Você está na página 1de 11

Fonte e Copyright no Fim do Texto

Depósito Legal 2529/2007

Proposta de Indicadores
Maria Prazeres Casanova

Seminário da Acção de Formação: Comunicar, Interagir, Educar.


UCP – SDER 21.04.08

Anexo IV - FICHA DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO (DGRHE)


AUTO-AVALIAÇÃO

1. "Como avalia o cumprimento do serviço lectivo e dos seus objectivos


individuais estabelecidos neste âmbito?" (DGRHE, 2008).

1.1 Cumprimento do serviço lectivo distribuído.

1.2 Cumprimento dos programas curriculares.

1.3 Exercício de cargos de natureza pedagógica

1.4 Organização e participação em Actividades de Enriquecimento Curricu-


lar constantes no PAA.

1.5 Cumprimento do serviço no apoio individual aos alunos.

1.6 Inspira confiança no conhecimento e compreensão dos outros através


de um diálogo franco e aberto.

1.7 Avaliação da Importância das actividades realizadas.

1.8 Cumprimento dos objectivos individuais estabelecidos no Plano Indivi-


dual de Desenvolvimento.

Professora Doutora em Ciências de Educação.


1/11
2. "Como avalia o seu trabalho no âmbito da preparação e organização
das actividades lectivas? Identifique sumariamente os recursos e ins-
trumentos utilizados e os respectivos objectivos" (DGRHE, 2008).

2.1 Conhecimento das competências gerais do ensino e sua articulação


com as competências especificas da disciplina leccionada.

2.2 Articulação das competências gerais e específicas do ensino com objec-


tivos gerais e específicos, com os respectivos conteúdos curriculares
(conceitos, processos, constructos, interacções entre conteúdos da pró-
pria disciplina e conteúdos de outras disciplinas estabelecendo a trans-
diciplinaridade).

2.3 Diagnóstico das necessidades e interesses dos alunos.

2.4 Capacidade de gestão do currículo de forma adequada aos alunos em


presença e ao currículo a leccionar.

2.5 Planificação e organização das actividades lectivas tendo em considera-


ção os objectivos, as estratégias, as actividades e a avaliação enquanto
professor construtor de currículo.

2.6 Definição de objectivos curriculares e formulação de competências.

2.7 Diversidade, adequação e correcção científico-pedagógica das metodo-


logias.

2.8 Utilização de estratégias e recursos adequados às necessidades dos


alunos e ao currículo a leccionar: trabalho a pares; grupo; leitura dialo-
gada; Leituras Orientadas; Ensino por competências; organização do
espaço; dramatizações; realizações de PowerPoint; portefólios; comuni-
cações; resolução de problemas; trabalho individual; sabatinas; debates;

2.9 Suportes variados: Cartazes; Livros / revistas; Utilização de TIC: moo-


dle, powerpoint, blogs., …

2.10 Transversalidade, Interdisciplinaridade e Multidisciplinaridade.

2.11 Organização e apresentação cientifica dos diferentes trabalhos.

Professora Doutora em Ciências de Educação.


2/11
2.12 Pesquisa diversificada e organizada de forma cientifica.

2.13 Utilização de instrumentos de avaliação diagnóstica, formativa e sumati-


va: fichas de trabalho, testes diagnósticos, testes formativos, testes
sumativos, …

3. "Como avalia a concretização das actividades lectivas e o cumprimento


dos objectivos de aprendizagem dos seus alunos? Identifique as prin-
cipais dificuldades e as estratégias que usou para as superar"
(DGRHE, 2008).

3.1 Cumprimento dos objectivos previamente definidos, orientações pro-


gramáticas e programas leccionados.

3.2 Concretização das actividades lectivas.

3.3 Conhecimento das dificuldades evidenciadas pelos alunos.

3.4 Recuperação de atrasos programáticos devido a factores diversos.

3.5 Conhecimento da cultura da comunidade educativa (Interculturalidade e


Multiculturalidade, proveniência originária dos alunos).

3.6 Atenção à cultura dos alunos, aos seus conhecimentos e necessidades.

3.7 Utilização de pedagógica diferenciada.

3.8 Articulação de objectivos, competências, estratégias, actividades e


avaliação.

3.9 Dificuldades e estratégias utilizadas para as superar: apoio individuali-


zado e diferenciado, actividades de consolidação, realização de jogos
interactivos,...

3.10 Promoção da articulação das aulas anteriores e posteriores.

3.11 Capacidade de comunicação.

3.12 Envolvimento dos alunos nas diferentes actividades.

3.13 Envolvimento de todos e de cada um dos alunos.


Professora Doutora em Ciências de Educação.
3/11
3.14 Reformulação em situação dos planos de aula devido a algum imprevis-
to ou a questões pertinentes apresentadas pelos alunos.

3.15 Utilização de recursos inovadores incluindo as tecnologias de informa-


ção e comunicação.

3.16 Promoção do trabalho autónomo dos alunos e aquisição de métodos de


estudo.

3.17 Promoção dos diferentes saberes.

3.18 Diversidade, adequação e correcção científico-pedagógica dos recursos


utilizados: manual, suportes escritos, suportes multimédia, quadro preto,
quadros interactivos, …

4. "Como avalia a relação pedagógica que estabeleceu com os seus alu-


nos e o conhecimento que tem de cada um deles?" (DGRHE, 2008).

4.1 Conhecimento de cada um dos alunos tende em consideração o contex-


to sócio-afectivo em que se insere.

4.2 Promoção de um clima favorável à aprendizagem, ao bem-estar, ao


desenvolvimento afectivo, emocional e social dos alunos.

4.3 Escuta activa de todos os alunos e de cada um em particular, especial-


mente aqueles que evidenciam mais dificuldades.

4.4 Promoção da integração, inclusão dos alunos e da adopção de regras


de convivência, colaboração e respeito.

4.5 Incentivo à construção participada de regras de convivência dos alunos.

4.6 Gestão flexível de situações problemáticas e de conflitos interpessoais.

4.7 Capacidade de comunicação e estímulo do interesse dos alunos pela


aprendizagem.

4.8 Elogia o desenvolvimento das competências dos alunos – reforço positi-


vo.

Professora Doutora em Ciências de Educação.


4/11
4.9 Promoção da participação oral e escrita dos alunos.

4.10 Organização do espaço sala de aula como meio de relação e de inte-


racção de alunos entre si e entre professor e alunos ou o seu contrário.

4.11 Trabalho em equipa para resolução de problemas de aprendizagem e


de integração do aluno na comunidade escolar (Director ou conselho
Executivo, Conselho de Turma, Equipa de Apoios Educativos, …).

5. "Como avalia o apoio que prestou à aprendizagem dos seus alunos?"


(DGRHE, 2008).

5.1 Organização do ensino e promoção das aprendizagens individualmente


ou em equipa.

5.2 Organização dos diversos tempos da aula (início – síntese dos conteú-
dos anteriores, motivação, desenvolvimento e síntese final).

5.3 Realização de actividades educativas de apoio diferenciado aos alunos.

5.4 Presta apoio à aprendizagem dos alunos incluindo aqueles com dificul-
dades de aprendizagem.

5.5 Escuta activa por parte de professor e dos alunos.

5.6 Actuação calma, firme, verdadeira e justa nas diferentes situações de


ensino e de aprendizagem.

5.7 Propostas para a solução de dilemas morais, uso de técnicas preconi-


zadas pela educação em valores.

5.8 Uso de diferentes recursos para a solução de dilemas morais: lendas,


pequenas histórias, palavras cruzadas, ….

5.9 Uso de várias técnicas promotoras da aprendizagem dos alunos: role-


play, Brainstorming, pedagogia de trabalho de projecto, arqueologia do
erro, resolução de problemas.

5.10 Diálogo com os alunos sobre as suas dificuldades e problemas.

5.11 Promove a clarificação de valores.


Professora Doutora em Ciências de Educação.
5/11
6. "Como avalia o trabalho que realizou no âmbito da avaliação das
aprendizagens dos alunos? Identifique sumariamente os instrumentos
que utilizou para essa avaliação e os respectivos objectivos" (DGRHE,
2008).

6.1 Processo de avaliação das aprendizagens dos alunos de acordo com os


diferentes referentes externos e internos, adaptados à realidade da tur-
ma.

6.2 Clarificação das diferentes competências a desenvolver.

6.3 Clarificação dos diferentes conteúdos curriculares propostos.

6.4 Procedimentos de avaliação contínua ao longo das actividades curricu-


lares.

