Você está na página 1de 2

Superior Tribunal de Justiça

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 1.053.688 - SP (2008/0114800-8)

RELATOR : MINISTRO MASSAMI UYEDA


AGRAVANTE : BANCOOP - COOPERATIVA HABITACIONAL DOS BANCÁRIOS
ADVOGADO : ALEXANDRE CESTARI RUOZZI E OUTRO(S)
AGRAVADO : FÁTIMA LUIZA CASSIS SANDES
ADVOGADO : VIVIANE MEDINA E OUTRO(S)
EMENTA

AGRAVO DE INSTRUMENTO - ANÁLISE DO MÉRITO DO RECURSO


ESPECIAL PELO JUÍZO DE ADMISSIBILIDADE - POSSIBILIDADE -
AUSÊNCIA DE IMPUGNAÇÃO ESPECÍFICA AOS FUNDAMENTOS DA
DECISÃO AGRAVADA - APLICAÇÃO ANALÓGICA DA SÚMULA Nº
182/STJ - AGRAVO IMPROVIDO.
1. É possível ao Sodalício local adentrar no mérito do recurso especial
quando do processamento do juízo de admissibilidade.
2. Não configura ataque específico aos fundamentos da decisão
agravada a genérica e já repelida alegação de que o juízo de
admissibilidade a quo não pode apreciar o mérito do recurso especial,
razão por que se convoca a incidência da Súmula n. 182/STJ.
3. Agravo de instrumento não conhecido.

DECISÃO

Cuida-se de agravo de instrumento interposto por BANCOOP -


COOPERATIVA HABITACIONAL DOS BANCÁRIOS contra decisão que negou
seguimento a recurso especial fundamentado no art. 105, inciso III, alínea “a', da
Constituição Federal.
É o relatório.
O recurso não merece ser conhecido.
Com efeito.
Inicialmente, não padece a decisão ora hostilizada de deficiência de
fundamentação. Na realidade, há, isto sim, fundamentação sucinta, a qual é possível do
ponto de vista legal e amplamente consagrada no âmbito da jurisprudência (ut REsp
782.901/SP, 3ª Turma, Rel. Ministra Nancy Andrighi, DJ 20.06.2008; REsp nº
248750/MG, 4ª Turma, Rel. Min. Barros Monteiro, DJ 01/02/2005).
Ademais, afasta-se a alegação de que o eg. Tribunal a quo invadiu a
competência do STJ, em razão de a jurisprudência desta Corte Superior ter pacificado o
entendimento de ser possível ao Sodalício local adentrar no mérito do recurso especial
quando do processamento do juízo de admissibilidade (nesse sentido: AgRg nos EDcl
no Ag 521808/MG, Relatora Ministra Nancy Andrighi, DJ 3/5/2004).
No mais, in casu, a decisão ora agravada negou seguimento ao
recurso especial, sob os seguintes fundamentos: (1) não foi demonstrada as apontadas
violações de dispositivos legais e (2) é aplicável a Súmula n. 05/STJ.

Documento: 4112825 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJ: 15/08/2008 Página 1 de 2


Superior Tribunal de Justiça
Verifica-se que o agravo de instrumento em exame esbarra em óbice
formal intransponível, qual seja, na ausência de impugnação específica deste último
fundamento. De fato, a ora agravante ocupou-se, tão-somente, de sustentar a
existência de usurpação da competência do STJ, a higidez da fundamentação do
recurso especial e a ocorrência de violação de dispositivos legais.
Oportuno deixar assente que a parte, ao recorrer, deve demonstrar o
desacerto da decisão contra a qual se insurge, refutando todos os óbices por ela
levantados, sob pena de vê-la mantida.
Incidência, por analogia, da Súmula 182/STJ.
Acresça-se que não configura esse ataque específico a genérica e já
repelida alegação de que o juízo de admissibilidade a quo não pode apreciar o mérito do
recurso especial.
No mesmo sentido: AgRg nos EDcl no REsp 469.178/MS, Relator
Ministro Castro Filho, DJ de 18.12.2006; AgRg no Ag 958.448/MG, Relatora Ministra
Nancy Andrighi, DJ de 21.02.2008; AgRg no Ag 794650/SP, Rel. Min. Sidnei Beneti,
Terceira Turma, DJ 10.03.2008; AgRg no Ag 583.921/PR, 1ª Turma, Rel. Ministra
Denise Arruda, DJ 08.08.2005.
Não se conhece, pois, do agravo de instrumento.
Publique-se. Intimem-se.
Brasília (DF), 1º de agosto de 2008

MINISTRO MASSAMI UYEDA


Relator

Documento: 4112825 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJ: 15/08/2008 Página 2 de 2