Você está na página 1de 3

2009

Arautos 18: Compromisso com a verdade

Angelo Ferreira da Silva


Ex-presidente da filial Recife do
Centro Redentor (durante 31 anos).
18/05/2009
ARAUTOS 18: Compromisso com a ética, a razão e a verdade

ARAUTOS DE LUIZ DE MATTOS-XVIII


(Compromisso com a ética, a razão e a Verdade)

Porque será que os dirigentes do RC abandonaram o compromisso de serem fieis


aos princípios codificados por Luiz de Mattos? É um caso tão sério que dificilmente
poderá ser explicado fora do campo da psicologia. Cheguei admitir que o recém
nomeado Vice-Presidente do Centro Redentor do Brasil , Senhor Gilberto Silva
possuísse o conhecimento necessário da responsabilidade que irá assumir e tivesse a
intenção de resgatar o passado dessa Instituição, colocando ordem e disciplina na
chamada Casa Chefe do RC do Rio de Janeiro. Porém, mais cedo do que se poderia
prever já se observa a impossibilidade disso vir a acontecer um dia. Raciocinando bem
se conclui que não poderia ser diferente. Afinal de onde ele veio? Que preparo tem
para assumir essa função? Qual foi o critério adotado para a sua escolha? Houve
alguma consulta ou votação, no âmbito do RC ? Foi por indicação do “Alto”? Ou será
por ser um empresário, segundo dizem, “bem sucedido”, com seus negócios em São
Paulo?

Este não deveria ser o motivo, porque o Centro Redentor, não é nenhuma
Industria ou Empresa comercial. O fato é que ele foi nomeado e empossado com vistas
a ser um dia o controlador de um grande e vultoso patrimônio que foi doado para
servir a humanidade, sem que até hoje, nenhum verdadeiro projeto, tenha sido
elaborado, com vistas a alcançar esse objetivo. Qual a contribuição que ao longo de
sua vida foi prestada ao Centro Redentor?

Eu também gostaria de saber, assim como os verdadeiros amigos de Luiz de


Mattos, certamente também gostariam. Dizem alguns racionalistas que foi pelo simples
fato de ele ser amigo da ex-secretária de Antônio do Nascimento Cottas, casada com
o sobrinho deste, posteriormente seu sucessor na Presidência do Centro Redentor, até
os dias de hoje.

Esta Senhora, sem dúvida, desde esse tempo vem trabalhando na Secretaria
do Centro Redentor, mesmo depois de ter-se tornado esposa do presidente,
ajudando-o nos seus acertos e desacertos, continuando a receber os seus proventos,
senão em forma de salário, mas conforme suas próprias palavras, ela e o seu marido,
“a título de pró-labore”.

Trata-se de uma Senhora que na realidade é ela quem manda e desmanda no


Centro Redentor, admite e demite quem bem entender, sem aparecer, tal a sua
absoluta ascendência sobre toda a Diretoria. Ninguém é escolhido ou nomeado, para
qualquer encargo, sem que ela decida e quando o marido fica indeciso, ela obriga-o a
decidir, do seu modo, como foi o caso do Professor Nilton Figueiredo de Almeida.

Uma Diretoria assim, escolhida a dedo, que inclui figuras “especiais” do tipo
Moysés Martins Ribeiro, “com licença da má palavra” bem conhecido em Recife, e mui
“digno” de ter sido o representante dessa mesma Diretoria, munido de uma carta
credencial, assinada por seu Presidente, quando aqui esteve para expulsar o
Presidente e o Tesoureiro desta Filial por eles construída, com desprendimento e
abnegação, que a entregaram livre de qualquer débito e ainda com R$ 13.000,00
(treze mil reais) em caixa e sem pedirem nada a ninguém, depois de lhe terem
prestado relevantes serviços, durante mais de 50 anos.

Qual o seu crime? perguntará o leitor. -O de terem respeitado a memória de


Luiz de Mattos, Luiz Thomaz e Antônio Cottas e de não terem compactuado com todos
esses e muitos outros desmandos e terem a coragem e a dignidade de denunciá-los.
Este foi o prémio que receberam. Não satisfeito, com o seu “exemplar” desempenho,
o truculento mensageiro, ainda mandou trocar as chaves de todas as fechaduras da
casa, colocando em cada uma, um cadeado.

O domínio que essa Senhora ainda hoje exerce, inclusive e principalmente sobre
o Presidente, que nada faz, sem ouvi-la, conforme tive oportunidade de constatar
pessoalmente, confere-lhe o status de Ministro, da mais ferrenha ditadura, que tanto
lhe agrada, conforme a satisfação que nela pude observar, quando alguém a chamou
de “Dama de Ferro” mal comparando-a com a ex Primeira Ministra da Inglaterra.

Poucos ousam contestá-la, com medo de perderem o emprego, ou serem


expulsos do cargo ou encargo que ocupam. Há que respeitar aqueles que na defesa
dos seus interesses pessoais, abandonam princípios doutrinários.

Diante de tudo isso e dos motivos que levaram o Senhor Gilberto a ser
indicado para ser o Vice-Presidente, em substituição ao Senhor João Gomes que foi
obrigado a renunciar em seu favor, o de ser amigo dela, esclarece a dúvida sobre
quem teria indicado o seu nome.

Racionalismo Cristão! Que Futuro ?