Você está na página 1de 13

Não irei revelar meu verdadeiro nome, muito menos o meu local de trabalho.

Pois,
tenho certeza de que caso alguém leia este conto saberá na certa de quem se trata.

Primeiramente vou descrever como sou fisicamente: Tenho 1,88 de altura, não me
recordo o peso, mas estou em forma, tenho cabelos e olhos castanhos. E aqui irei adotar
o nome de Jonas, por medidas de segurança (Não quero perder meu emprego).

Bem, tudo ocorria bem no meu trabalho Eu sou Office boy, mas pra dizer a verdade
entregador de pizza, no popular...rs

Estava aguardando mais um chamado, como em todos os dias; naquele dia, felizmente,
não houve muitos chamados, estava batendo um papo com outros funcionários,
colocando as conversas em dia. Não demorou muito e Thelma anuncia um chamado, e
eu teria de fazer três entregas: Uma era ali perto, resolvi atender primeiro. A outra era
um pouco mais distante, deixei por segundo. Já a terceira entrega longe demais, essa
sem dúvida seria a última.

Primeiro fui até o primeiro pedido. Lá atendi a uma adolescente, diga-se de passagem,
muito gostosa. Ela estava de camisetinha branca, com os seios salientes. Nossa! Nem
conferi para saber se o dinheiro estava certo, estava vidrado naqueles peitinho...Bem,
isso não vem ao caso.

Depois fiz a segunda entrega, para um senhor bem simpático, mas careca. Será que um
dia também ficarei careca? Não sei! Dizem que é dos carecas que elas gostam mais.

Então chegou a tal da terceira entrega. Bah! Essa iria demorar um pouco mais.

Rua Ancara, Campos Elíseos... .É um bairro da alta sociedade daqui de Manaus. Não o
mais bem sucedido, mas tem muita gente de grana lá; quem sabe dessa vez eu ganhe
alguma gorjeta.

Então, Segui viagem, demorei um bocado, mas cheguei ainda com a pizza quentinha.

Quem me recebeu foi uma senhora, ela aparentava ter uns 45 anos, cabelos loiros e
olhos não sei de qual cor, mas pareciam verdes.

-Nossa meu rapaz! Você demorou um pouco, hein? Pelo menos trouxe o troco?

-Sim senhora! Aqui está! Desculpe-me a demora, foi o transito.

Nisso, fiz a entrega e já estava pronto pra ligar a moto e voltar, quando surge na porta
uma outra mulher, essa aparentava ser um pouco mais nova, e disse:

-Espere!

Elas começaram a cochichar, falavam tudo olhando para mim. Fiquei meio desconfiado
O que estas coroas estão tramando?

Então a outra, que era ruiva, mas tinha uns peitões, tão grandes que estavam para
estourar os botões da blusa, ela veio até mim e falou:
-Quer ganhar uma graninha a mais, meu rapaz?

Eu fiquei meio desconfiado, mas resolvi brincar;

-Bem, todo mundo gosta de um dinheirinho, mas não vou me prostituir (Risos)

Acho que elas não gostaram muito da piada, pois ficaram com a cara amarrada;

-Mais respeito rapazinho! Estamos apenas querendo que você nos ajude, para que nos
possamos ajudá-lo.

Nisso eu me desculpei, disse estar apenas brincando e resolvi topar.

Então eles me pediram para entrar, pediram é uma ova, mandaram, para conversarmos
melhor. Desliguei a moto e as segui.

Fiquei impressionado quando vi a casa daquelas coroas - Nossa! Era linda de mais,
quem me dera arrumar uma coroa dessas.

Ela me pediu que sentasse, pois queria conversar.

-Boa tarde! Meu nome e Berenice. Não sou daqui sou carioca, mas já estou morando
aqui já faz uns dois anos.

Eu então disse;

-Então resolveu fugir das balas perdidas.

Ela ficou com ar de brava novamente, acho que minhas piadinhas estavam me fazendo
passar por idiota; resolvi parar com o humor.

Ela continuou;

-Muito engraçado! Mas deixe de ser babaca e me ouça! Estou lhe propondo um favor.
Quanto você ganha por mês?

