Você está na página 1de 13

Bioquímica

Introdução:

A Bioquímica é como o próprio nome indica a química da vida. É o


ramo da ciência que faz a ponte entre a Química, estudo das estruturas e
interações entre átomos e moléculas, e a Biologia, estudo das estruturas e
interações das células e organismos vivos. Visto que todos os seres são
constituídos por moléculas "inanimadas", a vida é no seu nível mais básico
um fenômeno bioquímico.
Os conhecimentos bioquímicos nunca são estanques tendo elevada
aplicabilidade nas áreas mais diversas como a medicina e ciências da
saúde, indústrias farmacêutica, alimentar e química e na biotecnologia, que
atualmente se vê no topo dos investimentos de várias empresas muito por
causa dos conhecimentos de bioquímica e biologia molecular que se
acumularam na última metade do séc. XX.

Lipídios:
Os lipídios são compostos com estrutura molecular variada,
apresentando diversas funções orgânicas: reserva energética (fonte de
energia para os animais hibernantes), isolante térmico (mamíferos), além de
colaborar na composição da membrana plasmática das células (os
fosfolipídios).
São substâncias cuja característica principal é a insolubilidade em
solventes polares e a solubilidade em solventes orgânicos (apolares),
apresentando natureza hidrofóbica, ou seja, aversão à molécula de água.
Essa característica é de fundamental importância, mesmo o
organismo possuindo considerável concentração hídrica. Isso porque a
insolubilidade permite uma interface mantida entre o meio intra e
extracelular.
Os lipídios podem ser classificados em óleos (substâncias
insaturadas) e gorduras (substâncias saturadas), encontrados nos
alimentos, tanto de origem vegetal quanto animal, por exemplo: nas frutas
(abacate e coco), na soja, na carne, no leite e seus derivados e também na
gema de ovo.

Dentre os lipídeos, recebem destaque os fosfolipídios, os glicerídeos, os


esteróides e os cerídeos.
Cerídeos → classificados como lipídios simples, são encontrados na
cera produzida pelas abelhas (construção da colméia), na superfície das
folhas (cera de carnaúba) e dos frutos (a manga). Exerce função de
impermeabilização e proteção.
Fosfolipídios → moléculas anfipáticas, isto é, possui uma região
polar (cabeça hidrofílica), tendo afinidade por água, e outra região apolar
(calda hidrofóbica), que repele a água.
Glicerídeos → podem ser sólidos (gorduras) ou líquidos (óleos) à
temperatura ambiente.
Esteróides → formados por longas cadeias carbônicas dispostas em
quatro anéis ligados entre si. São amplamente distribuídos nos organismos
vivos constituindo os hormônios sexuais, a vitamina D e os esteróis
(colesterol).

Ácidos graxos ex:


Lipídios simples:
Lipídios complexos:

-Carboidratos

Também chamados hidratos de carbono, glicídios, ou mais


comumente, açúcares, os carboidratos são compostos ternários formados
de carbono, hidrogênio e oxigênio em geral, na proporção de um carbono
para dois hidrogênio para um oxigênio ou seja: C(H2O).

Os nomes carboidratos e hidratos de carbono explicam-se pelo fato de


serem substâncias constituídas, basicamente de carbono e água. Em alguns
casos, podem também apresentar nitrogênio (N) ou enxofre (S) na sua
composição.

Quimicamente, os carboidratos são definidos como poli-hidroxi-aldeídos


ou poli-hidroxi-cetonas. Os carboidratos podem ser classificados em três
categorias básicas: monossacarídeos, oligossacarídeos e polissacarídeos.
Principais Carboidratos:

-Glicose (C6H12O6) - é um poli-hidroxi-aldeído porque possui muitos


radicais hidroxila ( -OH) e um radical aldeído ( -CHO).

Formulas:

Alfa: Beta:

Cadeia aberta:

-Frutose (C6H12O6) - é um poli-hidroxi-cetona porque possui muitos


radicais hidroxila ( -OH) e um radical cetona ( -CO).

Estrutura:
-Amido- principal produto de reserva nutritiva vegetal , o amido é
geralmente encontrado em órgão de reserva nutritiva, como raízes do
tipo tuberosa (mandioca, batata doce, cará), caules do tipo tubérculo
(batatinha), frutos e sementes. Constitui um polímero de glicose (mais
ou menos 1.400 unidades de glicose) com ligação glicossídica.O amido
constitui-se de dois tipos diferentes de polissacarídeos: a amilose com
cerca de 1.000 unidades de glicose numa longa cadeia não ramificada
enrolada em hélice e a amilopectina com cerca de 48 a 60 unidades de
glicose dispostas em cadeias mais curtas e ramificadas.

Formula molecular e reação:

-Sacarose- o "açúcar de cana" ou de beterraba, é constituído por


uma molécula de glicose ligada a uma frutose. A maltose é um
dissacarídeo, pois é formada por duas moléculas de glicose. A lactose é
encontrada somente no leite. Resulta da união de uma glicose com uma
galactose.

Molécula de sacarose:

-Celulose -(C6H1005)n é um polímero de cadeia longa composto de um


só monômero (glicose), classificado como polissacarídeo ou carboidrato.
É um dos principais constituintes das paredes celulares das
plantas (cerca de 33% do peso da planta), em combinação com
a lignina, com hemicelulose e pectina e não é digerível pelo homem,
constituindo uma fibra dietética. Alguns animais, particularmente
os ruminantes, podem digerir celulose com a ajuda de microrganismos
simbióticos. Foi primeiramente isolada e caracterizada pelo
químico francês Anselme Payen 1838.

Estrutura:

-Proteínas:

Conceito: são compostos orgânicos de alto peso molecular, são


formadas pelo encadeamento de aminoácidos. Representam cerca do 50 a
80% do peso seco da célula sendo, portanto, o composto orgânico mais
abundante de matéria viva.

- Pode-se dizer que as proteínas são polímeros de aminoácidos o que


em suas moléculas existem ligações peptídicas em número igual no
número de aminoácidos presentes menos um.
- Pode-se dizer, também, que os aminoácidos são monômeros dos
peptídeos e das proteínas.
- Polímeros são macromoléculas formadas pela união de várias
moléculas menores denominadas monômeros.

Funções/Importância:

Funções: as proteínas podem ser agrupadas em várias categorias de


acordo com a sua função. De uma maneira geral, as proteínas
desempenham nos seres vivos as seguintes funções: estrutural,
enzimática, hormonal, de defesa, nutritivo, coagulação sangüínea e
transporte.

Função estrutural - participam da estrutura dos tecidos.


Exemplos:
- Colágeno: proteína de alta resistência, encontrada na pele, nas
cartilagens, nos ossos e tendões.

- Actina o Miosina: proteínas contráteis, abundantes nos músculos,


onde participam do mecanismo da contração muscular,

- Queratina: proteína impermeabilizante encontrada na pele, no


cabelo e nas unhas, Evita a dessecação, a que contribui para a
adaptação do animal à vida terrestre.

- Albumina: proteína mais abundante do sangue, relacionada com a


regulação osmótica e com a viscosidade do plasma (porção líquida
do sangue),

Função enzimática - toda enzima é uma proteína. As enzimas são


fundamentais como moléculas reguladoras das reações biológicas.
Dentre as proteínas com função enzimática podemos citar, como
exemplo, as lipases - enzimas que transformam os lipídios em sua
unidades constituintes, como os ácidos graxos e glicerol.

Função hormonal - muitos hormônios de nosso organismo são de


natureza protéica. Resumidamente, podemos caracterizar os
hormônios como substãncias elaboradas pelas glândulas endócrinas
e que, uma vez lançadas no sangue, vão estimular ou inibir a
atividade de certos órgãos. É o caso do insulina, hormônio produzido
no pâncreas e que se relaciona com e manutenção da glicemia (taxa
de glicose no sangue).

Função de defesa - existem células no organismo capazes de


"reconhecer" proteínas "estranhas" que são chamadas de antígenos.
Na presença dos antígenos o organismo produz proteínas de defesa,
denominados anticorpos. 0 anticorpo combina-se, quimicamente,
com o antígeno, do maneira a neutralizar seu efeito. A reação
antígeno-anticorpo é altamente específica, o que significa que um
determinado anticorpo neutraliza apenas o antígeno responsável
pela sua formação.
Os anticorpos são produzidos por certas células de corpo (como
os linfócitos, um dos tipos de glóbulo branco do sangue). São
proteínas denominadas gamaglobulinas.

Função nutritiva - as proteínas servem como fontes de


aminoácidos, incluindo os essenciais requeridos pelo homem e
outros animais. Esses aminoácidos podem, ainda, ser oxidados como
fonte de energia no mecanismo respiratório. Nos ovos de muitos
animais (como os das aves) o vitelo, material que se presta à
nutrição do embrião, é particularmente rico em proteínas.

Coagulação sangüínea - vários são os fatores da coagulação que


possuem natureza protéica, como por exemplo: fibrinogênio,
globulina anti-hemofílica, etc...

Transporte - pode-se citar como exemplo a hemoglobina, proteína


responsável pelo transporte de oxigênio no sangue.
EXEMPLOS DE AMINOACIDOS PROTEICOS:
Conclusão:

Através do que foi exposto, das idéias centrais do trabalho e de nossa


interpretação podemos concluir que a Bioquímica esta presente nos mais
diversos setores da indústria e presente em todos os dias de nossas vidas
ao consumirmos qualquer tipo de alimento seja ele industrializado ou não,
este contem pelo menos uma das substancias a qual pertence a um dos
grupos estudados: Lipídios, Proteínas ou Carboidratos. Sendo elas sintéticas
ou não, benéficas ou maléficas a nossa saúde. Não somente nos alimentos
estão presentes as substâncias, mas em quase todo tipo de material
orgânico existente, isto leva a concepção que a Bioquímica é um ramo da
ciência com inúmeras possibilidades e oportunidades de empreendimentos
e fonte de renda, que nos pode proporcionar uma maior qualidade de vida e
um futuro melhor, ao meio ambiente e as futuras gerações. Com base de
maiores conhecimentos dos compostos da matéria de uma maneira geral,
pode-se ter uma maior concepção dos métodos, reações químicas e
conseqüências que tal tipo de composto: material, molécula, átomo...
Agindo sobre determinada situação, assim podendo prever o efeito que o
mesmo causara dentro de um ramo de pesquisa o qual se quer desenvolver,
seja ele medicina, alimentação, desenvolvimento industrial ou
medicamentos.

Falando do ponto de vista químico podemos concluir que os


compostos estudados são uma serie de substancias interligadas formando
moléculas de tamanhos grandes, variados, os quais suas características tais
como número de ramificações, isomeria, instaurações, saturações,
polaridade dentre outras, definem a função e a forma de como ela é
absorvida pelo organismo humano (tratando-se de alimentação), quanto a
forma que ela será degradada em termos de meio ambiente como é o caso
dos ácidos graxos, óleos e gorduras que são utilizados na fabricação de
sabão e cosméticos.

Pode-se observar que um simples átomo pode ser o que define a


função do composto, sua isomeria pode transformar um remédio em um
veneno, ou seja, sem o estudo da química orgânica e bioquímica seria
impossível a compreensão do funcionamento do corpo humano ou da
degradação de compostos no meio ambiente, este estudo leva a cada dia a
humanidade a descobertas que podem salvar ou destruir vidas, tudo
depende da forma e maneira com que as pessoas utilizam os
conhecimentos obtidos através dos tempos.

Bibliografia
http://www.brasilescola.com/biologia/lipidios.htm

http://www.anbioq.org/node/31

http://www.geocities.com/capecanaveral/launchpad/9071/Lipidio
s.html

http://www.fcfar.unesp.br/alimentos/bioquimica/introducao_lipidi
os/classes_lipidios.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Carboidrato

http://www.universitario.com.br/celo/topicos/subtopicos/citologia
/bioquimica/proteinas.html

http://www.enq.ufsc.br/labs/probio/disc_eng_bioq/trabalhos_pos2
003/const_microorg/proteinas.htm

Instituto estadual de educação Assis


Chateaubriand
Química orgânica

(Bioquímica)

Prof. Paula

Vanilson, Magda

Charqueadas, 25 de novembro de 2008