândia / És o que tenho de suave / E me fazes tão mal. // Ficou logo o que tinha ido embora / Estou só um pouco cansado / Não sei se isto termina logo / Meu joelho dói / E não há nada a fazer agora. // Para que servem os anjos? / A felicidade mora aqui comigo / Até segunda ordem / Um outro agora vive minha vida / Sei o que ele sonha, pensa e sente / Não é coincidência a minha indiferença / Sou uma cópia do que faço / O que temos é o que nos resta / E estamos querendo demais. // Minha papoula da Índia / Minha flor da Tailândia / És o que tenho de suave / E me fazes tão mal. // Existe um

descontrole, que corrompe e cresce / Pode até ser, mas estou pronto p'rá mais uma / O que é que desvirtua e ensina? / O que fizemos de nossas próprias vidas? // O mecanismo da amizade, / A matemática dos amantes - / Agora só artesanato: / O resto são escombros. // Mas é claro que não vamos lhe fazer mal / Nem é por isso que estamos aqui / Cada criança com seu próprio canivete / Cada líder com seu próprio .38 // Minha papoula da Índia / Minha flor da Tailândia / Chega - vou mudar a minha vida. / Deixa o copo encher até a borda / Que eu quero um dia de sol n'um copo d'água.

A Onda [ Renato Russo ] Outro dia negro, outro dia cinza / meus olhos

A Onda

[ Renato Russo ]

Outro dia negro, outro dia cinza / meus olhos no asfalto, meus pensamentos / numa negra direção // Outro dia negro, outro dia cinza meus olhos no asfalto são tantas possibilidades que resultam em dores mesmo assim eu gostaria de te-las // - Os mesmos erros // E dormir com a promessa a vida é eterna / Acordar e perceber que não se vive para sempre // Acordar e perceber / que há uma onda que só traz mentiras // Já fui longe demais e nem posso lembrar tudo que passei e não consigo mais voltar // - A mesma onda

A Tempestade [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Será que eu

A Tempestade

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Será que eu sou capaz / De enfrentar o seu amor / Que me traz insegurança / E verdade demais / Será que eu sou capaz? // Veja bem quem eu sou / Com teu amor eu quero que sintas dor / Eu quero ver-te em sangue e ser seu credor / Veja bem quem eu sou // Trouxe flores mortas pra ti / Quero rasgar-te e ver o sangue manchar / Toda a pureza que vem do teu olhar / Eu não sei mais sentir

A Via Láctea [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Quando tudo

A Via Láctea

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Quando tudo está perdido / Sempre existe um caminho / Quando tudo está perdido /

Sempre existe uma luz / Mas não me diga isso / Hoje a tristeza não é passageira / Hoje fiquei com febre a tarde inteira / E quando chegar a noite / Cada estrela parecer uma lágrima / Queria ser como os outros / E rir das desgraças da vida / Ou fingir estar sempre bem / Ver a leveza das coisas com humor / Mas não me diga isso

/ É só hoje e isso passa / Só me deixe

aqui quieto / Isso passa / Amanhã é um

outro dia não é / Eu nem sei porque me sinto assim / Vem de repente, um anjo

triste perto de mim / E essa febre que não passa / E meu sorriso sem graça / Não me dê atenção / Mas obrigado por pensar em mim / Quando tudo está perdido / Sempre existe uma luz / Quando tudo está perdido

/ Sempre existe um caminho / Quando

tudo está perdido / Eu me sinto tão sozinho / Quando tudo está perdido / Não quero mais ser quem eu sou / Mas não me diga isso / Não me dê atenção / E obrigado por pensar em mim

Acrilic on Canvas [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Renato Rocha / Marcelo Bonfá

Acrilic on Canvas

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Renato Rocha / Marcelo Bonfá ]

- É saudade, então. // E mais uma vez / De você fiz o desenho mais perfeito que se fez: / Os traços copiei do que não aconteceu. / As cores que escolhi, entre as tintas que inventei, / Misturei com a promessa que nós dois nunca fizemos / De um dia sermos três. / Trabalhei você em luz e sombra. // E era sempre: / - Não foi por mal. Eu juro que nunca / Quis deixar você tão triste. / Sempre as mesmas desculpas / E desculpas nem sempre são sinceras - / Quase nunca são. // Preparei a minha tela / Com pedaços de lençóis / Que não chegamos a sujar. / A armação fiz com madeira / Da janela do seu quarto. / Do portão da sua casa / Fiz paleta e cavalete / E com as lágrimas que não brincaram com você / Destilei óleo de linhaça / E da sua cama arranquei

pedaços / Que talhei em estiletes / De tamanhos diferentes / E fiz então / Pincéis com seus cabelos. / Fiz carvão do batom que roubei de você / E com ele marquei dois pontos de fuga / E rabisquei meu horizonte. // E era sempre: / - Não foi por mal. Eu juro que não foi por mal. / Eu não queria machucar você: prometo que isso não vai / Acontecer mais uma vez. / E era sempre, sempre o mesmo novamente - / A mesma traição. // Às vezes é difícil esquecer: / - Sinto muito, ela não mora mais aqui. // Mas então porque eu finjo que acredito no que invento? / Nada disso aconteceu assim - não foi desse jeito. / Ninguém sofreu: é só você que provoca essa saudade vazia / Tentando pintar essas flores com o nome / De "amor- perfeito" e "não-te-esqueças-de-mim".

Ainda é Cedo [ Ico Ouro-Preto / Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá

Ainda é Cedo

[ Ico Ouro-Preto / Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Uma menina me ensinou / Quase tudo o que eu sei / Era quase escravidão / Mas ela me tratava como um rei / Ela fazia muitos planos / Eu só queria estar ali / Sempre ao lado dela / Eu não tinha aonde ir / Mas, egoísta que eu sou, / Me esqueci de ajudar / A ela como ela me ajudou / E não quis me separar / Ela também estava perdida / E por isso se agarrava a mim também / Eu me agarrava nela / Porque eu não tinha mais ninguém. // E eu dizia:

- Ainda é cedo / cedo / cedo / cedo / cedo // Sei que ela terminou / O que eu não comecei / E o que ela descobriu / Eu aprendi também, eu sei. / Ela falou: - Você tem medo. / Aí eu disse: - Quem tem medo é você. Falamos o que não devia / Nunca ser dito por ninguém / Ela me disse: - Eu não sei mais o que eu sinto por você. / Vamos dar um tempo, um dia

a gente

cedo / cedo / cedo / cedo / cedo

se

vê. //

E

eu

dizia:

- Ainda

é

Aloha [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Será que ninguém vê

Aloha

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Será que ninguém vê o caos em que

vivemos / Os jovens são tão jovens e fica tudo por isso mesmo / A juventude é rica,

a juventude é pobre / A juventude sofre e

ninguém parece perceber / Eu tenho um coração / Eu tenho ideais / Eu gosto de cinema / E de coisas naturais / E penso sempre em sexo, oh yeah ! / Todo adulto tem inveja dos mais jovens / A juventude está sozinha / Não há ninguém para ajudar / A explicar por que é que o mundo

/ É este desastre que aí está / Eu não sei, eu não sei / Dizem que eu não sei nada / Dizem que eu não tenho opinião / Me compram, me vendem, me estragam / E é tudo mentira, me deixam na mão / Não me deixam fazer nada / E a culpa é sempre minha, oh yeah ! / E meus amigos parecem ter medo / De quem fala o que sentiu / De quem pensa diferente / Nos

querem todos iguais / Assim é bem mais fácil nos controlar / E mentir mentir mentir / E matar matar matar / O que eu tenho de melhor : minha esperança / Que se faça o sacrifício / E cresçam logo as crianças.

Andrea Doria [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Às vezes parecia

Andrea Doria

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Às vezes parecia que, de tanto acreditar / Em tudo que achávamos tão certo, / Teríamos o mundo inteiro e até um pouco mais: / Faríamos floresta do deserto / E diamantes de pedaços de vidro. // Mas percebo agora / Que o teu sorriso / Vem diferente, / Quase parecendo te ferir. // Não queria te ver assim - / Quero a tua força como era antes. / O que tens é só teu / E de nada vale fugir / E não sentir mais nada. / Às vezes parecia que era só improvisar / E o mundo então seria um livro aberto, / Até chegar o dia em que tentamos ter demais, / Vendendo fácil o que não tinha preço. // Eu sei - é tudo sem sentido. / Quero ter alguém com quem conversar, / Alguém que depois não use o que eu disse / Contra mim. // Nada mais vai me ferir. / É que eu já me acostumei / Com a estrada errada que

segui

Tenho o que ficou / E tenho sorte até

demais, / Como sei que tens também.

minha própria lei. //

/

E

com

a

Angra dos Reis [ Renato Russo / Renato Rocha / Marcelo Bonfá ] Deixa, se

Angra dos Reis

[ Renato Russo / Renato Rocha / Marcelo Bonfá ]

Deixa, se fosse sempre assim quente / Deita aqui perto de mim / Tem dias em que tudo está em paz / E agora os dias são iguais // Se fosse só sentir saudade / Mas tem sempre algo mais / Seja como for / É uma dor que dói no peito / Pode rir

agora que estou sozinho / Mas não venha me roubar // Vamos brincar perto da usina / Deixa pra lá a angra é dos reis / Por que se explicar se não existe perigo? / Senti seu coração perfeito batendo à toa /

E isso dói / Seja como for / É uma dor que dói no peito / Pode rir agora que estou

sozinho / Mas não venha me roubar // Vai ver que não é nada disso / Vai ver que já não sei quem sou / Vai ver que nunca fui

o mesmo / A culpa é toda sua e nunca foi

/ Mesmo se as estrelas começassem a cair

/ E a luz queimasse tudo ao redor / E

fosse o fim chegando cedo / E você visse

nosso corpo em chamas / Deixa pra lá. // Quando as estrelas começarem a cair / Me diz, me diz pra onde a gente vai fugir?

Anúncio de Refrigerante [ Renato Russo ] Sentado embaixo do bloco sem ter o que

Anúncio de Refrigerante

[ Renato Russo ]

Sentado embaixo do bloco sem ter o que fazer / Olhando as meninas que passam / Matando o tempo procurando uma briga / Sem ter dinheiro nem prum guaraná / Não

vou de tarde pro Conjunto Nacional / Contar os pobres, e os recos e os ladrões

/ Com muita coisa na cabeça, mas, no

bolso, nada / Sempre com medo dos PM’s

/ E chega o fim de semana e todos se

agitam / Sempre à procura de uma festa / Os carros rodam enquanto se tem gasolina / E ninguém nunca agita nada / Sujeira quando a sua turma é menor de idade / Não podem ir pro mesmo lado que você / E a vida aqui a gente leva, não é nada igual / Aos anúncios de refrigerante

Antes da Seis [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo ] Quem inventou o amor? /

Antes da Seis

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo ]

Quem inventou o amor? / Me explica por favor / Quem inventou o amor? / Me explica por favor // Vem e me diz o que aconteceu / Faz de conta que passou / Quem inventou o amor? / Me explica por favor // Daqui vejo o seu descanso / Perto do seu travesseiro / Depois quero ver se acerto / Dos dois quem acorda primeiro // Quem inventou o amor? / Me explica por favor / Quem inventou o amor? / Me explica por favor // Enquanto a vida vai e vem / Você procura achar alguém / Que um dia possa lhe dizer / - Quero ficar só com você // Quem inventou o amor?

As Flores do Mal [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Eu

As Flores do Mal

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Eu quis você / E me perdi / Você não viu /

E eu não senti / Não acredito nem vou

julgar / Você sorriu, ficou e quis me provocar / Quis dar uma volta em todo mundo / Mas não é bem assim que as

coisas são / Seu interesse é só traição / E mentir é fácil demais // Mentir é fácil demais // Tua indecência não me serve mais / Tão decadente que tanto faz / Quais são as regras? O que ficou? / O seu cinismo, essa sedução / Volta pro esgoto baby / Vê se alguém lhe quer / O que ficou é esse modelito da estação passada

/ Extorsão e drogas demais / Todos já

sabem o que você faz / Teu perfume barato, teus truques banais / Você acabou ficando pra trás // Porque mentir é fácil

demais // Volta pro esgoto baby / Vê se alguém lhe quer

Baader-Meinhof Blues [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] A violência é

Baader-Meinhof Blues

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

A violência é tão fascinante / E nossas vidas são tão normais / E você passa de noite e sempre vê / Apartamentos acessos / Tudo parece ser tão real / Mas você viu esse filme também. // Andando nas ruas / Pensei que podia ouvir / Alguém me chamando / Dizendo meu nome. // Já estou cheio de me sentir vazio / Meu corpo é quente e estou sentindo frio / Todo mundo sabe e ninguém quer mais saber / Afinal, amar ao próximo é tão demodé. // Essa justiça desafinada / É tão humana e tão errada / Nós assistimos televisão também / Qual é a diferença? // Não estatize meus sentimentos / Pra seu governo, / O meu estado é independente.

Belos e Malditos [ Alvin L. / Renato Russo / Loro Jones / Dinho /

Belos e Malditos

[ Alvin L. / Renato Russo / Loro Jones / Dinho / B. Barreti ]

Belos e malditos / Feitos para o prazer / Os últimos a sair / E os primeiros a morrer Belos e malditos / Eles ou ninguém / De carne quase sempre / São anjos para alguém / Suave é / Suave é / A noite é / De bar em bar / Belos e malditos / Culpados por viver / Num mundo feito de tédio / E cego para o poder / Belos e malditos / Drama e carnaval / O lado escuro do paraíso / E o bem que vem do mal / O bem que vem do mal / Suave é / Suave é/ A noite é / De bar em bar / Eles brincam com fogo / E sabem queimar / Suave é / Suave é / A noite é / De bar em bar

Boomerang Blues [ Renato Russo ] Tudo o que você faz / Um dia volta

Boomerang Blues

[ Renato Russo ]

Tudo o que você faz / Um dia volta pra

você / Tudo o que você faz / Um dia volta pra você / E se você fizer o mal / Com o mal mais tarde você vai ter de viver / Não me entregue o seu ódio / Sua crise existencial / Preliminares não me atingem

/ O que interessa é o final / E não me

venha com problemas / Sinta sozinho o seu mal / Por que tentar sentir demais? /

E você só me usou / Eu tentava ajudar / E

você só me queimou / Mas é errando que se aprende / Minha boa vontade se esgotou / Os aborígenes na Austrália / Com o boomerang vão caçar / O boomerang vai e volta / E só fica quando consegue acertar / E eu sou como um boomerang / Quando eu acerto é pra matar / Como um boomerang tudo vai voltar / E a ferida que você me fez é em

você que vai sangrar / Eu tenho cicatrizes / Mas eu não me importo não / Melhor que a sua ferida aberto / E o sangue ruim do seu coração / Eu só não entendo como fui cair / Dentro da sua teia e não tentei fugir / Me sinto mal lembrando o que aconteceu / Você tentou roubar / Mas o boomerang agora é meu.

