Você está na página 1de 12

SEDUFSM

S I N D I C AT O AGOSTO/SETEMBRO

ANDES
NACIONAL
DE 2009
Publicação Mensal

Seção Sindical dos Docentes da UFSM / ANDES

Governo quer impor


criação da classe de
professor “Sênior”
E o governo Lula mais uma vez quer impor seu ponto de vista. Depois de ter posto
goela abaixo a reforma da Previdência, o Prouni, o Reuni, e, em 2005, a criação do
professor Associado, agora surgem novidades. Em agosto, os ministérios do
Planejamento e da Educação se reuniram com ANDES e Proifes para anunciar a
criação, entre outras coisas, de uma nova classe, a de professor “Sênior”. O Sindicato
Nacional dos Docentes avalia que, entre as conseqüências problemáticas dessa
proposta, está uma nova quebra de paridade entre ativos e inativos. Por outro lado, os
representantes governamentais não demons-traram interesse em discutir e fazer
alterações nessa proposta. Sob aplauso da entidade paralela - Proifes-, o governo quer
enviar o mais breve possível o projeto com as modificações na Carreira ao Congresso
Nacional. Págs. 02 (editorial) e 06.

ARQUIVO PESSOAL

Ecos da Operação Rodin


FRITZ NUNES Arquivo/SEDUFSM

Professores do CCR trocam experiências


com argelinos

UFSM presta apoio


técnico a africanos
Extra-classe, pág. 11

Sarkis acusa Lima de Lima não quer responder Ainda nesta edição:
ter omitido documentos assunto “requentado” Santa Maria sedia
O ex-reitor da UFSM, Paulo Jorge Sarkis, O reitor Clovis Lima diz que as encontro de GTs do
um dos indiciados na Operação Rodin, acusações de Paulo Sarkis contra ele ANDES
enviou ofício ao MEC pedindo que o atual são um tema “requentado” e que Radar, pág. 03
reitor, Clovis Lima, seja investigado pela representam apenas argumentos da
suposta omissão de documentos ao defesa do ex-reitor contra o Livro debate
Ministério Público Federal (MPF). indiciamento no MPF. Educação Física e
Especial, págs. 04 e 05 Especial, págs. 08 e 09
formação crítica
Extra-classe, pág. 10

AN DES-SN - N osso únic o e le gít im o re pre se nt a nt e


02 AGOSTO/SETEMBRO 2009 Publicação da Seção Sindical dos Docentes da UFSM / ANDES

EDITORIAL Clauber

Diálogo de faz de conta


O que vai se dizer aqui não é novidade alguma. Para quem
acompanha o governo Lula desde o seu início, em 2003, sabe
que existem muitos ensaios de diálogo, mas poucas ações
concretas resultantes desse faz de conta institucionalizado.
No primeiro ano de seu mandato, Lula impôs goela abaixo
uma reforma da previdência prejudicial aos servidores
federais. Através do Ministério da Educação, impôs o Prouni
e uma reforma universitária que não vingou à época, mas que
agora está sendo resgatada no Congresso Nacional. Não
contente, tem imposto diversas outras políticas para a área
educacional como o Reuni, com uma expansão precarizada.
No que se refere especificamente aos docentes, já vem pelo
menos desde 2005 a ideia do governo federal, através do
MEC, de refazer a Carreira, desconstruindo conquistas como
a paridade entre ativos e inativos. A partir da greve de 2005,
quando o MEC criou a classe de Associado, os reajustes têm
ocorrido em cima de gratificações, com a extinção de
algumas e a criação de outras, o que tem se efetivado
beneficiando quem está no topo, sem levar em consideração
os argumentos contrários explicitados pelo ANDES-SN. PONTO A PONTO
Aliás, o MEC acatou as sugestões do Fórum de Professores
Abono de permanência
(Proifes), que não tem legitimidade sindical para isso.
Agora, há poucas semanas, não mais o Ministério da No último 10 de agosto, a SEDUFSM teve no dia 5 de setembro de 2008. Segundo o advo-
Educação, mas a Secretaria de Recursos Humanos do decisão judicial favorável na questão referente à gado Flavio Acosta Ramos, no processo não
incidência de imposto de renda sobre o abono de houve encaminhamento de uma lista nominal de
Ministério do Planejamento chamou o ANDES-SN e,
permanência. Na ação encaminhada por Wagner servidores com o objetivo de evitar que se
novamente, o Proifes, juntamente com o MEC, para anunciar Advogados Associados também está previsto o corressem riscos de a ação ficar limitada aos
nova alteração na Carreira. Dessa vez criando a classe de ressarcimento de valores recolhidos indevida- listados. Assim, qualquer docente que vier a
“professor Sênior”, além de dois novos adicionais de mente. A decisão favorável foi tomada por juiz receber o abono durante o curso da ação poderá
remuneração e institucionalizando a remuneração por do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. O se beneficiar da decisão judicial. Em função de
projetos. Novamente, o que se percebeu, além da necessidade processo foi encaminhado à 2ª Vara Federal de que a decisão é de primeira instância, ainda cabe
Santa Maria em nome dos filiados ao sindicato recurso.
manifestada pelo governo de acelerar o processo para enviar
projeto de lei à Câmara Federal, é que as representações do Apoio legislativo FRITZ NUNES
Estado novamente fizeram pouco caso dos dirigentes
Na tarde de quarta, 26 de agosto, o vice-
sindicais que representam a categoria docente. E, sob presidente da SEDUFSM, Julio Ricardo
aplausos do Proifes, pretendem ampliar a desconfiguração Quevedo dos Santos, participou de audiência
da Carreira dos professores, legalizando práticas privatistas. (ver foto) com o presidente da Câmara
Portanto, o que se percebe, são iniciativas, uma atrás da Municipal de Santa Maria, vereador João
outra, que com a aparência de trazer benefícios, desfiguram Carlos Maciel (PMDB). O objetivo do encontro
foi entregar uma cópia da pauta de
não apenas a Carreira docente, mas quebram a paridade reivindicações 2009 dos docentes das
entre aposentados e ativos, como também abrem a guarda universidades federais. Quevedo também
para os interesses privados nas universidades federais. É solicitou apoio do Legislativo para a realização
preciso estar atento e não permitir que o diálogo de faz de de audiência pública que trate de temas como
conta corrobore as ações perniciosas do governo. salário, carreira, mas também dos efeitos da Reforma Universitária, que está em discussão no
Legislativo Federal. João Carlos Maciel disse que a Câmara de Vereadores está aberta no que se
refere a apoiar a reivindicação dos professores. Sugeriu também que o sindicato utilize a tribuna
livre no Legislativo para informar a todos os vereadores o conteúdo da pauta de reivindicações.
EXPEDIENTE Em relação à audiência pública, ressaltou que o Legislativo pode sediar a atividade, mas que pelo
fato de envolver questões federais, seria melhor que o próprio sindicato a organizasse.
A diretoria da SEDUFSM é composta por : Presidente em exercício: Fabiane A.
Tonetto Costas (Dep. Fundamentos da Educação – CE); Vice-Presidente- Júlio
Ricardo Quevedo dos Santos (Dep. História – CCSH); Secretário-Geral: Rondon Sindicato informa sobre mensalidade
Martin Souza de Castro (Dep. Ciências da Comunicação - CCSH); Primeiro
secretário - Maristela da Silva Souza (Dep. Desportos Individuais - CEFD); A SEDUFSM informa aos sindicalizados que e com o objetivo de evitar prejuízos à arreca-
Tesoureiro-geral – Hugo Blois (Dep. Arquitetura – CT); Primeiro tesoureiro- o desconto da mensalidade do mês de agosto não dação de nossa entidade, a SEDUFSM está
Cícero Urbanetto Nogueira (Colégio Politécnico); Primeiro suplente: Hélio Neis
( Aposentado); Segundo suplente: Ricardo Rondinel ( Dep. Ciências Econômicas - foi efetuado através do Siape devido a um erro pedindo aos filiados que têm o desconto via
CCSH) ainda não explicado pelo Ministério do Plane- Siape (no contracheque e não por débito em
Jornalista responsável: Fritz R. F. Nunes (MTb nº 8033) jamento. A rubrica (consignação do desconto da conta), que compareçam a sede do sindicato para
Relações Públicas: Vilma Luciane Ochoa mensalidade) correspondente ao mês de agosto efetuar o pagamento relativo à mensalidade de
Diagramação e projeto gráfico: J. Adams Propaganda
Ilustrações: Clauber Sousa e Reinaldo Pedroso foi desativada sem maiores explicações pelo agosto. Caso o filiado não possa vir efetuar o
Impressão: Gráfica Pale, Vera Cruz (RS) Tiragem: 1.500 exemplares Ministério. Em correspondência eletrônica à pagamento, destacamos que na próxima folha
Obs: As opiniões contidas neste jornal são da inteira responsabilidade de quem Seção Sindical, o órgão governamental explicou será necessário o desconto duplo (agosto +
as assina. Sugestões, críticas, opiniões podem ser enviadas via fone(fax)
(55)3222.5765 ou pelo e-mail sedufsm@terra.com.br
que para o mês de setembro, o desconto será setembro). Salientamos ainda que o associado
Informações também podem ser buscadas no site do sindicato: efetuado normalmente. Entretanto, não apresen- que vier até o sindicato e autorizar o débito em
www.sedufsm.com.br tou solução sobre o acontecido em relação ao conta terá a opção de parcelar em duas vezes a
A SEDUFSM funciona na André Marques, 665, cep 97010-041, em Santa mês de agosto. mensalidade atrasada (de agosto). (Direção da
Maria(RS).
Em virtude de mais essa atitude do Ministério SEDUFSM)
Publicação da Seção Sindical dos Docentes da UFSM / ANDES AGOSTO/SETEMBRO 2009 03

RADAR

Encontro Nacional de GTs em Santa Maria LUIZ HENRIQUE SCHUCH


A cidade de Bagé foi sede nos dias 14 último Congresso do ANDES, é
e 15 de agosto de mais um encontro (o acompanhar a forma como estão sendo
4º) da Regional RS do ANDES-SN, implementados os novos cursos na
gestão 2008-2010. A atividade reuniu universidade. Sobre a pauta de
representantes de seções sindicais de reivindicações 2009, informaram que
docentes da UFSM, Pelotas, Rio havia sido protocolada e entregue ao
Grande e da Universidade Federal do reitor, aos deputados estaduais e
Pampa (Unipampa). Além de abordar brevemente aos vereadores.
discussões pós-54º CONAD, que SAÚDE- Durante o seminário que
ocorreu de 16 a 19 de julho em Curitiba tratou da “saúde docente”, vários
(PR), a atividade em Bagé serviu para pontos foram levantados pelo
discussões de temas relevantes como: palestrante: Dr. Francisco Antonio de
“Universidade Pública: função social e Castro Lacaz, da Universidade Federal
trabalho docente. Desafios atuais”; de São Paulo (Unifesp). Entre os
“Capitalismo organizacional e traba- aspectos que afetam a saúde dos
lho: saúde docente”. Durante a reunião, professores destaca-se a questão da
que ocorreu na Unipampa, ficou “reorganização do trabalho”. Segundo
decidido que Santa Maria, através da o médico, as preocupações atuais
SEDUFSM, será sede do Encontro centram-se em “produtividade, rentabi-
Nacional de Grupos de Trabalho (GTs), lidade, competitividade, concorrência,
dias 23 e 24 de outubro. simultaneidade entre produção e
Durante o evento da Secretaria Unipampa, em Bagé, sediou encontro da Regional RS do ANDES-SN consumo”, entre outros. As respostas a
Regional do ANDES-SN, os represen- essas dificuldades deveriam ser,
tantes das seções sindicais fizeram um do prédio da Unipampa, em Bagé, Felix, Julio Quevedo e Maristela segundo ele, “qualidade do trabalho,
relato sobre as atividades que estão ainda não foi concluído; os cursos são Souza. Além de relatar atividades valorização de relações horizontais
sendo empreendidas. As maiores criados aleatoriamente, sem coerên- como a discussão sobre “carreira” e o entre pares e valorização das condições
dificuldades parecem se encontrar cia com os já existentes. Conforme o Cultura na SEDUFSM que debateu de trabalho”. Um dos males que mais
junto à Unipampa. Conforme Daniel dirigente sindical, um dossiê com temas como “homofobia, racismo e atingem hoje os professores é a
Nedel, que é presidente da Sesuni- irregularidades está sendo montado e machismo”, a delegação de Santa “Síndrome de Bournet”. O palestrante
pampa, naquela universidade, que é será enviado ao Ministério Público Maria informou que está sendo traduziu os sintomas dessa enfer-
dividida em vários campi espalhados Federal. estruturado, na UFSM, através da midade como “depressão, ansiedade,
pelo estado, há problemas como a Pela SEDUFSM participaram do seção sindical, o Observatório do exaustão emocional, despersona-
inexistência de um setor de protocolo; encontro de Bagé os professores Reuni. O objetivo do Observatório, lização e baixa realização pessoal no
ninguém recebe insalubridade; a obra Francisco Freitas, Helio Neis, Glades que teve sua criação definida no trabalho”.

Assembleia aprova ações judiciais A lista das seis ações


VILMA OCHOA
Em assembleia ocorrida na
tarde do dia 20 de agosto, no Acompanhe a seguir a lista das ações judiciais que
campus da UFSM, os docentes serão encaminhadas de forma coletiva pela SEDUFSM,
aprovaram o encaminhamento de sem necessidade de o filiado assinar procuração:
seis novas ações judiciais através 1. Ação judicial visando à correção monetária dos
da assessoria jurídica da valores pagos em atraso administrativamente;
SEDUFSM. Acompanhe ao lado 2. Ação Judicial visando a indenização pelas férias
a relação dessas ações. O e/ou licença-prêmio não gozadas por servidor
tesoureiro-geral da SEDUFSM, aposentado ou falecido na ativa;
professor Hugo Blois Filho, 3. Ação judicial sobre a alteração ocorrida no
apresentou um resumo de como pagamento da vantagem do art. 192 da Lei n° 8.112/90,
tem se desenrolado a situação tendo em vista a criação da classe de professor associado;
financeira do sindicato. Segundo 4. Ação judicial visando à não incidência do imposto
ele, graças à colaboração dos de renda sobre parcelas remuneratórias pagas em atraso
associados, que desde o início do acumuladamente;
ano concordaram em autorizar o 5. Ação judicial visando o pagamento cumulado dos
Cerca de 20 professores estiveram participando da plenária quintos/décimos incorporados com a vantagem do art.
desconto da mensalidade direto
na conta corrente e, também, com a normalização do desconto via SIAPE, a arrecadação da entidade 192 do RJU aos docentes que preencheram os requisitos
para receber ambas as parcelas remuneratórias;
tem sido positiva. Ainda segundo o tesoureiro, paralelamente à normalização da arrecadação, a
6. Mandado de injunção visando à fixação de um
diretoria tem procurado recompor a poupança do sindicato, que teve de ser utilizada em parte no
índice de correção monetária para os anos em quem não
período em que os recursos da seção sindical foram abalados.
houve revisão geral de remuneração.
De maio a julho, conforme Blois Filho, a economia que a diretoria tem feito possibilitou que cerca Os esclarecimentos sobre as novas ações judiciais
de 52 mil reais fossem aplicados para recompor essa poupança. Hoje, o sindicato possui cerca de foram prestadas, durante a plenária, por Tiago Fenalti, do
801 mil reais aplicados, valor que futuramente deverá ser usado para a construção de uma sede no escritório Wagner Advogados Associados. A assessoria
campus da UFSM. Ainda no que se refere às questões financeiras, a presidente da SEDUFSM, jurídica atende aos associados do sindicato todas as
professora Fabiane Costas, informou que foi recuperada a iniciativa de gestões anteriores, que é a terças, pela manhã, na sede da entidade, na André
publicação da prestação de contas mensal da entidade. A presidente também informou que o Marques, 665.
Regimento do sindicato, que já foi discutido, avaliado e aprovado em assembleia, encontra-se agora
devidamente registrado em cartório.
04 AGOSTO/SETEMBRO 2009 Publicação da Seção Sindical dos Docentes da UFSM / ANDES

ESPECIAL Ecos da Operação Rodin - 1

Paulo Sarkis
‘ ‘ Lima omitiu documentos
ao Ministério Público Federal’’
FRITZ NUNES
Jornal da SEDUFSM - Já foram período eu não sei de qualquer irregula-
ouvidos boatos de que o denunciante ridade que tenha sido denunciada e que
do caso Fatec/Detran, que tem seu não tenha sido investigada. Tudo foi
nome sob sigilo, seria o próprio Clovis investigado. Nesse sentido foram depor
Lima (reitor da UFSM). O sr. tem essa os procuradores, da Advocacia Geral da
suspeição ou apenas de que seja União, que exercem a procuradoria da
alguém próximo? universidade, foi o pessoal da Copsia
Sarkis - Não tenho essa informação de (Comissão Permanente de Sindicância e
que seria o professor Lima. É uma Inquérito Administrativo). O MPF disse
pessoa que partilhava da intimidade, na imprensa que as minhas testemunhas
que sabia que o professor Lima iria são testemunhas abonatórias, mas eu não
receber o Flavio Vaz Neto (presidente arrolei nenhuma testemunha abonatória.
do Detran). Só para você fixar datas. No As testemunhas levadas até então são
dia 11 de maio (2007), o Ministério todas para confirmar como é que era o
Público pediu as informações que a procedimento da universidade. Que era
universidade omitiu. E no dia 14 de um procedimento correto. Tem essas fan-
maio, a universidade respondeu essas tasias que eles (procuradores) criaram, de
informações com as omissões. O que locupletamento, de corrupção passiva,
são basicamente as omissões? São ativa, que eles não apresentam compro-
documentos assinados por eles (Lima e vação. Esse contrato da Fatec com o
Felipe) de adendos, aditivos e planos de Detran, no meu período, ocorreu sem
trabalho, idênticos a outros assinados qualquer interferência da universidade
por mim e que foram enviados. No meu nesse contrato. Eu fui fazer a apresenta-
entendimento o que houve foi uma ção do PEIES ao Detran, como eu fazia
ingenuidade. Porque não tem nada para “n” outros projetos. Mais de 300,
demais nos documentos que eu assinei 400 projetos que eu fui fazer apresenta-
ou nos que eles assinaram. Eles tiraram ção. O que eu ia fazer? Eu ia lá e apresen-
A Operação Rodin pode ser descrita como uma novela dividida em vários documento inclusive que o Lima tava a qualificação dos grupos de
capítulos. Ou ainda, um filme de ação e suspense em que há dificuldades em saber assinou na minha gestão, quando ele era pesquisa ou de extensão da UFSM para
quem é o mocinho e quem é o bandido. O enredo envolve ex-diretores do Detran, vice-reitor e eu estava viajando. Então, fazer aquele trabalho. Qualificação dos
professores da UFSM, além de diversas personalidades da política gaúcha. eles tiraram fora esse documento e grupos que estavam na universidade e
Deflagrada em 6 de novembro de 2007, a Rodin completa dois anos no próximo ainda tiraram todos os documentos que que podiam trabalhar na fundação ou
mês de novembro. Foram diversos indiciados na primeira fase da operação. o Lima e o Felipe assinaram depois. Se diretamente pela universidade, depen-
Entre os suspeitos de desviar ou favorecer o desvio de recursos das fundações de for comparar o último documento assi- dendo de cada situação ou órgão
apoio (Fatec e Fundae) está o ex-reitor da UFSM entre os anos de 1998 e 2005, nado por mim e que foi encaminhado ao beneficiado. Então, nós estamos falando
Paulo Jorge Sarkis. Passados mais de dois anos, o Jornal da SEDUFSM foi até Ministério Público é igualzinho aos que nesses contratos, que eu assinei, que o
Sarkis para ouvir de perto a versão dele sobre essa trama. A seção sindical, junto omitiram. É o mesmo documento, só Lima assinou, que o Felipe assinou, e que
com o ANDES-SN, sempre se posicionou contra o papel das chamadas fundações com datas diferentes. Era um contrato eles mandaram o que eu assinei e não
de “apoio” dentro das universidades públicas. Aliás, se existem processos que precisava ser renovado de ano em mandaram os que eles assinaram, são
investigatórios em vários lugares do país e uma atuação firme do Tribunal de ano. E veja bem, nós estamos falando contratos absolutamente legais. Passa-
Contas da União (TCU) em cima das fundações, se deve em muito aos em um contrato entre a universidade e a ram pelo crivo da Advocacia Geral da
questionamentos e dossiês levantados pelo Sindicato Nacional. Contudo, FATEC, que era um contrato de peque- União, da Procuradoria Jurídica, sobre a
na monta. O contrato era para fazer qual o reitor não tem mais ingerência.
também é papel de um jornal sindical fazer jornalismo, ou seja, ouvir e entrevistar
pesquisa sobre questões de trânsito, Hoje o reitor não demite e nem investiga
as pessoas, estabelecendo o contraditório. Foi com esse intuito que o Jornal da segurança no trânsito, e que o Minis- um Procurador. Antes era atribuição do
SEDUFSM entrevistou o professor Sarkis. Ainda durante a última campanha tério Público coloca que, a assinatura reitor, hoje não é mais, é atribuição da
eleitoral à reitoria da UFSM, a SEDUFSM teve acesso a uma espécie de dossiê do contrato feita por mim, que viabili- AGU. Então, os contratos são absoluta-
encaminhado por Sarkis ao Ministério da Educação (MEC). No arrazoado zou e tal. Esse contrato precisava de mente legais. Mas, o que é que acontece?
enviado ao Ministério, o ex-reitor faz acusações contra o professor Clovis Lima, renovações periódicas, e cada vez que Na fantasia que o Ministério Público
reitor da UFSM até o mês de dezembro, quando entrega o posto a seu vice, Felipe mudavam os participantes, iam aden- criou para chegar à conclusão de que eu
Martins Müller. Para Sarkis, Lima, quando interpelado pelo Ministério Público dos (quando mudava alguém do grupo contratei mal, que eu fiz as coisas erradas,
Federal (MPF) para que enviasse documentos referentes ao convênio Fatec e que trabalhava na pesquisa) e aditivos eles colocam que esses contratos não
Detran, teria remetido somente contratos assinados por Sarkis. O ex-reitor, que (renovação). Esse contrato não tem deveriam ter sido feitos. Nós vamos
nega qualquer prática de corrupção, diz que essa atitude do atual reitor faria absolutamente nada a ver, digamos, provar que foram legais e bem feitos.
parte de uma “armação” em que ele inclui até mesmo o MPF, com o objetivo de funcionalmente com o contrato da Mas, a reitoria, ao fazer o encaminha-
fazê-lo de uma espécie de “boi de piranha”. Acompanhe a seguir parte da FATEC com o Detran. No contrato da mento do que eu assinei e não fazer dos
conversa que teve dois momentos distintos e durou mais de três horas. FATEC com o Detran a UFSM não faz outros idênticos que eles assinaram,
Posteriormente serão disponibilizados no site da SEDUFSM outros trechos desta parte. Aí então, o que faz a Adminis- levantou uma suspeita a mais no MPF
entrevista que não publicamos por limite de espaço. Leia ainda na pág. 08 uma tração, tudo para denegrir a minha contra mim. “O Sarkis fez e nós não
reportagem com o reitor Clovis Lima, que não quis se manifestar “oficialmente” imagem. Eles chamaram para cima da fazemos”. No mesmo sentido, a reitoria
universidade toda a responsabilidade encaminhou cópia de contratos entre a
sobre as acusações de Paulo Sarkis. E, na página 09, uma manifestação da
do que pudesse ter ocorrido, que eu não FATEC e as empresas ditas sistemistas.
Procuradora da República atualmente responsável pelo caso, Jerusa Viecili: sei se ocorreu ou não ocorreu. No meu Mais uma vez omitiram os contratos que
Publicação da Seção Sindical dos Docentes da UFSM / ANDES AGOSTO/SETEMBRO 2009 05

