Você está na página 1de 6

SEJA A BÍBLIA VERDADEIRA E O TEI MENTIROSO

Pr. Antonio Donizeti Romualdo - Co-pastor na Assembléia de Deus em Tampa, Florida


JesusSite

Nos seus vinte séculos de história, não só as perseguições


foram ameaças à sobrevivência da Igreja de Cristo. Os
modismos teológicos também foram terríveis obstáculos à
sua caminhada. Frente a essas heresias que se arvoraram
contra a ortodoxia da Palavra de Deus, o Espírito Santo
levantou os Pais da Igreja, também conhecidos como
apologistas, que defenderam a fé cristã, fazendo-a
prevalecer.

Todavia, hoje vemos um panorama diferente. A Igreja, cheia


de recursos teológicos e apologéticos, conhece os seus
inimigos externos, sabe como refutá-los, porém se manifesta temerosa e insegura, quando este
inimigo está no seu interior, sutilmente disfaçado em sobrenaturalismo ou algum tipo de
avivamento.

No último semestre de 2003, a igreja evangélica de língua portuguesa nos Estados Unidos foi
abalada pelas aberrações teológicas descritas no livro "O Triunfo Eterno da Igreja", que neste
artigo será identificado como TEI, de autoria do Pr. Ouriel de Jesus e um grupo de obreiros da
World Revival Church em Boston, Massachussets, que segundo estes, foi traduzido no Paraíso,
numa suposta "Sala das Escrituras". Conforme o relato dessas pessoas, eles estiveram nesse
"paraíso" em "arrebatamento de sentidos". A reação do Concílio Geral das Assembléias de Deus
dos Estados Unidos, ao qual o Pr. Ouriel de Jesus era filiado, foi imediata. Assim que detectaram
sérios desvios das Escrituras através da leitura e análise do livro, o Concílio da denominação,
como medida cautelar, decidiu radicalmente em desfiliar esse pastor do seu rol de membros e
dissolver o Distrito de Língua Portuguesa. Além do jornal "Mensageiro da Paz", órgão oficial das
Assembléias de Deus no Brasil, edição de outubro, e da excelente revista "Ultimato", que na edição
de novembro de 2003, publicou refutação sobre essa fantasia escatológica, Flávio Costa, membro
da World Revival Church, também produziu um sério estudo apologético sob o título "O Triunfo
Eterno da Igreja à Luz das Escrituras", onde foi a fundo, refutando com firmeza e autoridade bíblica
os ensinos heréticos contidos nessa pseudo-revelação. Antes do lançamento do livro, essa Igreja já
era centro de algumas controvérsias doutrinárias relacionadas com "manás invisíveis" que os
crentes recebiam e testemunhavam dos seus "sabores", as visões de anjos, alguns jamais
encontrados na Bíblia. Depois dessa "angelomania" vieram os contatos com mortos que partiram
com o Senhor que enviavam mensagens para os seus entes queridos vivos, algo que podemos
definir como uma "mediunidade" disfarçada de evangélica. Comunicação com mortos, mesmo com
aqueles que morreram no Senhor, é comunicação com demônios ( 1 Sm 28.7-14; 2 Rs 21.6; Is
8.19; Lc 16.26-31).

Dr. Erwin Lutzer, pastor da Igreja Moody Memorial, de Chicago apresenta na pág.84 do seu
excelente livro "A Cruz de Hitler" a seguinte declaração "a Bíblia proibe qualquer tipo de contato
com o mundo dos espíritos por uma boa razão: os demônios se disfarçam de anjo de luz, na
tentativa de enganar tantos quantos puderem. É claro que existem 'mestres', ou inteligências não-
humanas, na expectativa de uma oportunidade de entrar em contatos com seres humanos.
Viabilizar essa transformação de consciência é exatamente o que o maligno deseja". Ao escrever
este trabalho, reitero minha confiança de que o lema da Reforma Protestante do Século XIV,"Sola
Scriptura", não mudou. A Bíblia, só ela é o singular livro de Deus através dos séculos e é detentora
da completa revelação divina para a humanidade. Por isso, afirmo que todas as asseverações do
Pr. Ouriel nesse livro refletem algum tipo de paranóia e que suas visões e revelações recebidas
não encontram qualquer sustentação bíblica quando confrontadas à luz das Sagradas Escrituras.
Ultimato descreveu com propriedade o comportamento desse líder, como "suicídio do bom senso"
O TEI pretende ser uma revelação do livro selado do Profeta Daniel, das palavras inefáveis que
Paulo viu no Paraíso, do livrinho que João engoliu e de um "Avivamento do Tempo do Fim" cujo
"patrocínio", Deus só entregou para Ouriel de Jesus e seu Grupo dos 15, da World Revival Church,
em Boston (TEI prólogo).

Devemos aceitar passiva e cegamente as afirmações de Ouriel de Jesus, sem passá-la no filtro
das Escrituras? Jamais!!! Até o apóstolo Paulo passou por este teste em Beréia (At 17.11) e devido
a esse comportamento, os crentes da Igreja de Cristo naquela cidade foram chamados de
"nobres", porque filtravam biblicamente todo o ensino que recebiam, repudiando-o se necessário
fosse. Contudo, o Pr. Ouriel prega que os seus ensinos tem que ser aceitos cegamente sem
questionamentos pela razão ou pelo intelecto humano (pág.42) e os que se aventuram a fazê-lo,
são por ele denominados de incrédulos ou de fé poluída, contaminada e se arriscam a perder a
salvação!!! Exalta os novos convertidos, visto que segundo ele, estes ainda não foram
contaminados ( não foram discipulados!!!). Se o TEI é verdadeiro, do que o Pr. Ouriel tem medo? A
verdade não tem medo de questionamentos. Ela não teme ser exposta. Quem precisa mascarar ou
justificar o que afirma é porque teme a luz. E quem teme a luz do discernimento é porque está nas
trevas! A Carta do Apóstolo aos Romanos 13:12 adverte-nos " deixemos portanto as obras das
trevas" !!!

I. Uma ênfase excessiva na vida e no caráter do fundador.

Todos os movimentos heréticos que apareceram durante a história da Igreja, procuraram destacar
excessivamente a personalidade dos seus fundadores, naquilo que conceituamos como "culto à
personalidade". A honra que o Islamismo concede a Maomé, chega a deificá-lo; o Mormonismo
presta a Joseph Smith um culto quase divino; o Adventismo concede à sua fundadora Ellen Gold
White, a honra de uma profeta infalível; os seguidores da Santa Vovó Rosa, atribuem à ela poderes
idênticos ao Espírito Santo; os adeptos do coreano Sun Young Moon, afirmam ser ele o verdadeiro
Messias enviado por Deus. O TEI não poderia deixar por menos, quando refere-se ao seu líder.
Vejamos algumas declarações sobre o Pr. Ouriel de Jesus contidas no livro: Apóstolo do
Avivamento, qualidades e virtudes testificadas pelo Espírito Santo, incomum humildade,
quebrantamento, espírito pacífico, sabedoria e determinação, profunda intimidade com Deus,
descomprometimento com sistemas, títulos e posições, pronto a pagar o preço que for necessário
e a aceitar os desafios para tapar as brechas que foram abertas desde a morte dos últimos
apóstolos; homem que aceitou o desafio para liderar o grande e último Avivamento; líder que será
dirigido pelo Deus Filho e pelo Deus Espírito Santo que conduzirá esse Avivamento em dimensão
tal que alcançará os quatro cantos da terra. Esse líder saberá discernir as astutas ciladas do
adversário....". E há uma aberração ainda maior, na página 338 do livro, Ouriel de Jesus é
chamado pelo Profeta Daniel, de "Anjo de Fogo", devido à autoridade, fé, coragem, ousadia e
unção que ele receberá do Altíssimo!!! E o "profeta Daniel" continua descrevendo o caráter
espiritual desse "ser glorioso": introduzirá a obra do tempo do fim sem se preocupar com o preço a
ser pago, com as renúncias que terá que fazer e com as perdas de amizade que terá ao se
apresentar voluntariamente para introduzir e ver realizar-se a obra do tempo do fim. Essas
qualidades encontradas nas páginas do TEI e atribuídas ao Pr. Ouriel não o apresentam como um
simples homem, nem um anjo, mas como um "semi-deus". É a manifestação da "Síndrome de
Herodes".

II. Arrogância e Superioridade Espiritual

O motivo do aparecimento de muitas seitas através da História é que os seus fundadores


"descobriram" que a Igreja tinha falhado no seu propósito e que eles eram a restauração da Igreja
Neotestamentária. Foi assim com Joseph
Smith, quando fundou o Mormonismo, Charles Taze Russel, quando fundou a Sociedade Torre de
Vigia (Testemunhas de Jeová), Ellen G. White, quando fundou o adventismo, Rev. Moon, o
"Messias Coreano", fundador da Igreja da Unificação Mundial, entre outros. A leitura do livro
apresenta mesmo que veladamente, uma superioridade dos ensinos da WRC em relação a outras
denominações quando afirma na página 93 : "Assim como Deus separou e elegeu uma nação, um
povo, dentre os demais e, dessa nação, Ele separou uma tribo para Lhe oferecer louvor e
adoração e cuidar do sacerdócio, assim Ele escolheu e separou uma igreja (World Revival Church)
para ser o berço do último Avivamento, oficializando-a e destacando-a para que, através dela, seja
introduzido esse Avivamento do tempo do fim até os confins da terra".
A arrogância espiritual do Pr. Ouriel de Jesus chega ao cúmulo de etiquetar os que estão
arraigados na Palavra e se habilitam a combater os seus ensinos, afirmando que esses possuem
uma fé poluída e contaminada. O grande apologista da fé cristã do séc. XX Francis Schaeffer,
chamava de super-espiritualidade a tendência de alguns avivados em desprezar o intelecto, a
apologia, o corpo e a cultura, para enfatizar o espetacular e o extraordinário.

III. Síndrome de Perseguição.

Como na história dos fundadores de seitas e heresias, Ouriel de Jesus também apresenta
antecipadamente no livro, a síndrome da perseguição, quando confrontado com a verdade bíblica.
No sétimo parágrafo do capítulo entitulado "Considerações do Pastor Ouriel de Jesus", está
escrito: "Voce será caluniado. Vão tentar excluí-lo de sua denominação e vão persegui-lo muito e
os seus próprios amigos o chamarão de hereje".
No capítulo 1, pág. 47, primeiro parágrafo diz: "Dessa forma, a Igreja dos últimos dias (a World
Revival Church?), será alvo de perseguições daqueles que terão ficado para trás, presos nas suas
próprias mazelas". Essa síndrome é muito comum dentro de um movimento sectário ou
controvertido. Jim Jones, líder do Templo do Povo, levou sua comunidade da California para a
Guiana, porque se sentia perseguido aqui nos Estados Unidos. E lá aconteceu a tragédia do
suicídio em massa.

IV.Similaridades com outros Movimentos Heréticos

Quase todas as seitas heréticas tiveram a sua origem em visões espetaculares. O islamismo, a
maior religião do mundo depois de Cristianismo é fruto das visões de Maomé por volta do ano 600.
A mariolatria católica romana repousa em grande parte sobre as visões de Lourdes (1858), Fátima
(1918) e Meljugorje (1981).

O TEI (ver Considerações do Pastor Ouriel de Jesus) afirma que no dia 14 de setembro de 2001 às
14:30 hs, quando o Pr. Ouriel de Jesus e o seu grupo de oração da WRC oravam, "o céu se abriu e
nós vimos e ouvimos o Pai dizendo ao Filho: É hora de a Igreja ser tirada da Terra pois não está
conseguindo cumprir sua missão e Jesus com um olhar de preocupação não respondia palavra.
Foi quando pudemos ver o Espírito Santo interceder pela Igreja pedindo ao Pai que lhe fosse dada
mais uma oportunidade". O Livro de Mórmon também faz uma afirmação quase semelhante.
Joseph Smith Jr, "preocupado com questões religiosas dos seus dias", orou pedindo orientação a
Deus sobre qual denominação era a verdadeira igreja. Então, na primavera de 1820 ele teve uma
visão do Pai e seu Filho Jesus Cristo, que lhe disseram que todas as igrejas tinham apostatado e
que seus credos era uma abominação. Em 1832, veio a segunda visão. Um anjo chamado Moroni
contou a Joseph Smith a respeito de um livro de placas de ouro que se encontrava no Monte
Cumorah , em Palmyra, N.York e lhe entregou umas lentes especiais chamadas Urim e Tumim,
com as quais poderia decifrar e traduzir a nova revelação de Deus para a humanidade que estava
naquele livro.

O TEI em "Considerações do Pr. Ouriel de Jesus"afirma que "ficamos impressionados ao ver que
do meio do Livro sai uma luz que resplandece muito intensamente. Essa luz é uma espécie de
sinalização no processo de leitura e tradução do Livro". Outra similaridade é que o Mormonismo
revelou o anjo Moroni e o Ourielismo, uma nova saga angélica com Mestre, Jadiel e Elifelete. Mera
coincidência, plagialismo sectarista ou trevas em dose dupla?!?!

V. Distorções Doutrinárias

Apoiado pela revelação histórica da Palavra de Deus, a Reforma Protestante declarou no Séc. XVI
a famosa expressão em latim "Sola Scriptura". Essa afirmação era a síntese de todo o movimento:
só a Bíblia, nenhuma outra revelação, mesmo que fosse entregue por um anjo. O TEI, segundo as
fantasias espirituais do Pr. Ouriel e seu grupo foi traduzido do original que está no Paraíso (outro
plágio do mormonismo???). Apesar de afirmarem que "este livro não tem o propósito ou a
pretensão de se comparar ou substituir a Bíblia Sagrada...", pretensiosamente ou inocentemente,
eles já colocam as Escrituras em desvantagem e inferioridade, pois a Palavra de Deus foi escrita
aqui no planeta Terra em um período de 1600 anos por aproximadamente 40 escritores humanos,
não tem nenhuma cópia original e nenhum dos seus escritores está vivo!!! A audácia do Pr. Ouriel e
do seu grupo chega ao extremo até de mudar o nome das Escrituras, de Bíblia para Livro Eterno,
nome este que foi estabelecido pelos Pais da Igreja nos primeiros séculos da História Cristã.

"Arrebatamento de sentidos" é outra declaração suspeita de Ouriel. Se é o mesmo um tipo de


arrebatamento bíblico, vamos checá-lo com a experiência pessoal do Apóstolo Paulo (2 Co 12:1-
10). Paulo não soube explicar direito o que aconteceu ("se no corpo ou fora do corpo, não sei,
Deus o sabe) , não se expôs demasiadamente (conheço um homem que...), não teve a menor
pressa em relatar o ocorrido (há catorze anos), não entrou em detalhes sobre o que viu ou ouviu
(palavras inefáveis, as quais não é lícito ao homem referir), não omitiu a providência tomada por
Deus para que ele não se ensoberbecesse (foi me posto um espinho na carne).

"...O céu se abriu e nós vimos e ouvimos o Pai dizendo ao Filho: É hora de a Igreja ser tirada da
Terra pois não está conseguindo cumprir sua missão e Jesus Cristo, com um olhar de
preocupação, não respondia palavra. Foi quando pudemos ver o Espírito Santo interceder pela
Igreja pedindo ao Pai que lhe fosse dada mais uma oportunidade...Foi no momento dessa
experiência sobrenatural que eu disse a Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo que eu estava
disposto a pagar o preço que fosse necessário" (TEI, pág. 21). Não é preciso ser um profundo
estudioso das Escrituras para detectar sérios problemas doutrinários nessa afirmação do Pr. Ouriel:

1. Ele declara, que junto com o seu grupo "viu o Pai, o Filho e o Espírito Santo". Ora, a Bíblia
afirma terminantemente que "ninguém jamais viu a Deus, e nem pode ver: aquele que tem, ele só,
a imortalidade e habita na luz inacessível; a quem nenhum dos homens viu nem pode ver; ao qual
seja honra e poder sempiterno. Amem (I Tm 6:16, Jo 1:18, Ex 33:20).

2. A revelação dada a Ouriel diz que a " Igreja de Cristo não está cumprindo com a sua missão",
em outras palavras, a Igreja falhou.

3. Vejo uma profunda blasfêmia e muita audácia do Pr. Ouriel de Jesus nesta declaração, pois faz
pouco caso da obra do Espírito Santo na Igreja e audaciosamente se coloca como um substituto da
"obra inacabada". Faltou pouco para se equiparar com Sun Young Moon, que afirma ser o
verdadeiro Messias, pelo fato de Jesus "falhar em não se casar e morrer em uma cruz". Não
precisamos de nenhum outro e presunçoso "messias" seja ele Bar Kohba, Sun Young Moon, Inri
Cristo ou Ouriel de Jesus ou alguém mais que se levantar, pois o preço já foi pago e homem
nenhum foi capaz de suportá-lo a não ser o glorioso "Filho de Deus", que sofreu a afronta e o
vitupério da Cruz por cada um de nós. O preço dos cravos, da afronta, das chicotadas e da
alienação total, como Mel Gibson monstrou magistralmente em seu filme "A Paixão do Cristo", só
foi pago por Ele, nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

4. Segundo esse relato, Deus o Pai está falando em desistir de um dos seus propósitos em relação
à Igreja, depois reflete melhor e decide dar uma outra oportunidade, porque aparece "um homem"
disposto a pagar o preço ( ele mesmo, Ouriel!!). Que tamanho disparate em relação à soberania de
Deus! Um dos atributos de Deus apresentados pela Palavra de Deus é a sua imutabilidade (Ml
3.6). Não há Nele nenhuma mudança ou variação (Tg 1.17b).

VI. Falso Profeta

O Pastor Ouriel afirma que o último e grande avivamento começou em 14 de setembro de 2001. Se
ele é realmente a pessoa escolhida para ser o líder mundial do último avivamente é de se
estranhar que ele não esteja executando ainda "os milagres, maravilhas, sinais e prodígios que
estarão acontecendo nos últimos dias" (pág.109). Esse fato caracteriza-se uma falsa profecia.
Convém lembrar as palavras das Escrituras sobre o falso profeta. Deuteronomio 18.22 diz:
"...quando tal profeta falar em nome do Senhor, e tal palavra não se cumprir, nem suceder assim,
esta é a palavra que o Senhor não falou; com soberba o falou tal profeta; não tenhas temor dele".

Causas:

1. Abandono da Bíblia
Quando a Bíblia deixa de ser canônica para o crente é porque este já abandonou a verdade, se
acercou do erro e pôs sua esperança em fábulas originadas na concupiscência do homem ou nas
obras das trevas. Daí, onde caem nas armadilhas de certos líderes que se arvoram de super-
espirituais e portadores de uma revelação exclusiva e definitiva de Deus. Deus lhes falou, ou lhes
revelou a verdadeira liturgia (tais como aprenda comigo a verdadeira adoração, não tenho culpa se
até agora você aprendeu errado....) ou uma novidade que esteve oculta desde a antiguidade ( as
palavras seladas do tempo do fim, o livrinho comido por determinado apóstolo, e blá, blá, blá, blá,
blá,blá....).

2. Sobrenaturalismo exagerado
O líder da WRC sempre foi conhecido por um misticismo exagerado, povoado de visões de anjos e
revelações de mistérios sobrenaturais. Fruto da cultura brasileira, sincretista, mística, e carregada
de mistério e magia, enraizada em obreiros que por serem desprovidos de conteúdo bíblico-
teológico, não conseguem fazer uma separação adequada entre o real e o irreal, o pagão e o santo
Se o esoterismo da Nova Era alcançou até líderes com alguma formação bíblica e teológica,
imagine-se com aqueles desprovidos dessas qualificações!

3. Fragilidade teológica e ausência de reflexão bíblica...


Na página 21 no capítulo "Considerações do Pr. Ouriel", esse pastor fez essa asseveração, da qual
parece até orgulhar-se: "...o grupo escolhido e usado por Deus para realizar esta obra não tem
qualquer formação acadêmica e, alguns, sequer teológica". Essa afirmação prova que o
movimento da WRC enfatiza o subjetivismo, enaltece a ignorância e mostra aversão à reflexão
teológica. Rejeitar a reflexão teológica é negar a teologia bíblica, porque ela parte do pressuposto
de que a fé cristã está condicionada à razão exarada nas Sagradas Escrituras.

Conclusão

O TEI é um ensino distorcido da verdade que violenta a pureza das doutrinas fundamentais
pregada com tanto zelo pela Igreja durante séculos. É um "evangelho" de interesses mesquinhos
que manipula a consciência e a emoção dos seus seguidores, aliena-os da realidade da vida com
fantasias e visões espetaculares, intimida-os os que não aceitam esse ensino afirmando que estão
blasfemando contra o Espírito Santo, oferece falsas promessas de prosperidade material,
acrescenta ensinos distorcidos às Escrituras e subtrae doutrinas fundamentais cristãs. Enfim,
oferece um evangelho sem cruz, sem sacrifício, só de prosperidade e saúde. Se realmente o TEI
fosse de origem divina, e traduzido sem erros, ele jamais contrariaria os ensinos das Escrituras
Sagradas. Este estudo apologético, não esgota todo o conteúdo herético do livro, fixando-se
somente em algumas distorções O objetivo é alertar a Igreja de Cristo para os "mercenários"
astutamente disfarçados de pastores, levando as ovelhas para o "engodo do maligno", para os
"falsos mestres" que oferecendo "coisas pervertidas", iludem seus seguidores com filosofias
malignas, verdadeiros paradigmas do inferno. Atentemos para o conselho deixado pelo Apóstolo
Paulo à Igreja da Galácia: "...mesmo que um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que
já vos tenho anunciado, seja anátema" (Gl 1.8) e também para Timóteo , "se alguém ensina
alguma outra doutrina e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo e
com a doutrina que é segundo a piedade, é soberbo e nada sabe, mas delira acerca de questões e
contendas de palavras, das quais nascem invejas, ruins suspeitas, contendas de homens corruptos
de entendimento e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho. Aparta-te
dos tais" (I Tm 6:3-5). Tomemos uma firme posição contra aqueles que, dentro da igreja visível,
negam a autoridade da Bíblia ou distorcem a fé original anunciada por Cristo ou pelo apóstolos,
repudiando seus ensinos, anatematizando-os.

Pr. Antonio Donizeti Romualdo


Co-pastor na Assembléia de Deus em Tampa, Florida
B.A. in Theology , Latin American Advanced School of Theology
E-mail: pastordonizeti@teologia.us