Canção Retorno Para Um Amigo à Morte [ Tradução de 'Feedback Song For A Dying

Canção Retorno Para Um Amigo à Morte

[ Tradução de 'Feedback Song For A Dying Friend' por Millôr Fernandes ]

Alisa a testa suada do rapaz / Toca o talo nu ali escondido / Protegido nesse ninho farpado sombrio da semente / Então seus olhos castanhos ficam vivos / Antes afago pensava ele era domínio / Essas aí não são suas mãos são as minhas / E seguras, minhas mãos buscam me impor / Todo conhecimento do jorro viril do meu senhor

/ O gosto perfumado que retém minha

língua / É ingano instalado e não desfeito

/ Seus olhos chispantes podem retalhar

minha pele bárbara / Forçar toda gravidade a ir embora. / Ele vadeia em águas fechadas / Sono profundo altera seus sentidos. / A meu único rival eu devo obedecer / Vai comandar nosso duplo renascer: / O mesmo / Insano / Sustenta / Outra vez. / (Os dois juntos junto de

nossos corações.) / Calei e escrevi / Isto em reverência / Pela coincidência.

Clarisse [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Estou cansado de ser

Clarisse

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Estou cansado de ser vilipendiado, incompreendido e descartado / Quem diz que me entende nunca quis saber / Aquele menino foi internado numa clínica / Dizem que por falta de atenção dos amigos, das lembranças / Dos sonhos que se configuram tristes e inertes / Como uma ampulheta imóvel, não se mexe, não se move, não trabalha / E Clarice está trancada no banheiro / E faz marcas no seu corpo com seu pequeno canivete / Deitada no canto, seus tornozelos sangram / E a dor é menor do que parece

/ Quando ela se corta ela esquece / Que é

impossível ter da vida calma e força / Viver em dor, o que ninguém entende / Tentar ser forte a todo e cada amanhecer

/ Uma de suas amigas já se foi / Quando

mais uma ocorrência policial / Ninguém

entende, não me olhe assim / Com este

semblante de bom-samaritano / Cumprindo o seu dever, como se fosse doente / Como se toda essa dor fosse diferente, ou inexistente / Nada existe p'rá mim, não tente / Você não sabe e não entende / E quando os antidepressivos e os calmantes não fazem mais efeito / Clarice sabe que a loucura está presente /

E sente a essência estranha do que é a

morte / Mas esse vazio ela conhece muito bem / De quando em quando é um novo tratamento / Mas o mundo continua sempre o mesmo / O medo de voltar p'rá casa à noite / Os homens que se esfregam nojentos / No caminho de ida e volta da

escola / A falta de esperança e o tormento

/ De saber que nada é justo e pouco é

certo / E que estamos destruindo o futuro

/ E que a maldade anda sempre aqui por

perto / A violência e a injustiça que existe

/ Contra todas as meninas e mulheres /

Um mundo onde a verdade é o avesso / E

a alegria já não tem mais endereço /

Clarice está trancada em seu quarto /

Com seus discos e seus livros, seu cansaço / Eu sou um pássaro / Me trancam na gaiola / E esperam que eu

cante como antes / Eu sou um pássaro / Me trancam na gaiola / Mas um dia eu consigo existir / E vou voar pelo caminho mais bonito / Clarice só tem quatorze anos

Comédia Romântica [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Acho que só

Comédia Romântica

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Acho que só agora eu começo a perceber

/ Que tudo que você me disse / Pelo

menos o que me lembro que aprendi com você / Está realmente certo // Bem mais

certo do que eu queria acreditar / Você gosta mesmo de mim / Se arriscando a me perder assim / Ao me explicar o que eu não quero ouvir // Ainda não estou pronto para saber a verdade / Ou não estava / Até uma estação atrás // Acho que só agora eu começo a ver / Que tudo o que você me disse / É o que você

gostaria que tivessem dito p'rá você / Se o tempo pudesse voltar dessa vez // Sou eu mesmo e serei eu mesmo então / E não há nada de errado comigo, não / Não, não, não // Não preciso de modelos / Não preciso de heróis / Eu tenho meus amigos

/ E quando a vida dói / Eu tento me

concentrar / N'um caminho fácil // Sou eu

mesmo e serei eu mesmo então / E eu queria que o tempo / Pudesse voltar dessa vez / Oh yeah

Conexão Amazônica [ Renato Russo / Felipe Lemos ] Estou cansado de ouvir falar /

Conexão Amazônica

[ Renato Russo / Felipe Lemos ]

Estou cansado de ouvir falar / Em Freud, Jung, Engels, Marx / Intrigas intelectuais / Rodando em mesa de bar / Yeah, yeah, yeah, // O que eu quero eu não tenho / O que eu não tenho eu quero ter / Não posso ter o que eu quero / E acho que isto não tem nada a ver / Yeah, yeah, yeah, // Os tambores da selva já começaram a rufar / A cocaína não vai chegar / Conexão amazônica está interrompida / Yeah, yeah, yeah, // E você quer ficar maluco sem dinheiro e acha que está tudo bem / Mas alimento pra cabeça nunca vai matar a fome de ninguém / Uma peregrinação involuntária talvez fosse a solução / Auto-exílio nada mais é do que ter seu coração na solidão / Yeah, yeah, yeah,

Construção Civil [ Renato Russo ] O que você vai ser qu ando você crescer?

Construção Civil

[ Renato Russo ]

O

que você vai ser quando você crescer? /

E

nas fotografias o que você vai ver / O

tempo passa e você vê que existem coisas / Que você nunca imaginou que existissem / Eu tenho um primo que trabalha na construção civil / Ele conta coisas e diz que eu tenho que esperar / Entre uma cerveja e outra / Se lembra do aluguel / Então me explica como é feliz / Eu tento ver nos olhos se ele fala a verdade / Mas ele se esquiva e diz que é só cansaço / Que ainda tem muito pra

viver / Como vai a escola? / E a sua vida,

o que é que vocês fazem? / Como é a sua

turma? / Eu tenho um primo que trabalha na construção civil / É tão seguro trabalhar na construção civil / Senso de responsabilidade / Na construção civil /

Pare de pensar na vida e vá trabalhar / Na construção civil

Continuar [ Renato Russo ] Entrando tarde na sala escura / Continuar por algum tempo

Continuar

[ Renato Russo ]

Entrando tarde na sala escura / Continuar por algum tempo / Estar em qualquer outro lugar // É preciso ir ainda mais longe / Eu quero dizer ainda mais coisas // Sentindo cedo a vida fugir / Continuar por pouco tempo / Não estar em nenhum lugar // É preciso ir ainda mais longe / Eu quero dizer ainda mais coisas

Dado Viciado [ Renato Russo ] Você não tem heroína, então usa Algafan / Viciou

Dado Viciado

[ Renato Russo ]

Você não tem heroína, então usa Algafan

/ Viciou os seus amigos, talvez sua irmã /

Mas aqui não tem Village, rua 42 / Me diz prá onde é que é que você vai depois? // Por que você deixou suas veias fecharem ? / Não tem mais ligar pras agulhas entrarem / Você não conversa, não quer

mais falar / Só tem agulhas prá lhe ajudar // Cadê o bronze no corpo, os olhos azuis?

/ O seu corpo tem marca de sangue e pus

/ Você nem sabe se é março ou fevereiro /

Trancado o dia inteiro dentro do banheiro

// Dado / Dado / Dado / O que fizeram com você? // Cadê seus planos, cadê as meninas? / Você agora enche a cara e cai pelas esquinas. / Eu quero você mas não vou lhe ajudar / Não me peça dinheiro, não vou lhe entregar / Cadê a criança? Meu primo e irmão / Se perdeu por aí,

com seringas na mão. // Dado / Dado / Dado / O que fizeram com você?

Daniel na Cova dos Leões [ Renato Russo / Renato Rocha ] Aquele gosto amargo

Daniel na Cova dos Leões

[ Renato Russo / Renato Rocha ]

Aquele gosto amargo do teu corpo / Ficou na minha boca por mais tempo: / De amargo e então salgado ficou doce, / Assim que o teu cheiro forte e lento / Fez casa nos meus braços e ainda leve / E forte e cego e tenso fez saber / Que ainda era muito e muito pouco. // Faço nosso o meu segredo mais sincero / E desafio o instinto dissonante. / A insegurança não me ataca quando erro / E o teu momento passa a ser o meu instante. / E o teu medo de ter medo de ter medo / Não faz da minha força confusão: / Teu corpo é meu espelho e em ti navego / E sei que tua correnteza não tem direção. // Mas, tão certo quanto o erro de ser barco / A motor e insistir em usar os remos, / É o mal que a água faz quando se afoga / E o salva-vidas não está lá porque não vemos.

Depois do Começo [ Renato Russo ] Vamos deixar as janelas abertas / Deixar o

Depois do Começo

[ Renato Russo ]

Vamos deixar as janelas abertas / Deixar o equilíbrio ir embora / Cair como um saxofone na calçada / Amarrar um fio de cobre no pescoço // Acender um intervalo pelo filtro / Usar um extintor como lençol / Jogar pólo-aquático na cama / Ficar deslizando pelo teto / Da nossa casa cega e medieval / Cantar canções em línguas estranhas / Retalhar as cortinas desarmadas / Com a faca surda que a fé sujou / Desarmar os brinquedos indecentes / E a indecência pura dos retratos no salão / Vamos beber livros e mastigar tapetes / Catar pontas de cigarro nas paredes // Abrir a geladeira e deixar o vento sair / Cuspir um dia qualquer no futuro / De quem já desapareceu / Deus, Deus, somos todos ateus / Vamos cortar os cabelos do príncipe / E entregá-los a

um deus plebeu // E depois do começo / O que vier vai começar a ser o fim.

Desemprego [ Renato Russo ] Não sei se tenho medo / Não sei se tenho

Desemprego

[ Renato Russo ]

Não sei se tenho medo / Não sei se tenho medo / Trabalho o tempo inteiro / Estou procurando emprego / E é mais um aumento / Não tenho mais dinheiro / Atraso o aluguel / Não compro alimento / Não sei se tenho medo / Não sei se tenho medo / Só este desespero / Esqueço quando bebo / Quem vai ter decidido / Quem vai dançar primeiro / E o pouco que recebo / É uma metade pelo meio / Não sei se tenho medo / Não sei se tenho medo / Só este desespero / Esqueço quando bebo / E é mais um aumento / Não tenho mais dinheiro / Atraso o aluguel / Não compro alimento

Dezesseis [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] João Roberto era o

Dezesseis

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

João Roberto era o maioral, o nosso Johnny era um cara legal / Ele tinha um

Opala metálico azul / Era o rei dos pegas

na Asa Sul e em todo lugar/ Quando ele

pegava no violão / Conquistava as meninas e quem mais quisesse ver / Sabia tudo da Janis, do Led Zeppelin, dos

Beatles e dos Rolling Stones / Mas de uns tempos p'rá cá meio sem querer alguma coisa aconteceu / Johnny andava meio quieto demais só que quase ninguém percebeu / Johnny estava com um sorriso estranho / Quando marcou um super pega no fim-de-semana / Não vai ser no CASEB, nem no Lago Norte nem na UnB /

As máquinas prontas, o ronco de motor /

A cidade inteira se movimentou / E

Johnny disse : - Eu vou p'rá curva do Diabo em Sobradinho e vocês ? / E os

motores saíram ligados a mil / P'rá

estrada da morte, o maior pega que existiu / Só deu p'rá ouvir foi aquela explosão / E os pedaços do Opala azul de Johnny pelo chão / No dia seguinte, falou

o diretor : / - O aluno João Roberto não

está mais entre nós / Ele só tinha dezesseis / Que isso sirva de aviso p'rá

vocês / E na saída da aula, foi estranho e bonito / Todo o mundo cantando baixinho : / Strawberry Fields Forever / Strawberry Fields Forever / E até hoje quem se lembra diz que não foi o caminhão / Nem

a curva fatal e nem a explosão / Johnny

era fera demais p'rá vacilar assim / E o

que dizem que foi tudo por causa de um coração partido / Um coração / Bye bye Johnny / Johnny bye bye / Bye bye

Johnny

Do Espírito [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Sai de mim

Do Espírito

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Sai de mim / Que eu não quero mais saber de você / Esse "- Eu te quero." já não me convence mais / E agora já nem me incomoda / Sai de mim, não gosto de ser rejeitado / E agora não tem volta. // Eu pego o bonde andando / Você pegou o bonde errado / Sua curiosidade é má / E a ignorância é vizinha da maldade / E só porque eu tenho / Não pense que é de mim que você / Vai ter e conseguir o que não tem. / Só estou aberto a quem sempre foi do bem / E agora estou fechado pra você. // Não não não venha pra cá / Que eu não quero mais saber de você. // Não me procura não / Você não vai me achar / Você não consegue entender.

Eduardo e Mônica [ Renato Russo ] Quem um dia ira dizer / Que existe

Eduardo e Mônica

[ Renato Russo ]

Quem um dia ira dizer / Que existe razão / Nas coisas feitas pelo coração? / E quem ira dizer / Que não existe razão? // Eduardo abriu os olhos mas não quis se levantar: / Ficou deitado e viu que horas eram / Enquanto Monica tomava um conhaque, / Noutro canto da cidade, / Como eles disseram. // Eduardo e Monica um dia se encontraram sem querer / E conversaram muito mesmo p'rá tentar se conhecer. / Foi um carinha do cursinho do Eduardo que disse: / - Tem uma festa legal e a gente quer se divertir. / Festa estranha, com gente esquisita: / - Eu não estou legal Não aguento mais birita. / E a Monica riu e quis saber um pouco mais / Sobre o boyzinho que tentava impressionar / E o Eduardo, meio tonto, só pensava em ir pra casa: / - É quase duas, eu vou me ferrar. // Eduardo e

Monica trocaram telefone / Depois telefonaram e decidiram se encontrar. / O Eduardo sugeriu uma lanchonete / Mas a Monica queria ver o filme do Godard. / Se encontraram então no parque da cidade /

A Monica de moto e o Eduardo de camelo.

