Você está na página 1de 171

UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA UNOESC - JOAÇABA ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA E ANÁLISE DE

INVESTIMENTOS

Prof. Titular :

Eng. JÚLIO CÉSAR RIBEIRO LYRA

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

CURSO : Engenharia

O material apostilado deste curso é para uso exclusivamente didático, sem intenção comercial. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou transmitida, sob qualquer forma – fotocópia, gravação – ou por qualquer meio – eletrônico, mecânico – sem a permissão da UNOESC - Joaçaba e do autor do material.

Docente responsável pela disciplina:

Professor Engenheiro JÚLIO CÉSAR RIBEIRO LYRA E-mail: julio.lyra@unoesc.edu.br Fone Comercial: 3551-2035

L 992m LYRA, Júlio César Ribeiro. Matemática financeira e Análise de Investimentos: com uso do software softinvest. 20 ed. revisada Joaçaba:

UNOESC, 2008. 167 p. (Apostila)

Bibliografia

1. matemática financeira

2. análise de investimentos

cód.: 511-8

Curso : Engenharias

   

2

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

UNOESC – Joaçaba

SUMÁRIO

Prof. Júlio C. R. Lyra

1.

2. MODALIDADES DE JUROS

3.

4. FLUXO DE CAIXA

5. EQUIVALÊNCIA

6. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA ENTRE PV E FV

7. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA ENTRE FV E PV

8. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA ENTRE PMT (SEM ENTRADA) E FV

9. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA ENTRE FV E PMT (SEM ENTRADA)

10. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA ENTRE PMT (SEM ENTRADA) E PV

11. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA ENTRE PV E PMT (SEM ENTRADA)

12. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA ENTRE PV E PMT (COM ENTRADA)

13. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA ENTRE PMT (COM ENTRADA) E PV

14. CÁLCULO DA TAXA DE JUROS

15.

16.

JUROS

TEMPO

SÉRIES PERPÉTUAS (CÁLCULO DA APOSENTADORIA E RENDA INIFINITAS)

JUROS EFETIVOS E NOMINATIVOS

CONVERSÃO DE JUROS EFETIVOS PARA JUROS EFETIVOS

CONVERSÃO DE JUROS NOMINAIS EM EFETIVOS

17. JUROS ANTECIPADOS

18.

19.

20.

DESCONTO DE DUPLICATAS

ANTECIPAÇÃO DE CHEQUES

DESCONTO SE PAGO À VISTA JUROS EM OPERAÇÕES COM CARTÃO DE CRÉDITO SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO DE DÍVIDAS

SISTEMA FRANCÊS DE AMORTIZAÇÃO (PRICE)

SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO CONSTANTE (SAC)

SISTEMA MISTO

SISTEMA AMERICANO DE AMORTIZAÇÃO

SISTEMA DE PAGAMENTO ÚNICO

21 – INFLAÇÃO E CORREÇÃO MONETÁRIA DE SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO

22 – EXERCÍCIOS DE REVISÃO

23 – TAXA MÍNIMA DE ATRATIVIDADE

05

08

09

10

11

13

15

17

23

25

27

29

31

33

37

43

44

51

53

53

55

57

61

64

64

70

76

79

83

89

97

106

Curso : Engenharias

   

3

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

24. ANÁLISE DE INVESTIMENTO

107

MÉTODOS DE ANÁLISE DE INVESTIMENTOS

107

MÉTODO DO VALOR PRESENTE

111

MÉTODO DA SÉRIE EQUIVALENTE (VAUE/CAUE)

121

MÉTODO DA TAXA INTERNA DE RETORNO

131

25. DETERMINÇÃO DO VOLUME DE VENDAS

135

26. DEPRECIAÇÃO E IMPOSTO DE RENDA

143

DEPRECIAÇÃO

143

IMPOSTO DE RENDA

145

27. SUBSTITUIÇÃO ECONÔMICA DE EQUIPAMENTOS

150

REFERÊNCIAS E BIBLIOGRAFIAS

166

APÊNDICE

167

Curso : Engenharias

   

4

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

UNOESC – Joaçaba

1. JUROS

Prof. Júlio C. R. Lyra

1.1. O QUE SÃO JUROS?

JUROS: Custo do dinheiro aponta taxa anual de 19,06%. SÃO PAULO, 10 de outubro de 2001 - O custo do dinheiro no interbancário abriu com tomadores a 2,0770% e doadores a 2,0780%. Nas primeiras transações do mercado aberto, a taxa anual era de 19,06%. (Gazeta Mercantil, 2006).

PARA O INVESTIDOR: REMUNERAÇÃO DO CAPITAL

PARA O TOMADOR DE EMPRÉSTIMO: CUSTO DO CAPITAL

1.2. O QUE DETERMINA O VALOR DOS JUROS?

a) Liquidez: O pagamento pela oportunidade de poder dispor de um capital durante determinado tempo. Por exemplo, quando aplicamos certa quantia na poupança estamos nos desprovendo dela pelo período de, no mínimo, um mês, portanto não poderemos utilizá-la neste período. Os juros são, neste caso, o pagamento pelas oportunidades que poderão estar sendo perdidas de maior rentabilidade neste período. Este parâmetro de juros pode também ser chamado de liquidez. Quanto maior for a liquidez, maiores serão as facilidades de fazer dinheiro a curto prazo, portanto menores serão os juros. Exemplos semelhantes ocorrem em outras aplicações, tais como: “Debêntures”, “CDB” e “Referenciados DI”. A Figura 1 apresenta uma relação entre prazo de empréstimo (de maior e menor liquidez) com a taxa de juros. Como pode ser observado, quanto maior for o prazo (menor liquidez), maiores serão as taxas de juros.

 

2,2% a.m.

2,55% a.m.

2,7% a.m.

2,9% a.m.

Valor do Empréstimo

12 prestações

24 prestações

36 prestações

48 prestações

R$ 1.000,00

R$

95,72

R$

56,22

R$

43,78

R$

38,85

R$ 3.000,00

R$ 287,17

R$ 168,67

R$ 131,33

R$ 116,55

R$ 5.000,00

R$ 478,62

R$ 281,11

R$ 218,88

R$ 194,25

Figura 1: Exemplo ilustrativo de liquidez de empréstimo financeiro com relação a taxa de juros. Fonte: Informativo Banco Santander, 2 o semestre de 2006

b) Solidez: O pagamento pelo risco do empréstimo de um capital. Quanto maior o risco envolvido do empréstimo não ser pago, maiores serão os valores das taxas de juros. Este parâmetro de juros pode também ser chamado de solidez. Quanto maior for a solidez, menores serão os riscos e portanto menores serão as taxas de juros. Por exemplo, os juros das aplicações em “ações” são superiores aos juros das aplicações em poupança ou mesmo CDB, pois seu risco é bem superior. A Figura 2 apresenta claramente está diferença entre rentabilidade (taxa de juros) e risco.

