Você está na página 1de 3

AS BEM-AVENTURANÇAS NA VIDA DAQUELE QUE SERVE A DEUS

O crente é diferente do incrédulo. Não é um absurdo acreditarmos nesta verdade. Não é


diferente por que tenha feito algo para sê-lo; é diferente por que Deus fez nele a diferença.
As bem-aventuranças retratam o perfil daquele que serve a Deus e sabe que deve esperar
Nele.

(Mateus 5:3) - Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus;

Na sua humildade o crente reconhece a soberania de Deus.


Promessa: “Deles é o reino dos céus”.

(v.4) - Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados;

O crente não se conforma com a miséria do mundo, sendo assim, é


consolado pelo Senhor. Mas, é muito mais abençoado quando ele aprende a chorar a sua
própria miséria.
Promessa: “Serão consolados”.

(v.5) - Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;

A pátria que o crente almeja é bem diferente desta que está tão acostumado.
Trata-se de uma pátria que serão cidadãos dela apenas aqueles que conseguem viver a
mansidão ainda nesta.
Promessa: “Herdarão a terra”.

(v.6) - Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;

Todos os dias somos sobressaltados por injustiças praticadas, sendo que


algumas delas contra nós mesmos. Mas o crente não toma nada a força e nem se iguala aos
injustos na busca do direito. Deus satisfará plenamente de justiça aqueles que esperam
Nele.
Promessa: “Serão fartos”.

(v.7) - Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia;


O crente não deve se fechar diante das necessidades do seu próximo. Ele
deve mover o seu coração em favor daqueles que vivem em situação difícil, e alguns, até
completa miséria. A maior miséria do homem é o seu próprio pecado.
Promessa: “Alcançarão misericórdia”.

(v.8) - Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus;

A vida cristã deve ser o exercício da pureza. Com o crente passa até ser regra
principal. Há até um imperativo em relação à vida de pureza: “Sede santos, porque eu sou
santo” (1 Pd 1.16).
Promessa: “Verão a Deus”.

(v.9) - Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus;

O crente é pacificador por natureza, porque em Cristo obteve a paz com


Deus (Rm 5.1). É inconcebível um crente que ama a guerra. Caso haja um crente assim, é
duvidoso que ele mesmo tenha alcançado a paz com Deus.
Promessa: “Serão chamados filhos de Deus”.

(v.10) - Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o
reino dos céus;

O crente é feliz quando for perseguido por fazer a vontade de Deus.


Promessa: “Deles é o Reino dos céus”

(v.11) - Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo,


disserem todo o mal contra vós por minha causa.

Ser crente pode representar um “alto custo”. Jesus disse aos discípulos que
eles não estariam isentos de sofrerem perseguição por causa Dele. Em recente artigo na
revista Ultimato, Ricardo Barbosa escreve: “O chamado de Cristo para sermos seus
discípulos, com seu ‘alto custo’, é o único caminho possível para a liberdade. A única
opção para a verdadeira humanidade. A única esperança para a nossa sociedade enferma.
Se seguir a Cristo exige muito, lembre que não segui-lo vai lhe custar muito mais”.
PR. Eli da Rocha Silva,
Igreja Batista em Jardim Helena 18/09/2009