Você está na página 1de 16

18

EQUAÇÃO DA ENERGIA

Objetivo: Equacionar os princípios e condições da conservação da energia em escoamentos.

Aplicações: Estudo de bombas, turbinas, hidrelétricas, motores a jato, aerodinâmica, determinação de potência e rendimento de máquinas hidráulicas, estudo de instalações hidráulicas, transformações de energia, etc.

Tipos de energia associadas a um fluido

a) Energia Potencial (E P ): É o estado de energia do sistema devido somente à sua posição no campo de gravidade em relação a um plano horizontal de referência (PHR). Seja um sistema de peso G = m.g, cujo centro de gravidade está a uma altura z em relação a um PHR. A energia potencial é medida pelo trabalho que um sistema poderia realizar ao se deslocar de sua posição até o PHR

poderia realizar ao se deslocar de sua posição até o PHR Como: Trabalho = Força x

Como: Trabalho = Força x Deslocamento

Então:

W = G.z = m.g.z

Como E P = W, logo: E P = m.g.z

b) Energia Cinética (E C ): É o estado de energia determinado pelo movimento do fluido. Seja um sistema de massa m e velocidade V, a energia cinética será dada por:

E

C =

mV

2

2

pelo movimento do fluido. Seja um sist ema de massa m e velocidade V, a energia

19

c) Energia de Pressão (E PR ): É o trabalho das forças de pressão que atuam no escoamento do fluido. Seja por exemplo o tubo:

que atuam no escoamento do fluido. Seja por exemplo o tubo: Admitindo que a pressão seja

Admitindo que a pressão seja uniforme na seção, então a força aplicada pelo fluido na área A será F = P.A. No intervalo dt, o fluido irá se deslocar de uma distância ds, produzindo um trabalho dW

dW = F.ds = P.A.ds = P.d

Por definição:

dW = dE PR

e portanto

dE PR = P.d

ou

E

PR

=

Pd

d) Energia Mecânica Total do Fluido (E)

E = E P + E C + E PR

E

=

m.g.z

+

mV

2

2

+

Pd

Equação de Bernoulli

20

A equação de Bernoulli é uma simplificação da Equação da Energia,

baseada em algumas hipóteses simplificadoras, que são aplicadas para aplicações específicas. Para efeitos didáticos, a equação de Bernoulli é um modo mais simples para o estudo da equação da energia.

As hipóteses simplificadoras são:

a) Regime permanente;

b) Sem máquina no trecho em estudo (entende-se por máquina hidráulica, qualquer dispositivo mecânico que forneça ou retire energia do fluido, na forma de trabalho);

c) Sem perdas por atrito no escoamento do fluido ou fluido ideal;

d) Propriedades uniformes nas seções;

e) Fluido incompressível;

f) Sem trocas de calor.

Seja o tubo abaixo, considerando-se o trecho entre (1) e (2):

o tubo abaixo, considerando-se o trecho entre (1) e (2): Em um intervalo de tempo dt,

Em um intervalo de tempo dt, uma massa de fluido dm 1 atravessa a seção (1), com energia dE 1 :

dE

1

= dm .g.z

1

1

+

dm V

1

2

1

2

+

P d

1

1

Na seção (2), uma massa de fluido dm 2 atravessa a seção (2), com energia dE 2 :

dE

2

= dm .g.z

2

2

+

dm V

2

2

2

2

+

P d

2

2

21

Pelas hipótes b), c) e f), não se fornece, nem se retira energia do fluido e para que o regime seja permanente, é necessário que no trecho de (1) a (2), não haja variação de energia, o que resulta em:

dE 1 = dE 2

ou

massa de fluido dm 1 atravessa a seção (1), com energia dE 1 :

Como:

 

dm V

1

2

1

+

P d

∀ =

 

+

dm V

2

2

2

2

dm

d

 

1

1

e portanto:

dm .g.z

2

2

d ∀= dm

ρ

2

tem-se:

