Sabe-se que o ensino na Educação de Jovens e Adultos ao longo da história da educação no Brasil não recebeu a atenção que merece

nas principais reformas educacionais. Atualmente é um desafio falar em educação de qualidade para jovens e adultos trabalhadores e, principalmente, colocá-la em prática de forma significativa para a vida do aluno. Esta prática passa pelo currículo. Este trabalho retoma a discussão sobre a importância de se analisar a trajetória da EJA e as suas transformações na complexa realidade educacional brasileira. Os debates atuais sobre o espaço que esta modalidade de ensino ocupa na educação básica são indispensáveis para o futuro da mesma. Vivemos em um mundo cercado pela informação e por mudanças que ocorrem rapidamente. No contexto escolar da EJA não é diferente, em vez de memorizar os conteúdos, os estudantes devem ser orientados a buscá-lo e usá-lo, valorizando a própria experiência vivida no cotidiano. A metodologia de pesquisa envolveu 90 alunos do 6º ao 9º ano da modalidade EJA, sendo realizada na Escola Municipal Vereador Leaquim Schuindt, no município de Cabo Frio, estado do Rio de Janeiro. Esta instituição de ensino localiza-se em um dos bairros mais populosos da cidade, onde se encontra grande parte da massa trabalhadora que, na sua maioria, não concluiu a educação básica. Diante disso, cresce a necessidade de práticas pedagógicas pensadas para essa modalidade de ensino que valorizem a experiência vivida pelos educandos. O papel da Geografia na EJA é de grande importância nessa discussão. Trata-se de uma Geografia com enfoque crítico, que tem por objetivo auxiliar na formação de cidadãos conscientes e participativos na sociedade. Dessa forma, este trabalho apresenta uma proposta de prática pedagógica que utilizou as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) na relação ensino-aprendizagem da Geografia na EJA. Essas tecnologias associadas ao trabalho docente podem possibilitar uma melhor compreensão do espaço geográfico pelos discentes, integrando suas dimensões físicas e sociais. Nesse contexto, as tecnologias existentes na escola contribuem para a emancipação e autonomia dos sujeitos. O trabalho pedagógico com as tecnologias deve ser desenvolvido de forma interdisciplinar. No entanto, não é novidade a existência de estudos que abordam o uso dos recursos tecnológicos associados à educação, porém, poucos estão voltados para a EJA. Esta é a grande questão deste estudo de caso, visto que o conhecimento geográfico é um rico instrumento de análise das questões sociais e uma excelente ferramenta de intervenção na realidade. Palavras-chave: Geografia Interdisciplinaridade EJA Novas Tecnologias – Currículo -

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful