Você está na página 1de 17

Metodologia de Planejamento

de Redes de Acesso
com Otimização de Receitas
FERNANDO BASSETO
DENSIS-FEEC-UNICAMP

CARLOS MAGNUS CARLSON FILHO


UNIRP

JOSÉ REYNALDO FORMIGONI FILHO


USF

MARCOS ANTÔNIO DE SOUSA


DENSIS-FEEC-UNICAMP

EUNICE L. M. PISSOLATO
FUNDAÇÃO CPqD

XXXI Simpósio Brasileiro de Pesquisa Operacional


Sumário

1. Serviços
2. Apresentação da Rede de Acesso
3. Metodologia de Planejamento
4. Modelo Matemático
5. Aplicação à uma Rede Existente
6. Conclusões
1. Serviços

Variedade Categorias

Faixa-Estreita
Telefonia Convencional (VOZ)
Rede Digital de Serviços Integrados (RDSI)

Faixa-Larga
Faixa-Larga Residencial (FLR)
Faixa-Larga Comercial (FLC)
2. Apresentação da Rede de Acesso
Sistema de Telecomunicações

ET
ET ET
Área da Estação 2

Central
Tandem
Área da Estação 1
Usuários (assinantes)

I.U. Telefonia Celular Móvel


Área da Estação 3

ET

Central
Área da Estação 4 Tandem

Legenda
ET
Rede de Acesso
Rede de Entroncamento Local Área da Estação5
Rede de Entroncamento Interurbano
A Rede de Acesso

Usuário Área de Estação

Rede Primária Rede Secundária

ET
3. Metodologia de Planejamento
Planejamento Estratégico

• Grande quantidade de cenários;


• Utilização de ferramenta computacional como suporte no
processo de decision making;
• Modelos simplificados de rede;
• Escolha dos serviços que serão oferecidos;
• Obtenção de resultados financeiros relevantes;
• Escolha das tecnologias mais viáveis economicamente;
• Racionalização do planejamento.
Planejamento Técnico

• Utilização de algoritmos de otimização;


• Competição entre as tecnologias selecionadas anteriormente;
• Alocação ótima de equipamentos, cabos e infra-estrutura na
rede;
• Maximização da receita fornecida pela rede;
• Algoritmo aplicado anualmente a fim de se obter um
planejamento estagiado;
• Melhor aproveitamento dos recursos destinados à evolução
da rede de acesso.
4. Modelo Matemático

Maximizar
Receita = Receita Total dos Serviços Oferecidos

Sujeito a:

Restrição de Limite de Orçamento

Restrições de Satisfação de Demanda

Restrições Técnicas de Capacidade

Restrições Adicionais
5. Aplicação à uma Rede Existente
Dados Gerais
• Total de assinantes em 2000: 14280;
• Densidade de assinantes em 2000: 1925 assinantes/km2;
• Número de seções de serviço: 17

Taxa de Transmissão Receita


Serviços
downstream upstream Anual (US$)
POTS 64 Kbps 64 Kbps 156
ISDN 144 Kbps 144 Kbps 720
FLR 2 Mbps 64 Kbps 1920

Ano 1.999 Ano 2.000


Serviço
Penetração Demanda Penetração Demanda
POTS 78,7% 11.242 91% 12.979
ISDN 2% 301 3% 436
FLR 2,5% 357 6% 865
Rede e Demandas por Armário

0 / 200 400 / 300


Deman da 480 5 4 720

1178 1080
7
0 / 400
840 6 0 / 800
8 480
1096 800 / 350

320 300 536 400 175

0 / 400 0 / 400 0 / 700 600 Comprimento


2 do arco
1 960 720 3 960
388

Comprimento Pares disponíveis


do arco

14 1150 / 400 820 100 270 30 130 0 / 550


9 960
0
840 0 / 400 0 / 400

15 600 16 720
978 ET
650
0 / 400 Legenda
17 720
0 / 400 1018 750 600 ET Estação telefônica
10
840 0 / 400 0 / 700 i Nó de Aces so
0 / 900

