Você está na página 1de 5

38

CAPÍTULO 2

O Propósito da Sua
Experiência Alquímica

O vácuo é energia improdutiva. O alquimista precisa desenvolver a


noção do valor do tempo e do espaço e da oportunidade de
manipular a ambos. A liberdade é adquirida através da busca e da
conquista, mas sobretudo através da conquista do ser finito. O
verdadeiro domínio do finito provém do amor interiorizado, do
chamado interior da alma, arrebatador e quase magnético, que vai
ao encontro da sua Fonte Divina.
Somente o grandioso influxo da luz cósmica de Deus pode
libertar a alma das sombras aprisionadas da sua criação humana.
Congregue, então, a pureza de propósito que tornará benévola sua
intenção criativa; desafie incansavelmente os elementos básicos
que afloram como diabretes para perturbar e colocar à prova o
plano que você iniciou; em seguida, pacientemente, desenvolva seu
desígnio divino – o propósito de sua experiência alquímica.
A verdadeira ciência do Espírito é mais exata do que as medidas
do mundo podem determinar. Portanto, conhece a Ti mesmo como
o pilar branco ou o elixir do qual toda a criação deve provir de
maneira ordenada. Se as idéias fundamentais não são produzidas a
partir de ti, que és o alquimista, então todo o ato é desafortunado ou
uma imitação da obra de outrem. Bem, se tu imitas Deus, pode-se
verdadeiramente dizer de ti: “Muito bem!”; mas se é a vaidade da
espécie humana, então, podemos lamentar a tua consciência. O Eu
Verdadeiro do homem, do qual provêm todos os desígnios
virtuosos, é digno de ser consultado quanto ao que é desejável
criar. Por conseguinte, o verdadeiro alquimista inicia sua
experiência estabelecendo

39

uma comunhão consigo mesmo, a fim de perceber os pensamentos


inspirados da mente radiosa do seu Criador.
A sociedade molda um grande número de seus conceitos
errôneos pela imitação das qualidades e estados de consciência
inferiores. Para corrigirem esses conceitos, para forjarem uma
cultura enobrecedora, para traçarem as linhas do bom caráter,
homem e sociedade devem buscar exemplos sublimes.
Que os homens que gostariam de praticar a alquimia aprendam
primeiro a espelhar os grandes exemplos de todas as eras, que
usaram o céu como seu desígnio, e que aprendam, depois, a
selecionar as melhores qualidades de suas vidas, para que a
alquimia possa ser utilizada segundo sua intenção divina, como o
mais nobre dos métodos de realização dos desejos do coração,
aqui e agora.
Tenho fortes suspeitas de que muitos de meus ouvintes, mas
poucos, se é que há alguns, dos estudiosos mais sinceros, estão
ansiosos para que lhes seja conferida sem demora a pedra filosofal
ou as propriedades mágicas que irão torna-los, de acordo com a
sua própria vontade, uma combinação de Aladim e Midas, com um
traço de benevolência.
Declaro aqui, àqueles que assim pensam, que, embora vá
conferir tremendo conhecimento no campo da ciência da alquimia
durante todo este estudo de nove partes, duvido muito que, a
menos que venham absorver os segredos das primeiras lições com
profunda humildade, permitindo-me, como instrutor, o privilégio de
preparar os ensinamentos de acordo com a vontade de Deus, esses
indivíduos, ao final, não se encontrem aquém das suas
expectativas. E não será por culpa do ensinamento ou do instrutor!
Não pretendo fazer um discurso extenso acerca das vaidades da
vida mundana, mas gostaria de ressaltar que a Fraternidade espera
transmitir esses ensinamentos agora para evitar que nossos alunos
cometam os erros de alguns dos primeiros alquimistas, cujo único
propósito parecida ser a aquisição de riquezas e glórias, bem como
a capacidade de produzir, a partir de substâncias universais, as
energias necessárias para a transformação dos metais vis em ouro.
Permitam-me acrescentar rapidamente que nem todos os
alquimistas

40

da antiguidade, restringiram seus objetivos aos ganhos temporários.


