Você está na página 1de 3

POLÍTICA NACIONAL DE HUMANIZAÇÃO

A Política Nacional de Humanização existe desde 2003 para efetivar os princípios do SUS no cotidiano das
práticas de atenção e gestão, qualificando a saúde pública no Brasil e incentivando trocas solidárias entre
gestores, trabalhadores e usuários.

O que é o HumanizaSUS

Instituída pelo Ministério da Saúde em 2003, a Política Nacional de


Humanização da Atenção e Gestão do SUS (HumanizaSUS) foi
formulada a partir da sistematização de experiências do chamado
"SUS que dá certo". Ela reconhece que estados, municípios e serviços
de saúde estão implantando práticas de humanização nas ações de
atenção e gestão com bons resultados, o que contribui para a
legitimação do SUS como política pública.

O HumanizaSUS tem o objetivo de efetivar os princípios do Sistema


Único de Saúde no cotidiano das práticas de atenção e de gestão,
assim como estimular trocas solidárias entre gestores, trabalhadores
e usuários para a produção de saúde e a produção de sujeitos.
Queremos um SUS humanizado, comprometido com a defesa da vida
e fortalecido em seu processo de pactuação democrática e coletiva.

Entendemos a humanização do SUS como:

- Valorização dos diferentes sujeitos implicados no processo de produção de saúde: usuários, trabalhadores e
gestores;

- Fomento da autonomia e do protagonismo desses sujeitos e dos coletivos;

- Aumento do grau de co-responsabilidade na produção de saúde e de sujeitos;

- Estabelecimento de vínculos solidários e de participação coletiva no processo de gestão;

- Mapeamento e interação com as demandas sociais, coletivas e subjetivas de saúde;

- Defesa de um SUS que reconhece a diversidade do povo brasileiro e a todos oferece a mesma atenção à
saúde, sem distinção de idade, etnia, origem, gênero e orientação sexual;

- Mudança nos modelos de atenção e gestão em sua indissociabilidade, tendo como foco as necessidades dos
cidadãos, a produção de saúde e o próprio processo de trabalho em saúde, valorizando os trabalhadores e as
relações sociais no trabalho;

- Proposta de um trabalho coletivo para que o SUS seja mais acolhedor, mais ágil e mais resolutivo;

- Compromisso com a qualificação da ambiência, melhorando as condições de trabalho e de atendimento;

- Compromisso com a articulação dos processos de formação com os serviços e práticas de saúde;

- Luta por um SUS mais humano, porque construído com a participação de todos e comprometido com a
qualidade dos seus serviços e com a saúde integral para todos e qualquer um.

Princípios do HumanizaSUS
São princípios da Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS:

Inseparabilidade entre a atenção e a gestão dos processos de produção de saúde - Refere-se a práticas
interdependentes e complementares. A incorporação da humanização deve ocorrer considerando-se tal
entendimento.

Transversalidade - Trata-se de concepções e práticas que atravessam as diferentes ações e instâncias, que
aumentam o grau de abertura da comunicação intra e intergrupos e ampliam as grupalidades, o que se reflete
em mudanças nas práticas de saúde.

Autonomia e protagonismo dos sujeitos - Têm relação com a co-responsabilidade entre gestores, usuários e a
participação coletiva nos processos e na gestão.

Diretrizes para a implementação do HumanizaSUS

- Ampliar o diálogo entre os trabalhadores, entre trabalhadores e a população e entre os trabalhadores e a


administração, promovendo a gestão participativa, colegiada e compartilhada dos cuidados/atenção;

- Implantar, estimular e fortalecer Grupos de Trabalho e Câmaras Técnicas de Humanização com plano de
trabalho definido;

- Estimular práticas de atenção compartilhadas e resolutivas, racionalizar e adequar o uso dos recursos e
insumos, em especial o uso de medicamentos, eliminando ações intervencionistas desnecessárias;

- Reforçar o conceito de clínica ampliada: compromisso com o sujeito e seu coletivo, estímulo a diferentes
práticas terapêuticas e co-responsabilidade de gestores, trabalhadores e usuários no processo de produção de
saúde;

- Sensibilizar as equipes de saúde ao problema da violência em todos os seus âmbitos de manifestação,


especialmente a violência intrafamiliar (criança, mulher, idoso), a violência realizada por agentes do Estado
(populações pobres e marginalizadas), a violência urbana e para a questão dos preconceitos (racial, religioso,
sexual, de origem e outros) nos processos de recepção/acolhida e encaminhamentos;