Senti-me meio intimidado, perto daquelas duas que pareciam ser milionárias e eu tendo
que revelar meu mísero salário. Bah! Acho que um mês de trabalho meu não daria para
comprar nem o creme de pele, mais barato, delas.

-Pode falar! Não fique envergonhado...

Então eu disse;

-Bem...eu.....ganho...350....=/

Ela olhou me olhou com aquele ar de pena;

-É, mas, o que acharia de ganhar, apenas hoje, 500 Reais?


Aquilo na hora me deu um sobressalto, 500! Quase dois meses de trabalho. Mas fiquei
meio ressabiado. Bah! O que elas estavam pretendendo me propor.

-O que acha? Aceita?

Eu fiquei em duvida, mas disse;

-Sim! Mas do que se trata?

Ela moveu-se na cadeira aproximou-se um pouco mais, e começou a explicar; sua voz
agora parecia um sussurro, podia jurar que ela estava tentando ser sensual.

É que...eu tenho uma sobrinha, que está chegando hoje a tarde, daqui a pouco, gostaria
de fazer uma surpresa para ela. Ele está prestes a se casar virgem, nunca viu um homem
na vida. Gostaria que você fizesse um show de stripper para ela. Não vai rolar nada
além de dança. Apenas erotismo.

Na hora eu travei. Minha nossa! Eu fazendo stripper! Mas nem sei dançar direito. Então
resolvi dissuadi-la;

-Olha senhora, não posso fazer isso. Seria mais aconselhável, a senhora, chamar um
dançarino profissional.

Ela começou a rir;

-É por isso mesmo que escolhi você! Um dançarino profissional tem experiência, sabe o
que está fazendo. Já você... Você é um idiota, o que seria perfeito, já que quero que ela
se sinta tão livre ou insegura quanto você.

Fiquei puto com aquele comentário, já estava prestes a levantar;

-Olha senhora, me desculpa, mas não posso fazer isso. Sou um rapaz sério e...

Nisso o portão da garagem começou a abrir, era a tal sobrinha chegando. Foi quando a
senhora loira disse;

-Rápido! Vem comigo. Quero preparar você.

Nem tive tempo pra pensar, apenas a acompanhei. Ela me levou pra um quartinho que
ficava nos fundos da casa, logo depois da piscina.

Entramos e ela trancou a porta;

-Por aqui, tem umas roupas que você deve usar.

-Dona! Eu acho melhor n....

-Cala a boca! Um homem deste tamanho com medo de mulher.

Depois dessa, calei.


Lá tinha apenas uma jaqueta, uma gravata borboleta e uma cueca de oncinha;

-Pronto! Vista isto, e rápido, não quero estragar a surpresa.

Então, como não podia fazer nada, comecei a vestir. Nossa! Que cueca mais ridícula.
Quando terminei bati na porta e ela entrou;

-Já? Nossa que gato! Sabia que a cueca do meu marido iria servir direitinho em você;

Céus! Ela disse marido? Essas velhas são umas sádicas.

Ela pediu que eu esperasse na cozinha, pois quando fosse o momento ideal eu aparecia
dançando.

Virgem Santa! Como eu fui entrar numa enrascada dessas. Pior que eu nem podia ligar
pra ninguém. Já pensou se chamo alguém para me resgatar e eles me vêem com aquela
cueca.

Elas começaram a conversar. Nisso, passaram quase meia-hora naquele papo. Eu tinha
ficado até triste, será que desistiram de mim?

Foi quando a mulher loira, que se chamava Laura, me mandou entrar;

-É agora! Dê o seu show!

-Agora fudeu-se...Pensei comigo mesmo...

Elas gritaram;

-Thcanranrammmm!

E eu lá! Todo envergonhado. Foi quando Laura ligou o som e colocou para tocar Sex
Back . Bem, confesso que adoro esta música, mas nunca havia arriscado um stripper -
Bah! Se minha namorada me visse assim.

Tentei disfarçar, comecei a mover a cintura e mover as mãos, enquanto elas gritavam;

-Uhuuuuuu

A pobrezinha da guria estava vermelha, e elas falavam;

-Vamos Jennifer! Olha pra essas coxonas, viu como são grossas? Já viu uma coxa
gostosa assim antes?

Elas começaram a gritar, cada vez mais histéricas;

-Vai gostoso! Mexe essa bundinha linda!


Confesso que aquilo estava me deixando bem mais confiante, comecei a me empolgar,
passei a rebolar mais, balançando minha cintura pra trás e para frente com o intuito
delas verem meu membro de guerra. Foi quando Berenice me disse;

-Mas que stripper mais fraco! Acho que esse menino é viado, Vamos logo! Tire esta
jaqueta...

Bem, como que num estado hipnótico, comecei a tirar a jaqueta, bem lentamente, e ate
mesmo com um ar de sedução especial. Estava me sentindo um verdadeiro gogoboy.
Enquanto isso, elas gritavam feito um bando de taradas e Jennifer tentava
disfarçadamente olhar para outro lado, parecia que a mesa da sala era bem mais
interessante do que eu.

Foi quando começou a tocar uma música mais envolvente, e elas disseram;

-Chegue mais perto!

Acho que eu estava curtindo a idéia de ser mandado. Acho que isto da uma certa
sensação de liberdade. Saber que outra pessoa está tomando para si o comando da
situação ou dividindo o mesmo desejo do momento te deixa mais livre para curtir.
Assim, você sabe que se errar será punido.

Bem, comecei a me aproximar dançando, e elas;

-Isso meu gostosinho! Agora, use essa toalha!

Jogaram-me uma toalha! Acho que eu entendi muito bem o recado. Passei a toalha sobre
a cabeça de Jennifer, deixando parar sobre na parte de trás de sua nuca. Comecei a
mover a cabeça dela, bem carinhosamente para frente.

As coroas ficaram empolgadas;

-Viu! Ele ta cheio de tesão por você. Minha sobrinha é muito gostosa.

Laura veio de mão cheia e lascou uma palmada na minha bunda “Paft” Bah! Mas essas
mulheres são mesmo muito assanhadas!

Pior que ela bateu e deixou sua mão sobre minha bunda, e começou a apertar e deslizar
sua mão sobre minha coxa, ficava passando as unhas de leve em minha perna. Era uma
sensação deliciosa, mas sou profissional, não posso me envolver com as clientes. Então
ela disse para Jennifer;

-Para de ser tímida! Só há nos três aqui em casa. Seu noivo, aquele viado, está bem
longe daqui! Vamos toque nas coxas dele! Eu sei que você quer...

E colou a mão da guria em minha coxa... Ela fingia estar olhando para outro lado. Só
que naquela loucura toda eu estava começando a ficar com tesão. Aquela guria ali, toda
inocente. Eu continuei rebolando e Laura começou a dar arranhadinhas gostosas em
minhas coxas.
Olha! Eu sei que sou um rapaz de respeito, mas sou homem e elas estavam conseguindo
me deixar louco. Minha nossa!

Olhava aquela cena. Laura arranhando minha coxa e beliscando minhas nádegas,
enquanto Berenice segurava as mãos de Jennifer e esfregava em minhas coxas. E como
todo mundo sabe a cabeça de baixo foi mais rápida ao pensar. E começou a crescer,
criando um volume notável na cueca de oncinha. Tenho um bom dote, era quase
impossível não notar. Meu membro mede 19 cm por 4 de largura.

Não queria olhar para elas, pois estava envergonhado, então continuei dançando, mas
agora com os olhos fechados. Foi quando ouvi a voz de Berenice dizendo;

-Hum! Acho que nosso amiguinho se empolgou com a cena!

Então Laura comentou;

-Bem, é a primeira vez que vejo a cueca do meu marido com um volume desses...

Jennifer nada falava, parecia não estar acreditando em toda a loucura que suas tias
haviam aprontado.

Continuei dançando, quando Berenice disse;

-Bem! Acho que essa é a oportunidade ideal para Jennifer sentir em sua mão um belo
cacete!

E Laura completou;

-Põe Belo nisso!

Mas acho que Jennifer não gostou muito da idéia;

-Não Tia! Acho que já estamos indo longe de mais. Breve eu irei casar! Amo meu futuro
marido. Quero apenas me entregar a ele e....

Elas começaram a rir;

-(Risos)Conta outra Jenni! Do jeito que aquele ali é, ele só vai possuir você sete dias
depois da noite de núpcias. Isso se o pastor da igreja dele permitir. Aproveita menina.

Então Berenice, a mais assanhada, pegou a mão da Jenni(Para os íntimos) e colocou


sobre meu pau.

Bem, eu estava com pena da pobrezinha, mas acho que meu membro não estava muito
interessado em pudor. Elas começaram a mover a mão de menina sobre minha cueca de
oncinha. Bah! Como ela era bem branquinha, as bochechas dela ficavam incrivelmente
vermelhas, praticamente da cor dos seus cabelos, ela era ruiva como a tia Berenice, a
safada.
Começou a me alisar, aquilo estava sendo de mais pra mim, parei até de dançar, só pra
curtir a situação. E as coroas diziam;

-Hein Jenni! Acho que esse é maior que o do seu noivinho, sente como é quentinho

Minha nossa! Aquelas coroas deviam ser loucas na cama...

Elas me olhavam como se eu fosse apenas um brinquedo, passando as mãos em mim,


sobre meu membro. Aquilo era de endoidar qualquer homem. Foi quando Berenice a
mais safada disse;

-Bem, chega de mistérios vamos medir o nosso brinde!

Foi quando ela puxou minha cueca até os joelhos! Bem confesso que estava louco para
tirar aquela cueca ridícula, mas não assim: Na frente das três. As duas coroas taradas
soltaram gritinhos;

Uhuuuuuuuuuuu! Agora que o show começou! Agora Jenni a titia vai te ensinar como
deixar aquele viado do seu noivinho louco na cama...

Aquilo me deixou meio assustado - o que aquelas loucas estariam pretendendo, mas eu
estava muito envolvido na situação, tão envolvido quanto a Jennifer, acho que ainda
mais, por que; apesar de tudo...Eu estava curtindo!

Laura começou a passar aquelas unhas grandes e vermelhas bem na base do meu pau.
Aquilo me deixou arrepiado. Nossa elas sabiam mesmo como deixar um homem louco!

Começou a me punhetar de leve, segurando da ponta do meu pênis e descendo até a


base explorando assim meu membro por completo.

Fechei os olhos, aquilo estava me levando aos Céus, Jennifer falava timidamente;

-Titia para com isso! Eu não gosto dessas coisas...

Elas pareciam nem ligar continuava a me punhetar;

-Deixa de frescura Jenni! Vem pega nele também.

Puxou a mão da coitadinha e colocou sobre meu pau;

-Agora segura, sente a textura, sente a firmeza. Isso que é homem!

E, segurando as mãos de Jenni, começou a me punhetar, como se estivesse dando dicas


à sobrinha;

-Isso! Sente, não é gostoso? Olha como é vermelhinha a cabecinha...

Minha nossa! Eu estava pra explodir de Tesão. Meu cacete Latejava, e ela seguia na
Aula;
-Viu como pulsa? Não é gostoso? Agora vamos fazer mais depressa...

Começaram a me masturbar com mais velocidade, e eu soltei um gemido, Laura não


perdendo a oportunidade comentou;

-Ta vendo? Está levando nosso amiguinho a loucura. Se ele já está assim com suas
mãos, imagine só quando você começar a chupar!

Na hora Jenni soltou meu pau;

-Chupar? Como assim chupar? Colocar isso na boca? Não posso tia!

-Deixa de frescura menina!

Então Berenice (A Puta) segurou Jennifer com uma das mãos na parte de trás da cabeça
da guria forçando ela a mover-se em direção ao meu pau;

-Vem! Dá só um selinho no cacete do nosso amigo aqui, acho que ele quer, não quer?

Confirmei com a cabeça, e ela foi aproximando o rosto da guria de encontro a meu pau,
encostando assim os lábios da menina na ponta da minha vara;

-Beija Jenni! Sente o gostinho do prazer.

Ela fez uma careta e levou uma palmada na bunda;

-Deixa de fazer cara feia e toma seu remédio!

Ela encostou seu lábio na cabecinha do meu membro e disse;

-Para tia! Tem um gosto ruim, é salgado!

Berenice (A puta) respondeu;

-Mas é o gosto de salsicha. Agora passa a língua bem na pontinha!

Meu cacete estava duro como rocha, e foi quando ela começou a lamber a pontinha e as
tias bateram palma;

-Isso! Essa e minha sobrinha querida! Lambe o cacete do moço.

Ela lambia como se estivesse provando pela primeira vez um sorvete de cupuaçu.

Nossa! Como ela lambia gostoso, foi quando Berenice (A Puta), pegou minha mão
direito e colocou sobre a cabeça da Jenni;

-Esse é outro palerma, Vamos! Te mexe, age como homem! Põe ela pra chupar!
Ela continuava lambendo o liquido salgadinho que saia da meu pau, acho que agora ela
estava gostando do sabor. Laura apenas admirava, com uma das mãos apertava minha
bunda e com a outra passava a mão na xana, mesmo sobre a calça jeans.

Berenice (A Puta) levantou-se e começou a despir-se ficando completamente pelada;


depois pegou Jennifer pelo braço e disse;

-Vamos! Tire a roupa também, não sabe nem chupar um pau. Aquele imbecil do teu
noivo não serve pra nada mesmo. Anda! Tira a roupa;

-Não tia! Eu já aprendi o bastante por hoje, melhor parar...

Mas Berenice (A Puta) parecia nem estar ouvindo e foi tirando a blusa de Jennifer,
depois o sutiã...e...Nossa! Que peitos lindos, tinha os biquinhos róseos pontutinhos,
lindos!

Depois tirou a calcinha da coitada, ela ainda envergonhada tentava cobrir os seios com
as mãos.

Ela tinha uma bocetinha linda! Estava rosadinha com pelinhos ralos que brilhavam. Que
coisa linda! Eu estava perdido em meio a devaneios, aquela menina era um
encantamento da natureza, foi quando esculto Plaft. Voltei imediatamente do transe.

Era Berenice (A Puta) ela estava com uma colher de pau na mão direita, mas, como é
que ela arrumou essa colher de pau, não estava ali antes. Ela usou a colher para bater no
braço da coitada da Jenni, mas pior que ela bateu forte, tão forte que o braço da coitada
ficou vermelho;

-O que é isso tia? A senhora ficou louca!

Berenice chegou perto do rosto de Jenni e disse;

-Cansei de você e essa sua frescura! Abaixa aí e fica como uma cadelinha! E você
Laura, deixa de alisar a boceta e tira logo essa roupa.

Ninguém tentou dissuadi-la, acho que agora ela era a dona da situação. Enquanto Laura
despia-se, Jenni ficou de quatro e Berenice (A Puta) começou a separar as pernas da
menina. Que visão maravilhosa, escorria um suco brilhante e gostoso da xaninha de
Jenni; apesar de toda aquela situação ela estava curtindo o momento.

Então Berenice (A Puta) arrancou do meu pescoço a gravatinha borboleta, quase me


engasgando e disse;

-E você! Chega de ser palerma! Abaixa ai e chupa essa boceta!

Não precisava nem mandar, desci a língua naquela bocetinha. Chupava lambia dava
umas mordidinhas, sulgava aquele liquidozinho delicioso que saia daquela bocetinha
virgem.

Berenice (A Puta) ficou olhando para cara da Jenni e disse;


-Aham! Mordendo os lábios, sabia que você estava gostando. Agora vem cá e chupa a
bocetinha da titia.

Ela nem deixou a guria pensar, e já foi enfiando aquele bocetão peludo na cara da
coitada.

Eu lambia feito um louco aquela bocetinha, chupava como se fosse o doce mais
delicioso do planeta. Quando Berenice (A Puta) acertou com a colher de pau minha
cabeça;

-Vamos Seu Stripper de merda! Faz minha sobrinha querida gozar!