/ O Eduardo achou estranho e melhor não

comentar / Mas a menina tinha no cabelo.

/ Eduardo e Monica eram nada parecidos -

/ Ela era de Leão e ele tinha dezesseis. /

Ela fazia Medicina e falava alemão / E ele ainda nas aulinhas de inglês. / Ela gostava

do

Bandeira e do Bauhaus, / De Van Gogh

e

dos Mutantes, / De Caetano e de

Rimbaud / E o Eduardo gostava de novela

/ E jogava futebol-de-botão com seu avô. // Ela falava coisas sobre o Planalto

Central, / Também magia e meditação / E

o Eduardo ainda estava / No esquema

"escola, cinema, clube, televisão". // E, mesmo com tudo diferente, / Veio mesmo, de repente, / Uma vontade de se ver / E os dois se encontravam todo dia /

E a vontade crescia, / Como tinha de ser.

// Eduardo e Monica fizeram natação, fotografia, / Teatro e artesanato e foram viajar. / A Monica explicava p'ro Eduardo /

Coisas sobre o céu, a terra, a água e o ar:

/ Ele aprendeu a beber, deixou o cabelo

crescer / E decidiu trabalhar; / E ela se formou no mesmo mês / Em que ele passou no vestibular / E os dois comemoraram juntos / E também brigaram juntos, muitas vezes depois. / E todo mundo diz que ele completa ela e vice-versa, / Que nem feijão com arroz. / Construíram uma casa uns dois anos atrás, / Mais ou menos quando os gêmeos vieram - / Batalharam grana e seguraram

legal / A barra mais pesada que tiveram. // Eduardo e Monica voltaram p'rá Brasília

/ E a nossa amizade da saudade no verão.

/ Só que nessas férias não vão viajar /

Porque o filhinho do Eduardo / 'Tá de recuperação. // E quem um dia ira dizer / Que existe razão / Nas coisas feitas pelo o coração? / E quem ira dizer / Que não existe razão?

Esperando Por Mim [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Acho que

Esperando Por Mim

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Acho que você não percebeu / Que o meu sorriso era sincero / Sou tão cínico às vezes / O tempo todo / Estou tentando me defender / Digam o que disserem / O mal do século é a solidão / Cada um de nós imerso em sua própria arrogância / Esperando por um pouco de afeição / Hoje não estava nada bem / Mas a tempestade me distrai / Gosto dos pingos de chuva / Dos relâmpagos e dos trovões / Hoje à tarde foi um dia bom / Saí pra caminhar com meu pai / Conversamos sobre coisas da vida / E tivemos um momento de paz / É de noite que tudo faz sentido / No silêncio eu não ouço meus gritos / E o que disserem / Meu pai sempre esteve esperando por mim / E o que disserem / Minha mãe sempre esteve esperando por mim / E o que disserem / Meus verdadeiros amigos sempre

esperaram por mim / E o que disserem / Agora meu filho espera por mim / Estamos vivendo / E o que disserem / Os nossos dias serão para sempre

Eu Era Um Lobisomem Juvenil [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Eu Era Um Lobisomem Juvenil

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Luz e sentido e palavra - / Palavra é que o coração não pensa. / Ontem faltou água / Anteontem faltou luz / Teve torcida gritando quando a luz voltou. // Não falo como você fala / Mas vejo bem o que você me diz. / Se o mundo é mesmo parecido com o que vejo / Prefiro acreditar no mundo do meu jeito. // E você estava esperando voar / Mas como chegar até as nuvens com os p‚s no chão? / O que sinto muitas vezes faz sentido / E outras vezes não descubro o motivo / Que me explica porque é que não consigo / Ver sentido no que sinto, o que procuro / O que desejo e o que faz parte do meu mundo. // O arco-íris tem sete cores / E fui juiz supremo. / Vai, vem embora e volta: todos têm, / Todos tem suas próprias razões. // Qual foi a semente que

você plantou? / Tudo acontece ao mesmo tempo / Nem eu mesmo sei direito / O que está acontecendo / E daí, de hoje em diante, / Todo dia vai ser o dia mais

importante. / Se você quiser alguém pra ser só seu / É só não se esquecer: estarei aqui. // Não digo nada, espero o vendaval passar. / Por enquanto eu não sei - o que você me falou / Me fez rir e pensar. / Porque estou tão preocupado por estar tão preocupado assim? // Mesmo se eu cantasse todas as canções / Todas as canções / Todas as canções / Todas as

/ Sou bicho do mato

canções do mundo

mas, / Se você quiser alguém pra ser só seu / É só não se esquecer: estarei aqui. // Ou então não ter jamais a chave do

meu coração.

Eu Sei [ Renato Russo ] Sexo verbal não faz meu estilo / Palavras são

Eu Sei

[ Renato Russo ]

Sexo verbal não faz meu estilo / Palavras são erros e os erros são seus / Não quero lembrar que eu erro também // Um dia pretendo tentar descobrir / Porque é mais forte quem sabe mentir / Não quero lembrar que eu minto também // Eu sei // Feche a porta do seu quarto / Porque se toca o telefone pode ser alguém / Com quem você quer falar / Por horas e horas e horas // A noite acabou, talvez tenhamos que fugir sem você / Mas não, não vá agora, quero honras e promessas / Lembranças e estórias // Somos pássaro novo longe do ninho // Eu sei

Fábrica [ Renato Russo ] Nosso dia vai chegar , / Teremos nossa vez. /

Fábrica

[ Renato Russo ]

Nosso dia vai chegar, / Teremos nossa vez. / Não é pedir demais: / Quero justiça, / Quero trabalhar em paz. / Não é muito o que lhe peço - / Eu quero trabalho honesto / Em vez de escravidão. // Deve haver algum lugar / Onde o mais forte / Não consegue escravizar / Quem não tem chance. // De onde vem a indiferença / Temperada a ferro e fogo? / Quem aguarda os portões da fabrica? // O céu já foi azul, mas agora é cinza / E o que era verde aqui já não existe mais. / Quem me dera acreditar / Que não acontece nada de tanto brincar com fogo. // Que venha o fogo então. // Esse ar deixou minha vista cansada, / Nada demais.

Faroeste Caboclo [ Renato Russo ] - Não tinha medo o tal João de Santo

Faroeste Caboclo

[ Renato Russo ]

- Não tinha medo o tal João de Santo Cristo, / Era o que todos diziam quando ele se perdeu. / Deixou pra trás todo o marasmo da fazenda / Só pra sentir no seu sangue o ódio que Jesus lhe deu. / Quando criança só pensava em ser bandido, / Ainda mais quando com tiro de soldado o pai morreu / Era o terror da cercania onde morava / E na escola até o professor com ele aprendeu. // Ia pra igreja só pra roubar o dinheiro / Que as velhinhas colocavam na caixinha do altar. / Sentia mesmo que era mesmo diferente / E sentia que aquilo ali não era o seu lugar / Ele queria sair para ver o mar / E as coisas que ele via na televisão / Juntou dinheiro para poder viajar / E de escolha própria escolheu a solidão // Comia todas as menininhas da cidade / De tanto brincar de médico, aos doze era professor.

/ Aos quinze, foi mandado pro reformatório / Onde aumentou seu ódio diante de tanto terror. // Não entendia como a vida funcionava - / Descriminação por causa da sua classe e sua cor / Ficou cansado de tentar achar resposta / E comprou uma passagem, foi direto a Salvador. // E lá chegando foi tomar um cafezinho / E encontrou um boiadeiro com quem foi falar / E o boiadeiro tinha uma passagem e ia perder a viagem / Mas João foi lhe salvar. / Dizia ele: - Estou

indo pra Brasília, / Nesse país lugar melhor não há. / Estou precisando visitar

a minha filha / Eu fico aqui e você vai no

meu lugar. // E João aceitou sua proposta

e num ônibus entrou no Planalto Central /

Ele ficou bestificado com a cidade / Saindo da rodoviária viu as luzes de Natal. / - Meu Deus mas que cidade linda, / No ano- aovo eu começo a trabalhar. / Cortar madeira, aprendiz de carpinteiro / Ganhava cem mil pro mês em Taguatinga. // Na sexta-feira foi pra zona da cidade / Gastar todo o seu dinheiro de rapaz trabalhador / E conhecia muita gente interessante / Até um neto bastardo do

seu bisavô: / Um peruano que vivia na Bolívia / E muitas coisas trazia de lá / Seu nome era Pablo e ele dizia / Que um negócio ele ia começar. // E Santo Cristo até a morte trabalhava / Mas o dinheiro não dava pra ele se alimentar / E ouvia às sete horas o noticiário / Que dizia sempre que seu ministro ia ajudar / Mas ele não queria mais conversa e decidiu que, / Com Pablo, ele ia se virar / Elaborou mais uma vez seu plano santo / E, sem ser crucificado, a plantação foi começar. // Logo logo os maluco da cidade souberam da novidade: / - Tem bagulho bom aí! / E João de Santo Cristo ficou rico / E acabou com todos os traficantes dali. / Fez amigos, freqüentava a Asa Norte / Ia pra festa de rock pra se libertar / Mas de repente / Sob uma má influência dos boyzinhos da cidade / Começou a roubar. // Já no primeiro roubo ele dançou / E pro inferno ele foi pela primeira vez / Violência e estupro do seu corpo / - Vocês vão ver, eu vou pegar vocês. // Agora Santo Cristo era bandido / Destemido e temido no Distrito Federal. / Não tinha nenhum medo de polícia / Capitão ou traficante,

playboy ou general. / Foi quando conheceu uma menina / E de todos os seus pecados ele se arrependeu. / Maria Lúcia era uma menina linda / E o coração

dele / Pra ela o Santo Cristo prometeu / Ele dizia que queria se casar / E carpinteiro ele voltou a ser / - Maria Lúcia eu pra sempre vou te amar / E um filho com você eu quero ter. // O tempo passa

e um dia vem na porta um senhor de alta

classe com dinheiro na mão / E ele faz uma proposta indecorosa e diz que espera uma resposta. / Uma resposta de João: / - Não boto bomba em banca de jornal nem em colégio de criança / Isso eu não faço não / E não protejo general de dez estrelas que fica atrás da mesa / Com o cu na mão. / E é melhor o senhor sair da minha casa / Nunca brinque com um

peixe de ascendente Escorpião. / Mas antes de sair, com ódio no olhar, o velho disse: / - Você perdeu a sua vida, meu irmão. // - Você perdeu a sua vida, meu irmão. Você perdeu a sua vida, meu irmão

/ Essas palavras vão entrar no coração / E eu vou sofrer as conseqüências como um cão. / Não é que o Santo Cristo estava

certo / Seu futuro era incerto e ele não foi trabalhar / Se embebedou e no meio da bebedeira descobriu que tinha outro / Trabalhando em seu lugar / Falou com Pablo que queria um parceiro / E também tinha dinheiro e queria se armar / Pablo trazia o contrabando da Bolívia e Santo Cristo revendia em Planaltina. // Mas acontece que um tal de Jeremias, traficante de renome / Apareceu por lá / Ficou sabendo dos planos de Santo Cristo / E decidiu que, com João ele ia acabar. / Mas Pablo trouxe uma Winchester-22 / E Santo Cristo já sabia atirar / E decidiu usar a arma só depois / Que o Jeremias começasse a brigar. // (Jeremias, maconheiro sem-vergonha, organizou a Rockonha / E fez todo mundo dançar.) // Desvirginava mocinhas inocentes / E dizia que era crente mas não sabia rezar. // E Santo Cristo há muito não ia pra casa / E a saudade começou a apertar / - Eu vou me embora, eu vou ver Maria Lúcia / Já está em tempo de a gente se casar. // Chegando em casa então ele chorou / E pro inferno ele foi pela segunda vez / Com Maria Lúcia Jeremias se casou / E um filho

nela ele fez. // Santo Cristo era só ódio pro dentro e então o Jeremias pra um duelo ele chamou / Amanhã às duas horas na Ceilândia, em frente ao lote 14, é pra

lá que eu vou / E você pode escolher as

suas armas que eu acabo com você, seu

porco traidor / E mato também Maria

Lúcia, aquela menina falsa pra que jurei o meu amor // Santo Cristo não sabia o que fazer / Quando viu o repórter da televisão / Que a notícia do duelo na TV / Dizendo

a hora o local e a razão. // No sábado

então, às duas horas, todo o povo / Sem demora foi lá só pra assistir / Um homem que atirava pelas costas e acertou o Santo Cristo / E começou a sorrir. / Sentindo o sangue na garganta, / João olhou as bandeirinhas e pro povo a aplaudir / E olhou pro sorveteiro e pras câmeras e / A gente da TV que filmava tudo ali. // E se lembrou de quando era uma criança e de tudo o que viveu até aqui / E decidiu entrar de vez naquela dança / - Se a via- crucis virou circo, estou aqui. // E nisso o sol cegou seus olhos e então Maria Lúcia ele reconheceu. / Ela trazia a Winchester- 22 / A arma que seu primo Pablo lhe deu.

// - Jeremias, eu sou homem, coisa que

você não é. / E não atiro pelas costas não.

/ Olha pra cá filha-da-puta, sem vergonha,

/ Dá uma olhada no meu sangue / E vem

sentir o teu perdão. // E Santo Cristo com

a Winchester-22 / Deu cinco tiros no

bandido traidor / Maria Lúcia se arrependeu depois / E morreu junto com João, seu protetor. // E o povo declarava que João de Santo Cristo era santo porque sabia morrer / E a alta burguesia da cidade não acreditava na estória que eles viram da TV / E João não conseguiu o que queria quando veio pra Brasília, com o diabo ter / Ele queria era falar com o presidente, / Pra ajudar toda essa gente / Que só faz sofrer.