foram assinados nos anos de 2006 e 2007, nando esses contratos. A propósito, pela outros comportamentos, provavelmente usado várias vezes, na imprensa. Aliás, é o
inclusive com novos sistemistas. E essa primeira vez, na história da UFSM, um lançassem candidaturas na eleição re- teor da conversa em que aparece o Felipe
suspeita contaminou o Ministério Público ex-reitor (Sarkis) não pode acessar os cente. Por que o que acontece? Até a discutindo justamente como fazer o
e o Juízo durante todo o processo. Só documentos da sua própria gestão livre- Operação Rodin os comentários eram pagamento das sistemistas. Então, eles
foram aparecer esses documentos da mente. O Lima deu uma ordem na reito- extremamente desfavoráveis para a (Reitoria) tinham todo o domínio.
Fatec que tem esses contratos, aos olhos ria que qualquer pedido meu para aces- atual Administração (Lima/Felipe). J.S. - Sabiam como tudo acontecia?
da juíza, quando foi criado o tal de sar documentos, tem que ser primeiro Embarcaram nesse programa do gover- Sarkis - Mas é claro. Olha, no meu perío-
“apenso 2” no processo, em 18/10/2007, analisado por ele. no (Reuni) para criar cursos, tudo bem, do eu digo, de sã consciência, que eu não
duas semanas antes da deflagração das J.S. - Na sua avaliação, por que teria muito bom, mas se for avaliar a consis- sabia como estava andando o contrato
medidas ostensivas. Durante todo o pro- havido essa suposta omissão de tência administrativa por trás dessas entre a Fatec e o Detran. Sabia que existia,
cesso de escuta, que eles precisavam documentos? iniciativas, não há planejamento. E isso lógico, havia relatórios dizendo que os
renovar de 15 em 15 dias, mostrando Sarkis - Já está respondido. Eles omiti- aí tudo estava aflorando. Então, o objeti- exames estavam indo às mil maravilhas e
porque precisava fazer aquela escuta, ram para fazer crer ao MPF que eu tinha vo do denunciante foi basicamente, tal. Que nós estávamos com o melhor
estes documentos não aparecem. No assinado documentos que não deveria além de prejudicar a minha imagem, sistema do Brasil, à prova de fraude, etc.
processo de escuta aparece só o ofício da ter assinado, que não era praxe da pelo descontentamento devido à mu- Essas coisas eu sabia, pois recebia relató-
FATEC, encaminhando os contratos, que universidade, que eles não assinavam dança de fundação e da presidência do rios da Fatec. O prédio do “Trabalhando
deveriam estar anexos e não estão. O que este tipo de documento. Se eles Detran. Não foi a mudança de reitor que pela Vida” estava em andamento, partici-
eles argumentavam, para fazer a tivessem assinado documentos idênti- fez o processo sair de uma fundação e ir pei da inauguração do prédio. Apenas eu
renovação da minha escuta, era de que eu cos, isso não seria algo suspeito. para outra como o MPF foi induzido a não tinha nenhuma ingerência sobre o
era um dos principais alvos da investi- J.S.- Mas essa postura poderia ser tam- acreditar. Foi a mudança na direção do contrato. Ao contrário, em março ou maio
gação. Só que eles não gravaram uma bém para se isentar de alguma coisa? Detran. Quando passou o contrato para de 2006, logo que assumiu a nova Admi-
conversa sequer que fosse significativa Sarkis - Eles deveriam ter defendido a o outro lado (para a outra fundação) nistração (Lima/Felipe), eles criaram um
sobre o Detran nos meus telefones. Só tem UFSM desde o início. Porque isso era apareceu o denunciante. Se fosse uma tal de comitê gestor do contrato Detran/
uma conversa, em setembro, em que eu simples. Não existe nada da universida- pessoa preocupada com o bem público, Fatec. O Felipe confirmou em juízo e a
demonstro desconhecer como estava de neste processo. Não existe nada que ele teve um ano inteiro (desde que Juíza ainda perguntou para ele se era
funcionando o processo depois da migra- vincule a universidade ao contrato Sarkis deixou a reitoria, em dezembro específico para o contrato Detran/ Fatec?.
ção da FATEC para a FUNDAE, que Detran-Fatec. A não ser, a ligação óbvia de 2005) para fazer essa denúncia. Teve Ele respondeu que sim e foi a partir daí
ocorreu em abril ou maio. É a prova mais de que a Fatec é uma fundação de apoio todo o ano de 2006 e mais um pedaço de que a UFSM passou a se envolver. E eles
contundente de que eu não tive nenhuma à universidade e, que, portanto, que a 2007. Ele fez a denúncia justamente jogam para cima de mim como se a uni-
participação nestas contratações, como imagem da universidade favorece a quando muda a direção do Detran e a versidade tivesse se envolvido no contra-
insiste em afirmar o MPF. imagem da Fatec. Mas isso, a fundação de apoio com as to no meu período. É tudo ao contrário.
J.S.- E quais telefones eles gram- imagem da universidade fa- sistemistas. Impressionante como essas coisas estão
pearam? vorece ao Município, favo- ‘‘Eu não J.S.- O sr. acha que a distorcidas hoje na imprensa. E é impor-
Sarkis - Grampearam o meu telefone em
2007. No dia 14 de maio a reitoria respon-
rece ao Estado. Quando o
município foi buscar a tinha nenhuma Administração Central
tem alguma influência
tante ressaltar que nesse comitê gestor
havia maioria de pessoas de confiança da
deu ao ofício do MPF, com os dados fábrica de vagões, nós ingerência sobre n e s s e p r o c e s s o d e reitoria.
omitidos, e no mesmo dia foi pedida a tivemos reuniões com o mudança? J.S.- Quando o sr. fala na questão da
quebra do sigilo telefônico de quem eles fabricante, mostrando os
o contrato Sarkis - Tem toda (a ponta do iceberg, que relação o sr. quer
queriam. E, no dia 15 de maio, a juíza já laboratórios da universi- Fatec/Detran” influência). Isso que eu estabelecer entre o reitor e a Procurado-
autorizou, com muita rapidez. Até então, dade, etc. Então, se a Fatec digo, a imprensa estava lá, ria da República? E qual a justificativa
não havia no processo, a informação da fez um contrato com o ouvindo os depoimentos em para a não inclusão do reitor e vice na
Fatec. A informação solicitada à fundação Detran, e se tiver alguma coisa, Juízo. Os depoimentos do Felipe questão das interceptações telefônicas,
(sobre os contratos) foi feita em torno do não é problema da universidade. A (Müller), das demais pessoas que por exemplo?
dia 20 ou 21, e a Fatec respondeu no dia universidade atua dentro da sua respon- participaram do Conselho da Fatec. E o Sarkis - A justificativa de não incluí-los
28. Eu falo isso nas considerações que sabilidade formal. Isso aqui (a omissão pessoal diz a verdade, com uma ou outra foi para protegê-los, certamente.
fazem parte da denúncia encaminhada ao dos documentos) é a ponta do iceberg. omissão, mas em geral, são obrigados a J.S.- Protegê-los de que?
MEC (e entregues à reportagem da As coisas não aconteceram só assim. dizer a verdade, até por medo das Sarkis - De conhecer o grau de envolvi-
SEDUFSM). Lá tem as datas precisas. A Tem muita conversa entre Lima e conseqüências. Mas, o Felipe nós mentos no sistema e poder constar no
primeira gravação do Renan (Radema- (Rafael) Miron (procurador da Repú- denunciamos por falso testemunho. processo que “com a troca da reitoria hou-
cher, diretor financeiro da Fatec), que era blica em Santa Maria) extra-oficial para Então, o que é que acontece? Esse ve resistência aos sistemistas”, afirmação
pessoa de confiança do Lima (Clovis) chegar nessa situação em que se chega pessoal já deixou muito claro que a troca enganosa que os procuradores locais
com o (Luiz Carlos) Pellegrini (diretor- aqui. O afinamento dessas questões. de fundação foi totalmente aprovada repetem exaustivamente no processo,
presidente da Fatec). Então, lá pelo dia 21 O denunciante, identificado como pela Administração da UFSM. Quem tentando transformá-la em verdade.
mais ou menos, tem uma conversa do professor pelos procuradores, estava apresentou a proposta (de troca de J.S.- Sobre o suposto interesse da gestão
Renan com Pellegrini, em que o Renan muito afinado com a Reitoria. Foi fundação) no Conselho da Fatec foi o Lima/Felipe em destruí-lo, digamos
diz ao Pellegrini que, antes de a Fatec copioso em elogios. Na denúncia ao presidente do Conselho. Sabe quem assim, teria aspectos políticos, mas além
enviar a resposta ao MPF, que deveriam MEC incluí uma cópia de reportagem era? Era o Felipe (Müller). Em Juízo ele disso, haveria mais algum interesse além
consultar a reitoria. Isso para mandar tudo que analisa a denúncia e chega à mesma disse que apresentou porque estava disso? Às vezes se comenta que o MPF
de acordo e tal, que era para falar com ele conclusão. É difícil uma pessoa chegar convencido de que era a melhor investigaria outros projetos desenvolvi-
(Lima) antes. Provavelmente no dia 20, a no Ministério Público querendo ser alternativa. Em duas reuniões do dos atualmente. Ou seja, haveria algum
Fatec tinha recebido a solicitação do preservada a sua identidade e fazer a Conselho eles resolveram a questão da interesse econômico de se manter à
Ministério Público, e o Lima sabendo denúncia. Então, essa pessoa foi lá, mas troca das fundações e pagamento dos frente da reitoria?
disso, e que ele já tinha mandado as com alguma certeza de que seria sistemistas. Em uma delas resolveram Sarkis - Esses dois procuradores (Rafael
informações no dia 14, então comenta, preservada. aprovar a ruptura do contrato da Fatec Miron e Harold Hoppe) elegeram a uni-
segundo Renan, para que Pellegrini tives- J.S. - Essa pessoa que foi fazer a com o Detran porque o contrato passaria versidade para investigar. Elegeram a
se essa sintonia com a Reitoria. Nas denúncia, conforme as ilações feitas para a Fundae e, que, com isso a Fatec universidade como bode expiatório para
gravações feitas pela Polícia Federal fica pelo senhor, seria muito próxima do teria vantagens, pois não teria mais se projetarem. No próprio processo eles
demonstrada uma tentativa de combinar reitor Clovis Lima. O sr. imagina o encargos, vantagens do ponto de vista relacionam em torno de 40 outras inves-
uma padronização no envio dos docu- motivo pelo qual essa pessoa faria essa operacional. Eu não sabia de nada, tigações em curso em 2007, só sobre a
mentos ao MPF. Por alguma desorga- denúncia? E por que ela estaria fiquei sabendo dessa mudança de UFSM. Houve um incentivo ao denuncis-
nização interna, isso não aconteceu. querendo lhe prejudicar? fundação pela imprensa, muito tempo mo. No depoimento de uma Pró-Reitora
Graças a Deus. Se não nem eu teria Sarkis - Por que queria me prejudicar é depois. A única gravação de conversa foi descrita uma reunião ocorrida na
descoberto. Vou eu lembrar de tudo que é evidente. O objetivo era a manutenção minha a que eu já me referi, comprova UFSM, da alta administração com um dos
contrato que eu assinei em 2003, 2004, do poder na universidade. Claro que se isto. E a outra reunião que eles fizeram procuradores que passou instruções. An-
2005? Sem condições. Eu assinava 800 a não fosse essa Operação Rodin, as lá (do Conselho Superior da FATEC) é a tes disto, no depoimento do Vice Reitor,
mil documentos desses por ano. E nem eu pessoas que gravitavam ou tinham que foi discutido o pagamento dos ele já havia reconhecido uma outra
iria lembrar que eles continuaram assi- alguma atenção comigo teriam tido sistemistas. Isso tem sido repetido e reunião ocorrida no Ministério Público.
06 AGOSTO/SETEMBRO 2009 Publicação da Seção Sindical dos Docentes da UFSM / ANDES

OPINIÃO

Você acredita que há ANDES-SN diz que classe “Sênior”


elementos para o quebra paridade entre ativos e inativos
impeachment da
Fotos: Arquivo/SEDUFSM
Diretores do ANDES-SN participaram de
audiência no dia 3 de setembro com
governadora Yeda? integrantes do Ministério do Planejamento
(MPOG) e Ministério da Educação (MEC).
Fotos: ARQUIVO/SEDUFSM Na oportunidade, reafirmaram análise da
Ronai Pires da Rocha, 58 anos, entidade, segundo a qual, a proposta do
professor de Filosofia do governo, apresentada às entidades no dia 10
CCSH. de agosto, de criar uma nova classe na
“Acho que a decisão sobre o carreira (professor sênior, com quatro
impeachment da governadora níveis), além de dois novos adicionais de
está em boas mãos, nas mãos da remuneração - pós latu senso e preceptoria
Justiça. E a Justiça teve acesso a – resultará na quebra da paridade entre
todo tipo de informação até ativos e inativos.
agora produzida e disponível. Para os dirigentes do Sindicato que
estavam na reunião, Solange Bretas,
Como pudemos ver a Justiça
Alberto Franke e Hélcio Braga, a pretensa
ainda não chegou a um acordo equalização, no topo da carreira, com a
Duvanier Paiva Ferreira, do MPOG: proposta do governo
sobre se os elementos de prova apresentada de afogadilho
remuneração dos integrantes da carreira de
até agora evidenciados são suficientes. Eu gostei da Ciência e Tecnologia, são sintomas inequívocos da tenderia a desestimular o docente”.
decisão da Juíza Simone Barbisan, pois impedir um baixa remuneração do magistério. Além de quebrar MOTIVOS - O ANDES-SN cobrou que o repre-
governador é algo que somente deve ser feito com a paridade, o ANDES-SN avalia que a remune- sentante governamental explicitasse os motivos
evidências sobrantes; nesse caso, elas parecem ser ração por projetos significa também a desresponsa- para propor regulamentação do regime de trabalho
ainda um tanto indiretas”. bilização, por parte do governo, com os salários e o da Dedicação Exclusiva (DE). Foi indagado,
financiamento da universidade pública. também, sobre qual o motivo de uma nova classe na
Candido Otto da Luz, 54 anos, Falando pela Secretaria de Recursos Humanos carreira. Por que no topo? Por que não na base?
jornalista, servidor lotado na (SRH/MPOG), Duvanier Paiva Ferreira pediu Como fica a carreira da Educação Básica? Os
Coordenadoria de Comunica- agilidade nas discussões a respeito das mudanças, sindicalistas enfatizaram ainda que o entendimento
ção Social da UFSM. pois o prazo para enviar o projeto de lei ao Con- da entidade é de que a minuta proposta deixa para o
“Acho sim que há elementos gresso Nacional estaria exíguo. Reafirmou a docente a responsabilidade para a recuperação
proposta de alteração na carreira com a criação da salarial e pelo financiamento da manutenção e
suficientes para o impeachment
nova classe e dos adicionais, com a possibilidade de expansão da universidade, visto que o ministro da
da governadora gaúcha, a remuneração por projetos. Outros representantes do educação havia anunciado a alocação total dos
paulista Yeda Crusius. Fraude governo fizeram a defesa das políticas do governo recursos para a implantação do Reuni.
no Detran, cujas propinas teriam Lula para a educação, que, segundo eles, teria O secretário do MPOG, Duvanier Ferreira, disse
sido discutidas no gabinete dela, avançado muito se comparada com as ideias que o governo considera estratégico o investimento
segundo declarações de Lair “neolibeais” do governo FHC. Com o apoio de em educação e que fez grande esforço para
Ferst. Pontos obscuros na representantes do Fórum de Professores (Proifes), recompor os salários do magistério. Negou que era
compra da casa da governadora, etc.. São elementos entidade paralela ao ANDES, dirigentes governa- intenção atribuir responsabilidade aos docentes na
bem palpáveis. Nunca antes na história da política mentais disseram que “a não criação da nova classe busca da melhoria salarial.
gaúcha o nosso estado foi tão enxovalhado na sua
honestidade e integridade. Precisou uma paulista
assumir o governo. E ela ainda diz que o impeachment
Detalhes da proposta
Conforme informações dos técnicos do MPOG, setembro entregaria a minuta dos projetos.
aceito na Assembleia Legislativa 'causa prejuízos à a classe de professor “Sênior” seria criada acima da
imagem do Estado'. É muita cara-de-pau”. classe de Associado, com equivalência de ImpugnaçãoImpugnação
do Proifes do Proifes
rendimentos entre o Nível IV da “nova classe” e os O ANDES-SN apresentou no dia 28 de julho,
Marli Hatje Hammes, 42 anos, do cargo de titular. Ainda segundo eles, a criação da impugnação ao pedido de registro sindical do
professora do departamento nova classe não teria efeitos práticos imediatos, Proifes – Sindicato, no Ministério do Trabalho e do
de Métodos e Técnicas pois resultaria do processo de progressão do Emprego (MTE). A impugnação seguiu o trâmite
Desportivas do CEFD. professor Associado, que provavelmente só previsto na legislação vigente que estabelece o
“Como o processo é eminen- começaria a ser sentido em meados de prazo de 30 dias a partir da publicação do
temente político é difícil afirmar 2011 ou 2012. “Ainda pedido de registro sindical que, no caso,
se há elementos suficientes para Já o adicional pós lato sensu é uma não há previsão ocorreu no dia 30 de junho de 2009.
o impeachment da governadora. modalidade de remuneração salarial
criada especificamente para que as
de valores para a deA omedida fundamenta-se no fato
ANDES-SN constituir-se no
Agora, se forem provadas todas remuneração
universidades possam complemen- legítimo representante dos docentes
as acusações, ou pelo menos as
tar a remuneração dos professores docente” das instituições de ensino superior,
mais graves veiculadas pela municipais, estaduais ou federais,
que atuam em cursos de especia- (Duvanier Ferreira,
imprensa, acredito que sim. O lização ofertados pelas fundações conforme reconhecido pelo próprio
secretário do MPOG)
julgamento das acusações, que podem levar ao “ditas de apoio”. Segundo Duvanier MTE, face ao restabelecimento de seu
processo de impeachment, deve ser feito com cautela e Paiva Ferreira, a idéia não está comple- registro sindical em 5 de junho de 2009 e
isenção, pois a situação da governadora está atrelada a tamente definida e ainda não há previsão de pela outorga da Certidão de Registro Sindical
outras pessoas, entidades e, sobretudo, a questões valores para a remuneração docente. ao ANDES-SN, pelo ministro do Trabalho e do
políticas. Percebemos, também pela imprensa, que os O adicional de preceptoria também seria uma Emprego, Carlos Lupi. A impugnação
envolvidos nas acusações, quanto os que estão ao lado nova modalidade de remuneração, só que neste fundamenta-se também nos vícios e ilegalidades
da governadora, apresentam razões e argumentos caso de aplicação exclusiva aos docentes da encenação feita pelo Proifes na tentativa de
distintos quanto ao processo e aos elementos nele vinculados aos programas de residência médica e constituir-se em sindicato, em particular no que
contidos. É papel da justiça obter e analisar as provas, e internato, desenvolvidos nos hospitais univer- concerne ao desrespeito aos procedimentos
então decidir pelo impeachment ou não. " sitários. Indagado sobre quando o Ministério democráticos diante da obstrução de participação
estaria com posição mais precisa sobre os ajustes, o de membros da categoria na assembleia do dia 6 de
secretário informou que até a primeira quinzena de setembro de 2008.
Publicação da Seção Sindical dos Docentes da UFSM / ANDES AGOSTO/SETEMBRO 2009 07

ANDES-SN e TCU discutem João Rodolpho Flores, 49


anos, professor do departa-

fundações de apoio
mento de Ciências Sociais do
CCSH.
“Independente dos elementos
Arquivo/ANDES-SN presentes na denúncia apresen-
O presidente do ANDES-SN, Ciro Correia, se tada pelo Ministério Público
reuniu com o ministro do Tribunal de Contas da Federal, ao que se comenta
União – TCU, Aroldo Cedraz, no dia 13 de agosto, bastante densos, a sequência de
para tratar das preocupações da entidade com acontecimentos e notícias em
relação às medidas em elaboração pelo governo relação à candidata, e depois
para atender ao acórdão proferido pelo órgão em governadora, não parecem
27 de novembro de 2007. O acórdão do TCU apenas "invenções" dos arrogantes perdedores da
determina medidas objetivas no sentido de eleição gaúcha. Veja-se o círculo de amigos e
disciplinar muitas das ilegalidades pertinentes às apoiadores políticos da senhora Yeda, muitos deles
relações entre as fundações "ditas" de apoio e as ligados a denúncias e a um rol de escândalos tipificados
universidades públicas. O advogado Rodrigo como de corrupção administrativa, a exemplo de
Torelly, da Assessoria Jurídica Nacional do recursos tomados de agências sob responsabilidade do
ANDES-SN, também participou da audiência. Estado ou gerados a partir de propinas privadas. São
Na ocasião, foi entregue ao chefe de gabinete muitos os elementos nesse sentido. Isso me faz recordar
substituto uma carta na qual o ANDES-SN de Collor de Melo e Lula e os fatos dos seus governos. A
reconhece a importância do relatório, do voto do senhora Yeda no meio de tudo isso não viu nada, não
ministro e do acórdão proferido, no sentido de tem conhecimento de nada. Nós, cidadãos, que com o
Ciro Correia, do ANDES-SN, dialoga com Aroldo Cedraz,
fazer cessar muitos dos desvios que caracterizam suor diário sustentamos a máquina governamental,
do TCU, sobre as fundações
as supostas parcerias entre Universidades Públicas temos, pelo menos, o direito de pensar e afirmar,
e fundações privadas ditas "de apoio", além de orientar-se pela lógica perversa de acabar ou independente dos jogos de poder e justiça, que sempre
apontar questões complementares não tratadas no flexibilizar a DE, para com isso dar legitimidade livram os figurões de suas responsabilidades, que tudo
acórdão, como a necessidade de se desconstituir, aos mecanismos de burla em curso, mantendo o indica à prática de crimes contra a "coisa pública".
nos estatutos destas fundações privadas, diretorias estado de coisas vigentes nas parcerias que o Portanto, para o bem do Rio Grande, impeachment já
e conselhos curadores que estabeleçam vínculos acórdão claramente determina combater, ao invés para a senhora Yeda”.
com cargos ou ocupantes de cargos públicos, pelos de promover a valorização e o fortalecimento da
inevitáveis conflitos de interesses que se DE, fundamental para a manutenção e o Pedro Brum Santos, 50 anos,
estabelecem quando essa situação ocorre. desenvolvimento de uma universidade concebida professor do departamento de
Diante da fundamentação apresentada e uma vez com base na lógica da indissociabilidade entre Letras Vernáculas do CAL.
consultado o ministro Cedraz, este concordou em ensino, pesquisa e extensão, que defendemos e “O pedido de impeachment é
abrir espaço em sua agenda para um encontro conforme prevê a legislação vigente. uma resposta importante dos
naquele momento, o que propiciou tratar com o Ciro Correia elogiou a iniciativa do TCU de setores organizados – sindicatos
ministro das preocupações que o Sindicato fiscalizar as fundações e proferir o acórdão. “É e movimentos sociais – contra as
Nacional tem com as medidas cogitadas pelo preciso mudar a situação aberrante existente em acusações levantadas à
governo, no âmbito dos Ministérios da Educação e que o professor que quer cumprir suas obrigações governadora, que são muito
Cultura - MEC, de Ciência e Tecnologia - MCT e com o ensino, a pesquisa e a extensão, de modo graves. Apesar de não acreditar
da Secretaria de Recursos Humanos do Ministério isento e independente de interesses mercantis, não que vá ocorrer o impedimento
do Planejamento - SRH/MP, para dar cumpri- raro tem mesmo que se contrapor às autoridades de Yeda Crusius, pois ela tem
mento à medida estipulada pelo acórdão, que universitárias, que procuram direcioná-lo para os uma extensa sustentação na Assembleia Legislativa,
determina, sejam baixados dispositivos legais no projetos das fundações privadas de apoio. Na acredito que o movimento político de pressão pelo
sentido de implementar as resoluções estabele- universidade de hoje, o professor que tem afastamento da chefe do Executivo é importante para
cidas, entre elas, dispositivos que impeçam os compromisso com sua função pública chega a ser conscientizar a sociedade diante desse quadro de
muitos mecanismos de burla do Regime de objeto de ironia ou de menosprezo como se isso gravidade política que temos no Rio Grande do Sul.
Dedicação Exclusiva - DE. significasse ser menos produtivo. E pior, muitas Afinal, de dois em dois anos temos eleições”.
Isso porque, conforme vem noticiando a vezes não tem a quem reclamar dado o grau de
entidade, as minutas de portaria até o momento aprofundamento da perspectiva privatista nas
apresentadas pelo MEC, assim como as propostas administrações universitárias. Daí a importância
quanto à DE sugeridas pela SRH/MP, parecem do balizamento do TCU nesta questão", afirmou.
ELES DISSERAM

Conflito de interesses “Amazônia não é santuário inviolável”. (Senadora


Marina Silva, do PV, em entrevista ao jornal El País. Zero Hora
O presidente do ANDES-SN, Ciro Correia sugeriu ao ministro do TCU a necessidade de se apontar de 14.09.2009, pág. 14)
medidas concretas para coibir o vínculo entre os ocupantes de cargos públicos e as diretorias e
conselhos curadores das fundações privadas. “Um reitor que é também presidente da fundação fará “O Brasil tem liderança reconhecida, e as armas não
convênios com ele mesmo e não terá isenção nenhuma frente aos inevitáveis conflitos de interesse que agregam nada. Não há país que remotamente lhe
irão se estabelecer. Como o reitor é a autoridade maior os demais segmentos da administração não terão
o necessário suporte para cumprir suas funções e barrar esses mesmos conflitos”, justificou.
represente ameaça”. Raul Söhr, analista militar chileno,
O ministro Aroldo Cedraz, que é professor da Universidade Federal da Bahia – UFBA, disse que sobre a aquisição pelo Brasil de armamentos. Folha de São
quando assumiu a relatoria do processo que resultou no acórdão que disciplina as relações entre as Paulo, 13.09.2009, pág. A18)
fundações privadas e as universidades públicas, já entendia que não era mais possível aceitar a
situação. “Não queremos passar por algozes dos reitores, mas também não poderíamos aceitar que as “Temos que tomar medidas que aumentem a
irregularidades cometidas pelas fundações destruíssem a universidades brasileiras”. competitividade da indústria brasileira, reduzir
Segundo o ministro, a função do TCU é dar sustentação administrativa à administração pública e o custos”. (Ministro da Fazenda, Guido Mantega. Na Folha de
Brasil precisa das universidades para acompanhar as demandas propostas pelo crescimento da sua
São Paulo de 13.09.2009, pág. B7)
economia. “Nossa intenção é a de aprimorar as políticas públicas de forma efetiva. Nós queremos que o
professor possa trabalhar e que seja bem remunerado, mas precisamos começar as mudanças na
universidade já, porque os vícios estão cada vez mais cristalizados”, justificou.
08 AGOSTO/SETEMBRO 2009 Publicação da Seção Sindical dos Docentes da UFSM / ANDES