2

 

dm V

1

2

1

+

P 1 dm

=

 

+

dm V

2

2

2

+

P

2

2

 

1

dm .g.z

2

2

2

 
 

ρ

1

 

ρ

2

1

+

ρ=

1

+

+ P d

dm .g.z

1

dm .g.z

1

dm

2

Como o fluido é incompressível → ρ 1 = ρ 2

e como o regime é permanente dm 1 = dm 2 = dm

dividindo-se a equação por dm, tem-se:

g.z

1 +

V

2

1

P

1

V

2

2

P

2

2

ρ

2

2

ρ

+

=

g.z

+

+

dividindo-se a equação por g e lembrando que γ = ρ.g

tem-se:

z

1 +

V

2

P

1

 

V

2

P

 

1

+

= z +

2

+

2

2g

 

γ

2

2g

 

γ

Equação de Bernoulli

22

Significado dos termos da equação:

z =

mgz

=

 

E

P

 
 

mg

G

 

V

2

=

mV

2

=

mV

2

=

E

C

2g

 

2mg

 

2G

G

P

=

P

=

P

=

E

PR

γ γ∀

 

G

G

 

Energia potencial por unidade de peso ou

energia potencial de uma partícula de peso unitário

Energia cinética por unidade de peso ou

energia cinética de uma partícula de peso unitário

Energia de pressão por unidade de peso ou

energia de pressão de uma partícula de peso unitário

Define-se carga hidráulica (H) como sendo a energia total por unidade de peso de fluido em uma seção do escoamento.

H = z +

V

2

+ P

γ

2g

Unidade: comprimento, por exemplo metro (m):

E

N.m

H = ⇒

G

N

= m

Portanto, a equação de Bernoulli, pode ser escrita da seguinte forma:

H 1 = H 2

23

Equação da Energia e Presença de Máquina

Neste item, é retirada a hipótese b) da equação de Bernoulli, onde é adicionada no trecho de (1) a (2) uma máquina hidráulica, que para efeito de estudo, será qualquer dispositivo que forneça ou retire energia na forma de trabalho.

Por exemplo: bomba: qualquer máquina que forneça energia ao fluido turbina: qualquer máquina que retire energia do fluido

− turbina: qualquer máquina que retire energia do fluido Se a máquina for uma bomba, o

Se a máquina for uma bomba, o fluido receberá um acréscimo de energia, tal que H 1 < H 2

A parcela de energia por peso de fluido entregue pela bomba é denominada

“carga manométrica da bomba” (H B ). Portanto

H 1 + H B = H 2

Se a máquina for uma turbina, uma parcela de energia será retirada do fluido, tal que H 1 > H 2

A parcela de energia por peso de fluido retirada pela turbina é denominada

“carga manométrica da turbina” (H T ). Portanto:

H 1 H T = H 2

Como equação geral, pode-se escrever:

Então:

H 1 + H M = H 2

 

onde: H M = H B H M = H T

 

V

2

P

1

 

V

2

P

 

z

 

+

1

+

+

H

=

+

2

+

2

1

 

M

z

2

 

2g

 

γ

2g

 

γ

no caso de bomba no caso de turbina

Potência e Rendimento

Potência: Energia por unidade de tempo

24

Potência Hidráulica (N): É a potência mecânica total de um escoamento em uma determinada seção:

N

N

N

N

=

energia

ou

tempo

=

energia

peso

 

x

 

peso

tempo

= H x Q G

 

= γ.Q.H

Q G – vazão em peso = γ.Q

Potência de Máquina: No caso de presença de máquina a energia fornecida ou retirada é a carga manométrica da máquina (H M ). Portanto:

N = γ.Q.H M

No caso de bomba:

N = γ.Q.H B

No caso de turbina:

N = γ.Q.H T

Para a transmissão de potência em máquinas hidráulicas, sempre existem perdas associadas ao rendimento da máquina. Com isso define-se a potência de eixo da máquina:

No caso de uma bomba, a potencia de eixo da bomba, ou simplesmente potência da bomba, será indicada por N B e é definida como sendo a potência que o motor entrega à bomba.

potência da bomba, será indicada por N B e é definida como sendo a potência que

25

Tem-se portanto que: N < N B devido às perdas de energia (atrito, aquecimento, etc.) na transmissão da potência do motor ao fluido.