Fátima [Fávio Lemos / Renato Russo ] Vocês esperam uma intervenção divina / Mas não

Fátima

[Fávio Lemos / Renato Russo ]

Vocês esperam uma intervenção divina / Mas não sabem que o tempo agora esta contra vocês / Vocês se perdem no meio de tanto medo / De não conseguir dinheiro pra comprar sem se vender / E vocês armam seus esquemas ilusórios / Continuam só fingindo que o mundo ninguém fez / Mas acontece que tudo tem começo / E se começa, um dia acaba, eu tenho pena de vocês // E as ameaças de ataque nuclear / Bombas de nêutrons / Não foi Deus quem fez / Alguém, alguém um dia vai se vingar / Vocês são vermes, pensam que são reis / Não quero ser como vocês / Eu não preciso mais / Eu já sei o que eu tenho que saber / E agora tanto faz // Três crianças sem dinheiro e sem moral / Não ouviram a voz suave que era uma lágrima / E se esqueceram de avisar pra todo mundo / Ela talvez tivesse

um nome e era Fátima / E, de repente, o

vinho

virou

água

/

E

a

ferida

 

não

cicatrizou

/

E

o limpo

se

sujou

/

E

no

terceiro dia ninguém ressuscitou

Feedback Song For A Dying Friend [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá

Feedback Song For A Dying Friend

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Soothe young man's weating forehead / Touch the naked stem held hidden there / Safe in such dark hayseed wired nest / Then his light brown eyes are quick / Once touch is what he thought was grip /

This is not his hands those there but mine

/ And safe, my hands do seek to gain / All

knowledge of my master's mainly rain / The scented taste that stills my tongue / Is wrong that set but not undone / His fiery eyes can slash my savage skin / And force all seriousness away. / He wades in

close waters / Deep sleeps alter his senses. / I must obey my only rival - / He will command our twin revival: / The same

/ Insane / Sustain / Again. / (The two of us so close to our own hearts.) / I

silenced and wrote / This is awe / Of the coincidence.

Ficção Científica [ Renato Russo ] Hoje à noite Flash Gord on / Vai tentar

Ficção Científica

[ Renato Russo ]

Hoje à noite Flash Gordon / Vai tentar ser

Barbarella / Para ver se aprisiona / Albert Einstein / Que criou o elixir / Da longa vida ainda vive / Ttenta criar uma nova bomba H / Um eclipse destruiu o sol / Que queria ser Apolo / Sem o mito, só o fogo queima o chão / Julio Verne matou Galileu

/ E Saturno, os seus filhos / Sangue puro é a essência canibal / Sonhos mortos,

sonhos tortos / Sempre vejo minha morte

/ Tanto faz, não existem mais heróis /

Criptonita no meu sangue / Clorofórmio no banheiro / E a dança é a mesma, não é ficção / Revolução!! Em selvas tropicais / Raio laser mata índios / Descoberta, o novo mundo envelheceu / Como tentar ser selvagem / Se não existe anarquia? / E a dança é a mesma, não é ficção? / Muita fome nas estrelas / Muita fome nas

estrelas / Muita fome nas estrelas / E aqui também!

Geração Coca-Cola [ Renato Russo ] Quando nascemos fomos programados / A receber o que

Geração Coca-Cola

[ Renato Russo ]

Quando nascemos fomos programados / A receber o que vocês nos empurraram / Com os enlatados dos USA, de 9 às 6 / Desde pequenos nós comemos lixo / Comercial e industrial / Mas agora chegou nossa vez - / Vamos cuspir de volta o lixo em cima de vocês. // Somos os filhos da revolução / Somos burgueses sem religião / Nós somos o futuro da nação / Geração Coca-Cola. // Depois de vinte anos na escola / Não é difícil aprender / Todas as manhas do jogo sujo / Não é assim que tem que ser? / Vamos fazer nosso dever de casa / E aí então, vocês vão ver / Suas crianças derrubando reis / Fazer com‚dia no cinema com as suas leis.

Giz [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] E mesmo sem te

Giz

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

E mesmo sem te ver / Acho até que estou

indo bem / Só apareço por assim dizer, / Quando convém / Aparecer ou quando quero. // Desenho toda a calçada / Acaba

o giz, tem tijolo de construção / Eu

rabisco o sol que a chuva apagou // Quero

que saibas que me lembro / Queria até que pudesses me ver / És parte ainda do que me faz forte / E, p'rá ser honesto, /

Só um pouquinho infeliz. // Mas tudo bem

/ Tudo bem / Tudo bem // Lá vem lá vem

lá vem / De novo: / Acho que estou

gostando de alguém // E é de ti que não

esquecerei.

Há Tempos [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Parece cocaína mas

Há Tempos

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Parece cocaína mas é só tristeza, talvez tua cidade / Muitos temores nascem do cansaço e da solidão / E o descompasso e

o desperdício herdeiros são / Agora da

virtude que perdemos. // Há tempos tive um sonho / Não me lembro não me

lembro / Tua tristeza é tão exata / E hoje o dia é tão bonito / Já estamos acostumados / A não termos mais nem isso. / Os sonhos vêm / E os sonhos vão /

O resto é imperfeito. // Disseste que se

tua voz tivesse força igual / À imensa dor que sentes / Teu grito acordaria / Não só a tua casa / Mas a vizinhança inteira. / E há tempos nem os santos têm ao certo / A medida da maldade / Há tempos são os jovens que adoecem / Há tempos o encanto está ausente // E há ferrugem nos sorrisos / E só o acaso estende os braços / A quem procura abrigo e

proteção.

liberdade / Compaixão é fortaleza / Ter bondade é ter coragem / E ela disse: / - Lá em casa tem um poço mas a água é

muito limpa.

é

//

Meu

amor,

disciplina

Ian [ Renato Russo ] Certas coisas que se ouve por aí / São verdades

Ian

[ Renato Russo ]

Certas coisas que se ouve por aí / São verdades enganadas / Frases feitas, vocabulário vulgar / Que mexem com a sua imaginação // Certas sombras que se vê por aí / São vidas não completas / Gestos cênicos parados no ar que ainda fazem você pensar // Não adianta ter o que dizer / Tudo pode acontecer pra mim ou pra você // Porque tudo acaba num instante / E corre para um mesmo lugar / Frases feitas, vocabulário vulgar / que mexem a sua imaginação

Iguais [ Renato Russo ] Muitas pessoas nuas e limpas / elas são sempre iguais

Iguais

[ Renato Russo ]

Muitas pessoas nuas e limpas / elas são sempre iguais // Quando vestidas pensam em farsas elas são sempre iguais // Repetindo os mesmos nomes muitos esqueci refletindo as mesmas coisas muitas nem senti // Por tantas vezes somos ligados / a números tão iguais / Tantos registros nunca me provam que existo a mais // Por tantas vezes somos ligados a pessoas tão iguais todos os riscos que enfrentamos eles são sempre iguais // Repetindo os mesmos nomes muitos esqueci / Refletindo as mesmas coisas muitas nem senti // Porque o nada sempre vem cercar

La Maison Dieu [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Se dez

La Maison Dieu

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Se dez batalhões viessem à minha rua / E vinte mil soldados batessem à minha porta / À sua procura / Eu não diria nada / Porque lhe dei minha palavra // Teu corpo branco já pegando pêlo / Me lembra o tempo em que você era pequeno / Não pretendo me aproveitar / E de qualquer forma quem volta / Sozinho p'rá casa sou eu // Sexo compra dinheiro e companhia / Mas nunca amor e amizade, eu acho / E depois de um dia difícil / Pensei ter visto você / Entrar pela janela e dizer / - Eu sou a tua morte / Vim conversar contigo / Vim te pedir abrigo / Preciso do teu calor // Eu sou / Eu sou / Eu sou a pátria que lhe esqueceu o carrasco que lhe torturou o general que lhe arrancou os olhos o sangue inocente de todos os desaparecidos // O choque elétrico e os gritos / - Parem por favor, isto dói // Eu

sou / Eu sou / Eu sou a tua morte / E vim lhe visitar como amigo / Devemos flertar com o perigo / Seguir nossos instintos primitivos / Quem sabe não serão estes / Nossos últimos momentos divertidos? // Eu sou a lembrança do terror / De uma revolução de merda / De generais e de um exército de merda / Não nunca poderemos esquecer / Nem devemos perdoar / Eu não anistiei ninguém // Abra os olhos e o coração / Estejamos alertas / Porque o terror continua / Só que mudou de cheiro / E de uniforme // Eu sou a tua morte / E lhe quero bem / Esqueça o mundo, vim lhe explicar o que virá / Porque eu sou, eu sou, eu sou

La Nuova Gioventú [ Dado Villa Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Tudo

La Nuova Gioventú

[ Dado Villa Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Tudo o que sei / É que você quis partir / Eu quis partir você / Tirar você de mim // Demorei para esquecer / Demorei para encontrar / Um lugar onde você não me machucasse mais / E aguardei um pouco / Porque o tempo é mercúrio-cromo / O tempo é tudo que somos // Talvez tivéssemos, teríamos tido, tivéramos filhos / Estava lhe ensinando a ler / On The Road / E coisas desiguais / Com você por perto / Eu gostava mais de mim. // Veja bem, eu já não sei se estou bem isso por dizer / Isso por dizer é que eu finjo que sei / Não me olha assim / Eu sou parte de você / Você não é parte de mim. // Do meu passado você faz pouco caso / Mas, isso para você saber, / Me diverti um bocado // E com você por perto / Eu gostava mais de mim.

L'âge D'or [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Aprendi a esperar

L'âge D'or

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Aprendi a esperar mas não tenho mais certeza / Agora que estou bem, tão pouca coisa me interessa / Contra minha própria vontade sou teimoso, sincero / E insisto em ter vontade própria. // Se a sorte foi um dia alheia ao meu sustento / Não houve harmonia entre ação e pensamento. / Qual é o teu nome, qual é o teu signo? / Teu corpo é gostoso, teu rosto é bonito / Qual é o teu arcano, tua pedra preciosa - / Acho tocante acreditares nisso. // Já tentei muitas coisas, de heroína a Jesus / Tudo que já fiz foi por vaidade. / Jesus foi traído com um beijo / Davi teve um grande amigo / E não sei mais se é só questão de sorte. // Eu vi uma serpente entrando no jardim / Vai ver que é de verdade dessa vez / Meu tornozelo coça, por causa de mosquito / Estou com os cabelos molhados, me sinto

limpo. // Não existe beleza na miséria / E não tem volta por aqui, / Vamos tentar outro caminho. / Estamos em perigo, só que ainda não entendo / É que tudo faz sentido // E não sei mais se é só questão de sorte / Não sei mais não sei mais não sei mais // Oh, oh / Lá vem os jovens gigantes de mármore / Trazendo anzóis na palma da mão. / Não é belo todo e qualquer mistério? / O maior segredo é não haver mistério algum.

L'avventura [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Quando não há compaixão

L'avventura

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Quando não há compaixão / Ou mesmo um gesto de ajuda / O que pensar da vida

/ E daqueles que sabemos que amamos ?

/ Quem pensa por si mesmo é livre / E ser

livre é coisa muito séria / Não se pode fechar os olhos / Não se pode olhar p'rá trás / Sem se aprender alguma coisa / P'ro futuro / Corri p'ro esconderijo e olhei pela janela / O sol é um só mas quem sabe são duas manhãs / Não precisa vir se não for p'rá ficar / Pelo menos uma noite e três semanas. / Nada é fácil, nada é certo / Não façamos do amor algo desonesto / Quero ser prudente e sempre ser correto / Quero ser constante e sempre tentar ser sincero / E queremos fugir / Mas ficamos sempre sem saber / Seu olhar não conta mais estórias / Não brota o fruto e nem a flor / E nem o céu é belo e prateado / E o que eu era eu não sou mais / E não tenho

nada p'rá lembrar / Triste coisa é querer bem / A quem não sabe perdoar / Acho que sempre lhe amarei / Só que não lhe quero mais / Não é desejo, nem é saudade / Sinceramente nem é verdade / Eu sei porque você fugiu / Mas não consigo entender.

Leila [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Estou pensando em você

Leila

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Estou pensando em você / Quero lhe ver / Mas nesse horário você deve estar / Pegando os filhotes no colégio / Depois chegar em casa / Ver o resto de tudo / E quando vem o silêncio / Fumar unzinho e ouvir Coltrane / Não faço mais isso mas entendo muito bem / Adoro os teus cabelos / Adoro a tua voz / Adoro teu estilo / Adoro tua paz de espírito / O encanador te deixou na mão / Tem reunião do condomínio / O telefone não dá linha / E o chuveiro tá dando choque / Tem uma barata voadora no quarto das crianças / E os monstrinhos estão gritando alucinados / P'rá eles tudo é diversão / Mas você sabe o que é ter pavor pavor pavor / De baratas voadoras / E você diz daquele seu jeito : - Ai, preciso de um homem / E eu digo : - Ah, Leila ! Eu

também / E a gente ri / Você monta suas fotos pra exposição / Promete trabalhar mais com o computador / E terminar seu vídeo até setembro / Ter que pegar o carro no conserto / Ver a conta do banco, cartão, IPTU / Sábado vai ter peixada na Analú / E domingo, cachorro-quente com as crianças na Fernanda / Adoro teu olhar / Adoro tua força / E adoro dizer seu nome : Leila / Às vezes as coisas são difíceis, minha amiga / Mas você sabe enfrentar a beleza dessa vida / Adoro dizer seu nome : Leila, Leila, Leila

Longe do Meu Lado [ Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Se a paixão fosse

Longe do Meu Lado

[ Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Se a paixão fosse realmente um bâlsamo /

O mundo não pareceria tão equivocado /

Te dou carinho, respeito e um afago / Mas entenda, eu não estou apaixonado/ A paixão já passou em minha vida / Foi até bom mas ao final deu tudo errado / E agora carrego em mim / Uma dor triste, um coração cicatrizado / E olha que tentei o meu caminho / Mas tudo agora é coisa do passado / Quero respeito e sempre ter alguém / Que me entenda e sempre fique ao meu lado / Mas não, não quero estar apaixonado. / A paixão quer sangue e corações arruinados / E saudade é só

mágoa por ter sido / Feito tanto estrago /

E essa escravidão e essa dor e essa dor

não quero mais / Quando acreditei que tudo era um fato consumado / Veio a foice e jogou-te longe / Longe do meu

lado / Não estou mais pronto para

lágrimas / Podemos ficar juntos e vivermos / O futuro, não o passado / Veja o nosso mundo / Eu também sei que dizem / Que não existe amor errado / Mas entenda, não quero estar apaixonado.

