Você está na página 1de 23
Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP PROTOCOLOS AVALIAÇÃO DA APTIDÃO FÍSICA DE ATLETAS MACEIÓ 2013

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

PROTOCOLOS AVALIAÇÃO DA APTIDÃO FÍSICA DE ATLETAS

MACEIÓ

2013

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP INTRODUÇÃO Com o objetivo de operacionalizar a aplicação dos

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

INTRODUÇÃO

Com o objetivo de operacionalizar a aplicação dos protocolos de avaliação física dos atletas os testes foram divididos em dois grupos: testes de laboratório e testes de quadra. O primeiro grupo será composto por testes que avaliam a antropometria e composição corporal (massa corporal, estatura, envergadura e espessura das dobras cutâneas) e flexibilidade. O segundo grupo será constituído pelos testes que avaliam as seguintes capacidades físicas: força, velocidade, agilidade e resistência. A avaliação será então conduzida com a aplicação dos testes de laboratório e sem seguidas os testes de quadra, na seguinte ordem:

1)

2)

3)

4)

5)

6)

ANTROPOMETRIA E COMPOSIÇÃO CORPORAL FLEXIBILIDADE FORÇA AGILIDADE VELOCIDADE RESISTÊNCIA

ANTROPOMETRIA E COMPOSIÇÃO CORPORAL FLEXIBILIDADE FORÇA AGILIDADE VELOCIDADE RESISTÊNCIA
ANTROPOMETRIA E COMPOSIÇÃO CORPORAL FLEXIBILIDADE FORÇA AGILIDADE VELOCIDADE RESISTÊNCIA
ANTROPOMETRIA E COMPOSIÇÃO CORPORAL FLEXIBILIDADE FORÇA AGILIDADE VELOCIDADE RESISTÊNCIA
ANTROPOMETRIA E COMPOSIÇÃO CORPORAL FLEXIBILIDADE FORÇA AGILIDADE VELOCIDADE RESISTÊNCIA
ANTROPOMETRIA E COMPOSIÇÃO CORPORAL FLEXIBILIDADE FORÇA AGILIDADE VELOCIDADE RESISTÊNCIA
Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP 1) ANTROPOMETRIA E COMPOSIÇÃO CORPORAL 1.1 Estatura Material:

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

1) ANTROPOMETRIA E COMPOSIÇÃO CORPORAL

1.1 Estatura

Material: Estadiômetro, trena ou fita métrica com precisão até 2 mm. Orientação: Na utilização da fita métrica (considerando que normalmente ela

mede 1,50 metros de comprimento) se aconselha prendê-la à parede a 1 metro do solo, estendendo-a de baixo para cima (neste caso o avaliador não poderá esquecer de acrescentar 1m ao resultado aferido pela fita métrica). Para a leitura da estatura deve ser utilizado um dispositivo em forma de esquadro (ver

a figura abaixo). Deste modo um dos lados do esquadro é fixado à parede e o

lado perpendicular inferior junto à cabeça do sujeito avaliado. (Este procedimento elimina erros decorrentes das possíveis inclinações de materiais tais como réguas ou pranchetas quando livremente apoiados apenas sobre a cabeça do sujeito avaliado).

apoiados apenas sobre a cabeça do sujeito avaliado). Anotação: A medida da estatura é anotada em

Anotação: A medida da estatura é anotada em centímetros com uma casa após

a vírgula.

1.2 Massa corporal

Material: Uma balança portátil com precisão de até 500 gramas Orientação: Os atletas devem ser medidos em trajes leves e descalços. Deverão manter-se em pé com os cotovelos (braços) estendidos e juntos ao corpo. Ao utilizar balanças mecânicas o avaliador deverá ter em conta a

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP necessidade de sua frequente calibragem. Recomenda-se verificar a calibragem

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

necessidade de sua frequente calibragem. Recomenda-se verificar a calibragem a cada 8 a 10 medidas através de um peso padrão de referência. Anotação: A medida deve ser anotada em quilogramas com a utilização de uma casa após a vírgula.

