Você está na página 1de 26

Ministério da Saúde

Administração Regional
de Saúde do Algarve, IP
DEPARTAMENTO
S
SAAÚ
ÚDDE
EPPÚ
ÚBBLLIIC
CAA

Plano de Contingência Algarve


Gripe A (H1N1)v
Escolas

13-09-2009
Gripe
Doença respiratória ( das vias aéreas superiores e
pulmões) aguda, provocada por vírus.
3 vírus da Gripe: A, B e C. Só A e B têm importância
para a espécie Humana.
Apenas os vírus A são responsáveis por Pandemias.

13-09-2009
Gripe
Os reservatórios dos vírus:

Anas crecca – Marrequinha comum Anas platyrhynchos– Pato real

13-09-2009
Gripe A(H1N1)v:
Nova estirpe de vírus resultante de recombinação entre
segmentos de genes de origem suína, aviária e humana

Vírus tem revelado baixa virulência.

13-09-2009
Gripe A (H1N1)v - Sintomas :

 Semelhantes aos da gripe sazonal;


 Febre de início súbito (temperatura igual ou superior a
38º);
 Tosse , dores de cabeça, dores no corpo ou musculares,
dor de garganta, nariz entupido, secreção nasal;
 Arrepios, fadiga, espirros;
 Por vezes vómitos ou diarreia;

13-09-2009
Gripe A(H1N1)v – Transmissão:
Transmissão idêntica à gripe sazonal

Directo (Pessoa a Pessoa) via gotículas de saliva (tosse ou


espirro)

Indirecta : gotículas ou secreções orofaríngeas depositadas em


objectos ou mãos e transportadas por outra pessoa para a sua própria
boca, olhos ou nariz

Não existe transmissão na água ou nos alimentos

13-09-2009
Gripe A(H1N1)v Atenção:
maçanetas das
portas,
puxadores,
teclados, livros,
etc.

Vírus mantém-se viável nas superfícies conspurcadas


durante várias horas, dependendo da porosidade,
temperatura e humidade da superfície.
( normalmente por períodos de 2 a 8 horas)

Vírus é destruído pela acção do calor – temperatura


acima dos 75º, e por qualquer produto comum de
desinfecção ou de limpeza (água e sabão, detergentes
domésticos, lixívia, álcool a 70º)

13-09-2009
Gripe A(H1N1)v

Período de incubação – varia entre 1 a 7 dias, na


maioria das vezes 2 a 5 dias;
Período de contágio - 1 dia antes de se iniciarem os
sintomas e até 7 dias depois após o seu início, ou até
existirem sintomas;
O maior risco de contágio ocorre nos
primeiros 2 a 3 dias de doença, sobretudo
quando há febre ;

13-09-2009
Pandemia

 É impossível prever, actualmente, qual será a evolução


da gripe originada por esta nova estirpe, uma vez que
o novo vírus pode:

 Manter as suas características actuais e circular em


simultâneo com a gripe sazonal;

 Sofrer mutações;

 Recombinar-se com genes de outros vírus.

13-09-2009
Portugal - Gripe A(H1N1)v

39%

27%

13%
9%

Previsões da OMS para grupos de maior incidência:


25% - (0-9 anos); 35% (10-19 anos)

13-09-2009
Medidas de Saúde Pública :

 Equipamentos de protecção individual

 Medidas de Higiene das Mãos

 Medidas de Higiene Respiratória

 Medidas de Distanciamento Social (isolamento, encerramento de


espaços, cancelamento de eventos, de forma voluntária ou
compulsiva)

13-09-2009
Medidas de Saúde Pública visam :

 Controlar a infecção gripal

 Reduzir ou retardar a propagação

Minimizar o risco individual

Cada indivíduo poupado à infecção representa a eliminação de uma


fonte de contágio para outros!

13-09-2009
13-09-2009
13-09-2009
Cinemas

13-09-2009
Lavagem das Mãos na Escola

A lavagem frequente das mãos com água e sabão de


preferência líquido, é uma das principais medidas de
prevenção.

13-09-2009
Lavagem das Mãos na Escola

13-09-2009
Lavagem das Mãos na Escola

13-09-2009
Uso SABA na Escola
Sempre que não seja possível lavar as mãos, estas
podem ser limpas por fricção com uma solução anti-
séptica de base alcoólica (SABA).
• Usar em mãos secas;
• Usar em mãos visivelmente limpas;

•Doses de bolso de 100 ml;


•Carteiras individuais de toalhete impregnado – uso único;
•Embalagens de 500 ml, locais estratégicos;

13-09-2009
Lavagem das Mãos na Escola

13-09-2009
Limpeza das Superfícies na Escola

• Limpeza frequente das mesas de trabalho,


teclados, ratos de PC, maçanetas das portas,
corrimãos, brinquedos, ou objectos que se leve à
boca;
• Utilizar produtos comuns de limpeza doméstica;
• Os objectos que possam ser levados à boca,
depois de higienizados, devem ser passados por
água limpa, a fim de evitar a ingestão de produto
de limpeza;

13-09-2009
Procedimentos
Em caso de suspeita de gripe
- Em casa -
Permanecer e accionar
Linha saúde 24 – 808242424

No local de trabalho -

Dirigir-se à sala de Isolamento


Permanecer com máscara até contactar pessoa de
referência para voltar a casa ou deslocar-se aos serviços
de saúde

13-09-2009
Ventilação de espaços

Renovar o ar em todos os espaços (abrir as


janelas, se possível corrente de ar em
diagonal)

Desligar o ar condicionado na sala de


isolamento

13-09-2009
Comunicação

•A Escola deve estabelecer e manter formas de comunicação com


a Unidade de Saúde Pública do respectivo Agrupamento de
Centros de Saúde, com os pais e com a restante comunidade
educativa;

•Deve ser mantido um ficheiro actualizado com os telefones dos


pais e dos profissionais;

13-09-2009
Instalações e equipamentos

• Garantir a existência de sabão líquido e dispositivos para secagem


das mãos, de preferência toalhetes de papel absorvente. Nunca
usar toalhas de pano de uso colectivo;
•Garantir a existência de caixotes de lixo;
• Identificar, criteriosamente, locais para colocação de dispositivos
de solução anti-séptica de base alcoólica (SABA);
• Definir uma sala para isolamento de alunos que apresentem febre
e sinais de gripe;
• Criar uma reserva estratégica de produtos de limpeza, sabão
líquido, toalhetes de papel, sacos de lixo, etc.

13-09-2009
Procedimentos

• Definir responsáveis pelas diferentes tarefas de acordo com o


Plano de Contingência e respectivos substitutos;
• Instituir rotinas de lavagem das mãos, de limpeza das
superfícies e restantes instalações;
• Instituir a regra de não admissão na Escola de pessoas com febre
e sintomas de gripe, até esclarecimento da situação;
• Promover a divulgação interna dos procedimentos a adoptar
perante crianças/jovens ou profissionais que apresentem sintomas
de gripe durante a permanência Escola;

13-09-2009