Doeu pra caralho, aquela velha filha da puta! Mas logo a dor passou e continuei a
chupar. Jennifer gemia com a boca enfiada na boceta da tia. Senti Jennifer tremer e
gemer de forma mais aguda, ela balançou um pouco e gozou na minha boca! Nossa que
gosto delicioso.

Laura atolava dois dedos na boceta, sentada no sofá, quando Berenice (A Puta) disse;

-Vejam só! A putinha da titia gozou pela primeira vez na vida!

Jennifer levantou-se meio envergonhada, olhando para baixo, e Berenice (A Puta) então
disse;

-Bem, Agora que a mocinha virou putinha, sentiu que a bocetinha serve para muita
coisa além de mijar, acho que também está na hora de saber pra que serve um pau!

Jennifer com os olhos arregalados disse;

-Já chega! Não quero mais fazer isso.

Pra quê...na hora ela levou outra porrada com a colher, dessa vez foi em cheio nas
costas da coitada PRACK essa deve ter doido mais ainda;

-Cala a boca! Aqui em minha casa quem manda sou eu! Laura limpe aquela mesa, hoje
serviremos como sobremesa à bocetinha da nossa sobrinha!

Acho que Laura não deve ser uma boa dona de casa, pois não e muito boa em
arrumações já que ela jogou tudo no chão. Berenice (A Puta) pegou Jennifer pelos
braços e a deitou sobre a mesa e foi abrindo suas perninhas. Nossa Assim naquela
posição a bocetinha dela parecia mais linda do que antes.

Berenice (A Puta) me pegou pelo braço e me levou até ela e disse;

-Prepara teu pau que hoje ele tem que dar vida a uma mulher!

Laura apareceu do nada com um pote de lubrificante da cor vermelha. Besuntou todo
meu pau e segurou tão forte na base dele, que a cabeça do meu membro ficou roxa. Ela
o puxou como se fosse de plástico e colocou bem na portinha da boceta de menina.
-Agora minha sobrinha querida vai virar mulher!

Laura ficou atrás de mim beijando minha nuca, começou a passar no meu peito um
liquido viscoso que esquentava tudo. Depois veio Berenice (A Puta) por trás de mim e
me segurou pela cintura, e foi me empurrando em direção ao corpo de Jennifer, ela
ameaçou mover-se, mas logo Laura chegou e a segurou.

Fui sentindo meu membro forçando a portinha daquela bocetinha. Jennifer começava a
gritar;

-Paraaaaa Tiaaaaaaaaa!!! Ta doendo muito.

Mas até eu estava me deliciando, a bocetinha dela era bem apertatinha, mas cabecinha
do meu membro começou a deslizar pra dentro daquela bocetinha rosada. Jennifer se
contorcia gritava, mas quando menos esperou a cabecinha do meu cacete tocou em algo
resistente, cheguei em seu cabaço. Foi quando Berenice (A Puta) encostou sua boceta na
minha bunda e empurrou com seu corpo o meu, fazendo assim meu membro entrar
todo, de uma só vez naquela bocetinha linda. Confesso aquilo quase quebrou meu pau,
pior pra Jennifer que gritou feito uma louca;

-ahhhhhhhhrrrrrrgaaaaaaaaa! Vocês estão me rasgando!

Berenice (A Puta) começava a falar sacanagens no meu ouvido, eu sentia a boceta


cabeluda dela tocando minha perna, estava fora de mim e mesmo com os apelos de
Jennifer comecei a bombar, cada ver mais forte; Jennifer quase chorando;

-Para tia! Ta doendo muito!

Nisso meu pau já estava todo melado com o sangue daquela virgenzinha eu ia enfiando
cada vez mais. Depois Laura não satisfeita subiu na mesa, diga-se de passagem, era uma
mesa de madeira, muito resistente. Ela subiu e deixou a boceta bem na boca de Jennifer

-Cala boca Jenni! Lambe a racha da tia.

Os gritos de Jennifer foram abafados pela tia, então comecei a mover cada vez mais
forte, metendo quase até o saco.

Jennifer gritava mesmo com aquele bocetão enfiado na cara.