Com isso, define-se rendimento de uma bomba (η B )

Então:

η =

B

N

N

B

N

B

=

N

γ

.Q.H

B

=

η

B

η

B

No caso de uma turbina, a potencia de eixo da turbina, ou simplesmente potência da turbina, será indicada por N T e é definida como sendo a potência que a turbina entrega ao gerador elétrico.

a potência que a turbina entrega ao gerador elétrico. Tem-se portanto que: N T < N

Tem-se portanto que: N T < N devido às perdas de energia (atrito, aquecimento, etc.) na transmissão da potência do fluido ao eixo do gerador.

Com isso, define-se rendimento de uma turbina (η T )

N T

N

N

η =

T

Então: T

= N.η

T

.Q.H .η

T

T

As unidades de potência são dadas por unidade de energia por tempo

S.I: N.m/s = J/s = W MK*S: kgf.m/s Outras unidades:

1CV = 75 kgf.m/s = 735 W 1 HP = 1,014 CV

(CV – cavalo-vapor) (HP – horse-power)

Equação da Energia para Fluido Real

26

Neste item retira-se a hipótese c) (fluido ideal). Serão considerados os atritos internos ao escoamento no fluido. Nesse caso há uma perda de calor do fluido para o ambiente causada pelo atrito entre as moléculas do fluido e com a parede da tubulação.

as moléculas do fluido e com a parede da tubulação. Com os atritos no transporte do

Com os atritos no transporte do fluido, entre as seções (1) e (2), ocorre uma dissipação de energia de forma que H 1 > H 2 .

Para estabelecer a igualdade na equação, é necessário somar a energia dissipada no transporte

H 1 = H 2 + H P1,2

H P1,2 – energia dissipada entre (1) e (2) por unidade de peso do fluido (perda de carga)

Com a presença de máquina, a equação fica:

H 1 + H M = H 2 + H P1,2

ou

z

1

+

V

2 P

V

2

P

1 +

1

+

H

=

+

2

+

2

 

z

2g

γ

 

M

2

2g

 

γ

+ H

P1,2

A potência dissipada por atrito é dada por:

N At = γ.Q.H P1,2

27

Exercícios a serem resolvidos em classe

Adotar g = 10 m/s 2 para os exercícios

1. O Venturi é um medidor de vazão utilizado em Instrumentação e também um redutor de pressão utilizado, por exemplo, em unidades de conservação pneumáticas. No Venturi da figura abaixo, supõem-se perdas por atrito desprezíveis e propriedades uniformes nas seções. A área (1) é 20 cm 2 enquanto que a da garganta (2) é 10 cm 2 . Um manômetro cujo fluido manométrico é mercúrio (γ Hg = 13600 kgf/m 3 ) é ligado entre as seções (1) e (2) e indica o desnível mostrado na figura. Pede-se a vazão da água que escoa pelo Venturi. (γ Água = 1000 kgf/m 3 )

pelo Venturi. ( γ Á g u a = 1000 kgf/m 3 ) 2. Determinar a

2. Determinar a potência hidráulica de um jato de fluido descarregado no ambiente por um bocal.

Dados:

V J = velocidade do jato γ = peso específico do fluido

A J = área do jato

γ = peso específico do fluido A J = área do jato 3. Um reservatório de

3. Um reservatório de grandes dimensões (p. ex. represa) fornece água para o tanque indicado com uma vazão de 10 L/s. Verificar se a máquina instalada é bomba ou turbina e determinar sua potência se o rendimento é 75%. Supor fluido ideal. Dados: γ Água = 10 4 N/m 3 A Tubos = 10 cm 2 g = 10 m/s 2

75%. Supor fluido ideal. Dados: γ Á g u a = 10 4 N/m 3 A

28

4. Na instalação da figura, verificar se a máquina é uma bomba ou uma turbina e determinar sua potência, sabendo-se que seu rendimento é 75%. Sabe-se que a pressão indicada por um manômetro instalado na seção (2) é 1,6 kgf/cm 2 , a vazão é 10 L/s, a área da seção dos tubos é 10 cm 2 e a perda de carga entre as seções (1) e (4) é 2 m. Não é dado o sentido do escoamento. (γ Água = 10 3 kgf/m 3 )

do escoamento. ( γ Á g u a = 10 3 kgf/m 3 ) 5. Uma

5. Uma bomba deve recalcar 0,15 m 3 /s de óleo de peso específico 7600 N/m 3 para o reservatório (C) da figura. Adotando que a perda de carga seja de 2,5 m de (A) até (1) e 6 m de (2) a (C), determinar a potência da bomba, supondo seu rendimento 75%. O diâmetro da tubulação é 30 cm.

seu rendimento 75%. O diâmetro da tubulação é 30 cm. 6. Água escoa através da turbina

6. Água escoa através da turbina à razão de 0,214 m 3 /s e as pressões em A e B são, respectivamente, 147,5 kPa e 34,5 kPa. Determine a potência fornecida para a turbina pela água. (γ Água = 10 4 N/m 3 )

e − 34,5 kPa. Determine a potência fornecida para a turbina pela água. ( γ Á

29

7. O tubo de Pitot é utilizado para determinação da velocidade de aeronaves, navios, submarinos, etc. Um tubo de Pitot é preso em um barco e alcança a altura h de 2,5 metros. Determinar a velocidade do barco.

8. Desprezando-se os atritos no pistão da figura, determinar:

a) A potência da bomba em CV, se seu rendimento é 70%

b) A força que o pistão pode equilibrar com a haste

Dados:

Q = 5 L/s A G = 2,5 cm 2

Supor cilindro em um plano horizontal a 2 metros do PHR

H P1,2 = 0,5 m

H P3,4 = 0,5 m

H P4,5 = 0

H P5,6 = 1 m

A 1 = A 2 = 10 cm 2

A 3 = A 4 = A 5 = A 6 = 5 cm 2

A H = 5 cm 2 γ Água = 10 4 N/m 3

2 = 10 cm 2 A 3 = A 4 = A 5 = A 6

30

Lista de Exercícios. Equação da Energia

Adotar g = 10 m/s 2 para os exercícios

1. A equação de Torricelli determina a velocidade de um jato em um orifício em um reservatório, desprezando-se as perdas de cargas. Verifique a equação de Torricelli.

Eq. de Torricelli:

V =

2gh
2gh
a equação de Torricelli. Eq. de Torricelli: V = 2gh 2. Para a turbina do exercício

2. Para a turbina do exercício 6 (lista de exerc. para classe), se forem extraídos 28,8 kW do fluido, para uma vazão de 0,26 m 3 /s e pressão manométrica em A de 141,3 kPa, qual será a pressão manométrica na seção B ? Resp.: 46,6 kPa

3. O sifão é utilizado para retirar um líquido de um reservatório, sem a necessidade de se fazer um furo na parte inferior ou lateral do mesmo. Para o sifão de 50 mm de diâmetro, que retira gasolina (peso específico relativo 0,73) do reservatório, a perda de carga do ponto (1) ao ponto (2) é de 1,5 m e do ponto (2) ao ponto (3) é de 2,4 m. Determine a vazão de gasolina do sifão e a pressão no ponto (2). (γ Água = 10 4 N/m 3 ). Resp.: Q = 9,21x10 -3 m 3 /s; P 2 = 3,36x10 4 Pa

Gasolina
Gasolina

31

4. Qual pressão na ponta do nariz de um avião que viaja a velocidade de 900 km/h, sabendo-se que a massa específica do ar é de 12 N/m 3 ? Resp.: P = 37,5 kPa

5. Um reservatório de grandes dimensões está cheio com água e o espaço com ar acima da água está pressurizado. Uma mangueira de 50,8 mm ligada ao reservatório descarrega a água no teto de um edifício 15,2 m acima do nível do reservatório. A perda de carga é de 5,5 m. Qual a pressão que deve ser mantido o ar para que a vazão seja descarregada seja de 0,012 m 3 /s ? Resp. 221 kPa.

