Você está na página 1de 16
<a href=www.dent.com.br Centro C. E. T. de Ensino Técnico Radiologia Odontológica TÉCNICA OCLUSAL Prof . Joyce Campbell ______________________ _____________________ __________________ ARARAQUARA- 2005 " id="pdf-obj-0-2" src="pdf-obj-0-2.jpg">

Centro

C.

E.

T.

de

Ensino

Técnico

Radiologia

Odontológica

TÉCNICA

OCLUSAL

Prof

a

.

Joyce

Campbell

_____________________________________________________________

ARARAQUARA- 2005

Técnicas Oclusais

o

Simpson 1916.

o

Indicado como exame complementar aos achados obtidos.

o

O uso da técnica se aplica no exame de pacientes edêntulos, principalmente nas pesquisas de raízes residuais, dentes inclusos, dentes supranumerários ou nos estudos de grandes áreas patológicas ou anômalas, cujo o exame periapical seria insuficiente(Freitas,2004).

Indicações:

Direção e posição de dentes fragmentados, Avaliar extensão de lesões – invasão, Estudar a formação e expansão de vestibular e lingual na presença de lesões, Formação de sialolitos nos condutos de Wharton (glândulas salivares submandibulares), Presença de trismo, Mensurações ortodônticas para controle de tamanho dos maxilares, Estudo de Fendas Palatinas.

Técnicas Oclusais o Simpson 1916. o Indicado como exame complementar aos achados obtidos. o O uso

Paciente com raízes afinaladas e crista alveolar plana há mais tendência à reabsorção. Enquanto que raízes mais grossas (rombas) e cristas alveolares mais afinaladas há menos tendência à reabsorção.

A fixação dos filmes oclusais na cavidade bucal quando o paciente possuir dentes é feita pela oclusão, e quando o paciente for edêntulo ou exame do Túber , nessa duas situações, a fixação será feita com auxílio do polegar do paciente.

..

2004):

Podemos classificar as técnicas oclusais de acordo com as áreas examinadas(Freitas,A a.) Maxila

Oclusal Total

Oclusal de dentes incisivos

Oclusal de caninos

Oclusal de PM e M

Oclusal de seio maxilar

Oclusal de Túber

Pasler (1999) ainda descreve a Técnica Unilateral da Maxila, Técnica Radiográfica Axial para Região de

3ºMolar

b.) Mandíbula

Oclusal Total

Oclusal Parcial

Oclusal da Região de Sínfise

Técnica Radiográfica do Mento com filme Oclusal Extra-bucal (Pasler, 1999)

MAXILA

Posição do Paciente:

TOTAL OCLUSAL

Plano Sagital Medial perpendicular ao plano horizontal; Linha de orientação trago à asa do nariz paralela ao plano horizontal.

MAXILA Posição do Paciente: TOTAL OCLUSAL Plano Sagital Medial perpendicular ao plano horizontal; Linha de orientação

Posição do Filme Maior eixo do Filme Oclusal perpendicular ao Plano Sagital Mediano.

MAXILA Posição do Paciente: TOTAL OCLUSAL Plano Sagital Medial perpendicular ao plano horizontal; Linha de orientação
MAXILA Posição do Paciente: TOTAL OCLUSAL Plano Sagital Medial perpendicular ao plano horizontal; Linha de orientação
MAXILA Posição do Paciente: TOTAL OCLUSAL Plano Sagital Medial perpendicular ao plano horizontal; Linha de orientação

Direção do feixe de raio X:

Angulo Vertical: +65º Ângulo Horizontal: 0º

MAXILA Posição do Paciente: TOTAL OCLUSAL Plano Sagital Medial perpendicular ao plano horizontal; Linha de orientação

Área de incidência Região da Glabela

Área de incidência Região da Glabela Resultados Radiográfico: (Pasler, F.A.1993) Todas as radiografias oclusais de
Área de incidência Região da Glabela Resultados Radiográfico: (Pasler, F.A.1993) Todas as radiografias oclusais de

Resultados Radiográfico:

(Pasler, F.A.1993)

Todas as radiografias oclusais de visão geral devem ser projetadas absolutamente simétricas, para reproduzir radiograficamente, as estruturas anatômicas de maneira similar, dos dois lados, o que facilitará consideravel mente a apreciação de patologias.

Posição do Paciente:

REGIÃO DE INCISIVOS

Plano Sagital Mediano Perpendicular ao Plano Horizontal. Linha de orientação trago à asa do nariz paralela ao plano horizontal.

Posição do filme:

Longo eixo do filme paralelo ao PSM.

(Freitas, A. 2004 p. 152) Direção do Feixe
(Freitas, A. 2004 p. 152)
Direção do Feixe

Ângulo Vertical: +65º Ângulo Horizontal: 0º

Área de incidência do feixe de raio X:

Ápice do Nariz

Resultado Radiográfico

Posição do Paciente: REGIÃO DE INCISIVOS Plano Sagital Mediano Perpendicular ao Plano Horizontal. Linha de

(Freitas, 2004 p.151)

Posição do Paciente

REGIÃO DE CANINOS

Plano Sagital Mediano Perpendicular ao Plano Horizontal. Linha de orientação trago à asa do nariz paralela ao Plano Horizontal.

Posição do Filme

Longo eixo do filme paralelo ao PSM.

Posição do Paciente REGIÃO DE CANINOS Plano Sagital Mediano Perpendicular ao Plano Horizontal. Linha de orientação

Área de Incidência

Posição do Paciente REGIÃO DE CANINOS Plano Sagital Mediano Perpendicular ao Plano Horizontal. Linha de orientação

Forame infra-orbital em região de dentes caninos superiores.

Direção do Feixe

Ângulo vertical :+65º

Ângulo Horizontal:+45º

Resultado Radiográfico

Posição do Paciente REGIÃO DE CANINOS Plano Sagital Mediano Perpendicular ao Plano Horizontal. Linha de orientação

(Freitas, A.2004 p.153)

REGIÃO DE PRÉ-MOLARES E MOLARES

Posição do Paciente Plano Sagital Mediano Perpendicular ao Plano Horizontal. Linha de orientação trago à asa do nariz paralela ao plano horizontal.

Posição do Filme Longo eixo do filme paralelo ao PSM.

Área de Incidência Forame infra-orbital.

REGIÃO DE PRÉ-MOLARES E MOLARES Posição do Paciente Plano Sagital Mediano Perpendicular ao Plano Horizontal. Linha

Direção do Feixe de RX Ângulo Vertical:+65º Ângulo Horizontal:+90º

Resultado Radiográfico

REGIÃO DE PRÉ-MOLARES E MOLARES Posição do Paciente Plano Sagital Mediano Perpendicular ao Plano Horizontal. Linha

( Freitas, A. 2004 p.154)

REGIÃO DOASSOALHO DO SEIO MAXILAR

Posição do Paciente Plano Sagital Mediano Perpendicular ao Plano Horizontal. Linha de orientação trago à asa do nariz paralela ao plano ho rizontal.

Posição do Filme Longo eixo do filme paralelo ao PSM.

Área de incidência Forame Infra-orbital.

Direção do feixe de raio x Ângulo Vertical: +80º Ângulo Horizontal: 0º

REGIÃO DOASSOALHO DO SEIO MAXILAR Posição do Paciente Plano Sagital Mediano Perpendicular ao Plano Horizontal. Linha

Resultados radiográficos

REGIÃO DOASSOALHO DO SEIO MAXILAR Posição do Paciente Plano Sagital Mediano Perpendicular ao Plano Horizontal. Linha

(Freitas, A. 2004 p. 155)

Região de Túber

Posição do Paciente Plano Sagital Mediano Perpendicular ao Plano Horizontal. Linha de orientação trago à asa do nariz paralela ao plano ho rizontal.

Posição do Filme Longo eixo do filme paralelo ao plano sagital medial.

Área de incidência 3cm atrás da fissura pa lpebral externa.

Direção do feixe de raioX Ângulo Vertical: +45º Ângulo Horizontal: 45º

Resultados radiográficos

Região de Túber Posição do Paciente Plano Sagital Mediano Perpendicular ao Plano Horizontal. Linha de orientação
Região de Túber Posição do Paciente Plano Sagital Mediano Perpendicular ao Plano Horizontal. Linha de orientação

(Freita,A. ,2004p.156)

Pasler (1993) descreve apenas a técnica radiográfica unilateral da maxila:

TÉCNICA UNILATE RAL DA MAXILA (Pasler)

Posição do Paciente:

Plano Sagital Mediano Perpendicular ao Plano Horizontal. Linha de orientação tra go à asa do nariz paralela ao plano horizontal.

Posição do Filme:

Pasler (1993) descreve apenas a técnica radiográfica unilateral da maxila: TÉCNICA UNILATE RAL DA MAXILA (Pasler)

Área de Incidência:

O feixe central deve penetrar pela zona do forame infra-orbitário.

Pasler (1993) descreve apenas a técnica radiográfica unilateral da maxila: TÉCNICA UNILATE RAL DA MAXILA (Pasler)

Direção do Feixe de Raio X:

É

dirigido o mais verticalmente possível de

fora para dentro e de cima para baixo

Resultados Radiográficos

Pasler (1993) descreve apenas a técnica radiográfica unilateral da maxila: TÉCNICA UNILATE RAL DA MAXILA (Pasler)
Pasler (1993) descreve apenas a técnica radiográfica unilateral da maxila: TÉCNICA UNILATE RAL DA MAXILA (Pasler)

(Pasler,1993)

Para a localização de dentes inclusos na maxila é mais ap ropriado o método de Clark (para adultos) ou a técnica direcionamento perpendicular centralizado sobre o eixo do dente, com o uso de suportes em crianças.

oclusal com

MANDIBULA

Posiç

ão

do Paciente:

TOTAL

PSM perpendicular ao Pl ano Horizontal. L inha de orientação do trago à comissura labial 45º com o Plano Horizontal.

Posição do Filme:

Longo eixo do filme p

erpendicular ao PSM.
erpendicular ao PSM.
MANDIBULA Posiç ão do Paciente: TOTAL PSM perpendicular ao Pl ano Horizontal. L inha de orientação

Área de Incidência:

Porção mediana do assoalho bucal. (Freitas, A. 2004)

MANDIBULA Posiç ão do Paciente: TOTAL PSM perpendicular ao Pl ano Horizontal. L inha de orientação

Direção do feixe de Raio X

Ângulo Vertical: -90º Â ngulo Horizontal:0º

Direção do feixe de Raio X Ângulo Vertical: -90º Â ngulo Horizontal:0º Resultados Radiográficos: (Pasler,

Resultados Radiográficos:

Direção do feixe de Raio X Ângulo Vertical: -90º Â ngulo Horizontal:0º Resultados Radiográficos: (Pasler,

(Pasler, 1993)

Direção do feixe de Raio X Ângulo Vertical: -90º Â ngulo Horizontal:0º Resultados Radiográficos: (Pasler,

(Freitas, 2004 p.157)

Posição do Paciente:

PARCIAL

PSM perpendicular a o Plano Horizontal. Linha de orientação do trago à comissura labial 45º com o Plano Horizontal.

P osição do Filme:

Longo eixo do filme p aralelo ao PSM.

a:
a:

Área de incidênci

Lado da mandíbula inte ressada no exame(Freitas,2004).

O

feixe

central

deve

ser

guiado

em

direção

ao

eixo

do

dente

e

perpendicularmente ao corpo da mandíbula. O feixe é co nduzido de fora para

baixo para cima, através da região do dente 36 e 46. (Pasler, 1999)

Posição do Paciente: PARCIAL PSM perpendicular a o Plano Horizontal. Linha de orientação do trago

dentro

e

de

Direção do Feixe de raio x:

Ângulo Vertical: - 90º Â ngulo Horizontal:0º

Resultados radiográficos:

Posição do Paciente: PARCIAL PSM perpendicular a o Plano Horizontal. Linha de orientação do trago

(Freitas, 2004)

Pasler (1999) descreve que esta técnica deve ser modificada convenientemente, para radiografar 3º molar posicionados de modo tr ansversal.

TÉCNICA RADIOGRÁFICA AXIAL DA REGIÃO DE 3º MOLAR INFERIOR (Pasler, 1999)

Posição da cabeça:

Inclina-se a cabeça do paciente para trás o mais possível, ao mesmo tempo em que é girada para o lado sadio.

ansversalmente, mas sim lateralmente,
ansversalmente, mas sim lateralmente,
(Freitas, 2004) Pasler (1999) descreve que esta técnica deve ser modificada convenientemente, para radiografar 3º molar

Posição do

F

O

ilme:

filme não é colocado tr

mordido levemente entre os conjuntos de dentes

do lado em questão e em sentido distal, tanto quanto possível. Numa dentadura com falhas, eventualmente, torna-se necessário substituir os dentes em falta por rolos de algodão, a fim de que o filme fique plano ao cerrar-se a boca.

Á

rea de incidência:

Posiciona-se o aparelho ju do objeto, sobre o filme.

nto ao ângulo da mandíbula

(Freitas, 2004) Pasler (1999) descreve que esta técnica deve ser modificada convenientemente, para radiografar 3º molar

, de modo que o feixe central possa ser dirigido daí, através

Resultados Radiográficos:

(Freitas, 2004) Pasler (1999) descreve que esta técnica deve ser modificada convenientemente, para radiografar 3º molar

Posição do Paciente:

(Pasler, 1993)

REGIÃO DA SÍNFISE (Freitas,2004)

Posição do Paciente: (Pasler, 1993) REGIÃO DA SÍNFISE (Freitas,2004) Posição do Filme: Longo eixo do filme
Posição do Paciente: (Pasler, 1993) REGIÃO DA SÍNFISE (Freitas,2004) Posição do Filme: Longo eixo do filme

Posição do Filme:

Longo eixo do filme paralelo ao PSM (Intra Oral).

Posição do Paciente: (Pasler, 1993) REGIÃO DA SÍNFISE (Freitas,2004) Posição do Filme: Longo eixo do filme

Área de incidência:Direção

do feixe de raio X:

Sínfise da Mandíbula

Direção do Feixe de raio x:

Ângulo Vertical: -55º Â ngulo Horizontal: 0º

Resultados Radiog ráficos:

Posição do Paciente: (Pasler, 1993) REGIÃO DA SÍNFISE (Freitas,2004) Posição do Filme: Longo eixo do filme

(Freitas,2004 p. 159)

TÉCNICA RADIOGRÁFICA DO MENTO COM UTILIZAÇÃO DO OCLUSAL EXTRA-ORAL

SÍNFISE REVERSA ( Plasler, 1999)

P

osição do Paciente

E

obilizado com o dorso dos dedos disten
obilizado com o dorso dos dedos disten

Posição do Filme m baixo do queixo do paciente e deve ser im

didos de uma de suas mãos.

Direção do feixe de Raio-X.

O feixe é colocado segundo as regras da técnica da bissetriz.

Resultados Radiográficos.

TÉCNICA RADIOGRÁFICA DO MENTO COM UTILIZAÇÃO DO OCLUSAL EXTRA-ORAL SÍNFISE REVERSA ( Plasler, 1999) P osição

(Pasler, 1993)