ESPECIAL Ecos da Operação Rodin - 2

Arquivo/SEDUFSM
Clovis Lima
Assunto das
acusações é
“requentado”
O reitor da UFSM, professor Clovis Silva finalizado e que não entende porque
Lima, prefere não se manifestar resgatá-lo agora. Segundo ele, isso em
oficialmente sobre as acusações do ex- nada ajuda a “imagem” da instituição.
reitor Paulo Jorge Sarkis, um dos A controvérsia em relação aos
indiciados da Operação Rodin (ver págs. documentos encaminhados ao MPF foi
04 e 05). Ele diz que o assunto é recorrente, levantada pelo professor Paulo Sarkis
requentado, e que faz parte da estratégia de (ver entrevista às págs. 04 e 05) e é objeto
defesa de Sarkis para tentar desqualificar as da linha de defesa do ex-reitor, tentando
denúncias feitas pelo Ministério Público provar que sofreu uma “armação”.
Federal. Em 50 minutos de conversa com a
reportagem do Jornal da SEDUFSM, Lima
Contudo, mesmo que esse argumento
esteja em discussão no campo de batalha
Sarkis X Lima: disputa intrigante
enfatizou que considera o assunto superado de uma guerra judicial, existem Uma dúvida intrigante é o porque dessa disputa acirrada entre Clovis Lima e Paulo
e que é o Judiciário que terá que se elementos de dúvida sobre qual versão Sarkis, tendo em vista que Lima foi vice-reitor de Sarkis por oito anos consecutivos.
pronunciar ao final de todo o processo. dos fatos seria verdadeira. Afinal, Clovis Clovis Lima não fala abertamente sobre as causas dessa disputa, que levou a que, em
O atual reitor, que deixará o cargo em Lima omitiu o envio de documentos ao 2005, durante a Consulta à Reitoria, Sarkis preferisse fazer candidata Elaine Resener, se
dezembro deste ano, mesmo não aceitando MPF ou não? A juíza responsável pelo negando a apoiar Lima. O próprio Sarkis quando fala da suposta “armação” para
responder as perguntas que foram processo, Simone Barbisan Fortes, incriminá-lo no escândalo Fatec/Detran atribui o fato a uma disputa de poder. Perguntado
encaminhadas inicialmente por correio parece ter tido dúvidas também sobre se se haveria algum outro interesse, quem sabe econômico, levando-se em conta que ter
eletrônico (veja quais foram as perguntas teria havido omissão de documentos. No controle da Fatec era importante para quem administrava a reitoria, Sarkis é reticente.
nesta página), conversou com a início deste ano buscou informações Entretanto, mesmo em sua conversa informal com a reportagem do Jornal da
reportagem e rebateu as acusações junto à reitoria da UFSM se haveria ainda SEDUFSM, Clovis Lima diz que ainda no segundo mandato de Sarkis foi afastado de
levantadas por Paulo Sarkis. Clovis Lima documentos não encaminhados. representar a Administração Central junto à Fatec. Em relação à criação de um conselho
diz que durante a campanha à reitoria, em No dia 13 de fevereiro de 2009, em gestor da Fatec já em sua Administração, Lima diz que isso foi para tentar um controle
2009, já havia sido obrigado a se manifestar ofício de número 90001020, encami- sobre a fundação, pois, segundo ele, a maioria executiva era composta por pessoas do
a partir dos e-mails enviados por Sarkis a nhado ao reitor Clovis Lima, a juíza grupo de Sarkis.
diversos docentes da UFSM, a deputados e questiona, conforme reprodução à página O atual reitor também disse, mesmo sob pena de ter a informação revelada, que a crise
vereadores. A nota emitida pelo reitor foi 09 deste jornal: “Em complemento ao que levou ao rompimento de Sarkis com ele ocorreu meses antes da eleição. Sentado
publicada em 12 de junho deste ano no site ofício 90000962 (no qual foi determinado frente a frente, Lima diz ter ouvido de Sarkis a afirmação de que, após a eleição dele
da UFSM. que fossem prestados esclarecimentos (Lima), o grupo de Sarkis faria uma “blindagem” a ele (Lima). A resposta de Lima teria
Em relação ao documento enviado pelo acerca dos motivos pelos quais essa sido de que não queria qualquer blindagem e que agiria livremente, sem pressões. Teria
ex-reitor, Paulo Sarkis, ao Ministério da Reitoria, em atendimento a requisição do sido a partir dessa postura “independente” que Sarkis resolveu buscar uma outra
Educação (MEC), em que se diz vítima de Ministério Público Federal acerca das candidatura à reitoria.
uma “armação” com o objetivo de relações entre a UFSM e suas fundações Os recursos da Fatec Os recursos da Fatec
incriminá-lo, atribuindo a Lima essa de apoio, envolvendo o Detran-RS, Uma dúvida que paira no ar é em relação a quem teria feito a denúncia junto ao MPF.
intenção, o atual reitor apresentou à encaminhou ofício contendo documentos Paulo Sarkis acredita que seja alguém que partilhava da intimidade da Administração
reportagem a resposta enviada à Secretaria datados de 2004, não tendo sido enviados Clovis Lima/Felipe Müller. Em nenhum momento o professor Lima admite que essa
de Ensino Superior (SeSu). Clovis Lima aqueles elaborados com data posterior conjectura possa ser verdadeira. Entretanto, remexendo-se no passado, percebe-se, nas
não quis fornecer cópia da resposta que ao referido ano), encaminho os entrelinhas, que na gestão Lima/Felipe havia uma desconfiança e, ao mesmo tempo ações
enviou, mas permitiu uma leitura do documentos que seguem.” da reitoria para desmontar uma estrutura supostamente montada por Sarkis.
documento através do qual rebate os Em resposta, o professor Lima Em outubro de 2006, numa entrevista concedida ao Jornal da SEDUFSM (editoria
argumentos de Sarkis. O atual reitor diz que encaminhou ofício no dia 17 de fevereiro “com a palavra”, págs. 08 e 09), o vice-reitor, Felipe Müller, afirmava em relação às
em nenhum momento omitiu documentos de 2009 (reprodução à pág. 09) com o fundações que “hoje estão sendo tratadas de uma forma bem mais clara, mais transpa-
ao Ministério Público Federal (MPF). Ele seguinte conteúdo: “Senhora juíza, ao rente”. Ele se referia ao fato de que a reitoria havia construído uma fórmula nova de
diz ter enviado somente os documentos que saudá-la cordialmente e em atendimento distribuir os recursos arrecadados. Teria sido aperfeiçoado o IDR (Índice de Distribuição
o MPF havia solicitado mediante ofício do ao seu ofício N. 90000982, referente à de Recursos), para fazer uma distribuição mais justa para os centros da UFSM.
procurador da república, Rafael Miron. Ação Penal Pública n. Ainda na mesma entrevista, Felipe Müller diz que “já era assim (com IDR), mas os
Sobre a resposta enviada ao MEC, Lima 2007.71.02.007872-8/RS, informo a recursos próprios (das fundações) não eram distribuídos para as unidades em cima desse
garante que o assunto está encerrado. Em Vossa Senhoria que não encontramos, em índice. Os recursos próprios ficavam no gabinete do reitor e ele que gerenciava para onde
diversos momentos da conversa, Lima nossos arquivos, nenhum registro com esse dinheiro ia”. Perguntado se a distribuição dessa verba seria analisada “caso a caso”, o
afirma que gostaria de ver esse assunto relação ao assunto solicitado”. vice-reitor foi lacônico: “É, vamos dizer que sim”.

Questões enviadas ao reitor


As perguntas que foram encaminhadas por e-mail ao reitor, Clovis Lima, mas não respondidas integralmente:
Pergunta- O prof. Sarkis, em entrevista ao Jornal da SEDUFSM, disse que o sr. (prof. Lima) ocorreu, qual o motivo de a reitoria não ter enviado todos os contratos e/ou aditivos?
tentou induzir o MPF a incriminá-lo no processo da Operação Rodin. Isso se daria da seguinte P- O prof. Sarkis também alega que as interceptações telefônicas demonstraram que o sr. teve
forma. Na solicitação feita pelo MPF de que a reitoria enviasse cópias dos contratos entre Fatec e acesse a dados do processo que estavam sob sigilo. O sr. dialogava seguidamente com os
Detran, o sr. teria enviado apenas cópia dos contratos assinados pelo prof. Sarkis. Essa suposta procuradores? Tinha alguma relação de proximidade com eles?
omissão teria sido detectada a partir dos documentos enviados pela Fatec, que incluíram os P- Está correta a informação de que durante o segundo mandato do prof. Sarkis, o sr. na
contratos assinados pelo prof. Sarkis, pelo prof. Lima e também pelo vice-reitor, professor Felipe condição de vice-reitor da UFSM, era o representante da Administração na Fatec?
Muller. Isso realmente aconteceu (o envio de apenas parte dos contratos e/ou aditivos)? E, se P- Na gestão Lima/Felipe foi criado por parte da reitoria um comitê gestor da Fatec?
Publicação da Seção Sindical dos Docentes da UFSM / ANDES AGOSTO/SETEMBRO 2009 09

Perguntas ao MPF
Após a entrevista com o professor Paulo Sarkis (págs. 04 e 05), em que
ele acusa uma suposta omissão do professor Clovis Lima no envio de
documentos ao Ministério Público Federal (MPF), e diante de uma série
de ilações contra os procuradores que atuaram no caso - Sarkis disse que
inclusive pedirá à corregedoria do MPF uma investigação sobre a conduta
desses procuradores-, o Jornal da SEDUFSM entrou em contato com
Rafael Miron. O procurador assina os primeiros pedidos de informações à
reitoria da UFSM, ainda em maio de 2007. Miron alegou que tanto ele
quanto o procurador Harold Hoppe não atuavam mais neste caso, pois se
declararam impedidos ainda durante o desenrolar da investigação. Mas,
encaminhou os questionamentos à procuradora que atualmente é
responsável pelo caso, Jerusa Viecili. Publicamos a seguir as perguntas
encaminhadas via correio eletrônico, cujo objetivo era confirmar ou
mesmo contraditar as declarações do professor Sarkis:
Procurador Rafael Miron, em 11.05.2007, Clovis Lima responde em 14.05.2007que está
pede informações ao reitor da UFSM encaminhando documentos ao procurador 1- É correta a informação do prof. Sarkis de que inicialmente, em
resposta à solicitação do MPF, a reitoria da UFSM, em maio de
2007, enviou cópia de contratos ou aditivos ao contrato Fatec e
Detran até meados de 2005, em que apareciam apenas assinaturas
do prof. Sarkis?
2- É correta a informação de que, no entanto, a Fatec, através do prof.
Pellegrini, enviou resposta à solicitação do MPF com todas as
assinaturas de contratos e aditivos, inclusive as do período Lima e
Felipe?
3- Em algum momento, durante o processo de escutas telefônicas, os
professores Lima e Felipe Müller tiveram seus telefones
grampeados/interceptados?
4- O prof. Sarkis alega que a suposta “omissão” de documentos por
parte da reitoria (Lima e Felipe) teria induzido o MPF a entender
que ele (Sarkis) era o principal “suspeito”, e a desconsiderar a
possibilidade de investigar também a Lima (que na gestão Sarkis, de
2002 a 2005, foi representante da reitoria na Fatec) e a Felipe Müller
(que na gestão Lima era o presidente do Conselho Diretor da Fatec,
tendo inclusive participado de todo o processo de mudança de Fatec
para a Fundae)?
5- Então, o MPF, no início do processo investigatório, chegou a
considerar a possibilidade de investigar também a conduta dos
professores Lima e Felipe? Isso chegou a ocorrer ou não?
Juíza Simone Barbisan questiona Lima sobre Reitor responde que não encontrou nos arquivos
possível não envio de documentos após 2004 nenhum registro a respeito do solicitado

Resposta da Procuradoria
A Procuradora da República, Jerusa Viecili, enviou uma correspondência eletrônica investigações com relação a diversas outras pessoas, sendo que os inquéritos policiais
sem entrar diretamente no mérito do que foi questionado. A alegação é de que algumas instaurados para tanto também tramitam em segredo de justiça. Com relação ao
informações continuam sigilosas. O Jornal da SEDUFSM se limita a reproduzir questionamento acerca de possíveis omissões em respostas da Reitoria da UFSM ao
integralmente o e-mail da procuradora: MPF, é certo que, se omissão houve, em tese, corresponde a um ilícito e deve ser
“Várias de suas solicitações dizem respeito a informações contidas em um processo investigado. Como já referido, contudo, os meios de imprensa não constituem o meio
judicial sigiloso, de forma que não é possível responder questionamentos acerca das adequado para manifestação acerca das provas existentes ou não nos autos.
provas existentes nos autos, nem informar as pessoas que foram, no decorrer das Outrossim, independente da demonstração acerca da participação de outras pessoas no
investigações, alvo de interceptação telefônica. esquema fraudulento, é importante que se tenha presente o fato de que a conclusão do
É importante que se considere que a ação criminal decorrente da denominada trabalho do Ministério Público Federal – expressa na denúncia criminal e na inicial da
“operação Rodin” consubstancia um processo de grande relevância no âmbito estadual, ação de improbidade administrativa - foi muito similar às conclusões feitas pela Polícia
com intensa repercussão na mídia regional, bem como o fato de que estão encarregados Federal. Além disso, a maior parte da denúncia foi devidamente aceita pelo Poder
da defesa dos acusados alguns dos melhores advogados criminalistas do Rio Grande do Judiciário (não só pelo Juízo Federal de Santa Maria, mas também pelo Tribunal
Sul. Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre, que apreciou parcela da matéria), o qual,
Assim, a preservação da regularidade processual é essencial e constitui imperativo a ser inclusive, decretou a indisponibilidade dos bens dos acusados.
buscado e preservado, especialmente pelo Ministério Público Federal. Nesse ponto, Ressalte-se, assim que a análise do material probatório constante dos autos foi levada a
importante anotar que questionamentos em apreço decorrem da análise da tese de defesa efeito por diversas autoridades públicas (PF, MPF e Judiciário de primeira e segunda
de um dos acusados, sendo que o local adequado para enfrentamento de teses defensivas é instância), todas imparciais no desempenho de suas funções e especialmente
nos autos do processo. preocupadas em cumprir suas respectivas missões constitucionais e legais.
Pontuando algumas considerações. No decorrer de uma investigação, após a regular Com relação aos demais esclarecimentos solicitados, mister enfatizar que o
coleta da maior quantidade de elementos probatórios, chega-se a uma conclusão, a qual é entendimento do Ministério Público Federal a respeito do caso está devidamente
representada na denúncia. No caso específico da denominada “operação Rodin”, tudo formalizada na denúncia criminal. Há também decisões judiciais que podem demonstrar
que está expresso na denúncia criminal corresponde ao entendimento de cinco distintos o entendimento preliminar do poder Judiciário sobre a matéria (é possível encontrar essas
procuradores da República que analisaram detidamente as provas colhidas durante os peças no sítio do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, onde foram franqueadas).
trabalhos de investigação, em cotejo com a legislação penal pátria. Por derradeiro, cumpre mencionar que a denúncia expressa um pensamento inicial, de
Muitas vezes, a despeito do trabalho realizado pela Polícia Federal e demais órgãos de acordo com as provas colhidas até aquele momento, mas sem o contraditório da defesa e
inteligência, não são angariadas provas contra todos os envolvidos, especialmente em um ainda sem a instrução processual, que está em fase de realização”.
esquema delituoso complexo, que perdurou no tempo e teve grande número de
participantes e beneficiários. Por esse motivo, foi necessário o aprofundamento das Jerusa Burmann Viecili (Procuradora da República em Santa Maria-RS)
10 AGOSTO/SETEMBRO 2009 Publicação da Seção Sindical dos Docentes da UFSM / ANDES

EXTRA-CLASSE

Obra discute contribuição da


Educação Física na formação crítica Arquivo/SEDUFSM
Apresentar uma síntese de leitura dominante, com uma prática de do esporte para que contemple, em seu
sobre a realidade da Educação esporte de cunho eminentemente interior, uma lógica de conhecimento
Física, bem como apresentar uma 'competitivista', que se enquadra que permita a apreensão, no plano do
possibilidade que ajude a superar numa lógica formal de ciência. pensamento, do movimento contra-
alguns problemas dessa realidade, Provém desse processo uma forte ditório presente na realidade social e,
que impreterivelmente passa pelas contribuição à formação de conseqüentemente, no fenômeno
problemáticas do ensino dos sujeitos histori-camente passivos, esportivo”. O lançamento do livro
esportes no contexto da escola. Esse imobilizados em suas práticas aconteceu no dia 14 de setembro, no
é um dos objetivos da professora sociais, limita-dos à descrição do Auditório da SEDUFSM.
Maristela da Silva e Souza, do aparente das coisas e silenciados
departamento de Desportos Indivi- no processo de construção da
duais do centro de Educação Física cultura elaborada.
da UFSM, na abordagem do livro Diante das conseqüências que o
“Esporte Escolar: possibilidade desenvolvimento que essa prática
superadora no plano da luta de esporte acarreta no processo de
corporal”. A obra, editada pela formação do sujeito, o trabalho da
Ícone, de São Paulo, possui 173 professora pretende apresentar
páginas e é uma ampliação do olhar uma outra possibilidade que
sobre esse tema que foi tratado na oriente a relação “possível e
tese de doutorado da professora desejável” entre a EF e a prática do
Maristela, sob a orientação do Prof. Maristela da Silva Souza, esporte no âmbito escolar, relação
docente da UFSM, autora do livro
Dr. Elenor Kunz, da Universidade essa, segundo Maristela, que
Federal de Santa Catarina. prática superadora para o ensino do venha a possibilitar o entendimento
A opção pela 'Ícone', conforme esporte escolar, possibilitando a do espor-te como produto da
Maristela, que também é diretora da formação de sujeitos sociais, conquista de homens e mulheres,
SEDUFSM e da Regional RS do especificamente professores e alunos, sendo abordado pedagogicamente em
ANDES-SN, se deve ao fato de que capazes de apreenderem, no plano do meio ao contexto escolar e aos nexos
essa editora é voltada às publicações da pensamento, o movimento contradi- que constituem a engrenagem das
área de Ciências Sociais. É justamente tório presente na realidade social e, relações sociais.
a área abrangida pelo trabalho da conseqüentemente, no fenômeno No entendimento de Maristela
docente, que faz uma avaliação esportivo. Souza, que atua junto ao Grupo de O livro possui 173 páginas, foi editado
sociológica do esporte. Maristela COMPETITIVOS, MAS Trabalho da Linha de Estudos pela Icone (SP) e apresenta uma versão
explica que o seu trabalho parte de uma PASSIVOS - Tomando por base os Epistemológicos e Didáticos em ampliada da tese de doutorado da autora,
perspectiva contextualizada na teoria argumentos de Maristela Souza Educação Física, se faz necessário um que é professora e pesquisadora da área
de Educação Física.
social do “Materialismo Histórico e abordados no livro, a Educação Física projeto pedagógico que “direcione a
Dialético”. E o intuito é a busca de uma (EF) compromete-se, de maneira área da EF e especificamente o ensino

Dinheiro do Reuni já acabou?


Os R$ 2,5 bilhões destinados a financiar os quatro anos de estrutura, montar laboratórios de pesquisas e bibliotecas para atender
implementação do Programa de Reestruturação e Expansão das adequadamente aos alunos com uma educação completa, baseada no tripé
Universidades Federais (Reuni) já foram comprometidos nos dois ensino, pesquisa e extensão”, afirma a secretária-geral do ANDES-SN,
primeiros anos do projeto e não há previsões de como o governo que Solange Bretas.
tomará posse em 2010 arcará com a despesa oriunda desse crescimento Um relatório produzido pelo Grupo de Trabalho sobre Políticas
desenfreado das universidades públicas, promovido pelo governo Lula. Educacionais (GTPE) do ANDES-SN, com base na análise dos termos de
Durante a inauguração do novo prédio do Instituto de Ciências acordo assinados pelas reitorias de seis universidades federais que
Biológicas da Universidade de Brasília – UnB, em 10 de agosto, o ministro aderiram ao Reuni, demonstra que as universidades terão muitos desafios
da Educação, Fernando Haddad, confirmou que os recursos estão a enfrentar. Segundo consta no documento, o Reuni foi implantado de
esgotados. “Isso significa que o meu sucessor terá que buscar mais alguns forma intempestiva a partir da assinatura de Acordos de Metas entre
bilhões para atender os reitores das universidades federais”, disse ele, governo federal e reitores de cada instituição, em março de 2008. O tempo
conforme noticiou a Agência Brasil. destinado à discussão do programa foi pouco ou inexistente, dependendo
“O ANDES-SN defende, historicamente, a expansão do ensino superior, de cada instituição, entre a promulgação do Decreto n°. 6.096, em abril de
mas uma expansão planejada, com qualidade e recursos suficientes. Nosso 2007, e a apresentação das respectivas propostas ao governo federal.
temor é que essas universidades não consigam terminar as obras de infra- (Fonte: ANDES-SN)
Publicação da Seção Sindical dos Docentes da UFSM / ANDES AGOSTO/SETEMBRO 2009 11

EXTRA-CLASSE

UFSM dá suporte a países africanos


FRITZ NUNES

acontecerá a visita de pesquisadores argelinos e deserto do Saara. A parte agricultável mesmo


moçambicanos ao Rio Grande do Sul, corresponde a uma faixa de cerca de 200 km entre
especialmente à UFSM. a costa marítima, onde fica o porto de Oran, e o
A visita à Argélia, na áfrica mediterrânea, centro do país. É nesta faixa que são disseminadas
realizou-se no âmbito do projeto “Agricultura culturas como de cítricos, oliveiras, trigo, tomate,
Familiar e Sustentabilidade – A problemática da batata e agora estão retomando a plantação de
degradação do solo e dos recursos hídricos nos videiras.
sistemas de produção agropecuários e na Um dos gargalos em relação à agricultura,
Extensão Rural”. Conforme o professor José conforme o professor do departamento de
Marcos Froehlich, no que se refere à extensão Extensão Rural é o sistema de irrigação. Existe
rural, foi diagnosticado que é possível assessorar ainda uma outra preocupação quanto à
os técnicos argelinos na consecução de um salinização da terra. É nesse aspecto que o Brasil,
“amplo planejamento na área de assistência em especial as pesquisas da área de solos podem
José Marcos Froehlich: diagnóstico do sistema técnica e extensão rural”. auxiliar. Neste campo torna-se fundamental o
agrário da Argélia Uma das dificuldades percebidas é a existência trabalho do professor Danilo Reinheimer Santos.
Graças a um edital do Conselho Nacional de de muitas modalidades de posse da terra, explica
Desenvolvimento Científico e Tecnolófico Froehlich. Na Argélia, país que viveu sob a tutela
(CNPq), a Universidade Federal de Santa Maria francesa até a década de 1960, a reforma agrária
(UFSM) poderá trocar experiências e até mesmo só foi implementada em meados da década de 70,
prestar apoio técnico a dois países africanos: a partir da desapropriação das terras dos antigos
Argélia e Moçambique. Na seleção feita pelo colonizadores franceses. Mesmo após essa ação,
órgão federal, a UFSM foi a escolhida através do hoje convivem de forma nem sempre harmônica
trabalho dos professores José Marcos Froehlich em uma economia fortemente estatal,
(departamento de Educação Agrícola e Extensão propriedades do tipo “estatais, tribais,
Rural) e Danilo Reinheimer dos Santos particulares e cooperativas”.
(departamento de Solos). No mês de junho eles DESERTO- Conforme o professor José
estiveram fazendo a primeira visita exploratória à Marcos Froehlich, uma parte importante do
Argélia (norte da África) e, agora, no final de território da Argélia possui clima de temperaturas
agosto, ocorreu uma viagem a Moçambique (sul equilibradas, o que favorece a agricultura.
da África). Provavelmente no mês de novembro Entretanto, 50% do território é coberto pelo Exposição sobre o Brasil feita a pesquisadores argelinos
Fotos: ARQUIVO PESSOAL
REINALDO PEDROSO

-AtcH1N1nn !!
Montanhas e deserto fazem parte Regiões próximas ao mar são as
da paisagem do país mais usadas na agricultura

Ações práticas
As visitas feitas à Argélia e Moçambique deverão ter um retorno prático
imediato. Até o final do ano uma comitiva dos dois países deve fazer uma
visita ao Rio Grande do Sul, especialmente à UFSM. Também deverão
estar no roteiro as universidades Federal de Pelotas e a UPF (Passo Fundo).
Conforme José Marcos Froehlich, já houve interesse de alguns professores
argelinos de realizar pós-doutorado em Ciência do Solo, na UFSM. A
partir do intercâmbio, a ideia é desenvolver projetos comuns, o que deverá
ser discutido a partir da visita dos representantes desses países ao estado.
Froehlich também destaca esse trabalho dentro da lógica que tem norteado
o Brasil, que é a do multilateralismo. Quanto ao papel da extensão rural, a
possibilidade é de que se faça especificamente em terras argelinas um
diagnóstico do sistema agrário.
12 AGOSTO/SETEMBRO 2009 Publicação da Seção Sindical dos Docentes da UFSM / ANDES

ARTIGO DICA CULTURAL

Film e
Unipampa: o futuro da O BANHEIRO DO PAPA
(El baño del papa)

reforma universitária Unipampa chegam a ministrar 20 horas em sala de aula, em


estruturas físicas precárias, visto que grande parte das
obras de construção dos campi ainda não terminaram.
Além disso, em função do reduzido número de técnico-
administrativos, os docentes assumem tarefas que não
deveriam ser de sua competência, prejudicando ainda mais
as atividades de pesquisa e extensão.
A falta de compromisso com a implantação de uma
instituição de excelência fica evidente quando se observa
como os atuais cursos de graduação foram concebidos e
estão sendo oferecidos. Devido à falta de professores e de
espaço físico, os Projetos Político-Pedagógicos de curso
preveem a carga horária mínima exigida pelo MEC; há
uma tendência ao aligeiramento da formação do aluno; não
há preocupação com a área de atuação específica dos
docentes, o que gera situações como as observadas em Quem viu? Gláucia V. Ramos Konrad (*)
alguns cursos de Engenharia, que contam com apenas dois Produção: Uruguai, Brasil, França (2007)
engenheiros em seu quadro de professores, sem falar na Duração: 97 min
falta de laboratórios de pesquisa e de ensino. Direção: César Charlone e Henrique Fernandéz
Outra característica é a desarticulação do corpo docente;
devido à estrutura multicampi, está sendo extremamente
difícil organizar uma seção sindical, realizar assembleias e Até hoje, em Melo, no Uruguai, há na
reuniões. A estrutura, tal como foi implementada, coloca parede de um dos prédios da Explanada de
docentes de áreas diferentes em diferentes cidades. Como la Concordia, a inscrição “El mundo del
exemplo, docentes da área de ciências exatas ficam em trabajo te saluda!”. É uma marca da cidade
Bagé, a 800 km de distância dos docentes da área de que fica na fronteira entre o Uruguai e o
comunicação, que ficam em São Borja. Esse Brasil, próximo à cidade de Aceguá. Em
distanciamento torna difícil a criação de uma atmosfera 1988, a cidade se mobilizou para receber o
universitária da forma como conhecemos, e o caráter de papa João Paulo II e os fiéis que
pluralidade criado pela convivência entre diferentes áreas peregrinariam para lá. Parte dos moradores
de conhecimento dá lugar, nesta universidade, à de Melo reestrutura suas vidas e atividades
fragmentação e à separação das áreas, com evidente econômicas, esperando ganhar no dia da
visita o que necessitariam meses de trabalho
prejuízo das áreas sociais e humanas e dificultando a
para conseguir, sobretudo aqueles que
A Universidade Federal do Pampa começou suas criação de espaços de reflexão crítica.
sobrevivem do pequeno comércio, os
atividades em agosto de 2006, nos campi locados nas O quadro esboçado aqui, pouco lembra do
bagayeros ou chibeiros, no dialeto gaúcho,
cidades de Alegrete, Itaqui, Uruguaiana, São Borja, São funcionamento das Universidades Públicas Federais já
conhecidos por todos nós como
Gabriel, Bagé, Caçapava do Sul, Dom Pedrito, Jaguarão, consolidadas. Isso se explica porque a Unipampa está
contrabandistas. É deste quadro histórico
Santana do Livramento. Os cinco primeiros eram sendo criada dentro dos atuais paradigmas impostos
que saiu o extraordinário e comovente O
tutorados pela Universidade Federal de Santa pelo MEC para as IFES. Gestão por
banheiro do papa. O filme mostra o dilema
Maria, enquanto que os cinco últimos pela “A competências, avaliação de docentes por
real de uma família e de vários moradores
Universidade Federal de Pelotas. Desde o metas previamente pactuadas, docentes
Unipampa é que se endividam, vendem casas, terrenos e
princípio, a Unipampa pode ser vista como atuando como gestores são práticas outros pertences para construir suas
exemplo do que pretende a reforma a prova de que rotineiras na Unipampa. E o mais barracas de vendas, comprar a matéria-
universitária em curso e dos problemas perigoso é que, pela inexistência de prima para as lembranças e a produção dos
que ela representa. Essa Universidade a expansão do articulação, pelo discurso sedutor da comes e bebes.
resulta de interesses eleitoreiros e surgiu MEC está reitoria, pela falta de experiência e de O tragicômico desta história, baseada em
da noite para o dia, sem planejamento contato com o movimento docente de fatos reais, é que nem mil brasileiros
algum. Os cursos tutorados pela Ufpel não equivocada” outras universidades já sedimentadas, atravessam a fronteira para ver o papa,
possuíam Projeto Político-Pedagógico nem muitos docentes compram esse discurso e enquanto que os esperados uruguaios da
grade curricular que permitisse aos alunos repassam para os alunos, como se essa fosse a capital também não vêm para Melo.
conhecerem onde estavam ingressando. única possibilidade de se construir uma Universidade Investimentos de vida, planos de mudança
É importante destacar que a Unipampa nasce dentro do Pública nesta região. A Unipampa é a prova concreta que a de situação econômico-social, perspectivas
processo de expansão universitária, mas não está atrelada atual estratégia do MEC para expansão do ensino superior de novas atividades, toda essa solidez se
ao Reuni. Entretanto, ela é um ótimo laboratório para está totalmente equivocada e que é impossível levar dissipa no ar com o fracasso do contingente
avaliar as consequências desse processo de expansão do educação para todos sem aumento significativo de de admiradores de João Paulo II que chegam
ensino superior, realizado sem planejamento, discussão investimentos. Isto pode ser lido na insatisfação dos para vê-lo. Esta pequena, mas grandiosa
com as bases e o correspondente aumento de estudantes da Unipampa e nas enormes taxas de obra-prima, que aborda as contradições
investimentos. De acordo com seu projeto de lei, a reprovação e evasão, conseqüências direta da precarização entre a fé, o sonho e o trabalho é apresentada
Unipampa é concebida para ter uma relação de 30 alunos do trabalho docente e do novo paradigma de Universidade com uma transparente inspiração neo-
por professor, quase o dobro do Reuni e índice três vezes Pública que pautou a criação desta. A Unipampa retrata em realista, na qual as personagens se dividem
maior que a média nacional. Atualmente, docentes da seu presente o futuro da reforma universitária. entre o mundo da religião e o mundo da
razão, trespassados pela necessidade de
Daniel Luiz Nedel Vera Medeiros trabalhar para sobreviver. (* Historiadora e
Professor de Matemática da Unipampa, em Bagé. Professora do departamento de Letras da Unipampa, arquivista. Professora Adjunta do
Presidente da Sesunipampa. em Bagé. Secretária-geral da Sesunipampa. departamento de Documentação da UFSM)