Curso : Engenharias

   

5

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

UNOESC – Joaçaba Prof. Júlio C. R. Lyra Figura 2: Exemplo ilustrativo da relações entre Segurança

Figura 2: Exemplo ilustrativo da relações entre Segurança (Solidez), Liquidez e Rentabilidade. Fonte:

CARTA OURO. Publicação do Banco do Brasil. Março-Abril/2002. Ano V. N 0 6

c) Volume monetário investido ou emprestado. Toda aplicação financeira é baseada em remuneração e quanto maior o valor investido, maiores são os valores das taxas de juros a serem pagas, em um mesmo tipo de aplicação. Por exemplo, as aplicações em Referenciados DI, as taxas de juros são diferenciadas dependendo do valor aplicado, vide exemplo Figura 3.

Referenciado DI

Aplicação Inicial Mínima

Rentabilidade anual

Max DI

100.000

15,38%

Super Sênior DI

20.000

13,68%

Super Classic DI

2.500

12,01%

Figura 3: Exemplo ilustrativo da rentabilidade em função do valor monetário investido. Fonte: Informativo Banco Santander, 15/02/05

1.3. EXEMPLOS DE APLICAÇÃO DOS JUROS

Na vida quotidiana:

a) Nas compras a crédito: quando uma pessoa não dispõe de dinheiro suficiente para comprar à vista, toma um empréstimo na loja e efetua sua compra. Nesta operação estão embutidos juros e correções (atualmente, no comércio, na faixa de 6% a 8% ao mês).

Curso : Engenharias

   

6

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

b) Nos cheques especiais: quando uma pessoa não dispõe de dinheiro suficiente para comprar à vista e utiliza-se do limite do cheque especial (atualmente, pagam-se juros na faixa de 6% a 15% ao mês).

c) Na compra da casa própria: quando uma pessoa não dispõe de dinheiro suficiente para pagamento à vista e financia o restante em banco (atualmente, pagam-se juros na faixa de 6% a 10% ao ano)

Na administração de empresas:

a) Desconto de duplicatas: quando a empresa não dispõe de dinheiro para compra de produtos e matérias-primas, ela emite uma nota promissória (duplicata) comprometendo-se a pagar mais tarde (no desconto da duplicata).

b) Compras a prazo: quando a empresa não dispõe de dinheiro para compra à vista (matéria-prima e produtos) e a efetua a prazo, paga juros às fornecedoras.

c) Vendas

a

prazo:

quando

a

recebimentos a prazo.

empresa

vende

seus

produtos

com

d) Obtenção de empréstimos: quando a empresa não dispõe de dinheiro para capital de giro ou investimentos e toma um empréstimo em uma entidade financeira (bancos).

Curso : Engenharias

   

7

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

2. MODALIDADES DE JUROS

a) Juros Simples: quando são cobrados juros simples, apenas o principal rende juros, isto é, os juros são diretamente proporcionais ao capital empregado.

Onde: J = juros

J = i . PV. n

i = taxa de juros

n = número de períodos

Saldo Devedor = PV ( 1 + i.n )

PV = principal ou capital na data de hoje SD = saldo devedor

Exemplo: Paulo comprou um produto por R$ 100,00, a ser pago no final do quinto mês, a uma taxa de juros simples de 5 % a.m. Qual é a evolução do valor devido ao longo destes cinco meses?

Solução:

Mês

Total Devido a 5% a.m.

0

100,00

1

100,00 .(1+0,05.1) = 105,00

2

100,00 .(1+ 0,05.2) = 110,00

3

100,00.(1+0,05.3) = 115,00

4

100,00.(1+0,05.4) = 120,00

5

100,00.(1+0,05.5) = 125,00

b) Juros Compostos: Após cada período de capitalização, os juros são incorporados ao principal e passam a render juros também.

J = i .SD

Saldo Devedor = PV ( 1 +i ) n

J = juros

i = taxa de juros

PV = principal ou capital na data de hoje

n = número de períodos

SD = saldo devedor Exemplo: Paulo comprou um produto por R$ 100,00, a ser pago no final do quinto mês, a uma taxa de juros compostos de 5 % a.m. Qual é a evolução do valor

devido ao longo destes cinco meses?

Solução:

 
 

Juros

Total Devido a 5% a.m.

0

100,00

1

100,00.(1 + 0,05) 1 = 105,00

2

100,00.(1 + 0,05) 2 = 110,25

3

100,00.(1 + 0,05) 3 = 115,76

4

100,00.(1 + 0,05) 4 = 121,55

5

100,00.(1 + 0,05) 5 = 127,63

Curso : Engenharias

   

8

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

UNOESC – Joaçaba

3. TEMPO

Prof. Júlio C. R. Lyra

“Imaginemos uma situação na qual eu já saiba hoje, que dentro de um ano terei de efetuar um pagamento no valor de R$ 1.200,00. Entretanto, eu disponho deste dinheiro hoje mesmo. Será que é indiferente a mim efetuar este pagamento hoje (adiantado) ou dentro de um ano? A resposta é não!! Se eu efetuar este pagamento hoje, terei que desembolsar R$ 1.200,00. Se eu deixar para pagar dentro de um ano (no vencimento) posso investir os R$ 1.200,00 a prazo fixo (que supomos dar 20% ao ano) - isto me garante ter R$ 1.200,00 daqui a um ano para efetuar o pagamento e lucrar daqui a um ano R$ 240,00 que são os juros incorporados. Se, no mesmo exemplo, o problema for aproveitar um desconto especial e pagar R$1.000,00 hoje ou R$ 1.200,00 dentro de um ano, sou indiferente a qualquer das possibilidades. Entretanto, prefiro pagar R$ 999,00 hoje do que R$ 1.200,00 dentro de um ano. Prefiro pagar R$ 1.200,00 dentro de um ano do que R$ 1.001,00 hoje(Ehrlich, 1983).

Vemos, portanto, que o dinheiro não tem o mesmo valor ao longo do tempo (mesmo não existindo inflação).

Portanto, todas as quantias de dinheiro referem-se a uma data e somente poderão ser transferidas para uma outra data considerando os juros envolvidos nesta transferência. Será, pois, proibido somar ou subtrair quantias de dinheiro que não se referirem a mesma data.

Curso : Engenharias

   

9

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

4. FLUXO DE CAIXA

A representação do fluxo de caixa de um projeto consiste em uma escala horizontal em que são marcados os períodos de tempo e na qual são representadas, com setas para cima, as entradas e com setas para baixo as saídas de caixa. A unidade de tempo - mês, semestre, ano - deve coincidir com o período de capitalização de juros considerado.

Convenções

Adotaremos as convenções a seguir descritas, que procuram auxiliar a memorização da simbologia.

PV =

quantia existente ou equivalente no instante inicial e conhecida por Valor Presente ou Valor Atual (ou hoje ou à vista).

A representação gráfica é a seguinte:

PV 0 1 2 3 n
PV
0
1
2
3
n

FV =

quantia existente ou equivalente em um instante futuro em relação ao inicial e conhecida por Valor Futuro (ou montante ou saldo devedor).

A representação gráfica é a seguinte:

FV 1 2 3 n
FV
1
2
3
n

i = taxa de juros por período de capitalização; n = número de períodos de capitalização.

PMT = valor de cada contribuição considerada em uma série uniforme de dispêndios (prestações ou parcelas iguais) ou recebimentos que

chamados Períodos de Capitalização.

ocorrem nos períodos 1,2,3,

,n

A representação gráfica é a seguinte:

PMT 0 1 2 3 n
PMT
0
1
2
3
n

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

10

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

5. EQUIVALÊNCIA

Definição: vários capitais são ditos equivalentes quando os seus valores, transformados para a mesma data, com a mesma taxa de juros (custo de oportunidade), são iguais (Hummel, 1986).

Exemplo 01: considere-se um empréstimo de R$ 1.000,00 hoje, a uma taxa de juros compostos de 10% ao ano, sendo os juros capitalizados, anualmente. No final do quinto ano, na data prevista para o pagamento do empréstimo de uma só vez, ter-se-á de pagar R$ 1.610,00. Diz-se então que, a uma taxa de 10% ao ano, após cinco anos, a quantia de R$ 1.610,00 é equivalente à quantia de R$ 1.000,00 no momento zero (ou seja, hoje) (Hummel, 1986).

Exemplo 02: considere que você deseja fazer um empréstimo de R$10.000,00, para compra de veículo em uma concessionária, a uma taxa de juros de 10% ao ano. A concessionária lhe oferece então quatro formas de pagamento: plano I, II, III e IV, veja quadro abaixo. Pergunta-se: há diferença em escolher um ou outro plano, do ponto de vista econômico? (Hummel,

1986).

Ano

Investimento

Plano I 1

Plano II 2

Plano III 3

Plano IV 4

0

R$ 10.000,00

       

1

R$ 1.000,00

R$ 2.000,00

R$ 1.627,45

2

R$ 1.000,00

R$ 1.900,00

R$ 1.627,45

3

R$ 1.000,00

R$ 1.800,00

R$ 1.627,45

4

R$ 1.000,00

R$ 1.700,00

R$ 1.627,45

5

R$ 1.000,00

R$ 1.600,00

R$ 1.627,45

6

R$ 1.000,00

R$ 1.500,00

R$ 1.627,45

7

R$ 1.000,00

R$ 1.400,00

R$ 1.627,45

8

R$ 1.000,00

R$ 1.300,00

R$ 1.627,45

9

R$ 1.000,00

R$ 1.200,00

R$ 1.627,45

10

R$ 11.000,00

R$ 1.100,00

R$ 1.627,45

R$ 25.937,42

Solução:

Se analisarmos o quadro anterior, observaremos que todos os planos de I a IV a uma taxa de 10% ao ano, são equivalentes. Isto porque todos são planos que possibilitam, a esta taxa, o pagamento de uma dívida de

1 O plano I: corresponde, no sistema de amortização de dívidas, ao Sistema de Americano, que será visto mais detalhadamente a frente.

2 O plano II: corresponde, no sistema de amortização de dívidas, ao Sistema de Amortização Constante –SAC.

3 O plano III: corresponde, no sistema de amortização de dívidas, ao Sistema de Prestações Constantes – PRICE. 4 O plano IV: corresponde, no sistema de amortização de dívidas, ao Sistema de Pagamento Único.

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

11

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

R$10.000,00, hoje. Portanto, pode-se dizer que é indiferente pagar um ou outro plano.

Analisando, no entanto, o quadro abaixo, observamos que há diferentes taxas de juros; as séries de pagamentos anteriores correspondem a diferentes valores quando trazidas para o presente, ou seja, não são equivalentes, exceto para a taxa de juros de 10%, a qual foi inicialmente calculada.

Taxa de

Plano I

Plano II

Plano III

Plano IV

Juros

0%

20.000

15.500

16.270

25.937

5%

13.861

12.278

12.563

15.923

10%

10.000

10.000

10.000

10.000

15%

7.491

8.340

8.166

6.411

20%

5.808

7.096

6.821

4.189

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

12

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

6. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA ENTRE PV E FV

6.1 - Objetivo : determinar a relação de equivalência entre o valor presente (ou seja,

quanto eu tenho ou devo hoje) e o valor futuro (ou seja, quanto terei ou deverei ao

final de um determinado período).

6.2 - Representação Gráfica:

de um determinado período). 6.2 - Representação Gráfica: 6.3 - Fórmula : FV = PV (

6.3 - Fórmula: FV = PV ( 1+ i ) n

Gráfica: 6.3 - Fórmula : FV = PV ( 1+ i ) n 6.4 – Perguntas:

6.4 – Perguntas: quanto terei ao final de um determinado período se aplicar uma

certa quantia hoje ? Qual é o valor devido (montante) ao final de um determinado

período se devo uma certa quantia hoje ?

6.5 - Exemplo: Lúcia deseja comprar um

aparelho de som, cujo preço à vista é de

R$400,00. No entanto Lúcia não dispõe

deste dinheiro, mas poderá fazer um

crediário para pagá-lo, em uma única

parcela, daqui a quatro meses. A taxa de

juros compostos do crediário é de 8% a.m.

Pergunta-se, quanto Lúcia terá de pagar ao

final de quatro meses ?

quanto Lúcia terá de pagar ao final de quatro meses ? Valor à vista: R$ 400,00

Valor à vista: R$ 400,00

Taxa de juros 8% a.m.

Solução:

a) Resolvendo utilizando fórmula

FV = montante devido

FV =

(

400 1 + 0,08

) 4

= R$ 544,20 daqui a 4 meses

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

13

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

b) Resolvendo utilizando o softinvest Ação : Entre em “Equivalência” e “V.futuro” e “Juros :Composto e “Fluxo :Sem parcela uniforme e entre com os demais valores. Após entrar com todos os valores tecle F10 Observação : veja que o programa monta o fluxo de caixa na parte inferior

veja que o programa monta o fluxo de caixa na parte inferior Exercício 01: Tânia conseguiu

Exercício 01: Tânia conseguiu um empréstimo de R$ 10.000,00 em um banco que cobra 5% ao mês de taxa de juros compostos. Quanto deverá pagar se o prazo do empréstimo for de cinco meses? Resposta: R$ 12.762,82 daqui a 5 meses.

Exercício 02: Aplico R$ 12.000,00, por 10 anos a uma taxa de juros de 12% a.a. Quanto terei após os 10 anos? Resposta: R$ 37.270,18 daqui a 10 anos.

Exercício 03: Em 01/01/88 se investiu-se R$100.000,00 a 6% a.a. Quanto se terá em 01/01/98? Resposta: R$ 179.084,77 em 10 anos.

Exercício 04: Uma empresa levanta um empréstimo de R$200.000,00 para a compra de um novo conjunto de máquinas. Os termos do empréstimo estipulam o pagamento do principal e de todos os juros acumulados, no fim de um período de

cinco anos. A taxa de juros capitalizados anualmente é de 10% ao ano. Qual é o valor devido pela empresa, no final do empréstimo? Resposta: R$322.102,00 daqui a 5 anos.

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

14

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

7. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA ENTRE FV E PV

7.1 - Objetivo : determinar a relação de equivalência entre o valor futuro (ou seja,

quanto terei ou deverei ao final de um determinado período) e o valor presente (ou seja, quanto eu tenho ou devo hoje).

7.2 - Representação Gráfica:

eu tenho ou devo hoje). 7.2 - Representação Gráfica: FV 1 + i ) n 7.3

FV

1+ i

) n

7.3 - Fórmula: PV = (

Gráfica: FV 1 + i ) n 7.3 - Fórmula : PV = ( 7.4 –

7.4 – Perguntas: quanto terei de receber hoje da antecipação do recebimento de

um valor futuro, ao final de um determinado período ? Qual é o valor devido hoje se

desejo antecipar uma divida ?

7.5 - Exemplo: Vera deseja quitar uma dívida

da comprar de um aparelho celular cujo

preço, ao final de 5 meses, é de R$700,00. A

taxa de juros compostos do crediário é de

2% a.m. Pergunta-se: quanto Vera terá de

pagar se desejar liquidar o empréstimo hoje?

Solução:

a) Resolvendo utilizando a fórmula

PV = valor atual a ser pago hoje

PV =

700

) 5 = R$634,01 hoje

(

1

+

0,02

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

( 1 + 0,02 Curso : Engenharias . . . . . . . . .

Valor R$ 700,00 daqui a 5 meses Taxa de Juros: 2% a.m.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

15

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

b) Resolvendo utilizando o softinvest Ação : Entre em “Equivalência” e “V. presente“ e “Juros :” Composto e “Fluxo :Sem parcela uniforme e entre com os demais valores. Após entrar com todos os valores tecle F10

demais valores. Após entrar com todos os valores tecle F10 Exercício 01: Se eu quiser ter

Exercício 01: Se eu quiser ter R$100.000,00 em 20 anos, quanto deverei aplicar agora, considerando-se uma taxa de juros de 10 % a.a.? Resposta: R$14.864,36 hoje.

Exercício 02: Quer-se depositar uma quantia a 8% a.a. a fim de se obter, 13 anos mais tarde, a quantia de R$5.000,00. Quanto se deverá depositar hoje? Resposta: R$1.838,49 hoje.

Exercício 03: Se eu quiser ter R$400.000,00 em 5 anos, quanto deverei aplicar agora, considerando-se uma taxa de juros de 10% a.a.? Resposta: R$248.368,53 hoje.

Exercício 04: Fernanda tem uma dívida de R$1.000,00 a ser paga daqui a 4 meses, a uma taxa de juros compostos de 4% a.m. No entanto, ela recebeu hoje uma quantia de R$900,00. Ela conseguirá quitar a dívida hoje? Resposta: Sim, poderá quitar a dívida.

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

16

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

8. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA ENTRE PMT E FV SEM ENTRADA

8.1 - Objetivo : determinar a relação de equivalência entre o valor de parcelas fixas

(a serem pagas ou recebidas), postecipadas (sem entrada) e o valor futuro (ou seja, quanto deverei ou terei ao final de um determinado período).

8.2 - Representação Gráfica:

de um determinado período). 8.2 - Representação Gráfica: 8.3 - Fórmula : FV = PMT [
de um determinado período). 8.2 - Representação Gráfica: 8.3 - Fórmula : FV = PMT [
de um determinado período). 8.2 - Representação Gráfica: 8.3 - Fórmula : FV = PMT [
de um determinado período). 8.2 - Representação Gráfica: 8.3 - Fórmula : FV = PMT [
de um determinado período). 8.2 - Representação Gráfica: 8.3 - Fórmula : FV = PMT [

8.3 - Fórmula: FV =

8.2 - Representação Gráfica: 8.3 - Fórmula : FV = PMT [ ( 1 + i

PMT

[

(

1 +

i

)

n

1

]

 

i

PMT = Empréstimos

+ i ) n 1 ]   i PMT = Empréstimos Tenho n 0 1 Quero

Tenho

i ) n 1 ]   i PMT = Empréstimos Tenho n 0 1 Quero FV

n

) n 1 ]   i PMT = Empréstimos Tenho n 0 1 Quero FV =

0

1

Quero

FV = Saldo devedor

8.4 – Perguntas: quanto terei de receber no futuro decorrente do valor acumulado

de parcelas fixas ? Qual é o montante devido, ao final de um determinado período,

decorrente de parcelas uniformes a serem pagas ?

8.5 - Exemplo: Luiz deseja quitar uma dívida

da compra de uma estante cujas prestações

são no valor R$ 250,00 mensais. Faltam ainda

pagar 5 (0+5) prestações. A taxa de juros

compostos do crediário é de 2% a.m.

Pergunta-se: quanto Luiz terá de pagar se

desejar liquidar o empréstimo ao final de 5

meses ?

se desejar liquidar o empréstimo ao final de 5 meses ? Taxa de juros: 2% a.m.

Taxa de juros:

2% a.m.

Valor das prestações: R$ 250,00

Solução:

a) Resolvendo utilizando a fórmula

FV = montante devido

((

1

+

0,02

)

5

)

1 .

250

FV =

 

0,02

 

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

= R$ 1.301,01 daqui a 5 meses

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

17

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

b) Resolvendo utilizando o softinvest Ação : Entre em “Equivalência” e “V.futuro” e “Juros :Composto e “Fluxo :Postecipado e entre com os demais valores. Após entrar com todos os valores tecle

F10

demais valores. Após entrar com todos os valores tecle F10 Exercício 01: Marcos fez um crediário

Exercício 01: Marcos fez um crediário para a compra de algumas camisas cujas prestações são no valor R$50,00 mensais. Faltam ainda pagar 3 (0+3) prestações.

Estando, no momento,

impossibilitado de pagar as prestações da dívida, Marcos foi à loja e perguntou se

poderia renegociar a dívida e pagar todas as prestações acumuladas daqui a três meses (sem juros de mora). Qual é o valor da dívida acumulada destas três últimas prestações? Resposta: R$162,32 daqui a 3 meses.

A taxa de juros compostos do crediário é de 8% a.m

Exercício 02: Antônio fez um crediário para a compra de um televisor cujas prestações são no valor R$40,00 mensais. Faltam ainda pagar 7 (0+7) prestações.

Se Antônio quiser quitar

A taxa de juros compostos do crediário é de 9% a.m

toda a dívida de uma só vez daqui a 7 meses, quanto ele terá que pagar? Resposta:

R$368,02 daqui a 7 meses.

Exercício 03: Rosana e Marcos, preocupados com o futuro de seu filho, depositam mensalmente uma quantia de R$500,00, em fundo de aplicações que rende 3,5%

a.m

Resposta: R$60.194,13 daqui a 4 anos.

Quanto eles terão ao final de 48 (0+48) meses?

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

18

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

Exercício 04: Verificar se os valores anunciados no artigo “Não deixe seu dinheiro ir por água abaixo” 5 estão corretos. Do tostão ao milhão Para reunir R$ 1 milhão aos 60 anos, é preciso aplicar mensalmente

Idade atual

Taxa anual de 8%

Taxa anual de 10%

Taxa anual de 12%

25

anos

R$

466,73

R$

294,22

R$

183,18

35

anos

R$ 1.100,12

R$

810,82

R$

593,05

45

anos

R$ 2.962,03

R$ 2.509,76

R$ 2.121,08

50

anos

R$ 5.551,72

R$ 5.003,41

R$ 4.505,92

Obs.: Considerar parcela postecipada. Resolvendo um dos casos: suponha que a idade atual do cliente seja de 35 anos e que sua idade de saída, do plano de contribuições, seja de 60 anos, pode-se concluir que ele vai contribuir por 25 anos, ou seja, 300 meses. Também, suponha que a taxa de juros seja de 8%a.a. equivale a 0,64340%a.m., e a contribuição mensal seja de R$ 1.100,12, conforme anunciado no folder. Ação 01: Converter a taxa de juros efetiva anual para efetiva mensal, pois os depósitos são mensais. Para efetuar esta ação deve-se entrar em “Taxas” e Tipo:

Efetiva” e período atual: “Anual” e Converter p/: “Mensal“. Após entrar com todos os valores tecle F10.

Mensal “. Após entrar com todos os valores tecle F10. Ação 02: Entre em “ Equivalência

Ação 02: Entre em “Equivalência” e “V.futuro” e “Juros :Composto e “Fluxo :Postecipado e entre com os demais valores. Após entrar com todos os valores tecle

F10

5 “Não deixe eu dinheiro ir por água abaixo”. Revista Isto É. N o 1848. 13/03/2005. (uso para fins didáticos).

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

19

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

UNOESC – Joaçaba Prof. Júlio C. R. Lyra Exercício 05: Verificar se os valores anunciados no

Exercício 05: Verificar se os valores anunciados no folder 6 estão corretos.

se os valores anunciados no folder 6 estão corretos. Obs.: Considerar parcela postecipada , ou seja,

Obs.: Considerar parcela postecipada, ou seja, sem entrada e desconto de 5% ao mês sobre as parcelas a título de taxa de carregamento, conforme anunciado no folder.

Ação 01: Converter a taxa de juros efetiva anual para efetiva mensal, pois os

depósitos são mensais. Para efetuar esta ação deve-se entrar em “Taxas” e Tipo:

Efetiva” e período atual: “Anual” e Converter p/: “Mensal“. Após entrar com todos

os valores tecle F10.

6 Folder Publicitário da entidade financeira SANTADER. 2007 (uso somente para fins didáticos).

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

20

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

UNOESC – Joaçaba Prof. Júlio C. R. Lyra Ação 02: Entre em “ Equivalência ” e

Ação 02: Entre em “Equivalência” e “V.futuro” e “Juros :Composto e “Fluxo :

Postecipado e entre com os demais valores. Após entrar com todos os valores tecle

F10. Obs.: R$ 85,00 x 95% = R$ 80,75 (Valor retirando a taxa de carregamento)

x 95% = R$ 80,75 (Valor retirando a taxa de carregamento) Exercício 06: Verificar se os

Exercício 06: Verificar se os valores anunciados no folder 7 estão corretos.

se os valores anunciados no folder 7 estão corretos. Obs: Considerar parcela antecipada , ou seja,

Obs: Considerar parcela antecipada, ou seja, com entrada e desconto de 8,6% ao mês sobre as parcelas a título de taxa de carregamento.

7 Folder Publicitário de uma certa entidade financeira 2006 (uso somente para fins didáticos).

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

21

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

Resolvendo um dos casos: suponha que a idade atual do cliente seja de 35 anos e que sua idade de saída, do plano de contribuições, seja de 60 anos, pode-se concluir que ele vai contribuir por 25 anos, ou seja, 300 meses. Também, suponha que a taxa de juros seja de 12%a.a. equivale a 0,95%a.m., e a contribuição mensal seja de R$ 73,10 (já descontado 8,62%). Ação 01: Converter a taxa de juros efetiva anual para efetiva mensal, pois os depósitos são mensais. Para efetuar esta ação deve-se entrar em “Taxas” e Tipo:

Efetiva” e período atual: “Anual” e Converter p/: “Mensal“. Após entrar com todos os valores tecle F10.

Mensal “. Após entrar com todos os valores tecle F10. Ação 02: Entre em “ Equivalência

Ação 02: Entre em “Equivalência” e “V.futuro” e “Juros :Composto e “Fluxo :Antecipado e entre com os demais valores. Após entrar com todos os valores tecle

F10

demais valores. Após entrar com todos os valores tecle F10 Curso : Engenharias . . .

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

22

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

9. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA ENTRE FV E PMT SEM ENTRADA

9.1 - Objetivo : determinar a relação de equivalência entre o valor futuro (ou seja,

quanto desejo ter) e o valor das prestações fixas, sem entrada (ou seja, quanto se deve pagar mensalmente para quitar este montante)

9.2 - Representação Gráfica:

FV i 9.3 - Fórmula: PMT = [ (1 + ) n ] i 1
FV
i
9.3 - Fórmula: PMT =
[
(1
+
)
n
]
i
1

FV = Montante Tenho

PMT = [ (1 + ) n ] i 1 FV = Montante Tenho n 0

n

PMT = [ (1 + ) n ] i 1 FV = Montante Tenho n 0

0

1

PMT = [ (1 + ) n ] i 1 FV = Montante Tenho n 0

Quero

PMT= Valor das aplicações

9.4 – Perguntas: quanto devo depositar por determinado período (por exemplo

mensalmente) para ter um certo montante (valor futuro) ? Qual é o valor das

prestações fixas a serem pagas por determinado período para ter certa quantia no

futuro?

9.5 – Exemplo: Ricardo deseja amortizar

uma dívida da compra de uma casa cujo

valor restante a ser pago daqui a 5 meses

será R$4.000,00. O valor da taxa de juros é

4% a.m. Pergunta-se: quanto Ricardo terá

que pagar de prestações iguais, a cada fim

de mês, durante 5 (0+5) meses, para quitar

esta dívida?

de mês, durante 5 (0+5) meses, para quitar esta dívida? Taxa de Juros: 4% a.m. Valor

Taxa de Juros: 4% a.m. Valor de Entrada: R$ 30.000,00 Valor Restante: R$ 4.000,00 daqui a 5 meses

Solução:

a) Resolvendo utilizando a fórmula

PMT = valor das prestações a serem pagas

4.000 * 0,04

= R$ 738,51 por mês

 

(1

+

0,04)

5

1

]

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

PMT = [

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

23

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

b) Resolvendo utilizando o softinvest Ação : Entre em “Equivalência” e “P.uniforme” e “Juros :Composto e “Fluxo :Postecipado e entre com os demais valores. Após entrar com todos os valores tecle

F10

demais valores. Após entrar com todos os valores tecle F10 Exercício 01: Verônica deseja fazer depósitos

Exercício 01: Verônica deseja fazer depósitos ao fim de cada mês, de modo a obter um montante equivalente a R$5.000,00, para trocar seus móveis, daqui a 24 (0+24) meses. Sabendo-se que ela vai depositar na caderneta de poupança que tem a remuneração média esperada de 1%a.m., quanto ela deverá depositar mensalmente para obter o valor desejado? Resposta: R$185,37 por mês.

Exercício 02: Fábio deseja ter um montante igual a R$12.000,00 para financiar seus estudos na universidade, daqui a 48 (0+48) meses. Quanto ele deve depositar mensalmente em fundo de aplicações (por exemplo, FIX 30) para obter esta quantia? O fundo de aplicações remunera a uma taxa de 3,5 % a.m. Resposta: R$99,68 por mês.

Exercício 03: André tem uma dívida de R$1.200,00 a ser paga daqui a 18 (0+18)meses. No entanto, ele deseja depositar mensalmente uma certa quantia para criar um fundo de reserva para quitar a dívida. Pergunta-se: quanto André deverá depositar mensalmente em parcelas iguais, a cada fim de mês, para obter o montante desejado? O fundo de aplicações remunera a uma taxa de 2,5% a.m. Resposta: R$ 53,60 por mês.

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

24

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

10. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA ENTRE PMT E PV SEM ENTRADA

10.1 - Objetivo : determinar a relação de equivalência entre o valor das parcelas

fixas a serem pagas ou recebidas e o valor presente (ou seja, quanto deverei pagar

ou receber hoje)

10.2 - Representação Gráfica:

pagar ou receber hoje) 10.2 - Representação Gráfica: 10.3 - Fórmula : PV = PMT [

10.3 - Fórmula: PV =

PMT

[ (

1

+

 

i

)

n

1

]

 

i

(

1

+

i

)

n

) n 1 ]   i ( 1 + i ) n 10.4 – Perguntas: quanto

10.4 – Perguntas: quanto terei de pagar hoje referente a antecipação de uma dívida

que seria paga em parcelas fixas ? Quanto devo receber hoje referente a

antecipação de rendas fixas futuras ?

10.5 – Exemplo: Vânia deseja quitar uma dívida

da compra de uma geladeira cujas prestações

são no valor de R$100,00 mensais. Faltam ainda

pagar 5 (0+5) prestações. A taxa de juros

compostos do crediário é de 7% a.m. Quanto

Vânia terá de pagar se desejar liquidar o

empréstimo hoje?

Solução:

a) Resolvendo utilizando fórmula

PV = valor atual da dívida

((

1

+

0,07

)

5

)

1 .

100

PV =

= R$ 410,02 hoje

 

(

0,07 1

+

0,07

) 5

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Curso : Engenharias . . . . . . . . . . Taxa de Juros:

Taxa de Juros: 7% a.m. Valor das Prestações:

R$100,00

.

.

.

.

.

.

.

.

25

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

b) Resolvendo utilizando o softinvest Ação : Entre em “Equivalência” e “V.presente” e “Juros :Composto e “Fluxo :Postecipado e entre com os demais valores. Após entrar com todos os valores tecle

F10

demais valores. Após entrar com todos os valores tecle F10 Exercício 01: Fabíola fez um crediário

Exercício 01: Fabíola fez um crediário para a compra de uma geladeira cujas prestações são no valor de R$50,00 mensais. Faltam ainda pagar 6 (0+6)

prestações. A taxa de juros compostos do crediário é de 9% a.m Fabíola deseja pagar a dívida hoje. Qual é o valor devido hoje? Resposta: R$224,30 hoje.

No entanto,

Exercício 02: Letícia deseja comprar uma blusa cujas prestações são no valor de R$10,00 mensais, sendo 5 prestações iguais sem entrada (0+5), se for comprada

no crediário. A taxa de juros compostos do crediário é de 8% a.m Letícia deseja pagar à vista. Qual é o valor da blusa à vista? Resposta: R$39,93 à vista.

No entanto,

Exercício 03: Marcela paga ao final de cada mês a importância de R$400,00 pela compra de uma casa, pelo Sistema Financeiro Nacional de Habitação. Sabendo-se que faltam ainda pagar 15 (0+15) prestações e que a taxa do financiamento é de 2% a.m., qual é o valor total devido hoje, para que ela possa quitar a dívida? Resposta: R$5.139,71 hoje.

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

26

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

11. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA ENTRE PV E PMT:

SEM ENTRADA (30 DIAS)

11.1 - Objetivo : determinar a relação de equivalência entre o valor presente (ou

seja, quanto eu tenho ou devo hoje) e o valor das parcelas fixas, sem entrada (30

dias).

11.2 - Representação Gráfica:

[ n ] PV i ( 1 + i ) 11.3 - Fórmula: PMT =
[
n
]
PV
i
(
1
+
i
)
11.3 - Fórmula: PMT =
[
(1
)
n
1]
+
i
( 1 + i ) 11.3 - Fórmula: PMT = [ (1 ) n 1] +
( 1 + i ) 11.3 - Fórmula: PMT = [ (1 ) n 1] +

11.4 – Perguntas: quanto terei de pagar em parcelas fixas, sem entrada (1 a Parcela

daqui a 30 dias) por determinado período referente ao aquisição de um bem hoje ?

Quanto poderei retirar em parcelas fixas por determinado período decorrente de uma

aplicação efetuada hoje ?

11.5 – Exemplo: Salete deseja amortizar o

pagamento da dívida da comprar de uma

secadora de roupas cujo valor à vista é de

R$400,00. A taxa de juros compostos do

crediário é de 6% a.m. Quanto Salete terá de

pagar mensalmente, sem entrada, se

desejar parcelar a dívida em quatro vezes

(0+4)?