Love In The Afternoon [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo ] É tão estranho /

Love In The Afternoon

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo ]

É tão estranho / Os bons morrem jovens / Assim parece ser / Quando me lembro de você / Que acabou indo embora / Cedo demais. // Quando eu lhe dizia: / - Me apaixono todo dia / E é sempre a pessoa errada, / Você sorriu e disse: / - Eu gosto de você também. // Só que você foi embora cedo demais / Eu continuo aqui, com meu trabalho e meus amigos / E me lembro de você em dias assim / Um dia de chuva, um dia de sol / E o que sinto não sei dizer. // - Vai com os anjos! Vai em paz. / Era assim todo dia de tarde / A descoberta da amizade até a próxima vez. // É tão estranho / Os bons morrem antes / Me lembro de você / E de tanta gente que se foi / Cedo demais. // E cedo demais / Eu aprendi a ter tudo o que sempre quis / Só não aprendi a perder / E eu, que tive um começo feliz / Do resto

não sei dizer. // Lembro das tardes que passamos juntos / Não é sempre, mas eu sei / Que você está bem agora / Só que este ano / O verão acabou / Cedo demais.

Love Song [ Cantiga de Amor: Nuno Fernandes Torneol, séc. XIII ] Pois nasci nunca

Love Song

[ Cantiga de Amor: Nuno Fernandes Torneol, séc. XIII ]

Pois nasci nunca vi Amor e ouço d'el sempre falar. / Pero sei que me quer matar mais rogarei a mia senhor que me mostr' aquel matador ou que m'ampare d'el melhor.

Mais do Mesmo [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Renato Rocha / Marcelo Bonfá

Mais do Mesmo

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Renato Rocha / Marcelo Bonfá ]

Ei menino branco o que é que você faz aqui / Subindo o morro pra tentar se divertir / Mas já disse que não tem / E você ainda quer mais / Por que você não me deixa em paz? // Desses vinte anos nenhum foi feito pra mim / E agora você quer que eu fique igual a você / É mesmo Como vou crescer se nada cresce por aqui? / Quem vai tomar conta dos doentes? / E quando tem chacina de adolescentes / Como é que você se sente? // Em vez de luz tem tiroteio no fim do túnel. / Sempre mais do mesmo / Não era só que você queria ouvir? // Bondade sua me explicar com tanta determinação / Exatamente o que eu sinto, como penso como sou / Eu realmente não sabia que eu pensava assim / E agora você quer um retrato do país / Mas queimaram o filme /

E enquanto isto na enfermaria / Todos os doentes estão cantando sucessos populares. (e todos os índios foram mortos).

Mais uma vez [ Flávio Venturi / Renato Russo ] Mas é claro que o

Mais uma vez

[ Flávio Venturi / Renato Russo ]

Mas é claro que o sol / Vai voltar amanhã

/ Mais uma vez, eu sei / Escuridão já vi

pior / De endoidecer gente sã / Espera

que o sol já vem / Tem gente que está do mesmo lado que você / Mas deveria estar do lado de lá / Tem gente que machuca os outros / Tem gente que não sabe amar

/ Tem gente enganando a gente / Veja

nossa vida como está / Mas eu sei que um dia a gente aprende / Se você quiser alguém em quem confiar / Confie em si

mesmo / Quem acredita sempre alcança /

Mas é claro que o sol

lhe digam / Que não vale a pena / Acreditar no sonho que se tem / Ou que seus planos nunca vão dar certo / Ou que você nunca vai ser alguém / Tem gente que machuca os outros / Tem gente que

/ Nunca deixe que

não sabe amar / Mas eu sei que um dia a gente aprende

Marcianos Invadem a Terra [ Renato Russo ] Diga adeus e atravesse a rua /

Marcianos Invadem a Terra

[ Renato Russo ]

Diga adeus e atravesse a rua / Voamos alto depois das duas / Mas as cervejas acabaram, e os cigarros também. // Cuidado com a coisa coisando por aí / A coisa coisa sempre, também coisa por aqui / Seqüestra o seu resgate, envenenam sua atenção; / É verbo e substantivo/adjetivo e palavrão. // E o carinha do rádio não quer calar a boca / E quer o meu dinheiro e as minhas opiniões / Ora, se você quiser se divertir / Invente suas próprias canções. // Será que existe vida em Marte? / Janelas de hotéis / Garagens vazias / Fronteiras / Granadas / Lençóis // Existem muitos formatos / Que só têm verniz e não tem invenção / E tudo aquilo contra os que sempre lutam / Exatamente tudo aquilo que eles são // Marcianos invadem a Terra / Estão inflando meu ego com ar. / E quando

acho que estou quase chegando / Tenho que dobrar mais uma esquina / E mesmo se eu tiver a minha liberdade / Não tenho tanto tempo assim / E mesmo se eu tiver a minha liberdade: / "Será que existe vida em Marte?"

Mariane [ Renato Russo ] I've been working all day / I've been thinking a

Mariane

[ Renato Russo ]

I've been working all day / I've been thinking a lot / I've been doing some things / Taht are not quite right / I've been thinking about you / I've been thinking about you / When will you return? // I've been working all day / I've been thinking a lot / I've been lost in the morning / I don't know waht it costs / Will you finde me there? // And I guess it's just a phase / I don't know where I'm going / And I guess it's just a phase / I don't know where I'm going // I've been working all day / I've been thinking a lot / I've been lost in the morning / I don't know waht it costs / I don't think about you / I will be able to do / Will you let me be? // And I don't know where I'm going / I guess it's just a phase / And I don't know where I'm going / I guess it's just a phase // Just a phase

Maurício [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Já não sei dizer

Maurício

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Já não sei dizer se ainda sei sentir / O meu coração já não me pertence / Já não quer mais me obedecer / Parece agora estar tão cansado quanto eu. // Até pensei que era mais por não saber / Que ainda sou capaz de acreditar. / Me sinto tão só / E dizem que a solidão até que me cai bem. // Às vezes faço planos / Às vezes quero ir / Para algum país distante e / Voltar a ser feliz. // Já não sei dizer o que aconteceu / Se tudo que sonhei foi mesmo um sonho meu / Se meu desejo então já se realizou / O que fazer depois / Pra onde é que eu vou? // Eu vi você voltar pra mim.

Meninos e Meninas [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Quero me

Meninos e Meninas

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Quero me encontrar mas não sei onde estou / Vem comigo procurar um lugar mais calmo / Longe dessa confusão / E dessa gente que não se respeita / Tenho quase certeza que eu / Não sou daqui. // Acho que gosto de S. Paulo / E gosto de S. João / Gosto de S. Francisco / E S. Sebastião / E eu gosto de meninos e meninas. // Vai ver que é assim mesmo e vai ser assim pra sempre / Vai ficando complicado e ao mesmo tempo diferente / Estou cansado de bater e ninguém abrir / Você me deixou sentindo tanto frio / Não sei mais o que dizer. / Te fiz comida / Velei teu sono / Fui teu amigo / Te levei comigo e me diz / Pra mim o que é que ficou? // Me deixa ver como viver é bom / Não é a vida como está e sim as coisas como são / Você não quis tentar me

ajudar / Então, a culpa é de quem? / A culpa é de quem? // Eu canto em português errado / Acho que o imperfeito não participa do passado / Troco as pessoas / Troco os pronomes. / Preciso de oxigênio / Preciso ter amigos / Preciso ter dinheiro / Preciso de carinho // Acho que te amava / Agora acho que te odeio / São tudo pequenas coisas / E tudo deve passar. // Acho que gosto de S. Paulo / E Gosto de S. João / Gosto de S. Francisco / E S. Sebastião / E eu gosto de meninos e meninas.

Metal Contra As Nuvens [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] I

Metal Contra As Nuvens

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

I // Não sou escravo de ninguém /

Ninguém senhor do meu domínio / Sei o que devo defender / E por valor e tenho /

E temo o que agora se desfaz. // Viajamos

sete léguas / Por entre abismos e florestas

/ Por Deus nunca me vi tão só / É a

própria fé o que destrói. / Estes são dias desleais. // Sou metal - raio, relâmpago e

trovão / Sou metal, eu sou o ouro em seu brasão / Sou metal: me sabe o sopro do

dragão. // Reconheço o meu pesar: / Quando tudo é traição, / O que venho encontrar / É a virtude em outras mãos. // Minha terra é a terra que é minha / E sempre será minha terra / Tem a lua, tem estrelas e sempre terá. // II // Quase acreditei na sua promessa / E o que vejo

é fome e destruição / Perdi a minha sela e

a minha espada / Perdi o meu castelo e

minha princesa. // Quase acreditei, quase

acreditei. // E, por honra, se existir verdade / Existem os tolos e existe o ladrão / E há quem se alimente do que é roubo. // Vou aguardar o meu tesouro / Caso você esteja mentido. // Olha o sopro do dragão. // III // É a verdade o que assombra, / O descaso o que condena, / A estupidez o que destrói. // Eu vejo tudo o que se foi / E o que não existe mais. /

Tenho os sentidos já dormentes, / O corpo quer, a alma entende. // Esta é a terra de ninguém / E sei que devo resistir-

/ Eu quero a espada em minhas mãos. //

Sou metal - raio, relâmpago e trovão. /

Sou metal, eu sou o ouro em seu brasão.

/ Sou metal: me sabe o sopro do dragão. // Não me entrego sem lutar - / Tenho

ainda coração. / Não aprendi a me render:

/ Que caia o inimigo então. // IV // - Tudo

passa, tudo passará. // E nossa estória não estará pelo avesso / Assim, sem final feliz. / Teremos coisas bonitas pra contar. // E até lá, vamos viver / Temos muito ainda por fazer. / Não olhe para trás - / Apenas começamos. // O mundo começa agora - / Apenas começamos.

Metrópole [ Renato Russo ] "É sangue mesmo, não é mertiolate". / E todos querem

Metrópole

[ Renato Russo ]

"É sangue mesmo, não é mertiolate". / E todos querem ver / E comentar a novidade. / "É tão emocionante um acidente de verdade". / Estão todos satisfeitos / Com o sucesso do desastre: / Vai passar na televisão. // "Por gentileza, aguarde um momento. / Sem carteirinha, não tem atendimento - / Carteira de trabalho assinada, sim senhor. / Olha o tumulto: façam fila por favor. / Todos com a documentação. / Quem não tem senha, não tem lugar marcado. / Eu sinto muito, mas já passa do horário. / Entendo seu problema mas não posso resolver: / É contra o regulamento, está bem aqui, pode ver. / Ordens são ordens. / Em todo caso, já temos sua ficha. / Só falta o recibo comprovando residência. / P'ra limpar todo esse sangue, chamei a faxineira - / E agora eu já vou indo senão

eu perco a novela / E eu não quero ficar na mão".

Metrópole [ Versão Aborto Elétrico ] [ Renato Russo ] Faça um favor a si

Metrópole [ Versão Aborto Elétrico ]

[ Renato Russo ]

Faça um favor a si mesmo: cometa suicídio / Se jogue do andar mais alto de um dos seus edifícios / Assalto à mão armada, eu quero a sua vida - / Eu quero ver você no chão. / Pisar nas flores, destruir/construir um estacionamento. / As crianças vão ter que brincar num labirinto de cimento. / Eu quero acidentes, eu quero confusão: ferros e freios na contramão. / Metrópole fez cinza o meu sangue

Mil Pedaços [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Eu não me

Mil Pedaços

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Eu não me perdi / E mesmo assim você me abandonou / Você quis partir / E agora estou sozinho / Mas vou me acostumar / Com o silêncio em casa / Com um prato só na mesa / Eu não me perdi / O sândalo perfuma / O machado que o feriu / Adeus adeus / Adeus meu grande amor / E tanto faz / De tudo que ficou / Guardo um retrato teu / E a saudade mais bonita / Eu não me perdi / E mesmo assim ninguém me perdoou / Pobre coração - quando o teu / Estava comigo era tão bom. / Não sei por quê / Acontece assim e é sem querer / O que não era pra ser / Vou fugir desta dor. / Meu amor, se quiseres voltar - volta não / Porque me quebraste em mil pedaços.

Monte Castelo [ Renato Russo ] Ainda que eu falasse a língua do homens /

Monte Castelo

[ Renato Russo ]

Ainda que eu falasse a língua do homens /

E falasse a língua do anjos, / Sem amor

eu nada seria. // É só o amor, é só o amor

/ Que conhece o que é verdade / O amor

é bom, não quer o mal / Não sente inveja

ou se envaidece. // Amor é o fogo que arde sem se ver / É ferida que dói e não se sente / É um contentamento descontente / É dor que desatina sem doer. / Ainda que eu falasse a língua dos homens / E falasse a língua dos anjos, / Sem amor eu nada seria. // É um não querer mais que bem querer / É solitário andar por entre a gente / É um não contentar-se de contente / É cuidar que se ganha em se perder. // É um estar-se preso por vontade / É servir a quem vence, o vencedor; / É um ter com quem nos mata lealdade. / Tão contrario a si é o

mesmo amor. // Estou acordado e todos dormem todos dormem todos dormem / Agora vejo em parte / Mas então veremos face a face. // É só o amor, é só o amor / Que conhece o que é verdade. / Ainda que eu falasse a língua dos homens / E falasse a língua do anjos, / Sem amor eu nada seria.

Música Ambiente [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Se um dia

Música Ambiente

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Se um dia fores embora / Te amarei bem mais do que 'esta hora / Me lembrarei de tudo que eu não disse / E de quando havia tudo que existe / Quando choramos abraçados / E caminhamos lado a lado / Por favor amor me acredite / Não há palavras para explicar o que eu sinto / Mesmo que tenhamos planejado / Um caminho diferente / Tenho mais do que eu preciso / Estar contigo é o bastante. / Certas coisas de todo dia / Nos trazem a alegria / Caminhamos juntos lado a lado por amor. / E quando eu for embora / Não, não chore por mim.

