Você está na página 1de 8

Marcos 7.

14-23
Jarbas Hoffimann, 15/09/2009

1. Tradução da Perícope
14
Kai. proskalesa,menoj pa,lin to.n o;clon e;legen auvtoi/j\ avkou,sate, mou pa,ntej kai. su,neteÅ
15
ouvde,n evstin e;xwqen tou/ avnqrw,pou eivsporeuo,menon eivj auvto.n o] du,natai koinw/sai auvto,n( avlla. ta.
evk tou/ avnqrw,pou evkporeuo,mena, evstin ta. koinou/nta to.n a;nqrwponÅ
16
17
Kai. o[te eivsh/lqen eivj oi=kon avpo. tou/ o;clou( evphrw,twn auvto.n oi` maqhtai. auvtou/ th.n parabolh,nÅ
18
kai. le,gei auvtoi/j\ ou[twj kai. u`mei/j avsu,netoi, evsteÈ ouv noei/te o[ti pa/n to. e;xwqen eivsporeuo,menon
eivj to.n a;nqrwpon ouv du,natai auvto.n koinw/sai
19
o[ti ouvk eivsporeu,etai auvtou/ eivj th.n kardi,an avllV eivj th.n koili,an( kai. eivj to.n avfedrw/na
evkporeu,etai( kaqari,zwn pa,nta ta. brw,mataÈ
20
e;legen de. o[ti to. evk tou/ avnqrw,pou evkporeuo,menon( evkei/no koinoi/ to.n a;nqrwponÅ
21
e;swqen ga.r evk th/j kardi,aj tw/n avnqrw,pwn oi` dialogismoi. oi` kakoi. evkporeu,ontai( pornei/ai(
klopai,( fo,noi(
22
moicei/ai( pleonexi,ai( ponhri,ai( do,loj( avse,lgeia( ovfqalmo.j ponhro,j( blasfhmi,a( u`perhfani,a(
avfrosu,nh\
23
pa,nta tau/ta ta. ponhra. e;swqen evkporeu,etai kai. koinoi/ to.n a;nqrwponÅ

1.1. Tradução Literal1


14E,
chamando outra vez a multidão, disse-lhes: Ouvi-me, vós todos, e compreendei. 15Nada há, fora do homem, que,
entrando nele, o possa contaminar; mas o que sai dele, isso é que contamina o homem. 16Se alguém tem ouvidos para
ouvir, que ouça. 17Depois, quando deixou a multidão e entrou em casa, os seus discípulos o interrogavam acerca desta
parábola. 18E ele disse-lhes: Assim também vós estais sem entendimento? Não compreendeis que tudo o que de fora
entra no homem não o pode contaminar, 19porque não entra no seu coração, mas no ventre e é lançado fora, ficando
puras todas as comidas? 20E dizia: O que sai do homem, isso é que contamina o homem. 21Porque do interior do
coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios, 22os furtos, a avareza,
as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. 23Todos estes males procedem de
dentro e contaminam o homem.

1.2. Tradução Opcional2


14Jesus
chamou outra vez a multidão e disse:
– Escutem todos o que eu vou dizer e entendam! 15Tudo o que vem de fora e entra numa pessoa não faz com que
ela fique impura, mas o que sai de dentro, isto é, do coração da pessoa, é que faz com que ela fique impura. 16[Se vocês
têm ouvidos para ouvir, então ouçam.]
17Quando Jesus se afastou da multidão e entrou em casa, os seus discípulos lhe perguntaram o que queria dizer

essa comparação. 18Então ele disse:


– Vocês são como os outros; não entendem nada! Aquilo que entra pela boca da pessoa não pode fazê-la ficar
impura, 19porque não vai para o coração, mas para o estômago, e depois sai do corpo.
Com isso Jesus quis dizer que todos os tipos de alimento podem ser comidos.
20Ele continuou:

– O que sai da pessoa é o que a faz ficar impura. 21Porque é de dentro, do coração, que vêm os maus pensamentos,
a imoralidade sexual, os roubos, os crimes de morte, 22os adultérios, a avareza, as maldades, as mentiras, as
imoralidades, a inveja, a calúnia, o orgulho e o falar e agir sem pensar nas conseqüências. 23Tudo isso vem de dentro e
faz com que as pessoas fiquem impuras.

1 Almeida Revista e Corrigida (SBB).


2 Nova Tradução na Linguagem de Hoje (SBB).
2. Formas mais significativas
v. 14
proskalesa,menoj – chamar para si mesmo.
VAkou,ete, – escutar, ouvir.
kai. suni,ete – entender, compreender.

v. 15
e;xwqen – fora.
eivsporeuo,menon – entrar.
koinw/sai – tornar comum, profanar.
evkporeuo,mena –sair.

v. 17
eivsh/lqen –sair.
evphrw,twn – começaram a perguntar.

v. 18
avsu,netoi, – sem entendimento, sem compreensão. Trata-se do homem a quem falta entendimento.
noei/te –compreender, apreender.

v. 19
koili,an –estômago.
avfedrw/na – sanitário.
kaqari,zon – purificar, declarar puro.
brw,mata – alimento.

v. 21
e;swqen – de dentro.
dialogismoi. – consideração, pensamento. Não meramente maus pensamentos como também tramas malignas que
têm como resultado atos e vícios degradantes que agora passam a ser mencionados.
pornei/ai – imoralidade, atividade sexual ilícita.
Relações sexuais ilícitas: O caso das relações sexuais ilícitas, embora conste dom mesmo capítulo e da mesma
recomendação apostólica,é diferente do comer sangue e carne de animais sufocados. As relações sexuais fazem
parte da Lei Moral, os 10 mandamentos, mais precisamente, o mandamento que se trata do adultério. Por isso,
essa recomendação apostólica que se refere às relações sexuais ilícitas continua em vigor na igreja do Novo
Testamento. E, por isso, a diferenciamos do comer sangue e carne de animais sufocados. Isto está na Lei Moral
à qual todos os povos, de todo o mundo em todo tempo, estão sujeitos. A decisão dos apóstolos em Atos 15
conclama os cristãos e viverem no amor e ,em nome desse amor, não escandalizarem cristãos fracos, nem com
atitudes que, em si, não sejam pecado, nem com coisas francamente proibidas. Essa decisão tornou possível a
convivência entre cristãos de origem judaica e cristãos de origem gentílica e também evitou que o cristianismo
ficasse resumido a uma mera seita do judaísmo, em que se desse continuidade aos sacrifícios cerimoniais do
Antigo Testamento cuja função era apontar para Cristo, o qual não precisava mais dessa sombra ( Colossenses
2.16 ). É isso que o apóstolo diz nos versículos 10 e 11, quando adverte os demais apóstolos e presbíteros a não
imporem aos cristãos gentílicos um jugo ( leis ) que nem os judeus podiam suportar e quando lembra que não é
pelo cumprimento de prescrições, mas pela graça de Cristo que somos salvos.
(http://www.cptn.org.br/duvidas.asp?ler=1312003816&busca=3)
klopai, – fruto.
fo,noi – assassínio.

v. 22
moicei/ai – adultério.
pleonexi,ai – cobiça, o desejo de possuir mais, frequentemente em detrimento de outros..
ponhri,ai – maldade, ato maldoso e maligno.
do,loj – dolo, engano.
avse,lgeia – vida libertina e sem vergonha.
ovfqalmo.j ponhro,j – “olho” e “mau, maligno”, “mau olhado”. Expressão semítica para a inveja, os ciúmes, o rancor
ciumento.
blasfhmi,a – blasfêmia, calúnia.
u`perhfani,a – orgulho.
avfrosu,nh – estulto, insensato. Usado especialmente para a insensibilidade religiosa.