1.3 Envergadura

Material: Trena métrica com precisão de 2mm ou duas fitas métricas unidas. Orientação: Sobre uma parede, de preferência sem rodapé, é fixada uma trena métrica paralelamente ao solo a uma altura de 1,70 metros para os atletas mais baixos a 1,90 m para os atletas mais altos. O atleta se posiciona em pé, de frente para a parede, com os braços elevados e cotovelos estendidos em 90 graus em relação ao tronco. As palmas das mãos voltadas para a parede. O atleta deverá posicionar a extremidade do dedo médio esquerdo no ponto zero da trena, sendo medida a distância até a extremidade do dedo médio direito.

a distância até a extremidade do dedo médio direito. Anotação: A medida é registrada em centímetros

Anotação: A medida é registrada em centímetros com uma casa após a vírgula.

1.4 Espessura de dobras cutâneas

Para as medidas de espessura de dobras cutâneas será adotado o protocolo proposto por Guedes (1985). O protocolo utiliza as medidas de três dobras

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP cutâneas, diferenciadas por sexo, para estimar o percentual de

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

cutâneas, diferenciadas por sexo, para estimar o percentual de gordura. Serão aferidas, em ordem, as seguintes dobras:

Homens: tricipital, supra-ilíaca e abdômen. Mulheres: subescapular, supra-ilíaca e coxa.

Materiais:

Compasso de dobras cutâneas, adipômetro ou plicômetro com pressão constante de 10/mm 2 e uma amplitude de 0 mm a 60 mm.

Procedimentos gerais:

Hemicorpo direito do avaliado

Marcar com um lápis demográfico o local a ser medido

Utilizar o dedo indicador e o polegar da mão esquerda

Realizar a pegada em forma de pinça

Separar o tecido gorduroso (subcutâneo) do tecido muscular

Introduzir o as hastes do compasso a aproximadamente 1 a 2 cm abaixo da pegada

Hastes do compasso perpendiculares a pele.

Aguardar de dois a quatro segundos para a leitura da medida

Procedimentos específicos:

Tricipital Face posterior do braço direito, paralelo ao eixo longitudinal, no ponto que compreende a distância média entre o acrômio e o processo do olecrano da ulna.

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP Supra-ilíaca É obtida obliquamente em relação ao eixo longitudinal,

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP Supra-ilíaca É obtida obliquamente em relação ao eixo longitudinal, na

Supra-ilíaca É obtida obliquamente em relação ao eixo longitudinal, na metade da distância entre o último arco costal e a crista ilíaca, sobre a linha axilar média. É necessário que o avaliado afaste o braço para trás para permitir uma boa execução e leitura da medida.

Abdômen Medida a aproximadamente dois centímetros a direita da cicatriz umbilical, paralelamente ao eixo longitudinal do corpo.

Medida a aproximadamente dois centímetros a direita da cicatriz umbilical, paralelamente ao eixo longitudinal do corpo.
Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP Subescapular Executar a medida obliquamente em relação ao eixo

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

Subescapular

Executar a medida obliquamente em relação ao eixo longitudinal, seguindo a orientação dos arcos costais, sendo localizada a 2 centímetros abaixo do ângulo inferior da escápula.

a 2 centímetros abaixo do ângulo inferior da escápula. Coxa É o ponto médio entre a

Coxa É o ponto médio entre a prega inguinal e a borda superior da patela. O avaliado deve estar em pé com a perna relaxada. É medida sobre o músculo reto femural.

e a borda superior da patela. O avaliado deve estar em pé com a perna relaxada.
Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP Para estimar o percentual de gordura é necessário determinar

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

Para estimar o percentual de gordura é necessário determinar a densidade corporal através das seguintes fórmulas:

* Homens (18 a 30 anos):

D = 1,1714 0,0671log (TR + SI + AB)

* Mulheres (18 a 30 anos):

D = 1,1665 0,0706 log (SB + SI + CX)

Após o cálculo do valor da densidade corporal, o percentual de gordura é

determinado usando-se a seguinte fórmula:

%G = (4,95/Densidade 4,50) 100

2)

