Você está na página 1de 2

CEEDUC

Centro Evangélico de Educação e Cultura


Curso: Bacharel de Teologia (Ministério)
Turma: Modular
Carga Horária: 45 h/s
Disciplina: Sociologia do AT
Professora: Izabel Cristina Veiga Mello
Acadêmicos: Márcio da Costa Batista e Marcelo Paloschi

Exercício em sala de aula

01) Explique com suas palavras analisando com aspecto sociológico o fato dos patriarcas
praticarem a poligamia?
02) Quais as conseqüências desta prática e cite um exemplo bíblico.
03) Qual a imagem com que os profetas representam o relacionamento entre Israel e Deus?
04) Como é concebida as relações de IAWEH com Samaria e Jerusalém? Ez 16; 23 e Jr 3.6-11
05) Explique a lei do levirato?

Respostas:

01) Conforme descreve o Código de Hamurabi, o homem somente pode tomar outra mulher,
quando a primeira mulher for estéril ou teve apenas filhas, e não somente isto, pois era o
costume dos nômades e semi-nômades, para continuidade a sua descendência.

02) Abraão, aos 86 anos, tomou a escrava egípcia Hagar como esposa, oferecida por Sara,
deste relacionamento nasceu Ismael, do hebraico, ‫ לאֵעָמְשי‬que significa: a quem Deus ouve
Gn 16.15; Gl 4.23. O resultado do nascimento deste filho foi dolorosa, pois gerou inveja por
parte de Sara, orgulho por parte de Hagar e divisão de Hagar e Ismael com o patriarca Abraão.
Hagar e Ismael tiveram que se retirar da presença de Abraão e foram para o vale árido de
Beca, ao sul. Ismael deu origem a nação árabe, e Isaque, origem a nação judaica1.

03) Os profetas apresentam Israel como a noiva de Deus, num casamento monogâmico,
conforme Oséias, a nação se afastou e traiu a Deus com outros deuses.

1
Bíblia de Estudo Pentecostal, CPAD, edição 1995
04) Jerusalém é elogiada por Deus como uma cidade escolhida, embora não tenha nenhuma
qualificação para isto, mas Deus a exaltou como esposa, tratando com fidelidade. No texto em
Ez 16.15, Jerusalém se ensoberbece por sua formosura e torna-se infiel para com Deus. Já no
texto em Ez 23.3 e 4 Deus aponta a prostituição de Samaria ou Israel (Reino do Norte) e
Jerusalém ou Judá (Reino do Sul), ao misturar-se com outras nações (Assíria, Egito) perderam
a sua identidade e macularam sua fé para com IAWEH, pois os outros povos não professavam
a mesma fé que eles. Em Jr 3.6-11, demonstra o perdão de Deus para com Jerusalém e
Samaria, mesmo assim não aceitaram o perdão e Deus deu o libelo de divórcio, sendo
entregue, Samaria, ao cativeiro dos Assírios, e Judá seguindo no mesmo caminho.

05) O levirato se constitui de um amparo a viúva (cunhada) garantindo a sua segurança física
e integridade moral, conforme aconteceu com Rute, no entanto o objetivo principal era a
preservação do “nome” e conservação genealógica do falecido, pois após sua morte, o irmão
ou parente mais próximo assume o relacionamento com a viúva dando continuidade a sua
descendência.

Referência

VAUX, Roland de. Instituições de Israel no Antigo Testamento. São Paulo: Vida Nova,
2004.

Bíblia de Estudo Pentecostal, CPAD, Edição 1995.

Interesses relacionados