6. Na instalação da figura são dados:

H PB,C 0; Q = 3,14 m 3 /s; D = 2 m; P B = 4 kgf/cm 2 ; γ Água = 10 3 kgf/m 3 Pede-se:

a) As cargas hidráulicas em A, B e C

b) O sentido do escoamento

c) O tipo de máquina

d) A perda de carga entre A e B

e) A potência da máquina se o rendimento é 80%

Resp.: (PHR em C) a) H A = 35 m; H B = 45,1 m; H C = 0

d) H PB,A = 10,1 m e) N B = 2358 CV

b) sentido de C A

c) bomba

= 35 m; H B = 45,1 m; H C = 0 d) H P B

32

7. Sistemas de refrigeração industrial normalmente utilizam um ciclo de resfriamento fechado utilizando circulação por uma bomba. Para o ciclo abaixo, pede-se:

a) A carga manométrica da bomba;

b) A potência fornecida ao fluido pela bomba;

c) Admitindo-se rendimento de 83%, determine a potência dissipada pela bomba.

Dados:

D E = D S; P S = 100 kPa a) 7,5 m

Q = 30 m 3 /h;

γ Água = 10 4 N/m 3 ;

c) 0,17CV

P E = 30 kPa

Resp.:

b) 0,83 CV;

N/m 3 ; c) 0,17CV P E = 30 kPa Resp.: b) 0,83 CV; 8. Água

8. Água escoa na tubulação da figura, saindo ao ar livre na seção (4). O recipiente é de grandes dimensões transversais e o nível da água é mantido constante. Conhecem-se: Z 1 = 80 m; Z 2 = 40 m; Z 3 = 30 m;

Z 4 = 20 m

D 2 = 0,6 m;

D 3 = D 4 = 0,3 m

Supondo fluido ideal, pede-se:

a) A vazão;

b) A altura atingida pela água nos tubos piezométricos da figura.

Resp.: a) Q = 2,45 m 3 /h b) h 2 = 36,25 h 3 = 10 m

pela água nos tubos piezométricos da figura. Resp.: a) Q = 2,45 m 3 /h b)

33

9. Na instalação da figura, o pistão tem peso W = 100 kgf e fica em equilíbrio quando a vazão através da instalação é Q = 40 L/s. Supondo que o reservatório de água tenha nível constante igual a 1m, determinar a

pressão P 0 da câmara de ar acima da água. São dados: γ

= 10 3 kgf/m 3

Água

A P = 0,5 m 2 (área da seção transversal do pistão); H P0,1 = 1,95 m

A = 8x10 -3 m 2 (área do conduto) Resp.: P 0 = 4000 kgf/m 2

m 2 (área do conduto) Resp.: P 0 = 4000 kgf/m 2 10. A potência disponível

10. A potência disponível no eixo da turbina da figura é 75 CV. Sabe-se que no seu interior são dissipados 4 CV. A perda de carga ao longo da canalização entre as seções (1) e (2) é de 1,5 m. Conhece-se a vazão em

massa Q M = 60 utm/s. Não é fornecido z 1 . O fluido é água (γ

kgf/m 3 ). Calcular o desnível h que ocorre ao ser ligado o manômetro diferencial de mercúrio. Resp.: h = 0,74 m

= 10 3

Água

Calcular o desnível h que oc orre ao ser ligado o manômetro diferencial de mercúrio. Resp.: