Você está na página 1de 6

A Juventude Revolução - IRJ é uma organização de jovens con-

tra a exploração, a opressão e a guerra e na luta pelo socialismo


no Brasil e no mundo. Nós surgimos da necessidade que todos os
jovens tem de lutar pelos nossos direitos. Somos aderentes da Inter-

Revolucionária da
nacional Revolucionária da Juventude (IRJ) organização que reúne

Internacional
jovens de vários países.

aderente da
Lutamos pelo direito da juventude ter um futuro de verdade

Juventude
sem guerras, drogas e violência. Queremos educação, trabalho di-
versão e arte! Por isso rejeitamos o capitalismo, sistema baseado na
propriedade privada dos meios de produção, que explora e oprime
os trabalhadores e a juventude.
Os definimos os objetivos da JR-IRJ:
1 - lutar pela união da juventude na luta por suas reivindicações;
2 - lutar contra as guerras e a exploração;
3 - lutar contra as drogas e o narcotráfico;
4 - combater pela independência das entidades estudantis;
5 - defender a educação publica e lutar pelo acesso a diversão e arte;
6 - lutar contra a destruição do meio ambiente;
7 - lutar pelo fim da propriedade privada dos meios de produção.

Conheça a Juventude Revolução - IRJ!


Organize-se num núcleo da Os
Indiferentes
Juventude Revolução - IRJ!

ADERENTE da
Internacional

Antonio Gramsci
Revolucionária da
Juventude

www.juventuderevolucao.org
Preço: R$2,00 • Solidário: r$3,00

12 1
Coleção Cadernos da
Juventude Revolução - IRJ

Maio de 2009
Quem foi
Antonio Gramsci?
Os Indiferentes
Primeira edição: La Città Futura, 11-2-1917
Tradução: Pedro Celso Uchôa Cavalcanti para o livro “Convite à
Leitura de Gramsci”
Antonio Gramsci (1891-1937) Gramsci foi à Rússia em
Democracia Operária nasceu em Ales, na Sardenha, em uma 1922, onde representou o novo par-
Primeira edição: L’Ordine Nuovo, 21 de junho de 1919 família pobre e numerosa, filho de tido na Internacional Comunista.
Tradução: Thiago Chagas Oliveira, em 9/11/2006
Francesco Gramsci, Antonio foi víti- Lá encontrou Giulia Schucht, uma
Texto: Antonio Gramsci ma, antes dos 2 anos, de uma doença violinista com quem se casou e teve
que o deixou corcunda e prejudicou 2 filhos.
seu crescimento. No entanto, foi um Em 8 de novembro de 1926,
estudante brilhante, e aos 21 anos a polícia fascista prendeu Gramsci
Produzida pelo Conselho Nacional da Juventude Revolução - IRJ
conseguiu um prêmio para estudar e, apesar de sua imunidade parlam-
Letras na universidade de Turim. entar, levaram-no à prisão. Recebeu
Gramsci freqüentou os círcu- uma sentença de cinco anos de con-
los socialistas e entrou para o Par- finamento e, no ano seguinte, uma
tido Socialista em 1913. Transfor- sentença de 20 anos de prisão em
mou-se num jornalista notável, um Turi, perto de Bari.
escritor articulado da teoria política, Um projeto para trocar pri-
escrevendo para o “L´Avanti”, órgão sioneiros políticos entre a Itália e
JUVENTUDE REVOLUÇÃO - IRJ oficial do Partido Socialista e para a União Soviética falhou em 1932.
Aderente da Internacional Revolucionária da Juventude vários jornais socialistas na Itália. Dois anos depois, bastante doente,
ENTRE EM CONTATO: Em 1919, rompeu com o par- ganhou a liberdade condicional,
tido. Militou em comissões de fá- para tratar-se em hospitais. Morreu
www.juventuderevolucao.org brica e ajudou a fundar o Partido em Roma, aos 46 anos.
Comunista Italiano em 1921, junto
© Copyleft – É permitida a reprodução parcial ou total com Amadeo Bordiga.
desta obra desde que mantida os créditos e esta nota.

2 11
pelos elementos mais conscientes, obter-se-ia uma transformação radi-
cal da psicologia operária, far-se-ia a massa melhor preparada e capaz
do exercício de poder, difundir-se-ia uma consciência dos deveres e dos
direitos do companheiro e do trabalhador, que seria concreta e eficiente
porque gerada espontaneamente pela experiência viva e histórica.
Já havíamos dito: estes rápidos apontamentos se propõem so-
mente a estimular o pensamento e a ação.
Cada aspecto do problema mereceria um vasto e profundo trata-
mento, complementações, integrações suplementares e coordenadas. Os Indiferentes
Mas a solução concreta e integral dos problemas de vida socialista
só pode ser obtida com a prática comunista: as discussões em comum,
que modificam simpaticamente as consciências de modo a unificá-las
e dotá-las de entusiasmo operante.
Dizer a verdade, chegar em comum a verdade, é cumprir ação
comunista e revolucionária.
A fórmula “ditadura do proletariado” deve deixar de ser somente Odeio os indiferentes. Como Friederich Hebbel acredito que
uma fórmula, uma ocasião para ostentar fraseologia revolucionária. “viver significa tomar partido”. Não podem existir os apenas ho-
mens, estranhos à cidade. Quem verdadeiramente vive não pode
Quem quer os fins, deve também querer os meios.
deixar de ser cidadão, e partidário. Indiferença é abulia, parasit-
A ditadura do proletariado é a instauração de um novo Estado, ismo, covardia, não é vida. Por isso odeio os indiferentes.
tipicamente proletário, no qual confluem as experiências institucionais
A indiferença é o peso morto da história. É a bala de chumbo
da classe oprimida, no qual a vida social da classe operária e campone-
para o inovador, é a matéria inerte em que se afogam freqüente-
sa transforma-se num sistema difundido e fortemente organizado.
mente os entusiasmos mais esplendorosos, é o fosso que circunda
Este Estado não se improvisa: os comunistas bolcheviques russos a velha cidade e a defende melhor do que as mais sólidas muralhas,
trabalharam por oito meses a fim de difundir e fazer concreta a palavra melhor do que o peito dos seus guerreiros, porque engole nos seus
de ordem: todo os poder aos sovietes; e os sovietes eram conhecidos sorvedouros de lama os assaltantes, os dizima e desencoraja e às
pelos operários russos desde 1905. vezes, os leva a desistir de gesta heróica.
Os comunistas italianos devem fazer da experiência russa um A indiferença atua poderosamente na história. Atua passi-
tesouro, desta forma, economizar tempo e trabalho: a obra de recon- vamente, mas atua. É a fatalidade; e aquilo com que não se pode
strução exigirá para si tanto tempo e tanto trabalho que cada dia e cada contar; é aquilo que confunde os programas, que destrói os planos
ato devem para ela ser destinado. mesmo os mais bem construídos; é a matéria bruta que se revolta
contra a inteligência e a sufoca. O que acontece, o mal que se abate
21 de junho de 1919
sobre todos, o possível bem que um ato heróico (de valor univer-
sal) pode gerar, não se fica a dever tanto à iniciativa dos poucos

10 3
que atuam quanto à indiferença, ao absentismo dos outros que são am fazer um recenseamento das forças operárias da zona, bem como
muitos. O que acontece, não acontece tanto porque alguns querem transformar-se na sede dos conselhos de bairro dos delegados de fá-
que aconteça quanto porque a massa dos homens abdica da sua brica, o gânglio que articula e centraliza todas as energias proletárias
vontade, deixa fazer, deixa enrolar os nós que, depois, só a espada do bairro.
pode desfazer, deixa promulgar leis que depois só a revolta fará an-
Os sistemas eleitorais poderiam variar de acordo com o tamanho
ular, deixa subir ao poder homens que, depois, só uma sublevação
das oficinas; porém, dever-se-ia tentar eleger um delegado para cada
poderá derrubar. A fatalidade, que parece dominar a história, não
quinze operários divididos por categoria (como se faz nas oficinas in-
é mais do que a aparência ilusória desta indiferença, deste absent-
glesas), chegando, por eleições graduais, a um comitê de delegados
ismo. Há fatos que amadurecem na sombra, porque poucas mãos,
de fábrica que inclua representantes de todo o complexo do trabalho
sem qualquer controle a vigiá-las, tecem a teia da vida coletiva, e
(operário, empregados, técnicos).
a massa não sabe, porque não se preocupa com isso. Os destinos
de uma época são manipulados de acordo com visões limitadas e No comitê de bairro, deveria tentar-se incorporar delegados
com fins imediatos, de acordo com ambições e paixões pessoais de também de outras categorias de trabalhadores que habitam o bairro:
pequenos grupos ativos, e a massa dos homens não se preocupa garçons, motoristas, condutores de bonde, ferroviários, lixeiros, em-
com isso. Mas os fatos que amadureceram vêm à superfície; o teci- pregados domésticos, comerciários, etc.
do feito na sombra chega ao seu fim, e então parece ser a fatalidade
O comitê de bairro deveria ser a emanação de toda a classe tra-
a arrastar tudo e todos, parece que a história não é mais do que um
balhadora que habita o bairro, emanação legítima e influente, capaz de
gigantesco fenômeno natural, uma erupção, um terremoto, de que
fazer respeitar uma disciplina, investida de poder, espontaneamente
são todos vítimas, o que quis e o que não quis, quem sabia e quem
delegado, bem como capaz de ordenar o fechamento imediato e inte-
não sabia, quem se mostrou ativo e quem foi indiferente. Estes en-
gral de cada trabalho em todo o bairro.
tão zangam-se, queriam eximir-se às conseqüências, quereriam
que se visse que não deram o seu aval, que não são responsáveis. Os comitês de bairro se ampliariam em comissariados urbanos, contro-
Alguns choramingam piedosamente, outros blasfemam obscena- lados e disciplinados pelo Partido socialista e pelas federações profissionais.
mente, mas nenhum ou poucos põem esta questão: se eu tivesse
Tal sistema de democracia operária (integrados com organiza-
também cumprido o meu dever, se tivesse procurado fazer valer a
ções equivalentes de camponeses) daria uma forma e uma discipli-
minha vontade, o meu parecer, teria sucedido o que sucedeu? Mas
na permanente às massas, seria uma magnífica escola de experiência
nenhum ou poucos atribuem à sua indiferença, ao seu cepticismo,
política e administrativa, enquadraria as massas até o último homem,
ao fato de não ter dado o seu braço e a sua atividade àqueles grupos
habituando-as à tenacidade e à perseverança, habituando-as a consid-
de cidadãos que, precisamente para evitarem esse mal combatiam
erar-se como um exército em campo que tem a necessidade de uma
(com o propósito) de procurar o tal bem (que) pretendiam.
firme coesão se não quer ser destruído e escravizado.
A maior parte deles, porém, perante fatos consumados prefere
falar de insucessos ideais, de programas definitivamente desmoro-
Cada fábrica construiria um ou mais regimento deste exército,
nados e de outras brincadeiras semelhantes. Recomeçam assim com seus cabos, com seus serviços de ligação, com sua oficialidade,
a falta de qualquer responsabilidade. E não por não verem clara- com seu estado maior, constituindo poderes delegados por livres
mente as coisas, e, por vezes, não serem capazes de perspectivar ex- eleições, isto é, não impostos autoritariamente.
celentes soluções para os problemas mais urgentes, ou para aqueles Mediante a realização de comícios, realizados no interior da fá-
que, embora requerendo uma ampla preparação e tempo, são toda- brica, com a obra contínua de propaganda e de persuasão desenvolvida
4 9
Partido) ou de controle e de realizações parciais (os sindicatos). via igualmente urgentes. Mas essas soluções são belissimamente
infecundas; mas esse contributo para a vida coletiva não é animado
O Partido deve continuar a ser o órgão de educação comunista, o
por qualquer luz moral; é produto da curiosidade intelectual, não
fogo da fé, o depositário da doutrina, o poder supremo que harmoniza
do pungente sentido de uma responsabilidade histórica que quer
e conduz às metas as forças organizadas e disciplinadas das classes
que todos sejam ativos na vida, que não admite agnosticismos e
operárias e camponesas.
indiferenças de nenhum gênero.
Precisamente para desenvolver rigidamente este ofício, o Partido
Odeio os indiferentes também, porque me provocam tédio as
não pode escancarar as portas às invasões de novos aderentes, não ha-
suas lamúrias de eternos inocentes. Peço contas a todos eles pela
bituados ao exercício da responsabilidade e da disciplina. maneira como cumpriram a tarefa que a vida lhes impôs e impõe
Mas a vida social da classe trabalhadora é rica de instituições, quotidianamente, do que fizeram e sobretudo do que não fizeram.
articula-se em múltiplas atividades. E sinto que posso ser inexorável, que não devo desperdiçar a minha
compaixão, que não posso repartir com eles as minhas lágrimas.
De fato, é necessário que estes institutos e estas atividades desenvol-
Sou militante, estou vivo, sinto nas consciências viris dos que estão
vam-se; organizem-se de modo complexo, una-se num sistema vasto e agil-
comigo pulsar a atividade da cidade futura que estamos a construir.
mente articulado que absorva e discipline inteiramente a classe trabalhadora.
Nessa cidade, a cadeia social não pesará sobre um número reduz-
A oficina com suas comissões internas, os círculos socialistas, as ido, qualquer coisa que aconteça nela não será devido ao acaso, à
comunidades camponesas são os centros de vida proletária nos quais é fatalidade, mas sim à inteligência dos cidadãos. Ninguém estará à
necessário trabalhar diretamente. janela a olhar enquanto um pequeno grupo se sacrifica, se imola no
As comissões internas são órgãos de democracia operária que é sacrifício. E não haverá quem esteja à janela emboscado, e que pre-
necessário libertar das limitações impostas pelos empreendedores, e tenda usufruir do pouco bem que a atividade de um pequeno grupo
tenta realizar e afogue a sua desilusão vituperando o sacrificado,
nos quais é necessário infundir vida nova e energia.
porque não conseguiu o seu intento.
Hoje, as comissões internas limitam o poder do capitalista na
Vivo, sou militante. Por isso odeio quem não toma partido,
fábrica e desenvolvem funções de arbitragem e disciplina.
odeio os indiferentes.
Desenvolvidas e enriquecidas, deverão ser amanhã órgãos do
poder proletário que substituirá o capitalista em todas suas funções
úteis de direção e de administração. 11 de fevereiro de 1917
Já aqui e agora os operários devem deveriam proceder à eleição
de vastas assembléias de delegados, escolher entre os melhores e mais
conscientes camaradas, sobre a palavra de ordem: “Todo o poder da
fábrica aos comitês de fábrica”, coordenada com outra: “Todo o poder
do Estado aos Conselhos operários e camponeses”.
Um vasto campo de propaganda concreta revolucionária se abriria
para os comunistas organizados no Partido e nos círculos de bairro.
Os círculos, em conformidade com as seções urbanas, deveri-