Solução:

a ) Resolvendo utilizando a fórmula

PMT = valor das prestações a serem pagas

a fórmula PMT = valor das prestações a serem pagas Valor à vista: R$ 400,00 Taxa

Valor à vista: R$ 400,00 Taxa de juros: 6% a.m.

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

27

.

.

UNOESC – Joaçaba

PMT =

((

400

((1

1

+

0,06

)

4

)

0,06 .

1)

+

0,06)

4

= R$ 115, 44 mensais

Prof. Júlio C. R. Lyra

b) Resolvendo utilizando o softinvest Ação : Entre em “Equivalência” e “P.uniforme” e “Juros :Composto e “Fluxo :Postecipado e entre com os demais valores. Após entrar com todos os valores tecle

F10

demais valores. Após entrar com todos os valores tecle F10 Exercício 01: Luciano deseja comprar um

Exercício 01: Luciano deseja comprar um apartamento a prazo, pelo Sistema Financeiro Nacional de Habitação, cujo valor à vista é de R$40.000,00. A taxa de juros compostos do crediário é de 2% a.m. Quanto Luciano terá de pagar mensalmente, sem entrada, se desejar parcelar a dívida em 48 vezes (0+48)? Resposta: R$1.304,07 mensais.

Exercício 02: Ivo deseja comprar um sapato em 4 prestações iguais mensais sem

entrada (0+4). A taxa de juros compostos do crediário é de 8% a.m custa à vista R$120,00, qual é o valor das prestações ? Resposta: R$36,23 mensais

Se o sapato

Exercício 03: José deseja comprar um freezer em 12 prestações iguais mensais

sem entrada (0+12). A taxa de juros compostos do crediário é de 6% a.m freezer custa à vista R$800,00, qual é o valor das prestações? Resposta: R$95,42 mensais.

Se o

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

28

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

12. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA ENTRE PV E PMT:

COM ENTRADA (1 A PARCELA HOJE)

12.1 - Objetivo : determinar a relação de equivalência entre o valor presente (ou

seja, quanto eu tenho ou devo hoje) e o valor das parcelas fixas, com entrada (1 a

Parcela Hoje)

12.2 - Representação Gráfica:

Dado PV PV 0 1 2 3 n [ . . ( n 1 ]
Dado
PV
PV
0
1
2
3
n
[
.
.
(
n
1 ]
PV
i
1
+ i
)
.
.
12.3 - Fórmula: PMT =
(1
+
i
)
n 1

Determinar PMT – com entrada

PMT 1 2 3 n -1 n
PMT
1
2
3
n -1
n

12.4 – Perguntas: quanto terei de pagar em parcelas fixas, com entrada (1 a parcela

hoje) por determinado período referente ao aquisição de um bem hoje ? Quanto

poderei retirar em parcelas fixas por determinado período decorrente de uma

aplicação efetuada hoje ?

12.5 – Exemplo: Salete deseja amortizar o

pagamento de uma dívida da compra de

uma secadora de roupas cujo valor à vista

é de R$400,00. A taxa de juros

compostos do crediário é de 6% a.m.

Quanto Salete terá de pagar mensalmente,

com entrada, se desejar parcelar a dívida

em quatro vezes (1+3)?

, se desejar parcelar a dívida em quatro vezes (1+3) ? Valor à Vista: R$ 400,00

Valor à Vista: R$ 400,00 Taxa de Juros: 6% a.m.

Solução:

a ) Resolvendo utilizando fórmula

PMT = valor das prestações a serem pagas com entrada

((

400

1

+

0,06

)

3

)

0,06 .

= R$ 108,90 mensais

 

((1

+

0,06)

4

1)

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

PMT =

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

29

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

b) Resolvendo utilizando o softinvest Ação : Entre em “Equivalência” e “P.uniforme“ e “Juros :Composto e “Fluxo :Antecipado e entre com os demais valores. Após entrar com todos os valores tecle

F10

demais valores. Após entrar com todos os valores tecle F10 Exercício 01: Luciano deseja comprar um

Exercício 01: Luciano deseja comprar um apartamento a prazo, pelo Sistema Financeiro Nacional de Habitação, cujo valor à vista é de R$40.000,00. A taxa de juros compostos do crediário é de 2% a.m. Quanto Luciano terá de pagar mensalmente, com entrada, se desejar parcelar a dívida em 49 vezes (1+48)? Resposta: R$1.262,90 mensais.

Exercício 02: Maria deseja comprar um sapato em 5 prestações iguais mensais

com entrada (1+4). A taxa de juros compostos do crediário é de 8% a.m sapato custa à vista R$120,00, qual é o valor das prestações? Resposta: R$27,83 mensais.

Se o

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

30

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

13. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA ENTRE PMT E PV COM ENTRADA

13.1 - Objetivo : determinar a relação de equivalência entre o valor das parcelas

fixas, com entrada (1 a Parcela Hoje) e o valor presente (ou seja, quanto eu tenho ou devo hoje)

13.2 - Representação Gráfica:

Dado

PMT – Com Entrada

PMT 1 2 3 n -1 n [ ( ) n ] PMT 1 +
PMT
1
2
3
n -1
n
[ (
)
n
]
PMT
1
+
i
1
13.3 - Fórmula: PV =
i
(
1
+
i
)
n
1

Determinar PV

PV 0 1 2 3 n
PV
0
1
2
3
n

13.4 – Perguntas: quanto deverei pagar hoje referente a antecipação de parcelas

fixas, com entrada (1 a parcela hoje) ? Quanto poderei receber hoje referente a

antecipação de parcelas fixas, com entrada ?

13.5 – Exemplo: Vânia deseja saber qual o

valor à vista de uma geladeira cujas prestações

são no valor R$ 100,00 mensais, com uma

entrada, em 5 prestações (1+4). A taxa de

juros compostos do crediário é de 7% a.m.

Quanto será o valor pago à vista por Vânia?

Solução:

a ) Resolvendo utilizando a fórmula

PV = valor atual da dívida

((

1

+

0,07

)

5

)

1 .

100

PV =

= R$ 438,72 hoje

 

(

0,07 1

+

0,07

) 4

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Curso : Engenharias . . . . . . . . . . 5 (1+4) prestações

5 (1+4) prestações de R$ 100,00 Taxa de Juros: 7% a.m.

.

.

.

.

.

.

.

.

31

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

b) Resolvendo utilizando o softinvest Ação : Entre em “Equivalência” e “V.presente” e “Juros :Composto e “Fluxo :Antecipado e entre com os demais valores. Após entrar com todos os valores tecle

F10

demais valores. Após entrar com todos os valores tecle F10 Exercício 01: Luciana deseja comprar uma

Exercício 01: Luciana deseja comprar uma mesa cujas prestações são no valor R$100,00 mensais, 6 prestações iguais com entrada (1+5), se for comprada no

crediário. A taxa de juros compostos do crediário é de 6% a.m Luciana deseja pagar à vista. Qual é o valor da mesa à vista? Resposta: R$521,24 à vista.

No entanto,

Exercício 02: Andréa deseja comprar uma blusa, cujas prestações são no valor R$10,00 mensais, 6 prestações iguais com entrada (1+5), se for comprada no

crediário. A taxa de juros compostos do crediário é de 8% a.m Andréa deseja pagar à vista. Qual é o valor da blusa à vista? Resposta: R$49,93 à vista.

No entanto,

Exercício 03: Marcelo paga ao final de cada mês a importância de R$ 400,00 pela compra de uma casa, através do Sistema Financeiro Nacional de Habitação. Sabendo-se que faltam ainda pagar 10 prestações (sendo uma hoje e 09 a posteriori) e que a taxa do financiamento é de 3% a.m., qual é o valor total devido hoje, para que ela possa quitar a dívida? Resposta: R$3.514,44 hoje.

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

32

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

14. CÁLCULO DA TAXA DE JUROS EM OPERAÇÕES FINANCEIRAS : COM PARCELAS ANTECIPADAS (COM ENTRADA) E POSTECIPADAS (30 DIAS)

14.1 - Objetivo : determinar a taxa de juros em operações financeiras, correspondente ao conhecimento do valor presente (ou seja, quanto eu tenho ou devo hoje) e das parcelas (prestações) fixas

14.2 – Fórmulas : PV =

PV =

PMT

[

(

1

+

i

)

n

1

]

 

i

(

1

+

i

)

n

PMT

[

(

1

+

i

)

n 1

]

i

(

1

+

i

)

n

(para operações sem entrada)

1 (para operações com entrada)

14.3 – Perguntas: qual é a taxa de juros embutida em operações de compra a crédito? Qual é a taxa de juros embutida em operações de financiamento ?

14.4 - Exemplo (com entrada) : Pedro

comprou uma geladeira em seis

prestações constantes mensais, no valor

R$247,11 cada, (1+5) com uma de

entrada. Se tivesse pago à vista o preço

seria de R$1.246,91. Qual é a taxa de

juros embutida nesta compra a prazo?

. Qual é a taxa de juros embutida nesta compra a prazo? Preço à vista: R$

Preço à vista: R$ 1.246,91 ou em 6 (1+5) prestações de R$ 247,11

Ação : Entre em “Equivalência” e “T.juros :” e “Juros :Composto e “Fluxo :

Antecipado e entre com os demais valores. Após entrar com todos os valores tecle

F10

Observação : No cálculo da taxa de juros o sinal dos valores presente e parcela

uniforme têm que serem diferentes.

presente e parcela uniforme têm que serem diferentes. Curso : Engenharias . . . . .

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

33

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

Exercício 01: Jairo comprou um computador em quatro prestações constantes mensais, no valor de R$419,33 cada, (1+3) com uma de entrada. Se tivesse pago à vista o preço seria de R$1.500,00. Qual é o valor da taxa de juros embutida nesta compra a prazo? Resposta: 8,00% a.m.

Exemplo 02: Luiz comprou uma geladeira em dez prestações constantes mensais, no valor de R$140,47 cada, (1+9) com uma de entrada. Se tivesse pago à vista o preço seria de R$1.000,00. Qual é o valor da taxa de juros embutida nesta compra a prazo? Resposta: 8,50% a.m.

Exemplo 03: Vera comprou uma moto em sete prestações constantes mensais, no valor de R$591,48 cada, (1+6) com uma de entrada. Se tivesse pago à vista, o preço seria de R$3.500,00. Qual é o valor da taxa de juros embutida nesta compra a prazo? Resposta: 6,00% a.m.

Exercício 04: Homero comprou um mesa em três prestações constantes mensais, no valor de R$73,11 cada, (1+2) com uma de entrada. Se tivesse pago à vista, o preço seria de R$200,00. Qual é o valor da taxa de juros embutida nesta compra a prazo? Resposta: 10,00% a.m.

Exercício 05: Vicente comprou um livro em cinco prestações constantes mensais, no valor de R$88,00 cada, (1+4) com uma de entrada. Se tivesse pago à vista, o preço seria de R$400,00. Qual é o valor da taxa de juros embutido nesta compra a prazo? Resposta: 5,01% a.m.

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

34

.

.

UNOESC – Joaçaba

14.5 – Exemplo (sem entrada): Pedro

comprou um televisor em cinco prestações

constantes mensais, no valor de R$ 71,18

cada, (0+5) sem entrada (1 pagamento

daqui a 30 dias). Se tivesse pago à vista, o

preço seria de R$288,00. Qual é a taxa de

juros embutida nesta compra a prazo?

Prof. Júlio C. R. Lyra

juros embutida nesta compra a prazo? Prof. Júlio C. R. Lyra Preço à vista: R$ 288,00

Preço à vista: R$ 288,00 ou em 5 (0+5) prestações

de R$ 71,18

(1 pagto 30 dias)

Ação : Entre em “Equivalência” e “T.juros :” e “Juros :Composto e “Fluxo :

Postecipado e entre com os demais valores. Após entrar com todos os valores tecle

F10

Observação : No cálculo da taxa de juros o sinal dos valores presente e parcela

uniforme têm que serem diferentes.

presente e parcela uniforme têm que serem diferentes. Exercício 01: Vânia comprou um refrigerador em três

Exercício 01: Vânia comprou um refrigerador em três prestações constantes

mensais, no valor de R$146,52 cada, (0+3) sem entrada (1 pagamento daqui a 30

dias). Se tivesse pago à vista, o preço seria de R$399,00. Qual é o valor da taxa de

juros embutida nesta compra a prazo?

Resposta: 5,00% a.m.

Exemplo 02: Pedro comprou um aparelho de som em dez prestações constantes

mensais, no valor de R$46,42 cada, (0+10) sem entrada (1 pagamento daqui a 30

dias). Se tivesse pago à vista, o preço seria de R$396,00. Qual é o valor da taxa de

juros embutida nesta compra a prazo?

Resposta: 3,00% a.m.

Curso : Engenharias

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

35

.

.

UNOESC – Joaçaba

Prof. Júlio C. R. Lyra

Exemplo 03: Vera comprou um roupeiro em sete prestações constantes mensais,

no valor de R$32,07 cada, (0+7) sem entrada (1 pagamento daqui a 30 dias). Se

tivesse pago à vista, o preço seria de R$179,00. Qual é o valor da taxa de juros

embutida nesta compra a prazo?

Resposta: 6,00% a.m.

Exercício 04: André comprou um mesa em cinco prestações constantes mensais,

no valor de R$52,76 cada, (0+5) sem entrada (1 pagamento daqui a 30 dias). Se

tivesse pago à vista, o preço seria de R$200,00. Qual é o valor da taxa de juros

embutida nesta compra a prazo?

Resposta: 10,00% a.m.

Exer