6.5 Modalidades de avaliação utilizada: formativa e sumativa.

6.6 Elaboração de matrizes e de critérios de correcção dos diferentes ins-


trumentos de avaliação e apresentação aos alunos.

6.7 Organização dos instrumentos avaliativos de acordo com a pedagogia


diferenciada, adequados às aprendizagens desenvolvidas: fichas de
trabalho, fichas de diagnóstico, fichas formativas, fichas sumativas, tra-
balhos monográficos, …

6.8 Tipos de questões apresentadas nos testes de acordo com os conteú-


dos curriculares e as necessidades dos alunos: escolha múltipla, res-
posta fechada, resposta aberta, resposta em associação.

6.9 Grau de observância dos critérios de avaliação regulamentados.

6.10 Fomento da auto-avaliação e da hetero-avaliação crítica do trabalho rea-


lizado.

6.11 Oportunidade da realização da avaliação assim como da entrega dos


resultados aos alunos.

6.12 Reorganização das estratégias de aprendizagem em função do feed-


back da avaliação realizada – avaliação reguladora e prospectiva.

Professora Doutora em Ciências de Educação.


6/11
6.13 Resolução das diferentes situações problemáticas, promovendo activi-
dades de recuperação da aprendizagem.

7. "Identifique a evolução dos resultados escolares dos seus alunos. Ava-


lie o seu contributo para a sua melhoria e o cumprimento dos objecti-
vos individuais estabelecidos neste âmbito" (DGRHE, 2008).

"Considere:
1; Progresso dos resultados escolares dos seus alunos no ano/disciplina
relativamente aos resultados atingidos no ano lectivo anterior;
2; Progresso das aprendizagens dos alunos relativamente à avaliação
diagnóstica realizada no início do ano;
3; Evolução dos resultados escolares dos seus alunos relativamente à
evolução média: a) dos resultados dos alunos daquele ano de esco-
laridade ou daquela disciplina naquele agrupamento de escolas ou
escola não agrupada; b) dos mesmos alunos no conjunto das outras
disciplinas da turma no caso de alunos dos 2º e 3º ciclos do ensino
básico e do ensino secundário;
3; Classificações nas provas de avaliação externa e respectiva diferença
relativamente às classificações internas;
4; Outros que entenda necessário" (DGRHE, 2008)

8. "Como avalia a sua participação e o seu contributo para a definição e


concretização de estratégias para a prevenção e redução do abandono
escolar e o cumprimento dos seus objectivos individuais estabeleci-
dos neste âmbito? Na sua apreciação identifique sumariamente as
acções e iniciativas que desenvolveu" (DGRHE, 2008).

8.1 Identificação das necessidades, interesses e motivações dos diferentes


alunos.

8.2 Identificação do contexto sócio-afectivo e social da comunidade onde se


insere a escola e em particular cada um dos alunos.

8.3 Motivação dos alunos para a necessidade de possuírem conhecimentos


relativos aos vários níveis do saber (cognitivo, operativo, valorativo,
estar e relacional).
Professora Doutora em Ciências de Educação.
7/11
9. "Como avalia o seu contributo para a vida da escola e em particular a
sua participação nos projectos e actividades previstos ao nível da
escola/agrupamento e da turma (designadamente, no 1;º ciclo, na
supervisão das actividades de enriquecimento curricular)? Identifique
as actividades que dinamizou e/ou em que participou" (DGRHE, 2008).

9.1 Organização de Projectos de Intervenção Educativa.

9.2 Trabalho cooperativo na organização e execução de projectos de inter-


venção.

9.3 Participação fundamentada e empenhada em actividades de enriqueci-


mento curricular: visitas de estudo, colóquios, exposições, festas, clu-
bes…

9.4 Utilização de estratégias e recursos diversificados e adaptados aos pro-


jectos planificados e às necessidades cognitivas, psicoafectivas e rela-
cionais dos alunos.

9.5 Utilização de modalidades e instrumentos de avaliação diversificados


para avaliar as diferentes etapas dos projectos e ou das actividades.

10. "Como avalia a sua participação nas estruturas de orientação educati-


va e nos órgãos de gestão e o contributo que deu para o seu funcio-
namento?" (DGRHE, 2008).

10.1 Participação activa e fundamentada cientificamente no trabalho desen-


volvido em departamento.

10.2 Diálogo e escuta activa com todos os membros do departamento de


forma a estabelecer a transdisciplinaridade.

10.3 Diálogo e escuta activa com todos os membros dos diferentes conse-
lhos de turma.

10.4 Diálogo e relação profissional com todos os membros da comunidade


educativa revelando sentido de profissionalidade.

Professora Doutora em Ciências de Educação.


8/11
10.5 Diagnóstico de problemas educativos e formativos relacionados com a
profissionalidade.

10.6 Contributo para a resolução dos problemas emergentes ou dos proble-


mas existentes.

10.7 Contributo para o bom funcionamento dos diferentes órgãos de gestão.

11. "Como avalia o estado de actualização dos seus conhecimentos cien-


tíficos e pedagógicos e a sua capacidade de utilização das Tecnolo-
gias de Informação e Comunicação?" (DGRHE, 2008).

11.1 Actualização e conhecimento teórico-prático de saberes científicos


específicos da área, pedagógicos e didácticos.

11.2 Utilização de uma linguagem científica correcta e clara adaptada à faixa


etária dos alunos e às suas necessidades.

11.3 Fundamento do conhecimento científico a prática pedagógica (porque


faz o que faz e porque o faz daquele modo).

11.4 Utilização das TIC de forma correcta e adequada às competências a


desenvolver.

12. "Refira as acções de formação contínua realizadas e a classificação


nelas obtida e avalie o contributo de cada uma delas para o seu
desempenho profissional" (DGRHE, 2008).

12.1. Acções de formação realizadas tendo em conta as necessidades espe-


cificas do grupo de recrutamento e as necessidades da escola.

12.1. Contributo das acções de formação para o desenvolvimento da profis-


sionalidade.

12.1. Classificação obtida nas acções de formação.

Professora Doutora em Ciências de Educação.


9/11
13. "Identifique sumariamente as suas necessidades de formação e de
desenvolvimento profissional" (DGRHE, 2008).

13.1. Acções de formação a realizar tendo em conta as necessidades específi-


cas do grupo de recrutamento e as necessidades da escola.

14. "Como avalia a relação que estabeleceu com a comunidade e o cum-


primento dos seus objectivos individuais definidos neste âmbito?"

14.1. Respeitante a toda a comunidade escolar:

i) Tratamento agradável e respeitoso.

ii) Diálogo e escuta activa.

iii) Promoção de actividades de enriquecimento curricular para


toda a comunidade escolar.

iv) Promoção da avaliação das actividades de enriquecimento


curricular realizadas.

v) Diálogo com as forças vivas da comunidade: junta de fre-


guesia, comunidades religiosas, associações socioculturais
e recreativas, …

vi) Reuniões de pais.

vii) Publicação de Páginas Web, Blogs, Jornais, …

viii) Apresentação de Exposições, Colóquios, …

14.2. Respeitante aos alunos:

i) Relacionamento franco, aberto e verdadeiro com todos os


alunos e com cada um em particular.

ii) Promoção de actividades que desenvolvam a relação entre


os alunos e entre os alunos e os professores.

iii) Utilização da pedagogia de ajuda.

14.3. Respeitante aos outros professores:


Professora Doutora em Ciências de Educação.
10/11
i) Relacionamento franco, aberto e verdadeiro com todos os
professores e com cada um em particular.

ii) Trabalho cooperativo com todos os professores (Director


e/ou Conselho Executivo, Departamento, Conselho de Tur-
ma, …) fundamentado de forma científica, pedagógica e
didáctica.

Referência Bibliográfica
DGRHE (2008) . Anexo IV – Ficha de Avaliação do Desempenho . Auto-
Avaliação . In http://www.dgrhe.min-edu.pt/Portal/WebForms/Docentes
/PDF/Docente/AvaliacaoDesempenho/Anexo%20IV%20%20Docentes
%201º,%202º,%203º%20e%20Sec%20-%20auto-avaliação.pdf (acedido
em Abril de 2008).

Nenhuma citação do documento apresentado neste site Web pode ser feita
sem o acordo do autor ou do eventual editor. Todas as citações deverão men-
cionar a Fonte original e conservar a integralidade do texto, assim como as
referências bibliográficas.

© Casanova, M. P. (2008) . Proposta de Indicadores. In mpsmcasano-


va.com.sapo.pt/documentos/propostadeindicadores.pdf.
Depósito Legal 2529/2007.

Professora Doutora em Ciências de Educação.


11/11