Você está na página 1de 9

Curso de Latim

O que é

O Curso de Latim 3.0 é uma iniciativa de professores universitários em prol da divulgação


da língua latina. É uma obra original, que não se encontra em livrarias ou em outros sites.

O curso foi escrito para um público autodidata que deseja aprender latim, mas não tem
tempo ou disponibilidade para assistir a um curso presencial regular. Contém o essencial
para que o aluno possa abordar textos originais latinos com a ajuda apenas de um
dicionário.

Estruturado em 20 lições, cada uma contendo teoria, vocabulário e exercícios com


respostas, o curso conta ainda com acompanhamento ao aluno, por email, para um número
ilimitado de questões acerca dos conteúdos vistos nas lições.

Após a conclusão das 20 lições, o aluno pode ainda manter o contato com nossa equipe
acerca de problemas de tradução dos textos que disponibilizamos na seção de downloads.

Conteúdos das lições

Abaixo seguem os conteúdos das 20 lições de nosso curso:

1. Lectio Prima (Primeira Lição)


1.1 Em português: sujeito, objeto direto e objeto indireto.
1.2 Em latim: nominativo, acusativo e dativo.
1.3 Um nome para as funções sintáticas: os casos.
1.4 Ausência de artigos.
1.5 Femina amat poetam ou Femina poetam amat? A ordem das palavras.
1.6 Quem manda? A importância do verbo.
1.7 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

2. Lectio Secunda (Segunda Lição)


2.1 O caso genitivo.
2.2 O ablativo.
2.3 Chamando alguém: o caso vocativo.
2.4 A primeira declinação.
2.5 O verbo sum no presente.
2.6 O verbo amo no presente.
2.7 O verbo video no presente.
2.8 Vocabulário / Exercícios / Respostas.
3. Lectio Tertia (Terceira Lição)
3.1 A segunda declinação: palavras em us.
3.2 Adjetivos (I).
3.3 O imperfeito.
3.4 O futuro.
3.5 O imperfeito e o futuro do verbo sum.
3.6 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

4. Lectio Quarta (Quarta Lição)


4.1 A segunda declinação: o gênero neutro.
4.2 A segunda declinação: palavras em er.
4.3 Adjetivos (II).
4.4 Particularidades das declinações.
4.5 O imperativo.
4.6 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

5. Lectio Quinta (Quinta Lição)


5.1 A terceira declinação.
5.2 Os tempos do perfectum do indicativo da primeira e da segunda conjugações.
5.3 Os tempos do perfectum do indicativo do verbo sum.
5.4 O verbo possum.
5.5 -ne e -que.
5.6 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

6. Lectio Sexta (Sexta Lição)


6.1 A terceira conjugação.
6.2 Orações subordinadas com o indicativo.
6.3 O futuro perfeito em orações subordinadas.
6.4 Expressando tempo.
6.5 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

7. Lectio Septima (Sétima Lição)


7.1 Pronomes pessoais de primeira e segunda pessoas.
7.2 Os pronomes de terceira pessoa is, ea e id.
7.3 Genitivo e ablativo de qualidade (ou descrição).
7.4 Genitivo de característica.
7.5 Estratégia mínima de tradução dos casos.
7.6 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

8. Lectio Octava (Oitava Lição)


8.1 A quarta conjugação.
8.2 Os verbos em -io da terceira conjugação.
8.3 As quatro conjugações: uma visão panorâmica do indicativo ativo.
8.4 Os modos verbais indicativo e subjuntivo.
8.5 Vocabulário / Exercícios / Respostas.
9. Lectio Nona (Nona Lição)
9.1 O presente do subjuntivo.
9.2 O imperfeito do subjuntivo.
9.3 O perfeito do subjuntivo.
9.4 O mais-que-perfeito do subjuntivo e o infinitivo perfeito.
9.5 Orações finais.
9.6 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

10. Lectio Decima (Décima Lição)


10.1 A voz passiva.
10.2 O presente do indicativo da voz passiva.
10.3 O imperfeito do indicativo da voz passiva.
10.4 O futuro do indicativo da voz passiva.
10.5 O agente da passiva.
10.6 O infinitivo passivo e mais alguns detalhes.
10.7 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

11. Lectio Undecima (Décima Primeira Lição)


11.1 Qui, quae, quod: o pronome relativo.
11.2 O pronome interrogativo quis, quid.
11.3 O pronome adjetivo.
11.4 Na prática...
11.5 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

12. Lectio Duodecima (Décima Segunda Lição)


12.1 O sistema do perfectum passivo de todas as conjugações.
12.2 O pronome reflexivo.
12.3 Ipse, ipsa, ipsum - o próprio.
12.4 Idem, eadem, idem - o mesmo.
12.5 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

13. Lectio Tertia Decima (Décima Terceira Lição)


13.1 A quarta declinação.
13.2 Ablativo de instrumento.
13.3 Ablativo de companhia e de maneira.
13.4 Ablativo de lugar de onde e de separação.
13.5 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

14. Lectio Quarta Decima (Décima Quarta Lição)


14.1 Hic, haec, hoc - este, esta.
14.2 Ille, illa, illud - aquele, aquela.
14.3 Iste, ista, istud - esse, essa.
14.4 Adjetivos especiais em -ius.
14.5 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

15. Lectio Quinta Decima (Décima Quinta Lição)


15.1 A quinta declinação.
15.2 A palavra res.
15.3 Particípios.
15.4 Usos dos particípios.
15.5 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

16. Lectio Sexta Décima (Décima Sexta Lição)


16.1 O comparativo e o superlativo dos adjetivos.
16.2 Comparativos irregulares.
16.3 Ablativo para expressar o quão diferente.
16.4 Advérbios e seus graus.
16.5 Comparativos irregulares de advérbios.
16.6 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

17. Lectio Septima Decima (Décima Sétima Lição)


17.1 A seqüência dos tempos.
17.2 Orações condicionais.
17.3 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

18. Lectio Duodevicesima (Décima Oitava Lição)


18.1 Verbos depoentes.
18.2 Verbos semi-depoentes.
18.3 Os verbos volo, nolo, malo.
18.4 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

19. Lectio Undevicesima (Décima Nona Lição)


19.1 Infinitivos.
19.2 Discurso indireto. Orações com sujeito acusativo e infinitivo.
19.3 O ablativo absoluto.
19.4 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

20. Lectio Vicesima (Vigésima Lição)


20.1 Gerúndio e gerundivo.
20.2 Dativo com certos verbos intransitivos.
20.3 Passiva impessoal.
20.4 O verbo fio - ser feito, acontecer, tornar-se.
20.5 O verbo eo - ir.
20.6 O verbo fero e seus compostos.
20.7 Vocabulário / Exercícios / Respostas.

O que o Curso de Latim 3.0 oferece

• 20 lições originais contendo teoria gramatical, exercícios gramaticais e exercícios


de leitura, todos acompanhados das respectivas respostas.
• Textos originais de autores latinos estudados a partir da primeira lição.
• Acesso a materiais extras complementares.
• Acesso gratuito a atualizações das lições ou de outros materiais.
• Desconto no Curso de Conversação Latina, em preparação.
• Acesso gratuito a vídeos de análise sintática, divulgados no YouTube.
• Acompanhamento personalizado, por email, para dúvidas acerca dos
conteúdos vistos nas lições. Não há limites para seus contatos.

Acesso às lições

As lições são enviadas diretamente ao email do aluno. Será necessário um investimento de


R$ 5,00, por lição, a ser depositado em conta que forneceremos.

A cada 5 lições concedemos um desconto automático de 5% no valor total. Se você deseja


acessar 10 lições, o desconto passa para 10 %. Se você deseja acessar 15 lições, o desconto
é de 15%. Se você deseja acessar todas as lições com um só depósito, concedemos um
desconto de 25% sobre o valor total do curso.

Você pode também solicitar lições avulsas, sem a necessidade de continuidade. Selecione
os tópicos que você quer aprender e peça as lições correspondentes. Todos os seus direitos
serão mantidos.

Leia abaixo a Introdução do curso e confira a qualidade e a metodologia das lições.

Entre em contato concosco, clicando nos links ao lado, para receber mais informações!

Introductio

Este curso

Este Curso de Latim 3.0 foi planejado para você, autodidata, que deseja aprender latim e
que gosta de aprender sozinho. Temos certeza de que seus esforços serão recompensados!

Para aprender sozinho, mesmo com a ajuda de um professor, aceite as seguintes sugestões:

• Compre um dicionário. Recomendamos o Dicionário Latino-Português, de F. R. dos


Santos Saraiva, Editora Garnier, como um dicionário profissional de latim. Para
consultas rápidas, recomendamos o Dicionário Latim-Português, da série
Dicionários Acadêmicos, da Porto Editora.
• Compre uma gramática. Aconselhamos a Gramática Latina, de Antônio Freire,
como gramática profissional. Mais fácil de achar, igualmente confiável e com
exercícios, é a Gramática Latina, de Napoleão Mendes de Almeida.

Se você não encontrou nenhum desses livros ou se achou outros, não se preocupe. Escreva-
nos, que teremos o prazer de ajudá-lo(a) em sua escolha. Mas não deixe de ir montando,
aos poucos, a sua biblioteca latina, com dicionários, gramáticas e obras bilíngües que você
encontrar. Essa biblioteca será sua amiga por toda a vida.

Para iniciar já sua jornada de aprendizado, vamos estudar a pronúncia do latim, segundo as
mais recentes pesquisas sobre como provavelmente os antigos romanos falavam. No final
das instruções seguintes, você pode testar seus novos conhecimentos com trechos de leitura
de dois dos mais importantes escritores latinos: César e Cícero.

Alfabeto e pronúncia

O alfabeto latino, que compõe as palavras deste texto, é o resultado de séculos de


desenvolvimento ao longo de eras e lugares distintos. Originariamente, o alfabeto latino
consistia das seguintes 23 letras:

ABCDEFGHIKLMNOPQRSTVXYZ

As letras Y e Z foram acrescidas depois, por influência do grego. Observe ainda que nesse
alfabeto faltam, do nosso ponto de vista, as letras J, U e W. Em verdade, essas letras são
acréscimos posteriores, não conhecidas dos antigos romanos. Mas vejamos como todas são
pronunciadas.

Vogais

Regra geral: as vogais são pronunciadas, para efeitos práticos, como em português.

Historicamente, as vogais latinas - A, E, I, O, U - tinham uma pronúncia longa e uma


pronúncia breve. Isso significa que uma vogal longa era pronunciada com o dobro da
duração de uma vogal breve. Dizemos também que a quantidade de uma vogal longa é o
dobro da quantidade de uma vogal breve.

Precisamos tocar nesse ponto em função do sistema de acentuação tônica das palavras, que
é bem simples. Em latim, toda palavra de duas sílabas ou mais recebe um acento tônico, ou
seja, possui uma sílaba que é pronunciada com mais intensidade, mais força, do que as
restantes. Essa sílaba, em palavras de duas sílabas, é sempre a penúltima. Em palavras de
três ou mais sílabas, precisamos saber a quantidade da penúltima sílaba, ou seja, saber se a
penúltima sílaba é longa ou breve. Se for longa, acentuamos essa sílaba; se for breve, o
acento recua para a antepenúltima sílaba. Essa é a regra fundamental de acentuação das
palavras latinas.

Uma conseqüência imediata é que precisamos saber quando uma sílaba é longa e quando é
breve. Será geralmente longa quando seguida de duas consoantes; será geralmente breve
quando seguida de outra vogal. Ditongos são considerados longos e recebem o acento
tônico. Indicaremos no curso as poucas exceções a essas regras.

Consoantes
A chamada pronúncia brasileira do latim ensina que as consoantes latinas são pronunciadas
como as consoantes do português. Essa pronúncia, no entanto, não é recomendada, uma vez
que estudos modernos têm favorecido a adoção de outra pronúncia, chamada de pronúncia
reconstituída ou restaurada. Segundo essa pronúncia, as consoantes devem soar da seguinte
maneira:

• B: como em português.
• C: sempre pronunciado como k. Cicero é pronunciado Kíkero
• D: nunca como em dia, quando pronunciado djia. Sempre como o d de dado.
• F: como em português.
• G: sempre como em gato, mesmo antes de e e i. Gigas é pronunciada guigas.
• H: levemente aspirado, como um r brando. Homo é pronunciada romo (o r como o
h da palavra inglesa house).
• J: é criação renascentista, não existente no latim clássico. Era usado para o i
semivogal, que aparece em ditongos. Neste curso, será sempre substituído por I. K:
como em português.
• L: nunca toma o som de u. Na palavra animal, que costumamos pronunciar como
animáu, devemos levantar a língua e encostá-la na base dos dentes, como se
fôssemos pronunciar um e logo depois.
• M: pronunciado, no fim de palavras, com os dois lábios encostados um no outro,
sem nasalização. Circum é pronunciado kírku-mm.
• N: deve ser pronunciado de preferência sem nasalização. Sensus deve ser
pronunciada se-nn-sus, como se, na pronúncia do n, fôssemos acrescentar um e
depois.
• P: como em português.
• Q: antes de ue e ui não deve ser pronunciado como ke e ki, mas como kue e kui.
Quid não fica kid, mas kuid.
• R: sempre "enrolado", e nunca como rr. Ars é aRs, e não aRRs.
• S: sempre com som de ss, mesmo entre vogais. Casa não é kaza, mas kassa.
• T: nunca tch, como em tchau. Tem sempre o som do T de tatu.
• V: tem sempre o som de u. Vivo é pronunciado uíuo.
• X: como ks. Nunca como o português ch. Proximus é pronunciado próksimus.
• Y: como o ü francês. A pronúncia como i é permitida e freqüentemente adotada.
• Z: pronunciado como dz. Zeus é pronunciado Dzeus.