Na verdade, inúmeras almas resolutas perseguiram a alquimia com
a mesma reverência com que empreenderiam a busca do Santo
Graal, vendo-a como uma arte divina e origem dos mistérios
cristãos, como quando o Cristo transformou a água em vinho, nas
bodas em Cana da Galiléia.1
Desejamos ver os conceitos originais da alquimia recebendo
novo significado, e desejamos ver o significado a ela conferido nas
escolas de mistérios tornar-se primordial. Pois as aplicações atuais
desta ciência devem ser traduzidas para uma dimensão superior, se
a humanidade quiser colher todos os seus benefícios.
Se esta ciência espiritual não for utilizada para libertar os
indivíduos e a sociedade da servidão, confusão e compromisso com
as densidades do pensamento humano – e este é o nosso desejo –
os propósitos a ela atribuídos por Deus não serão cumpridos. Nós
que buscamos o elevado chamado do alquimista desejamos que
todos alcancem um local onde poderão ensinar e exaltar as
finalidades primordiais da vida aos jovens do mundo, como sendo
muito mais grandiosa do que os meros prazeres temporais, que na
realidade servem a um objetivo menor para o alquimista divino do
que a chupeta para um bebê em aleitamento.
Não pensem que, pelo fato de despender todo este tempo
introduzindo a essência do tema, minha discussão não é pertinente
aos fatos em questão. A menos que cada um compreenda a
necessidade de praticar individualmente seu direito, concedido por
Deus, de utilizar o poder com sabedoria e amor, não será possível
evitar a queda nos abismos da ilusão e da racionalização.
Ora, o plano de Deus é que todos na Terra busquem a
compreensão de si mesmos e de seu destino. A presunção nascida
do orgulho intelectual fez com que muitos estudiosos sinceros, e até
mesmo um sem-número de mestres mundanos de uma ciência ou
outra, caíssem nas armadilhas de sua própria criação; e, em muitos
casos, nunca chegaram a saber quando a armadilha fora lançada.
Portanto, ninguém poderá pensar em omitir alguns dos temas
aqui incluídos, simplesmente porque parece já conhece-los ou
porque já os analisou antes. Colocamos muitas pérolas do
pensamento

41

nas frases mais improváveis, que, embora despretensiosas e fáceis,


podem exigir mais do que persistência de investigação, até mesmo
de um coração sincero.
São Pedro expressou a indagação: “E se o justo dificilmente se
salva, onde aparecerá o ímpio e o pecador?”2 Convém ao aspirante
a alquimista perceber que esta é uma ciência exata e verdadeira,
cuja iluminação é conferida ao homem por Deus em pessoa. Sua
finalidade é ensinar a humanidade a obter por si mesma todas as
dádivas e virtudes misericordiosas que suas correntes de vida
podem necessitar para encontrar o caminho de volta ao Lar, ao
coração de Deus.
Não estou afirmando que vocês não podem aprender a
materializar todos os desejos do seu ser – e este aspecto da
alquimia é, para alguns, a parte mais fácil, enquanto para outros
continua a ser a mais difícil. Estou dizendo que o propósito desses
desejos deve ser contemplado, mais do que a ciência maravilhosa
que é promover-lhes a manifestação a partir do invisível. Porquanto
criar um padrão valioso constitui a mais nobre das tarefas,
merecedora de Deus no homem, o único que pode torna-lo livre
para cumprir seu destino imortal.
Labutamos aqui embaixo e aguardamos no alto que os filhos
deste mundo abandonem a pilhagem e o saque da guerra para
cultivarem a educação dos desvalidos, para renunciarem ao desejo
de diferenciação de classe e para se oferecerem como príncipes do
Reino, a fim de servir com eficiência às necessidades do seu
semelhante, empobrecido mas nobre. Na atualidade, estamos
determinados a buscar os fiéis de todas as nações e a conferir-lhes
os meios para que possam fugir, individualmente, do cativeiro auto-
imposto dos tempos e obter sua própria herança inestimável.
Naturalmente, esta herança não é temporal nem passageira.
Contudo, servindo na Europa para eliminar uma parte da pobreza e
da confusão que ali imperam, utilizei a alquimia universal para
produzir a substância que, embora de natureza temporária, supriu
muitas necessidades humanas e foi, ao mesmo tempo, consoladora
e valiosa para o mundo e para as vidas pessoais de meus
beneficiários.

42

Nada vejo de errado na idéia, nem tampouco olho


desfavoravelmente para o fato de que vocês possuam uma fonte
para satisfazer todas as suas necessidades. Sinto sua necessidade
de manter a humildade e gratidão constantes, pois Deus coloca em
suas mãos a chave do controle das forças naturais.
Novamente, e não menos importante do que qualquer idéia aqui
contida, surge a necessidade constante de compreender o
esquema ou plano universal da criação, de modo que todos os seus
planos e ações estejam em harmonia com a Lei eterna e os
princípios cósmicos.
Espero não ter amedrontado nem desencorajado os estudiosos
da alquimia a empreender este maravilhoso estudo divino. Todavia,
agora estou livre para prosseguir com outros atrativos, pois ampliei
o princípio eternamente manifesto da inteligência imortal de Deus, a
que alguns chamam de inspiração, enquanto outros chamam
simplesmente de a mente de Deus.
O que quer que os homens denominem como uma qualidade, é
a sua posse que conta os nove pontos da Lei. Portanto, ame a
emanação da sabedoria divina aqui contida, a qual, como um raio
de sol brilhando por entre as árvores, toca, com seus dedos de Luz,
todos os locais por onde passa. Porquanto você só pode possuir
verdadeiramente através do amor.
EU SOU a ressurreição e a vida do propósito cósmico no seu
interior.
Em nome da Liberdade, permaneço

Saint Germain

43

Interesses relacionados