- Adequar os serviços ao ambiente e à cultura dos usuários, respeitando a privacidade e promovendo a


ambiência acolhedora e confortável;

- Viabilizar participação ativa dos trabalhadores nas unidades de saúde por meio de colegiados gestores e
processos interativos de planejamento e de tomada de decisão;

- Implementar sistemas e mecanismos de comunicação e informação que promovam o desenvolvimento, a


autonomia e o protagonismo das equipes e da população, ampliando o compromisso social e a co-
responsabilização de todos os envolvidos no processo de produção da saúde;

- Promover ações de incentivo e valorização da jornada de trabalho integral no SUS, do trabalho em equipe e
da participação do trabalhador em processos de educação permanente em saúde que qualifiquem sua ação e
sua inserção na rede SUS;

- Promover atividades de valorização e de cuidados aos trabalhadores da saúde, contemplando ações voltadas
para a promoção da saúde e qualidade de vida no trabalho.

Objetivos do HumanizaSUS

A Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS tem como propósitos:

- Contagiar trabalhadores, gestores e usuários do SUS com os princípios e as diretrizes da humanização;

- Fortalecer iniciativas de humanização existentes;

- Desenvolver tecnologias relacionais e de compartilhamento das práticas de gestão e de atenção;

- Aprimorar, ofertar e divulgar estratégias e metodologias de apoio a mudanças sustentáveis dos modelos de
atenção e de gestão;

- Implementar processos de acompanhamento e avaliação, ressaltando saberes gerados no SUS e experiências


coletivas bem-sucedidas.
Para isso, o HumanizaSUS trabalha com três macro-objetivos:

- Ampliar as ofertas da Política Nacional de Humanização aos gestores e aos conselhos de saúde, priorizando a
atenção básica/fundamental e hospitalar, com ênfase nos hospitais de urgência e universitários;

- Incentivar a inserção da valorização dos trabalhadores do SUS na agenda dos gestores, dos conselhos de
saúde e das organizações da sociedade civil;

- Divulgar a Política Nacional de Humanização e ampliar os processos de formação e produção de


conhecimento em articulação com movimentos sociais e instituições.

Na prática, os resultados que queremos são:

- Redução de filas e do tempo de espera, com ampliação do acesso;

- Atendimento acolhedor e resolutivo baseado em critérios de risco;

- Implantação de modelo de atenção com responsabilização e vínculo;

- Garantia dos direitos dos usuários;

- Valorização do trabalho na saúde;

- Gestão participativa nos serviços.

Como o HumanizaSUS atua

A Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS possui uma Coordenação vinculada à
Secretaria de Atenção à Saúde e conta com um Núcleo Técnico sediado em Brasília e um quadro de consultores
espalhados pelo Brasil que trabalham de forma integrada com as demais secretarias e órgãos do Ministério da
Saúde e apóiam as atividades de cooperação para o desenvolvimento dos projetos e das inovações no modelo
de atenção e gestão do SUS nos estados, nos municípios e nas instituições de saúde.

Para alcançar os objetivos planejados, o HumanizaSUS oferta a gestores diversos dispositivos, entendidos como
tecnologias ou modos de implementar a humanização. Os principais são:

- Acolhimento Com Classificação de Risco nas unidades de saúde;

- Equipe de Referência e Apoio Matricial;

- Projeto Terapêutico Singular, Projeto de Saúde Coletiva e ativação/constituição de redes de continuidade de


atenção;

- Construção coletiva da Ambiência;

- Gestão compartilhada: Colegiados, Contratos de Gestão inter e intra-institucionais;

- Sistemas de escuta qualificada para usuários e trabalhadores da saúde: gerência de porta aberta, ouvidorias,
grupos focais e pesquisa de satisfação;

- Projeto de acolhimento do familiar/cuidador: agenda com a Equipe de Referência, Visita Aberta, Direito de
Acompanhante e envolvimento no Projeto Terapêutico;

- Programa de Formação em Sáude e Trabalho e atividades de Qualidade de Vida e Atenção à Saúde para os
trabalhadores da saúde;

- Grupo de Trabalho em Humanização (GTH).

Além disso, o HumanizaSUS desenvolve e oferece cursos, oficinas e seminários, certifica e divulga experiências
bem-sucedidas de humanização no SUS. Produz, ainda, materiais educativos e de divulgação para a
implantação dos dispositivos.

Você também pode gostar