Em uma primeira aproximação, preste atenção apenas nos sons das letras C, G e V. As
demais vêm com o tempo.

Ditongos

Muitos ouviram dizer que, em latim, os ditongos ae e oe pronunciam-se como é.


Tradicionalmente, é assim que são pronunciados no Brasil. Na pronúncia restaurada,
entretanto, são pronunciados ái e ói, respectivamente. Os demais ditongos, como au e eu,
pronunciam-se como em português. Todos os ditongos são longos, o que implica em serem
acentuados quando na penúltima sílaba.
Quantidade

A quantidade de uma sílaba depende da quantidade da vogal dessa sílaba. Em alguns textos,
um pequeno traço sobre uma vogal indica que ela é longa, e uma pequena
semicircunferência sobre a vogal indica que ela é breve, como em ā e ă: o primeiro a é
longo e o segundo é breve.

Neste curso, atentaremos para as seguites regras:

• uma sílaba será longa quando a vogal estiver seguida de duas consoantes, ou quando
na sílaba houver um ditongo;
• uma sílaba será breve quando a vogal estiver seguida de outra vogal.

Como exemplo, considere a palavra puella, que significa menina. Observe que a penúltima
vogal é seguida de duas consoantes, de ll. Assim, ela toma o acento, e é pronunciada puêlla.

Considere agora a palavra alius, que significa outro. A penúltima vogal é seguida de outra
vogal. Assim, ela é breve, e o acento recua para a antepenúltima vogal. A pronúncia fica
álius.

Observe agora a palavra audere, que significa ousar. A pronúncia é áudere ou audêre?
Como saber se o penúltimo e é longo ou breve? Apenas olhando, não é possível. No andar
do curso, veremos que esse verbo pertence à segunda conjugação, o que indica que a
pronúncia é audêre. Casos assim, difíceis de decidir, serão tratados durantes as lições.

Um pouco de treino

Tradicionalmente, os primeiros textos reais a que os alunos são submetidos são escritos de
César e Cícero. Apenas para aguçar o gosto dos alunos, e não por uma questão de tradição,
transcrevemos aqui o primeiro parágrafo da mais conhecida obra de Cícero: quatro
discursos proferidos no Senado Romano com o nome In Catilinam (Contra Catilina),
conhecidas também como Catilinárias. Catilina era um adversário político de Cícero, que
planejou e organizou uma conjuração contra o Senado Romano. A conjuração foi
desbaratada por Cícero, e Catilina e seus partidários foram executados sem julgamento
público, o que causou, posteriormente, o exílio de Cícero. Transcrevemos também um
trecho do primeiro parágrafo da obra de César, De bello gallico (Sobre a Guerra da Gália),
em que César descreve os costumes e as tradições dos povos que habitavam principalmente
a Gália, atual França, na campanha que moveu para a conquista daquele território.

O exercício aqui é o de pronunciar, com a máxima atenção possível, os trechos abaixo.


Observe que, no trecho de Cícero, acrescentamos um traço sobre a penúltima vogal se esta
é longa, para facilitar a pronúncia. No trecho de César não colocamos esse sinal.

Cicero, In catilinam I:
Quo usque tandem abutēre, Catilīna, patientia nostra? quam diu etiam furor iste tuus nos
elūdet? quem ad finem sese effrenāta iactābit audacia? Nihilne te nocturnum preasidium
Palāti, nihil urbis vigīliae, nihil timor populi, nihil concursus bonōrum omnium, nihil hic
munitissimus habendi senātus locus, nihil horum ora vultusque movērunt? Patēre tua
consilia non sentis, constrictam iam omnium scientia tenēri conjuratiōnem tuam non vides?
Quid proxima, quid superiōre nocte egeris, ubi fueris, quos convocaveris, quid consili
ceperis, quem nostrum ignorāre arbitrāris?

Cesar, De bello gallico:

Gallia est omnis divisa in partes tres, quarum unam incolunt Belgae, aliam Aquitani, tertiam
qui ipsorum lingua Celtae, nostra Galli appellantur. Hi omnes lingua, institutis, legibus inter
se differunt. Gallos ab Aquitanis Garumna flumen, a Belgis Matrona et Sequana dividit.
Horum omnium fortissimi sunt Belgae, propterea quod a cultu atque humanitate provinciae
longissime absunt, minimeque ad eos mercatores saepe commeant atque ea quae ad
effeminandos animos pertinent important, proximique sunt Germanis, qui trans Rhenum
incolunt, quibuscum continenter bellum gerunt.

O que significam esses textos? O curso esclarecerá. Seja bem-vindo(a)!

Você também pode gostar