FLEXIBILIDADE

A flexibilidade será medida pelo teste de sentar e alcançar utilizando-se o Banco de Wells. O avaliado deverá estar descalço e assumir uma posição de frente para o aparelho com os pés encostados contra a caixa. O avaliador deverá apoiar os joelhos do avaliado na tentativa de assegurar que eles permaneçam estendidos durante o movimento de extensibilidade. Os braços deverão estar estendidos sobre na superfície da caixa e as mãos colocadas uma sobre a outra. Para a realização do teste, o avaliado, com as palmas das mãos voltadas para baixo, em contato com a escala, procurando alcançar a maior distância possível, realizará um movimento de modo lento sem solavancos. Oferecem-se três tentativas ao avaliado, e, em cada oportunidade, a distância alcançada deverá ser mantida por, aproximadamente, 1segundo;

Resultados: a distância alcançada deverá ser registrada a cada 0,5cm por meio da escala de medida fixada na parte superior plana da caixa, determinada pela ponta dos dedos de ambas as mãos. A escala de medida deverá apresentar uma amplitude de 0 a 0,50cm, de forma que, caso o avaliado ultrapasse a linha dos pés, terá valores acima de 23cm, entretanto, se não conseguir alcançar as

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP mãos até a altura dos pés, serão registrados valores

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

mãos até a altura dos pés, serão registrados valores inferiores aos 23cm. Para efeito de resultado do teste deverá ser computado com índice de flexibilidade a melhor medida entre as três tentativas;

Precauções: não deverá ser considerada a tentativa em que o avaliado flexionar os joelhos durante o movimento de extensibilidade ou, ainda, se as mãos não estiverem uma sobre a outra e com as pontas dos dedos de ambas coincidindo;

3) FORÇA MUSCULAR A força muscular será avaliada em suas três formas de manifestação: força explosiva, força máxima e resistência de força.

3.1 Força explosiva de membros superiores Material: Uma trena e uma medicineball de 2 kg.

Orientação: A trena é fixada no solo perpendicularmente à parede. O ponto zero da trena é fixado junto à parede. O atleta sentase com os joelhos

estendidos, as pernas unidas e as costas completamente apoiadas à parede. Segura a medicineball junto ao peito com os cotovelos flexionados. Ao sinal do avaliador o atleta deverá lançar a bola à maior distância possível, mantendo as costas apoiadas na parede. A distância do arremesso será registrada a partir do ponto zero até o local em que a bola tocou ao solo pela primeira vez. Serão realizados dois arremessos, registrandose para fins de avaliação o melhor

resultado. Sugerese que a medicineball seja banhada em pó branco para

facilitar a identificação precisa do local onde tocou pela primeira vez ao solo. Anotação: A medida será registrada em centímetros com uma casa após a vírgula.

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP 3.2 Força explosiva de membros inferiores Material: Uma trena

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP 3.2 Força explosiva de membros inferiores Material: Uma trena e

3.2 Força explosiva de membros inferiores Material: Uma trena e uma linha traçada no solo. Orientação: A trena é fixada ao solo, perpendicularmente à linha de partida. A linha de partida pode ser sinalizada com giz, com fita crepe ou ser utilizada uma das linhas que demarcam as quadras esportivas. O ponto zero da trena situase sobre a linha de partida. O avaliado colocase imediatamente atrás da

linha, com os pés paralelos, ligeiramente afastados, joelhos semiflexionados,

tronco ligeiramente projetado à frente. Ao sinal o atleta deverá saltar a maior distância possível aterrissando com os dois pés em simultâneo. Serão realizadas duas tentativas, será considerado para fins de avaliação o melhor resultado. Anotação: A distância do salto será registrada em centímetros, com uma casa após a vírgula, a partir da linha traçada no solo até o calcanhar mais próximo desta.

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP 3.3 Resistência de Força (abdominal) O avaliado deverá realizar

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP 3.3 Resistência de Força (abdominal) O avaliado deverá realizar o

3.3 Resistência de Força (abdominal)

O avaliado deverá realizar o máximo de flexões do tronco em 1 minuto. A posição inicial do avaliado é em decúbito dorsal, com os joelhos flexionados formando um ângulo de 90°; as plantas dos pés devem estar em pleno contato com o solo, em uma distância inferior a 30 cm. Os avaliados devem cruzar os braços à frente do corpo, de forma que a mão direita toque o ombro esquerdo e vice-versa. A cabeça deve estar em contato com o solo. O avaliador deve estar segurando os pés do avaliado, impedindo que ele se movimente. O avaliado deve elevar o tronco até tocar na altura dos joelhos, voltando à posição inicial. Cada toque do tronco no joelho completa uma flexão do tronco. Três comandos são dados para a realização do teste: prepara, vai e para.

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP 3.4 Força Máxima A força máxima será mensurada por

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP 3.4 Força Máxima A força máxima será mensurada por meio

3.4 Força Máxima A força máxima será mensurada por meio da preensão manual com auxílio de um dinamômetro digital respeitando-se o protocolo recomendado pela American Association of Hand Therapists (RICHARDS; OLSO; PALMITER- THOMAS, 1996). O agarre do dinamômetro deverá ser ajustado ao tamanho da mão de forma que apenas as quatro últimas falanges distais exerçam força na barra de tração, antes do início do teste. O braço deverá estar flexionado a 90° com a mão em posição neutra. Deverão ser realizadas três tentativas alternando-se os membros e registrada a melhor das três. Deve haver um repouso de 1 minuto entre as tentativas com o mesmo braço.

4) AGILIDADE Material: um cronômetro, um quadrado com 4 metros de lado demarcados com quatro cones. Orientação: Demarca-se no local de testes um quadrado de quatro metros de lado. Coloca-se um cone em cada ângulo do quadrado. Uma fita crepe ou uma reta desenhada com giz indica a linha de partida (ver figura abaixo). O atleta parte da posição de pé, com um pé avançado à frente imediatamente atrás da linha de partida (num dos vértices do quadrado). Ao sinal do avaliador, deverá deslocarse em velocidade máxima e tocar com uma das mãos no cone situado

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP no canto em diagonal do quadrado (atravessa o quadrado).

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

no canto em diagonal do quadrado (atravessa o quadrado). Na seqüência, corre para tocar o cone à sua esquerda e depois se desloca para tocar o cone em diagonal (atravessa o quadrado em diagonal). Finalmente, corre em direção ao último cone, que corresponde ao ponto de partida. O cronômetro deverá ser acionado pelo avaliador no momento em que o avaliado tocar pela primeira vez com o pé o interior do quadrado e será travado quando tocar com uma das mãos no quarto cone. Serão realizadas duas tentativas, sendo registrado para fins de avaliação o menor tempo.

Anotação: A medida será registrada em segundos e centésimos de segundo (duas casas após a vírgula).

e centésimos de segundo (duas casas após a vírgula). 5) VELOCIDADE Material: Um cronômetro e uma

5)

VELOCIDADE

Material: Um cronômetro e uma pista de 20 metros demarcada com três linhas paralelas no solo da seguinte forma: a primeira (linha de partida); a segunda,

distante 20m da primeira (linha de cronometragem) e a terceira linha, marcada a um metro da segunda (linha de chegada). A terceira linha serve como referência de chegada para o atleta na tentativa de evitar que ele inicie a desaceleração antes de cruzar a linha de cronometragem. Dois cones para a sinalização da primeira e terceira linhas.

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP Orientação: O atleta parte da posição de pé, com

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

Orientação: O atleta parte da posição de pé, com um pé avançado à frente imediatamente atrás da primeira linha (linha de partida) e será informado que deverá cruzar a terceira linha (linha de chegada) o mais rápido possível. Ao sinal do avaliador, o atleta deverá deslocarse, o mais rápido possível, em

direção à linha de chegada. O avaliador deverá acionar o cronômetro no momento em que o avaliado ao dar o primeiro passo toque o solo pela primeira vez com um dos pés além da linha de partida. O cronômetro será travado quando o atleta ao cruzar a segunda linha (linha de cronometragem) tocar pela primeira vez ao solo. Anotação: O cronometrista registrará o tempo do percurso em segundos e centésimos de segundos (duas casas após a vírgula).

e centésimos de segundos (duas casas após a vírgula). 6) RESISTÊNCIA A avaliação da resistência será

6) RESISTÊNCIA A avaliação da resistência será realizada através do protocolo desenvolvido por Leger e Lambert (1982) para avaliar a potência aeróbica máxima de crianças escolares, adultos saudáveis e atletas. O teste de vai e vem (também denominado de shuttle run, beep teste e teste de Leger) serve para estimar o valor do consumo máximo de oxigênio (VO2max). Este teste é composto por múltiplos estágios progressivos, que determinam o VO2max do indivíduo. O atleta inicia a avaliação trotando devagar numa distância de 20 metros, com mudanças alternadas de direção e termina quando não aguentar mais

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP acompanhar o ritmo imposto por estímulo sonoro ( beep

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

acompanhar o ritmo imposto por estímulo sonoro (beep). O esgotamento é caracterizado quando o avaliado alcança a linha que demarca a distância de 20 metros atrasado em relação ao beep por duas vezes consecutivas.

Materiais:

Uma área plana que permita marcar 2 linhas paralelas, distantes 20 metros.

Pode ser uma quadra esportiva, um pátio, campo, ginásio etc.

Aparatos para demarcar as duas linhas no chão, podendo ser uma fita ou giz e caso tenha, cones para uma melhor visualização.

Trena para marcação da área de 20 metros.

Equipamento de som para a reprodução do “beep” sonoro.

Procedimentos:

Os avaliados devem ser instruídos a cruzar a linha oposta com pelo menos um pé ao mesmo tempo em que soar o sinal sonoro (BEEP) e em seguida mudar para a direção oposta e iniciar uma nova corrida até a outra linha, devendo alcançá-la também ao mesmo tempo do “beep”. E desta forma, manter o ritmo imposto pelo CD ou fita. A cada minuto um estágio é completado, momento em que a frequência dos “beeps” aumenta fazendo com que a velocidade de corrida também aumente. O teste inicia-se com uma velocidade de 8.5 km/h e a cada estágio aumenta 0.5 km/h. O avaliador deverá observar o estágio alcançado pelo avaliado, pois ele será usado para estimar o VO2máx. O teste termina quando o avaliado não conseguir mais correr ou alcançar a linha demarcada por duas vezes consecutivas atrasado em relação ao beep. Por exemplo: O “beep” ocorreu antes de o avaliado cruzar com um dos pés a linha demarcada, então ele deverá rapidamente cruzá-la e correr em direção a outra linha alcançando-a no momento do sinal sonoro “beep” (pode ser um pouco antes do “beep”) continuando o teste. Caso não alcance a linha considera-se

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP que o avaliado não está mais conseguindo acompanhar o

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

que o avaliado não está mais conseguindo acompanhar o ritmo do CD devendo parar o teste. O avaliador deve ficar em uma posição em que possa ver todos os avaliados controlando quando não alcançam a linha, devendo avisá-los quando ocorre. A posição recomendada é em uma local central entre as duas linhas fora da área do teste. É recomendável que as pessoas a serem testadas façam uma familiarização antes de iniciar o teste. Após o término, os avaliados devem ser orientados a continuar caminhando ao redor da área de teste até se recuperarem a condição próxima à de repouso.

até se recuperarem a condição próxima à de repouso. Resultados: Para a obtenção dos resultados devemos

Resultados:

Para a obtenção dos resultados devemos ter em mãos o estágio em que se concluiu o teste (o que indicará a velocidade) e a idade do avaliado no caso de menores de 18 anos. Caso o avaliado seja maior de 18 anos, somente o estágio é suficiente para estimar o VO2max.

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP • Menores de 18 anos: Em crianças e adolescentes

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

• Menores de 18 anos:

Em crianças e adolescentes o VO2max pode ser predito através da velocidade

máxima aeróbica de corrida (Km/h) e a idade (anos) por meio da seguinte fórmula:

VO2max = 31.025 + 3.238 x (Velocidade) 3.248 x (Idade) + 0.1536 x (Velocidade) x (Idade)

Exemplo: Uma criança de 9 anos realizou o teste e o concluiu no estágio número 6. Portanto sua velocidade atingida será de 11 Km/h conforme a tabela que segue em anexo.

