Você está na página 1de 3

RETÓRICA E DEMOCRACIA NA ACTUALIDADE

Com a ascensão progressiva dos regimes democráticos e do respeito pela


dignidade de todas as pessoas, as sociedades regulam-se cada vez mais pelos
valores da igualdade, da liberdade e da justiça. Na democracia, todos os homens
são iguais em direitos, pelo que a todos compete tomar parte activa na resolução
dos problemas postos pela vida em comum. A melhor forma de os resolver passa
pela palavra, constituindo-se a argumentação como o processo mais favorável de
descoberta de soluções a contento de todos.
Daí que a Retórica, intrinsecamente ligada à vida “pólis” grega, surja na
contemporaneidade como modelo de resolução das questões prioritárias. Foi na
Retórica Clássica que Perelman se inspirou, retirando dela os aspectos positivos
que pudessem adaptar-se à realidade dos nossos dias.

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO DISCURSO DE PROPAGANDA POLÍTICA


E DO DISCURSO PUBLICITÁRIO

→ Principais características do discurso de propaganda política:


o Dirige-se a vários auditores particulares;
o É sedutor;
o É muitas vezes manipulador e demagógico;
o Utiliza como técnicas discursivas as interrogações retóricas, as
expressões ambíguas e as repetições;
o Reforça opiniões prévias;
o Forma e é formado pela opinião pública.

→ Principais características do discurso publicitário:


o É dirigido a um auditório específico;
o Tenta responder a necessidades, mas também as cria;
o É sedutor, pois dirige um apelo específico à sensibilidade / emoção;
o Faz premissas veladas;
o Opta por mensagens curtas (imagem / sonoridade) com pouca informação;
o Actua a um nível implícito e inconsciente; sugere associações.

Persuasão – convencer alguém a aceitar o nosso ponto de vista ou optar por uma
determinada acção.


 com recurso a diferentes técnicas de persuasão (Ethos, Pathos e Logos).

A argumentação é persuasiva, quando:


− se respeita a liberdade de pensamento do outro;
− se respeita a tomada de decisão do outro;
− se apela à reflexão, ao raciocínio, à ponderação para encontrar o melhor
ponto de vista ou decisão;
− se recorre à argumentação racional, baseada no Logos (com argumentos
racionais);
− se recorre ao Ethos e Pathos com moderação;
− se trata do bom uso da retórica (branca), cujo objectivo é o debate sério, a
escolha da melhor tese, o encontro de consensos ou acordos → uso ético
da retórica.

Manipulação – uso indevido da argumentação com o intuito de levar os


interlocutores a aderir acrítica e involuntariamente às propostas do orador.

A argumentação é manipuladora, quando:


− se desrespeita a liberdade de pensamento do outro;
− se obriga a tomar uma posição ou decisão;
− se inibe ou impede a reflexão antes da decisão;
− se recorre a uma argumentação baseada no Ethos ou Pathos, ou se
manipula a informação;
− se trata do mau uso da retórica ou retórica negra, cujo objectivo não é
discutir ou esclarecer ideias, mas impor um ponto de vista ou produto.