Baró Barómetro do Investimento Português na Poló (Inqué nº Polónia (Inquérito nº2

)
Agosto 2007
Comé Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal Biuro Radcy Handlowego Ambasady Portugalii ul. Francuska 37, 03-905 WARSZAWA - POLSKA Tel: (48-22) 6176460 / 6174340 / 6175596 / 6173620 Fax. (48-22) 6174477 / 6172399 www.portugalglobal.pt www.visitportugal.com

ÍNDICE

INTRODUTÓ 01. NOTA INTRODUTÓRIA

3

02. METODOLOGIA

5

SUMÁ 03. SUMÁRIO EXECUTIVO

7

CARACTERIZAÇ 04. CARACTERIZAÇÃO DO TECIDO EMPRESARIAL

13

LOCALIZAÇ 05. FACTORES DE LOCALIZAÇÃO

26

06. POSICIONAMENTO EMPRESARIAL

31

ESTRATÉ INTERACÇ 07. ESTRATÉGIAS DE INTERACÇÃO COM O MEIO

38

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

2

INTRODUTÓ NOTA INTRODUTÓRIA
A Polónia foi, em 2005, o 26º destino e o 38º país emissor de investimento directo estrangeiro (IDE), segundo dados do WIR - World Investment Report’2006 (UNCTAD). Em 2005, e segundo o WIR, a Polónia foi, depois da Rep. Checa, o principal destino de IDE nos Países da Europa Central e Oriental (PECO), tendo alcançado um valor de 7,7 mil milhões de USD, o que correspondeu a 22,6% do total de IDE efectuado nos 10 países-membros do penúltimo alargamento da União Europeia (UE) e a 1,8% do IDE realizado na UE25. Até finais de 2005, e segundo dados do Banco Nacional da Polónia, Portugal ocupou a 20ª posição, enquanto investidor na Polónia, com cerca de 372,9 milhões de Euros de investimentos acumulados. Por sua vez, em 2006, e segundo informações do Banco de Portugal, a Polónia foi o 4º destino do investimento directo português no estrangeiro, tendo este alcançado cerca de 381 milhões de Euros (líquidos). Na Polónia, existem actualmente 54 empresas polacas com capitais portugueses. Para além disso, é grande o interesse que este mercado suscita junto do tecido empresarial português, seja enquanto destino privilegiado para operações de investimento estrangeiro, exportações ou até mesmo enquanto país emissor de turistas. Para esta situação não será estranho o facto de já se encontrarem instaladas neste país, com um assinalável sucesso, um conjunto de empresas portuguesas de referência que, em nosso entender, têm servido de “ancoras” na mobilização e chamada de atenção para as oportunidades de negócios e de investimento na Polónia. Assim, a exemplo do que efectuámos em 2004, decidimos lançar no inicio deste ano, no âmbito do Barómetro do Investimento Português na Polónia, um 2º Inquérito ao grupo das 54 empresas polacas com capitais portugueses (em 2004, eram apenas 24 empresas). Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2) Agosto 2007
3

INTRODUTÓ NOTA INTRODUTÓRIA
Este Inquérito teve por finalidade a recolha de informações objectivas sobre o comportamento do universo de empresas polacas com capitais portugueses, no que se refere aos seguintes aspectos: caracterização global deste conjunto de empresas; factores que estiveram na origem do investimento; formas de investimento (modos de entrada) utilizadas; estratégias de interacção com o meio sócioeconómico; intenções de expansão e de internacionalização; dificuldades e constrangimentos que as empresas enfrentaram em diversas fases da sua actividade; níveis de confiança dos empresários e opiniões sobre o “ambiente empresarial”; apoios ao investimento mais utilizados; tipo de intervenção que as empresas esperam que seja efectuada/dinamizada localmente por parte de entidades públicas e privadas portuguesas; avaliação dos serviços da Delegação da AICEP em Varsóvia; entre outros aspectos. Os resultados deste estudo encontram-se nas páginas seguintes e esperamos que possam ser úteis para as empresas que pretendam abordar o mercado polaco e para as diversas entidades nacionais envolvidas na internacionalização da economia e das empresas portuguesas. Por último, em meu nome pessoal e em nome da AICEP Portugal Global, gostaríamos de, uma vez mais, agradecer às 31 empresas que colaboraram neste projecto.

Varsóvia, Agosto de 2007

Rui Paulo Almas Delegado da AICEP na Polónia

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

4

02. METODOLOGIA Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2) Agosto 2007
5

METODOLOGIA
O universo de partida é constituído pela totalidade das empresas polacas com capitais portugueses (54 empresas) recenseadas na base de dados da Delegação da AICEP em Varsóvia. A recolha de informação foi da responsabilidade da referida Delegação, tendo utilizado como técnica de inquirição a via postal, com posterior reforço telefónico a solicitar a resposta. O trabalho de campo decorreu entre Fevereiro e Maio de 2007. Foram retidos para análise 31 questionários repartidos por vários sectores de actividade, natureza questionários, jurídica, localização geográfica e dimensão empresarial. Tal representa 57,4% do universo, sendo que podemos considerar a amostra extremamente significativa e merecedora de total credibilidade para inferir do posicionamento das empresas polacas com capitais portugueses. Todos os dados recolhidos foram tratados informaticamente, com recurso ao SPSS, e as perguntas abertas foram alvo de codificação. Antes de se proceder à análise estatística foram corrigidos os erros resultantes da inserção e analisada a coerência das respostas.

02. METODOLOGIA

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

6

SUMÁ 03. SUMÁRIO EXECUTIVO Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2) Agosto 2007
7

SUMÁ SUMÁRIO EXECUTIVO 1. Caracterização do tecido empresarial
O investimento português na Polónia apresenta os seguintes traços dominantes: trata-se de um investimento que na sua maioria foi posterior a 2005, nas áreas comercial e prestação de serviços (embora com relativa dispersão em termos de sector de actividade), sendo que esse investimento tende a ser de raiz, através da constituição de sociedades por quotas (Sp. Z o.o), a maioria delas com 100% de capital português. Na maioria das empresas verifica-se igualmente a presença dominante de administradores de origem portuguesa e assiste-se a uma heterogeneidade na dimensão das empresas, embora tenham particular relevo as empresas com menos de 10 trabalhadores. É verdade igualmente que a maioria das empresas tem a sua sede social no Centro-Sul da Polónia e vendem sobretudo para o mercado nacional polaco. Quanto ao ano de investimento 51,6% dos investimentos tiveram lugar em 2005 ou anos posteriores, 29,0% resultam de investimentos anteriores a 2001 e 19,4% foram realizados entre 2001 e 2004. 83,9% das empresas são de natureza comercial/prestação de serviços, enquanto 16,1% são empresas de matriz industrial. Do total de empresas, cerca de ¼ investiu no sector da construção, 16,1% na consultoria e outros serviços e 12,9% na alimentação/bebidas e nos têxteis e confecções. Existem, porém, investimentos também no sector bancário e segurador, na indústria química e farmacêutica, na metalúrgica e metalomecânica, nos transportes e armazenagem e no ambiente e energias renováveis. 74,2% do investimento português foi de raiz (greenfield) e em 64,5% dos casos foram constituídas sociedades por quotas (Sp. Z o.o). As sociedades anónimas (S.A.) representam 22,6%, sendo que os outros 12,9% dizem respeito a outras formas jurídicas. Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2) Agosto 2007
8

SUMÁ SUMÁRIO EXECUTIVO
Em quase 2/3 das empresas (64,5%), o capital social é inteiramente português, sendo que apenas existe uma empresa onde a posição portuguesa não é dominante. Do mesmo modo, em 58,1% das empresas a nacionalidade dos administradores/gerentes é portuguesa, havendo apenas 12,9% das empresas em que a administração/gerência é assegurada exclusivamente por polacos. Quanto à dimensão das empresas verifica-se alguma dispersão. Se 61,3% das empresas não têm mais de 10 trabalhadores, já 12,9% são consideradas grandes empresas, com mais de 250 trabalhadores. A totalidade das empresas tem a sua sede social no Centro-Sul da Polónia, com especial destaque para as regiões de Mazowieckie (35,5%), Malopolskie (22,6%) e Slaskie (12,9%). Todavia, 65,3% das empresas de capitais portugueses vendem/prestam serviços para a totalidade do mercado polaco e 23,8% já vendem/prestam serviços em outros países da Europa Central e Oriental. A facturação em 2006 para 16,1% das empresas superou as expectativas, sendo que 48,4% admitem que a mesma correspondeu ao inicialmente previsto. Finalmente, para 87,1% das empresas inquiridas, o mercado polaco é considerado importante ou muito importante para a actividade global destas empresas, tendo por base todos os outros mercados onde estão presentes.

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

9

SUMÁ SUMÁRIO EXECUTIVO 2. Factores de localização
A procura de informação sobre o negócio no mercado polaco, os estudos de mercado e as reflexões internas nas empresas foram os principais métodos e/ou instrumentos de decisão utilizados para fundamentar a decisão de instalação na Polónia. No que diz respeito aos factores que determinaram, em primeira instância, a decisão de instalação na Polónia, destacam-se a dimensão e o potencial do mercado polaco (80,6%) e a procura de novos mercados/diversificação de mercados (71,0%) Ao nível das dificuldades detectadas pelas empresas no início da actividade, quase 2/3 refere as debilidades ao nível da administração pública e as dificuldades de comunicação relacionadas com a língua. 35,5% dos inquiridos referem ainda o desconhecimento das características do mercado e a precariedade de algumas infra-estruturas. Actualmente, em matéria de obstáculos à actividade, destacam-se as debilidades ao nível da administração pública (58,1%). 32,3% das empresas apontam ainda as dificuldades de comunicação relacionadas com a língua, precariedade de algumas infra-estruturas, dificuldades competitivas face aos concorrentes instalados e dificuldades com a selecção e contratação de mão-de-obra local.

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

10

SUMÁ SUMÁRIO EXECUTIVO 3. Posicionamento empresarial
No que diz respeito à avaliação dos investimentos na Polónia, 58,1% das empresas referem que hoje tornariam a instalar-se neste país, às quais podemos acrescer 32,3% de outras empresas que provavelmente também voltariam a efectuar os investimentos. Das que voltariam a investir, 46,4% admitem que tornariam a fazê-lo em moldes semelhantes ao do investimento inicial, enquanto 35,7% o faria de forma diferente, nomeadamente procedendo a uma recolha mais exaustiva de informações e socorrendo-se do apoio de consultores. 67,7% dos inquiridos tem a intenção de realizar novos investimentos na empresa no próximo ano, e destes, a grande maioria tenciona investir na contratação de recursos humanos (73,3%), bem como no alargamento das instalações (46,7%) e na formação de recursos humanos (46,7%). Os inquiridos apresentam elevado optimismo quanto ao desenvolvimento, no curto/médio prazo, do mercado polaco (51,6% acredita que as perspectivas são muito boas), sendo que as maiores oportunidades de negócio surgirão, por ordem decrescente, ao nível da construção (77,4%), turismo e restauração (41,9%), alimentação/bebidas (35,5%) e transportes/armazenagem (35,5%). 83,9% das empresas refere que o mercado polaco constitui uma plataforma de exportação ou prestação de serviços para outros mercados. Entre estes destacam-se a Ucrânia (76,0%), República Checa (72,0%), Eslováquia (68,0%) e Roménia (68,0%). As empresas inquiridas admitem, de igual modo, que a maior concorrência aos interesses empresariais portugueses na Polónia surgem de países como a Alemanha (61,3%), Espanha (54,8%), Itália (38,7%), França (32,3%) e China (32,3%). Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2) Agosto 2007
11

SUMÁ SUMÁRIO EXECUTIVO 4. Estratégias de interacção com o meio
Relativamente às estratégias de interacção com o meio, 87,1% das empresas referem que nunca recorreram ou utilizaram as facilidades do sistema português de apoio à internacionalização e à cooperação empresarial, sendo que 12,9% das empresas não responderam a esta questão. Do mesmo modo, 83,9% das empresas assumem que também não utilizaram os apoio das entidades polacas, embora 12,9% tenha feito uso daquela possibilidade, sobretudo para a aquisição de terrenos. 61,3% das empresas presentes na amostra mantém relações com outras empresas portuguesas instaladas no mercado. Na opinião dos inquiridos deveriam constituir prioridades das entidades e instituições portuguesas ligadas à política de internacionalização, um maior envolvimento institucional destas na promoção dos interesses portugueses (74,2%), a dinamização de acções promocionais no mercado (54,8%) e a promoção de encontros entre empresários portugueses (51,6%). Se 19,4% das empresas considera que a Delegação da AICEP em Varsóvia responde às solicitações que lhe são colocadas, 71,0% considera que, para além de responder às solicitações, o faz de forma muito colaborante e dinâmica.

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

12

CARACTERIZAÇ 04. CARACTERIZAÇÃO DO TECIDO EMPRESARIAL Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2) Agosto 2007
13

LOCALIZAÇ LOCALIZAÇÃO DA ACTIVIDADE

35,5% 9,7% 9,7% 3,2% 3,2% 12,9% 3,2%

22,6%

té Ficha técnica

CARACTERIZAÇ 04. CARACTERIZAÇÃO DO TECIDO EMPRESARIAL

Pergunta: Pergunta “Localização da sede social da empresa?” estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: única Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

14

TIPOLOGIA DE INVESTIMENTO INICIAL

83,9%

16,1%
Serviç Serviços/comercial Industrial

té Ficha técnica

CARACTERIZAÇ 04. CARACTERIZAÇÃO DO TECIDO EMPRESARIAL

Pergunta: Pergunta “Qual a melhor forma para caracterizar o investimento inicial?” estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: única Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

15

PRINCIPAL SECTOR DE ACTIVIDADE DAS EMPRESAS
(valores em %)

Construç Construção serviç Consultadoria e outros serviços Alimentaç Alimentação e bebidas confecç Têxteis e confecções Banca e seguros Indú quí Indústria química e farmacêutica Metalú Metalúrgica e metalomecânica Transportes e armazenagem renová Ambiente e energias renováveis

25,8 16,1 12,9 12,9 9,7 6,5 6,5 3,2 3,2

té Ficha técnica

CARACTERIZAÇ 04. CARACTERIZAÇÃO DO TECIDO EMPRESARIAL

Pergunta: Pergunta “Principal sector de actividade da empresa” estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: única Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

16

POLÓ MODO DE ENTRADA NA POLÓNIA

16,1% 74,2%
9,7%

greenfield) Investimento de raiz (greenfield)
Aquisiç brownfield) Aquisição de empresa (brownfield) situaç Outra situação

té Ficha técnica

CARACTERIZAÇ 04. CARACTERIZAÇÃO DO TECIDO EMPRESARIAL

Pergunta: Pergunta “Qual foi o modo de entrada na Polónia?” estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: única Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

17

CONSTITUIÇ ANO DE CONSTITUIÇÃO

51,6% 29,0% 19,4%

Anterior a 2001 Entre 2001 e 2004 Em 2005 e depois

té Ficha técnica

CARACTERIZAÇ 04. CARACTERIZAÇÃO DO TECIDO EMPRESARIAL

Pergunta: Pergunta “Ano de constituição da empresa” estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: única Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

18

JURÍ NATUREZA JURÍDICA

22,6%

64,5%

12,9%

(Sp o.o) Sp. Sociedade por quotas (Sp. Z o.o) anó Sociedade anónima (S.A.) Outras formas

té Ficha técnica

CARACTERIZAÇ 04. CARACTERIZAÇÃO DO TECIDO EMPRESARIAL

Pergunta: Pergunta “Tipo de sociedade/Forma de representação” estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: única Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

19

POSIÇ POSIÇÃO PORTUGUESA NO CAPITAL SOCIAL DA EMPRESA

64,5%

28,9%

3,2% 3,2%

100% do capital Entre 50% e 99% do capital Menos de 50% do capital Não responde/não sabe
té Ficha técnica

CARACTERIZAÇ 04. CARACTERIZAÇÃO DO TECIDO EMPRESARIAL

Pergunta: Pergunta “Qual é actualmente a posição portuguesa no capital social da empresa?” estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: única Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

20

FACTURAÇ ORIGEM DA FACTURAÇÃO EM 2006

%
100,0

80,0

65,3
60,0

40,0

23,8
20,0

10,9

0,0

Mercado regional (PECO'S)

Mercado nacional polaco

Mercado internacional

té Ficha técnica

CARACTERIZAÇ 04. CARACTERIZAÇÃO DO TECIDO EMPRESARIAL

Pergunta: Pergunta “Qual o contributo de cada mercado para a facturação da vossa empresa?” estatí amostral: Tratamento estatístico: média e frequência Tipo de resposta: única Base amostral: 26 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

21

FACTURAÇ PERFORMANCE DA FACTURAÇÃO EM 2006

22,6%

48,4%
12,9%
Superou as expectativas

16,1%

Correspondeu às expectativas Ficou abaixo do previsto Não responde/não sabe

té Ficha técnica

CARACTERIZAÇ 04. CARACTERIZAÇÃO DO TECIDO EMPRESARIAL

Pergunta: Pergunta “Como classifica o volume de facturação obtido pela sua empresa em 2006?” estatí amostral: Tratamento estatístico: média e frequência Tipo de resposta: única Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

22

POLÓ RELEVÂNCIA DO INVESTIMENTO NA POLÓNIA, NO ÂMBITO DA ACTIVIDADE GLOBAL DA EMPRESA

38,7%

9,7%

48,4%
3,2%

Muito importante Importante Pouco importante Não responde/não sabe
té Ficha técnica

CARACTERIZAÇ 04. CARACTERIZAÇÃO DO TECIDO EMPRESARIAL

Pergunta: Pergunta “No âmbito da actividade da empresa, como classifica a relevância do investimento na Polónia?” estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: única Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

23

DIMENSÃO DA EMPRESA
Base: 30 empresas

VALOR MINIMO NÚMERO DE TRABALHADORES VALOR MÁXIMO MÁ % DE EXPATRIADOS NO TOTAL DE TRABALHADORES SALÁ MÉ SALÁRIO MÉDIO MENSAL BRUTO EM PLN

1 15000 9,4% 3.810,37 PLN

NÚ DIMENSÃO DA EMPRESA DE ACORDO COM O NÚMERO DE TRABALHADORES

22,6%
12,9% 3,2%

61,3%

Pequenas empresas (1 a 9 trabalhadores) Médias empresas (10 a 250 trabalhadores) Grandes empresas (Mais de 250 trabalhadores)

Base: 31 empresas
té Ficha técnica

Não responde

CARACTERIZAÇ 04. CARACTERIZAÇÃO DO TECIDO EMPRESARIAL

Pergunta: Pergunta “Qual o número de trabalhadores permanentes actualmente ao serviço da empresa?” “Qual o salário médio mensal bruto dos trabalhadores da empresa?” estatí Tratamento estatístico: média e frequência Tipo de resposta: única

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

24

NACIONALIDADE DOS GERENTES E/OU ADMINISTRADORES

12,9%

29,0%

58,1%

Portuguesa Portuguesa e Polaca Polaca

té Ficha técnica

CARACTERIZAÇ 04. CARACTERIZAÇÃO DO TECIDO EMPRESARIAL

Pergunta: Pergunta “Qual a nacionalidade dos gerentes e/ou administradores da empresa?” estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: única Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

25

LOCALIZAÇ 05. FACTORES DE LOCALIZAÇÃO Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2) Agosto 2007
26

INSTALAÇ POLÓ MÉTODOS/INSTRUMENTOS UTILIZADOS NA DECISÃO DE INSTALAÇÃO NA POLÓNIA
0,0
informaç Procura de informações sobre o negó negócio no mercado polaco Elaboraç Elaboração de estudo de mercado Reflexão interna na empresa Recurso a consultores informaç Recurso a informação institucional Amigos e familiares Outros meios Existência de apoio financeiros Não responde

20,0

40,0

60,0

80,0

%

70,0 53,3 50,0 30,0 23,3 16,7 13,4 6,7 3,2

té Ficha técnica Pergunta: Pergunta “Identifique os métodos/instrumentos que foram utilizados para fundamentar a decisão de se instalar na Polónia” estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: múltipla Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

27

LOCALIZAÇ FACTORES DETERMINANTES PARA A LOCALIZAÇÃO (1)
(valores em %)

1ª importância

TOTAL

Dimensão e potencial do mercado polaco mercados/diversificaç Procura de novos mercados/diversificação de mercados Insuficiente dimensão do mercado português Localizaç geográ Localização geográfica do mercado polaco Necessidade de aumentar vendas político-econó Ambiente político-económico Qualificaç Qualificação da mão de obra polaca

80,6 71,0 45,2 38,7 35,5 16,1 16,1

96,8 87,1 74,2 61,3 51,6 61,3 41,9

(1) São apresentados todos os factores que foram seleccionados como sendo de 1ª importância por mais de 10% das empresas.

té Ficha técnica Pergunta: Pergunta “Para os seguintes aspectos quais foram para si e por ordem de importância (1ª, 2ª e sem importância), os que determinaram a sua instalação na Polónia”

05. FACTORES DE LOCALIZAÇÃO LOCALIZAÇ

estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: múltipla Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

28

OBSTÁ INÍ TIPOLOGIA DE OBSTÁCULOS NO INÍCIO DA ACTIVIDADE (1)
(valores em %)

TOTAL

ní administraç pú Debilidades ao nível da administração pública comunicaç lí Dificuldades de comunicação relacionadas com a língua caracterí Desconhecimento das características do mercado infraPrecariedade de algumas infra-estruturas Dificuldades competitivas face aos concorrentes instalados serviç Inexistência de imagem de Portugal, enquanto produtor de bens e serviços selecç contrataç Dificuldades com a selecção e contratação de mão de obra local Conquistar clientes Falta de mão de obra especializada geográ mercadorias Distância geográfica face a Portugal condiciona o transporte de pessoas e mercadorias Atrasos nos pagamentos
(1) São apresentados todos os factores que foram seleccionados por mais de 10% das empresas.
té Ficha técnica Pergunta: Pergunta “Dos factores a seguir descritos identifique os que constituíram os principais obstáculos ao processo de instalação da sua empresa na Polónia”

64,5 64,5 35,5 35,5 29,0 25,8 25,8 22,6 19,4 19,4 16,1

05. FACTORES DE LOCALIZAÇÃO LOCALIZAÇ

estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: múltipla Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

29

OBSTÁ TIPOLOGIA DE OBSTÁCULOS ACTUAIS (1)

(valores em %)

TOTAL ní administraç pú Debilidades ao nível da administração pública comunicaç lí Dificuldades de comunicação relacionadas com a língua infraPrecariedade de algumas infra-estruturas Dificuldades competitivas face aos concorrentes instalados selecç contrataç Dificuldades com a selecção e contratação de mão de obra local geográ mercadorias Distância geográfica face a Portugal condiciona o transporte de pessoas e mercadorias Conquistar clientes Falta de mão de obra especializada Absentismo e rotatividade da mão de obra local Atrasos nos pagamentos serviç Inexistência de imagem de Portugal, enquanto produtor de bens e serviços ní polí macroeconó Instabilidade ao nível político e macroeconómico distribuiç Dificuldades de acesso aos canais de distribuição mais eficazes Definiç polí preç Definição da política de preços
(1) São apresentados todos os factores que foram seleccionados por mais de 10% das empresas.

58,1 32,3 32,3 32,3 32,3 25,8 25,8 25,8 25,8 19,4 16,1 12,9 12,9 12,9

té Ficha técnica Pergunta: Pergunta “Dos factores a seguir descritos identifique os que constituem os principais obstáculos à actividade da sua empresa na Polónia”

05. FACTORES DE LOCALIZAÇÃO LOCALIZAÇ

estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: múltipla Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

30

06. POSICIONAMENTO EMPRESARIAL Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2) Agosto 2007
31

AVALIAÇ SATISFAÇ AVALIAÇÃO DO GRAU DE SATISFAÇÃO COM O INVESTIMENTO REALIZADO NA POLÓ POLÓNIA
De certeza que voltaria a investir

58,1% 9,7%

Provavelmente voltaria a investir Não sabe

32,3%

n=31 empresas %

diferenç Com diferenças?
80,0

O que faria de diferente?
Procurava apoio de consultores informaç Solicitava mais informações sobre o mercado polaco Contactava regularmente AICEP ou Associações Associaç empresariais empresá Procurava uma parceria com empresário local situaç Outra situação
té Ficha técnica

70,0

55,6 55,6 44,4 22,2 11,1
n=10 empresas

60,0 50,0 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0

46,4% 35,7% 17,9%

Sim

Não

NS/NR
n=28 empresas

Pergunta: Pergunta “Voltaria a investir hoje na Polónia? Em caso afirmativo, faria alguma coisa diferente?” “Em caso afirmativo, o que faria de diferente?” estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: única

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

32

AFERIÇ INTENÇ AFERIÇÃO DAS INTENÇÕES DE INVESTIMENTO NA EMPRESA EM 2007 Intenç Intenção?
Provavelmente sim

67,7% 3,2% 29,0%

De certeza que sim Não sabe

Áreas de investimento?
n=31 empresas (valores em %)

Contrataç Contratação de recursos humanos instalaç Alargamento das instalações Formaç Formação de recursos humanos Aquisiç Aquisição de novos equipamentos Reforç acç promoç Reforço das acções de promoção e marketing Expansão da actividade para outras regiões polacas ní informá Melhorias ao nível do sistema informático paí Alargamento da actividade a países da Europa Central
té Ficha técnica Pergunta: Pergunta “Tenciona realizar investimentos na sua empresa no próximo ano? Em caso afirmativo, os investimentos vão ser dirigidos para que áreas”

73,3 46,7 46,7 43,3 43,3 43,3 30,0 23,3
n=30 empresas

06. POSICIONAMENTO EMPRESARIAL

estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: múltipla

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

33

ECONÓ POLÓ PERSPECTIVAS QUANTO AO DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO DA POLÓNIA CURTO/MÉ NO CURTO/MÉDIO PRAZO

Más

Muito boas

Mé Valor Médio (7,55)
0,0 1 0,0 2 0,0 3 0,0 4 12,9 5 3,2 6 32,3 7 29,0 8 12,9 9 9,7 10
%

0,0%

48,4%

51,6%

té Ficha técnica Pergunta: Pergunta “Na sua opinião quais são as perspectivas de desenvolvimento económico da Polónia a curto/médio prazo?”

06. POSICIONAMENTO EMPRESARIAL

estatí Tratamento estatístico: frequência e média Tipo de resposta: única Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

34

NEGÓ SECTORES DE ACTIVIDADE COM MAIORES OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO NO CURTO/MÉ CURTO/MÉDIO PRAZO (1)
(valores em %)

TOTAL

Construç Construção restauraç Turismo e restauração Alimentaç Alimentação e bebidas Transportes e armazenagem Banca e seguros informaç Media e tecnologias de informação Telecomunicações Telecomunicaç agro-pecuá Agricultura e agro-pecuária serviç Consultadoria e outros serviços Metalú Metalúrgica e metalomecânica automó Sector automóvel confecç Têxteis e confecções
(1) São apresentados todos os factores que foram seleccionados por mais de 10% das empresas.
té Ficha técnica Pergunta: Pergunta “Na sua opinião, quais são os sectores onde existem maiores oportunidades de negócios na Polónia no curto/médio prazo?”

77,4 41,9 35,5 35,5 25,8 25,8 25,8 25,8 22,6 22,6 12,9 12,9

06. POSICIONAMENTO EMPRESARIAL

estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: múltipla Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

35

PAÍ PAÍSES QUE FAZEM MAIOR CONCORRÊNCIA AOS INTERESSES EMPRESARIAIS PORTUGUESES (1)

(valores em %)

TOTAL

Alemanha Espanha Itá Itália Franç França China Reino Unido Áustria

61,3 54,8 38,7 32,3 32,3 25,8 22,6

(1) São apresentados todos os factores que foram seleccionados por mais de 10% das empresas.

té Ficha técnica Pergunta: Pergunta “Na sua opinião quais os países que maior concorrência fazem aos interesses empresariais portugueses na Polónia?”

06. POSICIONAMENTO EMPRESARIAL

estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: múltipla Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

36

O INVESTIMENTO POLACO CONSTITUI UMA PLATAFORMA DE EXPORTAÇÃO EXPORTAÇ PRESTAÇ SERVIÇ OU PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARA OUTROS MERCADOS? Plataforma?
Sim

9,7% 83,9% 6,5%

Não Não sabe

Paí Países? (1)
(valores em %)

Ucrânia
n=31 empresas

76,0 72,0 68,0 68,0 52,0 44,0 40,0 36,0 36,0 36,0
n=26 empresas

Repú República Checa Eslová Eslováquia Romé Roménia Lituânia Rússia Hungria Bielorú Bielorússia Bulgá Bulgária Letó Letónia
(1) São apresentados os 10 países mais relevantes

06. POSICIONAMENTO EMPRESARIAL

té Ficha técnica Pergunta: Pergunta “O investimento na Polónia é ou poderá vir a constituir uma plataforma de exportação ou de prestação de serviços para outros mercados da região? Em caso afirmativo, para quais países?” estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: única/múltipla

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

37

ESTRATÉ INTERACÇ 07. ESTRATÉGIAS DE INTERACÇÃO COM O MEIO Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2) Agosto 2007
38

UTILIZAÇ INTERNACIONALIZAÇ UTILIZAÇÃO DOS APOIOS DO ESTADO PORTUGUÊS À INTERNACIONALIZAÇÃO

12,9%

87,1%

Não recorreu a apoio Não sabe/Não responde

té Ficha técnica

ESTRATÉ INTERACÇ 07. ESTRATÉGIAS DE INTERACÇÃO COM O MEIO

Pergunta: Pergunta “Recorreu a algum apoio à internacionalização do estado português para este investimento na Polónia?” estatí amostral: Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: única Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