3. Estilo literário
Evangelho.
Pregação.

4. Contextos
I. O Ministério de Jesus na Galileia 1.14-9.50
Princípio: Sucesso e conflito iniciais 1.14-3.6
Etapas posteriores: Aumento de popularidade e oposição 3.7-6.13
Ministério fora da Galileia 6.14-8.26
A morte de João Batista 6.14-29
Jesus alimenta uma multidão 6.30-44
Jesus anda em cima da água 6.45-52
Jesus em Genesaré 6.53-56
Jesus e a tradição dos judeus 7.1-13
Jesus fala sobre a impureza 7.14-23
A mulher estrangeira 7.24-30
Jesus e o surdo-mudo 7.31-37
Jesus alimenta outra multidão 8.1-10
Os fariseus pedem um milagre 8.11-13
O fermento dos fariseus e o fermento de Herodes 8.14-21
Jesus e o cego de Betsaida 8.22-26
Ministério no caminho para a Judeia 8.27-9.50

4.1. Contexto Anterior


No contexto imediatamente anterior, Jesus estava falando das tradições dos judeus e de que o importante é a Lei
de Deus e não as tradições de homens. Nos dias anteriores, João Batista tinha morrido, Jesus alimentou uma multidão e
caminho por cima da água. Também foi abandonado pela multidão que veio atrás dele, querendo mais pão e não obteve
o pão físico. Porém Jesus lhes ofereceu o “Pão da Vida” e eles o rejeitaram.
O trecho analisado reflete ainda algo sobre as tradições judaicas, pois continua falando de coisas puras e
impuras e do que realmente importa diante de Deus.

1.1. Contexto Posterior


Jesus, depois de falar com os chefes dos judeus, sai e encontra-se com uma mulher estrangeira, na cidade de
Tiro. Essa estrangeira foi referência de fé. Ainda por aquela região Jesus cura um surdo-mudo. E era cada vez mais
admirado. Alimenta outra multidão com sete pães. E aparecem fariseus pedindo milagres. Mas o interessante é que
Jesus tinha feito vários milagres, mas os fariseus pedem provas ainda. Não para crer que Jesus era o Messias, mas
procurando uma prova contra ele.

1.2. Nosso Contexto


Jesus está ensinando e há muitos mestres da lei e suas tradições. Ele parte daí para ensinar o que realmente faz
mau às pessoas. O que pode tirar a vida eterna. Usando as tradições sobre comidas e lavagens de mãos e outras
cosias, Jesus diz que o que realmente pode tornar uma pessoa impura (diante de Deus, obviamente) é a maldade
alojada no seu coração e que sei em suas ações e palavras. Comparada a isto, nenhuma comida é impura.

2. Reflexão exegética

Mc 7.14-23 — A impureza vem do coração.

3. Sistematização do conteúdo

3.1. Mc 7.14-23 — A impureza vem do coração.

3.1.1. Aspectos de Lei


a) Falta de entendimento (14, 18)
b) O coração humano é fonte de toda impureza (15, 20-21)
c) O pecado em nós: maus pensamentos, imoralidade sexual, roubos, crimes de morte, adultérios,
avareza, maldades, mentiras, imoralidades, inveja, calúnia, orgulho falar e agir sem pensar nas
consequências. (21-22)

3.1.2. Aspectos de Evangelho


a) Deus dá o entendimento (14, 18-19)
b) Deus dá as armas (Efésios 6.10-20)

3.2. Analogia da Escritura


v. 14
1Rs 18.21 Então, Elias se chegou a todo o povo e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o SENHOR
é Deus, segui-o; se é Baal, segui-o. Porém o povo nada lhe respondeu.
1Rs 22.28 Disse Micaías: Se voltares em paz, não falou o SENHOR, na verdade, por mim. Disse mais: Ouvi isto, vós,
todos os povos!
Sl 49.1 Ao mestre de canto. Salmo dos filhos de Corá Povos todos, escutai isto; dai ouvidos, moradores todos da terra, 2
tanto plebeus como os de fina estirpe, todos juntamente, ricos e pobres.
Sl 94.8 Atendei, ó estúpidos dentre o povo; e vós, insensatos, quando sereis prudentes?
Mt 15.10 E, tendo convocado a multidão, lhes disse: Ouvi e entendei:
Lc 12.1 Posto que miríades de pessoas se aglomeraram, a ponto de uns aos outros se atropelarem, passou Jesus a
dizer, antes de tudo, aos seus discípulos: Acautelai-vos do fermento dos fariseus, que é a hipocrisia.
Lc 12.54-57 Disse também às multidões: Quando vedes aparecer uma nuvem no poente, logo dizeis que vem chuva, e
assim acontece; 55 e, quando vedes soprar o vento sul, dizeis que haverá calor, e assim acontece. 56 Hipócritas, sabeis
interpretar o aspecto da terra e do céu e, entretanto, não sabeis discernir esta época? 57 E por que não julgais também
por vós mesmos o que é justo?
Lc 20.45-47 Ouvindo-o todo o povo, recomendou Jesus a seus discípulos: 46 Guardai-vos dos escribas, que gostam de
andar com vestes talares e muito apreciam as saudações nas praças, as primeiras cadeiras nas sinagogas e os
primeiros lugares nos banquetes; 47 os quais devoram as casas das viúvas e, para o justificar, fazem longas orações;
estes sofrerão juízo muito mais severo.
Pv 8.5 Entendei, ó simples, a prudência; e vós, néscios, entendei a sabedoria.
Is 6.9 Então, disse ele: Vai e dize a este povo: Ouvi, ouvi e não entendais; vede, vede, mas não percebais.
At 8.30 Correndo Filipe, ouviu-o ler o profeta Isaías e perguntou: Compreendes o que vens lendo?

v. 15
Lv 11.42-47 Tudo o que anda sobre o ventre, e tudo o que anda sobre quatro pés ou que tem muitos pés, entre todo
enxame de criaturas que povoam a terra, não comereis, porquanto são abominação. 43 Não vos façais abomináveis por
nenhum enxame de criaturas, nem por elas vos contaminareis, para não serdes imundos. 44 Eu sou o SENHOR, vosso
Deus; portanto, vós vos consagrareis e sereis santos, porque eu sou santo; e não vos contaminareis por nenhum
enxame de criaturas que se arrastam sobre a terra. 45 Eu sou o SENHOR, que vos faço subir da terra do Egito, para que
eu seja vosso Deus; portanto, vós sereis santos, porque eu sou santo. 46 Esta é a lei dos animais, e das aves, e de toda
alma vivente que se move nas águas, e de toda criatura que povoa a terra, 47 para fazer diferença entre o imundo e o
limpo e entre os animais que se podem comer e os animais que se não podem comer.
At 10.14-16 Mas Pedro replicou: De modo nenhum, Senhor! Porque jamais comi coisa alguma comum e imunda. 15
Segunda vez, a voz lhe falou: Ao que Deus purificou não consideres comum. 16 Sucedeu isto por três vezes, e, logo,
aquele objeto foi recolhido ao céu.
At 10.28 a quem se dirigiu, dizendo: Vós bem sabeis que é proibido a um judeu ajuntar-se ou mesmo aproximar-se a
alguém de outra raça; mas Deus me demonstrou que a nenhum homem considerasse comum ou imundo;
At 11.8-10 Ao que eu respondi: de modo nenhum, Senhor; porque jamais entrou em minha boca qualquer coisa comum
ou imunda. 9 Segunda vez, falou a voz do céu: Ao que Deus purificou não consideres comum. 10 Isto sucedeu por três
vezes, e, de novo, tudo se recolheu para o céu.
At 15.20-21 mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, bem como das relações sexuais
ilícitas, da carne de animais sufocados e do sangue. 21 Porque Moisés tem, em cada cidade, desde tempos antigos, os
que o pregam nas sinagogas, onde é lido todos os sábados.
Rm 14.17 Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo.
1Co 10.25 Comei de tudo o que se vende no mercado, sem nada perguntardes por motivo de consciência;
1Tm 4.3-5 que proíbem o casamento e exigem abstinência de alimentos que Deus criou para serem recebidos, com
ações de graças, pelos fiéis e por quantos conhecem plenamente a verdade; 4 pois tudo que Deus criou é bom, e,
recebido com ações de graças, nada é recusável, 5 porque, pela palavra de Deus e pela oração, é santificado.
Tt 1.15 Todas as coisas são puras para os puros; todavia, para os impuros e descrentes, nada é puro. Porque tanto a
mente como a consciência deles estão corrompidas.
Hb 9.10 os quais não passam de ordenanças da carne, baseadas somente em comidas, e bebidas, e diversas abluções,
impostas até ao tempo oportuno de reforma.
Hb 13.9 Não vos deixeis envolver por doutrinas várias e estranhas, porquanto o que vale é estar o coração confirmado
com graça e não com alimentos, pois nunca tiveram proveito os que com isto se preocuparam.
Pv 4.23 Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida.
Mt 12.34 Raça de víboras, como podeis falar coisas boas, sendo maus? Porque a boca fala do que está cheio o
coração.
Mt 15.16 Jesus, porém, disse: Também vós não entendeis ainda?

v. 16
Mt 11.15 Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.
Ap 2.7 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao vencedor, dar-lhe-ei que se alimente da árvore da
vida que se encontra no paraíso de Deus.
Ap 2.11 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O vencedor de nenhum modo sofrerá dano da segunda
morte.
Ap 2.17 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao vencedor, dar-lhe-ei do maná escondido, bem como
lhe darei uma pedrinha branca, e sobre essa pedrinha escrito um nome novo, o qual ninguém conhece, exceto aquele
que o recebe.
Ap 2.29 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.
Ap 3.6 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.
Ap 3.13 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.
Ap 3.22 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.

v. 17
Mt 13.10 Então, se aproximaram os discípulos e lhe perguntaram: Por que lhes falas por parábolas?
Mt 13.36 Então, despedindo as multidões, foi Jesus para casa. E, chegando-se a ele os seus discípulos, disseram:
Explica-nos a parábola do joio do campo.
Mt 15.15 Então, lhe disse Pedro: Explica-nos a parábola.

v. 18
Is 28.9-10 A quem, pois, se ensinaria o conhecimento? E a quem se daria a entender o que se ouviu? Acaso, aos
desmamados e aos que foram afastados dos seios maternos? 10 Porque é preceito sobre preceito, preceito e mais
preceito; regra sobre regra, regra e mais regra; um pouco aqui, um pouco ali.
Jr 5.4-5 Mas eu pensei: são apenas os pobres que são insensatos, pois não sabem o caminho do SENHOR, o direito do
seu Deus. 5 Irei aos grandes e falarei com eles; porque eles sabem o caminho do SENHOR, o direito do seu Deus; mas
estes, de comum acordo, quebraram o jugo e romperam as algemas.
Mt 15.16-17 Jesus, porém, disse: Também vós não entendeis ainda? 17 Não compreendeis que tudo o que entra pela
boca desce para o ventre e, depois, é lançado em lugar escuso?
Mt 16.11 Como não compreendeis que não vos falei a respeito de pães? E sim: acautelai-vos do fermento dos fariseus e
dos saduceus.
Lc 24.25 Então, lhes disse Jesus: Ó néscios e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram!
Jo 3.10 Tu és mestre em Israel e não compreendes estas coisas?
1Co 3.2 Leite vos dei a beber, não vos dei alimento sólido; porque ainda não podíeis suportá-lo. Nem ainda agora
podeis, porque ainda sois carnais.
Hb 5.11 A esse respeito temos muitas coisas que dizer e difíceis de explicar, porquanto vos tendes tornado tardios em
ouvir.

v. 19
Mt 15.17 Não compreendeis que tudo o que entra pela boca desce para o ventre e, depois, é lançado em lugar escuso?
1Co 6.13 Os alimentos são para o estômago, e o estômago, para os alimentos; mas Deus destruirá tanto estes como
aquele. Porém o corpo não é para a impureza, mas, para o Senhor, e o Senhor, para o corpo.
Cl 2.21-22 não manuseies isto, não proves aquilo, não toques aquiloutro, 22 segundo os preceitos e doutrinas dos
homens? Pois que todas estas coisas, com o uso, se destroem.

v. 20
Sl 41.6 Se algum deles me vem visitar, diz coisas vãs, amontoando no coração malícias; em saindo, é disso que fala.
Hb 7.6 entretanto, aquele cuja genealogia não se inclui entre eles recebeu dízimos de Abraão e abençoou o que tinha as
promessas.
Mq 2.1 Ai daqueles que, no seu leito, imaginam a iniqüidade e maquinam o mal! À luz da alva, o praticam, porque o
poder está em suas mãos.
Mt 12.34-37 Raça de víboras, como podeis falar coisas boas, sendo maus? Porque a boca fala do que está cheio o
coração. 35 O homem bom tira do tesouro bom coisas boas; mas o homem mau do mau tesouro tira coisas más. 36 Digo-
vos que de toda palavra frívola que proferirem os homens, dela darão conta no Dia do Juízo; 37 porque, pelas tuas
palavras, serás justificado e, pelas tuas palavras, serás condenado.
Tg 3.6 Ora, a língua é fogo; é mundo de iniqüidade; a língua está situada entre os membros de nosso corpo, e
contamina o corpo inteiro, e não só põe em chamas toda a carreira da existência humana, como também é posta ela
mesma em chamas pelo inferno.
Tg 4.1 De onde procedem guerras e contendas que há entre vós? De onde, senão dos prazeres que militam na vossa
carne?

vv. 21 e 22
Gn 6.5 Viu o SENHOR que a maldade do homem se havia multiplicado na terra e que era continuamente mau todo
desígnio do seu coração;
Gn 8.21 E o SENHOR aspirou o suave cheiro e disse consigo mesmo: Não tornarei a amaldiçoar a terra por causa do
homem, porque é mau o desígnio íntimo do homem desde a sua mocidade; nem tornarei a ferir todo vivente, como fiz.
Jó 14.4 Quem da imundícia poderá tirar coisa pura? Ninguém!
Jó 15.14-16 Que é o homem, para que seja puro? E o que nasce de mulher, para ser justo? 15 Eis que Deus não confia
nem nos seus santos; nem os céus são puros aos seus olhos, 16 quanto menos o homem, que é abominável e corrupto,
que bebe a iniqüidade como a água!
Jó 25.4 Como, pois, seria justo o homem perante Deus, e como seria puro aquele que nasce de mulher?
Sl 14.1 Diz o insensato no seu coração: Não há Deus. Corrompem-se e praticam abominação; já não há quem faça o
bem.
Sl 14.3 Todos se extraviaram e juntamente se corromperam; não há quem faça o bem, não há nem um sequer.
Sl 53.1 Diz o insensato no seu coração: Não há Deus. Corrompem-se e praticam iniqüidade; já não há quem faça o
bem.
Sl 53.3 Todos se extraviaram e juntamente se corromperam; não há quem faça o bem, não há nem sequer um.
Sl 58.2-3 Longe disso; antes, no íntimo engendrais iniqüidades e distribuís na terra a violência de vossas mãos. 3
Desviam-se os ímpios desde a sua concepção; nascem e já se desencaminham, proferindo mentiras.
Pv 4.23 Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida.
Jr 4.14 Lava o teu coração da malícia, ó Jerusalém, para que sejas salva! Até quando hospedarás contigo os teus maus
pensamentos?
Jr 17.9 Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?
Mt 15.19 Porque do coração procedem maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos,
blasfêmias.
Mt 23.25-28 Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque limpais o exterior do copo e do prato, mas estes, por
dentro, estão cheios de rapina e intemperança! 26 Fariseu cego, limpa primeiro o interior do copo, para que também o
seu exterior fique limpo! 27 Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque sois semelhantes aos sepulcros caiados,
que, por fora, se mostram belos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia! 28 Assim
também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas, por dentro, estais cheios de hipocrisia e de iniqüidade.
Lc 16.15 Mas Jesus lhes disse: Vós sois os que vos justificais a vós mesmos diante dos homens, mas Deus conhece o
vosso coração; pois aquilo que é elevado entre homens é abominação diante de Deus.
At 5.4 Conservando-o, porventura, não seria teu? E, vendido, não estaria em teu poder? Como, pois, assentaste no
coração este desígnio? Não mentiste aos homens, mas a Deus.
At 8.22 Arrepende-te, pois, da tua maldade e roga ao Senhor; talvez te seja perdoado o intento do coração;
Rm 7.5 Porque, quando vivíamos segundo a carne, as paixões pecaminosas postas em realce pela lei operavam em
nossos membros, a fim de frutificarem para a morte.
Rm 7.8 Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, despertou em mim toda sorte de concupiscência; porque,
sem lei, está morto o pecado.
Rm 8.7-8 Por isso, o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode
estar. 8 Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus.
Gl 5.19-21 Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, 20 idolatria, feitiçarias,
inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, 21 invejas, bebedices, glutonarias e coisas
semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de
Deus os que tais coisas praticam.
Tt 3.3 Pois nós também, outrora, éramos néscios, desobedientes, desgarrados, escravos de toda sorte de paixões e
prazeres, vivendo em malícia e inveja, odiosos e odiando-nos uns aos outros.
Tg 1.14-15 Ao contrário, cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. 15 Então, a cobiça,
depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte.
Tg 4.1-3 De onde procedem guerras e contendas que há entre vós? De onde, senão dos prazeres que militam na vossa
carne? 2 Cobiçais e nada tendes; matais, e invejais, e nada podeis obter; viveis a lutar e a fazer guerras. Nada tendes,
porque não pedis; 3 pedis e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres.
1Pe 4.2-3 para que, no tempo que vos resta na carne, já não vivais de acordo com as paixões dos homens, mas
segundo a vontade de Deus. 3 Porque basta o tempo decorrido para terdes executado a vontade dos gentios, tendo
andado em dissoluções, concupiscências, borracheiras, orgias, bebedices e em detestáveis idolatrias.
Pv 15.25 O SENHOR deita por terra a casa dos soberbos; contudo, mantém a herança da viúva.
Is 59.7 Os seus pés correm para o mal, são velozes para derramar o sangue inocente; os seus pensamentos são
pensamentos de iniqüidade; nos seus caminhos há desolação e abatimento.
Ez 38.10 Assim diz o SENHOR Deus: Naquele dia, terás imaginações no teu coração e conceberás mau desígnio;
Mt 9.4 Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse: Por que cogitais o mal no vosso coração?
Tg 2.4 não fizestes distinção entre vós mesmos e não vos tornastes juízes tomados de perversos pensamentos?

v. 23
1Co 3.17 Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque o santuário de Deus, que sois vós, é
sagrado.
Tt 1.15 Todas as coisas são puras para os puros; todavia, para os impuros e descrentes, nada é puro. Porque tanto a
mente como a consciência deles estão corrompidas.
Jd 1.8 Ora, estes, da mesma sorte, quais sonhadores alucinados, não só contaminam a carne, como também rejeitam
governo e difamam autoridades superiores

4. Objetivo
a. Cognitivo: Que meus ouvintes reconheçam que o que afasta a pessoa de Deus é o pecado e não aquilo que
se come.
b. Afetivo: Que meus ouvintes confiem que Deus nos libertou das leis cerimoniais e nos deu puras todas as
coisas.
c. Psicomotor: Que meus ouvintes levem para sua vida a atitude de ser puras de coração, por obra de Cristo.

5. Tema

Tema: Dor de barriga eterna

1. O
1.1. Je
1.1.1. “18J
1.2. T
1.2.1. “P

2. P
2.1. I
2.1.1. “M
2.2. S
2.3. À
2.3.1. Ilustração: A
2.4. M
2.4.1. “21—F
2.5. A
2.5.1. “S
2.5.2. “m