1080 13 Nó de controle
720 11 1560 12
Duto subterrâneo
Planejamento Estratégico
Tecnologias Candidatas
• Rede Metálica + modems Resultados Econômicos
de alta velocidade (xDSL)
Investimentos (US$)
• Rede Óptica Primária Tecnologia 1999 2000
(ROP) xDSL 1.454.396 1.116.020
• FTTC (Fiber-to-the-Curb) FTTC 1.572.656 598.866
ROP 1.687.826 1.162.392
• HFC (Fibra + Coaxial)
HFC 2.527.505 574.001

Indicadores Financeiros xDSL FTTC ROP HFC


Valor Presente Líquido (US$) 3.756.962 4.100.446 3.482.128 3.167.798
Investimento por Usuário (US$) 171,63 147,57 190,87 212,89
Retorno sobre Investimento 153% 195% 128% 104%
Planejamento Técnico
Demanda Mínima

Serviço Porcentagem do Total Assinantes 1.999 Assinantes 2.000


POTS 95 % 10.688 12.339
ISDN 55 % 173 250
FLR 80 % 294 701
Total 11.155 13.290

Demanda Não Atendida

Demanda Não Atendida 1.999 2.000


POTS 125 291
ISDN 128 186
FLR 23 37
Evolução da rede para o ano 1.999
576 18 1 767 24
1 767 24 1
2 3
1 3 240 326
4
1 576 15 17
400 2 160 218
400 5
600
16 400
1 576 15
6 1 671 21
400
600
15 ET
400
1 480 12 400 1 863 27
7
600
14 600 1 280 98
600 8
1 671 17 900

1 767 23
13 9
1 863 27
Legenda
Cabo metálico
10
Fibra óptica
12 11 3 320 339
Quantidade de ONUs alocadas
1 1247 32 2 320 243 Dem . atendida por rede metálica
Dem . atendida por rede APON-FTTC
Evolução da rede para o ano 2.000
640 44 2 880 58
2 800 104 2

1 2 3
4 4 240 439
2 640 36 17
3 160 293
5
16
2 640 44
6 2 778 51

15 ET

1 556 29 2 960 64
7

14 1 280 173
400 8
2 778 51
2 889 49
9
2 1001 52 13
Legenda
Cabo metálico
10
Fibra óptica
12 11 4 320 471
Quantidade de ONUs alocadas
3 1440 94 2 667 44 Dem . atendida por rede metálica
Dem . atendida por rede APON-FTTC
Participação de cada tecnologia

Ano Rede Metálica + xDSL Rede APON-FTTC


POTS ISDN FLR POTS ISDN FLR
1.999 9.971 173 0 1.146 0 333
2.000 11.419 250 0 1.269 0 827

Resultados Econômicos

Solução Mista xDSL + APON 1999 2000


Receitas (US$) 2.499.040 3.747.550
Investimentos (US$) 1.250.000 421.500
Valor Presente Líquido (US$) 4.218.728
Investimento por Usuário (US$) 118,15
Retorno sobre Investimento 259%
Sumário dos Resultados Econômicos

Indicadores Financeiros xDSL FTTC Mista (otimizada)


Receitas Atualizadas (US$) 6.207.804 6.207.804 5.845.067
Investimentos Atualizados (US$) 2.450.842 2.107.358 1.626.339
Valor Presente Líquido (US$) 3.756.962 4.100.446 4.218.728
Investimento por Usuário (US$) 171,63 147,57 118,15
Retorno sobre Investimento 153% 195% 259%

• Resultados do planejamento técnico constituem um


refinamento em relação aos do planejamento estratégico;
• Devido à limitação orçamentária nem toda a demanda é
atendida ⇒ menor receita;
• Compromisso entre investimento e receita mais favorável
na solução otimizada (retorno sobre investimento).
5. Conclusões

• Elevado número de tecnologias, serviços ⇒ muitos cenários;


• Metodologia divide o planejamento em duas etapas: planejamento
estratégico e planejamento técnico;
• Primeira etapa: modelos simplificados de rede, seleção de
tecnologias mais viáveis economicamente;
• Segunda etapa: competição entre as tecnologias selecionadas
visando a maximização da receita gerada;
• Aplicação à uma rede existente indicou sensível melhora nos
indicadores financeiros (aproveitamento otimizado do orçamento);
• Metodologia pode contribuir para o planejamento da evolução da
rede de acesso.