Você está na página 1de 5

Os 10 mandamentos para a prática da cidadania sócio-ambiental

Professora Ms. Daniela Rabello Lucia Durante

E afinal o que é cidadania sócio-ambiental?


Todos os dias, os mais diversos veículos de comunicação divulgam ações
ambientais realizadas por empresas preocupadas com a preservação do planeta, grandes
protestos mobilizados por organizações não governamentais engajadas na luta contra a
destruição de florestas, contra a caça às baleias e o derretimento das calotas polares.
A divulgação de todos esses trabalhos pode nos causar a impressão de que atuar
em favor do meio ambiente é uma tarefa praticamente impossível de ser realizada e
ainda, de que o engajamento a essas causas ambientais é atividade exclusiva para
biólogos, engenheiros florestais e profissionais cujas áreas de atuação estão ligadas à
preservação do planeta.
Cidadania sócio-ambiental é ter a consciência de que podemos, por meio de atitudes
responsáveis diárias, modificar positivamente o panorama ambiental do Brasil e do
mundo, sendo que para exercê-la, não é necessário tornar-se um ativista, nem abster-se
dos prazeres da vida, nem tampouco radicalizar a rotina com hábitos impraticáveis. Para
exercê-la, basta compreender que muitas das nossas escolhas merecem uma reflexão
simples: “Este ato implica em prejuízo ao meio ambiente e/ou estou incentivando a sua
degradação?” Se a resposta for positiva, está na hora de rever os conceitos e os
costumes que mobilizam sua vida.
A fim de facilitar a compreensão a respeito de como cidadãos comuns podem
reverter o lamentável quadro de degradação ambiental que nos cerca, elenquei 10
“mandamentos”, ou seja, 10 atitudes ambientalmente corretas que deveríamos adotar
sempre que a nossa “consciência ambiental” nos fizer a pergunta acima descrita:
1º ASSUMA UMA MISSÃO ECOLÓGICA DIÁRIA: É imprescindível que sejamos
conscientes de que quando mencionamos o termo “meio-ambiente”, não estamos nos
referindo a um organismo independente de nós humanos, com vida e sustentabilidade
próprias, mas sim, de tudo o que nos cerca e de que inevitavelmente fazemos parte.
Portanto, tratar do meio ambiente não é somente pensarmos no desmatamento da
floresta Amazônica ou na preservação do mico-leão-dourado. Ao contrário do que a
maioria das pessoas pensa, essas lastimáveis complicações relacionadas ao
desmatamento de florestas e à extinção de espécies são nada mais nada menos do que o
reflexo da falta de compromisso que a sociedade tem para com as causas ambientais.
Assumir para si próprios não a completa resolução dos problemas, mas o compromisso
com a fiscalização, a denúncia de crimes ambientais, a manutenção da limpeza das ruas
e avenidas e a diminuição da emissão de poluentes atmosféricos é adquirir cidadania
sócio-ambiental.
2º RECRIMINE ATOS ECOLOGICAMENTE INCORRETOS: O tráfico de animais
silvestres para serem comercializados nas feiras livres e nos Pet Shops deve ser extinto.
Quando for comprar algum animal, tais como pássaros, tartarugas, répteis e peixes,
verifique se o animal possui licença para venda. Caso não possua, certamente o mesmo
foi adquirido por meios ilegais e clandestinos. Se presenciar a venda na feira livre ou
depósito de tráfico, avise a polícia. Informe dados precisos da ocorrência. As denúncias
ao IBAMA podem ser realizadas através da Linha Verde Tel. 0800 61 8080.
Outro ato ecologicamente incorreto é o desmatamento ilegal. É comum
presenciarmos diariamente nas ruas por onde passamos, o desmatamento de terrenos
que dão lugar às construções de condomínios residenciais e empreendimentos
comerciais. Todo desmatamento urbano deve ser licenciado pelo IBAMA, de modo que
somente uma porção ideal das árvores pode ser derrubada, desde que as mesmas não
sejam nativas, se encontrem em extinção ou exista fauna local que possa ser gravemente
prejudicada, devendo o projeto arquitetônico adaptar-se ao ecossistema local. O
desmatamento ilegal é passível de multa e constitui-se em crime ambiental.
3º COMPRE PRODUTOS ECOLOGICAMENTE CORRETOS: Prefira a compra de
móveis e objetos de arte confeccionados com madeira de reflorestamento. Além de ser
legalizada junto ao IBAMA, sua produção não é clandestina, por isso arrecada impostos,
aquece a economia brasileira e aumenta as ofertas de emprego. Busque sempre saber se
a empresa produtora de uma determinada mercadoria tem preocupação ambiental. Isso
pode ser facilmente verificado por meio da internet ou mesmo no site da empresa.
Diminua a quantidade de sacolas plásticas durante a compra no mercado. Uma
única sacola plástica demora até 500 anos para se decompor no solo.
Adquira o hábito de comprar detergentes biodegradáveis, sua ação poluente é
menor e facilita o tratamento de esgotos.
4º ADOTE OU PLANTE ÁRVORES: Além de representar uma atividade saudável,
que nos coloca em contato direto com a natureza, o plantio de árvores devolve ao solo a
riqueza de nutrientes perdidos com a falta de vegetação local, protege o solo contra
deslizamentos de terra e melhora a qualidade do ar. A despeito disso, o plantio de árvores
pode representar uma oportunidade valiosa de aprendizagem sobre o funcionamento dos
ecossistemas e vegetações.
5º CUIDE DOS RESÍDUOS SÓLIDOS: Lixo é tudo aquilo que não tem mais
serventia! Adquira o hábito de separar os resíduos recicláveis daqueles que não podem
ter esse fim. Se você mora em um condomínio, provavelmente existam lixeiras coloridas
apropriadas para esse destino. Se o leitor mora em casa situada em ruas e em sua cidade
não há uma política de coleta seletiva de resíduos promovida pela prefeitura, organize-se,
separando os resíduos mesmo assim. Dessa forma, esses resíduos podem ser
destinados aos profissionais que trabalham com reciclagem em cooperativas localizadas
na sua cidade.
6º SOME FORCAS EM PROL DA DEFESA DO MEIO AMBIENTE: Se a defesa do
meio ambiente tornou-se um lema para a sua vida, você pode considerar-se um cidadão
sócio-ambiental. Agora é buscar conscientizar as pessoas do seu convívio: familiares,
vizinhos e colegas de trabalho para lutar em defesa do meio ambiente. Além disso, o caro
leitor pode fazer parte de alguma ONG cuja causa lhe simpatiza ou simplesmente
contribuir financeiramente com a mesma.
7º EDUQUE AS CRIANÇAS PARA EXERCER A ECO-CIDADANIA: Quando
sensibilizamos as crianças para as mais diversas causas ambientais, temos a garantia de
que, futuramente, os velhos hábitos ecologicamente incorretos praticados pelos adultos
de hoje não serão mais uma fronteira a ser transposta. Incentive seus filhos para a
reciclagem dos resíduos; a jogar o lixo no lixo; a plantar pequenas árvores nos jardins e a
cultivar produtos orgânicos por meio de uma pequena horta cultivada em casa. Além de
divertidas, essas atividades constituem-se numa excelente oportunidade para aumentar o
vínculo do aprendizado entre pais e filhos, ou seja uma experiência verdadeiramente
pedagógica!
8º UTILIZE, SEMPRE QUE POSSÍVEL, MEIOS DE TRANSPORTE NÃO
POLUENTES: Se você mora perto do trabalho, e o dia está apropriado, por que não
trocar o automóvel pela bicicleta? Um dos dilemas ambientais da atualidade é o desafio
pela busca de veículos menos poluentes. Se mesmo assim não é possível deslocar-se
para o trabalho com uma bicicleta, utilize-a nos finais de semana para atividades de
trajeto curto. Essa será uma alternativa ótima para a saúde e para contribuir com a
diminuição do lançamento de poluentes atmosféricos.
9º PRATIQUE O CONSUMO CONSCIENTE DE ÁGUA E ALIMENTOS,
EVITANDO O DESPERDÍCIO: Está comprovado que mais de 60% de todo o lixo
produzido no Brasil é comporto por alimentos descartados. Para evitar essa lamentável
prática, evite produzir, para as refeições diárias, mais alimentos do que se pode consumir.
Esta filosofia já está sendo empregada em grandes empresas que buscam adquirir a
sustentabilidade. Desperdiçar alimentos não é sinônimo de fartura, mas sim da falta de
consciência ambiental e social.
Outro ponto importante é o consumo da água, que aumenta exageradamente nos
meses de verão. A água é um recurso não renovável, ou seja, uma vez poluída,
dificilmente sua recuperação a torna perfeita para ser potável novamente. O Brasil tem
um dos piores índices de desperdício de água no mundo, estima-se que 40% do volume
de água tratada no país seja perdida durante a distribuição, devido a vazamentos nas
tubulações e que 60% dos esgotos são ainda jogados sem tratamento nos cursos de
água.
Exerça sua cidadania sócio-ambiental, controlando o tempo dos banhos; evitando a
lavagem dos quintais e calçadas com mangueiras (procure reaproveitar água das
máquinas de lavar roupas ou coletando água diretamente das chuvas); lavando as louças
e roupas de maneira econômica e sempre consertando vazamentos o mais rapidamente
possível.
10º INCENTIVE TÉCNICAS AMBIENTALMENTE SUSTENTÁVEIS COMO A
PERMACULTURA E AS BIOCONSTRUÇÕES: Apesar de serem ainda pouco divulgadas,
a permacultura constitui-se não somente em cultivo de plantas e alimentos orgânicos,
mas é uma verdadeira forma de viver com o mínimo de desperdício e o máximo de
sustentabilidade, cuja filosofia é manter um método holístico para planejar, atualizar e
manter sistemas de jardins, vilas agrícolas e comunidades auto-sustentáveis de forma
socialmente justa e financeiramente viável. É possível visitar comunidades de
permacultura e aprender como é possível atender as necessidades humanas sem que o
meio ambiente seja financeira e predatoriamente explorado.
Algumas empresas já estão modificando seus conceitos, substituindo a utilização
de materiais de construção convencionais pelas idéias ecologicamente corretas, tais
como o uso de tijolos manufaturados sem que para isso sejam necessárias as emissões
de poluentes atmosféricos das olarias e ainda, o uso de novas ligas de cimento e
materiais reciclados tal como pneus velhos para isolamento acústico e para construções
de muros de arrimo.

Você também pode gostar