Então calcula-se da seguinte maneira:

VO2max = 31.025 + 3.238 x (11) 3.248 x (9) + 0.1536 x (11) x (9) VO2max = 52.62 (ml/Kg/min)

• Maiores de 18 anos:

Para adultos, a predição do VO2max pode ser obtido tendo em mãos somente a velocidade máxima aeróbica de corrida (Vel. em Km/h) por meio da seguinte fórmula:

VO2max = - 27,4 + 6 x (Velocidade)

Exemplo: Um homem de 23 anos realiza o teste alcançando o estágio número 12. Portanto sua velocidade atingida é de 14 Km/h calculando-se da seguinte maneira:

VO2max = - 27,4 + 6 x (12) VO2max = 56.6 (ml/Kg/min)

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP DEFINIÇÃO DE TESTES POR MODALIDADE ESPORTIVA ESPORTES COLETIVOS 

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP DEFINIÇÃO DE TESTES POR MODALIDADE ESPORTIVA ESPORTES COLETIVOS 

DEFINIÇÃO DE TESTES POR MODALIDADE ESPORTIVA

ESPORTES COLETIVOS

Antropometria e composição corporal

Força de membros inferiores

Força de membros superiores

Resistência de força

Velocidade

Agilidade

Resistência

TÊNIS

Antropometria e composição corporal

Força de membros inferiores

Força de membros superiores

Resistência de força

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP  Velocidade  Agilidade  Resistência ATLETISMO Corridas

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

Velocidade

Agilidade

Resistência

ATLETISMO

Corridas (velocidade)

Antropometria e composição corporal

Força de membros inferiores

Resistência de força

Velocidade

Agilidade

Resistência

Corridas (meio fundo e fundo)

Antropometria e composição corporal

Força de membros inferiores

Resistência de força

Velocidade

Resistência

Lançamentos e arremessos

Antropometria e composição corporal

Força de membros inferiores

Força de membros superiores

Força máxima

Resistência de força

Velocidade

Saltos

Antropometria e composição corporal

Flexibilidade

Força de membros inferiores

Resistência de força

Velocidade

Agilidade

Resistência

LUTAS

Antropometria e composição corporal

Flexibilidade

Força de membros inferiores

Força de membros superiores

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP  Força máxima  Resistência de força  Velocidade

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

Força máxima

Resistência de força

Velocidade

Agilidade

Resistência

NATAÇÃO

Antropometria e composição corporal

Força de membros inferiores

Força de membros superiores

Resistência de força

Velocidade

Agilidade

Resistência

TRIATLHON

Antropometria e composição corporal

Força de membros inferiores

Força de membros superiores

Resistência de força

Velocidade

Resistência

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP ANEXOS

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

ANEXOS

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP FICHA DE AVALIAÇÃO FÍSICA ANTROPOMETRIA E COMPOSIÇÃO CORPORAL Estatura

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

FICHA DE AVALIAÇÃO FÍSICA

de Habilidades Práticas - LAHP FICHA DE AVALIAÇÃO FÍSICA ANTROPOMETRIA E COMPOSIÇÃO CORPORAL Estatura (cm): Peso

ANTROPOMETRIA E COMPOSIÇÃO CORPORAL

Estatura (cm):

Peso (Kg):

Envergadura

(cm):

Dobras cutâneas

Homens

Tríceps (mm):

Supra-ilíaca (mm):

Abdômen (mm):

Mulheres Subescapular (mm):

Supra-ilíaca (mm):

Coxa (mm):

CAPACIDADES FÍSICAS

Flexibilidade (cm):

Força-resistência (N o de repetições):

Força explosiva de membros inferiores (cm):

Força explosiva de membros superiores (cm):

Agilidade (seg):

Velocidade (seg):

Resistência (estágio alcançado):

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP FICHA DE REGISTRO DOS RESULTADOS DO TESTE DE VAI

Laboratório de Habilidades Práticas - LAHP

FICHA DE REGISTRO DOS RESULTADOS DO TESTE DE VAI E VEM

LAHP FICHA DE REGISTRO DOS RESULTADOS DO TESTE DE VAI E VEM Número de percursos realizados:

Número de percursos realizados:

Estágio atingido:

Velocidade do estágio: