Você está na página 1de 4
VISÃO DA UNDB Ser referência no ensino superior em âmbito nacional. MISSÃO DA UNDB Promover

VISÃO DA UNDB Ser referência no ensino superior em âmbito nacional. MISSÃO DA UNDB Promover o conhecimento alicerçado em princípios éticos, científicos e tecnológicos, através de metodologias de vanguarda, visando à formação e ao aperfeiçoamento humano de profissionais comprometidos com o processo de desenvolvimento e mudança nos seus campos de atuação.

DISCIPLINA: Construção Civil II

 

CARGA HORÁRIA: 60h/a

PROFESSOR (A): Glauber Coelho

TURNO: Noturno

CURSO: Engenharia Civil

PERÍODO: 8º

SEMESTRE: 2º

PRÉ-REQUISITO: Construção Civil I

 

HORÁRIO: Quartas, das 21:40 as 22:30 / Quintas, das 19:00 as 20:40

HABILIDADES E COMPETÊNCIAS ASSOCIADAS À DISCIPLINA:

1. Conhecer os sistemas construtivos e materiais de construção mais utilizados na indústria de construção civil e a sua aplicabilidade.

2. Identificar, formular e resolver problemas de Engenharia.

OBJETIVOS:

GERAL:

Fornecer ao aluno conhecimentos sobre diversas etapas da construção de edificações verticais e horizontais, deste a escolha do método construtivo até a prática da execução.

ESPECÍFICOS:

1. Distinguir os diferentes elementos das coberturas.

2. Escolher o tipo de forro apropriado.

3. Distinguir e saber executar os diferentes tipos de impermeabilização.

4. Distinguir e executar os diferentes tipos de revestimentos.

5. Distinguir os diferentes tipos de esquadrias e acessórios.

6. Distinguir os diferentes tipos de tinta e suas aplicações.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: MÓDULO I – COBERTURAS E FORROS - 15 h 1. Coberturas com estrutura

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

MÓDULO I – COBERTURAS E FORROS - 15 h

1. Coberturas com estrutura de madeira e metal.

2. Cobertura com telhas de barro, amianto, plástico, vidro e madeira

3. Captação de águas pluviais em coberturas

4. Forros de concreto armado

5. Forros falsos (gesso, PVC, etc).

MÓDULO II – IMPERMEABILIZAÇÂO E REVESTIMENTOS 15 h

1. Conceituação e importância das impermeabilizações.

2. Tipos de impermeabilizações e seu método executivo.

3. Execução de revestimentos argamassados: Chapiso, Reboco e Emboço.

Utilização de argamassas prontas.

4. Execução de revestimentos em azulejo, cerâmica, mármore, granitos, etc.

MÓDULO III – PAVIMENTAÇÕES 15h

1. Execução de contrapisos e pisos cimentados.

2.Execução de pisos cerâmicos e pétreos.

3. Execução de pisos de madeira, borracha e vinílicos.

MÓDULO III – ESQUADRIAS E PINTURAS 15h

1. Conceituação e função das esquadrias.

2. Tipos de esquadrias, seus elementos e métodos de execução.

3. Tipos de tintas e pinturas.

4. Execução de pinturas em paredes, madeira, metais, etc.

METODOLOGIA DO ENSINO APRENDIZAGEM: Aulas expositivas – dialogadas com utilização de quadro e data-show. Resoluções de exercícios. Lista de atividades. É fundamental a reprodução e discussão de situações vivenciadas pelo profissional em campo (compreendidos entre a bibliografia recomendada) para compreensão e fixação dos conteúdos.

RECURSOS DIDÁTICOS: Quadro branco e acessórios. Data-show. Livros. Pesquisas na Internet. Vídeos.

AVALIAÇÃO: O aluno será avaliado quanto a sua participação regular e contínua em sala de

AVALIAÇÃO:

O aluno será avaliado quanto a sua participação regular e contínua em sala de

aula, bem como quanto ao domínio do conteúdo programático, o que será feito sob a forma de: trabalhos individuais e grupais, fichamentos, seminários, case/paper e provas.

O aluno receberá duas/três notas parciais ao longo do semestre letivo, sendo

uma delas decorrente da elaboração de um case/paper. As demais notas parciais serão compostas pela nota obtida em provas, podendo ser fracionada, a critério do professor.

MF = P1 + C/P + P2

3

Sendo: MF = média final; P1 = prova 1; C/P= case/paper; P2= prova 2

A nota do case será fixada da seguinte forma:

Sinopse do case (até 3 pontos) + Discussão do case (até 3 pontos) + Dissertação argumentativa final do case (até 4 pontos) = 10 pontos

A nota do paper será fixada da seguinte forma:

1º check do paper (1 ponto) + 2º check do paper (2 pontos) + Redação final do

paper (até 7 pontos) = 10 pontos

As avaliações P1, P2, 2ch e PF serão elaboradas em conformidade com a IN nº 001/2012 desta IES e segundo a classificação desta disciplina em teórica e(ou) prática.

CALENDÁRIO DE AVALIAÇÕES:

 
 

Vespertino

Entrega

Noturno

Entrega

Vespertino

Noturno

Prova 1

   

19/09

 

Sinopse do case/ 1º check do paper

   

29/08

 

Discussão do case/ 2º check do paper

   

10/10

 

Dissertação argumentativa do case/ Redação final do paper

   

07/11

 

Prova 2

   

21/11

 

Segunda chamada

       

Prova Final

       

Obs.: Se tivermos quaisquer imprevistos, esse Calendário sofrerá alterações.

BIBLIOGRAFIA: BÁSICA AZEREDO, Helio Alves de. O edifício até sua cobertura. 2. ed. rev. São

BIBLIOGRAFIA:

BÁSICA

AZEREDO, Helio Alves de. O edifício até sua cobertura. 2. ed. rev. São Paulo: Edgard Blucher, 1997. BORGES, Alberto de Campos. Prática das pequenas construções. Colaboração de Elizabeth Montefusco; Jaime Lopes Leite. 8. ed. rev. e ampl. São Paulo: Edgard Blucher, 2002. v.1. CHAVES, Roberto. Manual do construtor para engenheiros, mestres-de-obras e profissionais de construção em geral. 17. ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 1996. SLIDES DE AULA

COMPLEMENTAR FIORITO, Antonio J. S. I. Manual de argamassas e revestimentos; estudos e procedimentos de execução. São Paulo: Pini, 1994. PETRUCCI, Eladio G. R. Concreto de cimento Portland. 8. ed. Porto Alegre: Globo, 1981. SOUZA, R. et al. Qualidade na construção de materiais e execução de obras . São Paulo: PINI, 1996. UEMOTO, Kai Loh. Pintura a base de cal. Colaboração de Vahan Agopyan. São Paulo: Escola Politecnica da Universidade de São Paulo, 1992. (Boletim Técnico da Escola Politecnica da

USP,71).

CARDAO, Celso. Técnica da construção. 6. ed. v.2. [S.l.]Belo Horizonte: Engenharia e Arquitetura, 1987. YAZIGI, Walid. A Técnica de edificar. 2. ed. rev. e atual. São Paulo: Pini, 1999.

Aprovado pelo Colegiado do Curso de

Data:

/

/2013

Profa. Me. Presidente do Colegiado