Música de Trabalho [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Sem trabalho

Música de Trabalho

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Sem trabalho eu não sou nada / Não tenho dignidade / Não sinto o meu valor / Não tenho identidade / Mas o que eu tenho é só um emprego / E um salário miserável / Eu tenho o meu ofício / Que me cansa de verdade / Tem gente que não tem nada / E outros que têm mais do que precisam / Tem gente que não quer saber de trabalhar / E quando chega o fim do dia / Eu só penso em descansar / E voltar p'rá casa, pros teus braços / Quem sabe esquecer um pouco / De todo o meu cansaço / Nossa vida não é boa / E nem podemos reclamar / Sei que existe injustiça / Eu sei o que acontece / Tenho medo da polícia / Eu sei o que acontece / Se você não segue as ordens / Se você não obedece / E não suporta o sofrimento / Está destinado à miséria / Mas isso eu

não aceito / Eu sei o que acontece / E quando chega o fim do dia / Eu só penso em descansar / E voltar p'rá casa, pros teus braços / Quem sabe esquecer um pouco / Do pouco que não temos / Quem sabe esquecer um pouco / De tudo que não sabemos

Música Urbana [ Fávio Lemos / Fê Lemos / Renato Russo / André Pretorios ]

Música Urbana

[ Fávio Lemos / Fê Lemos / Renato Russo / André Pretorios ]

Contra todos e contra ninguém / O vento quase sempre / Nunca tanto diz / Estou só esperando / O que vai acontecer / Tenho pedras nos sapatos / Onde os carros estão

estacionados / Andando por ruas quase escuras / Os carros passam / As ruas têm cheiro de gasolina e óleo diesel / Por toda

a plataforma / Toda plataforma / Por toda

a plataforma / Você não vê a torre / Tudo errado, mas tudo bem / Tudo quase sempre como eu sempre quis / Sai da minha frente que agora eu quero ver / Não me importam os seus atos / Eu não sou mais um desesperado / Se eu ando por ruas quase escuras / As ruas passam

Música Urbana 2 [ Renato Russo ] Em cima dos telhados as antenas de TV

Música Urbana 2

[ Renato Russo ]

Em cima dos telhados as antenas de TV tocam música urbana, / Nas ruas os mendigos com esparadrapos podres / Cantam música urbana, / Motocicletas querendo atenção às três da manhã - / É só música urbana. // Os PMs armados e as tropas de choque vomitam música urbana / E nas escolas as crianças aprendem a repetir a música urbana. / Nos bares os viciados sempre tentam conseguir a música urbana. // O vento forte seco e sujo em cantos de concreto / Parece música urbana / E a matilha de crianças sujas no meio da rua - / Música urbana. / E nos pontos de ônibus estão todos ali: música urbana. // Os uniformes / Os cartazes / Os cinemas / E os lares / Nas favelas / Coberturas / Quase todos os lugares. // E mais uma criança nasceu. /

Não há mentiras nem verdades aqui / Só há música urbana.

Natália [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Vamos falar de pesticidas

Natália

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Vamos falar de pesticidas / E de tragédias radioativas / De doenças incuráveis / Vamos falar de sua vida / Preste atenção ao que eles dizem / Ter esperança é hipocrisia / A felicidade é uma mentira / E a mentira é a salvação / Beba deste sangue imundo / E você conseguir dinheiro / E quando o circo pegar fogo / Somos os animais na jaula / Mas você só quer algodão-doce / Não confunda ética com éter / Quando penso em você eu tenho febre / Mas quem sabe um dia eu escrevo / Uma canção p'rá você / É complicado estar só / Quem está sozinho que o diga / Quando a tristeza é sempre o ponto de partida / Quando tudo é solidão / É preciso acreditar num novo dia / Na nossa grande geração perdida / Nos meninos e meninas / Nos trevos de quatro folhas / A escuridão ainda é pior que essa

luz cinza / Mas estamos vivos ainda / E quem sabe um dia / Eu escrevo uma canção p'rá você

No Front [ Renato Russo ] Bombas de aço / Caíam por todo lugar /

No Front

[ Renato Russo ]

Bombas de aço / Caíam por todo lugar / Carregadas de Sangue /Ccarregadas só de sangue // Sangue Jovem! / Americanos de radar se lançavam no ar / Americanos de radar / Tentavam chorar / Armados com medo / Armados só com medo // Medo de morrer! / Jovens soldados / Explodiam em chamas / Jovens rapazes / Enganados na lama // Sonhavam com um lar / E com com a suja paz // Quero Paz

Nosso Fim [ Renato Russo ] Iguais os fins de tard e / Igual a

Nosso Fim

[ Renato Russo ]

Iguais os fins de tarde / Igual a noite fria / Entregar-se, / Você sendo o medo // Andar em qualquer lugar / Sentir o corpo ceder / Atirar-se sem saber em quê // Por sentido em tudo / meus motivos são você / Procurar-se / E encontrar // Largue seu copo agora / venha me ver / Seus olhos encantados / E o seu corpo molhado / Me faz prazer

O Descobrimento do Brasil [ Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Ela me disse que

O Descobrimento do Brasil

[ Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Ela me disse que trabalha no correio / E que namora um menino eletricista / Estou pensando em casamento, / Mas não quero me casar. // Quem modelou teu rosto ? / Quem viu a tua alma entrando ? / Quem viu a tua alma entrar ? // Quem são teus inimigos ? / Quem é de tua cria ? / A professora Adélia, / A tia Edilamar / E a tia Esperança. // Será que você vai saber / O quanto penso em você com o meu coração ? // Quem está agora a teu lado ? / Quem para sempre está ? / Quem para sempre estará ? // Ela me disse que trabalha no correio / E que namora um menino eletricista / As famílias se conhecem bem / E são amigas nesta vida. // - A gente quer é um lugar pra gente / A gente quer é de papel passado / Com festa, bolo e brigadeiro / A gente quer um canto sossegado / A gente quer um canto

em

casamento / Mas 'ainda não posso me casar. / Eu sou rapaz direito / E fui escolhido pela menina mais bonita.

de

sossego.

//

-

Estou

pensando

O Grande Inverno da Rússia [ Renato Russo ] E o Inverno vai chegar /

O Grande Inverno da Rússia

[ Renato Russo ]

E o Inverno vai chegar / Como um sonho perguntar / Da felicidade e partir / Não me importa se eu chorar / Vou ainda alcançar / Coisas do inverno que estão perdidas / E verei, afinal, o meu povo cantar / Coisas que nem sonhei / Quem me dera sonhar / Livre como o vento perto depois / Pensando um meio de inventar o amor / Voando as ruas entrando no chão / Espalhando loucuras / Criando ilusão / E verei, afinal, o meu povo cantar / Coisas que nem sonhei / Quem me dera sonhar

O Livro dos Dias [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Ausente

O Livro dos Dias

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Ausente o encanto antes cultivado / Percebo o mecanismo indiferente / Que teima em resgatar sem confiança / A essência do delito então sagrado / Meu coração não quer deixar meu corpo descansar / E teu desejo inverso é velho amigo / Já que o tenho sempre a meu lado / Hoje estão aceitas pelo nome / O que perfeito entregas mas é tarde / Só daria certo aos dois que tentam / Se ainda embriagado pela fome / Exatos teu perdão e tua idade / O indulto a ti tomasse como bênção / Não esconda tristeza em mim / Todos se afastam quando o mundo está errado / Quando o que temos é um catálogo de erros / Quando precisamos de carinho, força e cuidado / Este é o livro das flores / Este é o livro do destino / Este é o livro de

nossos dias / amores

Este é

o

dia dos nossos

O Mundo Anda Tão Complicado [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

O Mundo Anda Tão Complicado

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Gosto de ver você dormir / Que nem criança com a boca aberta / O telefone chega sexta-feira / Aperta o passo, por causa da garoa / Me empresta um par de meias / A gente chega na sessão das dez

/ Hoje eu acordo ao meio-dia / Amanhã é

a sua vez // Vem cá meu bem, que é bom

lhe ver / O mundo anda tão complicado / Que hoje eu quero fazer tudo por você. // Temos que consertar o despertador / E separar todas as ferramentas / A mudança grande chegou / Com o fogão e a geladeira e a televisão / Não precisamos dormir no chão / Até que é bom, mas a cama chegou na terça / E na quinta chegou o som. // Sempre faço mil coisas ao mesmo tempo / E até que é fácil acostumar-se com meu jeito / Agora que temos nossa casa / É a chave o que sempre esqueço. // Vamos chamar nossos

amigos / A gente faz uma feijoada / Esquece um pouco do trabalho / E fica de bate-papo. / Temos a semana inteira pela frente / Você me conta como foi seu dia / E a gente diz um pro outro: / - Estou com sono, vamos dormir! // Vem cá meu bem, que é bom lhe ver / O mundo anda tão complicado / Que hoje eu quero fazer tudo por você. // Quero ouvir uma canção de amor / Que fale da minha situação / De quem deixou a segurança do seu mundo / Por amor / Por amor.

O Reggae [ Marcelo Bonfá / Renato Russo ] Ainda me lembro aos três anos

O Reggae

[ Marcelo Bonfá / Renato Russo ]

Ainda me lembro aos três anos de idade /

O

meu primeiro contato com as grades /

O

meu primeiro dia na escola / Como eu

senti vontade de ir embora / Fazia tudo que eles quisessem / Acreditava em tudo que eles me dissessem / Me pediram para ter paciência / Falhei / Então gritaram: -

Cresça e apareça! / Cresci e apareci e não

vi nada / Aprendi o que era certo com a

pessoa errada / Assistia o jornal da TV / E aprendi a roubar pra vencer / Nada era como eu imaginava / Nem as pessoas que eu tanto amava / Mas e daí, se é mesmo assim / Vou ver se tiro o melhor p'rá mim.

// Me ajuda se eu quiser / Me faz o que eu

pedir / Não faz o que eu fizer / Mas não

me deixe aqui / Ninguém me perguntou se eu estava pronto / E eu fiquei completamente tonto / Procurando

descobrir a verdade / No meio das mentiras da cidade / Tentava ver o que

existia de errado / Quantas crianças Deus

tinha matado. // Beberam meu sangue

e

não me deixam viver / Têm o meu

destino pronto e não me deixam escolher / Vem falar de liberdade p'rá depois me prender / Pedem identidade p'rá depois me bater / Tiram todas minhas armas / Como posso me defender? / Vocês venceram está batalha / Quanto à guerra, / Vamos ver.

O Teatro Dos Vampiros [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Sempre

O Teatro Dos Vampiros

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Sempre precisei de um pouco de atenção / Acho que não sei quem sou / Só sei do que não gosto / E destes dias tão estranhos / Fica a poeira se escondendo

pelos cantos. // Este é o nosso mundo: /

O que é demais nunca é o bastante / E a

primeira vez é sempre a última chance. / Ninguém vê onde chegamos: / Os assassinos estão livres, nós não estamos. // Vamos sair - mas não temos mais dinheiro / Os meus amigos todos estão procurando emprego / Voltamos a viver como há dez anos atrás / E a cada hora que passa / Envelhecemos dez semanas.

// Vamos lá tudo bem - eu só quero me

divertir. / esquecer, dessa noite ter um lugar legal p'rá ir / Já entregamos o alvo e artilharia / Comparamos nossas vidas / E

esperamos que um dia / Nossas vidas possam se encontrar. // Quando me vi

tendo de viver comigo apenas / E com o mundo / Você me veio como um sonho bom / E me assustei // Não sou perfeito / Eu não esqueço / A riqueza que nós temos / Ninguém consegue perceber / E de pensar nisso tudo, eu, homem feito / Tive medo e não consegui dormir. // Comparamos nossas vidas / E mesmo assim, não tenho pena de ninguém.

Os Anjos [ Dado Villa Lobos / Renato Russo ] Hoje não dá / Hoje

Os Anjos

[ Dado Villa Lobos / Renato Russo ]

Hoje não dá / Hoje não dá / Não sei mais

o que dizer / E nem o que pensar. // Hoje não dá / Hoje não dá / A maldade

humana agora não tem nome / Hoje não dá. // (Pegue duas medidas de estupidez / Junte trinta e quatro partes de mentira / Coloque tudo numa forma untada previamente / Com promessas não cumpridas / Adicione a seguir o ódio e a inveja / Às dez colheres cheias de burrice

/ Mexa tudo e misture bem / E não se

esqueça : antes de levar ao forno / Temperar com essência de espirito de porco, / Duas xícaras de indiferença / E um tablete e meio de preguiça.) // Hoje não dá / Hoje não dá / Está um dia tão bonito lá fora / E eu quero brincar / Mas hoje não dá / Hoje não dá / Vou consertar a minha asa quebrada / E descansar. // Gostaria de não saber destes crimes

atrozes / É todo dia agora e o que vamos fazer ? / Quero voar p'rá bem longe mas hoje não dá / Não sei o que pensar e nem o que dizer : // Só nos sobrou do amor / A falta que ficou.

Os Barcos [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo ] Você diz que tudo terminou /

Os Barcos

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo ]

Você diz que tudo terminou / Você não quer mais o meu querer / Estamos medindo foras desiguais: / Qualquer um pode ver / Que isso terminou p'rá você. // São só palavras: teço ensaio e cena / A cada ato enceno a diferença / Do que é amor ficou o seu retrato / A peça que interpreto / Um improviso insensato / Essa saudade eu sei de cor / Sei o caminho dos barcos. // E a muito estou alheio e quem me entende / Recebe o resto exato e tão pequeno: / Ó dor, se há - tentava. Já não tento. // E ao transformar em dor o que é vaidade / E ao ter amor se este é só orgulho / Eu faço da mentira, liberdade / E de qualquer quintal faço cidade / E insisto que é virtude o que é entulho: / Baldio é o meu terreno e meu alarde. // Eu vejo você se apaixonando outra vez / Eu fico com a saudade / Você com outro

alguém. // E você diz que tudo terminou / Mas qualquer um pode ver: / Isso terminou p'rá você.

Pais e Filhos [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Estátuas e

Pais e Filhos

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Estátuas e cofres / E paredes pintadas / Ninguém sabe o que aconteceu / Ela se jogou da janela do quinto andar / Nada é

fácil de entender. // Dorme agora: / É só

o vento lá fora. // Quero colo / Vou fugir de casa / Posso dormir aqui com vocês? / Estou com medo / Tive um pesadelo / Só

vou voltar depois das três. / Meu filho vai ter nome de santo / Quero o nome mais bonito. // É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã / Porque se você parar para pensar, na verdade não há. // Me diz porque o céu é azul / Me explica a grande fúria do mundo / São meus filhos que tomam conta de mim / Eu moro com

a minha mãe mas meu pai vem me visitar

/ Eu moro na rua, não tenho ninguém / Eu

moro em qualquer lugar / Já morei em tanta casa que nem me lembro mais / Eu

moro com os meus pais. // É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã / Porque se você parar para pensar, na verdade não há. / Sou uma gota d'água / Sou um grão de areia / Você me diz que seus pais não entendem / Mas você não entende seus pais. // Você culpa seus pais por tudo / E isso é absurdo / São crianças como você. / O que você vai ser, quando você crescer?

Perdidos no Espaço [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Escrevi p'rá

Perdidos no Espaço

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Escrevi p'rá você e você não respondeu / Também não respondi quando você me escreveu / Anotei seu telefone num pedaço de papel / E calculei seu ascendente no recibo do aluguel. / Esqueci seu sobrenome, mas me lembro de você. // E a rotina crescia como planta / E engulia a metade do caminho / E a mudança levou tempo por ser tão veloz / Enquanto estávamos a salvo / Ficamos suspensos Perdidos no espaço. // E era como se jogassem Space Invaders / Perdendo mais dinheiro de muitas maneiras / Vivendo num planeta perdido como nós / Quem sabe ainda estamos a salvo? // Ficamos suspensos / Perdidos no espaço.

Perfeição [ Dado Villa Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] 1 / Vamos

Perfeição

[ Dado Villa Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

1 / Vamos celebrar a estupidez humana /

A estupidez de todas as nações / O meu

país e sua corja de assassinos / Covardes, estupradores e ladrões / Vamos celebrar a estupidez do povo / Nossa polícia e televisão / Vamos celebrar nosso governo

/ E nosso Estado, que não é nação /

Celebrar a juventude sem escola / As

crianças mortas / Celebrar nossa desunião

/ Vamos celebrar Eros e Thanatos /

Persephone e Hades / Vamos celebrar nossa tristeza / Vamos celebrar nossa vaidade. // 2 / Vamos comemorar como idiotas / A cada fevereiro e feriado / Todos os mortos nas estradas / E os mortos por falta de hospitais / Vamos celebrar nossa justiça / A ganância e a difamação / Vamos celebrar os preconceitos / E o voto dos analfabetos / Comemorar a água podre / Todos os

impostos / Queimadas, mentiras e seqüestros / Nosso castelo de cartas marcadas / O trabalho escravo / Nosso pequeno universo / Toda a hipocrisia e

toda a afetação / Todo o roubo e toda a indiferença / Vamos celebrar epidemias: /

a festa da torcida campeã. // 3 / Vamos

celebrar a fome / Não ter a quem ouvir / Não se ter a quem amar / Vamos alimentar o que é maldade / Vamos machucar um coração / Vamos celebrar nossa bandeira / Nosso passado de

absurdos gloriosos / Tudo o que é gratuito

e feio / Tudo o que é normal / Vamos

É

cantar juntos o hino nacional / (A lágrima é verdadeira) / Vamos celebrar nossa saudade / E comemorar a nossa solidão.

// 4 / Vamos festejar a inveja / A intolerância e a incompreensão / Vamos festejar a violência / E esquecer a nossa gente / Que trabalhou honestamente a

vida inteira / E agora não tem mais direito

a nada / Vamos celebrar a aberração / De

toda nossa falta de bom senso / Nosso descaso por educação / Vamos celebrar o horror / De tudo isso - com festa, velório e

caixão / Está tudo morto e enterrado

agora / Já que também podemos celebrar / A estupidez de quem cantou essa canção. // 5 / Venha, meu coração está com pressa / Quando a esperança está dispersa / Só a verdade me liberta / Chega de maldade e ilusão. // Venha, o amor tem sempre a porta aberta / E vem chegando a primavera - / Nosso futuro recomeça: / Venha, que o que vem é perfeição.

Petróleo do Futuro [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo ] Ah, se eu soubesse lhe

Petróleo do Futuro

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo ]

Ah, se eu soubesse lhe dizer o que eu sonhei ontem à noite / Você ia querer me dizer tudo sobre o seu sonho também. / E o que é que eu tenho a ver com isso? // Ah, se eu soubesse lhe dizer o que eu vi

ontem à noite / Você ia querer ver mas não ia acreditar. / E o que é que eu tenho

a ver com isso? // Filósofos suicidas /

Agricultores famintos / Desaparecendo / Embaixo dos arquivos // Ah, se eu soubesse lhe dizer qual é a sua tribo / Também saberia qual é a minha / Mas

você também não sabe / E o que é que eu tenho a ver com isso? // Sou brasileiro errado / Vivendo em separado / Contando

os vencidos / De todos os lados

Plantas Embaixo do Aquário [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Renato Rocha / Marcelo

Plantas Embaixo do Aquário

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Renato Rocha / Marcelo Bonfá ]

Aceite o desafio e provoque um desempate: / Desarme a armadilha e desmonte o disfarce. / Se afaste do abismo - / Faça do bom-senso a nova ordem; / Não deixe a guerra começar. // Pense só um pouco, / Não há nada de novo. / Você vive insatisfeito e não confia em ninguém / E não acredita em nada / E agora é isso cansaço e falta de vontade, / Mas, faça do bom-senso a nova ordem: / Não deixe a guerra começar.

Por Enquanto [ Renato Russo ] Mudaram as estações e nada mudou / Mas eu

Por Enquanto

[ Renato Russo ]

Mudaram as estações e nada mudou / Mas eu sei que alguma coisa aconteceu / Esta tudo assim tão diferente / Se lembra quando a gente chegou um dia a acreditar / Que tudo era p'rá sempre / Sem saber / Que o p'rá sempre / Sempre acaba? / Mas nada vai conseguir mudar o que ficou / Quando penso em alguém / Só penso em você / E aí então estamos bem / Mesmo com tantos motivos p'rá deixar tudo como está / E nem desistir, nem tentar / Agora tanto faz / Estamos indo de volta / P'rá casa.

Pride Day [ Renato Russo / Zé Eduardo / Blanch ] Hoje acordei me sentindo

Pride Day

[ Renato Russo / Zé Eduardo / Blanch ]

Hoje acordei me sentindo tão bem / Olhei

pela janela e vi na rua alguém / Voltei para o meu quarto e passei o batom / Pois

o dia é uma rosa e cor-de-rosa é o tom //

Hey Hey Hey hoje é o Pride Day / Não finja que não viu, somos iguais a você /

Hey Hey Hey hoje é o Pride Day / Hoje eu vou me divertir, só vou voltar pelas três //

A rua está repleta de gente como nós / O

preconceito vem da época de nossos avós

/ Não queremos saber de sua religião / Só

pretendemos ter o nosso direito como cidadãos / Eu amo quem quiser e também sou filho de Deus / Pago todo o mês imposto para um bando de ateus / E vocês ainda querem o nosso sangue para beber / Quantos já choraram buscando solução / Quantos filhos foram expulsos de cada por rejeição / Quantos já

morreram por tamanha solidão / Pois o sistema é o que mata e joga na escuridão // É sempre guerra de braço no Congresso Nacional / A bancada religiosa acha tudo imoral / Só não sabe quem não quer pois a TV mostrou no jornal

Quando O Sol Bater Na Janela Do Teu Quarto [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo

Quando O Sol Bater Na Janela Do Teu Quarto

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Quando o sol bater na janela do teu quarto / Lembra e vê que o caminho é um só. // Porque esperar se podemos começar tudo de novo / Agora mesmo / A humanidade é desumana / Mas ainda temos chance / O sol nasce pra todos / Só não sabe quem não quer. // Quando o sol bater na janela do teu quarto / Lembra e vê que o caminho é um só. // Até bem pouco tempo atrás / Poderíamos mudar o mundo / Quem roubou nossa coragem? / Tudo é dor / E toda dor vem do desejo / De não sentirmos dor. // Quando o sol bater na janela do teu quarto / Lembra e vê que o caminho é um só.

Quando Você Voltar [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Vai, se

Quando Você Voltar

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Vai, se você precisa ir / Não quero mais brigar está noite / Nossas acusações infantis / E palavras mordazes que machucam tanto / Não vão levar a nada, como sempre / Vai, clareia um pouco a cabeça / Já que você não quer conversar. / Já brigamos tanto mas não vale a pena / Vou ficar aqui, com um bom livro ou com a TV / Sei que existe alguma coisa incomodando você / Meu amor, cuidado na estrada / E quando você voltar / Tranque o portão / Feche as janelas / Apague a luz / E saiba que te amo

Quase Sem Querer [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Renato Rocha ] Tenho andado

Quase Sem Querer

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Renato Rocha ]

Tenho andado distraído, / Impaciente e indeciso, / E ainda estou confuso. / Só que agora é diferente: / Estou tão tranqüilo / E tão contente. // Quantas chances desperdicei / Quando o que eu mais queria / Era provar pra todo o mundo / Que eu não precisava / Provar nada pra ninguém. // Me fiz em mil pedaços / Pra você juntar / E queria sempre achar / Explicação pro que eu sentia. / Como um anjo caído / Fiz questão de esquecer / Que mentir pra si mesmo / É sempre a pior mentira. // Mas não sou mais / Tão criança a ponto de saber / Tudo. // Já não me preocupo / Se eu não sei porquê / às vezes o que eu vejo / Quase ninguém vê / E eu sei que você sabe / Quase sem querer / Que eu vejo o mesmo que você. // Tão correto e tão bonito: / O infinito é realmente / Um

dos deuses mais lindos. / Sei que às vezes uso / Palavras repetidas / Mas quais são as palavras / Que nunca são ditas? // Me disseram que você estava chorando / E foi então que percebi / Como lhe quero tanto. // Já não me preocupo / Se eu não sei porquê / Às vezes o que eu vejo / Quase ninguém vê / E eu sei que você sabe / Quase sem querer / Que eu quero o mesmo que você

Que País é Este [ Renato Russo ] Nas favelas, no senado / Sujeira pra

Que País é Este

[ Renato Russo ]

Nas favelas, no senado / Sujeira pra todo lado / Ninguém respeita a constituição / Mas todos acreditam no futuro da nação

// Que pais é este // No Amazonas, no

Araguaia, na Baixada Fluminense / No Mato grosso, nas Gerais e no Nordeste

tudo em paz / Na morte eu descanso mas

o sangue anda solto / Manchando os

papéis, documentos fiéis / Ao descanso do patrão // Que país é este // Terceiro

mundo se for / Piada no exterior / Mas o Brasil vai ficar rico / Vamos faturar um milhão / Quando vendermos todas as almas / Dos nossos índios num leilão. // Que país é este

Química [ Renato Russo ] Estou trancado em casa e não posso sair / Papai

Química

[ Renato Russo ]

Estou trancado em casa e não posso sair / Papai já disse, tenho que passar / Nem música eu posso mais ouvir / E assim não posso nem me concentrar // Não saco nada de Física / Literatura ou Gramática / Só gosto de Educação Sexual / E eu odeio Química // Não posso nem tentar me divertir / O tempo todo eu tenho que estudar / Fico só pensando se vou conseguir / Passar na porra do vestibular // Chegou a nova leva de aprendizes / Chegou a vez do nosso ritual / E se você quiser entrar na tribo / Aqui no nosso Belsen tropical // Ter carro do ano, TV a cores, pagar imposto, ter pistolão / Ter filho na escola, férias na Europa, conta bancária, comprar feijão / Ser responsável, cristão convicto, cidadão modelo, burguês padrão / Você tem que passar no vestibular.

Riding Song [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Eu já sei

Riding Song

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Eu já sei o que eu vou ser / Ser quando eu crescer

Sagrado Coração [ Renato Russo ] Sei que tenho um coração / Mas é difícil

Sagrado Coração

[ Renato Russo ]

Sei que tenho um coração / Mas é difícil de explicar / De falar de bondade e gratidão / E estas coisas que ninguém gosta de falar // Falam de um lugar / Mas onde é que está? / Onde há virtude e inteligência / E as pessoas são boas e sensíveis / E que a luz no coração / É o que pode me salvar / Mas não acredito nisso / Tento mas é só de vez em quando // Onde está este lugar / Onde está essa luz? / Se o que vejo é tão triste / E o que fazemos tão errado? // E me disseram! Este lugar pode estar sempre ao seu lado / E a alegria dentro de você / Porque sua vida é luz // E quando vi seus olhos / E a alegria no seu corpo / E o sorriso nos seus lábios / Eu quase acreditei / Mas é tão difícil // Por isso peço por favor / Pense em mim, ore por mim / E me diga: - este lugar distante está dentro de você / E me

que

nossa vida é luz / Me fale do sagrado

coração / Porque eu preciso de ajuda

diga

que

nossa vida é

luz

/

Diga

Se Fiquei Esperando Meu Amor Passar [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá

Se Fiquei Esperando Meu Amor Passar

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Se fiquei esperando meu amor passar / Já me basta então que eu não sabia / Amar

e me via perdido e vivendo em erro / Sem

querer me machucar de novo // Por culpa do amor. // Mas você e eu podemos namorar / E era simples: ficamos fortes. / Quando se aprende a amar / O mundo passa a ser seu. / Sei rimar romã com travesseiro. // Quero minha nação soberana / Com espaço, nobreza e descanso. / Se fiquei esperando meu amor passar / Já me basta que estava então longe de sereno / E fiquei tanto tempo duvidando de mim / Por fazer amor fazer

sentido. // Começo a ficar livre - / Espero.

/ Acho que sim. / De olhos fechados não

me vejo / E você sorriu pra mim. / "Cordeiro de Deus que tirai os pecados do mundo / Tende piedade de nós / Cordeiro

de Deus que tirai os pecados do mundo / Tende piedade de nós / Cordeiros de Deus que tirai os pecados do mundo / Dai-nos a paz."

Será [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Tire suas mãos de

Será

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Tire suas mãos de mim / Eu não pertenço

a você / Não é me dominado assim / Que

você vai me entender / Eu posso estar sozinho / Mas eu sei muito bem aonde estou / Você pode até duvidar / Acho que

isso não é amor. // Será isso imaginação?

/ Será que nada vai acontecer? / Será que

é tudo isso em vão? / Será que vamos conseguir vencer? // Nos perderemos entre monstros / Da nossa própria criação

/ Serão noites inteiras / Talvez por medo

da escuridão / Ficaremos acordados / Imaginando alguma solução / P'rá que esse nosso egoísmo / Não destrua nosso coração. // Brigar p'rá quê / Se é sem querer / Quem é que vai / Nos proteger? / Ser que vamos ter / Que responder / Pelos erros a mais /Eu e você?

Sereníssima [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Sou um animal sentimental

Sereníssima

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Sou um animal sentimental / Me apego facilmente ao que desperta o meu desejo / Tente me obrigar a fazer o que não quero / E você vai logo ver o que acontece. / Acho que entendo o que você quis me dizer / Mas existem outras coisas. // Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade, / Tudo está perdido mas existem possibilidades. / Tínhamos a idéia, você mudou os planos / Tínhamos um plano, você mudou de idéia / Já passou, já passou - quem sabe outro dia. // Antes eu sonhava, agora já não durmo / Quando foi que competimos pela primeira vez? / O que ninguém percebe é o que todo mundo sabe / No entendo terrorismo, falávamos de amizade. // Não estou mais interessado no que sinto / Não acredito em nada além do que duvido / Você espera respostas que eu não tenho / Mas não vou brigar

por causa disso / Até penso duas vezes se você quiser ficar. // Minha laranjeira verde, porque está tão prateada? / Foi da lua desta noite, do sereno da madrugada / Tenho um sorriso bobo, parecido com soluço / Enquanto o caos segue em frente / Com toda a calma do mundo.

Sete Cidades [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Já me acostumei

Sete Cidades

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Já me acostumei com a tua voz / Com teu

rosto e teu olhar / Me partiram em dois / E procuro agora o que é minha metade. /

Quando não estás aqui / Sinto falta de mim mesmo / E sinto falta do meu corpo junto ao teu. // Meu coração é tão tosco e tão pobre / Não sabe ainda os caminhos do mundo. // Quando não estás aqui / Tenho medo de mim mesmo / E sinto falta do teu corpo junto ao meu. // Vem depressa pra mim / Que eu não sei esperar / Já fizemos promessas demais /

E já me acostumei com a tua voz: /

Quando estou contigo estou em paz. // Quando não estás aqui, / Meu espírito se

perde, voa longe.

Só Por Hoje [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo ] Só por hoje eu não

Só Por Hoje

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo ]

Só por hoje eu não quero mais chorar / Só por hoje eu espero conseguir / Aceitar o que passou e o que virá / Só por hoje vou me lembrar que sou feliz. // Hoje eu já sei que sou tudo o que preciso ser / Não preciso me desculpar e nem te convencer / O mundo é radical / Não sei onde estou indo / Só sei que não estou perdido / Aprendi a viver um dia de cada vez. // Só por hoje eu não vou me machucar / Só por hoje eu não quero me esquecer / Que há algumas pouco vinte e quatro horas / Quase joguei minha vida inteira fora. // Não não não não / Viver é uma dadiva fatal, / No fim das contas ninguém sai vivo daqui mas - / Vamos com calma ! // Só por hoje eu não quero mais chorar / Só por hoje eu não vou me destruir / Posso até ficar triste se eu quiser / Mas só por hoje; ao menos isso eu aprendi. // Yeah.

Soldados [ Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Nossas meninas estão longe daqui / Não

Soldados

[ Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Nossas meninas estão longe daqui / Não temos com quem chorar e nem p'rá onde ir / Se lembra quando era só brincadeira / Fingir ser soldado a tarde inteira? / Mas agora a coragem que temos no coração / Parece medo da morte mas não era então. / Tenho medo de lhe dizer o que eu quero tanto / Tenho medo e eu sei porquê: / Estamos esperando. / Quem é o inimigo? / Quem é você? / Nos defendemos tanto tanto sem saber / Porque lutar. // Nossas meninas estão longe daqui / E de repente eu vi você cair / Não sei armar o que eu senti / Não sei dizer que vi você ali. / Quem vai saber o que você sentiu? / Quem vai saber o que você pensou? / Quem vai dizer agora o que eu não fiz? / Como explicar pra você o que eu quis // Somos soldados /

Pedindo esmola / E a gente não queria lutar.

Soul Parsifal [ Renato Russo / Marisa Monte ] Ninguém vai me dizer o que

Soul Parsifal

[ Renato Russo / Marisa Monte ]

Ninguém vai me dizer o que sentir / Meu

coração está desperto / É sereno o nosso amor e santo este lugar / Nos tempos de tristeza tive o tanto que era bom / Eu tive o teu veneno / E o sopro leve do luar / Porque foi calma a tempestade / E tua lembrança, a estrela a me guiar / Da alfazema fiz um bordado / Vem, meu amor, é hora de acordar / Tenho anis / Tenho hortelã / Tenho um cesto de flores

/ Eu tenho um jardim e uma canção / Vivo

feliz, tenho amor / Eu tenho desejo e um coração / Tenho coragem e sei quem eu sou / Eu tenho um segredo e uma oração

/ Vê que a minha força é quase santa /

Como foi santo o meu penar / Pecado é provocar desejo / E depois renunciar / Estive cansado / Meu orgulho me deixou

cansado / Meu egoísmo me deixou cansado / Minha vaidade me deixou

cansado / Não falo pelos outros / Só falo por mim / Ninguém vai me dizer o que sentir / Tenho jasmim, tenho hortelã / Eu tenho um anjo, eu tenho uma irmã / Com a saudade teci uma prece / E preparei erva-cidreira no café da manhã / Ninguém vai me dizer o que sentir / E eu vou cantar uma canção p'rá mim

Tédio (com um T bem grande pra você) [ Renato Russo ] Moramos na cidade,

Tédio (com um T bem grande pra você)

[ Renato Russo ]

Moramos na cidade, também o presidente / E todos vão fingindo viver decentemente / Só que eu não pretendo ser tão decadente não // Tédio com um T bem grande pra você // Andar a pé na chuva, às vezes eu me amarro / Não tenho gasolina, também não tenho carro / Também não tenho nada de interessante pra fazer // Tédio com um T bem grande pra você // Se eu não faço, nada fico satisfeito / Eu durmo o dia inteiro e aí não é direito / Porque quando escurece, só estou a fim de aprontar // Tédio com um T bem grande pra você.

Tempo Perdido [ Renato Russo ] Todos os dias quando acordo, / Não tenho mais

Tempo Perdido

[ Renato Russo ]

Todos os dias quando acordo, / Não tenho mais o tempo que passou / Mas tenho muito tempo: / Temos todo o tempo do mundo. / Todos os dias antes de dormir, / Lembro e esqueço como foi o dia: / "Sempre em frente, / Não temos tempo a perder". // Nosso suor sagrado / É bem mais belo que esse sangue amargo / E tão sério / E selvagem. // Veja o sol dessa manhã tão cinza: / A tempestade que chega é da cor dos teus / olhos castanhos / Então me abraça forte e me diz mais uma vez / Que já estamos distantes de tudo: / Temos nosso próprio tempo. // Não tenho medo do escuro, mas deixe as luzes acesas agora. / O que foi escondido é o que se escondeu / E o que foi prometido, ninguém prometeu. / Nem foi tempo perdido; / Somos tão jovens.

Teorema [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Não vá embora /

Teorema

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Não vá embora / Fique um pouco mais / Ninguém sabe fazer / O que você me faz /

É exagero / E pode até não ser / O que

você consegue / Ninguém sabe fazer. // Parece energia mas é só distorção / E não sabemos se isso é problema / Ou se é a solução. // Não tenha medo / Não preste atenção / Não dê conselhos / Não peça permissão / É só você quem deve decidir

o que fazer /Pra tentar ser feliz. // Parece

energia mas é só distorção / E parece que sempre termina / Mas não tem fim.

Travessia do Eixão [ Nonato Veras / Nicolas Behr ] Nossa Senhora do Cerrado /

Travessia do Eixão

[ Nonato Veras / Nicolas Behr ]

Nossa Senhora do Cerrado / Protetora dos pedestres / Que atravessam o eixão / Às seis horas da tarde / Fazei com que eu chegue são e salvo / Na casa da Noélia // Nonô Nonô Nonô Nononô

Um Dia Perfeito [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo ] Quase morri / Há menos

Um Dia Perfeito

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo ]

Quase morri / Há menos de trinta e duas horas atrás / Hoje a gente fica na varanda / Um dia perfeito com as crianças. // São as pequenas coisas que valem mais / É tão bom estarmos juntos / E tão simples :

um dia perfeito. // Corre corre corre / Que vai chover / Olha a chuva! // Não vou me deixar embrutecer / Eu acredito nos meus ideais / Podem até maltratar meu coração / Que meu espírito / Ninguém vai conseguir quebrar.

Uma nova fase [ Renato Russo ] Seus pensamentos são puros / No seu tempo

Uma nova fase

[ Renato Russo ]

Seus pensamentos são puros / No seu tempo só o passado / Talvez não possa respirar / O presente ir embora // Seus prazeres são simples / Velocidade e o vento / Se no céu as nuvens passam / Esquece a vida aqui na terra // Talvez fique, fique aqui / Tente agora, tente partir

Uma Outra Estação [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] Sei que

Uma Outra Estação

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

Sei que não tenho a força que tens / Se me vejo feliz quase sempre exijo um talvez / Ela mora perto de um vulcão / E meu coração suburbano espera riquezas maiores / Eu sigo o calendário maia / E sou descendente dos astecas / Hoje vai ter prova / Mas no final da aula / Acho que tem futebol // Gosto quando estou feliz / Gosto quando sorris para mim / Estou longe, longe / Estou em outra estação / Não me digam como deve ser / Gosto do jeito que sou / Quem insistir em julgar os outros / Sempre tem alguma coisa p'rá esconder // Teu corpo alimenta seu espírito / Teu espírito alegra minha mente / Tua mente descansa meu corpo / Teu corpo aceita o meu como a um irmão / Longe longe, estou em outra estação // Todos fazem promessas demais / Temos muito o que aprender / É um feitiço tão

latino / Essa preguiça será feitiço / Mas tudo bem / Voltarás na terça-feira / És fogo e gelo ao mesmo tempo / E vai ser bom / Do Equador, da Venezuela, do Uruguai / Teremos o fim-de-semana só p'rá nós // Venha comigo / Não tenha medo / Tem muita gente / Que pensa o mesmo / Estou longe, longe / Estou em outra estação / Estou longe, longe

Vamos Fazer um Filme [ Renato Russo ] Achei um 3x4 teu e não quis

Vamos Fazer um Filme

[ Renato Russo ]

Achei um 3x4 teu e não quis acreditar / Que tinha sido a tanto tempo atrás / Um exemplo de bondade e respeito / Do que

o verdadeiro amor é capaz. // A minha

escola não tem personagem / A minha escola tem gente de verdade / Alguém falou do fim-do-mundo, / O fim-do-mundo

já passou / Vamos começar de novo: / Um

por todos, todos por um. // - O sistema é maus, mas minha turma é legal / Viver é foda, morrer é difícil / Te ver é uma necessidade / Vamos fazer um filme. // E hoje em dia, como é que se diz: "- Eu te amo." ? // Sem essa de que : "- Estou sozinho." / Somos muito mais que isso / Somos pingüim, somos golfinho / Homem, sereia e beija-flor / Leão, leoa e leão- marinho / Eu preciso e quero ter carinho, liberdade e respeito / Chega de opressão:

/ Quero viver a minha vida em paz. //

Quero um milhão de amigos / Quero iramos e irmãs / Deve de ser cisma minha / Mas a única maneira ainda / De imaginar

a minha vida / É vê-la como um musical

dos anos trinta / E no meio de um depressão / Te ver e ter beleza e fantasia.

//

E hoje em dia, como é que se diz: "- Eu

te

amo."? / Vamos fazer um filme. // Eu te

amo / Eu te amo / Eu te amo

Vento No Litoral [ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ] De tarde

Vento No Litoral

[ Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá ]

De tarde quero descansar, chegar até a praia / Ver se o vento ainda está forte / E vai ser bom subir nas pedras. / Sei que faço isso para esquecer / Eu deixo a onda me acertar / E o vento vai levando tudo embora. // Agora está tão longe / Vê, a linha do horizonte me distrai: / Dos nossos planos é que tenho mais saudade, / Quando olhávamos juntos na mesma direção. // Aonde está você agora / Além de aqui dentro de mim? // Agimos certo sem querer / Foi só o tempo que errou / Vai ser difícil sem você / Porque você está comigo o tempo todo. // E quando vejo o mar / Existe algo que diz: / - A vida continua e se entregar é uma bobagem. // Já que você não está aqui, / O que posso fazer é cuidar de mim. / Quero ser feliz ao menos. / Lembra que o plano era ficarmos bem? // - Ei, olha só o que achei: cavalos-

marinhos. // Sei que faço isso pra esquecer / Eu deixo a onda me acertar / E o vento vai levando tudo embora.

Veraneio Vascaína [ Flávio Lemos / Renato Russo ] Cuidado pessoal, lá vem vindo a

Veraneio Vascaína

[ Flávio Lemos / Renato Russo ]

Cuidado pessoal, lá vem vindo a veraneio / Toda pintada de preto, branco, cinza e vermelho / Com números dos do lado, e dentro, dois ou três tarados / Assassinos armados e uniformizados / Veraneio vascaína, vem dobranco a esquina // Porque pobre quando nasce com instinto assassino/ Sabe o que você vai ser quando crescer desde menino / Ladrão pra roubar ou marginal pra matar / "Papai, eu quero ser policial quando eu crescer" // Se eles vêm com fogo em cima é melhor sair da frente / Tanto faz, ninguém se importa se você é inocente / Com uma arma na mão, eu boto fogo no país / E não vai ter problema, eu sei, estou do lado da lei

Viagens [ Renato Russo ] Viagens que eu faço / Vão ao meu interior /

Viagens

[ Renato Russo ]

Viagens que eu faço / Vão ao meu interior

/ E tudo é deserto / Aridez sem o calor // Eu sou levado / Pelas veias da depressão quando sinto / Fujo de mim // É sobre nossas vidas / Que eu penso em dissertar

/ Imagens ficam brancas / Não consigo

evitar // Sempre inseguro / Entre as noites de depressão / Quando sinto / Penso no fim // Esta vivendo / Nessas viagens / É quando sinto / Miragens

Vinte e Nove [ Renato Russo ] Perdi vinte em vinte e nove amizades /

Vinte e Nove

[ Renato Russo ]

Perdi vinte em vinte e nove amizades / Por conta de uma pedra em minhas mãos / Me embriaguei morrendo vinte e nove vezes / Estou aprendendo a viver sem você (Já que você não me quer mais.) // Passei vinte e nove meses n'um navio / E vinte e nove dias na prisão / E aos vinte e nove, com o retorno de Saturno / Decidi começar a viver. // Quando você deixou de me amar / Aprendi a perdoar / E a pedir perdão. / (E vinte e nove anjos me saudaram / E tive vinte e nove amigos outra vez.)

Força Sempre

Discografia Legionária