8 5
Somente através de um trabalho comum e sólido de esclareci-
mento, de persuasão e de educação recíproca nascerá a ação concreta
de construção.
O Estado socialista já existe potencialmente nos institutos de
vida social características das classes trabalhadoras exploradas.
Conectar entre si estes institutos, coordená-los e subordiná-los
numa hierarquia de competências e de poderes, centralizá-los forte-
mente, porém, respeitando as necessárias autonomias e articulações,
significa criar aqui e agora uma verdadeira e própria democracia op-
DEMOCRACIA OPERÁRIA erária, em contraposição eficiente e ativa ao Estado burguês, preparada
desde já para substituir o Estado burguês em todas as suas funções es-
senciais de gestão e domínio do patrimônio nacional.
Hoje em dia, o movimento operário é dirigido pelo Partido So-
cialista e pela Confederação do Trabalho; mas o exercício do poder
social do Partido e da Confederação se realiza, para grande massa tra-
balhadora, indiretamente, por força de prestígio e de entusiasmo, por
pressão autoritária, por inércia.
A esfera de prestígio do Partido se amplia cotidianamente, atinge
Um problema se impõe hoje, urgentemente, a cada socialista estratos populares até agora inexplorados, suscita consenso e desejo
que tenha vivo o sentido da responsabilidade histórica que incumbe às de trabalhar proficuamente pelo advento do comunismo em grupos até
classes trabalhadoras e a seu Partido, o qual representa a consciência agora ausentes da luta política.
ativa e crítica e operante desta classe.
É necessário dar uma forma e uma disciplina permanente a es-
Como dominar as imensas forças sociais que a guerra desencadeou? tas energias desordenadas e caóticas, absorvê-las, articulá-las e poten-
Como discipliná-las e dar-lhes uma forma política que contenha cializá-las, fazer da classe proletária e semi-proletária uma sociedade
em si a virtude de desenvolver-se normalmente, de integrar-se continu- organizada que se eduque, que obtenha experiência, que adquira uma
amente, até tornar-se a ossatura do Estado socialista na qual se encar- consciência responsável dos deveres que incumbem as classes que
nará a ditadura do proletariado? conquistam o poder.
Como ligar o presente ao futuro, satisfazendo as urgentes necessidades O Partido Socialista e os sindicatos profissionais não podem ab-
do presente e trabalhando eficazmente para criar e “antecipar” o futuro? sorver toda a classe trabalhadora; isto só seria possível através de um
Este escrito pretende ser um estímulo ao pensar e ao operar; pre- trabalho de anos e dezenas de anos.
tende ser um convite aos melhores e mais conscientes operários para Eles não se identificam imediatamente com o Estado proletário;
que reflitam e, cada um na esfera da própria competência e da própria nas repúblicas comunistas até agora existentes eles continuam a sub-
ação, colaborem na solução do problema, fazendo convergir para ele a sistir independentemente do Estado, como instituições de propulsão (o
atenção dos seus camaradas e de suas associações.
6 7