Foi quando Berenice (A Puta) me mandou parar. Estranhei na hora, mas ela disse;

-Uma putinha perfeita, tem que saber dar o cuzinho...então.

Laura saiu de cima de Jennifer e Berenice (A Puta) virou a coitada deitando o rosto dela
sobre a mesa e foi abrindo a bundinha dela pra mim, e Jennifer desesperada falava;

-Não tia! É muito grande, não vou agüentar.

Então Berenice (A Puta) respondeu;


-O cu aquenta muito mais que a boceta. Cala a boca! Vem Rapaz.

Eu não podia fazer nada, eram duas contra um, digo, três, meu pau também fazia parte
do complô.

Laura passou mais lubrificante na minha vara, depois foi segurar Jennifer pelos braços.
Mais uma vez Berenice (A Puta) colocou meu pau bem na entradinha daquele cuzinho,
que piscava de medo, fui empurrando, Berenice (A Puta) me tascou um beijo de língua
quase fico sem ar. Nem ouvia os gritos da pobre Jennifer, quando menos esperei a
cabecinha já estava dentro, e lá veio ela de novo e foi quando Berenice (A Puta) disse;

-Pronto? Lá vai!

Empurrou-me novamente fazendo assim atolar toda minha vara na bunda da coitada.
Ela pegou um pano e enfiou na boca da Jennifer;

-Cala a boca porra! Quer que os vizinhos chamem a polícia?

Não ligava pra brigas familiares, deixei o cuzinho dela relaxar um pouco e comecei a
mover bem devagarzinho. Pior que o cuzinho dela piscava adoidado envolvendo todo
meu pau, eu estava ficando louco com aquilo, comecei a bombar cada vez mais rápido.

E Berenice (A Puta) batendo com a colher de pau nas mãos da pobre Jennifer dizia;

-Agora Fala assim: Mete no meu cuzinho moço! Fala! Anda Jenni, não estou brincando.
Fala logo.

Então ela começou a repetir;

-Mete no meu cuzinho moço.

Obedeci e fui enfiando cada vez mais forte ela gemeu alto, e gozou pela 5° vez, Laura
soltou uma das mãos e passou na boceta da Jennifer e lascou na boca da Berenice (A
Puta) e disse;

-Prova! Vê como ela goza gostoso.

Berenice Lambia os dedos de Laura. Vendo a tudo aquilo fiquei mais louco ainda,
bombei cada vez mais forte, e disse;

-Ahhhhhhhhh! Eu vou gozar!

Berenice (A Puta) disse;

-Espera.

Ela saiu correndo depois retornou com um pedaço de pizza e mandou eu gozar em cima.
É no átimo quando ela colocou o pedaço na minha frente eu gozei;

-Ahhhhhhhhhh Ahhhhhhhhh!
Já prevendo o que elas fariam, mandaram a pobrezinha da Jennifer comer;

-Come! Vê se gosta desse sabor? O entregador tem mais, só ele sabe fazer!

Nisso, alguém chegou e começou a falou pelo interfone!

-Oi! Aqui é a polícia! Os vizinhos estão reclamando que tem alguém, gritando pedindo
ajuda!

Berenice (A Puta) disse:

-Não há nada seu guarda, pode entrar!

As velhas eram tão retardadas que foram atender o guarda peladonas. O Cara ficou
atônito

Eu me vesti feito uma bala, pulei na moto e já estava dando partida, quando escuto a
Berenice (A Puta) falar;

-Não é nada seu guarda, aquele é o entregador de pic... Digo pizza. É que minha
sobrinha que está com alguns problemas. Poderia dar uma ajuda a ela?

Não sei o que houve depois. Apenas sei que sai feito uma bala dali.

Ainda tive que dar uma desculpa pro chefe, aleguei uma doença rápida de minha mãe.

A sorte que depois que conferi no bolso do meu uniforme de trabalho e lá estava: 750
R$ até mais do que fôra combinado, acho que fiz um bom serviço.

Depois disso nunca mais ouvi falar naquelas três loucas, mas até hoje fico imaginado -
será que eles tiveram a petulância de chamar até o guarda para aquela orgia maluca?