39

UTILIZAÇ UTILIZAÇÃO DOS APOIOS DAS ENTIDADES POLACAS Utilizaç Utilização de apoio

Não recorreu a apoio Recorreu a apoio

83,9%

Não sabe/Não responde

12,9% 3,2%

n=31 empresas

Tipo de apoio
(valores em %)

aquisiç Facilidade na aquisição de terrenos Apoios financeiros ao investimento Apoio informativo e de aconselhamento

75,0 25,0 50,0
n=4 empresas

té Ficha técnica

ESTRATÉ INTERACÇ 07. ESTRATÉGIAS DE INTERACÇÃO COM O MEIO

Pergunta: Pergunta “Teve algum apoio das entidades polacas na realização deste investimento? Em caso afirmativo, em que se traduziu esse apoio?” estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: única

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

40

CONTACTO COM OUTRAS EMPRESAS DE CAPITAIS PORTUGUESES INSTALADAS NO MERCADO

61,3%

38,7%

Manté relaç Mantém relações com outras empresas manté relaç Não mantém relações com outras empresas

té Ficha técnica

ESTRATÉ INTERACÇ 07. ESTRATÉGIAS DE INTERACÇÃO COM O MEIO

Pergunta: Pergunta “Mantém relações comerciais com outras empresas polacas com capitais portugueses? estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: única Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

41

INTERVENÇ PRIORITÁ INSTITUIÇ INTERVENÇÕES PRIORITÁRIAS DAS ENTIDADES E INSTITUIÇÕES PORTUGUESAS
(valores em %)

Intervenções de Intervenç 1ª prioridade

Forte envolvimento institucional do Governo e de instituições instituiç portuguesas Dinamizaç acç Dinamização de acções promocionais no mercado Realizaç empresá Realização de encontros entre empresários portugueses Acompanhamento personalizado das empresas Elaboraç Elaboração de materiais informativos sobre o mercado polaco Organizaç seminá informaç Organização de seminários/workshops de informação sobre o mercado polaco em Portugal lí Convite a importadores/jornalistas e líderes de opinião polacos para visitarem Portugal Realização de grandes acções de imagem Realizaç acç

74,2 54,8 51,6 48,4 41,9 35,5 29,0 25,8

té Ficha técnica

ESTRATÉ INTERACÇ 07. ESTRATÉGIAS DE INTERACÇÃO COM O MEIO

Pergunta: Pergunta “Na sua opinião que tipo de intervenções deveriam constituir prioridades de aposta para o mercado da Polónia das entidades e instituições portuguesas ligadas à internacionalização das empresas e da economia portuguesa?” estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: múltipla Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

42

AVALIAÇ VARSÓ AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA AICEP PORTUGAL EM VARSÓVIA

19,4%

71,0%

3,2%

6,5%

Colaborante e dinâmica solicitaç Responde às solicitações que são colocadas burocrá Distante e burocrática Não responde

té Ficha técnica

ESTRATÉ INTERACÇ 07. ESTRATÉGIAS DE INTERACÇÃO COM O MEIO

Pergunta: Pergunta “Como caracteriza o desempenho da Delegação do Icep Portugal em Varsóvia relativamente à promoção e estímulo da actividade empresarial nacional na Polónia?” estatí Tratamento estatístico: frequência Tipo de resposta: única Base amostral: 31 empresas

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

43

PROPRIEDADE E AUTORIA Comé Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal Biuro Radcy Handlowego Ambasady Portugalii ul. Francuska 37, 03-905 WARSZAWA - POLSKA Tel: (48-22) 6176460 / 6174340 / 6175596 / 6173620 Fax: (48-22) 6174477 / 6172399 www.portugalglobal.pt www.visitportugal.com

RELATÓ RELATÓRIO PREPARADO POR Investigaç Spirituc – Investigação Aplicada Rua Artilharia 1, Nº 51, Pateo Bagatella, Ed. 1, 5 andar 1250-137 Lisboa Portugal Tel: (351) 21 371 54 25 Fax: (351) 21 371 54 11 www.spirituc.com

Baró Poló (Inqué nº Barómetro do Investimento Português na Polónia (Inquérito nº2)

Agosto 2007

44